***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)

Página 3 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 50

Mensagem  Ana Nery em Seg 6 Jun - 13:02:37

***Continuando***

Parte 3: O começo do fim

Nada pode ser tão drástico como esse momeno,mas bem! Acho que viria momentos em que me levariam a envolver-me em solidão
passageira.O que aconteceu e que papai apareceu ao decorrer das próximas noites.Conceituando eu acho que vossos segredos come-
çavam nesse momento.

Justamente quando eu e Lestat estavamos conversando a respeito de futuros acontecimentos minha pessoa soube que Aziel tinha che-
gado,mas porém,eu não esperava pelos detalhes a serem observados: No jardim o vimos,ele estava sentado debaixo de uma das arvo-
res,pensava,tinha uma das mãos movidas a frente.

Ele mantinha-se silencioso como se um transe mental o tivesse assolado.Lestat andou a frente,suas longas vestes moveram-se com os
seus passos delicados."Aziel? A quanto tempo está aqui?".Aziel riu,riu ao olhá-lo.Vislumbrar os detalhes me foram angustiantes.Nada
com que eu pudesse bramir."A alguns minutos,só que em minha vinda eu não esperava encontrar coisas estranhas,foi em minha passa-
gem pelos bosques".Constrangedor.

Aziel levantou-se e pude vislumbrar os sutis ferimentos em suas mãos e rosto,nada de grave,mas irritante."Como assim? Queria que a
vossa pessoa fosse mais clara".Aziel moveu as mãos sobre os ombros de Lestat.Os dois trocaram olhares pecaminosos e isso irritou ao
Lestat.

-Só estou triste Lestat,triste porque hoje tive que matar um infeliz que atacou-me nos bosques para defender-me,e não era um bebedor
de sangue como tu e eu.

"Não me chame pelo nome,me chame de pai!".Disse em resposta,Lestat,que abraçou Aziel choroso.Meus tremores foram continuos e a
sutileza necessárial.Aziel moveu-se a frente com Lestat ao seu lado,ele que tinha a mão sobre o ombro de Aziel.Aziel lambia a mão feri-
da,olhava a frente friamente.

Era como se o transe fose permanente e temi que ele enlouquecesse.Seu longo casaco negro movia-se com seu anda,a camiseta verme-
lha de linho em destade por baixo,a calça justa,os calçado,tudo isso perfeito.Ainda queria saber do que isso se tratava,o passageiro ataque
tinha mexido com Aziel.

Na sala ele sentou-se,pensava,tinha a mão sobre a boca."Pai eu não sei o que vi,mas não era um bebedor de sangue apesar de ser imor-
tal".Lestat o olhava de pé e braços cruzados,em desespero fui até a cozinha pegar um corpo dágua,abri a geladeira pensativa,tirei a garra-
ga e enchi o corpo.

"Sinceramente! E muita conspiração contra nos.Apias nos perseguindo,Seres Bestiais querendo ago de mim.O que mais pensar?".Bebi al-
guns goles,sai olhando ao Aziel que trocava farpas com Lestat."Seu idiota! Deveria ter chegado com singela presença! Acha mesmo que os
malditos não matam? Se pudesse exterminariam com todos,a todos!".Aziel o olhava aflíto.

"Como assim? E proibido defender-me!? Tenho a força e como não defender-me!?".Lestat bateu na cara de Aziel ao vê-lo levantar-se,eu
acho que friamente Lestat tinha encontrado um modo fiel a seus conceitos de repreender Aziel."Deite a vida e foi embora,provocou-me a
dor e volta! Seria sensato perdê-lo novamente? São seres bestiais Aziel e não brinquedos".Terrível,terrível!

"Agora sobe,chega! Não preciso ficar explicando coisas que entende".Aziel revoltou-se,subiu como se sentisse-se tomado.Lestat sentando
na poltrona deu-se a pensar,tinha uma de suas mãos curvadas abaixo de seu rosto."Tem tanto medo de perdê-lo? Porque?".Lestat olhou-
me assim que sentei no sofá pousando o copo de água na mesa de centro.

"Ele e meu favorito,sempre foi...Desde que o peguei ainda pequenino nos braços,eu soube que ele seria meu favorito".Em todos os senti-
dos tentador.Acho que programação melhor não poderia ter existido na noite seguinte.Isso ao nos organizarmos para passeamor por Páris.
Será isso seria sensato?

Eu e Lestat na nova noite desejamos fazê-lo,mas somente para noite seguinte."Tenha paciência".Disse ele na sala ao lado de Aziel,os dois
que desejavam sair pra caçar."Mas vamos mesmo?". Lestat olhou-me com paciência,ele senta-se tomado por uma sutiu obrigação,mas ele
sobe como responder-me.

"Tudo bem,eu disse que vamos,deixe pra manhã a noite,não creio que conseguíremos hoje sabendo que eu e Aziel estaremos fora".Eles se
foram.Se direcionaram a porta e os segui,fiquei a paisana no jardim.Friamente sabia o que ía fazer a respeito de Khayman."Preciso falar,eu
não vou sergurar-me por mais tempo querido".Pensava nele e continuava pensando ao seguir em direçao ao sótão.

Fechei a porta na chave assim que entrei,olhava os detalhes.Caminhando em direção ao altar pude olhar o recipiente metálico."Será mes-
mo que seria sensato eu falar?".Não sei,não sabia,simplesmente minha pessoa refletia conforme fixava os olhos no recipiente.Tudo me foi
ilário,chocante.

Olhei o frasco cheio de mel e icenso."Acho que isso será o bastante pra mim".Pensei ao pegar os objetos e caminhar até o centro do circu-
lo.Sentando no chão coloquei o recipiente metálico á frente,derramei o mel dentro pensativa."Há,sim,Khayman,meus sentimentos são o bas-
tante para que eu possa retroceder".E o fiz.

Olhei a fumaça queimar assim que acendi o icenso o jogando dentro do recipiente de mel.Levantei-me movendo as mãos para cima,olhei o
pentagrama com asas.Pensei friamente com riso."Vinde a mim Khayman,vinde a mim".Apenas desejava vê-lo saber o que ele andava fa-
zendo e o vi.

Pude apreciar quando um algo tomou conta do pentagrama.Sorri sentado-me ao chão,olhei delicadamente a formação da imagem,as mano-
bras espectrais que aconteciam no pentagrama com asas."Olhe para ti,choras como um cão".Ele chorava,meu amado chorava temendo ao
futuro.O vi em vosso quarto tomado de pavor,ele chocava no canto do quarto.Usava túnica vermelha,os cabelos soltos.

'Samantha...A amo e quero-te,e impossível passar as noites e não sentir o fervor de vosso corpo.Quando,quando estaremos finalmente jun-
tos Samantha?'.Era ele mesmo? Nunca o vi emocionamente abalado,mesmo assim minha pessoa pressentia todos os detalhes e foi isso ao a-
veriguar.

Fiquei apreciando a cena,a visão sendo-me passada perante a ação espectral no maldito pentagrama com asas.'Aziel fez bem,e como agiu
com sabedória ao contruir isso'.Sorri,me foi confortante saber que Khayman agia assim,sentia-se solidão por mim.Devagando ficaria ao decor-
rer da noite,isso até a volta de Lestat.

E ele voltou,soube de longe que eu estava lá e entrou.Olhou-me como se nada sentisse.Pegou-me nos braços."Venha comigo querida,disse
que tens que descansar para amanhã".Sorri,movi minhas mãos sobre seus ombros.Isso lhe foi como afago.A noite terminava e não esqueci-
a dos momentos de apreciação a Khayman.

Tive que admitir que o uso de minha força sempre foi maravilhosa.Ia me preparar,começava a me preparar espiritualmente para minha deva-
gação para nosso passeio por Páris. A subliação era perfeita,tormou-se perfeita como se o retoque e nostalgia fossem presságios encantados.A
minha pessoa ficou no quarto nesse termino de noite com Lestat.

Enquanto isso Aziel jazeu na sala,até eu dormir e poder retirar-se,Lestat ficou comigo,ele que fazia carinho em meus cabelos,rosto,movia os
seus dedos pela minha mão unida a sua.Ele não ia embora,não até saber que eu dormia.'Princesa...Não sei exatamente como e porque ás
coisas acontecem,mas tudo que me foi dado,me foi maravilhoso.Não me arrependo de nada'.Pensamento trevoroso.

Tudo que me restava era envolver-me nesse momento.Na noite seguinte pudemos apreciar Páris.Eu e Lestat nos olhavámos.Ele disse que
a minha vontade mesmo contra vosso desejo havia falado mais alto.Me calei e saímos,entramos na limosine olhando Aziel petrificado comi-
go.Ele que jazia sentado de braços cruzados.Lindo ser trajado com casaco longo de cor verde-escuro,camiseta oliva por baixo,calça justa e bo-
tas em tom escuro.

"Dai-me raiva...Deveria ser mais comportada".Será que seria? Não sei,tudo que sabia e que a limosine tomava a Rua e seguia pelas rue-
las.Ajeitei a borda de meu vestido de cetim negro,ele era justo ao meu corpo,atenuava meus seios ainda tão sutis,sentia vergonha,a bota
curta que eu usava me era confortável,principalmente a meia-rastão.

Tinha colocado batom em tom vermelho,meus cabelos soltos.Lestat segurou-me por trás,eu olhava tudo pela janela."Acho que Páris sem-
pre será assim,não creio que ela mude".Lestat riu,tinha uma das mãos na altura de minha silhueta,eu pensava friamente.As luzes da Cida-
de bruxeleavam como encantos espectrais.

"Não tenha sono,a noite será longa".Compreendi,o olhei ao virar-me,ele estava chamativo com uma camiseta de seda de cor rosa-escuro,
a calça justa com botas pesadas para noite.Ofeguei passeando meus olhos."Deve está irritado,não e?".Ele assentiu arqueando a sobrance-
lha,o tom clarinho cintilando nas luzes.tinha os cabelos chacheados amarrados com uma bela fita de cetim negra.

Lestat e aquele topo de ser que emana tudo de si,mas me calo.A noite começou a ser tensa,principalmente ao pararmos em restaurantes de
luxo,Lestat e Aziel tinham programado tudo isso: Lugares em que eu pudesse provar da melhor comiga,tudo que Páris dá de bom em questão
de gastrônomia.

Como o tempo me era maravilhoso: Nesses lugares na compainha de Lestat provei camarões,lagostas,peixes grelhados,até mesmo vinhos
de fora da Cidade.Era como meu paladar em cada ida á esses restaurantes,recebesse uma chuva de descobertas.Sutileza,ansiedade que me
tomava.E foi assim,assim para que eu me entrossa-se na elíte,no luxo que Páris emana.

Muito disso foi dito por Lestat.'Lembre-se! Não me faça passa vergonha,faço isso para aprender a se comportar como as damas de nossa fa-
mília,seja sensata'.Crueldade de vossa parte,e como.Tudo isso Aziel enchergava com proeza,atenção.No início da madrugada eu soube que
eles iam para as redondezas da Cidade: Bosques.

'Vá,logo estaremos de volta'.E desse modo satisfeita voltei,voltei compreendendo e tido absorvido muito dessa noite.Em casa eu senti coi-
sas me tomando.Entrei fechando o portão,meus risos diante das palavras,atitudes de Lestat me tomavam,e somente ao abrir a porta e entrar
e que tive noção do perigo.

Vi Maharet fitar-me,sair das sombras como se fosse um cão.Liguei as luzes."O que faz aqui?";Ela arqueou a sobrancelha,olhava para mim co-
mo se tentasse entender algo."O que tens que Khayman a ama? O que tu tens que eu não tive no passado para ele amar-me?".Respirei,foi
como trovões.

"Não seja patética. Ainda jaz em lamúria".Ela riu,seu vestido de cor branca movia-se com vosso olhar,seus cabelos ruivos soltos,uma onda de
cobre."Me doi,doi na alma olha para uma pessoa como tu e saber".Sinceramente se tornava perseguição,e isso me fez agir como se tudo fosse
holocausto."Não sei os motivos de teu ciúme,não sei! Mas faço o que devo fazer...O amo,estou com ele,e nada vai romper isso".Ela andou a
frente.

"Nem mesmo a ligação que tive com ele? Tive uma filha com ele,que ele renegou,compreende isso!? Uma família que não existe mais,e acha
que e fácil depois de tudo ver uma maldita tomar o lugar que era meu".A olhava,mantive meu controle."Mantenha sua índole,seu foco! Tens
ao Thorne,ele o ama! Eu sei disso,deixa seus cacos de sentimentos por Khayman de lado Maharet! Do que vale a pena!?".Ela avançou contra
mim.

"Que vale a pena? Vale a pena porque depois dele ter me enjotado,me renegado! Não ver ele passar,realizar o que eu quis realizar com ele".A
minha paciência explodiu e não esperava disparar as palavras que disparei."Tu foi fraca! Se rende por dor,um momento passageiro.Se o queria,
que tivesse lutado por ele e não agido com a covardia que agiu sedendo as chantagens de tua irmã por vingança contra Akasha! Se não quis ser
rainha que não tivesse feito o que fez na lamúria da morte de Akasha,imposto isso contra Tompei. Então não reclame de suas perdas!".O bastan-
te para uma guerra começar.

Uma discussão que explodiu em gritos da parte dela.E isso me deixava esgotada.Ela tinha vindo,e pelo visto queria ajustar contas comigo.Me
chamou de vádia,tudo isso.Não suportava,e pelo visto estava disposta.Maharet me perseguia e agiria,sinceramente me encontrava em um mar
sem fundos para argumentar,fazê-la entender.

***Continua***




Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 51

Mensagem  Ana Nery em Ter 7 Jun - 12:57:37

***Continuando***

Foi como realizar coisas traiçoeiras perante os momentos que eu estava vivendo com Maharet. Acho que somente ao me se sentar e
que ela se deu conta de que minha pessoa não estava para brincadeira,e foi como as coisas se tornassem mutáveis. Acho que foi nes-
se encalço que ela encontrou motivos para que minha pessoa compreendesse o que ela pensava.

Maharet me olhava sentada na poltrona é eu no sofá pensativa,respirava forte para que minha pessoa compreendesse o sentido de
tudo."Não creio que sua brutalidade seja consumada Maharet".Ela me respondeu tomada da necessidade de que pressentia algo muito
maior do que esperava ser.

-Se está informada sabe que tive uma filha com Khayman,de algum modo apesar de ter passado pelo que passei com ele,minha pessoa
nutria sentimentos. O que estou querendo dizer aqui e que e inaceitável que minha pessoa presencie ele depois de tudo que fez ao re-
negar meu amor,ser feliz.

Não e ciúme Samantha,somente estou querendo dizer que naquela época em que ele foi forçado a fazer coisas comigo por ordens de
Akasha.o mínimo que poderia ter feito era ter consumado o que eu desejava.

"O que ele sentia então não vale nada e isso? Acha mesmo que na condição dele,Khayman se sentia bem para está contigo? Não seja
insensata Maharet,só se por ele ser humano naqueles tempos,desejasse a morte".Ela ficou pensativa,moveu-se para trás conseguindo
um melhor conforto para si.

"Hum..O mundo dá voltas,Jesse Reves tento se tornado o que foi,jaz em sua vida,existência,não necessita de minha ajuda,nada! Mas
apesar de tudo eu tive força para naqueles tempos dá continuidade a minha família,mesmo Khayman a tendo renegado".Pensei cheia de
notável frieza,o que a deixou tomada.

"Sinceramente esqueça...Se quer alguém para amar e perturbar,por favor! Vá ao encontro de Thorne,não seja idiota Maharet! Deixa
eu ser feliz,basta de lamúria !".Brami ao levantar-me,ela me olhava assustada,foi como se ela sentisse tudo emanando de mim,isso á
deixou em estado de alertar.

-Eu disse... Foi rainha,quis se tornar rainha,depois deixou o trono,passou a pose,então não seja insensata. Se queria mesmo está com
Khayman e mesmo agora me pede isso,por favor! Vai embora e leve consigo vosso egoísmo.

Será que ela compreendia por definitivo o significado de minhas palavras? Não sabia,mas isso me foi o bastante para a olhar ao levantar-
se."E isso? Pretende mesmo unir-se ao Khayman? Ele não poderá lhe dá filhos,e sabe que em troca de tudo o que Lestat lhe dá,ele dese-
ja um herdeiro,um herdeiro homem! Não estou falando de mulheres futeis como surgiram em vossa família,mas um homem melhor do que
o Aziel,herdeiro por direito de Lestat,foi em vida".A mandei calar a boca.

Andei a frente e sabia que o descontrole de minha raiva emanava.Coisas moveram-se com delicadeza,isso a espantou fazendo-a andar
para trás."Lhe garanto uma coisa sua vadia,se me chama de vadia,foi mais vadia do que eu...Escuta! Se todas as mulheres de minha fa-
mília fossem insanas e irreais,jamais teriam voltado dos mortos,como voltaram,jamais teriam consumado o sangue que foi consumado,se-
quer o que foi possível realizar com o nascimento de Hyarian e Aziel teria sido real! Jamais em nossa existência,teríamos e somos o que
nos tornarmos! Cala sua boca! Se tivesse feito melhor,nada do que aconteceu em sua vida teria acontecido".Me olhava silenciosa,seus
olhos chamuscados.

"Filha consaguinea,maldita por si".Brami as últimas respostas."Posso até ser Maharet mas lhe garanto que a covardia que você teve,eu
não tenho".Ouvi barulhos,cruzei os braços pensativa,temerosa,tinha falado o que pensava do ataque doentio de ciúmes de Maharet e
temia uma imensa merda em minha casa.

Era Lestat e Azie,eles que entraram risonhos mas deixaram o riso morrer nos lábios ao encararem Maharet."Rainha...Aquela que nem ao
está sem posto,deixa de ser mãe".Ela encarava Lestat e delicadamente passeou seus olhos por Aziel."Pecaminoso és,céus...E impossível
olhar para cada um de vocês que fazem parte dessa família maldita,e não ter medo do mundo dos mortos".Aziel não entendeu mas soube
como lhe dar com a situação.

"Jamais Maharet...Planta-se a semente e faz-se germinar no momento da colheita,mas o que faz aqui?".Ela voltou a atenção a mim para
depois mover vossos olhos sobre Aziel e Lestat."E tu Lestat! Usarás sua família viva quando morrer para voltar humano?".Lestat tomou-se
de pavor perante as palavras de Maharet.

Ele sentou-se angustiado,pelo visto Maharet tocou em um assunto delicado,eu e Aziel olhávamos a cena com temor."Foi o único que pode
fazê-lo,ninguém imaginaria que tu tinha a semente de si mesmo e deles.Responde então".Lestat a olhou de modo seco,tomado de algo ter-
rível."Por que diz isso?".Ela riu cruelmente indo em direção a porta,ia embora."Sabe que és invejado,muitos adoraria fazê-lo,porém,sabem
que a inveja os levaria a destruir tua família".Lestat a olhava,pensava.

"Maharet o que veio fazer aqui?".Ela riu,tinha seus olhos chamuscados e mãos na porta."Acho que perdi o que tinha que perder e tua filha
humana ganhou em troca...A invejo,tem o que eu queria ter tido".Meu coração bateu forte,foi nesse momento que ela foi-se,sumiu pelo jar-
dim.Sabíamos que ela voltaria,iria ao encontro de Aodh,Mekare e Thorne.

'Que loucura Maharet'.Brami,e nesse momento Lestat olhou-me,eu segui em direção a porta."Queridos irei tomar banho,necessito".Lestat
sorriu em meio a dor."Ah,sim,meu amor inocente,vá,logo,logo a verei".Prossegui pela escada,pensava e como sentia meu corpo cansado.
Meu espírito tinha saído intacto desse momento com Maharet,menos meu corpo.

Segui chegando ao salão e depois indo além a salinha com lareira e finalmente o corpo.Fechei a porta e me despi,deixei minhas roupas cai-
rem ao chão,olhava detalhe por detalhe a minha pessoa ao entrar no banheiro e encarar-me no espelho: Olhava meu rosto moldado pela
dor passageira,meus olhos cinzentos brilhosos,os cabelos soltos com seus fios em ondas.

O que pensava? Brami coisas e nisso virei-me de lado: Eu mudava e me sentia humilhada...Ganhava seios,curvas,tudo isso e sinceramente
como eu desejei não existir."És maldita...O que tua família tem,o que nossa família tem que as outras não tem?".E entrei no box,abri o chu-
veiro quente,a água morna molhava meu corpo como se provocando massagem.

Banho nunca me foi necessário como nesse momento drástico,depois de lavar meus cabelos me mantive quieta,movi minha mão sobre a pa-
rede e com isso pensei,olhava o chão,a água caia sobre meus cabelos e nuca.'Ela pensa que tirei tudo que ela queria ter,ela tem raiva de
mim porque consumi o que ela que ela queria ter consumido.Se sente humilhada ao vislumbrar um ser que teve as forças que ela não teve
para suas realizações se tornarem reais".Como,como meu coração doeu!

Comecei a chorar,chorei muito apartir desse pensamento.Somente quando termimei e que puxei a toalha,sai para a parte da frente do ba-
nheiro,tinha meus olhos inchados e isso me assustava,aproveite por está envolta na toalha para passar um pouco de creme nas mãos,eu
não parava de pensar e ao sair apagando as luzes,fechando a porta do banheiro vi Lestat sentado a beira da cama.

Ele olhava o nada,pernas cruzadas e mãos unidas a frente tinha."Samantha o que aconteceu entre você e Maharet? Me foi pecaminoso sa-
ber que ela a comia com seu olhar,céus! Ela só faltou te engolir viva".Respirei fundo,olhei a camisola negra de algodão macio e puta renda
que ele separou para mim.A segurei nas mãos."Há meu querido! Esquece! Nada demais,acho que ela de alguma forma por saber que eu sou
livre quis descontar suas dores em mim".Ele pensou.

-Sinto que esconde coisas de mim,que você tem medo deu saber de coisas particulares suas e isso me envergonha,eu não pretendia cau-
sar esse tipo de sentimentos em você.

Brami coisas,havia tirado a toalha e começava a me vestir,ele me olhava como se a resposta lhe fosse necessária."Lestat,Maharet sente
culpa de muitas coisas que fez no passado e até no presente,mas esqueça,e,sim,amaria que você não soubesse de tantas coisas a meu
respeito".Isso o fez respirar fundo,a dor era consumidora.

Eu me preparava para colocar as roupas usadas e a toalha no gesto no banheiro."Samantha mas prometa-me que se necessitar de mim,de
minha pessoa,unicamente a mim! Vai chamar-me Samantha,por favor".Eu ri ao sentar-me enfrente ao espelho da linda penteadeira,puxei a
escova.Lestat levantou-se temeroso,moveu suas mãos sobre mim em um abraço."Ok...Se isso for o bastante,tudo bem Lestat".Começava
a escovar meus cabelos,tudo isso foi-me temeroso,doloroso,mas sabia que ia passar.

E foi dessa forma que inagurei a minha casa em Páris,a casa em que eu passo as férias,até momentos especiais quando posso com Lestat
ou qualquer próximo.Passamos noites maravilhosas nesse momento,isso até chegar a hora de voltarmos.Aziel tomou seu caminho,eu e o
maldito Lestat fomos para Athena.

Após minha chegada passou-se algumas noites,se a memória não me falha umas três,isso até eu passar por um momento trevoroso ao ja-
zer em meu sono.Era madrugada e isso era tenso para meu espírito que jazia naquele lugar tomado por destruíção: Eram terras imensas,o
vento cortante e poderoso ecoava pelos céus negros.Pó e poeira no ar,ouvia gemidos,imensos gemidos de dor.

Eu andava em espírito por esse lugar,andava,minhas vestes moviam-se com meu andar,as arvores secas,e os gemidos continuavam sendo
ouvidos.Tudo isso me foi aterrador.Pude ao chegar em algumas moradias escassas mulheres,mulheres secas com asas arrebentadas,elas a
jazer abraçadas uma outra.

'Céus...A doença paira por todo esse lugar'.E andei,andei até chegar em uma fortaleza imensa,tochas queimando e ouvi bramidos das pes-
soas que jaziam lá dentro.'Sabrina precisa tomar alguma atitude,a toda poderosa precisa agir,ela sofre,e como sofre'.Meu foi sentido,foi
como se algo o tomasse apertando-o por dentro.Eu gritei,gritei quando me deparei com aquela arpia alta,pele imaculamente branca,os olhos
claros em tom verde,os cabelos claros,loiros em fios cacheados,ela escrevia de pé debaixo de uma arvore em um campo.

A arvore era imensa! Porém estava morrendo,seca como o nada! 'E vital que encontre o coração,e vital'.Foi o que ela disse ao escrever e
ao ver seus olhos verdes se voltarem para algo gritei,era como se ela olhasse-me,suas asas negras de morcego moveram-se,a vi alçar vôo
aos céus negros da noite:Um ser poderoso e imaculado,tive que admitir.

Acordei gritando,berrando! "Sabrina! Ah,céus! Estive em espírito nas terras em que as arpias moram".Gemi de dor,olhava as coisas,o escu-
ro de meu quarto envolvendo-me.Fiquei a paisana sobre a cama,pensativa,gemendo de lamento:Saber que tanta doença,destruíção alas-
trava o lugar em que elas moram me foi como me deparar com o fim eminente.Havia descoberto algo e sinceramente me havia sido inespera-
do.

***Continua***

Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 52

Mensagem  Ana Nery em Ter 7 Jun - 14:15:14

***Continuando***

Tudo isso não me era para se conformar,minha pessoa se envolvia em uma espécie de transe.Havia tomado café da manhã transtornada.
'O que elas falaram não e brincadeira,o que Maya disse pelo visto não e para brincar.Estava falando sério desde o início em que disse que
precisava de ajuda'.Foi o que pensei sentada a mesa vestida com túnica,a caneta de café com leite a frente,me perdia ma fumaça subindo
em sua espiral.

Todos os detalhes do que eu tinham visto não me saiam da mente,não me saiam provocando uma espécie de nostalgia e transe alado pa-
ra amenizar meu lamento.Tomei a coragem,sabia que ia dizer tudo ao Lestat e a espera foi dolorosa,isso porque ele só pode está comigo
depois de uma passagem em terras não muito longe.

Foi o que ele disse-me na noite em que veio ao meu encontro.Acho que o fato de minha pessoa o ir preparando conforme necessário de
nada adiantaria,e foi certo o que pensei,entendam o porque: Lestat me encarava como se o que falasse fosse uma brincadeira,imensa e
terrível brincadeira.

Ele jazia sentado ao meu lado no sofá me encarando conforme eu falava.Tinha escolhido calça branca de corpo clássico,a cor marrom dos
sapatos me foram atrativo,a camiseta em tom cinza confortável para ele,os cabelos escovados e amarrados para trás com fita negra de
cetim a malva de algo.

"Acredite! Lestat,eu me vi andando por lá,tudo destruído,tomado por doença,falta de vitalidade e vida.Compreende o fato deu ter me de-
parado com Sabrima? A arpia descrita por Maya?".Ele pensava,silencioso olhou os detalhes da sala,cruzou os braços encostando-se mais
na base do sofá."Creio que elas não vão descansar até finalmente conseguirem o que precisam".Ele não respondeu de imediato.

Somente quando sentiu-se artomentado ao imaginar,disse."Tudo bem Samantha,se algo tiver que ser feito,faremos...E isso que tem para
me dizer?".Lestat levantou-se e vi que ele jazia em medo,me foi aterrador vê-lo mover a mão sobre seu peito."Sente algo? O que artomen-
ta a ti,Lestat?".Ele bramiu friamente,temia mostrar sentimentos.

"Temo que eu e que saia perdendo dessa vez Samantha,a você ou quem sabe qualquer um de nossos próximos,agora as palavras de Maya
me vêem a mente com clareza".Agora tudo isso lhe começava a ser covardia,um golpe entanto.A piedade as vezes e como presente,e foi ao
vê-lo ir embora logo após dar-me um beijo na testa."Preciso ir princesinha,preciso ir ao encontro de Thalwa e sei que logo,logo terei que ir a
Ilha".Compreendi.

E lá se foi Lestat,eu o olhei sair fechando a porta,minhas mãos movidas e unidas a frente,a necessidade de repensar no que devíamos fa-
zer se tornou obrigatória.Apartir de sínteses eu pressenti no ar que Sabrina,aquela arpia em que vi,tinha saído para alguma missão e quis
saber qual seria.

"Ela não saiu de lá a toa,não saiu de suas terras e fronteiras a procura de nada,seu mundo está morrendo e precisa tomar alguma decisão
que salve as arpias".O que pensar perante tudo o que vi? Sabrina ao ver vislumbrada por mim me pareceu ter sido um ser voraz,tomado de
coragem,mas porém,ácida loucura.

Tudo isso não me saiu da mente,nem mesmo quando passou-se as noites e envolta em meus compromissos prossegui,prossegui deixando
tudo em ordem para o momento em que Lestat viesse me pegar.Ele tinha avisado e não apareceu desde o momento em que lhe disse dos
martírios que passei.

Somente ao sentir-se preparado veio,veio na calada da noite ao meu encontro.Em pouco tempo seguimos viagem pelos céus de Athena e
consequentemente os céus se tornaram nossa moraria.Me foi doloroso dessa vez,doloroso jazer em seus braços sem a noção do que eu ia
presenciar ao está na Ilha.

Sabia que de época em época Lestat precisava e sempre precisará ir a Ilha,da última vez em que eu fui,ele não o tinha feito,mas iria fazê-lo
dessa vez.A viagem era trevorosa,somente o som do vento como compainha para mim.Somente o vento foi minha musica ao jazer nos bra-
ços de Lestat em nossa viagem pelos céus,e o silêncio na calada da noite em nossa chegada(Volta em fuga do sol).

Ouvi bramidos,alguém falava,era Lestat falando com alguém.'Tompei sabe da necessidade que as almas tem,acho que será rápido,sei que
logo,logo Aziel irá chegar'.A voz dele parecia-me rouca,mas forte.Me movi sobre a cama e vi que estávamos no quarto de Tompei,os vi de
pé.Lestat havia se trocado,colocado uma túnica longa de cor cinza-escuro,os detalhes dos botões em broches era delicioso de apreciar.

"Acordou querida".Pensei taticamente,as vestes negras de Tompei eram chamativas,principalmente por ser uma túnica de pura seda chine-
sa a ardonar-lhe.Ele olhava para mim com seriedade,seus olhos delicadamente puxados,típicos de um oriental e um encanto vistos da forma
que os vi nesse momento,a cor de mel sempre brota dos olhos de Tompei.

"Fique fria".O que Lestat ia fazer? Tompei implorou isso como se céus,fosse-lhe doloroso.Os segui,rapidamente vi que nos direcionava a um
lugar de reliqueas.Ao entrarmos depois de seguirmos por um corredor vi que a biblioteca era imensa,imensa! "Foi aqui que vi Khayman pela
primeira vez".Lestat olhava a tudo pensativo."Agradeço por me receber de época em época,mas essas malditas sempre precisam".Quem?A
minha mente se perdia.

Somente ao passarmos pelas lindas prateleiras cheias de livros,até mesmo por prateleiras de vidro contento raridades e que vi sobre uma
base de madeira cinco jarros.Lestat os encarou temeroso.O brami de sua pessoa me foi silencioso.Tompei o olhou de lado tocando-lhe os
ombros."Tenha calma Lestat,tenha calma".O que Lestat ia fazer?

"Pobre sou...Dá última vezes elas quase me mataram e não faz tanto tempo".Tompei riu,encheu-se de riso delicado,porém,ao olhar os jar-
ros ele sabia do perigo e pude ouvir nitidamente o som de seu coração batento poderoso ao andar a frente e pegar os jarros."Leve esses
dois Samantha".Os peguei e sinceramente o pavor me foi trevoroso.

Algo emanava de lá."São as almas".Disse,e nisso seguimos,fomos para o salão,Lestat andava a nossa frente como se a dor fosse consumi-
dora,receptiva.Somente ao chegarmos nos campos e que eu e Tompei colocamos os cinco jarros sobre a relva do campo.Um ao lado do ou-
tro olhamos,Lestat pensava.

"Deixa que eu faço,ainda precisa repensar em muitas coisas nítidas Lestat".Lestat olhou para Tompei,ele que agora jazia a sua frente como
se repensasse.Nesse momento vi a adaga que Tompei tirou dentre a relva do campo,ele que a tinha deixado lá antes de Lestat chegar,já
estava preparado.

"Aziel virá,acho que Thalwa virá pessoalmente saber se essa revitalização foi feita com sucesso".Revitalização!? Como assim? "O que vocês
vão fazer!?".Brami os olhando,o vento vinha de encontro a meu rosto poderoso."Olhe querida mas sei que não suportara por muito tempo".
E vi quando Tompei moveu a lamina da adaga sobre os pulsos de Lestat,o sangue brotou.

Dei passos temerosas para trás e acho que o fato deu ver aqueles jarros moverem-se me causou calafrios,poderosa força sendo emanada
e isso me foi para contaminar-me com medos.As tampas dos jarros negros feitos em estilo grego quebraram,vi como a névoa movia-se pe-
rante a gente.O vento estava forte.

Movi a mão a frente de meus olhos e me surpreendeu o modo como aquelas almas feitas de pó negro,porém formato esquelético moveram-
se em direção a Lestat."Vamos...Thalwa não me mandaria aqui a toa".Uma dessas almas era vermelha,as quatro restantes negras,tinha os
vossos mantos negros.Eram como esqueletos vividos emanando poderosa força vital,esqueletos ardonados por mantos,só que uma em espe-
cial com manto vermelho.

Essa em particular tocou o rosto de Lestat e foi nesse momento que ele tremeu."Vão esperar?".Ouvi ela falar e me foi aterrador.'Um dia
vamos usurpá-lo do trono em que o colocamos Lestat,tenha certeza..O destruíremos".E nisso tive que me apressar,a força era tão pode-
rosa que Tompei correu em minha direção pegando-me nos braços,sabia que eu pretendia algo.

"Para! Não faça nada! Pode ser a bruxa que é,mas contra isso ai,nada pode Samantha.Parada".Eu bramia,chorava,olhava como as mal-
ditas usurpavam Lestat,como elas o seguravam,desferiam até mordias nos pulsos e braços para fazer mais sangue brotar.Sangue,imen-
so escorrer de sangue,elas se abaixavam,uma a uma se abaixavam,bebiam do leito em que haviam feito para se servia.

O vento era forte.Lestat agora ajoelhado,as mãos e braços curvados a frente,elas bebiam se presa e olhava como a vitalidade poderosa
lhes era realçada,chamativa.Meu coração chorava por dentro."Isso e uma afronta! Me solta Tompei! Me solta! Fazem de Lestat um ban-
quete!".Tompei agora andava,me segurava.

Eu berrava e somente via Lestat se costas esperando,nem uma delas perdoava,nem uma."Entenda! No passado a família de Lestat foi
escolhida a dedo pelas almas,se perderam no tempo,mas fazem jus ao terem reavido a força da família Lioncourt,não seja tola!".Ele dizia.
Eu chorava,olhava de longe,movia minhas pernas,e no salão ao entrarmos as portas se fecharam.

Ouvi os terríveis gritos de Lestat do lado de fora."Elas vão matá-lo,vão matá-lo!".Tompei olhava a porta,ouvia,sentia pavor.Sequer
mesmo sendo o poderoso que é,se atreve,Tompei pelo visto demonstrava seu ser ciente de seus limites.Gritos ecoando,poderosos
gritos.

"Pobre Lestat,como sobrevive a isso?".Tormento,isso até minha pessoa silenciar-se na dor.Foi assim nessa noite em que chegamos e
foi assim até finalmente chegar o momento de Tompei sair.Foi rápido.No quarto vi Tompei entrar com Lestat nos braços.Desmaiado e
sem consciência temporária.Na cama ele foi colocado."Fique aqui,preciso fazer algo,mas fica aqui".Ele tinha medo deu revidar,usar
algo de mim contra as almas e acabar mal,muito mal.

Sozinha olhava Lestat deitado na cama,ele que tinha as mãos unidas a frente,suas vestes pouco chamuscadas,graças,pensei."Pura-
mente loucura".Brami puxando uma cadeira e sentando.Tompei ia quardar os jarros,reaver o controle das almas depois do banquete
e eu esperava.

Esperava até tudo silenciar-se e sentir a presença de Aziel,ele que sentou-se a beira da cama."Hum...Ele e fraco,mas não inutiu pa-
ra as almas".E pensei,somente troca de olhares houve,me curvei a frente beijando o rosto de Lestat,logo,logo ele ia acordar,quem
sabe reaver seu controle.

Com isso silenciou-se o tempo,silenciou-se a noite.Conseguimos passar duas noites tranquilamente,isso até eu e Lestat estamos con-
versando a beira do penhasco.As ondas reverbavam no rochedo com poderosa força."Melhor?".Ele riu,olhava a lua cheia,aos poucos
sabia da segurança."Sabe que me recupero,ao longo de meu descanso aqui,me recupero.

Ouvimos barulhos,Tompei e Aziel jaziam no salão,mas esse barulho causou calafrios ao Lestat."Gente na Ilha?".Ele levantou-se em
recuo,andou para trás junto de mim,o agarrei de lado,o vento fazia nossas vestes moverem-se."Preciso de ajuda,preciso de ajuda".
Era uma voz feminina.

"Ajuda?".Lestat respondeu,ele tremia de medo ao segurar-me de lado,eu sentia a poderosa força desse ser que subia,escalada os
rochedos da Ilha."Lestat tome cuidado,meu povo foi atacado,está sendo ataco,preciso de ajuda".Tremores e finalmente vimos mãos
aparecerem na borda do penhascos e quando vimos aquela mulher Lestat tremeu.

"Samantha sai daqui".Disse entre-dentes,e algo terrível tinha acontecido com ela,ela me olhava,estava ferida,ferida no corpo,tinhas
retalhamentos em seu rosto,braços,suas roupas estavam em frangalhos.Tinha vindo a nado,a nado! Feito tudo sozinha."Lilith Chariére".
Disse ela,ela ofegava,seus cabelos engrenhados.

"Não me expulse por favor,estou dizendo que fomos atacados".Vimos Tompei sair,ele que corria pelos campos.Eu olhava petrificada
a Lilith,pensei sentir algo,mas meu coração estava gelado."Lilith?".Ela olhava para Tompei,tremia e foi quando desabou,ele a segurou
com força nos braços."Céus parece que essa mulher passou por uma guerra".Ela tinha desmaiado.

Não acreditava:Mamãe,minha mãe?O que acontecia? Seguimos e entrando no salão Aziel olhou Tompei passar como se fosse-lhe algo
em eminente consumação.Fomos até o sótão,Lestat andava de um lado para outro,Tompei a colocou no chão,a olhava abaixado ao la-
do dela."Céus..Ela foi ferida,imensamente ferida,e lhe garanto Lestat...Não foi bebedor de sangue ou alguém que a traiu de seu covil
não".Tensos olhares.

Aziel queria entrar,jazia na porta."Sai daqui! Sai!".Olhou ao Tompei depois de fechar as portas."Mate-a! Mate-a ou eu a mato! Mata!
Mata a infeliz! Mata para eu finalmente ser feliz!".Tompei o olhou,pensava."Matar? Olhe para ela! Foi atacada por algo que nem sa-
bemos!".Vimos quando ela moveu-se de lado,a dor era contaminante.

"Lilith precisamos saber! Não posso medir coisas por ti!".Ela não conseguia falar,somente agonizar.Vi coisas em sua mente,pessoas,se-
res correndo,sendo mutilados exatamente no lugar em que ela morava.Somente o tempo diria,diria conforme ela voltasse a si.Tinha si-
do atacada e simplesmente ido ao lugar mais apto,acho que deixado seus orgulho de lado,pensei a encarando agonizante sobre o chão.
Lestat saiu,não suportava."Samantha vá pegar algumas coisas que me sirvam,vá!".Pediu Tompei.Trevas encatadas? Há,sim,começava
a ser.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cao 53

Mensagem  Ana Nery em Qua 8 Jun - 12:13:58

***Continuando***

Não demorou para eu sair,ir em direção ao salão,vi Lestat sentado ao lado de Aziel,Aziel que não compreendia o que se passava.
"Aquela mulher! Como ela está?".Fou surpreendente conforme minha pensava,os olhou conforme repensavam no que deveria fa-
zer."Ah,sim..Não queira saber quem ela e Aziel,esqueça".Bramiu Lestat.

Uma rainha no palácio de Tompei e pelo visto eles não sabiam o que fazer.Foi como se minha pessoa fosse tomada por inespera-
do sentimento.Constrangedor,principalmente ao me direcionar ao andar de cima,sair a procura de alguma coisa que servisse para
amenizar a dor de Lilith.

"Não esperava que ela viesse,não esperava.Não dessa forma constrangedora,humilhante.Sonhava em um dia vê-la,mas não des-
sa forma".Bramia procurando ataduras limpas para os ferimentos dela,algum pano limpo.E fiz.Em pouco tempo jazia ao lado dele.
Tompei mantinha-se sentado ao lado dela,analizada a questão.

Ia demorar um pouco para sua pessoa voltar a si,mas viria,eu soube ao sentar-me ao lado de Tompei.Ele moveu a mão sobre o
recipiente com água limpa,depois começou a limpar os ferimentos nos braços dela."Lilith sei que consegue me ouvir,sei que vossa
pessoa pode falar comigo,o que preciso e que explique,possa explicar o que aconteceu".Ela ainda não falava,mas o fato de poder
ter deitado de lado foi maravilhoso.

-Tompei somente preciso respirar,somente isso...Não sei a onde Lucy está,mas sei que ela deve ter ido para algum lugar seguro.A
minha pessoa jura,jura que depois vai embora.

"Não entendo,tento entender Lilith".Ela respirava,somente quando ele pediu para ela deitar para cima e que ousou desabotoar as
suas vestes que estavam em frangalhos,e isso realmente jazeu como trovões aos meus olhos.Ela gemeu ao sentir o maldito pano
molhado e humido deslizar por seus ferimentos.

Olhava o teto ainda transtornada com que havia passado.Tudo lhe era vago,mas porém,necessário.Não,deu para perceber confor-
me Tompei a limpava,cuidava dela que ela não sabia que Aziel estava no salão com Lestat,pelo visto o imenso baque corporal tinha
sido poderoso o bastante para ela não perceber.

Conforme continuavámos a gente a ajudava.Deu para ir a procura de roupas limpas,logo,logo Tompei ia terminar e nisso minha pes-
soa desejo aquecer o coração.Não demorou e pude entrar,mantive a porta aberta do sótão.Lilith já tinha limpo seu corpo,agora ja-
zia sentada,acho que pensativa apesar da dor."Obrigada Samantha".Disse ao entregar-lhe a túnica de puro linho de cor branca.

Seus olhos brilhavam nas luzes do imenso lugar,Tompei agora a olhava de pé mantendo seus braços cruzados e tudo iss foi como as
pretenções desejadas."Não esperava esse ataque certo?".Disse Tompei e somente quando Aziel tomou coragem para entrar,desaca-
tar a autoridade de Lestat que veio atrás dele e que ela o viu.

Um tenso momento de silêncio tomou conta dela conforme sua pessoa segurava a túnica nas mãos ainda sentada.Uma mulher núa,e
nesse momento a procura do fim de sua recuperação.Ela o olhava,Lestat encostou-se no vão da imensa é pesada porta do sótão.Ele
moveu suas mãos a frente.

Aziel a encarava friamente."Aziel? E você ou estou vendo coisas? Aziel?".Nunca vi Aziel transtornado,ele a fitava,tentava saber se
conseguia lembrar dela,mas envão,seus olhos verdes e brilhosos passeavam com ela em dor."Hum...Desculpe,sei que minha filha te-
ve uma mãe,mas não sei quem é essa mãe".Lestat o tocou por trás."Vai fazê-la reviver? Não seja tolo queridinho".Aziel o olhou de la-
do,emanava dor no coração.

-Não,não consigo lembrar dela,não consigo,mal entendo quem ela é,tudo que posso decernir e que não e uma bebedora de sangue
como nos,e algo diferente.

"Aziel!".Berrou Lilith chorosa,Tompei a segurou e foi difícil conté-la,muito difícil mesmo conter vossa pessoa.Lestat saiu com Aziel na
direção do salão,pelo visto estariam á nossa espera."Resolva isso Tompei! Não aguento a presenta enojante dela!".Não esperava o
ódio de Lesttat:A odiava,a odiava porque no passado friamente ele considerou Lilith culpada de tudo.

Ela chorava,Tompei a segurava,foi quando do nada ela deixou-se tomar,encostou o rosto no peito dele."Ah,céus! Não acredito!
Vivo,vivo todo esse tempo".Ela gemia de dor,tinha as mãos a frente do rosto,a túnica havia caído no lão.Andei a frente podendo
pegar."Lilith sei sua dor,eu sei! Tenha calma! Parece que passou por um imenso assombro! E como se um assombro terrível provo-
case guerra em teu espírito".Lilith olhou para Tompei ao afastar-se.

Tinha as mãos movidas a frente."Ah,céus...A quanto tempo,quanto tempo?".Falei ao entregar-lhe a túnica,ela olhou-me tomada
de dor."Eu o trouxe...Digamos que o fato da poderosa Thalwa ter congelado o corpo de Aziel o preservou,preservou durante es-
ses anos a mente letárgica dele".Ela respirou fundo.

Começava a vestir-se,abotoava a túnica."És louca,imensamente louca Samantha".Não sabia quais sentimentos ela mantinha por
mim,creio que nada demais,foi o que senti em seu frio olhar envolto em seu choro."Lilith venha comigo,precisa explicar o que acon-
teceu...Foi atacada,pelo visto humilhada".Ela seguiu assim que ouviu as palavras de Tompei.

Seis cabelos são lisos,imaculamente loiros,um tenebroso pensamento passou-se em meu olhar.No salão ela sentou-se na poltrona.
Eu e Tompei entre Lestat e Aziel no imenso sofá,acho que Lilith estava fatigada demais,somente agora seus ferimentos secavam.
Começavam a fechar."Um ser alto,cabelos loiros,imensas asas de morcego,unhas cortantes.Ela tem olhos verdes.Se denominou de
Sabrina".Senti arrepios,Lestat moveu-se a frente.

O temor o fez tremer de medo."Sabrina? Está falando da Arpia denominada por Maya?".Lilith o olhava silenciosa,tinha as mãos e
braços curvados na base da linda poltrona,muita dor ela emanava,pelo visto nunca sentiu tanta vergonha."Ela invadiu meu palá-
cio,quer dizer! Uma mensão imensa,ela disse está a procura de um ser que tenha coração puro,sem maldade.Entende isso!? Ju-
ro que se não tivesse dado algum jeito,ela teria matado Lucy e arrancando o coração dela".Gelei nesse momento,eu gelei por in-
teira.

"Tompei e Lestat,não sei o que isso quer dizer,mas ela queria Lucy,minha Lucy...Foi por pouco,por pouco...Todos os presentes
simplesmente mortos,mutilados".Lestat a olhava assombrado não acreditando.'Até essa maldita,até ela'.Lê esse pensamento de
Lestat foi tenebroso,infelizidade digamos isso.

"Tudo que fiz foi revidar,o ser que jaz em mim atacou Sabrina,mas porém,em escape por ela me perseguir sai,fiz trilha,segui por
terra e quando encontrei o litoral simplesmente cai no mar,me joguei,usei meu intelecto para saber a onde essa Ilha fica".Tompei
a olhava friamente,pensativo ficou.

"Lilith creio que a única ajuda que podemos dá e essa,ficar aqui e como colocar em risco a mim,a Maharet e Mekare,até mesmo a
Thalwa...Está ciente disso. Estou diante de uma rainha! Não uma rainha bebedora de alguma linhagem de sangue como eu,como
Maharet e Mekare foram,mas céus! De uma rainha bestial".Ela o olhou tomada.

Levantou-se angustiada."Não sou exatamente uma rainha,entenda! Não como pensa em relação a meu povo".Tompei a questio-
nou."Como assim? Fera jaz em ti,jaz em teu espírico e corpo.Como não e a rainha consumada?".Ela virou-se,cruzou o braço poden-
do erguer uma das mãos abaixo do queijo.

-Sou rainha,Fera e a matriz dentro de mim,meu povo,mas...Mas...Digamos que me falta algo que um rei ou rainha Bestial deva
ter.

"Isso e redículo! Tompei mande ela embora!".Bramiu Lestat,Aziel o repreendeu,foi drástico."Não detenho a fertilidade que qual-
quer rei ou rainha bestial deva ter".Lilith olhou para Aziel ao virar-se,pode encarar sua pessoa silenciosa,sentada finalmente po-
de dizer com tranquilidade."Ao dar a luz a Samantha fiquei esteriu,antes de acontecer".Quietude."Não que Lucy tenha consegui-
do,mas ela e fertil". O pavor tomou ao Tompei.

Foi o bastante para Lestat agir."Chega! Isso e patético! Patético! Mande-a embora,chega!".Tompei o seguiu,ele,sim,mantinha o
seu controle,e um tipo de ser ancião o bastante para tolerar,respeitar."Lestat para!".Os dois subiam,fiquei devagando conforme
Lilith pensava.

Mantive algumas trocas com ela,isso conforme sua pessoa tentava me explicar algumas coisas.Nada me chamou tant a atenção
como o fato dela olhar para Aziel uma vez ou outra,sentir seu coração aquecer-se.'Como foi possível? Como pode plantar alguma
semente e agir Aziel?'.Tenso tal pensamento,silenciosa ela sorriu pra ele,curvou-se a frente pegando suas mãos.

"Aziel não lembra de nada mesmo?".Ele a olhou e nesse momento senti necessidade de retirar-me,além de saber que Tompei ten-
tava conversar com Lestat no quarto,sabia que ela necessitava falar com Aziel."Licença...Preciso retirar-me".Tenso quando pude
subir as escadas,passei pelo corredor sempre decorado com jarros de flores,quadros.

Ouvi sussurros de Lestat e Tompei ao parar na porta."Chega Lestat! Chega! Tua impiedosa ação para com Lilith e como palntar
as chamas da lamúria e dor,chega!".Lestat o respondeu,percebi que ele andava pelo quarto."Ela e maldita,deve está se aprovei-
tando de alguma forma para persuadir-nos! Acha que sou tolo? Se Maharet e Mekare sabem sem duvida de que uma guerra mui-
to séria acoteceria,nem Thalwa toleraria isso".Tompei bramiu.

Pude entrar os olhando."Lestat seja calteloso,somente isso,acho que esperar mais um pouco nos séria sensato".Ele olhou-me co-
mo se estivesse olhando uma aparição."Sua teimosa,sua bruxa maldita".Olhei para Tompei e isso foi o bastante para ele sair dei-
xando-me a sóis com Lestat.

Fomos até a varanda e podendo conversar,lhe disse."Lestat não sei quais os intuitos de Sabrina,mas se deve haver algum liader
dentre as arpias,essa,sim,seria ela,eu a vi,a vi Lestat! A vi em espírito enquanto dormia,pode entender isso?".Ele olhou-me de la-
do,o vento que vinha de dentre as arvores a nosa frente de paisagem fez seus cabelos moverem-se para trás.

"E a acha tão perigosa?".Seriedade trevorosa em sua voz."Não sei Lestat,só sei que o reino delas está morrendo e se atacaram
até mesmo os seres bestiais,e que algo está errado".Ele respirou,virou-se encostando-se na base da varanda,frieza,caltela.Dian-
te de todo esse momento tivemos que nos recompor,e foi assim até o momento de nos retirarmos.

Enquanto eu quis está em um quarto sozinha,Lestat decidiu sumir no mapa até a noite seguinte,não desejava jazer em sono na
presença de Lilith,realmente não a suportava,somente Aziel e Tompei no sótão em vosso retiro.A noite nova chegaria e com isso
algo preciso para mim.

Sem duvida de que poder ter dormido o dia todo,todo esse tempo,fazer a troca plena me foi o melhor,acordei com a lua baten-
do em minha face,o luar iluminava o quarto escuro,o vento vinha pela imensa varanda do quarto de Tompei,ele tinha cedido vos-
so quarto que e claro,havia sido de Maharet,com todo prazer.

Eles estavam acordados,pelo visto Tompei jazia fora,somente Lilith e Aziel no palácio.Percebi isso ao chegar no quarto no pleno
andar de cima do palácio.Ela falava com ele,entrei a vendo conversar com ele na varanda,ela estava linda trajando uma linda ca-
misola branca,renda sobre os seios,os seus cabelos longos e lisos brilhando nessa nova noite.

Fitava Aziel que tinha se trocado,ele que tinha escolhido uma calça de corte clássico em tom cinza,a cor branca da camisa de li-
nho um encanto,lenço negro em vosso pescoço."Aziel? Somente me basta que saiba meu nome,não se machuque Aziel,saiba
que sou ciente o bastante para compreender sua condição".Ele a fitava.

Ela moveu seus dedos sobre os longos cabelos dele,cabelos que ele não corta nunca,os fios ruivos se moveram.Era estranho pa-
ra ele."Lilith juro que queria saber,juro! Mas lembro de toda minha vida humana,sim,até de vida passada,porém,quando remonto
a ti,nada me vem,nada".Ela riu,segurou firme a mão dele.

Os sapatos escuros de Aziel limpidos,ela de pés descalços,vi como a orelha lhe era tão delicada,a ponta se formando logo acima.
"Não lhe emporta ao ter vindo,reavido meu corpo como fala,não se importa deu ter tornado-me um bebedor de sangue?".Isso a
sua pessoa era tenso,tenso no que diz respeito a sentimentos.

"Aziel...Logo,logo vai lembrar,eu sei meu querido".Ele a olhou,pensou,afastou suas mãos com delicadeza."Sim...Eu juro que se eu
lembrar,lhe falarei Lilith".Algo jazia nele,jazia para fazê-lo levantar-se e ter noçao de minha presença."Ah...Samantha".Bramiu ela
ao ver-me.Andei a frente e vi quando Aziel saiu fechando a porta.Ela levantou-se vindo em minha direção.

"Não me odeia,correto? Não lhe respondi a carta que mandou-me,eu,eu não poderia dizer Lilith,não poderia.Seria como trair aos
meus amados".Ela sentou-se a beira da cama."Os ama de verdade? Os ama a ponto de oprimir informações?".Respirei fundo ao
olhar de lado.

Queria chorar,tinha meus braços cruzados,o vento fazia bramir minhas vestes."Sim...Sabe que os amo,mas,mas não sei agora tu-
do que sente por mim".Ela riu,acho que o fato de tocar meu rosto choroso ao está de pé me assustou."Samantha eu não queria.
Acredite! Eu não queria Samantha! Nem mesmo quando me tornei o que sou,cedi as vontades e desejos de Fera,eu a deixei,acha
mesmo que seria idiota?".Agora era ela que emanava angustia.

"Eu sei,procurei eu o bastante para saber".Ela beijou meu rosto,pode desferir suas mãos por trás de mim conforme me abraçava.
Uma força poderosa,assustadora emanando dela."Eu te amo querida,só lamento pelos erros,mas eu a amo sim".Terrível,principal-
mente com o tempo ao está com ela sobre a cala ao ver Lestat.

Lilith jazia sentada encostada sobre o espelho da cama e eu dormindo em seus braços,tinha meu rosto entre seus braços.Eu vi,vi
Lestat de pé olhando pela brecha da porta e como me foi contaminante enchergar o olhar de fúria dele.'Lestat?'.Me movi sobre a
cama,fiquei pensativa olhando a porta,ele tinha ido,mas pelo visto vislumbrar isso lhe tinha sido como atirar-lhe pedras.Pobre dele.
Pobre de mim,até mesmo de Lilith que moveu-se por trás de mim beijando meu rosto por trás.Trevas que fossem rompidas pir luz.
Pacata fúria creio eu.

***Continua**´*
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 54

Mensagem  Ana Nery em Qua 8 Jun - 14:46:17

***Continuando***

Nada como absorver ao que necessitámos.Tudo e sempre como necessidades de realização,e foi assim na noite seguinte enquanto eu
caminhava pelas trilhas.Lestat e Tompei tinham ficado no palácio organizando algumas coisas necessárias,mas meu ser estava tão ma-
chucado por algumas coisas que o que mais temia era um novo ataque de alguma arpia.

O caso era que eu havia tido a necessidade de sair,respirar,caminhar pela Ilha reavendo a ordem de meu ser e corpo.O inesperado mo-
momento foi aos passos que prosseguia.Era confortante o frio da noite,o luar ilunando a relva de flores e grama fresca,está de pés des-
calços era pleno porquê me causava tranquilidade.

A túnica de tom oliva que escolhi era confortável,principalmente por ser de algodão macio,eu pensava em Khayman,no que ele fazia no
momento."Será que ele realmente se importa? Uma coisa e fato:Maharet teve que engolir a seco minhas palavras,não ia mentir em uma
situação em que até mesmo eu estava envolvida".Assenti em rápido riso.

Prosseguia pelas trilhas como se tudo fosse pleno.Não sabia o que acontecia,mas toda uma movimentação acontecia e claro,e isso eu co-
meçava a absorver por completo,e foi nisso que aconteceu: Vi sobre a relva de uma imensa avore,Lilith e Aziel de pé,os dois que conversa-
vam.Percebi que algo ali havia sido decidido.

"Faça se quiser! Eu posso,posso,sim,lhe passar coisas pelo sangue,somente se quiser e que o farei.Não vou forçá-lo a reviver coisas
que possam machucar-te".Ele a olhava.Parecia uma imagem de pintura ao está usando túnica de cor violeta-escuro,a falxa negra ata-
da a sua cintura,os cabelos lisos e ruivos movendo-se para trás.

"Tudo bem Lilith,tudo bem".Ela o olhava silenciosa,os seus olhos cinzentos chamativos,a túnica branca que ela usava atenuava-se as
suas curvas femininas."Aziel?".Bramiu ela,ela esperava,estava tomada,ia agir e agiria conforme sua sabedoria lhe clamava.Foi como a
latente paixão a tomar quando ele a beijo,a beijo com força para depois deslizar os lábios por sua garganta e finalmente deixar os den-
tes enterem-se em sua carne.

"Aziel?".Disse ela tomada de dor.Pelo visto sua pessoa não estava adaptada a isso,Aziel bebia com vontade,ouvi seus gemidos.Nisso
eu tive que me esconder detrás de uma pedra e continuei olhando apavorada:Ela sentia dor,isso era como se agulhas lhe fosse enfia-
das em sua carganta.

Ele continuava bebendo,tinha suas mãos na altura da cintura dela.Ela moveu as mãos por suas costas e ombros,Aziel mantinha-se si-
lencioso.Lilith apenas tinha escolhido a forma mais prática de passar algo ao Aziel,e isso havia sido nessa troca de sangue temebrosa.
Ela deixou o riso a tomar e pode ao afagar os cabelos de Aziel,seder.

Ela abaixou-se já sabendo o que ele ia fazer,Aziel que desferiu seus dentes no pulso e o ergueu acima da boca dela."E isso então! E
simples. Eu te amo,continuo te amando Lilith e não sabia ao presenciar vossa chegada".Ela mantinha seus olhos fechados,os lábios
delicadamente abertos."Eu não falho,não queria falhar,não! Samantha não falhou".Ele mantinha-se silencioso e quando ele abaixou-
se junto a ela,ela pode desabotoar a frente de sua túnica.

"Vamos,continue...Reaveja tudo que lhe pertence Aziel,somente teu,seu e meu".Ele silencioso o fez,pode deixar os dentes se enter-
rarem sobre o seio dela,ele bebia,bebia em uma queima que nunca vi em um bebedor de sangue.E os dois sumiram ao abaixarem-se
mais sobre a relva."Eu te amo e finalmente entendo".Silencioso.

"E isso? E a esse ponto que o amor nos faz ceder? Que loucura!".Havia sido um perigo Lilith fazê-lo,mas era necessário,e isso fez-me
seguir,sair andando pelas trilhas da ilha aflíta."Pobre Lestat,pobre Lestat.Ai,de mim,ai de mim".Bramia ao prosseguir,andava,quando
finalmente vislumbrei o lindo Palácio e suas tochas acesas a frente pude entrar.

Lestat e Tompei me fitaram em prantos,eu chorava."Samantha? O que a faz jazer nesse estado? Parece que viu uma aparição".Odia-
va saber das tramoias de Lestat."Faço parte de uma família hedionda".Ele me seguiu,corri pela escada e pelo corredor,acho que nem
ele esperava fechar-lhe a porta na cara.

Tinha sido demais,desejei me excluir da vida de todos:Da vida com Lestat,até mesmo nem ver mamãe e papai,não ver a nem um deles.
Deitei-me na cama olhando o teto,o choro deslizava pelo meu rosto."E como fazer parte de uma guerra.Céus! Quando essa guerra vai
acabar? O quê sou? O quê minha família e?".Tudo isso se passou em minha mente ao longo do tempo.

Somente quando começava a voltar a mim e que ouvi passos."Não sei o que Samantha viu,mas creio que a magou muito! Muito!".Ouvi
Lestat brami com Aziel."Calma! Não entende não? Lembro de tudo,agora lembro".Lestat tentou repreender,mas mesmo assim,Aziel não
se arriscava a comentar que tinha provado de sangue bestial.

"Entra na frente Lilith,por favor".Lestat tentou argumentar com Aziel."Vai,desce! Não sei se realmente absorve que lhe falo,mas creio
que me lembrar de tudo me faz feliz".Vi Lilith entrar,caminhar pelo quarto,a olhei de lado."Aziel!? Até onde isso vai parar?".Vi como Aziel
fitava Lestat."Desce,estou mandando descer".Lestat foi empurrado,odiava saber que de algum momento era excluido.

"Infeliz! Podéria queimá-lo".Aziel apontou o dedo para ele."Tente queimar,estou aqui,apenas respeite algo de mim".Lilith me fitava,quis
ir embora,está em casa."És pretenciosa,porém nem sempre sensata".Isso foi como disparar pedras contra mim.A sóis pude desabafar.
Olhei de modo pecaminoso para Aziel.

"Não tem pena de meu coração? Não tem medo?".Aziel riu,pode sentar-se ao meu lado,moveu sua mão pelos meus cabelos."Samantha
as vezes precisamos ir além do que realmente queremos,ousar mais do que ousamos,mas se quer entender o que viu,saiba que foi um
modo deu me tornar completo".Respirei fundo,

"Não ter certeza de tantas coisas o fazia se sentir como?".Ele puxou-me de lado,senti medo."Não estava completo,somente isso,foi
a forma deu conseguir completar-me".Olhei para Lilith,ela que andava de um lado a outro,pensativa estava."Ok,Aziel...Se for assim,
eu entendo,desculpe qualquer coisa".Ele olhou para Lilith,vi ela curvar-se a nossa frente encarando Aziel,moveu o polegar sobre os
lábios dele.

"Está acontecendo".Ele riu docemente."Ah,sim...Admito que sangue bestial e mais trabalhoso de absorver,acho que não e qualquer
bebedor de sangue que suportar,não e?".Ela sorriu,não esperava presenciar vosso riso."Ah,sim,meu amor...Agora entende".Nisso
a resposta de Aziel foi imediata."Cada lapso,cada centelha posso ver,me vem a mente,guarto e processo tudo".Foi como o chamado
para Lilith.

Ela que o fez levantar-se ao beijá-lo com força,beijos ácidos."Aziel...Não importa o que fará,mas saiba que sempre,sempre que qui-
ser pode ir ao meu encontro,logo,logo terei que voltar,apenas espero aqui a calmaria chegar ao meu lar".Isso o deixou triste,Aziel
pousou as mãos sobre os ombros dela.

"Não sei,mas juro,juro que quando puder,eu vou".Que dor eu senti: Apaixonados em vida,apaixonados na morte,porém separados
pela imposição de dois mundos diferentes(Lilith a plena vitalidade dos seres bestiais e Aziel um bebedor de sangue feito,consumado).
Será que viria mais?

Ah,sim,e veio,veio para artomentar-me,isso quando ouvimos gritos do salão,saímos em passos apressados,ao descermos as escada
vi um ser ruivo,mais baixo que Lestat,o ser que o encarava com fúria."Fui atacado,acho que Marius terá patente disso,nem mesmo a
Wiksa considera isso louvável".Lestat poderia pirar.

"Wiksa tenha calma!". Todos se sentaram,vi quando Wiksa passou por mim,ela que fitou-me rapidamente.Usava um longo vestido de
cor verde-folha,um medalhão sobre seu busto.Tive que admitir que ela se tornou uma vampiresa muito pior do que Vitória Regia(Sua
irmã gêmea).Minha tia vista pela 1° vez.

Seus olhos azuis se destacavam como centelhas de gotas."Lilith veio aqui pela mesma causa?".Lilith a respondeu com temor."Sim,eu
só quero que saibam que irei embora,porém,não exatamente como eu,nois podemos lhe dar com isso".Lestat indagou ao Armand o
que acontencia na locadade da Itália em que ele e Wiksa moravam.

"Hum...Digamos que algumas arpias fuçam,procuram coisas na Cidade e me irrito com a presença dela".Foi modo que ele respondeu
e complementou dizendo que tinha descoberto a raça delas ao indagar a uma pessoalmente."Não muitas,eu disse,mas algumas que
espionam,fuçam a locadade em que moro".Tompei pensava.

"Marius...Temo que ele bata as portas aqui".Armand riu de lado,pensou,seus cabelos ruivos e chacheados indo até a altura dos om-
bros combinavam com suas vestes negras."Tompei,Tompei,Tompei...Não queria importuná-lo e claro,mas e provável que Marius o
veja futuramente".Frio momento.

Principalmente quando Lilith foi indagada a algo."Wiksa! Não seja imprudente,não faça julgamentos de mim."Não sei! Quem sabe a
sua pessoa esteja preparando algo,quem sabe! Tem uma filha com Aziel e sinceramente,faria de tudo para reaver a muito do que
perdeu".Foi o culminar para as duas começarem um tenso bate-boca no salão.

Armand que puxava Wiksa,até mesmo Tompei que nem sabia se conseguiria lhe dar com Lilith."Pensa que sou o quê!? Uma vadia!?
Eu amei no passado,fiz o que fiz por amor! Não seja idiota!".Céus! Somente Aziel para impor algo a Lilith,ela que voltou-se a ele.O
pedido dele fora claro."Não ligue,esqueça".Ela o olhava,tinha as mãos na cintura,Wiksa andava do outro lado do salão,as duas que
haviam sido separadas.

Uma angustia terrível tomava conta de Lilith,principalmente ao olhar para Lestat."Olha! Não e a vocês,não estão a procura somen-
te de vocês! Falo de mim,meu povo,não entende não e Lestat?".Lestat olhava,alternava olhares entre eu e Tompei.Aziel mantinha
a calma de Lilith.

Algo sério ela falava e isso fez Lestat calar-se."Infernos! Acho que só quando aos melhores aqui forem mortos e que vão entender.
Não sei claramente o que essas arpias querem,mas e óbvio que não vão descansar até alcançar vosso objetivo,e eu,noiss,os seres
bestiais também estamos incluídos".Tensa troca de olhares.

"O que vai dizer? A expulsar daqui Lestat?".Armand o questinou.Somente depois de pensar e que Lestat falou."Não sei o que vocês
vão fazer,mas depois não reclamem se Maharet e Mekare,até mesmo Thalwa desejarem matar a todos nois.Poderiamos ser conside-
rados traídores".Tompei o seguiu,Lestat tinha sido tocado de modo tão profundo que evitava.

"Lestat! Se me culpa de algo,sabe de minha provação! Não seja tolo!".Ele andava pelos campos,nois a essa altura o seguíamos.Lilith
continuava falando."E que quer faça o que? Ir contra Thalwa e Maharet!? Caia na real Lilith! Nem Tompei que detém o gerne romperia
o vosso respeito para com elas,nem mesmo eu que sirvo como alimento para as almas!".Tormento,nem Armand acreditava na impulsi-
vidade de Lestat,Wiksa se dava por grata.

"Desculpas? Tudo bem! Insensato,pode ser que sim! Mas pensa,tudo bem? Logo,logo vou embora,reaver o controle de meus anciões
e se quiser,me encontre,estou fazendo não por mim,não jogo meu orgulho de lado não por vocês,mas por eles!".O tapa que Lilith re-
cebeu na face doeu,doeu em todos.

"Infernos...Ele e impulsivo,poderia matá-lo,mas não,chega!".Aziel a segurou por trás,acho que as poucas lágrimas que lhe restavam
essa noite foi o pedido de desculpas ao Lestat."Sei que provoquei dores no passado,mas por favor! Por favor! Estou falando deles,de
vocês,não seja tolo Lestat".Tragedia,nem mesmo eu esperava por isso."Thalwa vai me matar por isso.Que eu seja condenado".Lilith
ia embora logo,logo e tiverá que deixar algo claro e estava claro.Para todos,mas estava.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 55

Mensagem  Ana Nery em Qui 9 Jun - 12:47:21

***Continuando***

Vislumbrar esse impasse entre os dois foi uma das piores formas de continuarmos,nos deixarmos sentir tudo o que nos circundava.
Era como se Lilith repensasse no que fez,ela olhava silenciosa para Lestat nesse momento,Tompei tentou manter o vosso controle
e com isso de algum modo foi o bastante para Lestat pressentir o que Lilith estava prestes a dizer em conclusão ao que pensava.

Ela disse como se sentisse,como se sua pessoa fosse tocada por algo,seus olhos cinzentos estavam marejados,mas mesmo assim a
sua pessoa se tornava trabalhista para com suas palavras,e todos ouviam silenciados conforme Lilith trocava farpas a respeito da
vossa sinceridade para com Lestat.

-Lestat sei que nesse coração jaz muita,imensa dor,me culpa de coisas que somente tenho certas parcela de culpa.Compreende o
fato de ter sido perseguida por Ferá? O que eu senti quando Aziel morrendo me deixando Samantha? Queria construir minha família.
Reconstruir tudo que a milênios não pude contruir.

Era minha change Lestat,minha change de reaver minha filha,quem sabe viver o que não pude viver com Aziel e Samantha a tanto
tempo atrás.Vossa pessoa pensa que sucumbi a minhas proezas e glorias,mas não! Sucumbi a minha dor,Lestat! Apenas esperava
que compreendesse. O que faria se estivesse em meu lugar?

Lestat cruzou os braços com delicadeza,tinha sido tomado por alguma verdade em seu coração pisado por coisas amedrontadoras.
"Não sei o que faria Lilith,mas sinceramente,sabendo que outras pessoas estavam envolvidas evitaria,provocou-me dor,imensa dor.
Tirou-me meu filho predileto.Não viu Aziel nascer,não pegou eles nos braços ainda sujo de sangue,como eu peguei,muito menos a
tua pessoa reconsidera que tu tive a change! A change dentre todos de consumar meu sangue.Não seja patética! Acho que tanto
eu como vocês,sentem a parcela de dor que eu senti ao ter meu filho morto! Assassinado pelas costas".Frieza.

Era como se demônios o tomasse para depois ele jogar fora,os expelir."Lestat,Lestat,Lestat...Devo pedir perdão então? E isso? Se-
rá que no fundo não está com ciúme? Queria ter tido o coração e atenção de Aziel somente pra ti e ao ver que não seria,assim,vossa
loucura o tomou".Lestat manteve-se silencioso,não quis responder.

Lilith sabendo que não ia ter resposta afastou-se,Aziel a tocou por trás."Perdão? Não sei Lilith,eu nunca saberei,mas ao menos tem
a palavra de que se for necessário,eu irei ao vosso encontro".Aziel o olhou,Lestat trocava olhares frios com ele,foi nesse momento a
contra-gosto que Lestat sabia que Aziel ia levar Lilith embora.

"Seu infeliz pode ir mas lhe garanto que daqui a duas noites não estiver na fortaleza de Hyarian,eu irei buscar você pessoalmente".
Aziel riu docemente,respirou fundo,sabia do preço que pagará ao aceitar o sangue de Hyarian antes de reaver seus sentimentos por
Lilith."Ok...Tudo bem,prometo que estarei de volta".Lestat o olhava,todos o olhavam.

Foi quando Lilith e Aziel se afastaram de nois,porém,antes de ir,ela lembrou-se de algo,de mim! Voltou-se me abraçando em prantos.
Beijou meu rosto com imenso fervor sentimental."Meu amor! Não esqueça! Nada mudou,nada! Não nesse coração pacato e bestial".
A olhei ao ser puxada por Aziel."Precisamos ir,irei levá-la de volta a vossas terras Lilith,precisamos ser rápidos".E eles foram.

Caminharam em direção ao penhascos e quando Aziel pegou Lilith nos braços subiu aos céus,ficamos olhando,eu pensava no que eu
sentia."Céus....Ele a ama,e como a ama".Lestat me fitou,sentia rancor,imensa dor."Lestat do que suspeita?".Foi o que Wiksa quis sa-
ber.Aos poucos nos voltávamos em direção ao palácio.

Entramos silenciosos e Lestat sentou-se na poltrona,nunca vi tanto temor em seu olhar,Wiksa esperava ele responder,Tompei subiu
junto de Armand."Wiksa saiba que ganhei e perdi muitas coisas,digamos que tudo isso se torna uma mistura...Temo,sim,que sejamos
obrigado a ceder as vontades de Lilith".Wiksa movia seus olhos azuis sobre Lestat,seus cabelos cacheados em tom de mel era como a
moldura de beleza.

"Então acha que Lilith pode está tramando? Que ela de algum modo possa está envolta em mistérios a respeito desse ataque aos seus
próximos?".Lestat riu de lado,sentiu-se emeaçado."Não exatamente...Tenho que admitir que muito das palavras de Lilith são verdadei-
ras e logo,logo,teremos que dar-lhe uma resposta".Tensa troca de olhares entre eles.

"Queria poder lutar contra o amor que Aziel sente por ela,mas não consigo".Wiksa pensava e pode falar."Não confio nela,não confio!
O meu ser diz pra não confiar.Ela e incoerente por demais".Eu brami coisas,havia sentido imensa raiva."Idiotas vocês são.Somente sa-
bem relevar o que desejam,nunca o que os outros querem! Mamãe sempre amou Aziel,sempre! São idiotas,patéticos".Isso fez Lestat
olhar-me angustiado,lágrimas em seus olhos.

"Samantha acha isso? Querida eu não quis ofender-te".Havia me irritado e isso sinceramente me tomava por completo."Esqueça,para
mim chega".Lestat levantou-se,eu me direcionava em direção a escada e com isso ele pensava ao olhar-me."Nunca quis magoá-la,se
eu fui capaz de raptá-la,trazê-la para junto de nos e que sabia que teria tudo".Respirei fundo o olhando.

Ele me seguiu como se tivesse sido tomado."Samantha quer que eu perdoe Lilith!? Ponha meu orgulho de lado?".Eu a essa altura anda-
va pelo corredor,ele atrás de mim."Não e isso Lestat! Não foi fácil para ela,muito menos para nos!".Parei me voltando-me a ele."Ape-
nas acho que devia pensar,reconsiderar".Ele assustou-se,olhou-me choroso.

"Sou sensata,mas tu? Sinceramente causa-me vergonha".Ele voltou a andar quando eu comecei a seguir em direção ao quarto em que
Armand e Tompei estavam."Se meu comportamento lhe faz triste,posso tentar.Samantha!".Não respondi,somente ao abrir a porta eu
respondi."Não prometa coisas que no momento,não pode cumprir,Lestat".Armand o olhou assombrado,levantou-se da mesa na varanda.
Encarou Lestat.

"E tu seu maldito? Como anda?".Armand pensava,o encarava friamente,foi quando Tompei desejou sair."Não vou ficar para apreciar
coisas futes".Sozinhos finalmente Armand pode falar."Vejo sombras a pairar sobre ti,Lestat".Lestat sentou-se a beira da cama toma-
do de choro."Não suporto! Não a suporto! Queria tê-la matado".Falava de Lilith,Armand sentou-se a seu lado movendo as mãos sobre
os ombros de Lestat.

"Não teria conseguido,eu sei...Mesmo se tivesse tentado eu seu que não conseguiria Lestat.Sente ódio por ela,mas sabe que mesmo
assim,a pureza que jaz nela,o teria impedido".Somente aos poucos Armand pode responder,falar de Wiksa,isso porque somente aos
poucos e que Lestat se controlava.

Eu a essa altura havia me sentado na poltrona do quarto os fitando."Quem diria tu está com Wiksa,ela que nunca permitiu um homem
sequer a tomar".Armand o olhava silencioso."A amei e a amo eternamente.Sei do que passei quando ela em discussão quis destruir-me
por negar-lhe o sangue".Lestat riu de lado mesmo angustiado.

"Entendo...Não suportou ver o tempo passando e correr risco de perdê-la".Foi um momento tenso."Sim,mas não esperava,ela a
contra-gosto agir como agiu".Do que ele estava falando!? Dessa vez eu quis saber,e ele respondeu."Sua vinda me custou muito
caro.Wiksa precisava fazer leite e me atacou,impôs sua vontade contra mim,foi apenas um feto abordado por ela,mas que pode
lhe fazer leite".Que holocausto pensei!

Era como se tudo lhe fosse tomado."Somente isso Samantha".Compreendi em minha frieza e com isso Lestat entrou em alerta,ele
sabia que alguém havia chegado."Marius,ele,ele está aqui".Armand não compreendia."Mas não o vejo a bastante tempo,Wiksa!".
Ele tinha medo do que? Os dois saíram apressados,tomados de correria pelo corredor."O que acontece?".Marius não vai muito com
Wiksa,céus!".E foi dito e feito.

Marius e Wiksa estavam prestes a entrarem em guerra,mas Tompei intervinha."Infernos! Por Buda! E como se essa noite se tor-
nasse a noite da maldição".Ele estava certo,Marius somente parou de tentar agarrar Wiksa quando viu Lestat e Armand.Marius
a primeira vista me foi um ser estupendo,maravilhoso.

Alto,pele clara,rosto bem marcado,olhos azuis clareados pelas luzes,os cabelos loiros andulados até a altura dos ombrosm,vossa
veste era linda por ser longa túnica feita de puro linho,a cor vermelha e os detalhes dourados me encantaram."Marius,eu não es-
tava a vossa espera".Marius bateu na cara de Lestat tomado de raiva."Seu infeliz,se eu soubesse que ao profanar e multiplicar
vosso sangue daria nisso tudo,sinceramente o teria queimado Lestat".Lestat o olhou tomado de olhares.

"O que houve!?".Havia sido a principalmente indagação."E impossível andar e não sentir a presenças dessas arpias malditas,elas a
procurar,caçar! E por todo canto".Isso havia irritado Marius e sinceramente,nem sabíamos se ele ia se controlar."Desde quando as
malditas estão a caça?".A autoridade de Tompei foi imediata."A semanas,a algum tempo,digamos que agora os estão atenuados e
começando a ficar mais claros,Marius".Profanação,pensei.

O fato de todos terem sentado me foi de agrado,diante disso tudo,eu necessitava."Não espero boa coisa disso,tudo,creio que eu
gostaria de destruir algumas".Armand indagou ao Marius friamente."Será? Não seja tolo".Marius o mandou calar-se,foi como se as
palavras destruíssem a algo de Armand."Seu idiota,seu rebelde...Acha mesmo que sou tolo? E essa vadia a seu lado?".Wiksa não
acreditou na coragem de Marius em chamá-la por certos termos.

"Esqueça-a! Age como um invalido".Marius riu das palavras de Wiksa."Mas bem! Creio que e impossível está aqui e não sentir o chei-
ro da presença recente de Lilith.E ela mesmo a rainha bestial?".Tompei o respondeu."Sim,plena por si,foi atacada pelas Arpias,mas o
pior de tudo e que temo precisarmos da ajuda dela".Marius pensava.

"Hum...Tenhamos calma?".Tompei falou,todos ouviam."Seria o melhor".Marius moveu suas mãos unidas a frente,pensava como se o
seu desejo fosse poderoso."Preciso fazer algumas organizações,Marius,e por favor! Não crie mais confusão do que aconteceu nessa
vinda de Lilith".Tenso momento,Tompei,Amand e Wiksa se retiraram para o quarto de Tompei,o vimos irem e sumirem no corredor.

Marius olhou-me quando senti-me atraída pelo olhar dele."E você então a Samantha?".O respondi ciente do que devia falar."Sim,sou
a Samantha".Ele arqueou a sobrancelha com delicadeza,olhou para Lestat."Tenho que admitir que anda fazendo algum trabalho,seu
moleque insolente,Lestat".Isso somente deixou Lestat mais nervoso.

"Samantha,tenho que deixar claro que alguns comentam de você,inclusive Khayman que pelo visto andou tendo desentendimentos a
comentar de Maharet".Tive medo,olhei de lado para Lestat temorosa,temerosa de Marius saber de algo e falar."Nada! Que isso! Eu
apenas observo".Marius riu,levantou-se movendo as mãos em meu rosto."Venha comigo pequenina,vamos andar um pouco".Esse foi
o convite dele.

E nisso eu o aceitei,sai com Marius em direção aos campos e trilhas da Ilha.Sinceramente foi um dos momentos mais preciosos para a
minha pessoa,já,que se tratando de Marius,esperemos uma mente de um ser magistral por si,só.Foi como nadar em mares,ser tomada
por alheios conhecimentos ao conversar e andar com ele.

***Continua***

Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 56

Mensagem  Ana Nery em Qui 9 Jun - 14:03:17

***Continuando***

Compreendem os fatos deu ter voltado? Como me foi angustiante chegar o momento em que eu deveria voltar para casa.
O momento e noite em que Lestat teve que tirar-me as forças da Ilha! Tinha me apaixonado por Marius,os momentos em
que eu passei com ele,aprendi tanto com ele.

Lestat me puxava,ele jazia de pé,Armand,Wiksa e Tompei tinha saído na nova noite em que eu ia embora."Não! Marius a
sua pessoa não pode deixar! Não quero ir Marius".Marius olhava para mim sorrindo,tomado de sentimentos."Céus! Eu ju-
ro que irei visitar-te no momento certo querida e poderosa Samantha".Lestat sofria."Desculpe mas isso e inevitável!".

Mais risos de Marius,e eu chorosa,mãos movidas abaixo do rosto,Lestat me segurando no alto pela cintura."Venha,sim que-
rido Marius,venha!".E lá eu me fui.Vi Marius de baixo me olhando,ele de pé nos campos,o poderoso ser.'Poderoso e você
querido,poderoso e você'.Pude vislumbrar o riso dele do alto,Lestat levava-me,subia em alta velozidade aos céus.O podero-
so vento nos envolvia.

'Tchau princesa'.Foi as ultimas palavras de Marius De Romanus,e isso via pensamentos.E,eu voltava,reaveria minhas tare-
fas e com isso compromissos normais da vida.Chegar em casa em uma entrada de nova noite me foi aterrador.Lestat me dei-
xou chorando,o repudiava.

"Quero morar na Ilha,não entende!?".Antes de ele ir embora após chegarmos e me deixar em segurança disse."Chega! Eu
acho que tudo isso a enlouquece,não vais ceder aos destrutivos prazeres espectrais Samantha".Aterrador,eu sei,mas tive
que admitir que ele tinha razão,imensa razão ao decorrer de tudo.

Tudo que poderia fazer era retomar meus compromissos,e foi como esperado,como Lestat desejava:Ele que sempre fez a
questão de minha pessoa ter uma vida normal,ele sempre temeu,por demais!E tenho que aproveitar esse momento antes
de irmos aos próximos fatos para eu desabafar: Lestat e um filho da mãe por isso! Por agir assim contra minha pessoa.

Os dias e semanas passavam,tudo se passava a ser pecaminoso,delicado,notável como pérolas.Eu simplesmente engrena-
va nas atividades passageiras.Cheguei a ver Louis,Gabrielle! Até mesmo Sépia que aproveitou da passagem de Louis pela
Cidade para que eu conseguisse revê-la,

Tudo isso era transmutável.Chegava perto,sim,deu completar mais um ano de vida e isso sinceramente me deixava irritada.
Foi como se minha pessoa pressentisse que a chegada de tais momentos sempre são ilários.E como uma explosão que acon-
tece dentro de si.

O que acontece nessas vesperas e que Khayman reapareu,porém,para cumprir algo que eu não sei se eu suportaria.Foi ao
decorrer de uma noite especia.Eu havia voltado da mansão de Lestat,eu ao está andando tinha dado de cara com ele,e isso
para mim foi nostálgico.

Entrei pelo portão e vislumbrei sentado sobre a borda do chafariz,ele fazia carinho em meu cão que movia o ravo para ele,o
olhar de Khayman foi ácido,eu tremi."Khayman...Eu não esperava que viesse,que vossa pessoa viesse a minha procura,não
depois do acontecido,devo tê-lo machucado".Ele levantou-se,sua túnica de pura seda moveu-se com o vento,a cor vinho se
envolvia sobre ele.

Os cabelos soltos,andulados e negros aos ombros."Vim para tentar levá-la,e minha promessa e não vou falhar".Será mesmo
que ele estava disposto a realizar tal proeza? Não sabia,nunca saberia e com isso,simplesmente me levei,segui com ele para
a casa,entramos.

O olhei silenciosa."Estás bela,tenho que admitir,sua beleza humana e realçada pela sua condição de bruxa".Respirei fundo e
sentei-me nos sofá,ajeitei a borda do vestido de lã macia que vestia,a cor branca se destacava,meus braços desnudos por
calça das alças finas.

"Não serei assim para sempre Khyaman,não entende?".Baixou-se a minha frente."Não me importa se decida ser humana e mor-
rer,quero que saiba que para mim,és unica".Pavor,o beijei artomentada."Maldito és e sabe que não negaria seu pedido".Ele riu
e com isso me levantei.Ia com ele a vossa mansão mas montanhas,não deixei nem um recado para Lestat,muito menos para al-
gum deles que pudesse saber.

Iria para a mansão de Khayman nas montanhas silenciosas e desconhecidas,um lugar desprovido do mundo,um lugar em que os
elos imortais realmente eram reais.Tudo me foi trevoroso ao subirmos os céus,ele que sequer desejava mais alguém.Era somen-
te ele e eu,somente eu e Khayman.

A viagem foi envolta em vento,seu barulho aterrador,o lapso de visões mentais enquanto ele cortava os céus comigo em seus
braços.Poderoso,tive que admitir,muito mais que Marius,Lunnes,quem sabe Louis,até mesmo Lestat! Mas não mais que Maharet
e Mekare,até mesmo Tompei e Thalwa.

O que seria de mim ao chegar? Hum...Para que comentar? Acordei em sua cama.Me espantei assustava olhando o lugar,jazia
sobre a cama movendo minhas mãos.Senti medo.A varanda era imensa,imensa! A escuridão da noite pairava no quarto,apenas
as luzes da luminaria e luar iluminando o lugar.

Levantei,fui até a varanda,os jarros egipicios me foram encatandores.a mesa reta decorada com frutas.Olhei a relva da mon-
tanha,era alto,tive que admitir."Céus,ele e louco".Brami.O vento era cortante,o clima na montanha era fresco.Pensei no que a
minha pessoa faria.

Ele entrou e me desesperei."Me sinto presa".Ele riu,riu ao sentar-se a beira da cama,suas vestes intactas da viagem."Se quiser
eu a trago para morar aqui".Um convite? Pensei o olhando friamente,movi as mãos pelo seu rosto."Sabe que machuca tudo de
mim e temo secamente o que será de mim".Ele riu,me correspondeu movendo as mãos sobre meu rosto.

"Te amo Samantha,não seja tola,e apenas pedir,pedir e lhe garanto que irei contra qualquer imposição".Ele estava triste,triste
por sua solidão repentina."Faz algum tempo que moro aqui e não sei o que será de mim".Sorri,o beijei."Viver,apenas isso".Foi o
bastante para está em seus braços,me curvar sobre ele o fazendo deitar-se.O beijava.

"Tudo bem Khayman,apenas espere eu concluir essa fase humana,compromissos humanos,meu amor".Ele olhou-me."Garante?".
Sim,como negar? Eu me movi sobre ele desferindo meus dedos sobre suas vestes e pude apreciar a pele macia,morena,beijava
cada canto.Quietude."Estou aqui meu querido,estou aqui".Quietude e temor em resposta.

Em pouco tempo jazíamos na cama fazendo amor,redenção maldita para com que deixam a palavra vos sair da boca.Pudia mo-
ver as mãos sobre seu ombro,me curvar sobre ele,acariciar seus cabelos,ouvir seus gemidos enquanto jazia unida a ele nesse
ato que sempre me foi tão natural.

Não queria palavras,isso fazia-me calar a vossa pessoa sempre que ousava falar,o modo como ele movia seus lábios entre meus
seios,como movia as mãos sobre minha silhueta,sempre me fazia querer mais.Admirava como meus sutis gritos vinham,ecoavam
pelo quarto,como do nada ele moveu-se por cima de mim emanando mais de sua vitalidade.

Força,tudo de si,e eu o encarando,o olhando friamente enquanto ele continuava,os beijos ferozes apesar de sutis,eu gemia,eu
queimava enquanto ele continuava,os movimentos rápidos,crueis para mim."Continua...Vamos Khayman,mais,mais de ti".Beijos
a calá-lo.Biejos conforme eu gemia de desejo.

Minhas mãos que se moviam por suas costas fazendo com que as unhas lhe cortassem a pele com delicadeza."Ah! Logo,logo...
Tenha certeza".Brami movendo meus dedos pelos seus lábios,ele que respirava,lambia delicadamente os dedos.Jamais pensei
que ele cumpriria a promessa de levar-me a sua moradia.

"Samantha?".Ele teve medo,imenso medo."Diga...O que queres?".Ele pode sorrir,um dos poucos sorrisos que vi ele emanar em
sua existência desde quando o conheci."Não,não há quem mais tome meu coração,não há,posso morrer feliz".Acho que meus ri-
sos o fizeram afastar-se,eu o vi sentar a beira da cama.

Nu,despido,mãos sobre a borda,ele olhava a porta,o corredor iluminado."Venha,lhe espero lá embaixo".E ele abriu a porta do
imenso armário,tirou uma bela túnica de cor azul-clarinho,a vestiu."Tudo bem?".O olhava,pensava."O que pretende?".Ele riu.
"Nada querida,apenas sei que está com fome".E estava mesmo.

Não demorou para eu arrumar-me,seguir pelo lindo corredor com piso em madeira polida,a decoração toda remetendo ao antigo
Égito,e isso me encantou.O vi sentado á mesa do lindo salão,luminárias delicadas na parede em decoração,frutas,muitas frutas.
Me sente."Sirva-se".E o fiz,comecei a comer as tameras,cerejas,até mesmo peras frescas.

Ele me olhava,pensava em algo."Não tem medo de Maharet correto?".O olhei."Sabe que não! Sem duvida o que tinha que falar
para ela,eu falei".Ele arqueou a sobrancelha,e confessei deixando uma fruta mordida de lado."Acho que essa vida humana não
e para mim,já foi,mas não mais".Ele pensava,seus olhos escuros e castanhos brilhosos.

"Entendo...Se tornou desumana por sua natureza,precisa consumar isso".Eu ri,foi nisso que terminei de comer mais frutas e dan-
do por satisfeita levantei,a túnica que eu havia escolhido era confortável.Ao sairmos vi a varanda,a fachada da mansão,o vento
cortante vindo de encontro a meu rosto."Venha comigo".

Íamos sair.Descemos a escadaria feita de puro mármore.Os bosques nos acolheram ao chegarmos lá,imensas arvores,corujas a
espreitar na noite.As trilhas eram longas,nunca pensei que uma montanha teria um clima tão perfeito de se morar,decerni isso ao
continuar caminhando com ele.

Nada de Lestat,de Louis,muito menos de Gabrielle ou Thalwa,somente meu amado Khayman que me acolheu em choro ao sentar-
mos debaixo de uma linda arvore no bosque."Preciso chorar,não creio que vou esperar mais tempo".Ele lamentou beijando meus
cabelos.Ele era meu segredo e temia nada ser possível.

"Psiu...Se for chorar,chore silenciosa".O fiz conforme me acolhi em seus braços.Havia cometido uma loucura e seriamente eu não
queria sair dali,queria ficar com ele,simplesmente sumir de Athena.Estupendo momento,momento em que necessitava para nada
sentir ou preocupa-me,eu que sonhava nos braços de Khayman.

***Continua***

Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 57

Mensagem  Ana Nery em Sex 10 Jun - 13:42:07

***Continuando***


Era como me encontrar em multua realização.Os perfumes de flores se tornavam presentes conforme a noite acontecia,transcendia a
toda consciência.Será que mesmo assim as pessoas estavam preparadas? Eu não sei,não conseguirei entender,mas sei que foi nesses
momentos jazendo em sono nos braços de Khayman que minha pessoa pode chegar a algo inesperado.

Sonhava,as imagens me vinham a mente como se minha pessoa presentisse a tudo o que desejava.Jazendo naquele lugar cheio de
mistério,eu comecei a compreender os motivos daquela pessoa ter vindo a mim.Ela não era muito alta,tinha pele morena em tom de
café com leite,seus cabelos escuros jaziam em ondas,os olhos verdes me fitavam da onde ela estava de pé.Flores,muitas flore sobre
toda relva.

A olhava,foi quando ela moveu a mão a frente,quando vossa pessoa pensou com profundidade a respeito do que acontecia.Era uma
mulher estupenda,tive que admitir,a cor verde poderosa,seus lábios tingidos de vermelho puro,somente ao chegar perto vi o vestido
longo que ela usava em puro linho que se atenuava a suas curvas,o modo como ela fitou-me.

-Me atrai a esse lugar,desde quando está aqui mulher? O que tu queres comigo? Será que tua pessoa e mais um que vem do inferno
para causar-me dor?

Ela sentou-se,gesticulou para que minha pessoa sentasse a sua frente.O que ela queria? O que tal espírito que infundia realidade e o
mais puro sentimento em mim,desejava? "Acho que depois de tanto tempo uma change veio,se soubesse do erro em que cometi,eu
jamais o teria feito Samantha".Respirei com delicadeza.

Necessitava entender o que ela queria passar-me."Sim...Mas vosso nome!".Ela pensou por alguns momentos,arqueou a sobrancelha
com delicadeza,a alta patente de tudo."Merrick,me chame de Merrick Mayfair".O que tudo isso significava? Será mesmo que ela de-
sejava algo sério comigo?

O vento reverbava poderoso em seus cabelos escuros e andulados."Samantha! Digamos que meu tempo aqui,nesse plano está se en-
cerrando,em algum momento deva voltar,porém,preciso de verdade que me ajude a voltar".O que ela queria dizer com isso? Pelos a-
contecimentos fixos,sem duvida de que muito se havia sido extinto e aniquilado.

Mas o que Merrick queria comigo? "Estou para voltar e não vai demorar,queri nascer no leito da família de Lestat,quero poder desferir
um poderoso orgulho,vingar-me".São esses tipos de coisas que fazem minha pessoa pressentir,sentir raiva."Nascer? Está falando de re-
encarnação? Merrick não seja tola!".Ela riu,levantou-se olhando-se de cima para baixo.

"Há,sim! Vou voltar e seu que serás minha mãe,Samantha. Apenas quero renascer na família de Lestat para poder por o orgulho de-
le abaixo,seria o preço justo depois de tudo que passei".Terrível momento! Ela moveu seus dedos sobre meu rosto."Morri,estou aqui
e voltarei,porém,tão humana e bruxa como sempre fui".Respirei fundo.

Ela me olhava,os céus jaziam negros,ela voltou-se de costas andando a frente."Tome cuidado querida Samantha,vosso sangue me
e precioso para voltar.Não poderia ter escolhido família melhor! Sem dúvida de que os Lioncourt proclama terras e vida,farei proveito
disso renascendo na bruxa mais poderosa do Clã Lioncourt".Tensos pensamentos,tive que admitir,ela seguia,a olhava,senti dor sobre
meu coração,imensa dor.

O vento movia meus cabelos e Merrick seguia,sumia sobre a relva dos campos floridos,foi quando eu acordei,despertei tomada nos
braços de Khayman.Senti uma terrível presença ao olhar as arvores do bosque em que jazíamos.Uma imensa presença.'Merrick? O
que ela quis dizer? Vingança ao nascer?".Sabia que ela fora bruxa em vida,bruxa-imortal após receber o sangue de Louis,morta,mas
jamais pensei que Merrick reaveria algo de si.

Sabia que Lestat cometera terríveis erros com ela,mas não esperava qualquer ação.Eu tremia,olhava as arvores,o vento fazendo a
copa delas moverem-se.Khayman me segurou firme."Samantha?".Eu tremia e dei-me a chorar,toda necessidade bramia dentro dos
meus pensamentos balançados pela Merrick.

A presença era terrível,terrível! "Vamos embora por favor! Não posso ficar aqui! Khayman vamos embora".Levantei-me ainda com
os olhos nas arvores,eu sentia a presença,pensei que era Redenção me importunando,mas não,era outro ser,feminino,e somente nes-
se momento suspeitei de Merrick."Ela sabe que tudo que deixou foi extinto,pretende voltar,mas nãos erá comigo".Khayman me o-
lhava."O que está dizendo?".O olhei chorosa,tomada.

"Nada,absolutamente nada Khyaman!,vamos embora!".Sai andando com ele ao meu lado,eu chorava,chorava por pena de Merrick
e tudo o que ela fazía-me sentir. Seguímos pela trilha,subimos a escadaria da linda mansão,passando pello salão finalmente podemos
ir para o quarto.

Entrei tomada,aflíta."O que há com você? Parece que viu coisas! Samantha voltei a si!".Ele dizia repetidamente conforme o fitava
aflíta sentada a beira da cama,o olhava com firmeza."Khayman?".Fui tomada por sentimentos frios,sentimentos que emanavam as
orgias que eu queria cometer com ele.

"Eu,eu acho que quero você novamente Khayman".Ele bramiu coisas quando o beijei,seu impacto foi visto nos olhos,sentia tanta
dor que somente meus dotes femininos fariam meu coração assenti de novo em paz,imensa paz.Sei que em pouco tempo jazia a
ser tomada por ele na cama.

Meu corpo queimava,queimava só em sentir cada toque dele.Jazia curvada a frente da cama,meus joelhos sobre o chão,tinha os
meus olhos fechados,eu bramia em sussurros,sentia as mãos de Khayman me puxarem os cabelos por trás para depois ele desferir-
me beijos ao mover meu rosto de lado.

Eu não conseguia gritar,apenas aceitar o que acontecia:Dois amantes queimando de prazer,o modo pecaminoso como tudo aconte-
cia,como a rapidez de seus movimentos de penetração era dolorosas provocando-me prazer,os beijos que me silenciavam em meio
a continuidade.

Ele era voraz,sempre foi! Suas mãos pousadas sobre minha silhueta,até em que um momento ele moveu um dos braços a frente
o pousando a frente de meus seios que tinha os mamilos rigidos devido ao prazer.Era fatal senti vosso orgão dentro de mim,a força
como ele o fazia,desferia mordidas por trás de meu ombro.

Ele me fazia calar-me,calar por completo.Eu não suportava,porém,deixei tudo acontecer até finalmente jazermos na cama macia,eu
que finalmente podia respirar,tentar vislumbrar alguma coisa a respeito de restauração.Olhava a paisagem da varanda ao está dei-
tada de lado,a escuridão da noite fresca.

Foi quando ele rompeu seu silencio mortal beijando meu rosto,acariciando meus cabelos por trás,sussurrou aos meus ouvidos."Não
posso dizer que tudo está normal com você,porque não está".Foi o bastante para virar-me,deixar meus olhos se grudarem aos de-
le."Não sei,não sei...Acho que deixei de ser eu mesma aos meus 9 anos querido".Ele moveu sua mão sobre meu rosto,o lençol nos
acolhia bem.

"Hum...Desejo uma resposta mais óbvia Samantha,infelizmente não me responde claramente".Quando falo de morbida loucura e
que estava acontecendo."Khayman por favor não queira tantas respostas de mim,pode se decepcionar Khayman".Ele olhava para
mim como se estivesse prestes a fugir.

"Fugir? Acho que seria sensato,as vezes sou uma idiota".Ele pensava e somente quando deixei meu rosto mover-se sobre seu om-
bro e que ele falou."Tenho que admitir...Acho que somente saberei disso quando estivermos juntos".Respirei,me mantinha deitada
junto a ele,olhava o teto,o imenso espelho com nossa imagem.

"Logo,logo,sinto que estaremos juntos querido,logo,logo".E ele rompei sua quietude."Eu estarei esperando Samantha,estarei espe-
rando".Ele riu docemente,isso fez-me olhá-lo."Não será muito,eu sei meu querido".Ele riu,acho que o fato deu lhe desferir mais de
meus beijos em seu rosto o fez entender.

"Pobre de mim,definharei contigo aqui".Ele segurava-se."Eu sei Khayman".Podemos nos desvencilhar sobre as cobertas,as cober-
tas que agora nos faziam sumir na cama macia,acolhedora."Te amo Samantha,ficarei aqui a sua espera,tenha certeza".Como os
bramidos ecoavam no quarto.

Fiquei com Khayman por mais duas noites,ao despertarmos na 3° noite me preparei para ir embora.Havia escolhido um vestido de
seda negra,alças finas e delicadas deixando ombros a amostra,uma sandália para completar,só que a necessidade dele caçar antes
de irmos brotou e seguimos caminho até um vilarejo na montanha.

O lugar era simples e não demorou para ele encontrar a vitima adeguada,em pouco tempo jaziamos em uma casa feita de madeira
e iluminada por tochas.O olhava de pé na entrada da porta,ele jazia com a vitima sentado ao chão,a segurava como se temesse a
proclamação de algum erro.

Ele gruia enquanto bebia,tinha seus dentes e boca grudados a garganta do infeliz.'Ah,céus...Terei que conviver com isso".Aterrador
pensar que quando estivessemos juntos,eu presenciaria isso com freguencia."Não tema amada Samantha,não tema".Eu sorri,não pu-
de resistir as suas palavras,seu olhar ao fitar-me.

"Vamos embora,a levarei para vosso lar".E com isso ele levantou-se,tinha aproveitado para fechar o ferimento do infeliz conforme
bebia,algumas gotinhas daa boca de Khayman foram o bastante."Faz-me sofrer,mas eu suporto".Disse ao andar passando por mim.
Em uma das calçadas do vilarejo eu quis saber."Vai esperar mesmo? Prometo que serei tua Khayman,quero que promesa o mesmo".
O vosso riso impactou-me.

"Sou teu Samantha,não se aflinja".Não demorou e os céus nos envolveram após ele alçar vôo comigo ao chegarmos em uma tri-
lha solitária.O vento envolvia-me,nos tomava.Voltava para casa e com isso mais do que nunca,sabia que Khayman tinha meu co-
ração na palma de sua mão.Somente o tempo diria o que ele faria.Voltava para casa e junto disso a pecaminosidade bramindo em
meu espírito(Merrick sempre vindo a mente).

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 58

Mensagem  Ana Nery em Sex 10 Jun - 15:00:10

***Continuando***

Somente com o passar de três após meu retorno das montanhas em que Khayman mora e que vi Lestat,pude vê-lo.Eu somente não estava
preparada para o estado mental dele.O modo como ele reagiu comigo.Eu havia acabado de descer da limosine,me despedido do motorista e
foi inevitável não sentir a presença de Lestat na casa.

Eu me enchi de entusiasmo,porém,minha pessoa assim que entrou na sala sentiu o peso do estado mental de Lestat,o modo como ele olhou-
me foi drástico,tenso de se compreender.O olhei silenciosa,ele que jazia sentado no sofá me fitando em sua quietude,Louis pensava sentado
na poltrona,ele que quis bramir algumas palavras a Lestat,mas temeu friamente continuar.

Lestat vestia calça de corte de cor negra,os sapatos no mesmo tom atenuando-se a conjunto,a camisa de seda em cor cinza um encantando.
Os botões em camafeu me foi obra de de arte.Eu pensava,mantinha-me de pé,o olhava,esperava alguma reação dele,esperava que alguma
coisa ecoasse no espírito feroz de Lestat.Eu não compreendia seu estado.

Olhei temerosa para Louis:O maldito que queria sorrir,emanava vossos sentimentos.A calça justa em cor cinza com as botas negras me foi a
consumação de beleza junto com a camiseta de algodão macio por baixo do lindo sobretudo de cor cinza combinando com a calça."Estive a-
qui em noites anteriores,não estava Samantha,sequer a vi,senti vossa presença".Temi responder.

Movi as mãos nervosa por minha saia negra de renda,a camiseta de algodão macio de cor branca me era confortável,o lenço no meu pesco-
ço em cor negra macio,tirei minhas sandálias escuras,pensei friamente."Eu,eu estava na Cidade,porém,fazendo algumas atividades particula-
res".Ele ouvia,mantinha sua frieza,a fúria emanando de seus olhos azuis.

Esperava eu concluir."Pude até mesmo fazer algumas atividades com Vitória Regia,compreende isso?".Para ele foi a goda dágua,o modo co-
mo levantou-se foi para querer bater-me,ele moveu sua mão em garra sobre minha garganga."Está mentindo para mim? Sua mimada! Acha
mesmo que sou tolo Samantha!? Eu estivesse na casa de Vitória essas noites,eu estivesse com Thalwa,até mesmo na Ilha e Pácio de Louis!".
O olhava,tremia de medo.

"Até mesmo passei no palácio de Ardônis Samantha! A onde esteve!?".Somente Louis para me acudir nesse momento,eu que andei para trás
olhando Lestat temerosa,eu tremia,Louis que falava com Lestat movendo a mão sobre os ombros dele."Calma querido,tenhamos calma,não
creio que esse será o melhor modo".Ousei falar,me irritei."Há coisas que somente eu devo saber! Minha vida não e sua vida Lestat! Entenda
isso".Ele quis avançar contra mim,Louis o impediu.

"Psiu...Vai embora,esteve com a cabeça quente nas últimas noites,vá pensar,esfriar seus pensamentos Lestat".Lestat somente faltou querer
bater em Louis,ele que olhou-o queimando de raiva."E isso? Seu idiota! A protege,sabe que ela merece represália!".Louis sorriu,acho que os
modos foram imediatos.Ele moveu as mãos delicadamente sobre a cintura,depois uma delas em direção ao rosto,esperava Lestat retirar-se.
O que não demorou para acontecer.

Eu respirei quando finalmente estavámos sozinhos,ele andava a minha frente,sentei-me na poltrona."Samantha,saiba que nem sempre poderei
protegê-la,chegará um momento em que Lestat não vai suportar,ele sabe que tu tens um segredo e quer saber,em algum momento nem eu po-
derei segurá-lo".Ouvia atentamente.

"Samantha,o que estou querendo dizer e que ele tirará isso de você,mesmo que seja de uma forma terrível".Que infelizidade pensei olhando
de lado,maldito momento.Foi como se eu desejasse chorar,tomar-me de dores e sequer ver ao Louis,Lestat,Marius,Armand,muito menos nos-
sas amadas Thalwa,Gabrielle,Vitória Regia e Kalawina.Eu quis mesmo desistir de tudo.

-Eu estive com Khayman,e isso mesmo Louis! Estive com ele,estive com ele nas últimas noites e voltei a pouco tempo como sabe! Jazi nas
montanhas com Khayman e saiba que não vai demorar para eu ir morar com ele!

Me desesperei,subi as escadas apressada,somente o choro me envolvia,era sentido,Louis seguia em minha direção por trás de mim,nem sempre
estamos preparados para isso.Desabei ao entrar no quarto,ele que fitou-me catatônico."Samantha! Lhe garanto que se quiser deixas as claras os
seus sentimentos por Khayman,terá que ser mais mulher do que aparenta ser".O que isso significava?

Eu mantinha-me sentada a beira da cama,pensava,respirava tentando tomar fôlego."Como assim? Eu amo Khayman,Louis! Fugiria com ele se
bem entendesse!".Ele andou a frente,pousou suas mãos sobre meu rosto."E Lestat o queimaria,o queimaria como bem entendesse,não sabe tu-
do a respeito".Tremi o olhando.

"Ele não seria louco".Brami raivosa."Ah! Seria,sim,ainda não sabemos a fundo os efeitos que o sangue de Thalwa lhe fez,Lestat deu algumas
provações,mas não por completo".Ele sentou-se ao meu lado afagando-me os cabelos."Samantha,sinceramente,odeio ter que lhe dizer isso,eu
estou querendo dizer que somente diga a ele,proclame a ele o seu relaciomento com Khayman quanto tiver um herdeiro,ai,sim,quem sabe ele
a passaria a vê-la como mulher e dona de si".Maldita verdade pensei.

"O que mais tens a dizer-me Louis?".Ele beijou meus cabelos,temia está machucando-me com suas palavras,mas segundo a vontade dele,era
necessário."Por enquanto evite Khyaman,evite-o!Aguarde o tiro certeiro e sei que conseguirá consumar ao vosso desejo".O respondi."Se ele
pensa que irei seder as suas peripécias,que vá tirando o cavalo da chuva,Louis! Não vou!".Ele olhou-me aflíto.

"Somente temo que se machuque querida,somente isso".Contestável momento,isso,sim.Foi dessa forma que me senti obrigada a seder,obriga-
da a desistir por algum tempo e me foi doloroso.Passei as próximas noites em prantos,envolta em solidão e silêncio,imersa em meus compromis-
sos.Lestat não veio me visitar,muito menos mandou recado.

Sua provação foi feira real,consumada.Lembro de meu desespero abater-me,de fazer-me sair pelo jardim em uma dessas chuvosas e sinistras
noites de solidão,seguir pela Rua Central da Cidade de Athena indo em direção a mansão.Entrei sozinha,ninguém me atendeu,meu vestido es-
tava molhado,nunca pensei que em troca de compreensão teria que jazer em um momento como esse.

Eles estavam no salão de cima.Lestat,Thalwa e Gabrielle e me olharam assustados quando eu os vi,parei na entrada da porta,eu pensava,eu
respirava."Céus...".Bramiu Thalwa aflíta,ela que emanou um de seus preciosos e raros momentos de preocupação.Andei a frente,olhava para
Gabrielle,ela que levantou-se tocando-me os ombros.

"Querida não sei o que acontece,mas lamento".Que se dana-se,eu era maldita,sempre fui,correto?Deu-me vontade de abaixar-me sobre o pi-
so do salão,ficar chorando."Faça algo Lestat,nem eu consigo resolver isso".Bramiu Gabrielle me fazendo carinhos nos cabelos molhados,nesse
instante o vi olhar-me."Psiu...Não seja insensata,és poderosa e pode ser melhor que isso".Moveu suas mãos sobre meu rosto.

Foi o bastante para ficar chorando com meu rosto em seu colo."Não sei que segredo quarda Samantha,mas sei que se trata de amor e isso e
aflinxido por mim.Te amo e mesmo na fúria e ciúme,não a machucaria".Ele disse.Pobre de mim,isso,sim.Somente eu e eles no salão,eles que
ficaram sentados ouvindo meu choro.Como retroceder? Eu não podia.

Passou-se as semanas e dei-me conta de que o ano passava.Meus dezessete anos foram comemorados em uma tenebrosa viagem com meu
amado Lestat,ele que foi pegar-me,levar-me para pantanos e bosques obscuros da Europa.Só que meu maior presente e parte de um legado
foi-me dado somente após uma semana depois deu completar dezessete.

Eu estava em um restaurante com Louis,ele que veio buscar-me como prometido,eu acabará de comer quando ele disse."Precisamor ir,acho
que algo lhe precisa ser dito".Silenciei-me,levantei-me deixando o quardanapo sobre a mesa.Ajeitei a borda de minha longa saia em tom cin-
za,a camiseta justa de cetim de cor branca era maravilhosa,principalmente a faixa negra ajustada a minha cintura.Pensei.

Em pouco tempos estavamos nas Ruas de Athena."Não esperava que eles o fizessem,mas quando chegar,seja paciênte".Pediu Louis,e como
entender? Mantive meus braços cruzados,a essa altura da vida eu me sentia magra,desgastada pelo tempo.Nunca mais vi Khayman,com o pas-
sar dessas semanas sequer me arrisque,ainda não podia arriscar-me.

"Tenho que admitir...A cada ano parece-me mais feminina,mais mulher digamos,assim".Não respondi as indagações de Louis,vimos o portão
de minha casa e acabei por entrar junto dele,em pouco tempo meu cão de estimação latia,tentava avançar."Não entendo".Havia mais de um
ali.Entramos na sala e vi como eles reagiram.Havia dois ali que não os reconheci de imediato,mas me foi precioso vê-los pela 1° vez.

Marius,Lunnes,Lestat,Thalwa,Gabrielle,Sépia que juntou-se a Louis,mas somente ao ver Vitória Regia andar a frente com Alexien e Xambré
e que pensei friamente.'Que se sucede aqui?'.Graças que não leram,todos eles bem vestidos,vestidos ao modo clássico que tanto amam.Eu
pensei até dar-me conta,olhar a mesa de centro."Hum...Vamos ver,vamos ver para que irás usar essas joias e armas Samantha".Alexien
disse.

Vi as caixas,todas negras,Alexien abriu uma a uma: Vi que dentro de uma delas jazia uma marcará e perfurador feitos em pura pedra de ja-
de,movendo o olhar para outra caixa vi as pedras preciosas cintilarem(Safirá,jade,onix,rubi,esmeralda).Tive que respírar fundo,silenciei-me ao
pegar a caixa com a mascará e pedra de jade.

Sentei-me na poltrona olhando as joias."Não sei com qual finalidade o fazem,mas devo pensar".Brami,todos olhavam,Lunnes me entregou
um anel dentro de um saquinh,era seu anel feito em ouro com um pentagrama talhado em pedrinhas de rubi,pensei."Convenhamos,você e
dona disso por direito".Silenciei-me.

Foi quando Lestat trocou palavras com Thalwa e Marius,todos eles que se introsavam em alguma conversa,vi quando Lunnes abaixou-se
beijando minha mão."Soudades querida,imensas soudades".Eu si,segurava a caixa na mão.Poderia ter comentado que vira Merrick,mas o
meu ser sabia que o silêncio era melhor.O que me surpreendeu foi ver David descer,vi dos meus aposentos descendo as escadas junto de
Carlos e Letícia,eles que se juntaram a conversa com eles.

Tensos delírios pensei ao vê-los,pensava.Algo de meu legado eles tinham vindo dar-me e pensava,pensava silenciosa,mas feliz.Tinham
achado justo,porém,nem eu sabia se era merecedora ou não.Tensas trocas de olhares,informações.David riu para mim,Carlos que pensa-
va ao bramir algumas coisas com Letícia,e Wiksa que foi-me vista vindo da cozinha junto de Armand.Terrível,mas sublime,tive que admi-
tir ao olhar para todos eles.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 59

Mensagem  Ana Nery em Sab 11 Jun - 14:34:31

***Continuando***

Continuei envolta em muitas das observações a serem desenvolvidas ao longo do tempo e isso se mostrou por mil caminhadas ao
decorrer da noite.Renomados pensamentos e seres para que convenhamos! Tudo isso para mim se tornava desgastante,era co-
mo o esmero de tudo,pressentimentos renomados.

Olhava-os sentados,pensativo. Era como se tudo transmutasse sensações,eles falavam,sussurravam coisas alheias é isso me ser-
via como maravilhosa musica.Foi nisso que ao envolver-me em meus pensamentos,David se aproximou,encheu-se de centelhas e
algo sincero."Parece-me vazia por hoje,o que acontece Samantha?".Eu sorri,o olhei.

Lindo em suas vestes clássicas,os tons escuros e cinzentos."E que nem sempre a maioria,os tomados de algum renomado pensa-
mento são sinceros".Vi ele mover o cenho da sobrancelha com delicadeza e tudo isso se tornou chamativo,inclusive a tonalidade
de seus olhos escuros(Castanhos) e seus cabelos andulados em tons escuros.

"Liga para isso Samantha?".Não soube responder de imediato,mesmo assim minha pessoa retomou todo conceito desconfigurado
e aceitável."Fico triste em vislumbrar tanta cegueira,de algum modo em vislumbrar todos os detalhes pecaminosos e delicados".O
seu olhar nunca me foi cético,e,sim,sincero como vi nesse momento.

A forma como tudo acontecia era pecaminosa,envolva em caminhos e clarezas,somente o conforto de poucos e que encheriam o
meu coração."Samantha tens que está pronta para entender que são poucos os aptos,que chegaram lá! São poucos os que tem
vossos olhos abertos,em continuo alarme é os que ficam para trás desbruçam como se reinasse,não e bem assim".Compreendi.

E apreciei a forma como ele beijou minha mão."Venha o que vier,digam o que disserem,estaremos aqui".Olhei para ele e finalmen-
te pude alternar todo meu olhar entre Marius,Alexien,Lestat,a todos eles.Pensei friamente e dei-me conta de que eu devia subir
e ao levantar-me,Marius indagou-me."A onde vai?".Pensei no vão da escada.

"Para o quarto,tenho que quardar as caixas".Ele pegou-as e seguiu atrás de mim,David também,acho que de algum modo esses
dois em especial desejaram saber até onde eu iria,desenvolveria todos os detalhes.Nem sempre a preparação e atenuada,mas a
minha pessoa sabe que nesse momento era,seria.

No quarto eu olhei como Marius entrou,como David fechou a porta delicadamente."A onde pretende quardar Samantha?".Não sou-
be de imediato,mas minha pessoa repensou,e muito a respeito de tudo.De modo singelo minha pessoa os olhou."Podem deixar so-
bre a mesa da penteadeira,tudo bem?".Depois disso os dois me olharam sentar a beira da cama.

"Tens planos para o futuro?".Eu ri com a indagação de Marius,com o modo que ele disse-me.Ele segurou firme minha mão."Queri-
do eu apenas acho que devemos continuar".Ele sentou-se a meu lado,moveu suas mãos sobre meus ombros."Amada Samantha!
És consumada,plena,além disso,o que quer dizer?".Olhei para David.

E ele entendeu que eu queria mesmo falar com ele."Ah,sim,querida".Na varanda nos sentamos,passeei meus olhos por eles,para
minha pessoa sempre consumar-se."Queria saber mais a respeito de Merrick...David sei e cheguei a ler a respeito dos escritos co-
nhecidos e desconhecidos ao mundo,claro,restou-me duvidas".Marius o olhou de lado,lindo seus cabelos delicados,singelos.

"Deve saber que a extinta família Mayfair não foi tão consagrada,o que aconteceu e que em todos os sentidos não creio que nos-
sa Merrick estivesse pronta na época".E ele continuou,mesmo na dor continuou,tomou-se de acalanto de detalhes."Digamos,sim a
contra-gosto de que Lestat naquele momento teve uma parcela de culpa,sim".Entendi,em todos os sentidos entendi a complexida-
de e motivos.

"A amou de verdade David?".Ele sorriu,segurou firme minha mão."Sim,Samantha,sim,a amei,porém,depois de tudo não creio que o
meu amor por Lestat foi o mesmo".Até Marius o olhava,o apreciava."Por isso seu amor consumado por Letícia e Carlos".Ele sorriu e
com isso disse."Amada Samantha! Creio que,sem duvida vossa pessoa entendeu,sente em vosso coração".Havia entendido,sim,e
isso valeu por mil coisas.

"Tenhamos sorte,poder,tudo isso".Ele sorriu."Merrick foi a unica bruxa verdadeira naquela maldita família Samantha,estavam conde-
nados desde que passaram a agir como agiram".Tensos momentos e olhares,e isso sinceramente me foi envolvente."Sim,e claro,eu
em prol disso entendi".Ele e Marius se levantaram,foi como se minha pessoa transmutasse tempo e espaço.

"Somente tome cuidado Samantha e saiba que nem sempre e válido revidar a coisas".Eu compreendi."Não vale a pena".David sem dú-
vida de que plantou algo em meu coração e com isso pude sentir.Sozinha guardei a caixa em um bau,um bau que eu coloquei em meu
gloset bem no canto,escondido.

"Ninguém pode ver,ninguém".E com isso me encontrei olhando para trás,em pouco tempo minha pessoa seguiu para finalmente unir-se
a todos eles.Somente com isso e que pude conhecer melhor a alguns.Lestat e Alexien sentaram-se ao meu lado:Um de cada canto,com
isso os olhava,pude atenuar mais detalhes a respeito de Armand,até mesmo David amado por mim.

Foi maravilhoso,maravilhoso em todos os sentidos minha pessoa entender,sentir-se envolvida por completo.Como me foram maravi-
lhosos os momento de ciúmes de Lunnes para com Marius,ele que percebeu que o amava tanto,amava e amo Marius com espírito.Eu
pensei francamente em tudo.Em tudo.

'E minha mãe! Não seja tolo!'.E com isso de algum modo a face de Marius corava.'E,somente Pandora a ter paciência'.Compreendi,e
foi nisso que nos envolvemos,nos amamos por esses momentos preciosos e delicados,maravilhosos.O tempo passava e com isso eu
apreciei o modo como Lestat me agarrava por trás conforme mantive-me em seu colo.

Ele tinha ciúmes,era mordido de ciúmes,sempre foi! "Calma Armand,seja singelo,por favor".Isso irritava a Armand,mas pode suprir a
vossa paciência.Com isso nos mantivemos,nos mantivemos.Jamais irei esquecer-me de cada detalhe,cada sopro de palavras e cantos
em que vivemos nesse momento.

Sem duvida de que foi uma noite memorável,eu somente não estava preparada para como as sutilezas iam nos envolver,surprir to-
do detalhe amargurante e vivido."Ah,sim,e claro".Eu pensava.Passou o tempo e com isso as queimantes soudades e desejos pelo
meu amado Khayman veio,tomou-se.

Nas noites seguintes eu jazia em um tenso acalando de momento.Derivados de vida e holocausto,aconteceu.Estava na cama,olhava
a chuva cair do lado de fora pela varanda,até lembrava dessa noite cativante de comemoração."Ah,meu amor! Meu imenso amor! O
que será de mim,meu amor?".Bramia chorosa.Usava túnica de algodão macio e delicado,maravilhoso de sentir.A cor oliva em destaque.

'Creio que vosso coração doi.Será mesmo que vale a pena ensistir em algo sublime? Samantha me enche de tormento,tudo isso.Ain-
da sei que tudo isso e significo'.

Eu sorri,foi como emblemáticas decisões."Merrick? O que faz aqui?".A olhava sentada a minha frente,pensava friamente,ela estava
linda trajada em uma longa túnica verde,o medalhão de prata cintilando.'Digamos que me preocupo,como posso entender a mãe que
eu irei ter?".Ofeguei."Mãe?".Ela sorriu,vi como seus lábios fartos tingidos de vermelho moveram-se em sorrisos.

"Sim,exatamente,isso".Que tormento,ela curvou-se de lado a está sentada e sinceramente minha pessoa a olhou atônita,tomada de
tudo o que se possa imaginar.'Eu a amei assim que a vi Samantha,não poderia ter escolhido família melhor para renascer,quem sabe
com uma força maior do que a tive'.Artomentador,tocante.

'Faça-me carne Samantha e juro que farei prol de toda força que a família Lioncourt tem...Eu e você,somente eu e você'.Sumiu,isso
deixou-me artomentada,fiquei crorando conforme tudo isso acontecia,e foi pior ao decorrer da próxima noite,já,que ao chegar dos
meus compromissos durante a noite me deparei com Aziel e Lilith.

Vi os dois no jardim.Ela que vestia um lindo vestido branco de seda,e ele trajado em vestes escuras."Querida chegou,espero que nada
disso tenha sido inoportuno".Pelo visto nas últimas noites desde de que os vi daquela vez,tinham se reaproximado,se visto algumas ve-
zes e isso tomou-me.

Passamos alguns momentos no jardim e decidimos ir para biblioteca."Fico feliz,feliz em vossa pessoa está próxima a ele,Lilith".Acho
que o modo como ela percebeu meus sentimentos,me foi tormentoso."Algo a pertuba querida?".Eu ri de lado,os olhava."Nada,nada.
Apenas creio que resta-se algum lapso de como foram humanos".Ela sorriu.

"Sempre minha querida,sempre".O bastante para minha pessoa sorrir,passando-se algumas horas depois de muita conversa eu fui a-
judalos no que diz respeito a tudo isso.Iam descansar e necessitavam de algo.Lembro de estarmos no sótão depois disso,dele e ela a
abraçarem minha pessoa.Foi dessa forma que eles chegaram e de alguma forma iria ajudá-los a recolher-se em minha casa nem que
fosse de modo passageiro.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 60

Mensagem  Ana Nery em Sab 11 Jun - 15:58:03

***Continuando***

Creio que a noite seguinte nada me foi agradável,principalmente falando a respeito de muitos acontecimentos em que eu ainda
queria fugir.Era como destruir coisas,tornar-me sensata.Apenas não esperava o fato de voltar após passar no mercado para a
compra de algo para eu comer,e deparar-me com Lestat encarando Lilith.

Ele tinha vindo e se assustado no que fiz respeito a presença dela."Como ousa? Apenas algumas noites com meu filho e sente
livre para está aqui?".Tormentoso,eu sei,mas me foi o bastante para eu envolver-me,tomar-me de ansiedade.Deixei as bolsas a
mercé da relva do gramado.

Segui."Tenham calma,se comportem como tal!".Nem sempre nos e propicio proclamar algo,apenas sentir.Lestat tentava avançar
sobre ela,mas Aziel e eu,o segurávamos com delicadeza,consumação.Foi como o explodir de trovões quando Lestat usou de uma
força que nem mesmo Aziel conhecia,muito menos eu!

Senti lapsos em minha pele,imensos lapsos! Lapsos de algo gelado sobre a pele de minhas mãos,até mesmo Aziel havia sentido e
me foi assustador ver Lestat mover a mão em direção a garganta de Lilith."Sai daqui,some daqui".Disse ele entre-dentes,e tudo
foi como realização.Lilith o olhada friamente.

"Faça,faça Lestat.Não e isso?".Eu soube nesse momento ao apreciar toda força emanando dele,que Lestat ao longo desses anos
tinha aprendido a usar o dom gelado,não que ele controlasse,mas era impulsivo,e um dom característico da linhagem de Thalwa e
isso apavorou Aziel.

"Não faça nada! Pode matá-la!".E,era como tinha dito,lembrei das palavras de Louis,ao dizer-me que pouco se sabe dos efeitos que
o sangue selvagem de Thalwa,provocou em Lestat,e nesse momento estava apreciando,fui segurada por trás por Aziel,vi quando o
maldito apareceu.

"Tente Lestat,tente".Lestat olhou Redenção,foi como destruir a muitos,tenham certeza.O fato de Redenção ter imposto sua força
contra Lestat,assustou-me,tomou-me com toda força real e consumada.Redenção havia segurado Lestat e com isso conseguido
levá-lo ao chão.Moveu o pé por cima de Lestat."Eu mandei você,tentar ou ouviu errado?".O arquear da sobrancelha de Redenção
foi sinistro!

Tremi por inteira e levantei-me."Para! Mandei parar! Redenção para com isso!".Terrível olhá-lo mover-se para trás,como Lilith me
olhava."Para! Sou tua senhora no passado e presente! Mandei parar,não atinja a nem um de meus filhos".Pavor emanando dele
e somente agora ele entendia.

"O que? Quer dizer que esse maldito realmente tem sangue meu? Não seja idiota".Bramiu ele com delicadeza,ofeguei quando senti
vossa força emanar,e nisso me coloquei no meio."Para! Mandei parar!".O olhava de pé e braços abertos,foi como se tudo morresse
e fosse neutralizado,aleatório.

"Sou pai de Lunnes,age pateticamente ao impedir que corrija a algum de meus filhos".Nada ia permitir,não seria louca,Aziel puxou
junto de Lilith o Lestat,ele que bramiu."O que eu ouço? Que acontece?".Continuava olhando Redenção,ele de pé e suas imensas
asas abertas.Tanta força emanava dele que o vento o ungia movendo seus cabelos negros,um anjo trajado de calça e bota justa.
O que pensar?

Um ser alto encarando-me,seus furiosos olhos verdes movendo-se."Não faça nada,sou tua senhora".Brami suplicando,e foi nisso
que ele sumiu,irritado,mas sumiu.Voltei-me ao Lestat,Lilith e Aziel que o acolhiam,tentavam reaver o controle mental de Lestat.A
minha pessoa pensando."Redenção? E esse o poderoso Redenção!?".Bramiu Lestat angustiado,a gente que o segurava."Jamais
o odiaremos meu querido,jamais Lestat,és fruto de nosso sangue,jamais o odiaríamos".Ele ficou bramindo coisas.

Choramingando,o acolhíamos."Vou morrer,vou morrer".Foi nesse momento que Lilith o pediu."Nunca disse que o odeio da forma a
odiar-me,jamais.Venha comigo ao meus aposentos".Aziel a olhou."Lilith?".Ela ficou silenciosa,pensativa."Ah,sim,tenha calma".Eu
ainda planejava.

"Deseja vir Lestat?".Foi como ultrage,mas Lestat olhando para Lilith pensou.'Por que não? Já estou com imensos problemas,mais
um e nada diferenciara'.Tenso,mas ele a respondeu."Não custa nada,já morri mesmo".Exatamente após essa resposta quando o
maldito soube que retomou vosso controle pudemos tomar viagem.

Somente posso dizer em segredo que se tratou de uma viagem silenciosa,tomada de pura quietude.Chegamos assim que foi confia-
vel descermos.Somente ao vislumbrar o lugar,e que descemos.Aziel levava Lilith,quanto a Lestat já bastante irritado por levar-me
e devido a quietude,odiar-se.

Olhamos o lugar e podemos vislumbrar o imenso palácio,o imenso lugar que tomava a relva do pacato campo.Era um imenso palácio
com escadaria a frente,a fachada se destacando na escuridão,tochas na frente,pensei.Somente quando ela,Lucy apareceu e que
ela pode olhar piamente para Lestat.

A vimos entrar desesperava.Uma dama de longos cabelos negros andulados,olhos castanhos pelo que pude ver,vestido negro em
renda."Lucy!".Bramiu Lilith,saber que Lucy estava aflíta fez Lestat sentir-se culpado."Céus,o que acontece?".Foi como se tudo fos-
se destrutivo.

Seguimos e vimos Lucy sentada na escadaria de mármore,ela tinha suas mãos sobre o rosto."Os trouxe,pensei que era brincadeira".
Lilith a olhou andando a frente."Tome cuidado".Nisso ela moveu a mão em direção a Lucy,Lestat a olhava,pensava.'E verdade,ela e
fertil,mas ainda não lembro ou sei completamente o que ela representa'.Oue? Ele não tinha lido tudo?

Olhou-me confuso."Não se irrite,nem tudo eu li,coisas aconteceram rápido no passado,e como.Não implique Samantha".Meu erro,a
confusão de quem apenas sabe o por cima.Não demorou e Aziel segurou firme as mãos de Lucy."Querida venha comigo,venha,eu a-
cho que precisamos conversar".Ela subiu,Lilith olhou os dois seguirem a linda escadaria,Lestat andava pelo são apreciando cada de-
talhe.

Ele viu o lindo recipiente jazendo no centro do salão cheio de água,a lareira com toras de madeira queimando,acesas."Luxo,somente
isso eu sinto".Lilith foi sentar-se no lindo trono,havia mais dois,e Lestat quis saber."Esse outro e para que?".Ela riu,pensava.Passea-
va seus olhos.

"Fique calmo meu querido,fique calmo".Ele andou a frente a fitando."Digamos que tudo que sei em relação a tu e surperficial Lilith
e temo haver coisas que me machuquem".Ela riu."Nossas famílias desde milênios se entrelaçaram Lestat,tenha dó querido,jamais o
machucaria mesmo me odiando,não confuda-me com Drarytha".Isso fez Lestat tremer.

"Ok...Eu tento engolir isso Lilith,mas por favor não abuse de minha paciência".Lilith sorriu,andou a frente."Tem meu genes,até os
genes de Samantha,de Kalawina e Lunnes. Ah,Lestat! Não seja tolo,não seja! Teu corpo aceitaria tão bem o sangue bestial assim
como o sangue vampirico".Lestat assustou-se.

Tremeu."Para,eu,eu não posso lembrar disso".Ela sorriu.Os deixei a sós para tentar ver o que acontecia.Vi que havia dois aposen-
tos principais.Um quarto em particular que chamou-me atenção era decorado com uma mesa ao lado da cama,tudo em madeira,a
poltrona do outro lado,o banheiro,a imensa varanda,a cama forrada,castiçais e incensos queimando,e céus andando vi que tinha o
sublime salão! Segui fuçando mais e mais e cheguei ao quarto de Lilith e Lucy decorado com uma imensa cama,a imensa varanda,o
Aziel foi-me visto ao lado dela.

"Fica calma,teme demais".Ela o olhava."Mas...".O que ela quis dizer-me com isso.'Ele nasceu,ele nasceu sabia!?'.Ele a olhava,ele a
captar,sentiu-se trémulo.O que essa troca de olhar e pensamento significava? Ouvi gritos vindo de baixo.O que acontecia!? Aziel e
Lucy saíram correndo apressados pelo corredor,depois disso seguiram pelo salão.

"Ellenos Cyrus chegou,ele tinha saído para calar,comer almas".Pavor foi o que Aziel viu lá de cima."Não o toque! Lestat!".Ellenos o
fitou,um jovem ser com olhos verdes,pele branca,cabelos andulados e negros,trajava uma túnica branca,tinha sangue na boca.O
seu olhar foi feroz.

"Não toque nele Lestat!".Lestat olhava petrificado para Ellenos Cyrus e somente o reconheci ao parar a sua frente com Aziel e Lucy
jazendo atrás de mim.Era jovem,crescia,era pleno,as orelhas delicadas e ponturas,lindas! As pontas de cada uma salientes e com to-
da delicadeza emanando.

"O que isso significa!?".Lestat bramiu pelo salão,temi que o lustre quebrasse e caísse.Aziel tentou segurar Lestat,mas mão,ele an-
dou a frente."Isso e orgia ou estou enganado?".Lucy avançou contra Lestat,colocou-se junto ao menino."Não toque nele,saiba
que ele tem uma mãe".Aziel olhava atenuado para Lestat.

"Aziel?".Quis Lestat saber."Ok,tudo bem,não enlouqueça! Ellenos Cyrus e meu filho e de Lucy,meio-irmão de Samantha,mas não en-
tendo ele está aqui perante mim ungido de sangue bestial!".Berrou em direção a Lilith."Idiotas! Eu estava desesperava,precisava de
um rei,apenas isso!".Aziel a respondeu,Lestat temeroso colocou-me atrás dele."Loucura! Céus! Meu amado Ellenos Cyrus,o deixei e
me sinto traído".Lilith se desesperou,Aziel jazia choroso.

"Não seja rancoroso,por favor!".Lestat olhou Ellenos Cyrus,estava petrificado,Ellenos passou por nos e sentando em uma cadeira a
paisana,disse."Hum...Parecem coisas tolas,porque?".Lestat andou a frente,disse."Olhe para você,sua irmã,meu deus! Por Zeus e o
que Thalwa diria".Ele não suportou,saiu chorando pela imensa porta.

Ia para o jardim,o vimos descer a linda escadaria."Lestat...".Brami.Lucy e Aziel olharam para Lilith."Aguenta! Agora ele sabe,tente
repor a ordem de Lestat!".Do que adiantaria? Tinha sido um golpe no coração dele,um golpe terrível! Olhei alternadamente para a
Lilith e Lucy,até Aziel.

Depois Ellenos silencioso a encarar-me,e céus,tremi em saber que ele tinha idade,apenas semanas,meses mais velho que eu.Olhei
friamente,Lilith tinha uma mão sobre seus lábios,a outra a frente dos seios."Ah,céus...Foi demais?".Voz chorosa,olhei novamente a
Ellenos."Hum...Idiota se o ama vem comigo,não seja patético".E ele seguiu-me.

Vimos Lestat assim que descemos a escadaria,ele sentado em uma linda pedra,o jardim era florido,linda muralha emoldurando todo
palácio."Lestat não sinta-o,viva-o".Ele olhou-me,olhou para Ellenos."Brincam demais com meu sangue,nosso sangue,como Aziel po-
de trair-me assim?".Olhos sujos de lágrimas vermelhas.

Seu coração doía,Ellenos Cyrus pensava."Teme demais,seja você mesmo,uma vez!".Silenciei-me,pensava.Lestat havia se desespe-
rado,sua impulsidade fez ele mover os braços a frente,puxar-nos contra ele."Odeios a eles,mas como odiá-los? Como odiar vocês,
meus demônios? Crianças amadas?".Lamentável! Mas estava feito,mesmo na dor ele não podia fazê-lo,mas,sim,passou uma change
de Lestat matar Ellenos,a muitos ali."Malditos demônios que amo".Bramia ao beijar nossos rostos.Loucura,nunca o vi tão tomado de
vossa loucura enquanto agia.Depois,depois dele reaver o controle repensaria na questão de Lucy e Aziel.

***Continua***


Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 61

Mensagem  Ana Nery em Dom 12 Jun - 13:54:21

***Continuando***

A sutileza sempre se torna possível conforme a pretensão se realiza,foi desse modo que Lestat agiu,que a vossa pessoa se
tornava envolta em muitos pensamentos.Nem sempre podemos entender como os sentimentos se transmutam,mas sei que
a gente pode aceitar,se adaptar a eles,foi assim que Lestat decidiu agir a respeito de Ellenos.

Me e marcante o fato de Lestat,eu e Ellenos irmos em direção aos fundos do jardim,pelo visto mamãe era tão fanâtica por
flores quanto eu,e Lestat havia absorvido isso,havia oliveiras,arvores emoldurando toda paisagem."Parece que seu gosto
e fanatismo por flores vem de sua mãe,Samantha,tenho que admitir".O olhei,somente ao sentarmos no gramado perfuma-
do e que ele continuou.

Eu e Ellenos Cyrus o fitávamos vidrados,encarávamos Lestat como se algo poderoso bramisse nesse momento,e nem eu a
sentir o que se passava na mente dele."Ellenos,explique".Ellenos o olhava,ajeitou suas vestes,pensava,ele moveu sua mão
com delicadeza sobre os lábios.

Ellenos e um ser que tem um olhar mais selvagem do que Lestat,digamos que um olhar selvagem típico de Lestat,mas porém,a
doçura do olhar de Aziel e Lucu(Tenso de se imaginar)."Lilith se desesperou,não pense que naquela época,tudo foi fácil para a
sua pessoa,porque não foi".Lestat arqueou a sobrancelha,o modo como refletiu foi envolvente."Há,sim...Continue".Ellenos o
atiçou,emanou todo seu modo subliminar.

-Nasci assim Lestat,e isso mesmo,fui feito um ser bestial ainda no útero de mamãe,ainda jazia em seu ventre quando Lilith
ao se desesperar a procura de um rei,me usurpou do direito de ser humano.

Isso fez-me gelar,pensar,e foi nesse momento que me ficou sub-entendido o que Lestat pensava.'Não acredito...Sempre de-
sejei que houvesse um herdeiro macho,homem para proteger Samantha,mas não imaginava que aconteceria dessa forma'.O
pensamento me foi trevoroso.

Sem duvida de que um orgulho tomou conta de Lestat,mas somente entendi quando ele moveu vossos olhos entre eu e Ellenos.
"E,eu entendo..Tento entender".Será que tudo era tão maçante assim? Não sei,me envolvi,e foi doloroso para Lestat mover as
mão a frente,desferindo seus olhares em Ellenos."Se o odiasse,o que faria?".Os dois se levantaram,foi como troca de pensamen-
to.

"Nada,sinceramente nada Lestat.Poderia matá-lo,sim,tenho poder e força para isso,mesmo não tendo alcannçado ainda
a minha plenitude corporal,pararei de crescer,tendo acalçar beleza jovial,eterna,meu corpo ficará intransmutável".Para
todos os defeitos foi o bastante.

Fiquei petrificada como Lestat abraçou Ellenos ao puxá-lo para si,o modo como manteve suas mãos pousadas sobre a cabeça
de Ellenos."Eu te amo querido,o odeio,mas tenho que admitir que há amor".Que lamento.Olhava,e mantendo meus braços a
cruzar-se pensava olhando o nada,tudo muito tenso,doloroso.

"Acho que precisarei dizer mais algumas coisas no salão,por favor,venham comigo".O que Lestat pretendia? Após isso eu e os
dois seguimos em direção ao palácio,as montanhas faziam uma paisagem perfeita com a lua a emoldurar a plena noite.Para os
que apreciam entendam que tudo e lacaio.

Lilith e Aziel tentaram falar com Lestat,mas envão,nem Lucy que nos viu parar no vão da escada os encarando,pode falar al-
go."O que vai fazer Lestat?".Um riso ele emanou,arqueou a sobrancelha com delicadeza."Venham comigo queridos,preciso ti-
rar algumas conclusões,e quanto a vocês somente depois,eu não sei".E ele seguiu,Ellenos pensava indo atrás dele.

"Não seja descordial Lestat".Riso,eu pensava,olhei para Aziel,Lilith e Lucy tomados de pavor."Depois,por favor! Depois".Era
para machucar-se,ser tomado.No salão finalmente Lestat se sentiu a vontade,mais tranquilo,mandou-nos sentar no sofá,ele
fitava a paisagem,tudo isso.

"Ellenos de qualquer modo quero deixar claro que como Samantha,tem algum direito,mas somente o farei caso deseje.Pode
está ciente Ellenos?".Ellenos olhava-me assustado,ele que se recolheu como uma criança."Não quero isso,nunca quis,acho a
contra-gosto que não sirvo para essas coisas".Lestat sorriu,abaixou-se a nossa frente.

Segurou firme nossas mãos,havia uma linda mesa encostada na parede aos fundos,o vento fazia as cortinas do salão mover-
se e com isso as chamas das velas nos castiçais de prata queimavam."Por favor! Posso não ir com o jeito de Lilith,mas quem
sabe com o tempo não o ame por completo Ellenos".Complicado creio eu,mesmo assim tudo continuava.

-Logo,logo irás a Cidade de Athena Ellenos,sério! Nem Thalwa ou Maharet e Mekare podem ficar sem saber disso,seria consi-
derado um traído. Entende o fato de ser tão filho meu quanto Samantha? Não seja tolo! E meu herdeiro,futuramente rei,mes-
eu eu sendo contra a tudo isso.

"E me mataria por isso?".Lestat afastou-se,moveu as mãos sobre seus lábios."Não sei Ellenos! Está aqui diante de mim e ain-
da penso no que fazer".Ellenos riu."Então e que ainda não entendeu exatamente o que sou".Cético e artomentador,para os
conceituados presumam.

Lestat sentou-se entre eu e Ellenos,moveu os braços por trás,as mãos tocando nossas cabeças,ele pensou."Ah,sim,vai,sim,e
compreenda que tudo isso pode ser reparado,tocado.Eu os amo queridos e,sim,mesmo odiando não seria cético a negar tudo
a meus herdeiros".Tenso em todos os sentidos,tenso como trocas de olhares.

Lestat precisava chorar um pouco,e chorou conforme a quietude veio,conforme o silêncio do salão tomava conta de tudo e a
todos nesse momento.Lestat encostado na base do sofá,eu e Ellenos pensativos,somente um algo nos tomava:A sutileza com
que Lestat tinha deixado claro.

Somente quando Lilith e Aziel tomaram coragem para subir e que os vi entrar,Lucy que jazia quieta atrás deles,temerosa,teme-
rosa em pressumir o que sentia.Me movi de lado ainda sonolenta,pensativa."Ellenos".Foi o bastante para ele ir até a mãe,ela a
olhá-lo,pousar as mãos ao seu rosto.

Eu olhava e foi nesse momento que Lestat voltou a si,seus olhos e espanto foram o bastante para trazê-lo de volta."Preciso sa-
ber o que aconteceu aqui".Aziel quis saber."Não seja idiota,você foi um idiota".Levantou-se andando a frente,moveu os olhos a
encarar Lucy."Não se preocupe,tenha certeza que ele e tão herdeito meu quanto Samantha,terão que acertar isso futuramente.
O que eu NÃO quero e que herdeiro meu seja mal tratado".Lucy tremeu,Ellenos colocou-se por trás dela.

Lilith pensava."Querida desça,acho que se desgastou o bastante a respeito disso tudo".Lucy a olhou,Lestat andava de um lado
para o outro mantendo os braços cruzados.Após isso Lucy e Ellenos saíram,somente assim Lestat falou encarando Aziel cheio de
fúria,o tapa que ele deu na face de Aziel foi atarrador.

"Humilhante Aziel,humilhante...Poderia queimar-te,quem sabe congela-lo aqui mesmo por sua ousaria,seu erro! Me diz! Como a
Thalwa,Maharet e Mekare vão reagir?".Quietude,Lilith falou."Esqueça,fique calmo,Ellenos sempre esteve sobre responsabilidade
minha e de Lucy,Lestat".Ele a olhou.

Mantinha minha sanidade."Há,sim e claro,e claro! Vou escondê-lo? E isso? Vou esconder de todos que Ellenos e meu sangue? O
futuro e novo rei da raça bestial e meu sangue!".Tensos momentos,tensas trocas de olhares e eu mantive-me sentada,tomada
de quietude."Saia Lestat,fique calmo,por favor".Ele olhou-me,foi quando Lestat pode responder."Aziel e Lilith,podem me matar,
mas mesmo contra a mim,cedo ou tarde terei que dá conta da existência de Ellenos Cyrus,não vai demorar".Aziel e Lilith cami-
nharam em direção a porta.

"Eu somente queria dizer...".Aziel parou,não pode concluir."Diga infeliz,não vou matar Ellenos,seria futilidade,ele e tão voraz co-
mo eu sou,seria inutiu,mas teria que dá conta da existência dele".Acho que o fato de Aziel ter pedido perdão nesse momento foi
suplicante."Peço perdão qualquer coisa,peço perdão".E nisso ele desceu,desceu silencioso.

A sós com Lestat quis saber."O ama mesmo?".Ela o olhava agora sentada no sofá."Há? Se o amei? Lestat se não o amasse jamais
teria feito tudo que fiz por ele".Tentador e claro,tentador.Apartir dai passou-se algumas conversas entre Lestat e Lilith,eu que es-
cutava,pensava.

O tempo transmutava-se até que finalmente Lilith retirou-se deixando-me a sós com Lestat,eu e ele que fomos para um quarto de
hospedes.Lestat estava fatigado,tomado.Trocou-se colocando uma túnica de linho delicada e deitou-se comigo na cama.Somente
as velas acesas,o vento vindo pela janela.

Não durou até que a madrugada chegasse,envolvesse a cada um da gente em sua quietude.Lestat descansava deitado ao meu la-
do,recuperava forças e eu encarando o teto,encarando cada detalhe.'Ele sofre,mas suporta'.Pensava e levantei-me,desejei saber
o que acontecia.

Vi que Ellenos jazia sozinho no quarto,ele escrevia na mesinha,depois disso segui até o quarto de Lilith e Lucy,pude entender todo
o que eu temia.Os olhei pela brecha com delicadeza,os três jaziam sobre a cama,Lilith e Lucy sentadas de frente para Aziel,o modo
como ele jazia entre as duas foi pecaminoso.

Três seres se amando,tomados.Pude ouvir os gemidos de dor passageira de Aziel quando aquelas duas malditas deixaram seus den-
tes se enterrarem na carne dele,Lilith atras,Lucy a frente de Aziel,elas que bebiam,as duas que o tomavam."Soudades,tudo isso e
para amá-las".E como,como elas o amavam,

Lilith fez ele mover o rosto para trás o beijando."Ah,sim,sem duvida meu anjo".Tive que admitir,ali existia algo verdadeiro,tenso e
com um terrível toque de verdade,imensa verdade.A noite passaria,me deparei vagando sozinha pelo palácio.Quietude,tudo o que
eu precisava.Desejei jazer deitada na relva de flores,foi o que fiz nessa madrugada estupenda.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 62

Mensagem  Ana Nery em Dom 12 Jun - 15:12:42

***Continua***

Não demorou e vi Ellenos descer a linda escadaria,ele que veio ao meu encontro,movi-me com delicadeza o fitando.Ele moveu
as mãos a frente."Venha Samantha,jaz no frio da noite e isso irrita-me,irrita-me saber que uma dama como tu se martinizar po-
dendo ser plena,não seja patética".Levantei-me e com isso seguimos em direção ao salão.

"O que fazia Ellenos?".Ele olhou-me de lado,sem duvida um ser que combina com perfeição com longas vestes.Não demorou e
entramos em seu quarto,ele encostou a porta."Acontece que ando pensativo,não sei o que se sucederá,e claro! Mas sei que a
penosa contemplação e imediata".Concordei ao sentar-me na cama encostando-me no espelho.

Ele manteve-se sentado na cadeira da mesinha,agora me olhando silencioso por alguns momentos para poder falar."Saiba que
e impossível olhar para você e não perceber todo descontrole maciço que acontece a respeito de algo".O olhava envolta com a
finalidade de repensar,argumentar.

"Digamos que amo alguém Ellenos e não sei o futuro que isso terá".Será mesmo que ele compreendia? Moveu-se vindo em mi-
nha direção."Quem?".Quis saber,e isso foi o bastante para minha pessoa compreender,retomar.Tudo isso era como tortura e
nem sempre podemos manter o controle.

-Khayman,e um dos antigos imortais,digamos que o que aconteceu entre eu e ele foi o bastante para despertar a fúria de um
certo alguém,não que Lestat saiba,mas ele na época suspeitou e eu tive que fazer uma escolha.

"Qual escolha Samantha".Bramiu Ellenos sentado a beira da cama."A escolha de afastar-me de Khayman mesmo sofrendo,ele
e o dono de meu coração,sempre foi".Ele respirou fundo,pode manter seu controle."Não sei o que e isso,muito menos sinto o
que e amar.Nasci um ser bestial,cresci um ser bestial e não sinto sentimentos humanos".Compreendi.

Olhei fixamente em direção a varanda,depois para Ellenos."E você nunca amou ninguém Ellenos?".O riso dele foi enfático,eu
vislumbrei o lindo corar de suas bochechas rosadas."Não Samantha,acho que o amor de mamãe me basta,não consigo viver
imaginando-me sem ela".Compreendi,enchi-me de tristeza.

"Mas quem sabe um dia,somente espero que nada queimei e destrua tanto como aconteceu com você.Está destruída,tomada
Samantha".Foi o bastante para eu chorar,meus olhos chamuscarem,ele olhava-me com futilidade e odiei."Pare com isso,isso e
como enche-me de pavor".Moveu os dedos das mãos sobre meu rosto."Ele e um vampiro ancião,poderoso!Mesmo assim temo
que seja destruído caso saibam".Silencio.

Foi nesse momento que vimos Aziel entrar."O que há Samantha?".Droga! O infeliz tinha me visto em um momento frágil.Aziel
trajada lindo conjunto de seda com calça e roupão de cor azul."Nada,esquece".Foi nesse momento que Ellenos saiu,desejou
está sozinho.

Sozinha com Aziel pode chorar,ele que sentou-se a beira da cama e me recolhi em seu colo."Não sei o que há com você,mas a
minha pessoa acredita que isso vem de um tempo".Nada respondi,apenas chorava deitada de lado sobre a cama acolhida por
ele que fazia carinho em meus cabelos.

"Nos tornarmos uma família maldita,simplesmente isso".Silêncio.Na noite seguinte dei-me conta de que minha pessoa haveria de
está com Lestat,ele que havia se englassurado em vosso descanso.O encontrei no início da nova noite entrando no quarto,ele
escrevia,mantinha-se de túnica longa,branca em puro linho.

"O que há Samantha? Aziel contou-me que chorou a noite toda em vosso leito".Sorri,o abracei por tarde ao vê-lo manter-se sen-
tado e escrevendo."Nada meu querido,nada! Eu te amo e tomaria qualquer decisão,mesmo que me destruí-se por você".Ele riu.
Foi como formas e respaldos de observação.

"Eu entendo...Somente peço-te desculpas caso eu tenha falado algo que a machucou".Ele riu pela 1° vez depois de tantos mo-
mentos dolorosos."E,eu entendo".Sentei em seu colo,ele pode beijar meus cabelos por trás,eu havia escolhido um vestido de lã
em cor azul-marinho."Está com fome? Se quiser mandamos providenciar algo que seja de vosso agrado".Eu ri.

Senti seu doce perfume,foi nesse estante que Ellenos entrou,encarou-nos com frieza."Finalmente está desperto Lestat,será mes-
mo que o descanso e lamúria foi o bastante?".Lestat sorriu,tomou-se."Pode ser,pode não ser".E com isso sem duvida de que ele
pode perceber."Está com fome,pelo visto todos aqui estão com fome.Me espere no salão Ellenos,quem sabe possa ajudar".Foi o
culmino.

A sós com Lestat eu o ajudei a arrumar-se,ele que escolheu uma linda camisa de seda em cor vermelho-escuro,os botões negros
se destacando,calça e bota justa fazendo conjunto."Vamos querida,avisarei que precisa de comida quando voltarmos".Foi como
dito.Vendo Lilith e Lucy no salão conversando com Ellenos,pudemos entender.

"Acho que um bom jantar quando voltarmos,seria de agrado para Samantha".Lucy olhou-me silenciosa,até Lilith,eu tremi.Não de-
morou e pegamos caminho.Ellenos usava um goro negro,cabelos soltos,calça jeans-negra fazendo conjunto com suas botas cur-
tas,a camiseta branca por baixo do longo casado negro de belo corte me era maravilhoso.

'Tenho que admitir,ele e voraz e isso provoca-me orgulho'.Li esse pensamento de Lestat com alta profundidade,e sinceramente a
sutileza foi real.Movi minhas mãos por trás dos ombros de Ellenos,Lestat queria ao menos ver para acompanhar como um ser besti-
al caça.Que coisa,pensei friamente.

Lestat escolhei uma das melhores casas do lugar,se tratava de um homem envolvido com desvio de verba,o fuçar da mente dele
tinha agido com perfeição essa noite,na sala ao segurar o infeliz que debatia-se em seus braços Lestat disse."Um malfeitor seria
de bom agrado,acho que o mais correto".Ellenos o olhava de pé ao meu lado,fitou Lestat em ascos."Idiota! Não creio que uma ca-
ça que seja malfeitor ou bem-feitor faça-me diferença".Pobre Lestat,pobre Lestat.

Ellenos me olhou de lado corando."Querida sente-se no sofá,não deve se desgastar,nem entendo e me revolto pelo fato de uma
dama como tu,está presenciando isso".Lestat pensava e não demorou a esvair-se em riso ao ver Ellenos mover os braços a fren-
te e deixar os dentes se enterrarem na carne da garganta do infeliz.

"Isso,seja sublime,não seja patético,são preciosos Ellenos,e lamentei muito ao vê-lo chegar e presenciar sangue em vossos lábios".
Que vaidade,infelizidade.Aos poucos a vitima cedeu,seus gemidos iam abaixando."Cuidado,eu disse".Lestat bramia ao abaixar-se
ao lado de Ellenos."Odeio saber que seres bestiais são sujos nesse momento".Ellenos não respondeu,se deixava tomar.

Arquei os olhos ao vislumbrar Lestat segurar a vitima por trás permindo que Ellenos pudesse mover-se.Ele bebia e céus,não gritei e
sim engoli meu pavor quando Lestat também se serviu daquele homem.'Meu deus...O que mereci para isso ter acontecido com minha
família?'.Pobre pensamento.

E foi dessa forma que os dois se serviram,bebiam.O que fez Lestat afastar-se foi o momento em que Ellenos moveu-se ao por-se
de pé,segurava o infeliz pelas roupas,já morto."O que vai fazer?".Ellenos riu."Quero a alma dele,apenas isso,almas para suprir a
besta que jaz em mim".Pavor.

Lestat quase gritou ao ver os lapsos sairem da boca do maldito.Era uma espécie de faisca que se tornava fumaça depois,era uma
alma,um espírito sendo sugado pela boca de Ellenos.Muito,muito pior do que uma mera caça de um vampiro."Céus".Somente ao sen-
tir que o infeliz jazia sem espírito a desencarnar,e que Ellenos o soltou.

"Vamos,vamos para casa,isso me cansa".Eu segurei meu grito ao vislumbrar mentalmente o modo como a besta pulava,comia a
alma esférica que Ellenos sugará para si."E dentro de você,a fera jaz dentro de você".Ele riu,levantei-me e pelo visto Lestat a-
cabará de fazer a limpa.

Ainda via mentalmente a fera agir,a besta contida em Ellenos saciar-me com a alma:Um ser dentro dele a pairar na escuridão.eu
assombrei-me.Finalmente no palácio Lucy pode receber Ellenos e apavorou-se."Ah,céus! Disse para evitar,evite jaziar vossa bes-
ta com espírito.Ellenos riu,porém,foi sensato.

"Basta-me".Lamentei vê-lo subir,Lucy sentando-se na linda escadaria respirou fundo."Ele e voraz,temo futuramente não poder
controlá-lo".Lestat andou a frente,parecia que ele tinha pena da missão de Lucy."Hum...E eu estarei aqui,mas saber que,sim,
e verdade que seres bestiais saziam a besta com espíritos,me apavora".Ela manteve-se quita.

"Mais uma coisa Lucy:Creio que temo o fato de Ellenos ter filhos,me seria prudente evitar".Ela assustou-se."Pare,tenha certeza
que alguma coisa pode ser controlada,eu tento".Temeroso momento,estado espiritual,momento.Os dois subiram e deparai-me a
sentar-me em um dos tronos,pensei com profundidade.

Vi quando Redenção apareceu de pé."Teme ao que?".Eu o olhei."Não sei,eu não sei,mas creia...Ellenos me assusta".Ele riu e
disse."Devem se preocupar com as arpias,elas não param".E,eu sabia e foi uma verdade que todos sentiam.Vanguarda para
existir,viver,vanguarda para respirar,era o que eu precisava para aceitar tudo isso:A maldita família em que criamos.

***Continua***


Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 63

Mensagem  Ana Nery em Seg 13 Jun - 12:23:37

***Continuando***

Ao voltarmos ao estado de Athena,Lestat me deixou em casa,a noite estava fresca e se iniciava na Cidade de Athena.O modo como nos despedimos
de Lilith e Lucy,foi drástico para Lestat,isso a respeito de Ellenos,Lestat tinha implorado para ele vir,passar algumas semanas com ele,mas porém,acho
que a firmeza com que Lucy impos sua palavra foi poderosa e forte.

A noite era nova e eu jazia no jardim com Lestat após chegarmos,ele olhava para mim como se eu tivesse medo,eu sentada com ele debaixo de uma
das arvores do jardim."Tenha calma Lestat,imensa calma,chegamos e dê tempo ao tempo a respeito de Ellenos".Sim,tudo foi imediato,notável,mas a
consagração maior,foi remetente a algo notável.

Não demorou e minha pessoa se direcionou em direção a casa,foi como se tudo bramisse em meus ouvidos,bramisse como musica continua.Olhei tu-
do como se fosse transmutado,renovado.Sentei-me na poltrona e não demorou para que Lestat me fitasse bramindo coisas que o assustavam."Ainda
não sei como fazê-lo,como deixar tudo as claras".Será mesmo que tudo isso era preciso?

Não sei,somente sabia que Lestat tinha medo.Um herdeiro seu jazia naquele lugar silencioso,renovado,e ele não sabia como repassaria para que todos
entendessem,isso e,se viessem a entender."Tenha frieza,nem tudo e remetente ao que queremos Lestat".Sim,ele compreendeu e sinceramente para a
minha pessoa foi esperado,desejado.

Enquanto Lestat descansava deitado no sofá da sala,eu decidi subir,tomar banho fresco.Tudo isso me era necessário,acho que depois de momentos co-
mo esse,um banho para sentir-me limpa não poderia vir em melhor momento.Eu o fazia,somente a quietude nessa nova noite em que voltei para a Ci-
dade de Athena,me envolvia,me tomada.O som da água era ouvido no banheiro.

Ao dar-me como satisfeira,sai do box e vi a imensa banheira,pia,espelho,todos os detalhes."Céus...Creio que Lestat se meteu em uma imensa encren-
ca".E,tudo isso se tornava adorável,apesar de assustador queridos.Pressumam que algo ia acontecer,e estava acontecendo no que dis respeito ao que
o futuro nos preparava.

Ao está me arrumando no quarto,Lestat apareceu,eu acabara de vestir-me e jazia sentada a mesa da linda penteadeira,escovava meus cabelos,sem du-
vida de que a viagem de volta havia sido cansativa,não somente para mim,mas também para ele.Ele olhou-me,pode abrar-me por trás ao chegar perto.
"Desculpe qualquer coisa,eu preciso ir querida,espero que tenha um bom descanso".Compreendi,sem duvida de que continuaria com minhas atividades.

E mantive-me ciente de tudo,de tudo o que acontecia.Sozinha envolvi-me em uma boa leitura ao está na cama,respirava depois de tantos momentos a
serem apaixonantes,mas dolorosos.Sem duvida de que a essa altura,Aziel estava com Hyarian,ele que tinha decidido ir direto lá das terras de Lilith e a
poderosa Lucy.

Eu lia,e foi desse modo delícioso que cheguei em casa e jazi em meu descanso desejado.Estava preparada para chegada da manhã seguinte e retomar
os meus estudos,tudo o que me aquece o coração,e foi feito e claro.Mas o que dizer do decorrer dos três próximos dias e três próximas noites? Meu cora-
ção doeu,doeu ao receber visita de Lestat e Thalwa,e jazermos em um momento delícado,renomado.

És o que tenho a dizer: Lestat somente teve coragem de falar a respeito de Ellenos Cyrus ao está em minha presença,e isso o envolveu como lápide e
constante sofrimento.Havia jantado,graças e após isso recebido a eles de forma inesperada.Na sala estávamos,e nisso eu os olhava friamente,era como
um desencadear de uma guerra.

Thalwa parecia uma pintura de trevas ao está vestindo um vestido de lã negra,o lindo cordão com pingente de jade enfeitando a frente de seu colo do
seio,Lestat a olhava,ela andava a sua frente,ouvia atentamente."Somente tenho medo Thalwa,somente isso".Ela arqueou a sobrancelha,era como se a
desventura se tornasse real.

Lestat parecia um ancião usando calça negra e sapatos clássicos,o longo sobretudo de cor vinho,a camiseta negra por baixo."Lestat não está sendo claro
e isso assusta-me".Que momento! Lestat sentou-se a meu lado,a fitou pensativo,ela sentou-se na poltrona."Sim,e claro,sim,sim".E Thalwa o indagou a
saber tudo que tem direito.

"Digamos que o fato deu ter ido ao encontro de Lilith foi vantajoso,não para ela ou Lucy,muito menos Aziel,mas pelo que eu encontrei lá".Olhei para o
maldito,ele que tentava colocar todas as palavras em seu lugar."Sei que nessas últimas noites andou tomado Lestat,nervoso,pensativo,já o tinha visto
nervoso antes,mas não com essa amplitude".Ele riu de lado,foi quando seus olhos se marejaram.

"Digamos que Samantha tem um irmão,meio-irmão,Thalwa,e não sei como ampliar todos os conceitos".Os olhos de Thalwa se retrairam,pousaram so-
bre minha pessoa."Quer dizer que Aziel...Como assim Lestat!?".Ela bramiu levantando-se."Ellenos Cyrus,e esse o nome dele,e filho de Lucy,Lucy que
foi a única fêmea dentre os seres bestiais que manteve-se fertil ao receber o sangue bestial".A sutileza era fital,pressumida e sentida.

"Um neto,mas só que...".Ela parou,tinha ficado nervosa o bastante para mover a mão sobre seus cabelos.Lestat foi até ela o indagando,envolvendo-se
em notável olhar."Não me queime por favor,falo de odiar-me! Eu não pedi! Entenda,eu não pedi por isso Thalwa".Ela o olhou aflíta,foi como um golpe
pra ela,mas só que silencioso."Culpa você não tem,mas não posso garantir nada,não se trata de mim,se trata de outras coisas.Não imaginava que Aziel
poderia antes de ter morrido naqueles tempos,plantado semente".Frios olhares.

E ela explodiu."Traga Aziel! Traga para eu queimá-lo,destruí-lo!".E eu revidei,eu e Lestat que nos envolvemos em uma briga verbal com Thalwa,fiquei
aflíta."Pedoe papai! Perdoe! Por favor! Não faça nada!".Tudo acontecia,era uma imensa batalha que começava apartir desse momento,um dos piores mo-
mentos de minha vida.

Nem mesmo Lestat sentia,senvolvia-se,mas sei que o sofrimento continuaria.Foram momentos tensos,e que momentos tensos enquanto acontecia, o fa-
to e que necessitávamos continuar explicando a Thalwa,e foi assim.Uma conversa que durou horas a fio.Resumidamente um presságio terrível.Após isso
os dias se passara e acabei por receber uma surpresa.

Ao voltar do Instituto vi Lestat na sala ao chegar,ele que olhou-se ao ver-me entrar."Está aqui,apenas acho que devia ser mais sensato".E ele jogou a
carta sobre a mesa de centro.Eu abri o envelope passeando meus olhos pela letra pacata.Era de Ellenos Cyrus e Lestat havia encontrado a carta na cai-
xa de correio."Leia,ultimamente não ando tendo noites agradáveis,Samantha".Que fosse,estávamos envoltos em momentos tensos a respeito de tudo o
que acontecia.

'Samantha? Me desculpe ser tão ousado,mas creio que ao decorrer das noites eu não poderia esquecer.Não poderia deixar passar em branco o que acon-
teceu em vossa vinda ao palácio em que moramos. Escrevo para que jamais esqueça-me,lembre-se que apesar deu ser o maldito que sou,jamais mesmo
contra o egoísmo de todos,a deixaria de ajudar-te.

Estou aqui Samantha e desejo abraços,logo,logo nos veremos,e sem duvida teremos bons momentos.

Dê: Ellenos Cyrus Chariére De Lioncourt'

"Ele e sensato,tenho que admitir".Falei ao voltar minha atenção a Lestat."Sensato...Isso e tenso de se imaginar".E ficamos nos olhando,fitando um ao
outro,tudo isso foi como monstruosidade,terrível."Sensato".O que nos pegou de surpresa foi ao vermos a linda Gabrielle entrar pelo portão,ela que veio
aflita,tomada.Entrou na sala tomada de olhares.

"Lestat,Hyarian está aqui! Não sabemos de nada!".O que? Lestat levantou-se a olhando,Gabrielle jazia artomentada,tomada,ela que tinha seus cabelos
traçados para trás,usava túnica de linho e faixa negra ajustada a fina cintura."Hyarian na Cidade?".Artomentador,eu sei.Saímos pelo jardim após eu fe-
char a casa.

Lestat andava atordoado,já passava por problemas a respeito de Ellenos,e isso o tirava do controle.Chegando a mansão,Gabrielle nos levou ao sótão.
Thalwa pensava ao andar observando Hyarian artomentado."O que acontece? O que Hyarian vem fazer na Cidade? Ele quer provocar guerra com o
Ardônis? Muitos não se agradam da existência dele,isso e tenso".Thalwa o olhou."Digamos que eu,Gabrielle e Samantha precisamos resolver algo,eu
tenho que vos falar que Hyarian herdou um defeito que eu tenho".Lestat quis saber.

"Lembra de quando eu acordei naquea época,bebi de Alexien necessitada da vitalidade do sangue de bruxa?".Lestat sentiu-se tomado."Calma! Não es-
tá dizendo que!".Gabrielle o puxou."Pare,venha comigo e deixemos Thalwa e Samantha resolverem isso".Ele foi puxado as forças."Suas insanas! Isso
e uma afronta! Basta-me!".E ouvíamos os gritos de Lestat,Thalwa andou a frente fechando a porta na chave.

"Filho Samantha está aqui,agora decida o que fazer".Céus,como ele estava abatido,muito abatido.Ele respirava sentado ao encostar-se na parede.O
seu olhar foi doloroso ao ver-me aproximar-se.Usava apenas calça jeans e as botas curtas,havia tirado a camisa de seda ao chegar,odiava-se."Querida
eu sei que isso me e frustrante,mas não poderia confiar em outra pessoa".Falava comigo.

"Hum...Se desespera,isso e imaturidade Hyarian".Ele riu de lado,pensava."Não sou falso,ingrato,se fosse a teria atacado".Ele estava seco,tinha a pe-
le murcha superficialmente,mas passaria."Hum...Sábia decisão Hyarian,aprecio vossa verdade,vossa clareza".Ele riu secamente,principalmente quando
vislumbrou Thalwa sentar-se preocupada do lado oposto da parece.

Havia compreendido e deixei-me Hyarian me puxar par junto dele em seus tremores,fraqueza receptiva."Juro que não serei cruel querida,juro que na-
da acontecera".Eu pude rir por algum momento."Eu sei".Me envolvi nesse momento,nada me foi aterrador quando senti seus dentes se enterrarem em
minha garanta,o modo como ele bebia,gruia com delicadeza.

E foi desse modo que passei pela experiência.O fato e que qualquer bebedor de sangue sucessido a patente sanguinea de Thalwa em algum momento
há de necessitar de sangue de bruxa,e um momento em que o sangue clama,o corpo clama por algum sangue que tenha vitalidade maior,foi resumida-
mente isso que tinha acontecido com Hyarian.

Não lembro ao certo quando vieram me pegar,somente sei que ao longo do processo eu apaguei,apaguei sentindo meu corpo usurpado,contaminado e
restaurado .Somente soube ao acordar no quarto em que havia sido de Louis,abri meus olhos encarando o teto,Gabrielle jazia ao meu lado temerosa,a
vossa pessoa que movia o pano humido sobre meu rosto e testa."Calma querida Samantha,apenas acho que irá demorar um pouquinho até que possa
recuperar-se".Eu mantive-me silenciosa.

'Sim,e claro...Somente não esperava o desespero de Hyarian'.Ela estava mais preocupada comigo do que com qualquer outra pessoa.Colocando o pa-
mo na bacia deixe-se a pensar."Sim,leio vosso pensamento claramente.Foi com isso que voltei a si,desperta e tomada.Olhava para ela,ela que encara-
ba-me friamente.Segurava minha mão."Céus...Loucura".Bramiu.Iria me recuperar,mas sem duvida que tudo isso tirou-me forças por algum momento.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 64

Mensagem  Ana Nery em Seg 13 Jun - 12:33:22

***Continuando***

Hyarian apareceu na entrada da porta,ele havia se recuperado,mas eu e que não estava preparada para com a rapidez com que acontecia.
Olhou-me em riso,tinha os braços cruzados ao encostar-se no vão da porta,mantinha a mesma veste."Gabrielle deixei-me a sós com ela,eu
preciso".Gabrielle levantou-se,encheu-se de temor.

"Meu querido,como,como assim?".Ele riu docemente,e me impactei ao sentar-se encostada no espelho da cama e apreciar tudo isso.O mo-
do como pela 1° vez vislumbrei o riso de Hyarian."Por favor Gabrielle".Estava claro,óbvio.E a sóis ele sentou-se a beira da cama seguran-
do minha mão,estava aflíto,sua voz ecoou pelo quarto em baixo tom.

"Me desculpe qualquer coisa,acho que o sangue que provém de Thalwa e selvagem demais querida,para que possa agir sozinho por tempo
indeterminado,e isso faz com que de época em época,necessitemos de uma restauração a parte".Pensei silenciosa,mas o que ele quis dizer
e que estava para opinar a respeito de um outro assunto.

Moveu a mão sobre meu rosto,se recompos pensativo."O que acha de Ellenos Cyrus?".Isso pegou-me de suspresa."Digamos que minha i-
maculada pessoa não esperava,apesar de alguns,suspeitarem".Ele riu friamente."Aziel disse-me,acho que Lestat terá que arcar com algumas
conseguências a respeito disso".Quais?

Era essa a pergunta que passava-e em minha mente nesse momento."Lestat não queria,sabe disso! Como poderíamos imaginar que Lilith
seria capaz de fazer o que fez?".Ele rompeu vossa quietude."Samantha eu suspeitava de muitos casos,eu vi Aziel morrer,vi ele passar pe-
lo que passou,e não garanto que Thalwa,Maharet e Mekare vão aceitar isso tudo com facilidade.

Respirei engolindo tudo o que ele disse,e admito que senti um imenso pesar em meu coração."Hyarian vossa pessoa não pertente nem a
Maharet e Mekare,muito menos a Thalwa,como pode deixar-se tomar por decisões alheias?".Ele envolveu-se em síntese temporária e isso
foi o bastante.

"Samantha,não sei o que será disso tudo,mas não creio que Ellenos Cyrus ficara quieto por vários fatores,não creio que ele não tenha pla-
nos a realizar no futuro.Samantha,o fato e que Ellenos e neto de Lestat,o futuro rei bestial,compreende a gravidade disso?".E revidei,eu
encarei a situação."Há apenas um problema Hyarian".Ele quis saber."Qual problema Samantha?".Levantei-me,necessitava ir o encontro de
Lestat na sala.

"O problema e que e impossível bebedores de sangue conviverem com outras raças".Tensa troca de olhares,ele seguiu-me ao me direcio-
nar ao corredor,eu segui.Acho que minha resposta havia consumado tudo o que eu achava a respeito da situação de Ellenos,e muito me-
nos Hyarian atreveu-se a responder.

O que me impactou e que ao entrar na sala ao descermos a escada,me deparei com Lestat sentado,tomado de angustia,ele que pedia a
permissão para poder ver Ellenos,a resposta que ouviu de Thalwa foi ácida de fria,o que tomou a mim e a Hyarian de surpresa,Gabrielle
a observar Lestat ao está sentada a seu lado.

"Thalwa,eu somente quero vê-lo por favor! Somente desejo ir lá,olhar para ele,quem sabe deixar claro que e melhor nem ele,Lilith e Lucy
se aproximarem".Thalwa revidava."Não importa! Disse que não e sensato se envolver mais! Não seja patético Lestat! Não seja patético".
Lestat ousou levantar-se,angustiado pediu novamente.

"Por favor...Thalwa ele e parte de mim! Compreende isso!? A falta que faz em não vê-lo?".Céus,o modo como ela concluiu desferindo ta-
pas no rosto dele foi cético."Esqueça...O erro no passado foi ter deixado Aziel nascer,Vitória consumar tudo o que consumou,se eu sou-
nesse,não teria deixado Lestat".Gabrielle a seguiu,quando Thalwa direcionou-se ao jardim.

Vimos as duas saírem para noite,o fato e que Lestat deu-se a se lamuriar,chorar ao sentar-me a seu lado,o fato e que ele sofria ao não po-
der ver Ellenos,não importava Lucy,Lilith,mas Ellenos? Ah! Isso,sim,era preocupante pra ele.Hyarian abaixou-se encarando Lestat."Thalwa
está preocupada Lestat,por favor,de tempo ao tempo,algo vai acontecer".Muita dor.

Lestat moveu seu rosto sobre meu ombro,acariciei seus cabelos,ele ficou chorando,e somente podíamos seus lamentos.Lestat lamentou,la-
mentou por tudo o que isso lhe trazia em conseguência.Somente poderia esperar,e esperei.Ia demorar,mas em algum momento Lestat iria
recompor seu controle mental,tudo de si.

Nas noite seguintes eu preparei-me para sair de férias a Cidade de Paris,foi doloroso para Lestat,ele que soube por mim que as férias bimes-
trais iam chegar e com isso,minha pessoa sumiria da Cidade de Athena.'Ah,querida! Vou sentir soudades,mas logo,logo,sei que estaremos
juntos'.Foi o que disse ao ver-me preparando as malas.

Não demorou e me foi maravilhoso sair em viagem para Páris,maravilhosa a forma como o voo foi tranquilo,tomado de silêncio.Saindo do ae-
roporto eu peguei um táxi no estacionamento.Malas a posto e direto em viagem para Páris.A noite estava fresca,maravilhosa.Céus! Somen-
te eu! Eu em Páris em minha casa de férias.

Chegando lá no início da noite pude arrumar as poucas roupas que levei.No quarto pensei,e assim que liguei meu Laptop ao está descansan-
do no quarto,vi que Lestat deixou e-mail em minha pacata caixa de entrada: A escrita havia sido rápida,eu cai em risos silenciosos enquanto
a minha pessoa ria com suas palavras,apesar da dor.

'Amada Samantha,creio que chegou em Páris,deve está em deleite. Digo que em desespero,assim que caiu a nova noite,eu deixei esse e-mail
para ti. Cuide-se Samantha,Cuide-se,estou a sua espera,essa Cidade sem você e um inferno.

Assinado : Lestat De Lioncourt'.

"Hum...Sofre a toa Lestat".Bem,o que podia esperar? Sei que logo,logo sairia e não demorou.Na noite seguinte me deparei envolta em um do-
ce jantar,havia decidido sair para jantar fora,quem sabe poder ir ao Cinema,quem sabe poder comprar roupas e perfumes raros para mim.Eu
somente sabia que estava de férias e não queria chegar tão cedo em casa.

Foi maravilhoso,fiz compras de roupas,perfumes,até mesmo pude comprar suprimentos para colocar na geladeira.Mas? Vejam isso,estejam a-
tentos as trevas que me aguardava: Caminhando seguia pela Rua,movia-me em direção a casa,seguia com as bolsas na mão,eu vestia um ca-
saco longo de pura lã em cor verde,o lenço de linho em meu pescoço,a saia de tom escuro fazendo conjunto com a sandália.

O que pensar ao chegar enfrente ao portão e vislumbrar Ellenos sentado na relva do jardim? 'Céus'.O que veio fazer na Cidade? Somente ao
entrar e que soube,ele que fitou-me ao levantar-me."Desculpe,mas em andanças pela Cidade,percebendo que estava aqui,não pude ingnorar".
O olhava,ele pegou algumas bolsas.Arrepiante como ele brilhava em beleza ao ter escolhido uma camisa de linho em cor cinza,calça e botas ne-
gras."Mas..".Ele riu ao nos direcionar-mos a varanda.

"Samantha não e somente você ou qualquer outra pessoa necessitada de andar sozinho de vez enquando,Lilith e Lucy me irritam as vezes".
a sua sinceridade espantou-me.Foi um modo sublime dele aproveitar e vir.Na sala ao deixarmos as bolsas na cozinha,ele pode concluir."Eu
apenas peço desculpas pelas situações,não creio que perante tudo isso,muitos dos bebedores de sangue estejam compreendo".Fui clara a
sentarmos no sofá.

Ellenos sempre foi tão educado,elegante desde quando o conheci,isso surpreendia,porque emana compreensão,entendimento."Querido e
que nem sempre somos sensatos...Thalwa,muitos não entendem! Um herdeito? Homem!? Um herdeiro de Lestat como o futuro rei bestial?".
Ele ouvia silencioso."O que acha mais apto?".Eu fui clara.

-Querido Ellenos,seja singelo,silencioso. Deixe essa tempestade passar,tudo bem? Tudo está confuso para Thalwa,até mesmo Maharet e
Mekare,e sem duvida de que os anciões bebedores de sangue,estão a pá disso tudo.

Seja singelo,tome conta do que e seu,não tente por as mãos em coisas que não dizem a seu respeito.E isso mesmo.Tome conta do que e
seu,e deixei-os tomar conta do que e e dele.Logo,logo terá que tomar conta de coisas mais sérias.Ellenos eu não creio que seja sensato
esquentar a cabeça com coisas que não lhe dizem o respeito.

Ele compreendia,e nos envolvemos em uma extensa conversa a respeito disso ao longo da noite,pude até arrumar minhas coisas.Pude pre-
parar rapidamente meu pacato jantar."Não espere cordialidade,não espere respeito imediato,terá que consquistar dentre todos eles".Nada
como presságio,pensei eu.

Ofereci ao longo da noite,o sótão nos fundos do jardim para Ellenos retirar-se durante o dia.Havíamos combinado de sairmos durante o dia.
Antes disso eu pedi para ligar para o hotel em que estava hospedado em Páris e cancelar a hospedagem.Sozinha na sala ao deixá-lo em reti-
ro no sótão,o telefone tocou.

Assombrei-me ao saber que era Lestat."Querida tudo bem?".Se ele soubesse que Ellenos estava em Páris,ia enlouquecer,sem duvida de
que fugira de Athena,viria em voo pelos céus negros da noite ver Ellenos."Sim,meu querido,graças que tudo bem,não preocupe-se,acho
que meu descanso e o melhor".Ele riu."Entendo,logo,logo nos veremos,e não creio que minha dor devido a Ellenos passará".Pensei,pude
responder antes de desligar."Meu querido digamos que mantenha a calma,deixe Thalwa agir em decisão com Maharet e Mekare,de algum
modo terá que ser".E com isso nos despedimos.

Praparei-me para o dia seguinte.Creio que a noite seguinte me foi arrebatadora.Assim que chegou a nova noite,Ellenos veio,pode sentir-
se livre de seu casulo.Ele saiu para caçar,enquanto isso eu me envolvi em algum processo de sensatez,imediato momento.Será mesmo a
contra-gosto que era sensato? Somente sabia que me foi maravilhoso não está sozinha,abandonada digamos,assim.

Não demorou e Ellenos voltou,me esperou na sala rapidamente até que eu descesse.Desci a procura dele.O vi sentado pensativo em seu
pensamento."Espera o que Ellenos?".Ele riu."Os bosques,acho que seria um sensato passar de tempo".Compreendi,não demorou e nos en-
contramos nas Ruas de Páris,nos deparamos em um retrogado momento.

O fato dele ter saído a caça antes disso tinha sido sensato."Diga-me uma coisa Ellenos,seria sensato dizer que o sangue de Drarytha era
o apto a trazer as forças de Louis naquela época?".Ele riu."Ah,sim,sei do caso,Kalawina que desesperada queria voltar a vida e usou Louis
como arma.O que acontece e que o sangue bestial cura,ele tem poder para quebrar maldições".Assombrador pensar.

Nos bosques ao entrarmos silenciosos ele revelou-me algo crucial."O fato e que qualquer substancia metálica fere um ser bestia,por isso
o perigo de pedras como jade,dentre outras,e veneno Samantha".Veneno,isso fez-me lembrar de como Thalwa matou Drarytha,de com
até o filho de Kalawina e Draytha não escapou.

Nos sentamos sobre a relva do bosque,eu pensava friamente nisso tudo."Qual acha que foi o erro de Drarytha?".Ele olhava o nada,ele
pensava silencioso,seus olhos verdes me eram miragem de tão belos."Hum...Não negociar,vejo por esse lado,canso de vez em vez,Lilith
contar-me".Tensas trocas de olhares tivemos.

"Drarytha tinha um problema e não soube negociar para resolver o problema dentro de seu próprio povo,não creio que tudo tivesse aca-
bado assim caso ele tivesse negociado,sem duvida estária vivo hoje".Um ser de treze mil anos,poder notável.Saber desses detalhes sem
duvida me foi contaminante.

Um momento sublime entre eu e Ellenos nesse bosque,eu que ao longo dessa noite,compreendi a sensatez de Ellenos,o modo como ele
pensava táticamente a respeito de tudo.Notável sem duvida,porém,de algum modo doloroso,porque eu desejei que todos provassem da
sensatez e sofisticação de seus pensamentos ainda tão centrais.

Foi assim na calada da noite,de nossas conversas,nossa quietude ao estamos no bosque.O meu desespero maior foi quando depois desse
momento ao estarmos em casa,me deparar com a sutileza de tudo.Eu havia resolvido me trancar no quarto,desejava silencioso,Ellenos ti-
nha algumas coisas a resolver,e isso o forçou a está no salão.

O tic-tac do relógio me era ouvido,me era acetinado como mel.Como sonhava,sonhava com as graças e peripécias de Lestat,o modo como
ele sofria nesse momento ao não poder ver Ellenos,e eu está com Ellenos em páris.O vento frio bramia ao vir pela varanda,o quarto escuro
a dar-me conforto.Ouvi o bramir da porta se abrindo.

Despertei com esse bramido,Ellenos temia me acordar,infelizidade ao vê-lo caminhar,um ser tomado de vitalidade e beleza ao vestir uma
das túnicas escolhidas a mão.A cor branca sempre o veste como um ser ancestral.Ele segurava uma vela."Toma-me a paciência,toma-me
a vitalidade".Disse ao mover-se pela cama."Nada Samantha...Acaba de faltar energia e não creio que esse frio na Cidade me faça bem".
O que eu sentia? Céus!

Me deparei fitando-o silenciosa ao deixar o lindo castiçal com vela feita em cera de mel sobre a mesinha."Ellenos? Me amaria? Me odeia a
ser o que sou,Ellenos?".Ele olhou-me preocupado."Samantha o que e odiar para você?".O vi deitar-me ao meu lado,fitar-me em sua quie-
tude tão singela."Extinguir alguém de sua vida,algo assim".Pobre Ellenos.

"Pode conseguir Ellenos,tem a força que Draytha não teve Ellenos,tem a mente que faltou ao pacato Drarytha,e Lilith e Lucy o ensinaram
com maestria".Ele riu."Tento,tento entender".Na calada da noite eu não me arrependi,somente lamentei pelo pobre Lestat,pobre Lestat
a jamais entender uma mente tão sofisticada quanto a do Ellenos.

A sofisticação sempre e plena quando se entende,e não creio que todos compreendiam."Me ame somente por alguns momentos Ellenos e
mantenha-se ciente do que veio para ser".Ele não pode responder,invadi a privazidade de seus pesamentos ao desferir beijos em seus lá-
bios,e me foi claro que sua sofisticação fora silenciosa demais a ponto dele saber dosar seus desejos.

Um ser simples,dosado,e que a casa noite de sua existência aprimorava a complexidade de si mesmo."O tragico e que você ainda começa
a entender Samantha".Bramia baixo enquanto desferia suas mãos pela minha veste.A graciosidade com que ele permitiu-se beijar-me foi
inesperada."Mas não posso,não agora,e nem eu sei o que será de mim,ninguém sabe".O olhava.

Ele bramia coisas ao mover sua boca pelos meus seios quentes."Céus...Creio deixar-me a paisana correto?".Olhou-me ao jazer sobre mim.
"Não exatamente,mas dê-me tempo,por favor! Tempo! Não quero dá um tiro no escuro e errar,Khayman está metido nisso,e pessoas como
eu captam as coisas de longe".Como sofri.

"Pobre de mim,isso,sim,Samantha,mais do que nunca quero ir embora".O olhava,e o modo como ele pode fazer proveito dessa situação foi-
me terrivel.Em questão de tempo jazíamos na cama,não que tivessemos chegado a ponto de nos deleitar,mas foi o bastante para ele sacair-
me em beijos pelo meu corpo.

Eu que jazia deitada de costas,ele ao meu lado,movendo seus lábios sobre meu ombros,olhava a paisagem da varanda."Khayman,não sa-
bia que isso para você,foi tão relevante".Ele respondeu aos meus ouvidos."Hum...Saiba disso:Cavaleiros não fazem guerra quando estão
em disputa por uma dama,são educados".Infeliz pensei ao virar-me a vê-lo.

"Toma cuidado Samantha,toma cuidado,age como uma layd,fria,calculista,e isso me faz temer,céus,preciso ir,não vou suportar se ficar mais
na Cidade de Páris".O olhei sentar-se a beira da cama,como as vela bruxeleava iluminando sua pele clarinha,delicada.Ele olhava o nada,sentia
dor,mas passaria.Pensava."Céus,preciso agir,se alcancei algum amadurecimento,mais do que o alcançarei com plenitude".Ele foi até a varan-
da.

Chovia a essa altura."Ellenos o que teme?".Quis saber ao parar a sua frente de pé na varanda."Infelizidade,apenas isso!".Seria uma
colheita entanto pensei."Samantha,entenda! Khayman pode dar amor a você,e admito,maior do que o meu,mas não creio que seria
sensato para comigo".Coitado,e nisso ele saiu da varanda,ia para sala.Vestiu-se rapidamente.

"Desculpe querida,ainda não posso cometer a ousadia,e nem a cometi,não agora".Não respondi,havia me sentido despertiçada,humi-
lhada pela verdade que ele disse-me.Nada,absolutamente nada,apenas sentimentos.Ellenos me renegara e isso feriu toda feminilidade
com que cresci.

Sozinha no quarto olhava o jardim,fechei meus olhos pensando em Lestat,todos eles."E,será uma guerra,mas há de entenderem".A
sutileza foi trágica,trágica até eu mover-me em direção ao quarto,apagar a vela."Morrerei Ellenos,morrerei".O fim de tudo,o fim de
algo ainda a ser pensado por mim mesma.Trágica condição,creio eu.Logo,logo Ellenos ia embora,e tinha que me conformar,me confor-
mar com a inevitável decisão.Trassemos perfumes e glórias,a miragem de nossos espíritos.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 65

Mensagem  Ana Nery em Ter 14 Jun - 12:56:11

***Continuando***

Dormi tranquilamente,dormi envolta em sonhos misteriosos e silencio desejado.O que me cativou de imediato foi o fato de Ellenos
ter desejado passar as férias comigo,essa havia sido a decisão dele ao vê-lo no jardim no início da noite,e tudo isso foi renomado
e transfigurado para a centelha de entendimento.

'Samantha! Mas creia que prefiro manter-me distante de vossa pessoa'.Mesmo angustiada,eu entendi,tive que acatar a cada pala-
vra de sua pessoa,de seu auto-entendimento notável.Seriam apenas mais duas semanas,mas sei que seria o bastante para eu e a
sua pessoa jazermos em momentos especiais.

Ao menos teria alguém com quem conversar,com que jazer ao longo dessas duas semanas.Tudo que posso transpassar aqui e o re-
torno que isso tudo trouxenos.Ao longo do tempo percebi que aquela admiração inicial por Ellenos Cyrus,se tornar mais nítida,mais
renomada,até mesmo inocente.

Me deparava ao longo dessas noites com ele,se ele compreendia mesmo o sento do que eu queria dizer,aplicar.Respirava fundo to-
da vez que eu estava sozinha na sala e ele descia do salão,ele que olhava-me ao sentar-se ao meu lado,até mesmo se atrevia a dar-
me um abraço por trás antes de juntar-me a mim.

'Melhor Ellenos?'.Eu sempre perguntava,e ele deparava-se choroso,choroso pelo sofrimento que sentia,mas aparentemente contro-
lado.Não respondia,e isso lhe causava o conforto de que necessitava.Em uma determinada noite pouco antes de minhas férias aca-
barem,me deparei com Ellenos invadindo meu quarto,mas ele saiu,saiu petrificado.

Ao menos ele não devia justificar-se por sua ausência,sem duvida de que Lucy e Lilith sabiam que ele mantinha-se em Páris.Mas esse
momento foi terrível para mim,sofri por ele,por ele sair corado,transtornado.'Ele sofre e não entendo'.E finalmente na noite em que a
minha pessoa ia voltar para Páris,me deparei passando por um momento notável.

Eu e Ellenos jazíamos no quarto,eu acabara de arrumar as malas quanto ouvimos o telefone da sala tocar."Calma querido,acho que a
vossa pessoa anda sofrendo demais".E estava mesmo,vi pelo modo como olhou-me sequido ao sair do quarto,eu caminhei em direção
ao salão,fui até a sala e ao atender,saber do fato que era Lestat,fez meu coração surtar.

-Sabe a que horas o avião vai embarcar Samantha? Saiba que eu posso ir a sua procura,quem sabe providenciar algo com que possa
trazê-la tranquilamente para casa.

"Não se preocupe Lestat".Ouvi seu riso,porém,o toque de tristeza havia me chamado atenção."Tudo está bem Lestat?".Ele rompeu a
sua quietude respondendo."Sim,creio que,sim".Vi Ellenos descer com as minhas malas,o ser trajado com calça justa e botas curtas ne-
gras,a camiseta cinza por baixo do lindo sobretudo me encantou.

"Preciso desligar Lestat,nos vemos em Athena".Desligando eu sorri,não demoraria e o táxi chegaria.O modo como Ellenos olhou-me foi
trágido."Vamos querido".Foi como esperado,não demorou e finalmente o táxi chegou.Eu havia colocado luvas brancas para aquecer-me
do frio da noite,o meu vestido de angodão branco por baixo do sobretudo negro que usava,era confortável,até mesmo a sandália me
provocava conforto.

Ellenos estava nervoso,muito nervoso ao estarmos no táxi,ele que olhava pela janela os detalhes das luzes de Páris e com isso pode
se insolar em completo silencio.Voltei-me a ele movendo a mão sobre seu rosto."Algo o artomenta?".Ele riu de lado secamente.Apenas
o som do táxi seguindo pelas ruas de Páris ouvimos.

"Nada Samantha,apenas lamento,não tenho mais motivos para manter-me longe de lá".Compreendi.Logo,logo chegaríamos no aero-
porto e com isso nos silenciamos.Quando o táxi entrou no estacionamento saiu,no saguão do aeroporto ele fitou-me,não compreen-
dia ainda a complexidade dos momentos em que passamos em Páris.

"Fique calma,juro que nem Lucy e Lilith,ninguém vai saber que a vi em Páris".Eu ri,foi como flores o modo como ele puxou meu lenço de
seda de meu pescoço."Isso vai ficar comigo".O olhava,pensava."Desculpe qualquer frustração que eu tenha lhe causado Ellenos".Seu
riso foi imediato."Fique calma,porei minha mente em ordem ao está sozinho naquelas terras".O beijei,o beijei envolta em lamúria,senti
os calafrios dele.

Sua tensão."Tchau Ellenos,quem sabe nos vemos logo,logo".Perceptível seu tormento,o modo como ele transfigurou a todo detalhe.O
seu olhar foi pecaminoso quando viu-me me direcionar com as malas em direção a recepção.E foi desse modo que minhas férias em Pá-
ris acabaram,que eu voltei,segui em voo para Cidade de Athena.

Cheguei no início da madrugada(Vantagem de morar na Europa e essa).Me irritei com o fato deu ver meu motorista me esperando no es-
tacionamento,o esbanjar da limosine ao entrar."Logo,logo chegaremos senhorita Samantha".Que modos,pensei.Lestat sabia e de modo
insensato agiu com transfigurar de ato.

Durante todo trajeto me envolvi em reflexão,Ellenos não saia de minha mente,pensava nele e o perfume dele ainda jazia em mim"Quer
ser,que ser! Um ser bestial entanto".Tive que admitir para mim mesma.Lembro de ao vislumbrar minha casa ao perceber que a limosine
subia a Rua Central de Athena,senti medo.

Senti a presença de Lestat de longe,e isso fez-me tremer."Algo acontece,mas o que?".Ouvi os latidos de meu cão,ele que sem duvida a
ser bem cuidado,tinha idade.Sai rapidamente e me espantei com o fato de Lestat não vir receber-me.Somente ao entrar com as malas e
fechar o portão e que senti friamente o que acontecia.

Lestat jazia sentado em uma cadeira,me espantei com o lugar que ele havia mandado fazer:Um lindo arranhaceu coberto com flores e ro-
sas,o brilho era encantandor,abaixo da estrutura coberta tinha a linda mesa,ele me olhava,jazia sentado,vestia túnica e sua face toma-
da de alguma dor me espantou.

-Olá querida,desculpe assaltar sua casa,mas e que não tive para onde ir Samantha.Fico feliz que tenha chegado.Creio que deve ter tido
bons momentos em Páris.

O que isso significava? "Creio que os últimos dia foram maravilhosos,mas não creio que foram para você".Como lamentei,sentei-me ao seu
lado."O lugar ficou lindo querido,uma escolha entanto,a cobertura de vidro com tantas flores e rosas encantam".Ele riu,vi que tinha frutas
e me servi,e foi quando ele disse-me.

"Creio que eu não esperava discutir com Thalwa,muito menos envolver-me em uma turbulenta discussão".Eu pensei."A respeito do que?".
O choro dele foi imediato,o rubor em vosso olhar também."Ellenos...Eu quero fazer parte da vida dele,não me importo com Lucy e Lilith.
Eu apenas me importo com a situação de Ellenos,somente isso".Compreendi,pude beijar seu rosto."Lestat,deixe tudo acontecer,Thalwa
a contra gosto jamais o permitiria.

"Mas porque? Porque? E apenas um jovem ser,um jovem começando a entender sua condição".Ele quis chorar,mas segurou-se.A túnica
que usava era linda pela cor branca,os botões de camafeus com vários desenhos em destaque."Pode ficar aqui nas próximas noites,es-
pere tudo isso acabar,tudo se aquietar Lestat".Foi o termino para ele.

Somente podíamos esperar.Ele no quarto me ajudou a guardar as roupas,ajudou-me em cada detalhe.Na noite seguinte o desespero ba-
teu a porta de Thalwa.O fato e que eu ao voltar da biblioteca municipal da Cidade a encontrei com Louis e Sépia falando com Lestat.O fa-
to e que Lestat e Thalwa tinham discutido,o fato e que lamúrias aconteciam e Thalwa tentava dá um basta nisso.

Louis me olhou ao entrar deixando a bolsa com livros sobre a mesa de centro.Lestat jazia sentado na poltrona,as chamas na lareira es-
tavam acesas."Lestat não seja insensato!".Ele olhou furioso para Thalwa,me coloquei atrás de Louis e Sépia quando vi Lestat levantar-
se,encarar Thalwa."Insana! O que me importa se ele será o futuro rei dos seres bestiais,Thalwa!? Não me importo com Lucy,muito me-
nos com Lucy,Aziel! O fato e que me importo com Ellenos Cyrus,e não entende a complexidade disso".Thalwa silencio-se.

Lembro dela sentar-se no sofá,o vestido negro de lã que usava atenuava suas vestes."Maldito momento em que aceitou o convite dela.
Não creio que Lilith foi sensata,alias,nunca foi!".Ela tinha raiva,Sépia e Louis passeava os olhos por Lestat e Thalwa,conforme tudo come-
çava a se formar,Thalwa disse encarando Lestat.

"Não creio como anda acontecendo,de Marius,a todos os anciões quererem distância! Sabe que se atrever a ir lá,Marius o iria buscar na
compainha de Lunnes,pessoalmente".Lestat se angustiou,a túnica vermelha que ele usava emanava sua aura.Louis que trajava calça e
bota justa com camisa de seda em cor branca,pode falar."Eu sei do que Marius e capaz,fica frio Lestat".Sépia sequer ousava falar.

Seu lamento brotava de seus olhos violetas.A saia curta que ela usava,a camiseta clarinha,a sandália,tudo isso a exaltava."Não vou,eu
quero e vou ficar aqui! Se me repreendem,se me proíbem de ver a qualquer ser que eu ame,prefiro a solidão,vão embora!".Thalwa pode
falar,ser imediata."Gabrielle,todos o esperam na Ilha,não posso chegar lá sem mãos vazias depois da decisão que eles tomaram".Lestat
finalmente desabou.

O choro foi seco,Louis não evitando aproximou-se."Venha conosco,basta Lestat,basta...Não creio que poderia evitar de olhar para cada
um deles,não creio nisso".Pobre Lestat.O fato e que ele estava abatido,tomado.Louis e Sépia foram aptos o bastante para encorajá-lo a
ir.Thalwa olhou-me."Samantha? Creia que nada disso deve escapar a Vitória Regia,ela não sabe,creio,eu".Hum...Tentei silenciar-me.

Vi a porta fechar-se e sozinha subi para o quarto,sinceramente a dor foi fatal.Deitei na cama olhando o teto."Parece que isso tudo está
sendo pior para Lestat do que para mim,o que eles pensam? Céus".Solidão,todos esses detalhes emanando na noite.De pé olhando o jar-
dim na calada da noite pensei em Khayman.Sem duvida de que estaria lá.Distancia,era essa a dolorosa decisão que todos preferiram to-
mar,mesmo Ellenos Cyrus tento uma rígida patente de sangue para com Lestat e Lunnes.Terríveis pensamentos me vieram a mente.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 66

Mensagem  Ana Nery em Ter 14 Jun - 14:17:37

***Continuando***

O fato e que durante os próximos dias na ausência de Thalwa e Lestat na Cidade de Athena,me deparei tomada por sentimentos
crueis,até mesmo frios a respeito de tudo isso.A minha existência conforme tudo acontecia se tornava terrível.Nem meso a rápida
visita de Vitória foi o bastante.

Ela que veio passar uma noite maravilhosa comigo,mas eu sabia que o que tinha em meta era continuar.Tive que envolver-me em
uma profunda sensação,o fato e que meus compromissos me assolavam,me tomavam com a plenitude com que eu devia seguir a-
pesar do receio de ter acontecido algo terrível com Lestat.

Ele mantinha-se na Ilha,todos mantinham-se na Ilha,Lestat não ia sair de lá sem uma resposta,sem uma posição firme de todos os
bebedores de sangue importantes digamos,assim.A sutileza e que eu continuava,envolvia-me a cada momento com meus compro-
missos.

Imaginava detalhadamente o que acontecia na Ilha,até mesmo o que Ellenos fazia nesse tempo junto de Lucy e Lilith.A cada dia e
noite sozinha na Cidade de Athena eu tive a certeza de que a decisão havia sido séria.Algo muito sério acontecia no mundo dos be-
bedores de sangue,até mesmo dos seres bestiais.

Mesmo assim eu mantinha-me firme,controlada para no momento certo,eu saber de tudo,tudo.Preparações e respostas,estudos e
compromissos,somente isso no decorrer desses dias terríveis,me importou.Só que alguém precisava dar-me uma resposta e esse al=
guem veio em um momento inoportuno.Soube por boca de Vitória na noite anterior,que Lestat e Thalwa tinham chegado.

'Lestat quis suicidar-se,digamos que ele ficou ensolado na Ilha por justa causa.Marius desferiu uma surra em Lestat'.Tenso,mas até
o momento,tudo isso me era lembrado.Sozinha nessa noite seguinte tenebrosa eu escrevia no Laptop,eu estava terminando de con-
cluir uma pesquisa importante para eventual trabalho estudantil.

Tudo acontecia rápido e agir tinha sido a melhor decisão para mim.Eu olhava a tela,estava terminando e parece que foi destino jus-
to nesse momento minha pessoa sentir a terrível presença de alguém."Hum...Infernos".Pensei que era Lestat e arquivando todo o
meu estudo já concluído,desliguei o laptop.O deixei sobre a mesa na varanda.

A chuva caia fina a essa altura da noite,gostava da sensação que meu vestido de lã-fina dava-me,a cor cinza tinha sido escolhido a
dedo."Lestat será mesmo que foi sensato vir? Eu ia visitá-lo".Tinha errado o alvo,ao deparar-me com Ellenos Cyrus me assustei,ele
estava molhado pela chuva.Não muito,mas tinha os cabelos molhados.

-Desculpe! Acho que minha fuga daquele lugar foi-me a melhor decisão.Não uma fuga Samantha,mas um escape.Por favor não me
considere um louco.

"Como,como assim Ellenos? Céus olhe para você! Que loucura! Poderia ter esbarrado com Thalwa,quem sabe Ardônis e ser queima-
do".Ele riu secamente ao ver-me descer.Tirou as luvas justas nas mãos,o longo casaco,pensava silencioso,e pude perceber a lou-
cura com que tinha passado nas últimas noites.

"Eu tento Samantha,mas está sendo difícil.O que fara de mim? Matar-me friamente com vossos sentimentos?".Céus,o olhava aflita.
Não sabia o que fazer."De graças que nem Thalwa ou Ardônis o viu,nem um deles,céus,voltaram ontem a Cidade".Ele compreendeu
ao ajudá-lo a dobras as peças de roupas e colocá-las sobre a poltrona."Samantha? Vim aqui escondido,uma viagem de duas noites
terríveis a pé,vim para saber,saber".Lamentei.

"Ellenos o fato e que eles tomaram uma decisão a seu respeito,o fato e que nem Lestat o amando,do jeito que o ama pode falar.Tu
entende isso?".Ele segurou-me pelo braço,olhou-me friamente."Fica comigo,ao menos essa noite,fica comigo,e poderei suportar to-
da essa conspiração contra mim".Não entendi de imediato,mas doía,o modo como ele segurava meu braço,doía.

"Diga que me ama Samantha,que pode esquecer Khayman,prometo que a farei esquecer Khyaman".Terrível,terrível.Como lamentei
vê-lo desesperado."Não seja injusto comigo!".Pedi clamando.O fato e que correspondi a seus beijos,o fato e que me vi o beijando,o
fato e senti seu fervo de sentimento puro e verdadeiro."Sobe!".Disse ele aos meus ouvidos.

Segui pela escada com ele atrás de mim,pensava,a quietude da noite me ajudou a repensar em tudo."Eu disse que a farei esquecer
Khayman...O que pode oferecer além de um mero amor? Diz! Ele pode?".Bramiu empurrando-me contra a cama,tive medo."Vamos,a
minha palavra e dita,ele pode?".O olhei seca,tomava de temor,mas amor pela sua ousadia.

Ele corria perigo e tinha que agir."Me ama mesmo? Me ama Ellenois?".Ele olhou-me seriamente,segurou-me pelos ombros a fazer-me
levantar."Sou homem Samantha,entenda isso.Um homem-bestial,mas homem acima de tudo,me responde".Nunca vi um ser tomado
de tamanha ciência do que desejava.

"Loucura".Respondi,a doçura com que segurou-me foi fatal,tomada de sentimento."Infeliz...Graças,graças a todos os espíritos sagra-
dos que passou bem pela fronteira".Ele não respondia,queria me amar,beijar-me,envolver-se."Maliciosa e juro,prometo que amada por
mim Samantha".Vi inocência em seus olhos,o que eu tive em poucos momentos de minha vida.

Ele havia dito e realmente foi como disse.O que me permitiu prosseguir foi sua compaixão.Ele me fez encostar-me sobre a parede
de um modo tão desprovido que foi-me imediato.Ah,céus! Eu clamava,implorava,as luzes apagadas a essa hora,somente o corre-
dor iluminado a ser visto pela brecha da porte semi-fechada.

Eu gemia conforme o calor me atiçava o corpo,até mesmo o perfume dele."Ellenos?".Ele olhou-me,eu jazia encostada na parede o
fitando,ele que dava-me apoio,eu que tinha as pernas curvadas na altura de sua cintura."Disse que vim ciente,basta-me tudo o que
passei por essas noites clamando pelos cantos".Eu ri.

"Ah,sim,maldito".Brami quando senti seus lábios se moverem pelo meu pescoço,atiçava-me ainda mais,e gemi alto quando senti o
maldito agir.Foi ácido me fazendo subir aos céus.Eu tinha meus olhos focados no teto,o fato e que eu era tomada,eu subia aos
céus pelo fato da primeira vez me sentir mulher.

Isso foi assombroso.Eu sentia os beijos de Ellenos,o modo pecaminoso como ele agia silencioso.Os beijos doces,eu que sentia-me
grata por ter sua ação fervorosa.Unidos estávamos e nada me foi tão gratificante quanto isso.Aos poucos conforme os delírios
do ato insano vinha,tenho que admitir que a insensatez foi voraz.

Como eu queria,acho que como toda mulher quer conforme se envolve:Eu que movia as mãos por trás de suas costas,ele que po-
dia manter-me segura,ciente de vi,eu que gozava alto conforme sentia o orgão maldito dentro de mim.Ah! Não esperava,deixava
a compenetração acontecer.

Era bom demais,bom demais poder sentir o calor com que o gozar vinha-me,até do dele.Com o tempo o fato e que que tudo se tor-
nava voraz,os beijos inquietantes."Vamos Ellenos,vamos Ellenos,faz,faz com vontade por favor".E ele permitia-se continuar,nunca
vi ser tão voraz.

O gozo quente dentro de mim que fazia-me gemer mais alto.Encostada,amassada na parede por ele,as pernas curvadas com toda
delicadeza na altura de sua cintura,e ele continuava,me beijava."Ah,céus! Vou morrer.Com vontade,com vontade querido,com mui-
ta vontade".Eu estava a ponto de gritar,gritar! Era bom,maravilhoso.O gozar quente que não saía-me dentre as pernas,isso era pa-
ra morrer aos poucos.

Sentia a mão dele mover-se por minhas pernas enquanto continuávamos,o ritmo era forte a provocar-me certa dor vital.Quando
finalmente movi o rosto pro alto gritei,Ellenos tornou-se estático."Bom,creio que também o ame meu querido,creio que também o
ame".Eu não acreditei quando movi os olhos em direção a porta,Ellenos que desesperado,afoito,beijava meus ombros,o colo dos
meus seios devido ao meu vestido amassado.

'O que acontece aqui'.Meu coração tremeu,Ellenos ainda tinha-me sobre a parede,eu que ainda tentava esquecer o calor de todo
ato.'Infelizidade'.Pensei.Era Lestat,ele que olhávamos naquela situação trágica.Lestat saiu,vi quando ele silencioso como gato saiu.
Olhei estática para Ellenos.

"Acho que temos um problema a resolver".Ele não compreendeu de imediato,sua face corada era o recado do quão dopado ele es-
tava."Eu te amo também,não posso sair daqui,não agora'.Fechei a porta na chave,tive que confiar pela 1° vez na loucura insensa-
ta de Lestat que sem duvida jazia na sala ou jardim.

Na cama pude continuar,ser mais atiçada pelos amores e atos de amor com Ellenos.Era bom,bom atiçar-me.Ele fazia meu corpo fer-
ver.Somente agora e que a quietude da noite vinha,me tomava.Eu queimava conforme olhava-o,conforme o beijava a jazer naque-
la cama maldita.

'Acertos e erros,pode-se dizer que,sim'.Pensei conforme o tempo passava-se,tudo se tornava quieto.Não sei quantas vezes o go-
zar me foi repreendido,mas foram muitas,muitas vezes.Lamentei pelo Ellenos ao londo do tempo.Eu que deparei-me com ele em es-
tato catatônico para depois dormir.

Ele dormiu silencioso,dormiu em meu leito acolhido por mim.'Estou aqui Samantha,vai mesmo ignorar minha presença?'.Tremi nesse
momento em que Lestat emanou recado mental.Procurei a camisola mais próxima que tinha.A vesti rapidamente."Infelizidade".Bra-
mi.Olhei para Ellenos e resolvi deixá-lo sozinho.

Fechei a porta na chave por fora ao sair.Acho que a sutileza de Lestat não estava controlada nesse momento."Desde quando ele
está aqui? Sua pecaminosa!".Brami."Para! Ele veio sozinho,chegou hoje! Se não pode ir contra a eles,eu vou! Idiota!".Foi um mo-
mento entanto.

Discutimos por vários minutos até que Lestat decidiu subir.O fato e que ele tinha decido que faria disso um segredo,deixaria passar
até que tudo se acalmasse.Ellenos desceu vestido de túnica,Lestat o empurrou para meu lado."Fica aqui! Não sai daqui Ellenos! Eu
quero que saia seguro daqui amanhá a noite".Assustador.

"Amanhã a noite?".Piedade Ellenos pedia,quando corremos ao jardim,vimos Lestat nos olhar transtornado."Sai amanhã a noite,vol-
ta! Não seria erroneo,correto?".Que pavor,pensei.Mas sem duvida foi decidido e logo Ellenos se insolou no porão debaixo da biblio-
teca.O que me tomou de medo foi como ele iria sair da Cidade.

Passei o dia todo em casa.Não ia sair até ter certeza.De noite ao está jantando não demorou até que Lestat aparecesse.Ele que o-
lhou para cada um de nos."Agradeça,acho que esconde sua presença com tamanha perfeição que fico espantado".Maldito.Na sala
estava decidido.

Lestat olhava para Ellenos que não tinha tirado sua túnica,Lestat parecia-me um martim ao ter escolhido uma calça jeans justa em
tom azul,bota curta e camisa branca."Vamos,posso levá-lo,mas somente até a fronteira de Athena,passou daquele lugar e terá que
se virar sozinho Ellenos".Ellenos olhou-me de lado.

Segurou minha mão a beijando."Ah...Nosso deleite acabou,infelizmente".Que rancoroso."Tenha calma Samantha,acalma vosso cora-
ção,lembre-se do que disse".Mantive-me silenciosa.Somente quando viu Ellenos ir esperá-lo no jardim e que vi a fúria com que Lestat
agarrou-me pelo braço.

"Pecaminosa és Samantha,temo,temo que algo terrível aconteça.Diz maldita:Pode prever se algum incesto jaz em seu ventre?".O vi
com repulsa,o indaguei com raiva."Não te importa! Não lhe interessa!".E ele saiu em direção ao jardim,o segui."Ellenos! Sabe como a-
gir,confie".Ellenos olhou-me amargamente,seus olhos verdes passeando por mim,o vento movendo seus cabelos negros.

"Lembre-se do que eu disse Samantha".Compreendi,e não demorou para Lestat agarrar Ellenos pelo braço."Samantha! Me chame e
saberei como vir ou tu encontrar-me".Pobre Ellenos,era puxado a força por Lestat,bramia de dor."Não se esqueça Samantha".Céus.
A sutileza e certa,prevista.Desse modo me deparei envolta em pensamento.Chorei no quarto sozinha,mas passaria.

Sem duvida de que Lestat deixaria Ellenos em uma fronteira segura na Cidade de Athena,mas a marca que tudo isso causou-me era
destruidora.Ellenos havia enlouquecido,perdido sua razão.O prazer e desprazer de nossas decisões e que sofremos com ela.Era isso
que tinha acontecido,mas eu vivia,sobrevivia.Musica aos ventos perante o trágico dançar.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 67

Mensagem  Ana Nery em Qua 15 Jun - 12:56:05

***Continuando***

Acho que o fato de minha pessoa poder prevalecer tinha sido o mais sensato a fazer.Nem sempre ao constituirmos pensamentos,e garantia
de que possamos entender. Era isso que tinha acontecido,e ao passar do tempo em minhas reflexões desejei esvair-me em algum desprazer
esperado.

Enquanto Lestat se mantinha fora,eu decidi tomar banho,depois de tudo,era o que eu necessitava para deixar predominar qualquer acalanto
de algum futuro próximo. Tinha sido maravilhoso está no meu quarto,fechar a porta,envolver-me na privacidade em que eu desejava jazer.
Despi-me com delicadeza,deixei a roupa suja no gesto.

O fato e que Ellenos tinha ido embora,havia sido enjotado de meu leito por Lestat,e agora,em suma! Ele tinha que sofrer as conseguências.
No banheiro abri a torneira da banheira,vi a toalha macia no apoio.Despia no banheiro pensava,escovava meus cabelos necessitada de uma
renovação.

Pensava em cada detalhe com que eu devia aprovar,pensar,gratificar-me."Ellenos que loucura fizes-te irmão? Em que loucura vossa pessoa
envolveu-se?".Nada de temor encheu-me a alma,nada.Olhei-me no espelho depois de pousar a escova no balcão da pia,piamente desejei
destruir-me.Tive noção do quanto eu havia mudado ao londo dos anos.

Isso tudo me destruia,mas eu resistia. Finalmente preparei-me para jazer na banheira,e não demorou até eu relaxar,fechar os olhos pensan-
do no que acontecia."Ah,céus...Que loucura Ellenos,és louco".Brami pensativa olhando o nada.Era se como as coisas se tranformassem e a
contra gosto,eu fosse forçada a amadurecer.

Pensei friamente na loucura de Ellenos,o quanto ele tinha se cansado ao vir a pé,mas sem duvida de que os seres bestias tem uma imensa
resistência em relação ao corpo,são seres que conseguem andar distâncias imensas a pé."Ah,Ellenos...O que será de ti meu querido?".E ao
permanecer no banho me banhava,era bom sentir o vapor da água morna subir causando relaxamento.

-Eu sei que ele estará bem,eu sei.Foi uma loucura e claro,mas sem duvida de que não vai se repetir.Pobre Ellenos,ele tem a esperança de
tirar Khayman de minha mente.

Eu ri,passeava a esponja de banho sobre meu braço em movimentos circulares,apreciando pensei em quantas vezes ao longo do ato maldi-
to,Ellenos tinha expelido seu gozar dentro de mim,isso fez-me rir,rir dos modos desesperados dele,mas passaria,iria passar.Passou-se a hora
e graças que arruimei-me após sair do banho.

Limpa,intacta,de certo modo começando a juntar os cacos de vido de todos os sentimentos destruídos pela ação de Lestat.No quarto olhei o
que tinha disponível,e isso fez-me feliz:Escolhi uma camisola vermelha-vinho,a renda sobre o busto dos seios me foi trágico.Emanava algo
do que eu sentia.O tom remetia a cor do sangue,só que sangue morto devido a tonalidade escura do vermelho.

Ouvi alguém gritar,não demorou e olhando da varanda,vi que era Lestat chegando."Entra,o que espera Lestat?".Vi seu riso,mas ele haveria
de pensar.Não demorando escovei meus cabelos,desci rapidamente pensantiva.Na sala o vi sentado na linda poltrona,ele pensava,havia to-
mado as redeas da situação,porém,disse-me ao ver-me sentar.

"Creio que Ellenos Cyrus chegará bem,fique calma Samantha,fique calma...O deixei em segurança na fronteira,depois que isso aconteceu,a
minha pessoa sabe que será difícil algum bebedor de sangue deparar-se com ele no caminho,serão duas longas noites em viagem".O olhei.
O meu temor ao menos passava,porém,não a dor.

"Por que seu desespero Lestat?".Ele pensou,deixou-se atenuar ao mover seus olhos em detalhes por mim."Temo que não saiba como pros-
seguir a respeito dessa situação".Compreendi,e isso assustou-me."Samantha eu temo o perigo,Ellenos mesmo se desenvolvendo ainda não
tem sua força plena,compreende isso? Ellenos ainda está alcançando a força que nasceu para ter".Respirei fundo,tinha as mãos pousadas ao
colo.

"Sim,continue".Ele levantou-se abaixando-se a minha frente,segurando firme minhas mãos pode desabafar."Compreendo a loucura dele,a
sua loucura,mas não creio que colherás bons frutos dessa situação.Não sabe amar Samantha,você não sabe amar".Me espantei com suas
palavras,e isso tomou-me o coração."Não sei amar?".Ele sentou-se ao meu lado afagando meus cabelos."Não esqueça de sua natureza.A
vossa pessoa e tão bruxa quanto qualquer uma de nossa família,não creio que alguma humanidade perante vossa condição reste".Ele sa-
bia.

Ouvimos barulhos e logo percebemos que se tratava de Thalwa e Gabrielle,as duas foram vistas entrando delicadamente e como senti-me
alíviada em Ellenos não está,Lestat o ter deixado seguro."Estavamos a sua espera,não creio que isso passará envão Lestat".Ele olhou em
analise."Ah,sim...Quais motivos de vocês aparecerem desesperadas?".Gabrielle andou a frente,ela usava saia longa em cor vermelha,sua
camiseta negra de algodão macio atenuava seus seios fartos.

A sandália então no mesmo tom da camiseta,se destacava."Pare com isso,temos algumas coisas a resolver,não creio que possamos espe-
rar".Pelo visto elas temiam que alguma Arpia aparecesse,mas não,não agora,pensei.Thalwa usava um vestido de cor azul-marinho,a lã fi-
na me encantou."Tenha calma Gabrielle,não creio que Samantha esteja tranquila".Gabrielle olhou-me.

"Como assim?".Nada respondi,desejei manter-me tranquila quanto a tudo,apenas temi que Thalwa percebesse algo e com isso entrasse em
algum processo questionador."Precisamos ir,vaís mesmo ficar aqui Lestat?".Thalwa o indagou."Creio que Samantha deva está muito bem".
A frieza dela sempre causou-me medo,imenso medo.

Lestat beijou meu rosto,quis chorar e chorei ao vê-lo levantar-se."Tome cuidado minha querida,dessa vez nada de grave aconteceu,mas eu
creio que és frágil demais para jazer nesses problemas".O fato de Gabrielle pedir licença a olhar-me foi trágico,quis fugir."Não creio que este-
ja com paciência para conversarmos,correto?".Eu amargamente."Em outra noite querida,seria mais própicio.".Ela compreendeu e não demo-
rou para eles se retirarem.

A porta fechou-se e acabei por deitar-me de lado no imenso sofá,tinha a cabeça pousada em uma das macias almofadas.Pensei friamente e
isso deixou-me tomada de receio.Aterrador,eu sei,mesmo assim,necessário.Eu não sentia nada,e se não sentia,e que tudo estava bem comi-
go.Somente desse modo e que pude começar a repor minhas energias.

Congratulo-me a dizer que os dias seguintes foram terríveis,e como! Envolvi-me em momentos complicados,não compreendi com toda exati-
dão os motivos de minha pessoa jazer nesse estado,muito menos senti o que estava por vir,acontecer.A passagem do tempo se tornou surre-
al para minha pessoa.

Compromissos,tudo isso me foi necessário para esquecer Khayman,a loucura de Ellenos Cyrus,que a essa altura do tempo sem duvida de que
recomponha seus sentimentos ou até mesmo compromissos.O que aconteceu e que os dias passavam,os compromissos me envolviam como
se fosse uma especie de conforto ou droga que me dopava do sofrimento.

Uma noite antes de Lestat aparecer,lembro de ter tido pesadelos,pesadelos terríveis ao está dormindo,a chuva torrencial tomando toda Cida-
de de Athena.O que acontecia? Não sabia,céus,eu não sabia! Ao longo dos dias e semanas me sentia cansada,sem energias,sem nada com
o que esperar fazer,realizar.Abri meus olhos,e isso me tomou.

"Ah...Eu,eu não estou bem,eu sei que não estou".Sentia meu corpo pesar,tudo isso fez-me chorar ao sentar a beira da cama,sentia calor,mas
sabia que ia passar.Olhei a varanda,os relâmpagos e raios cortando os céus de Athena."Lestat quero sua presença querido,faz algumas noites
que tu não vens ao meu encontro".Será que ele me ouvia? Eu estava mal,era como está doente! Podem imaginar!?

Na noite seguinte ao está jantando,ele veio,veio ver-me,e como sofri ao vê-lo entrar na cozinha.O olhei sequida."Samantha? Não creio que a
minha demora em vir,a tenha agradado".Eu ri o vendo sentar-se a mesa perante mim,limpei a boca com quardanapo."Nada meu amor,nada,a
Samantha estava apenas alimentando-se,ando comendo muito ultimamente".Ele arqueou a sobrancelha.

"Algum sinal das arpias?".Ele respondeu preocupado."Hum...Algumas foram ao encontro de Marius,acredite".Terrível pensar nisso.Ainda bem
que eu havia me trocado,escolhido uma longa túnica de algodão de cor clarinha,eu necessitava sentir-me confortável,sem duvida de que sentia
meu corpo e mente pesar,muito desgastante.

"Olhe para você,e como está sendo sugada Samantha".Que coisa,não e? Arrependimentos,tristezas,tudo isso junto havia me detonado,mas o
fato e que eu não estava bem,e quando finalmente terminei de comer e fui em direção a sala após arrumar a cozinha,Lestat pode sentir no ar a
doença me tomar,isso e! O que ele pensava,o que eu pensava.

"Não creio que essas noites frias,até mesmo seus compromissos a tenham feito bem".Bramiu ajudando-me a senta-me na poltrona."Não vai de-
morar,odeio saber que coisas convencionais as vezes são necessárias".Eu ri,sentia meu corpo quente,cansado.Não demorou e choquei quando o
maldito falou com algum médico dsponível na Cidade,e tudo isso tomou-me,deixou-me pior do que estava.

Desligando sentou-se no sofá,pensou."Samantha...Sabia que e bom ter uma humana pra cuidar? Da-me trabalho pequena menina-mulher,um
dia isso vai acabar".Ri secamente.Ele estava lindo ao vestir calça jeans-negra justa,o pá de bota pesada pra noite e frio lhe dando conforto,eu
me perdi na camisa de seda,as longas mangas com botões negros na altura do pulso.Que requinte,céus.

Não demorou ao ouvirmos a campainha tocar enquanto conversavámos,ele levantouse.Odiei me direcionar ao quarto,tudo isso.Lestat tinha-me
empurrado a pulso junto do médico pro quarto.O fato e que odiava,e isso Lestat não entendeu com perfeição.Ele ficou espreitando ao está de pé
no vão da porta do quarto,braços cruzados.

Aos poucos os exames se tornaram mais minusiosos e quanto o médido abriu minha túnica a frente desabotoando os botões disse algo que me
assustou."Samantha? Preciso tirar uma duvida,imensa duvida".O que ele queria dizer? Pensei temerosa,olhos esbugalhados.A compaixão foi
provana.Odiava ser invadida em minha intimidade,e Lestat quase voou por cima do medico que agia.

Não pedia tempo.Ter que me encostar contra o espelho da cama e ser tocada pelo médico foi hediondo.Em minutos ele tirou as luvas,pode res-
pirar,tirando os óculos bramiu alguma coisa."Bem,pelo fato dessa depressão a tomar,até mesmo ter ceios inchados,tudo isso,me seria e foi sen-
sato".Lestat andou a frente,fitou o médito tirando e dobrando seu jaleco.

"O que quer dizer?".O homem riu,pode responder."Nada,apenas acho que em breve a família ganhará um novo membro".Há!? Gelei,Lestat pe-
trificado olhou-me.Não demorando pode levar o médido até o jardim,voltando viu-me."Céus...Desde quando?".Nem eu sabia! Como encarar a
situação?

Pensei por alguns instantes quando Lestat sentou-se ao meu lado,viu-me chorosa."Preciso de uma resposta Samantha".Infelizidade."Apenas
creio que Ellenos foi voraz,penso por ai".Lestat petrificiou-se ainda mais.Ainda pensava,pensava friamente.Tão friamente que nada pude ler
em sua mente,nada.Crueza vindo de mim e dele,e creio que eu estava com um imenso problema em mãos.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 68

Mensagem  Ana Nery em Qua 15 Jun - 14:15:52

***Continuando***

Não demorou e graças que pude me recompor,ajeitar-me ao abotoar os botões da tunica,Lestat me fitava sentado a beira da cama,eu jazia de pé
a pensar,encara-lo."Não creio que eu preciso de sua ajuda,pode deixar Lestat,eu me viro quanto a isso".Ele continuava petrificado."Samantha não
pense tão rápido assim,Samantha?".

"Esqueça,isso não e problema seu,correto? Para que se preocupar? A criança e minha,quem irá cuidar dessa criança além de mim?".Ele moveu o
rosto,levantando disse."És idiota,patética! A bestialidade toma conta do sangue dessa crianla,e filho de Ellenos,o que esperava?".Eu ri secamente.
"Não seja idiota então,não e garantido que será um ser bestial".Ele olhou-me.

"Como assim? Explica".Eu ri secamente ao direcionar-me ao corredor."Não entende de genética,não e? Quando Darytha fez o que fez com nossa
maldita Kalawina,acho que o DNA do sangue bestial consumou-se,mas esquecemos do fato dela ter sido humana,quem sabe o filho de Kalawina
com Dratha pudesse ter nacido humano,como ela?".Ele irritou-se.

Seguiu-me até a sala."Samantha não seja tola,nãos eja tola".Sem duvida de que minha pessoa foi tomada por algo,não queria livrar-me do que
eu tinha dentro de mim,muito menos dá justificativas a Marius,Lunnes,Thalwa,a muitos deles."Pobre de mim,isso,sim,Lestat".Ele não entendia,ele
muito menos compreendia.

"Samantha posso dá um jeito,sabe disso".O olhei secamente,ele andava na minha frente angustiado."Seria sensato eu levá-la para morar longe
da Cidade de Athena,quem sabe em algum Páis".Tensa decisão,foi isso o que pensei."Há? Sério? Acha mesmo que desejo livrar-me de tudo? O
que devo fazer? Ceder a vonta deles?".Ele parou olhando-me.

"Será difícil,mas creio que eu possa manter Thalwa e Gabrielle afastadas,quem sabe Louis".O encarava."Hum...E depois?".Disse pondo-me de pé.
"E depois? Hum...Seria sensato entregar-me a criança,a levaria em segredo para entregar a Lucy e Lilith".Infeliz pensei,infeliz o considerei,dei-me
a chorar silenciosa ao sentar-me novamente.

"Samantha e sensato,e o máximo que posso fazer por ti sem lhe prejudicar,sem nos prejudicar".Isensato pensei cheia de rancor.Somente quando
ele se despediu,e que disse-me no jardim."Eu te amo querida,e juro que farei de tudo a proteger-te até dá a luz a criança,apartir do momento que
Lilith e Lucy estiverem com ela,será difícil Thalwa ou anciões falarem algo".E friamente compreendi.

O vi silenciosa sair pelo portão,sentei-me a beira do chafariz que derramava suas águas."Ah,céus...A crueldade e sensata?".Brami sozinha ao mo-
ver minha mão na altura do meu ventre,senti a pequena saliência dura."Que maldito Ellenos,foi voraz e não esperou".Havia sentido tudo,menos
a semente sendo extraida de dentro dele para dentro de mim,agindo para consumar o que jazia dentro de meu ser.

"Maldito és,ai de mim,ai de mim".Brami rancorosa.Não ia demorar e sem duvida de que as coisas haviam sido decididas:Lestat de algum modo re-
solveu se arriscar,e isso provocava temor em minha pessoa,imenso temor.Será que passaria? Eu não sabia,sequer sentia,somente começava a pre-
parar meu ser para o que acontecia.

Somente me senti melhor quando Lestat apareceu,eu que jazia no jardim colhendo rosas e flores,tinha uma cesta no braço."Fique calma,creia
que deve ser assim".Ele disse ao entrarmos na sala,vislumbrar minha pessoa indo para cozinha."Lestat,quais garantias? Diga! Quais garantias?".
Ele pensou."Lucy e Lilith vão saber o que fazer".Engoli em seco e tudo isso secava-me por dentro.

Eu não esperava por isso,ele estava mesmo decidido e somente percebi seu momento de fraqueza quando entramos no meu quarto."Será o
melhor a fazer Samantha,e quando disse que Thalwa e Gabrielle não devem vir nos próximos meses,dei a justificativa de que vossa pessoa
precisa está consigo mesma,está menos irritada".Oh! Isso espantou-me.

Mesmo assim eu tinha meu coração aflíto,tomado de rancor.Não que a sutileza fosse provada,mesmo assim,a necessidade era clara.Jamais o
recanto estava prepado."Tudo bem,tudo bem".Brami ao ir em direção a varanda,o olhei de lado ao colocar-se ao meu lado,o que sem duvida
o fez retomar a ordem."Posso ser maldito,mas não creio que mesmo,meu sangue tenha se tornado tão maldito,eu deva renegá-lo".Isso foi a
consumação do que ele tinha decidido.

Antes de ir ele abaixou-se,pode desferir algums beijos salientes na altura de meu ventre."Se acha mesmo que essa criança pode nascer huma-
na,seria sua vitória".Eu ri amargamente.O vi afastar-se."Hum...Pode ser que,sim,e o que muitos genetissistas chamam de DNA latente".Isso
o fez pensar,retomar a ordem de seus pensamentos.

Fiquei sozinha no quarto,fiquei sozinha repensando em tudo o que devia pensar.Me deparei em pensamento trevorosos.Não creio que o modo
pecaminoso como tudo acontecia,me fazia plena.Eu somente não sabia a onde tudo isso iria dar,quem sabe ter um fim consumado,tomado de
uma restauração inevitável.

Creio que o modo como deite-me na cama,como deparei-me envolta em minha quietude,foi a motivação para manter-me tranquila,apesar de
tudo eu teria que continuar,correto? Tinha que salientar cada detalhe de minhas futuras ações.Foi assim que pensei olhando o teto,que entrei
em um estado de liturgia,literal visão.

"Eu vou conseguir,preciso conseguir,não sei qual o futuro dessa criança,mas eu preciso conseguir,pressentir o que farei".Rancoroso,eu sei,com o
rubor de tais sentimentos mantive-me ciente.O vento que entrava pela varanda me serviu como afago,um tipo de conforto final para que eu
mantesse meu controle.

O que acontecia e que eu começava a organzar-me com crueza,fixação,virei-me sobre a cama,e o modo como deparei-me em transe foi assus-
tador.Primeiro foi o lapso de conexão,depois a latente fixação da visão que se formava conforme eu fechava os olhos. Será mesmo que isso era
possível?

Em angustia movi a mão a frente de meus seios,pude sentir o modo como jaziam quentes,mornos,inchados devido ao leite.Será mesmo que
eu iria conseguir? Não sabia e tudo isso me era frustante,e pela 1° vez eu pude sentir,sentir como a imagem me veio tão perfeita,tomada de
detalhes mentais nitidos.

Pude sentir a escassa presença daquele ser dentro de mim,e isso me fez pousar a mão sobre minha barriga,o modo como a movi foi imedia-
to.Eu enchergava em transe com olhos fechados,a teia de nervos,sangue,tudo isso,as veias com sangue pulsando,e por fim o feto ainda tão
pequeno,mas nitido como imagem cristalina.

Era como morrer lentamente,e pela 1° vez creiam que eu não sabia o que fazer de minha existência,apenas desejava nesse momento está so-
zinha,tomada de cosntante pensamento e decisão.Ah,céus,como,como eu iria viver? Tudo estava traçado,decidido por Lestat,mas creio eu que
a constante mudança a cada noite me era tão perverza.

Ou quem sabe constrante,correto? Foi com duas semanas após esse momento que quase me arrancaram a alma: Eu estava cochilando de-
baixo de uma das arvores do jardim,céus,e como eu me sentia tomada de paz,a paz que eu sofri para consquitar nos ultimos dias e noites de
tormento.

Quem sabe se eu não o tivesse feito,resolvido sair,eu teria escapado das garras de Kalawina.Acordei tomada pela presença dela,ela que olha-
va para mim sentada ao meu lado sobre o gramado do jardim,vi quando meu cão latiu.Eu apenas havia decido relexar depois de longos compro
missos e me deparei com essa cena.

Vi quando Thalwa e Lestat moveram-se por trás dela,estava bom para ser verdade,pensei."Desculpe,mas creio que vir a Cidade em visita a
Lestat e me deparar com isso,não poderia ter sido melhor".Me sentei,ela bramiu algumas coisas ao levantar-se e juntar-se a Thalwa.O que se
passava na mente de Kalawina.

Somente a olhava falar com Thalwa,o modo triste com que Lestat olhou-me foi assustador."O que,o que acontece aqui? Isso e uma invasão
e creio eu,que não me agrado".Me senti tonta ao levantar-se,tonta como o nada.Kalawima tinha vindo a Cidade e pegará Lestat despreveni-
do,pude sentir quando ele segurou-me por trás temendo que eu caisse.

Era uma monstruosa força agindo dentro de mim,atuando invisivelmente como láminas espioatórias."E isso mesmo Thalwa,creio eu que não
tenho mais duvida".Kalawina andou a frente,seus cabelos ruivos soltos me causaram arrepios,até mesmo o vestido verde atenuando-se a suas
curvas femininas,pés descalços no momento.

Eu brami coisas a Thalwa quando ela andou a frente."Para! Nada do que e meu pertence a vocês! Não sejam crueis! Não disse que tudo isso
seria sensato!".Eu queria fugir,ouvi o pedido desesperado de Lestat ao segurar-me por trás."Seja sensata Thalwa...Eu disse! Céus! Ia,sim,levar
a criança sem saber,isso que faz e insulto Kalawina".Thalwa foi muito infusiva.

"Sai,eu mandei sair...Quardou o segredo tão bem,que se Kalawina não tivesse vindo a Cidade,sem duvida de que eu nunca iria saber".Eu
grite,me debati quando senti Thalwa me puxar para si."Por favor! Eu não pedi por isso,não és minha dona".Bramia,e o modo como ela me
segurava,me causava dor,fez-me gritar.

"Hum...Não me conhece maldita,mas se não o queria,que não o tivesse feito".Maldito momento,o modo como Kalawina colocou-se ao meu
lado foi invassivo."Sou dona,sim,sou dona,já,que tudo se trata de uma continuidade que eu quis iniciar".Eu berrei,ouvi os gemidos de Lestat
ao desabar sentando-se na relva do jardim.

"Não vai demorar,tenha certeza".Kalawima bramiu,eu apaguei,apaguei ao sentir minha cabeça pender pra trás,eu gritava desesperava,era
como láminas invasórias,láminas atuando pelas mãos de Kalawina,ao pousarem sobre meu ventre.Apaguei,apaguei com toda dor que eu
sentia.Não compreendia,muito menos acreditava.

Nada mais pude ver depois de tanta dor,imensa dor.Somente senti algo quente saindo de dentro de mim,a atuação espectral emanando das
mãos de Kalawina conforme eu perdia a mente.Nada mais.Nada mais.Acordei no quarto,acordei depois de muito tempo envolta nesse estado
letargico.Ouvia bramidos.

"Ela acorda,mas ao menos sobreviveu".O que ela falava? Ouvia Kalawina falar com Lestat,ele que falava tomado de angustia,choro.Será
que eu ouvia coisas.Eu jazia na cama vestida com uma túnica limpa de cor negra,um coberto jazia sobre mim.Eu estava tonta,sentia dor em
meu corpo,principalmente sobre meu ventre.

Eu esmurecia,eu gemi de dor ao sentir as lágrimas me sairem dos olhos.Thalwa não estava,pude sentir."Sobreviveu bem Samantha".Ela
disse-me ao andar sobre a borda da cama,Lestat sequer falava,estava petrificado demais para falar,sentia-se derrotado,o ser trajado de ne-
gro essa noite.Pena que não percebi esses detalhes naquele momento.

Somente quando ela sentou eu vi o que não esperava ver,o vidro tampaco e lacrado,transparente.Eu gritei deixando o grito ecoar pelo quar-
to.O feto boiava na mistura de formou."Malditos! Mil vezes malditos!".Levantei berrando,senti Lestat me segurar,queria sair,sentia-me apavo-
rada."Samantha!".Bastaba,bastava!

"Não esqueça Lestat! Da próxima vez nem eu sei se Thalwa o perdoara".kalawina disse antes de sair pelo corredor,eu berrava,somente sen-
tia o choro vir,Lestat me segurava,temia."Ah,céus! Ah,céus!".Berrava,meus gritos ecoando pelo corredor,quarto,toda casa enquanto Lestat me
segurava."Não fique assim,vai passar,vai passar".Dizia ele em seu pranto ao segurar-me temendo que eu me descontrolasse de vez.

Esse foi o pior momento de minha vida.Meu filho suportado de mim,tirado de mim com navalhas de trevas,como se tivesse sido considera-
do o nada.Eu jamais me esquecerei.Somente sei que depois me custou caro Lestat deixat-me no quarto,ele levar o vidro até a biblioteca.O
meu pavor me fazia descontrolar.Eu sentada esperando ele voltar,eu jazendo nesse momento.Terrível,terrível.E algo para que possamos
morrer lentamente por dentro.

***Continua***




Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 69

Mensagem  Ana Nery em Qui 16 Jun - 17:27:17

***Continuando***

O que eu não previ havia se tornado realidade,minha pessoa suplantada como se tivesse se tornado o nada.Fiquei pensando enquanto minha
pessoa se envolvia em alguma observação,se eles relevavam meus sentimentos,e me foi perceptível que não.A indagação de tudo o que a-
conteceu se tornava sublime,suplantável.

As redéas de tudo eram aplicadas e retomadas como se somente o que importasse para eles,era sobreviver.Eu emanava lágrimas,lágrimas co-
mo suplantação necessária.E foi nesse momento que me deparei com uma vertente de verdade.'Eles tem medo,imenso medo'.Pensava,todo o
meu respirar continuou,foi continuo.

O momento ideal se tornava surreal,não sei se minha pessoa teria coragem de descer,muito menos se dá de cara com Lestat,mas eu teria que
tomar coragem.Simplesmente me foi algo tão insano que não acreditei quando levantei-me e segui pelo corredor,quando eu prossegui envolta
em minha angustia.

Sentia meu corpo tomado,mesmo assim,eu soube que a conotação seria plena.Quando o vi sentado,pensativo a respeito de tudo,soube que a
vossa tristeza havia sito ferrenha.Ele olhou-me choroso,mas soube que ia passar,eu soube,mesmo assim minha angustia continuava,ainda sen-
tia a necessidade de está sozinha.

E ele disse-me ao ver-me sentar."Não creio que Thalwa tenha tido alguma coragem em ser multua,Samantha,e muito menos creio que a forma
como Kalawina apareceu na Cidade,tenha sido proposital".Era aterrador ouvir,visualizar a vossa pessoa sentada na poltrona,ele que engoliu em
seco seus sentimentos."Prometi que nada lhe aconteria,e falho a respeito disso".Respirei.

Eu mantive-me sentada no sofá,as mãos pousadas em meu colo,eu tinha meus lábios secos,a pele pálida,sentia-me fraca."Lestat? Você clama
por um herdeiro,não creio que eu possa dá-lo".Isso o fez triste,o fez pensar friamente envolto em seus secretos sentimentos."E mesmo?Acha a
contra-gosto que não o fara?".O olhei,pensei friamente.

"Foi parte de mim e não creio que Thalwa tenha se importado".Ele olhou de lado,envolveu-se em apreciar singelo,multuo."Concordo que ela
sempre foi desumana,mas não posso ir contra a patente de culpa que ela tem a respeito de nossa família,foi ela que abriu as portas para que tu-
do isso acontecesse".Ofeguei,respirei.

Ele viu-me levantar,eu ainda tremia."Vai embora,creia que eu não precisarei de sua ajuda por muitas noites,creio que ninguém sabe do que eu
sinto a respeito do fato deu não poder ter tido meu filho".Vingativo,creio eu,mas necessário para com a observação dele,todos os detalhes,e foi
para consumar algo maior.

Ele saiu fechando a porta,não respondeu,muito menos quis puxar mais assunto.Bastava o que eu havia passado,o que me havia sido arracado.
Havia acontecido com Kalawina no passado e aconteceu comigo.Trancafiada no quarto eu chorei sozinha,somente nesse momento e que eu pu-
de suportar cada detalhe.

Eu necessitava dessa solidão,senti dores,e o transe mental a qual envolvi-me me serviu como pretexto para prosseguir,digamos que anestesia.
Olhava a paisagem pela janela,olhava os detalhes insanos com que o vento fazia as cortinas se moverem.Sozinha...Sozinha para que com a dor
cada respaldo de centelha fosse transmutado.

Tive sonhos terríveis,terríveis sonhos.A unica vantagem que eu tive foi o auto-envolvimento com meu próprio espírito.Sequer pensei neles.
Sequer pude vislumbrar qualquer aura com que me irritasse no momento.Lembro plenamente desse momento,do quão adorável foi-me ter
a cada detalhe das nostalgias da dor.

A contaminação era inevitável:Sangue,dor,morcegos,me deparei sonhando com coisas dessa natureza assombrosa,e isso causou-me ascos a
metida de toda continuidade.Eu sabia amar? Novamente essa pergunta me pegava de jeito e minha pessoa desejava morrer lentamente.Eu
queria mesmo sumir,nada mais sentir.

O calor,os raios de calor vieram-me aos poucos e pude sentir por sobre a pele de meu rosto.Eu senti-me pesada,inchada.Será que eu fiz bem
em passar por esse momento? Não sei,nunca saberei,somente sabia que eu estava voltando a mim,e junto disso toda uma natureza tomada
de medidas maravilhosas.

Olhei a paisagem,passaros nos jardim,os cantos vieram-me aos ouvidos.O sol era quente,tomado de algo.Levantei-me sentando-me a beira
da cama por alguns minutos.A natureza de tudo e real? Sim,eus soube que,sim,e foi nesse momento que desejei ir a biblioteca,mantive minha
veste,sentia-me tomada demais para trocar-me.

Eu fui em direção a biblioteca ao entrar no jardim,fui em direção aos fundos,e lá eu entrei,os raios de sol brilhavam na nova manhã.A relva
de cantos dos passaros aconteciam.Eu segui."Será mesmo que ele teve coragem?".Brami andando entre as imensas prateiras.Cada detalhe
dos raios de sol entrando dentre as persianas abertas das janelas,me envolvia em miragens.

Finalmente ao entrar no corredor,eu vi,deparei-me fitando o pote de vidro lacrado com formou.Olhei sobre a prateleira ao lado de um livro.O
meu coração parou.Parou batendo forte,eu respirei,engoli meu choroso,novamente.Era a 1° manhã que minha pessoa passou depois de todo o
trágico momento.

Eu movi a mão trémula em direção ao pote,o peguei friamente,engoli em seco meu nervosismo.Ergui o pote a frente e vislumbrei com maior
detalhe o feto ainda nã formado:Uma especie de enbrião mediano de exatamentre dez centimetros boiava na mistura de formou.Nada falei,a
minha pessoa pensava o quão fria,Kalawina tinha sido para fazer algo dessa natureza.

Puxei o pote contra mim,sai andando,movi-me em direção ao jardim,sai pelos fundos olhando o lindo passar do sol,os raios cintilando sobre as
flores e rosas perfumadas."Ah,querido...Como poderei não fazê-lo? Creio que será o melhor querido".Sem duvida de que eu tomei uma deci-
são corajosa.

Iria enterrar o pote dentre as flores e rosas espalhadas pelo imenso jardim,pensava conforme andava o que seria de meu futuro,de todo meu
ofegar e pensar.Somente quando encontrei o lugar apropiado debaixo de uma arvore rodeada de flores coloridas e que o fiz:Abaixei-me cavan-
do um buraco,aos poucos minha pessoa enterrou o pote para depois cobrilo com a terra movida.

Olhei o lugar,olhei o céu claro,pensei no fato de que Lestat descansava,de que ele e seus companheiros jaziam no terrível sono."Ah,querido,a
minha pessoa sofre,mas vai sobreviver,eu prometo".Palavras entre lágrimas rápidas,mas mesmo assim respirei fundo e segui enfrente.Sei que
na noite seguinte eu sairia.

Me preparei logo no final da tarde,me preparei sozinha no quarto,escolhi um vestido longo de lã vermelha,e isso fez-me pensar profundamen-
te.Um lindo cachecou branco e minha pessoa sentiu-se plena.A práia me esperava,e isso fez-me repensar em tudo.Dando toda volta na Pra-
ça e seguindo em direção a Rua principal eu cheguei a orla da Práia de Athena.

Mantive-me sozinha na noite caminhando,sozinha dei-me a vislumbrar o mar,passou-se o tempo e não demorou para que Lestat aparecesse e
isso fizesse-me plena.Ouvi seu grito."Samantha!".O olhei movendo o rosto,mantive-me sentada,que começo de noite.Oh,céus! O olhei,iso a
deixar-me perplexa.

Era ele."Pensei que tinha ido embora!".Nervoso.Não havia me encontrado e isso deixou-me tomada.Me abraçou tremendo ao levantar-me,ele
a afagar meus cabelos."Loucura? Nossa!".Bramiu.Elógios,quietudes.Não havia ido,mas creio que quase tomei essa decisão.E foi dessa forma que
ele manteve-se grudado a mim nesse poderoso abraço.Ele tremia,agredecia em murmurios.O nosso momento,somente eu e ele.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 70

Mensagem  Ana Nery em Qui 16 Jun - 19:35:58

***Continua***

Não que esse tenha sido um momento terrível,e,sim,apassiguardor para eu e ele.Houve uma promessa terrível enquanto caminhavamos
pela areia da práia de Athena.A promessa de que houvesse o que houvesse,sempre ficariamos juntos,eu consegui perdoar Lestat,mas me
era difícil continuar suportando a presença dos outros.

Ah,céus...Como tudo isso foi-me terrível,e,mesmo assim,eu sobrevivia,era tomada por todos os pensamentos com que eu compreendia e
delíciava-me.As coisas são transmutáveis e haviam sido conforme tudo isso acontecia,se desenvolvia por completo.Eu respirava,respirava
lentamente ao longo desse tempo.

O momento em que eu tivesse que tomar uma decisão drástica,foi quando Thalwa veio.Não havia mais visto Lestat desde o ultimo encon-
tro com ele nessa maravilhosa noite na Práia da Cidade de Athena.Durante o tempo antes deu encontrar-me com Thalwa,eu deparei-me a
recuperar-me por definitivo,foi como se o fato de meu corpo voltar a si,tivesse sido minha vitória final,apesar da angustia.

Eu havia voltado de um tormentoso dia de compromissos,digamos que uma reunião de futuros investimentos a respeito das riquezas de
minha família. A noite era crepuscular,tomada de silencio.Eu jazia no jardim sensatada a linda mesa coberta com a cobertura de vidro e
flores em decoração.

Pensava no que tinha acontecido.Momentos,digamos,isso.Olhava o jarro de flores sobre a mesa.Nunca esperava que esse lugar especial
contruido na minha ausencia de Athena,ao está em Pária,poderia ser-me tão especial.Ouvi o som,lá estava.A vi entrando silenciosa,pelo
visto sua coragem havia sido imensa,imensa.Será que eu ia suportar?

Thalwa chamou-me,não quis ouvir,eu jazia sentada,o vento fazia meus cabelos moverem-se,a longa túnica de cor creme que eu usava a
ser de puro linho,causava conforto.Eu pensava,mantive as mãos sobre o colo,os olhos focados no lindo jarro com flores.Ela sentou-se me
fitando,eu ainda estava em recuperação,e nem mesmo isso ela havia entendido.

-Creio que a lástima me assola. Não era para ser,nem mesmo quando se tratava de uma auto-existência remetente ao Lestat,falo dof ato
do filho de Ellenos Cyrus futuramente ter vindo a ser tão importante.

Eu mantive meu silencioso,mantive meu controle,eu tinha as mãos tremulas.Pensava.Thalwa usava um lindo colar de esmeralda em for-
mato oval(Parecia uma gota),o longo vestido de algodão notável atenuando suas curvas,ela não desviava seus olhos de mim.Ah,céus,a
minha pessoa sofria,era tomada de momentos especiais.

Lembro do momento em que ela levantou-se,pode atenuar alguns passos para trás."Samanta juro que me doeu,mas não poderia deixar.O
feto não podia fingar".Céus! Nunca senti tanta fúria,imensa fúria por um ser como senti por Thalwa nesse momento.Eu simplesmente desfe-
ri o jarro contra ela,andei pela borda da mesa em furia.

"Era meu filho! Não o seu filho! Vai ao inferno mulher do mal! Vai queimar nas trevas da lamúria eterna! Some daqui!".Berrei,não compreen-
di o medo dela ao parar perante mim logo a frente do jardim."Não era algo de ti,era algo de mim e não lhe dizia o respeito! Acha mesmo que
e tão simples para mim!?".Ela moveu seus lábios tremulos,silenciou-se mas depois pode reaver seu controle.

"O amava mesmo,ama ao Ellenos,dá para ver...Se fosse diferente não o teria feito.Céus,isso da-me arrepios".Disse-me,desabei ao gra-
mado."Sai daqui! Peço para sumir daqui!".Ela moveu suas mãos curvadas abaixo de seu rosto."Eu somente pensei que ia suportar,mas
vejo que sua condição humana a faz fraca".Que crueza,céus!

Deparei-me sozinha quando ela se foi,saiu chorando pelo portão."Ah,céus...Como ela pode odiar-me? Foi pro bem dela".Será mesmo foi
o que pensei nesse momento.Meus gemidos foram céticos,eu jazia sentada de pernas curvadas contra mim,tremia.Olhava o lugar a onde
tinha enterrado o pote com o feto dentro.

Loucura,pensei,loucura.E algo chamou-se atenção.Fui até a caixa de correio e vi o envelope."Khayman".Brami,pelo visto ele tinha manda-
do uma carta e somente agora a vi.Entrei chorosa na sala.Abri o envelope,graças que vi uma caneta sobre a mesa de centro,um bloco de
notas com folhas limpas.

'Samantha não creio que eu esteja bem,alias,eu não estou meu amor eterno.Mando essa carta dizendo que não a esqueço,que sempre jaz
em meu coração,em meu espírito Samantha.

Nunca se esqueça Samantha! Eu te amo e futuramente no momento que nos convier,não pensarei duas vezes.Abraços meu amor,abraços
de um ser que a cada noite vive angustiado,tomado.

Dê: Khayman".

Chorei,para piorar a situação agora isso."Ele não sabe,não pode saber.Ah,céus".Após e,foram meus piores tempos,creio,eu,momentos em
que as trevas me assolaram.Respondi e não demorou para eu lacrar a carta em um envelope e enviar ao remetente que somente eu sabia.
Voltei para casa,me ensolei no quarto.

Ah! Quem diria! Quem diria! Ao fim dessa jornada Louis apareceu desejando ver-me,ele que foi-me visto a minha espera quando entrei no
jardim após um lindo passeio na nova noite.Como os compromissos me assolavam,e eu necessitava desses momentos.Não esperava e o
vi assombrada."Samantha? Desculpe a invasão,mas eu vim para convidá-la para ir ao encontro de Alexien".

O olhei catatônica.O vento movia-se tão forte que foi-me impossivel não senti.Louis jazia vestido de calça clássica negra,sapatos no mesmo
tom,camisa de seda em cor violeta,um lindo cruzifixo no cordão."Ir a Auvergne?".Brami,ele puxou-me para si,sentiu-se tomado e logo ele a
poder envolver-se.

'Sim,meu amor,acho sensato ires,vou para lá e não poderia deixar de passar aqui a levá-la".O olhava conforme ele segurava-me no ar,ele
a mover seus limpidos olhos azuis sobre mim.E foi nisso que aceitei.Logo,logo eu e ele partimos em direção a Páris,somente deixei uma car-
ta para Lestat justificando a ausência na Cidade de Athena.

Céus,de Páris Louis moveu-se a alugar uma limosin.De lá após fecharmos estádia em um hotel nos direcionamos.O que a grana não faz.A
minha pessoa jazia ao seu lado.Eu havia comprato uma roupa passageira nessa troca de tempo:Uma saia curta de cetim em cor negra,uma
camisa do mesmo recido branca,atenuando meus seios.O pá de bota na mesma cor era maravilhoso.

Louis sempre mantendo a tática de educação,limpeza.A mesma veste intocável."Descansou bem,e creio que será maravilhoso".Sorriu ao fa-
lar.A viagem foi longa,e como! Umas cinco horas pelas estradas e no início da madrugada chegamos,me deparei fitando pela janela da limo-
sine.O imenso castelo foi-me visto ao chegarmos em Auvergne.

"Ah,Louis! E aqui mesmo que Alexien e Xambré moram".Que holocausto,pensei.Logo a limosine parou e descemos,olhamos o portão.Minha
pessoa tomada."Ah! Realmente sabia que seria o melhor".E! Isso fez-me vangloriar-me pela primeira vez desde que passei pelo momento a
qual me recuperava.

Entramos e vimos Alexien sentada na linda mesa com Xambré,os dois que nos olharam estupefados."Ah? Louis!?".Alexien moveu-se como
se não acreditasse,seus cabelos negros,andulados e finos moveram-se como pintura,ela usava uma longa saia de cor cinza,a camiseta bran-
ca atenuando seus seios.

Uma vampiresa que sem duvida se fortalezia."Céus...Como pode? Pobre Samantha".A olhava,e creio eu,que ela,sim,e feliz,soube de sua
felizidade com Xambré,ele a me fitar sentado:Um homem amarindio,cabelos negros aos ombros,a pele morena,olhos azuis brilhando.Usava
calça jeans em tom azul,a bota curta em conjunto,mas eu não esperava o modo como fitou-me ao levantar.

A camisa de linho puro em tom negro em destaque com os botões de pérola."Samantha...".Tive que admitir...Tão dele quanto de qualquer
outro."Não foi por mim,Louis ensistiu e devo reconsiderar".Xambré riu,vi a linda pena em destaque ao lado de uma linda mecha presa sobre
seu cabelo.

"Vamos entrar".E com isso seguimos,creio que o fato de apreciar os lustres sobre o teto,a linda mesa decorada com jarros de flores e casti-
çais com velas,isso tudo tirou-me o folego.Um castelo restaurado e jazendo com luxuosa decoração moderna."Crer mesmo que Lestat jaz a
apreciar detalhes sordidos?".Xambré quis saber.Louis olhou-me.

"Não creio Xambré".Isso fez Xambré pensar,ele que andou pensativo mantendo os braçoz cruzados."Hum...Fala".Pediu,e isso fez Alexien co-
locar-me atrás dela."Não sei Xambré! Creio que os bebedores de sangue andam movimentados demais com o fato de Ellenos Cyrus,futuro
rei bestial ser parente de Lestat,até mesmo com o fato da perseguição para com as arpias".Tenso bramir de Xambré.

Creio que foi-me melhor subir com Alexien pela escada pedregosa bem cuidada.Havia duas torres no castelo e isos fez-me apreciar o corre-
dor que ligava as duas torres.Sozinha no quarto de Alexien e Xambré em uma das torres,eu pensei.Ela sentou-se a beira da cama,a linda a-
bertura em janela fazia o vento entrar,dava para uma paisagem maravilhosa dos céus de Auvergne,até mesmo o jardim.

"E inevitável vê-la,até mesmo sentir vossa presença e não perceber seu sofrimento'.A olhei,de pé na janela ela pode saber."Ellenos não a-
giu por mal,eu a deixei louco,entenda isso".Ela bramiu coisas."Samantha,não sei o que se passou em sua mente,mas não creia que será fá-
cil viver sobre as regras de Thalwa".Compreendi,e como compreendi.

-Ela tirou-me o que queria. Lestat me cobra um herdeiro,e quando veio,ela tira-me o que eu haveria de ter de mais precioso. Não creio que
isso tudo me faça bem.

Ela moveu seus olhos castanhos sobre mim,olhos castanhos clareados."Então saia de Athena...Tem medo do que? Se quer ter uma vida so-
zinha,saia.Nem Thalwa iria contra".Ofeguei,respirei fundo.Tão linda! Alexien sempre magnifica,sem duvida a unica dentre as mulheres de nos-
sa família que alcançou a felizidade.

Senti seu abraço,o calor de seus seios quando meu rosto moveu-se."Ah,céus...Será?".Ela riu afagando-me os cabelos."Samantha,Lestat ar-
rancou Vitória Regia de mim,Wiksa sempre foi rebelde.O que há contigo?".Não sabia,apenas sentia dor.Um assunto tão feminino! A olhei ao
mover o rosto docemente."Entendo...E,isso! Farei isso! Irei morar na casa em Páris por definitivo! Será melhor!".Ela olhou-me.

Viu-me andar,mover a palma da mão sobre meu rosto."E...Será melhor,somente eu".Ela olhou-me com tristeza."Nem eu acreditei ao ler em
seu coração".Isso tudo foi o bastante,com o tempo dei-me a chorar,chorei tudo que tinha que chorar nesse momento.Chorei ao jazer sobre o
chão,jazer curvada sobre o colo de Alexien,ela que fazia-me carinhos sobre os cabelos.

Louis e Xambré apareceram."Não creio que a poderosa Samantha esteja bem,Louis".Ele sentou-se a beira da cama com Xambré."Hum...O
que aconteceu foi para querer matar alguém".Turbulento momento.Nunca chorei como nesse momento.Silencio,quietude plena,movimentação
de alma e espírito.Esse seria meu momento em Auvergne.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 71

Mensagem  Ana Nery em Sex 17 Jun - 12:38:04

***Continuando***

Está com eles nesse momento foi como se minha pessoa se envolvesse em algum apreciar.Será mesmo que as coisas são notáveis quando
estamos artomentados como nesse momento? Eu sorri amargamente ao olhar chorosa para cada um deles,foi quando Alexien captou minha
fome."Quer comer algo querida? Podemos conversar melhor Samantha".Será mesmo que ela compreendia? Eu não sei,não compreendia,a
minha pessoa somente sentia amor por ela.

"Se eu puder,será maravilhoso".Ela levantou-se,eu pude ser ajudada por Louis,pude indagar a tudo o que eu compreendi taticamente.Para a
minha pessoa,tudo se formava taticamente.Era como uma dança alheia para que a conotação fosse plena.Eu e eles saímos pelo corredor,eu
pude apreciar o piso de azoalho,todos os detalhes dos quatros nas paredes pedregosas polidas.

Algumas tochas queimando na parede em seus apoios,pude ver o corredor de ligação entre as duas torres com melhor detalhe,e isso fez-me
feliz,tomar-me de observação.Ao descermos a escadaria entramos no imenso salão,e percebi que não ia demorar até Alexien providenciar al-
go para eu comer.Enquanto ela e Xambré providenciavam algo,eu e Louis fomos em direção a imensa sala nos fundos,Haviam duas entradas
com imagens de leão em outro,e pelo visto isso chamou-se atenção.

Andando dentre uma delas,eu vi os quadros e entrando apreciei o imenso espelho gigante na parede.Tudo era como musica.Será mesmo que
esses detalhes me seriam preciosos? Foram,foram até eu sentar-me no belo sofá,deitar-me de lado com o rosto no colo de Louis,eu esperaria e
isso me encheria de prazer alheio.

Ah,céus...Meu estômago doeu por uma hora até Alexien vir chamar-me,até ela poder dizer que minha comida tinha chegado.No salão jantan-
do eu me envolvi em algumas observações com eles,me envolvi em alguns detalhes de minha vida.Nada maravilhoso do que comer peixe
grelhado com arroz fumegante e cozido de lagosta e legumes,vinho tinto para acompanhar.

"Digamos que a forma como Lestat conheceu Ellenos foi desconfigurante,imediato,mas não creio que Thalwa será cordial,afinal,ela nem foi comi-
go".Era como se tudo fosse inoportuno,tomado de várias observações.Eu comia,conversava."Ellenos apareceu desesperado,não creio que depois
da loucura dele,eu sairia ilesa".Alexien mantinha-se silenciada ao lado de Xambré.

Louis de modo pacato disse."Samantha? Não julgue Thalwa,não julgue-a perante o que aconteceu.Não sabe o sentimento de gulpa que ela
carrega nos dias atuais,até mesmo,desde antigamente".O olhei,bebi alguns goles de vinho,limpei a boca."Hum...Não depois de tudo o que a
Talwa me fez".isso fez Alexien romper sua quietude."Será mesmo? E não creio que ela tenha sentido isso tão friamente".Foi uma observação
tensa,mas eu compreendi.

Prossegui comendo e ouvindo o que ela dizia."Sinceramente isso tudo e como preceito.Penso eu se tudo isso não foi por preocupação,medo".
Eu ri,tive que rir perante as observações de Alexien."Medo? Não creio exatamente nisso,creio no pavor emanando dela".Eu de modo claro a-
firmei que Thalwa tinha medo dos seres bestiais,mesmo sabendo da condição de poder dela.

Não que eu desejasse prosseguir,mas foi-me maravilhoso depois de jantar preparar-me para sair.Não quis dormir e isso encheu-me de vonta-
de de sair a paisana.Digamos que Alexien,Xambré e Louis,tinham saído para caçar,e eu me preparado para andar.Havia escolhido uma túnica
no quarto de Alexien.

Me troquei rapidamente e sai.Ah,céus! Me foi necessário poder jazer andando por Auvergne em plena noite.Não que se trate de um lugar so-
litário,mas quieto o bastante para qualquer um amar-se prodigiosamente.A cor cinza da túnica para mim havia sido maravilhosa,o conforto do
tecido de linho maravilhoso.

Eu pensava ao andar,e logo me deparei com um cemitério.Vi o imenso portão,movi meus olhos pela corrente com cadeado que o trancava.
O que eu faria? Movi as mãos na grade do portão é isso encheu-me o espírito."O que importa,não e?".Pensei friamente.Usei de meus dons
cinéticos e telepatas,senti o detrancar do cadeado assim que aconteceu.

Entrei silenciosa,o vento frio movia-se pelo cemitério,a lua cheia jazia nos céus de Auvergne,os túmulos limpos cintilando na noite,meu cora-
ção ainda doia,mas eu me adaptava.Começava a acustumar-me com o fato de não ter mais um filho a carregar no ventre,até mesmo pelas
crueis decisões de Thalwa.

Dei-me conta de tal complexidade quando eu sentei-me sobre um dos túmulos,quando minha pessoa apreciou por completo cada detalhe do lu-
gar.Eu pensava,respirava firme.Louis jazendo pela noite com Alexien e Xambré.O que mais daria errado? Eu gemi de dor quando o vento veio
em direção a meu rosto,quando soube que ela estava presente.

Senti seu toque por trás de meu ombro,arrepios."Merrick? O que faz aqui? Não há de esquecer-me?".Ouvi risos,a vi andar parando perante a
minha pessoa.Linda veste de cor rosa,uma túnica rosa delicada como petálas.'Samantha não se esqueça e creia que preocupei-me com tudo o
que aconteceu'.Não acreditava.

Fechei meus olhos tentando não acreditar.Mas era ela,ela que sentou-se ao meu lado.'Samantha foi um aborto e saber que isso pode prejudicá-
la a não jazer-me em vida novamente,me revolva'.A olhei de lado."Até tu? Não creia que o farei,deixa-me!".Brami levantando,ela veio atrás de
mim,e como me irritei.

'Não quer mesmo,correto?'.A respondi secamente."Se quisesse o teria feito a tempos,quem sabe! Mas me deixa!".Brami a encarando.Com isso
ela deu passos a frente e pode transfigurar vossos sentimentos.'Estarei a sua espera Samantha,creio que logo vai entender'.Tudo isso foi para
minha pessoa querer sumir da face da terra.

Ela sumiu,o vento veio a levando,me deparei olhando as coisas,fitando cada detalhe.E sai,tudo isso fez-me cometer uma loucura:Sabia que em
Auvergne existem tabernas e sem duvida de que beber me seria uma valvula de escape entanto.Não demorou e encontrei uma andando pelas
Ruas decertas da noite.

Minha pessoa entrou tomada,algumas pessoas silenciosas me olhavam,sentei em uma mesa e não tardou até o vinho ser-me servido.Como meu
coração doia.Nunca pensei beber tanto! Eu bebi por vários minutos a frente,bebi.Não compreendia os motivos deu senti apego a Merrick e isso tu-
do destruir-me.

-Eu te amo querida,como eu te amo! Não sabe que isso faz-me sofrer? Quer vida meu amor,mas não sei se posso dá-la.Não sei,isso e locura.Nos
bruxas somos o nada.

Será que eu estava em si? Logicamente que não,e levantando senti-me tonta."Senhorita precisa de ajuda?".O garçom disse."Não,obrigada".Senti
que estava morrendo e prossegui pelas Ruas,minha visão turva.Somente pensava no que acontecia.Será que Thalwa me amava? "Não,se ela me
amasse jamais teria feito o que fez".Brami em soluços,voz trevorosa devido ao meu estado.

Ah,céus! Tinha bosques e campos em Auvergne e mesmo bebada prossegui.Como foi-me maravilhoso jazer nas trilhas dos bosques,sem duvida
de que ao entrar em um lindo campo cheio de flores definhei sentando ao chão olhando o luar.Pensei ter visto Merrick,somente a vislumbrei nova-
mente quando tombei para trás,olhei o céus.

Pensei tê-la vislumbrado nos céus,tanto que movi a mão a frente pensando tocá-la.Não demorou e tirei minha veste,isso para dobrá-la e colocar
atrás de minha cabeça como apoio.Como foi-me maravilhoso jazer na relva selvagem dos campos de Auvergne,as frias montanhas tomadas de
detalhes perfeitos dentre a noite.

Acho que a for foi-me o bastante para apagar,sonhar com Merrick.'Sua idiota,parece uma descontrolada.Admito! Irresponsável.Não acredito que
eu terei uma mãe como tu'.Me vi rindo de modo ilário,e isso a pegou desprevenida.'Não sei sua relcada.Acha mesmo que te amo Merrick?'.Vi o
vosso olhar na escuridão,foi como trovões o clarão verde.

'Samantha fui uma irresponsável em vida e não creio que serei novamente. Tudo aquilo foi-me envão,entende por eu amá-la tanto?'.Brami uma
resposta voraz.'Merrick quer nascer bruxa porque quer ter dons,não quer renascer como uma simples humana.És egoísta Merrick.Não creio que tu
sois sincera'.Ouvi seu riso.'Não entende...Quero por a moral de Lestat abaixo,quero destruir a moral dele,ele me induziu a morte em um momento
depressivo de minha parte,um momento de fraqueza,e seria justo'.Não controlei-me.

Senti alguém tocar-me o rosto.'Desperte Samantha,eu te amo e você também me ama,dai-me vida novamente e por favor! Se precaveja de tu-
do que possa prejudicar meu renascimento'.Terror senti ao ofegar,respirar,senti o ar frio entrar-me nos pulmões.Vi Louis sentado ao meu lado,ele a
ver-me tomado ao lado de Alexien e Xambrém.

-Meu amor jaz em sofrimento,não creio que esteja bem,age como bruxa.Céus...Se Lestat souber ele me mata Samantha.Não creio que isso seja
voraz.

Ele pegou-me nos braços,tinha as mãos pousadas em seus ombros,o olhei chorosa."Eu falei com Merrick,Louis! Eu falei com ela Louis! Entende isso
Louis!? Estive com Merrick Louis".Ele andava,eu jazia nua em seus braços choramingando."Viu coisas Samantha,Merrick morreu a anos querida,não
ligue para isso".Alexien andava ao lado de Xambré,segurava minha túnica agora enrolava.

Chegando no castelo ela pode perceber."Ah,céus".Bramiu.Seguimos.Logo Louis colocou-me no quarto,eu jazia chorando."Louis eu vi Merrick,eu a
amo Louis".Que loucura foi o que ele respondeu.O olhei sair pela porta do quarto,era um vazio e pelo visto eu ficaria ali.Alexien colocou-me uma
camisola limpa."Samantha descan-se,melhore".Disse transtormada.

Eu deitei-me de lado pensando,implorando para Merrick não deixar-me.Foi uma noite terrível.Não demorou e puxei os cobertores sobre mim,somente
eu consigo mesma.O que aconteceu e que meu estado espiritual levou-me a ficar doente.Não esperei definhar,envolver-me em tantos detalhes e mo-
mentos sordidos.

Ah,céus...Doente,foi o que senti quando ouvi a voz de Lestat na noite seguinte ecoar pelo corredor."Alexien como assim? Doente? Anda tratamento
bem a Samantha?".Alexien entrou com Lestat no quarto,atrás dos dois Thalwa que fitou-me transtornada.Tinha boca seca,olhava o teto.Lestat andou
a frente,pode ver-me.

"Samantha acho que anda provocando-me dores".Olhava o teto,sentia calor e febre,eu suava."Quero meu filho,eu disse,eu quero meu filho".Minha
respiração quase falhou,foi quando Thalwa bramiu coisas em sua aflição,senti quando Lestat segurou firme minha mão ao sentar-se ao meu lado.Ele
estava tão lindo vestido com calça justa negra e bota curta,o longo sobretudo vermelho com botões dourados.

O olhava de lado,tinha o rosto suado."Samantha...".Eu ri secamente."Traga meu filho de volta querido e quem sabe serei feliz novamente".Ainda o
sentia,podia sentir."Me tire daqui,não suporto isso Alexien".Thalwa disse saíndo para corredor,ouvi seus gemidos de choro."Aquela maldita pode cho-
rar?".Perguntei a Lestat."Pode,sim,tenha certeza,não foi uma decisão fácil para ela".E Thalwa que tinha vindo,ela que trajava um vestido rosa,pura
seda.Fiquei imaginando os detalhes.

Somente a profanidade para me salvar,será que o profano seria minha savação? Lestat não saiu do quarto,ele cuidou de minha nessa noite,ele que po-
de trazer-me chá de ervas feito por Alexien,ele que não saiu de meu lado em nem um momento.Soube do pranto de Thalwa,a tentativa falha de nossa
amada Alexien manter o controle de Thalwa.Noite trevorosa e fria,somente eu e Lestat.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 72

Mensagem  Ana Nery em Sex 17 Jun - 14:59:53

***Continuando***

A cada sintese eu sei que a prodigia mente agia dentro de mim.Foi um trabalho cansativo para Lestat,mas sem duvida de que ele soube
fazer o melhor.Não creio que se ele tivesse se mantido ausente,eu teria voltado para Athena,bem,da forma que voltei.A nestate-se e a
consagração da glória,e eu o havia sentido antes de voltarmos para a Cidade de Athena.

Foi-me doloroso despedir-me de Louis,ele que ficou em Auvergne.Sem duvida ele iria passar momentos maravilhosos,tomados de toda a
forma de apreciar.Haviamos saído de Auvergne tomados de alguns detalhes,e isso fez-me feliz.Havia explicado a Lestat durante minha re-
cuperação em Auvergne.

Acho que o modo como voltei a mim ao chegarmos em Athena me foi trágico,isso por eu perceber que Lunnes estava presente.Será que
ele compreenderia facilmente tudo isso? Thalwa andou a frente pelo jardim,e logo eu fui ajudava a levantar-me pelo Lestat.Foi-me tenso
apreciar os detalhes e saber que Lunnes jazia a nossa espera na sala de minha casa.

Um torrido começo de noite fria em Athena,tive que admitir.Duas semanas em Auvergne e sem duvida de que voltei tomada de todo o
notável sentimento.Na sala eu pude ver Lunnes a minha espera,ele que jazia em tristeza,mas pensativo quanto a tudo.Olhou-me sentado
na poltrona,as chamas na lareira bruxeleavam."Não creio que tenha sido sensato vossa loucura mãe,muito menos os modos para com os
teus comportamentos.Todos comentam".O que ele havia dito?

Céus! Nem mesmo Thalwa deixou se comentar."Lunnes fique calmo,não acho sensato chamá-la de mãe! Seja paciênte,Samantha acaba
de sair de um profundo momento de doença".Ele a olhou,ele que não tinha pensando duas vezes antes de abraçar-me ao levantar-se,ele
que bramiu a Thalwa."Vão embora,me deixa aqui! Logo os encontrarei,deixem-me com ela".O que ele queria?

Vi Thalwa andar para trás,Lestat que não compreendia."Olhem o que fazem com ela! Seus tolos! Acham mesmo que ficaria calado? Seus
idiotas!".Nem Lestat acreditou,nem eu! Eu me sentei sobre o tapete da sala tomada de espanto.Olhava Lunnes quase rugir para eles,eles
a vislumbrar Lunnes:Um ser tão belo,alto! Como tinha escolhido a dedo a calça de belo corte cinza-escuro,os sapatos negros,a camisa bran-
ca e longo casaco negro.

"O que olham? Disse que os verei logo,logo...Não basta terem feito minha mãe passar pelo que passou?".Tensas trocas de olhares,mes-
mo assim eu tive que respirar fundo.Sozinha com Lunnes passei momentos alegres,confortáveis.Ele pode jazer a minha frente olhando-me
e fitando-me por completo.

Conversamos por horas a fio.Eu sentada na poltrona,ele ao chão,não compreendia os motivos dele manter seus sentimentos para comigo.
Admito que foi-me trevoroso como ele segurou minha mão,como ele a beijava com delicadeza."Olhem o que fazem com você...Diga e ju-
ro que irás comigo para casa mãe".O olhava tomada de angustia.

"Lunnes consegue esquecer tudo que vivemos? Não,correto? Creio que sua pessoa sempre foi singelo ao decorrer de sua vida".Ele riu,ele
sorriu com delicadeza."Diga e a levarei".Que loucura pensei.Um tragico momento,eu sei,principalmente a respeito dos multuos momentos a
jazermos juntos.

Foi uma noite entanto,e como espantei-me com seu estado ao vê-lo no jardim antes de nos despedirmos."Eu a amo mãe,saiba que tudo
o que fiz e ainda faço e em eternas lembranças".Eu sorri,ele abaixou-se beijando meu rosto."Posso ser um fracassado,mas creio que uma
conversa com Thalwa me será o melhor".Ofeguei.

Ele pode ir,fiquei no portão o olhando seguir.Ia está com Thalwa e Lestat,quem sabe Gabrielle,a aventureira que agora jazia na Cidade em
sua andança mortal.Somente não compreendi ao fechar o portão,vislumbrar Merrick sentada na borda do chafariz,ela que viu-me e sorriu
ao levantar-se e sumir.

Deparei-me petrificada.'Não se esqueça'.Um recado de que ela sempre estava de olho em mim.Sozinha fiquei,sozinha fiquei o dia inteiro
após acordar,somente envolta em minhas atividades foi-me necessário.Mesmo em casa não deixava de fazer minhas pesquisas,estudos
rotineiros.

Tudo isso sempre foi-me complexo,mas sei que serviria para minha maturidade.Sem duvida de que compromissos alheios foi a melhor for-
ma deu quebrar meu tempo.Continuar ponto tudo em ordem.Não demorou e na nova noite crepuscular senti vontade de sair para caminhar
na práia.E foi o que fiz ao desligar meu laptop,ir a procura de uma roupa adeguada.

Que se dane-se o fato de Lestat,Thalwa e Lunnes já estarem em atividade na Nova noite,tudo que sei e que precisava respirar.Um ves-
tido de lã-fina violeta-claro,uma linda manta negra e sem duvida de que estava pronta,olhei-me no espelho e foi-me gratificante saber e
vislumbrar meus cabelos presos para trás:Cabelos loiros em ondas anduladas,os fios clarinhos.

Pronto e pude sair.O que pegou-me de surpresa foi a previa de tempo.Nessa noite fria poucas pessoas jaziam no calçadão da Práia da Ci-
dade.Andei pela areia por vários minutos e nem mesmo assim pude sentir o que acontecia,não pude sentir a seriedade do que se formava
ao decorrer da noite.

Olhava o mar quebrando na areia,as ondas baixas vindo e voltando,a espuma jazer delicada na areia fina.O vento era forte,poderoso.Eu
pude sentir piamente ao mover meu rosto.'Lunnes?".Tinha sido terrível vislumbrar ao longe Lunnes gritar com alguém,Lestat que jazia cai-
do ao chão,ele que fitava algo.

Não vi de imediato quem era pelo fato dos dois jazerem na minha frente.Foi como visão mortal ver aquele ser alto,pele clara,os cabelos loi-
ros movendo-se com o vento,os olhos esverdeados brilhosos."Preciso de sua ajuda...Não seja tolo Lestat".Lunnes ajudou Lestat a levantar.
Eu finalmente pude está com eles.Lunnes olhou-me petrificado.

"O que faz aqui?".O olhei."Havia saído,quis passear".Lestat olhava a frente,tinha apoio de Lunnes.Tudo isso fez-me olhar pra ela.Sabrina
finalmente veio em pessoa e isso tomou-me por completo."Estou oferecendo a change de verem.Meu povo precisa de ajuda! Não posso de-
finhar!".O que ela queria dizer.

Aconteceu algo trágico quando Lestat quis avançar e Sabrina agiu movendo suas imensas asas de morcego,um ser belo,o vento veio,vi co-
mo os lapsos de seus olhos emanaram algo contra nois,ela ergueu-se no ar.Ainda bem que tinha poucas pessoas.Céus,o fato de que tanto
eu quanto Lestat e Lunnes sentimos.Sentimos o impacto da imensa força espectral invisível a olhos humanos no tomar ainda em terra e nos
fazer sair de nossos corpos.

Um transmutar entanto e logo nos deparamos naquele maldito lugar.Será mesmo que iss tudo podíamos compreender? Lestat levantou-se
fitando todo lugar,a relva seca,tudo jazia seco.Nem mesmo eu acredite que estava naquele lugar tomado por doenças e destruição.Vi como
Sabrina nos fitou de pé,vernos nos recompor.

Olhei minhas mãos as movendo a frente."Não acredito nisso".Sabrina olhou-me."Hum...Vocês conhecem muito pouco de nois arpias,pode-
mos transmurar espíritos de sua carne e matéria,mas bem...Somente os trouxe aqui para saber o que decidiram,não creio que procurando,a
minha pessoa tenha encontrado corações tão aptos".Isso deu-me calafrios.

Ela deu-se a andar,a relva dos campos jazia seca,todas as arvores,vilarejos a frente,montanhas.O vento emanava poeira,não acreditava
que tal reino pudesse existir."Esse lugar foi mais belo,lindo,compreende?".Será mesmo que ela compreendia a seriedade do caso? Acho que
o fato dela ter nos levado foi sensato,apesar dos modos.

E ela começou a explicar.Explicou da energia cosmica que emanava da arvore do reino,a arvore dentre todas as arvores,o fato da arvore
ter perdido força e está morrendo,e tudo isso alertou-nos.Somente quando chegamos enfrente a arvore e que podemos vislumbrar cada de-
talhe.

Uma arvore imensa e seca como havia visto."Lestat e Lunnes,creiam! Esse lugar já foi mais lindo,belo! Essa arvore foi a primeira semen-
te a brotar,a tragar para si a vida de nosso reino,nossa moraria universal,creio que começam a entender".Eles olhavam tudo tomados,pa-
ra Lestat tudo isso era trágico.

-Tenho que admitir,mas não creio que sejamos aptos. Sabrina crer mesmo que soube procurar ? Que se caso encontre o coração apto,tudo
isso possa voltar a si?

Lestat disse.Sabrina movia-se ao nosso lado,e bramiu."Estou mentindo? Doença,destruíção,quis trazê-los,apesar das ofensas iniciais,para po-
derem ver por si".Tenso momento conforme pensamos.Nos sentamos,pude vislumbrar no olhar de Lestat dor,imensa dor.Até mesmo toda a
declaração foi-me trevorosa.

O que aconteceu e que fomos indagados."Sem duvida de que são aptos,espero que possam refletir,compreender,quem sabe logo obter a
resposta".Ela continuou."Saibam que e um coração,um coração a ser colado dentro da arvore,saibam que se decidirem o contrário estarão
condenando a nois,a destruição".Pensávamos.

"O que és Sabrina?".Ela olhou-nos."Sou a primeira dentre todas as arpias,elas são minhas filhas,de epoca em epoca um ser vem,sim,um
ser macho de nossa raça e dai-nos fecundos para continuarmos".Que feito,pensei.E foi nisso que ela ergue-se em voo,tinha que ir."Está fei-
to e dito,logo mais teremos que chegar a um arcordo!".O que acontecia?

A força veio,nos tomou,poderosa força espectral vindo dela e do nada nos deparamos arrancados espectralmente do lugar.Quando cientes
e de volta nos corpos nos deparamos em dor.O mar fazia barulho."Ah,céus,céus alados".Lestat bramiu ao tocar-me."Está bem Samantha?".
Eu o olhava,Lunnes gemia de dor ao manter-se sentado.

O fato e que haviamos ido,voltato,tenho que admitir que um sentimento de culpa de tomou,envolveu-me trevorossamente.Foi como se a
minha pessoa pressentisse.Em casa me deparei com o pranto de Lestat andando de um canto a outro.Eu e Lunnes sentados,Lunnes que me
acolhia de lado."E impressionante".Lestat bramiu.Agora sentíamos e creio que da forma mais dolorosa temíamos falar algo a Thalwa.Nada
a paisana,nada a dizer,somente sentir.

***Continua***



Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 73

Mensagem  Ana Nery em Sab 18 Jun - 12:55:40

***Continuando***

Creio que o fato de Lunnes ter desejado ir ao encontro de Thalwa na mansão,me foi pensativo.Não sei o que ela ia pensar,mas me questionei
se essa seria a melhor resposta a realizarmos nesse momento. Creio que todas as indagações que aconteceram ao irmos ao reino das arpias em
espírito foi pecaminoso.

A conjectura e que tudo se salienta,se torna tocável para com todos os que desejam tocar.E fomos,fomos ao encontro de Thalwa na mansão.A
vimos sensata no sofá da sala lendo,ela que até nossa chegada não havia sentido nossa presença,muito menos compreendido nossa pressa em
entrarmos,e como ela ficou grata por Lunnes está presente."Mas porquê esses olhares? Não creio que vocês tenham vindo apressados para dizer
qualquer coisa".Levantou-se me fitando e com isso Lestat apressou-se em convidá-la a irmos para o salão no andar de cima.

Thalwa subiu a frente pela escadaria,entrando no salão a gente se deparou em multuos olhares.Não soube como isso tudo aconteceria,mas sei
que Thalwa fora pega de surpresa.Eu estava de richa com ela,sem duvida que perante tudo que aconteceu,eu perdi muito da confiança que a
minha pessoa um dia chegou a ter nela.

O melhor para mim foi sentar-me ao lado de Lestat,Lunnes se deparou a fitando sensando na poltrona,o som dos carros passando na rua a fren-
te foi-me inquietante."Thalwa,acredite,acabamos de chegar da casa de Samantha,digo que na Práia antes de irmos para lá,Sabrina apareceu e
nos levou ao reino das arpias".Ela moveu-se encarando Lestat arqueando a sobrancelha.

Um risco negro acima dos olhos cinzentos é brilhosos.Acho que a consumação foi-me inquietante."Um reino espiritual? Está dizendo que esse rei-
no realmente existe Lestat?".Ele respirou fundo,foi como desejar fugir."Sim,creia Thalwa! Estou lhe avisando porque temos que tomar uma forte
decisão com o tempo".Ela pensou.

Deu-se a encarar Lunnes por alguns momentos."E tu!? O que pensa disso?".Ele bramiu algumas coisas em uma linguá antiga,pelo visto a antiga
linguá celta morta,apenas entendi isso.'Não.....,devemos...Samantha'.Isso assutou-me,acho que até mesmo o fato de Lestat também não ter en-
tendido o assutou.

Vi como Lunnes levantou-se me encarando,movendo seus olhos friamente para Lestat e foi nesse momento que algo sombrio me tomou o cora-
ção."Thalwa sobre aquilo que conversamos sobre Samantha...Peço com meu espírito! Seja mais livre,não trate Samantha como se fosse sua pró-
priedade".Thalwa o olhou,cruzou os braços,foi nesse momento que Lestat sentiu tanto medo da resposta de Thalwa que abraçou-me de lado.

O seu tremo foi cético e assombroso.Ele sempre teve medo de ser repreendido por Thalwa.Thalwa estava linda ao vestir vestido de algodão
macio,a cor vinza em destaque sobre sua pele clara,o vestido exaltava suas curvas.Ela pensava.Moveu uma das mãos sobre seu queijo,pode
pensar."Hum...Tudo bem Lunnes,tudo bem...Acho que o que conversamos ontem foi o bastante,creio que sua exaltação,sua clareza em não
desejar mentir quanto ao que pensa,deixou-me tudo óbvio,mas entenda! Se eu sentir perigo,não pensarei duas vezes".Ele a abraçou.

Isso me tocou,havia sido ela que no passado cuidou dele,deu-lhe casa,luxo em um tempo de carni-ficina a qualquer humano.Lestat olhava,ele
silencioso."Ah,Thalwa...Sempre a amarei,sempre! Obrigada".Thalwa pensava o encarando,tentava compreender tanta clareza de Lunnes.Pelo
visto quando ela voltou-se a mim,atiçou-se.

"Hum...E tu melhor ir pra casa,arrume-se,durma sua bruxinha insana,basta por hoje,creia que se algo acontecer relativo as arpias,vou sentir e
não irei pensar duas vezes,agora vai".Lestat atiçou-se."Deixa ela dormir aqui,deixa".Thalwa olhou-me."Hum...Decidam isso,vou sair,Lunnes te-
ra que ir".Eu soube,soube quando ela e Lunnes seguiram.

Pelo visto Lunnes ia ao encontro de sua amada é eterna Habel,Habel,a doce imortal,o doce ser que sempre esperaria por Lunnes,sempre esta-
ria com ele,sempre estaria ao lado de Lunnes lhe dando apóio.Olhei para Lestat,ele que acariciou os cabelos e rosto."Ah,querida...Não tente se
preocupar,juro que nada acontecera".Senti algo trevoroso emanando dele,tentei decernir e doeu-me o coração não poder saber.

"Não cometa nem uma loucura Lestat,por favor...Posso perder a todos,mas se o perder,acho que enlouqueço. Te odeio pelos teus erros,tua lou-
cura,mas nos entendeos: Nos odíamos,mas nos entendemos".Ele riu,o modo como ele riu fez-me sentir suas verdades.Somente poderia voltar e
enclassurar-me em momentos solitarios.Essa sempre será a setença de qualquer membro de nossa família.Somente lamentei por não ter visto
Gabrielle,ela que toda noite saia,se aventurará.

O que aconteceu futuramente foi para arrembentar meu coração.Céus,passou-se duas noites desde que eu e Lestat nos vimos.Lunnes sem duvi-
da estava com Habel,quem sabe visitando Marius:Sérios rumores de Lunnes indo ao encontro de Marius e Pandora,dele e Habel atiçando toda a
paciência de Marius e Pandora para que se fortalecessem com o sangue proveniente da linhagem de Thalwa,mas apenas rumores.

Eu havia chegado,tomado banho,jantado e céus,me maravilhado ao começar a chuver,antes de jazer na sala em leitura acendi a lareira colocan-
do as toras de madeira para queimar.A chuva caia,somente a quietude até esse momento.Eu lia algo relacionado a manipuação genetica,pensa-
va friamente em cada detalhe.

Isso ia ajudar-me para pesquisar futuras.A túnica de linho clarinha que usava dava-me conforto,tinha um coçar com um medalhão de onix a fren-
te do busto de meus seios.Inquietante continuar,principalmente quando o vento entrou pela janela atiçando-me todos os meus extintos.Olhei pa-
ra os lados.Movi as mãos aos ouvidos quando ouvi uma voz alta.

'Samantha! Diga que pode ouvir-me! Diga! Estou aqui,faço meu ser emanar até ti,preciso de uma resposta Samanha'.Eu ri baixinho,soube que se
tratava de Ellenos Cyrus."Seu louco! Causa-me pavor Ellenos,usa de artimanhas para atiçar-me os sentimentos".Riso vindo a mente,e somente o
vislumbrei quando sentei-me de frente a lareira.

Movi a mão a frente das chamas,veio os estalos,a imagem veio nitida.'Não creio que me ame correto? Creio que considerou-me fraco em ter de-
cidido ir para casa'.Pensei,o olhava sobre as chamas,via com perfeição ele andar pelo bosque,a noite era fria,ele usava uma simples tunica,mas o
detalhe do largo centurião cravejado de pedras preciosas tomou-me.

"Fraco não,mas como mulher eu corro riscos,sabe disso".Primeiro o silencio o envolveu,depois a sua resposta.'Tudo bem Samantha,foi um sonho
pensar que pudesse amar um ser como eu'.Meu coração ficou triste,mas eu sabia que poderia responder a altura."Nos veremos em breve querido
e creio que poderemos viver momentos maravilhosos".Ele continuava andando.

Parecia-me um assolador de almas,um eterno assolador de espíritos.'Khayman não sai de seu coração,e isso que torna-me tão fraco perante vos-
sa pessoa'.Olhei para a aliança,pensei na promessa,e saber que quase a tinha descumprido destruiu-me a alma por alguns momentos.Não demo-
rou e nos desligamos,voltei a sentar-me,dessa vez na poltrona.

"Foi melhor,se Ellenos soubesse do que aconteceu comigo,ia enlouquecer,será melhor ele não saber do filho perdido".Para as ambas as parte foi
o melhor,acreditem! Fiquei apresiando a aliança por longo tempo,as palavras,a promessa não saiu de minha mente,pensava taticamente no que a
minha pessoa devia fazer.

"Khayman o quê de mim e você?".Eu ri."Um amor consumado,mas impossível de convivermos juntos".Não sabia.Apenas dei-me a envolver-me
mais em meus pensamentos nessa noite,a madrugada veio e com isso a continuidade de meus compromissos.Para amenizar mais a dor,mais dos
meus compromissos.

Sem duvida de que o melhor para mim seria isso:Pegar facinio pelas atividades,estudos,até mesmo pesquisas.Não respirei ao decorrer dos dias e
noites.Sei que voltei a ver Khayman após uma passagem rápida na mansão de Lestat,e finalmente vi Gabrielle rapidamente.Nem Thalwa e Lestat
estavam na Cidade,e isso foi-me aterrador.

Mas eu voltará da mansão após esse rápido momento de passagem por lá,e senti a presença de Khayman de longe,mal tinha virado a esquina
do quarteirão e o senti."Khayman?".Não acreditava,e céus,meus olhos lagrimejaram de emoção.Ele me esperava,e somente enviou sua presen-
ça a mim sabendo de minha próximidade.

Um ser tão tatico e poderoso! "Khayman!?".Bramia apressendo meus passos.O vestido que eu usava movia-se,ia até a altura dos joelhos,a cor
negra em destaque na noite,a sandália ao menos dava para o gasto,correto? Tão simples! O vi andando de um lado a outro no jardim,os latidos
de meu cão foram vorazes,mas ele soube que era eu.

Foi como jazer em uma miragem."Eu,vim,mas eu não acreditava que estivesse na Cidade".Compreendi,ele moveu suas mãos sobre meu rosto
e seus olhos castanhos escuros moveram-se por mim."Acho que nesse tempo pude adaptar-me.Eu te amo,sim,creio que o fato deu sentir-me tran-
quilo em relação a isso,serve como presságio".Pude rir.

Era ele,sim,sempre seria ele.Tive que admitir quando senti seu voraz abraço,o beijei com fervor,pude afagar-lhe os cabelos.Eu estava a beira
de nuvens."Samantha? Quanto tempo? Há? Me avise,quanto tempo Samantha e venho pergar-te,eu juro Samantha".O olhava,pudemos en-
trar."Quatro anos Khayman,somente mais quatro anos".Ele sorriu alegre,eu acabara de fechar a porta.

Não consigo descrever como seus olhos brilharam,ouvir isso de minna boca foi emocionante para ele."O que foi?".Perguntei andando a frente.
Ele olhava-me,tinha escolhido a dedo sua túnica de seda em cor oliva,o centurião negro largo.Acessório tipico de antigos,tive que admitir,isso
para mim sempre foi tão detalhado.

"Hum...E que saberei quando travar minha guerra,nossa guerra Samantha".Eu ri,o olhava e agora podia mover as mãos pelos seus ombros.A
minha respiração foi imediata."Khayman,Khayman,Khayman...".Ele correspondeu a meus beijos."Samantha,Samantha,Samantha...Eu te amo
sim,morrerei".Sussurrou em meus ouvidos.

Acho que o momento não poderia ter sido mais perfeito para ele aparecer,mas estamos no quarto aos beijos,eu que aos poucos desabotoeu a
sua túnica,movi as mãos pelo seu corpo,braços,ombros."Ah,céus...Esteja comigo,seja sensato,não vá embora agora meu querido".Não,ele não
iria,e não demorou para eu preparar um banho para nois.

Eu que de modo ousado preferi admirar nosso momento,somente nosso momento.No banheiro pudemos estar na imensa banheira,velas perfu-
madas para meu controle e transmitir-me paz.Era maravilhoso está com ele,ele que mantinha-se atrás de mim,me acolhia em seu leito."Espera-
va que tivesse me esquecido,fui uma ingrata,eu sei".Ele olhou para minha mão.

"Não a tirou,não tirou".Eu ri,olhava sua mão pousava a frente sobre a borda da banheira."Não,sinceramente não,mas creio que passei por mo-
mentos dolorosos".Ele olhou-me de lado,pode apertar-me contra a ele."Como assim? Não diga que andaram a pressionando".Eu pensei,olhei o
nada,assombrosos pensamentros se passaram pela minha mente.

"Perdi um filho Khayman,compreende isso?".Isso o fes gelar,principalmente ao mover seus braços a minha frente."Um filho...Isso assusta-me".
E que ficasse assustado,sem duvida de que minha quietude foi a melhor resposta.Foi bom saber que ele acatava isso para ele,ele que moveu a
sua mão sobre meu queijo."Não passará por isso ao está comigo,creia no que falo".Silencio.

Trevas se formaram,senti calafrios quando ele beijou-me,quando pude me silenciar,mover-me com delicadeza de lado.Acato a cada detalhe a
decidirmos e estava feito.Foram beijos morbidos,acho que o estalar das velas ao sumirmos sobre a espuma sobre as aguas da banheira foi o
culminar de tudo.

Ácido foi poder alimentá-lo,senti seus dentes moverem-se sobre minha garganta e se enterrarem.Sejamos sutis e eu havia sido.No entando a
noite foi movimentada,continua.Quietude,amores,sentimentos,tudo com que possam imaginar queridos.Khayman havia vindo e sem duvida de
que a troca de respostas foi a nossa melhor decisão.Estava feito.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Samantha-Cap 74

Mensagem  Ana Nery em Sab 18 Jun - 14:01:51

***Continuando***

Depois desse momento pude dormir ao lado de Khayman.Céus,eu estava sentada na mesa da penteadeira,o imenso espelho oval jazendo perante
mim,ele que me olhava sentado sobre a cama,eu que pensava ao mover a escova sobre meus cabelos,ele que observava tudo isso vidrado.Graças
que eu pude dar-lhe boa estadia em sua desesperada visita.

A camisola de seda que eu havia escolhido era vermelha em tom vinho,eu pensava.E somente quando ouvi sua voz e que respondi."Sabe que irei
embora amanhã a noite".Virei-me ao pousar a escova sobre a mesa."Poderá dormir durante o dia no sótão Khayman,não fique preocupado".Ele não
foi contra as ideias,mas segundo ele,ao aproximar-me,disse que preferia lugares mais naturais para vosso descanso durante o dia.

Foi bom mover-me por cima dele,o encher de beijos.Depois de tanto tempo era somente isso que minha pessoa podia fazer.Nos movemos sobre a
cama envoltos nesses beijos.Minhas necessidades femininas afloraram,mas mantive-me calada,não ia açoitar meu amado Khayman,não nesse mo-
mento em que podia mostrar mais se meus sentimentos.

Ele puxou as cobertas sobre a gente,sumimos em beijos por baixo delas."Hum? Não serei insensata querido".O respondi quando bramiu algumas coi-
sas em meus ouvidos.Nunca compreenderei como bebedores de sangue se adaptam tão bem ao tempo,mas sem duvida de que o fazem com maes-
tria.

Não que a lamuria fosse-me inevitável,mas iria ser.Isso ao termos que nos despedir na noite seguinte,termos que prosseguir com nossa tramoia.Eu a
contra gosto fui atrás dele no sótão assim que deu-se o tempo.Sai da biblioteca e entrei.Logo jaziamos nas ruas de Athena,iamos caminhar até a entra-
da dos bosques da Cidade,bosques que cuja trilhas levam as montanhas.

Eu havia escolhido uma saia curta de cor branca,a camisa negra de mangas curtas confortável,a bota também em seu tom negro.Andavamos,ele de-
cidiu vestiar suas roupas e isso tomou-me antes sairmos.Não demorou,logo entramos nas trilhas ao nos afastarmos mais da Rua Central de Athena.O
meu olhar brotava por sobre ele."Graças que Lestar ou algum veio ao meu encontro,irás em segurança querido".Ele voltou-se contra mim.

"Samantha serão quatro anos? Por que não antes?".Tive pena dele."Tenha calma Khayman,travaremos nossa guerra,agora vai,vai em segurança".O
seu olhar foi triste,triste ao beijar-me com fervor e calor de sentimentos para depois ir.O vi voltar-se de encontro as trilhas,com isso sumiu na escuridão
do bosque.Me deparei silenciada,pensando no que fazer futuramente.

"Não posso iludir Khayman,ele me espera,não poderei esconder isso por muito tempo,seria insensato".Admiti essa verdade para mim mesma envol-
ta nesse momento trevoroso.Fiquei por mais algum tempo no bosque,e logo deparei-me seguindo para casa.Chegando vi Gabrielle e isso tomou-me
de felizidade."Querida a onde estava?".Quis saber,ela que desencostou-se da murada da casa.Usava uma saia vermelha,camisa branca,um medalhão
em destaque.

"Andando Gabrielle,andando,respirando Gabrielle,respirando".Ela riu,acho que somente comigo ela se importa,não entendia,nunca entendei,mas isso
sempre foi evidente.No jardim sentamos á mesa,as rosas sobre a cobertura de vidro nunca estiveram tão belas! "Querida se quiser desejo preparar
algum chá para ti".A olhei,sabia que ela escondia alguns truques de comidinhas.Como dito por mim: Época secular de Lestat humano.

Eu ri."Por favor,seria maravilhoso".Não demorou muito e logo ela veio da cozinha trazendo uma bandeja com bulé e xicára.Serviu-me e pude comer
alguns biscoitos amanteigados."Que maravilha.Novamente peço desculpa pela ausencia Gabrielle,e que nem sempre estarei em casa,estive andando
nos bosques".Isso deu-lhe calafrios.

"Odeio pensar que bruxas podem ser tão vorazes".Não soube responder,mas sabia que teríamos momentos maravilhosos essa noite,e tivemos.Foi
maravilhoso está com ela.Passamos o resto da noite juntas.Nada como esses momentos para atiçar-me as vezes a pouca naturalidade da vida que
eu tenho.

Mas o feito maior de futuros acontecimentos foi apartir do mmento em que eu tive que sair para fazer pesquisas importantes.O semestre acabava e
eu corria para concluir trabalhos tão importantes.Eu tive que sair assim que voltei para casa.Se passará uma semana e eu agia.Não pedia tempo.Eu
olhei a imensa biblioteca ao chegar.

Subi a escadaria,a noite na Cidade de Athena fria,turbulenta.Eu tinha escolhido bem em usar um sobretudo delicado por cima de meu vestido de al-
godão,isso fazia conjunto perfeito,a cor violeta se destacava nas luzes da biblioteca.Tinha minha bolsa de lado,uma parta,canetas dentro."Droga,eu
precisando de tarefas normais".Brami andando dentre as prateleiras.

Mas não importava.Tinha prometido a Khayman e para meu próprio bem concluir minha normalidade no que diz respeito a formação humana.Todos
esses detalhes,e eu corria atrás.Era uma promessa: Logo,logo pretendia me uniar a Khayman e não perderia tempo,não queria ser qualquer uma a
está com ele,nunca.

Em poucos minutos jazi ao sentar-me á mesa ao chegar no segundo andar.Eu tinha conseguido bons livros de pesquisa,e isso encheu-me o coração de
alegria.O bom de tudo isso e que a biblioteca da Cidade de Athena fica aberta por longo tempo. Me envolvi nas pesquisas,comecei a decernir todas as
anotações que eu necessitava fazer.

Não que eu estivesse preocupada,mas sempre minha pessoa se importa com essas coisas.Dei-me a anotar,a ler,a decernir tudo,e céus,me foi bom sa-
ber que a bibliotecaria veio e deu-me um sanduiche de presente,isso encheu-me de espanto quando ela deixou o pacote com o sanduiche dentro.Mas
eu tive que voltar a atividade.

Os carros faziam sons sinuosos.as luzes da Cidade invadiam a biblioteca,e eu seguindo,agindo.A caneta movia-se sobre o blobo de papel,eu ia quar-
dando tudo na pasta ao lado.Pensava.E quando aquele infeliz apareceu quis matá-lo.Lestat apareceu subindo dentre a escada,olhou-me.O maldito ti-
nha ido em casa e saido a minha procura.

Usava óculos escuros,jaqueta,calça e bota justa."Pensei que tinha saído em viagem".O olhei,quis matá-lo ao sentar-me a frente."Acha que semore
vou ter atenção pra ti? Minha vida não e tua".Ele riu,tirou os óculos e senti pena."Preciso que venha comigo á casa de Vitória,ela está na Cidade e
deseja vê-la".Infelizidade.Ao menos deu para eu concluir meu trabalho de pesquisa semestral.

Acabando eu arrumei todo material na bolsa.Sai pelas Ruas com Lestat,o modo como ele silenciou-se sem graça foi-me para aclamar por pena.Ainda
retrogados pensamentos.Sinceridade.Chegando na casa de Vitória Regia,ela saiu pela porta em correria."Acho que chegou em bom momento.Não po-
derei ficar muito tempo na Cidade".Não compreendi.

Mas lembro de minha pessoa entrar,consumar a todas as observações.A cada detalhe.Soube que ela tinha vindo de suas andanças para fazer uma
tarefa especial,mas somente iria dizer no momento certo,caso lhe conviesse,mas bem? Queria comer algo,e com isso a deixei conversando com Lestat.
Sai a procura da Pizzaria mais próxima.

Foram dois quateirões até eu encontrar uma,entrar e pedir uma pizza.Eu estava faminta,como estava faminta.Ao menos a tarefa foi concluida e is-
so dava-me paz.Fiquei esperando sensata a mesa,a vidraça da pizzaria brilhando com suas prateleiras.Como a noite ungia passificada.Olhei o aten-
dente trazer-me a pizza.

Sentia o cheirinho maravilhoso.Coisas de feitiche pensei ao sair em risos.Tive que seguir os dois quarteirões e travei o portão ao entrar.Sabia que a
linda Vitória Regia e Lestat jaziam no jardim aos fundos da casa,logo depois da cozinha.Eu segui pela sala e deixei a caixa com a pizza sobre a mesa
e logo,logo iria fartar-me.

Olhei as luzes do jardim acesas ao entrar e vi como algo tomava conta do ar,o ar veio contra mim trazendo-me o algo espectral."Hum...?".Brami e
somente ao esconder-me por dentre a murada baixa do jardim e que pude ver.Pobre Lestat jazendo deitado,ele que estava apenas com calça,tinha
tirado a jaqueta,estava de pés descanço.

Ele se encontrava olhando os céus negros de Athena,Vitória mantinha-se sentada a seu lado.Pegá-los de surpresa realmente foi-me arrebatador.Eu
não desgrudei os olhos.Mantive meu foco:Lestat jazia tranquilo,não se incomodava com o fato de Vitória enfiar-lhe agulhas finas,delicadas como fios
de cabelos sobre seu peito.

Isso arrepiou-me,ela ia enfiando traçando uma especie de dezenho,as gotinhas de sangue iam brotando.O que ela ia fazer? Hava velas acesas so-
bre a relva do gramado perfumado do jardim."Vitória? E isso mesmo? Não fique preocupada,essa foi minha decisão".Ela não respondeu,estava afli-
ta por demais."Não sei se dara certo,mas e o que sei fazer".Ele riu,pode fechar os olhos.

O que ele tinha decido? Movi os olhos com sutileza.Ela havia terminado e pode tirar agulha por agulha."Por sobre a carne e espírito".Bramiu ela.E
pobre soprar por sobre a carne de Lestat,ela soprou forte,foi quando ele sentiu alguma dor latente.Vi como o desenho se formava,ganhava detalhe
coforme aquela força espectral tão poderosa ia sendo tragava para Lestat.Ela o ajudou a sentar-se.

"Psiu...Não vai demorar meu querido,vou sofrer,mas se e isso que decidiu,tudo bem".Sussurros aos ouvidos dele,e quando ela pousou a mão sobre
o desenho que agora se formava com um brilho sutiu de incadecencia,ele gritou.Pude ver seu olhar de dor."Lestat?".Ele não pode responder.Gemia
de dor,era como fogo contaminante.

E quando ela o ajudou a levantar-se,foi para ele querer morrer."Serão poucos anos,creia...E depois poderá fazê-lo".O que ela queria dizer? O olha-
va friamente."Tem certeza?".Vitória o olhou,move beijá-lo para depois responder."Sim,vá ao encontro dela e faça-o,faça o que desejar".Ele riu,po-
de mover a mão sobre o peito,lá estava o exagrama perfeito,o circulo com simbolos delicados.

Céus,isso tudo pegou-me de surpresa,tenho que admitir."Ah,sim...Não colocaria a vida de minha princesa que criei com tanto carinho a prova,não
quero que ela passe pelas provações que passei,ela não merece".Vitória o olhava,o vento atiçou-lhe o olhar.O vestido que ela usava movia-se.A
sutileza com que ela concluiu foi para ele ter certeza de algo.

"Doeu-me o coração quando disseram-me,mas não creio que tudo isso entendemos".Ele riu secamente ao abraça-la."Nem eu,mas saber que ela es-
tá protegida me basta".O que isso tudo significava? Sai petrificada em direção a cozinha e entrando na sala foi como se as trevas soprassem pelos
ventos.O que isso tudo significava? Lestat e todos os nossos próximos haviam tomado uma decisão secreta,algo começava a acontecer apartir do mo-
mento que Vitória fez aquilo.

"Nunca imaginei que Lestat tivesse aprimorado-se e agora em prática de magia bruta,que coisa,mas o que eles decidiram?".Era algo somente rela-
cionado a eles,e haviam me excluido de tudo.Isso deu-me raiva,mas iria sobreviver.Nada,nada como tal sofrimento.Logo os vi sair e pude ouvir o
que Vitória disse-me."Finalmente chegou,pensamos que iria demorar mais".

A olhei sentar-se na poltrona,Lestat ao meu lado atiçando-me os cabelos."Ah,sim,logo,logo irei alimentar-me".Ela riu.Olhei de lado sobre o peito
de Lestat,nada mais jazia lá,nada mais.Tive que admitir que o aclamado e invejado sangue de Thalwa o aprimorou com maestria.Ele beijou-me
o rosto.Pode abraçar-me.

"Tive que vir,e parece-me que logo,logo irás sair".Ela riu,pude entender.Ia,sim,mesmo nesse momento nada esqueci,nada deixei de lado.Passaria-
mos a noite juntos,sem duvida.Eu iria ficar.Iria está com eles.Algo acontecia,causava certo sofrimento,e isso eu sentia no ar.O que isso tudo signifi-
cava? Mas iria passar,eu desejava isso,ia passar.

***Continua***
Ana Nery
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro - RJ

https://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)  - Página 3 Empty Re: ***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum