***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ir em baixo

Samantha-Cap 75

Mensagem  Ana Nery em Dom 19 Jun - 13:13:13

***Continuando***

Fim: A consumação Final "Redenções de sangue"


O fato e que eu jazia ao lado de Lestat esperando alguma indagação de Vitória Regia,a minha pessoa infelizmente não teve coragem
de comentar a respeito de tudo que eu havia visto,muito menos compreender."No que pode esperar futuramente Samantha?".Tive a
ousadia de indagar ao que eu pretendia fazer.

"Bem,quem sabe um dia está morando em Páris".Isso a fez silenciar-se,manter-se firme para algumas coisas,eu sinceramente tentava
retroceder no que eu desejava."Não imaginar tu morando em Páris Samantha".Foi o que Lestat disse-me."Sem duvida de que tudo isso
e como minha privacidade".Ele arqueou a sobrancelha de lado.

Isso levou-me a pensar no fato de que a fome batia,continuava corroendo minha pessoa.Levantei e eles me seguiram,foi como tocas
notas ao piano e depois sumir,almejar conotação.O trágico de tudo e que eu queria muito compreender e estava sendo difícil deu po-
der compreender.

Sem duvida de que algo acontecia,de que Lestat,todos a nossa volta haviam decidido por algo,porém,odiava sentir-me excluída.Não
deixei de os olhar ao sentar-me,ao mover todos os detalhes pelos modos com que eles viram-me servir-se com Pizza.Eu que havia a-
brido a caixa e tirado uma fatia para mim."Digamos que possam está escondendo algo de mim,seria sensato pensar desse modo?".Eu
vi o espanto na face deles,mas foram mestres em silenciarem-se.

-Creia que jamais esconderíamos algo de vossa pessoa Samantha,muito menos nos envolveríamos em problemas que futuramente trou-
sesse problemas a vossa pessoa.

Será que Lestat falava com verdades? Não sei,logo fui a geladeira,tirei uma jarra cheia de chá gelado,me servi,Vitória pode romper a
sua quietude."Acha que escondemos algo de ti?".Brami ao tomar alguns goles."Não sei,mas creio que se lhes conviesse,sem duvida de
que o fariam".Foi o bastante para Lestat irritar-se.

Me senti repreendida nesse momento."Samantha,não seja insensata,não seja preceituosa como a muitos que erram.Isso deixa-me tris-
te Samantha".Hum...Será mesmo que ele podia ler minha mente para descobrir o que eu havia visto? Voltei a comer mais fatia de pizza.
Eu pensava silenciosa no fato da prática de mágica,no fato de que Lestat conseguia praticar,e não compreendi.

No passado ele sequer cogitava algo dessa natureza,mas agora? Saber que para ele era possível me dava medo.Céus! Eu havia visto o
simbolo somente remetente a prática de um bruxo ou bruxa,como sentir-me protegida e tranquila,se Lestat havia conseguido abrir por-
tas e romper essa barreira?

"Fique aqui,durma em nossa casa Samantha".Havia terminado de comer a fatia de pizza,o olhei.Vitória movia seu braço por trás dele,sua
mão movia-se sobre o ombro de Lestat,ela beijava seu rosto."Hum...Não creio que serei uma boa companhia".Ele moveu-se vindo até a
minha pessoa,o olhei movendo-me de lado.

"Por favor,precisarei está contigo depois".Me assustei."Como assim?".Ele beijou minha testa ao erguer-se de pé."Saberá depois que eu e
Vitória voltarmos".Compreendi.Eles iam sair.Não ia demorar."Tudo bem Lestat,tudo bem".Me envolvi na comilança,minha os viu sair,iam se
preparar para sair.

Como foi-me gratificante vê-los se envolver nesse preparo.Eu bebia chá-gelado,comia,matava minha vontade,enquanto isso Lestat esta-
va envolto em seus preparos alheios.Tudo foi rápido:Antes de sair ao descer com Vitória ele parou na porta da cozinha,olhou-me silencio-
sa por alguns momentos,e pareceu-me que uma centelha de olhar negro passou-se na mente.

Se foram,a porta bateu-se.Levante-me ofegando,alguma tristeza inesperada tomava conta de mim e eu necessitava agir.Na sala desejei
ter entrado na mente de Lestat e saber tudo a respeito do que acontecia.Havia me desgastado e isso levou-me a apagar as luzes após a
rápida arrumação na linda cozinha.Somente as luminárias acessas.

No quarto que fora de Aziel olhei o armário,havia túnicas separadas,tudo em seu lugar.Escolhi uma de cor vinho,as longas mandas com ren-
da branca na altura dos pulsos me encantou."Creio que Lestat enlouqueceu,queria muito saber o que acontece".Bramia enquanto me despi-
a,e dei-me conta pela 1° vez que era impossível a essa altura da vida não ser aclamada como mulher.

Me olhei nua no espelho.Uma jovem alta,pele branca,cabelos longos e loiros,as ondas atrás das costas,mas os seios,isso doeu-me a alma.
Ao ter engravidado de Ellenos,eu produzi leite,mas não o tinha mais e claro.Me senti humilhada ao lembrar desse momento."Céus,admito a
contra gosto de que não dou para isso".Vesti a túnica.

Não pensei com profundidade no significado de tudo,apenas desejava saber.Olhei um livro especial sobre a escrivaninha,eu deitei-me de la-
do sobre a cama e comecei a ler.Sabia que Lestat ia demorar,que ele pouco estava se importando,que sua pessoa sequer ligava para mim.
"Sem duvida de que devido a aprontação e rebelião de papai contra ele no passado,viu-se obrigado a cuidar de mim".Falei ao ler as primeiras
linhas do lindo livro.

"Enquanto isso eu tramo: Logo irei está com Khayman e não deixarei herdeiro nem um para ele".Doloroso,mas essa tinha sido minha decisão
e sem duvida de que eu adorara.Me envolvi na leitura,prossegui silenciosa,maravilhava para com o momento maravilhoso.Será que tudo isso
ia valer a pena?

Não sabia,não sabia ao menos naquele momento.Durante a leitura eu refleti a respeito do passado de Lestat,de como fora humano ele se
tornou uma pessoa tão amarga,tomava de discórdia.Como lamentei,lamentei friamente ao longo desse processo saber que Lestat apanhou.
Não teve infância,muito menos pode ser feliz em sua vida humana.

Eles chegaram a paisana na madrugada,e eu quase apagando de sono.Ouvi eles conversarem ao andarem pelo corredor.Lestat foi visto ao
parar na porta.Lindo ser vestido de calça jeans de cor azul,a bota negra justa,perfeita,camiseta branca por baixo do londo casaco negro.O
seu olhar foi imediato."Podemos conversar?".O que ele queria?

Olhei para Vitória,não,esqueço de avisar de que ela não se trocou para sair naquele momento,que malva."E com você,não fui eu que ensisti
Lestat,o espero no quarto querido".Ele riu,segurava algo na mão,fechou a porta e tirando os óculos ao sentar-se a beira da cama disse."Eu
fico feliz que tenha decidido aceitar meu convite de dormir aqui.Samantha não creio que foi-me insensato deixá-la de presentear com joias.A
minha irritação e por isso.Como pude deixá-la sem joias?".Como senti raiva.

Ele entregou-me a caixa com malícia."Disse que lhe daria as joias mais belas que eu poderia encontrar".Compreendi,e mesmo assim,eu queri-
a um trato.Olhei a caixa negra."Lestat...Nunca pedi isso porque tudo e caro,não creio que luxo seja meu estilo convencional de ardonar-me".
Ele riu,viu-me abrir a caixa.

Se tratava de um pá de brincos,brincos de pérolas negras,vi o colar de pérolas."Eu...Isso tudo me deixa sem graça".Brami espantada ao ver
as joias."Hum...Nada melhor do que gotas do mar a ardonar-lhe,eu te amo querida,e isso que importa".Não compreendi seu estado espiritual.
Apenas o olhei tomada me colocar o colar,depois os brincos.

"Olhe só...Se assim já fica linda,imagine quando um dia construir sua família,imagino como será bela ao ser uma dama entanto".Loucura pude
sentir brotar dele,ele que moveu sua mão sobre meu rosto,pode beijar meus lábios com delicadeza."Jura-me que continuara,que construíra a
melhor vida humana possível".Senti arrepios.

"Fale-me sobre Merrick,adoraria que falasse mais sobre ela".Ele respirou fundo,deu-se a pensar."Merrick...Merrick,Merrick...Não creio que eu
estivesse bem ao levá-la,ter confiado e levá-la para tal morte".Isso causou-me arrepios."Eu e que não creio que tu tenha espírito,seja um ser
sensato".Ele bramiu algumas coisas,tinha sido tomado por dor.

-Não esperava ser enganado,não esperava que houvesse alguma armação,e foi. Mas não quero tocar em assuntos que me machucam,que a
cada noite me assolam,e um passo destruído,não quero lembrar.

"Por que não?".Ele sorriu,abraçou-se com força,e somente nesse momento ouvi seu choro."Simplesmente porque não posso falhar com você
ou qualquer um deles Samantha.Merrick foi poderosa,unica em seu leito".O olhei,e temerosa movi as mãos por suas lágrimas de sangue."Inve-
ja,considero isso,sabe que a vi correto?".Ele levantou-se movendo a palma da mão sobre o rosto.

"Louis disse-me,mas bem querida,durma".Sem duvida. A vontade já me consumia e depois disso,céus.Ele tirou-me as joias,enquanto isso eu
me deitei,puxei as cobertas sobre mim.Ele deixou a caixa e o livro sobre a escrivaninha.Quando a porta bateu foi como trovões ecoando em mi-
nha mente,todos os meus sentidos apagaram.

Me deparei andando dentre campos,flores,tudo com que se possa imaginar.Sequer cogitava a ideia de acontecer tudo isso,mas bem,sentia o
meu coração bater,enquanto domia ouvia ele bater,um bater contaminante como ácido profundo,todos os detalhes me assolaram,foi como as
trevas sinuosas.

Ouvi algo tocar-me,ouvi o tic-tac do relógio,e somente compreendi a situação quanto ouvi a voz dela.'Creio que será sensato ir ao quarto de
Lestat'.A essa altura da noite e ela pedia-me para ir? Merrick marecia aflita,tomada de algum desespero.'O odeio,mas saber do que acontece
causa-me frustração.Não quero que ele morra e não veja minha vitória sobre ele'.Que pavor.

Ela sumiu ao por-me de pé,sai pelo corredor.Abri a porta e vi Lestat dormindo ao lado de Vitória Regia.O vento fazia as cortinas moverem-se.
A varanda jazia aberta,ele dormia,acolhia Vitória ao seu lado,ela que tinha seu rosto sobre o ombro dele.O que acontecia? 'Samantha? Como
a tua pessoa e insensata'.Não compreendi Merrick ter me falado isso.

Mas ao aproximar-me da cama eu vi,vi como visão.Segurei meu grito,vi pela mente conforme passeava os olhos por Lestat os simbolos ances-
trais,um exatagrama piramidal perfeito,o que chamamos de pentacono.Um circulo ardonado de todos esses simbolos.Lestat dormia,o vento vi-
nha e tudo me foi transmutado.

Esse simbolo jazia por sobre o coração dele,coração que enchergava em mente."Isso e loucura,loucura".Brami baixinho temendo acordá-lo de
seu pouco descanso antes de retirar-se."Céus...Queria saber".Nada havia sido dito,eu somente sai enlouquecida."Que infelizidade,Lestat está
marcado,simbolos assim são usados para marcar alguém".Passei o resto da madrugada na sala,nada além disso,loucura,loucura! Será que as
vezes a loucura nos toma por definitivo!?

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 76

Mensagem  Ana Nery em Dom 19 Jun - 14:39:43

***Continuando***

Refleti por um longo tempo,refleti até poder por minha mente em ordem.Clamava mentalmente que algo acontecesse para eu poder compreender
tudo isso,os motivos de Vitória ter feito o que fez."Simbolos assim servem para marcar alguém,porém,não creio que tudo isso seja sensato,mas a
minha pessoa sabe que algo foi tramado".Lembrei da tristeza de Lestat,do algo pairando sobre ele no momento em que passou no quarto para po-
der dar as joias.

Não sabia o que acontecia,mas sabia que era alguma tramoia de Lestat.Quem sabe David soubesse de algo,Marius,até mesmo Armand.Todas as
idéias se passavan en minha mente e cheguei a uma conclusão."Não! Mesmo se soubessem,a gravidade do caso os levaria a mentir,não falar,digo
isso por saber do significado do uso de simbolos como pentaganos,pentaconos,tudo isso".

A quietude foi-me necessária,principalmente quando ele acordou,foi procurar-me no quarto e não me vendo desceu a escada."Samantha?".O olhei
ao parar de pé a minha frete.Havia vestido calça e roupão de pura seda,jazia sonolento."Tenha calma querido,somente coisas a assolar-me".Isso
o fez rir,deitou-se de lado no sofá pusando seu rosto no meu colo.

"Desculpe,estou cansado,muito sono,mal vejo a hora de recolher-me no sótão,qualquer lugar".O olhava,ele aos poucos ardomeceu e deparei-me a
pensar.Fiquei movendo a mão sobre seus cabelos macios.Havia sido uma noite trevorosa para mim,mas ia continuar,não cederia.Mesmo aflita eu ti-
ve que engolir em seco que não ia saber do que acontecia.

A chegada de meus dezoito anos foi tão rápida,céus,foi como ventos provocando-me miragens e ao longo dessas semanas arduas de compromis-
sos eu pude realizar tudo remetente a pesquisas e estudos.Não quis nem uma comemoração,muito menos qualquer feitiche,decidi passar a noite na
mansão com Lestat e Gabrielle,Thalwa jazia em compromissos,principalmente no que diz respeito a sérios acontecimentos entre Aziel e Hyarian.

Mas calo-me,o fato e que o havia feito e tinha-me sido maravilhoso esse momento.Uma semana após essa singela comemoração deparei-me com o
momento mais assustador relacionado a Lestat.Foi-me doloroso ter saído a procura de material para pesquisa e acontecer o que aconteceu.Eu estava
com planos para entrar na faculdade,e não ia demorar como devem supor.

Havia decidido investir na area de pesquisas tecnológias e históricas.Pensava nisso enquanto caminhava pela calçada segurando a bolsa.Ainda es-
tava para vir momento mais trevoroso,creio,eu.Não deparar-me com meu amado cão que havia morrido ao longo dessa semana me foi doloroso.E
senti no ar.

"Lestat está aqui,e claro".E claro! Mas não a respeito do que eu veria ao seguir em direção a biblioteca nos fundos do jardim da casa e vê-lo passan-
do mal.Lestat passando mal? Eu não acreditava nisso,parecia piada.Coloquei a bolsa por sobre a mesa da biblioteca,que começo de noite."O que vo-
cê tem?".Ele jazia sentado ao chão encostado em uma das imensas prateleiras.

"Nada,nada querida,ajude-me a levantar-me".Era piada,só podia,ser.Sangue escorria de sua boca,era como se ele estivesse sentindo dor latente,is-
so tudo me deixou desconcertada."Lestat o que acontece? Olhe para tu,descutiu com alguém? Brigou com algum ser bestial Lestat?".Havia abaixado
ao seu lado,ele moveu a mão sobre seu peito,doia,e como doia.

"Ah,céus...Isso doi,como doi".Bramiu em dor profunda."Lestat?".Somente tive tempo de vê-lo olhar para mim,de apagar."Céus...Céus...".Clamava
por algum sinal de vida dele,mas envão,a dor havia sido exatamente sobre seu coração,olhava sua boca suja de sangue,o segurava na altura dos om-
bros mantendo as mãos a frente.

Não tinha ninguém para ajudar-me e tive que usar de todas as forças para levar Lestat desmaiado até a sala.Uma menina fraca puxando pelo chão
um ser como Lestat.Isso era doloroso.O puxei pelos braços,ele nada sentiu,muito menos viu.O deixei no sofá.Logo pude limpar seu rosto ao pegar pa-
no humido com água.

"Céus,eu não sei se ele vai voltar".Temia que ele realmente não voltasse,eu havia sentido uma subta ida de Lestat,quase morte definitiva,mas eu
continuava,jazia ajoelhada a frente do sofá limpando seu rosto,boca,tudo com delicadeza."Forças lhe são arrancadas".Bramia enquanto movia o pa-
no sobre seu rosto.

Somente quando ouvi um sutiu tossir dele e que afastei-me."Querido pode ouvir-me?".Ele esperou um pouco olhando-me de lado para poder falar.
"Hum...Creio que eu precisse ir Samantha".Como assim!? O olhava de pé e sentando na poltrona pude compreender."Desmaia ao sentir dor,tem a
fraquessa brotando de seu ser.Como na maior cara de pau pretende ir?".Queria saber.

Mesmo sabendo de minha angustia nada ele disse.Sentou-se ofegando,tomou ar por alguns momentos."Preciso ir Samantha".Me apressei em querer
ajudá-lo,mas nada fez diferença."Me solta! Mandei largar-me!".Gritou olhando-me como se fosse um cão,foi o bastante para afastar-me,ser tomada de
angustia fatal.

"O que está acontecendo Lestat? Diga-me,diga-me e quem sabe possa ajudar".A dor ainda brotava dele quando seguiu em direção a porta."Lestat!
Isso e ruim! Mente para mim!".No jardim ele virou-se,pode respirar,mover a mão sobre seus lábios,vi gotas de sangue sobre os dedos."Mente para
mim".Isso o fez manter seridade.

"Nunca menti,mas há coisas que não são de seu interesse".Puras trevas emanavam dele,ele tirou os óculos,aproximou-se de mim."Princesa saiba
que faria de tudo,até mesmo uma guerra para proteger-te,eu te amo e é somente isso que importa".Loucura pensei o olhando.E nisso ele seguiu.
Pode finalmente ir.Fui até o portão.O vi sumir entre as pessoas:Um ser alto,os cabelos loiros até os ombros,camisa branca em conjunto com calça
e bota justa.

O que pensar? Entrei na sala tomada,aflita com tudo o que acontecia.Não creio que tudo isso era-me sensato,afinitivo para minha pessoa.Desabei
ao sentar-me no sofá da sala.Ajeitei a borda de minha saia longa."E como ser sugado...Lestat mente para mim,e como se ele estivesse travando
uma guerra pessoal com algo e não sei o que".Teria que descobrir.

Essa foi minha meta,minha lamúria final depois desse momento aterrador.A sutileza não havia sido necessária ao longo dessa noite,sem duvida de
que a minha pessoa fosse tenebrosa,e entrou em trevas nesse momento.Chorei como criança ao deitar-me no sofá,ao encolher minhas pernas.Sabia
que Lestat estava sofrendo,e não saber foi-me o pior golpe.

"Eles escondem coisas de mim,escondem coisas como se eu não fosse capaz de suportá-las".Geralmente nesse momento temos vontade de nos sui-
cidar,não e? Lembrei do momento em que quase morri ao querer fazê-lo,e tive que resistir para não fazê-lo nesse momento.Logo a chuva caiu,foi co-
mo se os elementares tivessem adivinhado meu estado espiritual.

Ao decorrer das noites soube que Lestat tinha saído da Cidade,ao ao ir a mansão e perguntar a Gabrielle.'Lestat não está na Cidade e não sei quan-
do ele voltará Samantha'.Sai de lá detonada espiritualmente.Sem duvida de que ele jazia em alguma tarefa importante que eu não devia saber.Eu
sabia que havia acontecido algo com Hyarian e Aziel,porém,tive que esquecer-me disso.Não era de meu respeito saber.

Dei continuidade a minha escolha facultativa conforme foi-me necessário.Havia feito minha escolha e sem duvida de que passei uma semana corri-
da a respeito desse process.Khayman me veio a mente durante esses momentos,foi minha salvação para não enlouquecer.Mentalmente soube que
nem Thalwa,Gabrielle,muito menos Ardônis jaziam na Cidade de Athena.

A fatalidade de tudo isso e proveniente do quê!? Ah! Proveniente dos segredos e acontecimentos que eles passaram a esconder-me,e isso fazia-me
perdida.Em uma tranquila noite jazendo um dos meus preciosos momentos de tranquilidade elas vieram,vieram como se fossema tiçadas por guerra.
Eu estava sentada á mesa da varanda,escrevia em meu bloco de anotação,pensava friamente como prosseguir com o processo.

Foi quando o vento trouxe-me a centelha do perigo real e bruto.Somente quando voltei meu rosto para trás e que eu vi Maya atrás de mim,dessa
vez o perigo era real."Acho que chegou seu momento,precisamos ir Samantha".O quê? Foi o que pensei,somente deu tempo deu sentir seu braço
mover-se agarrando-me.

Eu senti o peço de sua força assolando-me."Me laga! O que e isso!? Como ousam invadir minha casa!?".Berrava,ela me puxava pela cintura,seguia
comigo pelo corredor."O que acontece!?".O desespero bateu a mente,eu berrava,sentia imensa dor conforme ela segurava-me pela cintura."Para! O
que querem!?".Ela respondeu-me friamente enquanto prosseguia."Seu coração,somente isso,não podemos esperar mais,muitas de nossas irmãos mor-
reram nas últimas noites,agradeça a Lestat".Infelizidade!

Era isso? Era isso que escondiam de mim? Eu queria chorar! Ela largou-me sobre o gramado do jardim ao chegarmos."Pode levar Sabrina,creio que
aqui poderemos prosseguir".A olhei tomada de pavor."Céus,não creio que isso seja real,como Lestat pode errar? Ele pensou mesmo que poderia ter
a morte de muitas,mas não foi,assim".A olhava tomada de pavor.

Ela agarrou-me pelos ombros quando quis fugir,tive minha túnica rasgada nesse momento."Calma ai sua vadia,disse que não ia falhar! Acha mesmo
que Lestat e tão esperto assim? Hum...Sabia que ele está morrendo? Sendo tragado aos poucos por uma decisão acatada por todos os seus próximos?".
Ela segurava-me,tinha uma adaga encostava sobre minha garganta.

"O problema e que não posso levá-la morta ao nosso reino,tem que chegar viva lá".Foi aterrador,estava sendo aterrador.Eu respirei,pensava no
que ela disse-me."Hum...Logo,logo Lestat vai morrer,e isso nos abrirá mais porta,acho que me basta de esperar,não posso por a vida de nossas ir-
mãs em risco".Fez com que Maya segurasse-me.

Eu sentia dor em meus ossos com sua força."Maldita,és infiel Sabrina,sua idiota!'.Berrei."Hum..Não sei,pense como quiser".Pude ouvir coisas em
meus ouvidos,e isso assustou-me,olhava no olho de Sabrina que encarava-me,tinha suas imensas asas abertas.'Fique fria,cale-se Samantha,cale-se'.
Era mamãe? Não acreditei,não pude acreditar que sua mente foi tão poderosa a enviar-me essa mentagem importante.

'Redenção? Mate-as'.O que? O que ela tinha feito? Somente deu tempo de ver Redenção aparecer,dele açoitar Sabrina por trás,poder obrigá-la a
recuar."Vai-te embora vadia,vai-te embora ou açoito teu espírito para bem longe!".Ele estava com raiva,imensa fúria,Maya ocupou-se em tentar
ajudar Sabrina.

Eu deparei-me olhando a briga entre os três,com os modos com que Redenção usava sua espada,como ele tentava cortar Sabrina,Maya tentou
segurá-lo por trás,mas creio que ela não esperava por uma força espectral tão poderosa a tragando pelo vento."Mandei ir-te embora! Mandei ir
embora!".Ele berrou,Sabrina não acreditando que se deparara com um ser como ele.

"Ser lamurioso".Bramiu,ela que moveu a mão sobre veu ombro ferido,Maya que juntou-se a ela,as duas me olharam de lado.As olhei tomada de
pavor."Hum...Hum...Da onde vem,quero saber da onde vem!".Berrou Sabrina,seus olhos verdes esbugalhados,ela e Maya sentiam dor.Pude le-
vantar-me,ver o modo como Redenção olhou-me.

"Fique fria,siga o conselho de sua mãe,fique fria e deixe isso comigo".Ele voltou o olhar para as duas,dessa vez em fúria."Vamos resolver isso,eu
não creio que serei cordial".Eu não acreditei no que olhava,somente o vi mover a mão a frente,aqueles sinais espectrais jazerem no ar."Não fa-
ça isso".Ele riu."Ah! Farei,sim".Bramiu.Foi como um bramir alto,abaxei-me devido a força do vento,a sutileza de sons como sinos ecoarem no ar.

Céus,céus! O que acontecia.Olhando vi que nem ele ou as duas jaziam lá,me aproximei,mas com imensa dor no corpo.Vi as chamas espectrais
jazerem no gramado.Algo tomou-me o corpo:Me deparei com gritos,com Redenção jazendo de sua força em uma guerra particular com Maya e
Sabrina,elas que brigavam com ele.

Me silenciei.Movi a mão de encontro ao coração,pensei em Lestat."O que está acontecendo...O que está acontecendo".Mais gritos e coisas vin-
do a mente:Imensas trevas jazendo entre o mundo bestial e dos bedores de sangue,imensa guerra.Sentada sobre a relva do gramado silencio.A
quietude era meu remédio nesse momento.

"O que acontece,o que está acontecendo".Mamãe fora apta a mandar-me Redenção mesmo a distâncias,e tive a prova de que a força dela ainda
era-me desconhecida,a muitos.Pensei nesse simples fato.Se Redenção tinha encontrado Sabrina e Maya e que sem duvida de que Lilith estava ca-
çando algo,não estava disposta a ceder.O que acontecia? Ah,céus. Isso corroia a alma.Somente podia esperar por respostas,somente isso.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 77

Mensagem  Ana Nery em Seg 20 Jun - 14:34:41

***Continuando***

Tive a coragem de ir em direção a sala.Passei pela varanda tomada de pensamentos pecaminosos,sem duvida de que algo
pairava no ar,Lestat e seus companheiros tentavam impor força a algo.E sem duvida isso aconteceu por um unico motivo.
O meu pensamento foi cético."Foi a decisão de Lestat,sem duvida de que com o tempo,causou imenso estardalhaço".Eu a
pensar piamente em casa detalhe.

Sentada no sofá fiquei envolta nesse transe de auta-procura de conhecimento."Não vai tardar e sei que sem duvida terei o
motivo para ter uma resposta".Será mesmo que eu estava certa? Não sabia,mas creio que envolver-me em cada detalhe de
futuros acontecimentos me seria necessário.

Sem duvida de que isso não havia acontecido envão,por qualquer motivo futil.Para que compreender cada detalhe? Será a
contra gosto que eu tinha que aprender sozinha? Pensava,dessa vez deitei-me sobre o sofá olhando para o teto,tinha uma
das minhas mãos pousadas sobre minha testa.

Somente conseguia pensar em Lestat,como sua crueza ficou mais saliente ao longo dos anos."Creio que ele nunca me dirá,o
meu pressentimento e esse".Lembrei da noite em que ele passou mal,foi tomado pela dor que o atordoara tanto ao longo do
momento.

Coisas vinham-me a mente,e somente tive a escolha de logo,logo,poder subir,envolverme em detalhes sofisticados de des-
canso,mas seria algo que somente faria ao respirar.Respirei ao sentar,tomar ar.No quarto tomei a decisão de tomar banho
e quem sabe ter a noite de descanso que eu necessitava nesse momento.

Mas sem duvida de que o processo facultativo acontecia e sei que minha pessoa haveria de ter uma boa continuidade.Não
iria demorar,logo me encontrei nua andando pelo quarto após tirar as vestes que ficaram-me unitilizaveis.Esperava que eles
pudessem está bem.Que Lestat,Thalwa,Louis,Sépia,até mesmo Marius,Maharet e Mekare,quem sabem Hyarian e Aziel mo-
vessem fronteiras a tentar entrar em contato comigo.

Porta do banheiro fechada,lacrada.Uma hora inteira até sair,me enjugar e procurar uma linda camisola de cor verde-folha
e poder escovar meus cabelos.Como foi bom jazer na cama,como foi-me gratificante envolver-me em sonhos letais ao cair
na cama macia,sentir a maciez dos lençóis.

Sonhei com Lestat essa noite,sonhei como ele a vir ao meu encontro,de minha pessoa curando suas dores,sonhei com ele a
dizer-me coisas necessárias.'Pena que sejas um fruto proibido a minha pessoa,pena que seja proibida a mim,porque se não
o fosse,juro que a tomaria a força Samantha'.Será que eu ouvia isso?

Sua bramia aos meus ouvidos provocando um ecoar perfeito.'Hum...Fruto de meu sangue vivo,mas não fruto de meus pra-
zeres alheios,prazeres da carne.Maldita filha da carne viva que provoca-me desejos intimos que não podem ser realizados'.
Miserável! Como quis que fosse verdade.

Me deparei correndo atrás dele,ele que virou-se e andou,desapareceu na escuridão do lugar que estavamos.O calor,com o
momento,o raiar do dia mortal.Abri os olhos,os abri com delicadeza.Temi que algo me envolvesse.Ah,céus,como doeu-me no
coração saber que não era verdade,como quis que o tivesse sido.

Acho que sentar-me sobre a cama,encher-me por sobre as pernas e chorar foi meu melhor remédio.Somente minhas necessi-
dades haveriam de façar alto nesse momento,sem duvida de que o bramir do dia era-me necessário ao decorrer de todos os
futuros momentos,e foi.

Não acreditei ao chegar no início da tarde deparar-me com uma carta de David.Abri a caixa do correio e lá estava.Sentando a
beira do chafáriz deparei-me lendo cada detalhe da carta.David Talbot havia sido um antigo amigo de Lestat,até mesmo parcei-
ro para com coisas intimas,creio eu ao olhar e arquear o cenho de minha sobrancelha,em pensar que o tinha visto poucas vezes.

"Querida Samantha Chariére De Lioncourt,creio que será o momento perfeito para que possamos nos ver.Espero que possa
vir passar alguns dias conosco em Nova Orleans.Escrevo a pedido de Carlos e Letícia.

Creio que saberei quando chegar,mas a resposta dependerá de vossa pessoa.Logo saberei.Abraços de David Talbot,apenas
adoraria conhecer um ser tão especial para Lestat.

Assinado: DAVID TALBOT".

Será que devia ir? Claro que sim,seria uma change entanto para conhecer uma Cidade que por determinada época foi importan-
te para Lestat,David e Louis,mas bem! Só respondi ao entrar.No quarto escrevi rapidamente e levei o envelope para caixa de
correios.Deparei-me de braços cruzados,olhei os céus."A onde tu está Lestat?".Ele ainda não tinha aparecido.

O que fiz ao decorrer dos dias foi encomendar minhas passagens,dá continuidade a seleção facultativa:Quase lá,só mais um pou-
co de esforço e sem duvida iria poder desfrutar de algo tão importante para mim.Foram três noites nisso,Lestat somente apareceu
na quarta noite.

Eu senti sua chegada ao está estudando no quarto,envolta em uma série de pesquisa remente a calculos fisícos.O vi entrar com
Thalwa,ela tinha vindo e isso causou-me dor.Ela olhou-me silenciada."E verdade que logo poderá começar a faculdade Samantha?".
A olhava de pé,a túnica que eu usava moveu-se com meu olhar.

"Ah,sim,estou terminando meu processo".Para Lestat foi como um imenso golpe.Estava lindo essa noite ao vestir calça de bom
corte,a cor marrom-escuro se destacava com a camisa de linho de cor branca,os botões de pérolas negras brilhavam sobre as
luzes,tinha os cabelos escovados,amarrados com uma bela fita negra de pura seda.

O que se passava na mente dele? Não sei,mas creio que forte o bastante para ele dizer-me."Me desculpe pela ausencia,mas eu
creio que tivemos problemas sérios a resolver Samantha".Só podia ser brincadeira,céus.Thalwa sentou-se ao meu lado seguran-
do minha mão,seu vestido vermelho de algodão lindo ao destacar suas curvas e seios."Saiba que lhe daremos apoio indepedente
de que carreira queira seguir".Encarava Lestat.

Ele cruzou as pernas,mantinha-se insolado consigo mesmo."Não creio que deva pedir desculpas,creio que fui pertubada o bastan-
te pelas arpias".Isso o fez se sobressaltar."Como assim?".O olhei,Thalwa mantinha o foco sobre ele."Hum...Nada,mas creio que o
fato de Lilith ter enviado Redenção foi minha salvação".Isso o fez explodir,Thalwa apressou-se em controlá-lo,ele tossiu forte,foi
uma dor latente a tomá-lo.

Ela ajudou-o a sentá-lo,ele respirou fundo."Infernos...Não estava aqui,creio que matando Arpias por demais".Eu ri de lado,senti a
consolidação."Ah,Lestat,mente para mim,como mente maldito".Thalwa olhou-me,nada respondeu,estava preocupada com Lestat o
bastante para falar algo.

-Até quando vai mentir Lestat? Diga-me,até quando vai mentir dizendo que tudo está bem você,quando na verdade não está!? A
sua pessoa realmente pode sentir como isso tudo me deixa frustrada!?

"Cala sua boca...Nada tenho para justificar-me Samantha!".Thalwa sentiu-se aflita,tentou harmonizar a situação,mas foi impossível.
"Não me calo,se quiser,pode matar-me,fazer-me em pedaços,mas eu não me calo.O que Sabrina quis dizer quando disse-me que tu
está morrendo? Pode respoder?".Brami andando a frente,isso fez Thalwa finalmente falar."Sabrina enlouquece,creio que tão louca a
resolver vosso problema,que fala coisas tolas".

"Thalwa olhe para ele! Não diga-me que Lestat está bem,porque sei que não está! Acha mesmo que está!? Vai mentir mesmo assim?".
Ela moveu o rosto com delicadeza,pela primeira vez seus olhos emanavam tristeza."Pensava que fosse mais sensata,mas isso faz-me
triste".Ela direcionou-se em direção a porta.

"Lestat estarei na mansão,fique calmo,e o melhor a fazer".Pude ficar a sós com ele,e isso o fez rir secamente para mim.Ele sentia dor
dentro de seu coração,respirava,mas mantinha-se firme."Tira-me as forças Samantha,mas nunca substimei sua voraz mente".Nada a
temer,foi o que senti ao encará-lo.

"Hum...Pense como quiser,vou subir".Ele levantou-se em risos."Estarei aqui,faça o que tem que fazer no quarto,estarei aqui".Foi o de-
sejo de meu espírito.No quarto entrei e pude quardar tudo que necessitava.Na varanda pude senti que até Gabrielle estava na Cida-
de e isso tomou-me.

Quis saber,e mesmo assim Lestat não disse,segurava-se mesmo eu o fazendo sofrer tanto,o fazer desgostoso para com minhas atitu-
des.Não demorou e deparei-me deitada na cama,pensando sobre tudo o que foi-me dito.Olhava o brilho das luzes do jardim e Rua en-
trando pela varanda.

Angustia,mesmo assim eu tinha que segurar-me.Sem querer cochilei por alguns minutinhos e Lestat fez proveito dessa situação para
vir ao meu encontro.Ele que deitou-se por trás de mim me abraçando junto de si."Sei de tua dor,mas creia,eu nunca desejei isso,eu a
amo Samantha,e não creio que vou falhar e deixá-la sem proteção".O que ele queria dizer com isso?

Ele tinha medo,medo de minha morte,e não compreendi,todos nos morremos,essa e a unica verdade ácida e fatal que os humanos po-
dem saber.Ele beijou-me o rosto,eu olhava as cortinas do quarto movendo-se."Mente para mim,mentiroso".Somente pude sentir seu
puxar sobre mim,o modo como ele continuava beijando meu rosto.

"Psiu...Não faça mais perguntar,certo? Creio que minha dor e tristeza,e como uma doença.Creio que o fato deu a desejar e não poder
tê-la,e o que doi-me o espírito".Me virei a olhá-lo.Seus olhos azuis brilhavam sobre o escuro do quarto."Miserável,tem medo? Medo de
tudo o consumir?".Ele mantinha-se quietinho,como um garotinho encolhido deitado junto de mim.

"Isso e muito mais".Filho da mãe pensei,vi em seu olhar que ele não me desejava,somente tinha medo de minha morte.Fui consumida a
mover meus lábios sobre sua boca,o beijar,sentir-me tragada por ele,por suas mãos que se moveram sobre minhas pernas a pousarem
sobre meus seios.

O acolhi junto de mim,o deixei se consumir em choro,e mesmo ele tendo mentido me silenciei.Lestat manteve-se deitado junto de mim
chorando,seu rosto que se movia dentre meus seios,eu afagava-lhe os cabelos soltos quando puxei a fita.Meu olhar se perdia sobre
a paisagem que a varanda me própiciava.Nada como trégua,solidão.

Sem duvida essa era o unico desejo que ele tinha.'Está sendo decidido por uma decisão pessoa,e mesmo assim não me conta,mesmo
sabendo que o odeio,não me conta'.Pensava nesse transe.Os gruidos deles foram ficando diminutos,silenciosos.Soube que ele tinha
ardomecido em meu leito.O acolhia,o iria acolher.Ele tinha voltado,e pelo visto destruído por um desejo e decisão que o consomia co-
mo ácido,noite após noite.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 78

Mensagem  Ana Nery em Seg 20 Jun - 15:40:31

***Continuando***

Lestat somente soube que ia para Nova Orleans quando chegou a noite deu arrumar as malas,somente nesse momento e que eu
pude dizer.Eu jazia no quarto arrumando as roupas,faziam duas noites depois desse acontecimento tenebroso na volta dele.Para
mim,tudo isso era mistério.

Eu me irritava por saber que ia levar poucas roupas.Eu olhava duas malas principais por sobre a cama.Eu ia e voltava do gloset.O
que eu queria? Procurava vestidos,saias,camisetas,botas,sandálias,e quem sabe um bom estojo de maquiagem para poder levar.
Dobrava peça por peça,ia colocando uma a uma nas malas.

Só ia viajar na noite seguinte,mas creio que minha pessoa devia se preparar muito bem para uma ocassião tão especial.Ouvi passo
e isso me tomou deprevenida."Samantha está no quarto?".Era Lestat,eu não respondi,somente o deixei entrar movendo seu olhar
sobre minha pessoa que continuava quardando as roupas.

"O que isso significa?".Eu ri,o olhava segurando uma linda saia de cetim."David convidou-me para ir para Nova Orleans querido,eu
acho que será demais".Ele espantou-se,os óculos provocavam mistério sobre ele,a calça jeans azul justa com a bota negra era co-
mo ardoná-lo com mortal moldura de trevas,principalmente a camisa de seda cinza e botões de pérolas brancas.

"Olhe! A carta está na mesa".Ele caminhou até a mesa na varanda,logo pude terminar e fechando as malas juntei-me a ele que lia
a carta."Querida isso e maravilhoso,mas será que vai gostar? Não creio que Nova Orleans a chamará atenção".Eu ri,sentei-me a
frente dele."E a Cidade que Merrick nasceu,quem sabe descubra mais coisas sobre ela lá".Isso provocou caláfrios em Lestat.

Foi sinistro vê-lo tirar os óculos escuros."Diz-me...Por que Merrick chama-lhe tanta atenção?".Eu ri."Simplesmente porquê ela foi a
encarnação fatal de uma bruxa verdadeira em uma família de ordinários,digamos que uma injustiçada".Isso o fez silenciar-se."Tudo
bem Samantha,tudo bem,não vamos brigar correto?".Infeliz.'Assassino'.Pensei nessa troca de olhares.

Ficou combinado ao longo de nossa conversa que ele ia acompanhar-me até o aeroporto,quem sabe poder ajudar nos ultimos deta-
lhes.Foi o que aconteceu.Foi maravilhoso está com ele no Táxi,o Táxi que seguia pelas Ruas de Athena."Terei soudades,sabe que
quando estáis fora e como fazer-me jazer nas trevas".Thalwa riu,ela que jazia sentada ao lado dele,eu do outro."Tenha calma,será
maravilhoso,creio que David fez um convite entanto".

Chegando decemos,não demorou até seguirmos pelo saguão e despacharmos as minhas duas malas."Samantha! Jura que não vai
demorar ou eu irei buscá-la pessoalmente".Fiquei enjuriada.Eu estava aquecida essa noite.Usava um gorro negro de lã fina,sobre-
tudo no mesmo tom,camiseta de tom vinho por baixo,a calça e bota justa,tudo isso aquecia-me do frio.

E como disse:Em Athena não chove com freguência,mas céus,quando o vento trás o frio dos mares e como desespero."Jura?".Eu
o olhava,toquei seu rosto,usava luvas brancas feitas de puro cetim."Eu juro querido".Ele riu,abraçou-me angustiado,tomado de to-
dos seus sentimentos e angustia.

Thalwa esperava,observava as pessoas.Uma dama com longa saia negra,camiseta branca,sandália escura,usava óculos.Somente
ao me direcionar ao ligar de emcanhamento e que deparei-me com uma verdade."Nova Orleans me serviria como escape".Sei que a
viagem foi-me tensa.

Tomada de muitas questões especiais,até mesmo conforto.Foi doloroso despedir-me de Lestat e Thalwa,mas assim que o avião
jazia nos ceus de Athena,soube que me esqueceria de todo esse sofrimento.Foram horas de voo que minha pessoa emanou a ser
solitária.Somente a quietude foi minha companhia ao longo da viagem.

Descer em Nova Orleans foi-me maravilhoso,o início da madrugada me envolveu por completo."Sem duvida de que David me espe-
ra".Peguei um táxi assim que sai pelo saguão com as duas malas.O táxi pegou a Rua principal e seguiu.Sem duvida de que Nova
Orlens demonstrou-se uma Cidade silenciosa para mim,e isso pegou-me desprevenida.

Diante dos comentários eu esperava uma atividade mais ácida,tomada de noites prodigiosas.Não demorou e foi-me maravilhoso po-
der chegar na casa que havia sido de Lestat,Louis e David,e infelizmente,passageiramente de Merrick.Eu vi David conversando,eu
sabia que Carlos trocava farpas com ele.

"E Samantha".Ouvi Carlos brami ao sair,David virou-me me encarando.Estava elegante essa noite ao vestir camisa de linho de cor
creme,botões de camefeu,calça e bota justa ecuras.Os cabelos escuros aos ombros andulados me foram encantos,até mesmo os
olhos castanhos brilhosos."Nossa,veio mesmo,pena que não ligou-me".Eu movi os olhos pelo jardim tão simples:Um portão,uma ar-
vore e logo a frente a casa,bananeiras a paisana,e isso fez lembrar de muitas coisas.

Logo entramos na casa e minha pessoa jazeu repensando em tudo.Fui a sala,vi os detalhes da lareira,o tapete,mesa de centro a
ter jarros de flores,ao fim do corredor o quarto de David e Carlos,Letícia jazia lá arrumando algumas coisas,subir pela escada em
espiral foi-me aterrador.

Principalmente ir no quarto que havia sido de Lestat e Louis,apreciar a escrivaninha de Louis.Todos os detalhes sordidos,viu? Eu
olhei para David,sem duvida de que acatar a momentos,assim,foi-me para silenciar-me."Venha andar comigo,acho que precisa co-
nhecer a Cidade".Eu arqueei a sobrancelha.

Não demorou e saímos,pudemos passar por uma lanchonete para eu comer algo e matar a fome nessa chegava despretenciosa.
E com isso exaltei meu desejo de ir ao cemitério Lafayette.As luzes da Cidade iluminavam o lugar,entrei focando os olhos sobre
todos os túmulos.

Graças que David soube romper a corrente com cadeado com perfeição."David,sinceramente,da ultima vez que o vi,quando eu
quis saber sobre Merrick,pouco falou".Isso o pegou desprevenido.Ele tinha as mãos nos bolsos da calça."Samantha,Merrick para
mim foi uma pérola,a pérola de minha vida,e o que aconteceu com ela quando Lestat a levou para aquele maldito momento,fez-
me afastar-me dele".

Sentando sobre um dos túmulos o olhei de lado."Perdeu a confiança?".Ele olhou para os céus de Nova Orleans,foi como revela-
sões para ele."Hum...Eu senti assim que soube,que tinham armado contra Merrick,inveja,sinto eu,mas creio que a irracionalida-
de de Lestat foi como assinar a morte de Merrick".Compreendi.

"Odeia comentar os nomes correto David?".Ele olhava para mim com pena,dor no olhar,mas passageira."Sim,creio que comentar
detalhadamente causa-me desconforto".Pude ver,apreciar essa verdade.Ele não mentia e evitei comentar mais,somente queria
saber."Mas saiba que a amei,sim,e o que aconteceu naquele momento,fez,sim,com que muito de meus sentimentos por Lestat se
destruíssem".Conclusão tomada de tensão.

"Sim...Mas acho melhor irmos".Demos a volta na Rua e logo estávamos em casa,Carlos e Letícia a nossa espera,isso ao vê-los no
quarto principal do andar de cima da casa,lindas colunas e decoração veneziana,tive admitir."Desde que fiquei sozinho na Cidade
eu adoro mudar um pouco as vezes".Bramiu David.

Creio que tantos detalhes me assustava,mesmo assim prossegui.Usei das forças.Enquanto conversávamos tive pena de que tudo
que aconteceu com Merrick tivesse causado tanta dor em David Talbot,mas suportava.Ele disse em determinado momento.'Lestat
nunca foi o poderoso que pensam,a maioria tem uma imagem muito errada dele'.Eu pensei,e o fato de está acontecendo tudo que
acontecia em Athena,me tomou,mas silenciei-me.

Foi uma noite maravilhosa,linda.Creio que ficar sozinha no quarto me arrumando foi aterrador,carros passando na Rua logo a fren-
te da casa.Somente as luminárias acesas,eu sentada na mesa da penteadeira escovando meus cabelos.Louis,Carlos e Letícia des-
cansavam,necessitavam,e o respeitei.A camisola branca que escolhi para vestir foi-me maravilhosa.

"Enquanto isso Lestat e os outros travam guerra".Brami pousando a escova sobre a penteadeira.Apaguei a linda vela e deitei na ca-
ma macia.Somente descanso,malva de flores apartir desse momento de descanso.Minha chegada havia sido turbulenta,mas tudo is-
so serviu para eu aprimorar-me.

O fato de Merrick jazer na casa foi assustador.Isso na noite seguinte quando eu havia saído com Letícia,ela havia convidado para
que eu a acompanhasse na caçada.Uma layd faminta,sem duvida.Eu andava com ela na Rua.Logo íamos chegar."Desculpe,eu es-
tava realmente necessitada".Quieta fiquei,seu vestido de lã fina movia-se com o andar,a sandália a moldava com trevas,assim co-
mo a dor do vestido.

No meu caso uma saia simples escura,camiseta clarinha e sandália estava bom.E apressamos os passos,somente pude ver Merrick
olhar-me irritada,ela que encarou David jazendo ao chão apavorado a encarando.'Eu disse! Tramaram contra mim,e vou fazer uso
de minha força para voltar! Avise isso a Lestat!'.Ela estava furiosa.

"Céus".Brami inquieta,no jardim jazi ao lado de David,o segurei junto de mim,Letícia olhava tudo tomada de pavor."Vai-te embora.
Não creio que isso faça bem a David".Ela respondeu-me."Hum...Diga isso quando eu estiver viva,maldita mamãe".Céus,vê-la sumir
na revoada do vento foi trevoroso.

David manteve-se acuado,eu o abraçava,ele chorava,não acreditava que ela viera,lhe ameaçara desse modo."Psiu...Calma queri-
do,não creio nisso".Ele bramiu em choro."Essa Cidade,sempre fantasmas,sempre,odeio isso".Ia demorar,mas ele ia voltar a si,acho
que sem duvida de que era o melhor.Logo íamos entrar,e com isso David ia se recompor.Ia demorar,mas ia acontecer.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Capi 79

Mensagem  Ana Nery em Ter 21 Jun - 13:51:00

***Continuando***

Eu e Letícia ficamos mais um pouco ele.Sem duvida de que coisas aconteciam e David Talbot tentava reaver seu controle raro nesse momento
sinuoso.Tudo sem duvida de que transcorria.Na sala conseguímos fazê-lo sentar-se ao sofá,mover seus olhos com delicadeza pela sala.Letícia a
apreciar ao David,até o momento ela mantinha-se silenciosa,mantinha o foco de tudo o que necessitava.

David ainda respirava com delicadeza,ele que pensava friamente no que acabara de acontecer.Sentada ao lado dele segurei firme suas mãos e
isso o confortou.Sentada na poltrona Letícia formata sínteses preciosas."Melhor querido? Acha que está melhor para com as coisas? Não creio que
isso o tenha assustado tanto".Ele ainda não teve change de responder,e mesmo assim agia com pretenção.

"Samantha ainda e desciente do que sentia por Merrick,e acredite! Vê-la em espírito faz-me acreditar que ela deva está muito irritada para conos-
co".Será mesmo que ele estava em si? Quis dizer comentar a respeito dos encontros que tive com ela ao longo dos anos,de como ela vinha-me
atiçando as coisas.

Isso tudo fazía-me silenciosa e decidi não comentar,apenas deixar David envolver-se em seus pensamentos."Conheci Merrick muito jovem,ainda
preciso me adaptar a alguns conceitos,tenho que admitir Samantha".Será mesmo que ele compreendia e estava falando sério? Letícia teve cora-
gem de falar,seus olhos claros passeavam com ele com delicados gestos.

-Somente o fato de que ela poderia está viva,de que Merrick poderia está conosco caso Lestat não a tivesse levado para aquele lugar,isso tudo e
como musica aos ouvidos.

"Será mesmo David? Digamos que Merrick estava em um momento frágil,de que ela foi induzida ao querer fazer o que fez,a morrer,não creio mes-
mo que Lestat a tenha amado".Foi o que lhe disse."Hum.. Ele sabia da frágilidade dela,e mesmo,assim,a levou,uma parcela de culpa sem duvida a
carregar".Pude compreender,e mesmo assim minha pessoa desejava retroceder.

Pobre Letícia que até o momento quis manter-se silenciosa,envolta em algumas dificuldades."Venha querido,acho propício sua pessoa poder descan-
sar".Ele olhou para Letícia,se envolveu em cada detalhe,o modo como segurou a mão dela foi sinuoso.Os dois se levantaram a me fitar."Preciso ter
descanso,não creio que eu esteja bem".Compreendi,e de certo modo minha pessoa os viu caminharei em direção ao corredor que leva até o quarto.

Será mesmo que eu estava em si? Não sei,jamais compreendi cada detalhe,mas sabia que Carlos estava fora e que ía demorar a voltar.Para que a
minha pessoa se preocupar? Eu não sabia,mas eu me preocupava piamente,e claro.Isso fez-me respirar,e logo decidi ir em direção ao quarto no an-
dar de cima,minha pessoa pensou em cada detalhe piamente.

A sutileza com que minha pessoa retrocedeu a certo dogmas foi surpreendente.Necessitei descansar,quem sabe esfriar a cabeça ao decorrer de tudo
isso.No quarto fechei a porta,a noite ficava fria,e isso forçou-me a escolher uma linda calça de seda e um roupão fazendo um conjunto perfeito para
meu descanso.

A cor cinza me foi maravilhosa e encantadora.A cada detalhe conforme jazia no quarto,foi-me envolvente.Olhei uma seleção de livros na prataleira
e rapidamente escolhi um volume maravilhoso para ler.Sentei-me na linda mesinha que havia sido de Louis De Pointe Du Lac,pensei taticamente ao
apreciar a capa.

Abri o volume e dei-me a ler.Somente um castiçal de prata com vela feita de cera de mel de abelha me bastou.A respeito do que ia acontecer,eu a
contra gosto não sabia,mesmo assim,minha pessoa apreciava.Eu dei-me a ler o livro,ia movendo os olhos na leitura que até o momento pareceu-me
atraente.

Silencio pela casa,tenso silencioso,somente o tic-tac do relógio na parece foi-me ouvido.Ia virando as páginas,o estalar da chama da vela ouvido ao
romper a quietude da noite.Eu sobrevivia,bramia coisas em baixo som conforme prosseguia na leitura,o vento vinha pela varanda,frio e tomado de
alguma magia remota.

Eu senti sede e logo desci pela escada.Fui até a cozinha ao me direcionar aos fundos da cada,isso assustou-me por completo,esperava algum sinal de
Carlos,mas não."Nossa! Carlos não apareceu essa noite,pelo visto vai demorar".Ía mesmo,eu despechei água no copo,água gelada,era isso que preci-
sava o mais depressa possível.

O que me chamou atenção e o que supostamente David e a pacata Letícia faziam no vosso quarto.Beberiquei alguns goles e me direcionei ao corredor
dor quarto deles,e céus,quis fugir porquê havia pensado que eles estavam conversando,e não,não estava: Pude olhar pela brecha da porta ecostada o
modo pacato como a bela Letícia jazia em amor nos braços de David.

Ele a ama,céus,tive que admitir que o amor por ela sempre será eterno,transformativo para com ele.Para mim foi meigo apreciar o jeito com que ele a
beijava,com que afagava seus cabelos enquanto Letícia jazia em seu leito a fazer amor com ele.David podia se apoiar ao está encostado de encontro
ao espelho da cama,Letícia que tinha seu rosto para trás.

'Necessito fugir,um dia irei fugir de ti Letícia'.Ela o olhou,pode pousar as mãos sobre os ombros de David,não o respondeu,apenas o beijou o puxando
sobre ti,o fato e que ele a fez delirar a penetrando com força,o fato e que isso serviu para fazê-la agir,quando vi os arranhões de Letícia sobre as cos-
tas de David tive medo,imenso medo.

Eu tremia,agia para beber mais água.Ela moveu-se sobre ele,pode curvar-se a beijá-lo com delicadeza,jazia unida a ele e o jeitinho como ela moveu os
ombros foi encantador,até mesmo os gemidos dele conforme continuava.'Psiu...Fazia tempos que não me chamava,me fazia triste,muito triste'.Após os
beijos ele pode responder.'Nunca querida,nunca'.Compreendi.

E,para mim bastava.Fui até a sala e sentando senti algo bramir aos meus ouvidos."Ele irrita-me,e um covarde".Era Merrick e vê-la sentada sobre o
chão foi-me assustador.Ela usava uma linda túnica em tom azul-turquesa."O que faz aqui? Não basta!?".Ela riu."Samantha poderá ajudar-me?".Eu a
olhava assustada.

-Merrick esqueça sua fúria,vingança,eu disse para esquecer! Céus! Lestat,todos tomaram rumos diferentes,jazem em um destino desconhecido a todos.
E covardia querer retomar assuntos já esquecido.

"Samantha,você tem medo,imenso medo,mas sei que vai compreender no momento certo Samantha".Não compreendi,a vi levantar-se e beijar-me o
rosto."Eu te amo porquê tu me ama,pude compreender quando tu esteve enlouquecida nos campos de Auvergne".Corei de vergonha,bebi mais goles
de água."Merrick deixe David em paz,deixe ele seguir com seu destino".Ela arqueou a sobrancelha.

"Hum...Se e o que quer,tudo bem Samantha,tudo bem".Ela respirou fundo,pode acatar a cada detalhe.Não demorou para a casa jazer sem sua presen-
ça.Enquanto isso que David estivesse com Letícia,que Carlos pudesse transmutar e percorrer toda Cidade de Nova Orleans.Somente soube que iria pa-
ra o quarto,que lá eu ía terminar a leitura,depois dormir.

Ao longo das noites que passei com David,Letícia e Carlos,várias vezes pude acompanhá-los nas caçadas,em passeios por Nova Orleans,foi maravilho-
so poder comer nos restaurantes provando de sabores mais aprimorados,maravilhoso comprar algumas coisas que eram necessárias.Não consigo descre-
ver as andanças nas Ruelas escuras.

O fato da gente ter visto espíritos,fantasmas,até mesmo seres que pensámos nos não serem vampiros,e sim,remontando a outras raças.'Que pavor!'.
Foi o que David gritou nesse momento ao chegarmos apressados em casa.Haviam sido momento torridos,porém,maravilhosos e inesquecíveis,foram
duas semanas nessas aventuras,até em uma noite ao estarmos conversando o telefone tocar.

"Creio que seja para você,Samantha".Foi o que Letícia respondeu ao passar-me o telefone sem fio.Fiquei passada por David se arriscar a ter."Queri-
da eu lamento interromper sua estádia em Nova Orleans,mas creio que seja necessário".Era Louis,ele tinha a voz embargada."Venha para Athena,a
gente clama por sua presença".David sentado com Letícia e Carlos a seu lado quis saber,fiz sinal para ele ter calma.

"Samantha,Lestat está doente,não está bem,creio que não esperávamos por isso,eu somente quero que volte,há coisas que tu precisa resolver".Para
Louis dizer-me iso angustiado do outro lado da linha e que algo sério acontecia,e ninguém sabia explicar.Eu desliguei,sentei-me na poltrona tomada de
dor,fiquei pensando no que acontecia.

"O que há Samantha?".Carlos bramiu,lindo ao mover seus olhos verdes sobre mim,seus cabelos castanhos escuros aos ombros."Era Louis,terei que ir
ao encontro dele em Athena".Silencio.Sem duvida de que David compreendeu.e mesmo triste sua pessoa pode me ajudar a continuar.Em pouco tem-
po eu ía embora de Nova Orleans e levaria comigo momentos maravilhosos.

Será mesmo que eles compreendiam? Somente pude embarcar na noite seguinte,somente pude me direcionar a Athena no início da nova noite,e havia
sido doloroso me despedir de David,Carlos e Letícia que foram levar-me.Logo estária em Athena e minha pessoa envolveu-me em detalhe insano.Com
o passar das horas o avião embarcou e me direcionei a Athena de Táxi.

A noite estava fria,pensava friamente no que ia presenciar ao chegar,e quando cheguei Louis me esperava,era como se ele tivesse previsto."Desculpe!
E que sem duvida de que minha pessoa teve que agir".E..Tive que admitir que tudo isso me pegou de surpresa,em pensar que tive que voltar as pres-
sas a Athena.Madrugada tensa,tive que admitir.

Quando entramos no quarto pude vislumbrar Lestat sobre a cama.Ele jazia dormindo."Não posso compreender a exatidão,mas ele veio para cá e daqui
não sai".Compreendi,sentei-me a beira da cama,vi que sobre a mesinha jazia um recipiente com água e pano humido.Lestat ardia em febre e somente
ao passar a mão sobre seu coração pude sentir.

E,sem duvida de que íamos resolver isso,ao menos tentar.Começava a formatar algumas coisas em mente.Louis andava de canto a canto no quarto e is-
so fazia minha pessoa infeliz.Lestat dormia,suava,eu pensava.Logo íamos organizar algo,sem duvida de que algo ia acontecer,somente veríamos com o
passar do tempo.Tensa troca de olhares entre eu e Louis,mas eu teria que tentar.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 80

Mensagem  Ana Nery em Ter 21 Jun - 15:09:34

***Continuando***

O que eu fiz foi desabotoar a túnica de Lestat,eu desabotiei botão por botão.Ele estava tão cansado e tomado de si que minha pessoa se surpreendeu.
Louis queria saber o que eu ía fazer,mas mesmo assim,eu tive que pedir sua ajuda.Não foi trabalhoso ele ajudar-me a colocar Lestat no chão,eu movi
a mão sobre o peito de coração,exatamente onde jazia seu coração que batia tão lentamente.

"O que acha melhor fazer Samantha?".O olhei de lado,pelo visto Louis estava artodoado o bastante para minha pessoa não compreender toda a exati-
dão possível."Louis,da última vez que vi Sabrina e Maya,elas disseram que Lestat está morrendo,fica entre nos,mas pelo visto Vitória provocou algum
tipo de selamento".Isso o pegou de surpresa porque ele não compreendia,muito menos absorvia o significado de minhas palavras.

"Hum...Ouço rumores de tudo isso,porém,creio que o fato deu jazer com Sépia,anda tirando-me as forças".Compreendi,nem tudo e como transposição
alheia,e era isso que estava acontecendo com Louis.Eu somente sabia que precisava ajudar Lestat,necessitava que algo acontecesse,e pude compreen-
der.Logo eu desci com Louis para buscar algumas ervas.

"Louis lembra do que Kalawina fez com Lestat naquele tempo? Do momento que ela esteve com Lestat e alguns no templo de Tompei?".Ele olhou-me
desconcertado."Sim".Eu sabia da existência de uma erva que sem duvida podia amenizar a dor de Lestat,eu a peguei em um pote na cozinha,lá estava
o punhado da erva seca.

Eu olhei um pilão largo,pude amassar a erva como se fosse uma basta.Subi pegando uma tala na prateleira junto de Louis.Logo entramos no quarto e a
minha pessoa teve a sequida idéia."Se Kalawina estava certa,isso terá que dá jeito".Louis olhou-me de lado,eu olhei para ele deixando o pilão com pas-
ta dentro junto da tala."Isso mesmo,ajuda-me".Ele pareceu-me preocupado."A erva pode fazer efeito,e somente Lestat não engolir a erva,ok?".Foi o si-
nal para Louis.

Eu peguei a tala,coloquei a mistura de pasta de ervas dentro,logo vi Louis perfurar seu pulso com a unha."Isso...O que importa e a substância curativa
da erva se misturar ao sangue,ser absorvido pelo sangue".Ele manteve-se silencioso,tomado de quietude,a essa altura o sangue brotava para dentro da
taça que eu mantinha abaixo de seu pulso.

Logo pude juntar-me a Lestat,eu que o segurei por trás."Acorda infeliz,estou aqui".Louis ajudou-me,era como se ele pressentise o que aconteceria.Lestat
olhou-me friamente."Ah,sim...Voltou por minha causa querida?".Como ele sofria,sentia dor em seu coração."Beba isso,até o fim,estou mandando beber
Lestat".Ele odiava,mas porém,pode obedecer-me.

Ergui a taça até sua boca,e os goles fora vorazes.Lestat pode segurar a taça com força."Infelizidade Lestat,eu somente queria compreender tudo isso".O
Lestat ainda não tinha condição de responder.Mas o ajudamos a sentar a beira da cama,ele que tomava a mistura de sangue negro com erva."Tome tu-
do,não deixe uma gota".Pedi andando a frente.

Louis jazia ao seu lado,esperava."Pronto...O quê mais me pede?".Disse Lestat ao pousar a taça sobre a mesinha.Isso foi como encontrar-me com algum
tipo de multua troca de força."Fique frio,deite-se".Pedi,e pude agir,quando Lestat deitou-se para cima eu agi pousando a mão sobre seu peito e emanan-
do toda força que podia.

Ele não gritou de imediato,mas o fato de ter gritado com o tempo,fez Louis ficar de pé."Isso mesmo".Será que algo tão detalhado assim faria diferença?
Foi um longo processo,por três noites eu e Louis nos envolvemos nessa missão de fazer com que Lestat reavesse suas forças,e isso fez-me feliz,foi como
uma troca de missão.

Eu e Louis não deixamos de dá continuidade,durante essas três noites fizemos a mistura,eu não deixei de rebater a força que tomava conta de Lestat.Sem-
pre fazendo proveito para Lestat voltar a si.Foi demorado,mas havia válido a pena,na quarta noite foi o bastante para Lestat voltar a si.Eu que o vi sair
do sótão na biblioteca maravilhada.

Louis o esperava até que podemos entrar."A onde Thalwa está?".Quis Louis saber detalhadamente."Não espere misericordia de Thalwa,creio que ela es-
tá revoltada o bastante para não está na Cidade".Louis viu Lestat sentar-se a seu lado,preferi manter-me na poltrona,e ofeguei quando soube que algo si-
nistro passava-se na mente de Lestat.

"Samantha terei que ausentar-me nas próximas noites,tudo bem?".Pude compreender,mas não o insensato modo com que ele tinha tanta convicção disso.
"Lestat olhe para você,está fraco,ainda se recuperando,sei que algo o consome através de seu coração,Lestat eu irei saber um dia".Ele riu,pode rir como
se achasse graça disso.

Podem compreender? "Desculpa querida e saberá que muitas das coisas que ando fazendo me causam felizidade".Assustador,o fato e que ele ía embora e
isso tomou Louis de suspresa."Somente desculpe-me ter tirado você de Nova Orleans as pressas,acho que Louis foi infusivo demais".Compreendi,porém a
minha pessoa foi ácida quando pode responder."Ache o que quiser Lestat,eu vim porque senti que era necessário".

Louis seguiu Lestat até o jardim,da varanda pude vislumbrar o rápido beijo que Louis desferiu em Lestat."Vá a procura de Gabrielle,será necessário,tenha
a sutileza de repensar Lestat,não sei com clareza o que acontece,mas mesmo assim,vá".Lestat riu,riu de jeito despretencioso."Ah,sim,e como".Logo eu es-
tava a sós com Louis.

O que pegou-me de surpresa foi o fato de ao entrarmos na sala ver o envelope com os resultados da seleção facultativa."Ah,céus...Fico maravilhada,e co-
mo eu poder andar sem ajuda de ninguém".Louis riu,mesmo assim,secamente.Manteve-se sentado observando enquanto eu olhava os resultados."Creio
que tudo dará certo".Brami dobrando o papel e pousando-o sobre a mesa.

Foi como luxuria poder ver as dores dele."Preocupo-me com ele,causa-me ascos saber que ele não aceitaria minha ajuda".Compreendi,somente olhar a sua
dor foi-me trevoroso."Louis mantenha-se firme,e o que será necessário".Ele compreendia? Não sei,mas vi-me juntar-me a ele sentado-me em seu colo,pude
acariciar seus cabelos."Tenha calma querido,sua aflisão e minha aflisão".Sabia que ele compreendia,absorvia cada detalhe do que eu queria passar-lhe.

Bem,logo ele ía embora e aproveitei para acalmá-lo ao longo dos próximos minutos,o que sei e que minha pessoa se envolveu em uma vontade ferrenha
de avisar a Khayman a respeito dos resultados facultativos.Não demorou a consumá-lo.Despedindo-me de Louis que ía voltar para junto de Sépia,ensolei-
me no quarto,rapidamente pude escrever a carta.

"Khayman contratulo-me a avisar-te meu amor,que tudo transcorre bem,pressinto que logo eu estarei preparada a está contigo.Não tardará e poderemos a-
gir como se tudo fosse-nos especial.

E isso meu amor.Esteja ciente de que o avisarei.

Dê: Samantha Chariére De Lioncourt".Antes de retirar-me na noite deixei a carta na caixa de correio,minha pessoa retomava processos importantes,e sabia
que o que acontecia com Lestat,era de seu segredo particular.Não sabia como ia acontecer,mas sabia que acontecia,era tudo transmutável.Respirei fundo ao
ir para cozinha,por um bom gelado copo de suco para mim.

Khayman não demoraria a responder,e sabia atraves de meu coração.Passou-se uma semana até ele responder,e somente respondeu no momento correto
ao saber que nem Lestat,ninguém jazia na Cidade.Meu coração foi as nuvens conforme tudo acontecia,eu lia as palavras rápidas de Khayman.Foi como se
ele jogasse perfumes.

"Amada Samantha,eu estou a vossa espera.Creia piamente que eu a esperarei.Tenha certeza. Espero vosso aviso,espero uma ótima conclusão de sua mis-
são.

Eu te amo,saiba que Khayman e seu para sempre.

Assinado: Khayman".

Essa havia sido sua resposta,o que foi algo que destruiu-me por dentro,cheia de despretenções alheias.Deite-me no sofá,fiquei envolta em imagens dele,de
como ele respondeu a isso.Muitas coisas acontecia,mesmo assim minha pessoa agia,transmutava minhas vontades.Estava avisado,pensava olhando teto e
sonhava que Lestat voltase,não demorasse,a todos eles.

***Continua***




avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 81

Mensagem  Ana Nery em Qua 22 Jun - 12:41:10

***Continuando***

Acho que tudo isso foi-me relevante,relevante para que pudessemos transmutar a todos os conceitos alheios.O fato de Khayman ter respondido a minha
carta sem duvida de que emitia a realizade de que ele esperava,começava a traçar qualquer eventual plano no futuro.Sem duvida de que ele traçava de
modo frio cada passo que futuramente daria.

Não pude decernir e claro,o que se passava na mente de Khayman,mesmo,assim,minha pessoa atenuava a cada pensamento conforme mantinha-se dei-
tada pensando nisso.Desejava logo está com Lestat e sem duvida de que isso aconteceria em breve.Deitada fiquei olhando o teto e isso tudo passou-se na
minha mente como trovões desejáveis.

Sem duvida de que a passagem alheia se defrontou como se todos os detalhes se tornassem surreais.A minha maior duvida nesse momento foi se tudo ia
dar certo,porém,minha pessoa sequer cogitou a idéia de uma eventual continuidade,de toda uma passagem e aprimoramento de pensamentos.Isso tudo da-
va-me cansaço,me envolvia em uma espécie de transe cansativo sugando-me as forças.

Não que tudo fosse notável,porém,necessário para uma eventual continuidade."Estou a sua espera Khayman".Brami deitando-me de lado,e tudo que pude
fazer foi esperar o passar dos dias,envolver-me em cada detalhe necessário.Os compromissos se tornaram mais leves de suportar,se sentir.O que aconteceu
ao longo das noites para mim foi a cada conotação tentar uma suposta transformação.

O que aconteceu e que aconteceu-me algo surpreendente.Eu não esperava em uma bela noite fria,fresca na Cidade de Athena poder decidir ir a Práia.Eu
tive essa vontade e somente o destino me disse o porque.Não demorou após arrumar-me deparar-me caminhando na areia da Práia,toda orla tomada de
cada detalhe.

A Práia estava decerta e não acreditei ao chegar perto das pedras e rochedos do mar deparar-me com ele.Lestat nadava logo a frente,o reconheci de longe!
Supreendeu-me cada detalhe com que isso acontecia.Pelo visto ele havia aproveitado o simples fato de que a Práia jazia vazia a noite e havia ido sozinho
para eventual momento de reconstrução de vitalidade."Pelo visto ele jaz bem,graças".Brami olhando-o nadar.

O vento fazia meu vestido de algodão macio mover-se,a cor vermelha em destaque,o meu manto branco movia-se também ao vento atrás de mim,toda vi-
são tomou-me desprevenida e claro.Logo ele ficou ciente de minha presença e tudo isso tomou-me de felizidade,o fi parar,manter-se nas águas.'Por favor se
está ai,venha'.Eu sorri,acho que o fato dele jazer revitalizado me foi uma imensa alegria.'Posso sofrer Samantha,mas sou imortal'.Respirei fundo,caminhei a
frente até a margem das águas,as ondasm vinham cálidas e baixas.

Eu me despi,desabotoei meu vestido o deixando na areia,o manto junto dele,céus,tudo isso era catatônico pra mim,tive que admitir.Logo eu caminhei entre
as águas."Será que eu chego até lá?".Brami,foi como miragem e eu segui,continuei.Foi gratificante me juntar a ele,ser tomada pelos seus braços."Psiu...Te-
nha cuidado Samantha,imenso cuidado".Compreendi.

O mar estava calmo,e isso era proveitoso para nois dois."Querido fico feliz que esteja bem,eu não previa que ao está aqui o encontrasse,sei que anda ocupa-
do,tomado de compromissos,mas creio que estás bem,não e?".Ele segurava-me com delizadeza,mantinha-se junto a mim temendo que algo acontecesse."Eu
creio que minhas provações me dão mais e mais forças".Eu sorri,do nada ele forçou-se sobre as águas e submergemos rapidamente.

Voltando a tona ele disse."Samantha? Sabe que provocária uma guerra caso qualquer coisa lhe acontecesse,és meu milagre Samantha e seria covardia não
cuidar de você querida".Respirei fundo,ele segurava-me mantendo seus braços envoltos de mim."Hum...Hum...Pena,pena que não me diga".Ele bramiu coi-
sas em meus ouvidos ao agarrar-se em mim.

"Psiu...Me segue".Foi o que fiz,ele desgarrou-se de mim desferindo braçadas a frente,foi como se cada braçada reavesse vossa vitalidade."Samantha creio a
contra gosto,a cada noite que vivo nessa Cidade,que sair de Nova Orleans foi o melhor para mim".Não compreendi,havíamos chegado as pedras,ele jazia de
pé sobre uma delas e esticando a mão puxou-me para junto dele,agarrou-me pela Cintura e isso tudo provocou-me calafrios e medos atenuados.

"Sim,diz que foi a melhor escolha,mas não explica a profundidade".Nos sentamos sobre a imensa pedra,os rochedos jaziam logo a frente."Simplesmente pelo
fato deu ter enjoado,pela Cidade de Nova Orleans ter se tornado densa demais para mim,território pequeno".Compreendi,ele olhava as ilhas a frente,o ven-
to veio de encontro a nós e isso provocou-se medo.

-Os maiores milagres de minha vida começaram a acontecer aqui,compreende? Acho que a cada acontecimento,um novo transmutar de pensamento,vida,tu-
do que se possa pensar.

Eu respirei fundo,pensei friamente em cada detalhe sordido."Sei que fica triste Samantha,mas por favor,entenda que se há coisas que eu não prefiro comen-
tar ou é porque me machucam,ou porque me são incomodam".Engoli em seco cada pensamento e palavra dele,o olhei de lado,cada detalhe dessa explicação a
jazer no vento,frio,calamidade,tudo isso.

Senti o modo com que ele moveu sua mão contra meu rosto foi amedrontador."Hum...Sente medo agora,mas creia que logo,logo poderá dar-me o que eu
anceio".Muito medo,medo a tal ponto que minha pessoa tremeu.Olhava com firmeza seus olhos vidrados nos meus,o jeito com que o luar atenuava o brilho
delicado do belo tom violeta nesse momento sobre os olhos de Lestat.

Houve um beijo frio,o beijo ácido que nos envolveu,isso forçou-se a levantar-me,ainda tinhámos os corpos humidos pela água do mar e foi nesse momento
que pude ver de relance sobre o ombro dele uma mancha pacata,a mancha típica de qualquer bruxo.Pensei friamente,continuava a beijá-lo,respirava com pro-
fundidade inesperada.

Era como tirar-me o fôlego.A frieza com que ele o fazia era apavorante,e ao afastar meu rosto pude desferir beijos delicados sobre seu ombro,exatamente
no lugar a onde a mancha jazia.O olhei chorosa."Hum...Se és mesmo meu protetor,vamos para casa querido,vamos descansar,basta por hoje".Ele riu,eu
demorei a tomar-me por isso.

Não demorou e logo fomos para areia,perto ele tinha deixado suas roupas:Uma calça jeans,bota negra,camisa de linho de cor vinho com botões de pérolas.
Vê-lo vestir-se foi-me encatador,pude beijar a mão dele ao terminar de ajudá-lo."Fique calmo,és um mestre entanto,somente lamento que tenha usufruído
tanto de sua humanidade".Ele riu."Arrume-se".

Compreendi,foi o que fiz ao pegar minhas roupas na areia,logo estava pronta para voltar.Saímos em caminhada pela areia e a solidão que a práia emitia ao
jazer vazia a noite foi-me maravilhosa,inquietante e envolvente."Lestat sente-se bem?".Ele olhou-me de lado,andávamos de mãos dadas."Sim,doi-me a al-
ma ainda,mas sobrevivo Samantha,não foi deixar barato para as arpias,a minha é nossa guerra e com elas".Compreendi.

Não demorou para seguirmos para a Rua Central de Atheba,subirmos e finalmente entramos pelo portão."Louis...".Bramiu Lestat,Lestat sabia que ele tinha
vindo em nossa ausência,sem duvida de que para Louis vir,e que Louis tinha algo importante ou necessitava de vossos momentos.Seguímos afoitos e quan-
do entramos na sala foi maravilhoso vislumbrar.

Louis olhou-nos pensativo:Ele tinha seus cabelos escovados e amarrados para trás com uma bela vita de cetim branca,a camisa de seda negra o ardonava
como um anjo negro,a calça justa e o pá de bota curta faziam conjunto perfeito."Desculpe,mas e que,céus,vim a procura de Thalwa,Gabrielle,qualquer um
que desse-me notícias".Lestat riu.

Pode mover a mão sobre os cabelos ainda humidos."Me odeia não e?".Louis arqueou a sobrancelha,sentei-me tomando ar,está no mar havia sido emocio-
nante demais para mim."Não...Somente creio que eu necessito do momento em que vivo".Lestat riu,movendo as mãos sobre os ombros de Louis foi como
se ele suporta-se.

"Ah,maldito...Sépia pode viver contigo,mas nunca terá vosso espírito como eu tenho".Foi tenso quando vislumbrei o olhar de Louis espantado,o modo como
Lestat moveu as mãos sobre o rosto dele o beijando,o beijando como se isso lhe fosse tão precioso.Louis virou o rosto de lado silenciado."Infeliz,depois con-
versamos,mas bem! Preciso de notícias,creio que sinto-me mais alíaviado".Foi o bastante para uma tensa conversa acontecer.

Louis e Lestat se sentaram no sofá,com isso começaram a puxar cada informação cética de mim e isso tomou-me com despretenção.Somente a quietude da
noite a nos envolver,a nos servir como companhia em nossa conversa pacata.Foi maravilhoso.Depois de tanto tempo Lestat e Louis mesmo que passagei-
ramente tinham um momento somente deles,é eu fiz juz a isso.A necessidade maior e que jazemos em nossa complexidade mental.

Foi como se os pássaros tocassem musica,como se Louis e Lestat finalmente se sentissem unidos espiritualmente,mesmo que esse momento lhes fosse pas-
sageiro.A cálida decisão e que eles decidiram ficar,transmutar vossos detalhes,certezas e incertezas.Cantos e nostálgias pecaminosas para que todos nois so-
brevissemos a noite.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 82

Mensagem  Ana Nery em Qua 22 Jun - 13:49:35

***Continuando***

O fato e que Lestat e Louis decidiram dormir no sótão,foi gratificante eu os levar durante a madrugada a biblioteca.Lestat tinha escolhido uma túnica que
lhe desse conforto,assim,como Louis.Eu segurava um castiçal com vela na mão ao entrarmos.Lestat moveu seus olhos pela mesinha,até mesmo o caixão.
"Lembro de ver-te aqui Samantha ainda tão pequena".Me mantive silenciada.

Mantinha minha mão livre sobre a borda de minha camisola."Parem,melhor entrarem,dormirem,e madrugada e terão tempo para descansar,mas saibam
que assim que a noite vier,devem ir embora,sem duvida de que Thalwa,até mesmo Gabrielle estão a vossa procura".Lestat pode desfrutar-se de aluma
troca de olhar para comigo.

Eles entraram e vi quando a tampa do caixão abaixou-se."Céus...Espero que ninguém venha a caça desses dois,sem dúvida de que tudo isso e drástico".
Olhava o caixão tampado,pude ouvir alguns gruídos e tudo isso deixou-me transtornada.Apaguei a vela,qualquer vestígio de lampada acessa.Sai,sem du-
vida de que a cada detalhe isso me transformava.

O fato e que a vinda de Louis levou Lestat a ficar,mas sabia que logo os dois iriam embora,seguiriam com vossos momentos.Não lamentei ao está sozi-
nha,não lamentei que tudo isso acontecesse.Não lamentei quando a cada passo que dei me envolvesse em uma trama tecida por mim mesma.O pior mo-
mento futuro aconteceu com o passar de duas noites.

Será mesmo que ela estava ciente? Não sabia,eu somente me envolvo nesse momento e o descrevo a vocês:Eu estava jantando na cozinha,Lestat a-
proveitou que estava mais presente na Cidade de Athena para não deixar-me a paisana.O cozido de legumes estava maravilhoso.A cada detalhe das
trocas de olhares entre eu e Lestat preferi silenciar-me.

Um maldito de braços cruzados,pés sobre a mesa,vestia calça de belo corte,sapatos escuros no mesmo tom da calça,camisa clara,óculos escuros.Isso o
deixava tomado.'Hum...Desejo sair Samantha e vossa atitude me impede com que seja melhor'.Eu ri ao deixar a colher sobre o prato,limpei a boca ao
pegar o quardanapo.

"Querido tenha calma,eu ando compromissada demais com a seleção facultativa,e são poucos os momentos que me alimento".Mas algo o surpreendeu.
Foi como sermos pegos de surpresa pela maldita.Vi como Lestat virou-se olhando em direção a entrada da cozinha,como seus dentes foram vistos por al-
guns segundos,e ele levantou-se em passos apressados.

-Céus! O que há? E como vislumbrar coisas alheias Lestat,isso irrita-me,irrita-me de verdade! Lestat o que há com você? Pode ser claro ao responder-me?

"Hum...Nada".Ele bramiu ao entrarmos no jardim,vislumbramos Sabrina sentada a beira do chafáriz,ela que olhavámos."Desculpem pertubar,mas creio
que vossa presença e importante".Foi assustador! O modo como ela levantou,caminhou em nossa direção e usou de sua força para nos tirar dos corpos
foi-me pior do que a última vez.

Céus! Os olhos que adqueriram brilho,a força espectral emanando dela pelo vento.Apavorante! Nos deparamos em uma ascenção,ascenção para que eu e
Lestat fossémos até o reino dela.Sabrina nos olhava sentada nos campos,sentada pensava friamente,tinha suas asas de morcego fechadas."Lestat? Creio
que dei-lhe tempo demais".Ele riu secamente ao mover a mão em dor sobre a cabeça e ajudar-me a sentar-me.

"Sabrina,tu nunca desiste,até onde irás para que consiga o que tanto almeja Sabrina?".Ela olhou-nos com seriedade,tomada de rancor pelo sofrimento de
seu reino,foi como se o desespero batasse a vossa porta."Até ter tudo que anceio".Nos levantamos e caminhando pelos campos sequidos pudemos saber
da motivação dela ter ido a nosso encontro.

"Não creio que ter sobrevivo aos ataques de Redenção tenha-me sido fácil.E meu último apelo antes de tomar decisões drásticas Lestat".Ele parou,olhou-a
silencioso,puxou-me de lado como se temesse a muitas coisas."Sabrina dê-me mais tempo por favor,até lá continue tomando conta de vosso povo,juro que
terei uma resposta,somente por favor,não prejudique a quem anceio proteger".O que ele quis dizer?

-Hum...E somente isso que tens a dizer-me? Seu infeliz sabe que não posso atacá-la por uma decisão particular sua,muito menos por causa de Lilith! Estou
sabendo da tramoia de vocês dois,e quem díria! Você que a odiou no passado.

"Após e...Não tem como batalhar contra os inímigo? Então junte-se a eles".Não acreditei quando ele respondeu nesse tom a Sabrina,mas o riso foi-me como
recado.Ele riu baixo deixando o riso ecoar pelos ventos que sopravam pelos campos,foi o bastante para Sabrina ousar atiçar sua força contra Lestat."Me solta
ou não poderei medir as conseguências de meus atos".Ela corria-se por dentro."Dê-me mais tempo,somente isso e juro,o que tenho a dar-te será seu".Isso foi
drástico.

Principalmente quando eu gritei tantando empurrar Sabrina para trás,impedindo que ela viesse contra Lestat.O que pegou-me de surpresa foi o fato de Lestat
poder usar de algo precioso.Um algo que ele vinha atiçando dentro de si a algum tempo,e foi bom.Olhando pude ver o medo de Sabrina,como ela o olhava
temerosa,o ar gélido que tomava conta dela,de seu corpo.

"Não seria louco seu moleque desprovido de consciência".Lestat riu descabidamente."Ah,sou louco,sim,tão louco que levaria tu e eu em uma morte fantásti-
ca.Agora me deixa ir embora!".Sabrina gritou tão alto que doeu-nos os típanos,foi como ´trovões ecoando no cerebro.A força tomava conta de Sabrina,olha-
va espantada como Lestat movia suas mãos a frente emanando toda força possível.

'E verdade...Ninguém sabe exatamente como o sangue de Thalwa influênciou a esse novo momento de Lestat.Céus,esse e o dom do congelamento que po-
de destruir coisas e seres desprovidamente'.Presenciar isso era apavorante,o vento veio poderoso em nossa direção tão gelado,frio que me abaixei.Sabrina
mantinha-se lutadora,tentava avançar a frente,tinha particular de gelo em seu rosto."Vamos embora Samantha".Ele bramiu ao pegar-me pela cintura.

Foi como tuvão de turbulentos momentos ao sumirmos do lugar,ao nos deparar sugados para dentro de nossos corpos.Eu tossi ao voltar a si,foi como todo o
acatar de realidade."Querida,querida! Está bem,está bem?".Lestat parecia mais preocupado comigo do que com ele mesmo,tocavá-me sobre os ombros,eu a
sentir o macio gramado do jardim.

"Eu,eu,eu...Isso foi loucura,Thalwa o ensinou,o ensinou a usar de seu pior dom,que loucura...".Ele olhou-me tomado."Ah,querida venha comigo".Estava
apavorada e isso tudo tinha sido em segredo,que terror.Na sala ele deixou-me sentar,rapidamente foi a cozinha e trouxe-me um copo de água."Psiu...Eu
somente quero vossa proteção,e seu coração que Sabrina quer,seria o mais adeguado para ela,apesar da maldita ter a mim e Lunnes na lista".Ele estava
feliz,pelo visto feliz em ter sobrevivido.

"Ah,céus...Está intacta,graças".Eu respirava,bebericava goles de água,tinha as mãos tremulas."Samantha sei que logo terminará vossa seleção da faculda-
de que tanto almeja alcançar,creia que depois irá para Páris".Assustador.Ele havia tomado uma séria decisão,mas isso para facilitar a passagem dele.O olha-
va.'Ele está evoluíndo,sem duvida de que passou por transformações profundas desde que conheceu Thalwa,a todos.O que realmente jaz nesse ser?'.Era
como presságio.

Não havia duvida! A poderosa força de Thalwa jazia nele,não restava-me duvida,e ela o fez com maestria ao longo do tempo.Foi a verdade ácida com
que tive que adaptar-me apartir desse momento.Estaria o infeliz a tornar-se um dos anciões? Ainda não sabia,mas sem duvida de que minha pessoa não
evitava esses pensamentos enquanto bebia água,recuperava fôlego e o olhava sentado ao meu lado.

Ah,cés,como foi-me destruidor jazer apartir dos futuros momentos em conclusão que toda seleção facultativa pede.Foi tenso,mas tudo havia dado certo
e prosseguir foi-me a melhor decisão,sem duvida.Uma semana,somente uma semana bastou-me para saber que logo eu começaria etapas importantes
em minha vida,na decisão de minha carreira em particular.

Não vi Lestat,somente segui vossa ordem de preparar-me logo que fosse o momento,a ir para Páris.Foi-me doloroso,ele não pode,nem mesmo Louis ou
qualquer ir,despedir-se de mim.O voo foi frustrante,chorei horrores ai jazer no avião nessa maldita noite em que tracei caminho para Páris.A cada de féri-
as estava a minha espera e sem duvida de que tudo isso tomou-me despretenciosamente.

Em Páris peguei táxi e não demorou para no início da madrugada está em casa.Jazer em meu leito de descanso.Sozinha no quarto minha pessoa decidiu
descansar,coisas futuras aconteceriam,eu sei."Poderia está aqui Lestat,és infeliz".Brami ao levantar-me da cadeira enfrente a penteadeira.Olhei como os
céus de Páris jaziam estrelado.

Era como miragem.Dessa vez meus pensamentos estavam controlados,eu respirava o ar fresco da noite ao entrar na varanda."Hum...Será que eles es-
tão em segurança? Eu não sei,mas creio que devam está fazendo por onde".Tudo isso era sordido,mas merecedor,creio eu.Eu senti lapsos de uma presen-
ça e pelo visto o fato de ser alguém conhecido,não foi-me esperado.

Olhei a beira da cama e ele não estava lá,jazia de pé do outro lado encostado na parede e tive que admitir que o filho da mãe foi ousado a fazê-lo:Uma
tortutora transposição espiritual como essa não é qualquer ser que o faça."Ellenos o que faz aqui?".Ele riu,vi o riso formando-se em seus lábios rosados e
sedosos."Nada Samantha,mas lutando noite após noite para não ir ao vosso encontro ou muito menos destruir Khayman".Sentei-me a beira da cama po-
dendo visionar a vossa pessoa.

"Khayman...O odeia de verdade,tenho que admitir".Senti imensa dor,como a senti."Queria tirá-lo de seu coração,creia,como eu quero isso Samantha.Tu-
do isso e como ácido".Meus olhos se marejaram em lágrimas,tive pena,imensa dor,vi a face de Ellenos abatida,era como se ele travasse a pior guerra sen-
timental de sua vida.

"Hum...Não batalha com as arpias,sua guerra e consigo mesmo".Ele admitiu que,sim,curvou-se ao legar perto de mim."Maldita...Logo irei para o túmulo
viu?".Eu ri mesmo chorosa.Foi bom sentir seu cálido beijo,seu toque sobre meu rosto."Hum...Sou maldita,esperava mais de mim e não o dei".Ele riu e po-
de deixar claro."Não se aflinja".Foi bom tomá-lo junto de mim.

O jeito carinhoso como ele atiçava-me os desejo ao desferir beijos sobre meus ombros,como desabotoava minha veste."Não irei tomá-la,jamais,mas te-
nha certeza de que eu não vim,não fiz essa transposição a toa".Eu ri,movi meu rosto para trás vendo a varanda,era bom,como era bom sentir seus bei-
jos agora sobre meus seios desnudos,quentes.

"Ellenos,Ellenos,não vai desistir".Ele riu."Não vou querida,mesmo no silencio sempre guardarei minha admiração".Fechei meus olhos,ele sugou-me os ma-
milos dos seios com fervor,eu gemi,e como gemi.Céus,eu queimava.Queimava piamente conforme ele continuava."Samantha,Samantha...Deixa-me respi-
rar nem que seja por alguns momentos,estou travando minha batalha,deixa-me respirar".Céus,ele fazia-me queimar.

"Hum...Hum...".Pude ver em seus olhos ao mover-se sobre mim,quando beijei seus ombros.Tão belo,cada detalhe do brilho de seus olhos verdes,sua pele
clara,os cabelos negros andulados aos ombros,até mesmo a poderosa força,as orelhas ponturas."Ah,céus,você e perfeito para mim".Ele silenciou-se,deixou-
se mover o rosto entre meus seios.Aflinção,mas eu ia sobreviver,ele havia vindo em espírito e o que fazer? Somente acolhê-lo como o acolhi.Deitados so-
bre a cama ficamos.

Ele me olhava,eu o olhava,fazia carinho em seu rosto,nem que fosse um pouco eu queria atenuar sua dor,fazê-la ser menos ácida,sentida por ele.Ía passar.
Eu sabia,ía,sim."És forte,poderoso,vai passar,eu sei".Ele olhavá-me silencios,somente isso queria,nada mais.E foi assim que ficamos:Como duas crianças a
nos atrellar,a nos fitar,um último beijo até ele abraçar-se a mim,ardomecer docemente.flagelos que nos assolam o espírito.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 83

Mensagem  Ana Nery em Qui 23 Jun - 13:09:24

***Continuando***

Eu acordei na manhã seguinte tomada de cada detalhe desses momentos.Ellenos claramente que não jazia mais comigo,acordei com o calor do sol sobre
meu rosto,foi como se tudo emanasse cada detalhe sinuoso,e isso para mim serviu-me como recado.Respirei fundo e isso bastou-me para recuperar todos
os meus sentimentos alheios.

Será mesmo que minha pessoa e como mutação? Ah,sim,sem duvida de que as vezes eu sou mutativa em mente,espírito e corpo.Olhei a paisagem da
varanda,fiquei fitando cada detalhe dos ráios de sol iluminando o quarto.A Cidade de Páris queimava de gente e presenças.Cada pensamento foi-me tá-
tico.A tática para que possamos abreviar cada detalhe passageiro.

Sentei-me a beira da cama,respirei fundo e soube que nada,nada nesse mundo poderia impedir o que planejava a seguir:Levantantei-me com delicadeza
e me despindo deixei as roupas caírem ao chão,andei nua pelo quarto a procura de uma toalha,planejava tomar banho,quem sabe futuramente alimentar-
me com uma necessidade tenebrosa.

Lestat,todos eles nesse momento não vieram a mente,apenas esperava que estivessem bem,a cada detalhe envolta nessa verdade pude ao menos sentir
tudo isso como trevas ecoando em meu coração.Enrolei-me na toalha que hávia encontrado,sem duvida que minha pessoa prosseguia com todo processo.
Logo eu abri a torneira da banheira,derramei saís perfumados na água.

Enchia e não ia demorar até que eu escovasse os cabelos."Bem Samantha,se sua pessoa está ciente de tudo,por favor,continue".Compreendi,olhavá-me
no espelho e nisso lavei meu rosto,logo após a escovar os cabelos por definitivo dei-me conta de que a banheira jazia cheia,cheia de espuma.Era como se
tudo me fosse contaminante,acetinado.

Entrando na banheira pude sentir meus músculos relaxarem,moverem-se como se fosse-me relaxamento muscular.Foi bom submerger por alguns momen-
tos molhando meus cabelos e o fato disso fazer-me esquecer dos compromissos foi gratificante.Que manhã,pensei envolta em meus pensamentos.A espu-
ma estava alta só que com o passar de alguns minutos abaixou.

Não previa a sensação de contaminação alheia está entendendo? Isso quando pude sentir uma sutiu dor emanando de meu ventre a me incomodar.Foi co-
mo derrame de águas profundas,sem duvida de que minha pessoa desejou fugir nesse momento catrastófico.Vi como o sangue manchava a água,isso foi
como querer guerrear.

"Infernos".Brami olhando as pontas de meus dedos com delicadeza.Sem duvida de que minha pessoa previa qualquer acontecimento,menos o fato de san-
sague menstrual vir a toa.Olhava as salientes gotas de sangue nas pontas do dedo e somente pude ouvir o gemido emanar de minha boca transparecendo
minha dor.Pensei em Lestat,foi como esmurecer no nada.

'Herdeiro'.Era o que ele tanto desejava,pensei friamente nisso conforme tudo acontecia.Acho que o fato deu mover as pernas sentada na banheira contra a
mim e chorar foi pecaminoso.Chorei,chorei porque sem duvida de que isso deixou claro meu desejo de ser mãe,e somente pensei em tudo,de como mesmo
na dor Lestat ficaria feliz em acontecer uma vinda de um herdeiro,até mesmo em Merrick.'Temo ceder,temo definhar,eu não posso'.Pensava chorando,olhan-
do para as águas da banheira manchada de sangue.

Frustrante mas logo me recuperaria.Sem duvida que preparar-me para um maravilhoso café da manhá foi a melhor escolha.Terminado o banho,escolhida as
vestes:Calça de algodão macio de cor negra e camiseta branca,e pude descer,tinha meus cabelos humidos ainda,porém,escovados.Na cozinha preparei vita-
mina,sem duvida que ter lacáios em Páris para manter a geladeira cheia em minha ausencia,era a melhor escolha(Coisa de arrumadores passageiros).

Olhei a geladeira e peguei morangos,leite fresco e bananas.Logo a vitamina estava preparada,e deleite-me ao encher o copo,ver o pacote de torradas sobre
a mesa junto de um pote de geleia de amoras.Foi tenso,mesmo assim minha repensava em cada detalhe necessário.Era como uma briga,eu sei,mas minha
vitória tornou-se insana.

Sem duvida de que a minha sensação de derrota em relação ao desejo de ter um filho acontecia nesse momento precioso.A cada ano ficava mais seca,com
menos change de ter filhos,e isso provávelmente poderia arruinar-me.Que fosse,continuava comendo,alimentando-me.Logo eu saíria a procura de coisas,eu
tinha a necessidade de andar,sentir algo a respeito de Páris.

Não demorou e claro,não demorou.No início da tarde preparei-me para ir ao teatro e cinemas da Cidade.No quarto eu olhavá-me ao manter-me sentada na
mesa da penteadeira,eu desferia o pincel de baton sobre minha boca,terminava de colocar maquiagem.Havia escolhido um vestido justo de cetim de cor azul
marinho,decote atrás das costas,sandália alta e delicada em tom negro.

Pensava enquanto continuava."Ah,céus...Será que Lestat vai aparecer? Não sei,mas bem,creio que há coisas mais importantes do que ficar em casa".Isso
fez-me rir.Olhei-me no espelho ao levantar-me,como a tarde estava maravilha.Ah,céus.A cor vinho do baton havia ficado maravilhosa,até mesmo a preci-
lha de pérolas negras ardonada ao meu cabelo preso pra trás.

'Hum...Se Lestat olhasse isso ia mandar-me ficar,sem duvida voltaria para o quarto e nada de teatro ou cinema'.Que realidade.Não ia demorar.Saíndo pelo
portão vi o táxi a minha espera,entrei e rapidamente desejei seguir aos meus compromissos.Foi como pressentimento.O táxi seguia pelas ruas da Cidade e
a visão que tinha da jenela era maravilhosa.

Como viagem e claro,miragem! Queria assistir ao menos a duas peças de teatro,quem sabe umas duas seções de Cinema.Tudo isso ia tomarme as energias
mas eu acreditava que tudo dária certo.Nada de presenças chamativas pela Cidade,muito menos presenças destrutivas como eu temia sentir.Ellenos ainda a
ser sentido por mim,sua vinda em espírito a mim.

Ía ser uma programação maravilhsa,ía,sim.Chegar no lugar foi trevoroso e segui pelo salão do estabelecimento.A o fim de tarde,e provavelmente a noite,so-
mente chegaria em cada no início da madrugada.Será que tudo isso e especial? Creiam que,sim,e foi-me conforme prossegui,fui fazendo real todas as minhas
vontades.

Como foi ilário ver as peças de teatro,o modo silencioso como analizava tudo,como as seções de Cinema me foram transmutáveis como musicas.Passo a pas-
so eu prosseguia,fazia real todos os detalhes.O fato e que isso ía acabar em algum momento,e acabou,ao sair do estabelecimento vi Lunnes entre as pessoas.
'Mas o que um ser como ele faz aqui?'.Deparei-me pensando.

Ele sorriu ao ver-me,os olhos fechados em um riso confortante.Usava calça de bom corte em tom escuro,a camisa de seda de cor clarinha foi encanto,tinha
os cabelos amarrados para trás,quase imperceptíbel aos humanos,luxuosos sapatos."Lunnes?".Ele riu,o olhei ao deparar-me a sua frente."Estive em sua ca-
sa e vendo que não estava lá,sai a vossa procura".Muito óbvio,mas quem sabe mais alguma coisa passava-se em sua mente.

Não demorou a pegarmos um táxi."Lunnes aconteceu algo? Estou na Cidade de Páris,e qualquer eventual acontecimento em Athena,não saberei".A noite se
tornou como trevas ecoando aos ouvidos.Ele sequer tinha esperado e chegará na calada da nova noite."Mãe entenda que tenho vontades,não creia que eu o
deixe de sentir,mas eu o deixe".Calafrios eu senti.

O táxi a essa altura corria pelas Ruas atravessando os sinais de trânsito."Vosso sangue veio,assim,como no passado,só teve a mim,mas parece que dessa
vez tu vai e não deixará um herdeiro sequer".Infelizidade,ele havia tocado na ferida que eu evitava expor ou tocar.Em casa pudemos conversar melhor,o
maldito sentou-se na poltrona fitando-me.

"O que queres Lunnes?".Ele moveu seus olhos sobre mim,cruzou as longas pernas mantendo o foco.O olhei ao deixar a bolsa sobre a mesa de centro e jazer
no sofá."Mãe sabe que te amo,e qualquer decisão que tome,isso farar-me sentir felizidade ou tristeza".Compreendi,pensei friamente por alguns segundos até
romper meu silêncio."Sabe de algo,somente quer dizer-me e teme".Brami,

Ele salientou-se a comentar."Marius foi atacado por uma Arpia,mãe,foi ferido,jaz na Ilha de Tompei,digamos que...".O que ele ia dizer?A continuidade foi co-
mo trevas aos meus ouvidos."Sabrina e Maya quase me tiraram o coração,está entendendo?".Trevoroso pavor,sentimento,quietude dolorosa."Lestat sabe? O
que ele disse!?".Quis saber."Não,somente peço para que fique quieta,somente coisa minha e tua,mãe".Havia sido algo mais infunsivo,ensurercedor,trevoroso
e sem duvida de que eu precisava planejar-me.

Foi quando disse."Hum...Posso agir,mas temo que cause coisas piores que possam atiçar a fúria das arpias,não e algo que Thalwa possa controlar,certo?".
O riso dele foi maldito."Hum...O problema e que Thalwa pode resolver,mas nos estamos tentando resolver pela calma evitando uma destruíção imedia-
ta daquele lugar".Ah,sim,isso,sim,considerava uma derrota e guerra,e dás piores.

"Lunnes sou humana,tenho meus limites,proclamada fui no passado,mas agora,eu não sei".Ele riu alto,céus,o pavor tomou-me.Levantei indo a ele para po-
der beijar seu rosto."Eu vi você fazer coisas piores mãe,muito piores".Eu sabia que,sim,as torridas lembranças de minha vida milenar me assolaram.Olhar
com profundidade nos olhos verdes de Lunnes foi como retroceder,encontrar-me em minha antiga vida.

"Lunnes fique frio,tentarei,se quer vosso pai a procura,o terá".Ele assustou-se ao saber friamente que eu captará tudo que quis dizer,o que ele desejava.O
seu respirar foi imediato."Redenção...Mesmo sabendo da voraz força dele,seu descontrole,quer meu pai a caça de arpias?".Novamente beijei seu rosto,eu
pude desferir alguns beijos em seus lábios com delicadeza."Sim...Eles pouco sabem de mim,infelizmente e minha afronta,mas creio que poderei".Foi tudo o
que ele precisava.

Logo eu e ele íamos preparar algo,eu necessitei depois de saber que Marius e Lunnes tinham sido atacos de sair a procura de minhas respostas.Ía tê-las.Eu
estava disposta a isso nem que tivesse que açoitar Redenção como sua senhora.Ele tinha algo,esperava por algo de mim,assim,como no passado.Não foi
a toa que eu fui influênciada a torná-lo pai de Lunnes.Lembrei ao está com Lunnes da noite com meu antigo escasso marido morto,a possuição letal de meu
Redenção e finalmente o esperma com sua semente material.Letal,e vi nesse momento como Lunnes veio ao mundo perfeito:Uma alma sem rachaduras e
que infelizmente jazia preso em seu corpo.Tenebrosa lembrança.

***Continua****
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 84

Mensagem  Ana Nery em Qui 23 Jun - 14:07:23

***Continuando***

O presságio estava pronto.Lunnes me ajudou a prosseguir com meus planos,eu necessitava saber e obter minhas respostas e creio eu que Redenção
poderia me ajudar.Ele esperou-me na sala enquanto fui até o quarto,havia escolhido algo especial:Um longo sobretudo de seda branca com capuz a
cobrir-me a cabeça.Eu pensava."Será que terei forças?".Olhava a veste sobre minhas mãos."Deve haver algo de mim remetente ao passado".Não
esperei.

Me vesti,somente fiquei de roupa intima por baixo,era uma espécie de longo vestido de seda com capuz(Um sobretudo na verdade),os botões de pé-
rolas negras em destaque devido a cor branca da veste.Pensei por alguns momentos sentada a beira da cama."Eu vou,sou capaz,se pude fazer em
meu passado,serei capaz novamente".Respirei fundo e desci.

Deparei-me com Lunnes a minha espera."Você está mesmo disposta".Bramiu ele de pé na entrada da porta.Saímos em direção ao sótão nos fundos
do jardim da casa.Entramos fechando a pesada porta.Nada ou ninguém poderia nos incomodar.Olhei o jeito com que Lunnes tinha arrumado o lugar.
O circulo jazia com incensos,havia algumas velas acesas envolta do circulo.

Pensei friamente ao olhar um atáme,espada e meu caldeirão.Loucura pensei,mas se era mesmo possível,eu haveria de fazê-lo novamente assim co-
mo no passado:Havia decidido tornar-me novamente a senhora do poderoso anjo-demônio Redenção,e colocaria a prova as capazidades dele.Olhei
a delicadeza com que Lunnes se preocupava.

Jazia ao meu lado segurando firme minha mão."Hum...Vai ser possível,vai,sim".Que Lestat nunca saiba disso,sequer saiba,afinal,foi um momento so-
mente meu,e se ele souber,será ao ler esse maldito conto por alguma rua ou Cidade por ai.Coloquei-me em ação,andei a frente do caldeirão,pensei a
armar minha tática.Logo eu curvei-me a frente pegando a adaga,desderindo a lámina no meu anti-braço.

O sangue veio."Quer sangue de bruxa Redenção? Vem pegar,venha pegar e consumar-me a mim como tua senhora".Brami ao ver as gotas cairem
dentro do caldeirão conforme o sangue brotava,Lunnes aflito pegou a adaga a colocando no chão."Sua senhora o chama Redenção,nem mesmo Lilith
poderá ser maior que eu.Eu sou Samantha,vossa senhora Redenção,quem e melhor que Lilith?".Olhei para o teto,o pentagrama com asas jazeu a i-
luminar-se com algo espectral,foi como centelhas a percorrem o desenho com perfeição.

'Hum...Não há senhora melhor ou maior do que Samantha...A consumação perfeita de Mana e Aziel no passado.Nunca haverá senhora maior,até
mesmo poderosa do que minha senhora Samantha'.

Pensei,era isso mesmo! Assombrei-me ao vê-lo aparecer,olhar-me friamente."Redenção...Não creio que haja".Ele olhou-me tomado,seus olhos toma-
dos de brilho emotivo."Esperei muito tempo Samantha,como esperei minha senhora".Lunnes assombrou-se."E,e tu mesmo mãe,tenho que admitir".O
assombro foi letal para Lunnes a ponto de ir sentar-se encostado na parede so sótão.

Peguei a espada no chão a movendo a frente,isso fez Redenção se aflingir."Vai-te embora! Sua senhora o envia a procura de qualquer Arpia que te-
nha qualquer informação,qualqer vestígios.Quero saber se os ataques tão continuar".Letal para ele,a força que emanou da lámina da espada foi como
chicotear sobre sua matéria.

"Arpias...Puderia ter destruído Maya e Sabrina,permita-me por favor!".Clamou ele,ele que andava a minha frente,fitava-me,suas asas que se abri-
ram,a cor negra das penas como lamúria."Então?".Pediu ele novamente."Vai-te e traga-me a melhor arpia que puder".Ele pensou,sumiu,o sugar de
seu espírito foi imediato,movi as mãos para cima olhando o pentagrama com asas,o modo como serviu como passagem ao reino delas.

Olhava,eu pensava friamente.Foi quando soube que ele ia demorar.Olhava o teto,pensava."Lunnes ajuda-me".Ele apressou-se em tirar um lenço
do bolso de sua calça."Sim,mãe".Ele deu-se a limpar o meu ferimento provocado pela lámina da adaga e ao andar a frente vi que nem uma gota
jazia no caldeirão pequeno.A força e poder da materização de Redenção tinha sido o bastante para vazê-lo evaporar.

Somente podia esperar com Lunnes,ele que acolheu-me junto de si ao sentarmos."Querido nunca entendei os própositos de Redenção para conosco.
Ma sem duvida de que algo descomunal jaz nele".E Redenção tinha aceitado,somente estava esperando para reaver minha posição de vossa senho-
ra,porém,nem isso fez-me feliz.

Fiqueit riste,muito triste.Jazi em transe ao apreciar a fumaça dos incensos,os incensos que estavam acabando.Pensei nesse apreciar de como tudo is-
so foi-me desgastante.Era verdade,sem duvida de que muito de mim ainda era latente,se não sem duvida de que nunca teria conseguido reencarnar
novamente.Movi o braço a frente apreciando o corte."Um pouco diferente,mas a mesma coisa...E como no passado".Foi tenso ver como a pele agia.
O corte fechava-se.

Minha espiritualidade foi-me trevorosa demais,até mesmo para Lunnes que vislumbrou.'E como tornar-me outra coisa'.E no passado não tinha tido es-
se dom:Cura,somente a cura.E tinha sido vantagem ao reencarnar novamente,está presente."Cura".Digamos isso,eu ri silenciosa.Emanei algo mental
pra jazer em descanso,eu necessitava.

Respirava com delicadeza apartir desse momento,Lunnes acariciou-me os cabelos ao mover-me a frente ardomecendo.Dei-me a sonhar com toda per-
seguição de Redenção para com as Arpias,vi meu amado percorrendo céus e terras distantes a procura de cada uma,uma transposição imensa,e para
fazê-lo somente havia desejado um pequeno ofercimento de sangue a dar-lhe mais força e vitalidade.

Vi muitas reagirem,o açoitarem,renegarem o pedido e vossa presença.Sem duvida de que a destruição de algumas foi inevitável por desejarem ata-
car Redenção,defeza primordial,sem duvida.Apreciava-o nesse transe.Redenção agia,transmutava a vossa procura.Era como conotação eminente.Se-
rá que os anciões dos bebedores de sangue sentiam a passagem destruídora dele para com as Arpias?

Redenção queria guerra e fazia proveito desse momento.Somente quando senti alguns toques em meu rosto voltei a mim,Lunnes bramiu temeroso e
vi ao mover-me sentada como tudo acontecia.O modo como Redenção batia na Arpia presa por uma corda."Samantha creio que foi o melhor que pu-
de encontrar".Compreendi,Lunnes ajudou-me a levantar.

Andei a frente,vi como a arpia critava,como rugia de dor.Ela tinha cabeços castanhos longos e andulados,suas asas de morgego fechadas a dar-lhe o
pouco conforto que tinha.Ela tentava levantar-se,e somente pode rugir com mais dor quando Redenção postou-se atrás dela."Vá com calma maldita,
eu sei que pode dizer o que acontece com Lestat".Nada pensei,somente usei de minha frieza.

"Eu sei que Lestat quarda algo e que cada uma de vocês sabe,diga para mim".Ela olhou-me pensativa,gemeu de dor ao sentir o uso da força espiritual
de Redenção a queimar-lhe a matéria."Não sabemos exatamente o que ele fez! Mas cremos que foi o abstante para nos manter longe de você! E o que
procuramos,e o coração que procuramos a colocar-mos na arvore,mas algo nos mantém longe de você,e suga a vitalidade de Lestat".O que isso signifi-
cava?

A olhava transtornada,tanto que ao olhar para Redenção foi o bastante para ele usar mais de sua força espiritual."Ele está morrendo,e isso! Lestat vai
morrer,se quer saber,e isso! Ele vai morrer porque ele se tornou o próprio oferecimento á arvore,mas como ele fará isso não sabemos!".Foram palavras
que me gelaram o corpo e espírito,Lunnes segurou-me porque temi desmaiar.

"Samantha".O ouvi bramir,isso havia me enojado tanto,tanto que céus,eu não acreditei ao caminhar em direção a saída do sótão virar-me e bramir a
ordem."Mate-a".Redenção olhou-me apavorado,mas olhando a arpia,céus,nunca pensei que ele tivesse coragem,vi como ao tocar sobre o rosto da ar-
pua lhe sugou a vitalidade,como sua materialidade foi-se tirada e sugada por ele.

Um toque,mas porém,um poder descomunal a sugar-lhe até sobrar somente ossos e pele."Isso não e possível".Caminhei bramindo,Lunnes veio atrás
de mim e respirei."Lunnes,o que ele disse foi verdade,por mais que me doa,verdade Lunnes!".Enquanto isso eu sabia que Redenção dava fim ao resto
da arpia.Fazia proveito.

Lunnes olhou-me com tristeza,mas pode responder."Mãe ao menos tens uma resposta clara,atenuada e pode traçar os planos de como agirá".Ah,sim.
E mesmo assim foi-me algo acetinado e pacato.Lágrimas me vieram ao rosto."Elas não sabem como ele o fará,e mesmo assim,vai fazê-lo".Queria de-
sabar,e pude desabar sem forças,ele a segurar-me pelos ombros.

"Mãe tenha calma,tenha calma,saberá como agir".O olhei ao mover o rosto."Lunnes não creio que possa,não creio".Ele riu mesmo cheio de dor,pode
sentar-se sobre o gramado do jardim me tomando junto a si."Sei que vai...Foi anciã no passado e será novamente".Eu tremia,olhava o nada confor-
me tinha meu rosto sobre seu ombro.

Meu Lunnes,somente nesse momento pensei sentir,e pude sentir."Eu sei que...".Vi Redenção sair,me fitar."Samantha,sabe que posso,faça-me ter a
força Samantha e farei proveito".Não acreditava,o olhava mantendo meu rosto pousado sobre o ombro de Lunnes,ele que abraçava-me afagando-
me os cabelos por trás.

"Redenção és poderoso por demais,quero resolver o problema,mas sem destruir,você destroi coisas".Ah,sim,ele riu ao curvar-se,senti seu cálido beijo.
"Tudo bem Samantha,mas há uma resposta séria,e seja como quiser".Ele sumiu,tornara-se imatérial,somente sua presença pairando do ar e sem du-
vida que nunca saíria de perto de mim.

Não agora que voltará a ser sua senhora.Olhei para Lunnes,ele que enjugava minhas lágrimas."Darei um herdeito a Lestat,não morrerei seca,não no-
vamente,ía ter uma filha sabia? Antes de morrer naquele momento estava grávida,pode imaginar?".Ele olhou-me apavorado."E isso mesmo,darei o
herdeiro que Lestat quer,mas não quero fazer qualquer coisa meu Lunnes".Ele respirou fundo.

"Ah,sim,vamos entrar,está em estado catatônico".Que treva malíciosas senti em meu coração,curvei-me sobre o colo de Lunnes,seus carinhos foram-
me maravilhosos,o afago de paz que necessitava.A cada vez que me enfronhava mais,mais e mais,eu sentia mais dor,sentia em maior dor o peso da
responsabilidade de Lestat e os outros.

Não era comente ele,mas a todos.'Um herdeiro,não vou morrer seca,não vou,não mesmo.Tudo bem Lestat,não vai demorar e darei jeito em poder
dar-lhe esse herdeiro'.Como eu não sabia,pensava olhando as águas do chafáriz derramarem-se.Latênte caminhada,decisão letal para mim.Lunnes a
está comigo.Sua vinda tinha-me sido a esperança de algo maior,sem duvida!

***Continua***


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 85

Mensagem  Ana Nery em Sex 24 Jun - 13:05:36

***Continuando***

Com o tempo nos levantamos,pude atenuar meus sentimentos,cada detalhe para com minhas necessidades retrogadas.Sem duvida de que minha
pessoa se sentia melhor,aplicava cada detalhe para com os pergumes que me eram sentidos.Na sala pude sentar-me,não demorou para Lunes ir a
cozinha e trazermos água.

Peguei o copo de sua mão,foi como se cada detalhe me fosse memorizado,marcado para com cada sentido que eu sentia.Beberiquei alguns goles e
pude apreciar Lunnes já sentado na poltrona."Está mais calma,creio que vossa pessoa duvida de que conseguira.Samantha creia que eu logo terei
que ir".Compreendi,pousando o copo sobre a mesa de centro rompi minha quietude.

"Tudo bem Lunnes,mas creio que isso que aconteceu foi uma resposta importante".Ele riu docemente,apesar de sua dor,conseguia transpassar cada
detalhe de vosso admirar."Sim,sem duvida...Fique fria,sinto eu que logo teremos acontecimentos mais concretos,e sobre vossa vontade de ter um
filho,quem sabe eu ficarei feliz...".Ele rompeu sua quietude com delicadeza.

"Hum...Porque diz isso?".Repensei em cada detalhe."Simplesmente porque tu és minha mãe em corpo e espírito,e sem duvida qualquer filho que ti-
ver,será meu irmão ou irmã".Céus! Ele analizava até esses detalhes! Respirei com profundidade,mesmo assim minha pessoa manteve toda uma quie-
tude,sensatez.

"Sim...Creio que,sim".Ele levantou-se vindo a meu encontro,pode segurar firme minhas mãos."A chamo de mãe,porque é minha mãe,e você,eu a
mercé de tudo,não posso mudar isso".Sabia disso,porém,mesmo assim me senti tão desligada dele.A certeza de cada detalhe fez-me sorrir para ele
e com isso sentir o que emanava de seu coração."Eu admito...Nunca morrerás,seras eterno Lunnes,és um dos poucos que tens a capazidade de trans-
por milênios".Mais risos emanando dele.

"Não foi a toa que Thalwa cedeu naquele momento Lunnes".Será mesmo que ele compreendia? Beijou-me a testa levantarmos,fomos em direção
ao jardim."Psiu...E nosso secredo".Sabia que,sim,e isso levou-me a abraçá-lo ao chegarmos ao portão,sem duvida de que tudo isso fazíanos pen-
sar e nos sentir unidos.

"Tchau meu querido,logo nos veremos".Ele soube que,sim,ía pegar caminho em direção aos seus amados campos,os céus o aguardavam e perante
essa situação dei-me a refletir delicadamente.O que eu podia esperar? Não soube,somente senti atraída para meu quarto,o desejo consumidor para
que eu descansasse,me envolvesse em uma boa noite de sono.

Tudo isso para mim hávia sido destrutivo,mas sobrevivia.No quarto me despi,escolhi uma calça de algodão macia de cor violeta com camiseta de
cor branca.Olhei meu braço e me espantei pelo fato do corte a essa altura ter sumido."Céus,e difícil crer que meu poder curativo seja tão aprimora-
do,mas isso? E aterrador".E era mesmo.

A suma realização e aquela com que possamos presenciar e nos gratificar,quem faz o contrário,sem duvida há de lápidar cada pedaço de si como se
a necessidade fosse infundável.Hávia sido nessa noite,e continuaria sendo.Façamos nossos pedidos e desejos de amores.Era isso que desejava fazer
apartir desse momento.Como a noite foi-me confortante depois de tantos acontecimentos.

Mas eu hávia procurado e obtido uma resposta sensada,não sabia como ía resolver o problema de Lestat,mas sem duvida de que procuraria algum
meio.Sonhei com ele e com Merrick,com o fato dele lhe pedir perdão,de Lestat chorar nos braços de Merrick arrependido.'Poíamos ter resolvido de
modo diferente,confiei em pessoas desconhecidas'.Não lembro como descrever,mas sem duvida foi-me um momento de vázio,latente procura.

Ao raior do sol acordei,o dia começava e eu sozinha deparei-me com o telefone tocando.Tinha se passado tantas horas? Há,céus."Quem será?".Eu
questionei-me levantando-me da cama.Na sala pude atender.'Bom dia senhorita Samantha,creio que nos do Instituto Universitário somente estamos
entrando em contato para confirmar para breve o começo das aulas'.Bem,era isso,sem duvida haviam pensando friamente antes de ligar-me.

"Tudo bem,tenho a certeza que saberei o momento do começo das aulas,obrigada".E agora? O que ía acontecer? Houve algumas trocas de info-
mações a respeito de tudo isso,o jeito com que acentuava cada detalhe.Nem sempre estamos aptos a compreender cada peço de nos mesmo e
enquanto conversava somente confirmei alguns dados.

Ao desligar deparei-me silenciada no sofá,deitada olhando para o teto."Céus...Será que tudo isso vale a pena? Lestat o que deve está fazendo a-
gora?".Querendo ou não minhas preocupações com ele sempre brotam,querendo ou não,está com Lestat e viver em constante turbulência.Pude a-
centuar cada detalhe do que se passava em minha mente,e descobri que não somente o amava,as desejava unirme a ele.

Sangue negro? Ardil das trevas? Hum...Podia ser,correto? Mas não antes deu concluir coisas importantes de minha vida.Não,ele não o faria sem o
fazer antes.Ele era louco,mas não a esse ponto.O fato e que nunca está sozinha como estava nesse momento foi-me necessário,nunca necessitei
como nesse momento jazer nesse momento estupendo.

'Faça o que tem que fazer Samantha,e creio que não errará,que não falhará,que vossa pessoa não colherá maldade ou frutos pecaminosos.Faça o
que tens que fazer'.

Olhei pelos cantos,vi Redenção sentado encostado na parede,ele olhou-me desferindo sorridos e depois sumiu."Tenho que me adaptar,não posso o
manter sem o sentir".Foi quando decidi seguir para o salão.Sentando na mesa de escrever liguei meu Laptop,foi maravilhoso entrar em minha caixa
de e-mail e vislumbrar alguns recados importantes.A faculdade estava garantida,questão de semanas para eu começar,e agora meu deleite passa-
geito e humano,o que para mim sempre foi-me escasso,precioso.

Ocorreu que se passaram três dias,e durante esse tempo eu pude conhecer com profundidade os museus,bosques,cinemas e teatros de Páris,mesmo
assim minha pessoa sentia soudades deles,como senti soudades.Queria ver Louis,Thalwa,Gabrielle,quem sabe Vitória Regia.Para cada pensamento,
o desejo ácido de está com eles.

Nessa última noite eu havia chegado bebada as 19:00 da noite,havia bebido taças e mais taças de vinho,me deparei tombando na cama quando eu
tirei meu vestido de cetim curto e justo ao corpo.Não esperava apagar como apaguei,somente o tic-tac e o vento eram ouvidos por mim.Será que a
tristeza da solidão para mim,era tão sentida como nesse momento?

Meu coração hávia sido destruído e eu não sabia como livrar-me de tudo isso,das dores da responsabilidade que háviam imposto a mim.Senti cheiro
de flores,muitas flores pelo quarto,jazia somente de calcinha de algodão deitada na cama,meu vestido jogado ao chão,e o cheiro veio ao fato.Senti o
toque sobre meu rosto,depois costas.A presença veio poderosa aos meus sentidos.

Era ele,o vi ao virar-me após abrir os olhos.Lestat fitava-me risonho ao está de pé encostado na parede(Perto da entrada da varanda).Andou a fren-
te vendo-me,eu movi-me para trás sobre a cama a encostar-me sobre o travesseiro,tinha minhas mãos a frente dos seios."Desculpe..Não avisei,não
creio que tenha sensato".Arqueei a sobrancelha."Nunca o foi Lestat,nunca o foi".Meu coração batia forte,tão forte que ele pode sentir ao mover-se so-
bre mim.

O olhei com profundidade,ele estava bonito ao usar calça jeans clara,bota negra,uma jaquenta escura a protegê-lo do frio,vi a camiseta clarinha por
baixo."Juro que dá próxima vez a avisarei".Movi meu rosto de lado,tive raiva."O que tem?".O olhei,foi como se eu tivesse sido fisgada."Supomos
que eu queira algo e não possa tê-lo,até mesmo raiva de querer saber algo e não poder sabe-lo".Seu olhar doi cético como ácido.

"Faz-me sofrer Lestat,e não percebe".Ele sorriu ao mover seus dedos sobre meu queijo."Samantha? Eu te amo desde pequena,mas não creia que eu
cederei a teus caprichos carnais,não espere isso de mim".Maldito."Mas eu quero!".Brami arrepiada,mantendo a mão sobre meus seios,senti as rosas se
amassando com o mover dele sobre mim."Limitare-me a isso".Foi como musica,sutiu musica tocada com ele quando beijou-me,quando senti o calor de
seus lábios macios.

"Vai continuar fazendo-me sofrer".Ouvi seus risos,ele tinha uma mão curvada a frente de seu rosto segurando alguns fios de seus cabelos,beijava o
colo de meus seios,ele apreciava as rosas."Hum...Hum...".Foi tentação,mas soube como render-me a ele quando o puxei para mim,o beijei novamen-
te,deixei-me acolher junto a ele.

"Eu te amo meu querido,eu te amo".Foram risos malíciosos aos meus ouvidos,afagos sobre meus cabelos quando ele beijou-me a garganta e deixou
seus dentes delicados se enterrarem em minha carne."Hum...Hum...Um dia irei sugá-la até a fronteira da morte,e dai puxá-la novamente tornando-a
a mais notável das mortas-vivas nessa face da terra".Ele tinha falado sério,bebia com delicadeza,e pude sentir meu coração disparar."Noivo da morte
és".Mais risos.

Foi como um abraço,e assim nos mantivemos,a chuva começou a cair poderosa do lado de fora,trovões cortando os céus de Páris."Logo poderá ter o
que deseja,eu estou sabendo...Fico feliz que em breve começará a faculdade Samantha".Ele sentou-se a beira da cama,tirava sua jaqueta arrumando
a camisa."Me desculpe meu amor,desculpe...Não creio que deva ter ficado feliz".Ele riu,o hávia abraçado por trás."Mas como não ficaria feliz!? E o seu
sonho! Sua faculdade,sua profissão humana,e faço prol de que o faça Samantha!".Olhou-se ao levantar-se.

"Mas queria está com vocês! Somente com vocês! Fazermos proveito de dons vampiricos,o resto e resto".Ele olhou-se espantado."Querida,princesa da
minha morte,não e como pensa".Eu soube ao apreciar vosso olhar.E ele saiu fechando a porta."Estarei na sala,descansarei rapidamente,espero sua vin-
da".Eu sabia.Com isso fui tomar banho,olhei as rosas na cama e não demorei a colocá-las em um lindo jarro,o encher com água para depois deixá-lo so-
bre a mesa da varanda.

Escolhi uma camisola cor de rosa clarinho,a deixei sobre a cama e logo eu deparei-me no banho,a água quente me tomando o corpo e espírito,provocan-
do descanso eterno e letal.Ele havia vindo e me esperava na sala.O que será que ele pensava de mim? Tudo isso? Não sabia,mas continuava,fazia to-
do uso de minhas forças.

Não demorou para eu sair,arrumar-me colocando a camisola longa,a cor rosa atenuando-se ao tom de minha pele clarinha.Cabelos escovados e pude sair
ao encontro dele.Pena que tinha se passado quase uma hora até eu poder ir a seu encontro,as luzes do salão estavam apagadas,trovões altos ecoando.O
que ele pensava? Eu ri ao entrar na sala,ele jazia deitado no sofá,sonhava retomando o pouco de suas forças."Ah,céus...Olhe isso".Não parecia aquele in-
sano ser.

O ser desprovido de qualquer regra.Tão apagado estava que não sentiu quando curvei-me a sua frente sobre o sofá,vi toda teia espectral sobre ele,todos
os detalhes,até mesmo o que me espantou,pude desllizar a mão por baixo de sua camisa macia,sentir o coração dele bater,e veio a mente o selamento.Eu
gemi baixo ao sentir calafrios."Céus...Olhe isso".Pavor senti,era um selamento que lhe sugava as forças,que se unia ao espírito de Lestat,e isso assombrou-
me.

Quando senti ele segurar meu pulso tremi o encarando."Há coisas que deviam ficar para mim,sua bruxa irritante".Não respondi,somente olhava-o sentar
segurando meu pulso."Desculpe".Respondi.Íamos sair,sem duvida passear pelas próximas noite na Cidade de Páris.Lestat tinha programação certeira pa-
ra eu e ele.Seríam noites maravilhosas,torridas de paixão entre eu e ele.

Athena nos esperava,mas só voltaríamos no momento correto.Essa foi a realidade,a faculdade acertada,férias em Páris,Athena a nossa esperava.Tudo
isso era transformativo e evolutivo para mim.Noites maravilhosas.Não podia ter acontecido coisa melhor até o momento apesar de minhas dores,dores a
qual Lestat durante todo tempo tiravá-me.Eram flores e perfumes para eu e ele.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 86

Mensagem  Ana Nery em Sex 24 Jun - 14:01:48

***Continuando***

Conseguém imaginar todos os detalhes de tudo isso? Sem duvida que,sim! Mas o momento de voltarmos a Athena chegou e com isso meus
compromissos para com a faculdade.O início de tudo isso foi-me aterrador,claro! Exatamente na época em que completei meus dezenove anos.
Não acreditei quando tudo se realizou em consumada realização.

A certeza de tudo e que antes das aulas começarem Lestat hávia tido uma conversa séria comigo.'Ou termina ou sinceramente! Arcará com as
conseguências,posso lhe renegar!'.O que que ele hávia dito,céus! Porém tudo se consumou e eu me deparei envolvida nessa face tão importan-
te para mim.

As primeiras semanas foram turbulentas,mas eu soube que tudo estava valendo a pena,por favor! Anteriomente pude especificar o que eu queria
seguir,realizar,e creio que por segurança e respeito,não e necessário,corret? Como tudo de início foi-me cansativo,mas eu sobrevivi! Segui enfrente
para que tudo se concretizasse.

Um mês hávia se completado depois das férias,tudo isso,meus dezenove anos me háviam feito esvair-me em desgraça(Como odiava está mais
velha).O tempo não perdoava pensei eu ao chegar cada em uma bela noite fresca,a Cidade de Athena quente,tomada de flores por todos os par-
ques e jardins.

Estrellas brilhando no céu e como pude respirar fundo ao entrar em casa,soudades de meu cão,e claro.Notícias vieram,mas será que entenderia?
O que aconteceu e que hávia chegado,ido a cozinha pegar um belo sanduiche de pão integrau,salada e queijo com peito de peru (Como guloze-
mas me tão doces e maravilhosas de envolver-me).Sentei a mesa para comer,enchi o copo com vinho.

"Não creio que possa ficar mais cansada que isso".Mas ía ficar,creiam,eu ía ficar.Terminado de comer,encher-me e matar a fome fui a sala,quan-
do quis subir eu senti,parei no degráu da escada tomada da presença,foi como trovões ecoando-me na mente."Redenção!".Brami.Havia esqueci-
do de como ele era pespicaz.

'Samantha tenho notícias querida.Creio que de suma urgência,somente escolhi o momento correto para dizer-lhe'.

Somente o vi no jardim,eu movi a mão pelo meu vestido ao descer o vão da escadinha da varanda.'Muitas Arpias andam morrendo,digámos a
contra-gosto que Thalwa anda fazendo proveito de ataques deles,e uma justificativa para matá-las'.Friamente o respondi ao vê-lo andar ao meu
redor."Disse que poderia matá-las,sei da desgraça delas,mas os atos que andam fazendo a intimidar bebedores de sangue e seres bestiais por um
coração,e afronta".Ele riu baixo,porém,o riso morreu em seus lábios

'Vá a mansão,Lestat precisa de teus conselhos minha senhora.Vá e irás entender'.Eu o olhei,ele que curvou-se a minha frente beijando-me a mão.
Olhava silenciada,eu usava o anel que Lunnes me presenteou e somente agora o percebi."Vai-te".Pedi,e não demorou para vê-lo subir aos céus de
Athena,ía para suas procuras.

Foi nisso que decidi ir a mansão,logo fechei a porta e sai pelas Ruas de Athena.Chegando a mansão eu ouvi gritos,sem duvida que uma briga acon-
tecia e me tomava por dentro.'Para com isso! Age como insano,desprovido de consciência e mente!'.Quem era? Somente a vi ao entrar,ela jazia ao
lado de Thalwa,as duas encaravam Lestat bramindo palavras.

"Sabe que posso matá-las,mais um ataque e quem sabe mais delas morram!".O nome dela era Mergit's,ela tinha os braços cruzados,um ser com os
cabelos ruivos andulados e longos,usava túnica negra com botões de pérolas brancas,os olhos azuis focados em Lestat."Rather o segure".Bem,não es-
perava que aquele homem levantasse fitando Lestat.

"Conseguímos matar a muitas,mas não creio que seja lógico atacar,não agora!".Bramiu Rather.Lestat o encarou como se necessitasse de uma força
estupenda para discutir com Rather."Cala sua boca! Não sabe nada!".Gritou Lestat a ele,Mergit's meteu-se no meio,até mesmo Thalwa jazia assusta-
da com isso.

"Lestat não saia por favor".Pediu Mergit's,somente nesse momento e que Lestat recuou fitando Rather,o ser alto trajando calça justa e botas ecuras.
O longo casaco confortável a ser branco,os olhos castanhos de Rather passeavam por Lestat,ele moveu a mão por seus cabelos escuros andulados.
"O seu problema e que não pensa,pode estragar o que fizemos,entende? Fica frio".Lestat sentou-se na poltrona,silenciou-se friamente."Somente que-
ria...".Mergit's aumentou o tom de voz."Cala sua boca,você não queria nada".Concluiu.

Thalwa voltou sua atenção a mim,estava linda trajando túnica de seda clarinha,a faixa vermelha atada a cintura tão feminina,os cabelos negros pre-
sos para trás."E você querida? Me desculpe,veio nos visitar e depara-se com isso".Eu pensei."Redenção disse-me,ele disse-me para vir,tentar falar
com Lestat,meu Redenção viu a briga,a morte de muitas arpias".Isso tomou Mergit's e Thalwa de surpresa,elas que sentaram-se junto de Rather.O
que elas pensavam?

Lestat foi infunsivo comigo."E também irá me dar bronca?".Disse-me,todos o fitavam."Não Lestat,não vou,sei que acontece algo com você,somen-
te pelo fato de nada dizer-me,respeito o fato deu preocupar-me".Ele moveu o cenho da sobrancelha."Somente nos preocupados com você,sei que to-
dos aqui sabem de sua decisão,e por eu não saber,nada ser-me dito,acho sensato calar-se e prosseguir silencioso".Ele rompeu sua quietude tomado
de todos os detalhes.

"Ah,sim...Preocupação".Será que Thalwa conseguíria? Foi nesse momento que ela,Mergit's e Rather subiram em direção ao salão me deixando a sós
com Lestat.Fomos para varanda do quarto,somente nesse momento ele disse-me."Samantha queria a change,não me importa,entende!? Somente de-
sejo matar a mais delas".Arpias,mais mortes.

Que pensamento cruel pensei."Deixe-as,revidem somente se forem atacados como acontece geralmente,nesse caso terá que chegar o momento que
elas terão que procurar outro rumo".Foi um doloroso golpe em seu orgulho."Sabe que te amo e faz proveito para acatar-me".Eus entei-me pa mesa.
A sua pessoa não desgrudava seus olhos de mim.

"E o melhor,se Thalwa atacou e que soube que era o momento própicio,e se não o quer agora,e que sabe que deve esperar mais um pouco,fica frio".
Tudo isso para ele foi como destruir sua glória."Ok...Não vai embora se não prometer correto?".Eu brami minha resposta cética,fria conforme achei
necessário.

"Bem,somente vim por causa de Redenção,de seu aviso! Somente por isso,sou a senhora dele,está entendendo? E se convier a Redenção avisar-me
de qualquer perigo eminente,será fato e concretizado".Ele levantou-se quando ousei sair do quarto."Sua bruxa maldita,vai me repreender agora?".Eu
não acreditava nisso.

-Ah,vou sim,há se vou Lestat. Pode crer que eu vou,o repreenderei fazendo uso da força de Redenção,vá ao encontro das Arpias e juro que não me-
direi conseguências,não vai querer experimentar uma repreensão de Redenção.

"Infeliz!".Berrou,eu sai batento a porta.Ele continuou berrando com seu jeito explosivo,foi quando subi ao encontro de Rather,Mergit's e Thalwa."Eu
me desculpo,mas creio que não pude tomar decisão diferente".Thalwa olhou-me."Crer mesmo que como bruxa pode repreendê-lo? Querida Lestat es-
tá tão forte quanto Mergit's ou Sépia,entende?".Eu ri,sentei-me a fitá-la junto de todos.

"Hum...Não sei o que se sucedeu entre tu e ele,ele e tu! Mas creio que Redenção basta-me".Isso a silenciou,ela repensou silenciosa no que ia falar.
"Bem,tudo bem,que seja,ao menos a decisão está atacada,pode deixar".Pobre Lestat,pobre dele,pude apreciar mentalmente ao conversar com eles
á sua pessoa chorar deitado na cama do quarto.

Bem,esse tinha um momento tenso,tomado de presságios e uma trevorosa decisão.Thalwa decidirá atacar,conseguirá efeito,porém,a relutância em
Lestat continuar querendo atacar,provocou o afoito Redenção a precaver-me,mas o que seria de tudo isso futuramente? Bem,logo veríamos,mas eu
sabia que presságios veem e vão,nos são tocáveis.

O tempo passária,eu continuaria com meus compromissos,minha fidelidade a tudo que planejei.E sinceramente ao concluir essa parte tão importan-
te não acreditei que naquele momento hávia tido poder e força para repreender Lestat: Me pergunto as vezes se ele teve medo,medo de no passa-
do ter tido terríveis experiências com pessoas que se diziam bruxos e bruxas,mas não eram,até mesmo a respeito das provações que ele passava o
tempo todo com Thalwa.

Foi isso.O tempo passou-se depois desse momento turbulento entre eu e Lestat,e o que o pegou de surpresa e que sem duvida sou tão insufiva a
seu ser,que ele sente-se amedrontado ás vezes.Dias,noites,semanas,e logo completei meus vinte anos tomada de compromissos com a faculdade.
O transcorrer isso foi-me necessário e por enquanto nada,nada relativo as Arpias.Tudo transcorria silenciosamente e eu não parava no tempo.Não
mesmo.

***Continua***


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 87

Mensagem  Ana Nery em Sab 25 Jun - 13:13:48

***Continuando***

Será que esse momento me serviu como presságios para futuros acontecimentos? Sim,sem duvida que,sim,mesmo tomada de rancor e receio,eu senti
algo a pairar no ar.Claro,como disse,era esperado o tempo passsar,transmutar-se novamente como aconteceu.Eu passei por um momento delicado con-
forme isso acontecia.

Aconteceu em uma noite após eu chegar da faculdade,tudo na faculdade transcorria bem,e nunca passei por momento tão delicado no que diz respeito
a estudos e nostalgias de vivência.Certamente que minha pessoa pegou-se desprevenida ao chegar.Eu hávia decido no começo da Rua central,andado
quarteirão para chegar e deparar-me com presenças em minha casa.

"O que acontece?".Brami mantendo a mão pousada na alça de minha bolsa.Era uma bolsa de lado de cor cinza(Matérial quardado),eu usava saia bran-
ca pregueada até a altura do joelho,camisa negra com alça delicada,bota no mesmo tom.O que acontecia? As três presenças eram poderosas.Senti os
lapsos me fisgarem.Pude vislumbrar Lestat chorando,desesperado com algo no sótão.

"Socorro!".Peguei-me falando ao entrar fechando o portão apressada,segui em direção a biblioteca,vi que o sótão abaixo do piso jazia aberto,ele estava
lá! "Lestat!?".Berrei descendo a escada com o máximo de cuidado,e deparei-me com ele sentado ao chão ao lado de Thalwa,ele que chorava como louco.
"Vamos ajudá-lo querido,fui a seu encontro,estava viajando e foi atacado,como!?".Thalwa olhava friamente para Ellenos deitado ao chão,vi cortes pro-
fundos em seus ombros e braços.

"Lestat como isso aconteceu?".Disse ela,eu olhei silenciosa,eu não acreditava que isso tinha acontecido."Não sei Thalwa! Somente sei que senti e fui ao
encontro dele,Ellenos estava viajando".Respirei fundo,Lestat olhava tudo isso como se não acredita-se."Desculpe querida,eu não pude encontrar pessoa
mais apta a ajudá-lo do que você".Somente pude apreciar Ellenos com melhor detalhe ao sentar-se silenciosa junto a Thalwa e Lestat.

Lestat levantou-se fechando seu punho,sentia raiva,o desejo de vingança bramia dentro dele,foi quando Thalwa o indagou."Cale-se! Não e o momento!
Eu entendo sua fúria,sua raiva,o desejo ácido de vingança! A terá,mas espere o momento!".Olhava aos dois discutindo,os berros dele ecoando pelo só-
tão.Olhei para Ellenos deitado ao chão,o tinham despido,jogado suas roupas retalhadas fora,o colocado sobre um manto jazendo por baixo dele.

Ainda não compreendia como ía fazer,mas tinha que fazer."Fique frio Ellenos Cyrus,posso ajudá-lo a recuperar-se".Sabia que,sim,eu somente tinha que
da início ao processo.'Eu não esperava,eu não esperava'.Ele tinha crescido mais,sua beleza estava tão atenuada que me espantei,apesar dos ferimentos
a minha pessoa pode perceber.

"Lestat? Vamos até a sala,preciso de algumas coisas,viu?".Ele silenciou-se,pude ver as lágrimas em seu rosto."Ah,sim,desculpe".Deixamos Ellenos sozi-
nho no sótão,na sala finalmente ele sentou-se ao lado de Thalwa que o repreenderá com frieza.Indo até a cozinha peguei meu amassador de ervas,um
recipiente com água e pano limpo,por fim mais outro recipiente para amassar as ervas.

"Fiquem aqui".Brami ao passar pela sala."Volto logo".Lestat e Thalwa pensavam,mas eles sabiam da seriedade,de alguma forma Ellenos precisava de
um adiantamento em sua cura apesar dele ser poderoso,recuperar-se,quem sabe atenuar sua dor.No sótão o vi,a noite estava fresca,ele jazia deitado,se-
quer atrevia-se a mover-se.

Eu coloquei as coisas sobre o chão,sentei-me tirando um bom punhando de ervas curativas e começando a amassar,ele disse-me."Não esperava que o
Lestat me trouxe-se para cá".Compreendi,eu continuava amassando as ervas."Ellenos ele dirar o que aconteceu,peço explicações depois,somente penso
porque deve saber da gravidade do que anda acontecendo".Ele riu baixinho,secamente.

"Ah,Samantha...Pena,pena que não podemos consumar nada".Me silenciei,desejei falar de nosso filho perdido,mas não pude,não suportei a idéia.Com
meu egoísmo eu silenciei-me friamente."Entendo".Conclui.Logo pude molhar o pano na água,mover-se a frente dele limpando os ferimentos,mantinha
os movimentos circulares.

"Lilith e Lucy não sabem,elas não sabem,entende?".Ah,sim,se ele tinha saído e deparou-se com um momento deles fazendo com que Lestat fosse deses-
perado a seu encontro,e que,elas não sabiam mesmo do problema dele."Samantha mamãe não pode saber,ela enlouquecerá".Mantive-me silencisada,a
minha frieza sem duvida de que me servia para alguma coisa nesse momento.

Limpava,limpava sem temor,qualquer medo.Depois que todos os ferimentos estavam limpos vi o guão o maldito estava belo,e como! Meu coração quei-
mou,porém,reavi o controle de meus instintos.Foi um momento em que pude salientar cada detalhe do corpo de Ellenos que se mantinha deitado para ci-
ma olhando para o teto,o estalar das velas rompia a quietude do sótão.Espalhei as ervas sobre os ferimentos,e foi quando decidi.

'Vossa senhora o chama Redenção,ajuda-me a prover vitalidade,ajuda-se a reaver as forças de Ellenos.Vossa senhora o chama Redenção.Não me falhe'.

Ellenos gemeu alto fechando os olhos quando movi as mãos sobre ele,exatamente na altura de seu torax.Ele havia sentido a dor da imposição da força de
Redenção,céus,eu temi que ele não suporta-se."Psiu meu amor,fique calmo,sei que vai doer,Redenção somente age acelerando suas células para concluir
a cura dos ferimentos".Tive pena de Ellenos Cyrus.

Não acreditei em sua inocência ao olhar para o teto,o rosto corado devido aos berros de dor.A ação de Redenção que a essa altura conjurava suas células
e vitalidade corporal era poderosa,eu podia sentir passo a passo como ele agia.Céus,Redenção jazia unido ao corpo de Ellenos Cyrus."Ah,céus!".Vi como
as lágrimas vieram aos olhos de Ellenos.

A mistura de ervas sobre os ferimentos servia como um auxilio entanto."Psiu...Vai acabar e não vai demorar querido".Ele sabia que,sim,tanto que apagou
deixando seu rosto jovial pender de lado,desmaiado."Ah,céus,foi demais até para ele,pobre Ellenos".Agora ele descansava,Redenção continuava agindo so-
bre ele,e foi quando um sombrio pensamento de Redenção veio-me a mente.'Sorte de Ellenos Cyrus,ele teria sido morto,tenha certeza,vai ao encontro de
Lestat e fala que o neto e herdeiro dele vai viver'.Fiquei tensa corporalmente,levantei-me começando a arrumar as coisas.

Saíndo pela biblioteca fui ao jardim e entrando na sala Lestat levantou-se."Samantha? Diga algo por favor!".O olhei silenciosa para depois emitir um riso ma-
lícioso.Thalwa compreendeu."Tenha calma Lestat! Fez bem em ter ido ao encontro dele,fez bem em ir a procura de Ellenos Cyrus e trazê-lo para cá,creio eu
que se ele tivesse ficado,teria sido morto depois,depois explique melhor,creio que Ellenos e o que me importa agora".Ele respondeu-me aflíto,porém,soube co-
locar bem as palavras."Ok...Não me agrado,mas se prefere ficar cuidando dele,tudo bem".Thalwa olhou-me.

Ela seguiu-me até a cozinha e viu-me deixar as coisas sobre o balcão."Gosta desse jovem certo?".A respondi tomada de controle,foi-me necessário."Sabe
que era ele que ía ser o pai de meu filho,filho que foi tirado de mim a força é enterrado naquela arvore".Ela gruzou os braços,seguiu-me em direção a sala
para depois dizer,seu vestido de lãn fina de tom aliva movia-se lindamente com seu andar."Se quer saber se me arrependo,sim,pode ser,admito que pela
primeira vez vi inocência em um ser bestial,pena".Tive raiva.

Foi quando Lestat moveu-se atrás de mim pousando a mão sobre meu ombro."Preciso ir querida,mas creia que amanhã a noitinha estarei aqui,me espere
por favor!".O olhei,como estava belo vestido de negro,vestido para matar creio eu,matar em sua fúria e desejo queimante por vingança.Os segui até o por-
tão."Até Lestat,amanhã o espero".Foi triste saber que tudo isso o doia,lhe corroia o coração.

Ele saiu pelo portão silencioso,com Thalwa a seu lado.Houve lamento vindo de mim,torrido momento.Olhei a arvore parada,olhei ao pé dela conforme a
visão me fazia apreciar as flores e rosas perfumadas.Francamente estava difícil de acreditar em Thalwa,mas saber que ela não tinha feito proveito para ma-
tar Ellenos Cyrus,foi-me confortamente.

Senti a dor de Ellenos vindo-me a mente,fechei os olhos o enchergando,a ação de Redenção era ácida,imediata.Movendo a mão sobre meu rosto pude dar
início a pensamentos torridos.Esperei sentada a beira do chafáriz,olhei os céus de Athena estrelado como se emitisse uma torrida mensagem a meu coração.
'Tirar Khayman de seu coração'.Nunca me esquecia dessa franse,nunca.

Não demorou até me recompor,poder ir ao encontro de Ellenos no sótão,puxei a tampa pesada a lacrando por completo.Somente eu e ele,ele que olhava
para mim gemendo de dor ao está sentado encostado na parede."Isso doi,sentir o maldito Redenção impregnado em minhas células e doloroso,creio que so-
mente a dor e o que resta-me agora".Vi verdade em seus brilhosos olhos verdes,somente as chamas das velas nos castiçais sobre a mesinha para transmi-
tir conforto.

Foi como imediata dor."Sinto muito Ellenos,eu tive medo".Ele olhava para mim inquieto,mantinha as pernas curvadas a frente,uma das mãos pousadas
sobre seu joelho.Era perceptível como os ferimentos fechavam."Samantha,eu te amo,sabe disso tão piamente como eu sinto Samantha,não importa tudo
que digam Samantha,eu somente quis uma change,mas creio que nada nos restará no fim de tudo isso".A dor consumia-me.

Foi imediato.Redenção deixará seu corpo sentindo que bastava.Olhava para Ellenos,curvei-me a frente chorosa,pude tocar seu rosto.Como estava belo.
Um jovem que logo,logo alcançaria vossa plenitude bestial."Somente temo machucar-te querido,machucá-lo a tal ponto que essa inocência que vejo em
ti,se esvaia".Ele bramiu algumas palavras adocicadas.

"Sim,eu entendo...Cale sua boca,eu estou aqui".Foi como ligação imediata.O beijei conforme movi as mãos sobre seu rosto,fazia tempos que eu não ima-
ginava do que era tê-lo em meus braços."Ah,sim,a amo desde quando a vi naquele maldito lugar em que moro".Foi-me voraz,eu queria sofrer,mas mão
conseguia.Era meu Ellenos,o meu eterno Ellenos nascido na imortalidade e que cujo um dia deseje,morrerá na imortalidade.

Ele levantou-se junto a mim,o beijava."Ah,e? Vamos ver meu amor".Ele mantinha-se silenciado,tomado.Respirava fundo apesar da latente dor no corpo,
mas sem duvida ía conseguia."O pior passou".Brami aos seus ouvidos ao encostar-se sobre a base da mesinha,os castiçais com velas se moveram para o
lado."Fique comigo,somente hoje,e o bastante para mim".

Ele pode compreender mesmo na dor,nos detalhes de nossos beijos e carícias imediatas."O pior passou meu Ellenos".Ele sabia,respirava conforme manti-
nha seu rosto encostado ao meu,eu me apressava em desabotoar minha blusa,em deixar-me tomar pelos seus vorazes beijos."Sempre estarei aqui,solitá-
ria,mas sabe que pode vir a meu encontro".Ele compreendia,abraçava-me com fervor.

Eu queria chorar,como queria.Ele tinha mudado,porém,mantinha-se o mesmo,e saber que logo ía alcançar sua plenitude,me doeu na alma.Pude sentir co-
mo sua mão moveu-se por baixo de minha saia fazendo-me tremer de prazer."Com vontade querido,mete esse pau dentro de mim com vontade".Céus,o
recado havia sido emitido.

Foi voraz,ele segurava-me,conforme movia as mãos por trás de suas costas a menter-se apoiada sobre a base da mesinha,eu sentia a sua pele mácia,per-
fumada,até mesmo na dor e na guerra.Estava duro,como estava,quente como larva.Eu gemia com prazer,de dor,tudo que possam imaginar.Pude afagar
os cabelos macios de Ellenos.

Vontade de chorar,mas me segurava.Foi voraz em manter-se junto a ele quando nos encostamos na parece,o modo como continuamos,como ele segura-
va-me junto de si fazendo-me apoiar na parede,tinha meus olhos fechados,beijava seus ombros,a queima maciça em meu corpo."Com vontade querido,a
Samantha está aqui".Desespero,e continuamos,meu Ellenos sempre voraz,poderoso,sempre medindo sua força a não machucar-me.

Ele não pensava em Khayman,não ainda pelo que pude apreciar em seus olhos enquanto transavamos dessa forma tão voraz."Vaís ver,vaís ver".Quis
saber o que ele queria dizer,somente arrancou-me a saia e blusa conforme continuavámos.Eu sofria.Sofria com relutância,mas pude suportar.Terminamos
deitados sobre a manta do chão,o conforto pleno.

Ele que puxavá-me contra si,podia me dar apoiado ao jazermos deitados de lado,meus gemidos tornaram-se delicados,até mesmo as carícias multuas.Eu
havia feito uma loucura,me sentia fraca,fraca como uma boneca de porcelana nos braços dele,e ele disse-me aos ouvidos deitado atrás de mim."Sempre
acatarei a teus desejos,sempre,querendo ou não,eu os acatarei,posso ser o maldito mais solitário do mundo,tu pode morrer em sua humanidade,mas creia
Samantha,somente existirá uma".Meu coração doeu.

Mantinha-se deitada de lado a frente dele fitando a poltrona,o bruxelear das velas sobre as paredes do sótão."Se deseja assim,que seja Ellenos".Sofri,e
sua sinceridade havia sido imediata ao virar-me,ele sentia medo,tremia ao tocar meu rosto."Hum...Minha princesa emoldurada pela mesma solidão que a
minha,o que não faço para suprir-me a vida".Ele moveu o polegar abaixo de meus olhos chorosos."Psiu...Agora não é eu que sofro,e tu".Ele sabia confor-
me o olhava,trocavámos olhares.

Dei-me a chorar em seus braços acolhida por ele,ele que sussurava coisas em meus ouvidos."Ah,maldito...Divide meu coração,o divide ao meio como se
desferise-me uma lámina,poe a prova o que sinto por Khayman e sabe que fizemos uma promessa".Ele sentia medo."Psiu...Decidirá por si,e o que decidir
será.Não lhe cobro nada,não quando e seu coração que decidi aos poucos".Silêncio,e tudo tornou-se a notável musica aos encantos da noite trevorosa.Pa-
ra agirmos e sofrermos em nossos aprendizados.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 88

Mensagem  Ana Nery em Sab 25 Jun - 14:22:50

***Continuava***

Não demorou até Ellenos ardomecer ao meu lado,eu o vi jazer na quietude de seu descanso,me movi puxando o manto sobre ele.Sem duvida de que
essa seria uma conclusão latente de suas forças.Peguei minhas roupas em frangalho,apaguei as velas.Eu precisava sair,esmurecer em qualquer detalhe
insano,e um deles foi entrar no meu quarto e jogar as roupas no cesto.

Procurei vestes limpas para Ellenos Cyrus,o que custou-me a dor foi ir ao sótão antes deu retirar-me para dormir e deixar as roupas limpas sobre a pol-
trona do sótão:Se tratava de uma calça justa jeans escura,camisa de seda em cor cinza de botões de prata,as botas curtas lhe seriam conforto,mas de-
penderia unicamente dele ao acordar na NOVA NOITE para vestir-se e vir a meu encontro.

Finalmente sozinha em meu quarto tranquei a porta,liguei as luzes.Que Ellenos Cyrus descansasse pelo resto da madrugada e dia,bastava para ele,seu
sofrimento."Preciso limpar-me,eu não o fiz da última vez e pode voltar a acontecer".Há,sim,uma verdade latente em meu coração saber que mais da se-
mente dele tinha sido infundida dentro de mim no ato insano.

Eu podia sentir-me morna ainda,todo corpo.Não me senti suja quando desejei tomar banho,limpar-te passo a passo.Como a água do chuvendo foi-me
o conforto desejo! Eu movi meu rosto para cima sentindo o toque maravilhoso.'Ellenos,Ellenos...Sei que gostária,mas eu não posso'.Pensei tomada de
preceitos.Não creio que foi-me insano,mas usei de toda minha força para acabar com qualquer vestigio de minhas atitudes no sótão.

Foi bom enquanto continuava no banho sentir essa eventual ação percorrer-me o corpo,atuando como purificação.'Fique fria,não está na época,mas eu
sei que lhe e conveniente'.Eu ri ao saber que era Redenção de pé do ladro de fora do box."Fique calado,viu a insensatez da última vez,e não vou permi-
tir que volte a acontecer".A seriedade com que Redenção falou-me foi imediata."Como queira,ficarei de olho em Ellenos que dorme docemente".Soube
que,sim,e sem duvida que voltar a ser a senhora de Redenção tinha sido a decisão de proteção mais sensata de minha vida.

Não demorou e após arrumar-me no quarto depois do banho cai no sono pesado.Ellenos estava no sótão,dormia,e nada ou ninguém ía lá,sequer os raios
do sol iriam a seu encontro.Foi bom,e nesse transe ao ardomecer,eu tive a certeza que toda atuação de minha força espectral atuava purificando-me,até
mesmo destruíndo corporalmente qualquer vestígio da semente de Ellenos(O que a feminilidade não faz?).

Mas bem? Sabem que Lestat viria na noite seguinte,e ele veio.Eu e Ellenos estavámos conversando na sala quando o vimos entrar pelo portão,Ellenos
soube do recado silencioso ao acordar na NOVA NOITE e vestir-se com as roupas que eu havia deixado,mas ele sentia medo.Imenso medo quando sou-
bemos da eventual vinda de Lestat."Pensei que não viria Lestat".Lestat o olhou,foi como se ele não acreditasse na força de Ellenos para recuperar-se.

Ellenos segurava minha mão,eu alternava meu olhar entre os dois.Lestat sentou-se na poltrona.Parecia-me uma aparição trajado com camisa vermelha
com botões de prata,a calça justa com a bota pesada para noite fazendo conjunto perfeito,vi a linda fita negra que prendia seus cabelos pra trás,foi como
eminente medo em Ellenos Cyrus trocar olhares com Lestat.

-Somente queria entender como se meteu na encrenta que se meteu com as Arpias,não pode matá-las,somente defender-se,isso quer dizer que ainda
não alcançou sua plenitude como ser bestial Ellenos.

Agora estava explicado,céus,tinha ido até atrás dele! "Não me repreenda,não seja incrédulo,pode usar de todas as suas armadilhas para com qualquer
um,menos comigo".Foi a gota de água para Ellenos,tinha sido o mesmo que chamá-lo de fraco,e ele não admitia isso.Lestat e Ellenos trocaram olhares
ácidos,foi como desejarem entrar em guerra."Basta! Não creio que seja correto guerrearem assim! Como dois cães malditos!".Eles me olharam,nisso eu
fui infusiva.

"Deixe-me vingar-me! Foi uma afronta Ellenos! Olhe e pense para o estado em que ficou! Uma guase morte! Não creio que terei outro herdeiro macho
caso morra seu infeliz,não se depender de Samantha".Sem duvida bastou-se,bati na cara de Lestat."Pensa o quê? Não seja idiota,mas se quiser morrer
vá! E isso,vá!".Ellenos espantou-se."Samantha não faça isso querida".Pediu ele ao ver-me andar a frente.Eu odiei o fato de Lestat ser tão ciúmento,ser
tão infunsivo e protetor para com eu e Ellenos,isso deu-me nos nervos.

"Chamanos de seus demoniosinhos,mas não creio que seu ciúme seja controlá-vel".E não estava sendo,e pelo visto nem a conversa de Thalwa tinha
sido o bastante."Eu disse! Se nem Thalwa o repreende,como a bruxa da família,eu repreendo!".Lestat bramiu coisas."Sua infeliz,infeliz!".Pude ouvir o
grito dele quando Redenção apareceu o puxando por trás.'Lestat entendo sua fúria,seu ciúme para com seus herdeiros,mas não creio que caso morra po-
derá continuar a protegê-los,eu lamento,mas terá que sofrer um pouco até se recompor'.Respirei fundo.

"O que pensa que está fazendo sua bruxa maldita!?".Ellenos me olhava,havia pedido piedade por Lestat."Dane-se,ele e louco,e pela proteção dele,até
ele entender,não o soltarei!".Brami em resposta.Lestat foi puxado até o jardim,vi quando Redenção usou de algo precioso para prender Lestat sobre o
tronco da arvore.Uma força espetral poderosa que lhe prendei no tronco.

"E isso mesmo,fique ai,fique até a poderosa Thalwa chegar e decidir o que fará contigo Lestat".Eu e Ellenos fomos para meu quarto,como admirava o
meu vestido longo de algodão macio,a sua cor de vinho,entrando na varanda vi como Lestat me fitava,ele que movia seus olhos com delicadeza sobre
mim,mantinha-se preso espectralmente,Redenção andava a sua volta,o analizava.

"Creio que tu pegou pesado com ele,ele não merece".Ellenos disse-me isso? Ah,céus."Não o conhece,digámos que a fúria descontrolada dele quase o
matou no passado,se para protegê-lo tenho que usar da minha,então que assim seja".Ellenos o olhava,presenciar isso foi tenebroso para ele,eu o beijei
com fervor nesse momento."Ah,querido,que bom está bem,teremos que esperar Thalwa vir,logo ela vai aparecer".Não sabia quando ela apareceria,e
creio eu que foi sensato.

Passaram-se duas horas até ela aparecer.Durante esse tempo de espera eu e Ellenos Cyrus nos mantivemos temerosos,por vários momentos Lestat
tentou se desprender em gritos para avançar contra Redenção,o fato de algumas pessoas se sentirema traídas pelos gritos dele ao andarem na Rua a
frente de minha casa,provocou-me medo,ainda bem que a murada serve como proteção a visão.

Lá veio ela,senti de longe quando Thalwa entrou,ela entrou fechando o pesado portão.Olhou Lestat friamente,uma dama ao está vestindo saia de ce-
tim até a altura do joelho de cor azul-turquesa,até a camisa no mesmo tecido e cor era admirável,colar de camafeu.Ela fitou-se de longe e soube das
peripécias de Lestat.

Eu e Ellenos Cyrus descemos,a vimos andar envolta da arvore."Como conseguiu prender esse infeliz na arvore?". Quis saber."Somente encanto,que
se dane,ele queria ir ao encontro das Arpias,queria vingança".Thalwa olhou para Lestat arqueando a sobrancelha,tive pena,foi como sentir a dor quan-
do ela bateu no rosto dele.

Lestat caiu a frente sobre o gramado."Seu maldito! Quer o quê? Pôr por água abaixo todos os nossos planos que vem dando certo?".Lestat a olhou ao
levantar-se movendo as mãos sobre suas roupas."Vai fazer o quê? Queimar-me?".Logo podemos entrar,somente quando fitou a Ellenos sentado ao
meu lado pode dizer."Tenho que admitir jovem,se sobreviveu ao ataque maldito das arpias,e que há uma imensa força dentro de ti".Foi como musica
aos ouvidos de Ellenos Cyrus.

"Acha mesmo,e?".Lestat temeu quando ele levantou-se cumprimentando Thalwa."Prazer mulher...Finalmente depois da turbulência podemos nos fa-
lar melhor".Thalwa arqueou a sobrancelha segurando a mão de Ellenos."Hum....És diferente,tenho receio,és diferente de Drarytha,mas tão maldito
quando Lucy e Lilith,prefiro afastar-me de tudo isso".Ellenos cruzou os braços,o coração de Lestat disparou devido a seu temor.

Thalwa me olhou para depois alternar o olhar para Lestat."Não sei como levaremos esse garoto de volta,mas Lestat,mesmo sentindo meu orgulho des-
truído,temos que fazê-lo,Ellenos não pode ficar aqui,e recomendo nada dizer a Lilith e Lucy".Lestat gelou nesse momento."Por que diz isso?".Thalwa foi
infusiva,trocou olhares até mesmo com Ellenos."Tenho planos,sabe disso! Poderá saborear o prazer da vingança desses ataques logo,logo,mas se Lilith
e Lucy souberem,será pior.Quase desencaderam uma guerra quando forama tacadas no passado,e agora?".Foi terrível imaginar.

"Hum...Levaremos Ellenos Cyrus até a fronteira,o resto será com ele novamente".Que terrível."Hum...Tudo bem,tudo bem Thalwa".Ellenos disse.
Olhou-se pressentindo algo,foi destruidor entender."Vamos Ellenos,aqui não poderá demorar-se mais e não creio diante de minha condição que tudo
se mantenha em ordem,pena que estão no meio dessa guerra".Estava decidido.

Thalwa tinha dito a pior verdade até agora: Em uma guerra entre bebedores de sangue e arpias,seres bestiais jaziam na encruzilhada,mas se algo de-
senfrea-se a mente de Lilith e Lucy,a coisa poderia fizer pior.Vi medo no olhar de Thalwa.Ah,sim,ela tinha medo de Lucy e Lilith,eu somente quis saber
os motivos,e infelizmente não pude sabé-los.

Sentei-me no vão da varanda de minha casa,vi quando eles seguiram pelo jardim."Samantha? Venha-me visitar-me logo mais,quem sabe possa está
junto de Lilith e Lucy".Ellenos disse-me ao parar por alguns momentos,meu coração doeu,Lestat tocou seu ombro."Psiu...Precisamos ir,antes consegui-
remos uma boa caça para você,não seguirá viagem sem antes alimentar-se".Ellenos o olhou friamente,Thalwa extremeceu por alguns momentos.

Ela podia sentir a besta que havia sido dada por Lilith a Ellenos quando bebê,a besta que sem duvida evoluia junto dele,que devorava cada espírito
de eventual caça de Ellenos Cyrus."Tudo bem,tudo bem".Disse Ellenos,ele olhou-se trocando os últimos olhares comigo,levantei-me movendo minhas
mãos a frente.Silenciosa fiquei e os vi partir por definitivo.

Sozinha ouvi Redenção dizer-me.'Teu coração chora,chora porque queria ir junto dele e sabe que Khayman e mais importante'.Me perdendo na paisa-
gem que as flores e rosas do jardim me propíciavam o respondi."Khayman está muito além disso Redenção,essa e a verdade que machuca-me".Ouvi
o riso ácido do insano Redenção aos ouvidos e fui recolher-me no meu quarto.

Sozinha fiquei,sozinha ía continuar com meus compromissos.Na varanda liguei o Laptop."Redenção sigá-os,veja se Ellenos irá sair intacto da Cidade".
Não sabia quando ele ía trazer-me a notícia,mas creio que ele o faria,em breve saberia,e apartir desse momento dei-me a ocupar-me,retroceder aos
encantos do que conhecia,estava apredendo na faculdade.

Nada como o vento silencioso bramindo aos meus ouvidos conforme pesquisava,envolvia-me detalhadamente nesses novos conhecimentos.Para que
chorar,correto? Poderia até ter chorado,mas não,eu continuei firme e forte,que tudo fosse realizado.Me perdi no tempo,me perdi apartir desse momen-
to em que eu transmutava tantos detalhes preciosos com meus compromissos mortais.

Khayman não deixou de vir-me a mente,ele veio-me a mente como miragem,o inesperado para mim.Foi em uma noite chuvosa que Redenção veio a
mim.Havíam se passado três noites desde que Ellenos pariu,e eu sequer soube de notícias de Lestat,Gabrielle ou Thalwa que sem duvida jaziam em al-
gum eventual compromisso,nem Vitória Regia estava,e olhem que tinha ido a procura dela em uma dessas noites.

Eu estava sentada na poltrona da sala,o castiçal com vela de cera de abelha bruxelava,chovia muito,ouvia os trovões,eu bebia vinho quente,deseja-
va envolver-me,as chamas da lareira me serviam como transmutação espiritual.Foi logo após um trovão ecoando pelos céus de Athena que o vi,eu
pude vê-lo.

Primeiro a sombra,depois sua imagem matérial perfeita.'Ellenos chegou bem,ainda traumatizado,mas bem,depois que vim para cá,minha presença e
imagem passam despercebida a saudosa e poderosa Lilith'.Ele sentou-se a minha frente,pode beijar minha mão quando eu deixei a taça de vinho so-
bre a mesa de centro,eu sorri."Obrigada meu querido,creio que agora tudo está bem,foi o máximo que pudemos fazer por Ellenos".

'Aziel estava lá sabia? Como tive ciúme,Lilith o ama ainda,não importa se aquele maldito e um bebedor de sangue,se trava guerra com seu sofrimen-
to de ter se tornado um bebedor de sangue,mas o ama'.Eu ri,ele levantou-se,seus cabelos andulados e negros moveram-se com seu doce andar,seus
olhos verdes brilhosos.'Estava com soudades'.Eu sorri em resposta."Eu sei,Lilith já sabe que reenvendiquei minha senhoria sobre tu,ela sabe,deixe-a
na paz que deseja,na dor de sua imortalidade,seria o sensato".

"Que seja,a guerra me assola,e como me assola".Vi tristeza em seu olhar,ele sumiu,e sem duvida havia falado das arpias.A guerra silenciosa sentida
por mim,por qualquer um mesmo não envolvido com a questão.Qualquer ser bestial ou bebedor de sangue.Quietude,dor,foi o que senti ao voltar-me
a perder-me no bruxelear das chamas.Faltava pouco,muito pouco,e sem duvida teria meu Khayman,eu travaria minha guerra.Dor no coração ao apre-
ciar as chamas na lareira,todos os meus pensamentos de dor.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 89

Mensagem  Ana Nery em Dom 26 Jun - 13:40:11

***Continuando***

Passaram-se dois anos,cheguei aos meus vinte e dois anos tomada de novos compromissos,principalmente no que diz respeito aos rumos profissionais
que eu tomei ao decorrer desses dois anos.O que acontece que eu agia silenciosa,e sabia que logo poderia acatar aos planos que permeavam minha in-
sana mente.Não sabia de meu futuro,muito menos do que aconteceria com meus amados,mas eu continuei.

Foram coisas dolorosas ao longo desses dois anos presenciar Lestat passar por turbulentos momentos,porém,sobreviverá piamente.A conjectura e que
tudo isso acontinuava,se mesclava a minha existência e desejava fazer proveito para acatar ao que queria.Não foi fácil,mas eu o fiz.Uma semana após
as comemorações de meus vinte e dois anos e Louis veio ao meu encontro.

Eu hávia saído da mansão,visitado Gabrielle,pelo que soube nem Thalwa ou Lestat estavam na Cidade,mas tinha ido e valerá a pena porque soube de
notícias deles.Bem,ía eu caminhando pela calçada,tinha a mão em minha bolsa de lado,usava vestido de cor rosa-claro,o tecido de algodão macio como
o verdeiro toque de seda em meu corpo.

A sandália era confortável,meus cabelos soltos,e como tinha-me sido cansativo está no escritório de pesquisa durante esse tempo.A noite fria provoca-
va desconforto em minha pessoa,e isso fazía-me querer definhar.Lá estava Louis quando entrei,sentado a beira da escadinha da caranda,olhou-me como
se fosse-me uma miragem.movi meus olhos sobre ele com delizadeza.

-Olá Samantha,creio que poderá ir comigo ao nosso lar,não e? Digámos que adoraria levar-te e vejo que transformou-se,fico admirado.Pena que ainda
me sinta tão dominado.

Silenciei-me quando aproximou-se de mim,o abracei com fervor,pude sentir seu cálido perfume.Lindo estava ao vestir calça de corte clássico de cor cin-
za,a camiseta negra de seda,botões de ouro.O olhei silenciosa,não desviei-me de meu silêncio eminente."Ah,sim,quer mesmo que eu vá querido? Sei
que senti soudades,pensei que nunca viria ver-me".Ele riu,pode rir malícioso.

"A levarei,sépia está a sua procura,tenho que admitir! Uma bruxa natural entanto!".Arqueei a sobrancelha,foi como trovões aos meus ouvidos,foi como
a confirmação perante a vossa palavra.Não demorou e assim que deixei a bolsa na cada,preparei-me rapidamente,logo nos encontramos nos céus,Louis
não demorou.

Era nas montanhas,porém,por conforto,felizidade,amor,compaixão,ele o tinha feito.Senti a musica do vento envolver-me enquanto ele seguia,atravessa-
va os céus de Athena.Tinha demorado,mas sem duvida o tempo e acontecimentos fez com que Louis se tornasse um dos mais poderosos imortais.Prova-
ções que sem duvida fizeram dele,o que é nesses ferventes tempos.

Como foi malicioso,insano envolver-me nesses observares.Um presente,um novo presente de Louis.Ao chegarmos pude acordar de meu transe mental
que deu-me conforto e suporte para suportar a pacata viagem.Olhei a nossa volta tomada de todos os detalhes,ele jazia no imenso jardim a frente de seu
lar.Segurava-me com cuidado."Pronto,agora podemos entrar".

Levantei com ajuda dele,ao entrarmos na imensa sala que sempre teve cara de salão,Sépia fitou-me arqueando a sobrancelha."Chegou,pensei que tu ía
negar-nos o pedido".Eu sorri,fazia tempos que não a via,e pude ver o desgaste do tempo em seus brilhosos olhos violetas,graças que pude lhe transmitir
conforto,pecaminoso sentimento.

Estava linda,muito parecida com Thalwa(Sua mãe),mas sempre acatando a características dela.Usava longa túnica de puro linho fino em cor negra,senti
assombro com os requintados botões de prata com detalhe de camafeus."Ardônis,voltou a vê-lo depois daqueles tempos?".Sépia segurou as minhas mãos
e alternando o olhar entre eu e Louis,respondeu."Nunca mais,nunca mais,nunca mais o vi ou ele procurou-me,nunca mais".Respirei fundo,foi quando Louis
seguiu em direção a cozinha."Samantha sei que está cansada devido a pacata viagem,mas deve ter algo pra você alimentar-se quando voltar dos cam-
pos".

O olhei."Como assim?".Ele sorriu."Digámos que Sépia vai aos campos,flores para decoração".Compreendi,ela não respondeu,a vi seguir em direção a por-
ta.Junto dela pude sentir sua dor alheia.Logo pudemos seguir pelo jardim,depois pegarmos trilhas,como foi-me gratificante jazer nesse lugar deslubrante e
solitário escolhido por Louis a está com Sépia.

"Thalwa disse-me que Ardônis jaz sozinho no palácio,ele não fala com quase ninguém,acho que minha eventual serparação dele o enjotou com todas as
forças a solidão".Respirei fundo,segurava sua mão.Caminhavámos,graças que ela pegou a gesta para colocarmos as rosas e flores do campo,a pegou ao
passarmos pela varanda da linda mansão-palácio de Louis.

Céus,era uma mansão,mas que de longe,como descrito por mim! A visão de um requintado palácio."Fique calma,muito calma,não creio que coisa pior vá
acontecer ao Ardônis.Ela riu secamente."Ele contava comigo,entende?Creio que tudo isso serviu para ele aquietar-se,tomar-se por sentimentos nunca an-
tes provados por ele".E complementou."Vimos Marius e Pandora por essas semanas,noite estupenda! Ele esteve aqui,quis sabe de você,e impossível nos
ver,qualquer ancião como Tompei,Khayman,até mesmo Thorne,Aodh,e impossível nos ver,e não deixarmos de comentar de ti".Céus! Que pavor pensei.

"Marius acha que será a única a morrer,a ter uma morte natural,Marius não crer que tu deseje sangue negro,tudo isso,ele nunca enchergou isso em tu,so-
mente uma bruxa tomada de ciências morais".Assustei-me,e céus! Só me aquietando para começarmos a colher as flores."Não posso prever meu futuro,
mas eu sei que tenho planos próprios,desprovidos de tudo isso.Eu amo alguém secretamente é pretendo unir-me a ele".Ela quis saber quem.

Acabavámos de entrar nos lindos campos,ela colhia rosas brancas e vermelhas."Logo vão saber,mas por favor! Não entrem em conflíto comigo,a anos eu
amo esse alguém,somente temo que Lestat enlouqueça".Foi aterrador para ela imaginar um tipo de coisa dessas.Como o cheiro das flores foi-me bom de
sentir,apreciar.

Íamos pegando,cortando-ás no talo e enchíamos a gesta."Dependerá...Mas se o ama,sei que escolheu com perfeição quem deva ser".Eu sorri,soube que a
gente devía continuar,seguímos a frente,pegamos mais flores silvestres perfumadas,mais rosas.O a lua crescente jazia nos céus dos campos da montanha.
O vento vinha ao nosso encontro cortante.

De volta ao palácio eu e Sépia deixámos a gesta na mesa da imensa sala,Louis acenderá a lareira,o vi abaixado atiçando a madeira."Infeliz,quer morrer vi-
vo?".Brami irritada,mas ele continuou,vi que na mesa tinha um prato de sopa de legumes com pedaços de carne,vinho na taça,pão cortado.Espantei-me,eu
descobri que o maldito o fizerá para mim,ele riu ao levantar-se.

"Coma Samantha,alimente-se,eu e Sépia organizámos as flores".Compreendi,sentei-me puxando o quardanapo.Louis e Sépia começaram a mover-se para
pegar jarros de porcelana grega.Aos poucos eles organizavam as flores em cores,cada detalhe perfeito.Eu começava a saborear a comida,mas antes alguns
goles de vinho fez-me bem.

Que perfume! Que perfume! As flores silvestres nunca me foram tão perfeitas como nesse momento! Olhava enquanto comia eles dedicarem-se a esses de-
talhes sordidos.'Sabia que eles se amavam,mas isso? Ah! E melhor do que presenciar o amor de Thalwa e Lestat'.Pensamento sordido,o tic-tac do relógio a
bater na parede foi-me ouvido,a noite transcorria,e céus,como doeu-me.

Tudo foi-me drástico,sensitivo.Está no lar de Louis e Sépia,e como encontrar a tranquilidade por algum tempo.Era o que tinha acontecido,e não demorou até
eles terminarem,colocarem os jarros em seus lugares,alguns sobre a linda base de mármore acima da lareira acesa,o último sobre a mesa.Eu comia,foi como
a minha pessoa envolver-se em transe nesse requintado detalhe.

"Se for descansar,descanse,creio que uma boa caçada serar maravilhoso".Disse Louis.Ele ía sair com Sépia,caçar,era somente nisso que ele pensava,mas eu
sabia que a tenebrosa musica era tocada,atenuada para cada detalhe.Logo estava sozinha,não demorou e fui até a cozinha organizar o prato,taça e talhesres.
A quietude nesses lugares e tamanha que nos envolve em eminente desejo por paz.

No quarto no andar de cima deitei-me olhando o teto,ofeguei tomando ar,respirando fundo,pensei em Khayman,a espera que me assolava,destruía-me por
dentro.Logo Louis e Sépia íam voltar,mas não antes de saciarem-se.Nisso eu ardomeci,envolvi-me em detalhes alheios de desejos,juro que por alguns mo-
mentos foi como se eu tivesse sentido meu coração bater forte,sentir-me tomava por Khayman.

Foi o termino de noite perfeito para mim.Sem duvida de que eu não pretendia ir embora tão cedo,está nesse lugar era especial.O que acontece e que todo
preceito maior,e esse nome chama-se Sabrina.Deparei-me tomada por sua presença ao longo de meu descanso passageiro após o jantar,olhei a minha vol-
ta e percebi que chuvia.

"Chovendo aqui?".Brami inquietada.Levantei seguindo pelo corredor.'Quando tempo mais vai demorar Samantha?'.Ah,céus,o que ela desejava!? Para meu
preceito isso foi assustador.Ela jazia parada observando-me.A fitava pensativa,os seus chamativos olhos verdes passeavam por mim,suas asas fechadas se-
quer foram percebidas por mim.

"Fique fria...O que deseja?".Ela riu secamente,moveu sua mão a frente."Hum...Sabe o que quero,pode evitar a eminente morte de Lestat,não a eles,não
diz respeito a Thalwa,muito menos Sépia,Louis,Marius,todos eles,mas Lestat está envolvido nisso tudo".Assustador.Era tenebroso vislumbrar seus seios nús,
a pele clara como leite,um ser com corpo perfeito,as orelhas delicadas.

Mas as asas de movergo,isso,sim,assustou-me ao vê-la abri-las."Sai!".Brami correndo a frente,ela pegou-me pelo braço,segurou-me pelo ombro como se a
sua pessoa sentisse a certeza."Olha aqui,estou quase lá,falta muito pouco,Lestat pediu por isso e querendo ou não farei prol".Ela soltou-me no chão,eu olhei
para ela tomada de pavor.

Ela olhou a frente."Ah,pelo visto Louis está chegando.Ah! Que peninha,eu preciso ir,mas já sabe sua bruxa maldita! Falta pouco,muito pouco".Ela sumiu ao
vê-lo entrar no corredor após subir a escadária.Deparava-me no chão,pensativa,olhando o nada."O que há Samantha?".Coisas,somente coisas,foi o que lhe
respondi.

No quarto ele ajudou-me a sentar-me a beira da cama,puxou uma cadeira da mesinha a sentar-se me fitando."Coisas?".O olhava,seus olhos azuis moviam-
se sobre mim."Sabrina,deve saber,não sei o que acontece em relação a Lestat,tudo isso,mas creio que sinto-me sufocada".Louis reagiu como se tivesse sido
pego de surpresa."Digámos que Sabrina sabe da fraqueza de Lestat,faz proveito".Foi um momento tenso,tenso em quietude,troca de olhares,todo tipo de e-
ventual mágoa que se possa imaginar.

"E crer que possa se resolver?".O olhei."Não sei,não sei Louis".E pude ver,vislumbrar no frio olhar de Louis,que ele pouco se importava pelo que acontecia
com Lestat,muito menos as futuras decisões."Hum...Já sofri demais por Lestat quando ele sequer ligava pelo que eu sentia,aprendia passo a passo,aprendi
a repreender o que sinto por ele na marra digámos isso".Que tenso.

Não demorou e ele juntou-se a mim na cama.Sentou-se encostado no espelho da cama deixando eu acolher-me a ele."Não sofra por coisas que venham a
lhe assolar,Lestat age e não creia que ele pensa".Compreendi,tamanha ingenuidade,correto? Duas noites passei com Louis,duas noites perfeitas passei com
ele até finalmente voltar.

Como essas duas noites foi-me trevorosas,tomadas de cada detalhe pecaminoso,cheguei até a acompanhar ele e Sépia em futuras e eventuais caçadas.O
casal mais charmoso a caçarem juntos,sem duvida.O fato e que na minha volta dei continuidade a meus compromissos,uma semana passou-se depois de
minha descrita volta e em um lindo início de noite,no escritório,meu telefone tocou.

"Aló? Algum compromisso?".Brami,pensava ser alguém importante e quando ouvi a voz,quis matá-lo."Samantha estou a sua espera,espero que chegue lo
go".Filho da mãe,movi a mão no aparelho do telefone sem fio,noite fria,andei pela linda sala."Mas Lestat como encontrou meu número do escritório? Seu i-
diota".Não queria discutir com ele,mas céus!

Ter estado com Louis,voltado e continuidado minhas atividades profissionais,e agora isso? "Bem! Espionei sua bolsa na última visita,não seja idiota,estou a
sua espera".Desligou o telefone,e sentei-me na cadeira a frente da imensa mesa transtornada,tonta.'O que esse filho da mãe não descobre'.Pensei tomada
de receio.Céus,ele tinha encontrado o número de meu escritório,e temi que fizesse coisa pior.Bem! Tudo que tinha que fazer era desligar o computador,fe-
char a pasta e sair pelo corredor.Não comentei anda com minha secretária,somente sumi do lugar.

Chegando em casa o vi a minha espera na sala,vi seu riso pacato."Ah,querida,e que passou noites depois de seu aniversário,não pude vê-la com maior tu-
téla de cuidado".O que ele quis dizer-me? Deixei a bolsa sobre a mesa de centro.Pensei ao fitá-lo,sentei na poltrona fitando o que ele tinha em mãos,uma
caixa pequena de madeira devidamente lacráda.

Estava singelo essa noite,ele que vestia calça justa,bota curta e camiseta clara."Tome".Um presente atrasado de aniversário,olhei tomada por alguns mo-
mentos.Mais uma joia e o que ele aprontou dessa vez? Abri destravando o lacré da caixa,olhei o lindo colar de prata,o pingente cravejado de diamente.Eu
ofeguei."Diamante? seu louco! Diamante!?".Ele levantou-se.

"Somente alguém me devia algo,e sabendo que era dono de uma joalheria daqui,não esperei".Que infelizidade."O presente perfeito para minha bruxa mais
amada".E ele saiu,foi embora fechando a porta,ía para noite,deparei-me olhando a caixa com a joia.Indo ao quarto peguei a minha caixa,vi minha coleção
vasta de joias assaltadas por Lestat,joias que ele sempre trazía-me vez ou outra de suas caçadas,eventuais momentos como sabem.

"Infeliz".Brami risonha.'E dessa vez foi diamante'.Pensei fitando as joias e colocando a nova dentre elas."Lestat que loucura querido".Conclui.E dessa forma
ele pegou-me de surpresa,fez-me ofegar.Entendem como isso tudo sofoca-me? Me toma de modo profano? Após e.Mas saibam que eu suporto,sempre tive
a arrogância de suportar.Notável admiração sequida.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 90

Mensagem  Ana Nery em Dom 26 Jun - 14:55:33

***Continuando***

A nossa existência são como torridos sentimentos pacatos,tomados de qualquer preceito modificado de espiritualidade.Eu necessitava disso e voltei a
necessitar quando fui visitar Lestat e Thalwa na mansão ao passar de cinco noites,até esse momento eu mantive-me ocupada,fechando negócios im-
portantes a respeito de minha formação profissional,tudo que possa imaginar(Desculpem,mas sabem que prefiro manter sigí-lo).

O fato e que sem perceber sentia na pele o fardo de ter a tutéla de toda fortuna de nossa família,nosso nome,e mesmo no medo,solidão,seguia.São
coisas para que nos transformemos.A noite estava admirável.Olhei o portão ao parar enfrente a mansão.Senti a presença de Gabrielle de longe! Isso
foi como aviso imediato.

Ela abriu o portão."Samantha!".Bramiu abrassando-me com força.Muito bonita ao trajar uma de suas túnicas de cor violeta feitas em tecido de algo-
dão fino."Ah,querida,que bom!".Algo acontecia,pude ver em seus olhos azulados cheios de dor.E mãe de Lestat,mesmo com a impulsividade dele tu-
do isso lhe era frustrante.

Segui atrás dela,eu usava calça justa,bota para noite,peças fazendo conjunto,meu sobretudo branco justo ao toque e altura da cintura,camisa negra
de algodão macio por baixo.Eu houvi bramidos de Thalwa ao andar aflíta pelo quarto,ela olhou-me."Eu não sei o que fazer,fica pior,pior a cada vez
Gabrielle".Gabrielle fitou a Thalwa silenciada,as duas foram para varanda do lindo quarto da mansão.

Eu olhei para Lestat deitado,ele que virou-se de lado olhando-me.Um ser tomado de dor,mas voraz resistência.Usava túnica branca,botões delicados
de requintado camafeu."Hum...Vem em uma hora inoportuna".Tentei pensar,sentada a beira da cama trocamos olhares."Pode esmurecer,e mesmo
assim nada diz-me,quando vaís dizer?".Nada lhe corroia,nada!

"Dane-se...Não direi,dane-se".Movi a mão pelos meus cabelos,deixei meu sobretudo sobre a cadeira da mesinha ao lado.O fitava sem parar,era co-
mo uma troca de forças."Cada passo e um passo Samantha".Disse.Eu o vi manter-se deitado,eu mesma lhe puxei o coberto,um algo para que tudo
o conforta-se.

Na varanda fechei a porta,foi como pecaminoso sentir de conflíto."Thalwa eu não posso resolver nada se ele ensiste em não dizer-me nada,se Lestat
continuar com isso,sua eventual loucura,não me responsabilizo".Ela manteve-se sentada,vestia um simples vestido de lã fina essa noite,azul-cobalto
lhe servindo como cor,Gabrielle olhou-me triste sentada ao lado dela.

"Entendo sua fúria,eu entendo...Queremos que saiba que tudo ocorre bem,que logo resolveremos isso Samantha,creia que se Lestat emite algo,isso
e para sua eventual segurança".Me irritei,levantei-me batendo as mãos na base da mesa sem querer."Qual segurança? Me falem! Aquelas Arpias se
lamuriam,se dizem perfeitas,até mesmo ousam dizer que querem meu coração,tudo que se possa imaginar,e dai se a casa delas está morrendo? isso
dura a nos!".Thalwa moveu seu rosto em direção ao vento,olhou-me em seguida.

"E daria isso a elas?".Silenciei-me,alternava meu olhar entre Thalwa e Gabrielle."Somente sei que algo deve ser feito,não importa o quê seja,saber
que Lestat morre lentamente,e sugado lentamente por alguma mágia latente,e doloroso".Thalwa arqueou sua sobrancelha."Como sabe? Como pode
decernir? O que lhe garante isso?".Silencio para depois eu responder.

"Sou bruxa,nunca se esqueça,agradeça por eu ter sido bruxa que fez essa maldita família ser o que atualmente é".Sai em direção ao quarto,Thalwa
não ousou seguir-me,somente Gabrielle que artomentada pediu para ficar."Não quero".Brami,curvei-me a frente da cama podendo beijar o rosto de
Lestat,ele dormia docemente,ardomecerá em sua dor,sonhava.

Sonhava com seu rosto pousado sobre o travesseiro macio,o coberto perfumado sobre ele."Vou-me embora meu amor,mas te juro,logo eu saberei e
terei a resposta de como ajudar-te".Mais um beijo e me movi."Querida desculpe qualquer coisa".Fitei Gabrielle no jardim."Cuide de Lestat,somente
quero que mantenha-o vivo até eu ter uma resposta concreta Gabrielle".Ela silenciou-se,pensativa ficou.

Não demoraria e logo estaria em casa.Andei pelos quarteirões alheios de Athena até chegar em casa.Foi doloroso,mas creio eu que sem duvida eu
saberia como prosseguir.Lembro de desejar tomar banho ao está no quarto,me despi deixando as roupas no gesto,solitária não demorou para que eu
jazesse na imensa banheira,pensasse friamente.

'Se há algo a ser feito,sem duvida que vou descobrir'.Khayman,isso,sim,pegou-me de surpresa nesse momento aterrador.Pensava em fazer algo a
fazer-me decidir o que fazer.O banho serviu-me para relaxar,mas não para acatar ao que eu necessitava realizar.No quarto depois de enjugar meus
cabelos pude vestir-me.

Escolhi uma linda camisola de seda,a cor cinza encatadora,até mesmo a renda detalhada surpreendeu-me.Pensei ao escovar meus cabelos."E agora
ou nunca,Khayman está mesmo disposto a está comigo?".Brami ao terminar,andar silenciosa pelo quarto,e foi quando Redenção surpreendeu-me ao
falar-me coisas a mente.'Tente e o verá,faça e o realizará,somente tua força fará com que tu saiba'.Eu ri secamente movendo as mãos unidas sobre
meu coração.

"Ah,sim".Então foi quando eu soube.Eu senti dor,mas sabia que teria que fazê-lo.Era o momento,meu Khayman viria até mim.Eu senti.Na sala eu
vi a escuridão,as chamas na lareira bruxelearem."Khayman....Faça-me ser feliz".Brami caminhando a frente.Olhei uma das lindas garrafas de bebi-
da na prateleira de vidro ao lado da lareira.

Eu sorri porque senti que hávia chegado o momento."E isso mesmo...Quero um filho seu Khayman,chega de esperar".Loucura,eu sei! Mas faria meu
chamado de dor ecoar pelos ventos e tempo para que Khayman sentisse.Peguei a garrafa,desferi alguns goles em minha boca.'Vinde a mim,jamais
desprova-me'.Pensei friamente.

E vi o sopro da bebida sobre as chamas da lareira,as chamas se salientando,ficando mais quente,a atuação espectral que fez o vento entrasse podero-
so pelas janelas que se abriram aterradoras."Vinde a mim! Estou te chamando,cheha de esperar!".Brami alto,vi o vento passear pela sala,uma atua-
ção espectral terrível,mas sincera.

Pude ver Khayman andar pelo bosque próximo de sua linda casa,ele parou,olhou os céus,havia sentido o vento o tomar.'Samantha'.Pude ouvir sua
pessoa bramir.Quando as chamas voltaram a si quietas,a imagem sumirá nas chamas.Imediato e fatal,ele sabia,tinha que sentir ou tudo isso de na-
da valéria a pena.

Sozinha terminei a noite,sozinha eu prossegui com meus sentimentos,realidade,acontecimentos.Somente vi Lestat ao decorrer de duas noites depois
desse momento tão doloroso por algo ter sido decido por mim.O que faria,eu não sabia,somente agia,eu queria.Eu e Lestat havíamos decidido andar
no parte a noite,assim que sai de meu escritório eu fui a seu encontro.Ele estava melhor,mas não recuperado para com sua plenitude.

Tinha desejado vestir-se bem,temia que emitisse qualquer dor.Tinha escolhido cachecou de lã pura de cor cinza,a camisa de seda negra fazia conjun-
to com a calça jeans e bota para noite,os botões cinzentos brilhavam na nas luzes da noite."Crer mesmo que descansa bem? Viu Vitória essas noites
Lestat?".Foi como presunçoso momento.

Sentados no parque ficamos."Ela está com Alexien e Xambré,creio que Marius e Pandora foram chamados para passarem longas noites em Auvergne".
Extremeci,foi como golpe em meu coração,vi quando ele tirou um lenço de seu bolso."Samantha não se aflinja,e coisa minha!".Bramiu antes de limpar
sua boca,vi as gotas salientes de sangue.

"Hum...E nem mesmo ela e importante?".Ele riu secamente olhando-me."Não...Sem duvida de que não".Ele falava a verdade,afinal,ela tinha feito
o feitiço do selamento sobre o coração dele para uma causa que eu sequer compreendia,acariciando seu rosto pude ver mentalmente a força agir so-
bre ele,o corãção dele bater forte,vi o desenho do selamento,tudo isso fez com que eu extremecesse novamente.

"Sem duvida de que não está em si".Ele riu novamente,beijei seu rosto,deparei-me conversando com ele sobre muitas coisas,até mesmo a respeito
de minhas atividades."Seja uma comandante vigorosa".Pediu-me."Não faça com que o nome de nossa família reconstruído a duras penas volte a es-
taca zero".Eu ri,tive que rir.

"Maldito".Brami aos seus ouvidos.Noite fria,silenciosa,mas havia valido a pena por causa de nosso passeio,o fato deu saber que ele melhorava,mes-
mo que lentamente.Nos despedímos ao passarmos enfrente a mansão,Thalwa estava a espera de Lestat,e foi doloroso como ela o abraçou tomada
de dor silenciosa.'Venha comigo querido,passarás a noite junto de mim'.Ela mesmo sendo o ser que é,agia com tal natureza? Impressioante pensei a
vê-la fechar o portão ao nos despedirmos.

Lestat ficaria bem,mesmo na dor,ele ficaria bem.Quietude na noite,sombria sensação,e porque eu sentia isso? Céus! Tenebroso viver.Ele veio,veio.
Ele veio e eu sequer tive a certeza.Uma noite hávia se passado desde que vi Lestat dessa forma.Eu ardomecerá ao deitar na cama depois de um dia
cheio de compromissos.

O que acontecia? Porque o tempo foi-me tão inexistêncial dessa forma? Meu coração doia,doia poderoso dentro de mim nesse momento.Deitada eu
fiquei sobre a cama,a varanda aberta,a sensação do vento quente foi a resposta.Olhei para Khayman de pé na varanda,um ser alto,cabelos negros
andulados até os ombros,usava túnica em tom creme clarinho,pensava conforme olhava para a varanda.Não acreditava que ele havia vindo,ouvi-
do meu chamado.

Eu senti-me no impulso de ir a varanda,o abraçar tomada de amor por trás."Céus...Você veio,está aqui,obrigada,obrigada".Foi como pavor,imenso
pavor a tomar-me quando ele virou-se."O que te aflinge? Tens medo do que? És fraca,sofre por Lestat,o que entre nos nunca pensou nas conseguên-
cias de seus atos,até Louis deu-se conta disso".Compreendi.

Foi como certezas quando o beijei com fervor,quando senti seus beijos me assolarem,ele segurou-me pela cintura puxando-me contra si,respirei fun-
do movendo as mãos por seus ombros."Vamos embora,decidirá ao chegarmos.Eu te amo,é e isso que importa".O abraço foi forte,tomou-me como
se fosse ácido correndo em minhas veias.

Estava feito.Passária as próximas noites com ele,somente com ele.Sem sombra de duvida seria o melhor momento a fazer minha próxima loucura.
Pelos céus fomos,pelos céus me envolvi em completo silencio destruídor da noite.Sem duvida de que minha pessoa salientou cada detalhe nesses
momentos sinuosos.

Ventos,frio,tudo isso sentido ao decorrer da viagem foi-me notável.Demorou,mas valeu a pena chegar e ver-me enfrente a seu lar.Ao imenso palá-
cio de Khayman nas montanhas tão distantes.No quarto pude descansar por mais alguns horas,enquanto isso ele pode pegar frutas pra mim trazendo-
as silencioso.

Deixando a bandeja na mesinha ao lado sentou-se a beira da cama,desferiu sua mão sobre meu rosto,olhava o nada conforme mantinha-me deitada,
descansava após a nossa chegaga,somente tinha escolhido uma túnica de linho em tom oliva com botões negros para vestir-me."Então? Diz-me tudo
que deseja?".Seus olhos castanhos moveram-se sobre mim.

"Ah,sim...Eu quero,sabe que,sim".Ele sorriu docemente."Sim...Eu fiz minha promessa,será como desejar".Ele compreendeu,o fato e que ele deitou-
se ao meu lado,abraçou-me forte,eu me sentia perdida,tomada."Estarei contigo".Concluiu,fiquei chorosa,pensava em tudo que acontecia."Esperam
coisas de mim,não sei se corresponderei".Ele riu."Mas você vai,creia que,sim".Terrível.

Hávia acontecido e eu me envolvia em futuras decisões conclusivas a minha existência.De modo sumário minha pessoa transmutou-se como se tudo
fosse realizado.Fizemos amor ao longo da noite toda,e ao fim de tudo,desse momento,soube que eu queria,queria,sim.Deparei-me fitando Khayman
deitado ao meu lado,sonolento,eu sabia.'E...E isso mesmo'.Pensei movendo a mão sobre seu rosto docemente.Estava feito,eu sabia o que queria e
faria uso de minhas armas.Era nossa guerra.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 91

Mensagem  Ana Nery em Seg 27 Jun - 18:15:17

***Continuando****

Foi como retrocesso ao longo de todos esses detalhes tão importantes.Ah,céus! Apesar de tudo eu continuava,tentei reaver meu
controle,e deu certo estando com Khayman apartir desse momento.A inquietação que me assolava o coração era sem duvida tudo
o que eu repensava e analizava silenciosa.

Tudo isso foi esperado,desejado,aplicado,realizado.Foi uma chegada tomada de redenção espiritual como viram,como pressentem
ao decorrer de minha escrita.Antes de continuar:Do que vocês tem medo? Ah,isso passou-se em minha mente initerruptamente ao
decorrer de tudo isso.

De todo detalhe aclamado e esperado por todos.O que eu mais desejei se formava,salientava-se tecnicamente.Fiquei feliz,muito
feliz em poder sobressair-me nesse importante detalhe.Eu estava tecnicamente tomada de proteção,a proteção que encontrei nes-
se momento importante.

A saliente tecnica de todos os detalhes e como sobreporjarmos a todos os que desejamos.Tinha acontecido apartir desse momento
e sobressaíndo-me digo que na noite seguinte nunca deparei-me com meu Khayman tomado por sede como estava,foi como apreci-
ar a um andarilho desciente de si.

Sem sombra de duvida vê-lo despedir-se de mim foi como ultimato para que todo retrocesso se formasse,fosse conotativo.Para mim
nada mais importava.O amava,e sempre o irei amar,mas porém,eu necessitava transmutar-me para esse momento importante,o fiz
assim que deparei-me no quarto sozinha,eu que lia deitada de lado sobre a cama,eu que desejava muito envolver-me detalhe por de-
talhe na leitura pesada que apreciava.

Não sabia em que momento Khayman chegaria de sua caçada inesperada,mas sabia que era nesse momento e dessa forma que o es-
peraria chegar,meus olhos passeavam silenciosos pelas páginas do livro pousado a frente,a túnica que eu vestia de algodão macio no
tom azul-turquesa açoitava-me de conforto.

O vento jazia frio,conotativo nessa noite maravilhosa,algo tomou-me a mente,desviei minha atenção das linhas do livro tomada de ar
apreciador.'Espero que ela veja isso'.A voz bramiu aos meus ouvidos,foi como assombramento.O que esse ser pretendia invadindo a
mente e do nada tomar-me de receio?

Jazia sentada na cama agora,olhava os cantos,abri e fechei meus olhos como se tudo isso fosse-me trevoroso."Mas quem será? Será
que algum ser desconhecido necessita de mim?".A voz era feminina,e somente nesse momento eu soube que era Sabrina transmitido-
me algo:Vislumbrei Lestat mentalmente em seus braços,ela sentada a fitá-lo docemente,ele que a olhava tonto,tomado de força.

'Lestat logo chegará,agora eu sei com detalhe o que pleneja,eu não sabia.Creia que se for,eu o entenderei.Lestat? Se faz por onde
a sua bruxa não ser tocada,reendico meu desejo sobre ti'

Sombrio olhá-la tocar no rosto dele,apreciar cada detalhe de seus olhos azuis,ele a olhava,gemia de dor,sentia dor,nú nos braços de-
la.Vi como o riso formou-se de lado sobre os lábios de Lestat e foi-me aterrador.'Não faça nada Lestat,me ouça!'.Deparei-me berran-
do.Sabrina transmitia isso a mim por respeito a algo,e agia ferroz como leões.

'Só mais um tempo,só mais um tempo Sabrina e juro,serei teu'.Meu coração doeu,doeu amargamente,gritei movendo as mãos sobre os
meus ouvidos."Parem!".Eu não acreditava,céus! Ela o tinha pego por algum tempo,se aproveitou de minha ausência para que traçasse
mais uma de suas metas a serem atingidas.

Vi minhas lágrimas cairem sobre o coberto,o vento rugia do lado de fora nesse momento,e foi quando a ligação mental entre eu Sabri-
na foi desfeita.O que acontecia? Pensava desesperada no que fazer,sequer pude sentir mais alguma coisa,nada,nada! Isso fez-me
deitar de lado olhando a varanda,eu chorava,não acreditava com a forma ácida de que tudo isso acontecia.

"Lestat o que fizeram com você?".Brami em meu choro.Já senti temor,medo,receio,desconfiança,todos os elementos que nos causam
medo por causa de Lestat,e isso tudo bramia dentro de midm perante minha situação.Minha mente apagou-se pouco a pouco,deu-se
como inexistênte por vários momentos trevorosos.

Somente sabia que meu medo tomou-me por definitivo.Deparei-me transmutando meu desejo de está com Khayman,logo aconteceu a
emitir-me a mudança da noite.Ouvi seus passos,sequer senti sua chegada,somente sabia que meu bramir de medo foi-me sensitivo.Eu
somente queria está com ele,e foi-me difícil.

O vi entrar,fechar a porta,sentando-me sobre a cama ao mover-me vi o guão ele parecia-me humano após a caçada."Vi coisas,acha
minha pessoa louca meu amor?".Ele sorriu,vi o sorriso formar-se em seus lábios."Não a acho louca,somente sinto sua dor,sua imensa
e torturante dor".Movi meu rosto,pude apoiar-me nos joelhos a vislumbrar seus olhos,bonito ao vestir-se com túnica verde-escuro.

"Se eu pudesse fazer coisas inimagináveis,me condenaria querido?".O seu arquear de sobrancelha foi maravilhoso,pude levantar-me
quando ele voltou a por-se de pé."Samantha não sei o que se passa nesse coração ai dentro,mas creio que sentir a sua dor,como eu
sinto,basta-me".Vi sinceridade,aspereza de sua porta.

"Odeio ver tristeza nesses olhos que aprecio tanto".Mesmo nesse momento de dor,ele tirou-me um de meus escassos risos,foi como a
saliente sensação de compromisso realizado.Movendo as mãos sobre seu rosto,o beijei rapidamente para depois o abraçar,ter meu do-
loroso rosto pousado sobre seu ombro."Venha,coma algo amada Samantha,ficarás aqui quantas noites e dias desejar".

E hávia sido combinado.Na noite seguinte ao dá continuidade,eu decidi caminhar nos bosques,Khayman ficou no requintado lugar,ele
pelo visto queria fazer pesquisas especificar sobre sua linguá nativa já morta para o mundo,mas bem,eu havia ido,avisado a ele que a
minha necessidade aflorava.

Como era maravilhoso,o vilarejo perto do lugar,como descrito anteriomente,pacato,silencioso.Está nesse lugar tinha sido tão
bom que eu me senti liberta para está com uma longa camisola de cor marrom-escuro,botões negros,roupão por cima,a seda
me ardonava nesse momento.

Eu seguia quando ouvi ela chamar-me."Venha ao lago Samantha".Me senti emocionada,era Merrick,a reconheciia de qualquer lu-
gar naquele estado espiritual.Eu apressei-me em seguir pela trilha do bosque,as arvores faziam barulho pelo vento açoitar as
folhas.A vi sentada a margem do lago quando a paisagem se abriu.

"Cá estou é creio que não deixei de sentir sua dor de longe".Temi aproximar-me,ela estava linda,vi a cor de seu vestido viole-
ta,seus cabelos longos,negros e andulados moverem-se."Ah,sim".Ouvi seu sorriso,sentei-me ao seu lado e vislumbrdando os
seus olhos verdes,disse."Eu,eu...Somente queria dizer que te amo,eu te amo muito Merrick".Será que ela compreendia?

"Me ama porque viu a fraqueza que tive,como sua fortitude,me ama porque vejo a sua força como a fraqueza que açoitou-
me no passado".Compreendi é chorei nesse momento,ela pode limpar-me os olhos."Samantha não sofra,de-me mais de sua
fortitddude,de-me mais de tudo que jaz em ti,de-me sua força para que eu destrua a fraqueza que tive e ainda tenho".Isso
fez-me tomar-me de amor.

"Eu posso? Diga meu amor,eu posso?".Ela sorriu,seus lábios vermelhos alargaram-se como uma visão de pleno amor."Sim,a
sua pessoa pode e o fará".Levantei-me a vislumbrando.Seus cabelos moviam-se em dança no vento,tão linda! Mulher more-
na que passa-se de branca.Eu ri perdendo-me nesse detalhe.

"Vá Samantha,se desejar,sim,eu serei tua filha,eu serei a felizidade que nunca teve desde que todo legado dos lioncourts
pairou sobre ti".Compreendi,mantive as mãos pousadas a frente.Ela virou-se andando silenciosa,plena de luz,paz.Tive in-
veja nesse momento,mas compreendia.

Sumiu aos poucos,o vento trouxe-me folhas sobre o meu rosto,movi a mão a frente,e soube.Não tardou e cheguei em casa.
Khayman disse em segredo que devia pensar isso:O lar dele,era meu lar.O vi sentado a mesa ao entrar na linda cozinha,ele
viu-me andar silenciosa."Uma de minhas criadas,mulheres que tem família no vilarejo fez pra ti,eu mandei".O olhava.

"Ah,querido! Traz-me para morrar aqui".Tão belo ao vestir-se em sua classe:Calça jeans negra,sapato escuro,camisa de pu-
ro linho em tom prateado cinzento.Os botões de madre-pérola encantandores."Ah,querido,deixa?".Conclui sentando ao seu
lado,vi o prato servido a mesa."Sim,e claro,e somente desejar,eu disse".O beijei,senti fervor,sempre o sinto.

"Está melhor,melhor,e isso conforta-me,agora coma Samantha,coma".Era arroz,feijões frescos com salada de legumes e pe-
daços de frango grelhado.Pensei.'Ele sabe? Sabe da importância de Merrick ser sua futura filha? Deu está disposta?'.Nada a
passar-se na mente dele.

Seus olhos castanhos brilhosos,cabelos negros amarrados para trás,os fios brilhantes e perfumados por ele os ter tratado.
"Ah,me provoca,hem? Sabe que provoca-me".Ele compreendia,servir-me dando as primeiras garfadas na comida,desejei far-
tar-me.Os risos deles foram ilários."Temos que não o sinto".Eu sabia.

Um dos primeiros anciões provenientes da linhagem de Maharet e Mekare(Tida início com Akasha),e por isso ele sentia.Vi
em seus olhos,que eu era a fuga de seu fardo."Assim como tu és do meu querido".Ele compreendeu.Limpei a boca,tomei
alguns goles de vilho."Eu entendo e simplesmente lutarei por você".Respondeu.Silenciosa parei de comer,sentia dor,mas
só em está na presença dele,melhorava.Continuidade em meio a mar de perfumes de amor,era isso.

***Continua***




avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 92

Mensagem  Ana Nery em Seg 27 Jun - 19:22:57

***Continuando***

Ah,céus.Foi maravilhoso poder terminar a noite de modo tão simples,tomar-me de toda simplicidade da qual eu anciava.Somente
carícias,beijos entre eu e Khayman ao estarmos no quarto.Um modo puro e inocênte de minha pessoa desenvolver sentimentos
por ele.E isso,séria ele,sem duvida que seria,e que se dane-se o mundo.

O fato e que ao passar das noites ele iria a procura de mantimentos para mim,comida falando claro.Sem sombra de duvida ele se-
quer suspeitava de meu plano.Duas noites passou-se,na terceira vi que era o momento,eu agia,estava em meu apogeu de toda
a fetilidade fiminina.As conseguências? Não sabia,mas traçava meu silencioso plano:Amava Merrick,a desejava e a traria para mim.

Eu jazia sentada no sofá do salão,a lareira acesa,fitava o jarro de flores sobre a linda mesa,como disse a influência egippcia dele
e poderosa,sempre será.Ele desceu,o vi passar a minha frente,eu refletia."O que há contigo? O que jaz em seu coração?".Muita
depressão e dor nesse momento,mas me controlava.

"Nada Khayman,se tiver que sair,vá,traga-me algo para comer,nunca precisarei comer,como comerei nos próximos meses".Isso a-
çoitou sua atenção,mas passou quando levantei-me e o beijei com carinho."Tudo bem,mas sabe que pode abrir-se comigo,somen-
te temo chegar aqui e a dor de minha Samantha,ser tamanha,a fazer-te suicidar-se".Eu sorri.

"Não preocupe-se,no passado até que tentei,viu? Não deu certo".Isso o espantou,o chocou.Caminhando em direção a porta disse.
"Hum...Voltarei o mais rápido possível".Compreendi,sozinha pude sentar-me,apreciar o vento,a brisa do lugar.'Samantha,o que tu
quer?'.Olhei para Redenção de pé,braços cruzados."Pode desfazer a teia espectral do espírito de Amel?".Redenção andou a frente.

Foi como presságio para ele."Hum...As almas o fizeram com Lestat porque conseguiram ir além,sempre foram,mas não sei,e uma i-
mensa provação,a teia do espírito de Amel(Que contruiu a linhagem de Akasha),e imensa,imensa".Eu sorri,entendia.Fiz gesto para
ele prosseguir.

"Redenção entenda:Eu estou fertiu,estou na temporada,pouco tempo tenho,quero ser mãe e não posso voltar sem a semente de
meu amado Khayman".Redenção andava a minha frente,tinha a mão curvada abaixo de seu queijo."Hum...Samantha não posso ga-
rantir,mas se quer tanto ser mãe,tentarei,por você e por Merrick,por vocês duas".Ele curvou-se a minha frente tocando meu rosto.

O olhei chorosa."Não chore querida,não chore,e seu desejo,tu ama Merrick e ela te ela,Merrick entende sua dor,e você entende a
dela".Silencio."Obrigada meu amor,precisarei preparar-me".Não demorou e estando sozinha minha pessoa seguiu em direção ao só-
tão.O lugar é atrás do palácio.O imenso jardim atrás e trevoroso.

Vi a entrada e abrindo a porta,dei-me com o imenso lugar:Fica na linha ténue do jardim e palácio(Logo atrás aos fundos).Olhava o
lugar tomada,por está escuro eu sofri para achar algo que as ascendesse.Vi o imenso sarcofágo no centro,as prateleiras cheias de
livros e escritos,velas nos castiçais de puro outo sobre a mesa de escrever.

"Isso e assustador,e aqui que ele se recolhe de dia".Eu sorri andando,ouvia o som de meus passos conforme meu andar.Foi como
a transmutação de miragem.Fechei meus olhos por alguns momentos,e como foi-me maravilhoso ouvir o riso de Merrick ecoar pelo
lugar.'Ela está aqui,ela está'.Pensei ao olhar os cantos.

Será mesmo que ela estava? Bem! Andei a frente,vi uma linda adaga sobre a prateleira,meu dedo moveu-se da lámina até a ponta.
"Hum...Merrick,seu pai logo chegará meu amor,logo chegará".Meu riso foi enfático porque eu estava decidida.Apaguei as tochas,o
acender das velas foi quase imediato.

O lugar emanava a aura dos rumos que essa noite traria para minha vida.E o fiz:Cortei meu pulso,fui até a porta e dali sai andando
para trás em cigue-zague.Andava silenciosa,a adaga na mão,o sangue brotando do outro pulso.Eu mantive-me silenciosa,sabia,eu
usava de meu estinto de bruxa para saber como fazê-lo.

Pronunciava preces,preces e feitiços.'Lamúria,lamúria,lamúria'.Pensava repetidamente.Quando terminei ao encostar-me na base
da mesa de escrever,a adaga caiu,rolou a frente,vi Redenção."Pegue-a,corta Khayman e entre em vossa carne,desprova-o de tu-
do vampirismo que o assola".Ele entendia?

Seriedade emanava dele ao pegar a adaga e sair com ela.Choquei com o fato dele poder sumir desmaterializando algo material por
existência.Eu movi os dedos sobre os botões de minha veste,desabotoava,pensava,me despia.Logo eu andei a frente deixando a
veste no chão.

Mantive meu silêncio,minha quietude.Fui em direção as sombras logo ao lado da porta,a porta fechou-se,havia sido Redenção.Eu
curvei as pernas contra mim,pensei.'Sim,e o momento,não vou voltar para casa sem um filho,não vou,não sem um herdeiro para
Lestat'.Eu sei que fui a mais infeliz de todas,eu sei.

Eu queria e o faria logo,logo.Não dormi,sequer desprovi-me de meu pensamento e meta,somente refleti.Primeiro ouvi os gemidos
de dor de Khayman."Samantha a onde você está? A onde?".Ele chamava do lado de fora,o som de seus passos foi cético.Vi como
Redenção esperava ao lado da porta,como segurava a adaga com delicadeza.

"Samantha? Está ai meu amor? Eu cheguei é o que fazes no sótão?".Nada respondi,mas ele sabia,sim,que eu estava no sótão."A
curiosidade pode matá-lo Khayman".Ele riu,ouvi seu riso,vi a massaneta mexer-se."Como assim meu amor?".Céus,foi imediato,eu
vi quando o vento entrou poderoso quando Khayman entrou,vi como foi doloroso para Redenção o ferir por trás ao jazer atrás de-
le.

'Vamos com calma Khayman,não e um assasinato,não e! Somente terá que tomar uma decisão,tome-a por Samantha,minha e nos-
sa família'.

O gritod e Khayman foi doloroso,pude por-me de pé,andar a frente,olhava Khayman resistir a Redenção."Não sabe com quem es-
tá se metendo seu infeliz!".Parecia briga de deuses,mas eu soube,soube que o fato de Redenção desferir mais e mais golpes sobre
Khayman,era pra valer.

Cortes no braço,ombro,rosto,até mesmo adbômen."O que isso significa!?".Tenso,eu admito.Olhava,esperava."Redenção sem fa-
zê-lo sofrer".Pedi angustiada."Hum...Preciso ver a teia de Amel".Bramiu ele empurrando Khayman que berrava contra o chão,Re-
denção manteve o pé sobre o torax de Khayman,asas abertas."Hum...É imensa,eu sei".Khayman gritou,berrou quando Reden-
ção desferiu-se desmaterizando-se dentre os ferimentos de Khayman.

"Nunca terei que desmaterizar-me tanto".Que infelizidade,pensei.Eu esperava,movi-me a frente,agora Khayman jazia invadido.
Olhava-me preso espectralmente ao chão."Não me ama? E isso? Quer destruir-me?".Ele sentiu dor,berrou."Não meu amor,eu a-
penas quero um filho,quero minha Merrick".Ele olhava-me tomado de dor.

Peguei a adaga e logo desferi rasgos nas roupas dele,movi a ponta da adaga pelo seu torax bem marcado,o abdômen.Eu ri,ele
tentou libertar-se da ação espectral de Redenção que despregnava e rompia a teia de Amel sobre Khayman,mas envão."Quero
o que está abaixo disso aqui".A ponta da adaga manteu-se pousada,mas sobre seu umbigo perfeito.Céus,um homem que faz a
menina se sentir mulher.

"Samantha,Samantha!".Ele não entendeu,mas tudo bem,me afastei olhando a teia subir,somente pelo bruxelear das velas via,a
teia aparecia formada nas paredes em sombremeamento."Céus".Brami."Redenção luta contra isso?".A adaga caiu no chão.Tive
medo de Redenção destruir-se.

"Terei que ser rápida".Pensei.Ousei mover-me sobre Khayman,ele gemia de dor,e mesmo assim se importava comigo,podia sentir
seus sentidos e transmutação biológica funcionar em seu corpo temporáriamente liberto."De-me um filho,um herdeiro,não importa".
Minha mão jazia sobre seu rosto."Eu não entendo isso,eu disse!".

'Samantha está dificil,logo terei que sair do corpo dele,deixar a teia voltar-se contra ele,Amel e muito grande! Mesmo o gerne es-
tando com Tompei,a teia está em todos da linhagem de Tompei'.

Redenção sofria,eu sabia.Eu sorri,pude beijar Khayman e foi quando vi doçura em seu olhar."Loucura".Bramiu em dor.Terminei de
rasgar suas roupas."Dane-se".Era o momento,e pude sentir conforme desfei beijos em seus ombros,abdômen,até mesmo toraz,o
insensato amar de Khayman.

"Isso mesmo".Brami risonha."Eu o amo e lhe garanto,essa guerra será nossa".Ele sentia dor,achará injusto,mesmo assim me ama-
va.Eu sentia,sentia,céus! Toda ação biológica voltava a funcionar.Ele pode sentar-se,beijar-me,pude mover minhas mãos entre
as suas pernas."Sente isso?".Quis saber.

"Eu...Eu...".Ele sentia,e como senti,o beijei com carinho,e foi quando moveu-se sobre mim fazendo-me tombar para trás sobre o
chão,as gotas de meu sangue simplesmente começaram a subir,evaporar,serviram para delinear toda teia arrebentada do corpo
de Khayman."Com vontade querido".Khayman se desesperou,ele queria.

Desferia seus beijos entre meus seios,tudo.Vi como a teia se desfazia o fazendo plenamente humano."Eu te amo".Brami,isso fez
com que ele açoitasse-me ao penetrar-me,ao fazer-me gritar."Isso,eu disse,continue".Infeliz fora,infeliz sou,infeliz eu dserei,mas
eu tenho orgulho de minha decisão.

Havia sido feito,na loucura Khayman me tomava,ele se envolvia,se entregava.Logo eu e ele pudemos jazer sobre o sarcofago.
Ele segurava-me com fúria.Nada falava,mas suportava.Aos poucos conforme fazia amor com ele,eu podia sentir sua semente
entrar-me no corpo,tomar-me.

Nada disse,quis comentar,apenas entrega.Compreende apenas o desejo intangente de realizar?Ah,céus,como tudo isso foi-me
o momento mais feliz.Uma voraz ascenção para que eu me sentisse completa,completa como o todo.O desenvolver de todos os
meus desejos.

Somente concluiu-me pelo fato dele levar-me ao chão,levar-me a monstruosidade com que me beijava,com que permitia com que
eu mantivesse-me sobre ele,movento as mãos sobre seu torax pude ver o calor com que ele envolvia-se."Psiu...Psiu".Surrava sem-
pre que qualquer ameaça de dor lhe via ao corpo.

Suas mãos curvaram-se sobre minha cintura,curvada sobre ele pude continuar,e agora silenciosa,plena.O beijava,agora podia
fazer-lhe carinho sobre os cabelos humidos de suor,a pele tomava de seu perfume maravilhoso."Eu te amo,e somente isso que
me importa".Humanidade,teria que ser isso.

Ele gozou alto em nossa continuidade,pode repreender sua dor em nossos beijos afoitos.Tudo se formava,me era desferido.A
decisão havia dado certo? Eu não sabia,mas enquanto fazíamos amor,eu soube que sua semente fora desferida sobre mim va-
rias e várias vezes.O esperma quente,morno me entrava quente.

Céus,céus...Loucura,a pior e mais cruel loucura que lhe fiz em sua vida.Me doeu quando eu o olhei,senti o momento."Desculpe
meu amor,mas terá que passar por uma segunda morte".Ele não entendeu.Eu somente afastei-me silenciosa,ele ficou olhando-
me triste deitado de lado,sentia dor."O que meu amor?".Eu ri,comecei a vestir-me.

"Eu te amo querido,veremos".Fui até a porta,sabia que ele estava fraco,muito fraco.Lá ficaria,lá iria morrer novamente.Assim
que Redenção saiu do corpo dele,céus,eu ouvi seu grito aterrador.Fechei a porta,mentalmente vi a teia entrar carne adentro
de Khayman.Ele voltava a morrer,morria.

Tristeza."Desculpe meu amor,mas ao menos eu tenho,pode não entender,mas eu a tenho".Fiquei chorando,pensava conforme
encostei-me na porta trancada do lado de fora,olhei o luar.Khayman berrava,gritava.Sua dor era minha dor,e era isso.Jamais
fora correta,eu admito,nesse momento não fui correta,fui canalha,mas eu queria,queria minha Merrick.

Esperaria,sobreviveria.Olhei meu corte ao mover a mão a frente,fechava-se,dom da cura humano.Ri entre lágrima."Eu sou a
mulher mais canalha de minha vida".Temerosa brami do vento vindo de encontro a meu rosto.Esperava,enquanto isso meu a-
mado e escolhido Khayman passava por sua segunda morte.Céus,que loucura,mas que fosse,que fosse.

***Continua***




Última edição por Ana Nery em Qui 1 Nov - 9:34:08, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 93

Mensagem  Ana Nery em Ter 28 Jun - 13:21:39

***Continuando***

Acho que o fato deu prosseguir desejando pegar roupas limpas para Khayman foi-me o unico presente desejado nesse momento sublime apesar
de doloroso.Na incerteza temia acontecer algo com ele,e agi dessa forma presságica,envolvente.Nem sempre minha pessoa atenua a tudo que
meu coração diz,mas creiam:Eu o havia feito nesse momento.

A duvida parecia-me melhor,trágica apesar de cruel.E com isso eu prosseguia.Sai dos fundos do lugar para me direcionar ao palácio.Passei pela
imensa sala.Subi as escadas e no quarto,céus,entrei procurando roupas,entre passeando meus olhos por cada detalhe de que eu gostaria de apre-
ciar.

"Nossa,sem duvida de que tenho que encontrar algo aqui".Não demorou e eu estava revirando as roupas de Khayman,me deparava traçando a
próxima meta a se realizar.Respirava fundo,minha veste era a mesma,não a troquei,sequer desejava banhar-me essa noite,temia que tudo desse
errado.

A semente de Khayman tinha que germinar,aflorar,e faria de tudo para acontecer,eu continuava procurando,tecendo meu olhar delicadamente a
mercé de tudo.Encontrei uma túnica de cor marrom-escuro,foi-me maravilhoso tocar o tecido de puro algodão fino e macio."Ah,céus,olhe isso".A
minha pessoa riu,sentou-se por alguns momentos a beira da cama observando cada detalhe.

Os botões de madré-pérolas negras encantou-me."Khayman".Sentia culpa e pesar em meu coração devido a meu ato,sem ele perceber foi atraí-
do para uma armadilha presságica.O meu respirar foi imediato,maravilhoso,e deparando-me com essa verdade levantei-me seguindo pelo corre-
dor.Desci as escadas com delicadeza.Temia cair,céus! Tinha medo de tudo nesse momento.

Ainda podia sentir o cheiro,o perfume de Khayman impregnado em mim,o sentia como se fosse-me a pura verdade.Redenção a essa altura esta-
va descansando,sem duvida,que bastava para ele depois de todo seu esforço.'Descanse meu querido,o resto e comigo'.Ri de lado malíciosa,isso
a meu ver era maravilhoso apesar de trevoroso.

A noite continuava correto? É eu não podia falhar,não podia deixar de prosseguir.Senti calafrios ao deparar-me de pé enfrente a porta do sótão.O
silêncio tomava conta do lugar.Pelo visto Khayman silenciou-se,eu tremi ao mover a mão sobre a massaneta da porta.O vi deitado ao chão,pelo
visto ele jazia sem forças,acabará de passar por sua segunda morte.

Vi como os poucos restos de sua morte jaziam ao chão."Khayman".Brami andando a sua volta."Querido? Pode ouvir-me?".Ele olhava-me como
se tudo isso tivesse sido sua maior derrota,vi um jarro lindo de prata cheio de água sobre a mesa de escrever.'Deve ter sido Redenção'.Pensei,o
meu andar foi imediato ao deixar a túnica ao lado de Khayman.

Peguei o jarro e o vi sentar-se."Desculpe qualquer coisa Khayman,desculpe".Nada ele respondeu,eu somente o ajudei a levantar-se para sentar so-
bre o sarcofágo.Ele olhava-me silencioso,vi como sua linguá movia-se sobre seus dentes delicados,os caninos.Ele não sentia sede,porém,a morte a-
pós ter sido humano novamente,lhe era terrível.

"Teve força para fazer-me humano novamente,nem que fosse temporário,somente queria fazer amor comigo como humano Samantha?".Isso pa-
ra mim foi ácido,inquistante,eu desferia o pano humido sobre sua pele."Não,jamais,vai saber no momento certo Khayman,fique quieto,preciso cui-
dar de você".Nada mais ele disse-me.

Eu somente terminei de limpá-lo e entregar-lhe a túnica,limpido e novamente perfumado,mas com feridas terríveis em seu espírito e corpo.Ele man-
teve-se sentado no sarcofágo após vestir-se,olhava a frente,o nada.Ele respirava."Vai-te embora,eu arrumo o sótão sua bruxa maldita,preciso esfri-
ar minha cabeça".Ofeguei movendo uma das mãos sobre meu coração.

Temi ser renegada por ele,repudiada depois de tudo,mas fui,sai silenciosa de volta para nosso lar.No quarto deparei-me tomada,sem duvida de que
tudo isso fora demais para ele,tinha sido uma prova para saber se ele amava-me o bastante a respeito de tudo o que passamos.Nada sentia,nada a
minha pessoa pode fazer.

Ensolei-me em meu sofrimento e dor.Deitada na cama olhava a linda paisagem da noite pela varanda,lindo o vento fazer o cortinado mover-se,eu
senti a dor de Khayman de longe.Pude ouvir seu choro mesmo de longe,um choro latente,imediato,mas o senti e o ouvi.Fechei meus olhos silencio-
sa para que conseguisse ardomecer.

O sonho veio fatal,imediato,enquanto isso ele jazia no sótão,sem duvida que organizava as coisas e refletia.Nada pude saber,apenas supor.Durante
meu sono tive soudades de Lestat,Louis,Gabrielle,até mesmo de Lunnes,Marius,Alexien,Xambré,Thalwa e Sépia.Sem duvida de que durante meu so-
no e tormento,eu os senti de longe,uma a um eu senti.

A lamúria de tudo e que minha pessoa transmutou-se,sentiu-se mudada ao longo dos anos,e tudo isso culminou nesse momento e decisão particular.
Quando um ser muda,sem duvida de que os reparos e decisões da vida são irrevogáveis,inquebráveis,e quem pensa o contrário,sonha com alguma
forma de retrocesso,acaba na lamúria do nada.Escuridão e dor,receio,ouvi seu passo no corredor.

O vi re relance abrir a porta e mover-se pelo quarto envolta de nossa cama,não descrevo como me senti tomada de amor e alívio quando ele deitou-
se por trás de mim puxando-me contra ele,beijando meu rosto."Ah,céus...Sabe que tudo isso foi ingratidão,mas sabia desde o início que eu sobrevive-
ria e continuaria a amá-la.Eu te amo Samantha".Respirei fundo,fiquei chocada com suas palavras sussuradas aos meus ouvidos,senti a macies de sua
veste.

Ele continuou a beijar meu rosto,puxou meus cabelos para trás ao mover os dedos com delicadeza sobre os fios,meu coração batia forte.Me virei po-
dendo apreciar seu olhar."Desculoe querido,olhe para você,olhe o que fiz,fui uma idiota".Conclui sentando sobre a cama.Os seus ferimentos fechava.
Foi como miragem apreciar tudo isso.

"Imortal,sempre imortal".Brami.Ele olhavá-me silencioso,esperou até eu o ajudar a sentar,me acolhendo em seu colo quando ele encostou-se sobre o
espelho da cama,ouvi seu coração baster."O que decidiu Samantha?".Eu ri angustiada,agora era eu que bramia devido ao choro inquietante,ele desli-
zava sua mão sobre meu rosto.

"Quero está com você,e isso,somente com você,semanas,sabe que isso,tudo isso foi nosso recado e união.Estarei contigo Khayman,pode ter certeza".
Ele espantou-se,olhou-me como se pensasse.'Ela realmente quer,me deseja,isso e aterrador'.O olhava com meus olhos chorosos."E isso que odeio,a
sua desesperança".Compreendi,movi a palma da mão sobre o rosto ao afastar-me.

"Sim,e claro,sim.Como sabe isso foi um grande passo,o definitivo.E quando eu o chamar novamente,será para trazer-me defitivamente".Tudo isso pa-
ra ele foi acolhedor."Tudo bem,tudo bem,defitivo...Então durante sua ausência eu estarei aqui preparando tudo para tu,tudo".Eu ri secamente,por ele
ainda não entender direito meu ato,quis silenciar-me.

Vi em seu olhar que ele sabia que o fizerá humano por tempo defenido,mas não sabia os MOTIVOS,então,silencio.Foi decido que eu voltária logo.Eu
somente passária uma semana com Khayman após essa noite de trevas,a minha noite negra para ser exata.Céus,não posso descrever quantas vezes
eu pude está com ele.

Ele que resistia para depois vir na calada da noite a minha procura desesperado.Foi uma semana ácida porque sem duvida tivemos momentos de pra-
zer malíciosos.Acreditem que apesar de nosso amor ser puro,eu usei de minhas artimanhas femininas para unir-me mais a Khayman,trocar segredos ao
passar das noites e momentos de amor.

Chegada a noite que eu ía embora ele acordou-me,tinha se trocado,e céus,eu havia enlouquecido por termos feito amor grande parte do tempo."Psiu...
Precisa ir e irei levá-la".Foi o últimado e não demorou até que eu me vestisse,me prepara-se.Um vestido de algodão de cor negro e bastou-me,apenas
uma peça intima a concluir,sandália delicada.Nossa,doeu-me a alma ao saírmos para o frio da noite e nos envolver-mos.

Posso dizer que minha volta foi insensata,sensitiva.Os céus nos envolveram como malva de seda e perfumes.A nostalgia de tudo,todos os momentos
que eu passei com Khayman foi comigo,fui presenteada em minha estádia em seu lar,por ter me unido com profundidade a ele,sentir-me tomada,ter a
certeza de que a plenitude de nosso amor foi maravilhosa e definitiva.

Posso salientar que nada mais esperava ou espero nesse tempo presente de Khayman a não ser amor,união.No momento e hora certa após voltar pa-
ra a Cidade de Athena,tive a ousádia de voltar as atividades,ter a certeza de algo acontecia comigo,mas me silenciei.Era algo somente meu,a essa al-
tura Khayman estava de volta a seu lar,e claro,ele sem duvida me esperava,estava em espírito como e coração.

Churo que chorei em uma dessas noites tomada de soudades e anceio por ele,meu Khayman que fazía-me falta.Mas o tempo prosseguia,como sempre
a necessidade era imediata em meus compromissos profissionais.Fechei negócios importantes que da qual tive certeza que faria a fortuna de minha famí-
la aumentar.

Cheguei em uma noite silenciosa,solitária,fui surpreendida ao está anotando coisas importantes no programa de arquivo do Laptop pela chegada de mi-
nhas amadas Vitória Regia e Gabrielle.Elas sabiam que eu hávia me ausentado nas noites anteriores,chegará fazia dias apenas.Não sabia até onde isso
ía dar,mas eu as atenderia,estária com elas.Eu sequer sabia o que Lestat pensava de minha fuga.

Arquivando os textos desliguei o laptop e o deixando desligado sobre a cama,fui ao encontro delas.Me fitavam silenciosas quando apareci no jardim,eu
sequer acreditei que algo aconteceu.Vitória estava bela ao vestir uma de suas longas saias de cor vinho,sandália no mesmo tom,a camisa de cetim de
cor branca fazia conjunto perfeito,mas Gabrielle ao ter escolhido vestido de algodão macio de cor cinza me deixou maravilhada.Os cabelos jaziam traça-
dos para trás,somente Vitória Regia manteve os seus cabelos soltos.

"Finalmente,querida viemos várias vezes aqui e nada de sua presença,onde esteve?".Ía falar que estive com Khayman? Me entregado a ele de uma
forma sequer imaginada? Ter sido sua mulher noite após noite? Consumida pelos prazeres carnais? Eu não sabia,mas enventei a mentira de que estive
em Páris fechando negócios.

Na sala a sós finalmente pudemos nos envolver no silêncio,Gabrielle viu-me sentar na poltrona,cruzar as pernas com delicadeza,tudo isso doia-me a al-
ma,mas prosseguia.O vestido que eu usava estava confortável,principalmente por ser de lá-fina.A cor violeta foi meu atrativo para noite,a lareira esta-
va acesa,as sem duvida de que coisas precisavam ser justificadas.

"Ando com dor de cabeça,irritada,passei dias chatos em Páris,digamos que não queria ter estado lá,mas eu o fiz".Pareceu-me que Gabrielle pressentiu
algo emanando de mim,a tal ponto que disse."Hum...Eu somente creio que você mudou,e como se algo tivesse se atenuado a tu com tal maestria que
lhe foi necessário fugir de algum modo,mas se não quer dizer-nos,tudo bem,eu respeito seu segredo".Espantei-me,mas engoli em seco.

"Viemos aqui somente para falarmos de Lestat...Ele foi seguestrado por Sabrina,passou noites em espírito com ela,tivemos que acatar a seu corpo por
momentos terríveis,mas ele voltou Samantha,está bem,bem depois do imenso sufoco".A olha,Vitória Regia para mim era a maioral de nossas família-
res."Dane-se,Lestat me irrita,quer saber? Indepedente da escolha dele,sei lá! Já que nada sei,somente espero que ele saiba o que está fazendo".Elas se-
quer acreditavam no que eu disse.

Pareciam passadas com o peso de meus argumentos."Samantha você está bem querida?".Eu me levantei movendo a mão sobre meus cabelos.Olhei
alternadamente para cada uma."Eu estou bem,mas entendam que agora não tenho todo tempo do mundo para acatar as peripécias de Lestat,não pos-
so mais.Tenho uma vida,e não me desfarei disso".Céus,para elas foi como se eu tivesse desistido de Lestat.

"Ele espera sua ida,sua visita.Sempre nos questiona a onde está".Não desgrudei meu olhar delas,mas sem duvida de que haveria a continuidade para
que pudessemos conversar arduamente."Eu irei,mas compreendam que eu somente o farei no momento certo".Quietude,isso serviu como barreira pa-
ra fazê-las me ouvir.Gabrielle e Vitória Regia pensativas ouvindo detalhadamente o que eu dizia,e continuou,era somente nisso que nos envolvermos.
A ligação de sangue sempre e poderosa,não e? Era isso que acontecia nesse momento.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 94

Mensagem  Ana Nery em Ter 28 Jun - 14:29:09

***Continuando***

Ah! Como pude sentir-me alíviada depois de tantas trocas de informações entre família,mas por favor! Prefiro manter segredo porque jamais me
aprofundaria a dizê-los aqui.Posso está abrindo meu dirário negro,mas porém,jamais a coisas alheias que somente eu e minha família quardam.O
que eu quero dizer e que,sim,como presenciam,eu prefiro dizer apenas algumas coisas que eu,Gabrielle e Vitória Regia conversámos,mas posso
assegurar que nada saiu de minha boca sobre a verdade que eu apartir do momento que esrtive com Khayman escondia.

Não demorou até pudermos nos despedir,foi angustiante saírmos em direção ao lindo jardim que desde que plantei as malditas sementes sempre
jazia com pássaros,flores e rosas perfumadas,e agora conforme eu andava a observar com Gabrielle e Vitória Regia ao meu lado,vi que um lindo
casal de corujas tinham feito um ninho."Olhe isso Gabrielle,olhe isso!".Brami sorrindo,como me senti emocionada.

Senti o toque de Gabrielle atrás de mim sobre o ombro,ela que beijou-me o rosto docemente.Me virei a olhando,e nem a fria Vitória Regia pode
entender o olhar choroso de Gabrielle,ela que segurava minhas mãos."Nada querida,e que até então era apenas uma menina pacava desciênte
dos dons que tinha,e quando me vejo aqui olhando para tu,me apavoro,sem duvida de que se tornou uma mulher entanto".Eu ri,isso para mim
foi de se apreciar e guardar ma memória para sempre.

Em pensar que Gabrielle no passado viveu em viagens selvagens,tendo suas próprias aventuras turbulentas e pecaminosas,e agora jazia conos-
co por ter sentido a afinidade voltar,o desejo de aflorar-se a contaminar.Ela abraçou-me com fervor,pude sentir seus tremores quando tocou meu
rosto com delicadeza temendo machucar-me."Bem,precisámos ir querida,tudo bem? Mas creia que apesar de seus compromissos,aventuras pesso-
ais,pode ir a nosso encontro".Vitória Regia rompeu sua quietude olhando o vinho na arvore,ela pode decernir e dizernos.

"Querida há dois filhotes no ninho,e pelo visto terás corujas a lhe importunar".Eu ri,as luzes da Rua e jardim pairavam por todo lugar."Após eu
lhes digo que será lindo".Compreendi,e me deparei com elas se direcionando ao portão.Sozinha me deparei silenciada,eu olhei a arvore como a
ligação especial que senti por isso,e houve uma sensação de vitória final.

Os motivos da sensação de vitória somente entendi ao está na sala sozinha,vi a lareira acesa,eu respirei movendo as mãos sobre meu coração.
Olhava as chamas e me vieram lágrimas aos olhos.Como me senti alíviada,vitoriosa.'O que há contigo Samantha? Porque a felizidade?'.Eu ri
ao ouvir a voz de Redenção vindo a mente.

"Nada meu querido,somente dou graças por Lestat está bem,graças que ele voltou do inferno que Sabrina lhe proporciona,intacto".O riso dele foi-
me iluminado ao ser ouvido.'Creia que mesmo na dor e derrota,felizidade e vitória,tu sempre se sairás bem,suas cicatrizes se fecham'.Compreendi
e a sensação que me veio a mente foi para reconstruir-me e continuar.

'Lestat está bem,agora está,digo que Thalwa não se dará por derrotada por Sabrina,não mesmo,mas e algo que vejo,e céus,sequer consigo des-
crever de tão emocionante'

Eu ri novamente,meus risos ecoaram pela imensa sala como se fosse-me o maior dos presságios."Hum...Como dizem: Nem mesmo Maharet ou
Mekare,que antigamente foram os seres mais poderosos a andarem por essa terra podem com Thalwa,também não sei como Thalwa vai fazer,
mas sei que se ela envolver nas cinco almas nisso,as arpias estaram com um imenso problema em mãos".Terrível sennsação,mas passaria.Não
senti mais a presença de Redenção,somente senti o desejo de terminar a noite na biblioteca,tomar-me de compromissos e pesquisar em escritos
tão raros.

Pude preparar um matéria incríavel de pesquisa para meus negócios e compromissos.No fim de tudo estava preparada para uma reunião que fa-
ria de muitos aliados meus,acentuados seres importantes.Passou-se dias,noites,madrugadas e por sim semanas,todos os processos com que eu tan-
to desejava acontecia,envolvia-me.

Como sofri por não ver Lestat,Thalwa,algum deles,mas de longe conforme dava continuidade a tudo,eu sabia,sabia que eles respeitavam tudo o
que eu quis desenvolver como humana,porém,meu coração doia,inclinava-se para que eu suporta-se.Sobrevivi,sobrevivi até o momento de uma
noite importante para mim.

Eu tinha acabado de sair da sala de uma de minhas assistentes,no meu escritório ouvi o telefone tocar,eu não havia me sentido bem durante to-
da reunião que durara uma hora e meio,e céus,saber que era Lestat me importunando,foi para querer fugir."Querida pode dizer-me se depois de
tanto tempo poderei vê-la?".Ofeguei,andava pelo escritório.

"Lestat tenha a pretenção de que em breve nos veremos,mas querido,entenda minha decisão de não querer trazer mais problemas a você".Seu
riso foi-me pretencioso,inimaginável para com cada detalhe."Ok...Mas ouça-me: Em breve nos veremos e sem duvida poderemos matar souda-
des".Compreendi,eu decidi beber um pouco de água,estava péssima,tomada de desconforto,dor de cabeça.

-Samantha,você está bem? Não creio que isso tudo,tantos compromissos lhe possam transmitir conforto. Samantha? Pode falar? Por que você
se silencia? Está com medo de mim?

Eu ouvia e não ouvia,Lestat,sentia-me tonta,vi quando uma de minhas assistentes entrou na sala,ela que trazia-me um sanduiche,olhou-me to-
mada."Samantha está pálida,olhe para ti".Era como trovões,eu tentava responder,mas nada deu certo,eu me vi apagando,destruída por todo
meu desconforto,ouvi o grito de minha assistente,nada mais conseguia compreender.

O que eu sabia e que nada me foi dito,decidido,somente integrado a minha resoluta existência.A ténua linha do conforto e desprazer foi como
se me forçasse a reviver.Foi um momento turbulento até eu me recompor.Sozinha fiquei por vários minutos até me recompor,se não fosse pe-
la minha assistente,sem duvida de que minha pessoa teria acabado no hospital.

Eu decidi arrumar minhas coisas,ir embora para casa,tomada de raiva por tudo isso acontecer,foi o melhor que eu pude fazer.Até então eu
sequer pude compreender o que se passava comigo,mas entenda que era minha futura resposta.Foi trevoroso,mas necessário para que eu
soubesse.

Em casa eu subi apressada.O que eu necessitava era de um banho,água fria sobre meu corpo.A cada detalhe minha pessoa tomouse como
se a necessidade fosse profunda.Ter saído as presas de meu escritório tinha sido frustrante,mas em si,necessário,alguns preocupados comigo.
Eles que me ajudaram a recomporto,e sobre Lestat? Coitado,sem duvida de que não tinha entendido nada e a ligação caído.

Não demorou até eu sair do banho,escolhido uma bela camisola para deitar-me.Necessitava,tudo em mim embrulhava-se como se todas as
forças fosse-me sugadas.Nada hávia sido detectado até esse momento pessoal ao está em casa.Na cama fiquei deitada,eu que pude descan-
sar,tomar-me de conforto.

Não conseguia pensar direito,eu somente jazia na cama com meu rosto escondido nos travesseiros,minha camisola de seda confortante,isso
foi necessário.'Que dor de cabela,maldição'.Pensava sem parar,eu queria chorar! Juro que pensei em correr até a mansão covardemente e
chorar como criança nos braços de Lestat a noite toda.

Eu respirava,descansava,o tic-tac do relógio ouvido na quietude da noite,e foi quando o vento veio morno trazendo-me algo.Ouvi sussurro
fatal a mim.'Hei? Pode ouvir-me?'.O que isso significava? Desejei morrer,mas lá estava ao virar-me olhando o teto,vi Merrick fitar-me com
um arquear de sobrancelha delicado,o riso malvado formando nos lábios tingidos de vermelho.

Um espírito sem nada,despido,a olhava como se fosse-me inesperado.'Finalmente,não e?'.O que ela dizia? Aquilo havia sido apenas tentati-
va."Não lhe prometi nada".A respondi sentada sobre a cama,o rosto movido para o teto a fitando.'Prometeu,sim,Samantha,esse filho ai sou
eu,mas és infeliz'.Foi quando aconteceu,eu sem querer movi a mão contra meu ventre e soube.

Senti a cálida presença de um ser dentro de mim,nunca senti algo tão tenebroso como nesse momento."Sim,sou eu,obrigada Samantha,és
minha change de ser feliz,a felizidade que nunca ancançaria na outra vida e momento,obrigada por trazer-me de volta".Céus! Algo veio con-
tra mim,uma força aterradora,vi como Merrick se desfragmentava,era sugada por mim,eu gritei,berrei!

"Merrick! Merrick! Merrick! Socorro!".Será mesmo que eu estava ciente? Ah,céus,ela se unia a mim,queria,desejava,Merrick sumirá do pla-
no espiritual,não mais existia lá,mas em mim! Pude sentir toda união entre eu e ela.Eu olhava o teto tomada,me movi de lado sentindo to-
da desgragmentação dela para que issoa contecesse,fosse possível.

Tive coragem o bastante para mover minha mão saliente sobre meu ventre,o tecido de minha veste movendo-se,senti dor,mas passaria.A
verdade e que ela fora feliz,encontrará seu lar.Quis chorar,mas céus,realmente tinha sido possível."Filhinha? Está mesmo comigo Merrick?
Filhinha amada?".Houve um ultimo riso,mas ela pode dizer sua última mensagem.'Sim,estou com você,eu te amo Samantha,até a noite do
eu renascimento,obrigada mãe'.Terrível!

Mas pude compreender,a estagnação hávia sido feita,pecaminosa.Apartir desse momento Merrick reavia seu conceito e nosso renascimen-
to,eu soube,eu acatei,eu somente me desesperei porque não sabia das conseguência de tudo isso.Nas próximas noites me deparei temero-
sa por qualquer eventual aparecimento de Lestat.

O que eu sabia e que enquanto prosseguia com meus compromissos,toda aquietação,eu necessitava de Lunnes,eu clamei por ele a cada mi-
nuto! E ele atendeu a meu pedido.Assim que sai do escritório na noite,o vi de pé me esperando,encostado em uma arvore viu-me."Acho a
contra gosto tenebroso tu prosseguir,o que tens? Me chama como uma louca!".Não acreditava,ele tinha vindo mesmo!

O abracei com força,tinha minha bolsa de lado,eu sempre de vestido,nada como conforto."Vamos querido,lhe explicarei em casa".Nisso eu
e ele seguímos caminho,fomos em direção a minha casa andando pela calçada,ele ainda não compreendia,somente o sentia.No jardim eu o
olhei de lado,e somente ao estarmos em meu quarto,pude ser clara com ele.

-Lunnes,creia que estive com Khayman,fui louca o bastante para pode fazê-lo entende? Céus,não sabia se ia dar certo,mas deu,preciso ir pa-
ra a Ilha de Tompei,não terei segurança,não aqui.

"O quê? Mãe não seja pretenciosa,está com medo,imenso medo,olhe para você".Era medo e receio,Merrick tinha uma change,e mesmo ten-
do sido da forma dolorosa que foi,eu não ía desistir,não por minha Merrick,não de minha Merrick.Me deparei tomada,desesperada quando ele
deu-se a andar pela varanda,olhou a paisagem do jardim,tinha uma das mãos na cintura.

Bonito ao vestir-se com uma camisa branca de linho,calça negra e sapatos clássicos,conjunto perfeito,os cabelos presos para trás perfeitos,os
seus olhos verdes brilharam quando me levantei,ele levou-se até a cama me fazendo sentar-me."E isso,não há mais duvida...Está mesmo
grávida,e Merrick fez juz a isso,olhe esses seios fartos de leite,sua coloração delicada.Loucura mãe".Ele sorriu,pode beijar meu rosto,depois
a testa."Tudo bem,tudo bem,eu irei está contigo,decida...Ou nos campos comigo ou na Ilha? Mas saiba que não será fácil se tratando dele.
Tompei".Eu ri amargamente.

"Vamos a Ilha,se não for,aos vampos,mas quero está segura,não irei dar a luz a sua irmã sem ter segurança".Ele sorriu,me abraçou forte ao
ver-me mover-me."Tudo bem,mas aquieta teu coração Samantha,aquieta teu coração".Queria chorar,eu brami palavras sólidas antes deu me
preparar para ir embora de Athena."Me desespero,eu amo Merrick e ela queria,e céus,fui covarde,a amava desde que a vi,senti seu sofri-
mento e solidão,até mesmo depois da morte".Estava feito.

Fiquei no quarto,Lunnes disse-me que ía ligar para o escritório,justificar minha ausencia que duraria meses,mas a casa e trabalho era deles,de
meus auxiliares.Meia hora se passou,e eu somente ia para Ilha de roupas e nada mais,chegaria lá somente tomada por meu orgulho.Quando
ele voltou,viu-me a sua espera."Pronto...Falei com suas assistentes,vamos embora Samantha,vamos embora,e não deixa nada para Lestat
ou qualquer saliencia".Eu ri amargamente.

"Tudo bem Lunnes".Não sabia o que seria ao chegar na Ilha,mas tinha que tentar,se não fosse,somente poderia contar com Lunnes.O modo
como ele abaixou-se desferindo beijos delicados sobre meu ventre foi terrível,ele apreciava,estava feliz."Não acredito,uma irmã e somente m-
nha,uma irmã nata,verdadeira".Ele estava mesmo feliz,tive que admitir quando voltou a abraçar-me."Obrigada...Lojo iremos".Era isso,somen-
te alguns minutinhos e os céus nos esperavam para irmos para Ilha de Tompei.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-95

Mensagem  Ana Nery em Qua 29 Jun - 12:51:38

***Continuando***

Ah,céus.Não admito,não admito! Mas sem duvida de que minha atitude foi a mais canalha com que se possa imaginar,apreciar,mesmo assim eu tracei
meu plano tomada de nostálgia e força,era comente com isso que eu contava nesse momento.Nada aconteceu durante nossa viagem,nada! Somente a
coragem e espírito me salientando a amargura e nostálgia alheia.

Foi como dito,como aconteceido,tomada desse espírito de coragem cheguei a Ilha de Tompei,nada com que minha pessoa envolver-se,tomar-se como
a saliência trevorosa e nostálgica.Além de tudo isso foi-me voraz o modo como Lunnes desferiu tapas em meu rosto com delicadeza para que eu acorda-
se,fosse tomada de acalanto de trevorosos olhares.

"Chegamos Samantha,não creio que depois de tudo isso,Tompei deixará passar em branco".O olhava silenciosa,respirava depois do tempo,a chegada sa-
liênte para eu é ele.Eu rir amargamente,sentei-me sobre a relva do lindo campo da Ilha,olhei as estrelas da noite tomada de detalhes importantes,para a
minha pessoa sem duvida de que nada mais era-me importante.

Lunnes levantou-se quando viu Tompei aparecer na imensa varanda do Palácio,tochas a frente,luzes cintilando na noite nova.Lunnes olhavá-o temeroso
de que Tompei atacasse sem avisar.Um ser alto,pele morena - clara,os cabelos negros e lisos soltos até a altura da cintura,a túnica negra de pura seda
de Tompei encanto.O que se passava na mente dele ao jazer de pé parado a nos observar?

'O que fazes aqui? Lunnes De Lioncourt,um dos anciões,o que fazes aqui?'.Pensamento trevoroso de Tompei,ele caminhou a frente vindo em nossa dire-
ção.Somente quando aproximou-se e que pode falar."Podem me dizer?".Tompei e Lunnes trocavam olhares fervorosos,ferventes! "Tompei,trouxe minha
mãe porque creia! Ela está grávida,não pode ficar em Athena,não sabendo do encalço de Lestat". Isso provocou calafrios em Tompei.

Ele ajudou-me a levantar,olhou-me com delicadeza ao pousar suas mãos aos meus ombros."Hum...Creio,sim,mas porque pede minha ajuda Samantha?".
Nisso eu,ele e Lunnes fomos em direção ao Palácio,entrando no lindo salão Tompei fechou a porta pesada."Preciso de sua ajuda,quero está sozinha,toma-
da de plenitude quando der a luz,não queira saber quem e o pai".Isso Tompei não aceitou,fez-me sentar ao lado de Lunnes.

Na poutrona ele pensou friamente alternando seu olhar entre nois dois."Não vou ajudá-la quando me impede de ver ou saber. Eu quero saber quem e o
pai,Samantha".Mantive as mãos unidas a frente sobre meu colo,fiquei triste,mas respondi."Khayman,é isso,acredite ou não,é o Khayman". O pavor dele
foi imediato.

Percebi isso como se a saliênte proposta fosse imediata."Khayman e o pai?".Eu levantei aflíta,tomada de angustia,andava na frente de Lunnes e ele.
O meu pensamento foi imediato."Eu pude,fui apta o bastante a romper a teia de Amel e fazer com que ele provesse sua semente por algum tempo.
Eu queria Tompei! A anos estou com Khayman e Lestat e Thalwa não tem ciência disso".Trevoroso olhar emanando dele,mas foi o bastante para ele
salientar sua opinião.

"Céus...Até hoje somente aquelas cinco almas foram aptas a romper a teia de Amel,aptas a tirálo de Maharet e Mekare para infudí-lo em mim,sabe
o perigo disso? Que loucura Samantha!".Lunnes quis saber o porque da loucura."O porque!? Lunnes! Samantha poderia ter morrido,perdido a change a
ser dada por seus pais verdadeiros! Lilith e Aziel! Já pensou!?".Isso assustou Lunnes.

Ele que levantou-de com delicadeza emanando tristeza em seu olhar."Admito,e verdade,mas entenda Tompei: Até então nunca tinhamos tido tama-
nha procação da capazidade de Redenção,o anjo-demônio que até então sempre espionou,jazeu a assegurar a patente de nossa família".Tompei pode
entender,concordou."Como sabem que foi com a ajuda deles?".Os olhei.

"Somente ele teria essa capazidade,ele não saberia até ter tentado mãe,e sem duvida de que ele morreria,faria tudo por você,assim como no passa-
do".Tompei finalmente pode dizer ao concluir."Darás a luz aqui,ninguém virá a Ilha,ninguém Samantha,não o permitire,se quer dar a luz sem todo o
sofrimento que teria em Athena,tudo bem,ninguém virá,e quando a Lunnes? Por favor! Não diga nada a ninguém,fique calado,se foi até Athena e a
trouxe em segurança,fique calado,somente direi,emitei algum sinal quando Samantha der a luz em segurança".Lunnes olhou-nos triste.

"Tudo bem,irei embora,preciso está junto de Habel,acho que sem duvida ela me será o conforto até minha irmã nascer".Tompei fitou quando Lunnes
me abraçou triste,tomado de choro."Vou embora,esperarei,se cuide".O olhava transtornada,passada,temerosa,mesmo assim ele foi embora após abrir
a porta e fechá-la,estava decidido,tudo estava afirmado e concretizado.

Finalmente a sós Tompei pode dizer."Tome cuidado Samantha,apartir de agora eu e que cuidarei de você,então acate ao que farei,agora suba,saiba
que precisarei ausentar-me por alguns momentos".Compreendi,ele ía sair para a noite,sem duvida de que após isso me senti segura,tomada de toda
a segurança possível.Seguindo pela escada entrei no corredor,no quarto fechei a porta e me deparando com roupas frescas na linda cômoda escolhi a
camisola mais linda que tinha-se presente: Camisola de puro linho,detalhe em renda sobre o busto,a cor azul-turquesa encantou-me,lembrei dos lindos
olhos de Marius De Romanus.

Mas bem,precisava continuar,e céus,me despindo e pegando toalha macia na gaveta fui para o banheiro,o vento que vinha pela varanda deixava to-
do quarto fresco e acolhedor.Como foi bom,era disso que eu precisava para descansar,sentir-me alíviada.No banho envolta na intimidade com minha
filha,senti-me plena,a presença dela era impassível,era como Merrick fizesse questão de emanar sua presença e poderosa força mesmo gerando-se,ar-
rancando tudo de mim.

Eu sorri,mantive-me parada por alguns momentos movendo uma das mãos sobre minha barriga ainda tão reta e saliênte."Olhe isso,e como musica,e
como Merrick ungir e repor tudo de si,que coisa linda.Sem duvida que será uma menininha entanto,somente minha".Ela ouvia? Não sei,mas isso foi a
única forma que encontrei de tentar dizer que ela estava comigo é eu estava com ela.

Depois do banho me vesti,escovei meus cabelos,e sentada na escrivaninha me envolvi em alguns observares.Nada como a musica,a nostálgia.Sentia
a continuidade,era o preparar de um novo momento para minha vida,sem duvida.Nada de Lestat ou algum de seus companheiros,nada de ninguém a
gritar em meus ouvidos,eu queria paz,somente minha paz a está com minha filha.Somente isso.

Na hora de dormir apaguei,deparei-me sonolenta e tomada de tranquilidade,o perfume de flores pairou pelo quarto,foi como se tudo isso envolvesse-me
e no fim de tudo fizesse-me entrar no maior dos transes de meu sofrido e preciso descanso.Apartir dai foi como musica,passou alguns dias e noites até o
Redenção dar notícias,meu coração sofreu quando deparei-me sem a presença dele por definitivo,mas aconteceu dele encontrar sua rota e vir ao meu en-
contro.

Céus,eu estava andando pela Ilha,as trilhas,quando ele emanou sua presença,eu parei olhando os lados,o vento veio poderoso na noite para avisar.Ele
sempre faz isso,pré-aviso a emanar tudo de ti."Redenção?".Ele sorriu ao aparecer perto de uma linda arvore,Tompei estava no palácio,em pensar que o
poderoso Tompei fazia comida para mim,temia que algo acontecesse,ele estava controlando toda minha alimentação para nada sair errado.

Caminhei ao encontro de Redenção,senti seu abraço cálido,e que abraço,céus! "Desculpe minha querida,amada.Desculpe ter sumido,mas e que andei a-
preciando mais mortes de Arpias,trago notícias que anda acontecendo alguns problemas e ataques,mas tudo bem,Lestat e seus próximos mesmo no sofri-
mento vivem".Isso envolveu-me em medo,ele estava belo por aparecer-me espectralmente com cabelos curtos,Redenção agora sem duvida aprenderá
a modificar sua matéria a formar-se por completo.

Jazia ardonado com túnica até a altura dos joelhos,a cor vinho da túnica era perfeita ao ser acompanhada com um centirião negro na altura de sua cintu-
ra,as asas negras fechadas para nada acontecer,ele segurava firme minhas mãos."Hum...Creio que aprendi muito,obrigada,creio que ter absorvido algum
aspecto de Amel,me ajudou".O que?

"E isso mesmo,se quer saber como fiquei mais forte,atenuado,e isso,absorvi algo de Amel ao ter me desmateriazado daquela forma e impregnado nele.
Não viu,mas deu-me a oportunidade deu evoluir".Que presságio,beijei seu rosto."Tudo bem querido,tudo bem,sirva a nossos próximos,agora vá,use tu-
do de si para ser livre".Ele compreendeu,e nisso,na revoada do vento ele subiu aos céus,teria soudades,mas ele tinha que ir,andava na matança de arpi-
as as escondidas,e nem Lestat e Thalwa percebiam isso.

De volta ao Palácio após ter andando mais um pouco pela Ilha na noite,vi Tompei chamar-me,ele que sem duvida usava tudo de si para que nada me
passasse despercebido."Samantha vem comigo,não foge".O que ele ía fazer? Eu fiquei perdida quando ele levou-me em direção a seu quarto,sem duvi-
da seu olhar de preocupação era notável,sentei a beira da linda cama,a varanda estava decorada com vasos de flores."Somente preciso fazer algumas
análises minusiosas,sua barriga começa a aparecer,somente quero saber se o bebê cresceu mais um pouco".Nada de coerência,mas mesmo contra minha
vontade,eu soube que ele sabia do que falava.

"Me sinto cansada,sonolenta,tomada de rancor,Merrick tira-me a paciência".Ele compreendia,aos poucos desabotoava minha veste,a fez cair para trás
de mim."Hum...Vai ficar pior,isso e um prévio aviso Samantha".Deitei para trás,olhei o teto,me sentia tomada,irritada por Merrick me tirar as forças co-
mo andava fazendo.Senti quando as mãos de Tompei se moveram de encontro a meus ombros indo em direção a meus ceios quentes,não demorou e
ele desferiu toques aplicados em lugares estratégicos sobre meu ventre.Pude sentir o saliente crescilemento de Merrick.

"Hum...A boa notícia e que terás leite a dar a vontade para Merrick,isso me faz feliz,muito feliz,mesmo cansada,creia,nada acontecerá,percebo isso".A
sua pessoa estava convicta? Sim,estava,principalmente ao terminar e fazer-me sentar com toda delicadeza."Samantha?Pena,pena que Lestat não saiba.
Admito,será um golpe entanto para ele".Eu havia me levantando abotoando minha veste,o olhei risonha.

E,sim,sentia como meus seios estavam inchados,cheios de leite,sem duvida de que minha natureza agia me preparando para a vinda de Merrick."Admi-
to que e triste,mas Tompei,e o melhor que pude fazer por mim e por Merrick".Ele olhou-me certo do que eu disse."Tudo bem,tudo bem,agora vai,deixei
a bandeja com pães de alho no refratário,sopa com legumes e pedaços de lagosta e frustos do mar".Céus! Fiquei feliz,o abracei beijando seu rosto.

"Obrigada querido! Comerei com vontade".E o fiz,me maravilhei ao entrar no quarto acendendo as luzes e deparando-me com a bandeja feita.Sentei a
mesinha e dei-me a comer.Como a quietude da noite foi-me maravilhosa,necessária.Estava valendo a pena tudo isso porque era a segurança de que mi-
nha filha naceria bem,tomada de vitalidade.

Terminado eu levantei podendo sentar-me sobre a cama,pude observar como sentia a saliente presença de Merrick.Era notável,sempre foi.Era impossí-
ve não acreditar,ser tomada por uma ligação estreita e perfeita entre ela e eu.Deitando de lado sobre a cama pude pensar,olhar o nada tomada de todo
meu sentimento."Ah,céus...O que será de mim? Será que teu pai a desejará? No passado Maharet deu-lhe uma filha é ele a renegou".Pensei,respirei to-
mada de profundidade,a essa altura sem duvida sequer pensavam em mim. E foi quando algo veio a mente,me deparei ao fechar os olhos com Lestat a
mente.

Vi a sombriedade com que Lestat estava em minha casa,com que ele berrava chorando com Thalwa no jardim.Ele que andava de um lado a outro enlou-
quecido.'A onde ela está!? Por todos os céus! A onde Samantha meteu-se? Nem em Páris ela está! Thalwa me ajuda,eu vou,eu vou morrer,foi a filha pre-
parada por mim!'.Thalwa o segurou pelos ombros,o fez voltar a si,ele estava desesperado.'Fique frio,eu não sei,estamos perdidos quanto a isso,mesmo não
sabendo onde ela está,acredite nela,sei lá! Ela vai voltar algum dia'.Tenso momento.

A imagem sumiu,toda ligação mental sumiu,temi que ela captasse a onde eu estava,mas tinha sido bom saber do que acontecia,nunca senti minha
mente tão ativa como nesse momento.O inesperado de tudo isso foi quando uma presença inesperada veio ao nosso encontro ao passar de três noi-
tes após esse momento turbulento,e claro,não deixei de falar com Tompei.Mas enquanto eu estava ocupada escrevendo em um caderno,lendo a res-
peito da mágia,senti a presença de Ellenos,eu não acreditei quando isso aconteceu.

Me deparei largando livros,papeis e canetas sobre a mesinha de escrever é disparei em direção ao salão,Tompei discutia com ele,revidava com ta-
pas sobre o rosto de Ellenos."Não vai ver nada! E nem entendo como veio chegar aqui sozinho! Posso queimá-lo seu miserável!".Tompei naõ sabia.
Ele poderia tentar queimar Ellenos,mas sequer passariam de queimaduras,eu falo por mim e pelo Ellenos se tornava ao passar de sua vida.Olhei a
sua pessoa aflíto,andando a nossa frente,toquei o ombro de Tompei por trás."Deixe isso comigo querido".Pedi.

"O que tu fez!? Sua bruxa maldita! És maldita Samantha! Lembra da promessa que fizemos? A de que a ajudaria sempre que precisasse? Se não fos-
se pelo Lunnes,sequer estária segura!".Ele se preocupava mesmo? O chamei,deixamos o querido Tompei sozinho em descanso,esfriar sua mente séri-
a e perfeita em vossa ordem.Fechei a porta na chave ao entrarmos.

"Ellenos,eu não posso voltar,não posso! Não agora meu querido. Lamento por seu sofrimento,por ter quebrado a promessa,o ter deixado louco com
preocupação,mas eu não podia".Ele abraçou-me é quando voltei a olhar em seus olhos,vi que algo havia mudado nele: Vi a forma com que todos
os seus sentimentos por mim,mudaram ao longo desse tempo.Irmandade? Ellenos Cyrus deixou de ver-me como mulher a considerar-me irmã? Co-
mo sofri,viu? Mas estava explícito!

"Diga se está bem,por favor,diga! Diga se seu bebê está bem,não sei a onde isso vai dar,mas por favor,deixa-me ficar aqui,está contigo,fazer com
que nada a assole".Eu me senti tomada de frieza e espanto quando seu abraço.Ele me abraçava com medo,tinha medo de que algo acontecesse co-
migo.Não acreditava,mas era verdade,ele mudará,não era mais meu jovem e eventureiro Ellenos,era um Ellenos mais maduro,ciente de si.Loucura
enchergar isso e sentir-me envolta em armadilhas.

"Tudo bem Ellenos,tudo bem,mas espero que tenha vindo sozinho,por conta própria,não quero Lilith e Lucy envolvidas nisso,muito menos Lestat e
aos nossos próximos,quero está sozinha,sozinha,somente eu e Merrick,Merrick é eu".Ele pensou,mas compreendeu.Juntos ficamos quando sentei so-
bre a cama encostada no espelho,Ellenos Cyrus deitou-se de lado acolhendo-se em meu colo.Ele respirava alíviado."Obrigada querida,era somente
isso que queria,por favor.Deixa eu cumprir ao menos uma vez minha tarefa e compromisso de irmão para contigo".Eu ri,era verdade,e tudo estava
acertado.Que loucura,céus.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 96

Mensagem  Ana Nery em Qua 29 Jun - 14:01:15

***Continuando***

Os momentos que passei com Ellenos Cyrus no quarto foram harmoniosos,o modo como ele fazia carinhos em meus cabelos,até mesmo o modo como ele
passeava seus dedos por meu ombro,tudo isso emitia-lhe cuidado,pretenção maravilhosa."Não creio que até o nascimento de Merrick passará por qualquer
momento doloroso,não irá acontecer".Eu ri,tinha meu rosto pousado no macio travesseiro,quando ouvimos passos no corredor,eu soube.

"Samantha? Está bem?".Ellenos respondeu a Tompei tomado."Sim,ela está".Ele levantou-se abrindo a porta,Tompei entrou fitando Ellenos Cyrus como se
tudo isso fosse-lhe injusto.O jovem tinha vindo na marra,na força até a Ilha e vendo-se confirmado o que sentiu de longe."Tompei peço sua estádia,não se-
rei louco de deixar minha irmã aqui,está entendendo? Ou a levarei para algum lugar que nem minha mãe Lucy e Lilith sabem".Tompei cruzou os braços,isso
para ele foi o golpe.

Foi aterrador deparar-me com a visão de dois reis se fitando,Ellenos(O futuro rei bestial) e Tompei (O rei da antiga linhagem iniciada por Akasha e que fora
de Maharet e Mekare).O que pensar,sentei-me a beira da cama,senti o cansaço que a gestação de Merrick causava-me.Nunca a quietude foi aterradora co-
mo nesse momento.Tompei rompei sua quietude,ele quis avançar contra Ellenos,mas ele sentiu,sentiu a verazidade da força de Ellenos Cyrus,tão igual a de-
le.

Era arriscado para Tompei atacá-lo e expulsá-lo da Ilha,não e qualquer um que tem a capazidade de queimar um ser bestial,nem mesmo Tompei o tinha,po-
deria tentar,como descrito por mim,mas não passaria de queimaduras."Hum...Ellenos Cyrus,o que nasceu e morrerá como ser bestial".Era isso,Tompei sen-
tiu-se humilhado,e o fato dele ter saído,doeu-me a alma.

Corri em direção a ele pelo corredor,o olhei."Querido me desculpe,eu não esperava a vinda de Ellenos".Ele fitou-me risonho."Tudo bem Samantha,e seu ir-
mão,nada posso fazer,mas creio que ele acatará ao conceito e importância de mantermos nosso silêncio".Compreendi,ele se foi andando pelo corredor,nunca
existirá ser mais importante que ele,nunca.

Passou-se semanas arduas entre eu e Ellenos Cyrus,nem mesmo Tompei compreendeu.O fato e que por várias vezes discuti com Ellenos,e Tompei sempre
se deparava nos separando:O motivo e que Ellenos temia até mesmo que eu perdesse Merrick,e isso forçou-me a rebater a tudo dito por ele.Na continuidade
houve um momento de perdão.Eu estava com três meses de gestação quando esse momento aconteceu,e durante meu descanso no quarto,Ellenos veio ao
meu encontro.

Tompei havia preparado comida para mim antes de sair para caçada alheia,somente ele sabia como agir.Até mesmo um rei como Tompei sente as vezes a
necessidade de sangue vivo.Me movi sobre a cama ao ouvir passos no corredor,Ellenos Cyrus entrou com uma bandeja na mão,ele olhava para mim como
se isso lhe doesse a alma.O que pensar?

Se tratava de sopa com pedacinhos de franco e legumes com lentilhas,frutas frescas para sobremessa."Tompei! Ah,céus...Como ele se importa comigo,obri-
gada Ellenos".Ele pousou a bandeja sobre meu colo."Agora come,come tudo....Sabe que não vou sair dessa Ilha até saber que minha sobrinha nasceu bem".
Será mesmo que ele compreendia? Eu ri envolta por cada detalhe.

"Tenho que admitir,sua barriga cresce bem,semanas se passaram,e a forma como aparece,me espanta".Tive raiva,a essa altura desferia colheradas no pra-
to."Seu bruto...Pobre Merrick ao ouvir isso".Ele riu,pode desferir sua mão a frente de seu rosto tomado de risos.Estava belo ao ter escolhido uma calça jus-
ta de cor negra,bota curta,camisa de puro linho delicado com botões de pérolas negras."Sempre pérolas Ellenos,e tenso ver um rei criado na modernidade".O
que ele disse-me foi trágico."Hum...Drarytha foi o rei do tempo morto Samantha,esqueça".Compreendi.

Vi que durante meu descanso ele tinha trazido até uma jarrara cheia de vinho pra mim,levantou-se enchendo o corpo."Pensou até nisso?".Seus olhos ver-
des me olharam de um jeito tenebroso."Sim,e claro,agora coma".Estava faminta,cada colherada me era saboroso,envolvente.Passou-se minutos até que
eu terminasse,ele pegou a bandeja a deixando sobre a mesinha.

Olhou-me ao sentar ao meu lado."Ellenos,não está pensando que poderá seguestrar Merrick,não e?".Ele acolheu-me de lado,pensava docemente."Não,se
fosse minha filha,sim,mas não e.E não creio que Khayman deixaria barato,ele se machucaria,mas me levaria junto dele na morte".Temi,foi um dos piores
pensamentos de Ellenos Cyrus a respeito de tudo.

Ele moveu sua mão sobre meu ventre,se espantou."Ela cresce,e voraz,céus,ela e voraz.Ela se meche devagante,sinta isso".Ele puxou minha mão contra a
minha barriga,e senti,devagante,mas senti."E verdade,e verdade".Claro! Haviam se passado semanas e sem duvida que o desenvolvimento de Merrick a-
contecia sem pausa,perdão: Mentalmente a vi dentro de mim.Céus,um bebê pequenino,mais ou menos do tamanho da palma de minha mão,ela jazia den-
tre o liguído aminiotico,o fato e que ela crescia,se desenvolvia,e era-me maravilhoso.

"Bem,futura mamãe,creio que logo mais,ela virá".Eu ri,vi Ellenos se direcionar a porta."Hum...Estarei nos campos da Ilha,qualquer coisa me chame".Isso
foi como troca de informações e conceitos,sem duvida de que tudo isso era eminente e maravilhoso.Fui até a varanda ao está sozinha,olhando para o céu
estrelado da noite,eu pensei.'Não sei o que acontece Lestat,mas creia,creia que Redenção de modo silencioso,ameniza vossa situação'.Pensei nele tomada
de dor,sem duvida ele sofria por não saber a onde eu estava.

Mas tudo isso tinha sido necessário,sem duvida de que a ação era plena,maravilhosa.Merrick nasceu em um momento inesperado.Os meses se passaram
em multuo silencio,quietude entre eu,Ellenos e Tompei.O problema de tudo e que na noite em que ela veio ao mundo,foi quando Ellenos e Tompei resol-
veram sair para as Ilhas próximas.

Bem,eu havia saído,sozinha fiquei nas distantes trilhas do lugar,exatamente no lugar da arvore em que Lilith e Aziel traçaram vosso caminho,como descre-
vi,Merrick deu seu final,a infeliz menina não perdou-me.Foi como pré-aviso.'Estou chegando e que se danem a todos'.A dor movia-se pelo corpo como á-
cido,tudo que pude fazer foi sentar-me debaixo da arvore,pensei.'Maldição,se soubesse que era assim,nunca teria permitido'.E era verdade: A dor foi a pior
parte para mim.

Eu gritei de dor,tive medo,medo de está sozinha e nada acontecer,tudo dar errado.'Tompei! Me ajuda,me ajuda!'.Foi meu sinal emitido aos vendo,suspi-
rando eu senti sua ligação mental com a minha,pude ver o modo como Tompei e Ellenos jazia com uma vitima,eles haviam caçado.'Estou indo'.Nada co-
mo essa vantagem,ele compreendia,que pena,céus.

Deitei de lado sobre a relva perfumada do lugar,as flores moviam-se devido ao vendo.A escuridão tomou-me,durante todo tempo somente a dor sentida
por mim,gemidos baixos vindo de mim,todo meu ser.O que pensar? Eu não posso descrever a dor que sensurou todo meu corpo até que finalmente eles
pudessem ter me encontrado.

Ouvi seus passos sobre a relva,abri meus olhos chorosos,eu brami envolta em dor."CÉUS,me ajude,vou morrer,estou sendo consumida".Ellenos viu-me
como se tivesse pena,eu estava suada,desgastada,tomada de dor,e isso o fez temeroso por alguns estantes."Hum...Vamos ver,vamos ver".Tompei pe-
diu conforme esperava.

Ellenos ajudou-me a deitar-me sobre a relva,eu respirava,gritei de dor.Tompei abaixou-se ao meu lado pensativo."Consegue fazer força? Quis vir para cá
a onde nada tenho em ação,dependerá de você".Vi o modo como Ellenos o olhou."Quer asassinar minha sobrinha?".Tompei riu."Nada,somente verdades".
E senti a vontade,a dor foi tão consumidora que gritei mais alto,Tompei pode segurar-me por trás.era como lutar,travar uma guerra pessoal.

Tive medo,mas eu fazia força,eu gritava sem perdão,"Ah,céus! Merrick luta,não quer!".Que miserável,pensei.Ela só podia está judiando de mim,e isso
me fez sentir-me sem força por alguns momentos,o bastante para eu parar,deixar meu rosto pender de lado como se estivesse morrendo."Temo que ela
não consiga sozinha Tompei".Ouvi Ellenos bramir.

Olhei de lado,vi Redenção logo ao longe,pensei em Lestat,pensei em todos.'Eu fiz uma promessa e não posso morrer aqui'.Foi meu pensamento.Foi o
bastante para dar tudo de mim,foram vários minutos até eu sentir,ouvir o choro de Merrick ecoar pelo vento doce e cálido da noite,a essa altura Tompei
tinha tirado minha veste,eu não acreditava.

Deitava sobre a relva estava,Ellenos enjugava meu rosto com um lenço seu,ele olhou para Merrick que fora segurava por Tompei,ele simplesmente arre-
bentou o cordão ubilical,tive pena,Merrick chorava como se o ar lhe fosse sofrido,eu não acreditava."Ah,céus...E ela,e minha menina,e ela,somente minha
e herdeira de Lestat,e minha".Tompei riu,foi como loucura,mas aconteceu."Psiu...Precisamos cuidar de vocês".Eu estava fatigada,tomada de tudo o que
podem descrever como destruíção.

Tompei segui a frente,segurava Merrick com delicadeza,ela chorava,somente aos poucos passaria,Ellenos Cyrus carregavá-me silencioso,pensava.Meu
choro era quieto sem emitir nem um som."O que foi Samantha? Por que chora agora?".Ele não entendia,tinha meus braços curvados sobre seus ombros.
"Nada querido Ellenos,esperei muito por isso".No palácio Ellenos levou-me até o lindo e requintado banheiro de Tompei,já sabem o que esperar com
tanto luxo.

Tompei jazia de pé diante do balcão da linda pia.Merrick se mexia conforme ele a tocava,analisava."Ela está bem,porém,sentirá fome logo,logo.Dê
banho em Samantha,a prepare,deixe Merrick comigo".Bem,isso foi o pior dos recados.Enquanto Ellenos me ajudava no banho,sem duvida de que o
Tompei preparava Merrick.

"Hum...Ele irá limpá-la,terminar tudo".Somente tive a condolência de banhar-me,enquanto Ellenos derramava água sobre mima jazer na imensa i-
mensa banheira,sem duvida de que pensava,as dores continuavam,mas aos poucos eu me adaptava.Foi um momento em que todo renascimento e-
ra esperado,plausível de tudo o que se era preparado.

No fim de tudo sentei-me a beira da banheira,Ellenos enjugou-me pensativo,tomado de qualquer apreciação.Olhei a túnica que ele havia trazido du-
rante meu banho.A cor cinza foi conforto,até mesmo os botões de camefeus.Finalmente pronta eu me vesti,Ellenos pode escovar meus cabelos,me
olhava no espelho:Uma jovem alta de pele clara,cabelos loiros longos e andulados,os olhos cinzentos emitindo qualquer dor eventual.

"Pronto,vamos subir querida,Merrick a espera".Foi como dito e feito.No quarto finalmente pude entrar,fitei o modo como Tompei ajeitava Merrick
na gesta posta sobre a mesinha.Me aproximei a olhando,ela se mexia sentido-se sem presença.Um bebê com alguns traços meus e do pai: Pele mo-
rena,cabelos escuros fininhos de bebê,somente quando vi ela abrir seus olhinhos a fitar-me,vi a terrível cor verde,a aurela perfeita em contorno.

Impacto,foi essa a sensação."Vem comigo querida".Brami a pegando,e finalmente ela entendeu,tinha suas mãos pequeninas a frente de sua boqui-
nha rosada.Céus,era perfeita como o paraiso das sombras.

Tompei esperava ao lado de Ellenos,os dois cientes de que nada derá errado."Sente-se bem depois de tudo?".Tompei quis saber."Sim,querido,eu
sinto-me bem apesar da dor".Só tive vontade de deitar-me,ter Merrick ao meu lado,poder amamentá-la.Um ser pequenino ainda desprovido do que
tinha acontecido,um novo renascimento.

Tive o impulso de puxá-la para junto de mim desferindo os dedos pelos botões delicados de minha veste,Merrick foi impulsiva,soube mamar,su-
gar o leite para si,suas mãos que se grudaram ao meu seio farto de leite.Imediato e fatal,ela respirava fundo,tomava-se de um novo regorgijar
de vida.Seus gruidos foram baixos,salientes.Tompei e Ellenos sairam,a porta fechou-se.

Nada melhor,nada a ser emitido."Somente espero que nada aconteça querida,espero que teu pai a aceite".Era somente esse o medo,não sabia
o que aconteceria,mas nesse momento queria Merrick,está com ela.Somente eu e ela a sós pelo resto da noite,ela mamava,e isso fez-me dormir
aos poucos,o descanso vinha junto do mamar dela.Quietude,trovões em meu descanso,nosso descanso.A musica de meu recomeço e do renas-
cimento de Merrick tocava com perfeição.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 97

Mensagem  Ana Nery em Qui 30 Jun - 12:29:40

***Continuando***

Se eu soubesse que tudo isso me seria maravilhoso por alguns momentos,sem duvida que talvez eu tivesse feito antes,mas poré
a plenitude havia evitado que o fizesse no passado.O que aconteceu e que passaram-se dois dias e noites para que eu tomasse
a plena coragem de dar banho em Merrick,até então eu me sentia bem,sem duvida de que os momentos que vinha passando com
sua pessoa me tonaram plena.

Um bebê tão cálido,tomado de qualquer cemblante de atitude notável.Na terceira noite havia chegado o momento,eu estava com
ela no quarto,a tinha em meus braços ao jazer na linda varanda,ela me olhava movendo os dedinhos das mãos com delicadeza,eu
compreendi sua esperteza notável,o luar iluminava seus cálidos olhos verdes,foi quando ouvi passos.

Tompei entrou olhando nois duas,disse-me."Venha,acabo de preparar o banho de Merrick,sem duvida de que e chegado o momen-
to dela experimentar algo novo em sua nova vida".Compreendi,foi como se tudo isso me deixasse anciosa,e foi quando sai com ele
pelo corredor.Ellenos Cyrus estava no salão ao ver-me entrar,viu-me com ela nos braços,levantou-se vindo a gente como se fosse
necessário.

Olhou a manta de Merrick,uma manta lilás de linho com desenhos prateados."Ah,céus,ela ainda não tomou banho,jaz como se fos-
se uma andarilha".Eu ri,respirei fundo,pensei silenciosa trocando olhares com Ellenos.Ele estava lindo ao trajar longas vestes de cor
violeta,a faixa negra atada a cintura,os tons claros das vestes de Tompei me encataram.Quando a mim? Eu estava tão preocupada
com Merrick,que sem duvida me limitava a camisola de linho que usava de tom branco.

Fomos em direção ao corredor,foi nesse momento que Merrick assentiu olhando para Elleno quando a coloquei apoiada sobre meu
ombro,seu rostinho pousado me era maravilhoso."Nossa,ou essa menina sabe quem sou,ou simplesmente provoca guerra insana".
Sim,eu compreendi com profundidade terrível.

No banheiro vislumbrei a linda banheira de metal cheia de água com ervas perfumadas,pensei friamente olhando para Tompei."Po-
demos esperar mais um pouco".Ele arqueou a sobrancelha,o que deu-me impulsão para que agisse.Coloquei Merrick sobre o balcão
da imensa pia,o seu choro me assustou,tanto que deu passos para trás evitando-a.

"Samantha,não creio que esteja preparada,olhe para você".Disse ele,mas ensisti,a desenrolei da manta,a pegando nos braços eu
vi o guão ela se sentia melhor,jazia me fitando curiosa,pensativa,como era-me belo vislumbrar a cor morena de sua pele,os imensos
olhos verdes brilhosos,a boquinha como botão de rosa.O que pensar?

"Em nada Merrick puxou a ti,creio que nessa vida terá muito de Khayman".Que raiva senti de Tompei,Ellenos até o momento silencia-
do,e a coloquei na água,o modo como ela bochejou foi maravilhoso,o soninho sobre ela a envolvia,o que me facilitaria o caminho pa-
ra traçar o caminho de seu banho.

Delicada,pequenina,mas eu conseguia,aos poucos lhe dava apoio com uma das mãos,com a livre agia a banhando,movendo toda a
mão sobre sua cabecinha,rosto,costas e pernas.O sabonete perfumado me serviu como encanto,a espuma se formava,como se ela
soubesse que lhe fazia bem.

Tão quieta,tão saliente.O que se passava afinal na mente de Merrick a essa altura? 'Ela está me machucando,estragando meu novo
corpo materia,que infeliz'.Foi o que pensei sobre seu suposto pensamento,mas não,quando Tompei moveu a mão sobre a alça o jar-
ro de prata cheio de água morna,pude ouvir os delicados gruidinhos de Merrick ao mover-se.Foi tão lindo.

A essa altura Ellenos puxava a toalha macia para ela,sem duvida de que foi o melhor para ela.O enjague final fora feito,Merrick pode
ver-me quando a movi."Nossa".Indaguei a enrolando na toalha com ajuda de Ellenos."E o melhor,ela se sente bem".Tive vontade de
ir sozinha para o quarto,porém,antes disso precisava jazer em alguma observãção final.

A observação e que ela era uma menina muito faminta,somente veria com Tompei."Tompei vem comigo".Ele não entendeu,mas teria
que ser na presença dele.Saímos deixando Ellenos aos cuidados finais na arrumação do imenso banheiro.No quarto ele fechou a por-
ta acendendo as luzes.

Terminei de secar Merick ao colocá-la sobre a cama.Enquanto isso Tompei jazia em sua procura necessária,ardua.Pode trazer uma tu-
nica para bebês de seda,a cor clarinha fez-me feliz,os botões de tom prata,encanto final."Mas o que pretencia dizer-me?".O olhei co-
mo se toda necessidade fosse realizada.

Nisso respondi."Bruxas nascem com três marcas,certo?".Ele salientou-se responder."Sexto dedo,mancha na pele ou nascem ruivos".O
pensamento dele foi perfeito."Veja pra mim".Queria ter certeza,porém,ele temeu,temeu tomando coragem e podendo agir,movia suas
mãos sobre Merrick,eu esperava,ele olhava.

"Hum...".Eu respirei fundo,me sentia angustiada enquanto ele observava.Uma de minhas mãos jazia pousada a frente de meu coração.
'E se ela não for uma bruxa? A bruxa que disse ser? E se ela nada ter se tornado? Sem duvida Lestat nunca a aceirá como herdeira".A
angustia tomou-me até Tompei ter a certeza final."Olhe isso...".Me movi curvando-me a frente.

E sorri! Sorri alto alegrando-me,lágrimas me vieram aos olhos."Ah,céus! Olhe isso!".Quase gritei.Lá estava a marca sobre o pulso dela.
A pequena Merrick tinha a mancha sobre o pulso.A mancha aparece em lugares estratégicos,somente UMA,mas sempree assim.O pulso
dela jazia com uma saliente mancha sobre a pele,um pouco mais escura que o tom natural de sua pele.

"Ela é! Ela é! Há,se é!".Tompei levantou-se silencioso."Bem querida,sente bem?".Eu sorri."Sim,me sinto bem Tompei,muito bem".Ele mo-
veu suas mãos sobre meus ombros."Então descanse,amamante Merrick,logo trarei seu jantar".Ah,sim,foi como dito e transcrito por ele.
A peguei,não demorou para vesti-la com a roupinha dada por Tompei.Lembro de ter ido para varanda,de me envolver em cada detalhe
precioso.

O fato de poder amamentar foi maravilhoso,tomei-me de várias observação.Merrick mamava silenciosa,tinha seus olhos fechados me fa-
zendo sentir irritada,queria ver seus olhos verdes,porém,o soninho dela sempre falando mais alto enquanto ela mamava.O fato e que a
sua pessoinha somente queria encher-se de qualquer eventual glória,essa noite para mim foi notável,até mesmo para aqueles que ten-
tam destruir qualquer contrução nossa.

Não demorou até levantar-me com ela nos braços até me recompor,a colocar na gesta dormindo.Eu lembro de ter apagado as luzes,eu
necessidava de toda essa recuperação.Jamais ir além,apenas tomar-me.Merrick dormia,eu ajeitei a manta dela sobre ela na gesta antes
deu deitar-me na cama.

Sonhei com Lestat nesse momento,sonhei que Sabrina o vinha pegar,o destruia por completo levando seu coração em seguida,sonhei
com o mero fato de Lestat não mais existir,não creio que a essa altura da vida fosse real,mas eu senti meu coração pesar,tomar-se de
todo detalhe necessário,e prosseguia em descanso.

Prossegui até infelizmente ouvir gritos poderosos ecoando pelo palácio,coisas quebrando.Uma guerra? Será que era uma guerra fatal a
tomar-me? Não saberia até ir ao salão.Me senti tomada de vontade em despertar,senti medo porque até então Merrick dormia,graças,e
com isso tive certeza da bagunça que acontecia.

Meu coração disparou,foi tomado pelo medo.'Khayman'.Brami.Pelo visto ele não tinha perdido tempo,tinha vindo tomado de fúria,mas ia
entender? Apressenti-me e quando entrei no salão após descer as escadas,eu vislumbrei o modo como Ellenos Cyrus e Khayman gritava
um com o outro.

Sem duvida de que se não fosse por Tompei.Khayman teria ferido seriamente Ellenos,mesmo não chegando a matá-lo."Ah,e? Maldito! A
sua pessoa sabe mesmo do que jaz em meu coração? Vai ao inferno miserável!".Céus,era terrível,terrível.Ellenos alternava seus olhares
a Khayman,nunca o vi tão furioso,o soco final que Khayman levou na face me doeu na calma,fez Khayman ficar tonto.

"Fica quieto,fica calado,só não o mato como rei que sou,porque simplesmente minha irmã tem uma filha com você!".Khayman o olhou,eu
vislumbrei quando Tompei ajudou a ele levantar-se.A marca do soco estava lá,marcada.Khayman moveu seus olhos sobre Ellenos."Que
isso? Entende mesmo?".Ellenos Cyrus cruzou os braços sentando-se na linda poltrona."Hum...Infeliz...Minha irmã deu tudo de si para rea-
ver ao que ela deseja,seu infeliz,seja vampiro ao menos uma vez nessa tua infeliz morte".Khayman olhou-me choroso.

-Diga! E verdade? E verdade? Quem e? Teve mesmo uma filha Samantha? Com quem? Diz-me! Com quem? Fala para mim,que eu o mato!

Ele quis avançar contra mim,mas Tompei o repreendeu."Vá com calma,e tua,e dela,e tua filha".Trevorosos olhares passou-se entre eu e
ele."Vim aqui com o intuito de salientar,ver se realmente tu estava aqui".Compreendi,mesmo temerosa o abracei,pude desferir alguns bei-
jos salientes sobre seus lábios,eu tremia conforme movia minha mão sobre seu rosto.Suas longas vestes negras me encantavam,lhe da-
vam ar de trevoroso ser.

"Tudo,tudo bem Khayman,somente sabe agora o porque o fiz sofrer naquela noite".Me direcionei com ele em direção a escada,Ellenos se
atreveu a nos seguir,mas Tompei o puxou para trás."Não se atreva,deixa que eles resolvem isso! Samantha e prometida para Khayman,
assim como Khayman e prometido para Samantha".Ofeguei,em instantes entrei no quarto.

Khayman de imediato moveu-se indo até a gesta,arrancará Merrick de seu soninho,de seu pobre descanso,ele a olhava."E isso? Como a
maldita veio? Explica".Sentei-me a beira da cama,ele não desgrudava os olhos da menina que o fitava tomada de angustia a beira do cho-
ro."Não fará o que fez com Maharet,não e?".Ele alternou o olhar entre eu e Merrick.A segurava temeroso,o medo corroia seu espírito.

"Samantha isso e impossível!".Ri amargamente."Não quando se tem ajuda de outros campos sobrenaturais,lembre-se de Thalwa".Isso o
assustou."O que fiz não foi igual,mas parecido,o bastante para suprir-me com tua semente".Assombro,eu sei,ele segurou Merrick junto
de si,a olhava.

"Hum...Ela e perfeita,mas...".Bramiu pausando,respirando."Eu temo,eu temo".O que? Foi o culmino para eu chorar,esvair-me em choro.
"E evidente! Maharet estava certa! És covarde,mas tudo bem! Eu estarei com ela sozinha".Me deparei arracando Merrick de seus braços.
E foi quando ele olhou-me aflito.

Ele tremia de medo,do beijo foi morbido,senti algumas gotas de sangue em minha boca,respirei fundo."Maldita,viu? E como Marius disse
um dia: Nunca chegue perto daquelas bruxas,elas possuem vida dentro de si,manipulam o que querem manipular".Eu ri amargamente,o
fato e que compreendi,ele compreendia apesar da dor.Estava feito,consumado,preparado.Longos momentos aconteceriam entre eu e
sua pessoa.Estava feiro,os reparos seriam cacos a serem juntados na dor.

***Continua***


Última edição por Ana Nery em Qui 30 Jun - 13:44:20, editado 2 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 98

Mensagem  Ana Nery em Qui 30 Jun - 13:43:00

***Continuando***

O fato e que muita coisa apartir desse momento foi consumada,o fato e que houve afirmações assombrosas da parte da
parte de Khayman.Enquando o olhava falar ao jazer sentada com Merrick nos braços,ele continuava,pensava taticamen-
te a respeito de todos os detalhes que lhe foram preciosos.

"Olha! Não sei se permitirá,mas creia que a cada passo,me força a algo".Ah,e? Foi o que pensei friamente olhando-o.Não
descrevo a sensação que tive remente a meus sentimentos,raiva alheia.Mas foi como se ele necessitasse viver,sentir-se
a merce da verdadeira situação.

O achado havia sido feito e consumado.Mesmo assim foi franqueza de Khayman dizer o que quis dizer-me."Samantha,eu o-
fereço a oportunidade definitiva de está com você,se creio mesmo que faria o mesmo que fiz com Maharet,entendeu mal".
A crueza de seu olhar foi ácida.

"Hum...Tem certeza?".Ele riu secamente."Entenda...Entenda que naquela época quando tive que fazer o que fiz,estava a
mercé de uma situação muito diferente da que encontro perante mim".Compreendi ao respirar fundo."Vamos conversar en-
tão,vamos sair".Ele entendia esse pedido?

Ah,sim.Foi nisso que levantei indo colocar Merrick na linda gesta,ele beijou-me docemente,senti o vigor de seu beijo,mesmo
na dor,parecia é era o mesmo beijo,o mesmo encanto,a mesma existência: Era meu Khayman."Eternamente meu?".Olhou pa-
ra mim silencioso.

"Fiz uma promessa e não falharei".Sem duvida de que havia algo dentro dele,o que fez com que a gente saisse,fosse para a
noite,até então nada com que esperar,compreender,assentir,muito menos ensinuar,e claro.Deixamos Tompei e Ellenos sozi-
nhos,eu somente necessitava de algum momento com Khayman,absorver o que ele queria dizer-me.

Andando pelas trilhas da linda Ilha eu soube que ele falava sério."Só poderei está contigo se permitir,não que vá ser uma ter-
rível guerra,mas vai ser uma guerra".Ele estava certo,mas respirava fundo,eu segurava sua mão,me tomava de entendimento
ao decorrer de suas palavras."Samantha,amei Maharet,mas não creio que era para ser,se fosse,estaria com ele,e não envolto
em minha atual solidão".Que sinceridade,tamanha sinceridade que assustou-me.

Foi quando senti algo,vislumbrei vários galhos de arvores grossos e retos partidos caídos ao chão."O que foi Samantha?".Ver
os falhos retos e grossos partidos me foi terrível,senti o vento mover-se sobre meu rosto em aviso.'Farei cajados para as a-
mas'.Eu estava pensando bem?

Khayman se espantou ao ver-me abaixar-me pegando cinco longas partes de um galho de arvore em especial: Os cinco peda-
ços eram retos,lisos e perfeitos.Um aviso."Khayman? Consegue salientar a casca dos pedaços dos galhos?".Ele olhou-me como
se fosse terrível pensar.

"Vamos,me ajude!".Eu ía fazer essa loucura? Sim,não acreditava nisso,mas o fiz,céus,como foi envolvente sentar-me sobre a
relva e ver Khayman lascando os futuros cajados das cinco almas de Thalwa.Ele movia,fazia uso das unhas inquebrávels de
qualquer bebedor de sangue.

Olhava para mim tomado,pensativo enquanto continuava.No fim de tudo vi os cinco cajados perfeitos.Khayman os segurava
nas mãos."Olhe isso! Que perfeito".Lembro de entender a perfeição com que tudo isso nos envolvia,olhando cada cajado vi
a perfeição simetrica deles:Retos,polidos na madeira perfeita,finos o bastante para encaixarem em qualquer mão.

Nada mais faltava,na ponta de cada um dos cajados vi a curva pefeita,sem duvida Khayman fez o trabalho com perfeição.Eu
havia decidido e agi.Agi ao entrar no salão e pedir para que Tompei trouxesse os cinco jarros das almas,ele rebateu por vários
momentos,mas no fim de tudo,ele cedeu.

Deceu sabendo da seriedade do momento em que enfrentávamos: Eu tinha recebido presságio de bruxa e fizerá uso,queria
presentear as almas com os cajados.Foi maravilhoso,tenso,mas sublime está nos campos da Ilha na noite trevorosa e ver as
almas sairem dos jarros,fitar cada um de nos que pensava.

Peguei os cajados das mãos de Khayman,Ellenos se mantinha saliente a respeito das almas,Tompei foi apto o bastante para
traçar eventual meta de comportamento do Ellenos.Coloquei os cajados um ao lado do outro sobre as relva,pensei olhando a
cada uma das almas,a alma unicamente vermelha olhou-me.'Pra que isso mulher?'.Era dessa em especial que Tompei tinha me-
do,fora o espírito de seu pai Kaniban transmutado no que eu apreciava.

"Hum...Vejam,tentem mostrar o que fariam com esses cajados presságicos.Sou bruxa! Então vejam o que fazem".Elas se o-
lharam,pensaram e quando me viram responderam.'Hum....A bruxa fala? A bruxa dentro de ti fala? Se o fez e que deve ha-
ver algo em seu presságio'.Temi quando cada uma pegou seu cajado,que belos vê-los nas mãos delas,elas que moviam as
mãos esqueleticas sobre os cajados.'Há coisa aqui,deixa-nos ver bruxa'.

E com isso elas formaram um circulo pefeito,apontaram os cajados ao centro(Cada uma),e a força que senti foi destruidora
a fazernos abaixar."O que fez Samantha!? O que fez!?".Berrava Tompei,eu o olhava abaixava sobre a relva,e vi ao mover
os olhos aos céus negros o potal."Elas podem,tem a capazidade de romper espaço e tempo,matéria e espírito,contruir coi-
sas,somente precisavam de armas".Tompei rugiu comigo."Sua infeliz!!".

As almas andavam fitando os céus.'E isso,esse e o último presságio,a arma'.Terrível,terrível,mas sem duvida eu consegui dar
a elas o que elas tanto anciavam ter.'Bruxa,bruxa,bruxa! Um dia lhe pagaremos,até'.Elas riram de modo macabro,foi como se
cada uma entendesse,estava feito e transmutado,concretizado!

Sumiram,a forma como fizeram os cajados se desmaterizarem foi plena,vi cada uma se transmutar em pó:Obedecendo a or-
dem de Thalwa jamais saiam da ilha,sempre obedeciam a Tompei,somente com Thalwa elas agiam e agora isso? Lindo de se
ver.Finalmente dentro de seus jarros que foram lacrados por Tompei,descansavam,e agora? Tinham uma arma poderosa nas
mãos.

"Grata fico queridas,grata fico,está feito".Elas mereciam,terminei a noite orgulho pelo meu feito,fiquei chorosa ao lado de
Khayman,eu movia a palma de minha mão,fitava aos jarros.Era um termino de noite entando,enquanto Tompei foi com o po-
deroso Ellenos quardar os jarros no museu,eu olhei Khayman."E isso querido,está feito.Um aprimoramento fatal.Elas preci-
savam,depois de tanta batalha e guerra,sangue,tudo isso,está feito,elas merecem".Ele olhava-me atencioso.

"Hum...Samantha,Samantha,Samantha...Não tem medo de se esvair com tanto amor?".Eu sorri,o olhei movendo as mãos
sobre seus ombros."Não meu amor,jamais".Ele sorriu amargamente,o beijei com fervor.Me senti grata,cheia de fervor de
amor,paixão.Estava feito,o que mais esperar? Bem? Vejam isso:

Lestat sentiu de longe que algo acontecia na Ilha de Tompei,e isso o levou a fazer o que fez.Passaram-se duas noites após
esse momento com as almas.Sem duvida de que até então foi um momento de intensa paciência,a minha provação.Eu esta-
va com Khayman no quarto,eu jazia ao seu lado deitada na cama,Merrick dormia no gesto,sem duvida que minha aproxima-
ção com Khayman foi ténue ao longo dos dias.

O acontecimento veio dos imensos campos da Ilha,como meu coração doeu.Ouvi mentalmente a discussão com Ellenos,até o
Khayman sentiu de longe.Temoros fomos,mas sem duvida a necessidade fora pressagica.Lestat e Thalwa jaziam de pé enca-
rando Ellenos Cyrus.Tompei tinha saído,voltaria só depois.O modo como Lestat encarou-me foi de me cortar o coração.

"Sua infeliz,essa foi tua fuga? Me fez procurá-la por meses a fio como um idiota a vir aqui!? Samantha!".Pobre Thalwa,nem
a vossa paciência bastou-me."Cala tua boca,nunca me dei como tua própriedade".Ele olhava-me como se tudo isso fosse a
pior decisão."Ah! Ah! Isso vai ter volta,que facada enfia-me no coração,o que saiu da boca de Ellenos foi para destruir-me.
Dou-te tudo! Tudo! Me pagas como uma mercenária".Thalwa assentiu olhando para ele.

"Tenha calma,ainda não a viu,Ellenos pode pegá-la?".Thalwa falava de Merrick,assenti como se tudo isso fosse-me trevoro-
so,mas acatei.Entramos silenciados,sentei ao lado de Khayman,pensei friamente."Desde quando seu miserável está com ela?
Pensa mesmo que pode acatar a minha própriedade e sair ileso?".Khayman não respondeu de imediato,mas pode fazer assim
que pôs o pensamento em ordem.

"Hum...Não e da sua conta,nem de Thalwa,somente sei que logo,logo,não mais tardar,estarei com Samantha".Lestat me pa-
recia frustrado,tomado de saliente inveja,mas suportava,mas juto,se Khayman não fosse tão insano quanto ele,o teria quei-
mado,feito de Khayman o NADA.

Sofri sabendo disso.Lestat trajava calça justa escura com bota pra noite,a camiseta negra por baixo do lindo sobretudo de
cor vermelha chamativo.Thalwa somente pensava friamente,os dois haviam sentido de longe e finalmente feito proveito,ela
parecia uma crueza de trevas ao usar túnica negra,seus cabelos soltos.

Respirei fundo,enquanto Ellenos ia buscar Merrick,eu disse."Somente saiba que não e a antiga Merrick,a que tu levou para a
morte naquele momento,e uma nova Merrick que ainda não conhece Lestat".Thalwa pensou friamente,Lestat suportava com
todo fervor,tudo isso era como ácido para ele."Sua infeliz,sua miserável...Acha que conhece tudo de minha vida? Acha que a
levei pra morte?".O indaguei."Cala sua boca! Vai pro inferno! Que morra nas chamas da perdição que fez no passado seu cão
sem coração!".Thalwa havia sentido,havia compreendido.

Aflíta ela segurou Lestat ao levantarem,Khayman puxou-me por trás,como tive raiva,ódio! Como me enchi de tanto ódio por
ele."Foi infeliz,sempre foi! Sabia que era uma conspiração,uma conspiração pela luxia e prazer de alguém que ser conhecias
ou merecia sua ajuda! Assassino!".Ele não acreditava nisso,eu somente desabafava.

Céus! Eu desabafava tudo que havia suportado."Ela teria vivido,não teria passado por aquela morte que passou caso não ti-
vesse levado-a lá! Tivesse aceitado ao feitiches de miseráveis,cães sugadores,sem amor,semo humanidade,assassino!".Era
mesmo eu? Era mesmo eu."Chega,chega Samantha,chega,chega".Não compreendia,mas havia feito,havia suportado tempo
demais a saber de tudo,e somente ali,nesse momento descontara toda verdade na face de Lestat.

Ele olhava para mim catatônico,eu somente podia chorar conforme Khayman me afagava os cabelos,somente sei que Lestat
veio a enlouquecer quando Ellenos desceu com Merrick nos braços,ele pode ver friamente o rostinho dela sonolento.Isso pa-
ra ele foi fatal,fatal.

Ele havia visto,e agora sentia na pele o seu erro,seu tremendo erro que tentara negar por todos esses anos.Ouvi o gemido
dele,a boca se abrir com delicadeza,ele enlouqueceu.Berrou,algumas coisas cairam no chão."Infeliz! Queimarás nas chamas
do inferno,vai queimar! Merrick! Merrick!".Não suportava,não suportava.Thalwa o puxava,usava tudo de si.

A loucura de Lestat levou-o a ser trancafiado no sótão de ferro sobre a terra.Sem duvida que ele gritaria,berraria a noite to-
da.Tompei a essa altura havia chegado,ouvido seus gritos,juntado-se a gente."Hum...Uma loucura,sua eterna loucura".Era
essa a verdade que brami.Terrível,terrível.

O pior de tudo e que isso lhe serviu para se usurpar.Lestat demorou a voltar a si.Duas noites nessa loucura desenfreiada,eu
sabia a cada momento que uma hora ia passar,que ele ia voltar.Nem Thalwa pode intervir,ninguém.Ela ajudou-me em tudo o
que necessitava,mas dependeria de Lestat compreender.

Eu somente sei que o momento veio quando nem Thalwa,Tompei,Khayman e Ellenos Cyrus jaziam na Ilha,tinhamos dado tudo
de si,mas eu não vi,somente percebi depois nesse momento perfeito cheio de dor.Eu havia voltado de uma colheira,isso mes-
mo,ido pegar légumes frescos para eu me deliciar no jantar antes deles,nossos amados voltarem,tinha escolhido vestido de pu-
ra renda até a altura dos joelhos para vestir-me,a sandália baixa e negra deliciosa aos meus pés.

Passei pelo salão,deixei a linda gesta sobre a mesa da cozinha do palácio,como compreendi,eu senti de longe.Ele havia saido
do sótão sobre a terra,ido até o maldito quarto.Eu temi,eu temi.Me deparei seguindo pela escada,corredor e parando sobre
a porta vi Lestat sentado sobre a cama com Merrick sobre suas pernas curvadas a frente.Gelei.

Ele a olhava,passeava seus olhos por ela,ele havia chorado,mas suportava.Ela movia suas mãozinhas sobre os dedos dele.O
olhar dele era ácido."Hum...Tenho que admitir,foi um erro,eu não podia imaginar,quer dizer,eu imaginava,mas quis negar pa-
ra mim mesmo,teria vivido,somente precisava de David e Louis,somente isso para melhorar".Respirei fundo.

"Vamos embora querida,logo iremos embora,estará em casa,teu lar por direito".Era isso mesmo? Me angustiei,cruzei os braços
encostando-me no batente da porta."Samantha me pedoe,não queria isso,eu nunca quis".Me doeu sentir,mas ele agia,tinha
feito."Embora,e por favor! Khayman e meu,somente meu,meu e dela,de Merrick,juro que se tocar um dedo nele,eu o mato por
direito Lestat".Ele olhava-me triste,e concluiu."Sem duvida és uma bruxa miserável,não tem amor para com nada".

"Não quando se trata de hipocrecia.Merrick e minha,somente minha".Lamento vindo dele,mas estava feito.Ele levantou-se a
tê-la de encontro a seu ombro,macabro vê-lo murmurar palavras aos ouvidinhos ainda tão delicados de Merrick,ela sonhava
com isso,mas ele o fazia.Terrível,eu sei,mas havia sido minha consumação,consumação de sangue.Trevas ao ar,sem duvida.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Samantha-Cap 99

Mensagem  Ana Nery em Sex 1 Jul - 13:12:11

***Continuando***

Não sabia até prévio momento o que séria de mim ou de Merrick,mas sabia que perante a decisão de Lestat,a gente iria embora.Não ía demorar
até isso acontecer.Aconteceu em reunião após a volta de todos,que passaria alguns dias na Cidade de Páris,que eu descansaria lá para que na
minha volta a Cidade Athena,eu me sentisse plena.

Será mesmo que tudo isso e necessário? Não sei,mas foi.Durante nossa reunião no lindo salão do palácio de Tompei,Lestat retruncou várias vezes
a minha vontade de está em Páris com Merrick,ele que a tinha nos braços,pairava sentado junto da gente.Eu sofri até que minha decisão fosse a-
catada por todos.O fato e que Thalwa pode ajudar quando emanei meu olhar para ela.

'Deixe Lestat,se Samantha necessitada tirar todo tempo importante,deixe-a,sei que ela chegará em Athena,bem'.Foi isso,fiquei grata por pelo me-
nos a 1° vez ela intervir por mim realizando o que eu necessitava.Foi tenso,drástico,mas eu sabia que sobreviveria.Sofri ter que saber Khayman ía
passar algumas noites em sua casa.

Foi doloroso está no quarto após nossa conversa no salão e ele vir dizer-me.'Irei está nas montanhas,necessito pensar,precisarei tomar uma decisão
drástica Samantha,uma decisão que corroerá toda minha vida'.Ah,sim,se era importante,que fosse,e foi nesse momento que soube que ele iria em-
bora,que ele não deixaria de ir e se insolar como necessitava,sofri sozinha no quarto,mas compreendia em meu sofrimento junto de Merrick.

Na noite seguinte em meu jantar após cudiar de Merrick,Lestat e Thalwa avisaram que ficariam na Ilha,que Tompei ía deixar-me em Páris,que era
necessário Ellenos Cyrus se introsar para com coisas importantes ao ficar com Thalwa e Lestat na Ilha.Mais sofrimento! O que pensar! Era conspira-
ção? Mas estava feito.

Passei a melhor semana em Páris de minha vida,foi lá que somente eu e Merrick jazemos após chegar em minha casa e jazer em privacidade para
com Merrick.Soi sofrido esses momentos(Entendam que essas explicações de tempo,espaço,acontecimentos e realizações,são necessárias para que a
minha pessoa passe ao próximo passo de minha narrativa e realidade).

Não que tudo isso me constrangia,mas sem duvida de que fez-me sofrer: Thalwa,Lestat e Ellenos Cyrus na Ilha em multuos momentos,e isso fez
eu pensar no que aconteceria furuamente queridos.Creiam que nem sempre a glória e nossa companheira,principalmente em situações como a minha
nesse momento.A decisão final de ir para Athena veio quando a vontade assolou-me o coração,fez ruir a muralha de receio.Antes disso,deu está to-
talmente preparada,pude falar com alguém especial.'Pode crer que estaremos a sua espera querida,pode vir'.Foi o que Louis disse-me por telefone.

Ele tinha sido avisado,ele estava a minha espera,concluiu ele antes de tudo que o quarto de Merrick estava pronto,toda movimentação ele fez pra
agradar-me,envolver-me,e foi o combinado.Cheguei em Athena aflíta,sai do saguão do aeroporto tomada,que demora céus! Primeiro Tompei deixou-
me em Páris,depois passou-se os dias,e cá estava eu em Athena com Merrick nos braços.Que malva não e?

Eu usava vestido de pura renda de cor vilho,a faixa negra atada a cintura foi-me confortante,a sandália no mesmo tom delíciosa aos passos.O táxi
a minha espera,creiam que em Pária comprei as roupas de Merrick.O que minha bonequinha pensava perante tudo isso? Ah,céus! Tão linda vê-la ar-
donada a linda manta de lã em cor creme! O gorrinho no mesmo tom lhe aquecendo as orelhinhas.

"Logo estaremos em cada querida! O amado Louis jaz a nossa espera,viu?".Eu sorri! Não demorou e jazia no táxi com ela.O veículo percorreia as rue-
las de Athena devagar,o motorista atencioso,as malas jaziam no porta-malas,o que me tranquilizava.Merrick não acordou durante todo trajeto,ela só
queria ardomecer,sonhar.

Uma bonequinha,sem duvida! Tinha válido a pena minha estária passageira em Páris para finalmente prepará-la para o mundo.Logo avistei a entra-
da da Rua Central,o táxi seguiu parando finalmente enfrente a minha casa,senti a presença de Louis,Gabrielle e Sépia.Será que eles tinham prepara-
do tudo por mim como Louis disse?

O vi sair pelo portão,espantei com sua imagem:Ele vestia jaqueta de cor cinza,camiseta negra por baixo,calça e bota justa no tom negro da noite.O
que pensar de seus olhos azuis me fitando quando abriu a porta? "Olá querida! Finalmente! Desculpe invadir sua casa,acontecer dessa forma,mas eu
jamais a deixaria na mão".Eu sorri,o olhei.

Tão lindo! O eterno e imortal Louis! O meu amado,meu anjo negro da guarda,sem duvida.Sai com delicadeza,não demorou e entramos,Louis tinha as
minhas malas nas mãos(Três para ser clara).Sépia levantou-se ao lado de Gabrielle,elas que durante esse tempo jaziam sentadas no lindo canto que
tem o roseiral sobre a cobertura de vidro."Ah,céus! Finalmente querida!".Foi profundo quando Gabrielle aproximou-se e tentou averiguar Merrick.Ela a
deixar pairar seus olhos azuis sobre a menina.

"Psiu...Deixe-me levá-la céus".Seguímos para a linda sala de minha casa,nada com que preocupar-me,nada.Sem duvida meus auxiliares mantiveram
a nossa empresa bem,organizada durante minha ausência,e sem duvida que logo eu voltaria a tona para com meus compromissos e atividades.Subi-
mos para meu quarto,o fato e que Sépia e Louis se apressavam em abrir as malas,quardas as roupas dobradas e limpas.

"Não acreditámos quando o sinal,a poderosa mensagem foi-nos enviada.Sentimos de longe Samantha,somente demorou-nos para que soubessemos
do que se tratava".Compreendi as palavras de Sépia,o fato e que eu observava,Gabrielle se perdia com Merrick sobre a cama,ela deitada de lado ao
lado da menina.

Respirei fundo,o vestido de algodão de negro de Sépia a fazia parecer uma alada mulher,principalmente Gabrielle ao ardonar-se com saia de renda de
tom azul-escuro,camira de algodão de cor branca."Precida ver o quarto de Merrick,não foi difícil".Compreendi o sentido das palavras de Louis,pude ir
com ele em direção ao quarto.O fato e que enquanto isso Sépia me ajudava a adiantar conforme quardava as roupas.

Eu vi ao pararmos enfrente a porta do quarto no corredor.Louis tirou a chave do bolso,destrancou a fechadura e entrei.As duas janelas jaziam abertas.
As cortinas clarinhas moviam-se com o vento,o abajur jazia aceso sobre a comoda em que conforme vi as gavetas,estavam cheias de roupinhas para
Merrick,até mesmo no lindo armário tinha."Louis! Encheu minha meninha com tudo isso! Que louco".Ele riu,movi-me vento a cama de solteiro,devida-
mente forrada com lençóis macios de algodão,os tons claros com detalhes de renda violeta,encantandor.

"Obrigada querido,o que seria de mim sem você?".Ele riu,senti seu abraço poderoso ao puxar-me para mim,vi o brilho sutiu em seus olhos."Ah,sim,a
glporia foi minha,trouxe Merrick de volta,e não sabe como isso e importante.David sabe,eu avisei a ele".Assustei-me,mas pude entender."A amei no
passado,e claro,mas não creio que eu possa desfrutar mais disso,sabendo da mãe que Merrick tem".Eu sorri,beijei seu rosto corado,emocionado.

"Sim,meu amor,meu querido,obrigada".Vi quando Gabrielle entrou com Merrick nos braços,Louis a pegou temeroso,mas pode colocá-la sobre o berço
do outro lado que a cama ficava."Cá está menina,não creio que poderei ficar mais aqui,temos compromissos bonequinha".Observei,Gabrielle moveu
seus olhos em minha direção,senti-me tomada.

"Precisamos ir querida,somente tiramos tempo,momentos para virmos adiantar estes detalhes para ti,sabe a onde nos encontrar,a onde poderá ver-me
a todo momento".Sorri,a abracei,Sépia a essa altura os esperava do lado de fora no corredor.Louis saiu observador."Sim,logo estarei com vocês".Disse
antes deles seguirem pelo corredor.Sozinha respirei,sentei-me por alguns momentos sobre a cama.

Merrick dormia no berço,eu precisava descansar,finalmente em meu lar,minha casa,e nada ía falhar.Que noite crépuscular na Cidade de Athena.Sem
duvida de que tinha sido o melhor.Apaguei as luzes para que Merrick dormisse bem,sozinha em meu quarto me despi,ía tomar banho,quem sabe está
com Merrick depois.Deixei as roupas no gesto no banheiro,andando pelo quarto escolhi uma linda camisola de cor prata-escuro para vestir,a renda era
maravilhosa ao toque.

Olhei-me no espelho ao está no banheiro e soube que nada poderia ser melhor ao ter dado a luz na Ilha por parto natural,o que fez com que minha re-
cuperação fosse plena,completa.Nada de saliências ou marcas no corpo,somente a Samantha,porém,mais madura,e mais magra do que o normal,mas
eu sobreviveria,eu sabia.

O banho ía ser completo:Enchi a banheira,me envolvi por vários minutos em meus pensamentos,minhas transmutações pessoais.O que séria de meu
futuro? Eu ofeguei pensativa ao está massageando a esponja de banho sobre meus braços e ombros.'Khayman...O que tem que decidir querido? Que-
ria saber o que aflinge seu coração'.Pensei silenciosa.

Ele estava em seu lar nas montanhas perto do vilarejo.O que pensar? Mas bem,indepedente de tudo ele falaria,quem sabe realmente apesar da pro-
mesa,ele se mostraria o mercenário que foi para com Maharet no passado.O meu foco era terminar o banho e finalmente juntar-me a minha filha,foi
o que aconteceu.No quarto após vestir-me e me secar,escovar os cabelos me senti tomada,pura,descansada depois de toda essa provação.

Entrei no quarto de Merrick ciente da situação dela,a menina que ainda sequer compreendia a sua nova vida.A olhei dormindo no berço,a peguei pro-
vocando sutiu choro nela,ela olhou-me com os olhos chorosos,o brilho verde encantandor."Oh! Tome cuidado querida,minha querida".Sem duvida ela
estava com fome,tinha detalhes a arrumar,mas sem duvida antes de dá continuidade,ela era mais importante.

Me sentei na linda poltrona do quarto,o vento veio poderoso,ela usava de seu extinto para saber que ía mamar,se envolveria em sua matança de fo-
me,e foi como esperava quando desatei o laço de cetim a frente de minha veste,a mamada dela foi imediata,suas pernas se moveram com sua impul-
são,atrevida ao mover os bracinhos fininhos pousando as mãos sobre meu seio."Olha isso! Que coisa!".Brami.

Algo poderoso emana dela,lembro nesse momento que dito tudo isso,ela mamava tomada de vontade,fervor,seus olhinhos aos poucos se fecharam e
tudo que ela podia fazer era fartar-se,tomar-se.Foi dessa forma que terminei a noite,conclui e fiz real minha volta a Cidade de Athena.Me dediquei a
ela pelos próximos dias e noite,sozinha jazi.

Sem duvida que ter retomado meus compromissos foram tensos momentos para mim.Merrick em casa aos cuidados de sua babá que ficava com ela
somente até o momento deu chegar em casa.Foi tenso,mas necessário,mas porém,o momento em que eu e Lestat faríamos as contadas jazerem reais
sem duvida de que foi trnamutável.

Haviam se passado uma semana desde minha chegada,voltei para casa no começo da noite e me deparei com Lestat andando com Merrick nos bra-
ços pelo jardim.O temor de tudo foi apreciar Thalwa e Vitória Regia que saíram."Vem conosco Samantha,precisamos organizar coisas".Como quis fu-
gir,como quis ultrajar-me para que nada disso fosse necessário.

Entrei acompanhada deles,vi um médio e advogado sentados,eles trocavam idéias,foi vergonhoso para mim."E essa a Samantha,pena termos demo-
rado a aparecer".O advogado disse."Cá está a certidão de nascimento de sua filha,preciso ir".O fitei ao segurar o papel,sentei na poltrona olhando tu-
do.A assinaturam real de Lestat,faltava a minha."Que loucura e essa!?".Brami alto ao fitar Lestat que tinha Merrick junto de si."Somente a verdade".

Filho da mãe! Vi quando o advogado entregou-me a caneta,me senti frustada."Pelo visto o pai não tem patente sobre o registro da menina,mas sei a
contra-gosto senhorita Samantha,que por você e o senhor Lestat serem herdeiros legítimos da família Lioncourt e Chariére,podem registrar".Ofeguei,a
minha mente parou nesse momento.

"Infeliz".Brami a Lestat que nada mais queria a não ser está com Merrick,ele que a acolhia com delicadeza.***Merrick Chariére De Lioncourt***.Eu
quase desmaei somente ao ler isso,a assinatura foi fatal.***Lestat De Lioncourt***.Isso servia como passagem de herança e termunha de que a me-
nina era parente dele.Completei a minha tomada de frustração.Mãe solteira? Que vergonhoso,e cadê khayman? Olhei para Lestat.'A existência dele
para com está terra não mais existe'.Lá estava.****Samantha Chariére De Lioncourt***.Foi-me dada uma cópia horriginal de imediato assim que a
minha pessoa entregou o papeu.

Quando Thalwa e Vitória Regia se despediram do advogado na varanda,eu subi com Lestat companhado de Merrick nos braços,o médio a frente."E
somente alguns exames,creia senhorita Samantha,prevenção e o melhor".Pobre Merrick ao ser colocada sobre a cama,Lestat que andava de um lado
a outro,eu o fitava sentada na poltrona.Enquanto isso vi quando Vitória Regia e Thalwa entraram,Thalwa tinha a certidão de Merrick em uma pasta
nas mãos."Ah,céus,olhe isso".Merrick odiava isso,o fato de está sendo examinada.

"Hum...Posso e vou aplicar a 1° dose preventiva de facina nela".Lestat cruzou os braços."Eu disse,pode fazer,aplique,se o chamamos e que foi neces-
sário".O médio não demorou,olhou atencioso na maleta o vidro e tirando a seringa descartavel quase fez-me morrer,enfartar."Minha filha não precisa
passar por isso,céus!".Lestat olhou-me movendo o rosto negativamente.Todos olhavam temerosos.

"Fique calada Samantha".Lá estava,eu vi: O médico encheu a seringa com delicadeza,tirou a dose exata,Merrick se debateu quando Lestat a pegou
nos braços,toda nua minha filhinha,que lamento.O coração doeu."Psiu...Não vai demorar".Foi no braço,e doeu-me por definitivo,viu? Merrick chorou
quando sentiu a picada da agulha,seus olhinhos lagrimejando.

Doeu-me,e ver o riso saliente nos lábios de Lestat quase que fez-me voar sobre ele."Pronto,pronto...Pode pô-la pra dormir,e o melhor".Disse o médi-
co movendo o pedacinho de algodão sobre o bracinho de Merrick.A menina o olhava chorosa,sem duvida ela sentia.Estava feito,ele mesmo ía embo-
ra,sabia do compromisso.

E foi nisso que ficámos sozinhos.Trevas em meu coração.Peguei minha menina tomada de receio,ela estava mais calma,mas sentia dor."Maldito,sa-
be que não e necessário".Ele riu,como quis esmurrar Lestat,quem sabe queimá-lo,mas ele riu,riu ao ver-me acudir a menina em meus braços,jazer na
minha dor.

"Pretenciosa,conversámos na sala.Merrick e minha herdeira,somente quis oficializar".O mandei o inferno,ficaria com ela no quarto,somente depois e
que ia ao encontro deles.Atenção para com ela,a vesti com calça de algodão macio,camisetinha macia,que conjunto belo de tom negro,luvinhas para
aquecer suas mãos da noite.Que malva,céus.Ía está com eles na sala,mas antes esses detalhes sordidos,ne? Lestat voltará a Cidade,e não esperou
duas vezes para fazer o que fez,mas entendia,com coração em pedaços,mas entendia.

***Continua***
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ***Samantha*** (10° Conto...União com a Trilogia-União De Sangue)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum