União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

2°PASTA: A morte de Aziel

Mensagem  Ana Nery em Seg 18 Out - 10:48:03

2° Anotação: Acho que devem ter percebido que esse primeiro arquivo terminou abruotamente.Os motivos o foi como se Lilith Chariére tivesse tido que se retirar.
Bem,simplesmente ela levantou-se,se recompos e prometeu continuar.Foi o que aconteceu após tudo.Se passaram mais algumas semanas.Dessa vez eu estava a
procura de algum lugar para jantar,compreendem?

Se tratava de um restaurante de luxo,ao entrar sem querer,de modo inesperado a vi de pé na entrada do Restaurante.Céus,tudo vazio ao entrarmos,era início de
noite.Eu não reaji,ás luzes do lugar estavam suaves,tinhamos escolhido uma mesa em espécial somente para duas pessoas.Tão silencioso o lugar que minha pesso-
a se surpreendeu.Eu ajeitei meu sobretudo longo,a calça jeans em tom azul-escuro me propiciava conforto.A camiseta de algodão por baixo também.

Ela me fitava,seus cabelos loiros,lisos e longos brihosos ao vê-la jogá-los para trás.Usava brincos de rubi delicados é pequenos,pelo fato de Lilith está vestida com
calça justa negra atenuando as curvas de suas pernas,uma camiseta violeta,e para completar um casado de belo corte,me senti ultrajada.Ela estava prestes a reco-
meçar o que tinha interrompido,e foi como ela desejava.Tive que tirar meu caderno de anotações da mihna bolsa de lado,caneta esferográfica na mão e dei-me a es-
crever,que o pedido demorasse,o restaurante ia fechar tarde,bem tarde,ia ficar apenas no vinho e batatas-fritas.És a continuação do relato.

HISTÓRIA: De certo modo Sara,tudo se transmuta como esmero de pressentimento,o novo holocausto.Nem sempre consegui ser compreensiva,mas dei-me a ter
total compreenção da situação de Aziel-Ele tem direito de ter algo somente dele,sem que eu intervenha-Brami ao vislumbrar Redenção andar pelo quarto,em pensar
que tinha sido esse maldito que tinha passado todas as cenas e imagens espectrais para mim em sua chegada.

Sentei encostada no belo espelho da cama,o olhava em meio ao escuro do quarto,apesar de tudo,ele se sentia bem,dava para vê que o tempo que passará sozinho
investigando o que lhe pedi tinha valido a pena-Lilith as novas que tenho a lhe dar e como malva de caminhada-Pedi para ele continuar,céus,nunca o vi tão cheio de
força vital-As minhas dúvidas foram tiradas,o modo como eles conseguiram tirar Fera do apricionamento a qual foi mandada foi por oferecimento.Compreende isso?-
Começa a entender.

-Hum...Quer dizer que aqueles malditos fizeram sacrifícios?-Redenção se deixou pensar por alguns momentos antes de continuar-Mais ou menos,olha! E como se toda
energia vital do sangue deles contesse a chave para a abertura,alias! Foi uma ancestral de Aziel que prendeu Fera-Isso me deu nos nervos,céus!-Ele continuou como
se toda essa revelação fosse fácil de obesorver.

-Ao que ouvi,ao que pude lê nos corações deles,Fera ou melhor,Drarytha aprontaram em meio aos imortais,resumidamente sofreram as conseguências,mas para vol-
tar a libertar Fera,o ofecimento de sangue e pacto de reenvedicação de poder e força foi possível,assim tirando Fera da prissão dimencional a qual foi jogada.Para ter-
minar,possível também ao saberem de sua existência,falo de vossa pessoa-Ofeguei profundamente.

Olhei de lado minha filha dormindo de bruços sobre a linda manta:Um bebê nú pequenino que dormia envolto em seus sonhos inocêntes-Céus,então e por isso o deses-
pero para que eu possa aceitar-Redenção andou a frente da cama,alternando o olhar entre eu e Samantha disse-Continue resistindo Lilith,não ceda as chantagens,sei a
mercé de minha alma que viram muitas,principalmente ao saberem que tu destes a luz.Fera não poderá ficar libre sobre a Terra por muito tempo,chegará a hora que o
pacto e vinculo não servirão mais-Compreendi.

Peguei minha menina nos braços,meu anjinho que dormia docemente,tinha ela com seu rostinho pousado sobre meu ombro-Tu és a garantia para que Fera possa ficar.
Sabendo de tudo isso,e claro.Tu és a chave para que ela permaneça aqui,se não acontecer a união corporal,não há esperanças para Fera-Que profundidade de palavras.
Apartir desse momento me senti aliviada,mas não voltava a me sentir segura.

-Obrigada meu querido,preciso continuar descansando,tudo bem?-Ele acatou as palavras,sumiu deixando-se devagar por vários lugares.Depois de tudo finalmente pude
dormir,isso ao me trocar,encontrar uma linda camisola em tom pérola,a renda sobre o busto dos ceios me foi gratificante.Ao cair no sono me deparei imaginando toda a
situação.Nunca me encontrei tão anciosa para poder começar a trabalhar,eu decidi ligar para o Instituto para saber para quando eu peria voltar.

Mas fária isso ao voltar para casa.A cálida presença de Aziel foi sentida ao abrir os olhos.O modo como Samantha se mexia ao meu lado me fez voltar a consciência.A
olhava pensando no que seu pai fizerá com Lucy-Violentava,aquilo apesar de permitido foi um estupro-Brami olhando Samantha,ela me encarava de lado,fitava-me ao
indagar-me-Princesinha tão desejada-Falei em continuidade os meus pensamentos.

Ao virar-me encarando o teto devaguei nas imagens alheias,pensei profundamente em toda situação.Foi nesse momento que deixei-me transpor,a muito tempo não va-
zia isso,maravilhoso me vê libre da casca corporal densa e pesada."Deixa-me vê o que eu quero vê".Roguei aos céus.Lá estava meu vislumbre desejado.Me deparei en-
carando Aziel e Lucy deitados na cama.O sol morno da manhã pairava pelo quarto.

Eu me vi de pé com braços cruzados,pensava arqueando a sobrancelha no que acontecerá."És tão maldito Aziel que és o unico a tirar-me a paciência".Será que ele sen-
tia minha presença a espioná-lo? Um jovem nú jazendo deitado agarrado a uma jovem mulher,ele tinha uma das pernas curvadas a frente sobre a silhueta dela.Os len-
çõs amassados,desfronhados devido a presença dos dois.

Ele mexeu-se,sentiu-me ameaçado por algo."Sem dúvida de que ele agora sabe".Disse em risos.Nunca vi jovem tão belo,perfeito corporalmente e moralmente.O modo
como ele ergueu a mão a testa foi encantador,se sentia tonto devido ao cansaço de tantas orgias ao longo da noite."Preciso me recuperar,admito que transpor vida para
uma reles humana não e fácil,uma garantia".Que apavorante,céus,doloroso para ele.

Movendo-se ainda nú pelo quarto viu as vestes que pegará emprestado.Se vestiu rapidamente,ao vê Lucy virar-se para o outro lado da cama devagou."Lilith,acho que
ela deve está revoltada".Mais ou menos para ser sincera.Quando ele moveu-se pelo pequenino corredor indo em direção as escadas em espiral,o roupão de seda oscilava
ao andar.Me deparei sendo sugada de volta.

"Ela ainda está aqui".Bramiu,quando em mim passou-se segundos até a porta do quarto abrir-se.O vi andando-Acordada?-Arqueei a sobrancelha apreciando cada deta-
lhe de sua pessoa,ele entregou-me as roupas de Samantha (Peças pequenas e delicadas).Ao sentar-se a beira da cama me movi rapidamente,andei pelo quarto tendo
a ousádia de saber o motivo dele entregar-me as roupinhas de Samantha-Lilith faz algo por mim?-O que se passava em sua mente?

-Arrume Samantha,lhe falo na sala de recepção-Me silenciei.Ele saiu batendo a porta,tudo que sabia era que precisava me arrumar,preparar Samantha.Mesmo sonolenta
ela conseguiu resistir.Sai com ela em direção a sala que mais parecia um salão de pequeno ou médio tamanho.Aziel encarou-me sentado na poltrona,tinha acabado de tra-
gar um dos seus cigarros,deixando o esqueiro sobre a linda mesa de centro disse-Me permitiria passar algumas noites aqui?-Ofeguei sentando no sofá.

-Aziel,isso e doloroso querido,já não basta o que fizes-tes com Lucy?-Ele riu secamente,mesmo assim,estava disposto-Lilith se eu quero realmente ter o que quero ter,a
sensação e de fracasso caso não continue tentando.Foi apenas um momento entende?Nada mais que isso,preciso de algo mais profundo-Lastimável ouvi coisas dessa na-
tureza,mas mesmo assim,levantei-me o encarando,segurava Samantha,tinha as mãos em apoio ao corpinho dela atrás de suas costas.

Por não responder,Aziel apressou-se em andar a frente,me encarou por alguns segundos antes de beijar-me-Pode ir tranquila,eu me viro por aqui-Assenti me esqui-
vando,indo em direção a porta.Pelo jardim Aziel me seguiu,ele mesmo abriu a porta do carro(Porshe),quando soube que Samantha jazia segura no banco de trás do
carro ficou pensativo,observando a pessagem dos carros-Preciso ir Aziel,devo ligar para o Instituto mais tarde-Ele compreendeu-Entendo,deve esta pensando em lo-
go mais,recomeçar as atividades-Não o respondi.

Estava prestes a dar partida,perceptível seu pequeno desespero-Não se preocupe Aziel,fique calmo,logo,logo terás seu Ellenos Cyrus-Ele se deparou pensarivo,um si-
lêncio inquebrpavel-Ah,sim,como desejar Lilith-E com isso dei partida,sai pelas Ruas da Cidade no meu Porshe,pensava no que Aziel tanto desejava-Algo somente de-
le.Nossa,será que eu o cobrei tanto a ponto dele se sentir desesperado?-Vi Redenção postar-se ao meu lado,sentado no bando ao meu lado.

-Ah,sim,e como,ele merece e nem tente intervir-Risos de minha parte,foi como malva de pressentimento.Segui viagem silenciosa apóis isso.Quando em casa,estacio-
nei entrando na garagem-Que bom! Isabel está em casa-Tia Isabel hávia vindo,ouvi seus passos vindo em direção a garagem,foi como miragem vê-la aparecer andan-
do na garagem-Graças aos Deuses que chegas-tes,aonde está querida?-Sorri ao sair.

A porta do carro bateu-Na casa de Lucy,Aziel ficou lá,passará alguns dias com ela-Que loucura pensou ela-Nossa,e como guerra-Disse ao tirar Samantha do carro.E
com isso seguimos pelo jardim ao sair dá garagem.Entrando em casa sentei-me no sofá,pensava no que fazer depois de tudo-Tia Isabel e como se ele me impora-se,
e como se Aziel me rogasse,entende?-Ela me encarava sentada ao meu lado,tinha minha princesa no colo.

Samantha nunca me pareceu tão bela ao está sentada no colo de Isabel arqueando as mãozinhas a frente,como se quisesse vir para junto de mim-Gradual foi a res-
posta de Isabel-Entendo,Lucy perdeu um bebê em espécial de Aziel,céus de visses a discussão dela com seu ex-amante,ela chorava tanto,tanto-Pensei profundamen-
te na situação.Nem sempre minha pessoa está preparada para essas coisas.

-Olha,diga-me como foi-Ela riu secamente-Loucura,depos de se despedir ficou chorando,chorou horrores ao está em meu quarto-Assenti pensativa-Hum...Só isso?-O
olhar de Isabel foi cétic-Ela não queria fazê-lo,entende? Se viu forçada devido ao pedido de Aziel,seus sentimentos por ela,ela teme que tu fique com raiva,só isso,
mas o sentimento e espécial-Compreendi,me silenciei.

-Venha querida,precisamos comer algo-Eu sorri-Ok,vá para a cozinha,leve Samantha,eu preciso ligar para o Instituto-Foi o que fiz ao vê Isabel ir em direçao a cozi-
nha,liguei rapidamente avisando que estava para voltar a trabalhar nos próximos dias."Graças Mrs.Lilith! Avisarei aos pesquisadores de física daqui,espero que possa
ter tido uma boa chegada,falo da menina também".Me senti tão aliviada depois disso que sinceramente desliguei o telefone cheia de felizidade.

Passei algum tempo com Isabel,sinceramente me foi maravilhoso ter o dia só para ela e minha filha.Quando no início da noite,logo após deixar Samantha dormin-
do em sua caminha no quarto,fui para meus aposentos.Estava escrevendo no meu Laptop quando Isabel entrou entregando-me o telefone sem fio-Aziel ligou queri-
da,vou descer para preparar um belo assado para gente jantar-Obrigada,que beleza saber que terá carne assada-A vendo sair do quarto atendi.

-O que foi Aziel?-Veio o silêncio para depois ele falar-Nada querida,só querendo saber como estão as coisas,conseguiu entrar e contato com o Instituto?-Risos vieram
de minha pessoa-E claro que,sim,graças que poderei e deixei claro que voltarei ao trabalho nos próximos dias-Ele riu em resposta-Mesmo em tão pouco tempo?-Eu o
ouvi incrédula-E claro,o tempo ruge Aziel e com isso não posso esperar-Quietude da parte dele.

Enquanto segurava o aparelho telefonico,eu escrevia no Laltop-Lucy está bem? Quando pretende voltar?-Ele foi imediato na resposta,de uma sutileza que me espan-
tou-Cinco dias,me permite isso?-Ofeguei tristemente-Sentirei soudades,até mais,morrerei de soudades-Foi como trevas.Quando desliguei o aparelho o deixei ao lado
sobre a mesinha delicada ao lado da cama.Recomecei minha escrita,esperia o assado de Tia Isabel ficar pronto,minha menina dormia,acho que tranquilidade melhor a
minha pessoa não poderia ter.Morreria de soudades de Aziel,mas compreendia.De certo modo tinha que admitir que isso não podia negar-lhe.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 18 Out - 12:35:54

Tudo passou a ser sigiloso,gradual.Sinceramente as coisas estavam boas demais para que de certo modo toda uma transmutação de tempo continuação,se tornasse
palpavel.Foi como se o terror voltasse a pairar sobre minha pessoa,minha casa.O querido Aziel ainda não tinha voltado de Lucy.Mas ligará ao decorrer desses dias
em espécial que passava com ela.

"Imagino o quanto ele deva está sofrendo,Ellenos vai se tornar real".Pensei ao decorrer de vários momentos.Sinceramente isso me fez ir a loucura,tomada de um
medo em espécial minha pessoa repensou em algumas coisas.Tinham se passado apenas três dias desde que Aziel se mantiverá fora de nossa casa,seu lar.Samantha
nunca me pareceu tão fortinha,bela em si,aquele bebê lindo de bochechas coradas que dormia em seu quarto antes deu sair.

Ela inha acabado de mamar,se envolver em seu sono alheio.Era início de noite,o fresco da brisa pairava por toda casa.Tudo que sei e que me deparar sozinha em
meu próprio lá me foi notável,inesperado,mas esperado devido a ausência de Aziel.Tudo aconteceu quando entrei no são de recepção da minha casa.Foi como se a
densa destruição se tornasse palpavel.

-O que é isso brami?-Sentia o ar pesado a minha volta,pelo fresco me incomodar tinha acendido a lareira,vi quando as chamas oscilaram como se algo as movesse,al-
go tomasse conta daquelas chamas tão lustrosas."Finalmente Lilith,finalmente".A voz me foi reconhecível de imediato,senti o ar me faltar,como se meu coração paras-
se por alguns segundos-Fera-Brami baixo.

Por essa eu não esperava,vi quando a sombra dela se moveu do nada pela sala seguindo em direção ao jardim nos fundos da casa.Atravessei o salão,pelo visto ela
não desistiria até poder falar comigo,trocar palavras,nunca me deparei com meu coração batendo tão forte,meu coração tomado de dor,amargura-Ah,céus,o que faz
aqui?O que a faz vir ao meu encontro?-Foi como se o mero fato deu enchergá-la por completo me fosse arrebatador.

Fera me encarava de pé sobre o gramado do jardim,a arvore central oscilava,nunca a senti tão forte,uma presença terrível,tomada de acalando de nostálgia.Seus o-
lhos passeavam por minha pessoa absorvendo cada detalhe."Não seja insensata,disse que viria no momento própicio,Lilith.A menina,qual futuro pretende dá para ela?
Ao longo desse tempo pensas-tes no que fazer?".Foi como trovões ecoando aos meus ouvidos.

-Não disse que era bem vinda,não lhe pedi ajuda,e vou continuar resistindo até tu não teres mais o direito de está nessa Terra!-Me deparei gritando,isso a irritou,ela
andou em minha direção,passei a me esquivar andando para trás."É mesmo!? E quem disse que vou permitir!? Acha que vou ser condenada a voltar para aquele mal-
dito lugar!?".O pavor me tomou,ela pulou em minha direção,simplesmente pulou no ar sobre mim.

Cai de lado sobre o gramado,a borda de meu vestido de lã fina em tom lilás rasgou-se,ela tentava moder meus pés-Vai para o inferno! Me deixa em paz,acha que a
misericória será plena?-Bramia,estava prestes a gritar quando Redenção ouviu meus gritos,sentiu meu pavor.Céus,Deuses alados,como me foi assustador vê-lo chu-
tar Fera contra a arvore,ela voou no ar com o golpe dele,o seu chute.

-Lilith,está bem?-Me apavorei,sabia que ele estava forte,mas não a tal nível que demonstrará-O que há contigo? Ah,céus,criei um monstro-Ele andou a frente,encara-
va Fera,foi como se o chute tivesse quebrado as costelas dela-Ela está forte,muito materializada-Assustador,tentei me levantar mas temi que isso me destruísse,me cau-
sasse mais estragos em relação a dor.

-Redenção mande-a embora,por favor,falo de minha filha,minha filha Redenção!-Esse era meu maior medo.Ferá o encarava,apesar de gemer de dor,assim como eu,a
minha pessoa não compreendia o motivo.Era como se o sofrimento dela fosse o meu,sinceramente minha pessoa estava destruída.Me deparei vislubrando Redenção a
segurar pela cabeça quando ela tentou avançar sobre ele.

-Perfeito-Redenção bramiu quando a empurrou para trás e com uma densa e forte,até descrevo como quente imposição de força é poder,fez com que Fera fosse des-
feita,fez com que ela fosse rompida em particulas que me foram vistas sumindo no ar-Ah,céus,obrigada-Disse gemendo de dor,quando estava prestes a desmaiar eu
vi Redenção aparecer atrás de mim me dando apoio corporal.

-Está bem?-O olhava,ele me segurava nos braços-Sim,meu querido,melhor-Disse conforme ele andava comigo nos braços em direção ao salão de recepção.Quando
ele deixou-me sentar na poltrona o encarei sentado a minha frente sobre o tapete.Eu tinha os braços curvados sobre as bades da poltrona,foi como se tudo isso,como
se a mudança sentida e presenciada por mim,me apavora-se.

-Redenção o que foi aquilo!? Acha mesmo que não saberia como lugar por ela!?-Nunca me vi tão irritada,mas ele compreendia,foi como se o pressentimento o tivesse
tomado por completo-Lilith,quero que entenda! Não fique magoada! Quanto mais feliz és,quanto mais forte tu és,mais eu me sinto encorajado a resistir,a batahar por
tudo que tens-Ofeguei tomando ar.

Tinha meus pensamentos focados nele,foi como se trovões ecoassem entre eu e ele-Maldição,me faz sentir-me uma unutiu-Ele respondeu-me para não ter que falar
mais-Não,não és,mas se eu tiver que protejé-la,eu vou,não vou medir conseguências-Foi como se a raiva se direcionasse a ele.Isso me fez silenciar-me quando ele
levantou-se curvando-se a minha frente.

-Por favor,não fique magoada comigo,e como me fazer sofrer,a promessa,não esqueça da promessa-O que isso sighficava? O final desse maldito momento me foi a
malva de holocausto,isso quando os dedos de uma de suas mãos pairou debaixo de meu queixo,tentei virar meu rosto lhe neganto o ato tão horrendo para mim-Dei-
xa-me,preciso descansar-Ele riu baixinho,mas quando virei meu rosto a olhá-lo,não pude conter o beijo-Eu te amo,sabe disso,faz proveito e me faz sofrer,sabe que a
ausência dele me deixa vulnerável-Palavras rispidas citadas entre-dentes.

-Eu sei-Bramiu,o beijei,o silêncio veio por completo,a minha REDENÇÃO era ele,resumidamente isso,foi como se o crespitar das chamas daquela maldita lareira me
fizesse fazer o que estava fazendo.Eu vislumbrava Redenção me puxando para si,tudo que me lembro e de vê-lo sentar-se a minha frente conforme eu andava a sua
frente,deslizei os dedos pelo meu vestido,o tecido macio deslizou pelo meu corpo.

O vestido caiu ao chão,foi como guerrear contra mim mesma.Uma noite marginal com todos os preitos de paixão com que se possa imaginar.Ah! Mas me foi impossí-
vel esconder o que tinha acontecido de Aziel.Isso em sua chegada.Eu estava em meu quarto,fazia algum tempo que voltará do meu trabalho,a minha volta forá mara-
vilhosa,como esperado.

Eu tinha tomado banho,jantado já que Isabel aproveitou que tomará conta de Samantha o dia todo,para fazer lazanha para mim,ela.Quado ela se forá eu me encon-
trava prestes a me envolver nesse momento.Hávia cochilado na nossa cama,o banho me fizerá ficar mais sonolenta do que hávia chegado.O fato de Samantha está
ao meu lado após sua mamada me fazia feliz,tranquila mesmo depois de todos esses tormentos.

Senti os dedos dele passearem pelo meu rosto,sentir sua poderosa presença me trouxe a si-Lilith,o que devo fazer contigo?-O olhei,me sentei sobre a cama o olhando
sentado a beira da cama-O que?-Quis saber,ajeitei meu roupão de seda em cor verde,foi como se ele tivesse se apavorado-Fois-tes descabida,eu entendo,mesmo as-
sim,tenho que admitir: Pretenciosa em me trair com Redenção-O indaguei ao levantar-me,andar pelo quarto.

-Ficas lendo meus pensamentos maldito! O que lhe interessa!? Acha mesmo que pode está a pá de Lucy e eu nada fazer!?-Vislumbrar Aziel trajado de jaquela negra e
camiseta por baixo,calça justa e bota pesada por cima,era aterrador,mas olhá-lo transtornado do modo como se sentia era pior do que se possa imaginar-Isso e o que
chamo de maldição-Que indagação,viu? Que pavoroso,mas segui em frente.

-Há muito antes de tu vires ele está comigo,não têm o direito de me cobrar nada!-Ele se mantinha sério,o termino dessa discussão me foi imediata.Doroloso sentir as lá-
grimas me virem ao rosto,me recolher movendo as mãos a minha frente as deixando pousar acima de meus ceios-Tudo bem,não vou dicutir,ma sme sinto unutiu em não
ter estado aqui para ajudá-la-E nesse instante ele saiu do quarto.Concluirá suas palavras ali mesmo.

A dor passária,eu sei,passaria e junto dela o perdão ao me recompor,descer em dirção a cozinha e ajudá-lo a se servir com uma linda fatia da lazanha feita por Isabel.
Não perguntei de Lucy,não quis indagá-lo a dizer-me o que tinha acontecido ao longo dos dias que ele passou com ela.Só viémos ter notícias dela com o passar de se-
manas,três ao certo.Como preve,Sara,poucos dias que eu voltará de Paris com Aziel,e garanto que nem Aziel souberá ou teve notícias de Lucy até o momento que a
sua pessoa apareceu em uma maravilhosa tarde.

Eu tinha ficado em casa,feriado.Aziel saiu com Samantha para a casa de Isabel.Sem dúvida de que ouvir a campainha tocar me foi aterrador.Sai da cozinha deixando
meu lanshe com sauíshe de presunto,queijo e alface de lado para atender.Me deparei com ela me fitando.Vestida com vestido de linho branco a ter uma linda faixa ne-
gra de cetim ajustada a sua cintura final,a bota negra a protegia do frio.

Ela entrou alternando os olhos pelo salão-Céus,o que faz aqui?-Ela riu docemente,foi como se essa passagem de tempo me tomasse desprevenida.Apartir desse instante
eu e ela conversamos por horas a fio,foi como se a sua presença pairasse pela casa avisando que um novo presságio estava para acontecer.Loucura,eu sei,mas foi como
eu sentia,como não havíamos de esperar.Entende quando vós falo que ela quis ficar para dormir?

Quando estava decidido que ela dormiria comigo? Nesse tempo jazendo o quarto eu me encontrei derrotada.Não esperava que Aziel voltasse.Mas em meio ao devaneio
da noite soube que ele hávia voltado,que ele deixará Samantha no quarto.Enquanto Lucy descansava ao meu lado sobre a cama,eu perceberá todos esses detalhes.Fui ao
seu encontro.O encontrei de pé de frente á geladeira.

-Chegou querido?-Ele virou-se rindo-Há tempos,não quis acordá-la já que descansava no quarto com Lucy,são 22:20 Lilith,escuridão total pela Cidade-Pelo menos nossa
filha dormia,e quanto a mim? Fiquei conversando com ele por algum tempo,quando Lucy desceu as escadas ouvimos de longe.Quando ela viu a jarra de suco gelado a
mercé de sua vontade se serviu,isso chamou a minha atenção.

Foi como se eu me encontra-se transtornada pelo que eu presenciava-Querida tens certeza de que está em dias normais? Falo de está com mente fria como disse-me em
sua chegada-Ela fitou-me silenciosa,bebeu alguns goles de suco antes de concluir-Fala das soudades de papai? De como a presença dele me faz falta?-Não era isso,céus,a
surpreza me foi arrebatadora.

-Não Lucy,falo de seus ceios levemente inchados,de sua fadiga,o tormento e chatisse alheia-Isso a arrebatou de imediato-Ah,não diga-me uma coisa dessas,seria preten-
ção demais-Compreendi,sorri quando a abracei com força,eu que lhe tirei o copo da mão o deixando sobre a mesa.Aziel nós seguiu,a linda camisola de Lucy se movia ao
seu andar.Ela sentou-se no sofá me fitando.

-Entenda Lucy,o fato de está grávida de Aziel não quer dizer que ele deixe de ser meu.Deixo claro:O bebê seu,mas Aziel e meu-Assustador para ela,ela só compreendeu
nesse momento,quando essas palavras lhe foram desferidas,ela danou-se a chorar,o choro cálido,mas sensato-És cruel,e nem eu sabia!-Bramia ao ver Aziel sentar-me ao
seu lado,ele que a encarava-Me mata! Seria o melhor a fazer-Com isso ele a acolheu sobre seu colo,afagou-lhe os cabelos sedosos,me queimava ao ver-me sentar na pol-
trona-Maldita és Lilith,tadinha da Lucy-Pretencioso,mas lindo demais!
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Ter 19 Out - 10:49:47

A troca de informações foi imediata,mas apesar de tudo minha pessoa repensava em muitos conceitos alheios,era como se a malva de observação invadisse meu coração.
Sinceramente minha pessoa a olhava,observava á Lucy e Aziel no sofá.Eu que jazia na poltrona conforme havia descrevido anteriomente.Sinceramente observar seu olhar
conforme o passar do tempo me era destruidor.

O silêncio que pairou entre nós três depois de tudo me foi terrível,destridor,sem dúvida de que minha pessoa reavia todo um conceito alheio,sinceramente minha pessoa dei-
xou-se tomar por essas sensações profundas,mas apesar deu me sentir transtornada foi como se toda a malva de observação disparasse contra Lucy e Aziel que se olhava.A
mão de Aziel se estendeu de lado fazendo com que Lucy saisse do colo dele,sentado-se ao seu lado.

Ela pensava em seu silêncio indestrutível até o momento.Nem sempre mantemos o controle de nossas reações.Mas precisamos passar por tudo isso para que dessemos prosse-
dimento a situação-Lilith não ache que isso me deixa feliz,eu não estou feliz-Ela falou rompendo a ordem de seus pensamentos,sinceramente minha pessoa sentiu-se ameaçada,a
sensação foi de destruíção e incapazidade de reagir a situação.

-Não Lucy,não pense dessa forma,não ache que eu teria a coragem de negar-lhe a presença de Aziel-Por falar nele! O olhei silenciosa,ele desviou o olhar não querendo falar
nada até o momento.Claramente que ele havia conseguido o que almejava,porém,era perceptível que depois de tudo não desejava discutir comigo-Mas apesar de tudo não
sabia,não suspeitava,acho cedo demais para tu pressentir uma coisa dessas-Compreendi,mesmo assim tive que indágá-la a não pensar desssa forma.

Levantei-me a encarando silenciosamente,deixei as mãos pousarem sobre seu ombro-Lucy fique calma,não fuja dessa nova realidade,tudo que lhe peço e que aceite a verda-
de,será mãe querida,verá que tudo valerá a pena-Ela deixou-se rir por alguns momentos,secamente,mas riu como se tentasse absorver a idéia,tive medo de que ela entendes-
se errado,de que ela não mantesse a ordem de seus pensamentos.

-Depende da situação,depende-Bramiu ao manter seu olhar sobre mim,isso fez com que Azel intervisse por ela,foi como se meu momento pessoal com Lucy fosse destruído em
prol do desejo dele,me afastei de Lucy pensativa,encarando Aziel-Ah,tudo bem,mas se desejar,pode argumentar querido-Ele silenciou-se,pediu após reaver seu controle para a
Lucy subir,alias! Havia serios motivos além de nossa conversa para a doce Lucy ir para meus aposentos descansar-Precisa descansar,não quero arriscar-me que fique extressada
e como conseguências passe pelo mesmo que aconteceu em Paris-Isso deixou Lucy irritada.

Ela levantou-se o encarando furiosa-Pensa que sou fraca? Me trata com criança Aziel!-Céus,ela havia gritado com ele,gritar com Aziel era o mesmo que se envolver em um mo-
mento nada agradável-Sobe por favor! Amanhã continuamos nossa conversa particular-Ela me olhou,ficou chorosa-Lilith não vai intervir por mim!?-Ah,aí estava o problema,ela
ao meu vê não estava adaptada a lhe dar com a personalidade explosiva de Aziel.

-Ah,céus,faz-me sofrer!-Bramiu não tendo resposta,caminhou em direção a escada,foi como se eu me sentisse triste pelo que Aziel a fizerá fazer-És maldito,e como és maldito-O
olhar dele foi cético,tirou o maço de cigarro do bolso da calça,o acendeu rapidamente deixando o insqueiro sobre a mesa de centro do salão de recepção,ele pensava,caminhou pa-
ra a entrada do jardim dos fundos logo ao lado da lareira,era como se o transe o fizesse transmutar.

-Sabe Lilith,o modo tu me trata me faz sentir-me angustiado.Sabe que era o minino que tu me devia permitir fazer.Me senti preso ao longo desse tempo,acho que agora começo
a sentir-me livre,falo de cuidar de Samantha,de você,até mesmo de Lucy,e dessa vez terá que ser mais sensata querida,tudo que lhe peço e que possa se torna uma mulher a-
morosa,mais humana-Assenti cruzando os braços.

-E só isso Aziel? Sente-se livre para finalmente viver?-Ele riu de jeito delicioso,foi como música aos meus ouvidos-Sim,não peça mais justificativas,ou se não terei que ser
cruel contigo-O beijei por alguns segundos,o olhar dele ao afastar-me foi desesperador,olhou-me como se pedindo para ficar-Não está magoada comigo?-Quis saber ao ver-
me o encarando-Não Aziel,não estou,se estivesse seria a maior injuria que poderia cometer-Ele deixou-se rir novamente.

Mas quando caminhou junto de mim sentou-se no sofá,tragou o cigarro novamente,ao olhar para o teto,vi que ele ficará emocionado por algo-Vou dormir no salão,aqui,nes-
se sofá,não quero sentir-me pertubado está entendendo? Preciso respirar Lilith-Ah,que sensação horrenda-Tudo bem Aziel,deseja que eu traga algum cobertor?-Ele se deitou
olhando o teto,mas antes disso apagará o cigarro no cinzeiro de prata sobre a mesa de centro ao lado do sofá.

-Não Lilith,cuide de Lucy por mim,não preciso de cuidados,entende? Não como ela-Depois disso vi ás luzes se apagarem,o clic ecoou pelo pequeno é luxuoso salão de recep-
ção,saber que ele fazia isso com o uso da pisique ainda me assustava,mesmo havendo presenciado Aziel fazê-lo em outros momentos.Ele ía dormir,dei-me a subir as escadas.
Quando no quarto vi que Lucy dormia,havia ardomecido envolta em seu lamento pelo que Aziel fizerá com ela.

Deitei-me ao seu lado,olhei seu rosto cálido pousado sobre o travesseiro macio,deslizei a mão sobre seu rosto pensativa-Lucy? Peço para que se sinta melhor,não era pre-
tenção de Aziel se cormportar daquela maneira-Assustador vislumbrar seus olhos se abrindo em meio a escuridão do quarto,o luar atenuou o brilho se deus olhos castanhos
clareados-Maldito,viu? Ele sabe que o amo e adora pisar em meus sentimentos-Compreendi,antes dela fechar os olhos novamente,disse:

-Não pode imaginar o que ele fez comigo naqueles dias,céus,foi terrível.Só em lembrar-me me assusto.Em meio ao amor e sentimento,ele me violentava,entede? Ainda
e como se eu sentisse a força com que ele fazia isso comigo-Doloroso,apesar de tudo ofeguei,quando ela voltou a dormir,me encontrei envolta em minha quietude.Foi ao
deparar-me nessa situação que o sono tomou-me por completo,o apagão me foi doloroso,necessário para eu recuperar a ordem de meus pensamentos.

Nessa noite sonhei com minha filha novamente,ainda não compreendia o maldito sonho com que aquele homem a levava,a tirarva de mim sem piedade,a loucura de sen-
tir coisas dessa natureza me foram dolorosas.Nem sempre minha pessoa aceita acontecimentos dessa natureza.Quando levantei-me na manhã seguinte fui ao encontro de
Aziel,ele ainda dormia no sofá,tinha fumado todo maço de cigarros antes de dormir,pecebi pelos restos apagos no cinceiro.

-Não vai tomar café da manhã Aziel?-Ele mexeu-se de lado,sentia dor sobre o ombro,não estava adaptado a dormir daquele modo,principalmente tendo sido criado em
meio ao luxo desde bebê,um novem mimado,porém,varão é furioso por ele só.Cincero é claro por próprio desejo e ambição-Lilith! Não precisa,nem sei se poderei passar
o dia em casa-Compreendi suas palavras,sentei-me ao seu lado,ele moveu-se se recompondo.

-Se quiser subir mais um pouco,suba querido,Samantha ainda dorme,quem sabe após Lucy acordá-la possa descansar mais um pouco-Ele ofegou-Não sei,não faria ela
dormir mau na noite que passou-Deslizei os dedos sobre seus cabelos,levantei-me encarando a entrada da cozinha-Vê menino,vamos preparar algo para comermos-Ele
pensava,me seguiu aceitando o convite.

Ao longo do início da manhã preparamos sanduíches de presunto e queijo,o pão integrau estava maravilhoso,a jarra cheia de suco de frutas cintricas foi colocada na me-
sa,eu e Aziel começamos a comer,foi como se a fome tivesse falado tão auto que o desespero ouvesse batido a nossa porta-Céus,a muito tempo que eu não comia al-
go que me agradasse o palavras-Brami pensativa,a maionese temperada dava um requinte maravilhoso ao paladar.

Ao longo do tempo,enquanto comiámos,Lucy apareceu na entrada da cozinha,havia se vestido por completo,ela nós olhava-Preciso ir,acho que passarei o dia com Isabel.
Preciso passar algum tempo com ela-Deixando seu sanduíche no prato,Aziel levantou-se-Será maravilhoso,sei que ela vai lhe explicar muitas coisas,Lucy,não se desespere.
Terá nosso apoio moral-Ela o encarava aflíta-Mesmo sendo mãe solteira? Isso e loucura Aziel-Ele deslizou as mãos por seu rosto,tamanha aflição de Lucy que Aziel se viu
tomado de vontade de enche-la de beijos.

-Não e por aí,verá o que Isabel tem a explicar-E com isso os dois sairám pelo corredor indo em direção ao salão de recepção.Lucy ía embora,rapidamente me vi forçada a
deixar o café da manhã de lado por alguns instantes,depois eu e Aziel voltaríamos a comer.Quando entrei no salão re recepção,ele havia acabado de fechar a porta,Aziel
olhavá-me como se algo espécial estivesse prestes a acontecer.

-Vem comigo ao quarto?-Oh! Algo muito espécial estava para acontecer,quando entramos no quarto ele disse-Sei que precisa amamentar Samantha,mas antes de tudo,eu
preciso deixar claro uma coisa-O que exatamente? Pensei aflíta o encarando sentada a beira da cama-O que é Aziel?-Ele riu docemente,foi como se a própria carícia se tor-
nasse tocável através desse sorriso.

-Sei que me considerá um atrevido,mas e isso-O olhava ao mover-se em direção a mim-Era para ter lhe entregado ontém Lilith,mas acabei por me esquecer-Ah,o espanto e
incrédulidade só não me foram maiores devido ao que olhava dentro da caixinha que ele tinha tirado do bolso da calça-Nossa,as alianças,tinha me esquecido,nem esperava a
atitude,Aziel-Ele fitava-me como se desejando algo maior.

-Eu entendo-Escolhi a minha,eram alianças de modelo finissímo,coloquei a minha,ajudei ele a colocar a dele-Espero que essa tenha sido a decisão mais sábia,Aziel-Ele sabia
que,sim-E claro,não poderia pedir nada melhor-Palavras ecoando pelo quarto-E assim iniciamos mais um dia,só que um dia espécial devido a notícia da grávidez de Aziel,um
início de vida em triplide convivência.Eu sabia que ele estava apto para continuar,decidido,e não iria deixar de ajudá-lo.Troca de olhares secreta,delíciosa por si.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Ter 19 Out - 12:12:34

Nem sempre saímos vitoriosos,mas sobrevivemos.O que mais me deixou encantada foi o que aconteceu no dia seguinte.Era tarde quando eu e Aziel chevamos de um
delícioso passeio nos bosquestes,uma caminhada sem presedentes de tão cálida.Abrimos o portão ao entrarmos no jardim,Aziel segurava Samantha no braços,ela tinha
dormido ao longo do passeio,ele a olhou por alguns segundos-Nossa,admito que essa pequenina e pretenciosa demais-Compreendi.

Suas palavras me fizeram pensar em como ele aprendia a lhe dar com toda mudança em sua vida-Tenha sensatez Aziel,ela e apenas um bebê-As vestes cinzas com que
Samantha estava vestida combinavam com perfeição,eu tinha acabado de fechar o portão quando ela abriu seus olhinhos,o rostinho pousado nos ombros do pai me foi a
miragem de tão perfeita.

Ao atravessarmos o jardim abrimos a porta,eu movi os olhos para baixo,havia chegado correspodência,o que deixou impactada-Nossa,Isabel por passar por aqui não deve
ter visto deixarem-Aziel riu de modo descabido,havia sentado no sofá mantendo a atenção em Samantha,a deitou a frente sobre seu colo,mexia com ela,a fazia olhar para
ele,ele exigia atenção dela para com ele-De quem é?-Me espantei ao lê o remetente.

Ajeitei a borda de meu vestido de cor greme,o tecido de linho puro me era agradável,atenuava minhas curvas,nunca me senti tão leve e bem por poder andar livre,ter os
meus momentos com minha filhota-De Athena,acho que e de sua mãe,Aziel-Ele voltou seu olhar espantado para mim-Nossa! Dá isso-Ele arrancou a carta de mim se curvan-
do a frente,esticando a mão-Tudo bem,mas leia para nós-Ele abriu o envelope lagrado,passeou a visão pela carta.

Demorou alguns minutos para lê,o seu riso se alargou em prece de tão perfeito-Nossa,e como se ela me espionasse,mas me sinto grato por saber que meu pai está pres-
tes a me esquecer-Não era o que esperava ouvir de Aziel,ele me entregou a carta,voltou sua atenção a Samantha,ela ria baixinho conforme ele continuava brincando com
ela,pensativa fiquei ao imaginar o que a carta dizia,comecei a lê,o susto me foi imediato diante das palavras de Vitória.

"Cheguei bem,passo meus dias sozinha e as noites na compainha de Louis,acho que meu reencontro com seu pai só não foi pior por quê houve intervensão de David Talbot
e Sépia.Acredite Aziel,ele ameaçou-me com uma faca,pedindo e rogando para que o trouxe-se de volta.Sabe que ele estava fora,que apenas visitava a casa em minha au-
sência para saber se tudo estava em ordem.

Ameaçada com uma faca,dá para imaginar isso!? Tentei fazê-lo entender,antes do seu desespero voltar a lhe tomar,tentei explicar tudo para ele,o que não ficou claro foram
suas mudanças,a mudança que aconteceu em sua vida.Mas bem! Além de Sépia e David Talbot que visita a Cidade nessa temporada,Louis e Gabrielle souberam como arran-
cá-lo de minha casa,nossa ex-casa,até que ele se acalmasse,retomasse seu controle.

Beijos meu querido,quem sabe não nós vemos em breve,lhe aconselho a não ficar hospedado em minha casa caso venha me visitar,não seria sensato sabendo que ele
mataria a Samantha,até mesmo a Lilith.Ele odéia realmente saber que tu tens uma família agora

Assinado: Vitória Regia de Lioncourt".

-Céus-Me sentia chocada,me silenciei-Não esquete sua cabeça com isso Lilith,vou subir para o quarto,quem sabe deixar Samantha dormingo-O segui,quando ele entrou no
quarto de Samantha,fui ao nosso quarto,deixando a carta na mesa de escrever dei-me a mexer nas gavetas do quarda-roupas-Aonde está,aonde está?-Procurava por algo.
Quando eu finalmente encontrei,ri de felizidade.

-Aqui está-Liguei a caméra digital observando o medidor de batéria-Ainda têm carga-Segui pelo corredor,olhava pelo visor digital,plasma.Era como uma visão de outro mun-
do.Entrei no quarto vendo Aziel e Samantha pela telinha tão pequenina e delicada-Olha só que bonitinho-Ele se assustou,foi como se esse momento se tornasse holocausto.
-Céus,loucura-Ah,foi apartir desse momento que eu e ele começos esse processo.

Várias fotos foram tiradas:Aziel aparecia na telinha rsinhoso,suas vestes clarinhas é brancas em destaques:Calça de corte clássico,camiseta,sandália masculinas e confortá-
veis aos pés.Que conjunto maravilhoso!-Vamos,continue!-Pedia em risos ao continuar.Ele brincava com isso,o modo como pegava Samantha,o modo como andava pelo
quarto com ela.Muitas fotinhas foram tiradas.

Ao menos algo deveria ser quardado,correto? Me aproveitará para pegá-lo desprevenido no quarto como vis-tes Sara.Depois de tudo,pelo início da noite,isso ao jantarmos
e termos um tempo juntos,quando sozinha em meu quarto,tive vontade de ter as fotos em imagens reais,falo de fotos não digitais,apenas arquivadas,mas em álbum.Fiz o
pedido por um site enquanto Aziel estava no salão de recepção com Samantha.

Tinha o laptop sobre a mesa da imensa varanda do quarto,mandei todo arquivo de fotos em anexo.O pagamento que fosse descontado de minha conta imediatamente,mas
eu queria a entrega do álbum para o dia seguinte.Quando terminei Aziel entrou no quarto,havia deixado Samantha em seu jesto de bebê apreciando as chamas da lareira.Ele
colocou-se por trás de mim,sentir o modo como ele pousou seu rosto sobre meu ombro direito,foi maravilhoso.

Ele olhava o e-mail-Ah,quero esses arquivos em álbum-Ele riu do que eu queria-Louca como sempre,coitado de mim-Bramiu olhando para os anexos na tela do Laptop,o
nervosísmo foi destruído quando ele me beijou,deixou seus delicados dedos pousarem abaixo de meu queixo.Passamos alguns minutos conversando.Mas eu estava ansio-
sa pelo dia seguinte.logo ao acordar fui direto em direção a caixa de correio.

Aziel dormia,Samantha também em seu quarto,pena que Lucy não tivesse aparecido ao longo da noite.O meu roupão de seda (Azul marinho) oscilava com meu andar,eu
vi a caixa de correio e ao abrí-la vi o pacote-Chegou!-Ansiosa,eu ia mandar o álbum para a mãe de Aziel,tinha vindo uma copia,os dois em capa couraçada negra-Quando
eu entrei em casa fui rapidamente ao quarto pegar uma caixa em espécial para entrega.Aziel ainda dormia,um maldito envolto nos sonos ao está deitado de bruçoz,o rosto
escondido no travesseiro como de costume.

De volta sentei-me no sofá,anotei tudo.O remetente,tudo isso anotado.Quando deixei na caixa de entrega do correio,me deparei tomada de sensações alheias.Sabia que o
processo valéria a pena.Deixe o meu álbum,o que er aoriginal,sobre a mesa do café da manhã ao entrar na cozinha.O tempo passou,e com isso,a partida de Aziel para a
casa de Isabel."Estarei lá,sabe disso".Compreendi após me despedir depois do café da manhã.

Em seguida seria eu que iria trabalhar.O Instituto me esperava,e com isso os compromissos.Foi como um momento desesperador,Sara.Isso ao voltar.Ao me deparar com
o telefone tocando ao entrar em casa.Deixei minha bolsa sobre a poltrona,era Isabel ao atender."Oi Lilith,sabe se Aziel voltou? Ele teve que passar rápido em casa para pe-
gar Samantha e deixar comigo após sua ida ao trabalho".Pensei por alguns segundos.

Eram 20:30 Hs e nada de Aziel aparecer."Não Isabel,ele não apareceu após levar Samantha,tudo está em seu lugar".Isabel pensou por alguns momentos."Hum...Então
ele deve ter saído para fazer pesquisa na Cidade,falo da faculdade,ele sempre tem que mandar as matérias correto?".Ofeguei pensativa."Acho que,sim,mas ele teria me
avisado".Entende a situação Sara?

Passei a noite inteira sem saber notícias dele,Aziel simplesmente sumiu! Chegou a hora deu dormIr e nada.Chegou a manhã e nada! O que me deixou tranquila foi saber
que Samantha passou o dia na compainha de Isabel,ela que veio ficar com ela com imensa vontade.Voltei do trabalho e novamente nem uma notícia de Aziel,foi como o
estouro de desespero-Céus,aonde esse menino deve está!?-Brami ao chegar,me deparar com Isabel no salão lendo um de seus livros prediletos.

-Em Lucy não está,sei por quê ela ligou de volta ao longo do dia ao ver minha mensagem na secretária eletrônica-Compreendi,sentei na poltrona pensativa,devaguei em
meus pensamentos,foi como aurora de trevorisidade-E ela está bem?-Isabel ofegou,estando deitada de lado no sofá tirou o delicado óculos de leitura o colocando na mesi-
nha de centro-Não está Lilith,está sendo difícil ela suportar.

Eu vi Isabel levantar-se,devaguei nesse vislumbre,de sua linda túnica cor de vinho,ela colocou o livro dentro de sua bolsa-Querida preciso ir,falo sério quando eu preciso
ir ao encontro dela,preciso ter uma conversa particular com ela-Ofeguei ao levantar-me-Faça isso por mim,será o melhor a fazer-Compreendeu por completo.Ela saiu pela
porta a batendo rapidamente.

Subi a escada em silêncio.Vi Samantha cochilando sobre a cama ao entrar em meu quarto.Apartir desse momento me esqueci do meu problema com Aziel,e decidi focar
a atenção em Lucy,ela e que me preocupava por quê estava com depressão devido ao bebê.Tirei o jaleco do Instituto,foi como alívio.Depois do banho juro que todo alí-
vio me foi maravilhoso.Quando me troquei escolhendo uma túnica fresca para dormir,me senti desprovida do peso do cansaço.

Sabia que Samantha se sentia faminta,ter a pequena junto a mim me foi maravilhoso,ao deitar-me de lado na cama.Ela passou longos minutos mamando-Seu pai e rebel-
de,há se e-Brami em meio a quietude.Lembro dela ter voltado a cochilar.A deixei no quarto para dormir durante toda noite.Eu desabei na cama ao voltar.Finalmente a escu-
ridão do sono me tomou por completo.

A surpresa maior me foi ao decorrer da noite.Aziel me foi visto em meio a madrugada.Ele tinha chegado enquanto eu dormia.A escuridão do quarto era completa,só a cor
dos seus olhos se destava ao vê-lo fitar-me deitado ao meu lado.Não tinha se trocado,intacto em suas vestes-Aonde esteve?-Brami o encarando-Não queira saber,estava
com raiva e ódio de mim mesmo-Espantoso vê-lo mover-se sobre mim.

-Aziel sai de perto de mim,falo sério quando o mando sair daqui!-Brami com raiva-Não vou,juro que era por mim,eu precisava está comigo mesmo por esse tempo,juro que
depois disso,desse tempo,não faço mais-O encarava,chorei como uma garotinha perante ele,ele encarava-me silencioso-Lamento provocar esse tipo de sentimentos,mas me
foi necessário-Bramiu impedindo que eu falasse,ele me deixou sem palavras.

-Me larga!-Pedi,sinceramente odiava saber que ele atiçava meus sentimentos desse modo,desferi vários tapas sobre ele-Vamos! Vamos pode continuar,era essa raiva que
eu queria vê em seus olhos em minha volta-Ele era forte,percebi,foi uma briga corporal e pisicológica de uma hora,ele foi a primeira a me fazer cansar desse modo.Quando
tombei sobre a cama com ele me encarando novamente pensei."Admito,não conheço esse homem,céus,o que faço!?".Ele riu ao lê meu pensamento.

"Nada Lilith,só deixe eu mesmo,não mentir,está entendendo?".Tentei não aceitar seus beijos,movi meu rosto de lado,ele segurava muito forte meus pulsos."Vamos,não
seja insensata,deixe-me amá-la,preciso me recompor,você também".Maldito! Presa em minha própria teia! Entende quando afirmo que ele usará de minhas artimanhas
contra mim!? Primeiro ele modeu meus lábios,eu movi meu rosto para trás.

-Para! Não vou ceder,seria covardia!"-Gritei,ele simplesmente se afastou,me fitava enquanto firava suas vestes-Veremos,não sou perdedor,nunca fui!-Mas admito que a
málicia com que ele fez isso,me fez repensar.Ele usou de tal forma sua forma que rasgará minha túnica,a fez em pedaços-Para!-Pedia,mais tapas em sua face,vi algumas
gotinhas de sangue aparecer em sua face.

Céus! Uma guerra,só consigo descrever nessa palavra.Mas tudo se silenciou quando aquele beijo rispico me foi sentido.Foi como destruíção Sara.Meu orgulho moral
destruido por ele nesse simplesmente ato.O calor me foi sentido de verdade.-Ah,céus,com vontade,com vontade!-Pedia rogando,implorando.Me encontrava arranhan-
do suas costas,me deixando ser tomada por ele.

-Continha,continua!-Tudo que posso descrever e que fazer amor com ele depois dessa situação me foi maravilhoso,memorável.Roguei aos céus que ele nunca mais
usasse dessa artimanha para me destruir moramente,mas sabia que seria impossível.Depois de tudo fiquei encarando sua pessoa.Um ao lado do outro,encarando-se
como se não querendo compreender,desferi seus socos em seu ombro-Isso terá volta-Brami apagando de vez.

Ao raiar da manhã seguinte me vieram palavras rispidas de Aziel,me sentei sobre a cama o encarando,ele falava com alguém-Não brinca comigo Lucy! Está dizendo
coisas que não me são do agrado!-Me espantei,meus cabelos jaziam remexidos pelos atos alheios.Aziel nem acordará e se deparava com essa situação-O que houve?-
Ele me olhou,andava nú pelo quarto falando com ela,tinha um dos seus cigarros-Nada! Psiu!-Ele continuou a falar com ela por mais alguns segundos.

-Maldita,viu!? Ela me ameaça,quer tirar o bebê,entende isso!?-O que eu houvia!? Não estava houvindo isso,Aziel simplesmente andava pelo quarto,procurando qualquer
porcaria de roupa-Não acredito nisso! Depois de uma ausência,e ainda por cima de meu momento,uma porcária dessas me acontece!-Coitado,tive pena dele,tanta pena!
O olhar dele foi cético,ele bateu a porta ao sair-Aziel!-Gritei."Nem tente vir,eu terei que resolver,simplesmente isso".Ouvi ele falar.Situação complexa,eu e que não espe-
rava tamanho desespero de Lucy,entende?




avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qua 20 Out - 12:23:21

Foi como um momento indescritível,sinceramente minha pessoa se sentia cheia de malva de análise.Ao levantar-me me deparei encarando o quarto,o sol da manhã
iluminava todo lugar,sinceramente meu coração batia forte,ainda estava me recompondo da noite,de tudo que eu sentia em relação ao que Aziel e eu fizemos o pas-
sar da noite,como deve ter visto,Sara,foi uma noite artomentadora em relação a situações alheias.

Nem sempre me encontrava envolta em um momento como esses,mas porém,minha pessoa se deparava com esse momento.Andei pelo quarto delicadamente,ainda
me restava algum tempo até eu me arrumar,me preparar para que fosse trabalhar.Mas isso só fiz ao terminar de arrumar o quarto,sobre Lucy,eu não parava de pensar
nela,não deixava de me preocupar com sua pessoa.

Apesar de tudo eu devia continuar meu caminho até chegar o momento exato para que a vissitasse,fosse saber o que acontecia.Quando chegou o momento de escolher
as roupas,me deparei pegando uma camiseta justa de cor rosa clarinha,o linho era macio,os botões de camafeus com bases prateadas chamavam a atenção.A saia de ce-
tim negra até a altura dos joelhos deixou minha silhueta marcada.

Escolhi botas curtas,indo até os joelhos no mesmo tom da camisa,o forro de veludo me foi maravilhoso.Ao fim de tudo dobrei as mangas até a altura dos cotovelos.Es-
covei os cabelos antes de pegar a bolsa e sair para meu trabalho.Agora entende,Sara? Que a situação era mais complexa do que vossa pessoa imaginava? Ainda esta-
va para ter um momento pior do que esse.

Céus,Lucy várias vezes,ao longo dos anos,havia me preocupado,mas não como esse momento.Necessito parar por alguns instantantes para lhe exemplificar esses deta-
lhes dolorosos para minha pessoa.Admito que meu coração não estava em paz,ao longo do dia não ficou em paz por nem um segundo.Sinceramente foi como uma des-
truíção e provação ao longo de todo dia,Sara.A amava,ainda a amo,não a deixei de amá-la,principalmente nesse momento doloroso.Será que ela teria feito uma loucura
a respeito sua depressão?

Eram essas sensações e questionamentos que se passavam em minha cabeça.Chegado o momento de ir a sua casa,havia saído do laboratório,ao me despedir de todos
eu segui para o estacionamento aonde meu Porshe estava estacionado junto a outros carros.Entrei jogando a bolsa no banco ao lado.Quando dei partida no carro,sai pa-
ra as estradas da Cidade,céus,eu não sei,mas e como disse:Prefiro manter esse lugar,a Cidade como o todo em sigilo.

O vento frio que vinha de encontro ao meu rosto,enquanto eu dirigia me foi como calmante,estava com os nervos a floor da pele,não me preocupava com Samantha.A
minha pessoa a tinha deixando com Isabel antes de seguir para o trabalho(Passei em sua casa rapidinho para levar a menina como supõe).Meus pensamentos conforme
eu dirigia se voltaram para Lucy,a minha pessoa que tentava compreender a situação.

"Espero que Aziel tenha sobrevivido a situação".Pensei,por alguns instantes me deparei com as unhas cintilanto,o esmalte brilhoso e clarinho.Sinceramente isso me fez sen-
tir-me luxuosa demais.A viagem seguiu até eu chegar na Rua a qual a mansão de Lucy ficava,vi a imensa faixada com o jardim a frente,muitas outras casas no Bairro,eu es-
tacionei o carro assim que o portão abriu.

-É,pelo visto Aziel deve ter sentido minha chagada e presença-Ri de modo descabido.Ao bater a porta do carro fui direto a porta,toquei a campainha querendo que alguma
pessoa me atendesse-Já vai-Ouvi alguém dizer,era Aziel,quando ele abriu me deparei com uma pessoa abatida,ressentida por algo-O que acontece aqui?-Falei ao entrar,a
minha pessoa olhando todo lugar.

Ele andou em minha direção-Discuti com ela,entende? Dicuti com ela ao chegar aqui,me deparar com a situação,Lilith.Eu não sei como convecê-la de que não vou deixá-la
a mercé do nada,principalmente sabendo que é meu filho-Preferi me manter silenciosa,envolta em meu observar e análise.Sentei-me no sofá o encarando:Ele que estava
trajado com bota negra pesada,a calça jeans formando um belo conjunto no seu tom escuro,mas a camisa de seda de cor perolada me foi arrebatadora.Principalmente os
detalhes dos botões de pura prata.

Seus olhos verdes passeavam por mim,foi quando ele desejou romper a quietude-Aonde está nossa filha? Não diga que aconteceu algo com Samantha-Sorri ao levantar-me
o encarando-Não meu amor,ela está com Isabel,ao saíres me arrumei e fui deixá-la com Isabel,temos todo tempo do mundo para resolvermos essa situação ela está bem-Eu
vislumbrava Aziel como se seu coração tivesse sido esmagado.

-Me ajude Lilith,sabe que apesar de tudo,não vivo sem seu suporte-Compreendi,foi quando movi as mãos sobre seu rosto o beijando,ele levantou-se,deixei as mãos deslizar
pelos seus ombros-Vamos subir querido,e o melhor que temos a fazer-Não me importei em deixar a bolsa sobre o sofá.Seguímos pelas escadas,fomos direto para a suit no úl-
timo andar.Sinceramente minha pessoa pressentia a situação.

Ao entrar no quarto me deparei com uma vela acesa ao lado da cama sobre a mesinha,o castiçal de prata me foi encarador,Aziel sequer ao chegar da noite e atreveu a acen-
der ás luzes,não queria incomodar Lucy.Ela dormia sobre a cama,tinha sofrido,pelo visto só compreenderia com profundidade conversando com ela,o luar iluminava o lugar en-
trando pela linda varanda,um requinte de iluminação maravilhoso,confortante,o vento entrava pelo quarto movendo ás cortinas.

-Aziel deixe-me a sóis com ela-Ele segurou firme minha mão-Tem certeza de que é isso que deseja,Lilith?-O olhei com siriedade-Sim,me espere na sala-Foi o que ele fez se di-
recionando a porta do quarto,à fechando quando saiu-Lucy?-Disse ao andar ao lado da cama,foi como pavor me deparar com a situação dela.Estava fraca,muito fraca,mas isso
o Aziel explicaria melhor ao está a sóis com ele.

Deslizei os dedos de minha mão esquerda ao sentar-me ao lado dela,ela moveu o rosto sobre o travesseiro docemente-Você veio,não esperava que viesse,esperava me
tu me considera-se fraca e não víesse-Foi como golpe a minha alma,arqueei o cenho da sobrancelha ao me manter atensiosa a sua pessoa.A ajudei a sentar-se sobre a ca-
ma,ela passeava seus vividos olhos por mim,tinha os cabelos amaranhados devido ao sono-Quero dizer que rebeldia não e a melhor solução,correto?Nem sempre podemos
ter tudo o que queremos-Ela se manteve silensiosa enquanto pensava.

-Lilith eu não entendo,e como se sua fosse tomada de sentimento por mim,sempre odiei isso,ser tratada como criança por sua pessoa-Foi como respaldo que me forçou a
dizer-lhe a verdade-Eu te amo,não vou ficar repetindo,quando disse que o bebê e seu,mas Aziel e meu,naquela noite,quis dizer que apesar de tu ter ele como pai de teu]
filho,eu tenho a convicção de mesmo sendo casada com ele,que ele a ama,não seria isensata,compreende?-A deixou quieta,pensativa a respeito de algumas questões.

-Lucy terás todo apoio,entenda que tu darás ao Aziel algo livre,só dele,céus e difícil entender!? O nascimento de Samantha não tem correlação com ele,entende? Foi algo
cobrado por mim,o preço por uma pequena ajuda-Ela ficou chorosa,deslizava os dedos abaixo dos olhos os secando,sua camisola era tão linda que todos os detalhes se des-
tacavam à luz de vela-Me ama de verdade? E isso mesmo? Quando fala tudo isso,fala do fundo de sua alma? Algo livre? Unicamente de Aziel? Tenho medo,medo de que
os nossos sentimentos possam nós destruír-Sorri a vislubrando.

A cor prata em tom escuro de sua camisola com renda negra sobre o busto dos ceios,um encanto trevoroso-Sim,Lucy,o que mais eu podia pedir? Tive meus motivos para
aceitar a vontade de Aziel-Suas mãos tremiam quando ás moveu sobre meus ombros,sua delicadeza me foi notável,seus olhos castanhos clarinhos brilhando por algo ter
mudado dentro dela,um entendimento,vi como o entendimento defitivo.

-Obrigada,ter seu apoio moral era o que eu queria-Primeiro beijei seu rosto,lhe afagando os cabelos deslizei meus lábios até se encontrarem com sua boca.Foi um beijo ris-
pido,aquecido como o sentimento que sempre nutri por ela.Terrível saber que ela passará por isso-Acho melhor ficar aqui,não saia,estarei com Aziel,acho que ele deve ficar
a noite com você-Foi como se tudo isso tivesse afagado seu coração.

Me despedi dela a deixando voltar ao seu sono,descanso.Quando desci a última escada em espiral me deparei com Aziel sentado no sofá,pensativo ao segurar um cigarro
entre os dedos delicados da mão direita.A perna cruzada a frente,o foco do olhar para o nada-O que há Aziel? Passa-se trevas em seu coração,posso lê-lo como se fosse o
nada-Ele olhou-me ao sentar-me ao seu lado-Diga-me Lilith,me odéia pelo que fiz?-Atenuava meu olhar absorvendo cada detalhe.

-Não,tudo que pelo e que Lucy não saía machucada-Ele soube acatar as minhas palavras,apesar de doloroso ele soube fazê-lo com perfeição-Ao chegar aqui a encontrei des-
maiada no quarto,ela realmente tentou abortar o bebê,compreende? Se eu não tivesse chamado o médico,garanto que teria perdido a change de ter esse bebê,falo de ser o
pai que almejo ser,e importante para mim,compreende? Sem isso,me sentiria incompleto-Silêncio depois de ouví-lo falar.

-Ela melhora,tu sabes que depois da loucura,o coração trás a verdadeira razão,e o que ela precisava Aziel,ela precisava passar por isso,para entender-Foi como o pior gol-
pe de sua vida minhas palavras,ele moveu-se de lado apagando o restante do cigarro no cinzeiro,moveu as mãos deixando-ás pousar ao lado de meu rosto-Eu amo vocês
e garanto que sem vocês,nada séria,posso ser hipócrita,mas essa é a verdade-Eu sorri em resposta,citas essas palavras lhe fez chorar-Não chora,fique frio,e o que tem que
fazer nesse momento-Respaldo de revelação.

A necessidade dele me acolher foi imediata,como o fim de um tratamento necessário.Depois de beijos carinhosos nós deitados grudados sobre o sofá,ele me tinha deitada
a sua frente,seus ombros me serviam como apoio.Ele deixou seu rosto esconder-se entre meus cabelos-Perfumados,adoro isso-Bramiu antes de se silenciar.Passaria algum
tempo junto dele.Depois iria para casa.Quem sabe Isabel não tinha ido para minha casa e estaria a minha espera ao levar Samantha? Aziel dormiria essa noite na casa de
Lucy mantendo sua atenção á ela,necessidade.E com isso me sentia alíviada,afinal,esse problema havia sido resolvido,tinha meu coração leve,acredite,leve.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qua 20 Out - 13:46:23

Eu estava no meu quarto na noite seguinte,após todo esse problema.Não quis importunar Aziel que pelo visto devia está com Lucy.Eu escrevia com a pena de Redenção em
meu diário.Anotava cada detalhe de alguns feitiços nos papeis delicados de papiro perfumado.Tinha meu foco nas palavras.Eu havia escolhido uma túnica verde folha com as
mangas curtas deixando meus braços desnudos,depois do banho ao chegar do trabalho.

Foi como se o alívio paírasse de imediato sobre mim,o silêncio da noite reinava aos meus ouvidos.Está descalço fazia com que meus pés relaxassem,Samantha dormia sobre a
cama,havia amamentado ao chegar,o que a fizerá entrar nesse relaxamento necessário.Foi quando senti a presença de Redenção,quando me veio o alerta que eu não espera-
va.Me virei sentada na cadeira olhando para a cama,o vi sentado ao lado de Samantha,a vislumbrou por alguns segundos antes de voltar sua atenção á mim.

-Precisa saber da verdade,Lucy,o que Aziel anda fazendo,ele sumiu novamente,só deve reaparecer daqui a duas noites-Deixei a pena ao lado do diário,levantei-me o encarando.
-Quer implantar veneno entre eu e ele,Aziel?-Isso o deixou triste,seus olhos verdes pairavam sobre mim como necessário recado-Não,jamais.Gosto daquele jovem,mas ha coi-
sas que o forçam a agir de modo que ele não se agrada,lhe aviso que ele precisa de sua ajuda-Pensei com profundidade nas suas palavras.

-Sim,diga-me mais Redenção,o que se passa em sua mente?-Finalmente ele se sentia apto para falar-Faça o que lhe pelo: Amanhã a noite saia para o bosque,será lá que verá
o que tenho a lhes dizer,é algo que precisa vê por si,Lilith-Foi quando ele sumiu perante minha pessoa,se desmaterializou para não aparecer mais.Me deparei sozinha,foi quando
percebi que Samantha me encarava com seu rostinho movido de lado:Uma bonequinha vestida com com seu vestidinho de linho,a cor azul se destacando sobre sua pele clarinha.
A olhei em risos.

-Meu amorsinho,me sinto ultrajada em saber que espiona minhas conversar-Sorri ao pegá-la nos braços,a ergui a frente,foi como encanto vê-la me encarar-Olha para você!
E como se toda essa observação a fizesse aprender-Os seus risos foram música aos ouvidos,seus bracinhos fininhos desnudos devido a alça fininha do vestidinho,se moveram
a frente-Entendo-Brami conforme a envolvia em meu leito de acolhimento.

Acho que ela sentia a falta de seu pai,fazia tempos que ela não o via,dia,mas um tempo importante para ela.Eu estava disposta a seguir os conselhos de Redenção.Foi o que
fiz no início de mais um nascer de noite.Graças que tinha chegado cedo de meu trabalho,só sai com Isabel veio para nossa casa.Tive certeza de que ela cuidaria de Samantha,
mas eu não lhe disse o que faria ao sair.

Sai pelas Ruas da Cidade,tinha escolhido um dos meus longos vestidos de lã fina,a sandália negra em fitas era delíciosa aos meus pés,seguia seguindo o instinto que Redenção
me fazia seguir.O vento estava tão frio,que ao vir de encontro ao meu rosto,eu me sentia incomodada,os meus cabelos loiros voavam para trás,a Lua estava alta no céu,vi ás
estrelas começarem a brilhar ao longo do caminho.

Á aurora do crépusculo do fim de mais um fim de dia,presente-Dai-me a sabedória-Pedia aos Deuses,nunca me deparei numa situação dessas.Ao passar do tempo cheguei em
uma das entradas dos vários bosques que existe na fronteira da Cidade,desliguei os farois do carro (Porshe),continuei sesguindo pela estrada de terra,as pedras estalando por
baixo dos peneus do veículo.

Tudo que sentia era que devia seguir em direção a um dos lagos dos bosques,seria lá que me depararia com algo crucial.Céus,me foi artomentador vê os vagalumes voando
de um lado a outro brilhando como se me indicasse o caminho.Parei o carro,sai silenciosa.Por ter mantido os farois apagados não despertava nem um vestígio de atenção des-
necessária que pudesse me atrapalhar.

Andando a pé pelo leito do imenso lado,seguia encarando as montanhas ao longe,os passaros voando de canto a canto.Mantinha o foco,seguia silenciosa tentanto sentir a pre-
sença de Aziel."Ele não me conhece,conhece pouco de mim,isso e fato".Brami conforme andava,só que nesse momento fui pega desprevenida,foi ao vislumbrar uma sombra
longigua que me escondi detrás de uma pedra sequida,tamanho médio.

-O que é isso?-Disse baixinho,me deparei encarando Aziel de pé,ele que gritava por alguém,ele vestia as mesmas roupas,pelo visto ao longo de sua ausência aproveitará para
andar pela Cidade,se esconder nesse lugar em particular,mas por quê? Me peguei pensando,questionando-me.Olhava a cena como se fosse trevoroso,ele estava aflito por algo.
Perceptível pelo seu olhar.

"Apareça,estou aqui,novamente me espera,não e? Há uma coisa que quer de mim,que necessita,por favor,não sinta-se ofendido,estou aqui,sou seu.Não e isso que quer de
mim?".Mas por quê Aziel se encontrava bramindo essas palavras!? Me encontrei desesperada,mas mantive o controle,tive frieza para que esse comportamento fosse conquis-
tado nesse leito de desespero.

"Da última vez que estivemos juntos,aqui,não me des-tes,disse que voltaria a pensar,se voltaria a cerder-me ou não.Esotu com soudades Aziel,tuas atitudes me fazem cho-
rar,esconder-me,sabe que te amo é minha necessidade me faz implorar".Vi quando o ser saiu das sombras caminhando em direção ao Aziel,o vento fez com que seus cabelos
voassem para trás."Por todos os céus sagrados,eu disse que voltaria,que deveria voltar,me encontrar aqui,e um lugar seguro,para eu e você".Céus,o que acontecia?

Era um jovem ser,alto,pele branquíssima como neve,os seus cabelos loiros voavam para trás também,o vento era forte,ele vestia-se com um longo casaco de belo corte na
tonalidade de preto mais rara que se possa imaginar,a camisa branca de linho por baixo encatadora,a calça jeans justa,as botas negras.Tudo isso me chamava atenção,foi co-
mo se Aziel se encontrasse encurralado perante algo.

Seus lábios tremiam quando voltou a falar."Não sou comida,está entendendo? O que sempre me implora,não têm preço,venha comigo,vamos entrar,tudo que quero e que
você não definhe".O ser riu,só quando Aziel deixou-se abraçar por ele,e que o reconheci,o nome me veio a boca junto ao golpe em meu coração."Hyarian,o que ele faz a-
qui?".Céus,doloroso demais! Mas para Aziel se encontrar encurralado desse modo por seu irmão imortal,e que algo muito sério estava acontecendo.

Os dois seguiram para um lugar especifico,sai seguindo sorrateira do outro lado da margem.Nada de palavras,os dois não trocaram uma palavra sequer ao longo do curto tra-
jeto.Chegaram a uma casa abandonada,antiga pelo que percebi.As tochas estavam acesas na frente da faixada,vi quando Hyarian aberrentou a fechadura rapidamente,era a
dor o consumindo,era como se algo fosse necessário para ele.

Céus,me encontrei andando apressada para saber o que acontecia.A porta fechou-se quando os dois entraram,nada e ninguém entrária lá.Pelo visto eles não queriam mesmo,
serem pertubados.Eu fui esperta,me ajeitei ao vê uma das imensas janelas,o vidro estava quebrado,estilhado devido a antiguidade com que a casa abandonada havia sido fei-
ta.Vi os dois andando na sala velha,só velas servindo como iluminação.

-Diz que dormis-tes aqui nas últimas noites,que esteve a minha espera,obrigada,só não havia compreendido quando estive aqui,quando voltei para meu lar-Foi como se
Hyarian se sentisse humilhado,ele angustiou-se ao responder-Aziel! Teve medo? Não era minha pretenção,estamos em guerra! E sabe que de época e época,tenho minha
necessidade,tu quando vivia conosco a saciava,não á tenho mais-Mas qual necessidade? Era isso que se passava em minha mente.

Continuava olhando pela beirada da janela o que acontecia:Ao vislumbrar Hyarian andar a sua frente,Aziel andou para trás-Não tire de mim a força,não! Ainda não se se
cederei ou não-Aziel tinha o olhar apavorado,era como se isso lhe desse medo,muito meno,ergueu uma de suas mãos curvadas a frente de si,pensava-Não o machucarei,
nunca faria isso! Eu juro,juro que se não precisasse como minha mãe precisa de época e época,eu o imploraria como estou implorando nesse momento-Aziel ofegou.

Deixou-se fechar os olhos em pensamento,ao encostar-se na parede se deparou sendo fisgado por Hyarian-Não vim para isso,chega! Não me faça sentir tudo aquilo nova-
mente,chega Hyarian,entendo sua mágoa,sua angustia,mas procure outro alguém,tens a Alexien,A Kalawina para tirar o que precisa-Hyarian o encarava em vislumbre,ter
as mãos sobre os ombros de Aziel lhe dava conforto.

-Seu sangue é humano,vivido,não e o que acontece com elas apesar delas deterem os dons bruxescos,mesmo sendo imortais como eu-Angustia se passou no coração de
Aziel-Ah,céus!-Para ele a noite estava sendo horrenda.Aziel se deparou sendo encurralado contra a parece,vi quando Hyarian o comprumiu contra si ao deixar seus dentes
entrarem na garganta de Aziel,foi como dor,a dor que correu Aziel por completo.

-Me larga,me larga!-Impossível,essa era a realidade,conforme Hyarian solvia o sangue,o bebia delicadamente,vi como Aziel se envolvia com aquela maldita dor,ele movia
suas mãos por trás das costas de Hyarian,era como um abraço,só que apertado,Hyarian não quis responder,tudo que deseja era continuar.Vi quando Aziel moveu o rosto pa-
ra cima,como seus lábios delicados,rosados,se abriram em dor,trémulos.

-Me solta-Voltou a pedir,a rogar,mas novamente não foi correspondido,e vi como reagiu ao perceber que Hyarian afastará-se o olhando,tinha as mãos curvadas em pressão
sobre seus pulsos o prendendo contra a parede-Por favor,não tenho que voltar a pedir-lhe novamente Aziel-Não imaginava que imortais tivessem necessidades como essa.
Aziel o encarava atônito,beirando ao desespero.

-Nunca vou me livrar de você,admito,agora vendo em seus olhos,eu vejo que e impossível-Foi a resposta que Hyarian precisava,ele deixou seus lábios se encostarem sobre
os de Aziel,vi quando Aziel moveu o rosto de lado ao sentir-se ameaçado,o gosto de algumas gotículas de sangue nos lábios de Hyarian o havian irritado-Vamos acabar com
isso! Preciso ir embora,preciso me reencontrar com minha filha,duas vezes me fez esperá-lo aqui ao longo desse tempo,e nada.Me deixa livre-Hyarian o olhou ao vê-lo andar
em direção a uma mesa de madeira pesada.

Ao sentar-se sobre ela,vi como Hyarian tremeu ao vislumbrar a lámina que Hyarian tirou do bolso de seu casado (Um mero estilete).Aziel o olhou tomado de fúria quando a
lámina deslizou pelo seu anti-braço.Céus,Hyarian havia puxado o braço dele,desferido aquele corte profundo-Obrigada,lhe promero irmãosinho que darei notícias suas a nosso
pai-Severidade,Hyarian curvou-se deixando os dentes entrarem na densa carne.

-Vai para o inferno,e isso que merece,sabe meu ponto fraco,e faz proveito-Aos poucos vi como aquela perda de sangue fazia Aziel queimar,uma febre ardua,mas necessária.
Vi como transe,ele tinha seus olhos fechados,o riso apareceu em seu rosto,Hyarian se mantinha silenciado,quieto,bebia com vontade,ele sabia que Aziel não teria coragem de
lhe negar,ía até o limite.

Mas foi no momento em que Hyarian parou,quando olhou para Hyarian que algo se passou na mente de Aziel-Não está com dor,está? Ah,céus! Aziel se mantenha acordado-
Aziel o olhava tonto,já não sentia mais nada! Foi quando algo se passou em sua mente,ele olhou para o nada,antes de voltar o olhar para Hyarian-Vamos! Agora vejo que
me mataria futuramente,que iria a minha casa em meio a noite,que você só de ódio me mataria! Não mente! És tão incrépulo Hyarian.Me odéia por não aceitar.Quer me con-
denar? Ah,então? Esse e o momento-Hyarian da razão foi ao descontrole.

-Finalmente entendeu-O grito de Aziel foi fino,delicado-Tudo bem,verá o que o sangue tens a lhe dar Aziel-Foram as últimas palavras antes de Hyarian agir com furtilidade,os
dentes que se enterram na carne de Aziel novamente.O espanto me foi destruídor,ás lágrimas foram frias para mim."Mal...Mal...Maldito".Me deparei falando,foi quando senti
o pior golpe me tomar o coração,escorreguei me sentindo mal,triste,tonta! A pedra debaixo de meus pés rolou para o lado,a atenção de Aziel foi chamada.

Soube naquele momento que estava seriamente encrencada-É o que vejo? Não seria louca!-Ele se viu falado para mim ao perceber minha presença.Apaguei,desmaiei na ho-
ra.Me vi tombando ao chão,só ouvi Hyarian falar-Pegue-a! Algo pode acontecer com ela-Barulho quando a porta de abriu,nada mais me foi sentido,mas eu sabia que naquele
momento Aziel estava disposto a aceitar o sangue.Não esperava que a mudança me fosse tão imediata,ao vê-lo,ver em seus olhos.A intervenção que pelo visto causará trans-
torno em Aziel e Hyarian.O apagão mental que eu não esperava,não acreditava está passando.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qui 21 Out - 10:49:44

Tudo me foi inesperado,mas nem sempre,eu estou preparada para esse tipo de coisas.Mas se pode acreditar que ás pessoas podem sobreviver a esse topo de situação?
Faça e veja como positividade,Sara,por quê foi dessa forma que minha pessoa passou a vislumbrar ás coisas ao decorrer dos acontecimentos.Sinceramente minha pesso-
a se manteve na retaquarda,foi como se dê certo o pressentimento se tornasse revolto.

Foi com essas sensações que me deparei despertando,com o chamado initerrupto de Aziel,senti sua mão batendo sobre meu rosto com leveza,ele media a pressão com
que fazia isso,a tontura me foi imediata,transcorrendo meu corpo,primeiro vislumbrei seus olhos verdes para depois vislumbrar seus cabelos vermelhos,ele havia ficado de-
sesperado com o que acontecerá comigo.

Sua transposição de pensamento me foi maravilhosa-Lilith,que bom querida,que bom!-Ele me apertava medindo sua força,era como se ele soubesse de minha fragilidade.
Como se ele soubesse que na sua condiçao de homem,teria que medir sua força agindo e se comportando desse modo.Seu perfume me foi sentido,delicado,mas forte ao
está perto demais dele.

Ele me mantinha deitada de lado,me apertava contra si,deslizava sua mão livre sobre meu rosto,estava sentado de encontro a parede me acolhendo como fizerá.O presen-
te momento se tornou o alívio necessário-Olhe para você,está arranhada,seu tombo da pedra foi horrendo,mas pude segurá-la antes que se machucasse mais-Ri descabida-
mente,isso o fez assentir olhando para algo.

Olhava para a frente,movi o olhar de lado vislubrando Hyarian-Eu não entendo,quer dizer,eu passo a entender,mas,mas...Ah,céus! O que vocês estavam prestes a fazer?-
Brami gemendo de dor em baixo tom-Lilith tome cuidado com suas palavras,seu desmaio e choque pelo acontecido foi terrível,és uma reles humana provida com alguns sim-
ples dons mediunicos-Ofeguei com dor.

-Entendo-Brami,respirei fundo,deixei meu rosto mover-se se escondendo sobre o peito de Aziel-Samantha está em casa Aziel,se ía perguntar por ela,saiba que Isabel cui-
da dela-Ele se sentia mais angustiado que minha pessoa,era perceptível que enquanto eu não acordará,ele havia chorado,o calor de seu corpo demonstrava isso.Conforme
passou-se alguns segundos Hyarian disse rispidas palavras a minha pessoa.

-Como chegou aqui?-Me mantive silenciosa,pensativa,olhos fechados em descanço,está no leito de Aziel era muito bom-Me conhece muito pouco,Hyarian,tenhos meus con-
tatos.Redenção me protege deste pequena-Isso o fez afastar-se,atenuar sua quietude rispida-Eu entendo,quer dizer então que seus dons mediunicos permitem que tenha con-
tato com esse ser? Pode me dizer quem ele é?-Quis saber.

-Hyarian não pergunte mais,estou envolto em uma situação complicada,está entendendo?-Isso fez Hyarian responder bravamente a oposição de Aziel-Não,calado você.Eu
não disse que á odiava,Aziel! Mas deixei claro que sinto ciúmes-Ri com meu jeito descabido-Ciúmes? Ah,céus,que loucura.Inveja de mim? Dizem que tu nasces-tes imortal.
Então deve saber absolutamente nada do que é ser humano-Isso o deixou sem palavras-Ah,sim,entendo.Acha mesmo? Eu posso chorar,sabia? Sabia que sinto tristeza? Eu
tenho meus momentos,e atualmente muitos deles se encontram destruídos-Me mantive quieta.

-Hyarian esqueça querido,para-Pedia Aziel,foi quando percebi que Hyarian havia tirado seu casaco,que ele se movia a nossa frente-A mantenha,assim,preciso ajudá-la,eu
quero que saiba que já estou me retirando-Aziel tremia,os tremores circundavam seu corpo,senti pelo seu jesto,foi quando ele deixou-me deitava sobre o chão após Hyarian
estender o casaco-Pronto,serei rápido,resumidamente isso-Ofeguei olhando para o teto.

-O que vai fazer!?-Bramia Aziel,ele sentia o nervosismo beirar a loucura-Nada,será simples,sabe disso-Respondeu seu irmão,foi quando vi ele deslizar as pontas de seus de-
dos entre os dentes com uma delizadeza espantosa-Não se assuste,seus arranhões vão fechar-Bramiu ao deixar as gotas cairem sobre minha pele,ele ia passando em movi-
mentos circulares.

Primeito foram meus braços,depois ombros,por mim os tornozelos e joelhos-Vai passar,pode me dizer se a dor já pasou?-Respirei fundo,me movi com a ajuda de Aziel,saber
que estava diante de um monstro,mas muito bem educado,me assustava,me recolhi como uma garotinha,movendo minhas pernas contra mim e braços a frente-Sim,estou,o-
brigada-Isso fez com que Hyarian reagisse de modo inesperado.

-Tenho que admitir.Demorou,mas tenho que admitir,sabe por quê? És perfeita demais para que seus dotes não tenham encantado Aziel.E claro o motivo de tudo isso.É isso
me irritava,tenho que repensar em muitas coisas ao chegar em casa,menina-O olhei assustada,Aziel deu-se a andar a nossa frente,estava tão nervoso que se a loucura o to-
masse naquele momento,iría parar em um hospício.

-O que ía fazer com Aziel ? É isso que me assusta,que necessito saber!-Hyarian moveu-se voltando a ficar de pé-Quem sabe levá-lo de volta,cumprir o que tanto almejo.
Necessitava de algo,entende Lilith? Encontrei esse algo quando Aziel tinha seus quinze anos,mais ou menos essa idade.Lamento que coisas inesperadas tenham acontecido.
Mas agora,vejo que não,teria sido um erro entanto-Aziel se sentiu arrepiado,voltou-se postrando-se atrás de Hyarian-Por favor chega,deixe-a em paz-Pediu.

-É isso? Agora que tenho a change de conhecer melhor tudo isso,me nega a change?-Vi quando Aziel andou para trás,quando Hyrian virou-se o encarando-Sim,sinceramen-
te não e do meu agrado tentar entender algo que não e de teu feitio!-Furioso Hyarian ficou,desferiu um tapa no rosto de Aziel-Covarde és! Herdas-tes muito pouco da cora-
gem de Lestat,muito pouco! E espantoso Aziel,espantoso como vejo em teus olhos a fraqueza humana que ele teve-Silêncio.

Isso tinha deixado Aziel magoado,voltou o olhar choroso para Hyarian-Me magoas! Sabe que não e isso,nunca será-Hyarian moveu o rosto negativamente,foi quando isso
alertou-me para o que tinha que fazer-Aziel esqueça tudo isso,não e você ou Hyarian,sabe? Sou eu,eu e que estou enlouquecendo-Danei-me a chorar,meus ombros sacudin-
do devido ao ato.

-Ah,céus!-Me deparei com Aziel se apressando em me abraçar-Céus,maldito seja quem a mandou vir aqui! Eu ía voltar para casa,não teria que presencia sua magoa-Eu o
olhei-Será mesmo? Será que ía mesmo voltar? Aziel tu estava prestes a ser tomado pela sua obscuridade,não restia contra ela,imagine ao recebe ro sangue!-Foi como um
pequeno grito ecoando pelo lugar,Hyarian moveu-se parando de pé encostado no vão da porta da casa,tinha seus braços cruzados.

Seus ferozes olhos cinzentos pousados sobre mim me foram como prísma de trevas-Sabe muito pouco da natureza negra,Lilith,muito pouco.Quando jovem,ao passar por
uma de minhas faces de crescimento,quase morri,entende? Eu fui o preço de um acontecimento,todo preço caiu sobre mim,e lhe garanto,para me livrar,tive que descer ai
inferno-Andei a frente,isso me espantava.

-Tu um bebê?-Não conseguia imaginar-Sofrimento para crescer? Me explique Hyarian-Ele riu de lado,secamente.Voltou o olhar ao irmão querendo tirar algumas dúvidas-A
sua filha,não disse como ela é,Aziel.Ficas-tes de me cumprir essa promessa-Aziel o olhou silencioso,se controlava para não cometer um erro-Samantha está bem! Lhe disse
que quanto a ela,minha indolé e inquebrável,apesar de ter me implorado para conhecê-la-Isso fez Hyarian se silenciar.

-Entendo,não e de minha importância,correto?-Aziel andou a frente,pelo visto Hyarian estava prestes a ir embora-Não quando se trata de minha família,prefiro manter isso
em sigilo-Hyarian pensava ao olhar para o teto-Tudo bem,entendo suas condições,mas esteja ciênte:Se eu e mais alguém tivermos que intervir para intervir,caso algo drás-
tico acontece,nós vamos,e não vamos ter piedade,está entendendo?-Aziel se irritou,era uma ameaça.

-Não maldito,não seria louco de deixar minha filha a mercé de mãos não-humanas-Hyarian riu das palavras de Hyarian,vi quando as pequeninas presas ficaram a amostra
por alguns segundos.O seu cabelo era tão loiro é brilhoso que parecia um lustre de tão luxuoso-Tudo bem,a história dará a palavra fina,Aziel,mas bem! Eu preciso ir,fico gra-
to pelo momento-Aziel gemeu de dor,foi quando a tontura e dor o fez mover os dedos de uma das mãos sobre sua garganta.

-Ficará bem?-Hyarian quis saber-Vai embora,eu vou ficar bem-Quando Hyarian estava prestes a ir embora,algo saiu da boca de Aziel ao tomar conta dele-Hyarian! Mesmo
te odiando,quero que saiba que quando precisar,suprirei sua necessidade,foi um pacto para que não tenha que pedir a pessoas desconhecidas sem que as mate-Hyarian con-
siderou isso presságio-Eu preciso me tirar.Coisas grandes me esperam,juro que não direi nada ao Lestat,nada-Aziel ofegou alíviado.

Quando Hyarian saiu fechando a porta,foi como Aziel sentisse o peso do alívio,ele desabou para trás me fazendo o segurar por trás em passos apressados-Querido!?-Ele o-
lhava para frente,gemia de dor,angustia-Ah,céus! O que fiz para suportar coisas dessa natureza?-A quietude pairou de vez entre eu e ele.Íamos embora,mas isso era algo
que ele decidiria,já que ele precisava se recompor,mas veríamos.Tudo que sabia e que ele ía voltar para casa,minha presença o fez desistir de aceitar o sangue.Nem eu en-
tendi o por quê-Nosso elo e importante demais para eu aceitar Lilith,tua vinda me passou esse presságio-Loucura,o passar do tempo foi real.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qui 21 Out - 12:03:06

Entende quando e chegado o momento de continuar? Foi o que aconteceu ao saírmos,quando eu e ele seguímos abandonando o lugar.Seguimos até encontrarmos
o carro a nossa espera.Ele viu as chaves no lugar e entrou fechando a porta.Não quis brigar com ele para poder dirigir,era algo que somente ele desejava,com isso mantive meu
controle em retarquarda,em alerta máximo.

O jeito como ele moveu as mãos pela direção ao me vê entrar fechando a porta lhe foi a segurança para que ele pudesse seguir-Saiba que tudo que presenciou era custu-
me entre eu e ele,Lilith-Não respondi,mantinha minha atenção a frente,ele acelerou para poder começar,seguir viagem-Aziel se tudo que sente por ele ainda e tão forte! En-
tão por quê negas-tes ao me vê? O que realmente sente,Aziel? São esas as dúvidas que se passam na minha mente ao averiguar a situação-Isso o deixou silenciado.

O vendo rugia ao seus ouvidos,ele pensava,os cabeços voaram para trás,vi como o sangue ainda brotava de sua pele,do lugar em que os dentes de Hyarian havia entra-
do,penetrado rasgando a tenra carne-Não queira entender,aquilo,a sua presença,tudo isso me abala,compreende? Lilith és a única que faz isso comigo,faz minhas intenções
e conceitos próprios desmoronarem por Terra-Que doloroso ouvir tais palavras.

-Desculpe então Aziel,parece que fui o mal que vistes-Ele riu de lado,foi como vislumbre me deparar com seus sedosos lábios se alargando daquele modo-És a única que me
fez deixar de ser egoísta.Era muito egoísta,em toda minha vida sempre fui egoísta,mas você? Tudo isso é precioso demais para que eu possa perder sem justa causa,sem lu-
tar por ela e ter motivos para entregar-me ás trevas que Hyarian deseja me condenar,entregar-me nas mãos-Silêncio.

E foi dessa forma que saímos do bosque,que Aziel pegou a estrada comigo de volta para casa.Fiquei pensativa,era como uma miragem acabando por ser destruir."Sabe que
cedo ou mais tarde,ele terá que fazer a escolha dele.Aprenda a conviver com o amor dual dele".Ofeguei,essas palavras ecoaram nos meus ouvidos durante viagem,toda mi-
nha mente sentiu-se tomada por esse tipo de pensamentos.

Não demorou para finalmente chegarmos,durante todo tempo de nossa volta,a quietude pairou sobre Aziel,ele gemia de dor,estava febriu,mas sobreviveria,eu sabia que ele
teria forças para se curar,se reerguer-Vou cuidar de você,e tudo que precisa fazer nesse momento Aziel-Isso o deixou angustiado,mas pode entrar comigo ao estacionarmos.Eu
sabia que Isabel estava em casa.

A lembrança e dela se espantar ao entrarmos,Aziel tinha uma de suas mãos pousadas sobre o ferimento do braço-Céus,o que e isso!?-A frebre ardia,Aziel ardia com dor,todo
incomodo que se possa imaginar-Nada Isabel,mas por favor só quero ter certeza de que Samantha está bem,antes de sair-Ela ofegou,deixou o olhar pairar sobre eu e ele-Sim,
ela está bem,dormindo em seu quarto-Aziel riu mesmo ao sentir dor-Obrigada querida,pode ir em paz-Foi o que Isabel fez ao lhe garantirmos que ficaríamos bem.

Quando no nosso quarto fechamos a porta,vi quando Aziel sentou-se a beira da cama ofegante-Fique calmo,será rápido-Ele compreendeu a mensagem imediata quando me
viu ir em direção ao armário.Lá de cima tirei a caixa com medicamentos e curativos.Ele vislubrou-me quando me esquivei a sua frente sobre o chão-Lamento por ter que fazê-
la passar por esse tipo de situação-Bramiu ao começar a desabotoar a camisa.

Algumas manchas de sangue presentes,o que me deixou triste-Céus,odeio me deparar com essas coisas-Agora,sim,minha pessoa se deixava comer a pensar para resolver a
questão,simplesmente eu aceitei a chegada do momento correto-Quando preparei algodão dei-me a limpar o corte no braço-Aziel ainda pensa em rever seu pai?-Isso o dei-
xou pensativo,quieto.

-Não Lilith,sabe que prefiro dá continuidade a minha contrução e criação-Isso fez-me pensar profundamente,nem sempre queremos ouvir isso.Pedi para que ele se senta-se en-
costado no espelho da cama.Quando fez me sentei a sua frente com as pernas cruzadas deixando a meleta de medicamentos de lado-Não está ardendo,isso só alivia a dor-Eu
o olhava,continuava limpando,aos poucos vi a profundidade dos ferimentos na garganta e anti-braço.

-Sim,e claro,e de se esparar querido-Ele sorriu por alguns segundos-Será que Samantha me reconhecerá?-Se auto-questionava.Algumas vezes ou outra olhava para o nada.
Pensativo.Quando dei por mim,havia percebido que terminará de limpar seus ferimentos,levantei-me pegando os maços pequeninos de algodões sujos para jogar no lixo.Eu
abri a lixeira os jogando,deixando a maleta sobre o balcão liguei a torneira para lavar a mão.

Aziel não emanava nem um movimento no quarto,a quietude me foi assobrosa-Samantha está faminta,sinceramente estou angustiada-Holocausto se passou em minha mente.
Só vim perceber a minha situação ao sair do banheiro após secar as mãos,vislumbrar Aziel ainda sentando de encontro ao espelho da cama.Ele havia apagado ás luzes para não
ser incomodado,me senti tomada pela situação.

-Não tenha medo Lilith,não sou um monstro ou muito menos um maldito-Bramiu,tive vontade de tráta-lo como uma criança ferida.Mas não foi o que aconteceu quando
o vi levantar-se vindo em minha direção.Não era miragem,mas me parecia que ele ganhará mais corpo,musculatura.Um jovem-homem,sem dúvida,isso me fez deslizar
os dedos com delizadeza sobre seu ombro e peito.

O olhava-Nossa,sinto medo,tanto medo-Ele não compreendeu,mas foi nesse momento que tive medo dele morrer,ele estava anvelhecendo,era óbvio.Ao longo dos me-
ses era perceptível sua mudança-Tu e que me provoca medo agindo desse modo-O ouvi dizer.Ofeguei me afastando por alguns segundos,mantive os olhos fechados,ao
abrí-los me deparei com sua mão me segurando firme pelos ombros.

Veio o riso delicado para depois eu sentir a ancia de beijá-lo.Agora,sim,eu compreendia o que meu sentimento e angustia dizia.Será que aquele jovem encatandor,rebelde,
o jovem que se sentia humilhado por sua família e por seus próprios sentimentos,teria coragem ou saberia lhe dar,com a situação? Ah,ele soube,principalmente ao respirar
fundo,respirar reliciosamente enquanto me beijava.

-Desculpe amosinho,tudo que devia fazer era me expulsar daqui-Disse-me me fitando,apertando firme suas mãos ao lado de meu rosto,a volta aos beijos foi esperada.Eu
e que sentia anciã depois de tudo.Conforme o beijava ele andava para trás,foi quando sentiu-me apto a tombar para trás sobre a cama,me mantive por cima dele,para a
minha pessoa,saber que ele estava em casa,me era o maior presente.

Beijar cada cantinho de seus lábios era meu presente,saber que ele estava seguro.Ele não gemeu de dor devido aos ferimentos,agora limpos,mas quando virou-se por ci-
ma de mim,pude sentir o peso e atiçar dele.Um varão jovem e masculo como ele,para mim,impossível de se obter por meios NORMAIS.Eu me deixei gemer auto quando
seus beijos me atiçaram mais o prazer.

Mais auto ainda quando ele deslizou sua mão pesada ao lado de minha cintura,a deixando ir até minha sulhueta.Ofeguei.Vieram meus gritos delicados,mas agudos ao
me deparar desesperada para abrir o ziper de sua calça,o beijando ainda ofegante-Para! Não me deixa pedindo socorro,estou para pedir socorro-Brami,melhor ainda ao
sentir sua potencialidade quando cedi de ve.

Eu rogava,implorava! Meu rosto virou-se para trás quando ele me forçou a esticar as pernas para frente,o orgão duro entrou dentro de mim-Vamos,céus! Não me dei-
xa pedindo socorro-Bramia.Até o próprio Aziel se encontrava na minha situação.Quando demos por nóis era uma transe voraz,eu lhe causava dor lhe mordendo os lá-
bios em determinados munutos.

Lhe apertava firme os cabelos ruivos.Enquanto continuavamos nossos gritos ecoavam pelo quarto,eu gritava com vontade,imensa vontade.Quando nús o fiz virar
por baixo de mim,os movimentos delicados,desejados.Eu que me curvei fazendo com que ele pudesse me beijar-Seria o pior homem,sim,e faz uso disso,dessa mi-
nha culpa-Bramiu em meio aos orgamos.

Loucura,considero enloquecedor.Quando sua boca encontrou-se com meus ceios,gritei,ele os beijava,mordia delicadamente fazendo com que meus gemidos ficassem
insuportaveis de se conter.E o que considero de escape tudo isso.Agir por impulsão até não termos mais forças.Me deixei ficar com ele deitava ao seu lado.Para ele o
melhor acontecimento era eu ter ido.Foi o que causou a perfeição de tudo isso.

Mas o escape defitivo dele foi quando passou-se mais algum tempo após dormimos,nós envolvermos nesse sono desejado.Eu me deparei desperta,as luzes do abajur
acesa.Eu levante-me pegando um de meus roupões de seda,a cor rosa clarinha me foi confortável.Sai em direção ao corredor,soube nesse momento que ele estava no
quarto de Samantha.O vi sentado na poltrona a vendo dormir.

-Está fazendo o que?-Ele virou-se me fitando-Nada querida,tentando imaginar como ela se comportará comigo,como ela dorme e nada no mundo a incomoda-Sentei-
me em seu colo,ele havia escolhido um de seus conjuntos de calça e roupão de seda,só que de cor azul-marinho-Deixa-se pensar demais perante Samantha-Isso o fez
me desferir beijos,a macies de seus cabelos agora escovados me foi maravilhosa-Eu entendo.Garanto que eu me sinto melhor-Voltei o olhar para Samantha,ela dormia
em sua caminha enrolada por sua manta de cor branca,sonhava com coisas,o modo como moveu a mãzinha me foi o recado.

O que esperar de tudo isso? Será que sobreviveríamos? Não sabia,me deixei sentar na poltrona ao vê Aziel caminhar em direção a ela,a pegar quando percebeu
que ela despertará devido a nossa presença-Nossa,está pesadinha,ganhou peso e tamanho.Sei que ela vai me destruir-Ela não havia chorado.Só dormirá demais
até mesmo depois de nossa turbulenta chegada em casa.Seus risinhos me foram apreciado quando ela olhou para Aziel.Eu pensava na cena alheia.Nada com que
possamos sonhar,averiguar.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 22 Out - 10:51:00

Nem sempre estamos dispostos a aceitar,vê como Aziel se comportava ao olhar de lado para Samantha me foi gratificante,sinceramente eu ainda começava a compreender
o que ele queria transmitir com isso.Sinceramente minha pessoa se envolveu mais e mais na questão ácida de todas ás coisas.Ele se manteve silencioso e cauteloso quanto a
situação,só depois de tanto tempo e que Aziel teve esse tempo para aprecía-la.

Samantha havia nascido,passarámos por esses problemas,e para completar só agora que ele tinha a change de vê-la por completo,assustador até mesmo para ele.Vi pelo seu
olhar que Aziel era pai,mas ele não sabia agir como pai.Diferente de ser e saber como ser.E como a filósofia ***Ser ou nao ser,és a questão***. Foi como malva de aprecia-
ção me manter sentada na poltra a observá-lo enquanto ele memorizava cada detalhe de Samantha,não só em corpo,mas em pisicológia.

Ele andava pelo quarto em passos devagantes,foi como se tudo isso se tornasse apreciador-Agora eu vejo Lilith,ela será cruel,sinceramente de uma frieza que tende a me es-
pantar-Ofeguei ouvindo suas palavras,foi como respaldo de pressentimento entre eu e ele.Samantha se sentia muito melhor depois de tudo,em esperar pelo seu pai e ao está
ciente de que estava com ela naquele momento,lhe fazia muito bem.

Tudo foi gradual,a certeza de que tudo e perfeito,transmutável.Sinceramente ás coisas tendem a me encantar,a me deixar envolta em apreciação e dor,por quê quando lembro
desse momento Sara,tenho uma vontade tão grande de tê-lo de volta,meu Aziel que se transmutou ao nada,se transmutou em seu próprio ego após sua morte.O rico que ele
deixou-se dá para Samantha me chamou atenção.

Era como uma ligação de alma muito forte,densa,inquebrável.Ele á colocou na caminha novamente,sentou-se ao lado da cama a olhando,passeava todo olhar por ela,foi como á
sua pessoa acabasse por terminar de memorizar todos os detalhes de sua filha.Arqueei a sobrancelha delicadamente me mantendo sentada na poltrona,vi como ele deixava Sa-
mantha apertar firme o dedo de sua mão estendida a frente dela.

-Samantha...Será que vou está vivo para vê-la crescer?-Essa era sua maior dúvida,pelo visto o fato dele está doente,a doença presente mas controlada,lhe fazia ter receio
de muitas coisas dolorosas para ele,esse era seu maior medo: Morrer e não vê-la crescer,quem sabe presenciar seus grandes atos.Intransmutável,eu sei,assim como toda a
malva de sensações espertituais que o envolvia-Aziel porquê diz essas coisas?-Ele virou-se para mim,me queimou com o olhar.

-Nem eu mesmo sei Lilith,tenho medo,já sonhei com minha morte um dia,e vistes o que senti,o que ainda sinto-Fiquei pensativa,me questionei a respeito do que fazer,se a
sua pessoa estava apta á compreender coisas dessa natureza-Não há o que temer,Aziel,chega,temo que isso atraia coisas que não são de sua natureza-Sinceramente essas
palavras o fizeram reagir.Ele levantou-se,vi quando Samantha o olhou andar: A princesinha que jazia deitada olhando de ladinho par ao pai.

-Temo por muitas coisas,Lilith,desde que nasci tenho inimigos,minha família os mantém longe de mim,e vés o que quis lhe falar,lhe transmitir meu amor.E acha que apesar de
tudo isso,eu me sinto feliz? Não,eu não me sinto feliz,queria ser um reles humano,entende? Quando falo que á amo,que amo a minha filha,que novamente envolto na loucura
desisti de aceitar o que Hyarian têm para me dá,e que você,Samantha e Lucy,são minha valvúla de escape,meu tesouro,meu motivo para continuar-Me silenciei.

Nossa troca de olhar foi profunda demais,tanto que isso me fez virar o rosto de lado ao cruzar os braços.Ele se manteve atento,apreciava minha atitude como se fosse espera-
da.Minha face corou-Prometa-me que um dia iremos visitar sua família,vê sua mãe,Louis,quem sabe seu pai Azie-Ele não me respondeu de imediato,mas quando soube que
palavras usar,disse-É isso que deseja? Que meu pai possa conhecê-la? Que ele tente entender os meus motivos?-Deixei com que ele continuasse.

-Sim-Ele sorriu devagante,pensou por alguns momentos-Ok,Lilith,tudo bem.Sei que se não prometer me considerará um maldito covarde.No momento certo prometo que eu
e você,Samantha,viajaremos para Athena-Finalmente tinhamos chegado a um acordo.Foi quando saímos deixando ás luzes apagadas,Eu e Aziel nos deparamos andando pe-
lo corredor indo em direção ao quarto.

-E você? Sente-se realmente melhor?-Ele riu-Sim,muito melhor,mesmo tendo sido doloroso,sei que valeu a pena porquê meu irmão saciou sua cede por força,o que para sua
raça de imortais e necessário-Sorri por alguns momentos-Como assim?-Ele sorriu ao responder-Hyarian pertence a linhagem do pai e da guerreira.Tompei e Thalwa,entende?
Lestat e seu pai,ele e membro do clã de tompei,Thalwa,detentora de sua própria linhagem a lenda da guerra vida,sua mãe.Ele detém a fraqueza da linhagem de sua mãe.Os
seres que pertencem a linhagem dela,tendem de época em época,precisar de sangue mais viscoso,ávido,vivido.O que os bruxos têm-Ofeguei pensativa.O silêncio pairou.Foi
assim,que eu e ele continuamos seguindo para o quarto.O descanso e dormir era eminente.

Sinceramente poder dormir como dormir essa noite,me foi o maior presente com que eu poderia sonhar.Nunca após me envolver nesse momento,tive sonhos tão ávidos e
cheios de presságios.O sol me veio quente sobre o rosto,Aziel ainda dormia,pelo visto ele não acordária tão cedo.Me deparei olhando para ele envolto em seus sonhos.Es-
tava deitado para cima,tinha um dos braços curvados para cima com a mão pousada sobre o travesseiro,é o outro a frente de seu abdômen que jazia a amostra por seu rou-
pão está aberto,desabotoado.

-Ele não acorda,é admito que isso me assusta-Brami,seus cabelos emaranhados pelo mero fato deu ter feito carinho nele antes de dormirmos definitivamente,falo de afagos
e carícias.Cada detalhe de seu rosto me era tão peculiar,particular.Assombroso como uma pessoa pode ser dotada de tanta perfeição.Era isso que se podia vê ao vislumbrar
Aziel,até mesmo nas Ruas.

O modo como o sol iluminava seu rosto era como molduta de Mozart,a pele tão alva devido o tom clarinho,os lisos cabelos ruivos,os lábios rosados como se gota de sangue
os unjisse com sua cor,foi quando me vi impulsionada a mover os dedos de minha mão livre por seu abodômen reto,perfeito.Fui subindo com os meus dedos dleicadamente,a
minha pessoa não estava preocupada caso ele acordasse.

Me mantive deitada de lado envolta nessa apreciação,e no exato instante em que pousei os dedos em sua boca macia,vi que ele detinha suaves,sutis traços índigenas.
Me deparei com essa verdade arrebadora:Um homem branco,ruivo! Tipicamente europeu,mas os traços,aqueles traços de rosto,ombros,braços,só poderia vir de alguém
descedente de índigenas.

-Adorável amorsinho-Brami antes de beijá-lo,primeiro ouvi os gemidos de sono,depois seus braços deslizando para me agarrar-Nossa,finalmente,pensei que eu não teria
forças para acordar-Eu sorri,ele que me desferia beijos no rosto-Eu admito,vejo traços oriundos de índio,céus,e doloroso,viu!? És branco! Puramente branco! Mas esses tra-
ços de rosto! E como se por detrás deles me fosse visto um homem plenamente índio-Ele me chamou de louca.

-Ah! Por favor! Não dê palpites desses detalhes por quê eu sei com maior profundidade os motivos-Ele moveu-se sentado-se na beira da cama,o vi de costas começando
a abotoar seu roupão,a cor azul-marinho tão nitida,a calça delicada,pura seda.Mesmo sonolento ele pode caminhar em direção a porta,o segui até o salão de recepção,ele
viu se deparou com o telefone tocando.

Atendeu antes deu me direcionar para a cozinha-Lucy,ligas a essa hora,deve ter motivos sérios-Bramiu,foi nesse instante que fui a cozinha,pelo visto ele precisava saber
o que se passava com ela.Tudo foi gradual,cheio de fervor,maravilha! Com o tempo ao está procurando ervas para algum tipo de chá,o vi entrar abrindo a geladeira em
seguida,continuava falando com Lucy.

-Tem certeza de que deseja que eu vá ao seu encontro?-Olhava para dentro da geladeira,eu enchia o brilhoso bulé com água fresca na pia para ferver a água-Ele virou-se
me fitando-Chá? Ah,céus,chá?-O olhei antes de colocar a água para ferver-Sim,sim,céus,quero biscoitos amanteigados com chá-Enquanto falava com Lucy moveu o rosto
negativamente-Que loucura Lucy.Me espere a noite,por favor,será o melhor momento para conversamos-Ofeguei quando ele tirou a tileja com morangos,maças,banas,a-
meixas e péssegos,cortados para comer.

-Tchau,disse para esperar,e lhe garanto que se voltar a aprontar algo contra esse bebê,não desejaria mais ver sua face-Ofegou desligando o telefone-Chá! Céus,esperava
algo melhor! Café,não há pó de café fresco aqui?-Movi o rosto em negativo,o que o deixou triste ao sentar-se na mesa deixando o telefone sobre ela-Temo pelo meu filho.
Lucy se sente melhor,mas não recuperada,admito que ela clama por minha presença.Ligou para Isabel,sabe? Ainda agora,quer que ela esteja com ela até eu chegar a noite.
E como se ela quisesse de destruir-Ofeguei pensativa.

Andei em sua direção-Aziel,fique frio,tens que usar de sua artimanha para fazer com que esse bebê tão importante para você,nasça-Ele pensou por alguns segundos.Olhou
para mim ao ver-me sentar a sua frente á mesa-Ellenos não será um bruxo completo,mas? Sei que a sua suavidade com que está sendo constituido me será maravilhosa,a
vontade e ácida,e como vés Lilith,imensa,ácida e apaixonante-Isso me fez rir.

-Disse que o via com uma magnanima imensa.Ellenos Cyrus,espero que seja como vés:Que ele possa ser um menino entanto-E foi isso,apartir desse momento nos envolve-
mos em conversa densa,fiz meu chá,o café da manhã estava servido para eu e ele.Nossa,sequer imaginava que toda essa situação fosse densa,assetinada como recado dos
céus celestiais.O algo que nós pegou de surpresa foi ao terminarmos de tomá café.

A campainha tocou.Sabendo que eu preferia descansar um pouco no sofá ele pegou o que havia sigo entregue-Uma carta,o carteiro acaba de entregar-Ele ofegou quando leu
o remetente-Vitória Regia respondeu?-Brami surpreza,ele olhou-me de lado,abriu o envelope começando a lê o que ela havia escrito,me senti tomada de uma atenção que eu
não me achava merecedora,mas porém,adorável:

"Obrigada pelo álbum.Tenha certeza de que achei as imagens maravilhosas.Sabia que Samantha cresceria rápido,mas fiquei surpresa ao vislumbrar cada detalhe,como se eu
me envolvesse em todos os detalhes.O álbum está quardado,digo-vós que Lestat e Louis quase o arrancaram de mim,mas eu soube como lhe dar com a situação.

Até mais Lilith,espero nós reencontrarmos em breve".

-Nossa,que apavorante-Me deparei bramindo-Aziel quardou a carta-Vai sair mais tarde?-O olhava-Não querido,acho que hoje não seria de meu agrado-Ele sorriu-Entendo,que
bom,porque quem sabe não saímos nós próximos dias-Soube apartir desse momento que meu dia seria agradável,finalmente teria meu momento de descanso,e o aproveitaria
ao máximo.Sensações de que algo maior aconteceria.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 22 Out - 12:17:17

Sinceramente minha pessoa se sentia tomada de quietude.Eu e ele subimos,foi quando eu peguei Samantha no quarto,sabia que minha pequena estava com fome,que sua
pessoa rogava por algum alimento.Ela havia acordado a pouco tempo,mas apesar de tudo,eu sabia que sobreviveria.Aziel estava a procura de seu Laptop quando sua pesso-
a vislumbrou o momento em que desabotoei os bostões a frente de meus ceios.

O mamar de Samantha foi imediato,nunca a vi com tanta fome,eu me assombrei ao vê-la curvar suas mãozinhas sobre o ceio-Céus,faminta,e como se todo seu organismo
durante toda noite tivesse se preparado para isso,a quietude pairou de verdade sobre o quarto.Foi quando Aziel voltou a procura de seu Laptop,Samantha era voraz,mamava
com vontade,senti quando ela moveu suas perninhas para frente-O que procura? E seu Laptop? Há algum motivo em espécial para procurá-lo?-Ele me fitou.

-Sim,e claro,preciso que tu me ajude a fazer algumas pesquisar.Ía comentar ontém,mas não deu-Ofeguei compreendendo.Foi como respaldo para algumas atenções em espé-
cial.De uma sutileza que até minha pessoa se sentiu assombrada.Voltei a atenção a Samantha,foi quando vislumbrei sua pessoa me fitando,ela que me olhava com seus olhos
cinzentos,deslizei uma das mãos sobre seus cabelos macios,finos por ser ainda tão bebê.

-Não me imaginava passando por uma situação dessas-Brami para eu mesma enquanto a fitava,suas bochechas rosadas me faziam pensa em maças,principalmente quanto a
cor de sua boca tão rosada e macia.Aziel continuou procurando seu Laptop,ao encontrá-lo pediu para eu o encontrar no salão de recepção-Tudo bem,se precisa de ajuda,quem
sabe eu possa ajudá-lo em algo-Mas primeiro eu tinha que amamentar Samantha.

Ela fechou os olhos deixando-se cochilar,esse processo se deu devido ao processo de saciação,soninho desejado,descanso que só ela merecia nesse momento.Céus,era como
se ela soubesse tudo que acontecia.Me deixei vislumbrar cada detalhe de sua pessoa.Só quando ela terminou de mamar e que soube que precisava tomar banho.Eu mesma
tive a iniciativa com que ela pudesse relaxar.

Eu lhe dei banho no banheiro,isso após pegar uma de suas toalhas macias em uma das gavetas do quarto.Ela chorou muito,foi como um choque sentir a água tocar-lhe o cor-
po tão quentinho até o momento-Nossa Samantha,sua rebelação me encanta-O choro ecoava pelo banheiro,havia escolhido a banheira para lhe dar banho.Quando terminado
eu a enrolei na toalha-Tadinha,lamento amor,mas e preciso-Quando em seu quarto a vesti.

Havia escolhido um de seus macacões macios de algodão,a cor pérola me encantou quando a vi deitada sobre a cama,coloquei luvinhas negras de lã,sapatinhos delicados fei-
tos do mesmo tecido-Céus,agora,sim,ela dormirá com vontade-Foi como previ ao vê-la fechar os olhos em rebelação ao momento,a touquinha negra,o requinte de toque final.
Me deparei saíndo do quarto voltando ao meu quarto.

Arrumei a cama,me deparei pensativa,envolta em pensamentos.Quando chegado o momento fui ao encontro de Aziel,apartir de então comecei o processo junto dele para que
ele fizesse o trabalho facultativo que tinha que fazer-Nossa,nunca vi tantas formúlas,Aziel-Brami ao vê os arquivos de trabalho mandados para seu e-mail.Tudo se tornou gra-
dual,envolto em detalhes e mensagens alheias de pensamentos.

Seguiu-se nosso momento tentando resolver aquela questão em espécial.Tanto que havíamos decidido ir para a cozinha.O lugar foi de nosso agrado devido ao silêncio.Nunca
pensei que eu tivesse a oportunidade de ensinar tanta matemática para Aziel,nem que ele pudesse me ensinar tanta contextualidade a respeito de seus textos e citéses faculta-
tivas.Sinceramente minha pessoa se sentiu ortogada a continuar.Passou-se a manhã.

Ao menos tinhamos feito metade dos calculos.Passou-se a tarde,ao menos iniciarmos o início do fim dos calculos,só quando chegou a noite e que finalmente nós deparamos
com o fim-Aziel! O que foi isso!?-Brami o encarando ao saber que tinhamos chegado ao fim-Acabamos,obrigada,mas vai mesmo sair comigo depois?-Oh! Ele ainda tinha essa
idéia na cabeça-Por favor meu amor,seria o mais sensato a fazer depois de tudo-Ofeguei,o vi segurar firme minha mão.

-Tudo bem Aziel! Sei que se eu não for,tu ficarás revolto-Ele sorriu docemente-Tudo bem,vamos para o quarto,lá podemos nós arrumar,acho que eu não deva demorar.Que-
ro poder ir ao Teatro,quem sabe depois á um restaurante para comer camarões grelhados-Assustador.O que me deixou tranquila nesse momento foi saber que ele estava com
a medicação de anfetáminas em dias.

Por que se ao chegarmos no quarto,fosse o contrário,ele choraria,e muito ao saber que teria que tomar.Ainda bem que não foi o que aconteceu.Entrei no banheiro ao deixá-lo
a procura de suas roupas.Sabia que enquanto eu tomasse banho,ele deceria para ficar a minha espera.Foi como uma limpeza de aura para eu,poder passar por esse momento
espécial.Quando pude sair do banheiro,me deparei sozinha.

Tinha uma toalha enrolada no meu corpo,olhei para todos os cantos do quarto,nada.Aziel estava mesmo a minha espera no salão de recepção.Com o tempo me deparei ciente
do que ía vestir:Havia escolhido um vestido de puro cetim,ía até a altura dos joelhos,tinha alças delicadas,salto alto ao escolher a cor negra para unjir meus pés nessa noite.Eu
vi quando a sombra de Redenção me foi sentida.

-Vai sair está noite Lilith?-Eu ri ao olhar para olhar para ele-Sim,eu vou-Disse ao sentar-me na cadeira de frente para o espelho da linda penteadeira,lá estava meu porta-joias,
o estojo delicado de maquiagem-Por onde começar?-Brami,Redenção não me deixou em paz,mas soube o que ele citaria-Ficarei aqui,eu não seria irresponsável de deixar sua
filha a mercé do nada,se e que me permite-Arqueei a sobrancelha.

Foi quando comecei todo processo.Escolhi sombras suaves para os olhos,batôn vermelho para ser a perfeição com a cor do vestido.Ao terminar me vesti,não esperava que em
tão pouco tempo,eu me encontrasse naquela antiga forma,era como se a antiga Lilith tivesse voltado,presente! Céus me deparar comigo mesma,me foi assombroso.Escovei os
cabelos delicadamente,rapidamente me encontrei pronta.

Os cabelos soltos me foram ondas de tão lisos,macios-Não entendo,espantá-me-Minha voz ecoou como se me tomasse desprevenida.Ao escolher um de meus colares de pérola
pude sair.Ás delicadas pedras negras foram o requinte junto aos sapatos delicados de salto alto.Finalmente poderia sair! Poderia me envolver em um momento que nem eu sabe-
ria aonde ía parar.

"Não seja pretencioso Redenção,pode tomar conta de minha menina,mas não matá-la".Ele me seguiu ao sair apagando ás luzes,o vi abrir a porta do nada,o segui para saber
o que aprontária.Eu juro que se eu não tivesse presenciado aquilo,não teria chegado ao ponto de quase desmaiar.Vi os modos como Samantha o olhou,como sua pessoinha
ainda tão frágil esticou as mãozinhas a ele como se o reconhecesse.

-Querida boneca,ainda falta muito para compreender essas coisas-Redenção disse ao pegá-la.Não sabia que ele era tão forte espectralmente para pegá-la nos braços daquela
forma-Céus,como ela consegue? Como!?-Me deparei gritando.Redenção me olhou respondendo em seguida minha pergunta-Ai está a irônia,Lilith.Ela me conheceu no passado.
Pode renascer na mesma família,e claro que me reconheceria,eu fui a última pessoa que ela viu ao morrer-Quase chorei,mas tive que me segurar para não borrar a maquia-
gem.

-Pode ir querida,eu cuidadei bem dela,e maravilhoso por que eu posso contruir laços com ela-Ela o encarava,conforme ele a segurava a frente dele,ela sofria para esticar as
mãozinhas a frente,uma tentativa de pegá-lo,tocar nele.Ele fez com que ela tivesse apoio em seu ombro,o seu rostinho encostou-se no ombro dele para ela voltar a ardome-
cer.Segui pelo corredor.

Quando Aziel me viu descer á escada,levantou-se da poltrona me esperando.Ele tinha escolhido calça jeans negras,a bota curca,a camiseta vemelha em tom escuro por baixo
do longo casaco negro me foi encanto-Nossa,finalmente terminou! Está bonita,tenho que admitir-Arqueei a sobrancelha o encarando,deixei com que meu braço de curvasse jun-
to do dele.Saímos pelo jardim ao fecharmos a casa.

A presença de Redenção era apavorante,tive que admitir ao ver o táxi parar,entrarmos,essa foi a última visão que tive antes de sentir Aziel tocar-me o ombro-Acho que nada
melhor do que isso poderia ter acontecido-Bramiu aos meus ouvidos-Para-Pedi ainda olhando pela jenela do táxi.O táxi seguiu viagem,foi quando senti ele me apertar firme por
trás,me senti jogada a frente-Aziel não seja tão insano,não seria própicio-Ele riu.

-Própicio? Não me conhece mesmo-Risos vindo dele,foi quando deixou seus lábios me roçarem o pescoço,essas investidas e pequenas orgias me foram sentida durante toda via-
gem.Seria uma noite entanto.eu soube apartir do momento que ele se comportará desse modo.Foi como se sua pose de homem,tivesse dado lugar a um moleque alheio.Isso a
meu vê me faria me deparar com nostálgias.

Foi assim durante toda noite,a noite que foi longa.Sinceramente nem sempre somos própicios a entender certas coisas. E nem tente entender,isso Sara,mas vai entende ro que
aconteceu a seguir,conforme eu continuar e passar parar para o próximo momento:Era noite fresca,eu passará o dia seguinte organizando algumas coisas com Aziel,ele após ter-
minarmos tinha ido visitar Lucy.

Ainda bem que ela estava bem,soube ao conversar com ela antes dele ir ao seu encontro.Eu estava no jardim aos fundos da casa,ás luzes acesas me eram acolhedoras ao
está bebendo chá gelado.Pensava na questão de Samantha,pelo fato dela ainda tão pequenina,poder ter contato espectral com Redenção do modo que demonstrou fazer não
só naquele momento,mas também ao longo de nosso dia.

-E loucura,ela me assusta-Brami,a arvore oscilava,suas folhas reverbando devido ao vendo.Foi nesse momento que vi as estrelas,minha túnica oscilou com o vento,o vento
que veio ao encontro de meu rosto,fechei os olhos ainda segurando a caneca,essa sensação tinha sito tão gostosa que me deixou silenciada.Foi nesse apreciar de instante que
eu deixei o copo cair sobre o gramado.

Foi como se eu ouvisse Fera falando aos meus ouvidos."Falta pouco,eu sei".Ofeguei,respirei fundo voltando-me em direção a entrada.Entrei no salão de recepção ofegante.
Foi nesse momento que me ajoelhei sobre o tapete,vislumbrei as chamas da lareira-Céus,me deixa!-Era impossível,era como se ela me fizesse perder o ar.Minha consciência
deu-se como se inexistente.

Eu já não estava mais em mim,não era eu mesma."Verá o que e ser eu,verá o que e ser você,mesma".O tempo também me passou a ser inexistente.Eu não tive nexo
de tempo,só me vi como ela,caminhando em direção a cozinha,pegando aquela faca brilhante,afiada como a própria destruíção."Maldição".Me deparei falando.Tive medo,
eu tive medo ao me ver subindo,entrar no quarto de Samantha e vislumbrá-la me fitando,ela chorava.

"Para!".Sons,barulhos,tudo isso me foi melhor atenuado,melhor sentido e ouvido.Barulhos ecoaram,o reverbar que me vez apagar.Não sei como,mas fiz uso de minha pou-
ca força naquele momento.Eu percebi quando ele subiu,chegou.A presença dele me foi destruídora-Aziel-Me deparei falando,era como se aquela maldita falava através de
minha própria boca.

Desci ao seguir pelo corredor.Ele fitou-me do alto da escada-Há?-Se viu bramindo ao se espantar,era como se ele tivesse visto o cemblante de Fera em minha face,uma
traíção para sua pessoa.O barulho de meus passos foram ouvidos,não era eu,nem ela,céus,era uma outra pessoa diferente de tudo que se possa imaginar.Ele andou a fren-
te,me viu parar a sua frente.

Ele tinha raiva,uma fúria que nem eu compreendia.Juro que ele quase me quebrou os ossos da mão ao segurar com força a mão que eu segurava a faca-O que fez com
Samantha,sua vadia?-Minha visão estava turva,tão turva que quase não o enchergava direito."Aziel,Aziel? Me ajuda!".Foi como se minha consciência própria tivesse gri-
tado aos mil ventos por ele.

-Verá o que e ajuda-Bramiu antes deu apagar em seus braços.Ele me segurou temendo que eu me machucasse.Voltei a mim quando me vi gemendo,gritos finos saíndo
de mim,ele tinha uma de suas mãos sobre minha cabeça,apertava firme-Vamos,preciso saber de pode falar comigo-Era como se aquela coisa tivesse sido espulsa por ele.
Pela vontade dele.Deixei meu rosto mover-se de lado,estava suada,desgastada.

O salão de recepção estava escuro,só a lareira acesa-Está realmente ai,Lilith?-O olhei,foi quando as lágrimas me vieram,havia ficado chorosa,mas não chorado por com-
pleto.Ele ajudou-me a sentar no sofá,sentou-se na poltrona,fiz com que o cobertor me acolhesse,segurei a caneca com chá quente,fumegante-Quase fez uma loucura,sabi-
a disso? Falo de Samantha-Bramiu raivoso.

-Não foi! Não estava preparada para isso,o modo como ela...-Parei de falar,encarando o chá percebi que eu,eu,havia gostado daquilo-Se fosse assim,teu coração não te-
ria permido isso,não teria! Essas coisas funsionam pelo coração,és insana quando permite uma coisa dessas-O olhei,estava assustada,tão assustada! Os trovões me vieram
aos ouvidos,só agora que percebi que tinha começado a chover-Desculpe-Falei ao sentir a dor me consumir,agora,sim,eu chorava,pensava.Loucura! O pior e que eu havia
gostado! Sentia como se as particulas dela ainda circundassem meu corpo,uma união que até então não havia compreendido,tive medo,medo por que começava a compreen-
der.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 23 Out - 14:09:12

Nem sepre podemos comprar guerra com as verdades de nossas vidas.Alias! E como se as coisas se transmutassem e se transformassem em prol de nossos
desejos.Foi dessa forma que acontecia,eu bebi alguns goles do chá que ele havia me preparado.minha mente ainda circundava a perfeição com que desejava
alcançar.Foi como abraços alheios,o perfume da erva com que ele havia feito o chá me tomou.

Sinceramente minha pessoa se envolvia em mais apreciação,ofeguei quando pousei o chá na mesa de centro,Aziel que até o momento quis se calar,deixou-se
pensar por profundos momentos-Lilith preciso saber o que acontece.Não deixo de comentar o quão minha pessoa sentiu-se ameaçado quando cheguei,me depa-
rei com seu estado-Ofeguei.

-Aziel foi como á malva do vento,está entendendo? Consegue compreender algo dessa narureza querido? Entende quando algo lhe toma e não perdoa? Foi como
aconteceu-Ele pensou profundamente,deixou-se ressentir por alguns aspectos de toda situação-Ah,mas isso poderia ter sido evitado,sabe que tudo isso e injusto.
Quando lhe disse,que essas coisas funcionam pelo coração e que pode evitá-las-Assenti ao compreender.

-Samantha está bem? O que aconteceu com ela?-Foi nesse instante que minha pessia sentiu-se tomada de preocupação,não conseguia imaginar a merda que eu
fiz com ela,alias! O cemblante de tempo pode ser transmutável como se nada mais importasse,está entendendo,Sara? Foi exatamente desse modo que aconteceu
a continuidade de tudo.Aziel moveu seus lábios com as mãos trémulas,ele ainda estava tão assustado ao pensar no que podia ter acontecido com Samantha,que
sequer conseguia imaginar.

-Ela está bem,tudo que lhe peço que e que possa compreender.Tu gostou do que aconteceu,Lilith! Ai está a causa que me preocupa-Isso o deixou tomado de fúria.
Agora,sim,eu conseguia enchergar com profundidade em seu coração.O que se passava perante minha pessoa eram cenas horrendas a respeito do que acontecia.
-Cale-se Aziel! Não sejamos insensatos,tudo bem!?-Isso o deixou mais furioso ainda.

-Pede-me coisas que me são impossíveis,não estou disposto a voltar a envolver minha família em causas que podem destruí-la! Acha isso justo? Acha que seria do a-
grado de qualquer um que eu conheça,entrar e me deparar com esse tipo de coisas?-Agora compreende quando senti-me ultrajada?-Foi como se toda fúria tivesse
caído sobre mim,ele me segurou com tanta força que temi por minha vida.

-Ainda sente-se tomada por ela.O meu medo e que você,gostou,não posso negar que vejo isso em seus olhos,Lilith.Covardia de primeiro polo de vida-Me largou ao
terminar de pronunciar as palavras,o fitei silenciosa,deixei-me andar pela sala por alguns segundos-Novamente lhe afirmo que se acontecer algo com Samantha,nes-
sa vida não terá mais volta,entende?Não haverá mais volta,já que tu não pode ter mais filhos-O olhei atônita.

-Veremos! Maldito és,maldito sempre serás! Me trata como se eu fosse má,uma feiticeira do auto patámar da feitiçaria negra.Acha que sou o quê? Tão cruel como tu
pensa,ser?-Ele ofegou tomando ar por alguns segundos,foi como se a destruíção o tomasse por completo.A chuva continuava caíndo do lado de fora,furiosa,trovões
ecoando por todos os cantos do céu da Cidade-Não,não vejo dessa forma,mas e apenas questão do mau plantar sua semente,que ela brotará com o templo,e quan-
do veres,não haverá mais volta-Bati em seu rosto.

Isso o fez querer brigar comigo,céus,quando vimos tinhamos nós envolvido em uma briga ferrenha,ele me sacudia,eu cheguei a arranhar seu rosto.Só quando Reden-
ção interveio e que nós afastamos,ele apontou o dedo para mim-Maldita! Não sabe da verdade! Pensa que pode controlar,mas não pode! É isso que quero que enten-
da,Lilith!-Redenção o segurava por trás,me virei de costas cruzando os braços,fitei ás escadas-Maldito tu és,não eu,Aziel-E só quando ele retomou o controle e que o
Redenção se sentiu apto para falar.

-Samantha precisa de cuidados,parem de brigas,céus,o pior já passou,não intervim por quê sabia que tu estava para chegar,Aziel-Aziel o olhou delicadamente,deixou
as mãos fecharem em punho-Dá próximoa vez mate-a!-Não o respondi,não quis responder a essas ameaças,o deixei subindo ás escadas angustiada,tomada de medo
pelo que acontecia com nossa filha.

Subi ás escadas em choro,chorava silenciosa,mas aos poucos comecei a me conter,não estava disposta a fazer com que minha filha sentisse minha tristeza,quando á vi
ao entrar no quarto,vi o cemblante de seu rostinho corado,ela chorava como se se sentisse humilhada pelo acontecimento-Desculpe querida,desculpe fazê-la sentir es-
se tipo de coisas-Foi como dor intensa me tomando.

A peguei nos braços,foi como se minha presença a tivesse feito parar de chorar,lhe transmitisse calma-Céus negros,falo como teu pai.E como se minha vida tivesse muda-
do a tal ponto que eu me sinto humilhada-Ela estava tão pesadinha que me sentia maravilhada.Nem um arranhão nela,vi quando ela me olhou ao erguê-la a minha frente.
O choro dela passava,os grandes olhos cinzentos me foram o encanto que precisava.

-O que eu fiz para merecer isso,Samantha?-Me questionava como se a necessidade me fosse necessária,adorável.Só ela para me fazer retomar o conforto nesse momen-
to,foi como se o momento de terror tivesse ido embora,sido destruído por ela.A mantinha junto a meu ombro,seu rostinho pousado sobre meu ombro lhe dava apoio,prin-
cipalmente sabendo que era eu.

-Podem tentar me humilhar,mas poucos conseguém-Acariciava sua cabecinha,seus cabelos finos é macios me pareceram carícia ao toque,aos poucos ela se acalmava,sua
pessoinha sentia e aceitava minha presença.Ouvi os passos de Aziel pelo corredor,ele tinha acabado de subir á escada,quando o vi aparecer no vão da porta me foi uma
visão-Ainda pensando? Não seja tola,ainda não compreende o medo que tive-Ofeguei.

Só quando deixei Samantha em sua caminha e que voltei-lhe a atenção,ele me visionou por completo.Sai do quarto fechando a porta,fazendo com que Samantha ficasse
silenciosa,livre de nossa conversa-Calado maldito,me chamou de vadia naquele momento.Acha que não ouvi? Que fiquei feliz?-Ele manteve os braços cruzados,respondeu
como se fosse o nada a questão.

-Não era você,está entendendo? Chamadia de vadia,qualquer força que me possuí-se,tudo isso,já tive aquela maldita dentro de mim,e lhe garanto! Não me foi agradá-
vel-Foi nesse instante que me senti impulsionada a beijá-lo,ele se sentiu paralisado,não soube como retribuir inicialmente.A conclução de tudo foi que nossas vidas seriam
instransmutáveis,pelo visto indestrutíveis.Foi essa a sensação de tudo.

Ao longo de todo tempo.Foi nessa época que tive a certeza de tudo o que eu suspeitava.Nesse intervá-lo de tempo fui ao médio,quis fazer exames hormônais,minha nes-
cessidade falou auto.Não me senti humilhada ao chegar em casa,e falar para o Aziel,entende?Sinceramente minha pessoa esperou o momento certo para que tudo aconte-
cesse.Foi numa tarde que os exames chegaram.Que minha pessoa entrou de volta a casa após pegar o envelope.

Fui para o quarto,tinha passado o dia em casa,sabia que os exames chegariam nesse dia,necessitava de meu silêncio para ter certeza do golpe moral.Sentei-me a mesa
da varanda,observei todos os detalhes do lacré.Li todas as taxas,ao decorrer de toda leitura me senti humilhada-Ah,céus! E como uma destruíção-Me vi falando conforme
pensava,pousará os resultados sobre a mesa.

Lembro de ofegar profundamente,quando as lágrimas me vieram aos olhos de tão triste que fiquei.Até aquele momento tinha esperanças,entende,Sara? Porém elas fo-
ram destruídas com a certeza que os resultados me davam.Não podia ter mais filhos,muito menos supor,imaginar que algo pudesse retroceder a situação.Nem a nature-
za pelo visto me ajudaria a reaver a moral que toda mulher têm a respeito de sua fertilidade.

Me assustei quando envolta nesse transe de pensamento e análise,senti a presença de Aziel,ele havia chegado da casa de Lucy,vi quando o carro entrou na garagem
ao caminhar até a beirada da varanda(Sua imensa faixada).Me sentia tomada de pavor.Decidi me sentar novamente,repensar em todos os conceitos com que podemos
recomeçar nossas vidas.

Só com o passar de algum tempo e que ele entrou no quarto.Emanava seu bom gosto ao trajar uma calça de corte clássico de carmim(De cor cinza escuro),uma camisa
de linho branca por baixo do casaco negro de belo corte.Os sapatos no mesmo tom me foram o requinte de toque final,mas não como o lenço cinza ao seu pescoço,ele
se sentia pensativo ao ver-me naquele estado desmoral de sentimentos e ação.

-O que há? Parece que viu um fantasma!-Disse sentando-se á mesa,me fitando silencioso após falar-Me senti desmoralizada,entende,Aziel!? Maldita fui naqueles dois
momentos em que perdi aquelas crianças de Emanuel.Me custou caro,muito caro!-Senti raiva,olhei para o nada ao decorrer de toda uma apreciação triste que fiz á pai-
sagem.Ele olhou os papeis sobre a mesa,não os leu por própria iniciativa.

-Tinha esperanças,eu entendo-Bramiu se silenciando depois,ofegou tomando ar-Olha! Esqueça isso,tudo bem? Olhe seu estado depois daquela noite é esse momento-
Foi como reclamações aos meus ouvidos,Sara.Ele falava sério-Tome um banho,tire esse roupão e calça de seda,sequer tomou café antes deu sair.Quem sabe podemos
sair a noite,falo de uma pizzaria,sei lá!-Quis saber o estado de Lucy.

O que o deixou transtornado-Ela está bem,aquele sersinho cresce bem,me foi agradável ver que ela se adapta rápido a questão-Compreendi.Me silenciei.Me deparei
tomada pelo momento,minha situação-Disse que isso não me importa,Lilith.É isso que queria que entendesse-Bem! O que fária? Levantei-me indo a cama do quarto para
deitar-me,ele quis falar comigo,mas rompeu a palavra.

-Me deixa Aziel,não estou bem! Me sinto desmoralidaza-Ouvi seus passos em direção a porta-Lilith não pode ficar nesse estado a vida toda,querida,mas quero que saiba
que eu e Samantha estaremos no salão de recepção-Saiu batendo a porta,foi quando vi Redenção de pé com braços cruzados encostado na parede-Ah,querido! Humilha-
da-Ele ofegou com tristeza-Não se lástime,viva-Disse antes de sumir.Me deparei sozinha.

Deixei meu rosto se escnonder entre os traveseiros,os apertei com força,agora,sim podia chorar tanto,tanto,tanto que me sentiria sufocada.Era isso que necessitava.
Ouvi o telefone tocar,sem dúvida era do Instituto que devia está querendo avisar que o feriado passaria,estavam a minha espera.Ficou tocando sobre a cama.Ter te-
lefone sem fio é vantagem por esses motivos.Porém minha pessoa não estava com paciência,ía chorar por muito tempo.Amaldiçoava Emanuel por toda situação que me
fizerá passar.

Não só no passado,mas no presente-Bem que poderia tê-lo matado,reles humano-Brami,foi um fim de tarde terrível para mim,minhas esperanças destruídas,mas pensei
em Samantha,o presente que me foi dado pela espera alheia,minha auto-presernvação.Continuidade para que eu pudesse me recompor.Nunca chorei tanto como nesse
fim de tarde,nunca.Mas valeu a pena por juro Sara,foram como se todas as tristezas tivessem sido destruídas,a aceitação tivesse batido a porta de meu coração.




avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 23 Out - 15:33:42

Eu não estava preparada para o que aconteceria ao decorrer dos dois dias seguintes,falo do que meu coração não esperava ou sequer podia lê para poder se
prevenir.Transposição de mágoa,resumidamente isso.Depois desse momento havia se passado dois dias.Minha alma se via livre de toda essa tristeza,mas me
veio mais outra devido ao acontecimento alheio.

Aziel não havia chegado,tudo que sei e que ao sair para trabalhar,Samantha se encontrava bem,essa foi a certeza antes de me despedir de Isabel que sempre
estava disposta a cuidar da pequenina.Eu havia chegado,sai do Táxi que havia parado enfrente a minha casa,ao me direcionar ao portão vislumbrei á luzes ace-
sas.Sinceramente essa noite para mim estava para ser melhor.

Era isso que eu esperava.Nada disso foi o que pressenciei ao chegar.Isabel estava sentada no sofá falando com alguém,tinha sua atenção voltada a pessoa,isso
para mim,me chamou atenção-O que há?-A minha indagação a assustou,ela tinha os olhos marejados.Havia chorado por alguns momentos-Querida Samantha não
está bem,ela passou mau ao decorrer do dia,muito mau,está com febre,ardendo de febre-Fui pega desprevenida.

-Mas como assim!?-Ela levantou-se pegando minha bolsa,a deixou sobre o sofá para poder falar comigo,suas longas vestes clarinhas se moviam conforme ela anda-
va-Ela vomitou,foi isso,passou mau enquanto eu lhe dava banho,não que tenha sido desesperador,mas necessário deixá-la vomitar-Me deparei indo em direção ao
seu quarto,vendo que ela jazia acordada,me deparei pensativa.

-Céus-Brami sentado-me ao lado da caminha que ela sempre dormia,mantinha seus pequeninos musculos em movimentação-Não e só febre,o vomito,e como se ela
estivesse tomada por algo-Brami,joguei meus cabelos para trás,temi amamentá-la nesse momento por quê ela havia vomitado,não sabia se ela estava apta a aceitar
meu leite-Supõe o que seja?-Quis saber de Isabel ao olhar para ela.

-Bem querida,algum tipo de bactéria,só pode ser-Compreendi,de certo modo ela avisou-me que Samantha teria que aguentar até o dia seguinte.Só no início da ma-
nhã e que ele poderia vir.Sabia ao vê-la sair do quarto que ela iria embora.Apartir desse momento me deparei ciênte a situação de Samantha.Ela voltou a fechar os
olhinhos,suas bochechas estavam tão coradas devido a febre que dava para distinguir o corado em meio ao escuro do quarto.

Isabel tinha escolhido uma calça de algodão macio para ela de cor negra,a camisetinha branquinha de mangas bem curtinhas,lhe davam frescor-Vêm comigo queri-
da,seria injusto deixa-la sozinha-Brami a pegando,segui para o quarto,por alguns momentos me foi maravilhoso sentir o macio do tecido de meu vestido longo,sua
cor violeta se destacando em meio ás luzes ao entrar no quarto.

Á tinha comigo,mesmo sufocada ela teria que aguentar.Imagina uma criaturinha daquelas passando por essa situação? Ofeguei por alguns instantes.Quando fui a
varanda sabia que não saíria tão cedo dessa situação.Devaguei com ela com todos esses pequenos detalhes.Só quando Aziel chegou após um dia de ausência e
que me senti melhor.Entrar no quarto,e se deparar com a filha jazendo em meus braços conforme eu andava em passos silenciosos,lhe foi destruidor-Nossa! Como
aconteceu? Têm certeza que possa ser isso?-O ouvi dizer.

Bem,apartir dai iniciou-se a tortura com eu e ele tentando saber o que Samantha tinha.Passamos a noite toda acordados,só fomos dormir em meio a madrugada.Eu
não compreendia,estava difícil entender o que se passava na mente daquela garotinha que circundava nosso tempo.Eu havia ardomecido no quarto de Samantha.
Eu que a levei com o tempo para lá.

Aziel ao menos pode ter seu descanso merecido,apesar de ter saído puto da vida com minha decisão é o estado em que a menina se encontrava.O sono me foi pesa-
do,intránsmutável.Eu sentada ao lado da caminha dela dormindo,sonhando.A porta bateu provocando um extrondo que me assustou ao me despertar-Céus!-Disse.
A voz de Lucy me foi o conforto.

Ela tinha vindo,á vi andar pelo quarto:Uma dama vestindo um de seus vestidos brancos de alças finas,delicadas,a faixa negra ajustada a sua cintura tão delicada.O
longo casaco negro o último toque-Não pode deixar de vir ao saber,conversei com Isabel ontém,Lilith-A olhei ao sentar-se ao meu lado-Ah,céus,eu não o que ela de-
ve está sentindo,o que têm,não sei!-Desabei! Não compreendia,mas havia desabado em meu lamento por completo.

Olhei para Samantha,ela ao menos ainda dormia,conseguia descansar,mas é eu!? Me sentia destruída pela situação-Nos próximos dias,Aziel vai está comemorando
aniversário,sabia? Sei que se ele poder vai chamar muitos conhecidos,céus,sei que para mim e ele seria drástico e traumático saber que algo aconteceu com ela,algo
pior possa acontecer-Ofeguei tomando ar.

Ela passaria o dia comigo,isso ficou claro.Eu mesma não ía trabalhar e deixar á menina a mercé do nada! Seria justo? Não,eu acho que não.Foi quando eu a peguei.
Me coloquei de pé,esse conforto a fazia bem,Lucy chegou a curvar-se a fitando,vendo seus olhinhos voltandos para ela,Samantha a encarava como se achando gra-
ça sua presença.

Ela pode rir,entende isso? Enquanto a segurava contra mim,ela riu mexendo sua boquinha,o despertar de sua cemblancia de apreciação,depois voltou seu rostinho
contra mim,exatamente entre meus ceios,quando ela ergueu seus olhos para mim,me senti HUMILHADA por ainda não me atrever a amaméntá-la,seria um risco en-
tanto perante sua situação-Ainda não amorsinho,ainda não-Quando brami essas palavras foi como se ela tivesse compreendido.

Ela me fitava,até Lucy se assustou quando viu ela mexer sua boquinha rosada em choro,as gotas de lágrimas vindo em seu choro que ecoou pelo quarto-Ah,céus!-
Me vi falando quando isso acontecey,Lucy a pegou começando a andar pelo quarto-Fome ela têm,mas só saberemos quando ela for atendida pelo médico-Por falar
nisso,foi exatamente nesse momento que vimos Aziel andar pelo corredor.

O fitámos no vão da porta,trajádo ainda com seu roupão e calça de dormir.Humilhante até mesmo nesses momentos,vê-lo trajar pura seda.A cor cinza se atenua-
va a sua pele,os cabelos soltos,lisos,até os ombros-Ela melhorou? Sabia que alguém viria,mas,não tão sedo-Transtorno.Ele desceu quando preferi voltar minhas a-
tenções a menina.Principalmente a Lucy.

Passou-se alguns minutos até a campainha tocar,ecoar por toda casa.Aziel se deparou forçado a atender o médico,ouvimos ele conversar o médico ao subirem ás
escadas."Sabemo que foi o dia todo! E como se ela estivesse bem! Mas seu corpo reclamasse de algo,e lhe digo mais: Sua mãe a amamenta muito bem-Quando vi
o maldito aparecer com o médico chamado por Tia Isabel,quase voei em cima dele.

-Oi,sou Pediatra,acho que demorei um pouco,mas valeu a pena ter vindo-Ele olhou para Samantha nos braços de Lucy-Nem eu mesma entendo,o pior e que essa
mocinha aqui não sente fome,Lilith a amamenta,e muito bem,ela não sente fome,e fato.Só faz mamar desde que nasceu-Aziel se mantinha quieto,raivoso,revolta-
do,prestes a atirar a qualquer um,mas se continuar.

-Coloque-a na cama,será o melhor lugar para eu averiguar sua situação-Gemi de dor quando Lucy teve que ceder lugar a ele,ele que se curvou a frente dela,olha-
va para ela enquanto pensava,a despia.Samantha ficou nua diante dele,ele que olhava cada cantinho do corpinho dela,ela o fitava como se transmitindo a mensa-
gem."Não entendo essa situação.Quem é ele!?".Aziel acendeu um de seus cigarros,nervoro,mas puto da vida em esperar tanto para saber o que acontecia.

O médico colocou luvas pláticas(Esterelizadas) e apartir daquele momento começou um processo mais profundo a respeito do que ela tinha,chegou a tirar até al-
guns frascos os deixando sobre a cômoda.Não entendi o motivo,mas ele falaria depois.Voltou ao processo,seu jaleco imaculamente branco era volgado,permitia
movimentos suaces,delíciosos até mesmo para ele,a calla negra de corte clássico em destaque.

-Vamos vê,vamos vê-Foi quando Samantha se rebelou ao sentir aquela pequena espátula enfiada em sua boca tão pequena,ela tossiu auto quando ele afastou-
se estanco ciênte dos resultados-Senhotira Lilith,vejo que és jovem,muito jovem.O que temi aqui e que ao está apenas amamentando ela,não estivesse ciênte
de que á pequena Samantha necessitade de variar em sua alimentação-Como assim?

A pergunda ecoou em minha mente,Aziel andou a frente sentindo-se humilhado-Variedade? Ela é muito pequena! Não entendo isso,tudo que sei e que um bebê
como ela,não suportaria uma alimentação tão injusta-O médico o olhava como se isso o ofendesse,andei a frente fazendo com que Aziel recuassse,Lucy o pediu
para se calar."Não necessário".Bramiu aos seus ouvidos.

-Pode falar querido,seja claro,pensei que eu estava fazendo o certo-Ele riu,deixou-se responder docemente-Só e chegado o momento de Samantha começar a va-
riar,não apenas mamar,falo de um fortalecimento em sua alimentação,como mingau de cereais,leite gremoso,essas coisas,Samantha terá que passar para a mama-
deira,e isso que quis dizer-Ofeguei.

-Por ter demorado a passar para essa face importante,o corpo dela sentiu os efeitos,estou diante do início de uma pneumônia aqui,mas a solução será clássica-O
Aziel ofegou,Lucy o repreendeu o socando de lado com sutileza-Entendo,mas me assusta,e muito-Seguímos pelo corredor,quando no salão ele concluiu-Não há se-
gredo,servirá como um suplemento para ela até o momento dela começar a comer alimento de verdade,fique atenda,valerá a pena-Desabem no sofá sentindo os
ofeitos do que ele falava.

-Que malva de pavor-Foi quando Lucy riu,o médico trocou algumas palavras com ela,até mesmo com Aziel.Tudo que sei e que ele estourou ao se deparar puto pelo
erro-Maldição,viu!? Nem isso se passou pela minha cabeça,um erro tão simples,acabou em um erro mais grave-O olhei-Pode ser meu querido,mas ela vai melhorar-A
fúria foi descontrolável,mas ao menos foi por um motivo justo.

Fiquei com ele sozinha devido a decisão de Lucy em ir a algum mercado,farmácia."Trarei a mamadeira dela,quem sabe algumas latas com misturas de maizeza,essas
coisas para fazer mingau".Foi destruidor,mas valeu a pena esperarmos.Aziel desabou espantado ao sentar-se na cadeira da mesa-Uma coisa e certa: Samantha es-
tá crescidinha e ciênte o bastante para essas coisas-Assustador ele ouvir isso.

Até para mim que mantinha a atenção enquanto ela preparava a mistura de mingau.O leite gelado que se derramava na pequena vazilha de vidro,a mistura que fez
aquele efeito conforto o leite esquentava.Ao fim de tudo o vislumbre de minha pessoa enchendo a mamadeira novinha-Isso e o que chamo de sustância:Mingau de
cereais é maizena-Ao subirmos foi como se Samantha tivesse sentido o cheiro do mingau.

Que ao meu vê estava perfumado,adocicado como esperaca que ela gostasse.Foi aterrador para Aziel segurá-la nos braços e tentar controlá-la,ela que esticava as
mãozinhas como se sabendo o que era-Ah,céus,está difícil!-Vi quando ela se rebelou contra ele ao mover suas perninhas,mãozinhas contra os pulsos dele,eu espera-
va ela se controlar,mas estava impossível.

Ela se sentia livre,livre ao está despida daquele modo após os delicados exames.Ela agarrou a mamadeira quando veio para meus braços,voraz,e ela sabia tirar pro-
veito daquela situação-Trevorosa-Brami,Lucy olhava detalhadamente a cena,esperava ela poder se controlar,mas ela matava a fome,ela apertava a mamadeira co-
mo se adorasse aquilo,o sabor do mingau doce,morno,quentinho ao ter sido acabado de ser feito.Aos poucos ela começou a ardomecer,eu esperaria,até mesmo seu
maldito pai esperaria,mas para nós ficou perceptível o jeito como ela adoráva aquilo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 24 Out - 13:03:52

Entende quando os aspectos são surreais? E como se a malva de observação se torne real.Sinceramente preferi me envolver nesse leito de apreciação,do que me senti
tomada de preceitos alheios.Nem sempre conseguimos distinguir as coisas certas das erradas.Era maravilhoso apreciar como Samantha conseguia matar a fome,para ela
o feitige de comer se tornava nostálgia.

Afina,para onde podia corredia perante uma situação dessas? Alias,foi como se o momento tivesse sido própicio para que ela conseguisse se alimentar.A mamadeira pa-
ra ela era maravilhosa,mesmo sonolenta,ela conseguia solver todo mingau gremoso,nem Aziel estava preparado para esse momento,como viu.Sinceramente minha pesso-
a se tornava pensativa a respeito do comportamento de Samantha.

-E como se ela soubesse como agir-Brami,Lucy considerou isso simbólico,importante de investigar e também saber mais a respeito de todo um conceito.Sinceramente eu
me deparei envolta em pensamento direto-Lucy sabe se poderá dormir aqui?-Isso á pegou desprevenida,foi como se a pergunta tivesse servido para que Aziel saísse,isso
para ele significou que eu e Lucy desejavamos ficar a sóis.

O vimos sair fechando a porta delicadamente,ao vê-la sentar ao meu lado quando me esquivei sentando sobre o tapete do quarto de Samantha,me depparei com uma
mulher madura em vários pontos-Se é o que você quer,tudo bem,passarei o dia aqui,quem sabe amanhã,veremos-Ofeguei me sentindo alíviada,voltei a atenção por al-
guns segundos a Samantha para saber se ela tinha tomado todo mingau.Ainda não,mas estava terminando.

-Sinceramente ainda estou com medo,tenso medo-Ela ouviu minhas palavras como se isso fosse algo forte,importante-Fique calma,depois de tudo isso,sei que Samantha
se recuperará muito bem-Aos poucos me levantei,tive a ousádia de seguir pelo corredor,sabemd que Samantha estava prestes a dormir defitivamente,entreguei a mama-
deira vazia a Lucy-Estarei no quarto,por favor! Se caso for preciso,precisarei de sua presença mais tarde-Quando ela seguiu para o lado oposto do corredor,fui ao quarto,a
minha pessoa ainda começava a se tranquilizar.

Vi Aziel sentado á mesa da varanda,sinceramente isso para mim significou afronta pessoal-O que faz aqui Aziel?-Ele olhou-me,tinha se trocado nesse intervá-lo de tem-
po.Havia escolhido uma de suas longas calças de algodão de cor azul-marinho,a faixa branca de cetim me chamou atenção,ele deu-se a andar pelo quarto,estava de pés
descalços-Não entenda mal,prefiro ficar aqui,preciso saber se minha filha está bem-Ofeguei.

-Lucy está no salão de recepção,ela precisa fazer com que as coisas se mantenham-Ele sorriu docemente,ao ver-me deitar na cama deixando Samantha ao meu lado,teve
a audácia de pensar.Tentar entender a situação.Quando ele deitou de frente para mim me encarou,Samantha cochilava,parecia que ela tinha se envolvido em seu descan-
so a tal modo que sequer conseguia sentir o que se passava a sua volta-Acha mesmo que ela vai melhorar?-Não compreendi a pergunta,mas dei a entender que,sim,foi co-
mo uma situação maravilhosa.

-Sinceramente,sim,Aziel,e por favor,não precisa dá uma de desesperado a respeito da situaçao dela-Isso o deixou pensativo,tomado de certas decições-Não sei Lilith,ainda
tenho medo de muitas coisas-Ofeguei o olhando,ele deu-se a deslizar os dedos da mão-direita sobre a cabecinha de Samantha.Ela dormia como se os sonhos estivessem a
tomando de sensações maravilhosas-O que fez com o pobre médico,aquilo foi desreipeitoso-Ele pensou por alguns segundos.

-Entendo-Bramiu me respondendo para depois de calar.Foi quando tive a certeza de que eu poderia descansar,de que ele iria passar algum tempo com Lucy no sação de re-
cepção-Tudo bem! Á deixarei sozinha com ela,mas lhe garanto que mais tarde estarei de volta-Uma ameaça para caso eu fechasse a porta do quarto,o vi sair para depois a
minha pessoa se envolver em total apreciação á Samantha.

Percebi como ela era perfeita,céus,como tenho vontade de desferir golpes em copos os quebrando por não tê-la mais comigo,mas continuando Sara:Foi como se minha pre-
sença e atitude tivesse significado muito para ela,devagar me ajeitei puxando um dos macios travesseiros para junto de mim,deixei a cabeça pousar para que o fegar de des-
canço viesse por completo-Ah,céus,por quê faz isso comigo pequena? Não imagina o quão isso me deixa triste-Vi como ela moveu a mãozinha-direita para cima,com toda a
delizadeza a puxei para mim.

Está comigo a fazia bem,o frescor por ainda não está usando vestes a fazia bem.Sua pele macia de encontro a mim.Que maravilha de bonequinha vida que se deixava aco-
lher junto a mim.Tudo que podia esperar era que o tempo pasasse,sabia que seria um dia torturoso a respeito do que aconteceria com ela.Só ao longo de sua soneca,meu so-
no tão esperado depois da torrida noite,e que sabería no que resultaria as coisas,seu tratamento passageiro.

Sonhei com Isabel esse dia,por alguns instantes foi como se a minha pessoa á visse conversando com minha mãe desconhecida para mim.Me assustava com os modos das
duas.Cada uma delas acariciando o rosto e cabelos da outra.Espantoso vê-las tão jovens,era como se eu tivesse sido levada a um tempo muito longiguo,antigo.A respeito
da situação quanto a presença torrida de Redenção,me senti tomada.

"Tome cuidado querida,futuramente passará por um momento apavorante".Sons de sinos me vieram aos ouvidos,o som auto me tomou,deslizei as mãos a frente tentando
saber se Samantha estava na cama.Não! Me espantei ao acordar-me,me sentar sobre a cama do nada! Vi quando os risos de Aziel ecoaram pelo nosso quarto-Parece que a
sua mãe se resvoltou-O olhei furiosa-Por que fez isso? Sabia que ela estava dormindo comigo-Olhei para o lado dele,Lucy segurava uma toalha macia-Precisamos dar banho
nela,a trocar após vê-la acordada ao seu lado enquanto dormia-Me levantei.

Lucy tinha escolhido um macacão de cor azul clairnho para Samantha,a unjido com luvinhas e sapatinhos de lã branca-Nossa,e como se ela estivesse sentindo alívio-O
Aziel a erguia a sua frente,ela o encarava revolta,como se o jesto a irritasse-Dá ela para mim,imagino o que devem ter feito com ela o dia todo-Lucy riu,para ela foi o
auge da situação-Ah,não,Aziel saiu por alguns momentos,foi melhor para ela,afinal,durante a tardinha voltou a tomar mingau,deve está com fome novamente-Febre a
sua pessoinha não tinha mais.

Foi o que percebi ao tê-la em meus braços-Olhei para o ceu através da varanda-E noite,dormi tanto assim?-Aziel riu,viu quando Lucy se despediu dele-Sim,querida,tu
dormis-tes o dia todo,valeu a pena,tu descansar-tes muito-Ofeguei.Foi apartir desse momento que tomei a decisão de tomar banho.Deixei Aziel tomando conta de Sa-
mantha,de certo modo foi percetível antes de entrar no banheiro como ela estava satisfeita pela presença.

Só naquele momento e que a pequena sentiu-se paciênte para com ele ao permitir-lhe que ela estivesse com ele.Não demorou e pude me arrumar ainda dentro do ba-
nheiro ao terminar o banho.Meu rosto,toda expressão facial muito melhor.Havia escolhido um de meus conjuntos de seda (A calça e roupão longo).A cor greme me foi
como presságio.

Ao sair do banheiro estava ciente de que meus cabelos estavam escovados,eu me sentia limpida-Tu és louca.Não abotoas-tes o roupão e ainda se sente apta a está
com a menina?-O olhei furiosa-Cala sua boca,deixar minha menina passar fome,me sentia espantoso-Foi quando ele se esquivou sobre a cama deixando-se andar pelo
quarto,ao pegá-la me deixei sentar de encontro ao espelho da cama.

-Mamar,ainda e muito cedo,ela tomou mais uma mamadeira agorinha a tarde!-Eu tive que rir da situação-Não e assim,Aziel,considero isso um complemento-Tomado
de raiva ele teve que se conter pegando o maço de seus cigarros de canela perfumada sobre a mesinha,acendou um,só de raiva ele tinha feito isso-Ah,maldita,faz-me
sufocar,e justo quando precisaria está com você-A essa altura tinha minha menina mamando,conseguia lhe apoiar muito bem contra mim,ela que se apoiada sobre um
de meus joelhos dobrados,eu tinha um de meus braços curvados atrás dela.

-Indiota,sai daqui! Vai para junto de Lucy!-Ele arqueou sua sobrancelha-Não,vou ficar aqui até sair-Bem! Não tive como retrocer essa situação,foi quando ele sentou-se
a beira da cama,deu-se a esperar que Samantha parasse de mamar,que ela tivesse saciado sua fome ácida-Olha isso,ela e faminta,e voraz,me parece uma pessoa que
não pode vê qualquer prato de comida é o come sem pensar-Ele olhou de lado,deu-se a fingir que não era com ele.

-Ah,céus,chega-Disse,e voltou sua atenção ao cigarro que lhe era tão maravilhoso,calmante.Olhei para Samantha que mamava sem parar,tinha seus braços delicados
e pequeninos curvados a frente de seu corpo-Céus,ela anciava por isso,e aterrador-Disse rindo por alguns segundos,passou-se mais um tempinho,enquanto ela mamava
Aziel andava pelo quarto,ia apagando cigarro após cigarro em um dos cinzeiros delicados da casa.

"Coitada da menina! Acha mesmo que a febre já passou?".Quis saber em um de seus momentos de pavor."Sim,já passou,parece que a sustância do mingau de aveia
e cereais lhe faz bem,a mamada também,e um fortalecimento entanto para ela,o que chamo de nutritividade".Ele se silenciou,só quando ela dormiu em sono pesado e
que a entreguei a ele."Nossa,que maravilha,finalmente deixa sua mãe livre para mim".O olhava,eu abotoava meu roupão.

-Indiota de sua parte,não seja egoísta Aziel!-Havia gritado com ele,o segui ao vê-lo sair em direção ao quarto de nossa filha.Ele andou pelo quarto,o sono dela estava
tão pesado,que Samantha nem sentia os modos com que ele deslizava uma das mãos atrás de sua cabeça-Nossa,sabia que ela iria melhorar,mas não esperava que os
efeitos fossem tão rápidos querida-Ofeguei o vendo deixá-la na caminha,ele deslizou a manda dobrada que Lucy havia deixado antes de descer,sobre ela.

-Sabe que valeria a pena,era algo que eu não sabia-Ele ofegou,antes de saírmos ele do nada voltou,tive que segurá-lo pelo pulso-Para Aziel! Acho que se continuar se
comportando,assim,eu e Lucy teremos que alugar uma casa para tu não morar mais comigo-Ele mantou-Ah,mas eu não sei! A febre pode voltar,tudo isso-Bramia confor-
me o empurrava por trás pelo corredor.Porta fechada e que Samantha dormisse,descansasse,íamos voltar nossas atenções a Lucy,jantar,nos alimentar,silêncio depois da
maldita provação de fazer com que ela melhorasse.

O culmino de tudo isso,de meu dia,nosso dia,a apreciação de nosso momento,foi ao passar de um pouco mais do tempo após nosso jantar.Haviamos matado a fome
com vontade! Vigor! Deixamos Lucy repondo suas energias,sua preocupação com Samantha havia passado,até a minha ao subir com Aziel e vê-la ainda dormindo no
quarto.Acordar ela não acordaria,era óbvio.

Aziel fora agiu o bastante para não querer sair de nosso quarto,ele que fornicava todos os cantos! Isso me assustou."Por favor! Não me expulse de nosso leito,não co-
mo da última vez!".Ele rogou,implorou para não fazer o que fiz dá última vez em que Lucy veio.Ao vi me deparei com ele deitado ao meu lado,se aconchegando entre
as cobertas,dando graças que podia dormir ao meu lado."Obrigadinha! Seria injusto me afujentar-me para a sala,o sofá trevoroso".Ah! Revoltante!

Nem sempre estamos aptos a tudo correto? Nem eu para a vinda de Lucy em meio a noite,eram 02:00 da madrugada quando me deparei com sua presença.Ela cir-
cundava o quarto,foi assustador vê-la de pé,assustada pelo que havia acontecido.-Ah,céus,o que faz ai?-Brami a olhando ainda deitada-Não sei,eu e que me pergun-
to:Aonde posso está!?-Ela teve tanto medo de se deparar sozinha que nem Aziel compreendia.

As luzes da rua eram maravilhosas iluminando o quarto ao virem pela varanda.Aziel não estava preparado para os modos com que a acolhia junto a si,vi isso ao des-
viar meu olhar.Eu havia escondido meu rosto para respirar melhor,vislumbrar isso me vez desejar fugir! Juro que se tivesse fujido,teria sido melhor.Esse mero e sim-
ples momento tinha sido tão direto que quando demos por nóis,mesmo,nossa consciência,nos apreciavámos como se a provação viesse por completa.

Conforme Lucy acolhia Aziel estando sentanda de encontro ao espelho da cama,o beijava com vontade,Aziel que sofria ao mover seu rosto para trás nesses beijos cá-
lidos-Malditas! Mil vezes maldidas!-Nem eu conseguia entender! Era como se o momento tivesse sido própicio para nóis! Eu me movia a frente de Aziel beijando seus om-
bros,seu pescoço.Ele implorava para pararmos.

Quando envolto na humilhação que eu e Lucy,sem querer,impulsionadas por nossos sentimentos,ele se viu ciênte de que nada quebraria um vinculo tão preciso,até
mesmo para nóis.Só quando nos demos ciêntes de que ao longo do tempo faziamos amor de modo selvagem naquele maldito quarto,e que a lápide de nossas almas
estava talhada,como se a lápide que anteriomente vinha sido contruída,tivesse acabado de ter sido feita.

Aziel se deu como HUMILHADO por mim e por Lucy quando acabará de transar com ela,eu que lhe mordia as orelhas conforme ele rogava para pararmos,isso fez
com que o fim de nossa noite chegasse,com que ele,tanto,eu como,Lucy,nos deparessemos com o inevitável."Preciso ser perdoada,perdoada.Ah,o que eu sou!?".Foi
o que Lucy disse conforme o silêncio veio,conforme nos acolhiamos naquela maldita cama."Não sei! Nem eu sei!".Disse para ela,até para mim mesma!

Aziel silencioso,olhando para o teto.Eu e Lucy que faziamos nossos rostos se moverem sobre os ombros dele."Desculpe! Nem a gente compreende".Ele ofegou.Foi
como se fosse uma promessa que ele forá obrigado a fazer para ele mesmo."Não importa,mas algo e óbvio:Eu e que morreria se algo acontecesse com qualquer uma
de vocês".Silêncio! Essas palavras foram para nós matar.E foi dessa forma que a noite acabava.Nós deparavamos com o óbvio,a contrução da lápide que não espe-
ravamos contruir.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 24 Out - 14:46:07

Tudo me foi pretenção e malva de acontecimento.Se silencie Sara,para que eu possa prosseguir,teus olhos estão apavorados,eu sei,mas porém,deve continuar até que eu
possa reaver um fim permanente:Eu e Aziel haviamos decido no despertar da manhã saírmos a noite,tinhamos até convidado Lucy,mas ela preferiu ficar com Samantha.
Temia apesar das melhoras da menina,que ela tivesse recaída.

Chegou a hora de saírmos e nada de Lucy mudar de idéia.Eu tinha escolhido uma calça justa e camiseta para eu me vestir.A cor negra da calça,é a cor cinza da camiseta
me foi confortável,o longo casado me foi macio.Só lamentei profundamente que ela não tivesse vindo,mas eu e Aziel tinhamos decidido: Saíriamos e apartir dai,faríamos
uma doce caminhada pelos bosques.

Lembro de ter visto Lucy aparecer de relance no vão da saída do quarto,dela analisar nossos passos."Toma jeito seu moleque insensato,olha para onde vai levar Lilith".E
com isso Aziel havia dado partida ao saírmos pelo portão,eu pensava.Mas eu admito que meu dia de trabalho havia sido maravilhoso,porém,fazer esse tipo de programa
de saída me fez almejar mais e mais de minha existência.

A roupa com que Aziel havia se vestido antes de saírmos me fazia lembrar de algo maior: Sua camisa de linho branca de botões prateados,sua almejada calça jeans negras.
O que pensar!? Lembrar disso,e como sempre olhar a simplicidade de Aziel,até mesm quando ele vivia no auge de seu momento feliz,até á mim,é era o que ese passava na
minha mente ao está com ele naquela noite maravilhosa.

Estrelada,fria,limpida com Lua cheia.Tudo isso se passava em minha mente,até mesmo esse momento intimo antes de saírmos.Céus,era como se todos os detalhes estives-
sem gritando aos meus ouvidos."Toma cuidado,toma cuidado".Algo bramia em meu coração,além dessas imagens nitidas,esse algo gritava dentro de mim.Parei de beijar o
Aziel,parei de beijá-lo sentindo como se essas lembranças e vozes gritando em meu coração,tivessem que ser cessadas.

Eu ainda me sentia tonta,casanda devido aos orgamos ácidos que havia tido ao me vê tomada por ele ao chegarmos no bosque.O modo como ele me olhava me era men-
sagem de dor-O que há com você? Têm medo de algo,Lilith desde aquele maldito momento em que Fera a atacou em casa,vejo esse medo em seus olhos-Movi meu rosto
de lado,ele ainda se mantinha sentado de encontro ao bando do porshe,eu sentada de frente para ele sobre seu colo.

-Não sei Aziel,eu não sei !-O seu espanto ao perceber meu nervosismo foi demonstrado com o atiçar de seu olhar-Não,há outra coisa além disso-Me movi sentando ao lado
dele,não estava preparada para aquilo,mas tentei compreende-Toma cuidado,só isso que te peso,quando tu falas em morte,exatamente daquele modo que fez quando esti-
vemos em Paris,sabe que de certo modo,ainda não me esqueci como acordou-Ele ficou pensativo.

Foi quando dei-me a procurar as minhas roupas-Loucura-Disse,se curvando sobre mim se deu a bramir palavras que me machucaram de verdade-Sabe que aquele momento
para mim,nada significou,falo de transtornos,tudo isso!-O olhei,finalmente podia me arrumar-Ah,eu sei,eu sei! E quando ao bebê que Lucy espera? Acha mesmo que estou fe-
liz por ela apenas for cuidar do bebê? Quero está com ela,entende? Com ela,Aziel-Ele se silenciou.

Passou-se mais algum tempo até eu e ele nós arrumarmos,quando prontos nós deparamos com algo imprevisto.Vimos uma sombra se mexer por detrás das arvores do bos-
que-O que foi isso!?-Aziel bramiu de jeito rispido.Ele tinha terminado de abotoar sua camisa-Nem eu sei-Só quando Aziel pulou para o banco da frente do carro e que pode
dá partida-Viu aquilo?-Bramiu conforme seguia-Não quero saber,muito menos compreender-Pegamos a estrada com o tempo.

Durante a viajem eu me deparei pensando no que faria ao decorrer de meus medos.Ficou combinado que eu e ele iríamos a alguma pizzaria,ao chegarmos em casa,saber a
crucialidade do que eu e Lucy queríamos.E foi como planejavamos.Eu e Aziel andavamos pela calçada das Ruas da Cidade,a quietude da noite me foi maravilhosa para saír-
mos á pizzaria ao voltarmos do bosque.

-Não seja ousada a ponto de me deixar faminto,falo de teu comportamento-Ouvi ele falar ao entrarmos em uma Ruela reta é longa,ele segurava a bolsa com refrigerantes.
E eu as duas caixas de pizzas,eu estava com tanta fome que se pudesse parar e comer ali mesmo,o faria-Só Lucy para pedir isso,que loucura!-Trevoroso,pensei! Mas tinha va-
lido a pena,isto é! Aré o momento em que Aziel tombou para trás ao esbarrar em alguém,foi como pedreira.

Vi quando a bolsa se rompeu deixando as latas gelas de refrigerantes rolarem pela calçada da imensa Ruela.Sem perceber quem era a pessoa havia me curvado tentando
ajudar Aziel a se levantar."Ah,céus,ah,céus! Que lamento".Ouvi algo bramir aos meus ouvidos-Indo para algum lugar Aziel?-O modo como aquele pé pisou sobre a lata a
fazendo explodir me foi assustador.

-O quê? Como sabe meu nome seu indiota!?-Só nesse momento e que pude vê melhor a pessoa-Graciel!-Me deparei gritando,foi como ventania vislumbrá-lo encarando o
Aziel de braços cruzados.Ele que moveu o olhar entre eu e Aziel-Nossa,que gracinha.E como suspeitei naquela noite em fui vê-la,estava perto de estares junto da compa-
inha de sua filha-Ai! Meu coração doeu naquele momento.

Quando ele voltou o olhar para Aziel foi o culmino do pavor-Não deve saber que eu sou rapaz,mas tenha que seu pai sabe com perfeição do que sou capaz para levá-lo-O
olhar de Aziel foi a auta-indagação-Co...Como assim?-Graciel moveu um dos pés fazendo com que as latas rolassem de lado,vi quando ele moveu o braço segurando Aziel
pelo pescoço-Do que está falando!? Fala de meu pai como se o odiasse-O riso de Graciel foi trevoroso.

Tentei puxar Aziel,sentir aquele braço me foi doloroso,a dor me foi sentida sobre o ombro,ao lado do braço,havia caído ao chão,mesmo tonta pelo maldito ato de Graciel
eu voltei o olhar para ele-Teu pai sempre nós causou problemas,muitos problemas,mas céus! Deu meu golpe de sorte,está noite! Afinal vê-lo aqui na Cidade enquanto a
minha pessoa quis ter certeza de que Lilith havia voltado com a menina,me é assustador-Lá estava! A irônia ácida de Graciel.

Tudo que vi foi ele empurrar Aziel contra a parede da Ruela,eu levantei-me vislubrando a situação,de modo onipotente Aziel mantinha suas mãos esticadas a frente,ten-
tava se livrar daquela situação-Não me interessa,todos vocês,sejam imortais ou seres bestiais,são a mesma praga! O que tenho haver com isso!?-Antes de me vê gritando
pelo Redenção,ouvi o que aquele maldito responderá ao Aziel."Tua filha e franca! Proverá algo maior para nóis! Falo do liader que precisamos,bestial,fertil,assim como nos-
so Drarytha,que tua família ceifou".

-Redenção! Faça algo,faça algo!-Havia sentido tanto medo do que pedirá,que ergui os dedos a frente de minha boca,Aziel me olhava atônico,como se implorando que eu
não fizesse isso,ele movia o rosto em negativo-Ah,céus!-Eu já havia feito a maior besteira até então,Graciel do nada quis se desprender de Aziel,mas envão,quando ele
olhou nos olhos de Aziel,foi como se estranhasse algo.

-Indiota! Louco,cruel,insulta a algo maior,injusto para com tua alma-Era Redenção que falava pela boca de Aziel,a merda já tinha sido feita,vi quando sombras de asas
apareceram nas luzes da Ruela,a cabeçada que Redenção fez Aziel desferir em Graciel me doeu na alma-Que merda-Brami,lá estava perante mim,eu que javia decidi-
do encostar-me na parede da Ruela,a briga entre Aziel e Graciel.

Os dois que rolaram ao chão,a pancadaria que me tomou desprevenida."Essa me doi ma alma".Pensei chorosa,só quando Graciel saiu correndo:Um homem auto tra-
jado de calça jeans em tom azul-escuro,camisa vermelha em tom vinho,botas negras pesadas para o frio da noite,e que me deparei com o luxo com que ele hava vin-
do espionar,ele que gritava de dor,envocava palavrões."Maldito! Redenção tu vai queimar!".

Apavorante,ele movia a mão pela testa,o sangue que jorrava,vi pelas manchas nas mãos nessa sua pressa em sair dali,olhei para o Aziel-E,e você?-Disse andando ao
seu encontro-Não,não e Aziel,sua louca! Como não podes ter sentido meus avisos!? Sabia que ele andava aqui,eu tentei avisá-la em seu sono ao cuidar de Samantha,
até mesmo agora-Era imprecionante vê o olhar de Redenção emanando pelos olhos de Aziel-Nunca vi pussuição tão perfeita,apavorante-Mesmo assustada,triste,eu ha-
via falado,só quando Aziel voltou a si e que pode sentir as dores o tomarem.

-Ah,maldito!-Chingava Graciel,o segurava pelo braço-Se mantenha firme querido,precisamos voltar-Após arrumarmos as coisas,colocarmos as latas dentro da bolsa,e que
podemos voltar.Antes disso eu havia tirado sua camisa,Aziel a segurava contra o ferimento na testa.Ofegava tomando ar-Maldito! Estou cheio disso,cheio!-A volta foi de
torturar.Mesmo tristes haviamos voltado,passado por toda essa situação,e me encontrava grata por termos sobrevido a mais uma.

Ao entrarmos pelo portão Lucy nós viu,levantou-se da escadinha de entrada da nossa casa.Havia nos esperado,e quando viu o estado de Aziel sentiu-se tomada de uma
aflição que era cortante-O que foi isso!?-A olhei ao entrarmos,ela fechou a porta,ajudou as pressas Aziel sentar-se no sofá,o corte doia.Uma boneca ao ter escolhido um dos
meus conjuntos de calça e roupão,só que a cor azul-turquesa foi delíciosa.

Mesmo envolta em tristeza apreciei esse detalhe.Fui a cozinha deixar as caixas de pizza e a bolsa de refrigerante,ela encarava Aziel sentada na poltrona-O que aconte-
ceu?-Voltou a perguntar-Nada Lucy! Um asalto,foi isso!-Ela voltou o olhar ao Aziel-Tens certeza que está bem,Aziel?-Ele a olhou,mesmo tonto,a olhava-Sim,vou sobre-
viver-Ela pegou a camisa dele encharcada de sangue-Queime isso,será o melhor a fazer-Me sentei ao lado de Aziel,em passos rapidos ela foi até a lareira jogar a cami-
sa nas chamas.

-Samantha dorme,não seria sensato subir agora para vê-la-Ele esticou os braços a acolhendo em seu colo-Eu sei,só preciso comer-Aziel pensou,até mesma eu pensava no
que passarámos e citar essa mentira deslavada a Lucy nós foi doloroso,principalmente ela que estava esperando um bebê naquele momento precioso de sua vida.Mas algo
era crucial,e ficou claro ao vermos Lucy caminhar até a cozinha indo prepar as pizzas para serem servida.

Graças que pelo uso da camisa a marca da cabeça ficará imperceptivel e limpida sobre sua testa-Eu,eu,eu...Sinceramente preciso falar com Hyarian,me sinto ameaçado.
Uma afronta,está entendendo?Sei que não e teu agrado,mas se for preciso,Lilith eu mato para evitar esse tipo de ameaças em minha casa-Cruzei os braços,deixei-me pen-
sar docemente-Eu entendo querido,mas saiba que e seu irmão,o que acharia pior.Têm certeza de que e isso mesmo?-Ele ofegou,havia ficado choroso.

-Ainda não sei! Eu vou ser pai novamente,imagina isso!? Esse tipo de ameaças baixas só em prol de uma cobiça que diz respeito ao sangue.Não sei se vou continuar to-
lerando esse tipo de coisas-Ofeguei,foi quando me silenciei-Aziel tome qualquer decisão,qualquer uma,mas meu amor! E seu irmão,e Hyarian! Saiba que ele não só ape-
laria para uma pandaria pessoal com Raquel e Graciel,mas uma guerra-Ele ofegou.

-Oue? Ma ele já não está? Não é ele e meus familiares que foram forçados a entrarem em guerra? Só mais um motivo Lilith,só mais um-Levantei-me o encarando-Entendo
Aziel,vamos comer querido,por enquanto e o melhor que podemos fazer-Ele ofegou,levantou-se seguindo comigo a cozinha,Lucy acabará de preparar os pratos com Pizza fu-
megante-Aqui estão queridos,termino de noites melhores não poderia acontecer.

-Só vou me esquecer esse tipo de coisas bebendo muito-Disse ele indo a geladeira,tirou várias latas de cerveja estalando de gelo,foi assim que até mesma eu tentei reaver
meu controle,vi o rosto de Redenção por alguns segundos atrás de Lilith,enquanto ela sentava-se e servia-se."Obrigada meu querido,obrigada".O risinho maroto me confortou
muito."Dê nada,eu lhe disse que nem mesmo eu aceitaria isso,a continuidade disso tudo.Disponha".Que troca de pensamento.

Me foi espantoso vê Aziel beber uma lata de cerveja de uma só vez,lembrando de tudo sentiu tanta raiva que amassou a lata apertando-a com força."Há maldito! Isso
não vai ficar,assim não.Minha paciência está no limite,no limite!".Só o olhar de preocupação e doçura de Lucy para fazê-lo voltar a si.E assim,eu e eles entramos em um
processo de comilança necessária.A calma veio,apatir dai,o pensamento,a ordem e controle.Doce necessidade ao decorrer desse momento de recuperação moral e corpo-
ral.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 25 Out - 11:35:11

Foi como doce sendo desferido em nossas mãos.Eu,Aziel e Lucy após comermos decidimos passar um tempo na sala,apartir desse momento ficou claro como o que
chamamos de quietude e calma pode ser real.Me foi maravilhoso passar por esse momento sublime,encantador a respeito do que podemos chamar de nostálgia.Eu
tive o vislumbre de Aziel e Lucy deitados sobre o tapete da sala,ás suaves luzes ligadas.

Me mantive sentada sobre o sofá,pensava com profundidade enquanto os observava,no que fazer,no que acabaria toda essa situação.Foi quando Aziel pode sentar-
se me observando com delicadeza,Lucy deixou-se sentar atrás dele,sinceramente minha pessoa sentiu-se tomada de amor pelos dois-Pretende vê Samantha antes de
irmos dormir?-Ofeguei respirando docemente,o que fez Lucy repensar em vários conceitos.

-Não sei meu querido,mas me e óbvio o quanto devemos repensar,me sinto tomada de medo-Ele pensou por alguns segundos antes de falar,foi como se sua pessoa
ouvesse chegado a uma conclução-Entendo,mas precisamos subir,querida até eu me sinto um lixo-O olhei levantar-se andando á minha frente,assenti me envolvendo
em pensamento ávido,necessário-Tudo bem,mas por favor,me espere no quarto com Lucy,só precisarei respirar um pouco antes de subir-Ele não quis isso,pediu para
eu poder levantar-se é o seguir.

Foi o que fizemos.Eu,ele e Lucy seguímos em direção ao quarto de Samantha,entrando no quarto tendo certeza de que ela dormia,mesmo assim,soube da necessida-
de de amamentá-la,foi como se a certeza de que a febre dela havia passado,tivesse feito Aziel feliz.Foi ele que me á entregou ao sentar-me na poltrona,sinceramen-
te minha pessoa sentiu-se melhor,a presença de minha pequena me fez bem,é como,Sara.

Foi nesse momento que Lucy decidiu se preparar para dormir,enquanto fitava minha menina,tive certeza pelas palavras dela,de que o cansaço era eminente,principal-
mente ao voltar minha atenção a sua pessoa-Tudo bem,eu não vou demorar-Após uma rápida troca de olhares com Aziel ela saiu fechando a porta,Samantha acordou
fitando-me,foi como se ela tivesse demorado a sentir minha presença.

-Muito melhor! Presente melhor não poderia ter-Aziel disse em resposta ao olhar dele,ele que a encarava abaixado tendo como apoio seus joelhos,enquanto ele a segu-
rou eu mesma me dei ao luxo de desabotoar minha veste,ao tê-la de volta,me foi doloroso a mamada,dessa vez havia doido-O que foi? Parece que sente dor,e como
se irrita-se com isso-Ofeguei-Nada Aziel! E que demorei,garanto que o acumulo de leite me foi doloroso-Ele riu pelos modos com que eu o havia respondido.

Antes de sair desferiu algumas mordidinhas nas orelinhas de Samantha,o fitei ao vê-lo caminhar em direção a porta-Á esperarei no quarto,vá com calma,amanhã sabe
que logo cedo eu mesmo acordarei e preparei a mamadeira dela-Ofeguei me sentindo grata,muito grata! Ele fechou a porta silencioso,voltando a atenção a Samantha
me deparei com seu olhar-Oi querida,imagino como deve ser maravilhoso sair da fase turbulenta em que estives-tes-Era como se ela compreendesse,me ouvisse.

O modo como ela me olhava me transmitia todas essas mensagens.A mamada prosseguiu como eu desejava,conforme Samantha voltava a cochilar percebi que algum
lapso provinha dela,me senti tomada de coisas,pensamentos nesses momentos,ao observá-la dormindo-Mas por quê?-Não tinha a resposta e muito menos compreendia os
motivos,Sara,mas nesse momento me foi perceptível os primeiros lapsos de sua força vital transcorrendo pelo seu corpo (O sangue como o todo).

-Será que?-Me deparei falando,olhando para o nada algo me veio a mente,a aterradora voz de Redenção me tomou desprevenida."É isso mesmo querida,aguarde.Eu
sei que logo,logo á pequena Samantha será o que foi no passado.Uma bruxa entanto".Assustador.Após issoa colocquei na sua caminha,me recompus ao abotoar minha
camisa.Apagando ás luzes voltei o olhar a ela,ao está no vão da porta.

Ela dormia,seu rostinho pousado de lado sobre o macio travisseirinho de bebê.O que pensar perante uma situação dessas? Que loucura! Mas era como ela fizesse o vento
frio não a tocar,mesmo a janela estando aberta,a brisa vindo pelo quarto.Quando finalmente no quarto me deparei com Aziel conversando com Lucy na varanda,ela nega-
va-lhe argumentar sobre o bebê.

Aziel queria saber o que ela faria com o bebê.Até mesma eu me assustei ao ouvir suas palavras,Aziel havia se levantando sentindo horror pelas palavras dela."Eu não que-
ro! Seria apto de sua parte,da parte de Lilith criarem a criança".Agora entende os motivos deu exautar a frase,Sara?Essa Havia sido a proposta de Lucy-Não seja louca,céus!
Aziel a respondeu tremendo,suas mãos erguidas na direção dela.Ele havia se trocado,ela também,ela que vestia uma camisola negra com renda nas bordas,o roupão de seda
no mesmo tom por cima,a calça de algodão longa em cor oliva,fazia Aziel parecer um Ancião.

-Para com isso,sei que fui egoista em a ter forçado em certos aspectos,mas sou pai é homem o bastante para está com você,com Ellenos Cyrus-Ofeguei,temível olhá-la
ao prostar-me ao lado de Aziel-Querida vá com calma,disse,eu disse que estaríamos aqui,quando falo que vamos ajudar,e que espere muitas coisas de nós-Isso a deixou
constrangida,ela deu de costas chorosa,cruzou os braços-Me tratam como criança,uma menina,e como se eu fosse mimada,odéio isso! Entendo que se preocupem comigo,
mas há coisas que eu prefiro entender por mim mesma-Aziel andou a abraçando por trás.

-Não e isso Lucy,e que eu acho,nós á achamos doce demais,inocênte demais para entender algumas coisas,e por isso estamos e sempre estaremos dispostos a ajudá-la,a
protegê-la de muitas coisas.Há certos sofrimentos querida que devem ser evitados-Ofeguei,acho que eu não tinha nada a falar,sem querer,e da forma mais clara possível
o Aziel desferirá minhas palavras contra Lucy.Ela virou-se o fitando angustiada-Hipógrita-O chamou-o.

-Jamais Lucy-Ele a apertou forte contra si ao abraça-la,afagar-lhe os cabelos,quando fui ao banheiro me deparei solitária,mas feliz por compreender os conceitos de Aziel.
Doloroso pensar enquanto me trocava de roupas.Nunca me senti tão leve com túnica:O linho finíssimo quase deixava a amostra a cor de minha pele,as mangas longas a
ter botões de prata nas lampêlas (Exatament ena altura dos pulsos).

Ao sair ofeguei sentando-se a beira da cama,tinha um frasco de greme,Aziel ainda conversava com Lucy,ele sentado de encontro ao espelho da cama,ela acolhida por ele
ao está sentada de lado.Céus! Mas foi uma conversa terrível,até mesmo eu me deparei conversando enquanto passava greme nos braços ao erguer as mangas da túnica
até os cotovelos,pernas!

"Não sejam insensatos! Bando de loucos! Parece que eu tenho loucos em minha casa".Foi o que me deparei respondendo do nada ao Aziel,ele que olhou-se choroso."É is-
so que acha de nóis?".É foi desse modo que encarramos nossas conversas antes deu me deitar.Ás luzes apagadas me foram o conforto.Transpondo o tempo me foi alegre.
A maravilha da malva de conceitos ao me deparar desperta no meio da madrugada.

Me deparei fitando Aziel dormindo,ele tinha Lucy deitada atrás dele,ela que se acolhia docemente mantendo o rosto pousando por trás,sobre seu ombro.Tive raiva,raiva de
sua pessoa,mas? Ah! Quando ele se deu por meu despertar silencioso bramiu sem emitir,som.O olhei angustiada,tomada de angustia! Oh,céus! Vê meu amorsinho naquele
momento me foi doloroso.Lhe toquei os lábios delicadamente.

-Para de me machucar,não pergunta,vêm comigo amorsinho-Me levantei silenciosa,a brisa estava maravilhosa,fria,doce é perfumada.Quando ele veio,me deparei com sua
visão.Eu andei fechando a porta da varanda.Lucy dormia tão docemente que era bom ela descansar.Própicio até mesmo para mim.Tudo que me foi bislumbre veio nesse mo-
mento-Eu gosto de ser eu mesma,para de me machucar amorsinho,me sacia ou vou enloquecer-Tive pena dele,tanta pena!

Não sei que diabos tinha me dado,mas me meterá nessa pequena aventura pessoal com ele.Em segundos me encontrava agarrada com Aziel contra a coluna da varanda.
A linda coluna clarinha (Estilo greco-romano).Ele que mantinha minhas mãos ao agarrar-me pelos pulsos-Vamos,com vontade,não estou para brincadeira.Continua com von-
tade!-Não imaginava que nem eu,criada da forma mais culta possível falaria esse tipo de asneiras.

Céus! Me foi maravilhoso está agarrada com ele daquele modo,ele que em determinado momento deslizou uma das mãos sobre minhas nadegas(Altura das coxas),a continui-
dade da transa me foi aterradora,quente,me sentia quente.Terrívelmente maravilhoso continuar sentindo o goso quente de Aziel dentro de mim,seus gemidos.Só os beijos pa-
ra me manter calada,até mesmo ele.Ele sofria,até mesmo eu.

-Psiu!-Brami ao pressentir alguma ameaça de que ele pudesse gritar-Maldita és-Sussurrou em meus ouvidos,ele que continuava me segurando,pousei as mãos sobre seus om-
bros,e ele não parava,nem eu! E foi dessa forma sofrida para ele,mas doce para mim,que me enfronhei nessa aventura descabida.Já pensou se alguém passana Rua,justo em
frente aos portões de nossa casa,e nos vê desse modo? Que se dana-se! Aos poucos deixei meu rosto pender para trás,gozei com vontade,a essa altura minha túnica jazia aber-
ta,seus novos gritos foram continuos quando ele mordeu firme meus mamilos enquanto transavamos daquele modo alheio.

"Mete com vontade,com vontade.Ah,céus! Delícia".Mais uma fase em meio ao gozo forte,esperado.Mas o que ficou claro ao estarmos com Lucy no dia seguinte foi que eu e
Aziel a encontráriamos na nova noite,antes dela sair,o que me deixou tomada.E foi o que fizemos ao saírmos para casa dela.Ao chegarmos eu vislumbrei a linda faixada da sua
mansão,as colunas clarinhas como esperava que fosse.

Foi ela que nós recebeu,e logo ao passar do tempo,me deparei forçada ao está conversando com ela,a descer para sair a procura de Aziel,eu tinha deixado Samantha sobre
sua cama.Nunca me senti tão livre como nesse momento.Algo me chamava,e acredite,era ele.Meu vestido longo de cor amarela em tom escuro me era delícioso,principal-
mente tratando-se de tecido de algodão,a minha sandália negra baixinha e delíciosa de usar fazia barulho enquanto andava,seguia ao seu encontro.

O vi quando fui aos fundos da casa,ele jazia olhando para o laptop na borda da picina,tinha seus cabelos molhados jogados para trás,ás luzes clareavam de tal forma as á-
guas que me parecia magia-O que foi? Me chamas por pensando,e nem soube que essa era sua pretenção,a de está aqui,tomando banho em meio a noite,e dê picina ain-
da por cima!?-Ele riu ao olhar-me sentar a sua frente,logo na borda da picina.

-Eu já sei o que farei,sobre aquilo meu amor,sobre o Graciel-Ofeguei,tremi de medo,ele acabará de desligar o laptop e acabou por afastá-lo de lado-Preciso chamar Hyarian.
É o melhor para eu,Lucy! Não vou arriscar,não vou-Ele saiu da picina ao ergue-se,andou devagante até a mesa branca,a mesa com um lindo quarda-sol negro se erguendo a-
cima nas alturas,pegou sua toalha,acabou por enjugar seu rosto.

Cerrei meus olhos ao vislumbrar seus cestos."Ele mesmo nos problemas se acha! A quem puxou para tomar banho nú em meio a noite!? Ah,céus! Que pai fui arranjar para
minha filha!?".Ele olhou-me silencioso-Aziel,disse que estaria do seu lado,não tenho nada contra,se a necessidade pede esse tipo de intervensão grosseira contra eles,que se-
ja,to me lichando,quero mais e protejer minha filha,sabe disso! Não esperei anos para contruir algo e vê tudo perdido-Antes deu sair,ir para o lindo salão ou ao encontro de
Lucy que me esperava,o vi sentar em uma das cadeiras da mesa.

Ele tinha enrolado a toalha macia na altura de sua cintura-Obrigada querida,serei sensato-Ofeguei me sentindo aliviada,Quando no quarto me deparei com Samantha aos
berros-Fome,espero que tenha trazido alguma mamadeira pré-pronta de mingau,só para suprir,há ingredientes na geladeira para fazermos mais depois-Eu ri,peguei minha
pequena nos braços de Lucy,a túnica que ela usava nessa noite era linda demais,principalment epela cor vermelha.Ao sentar-me na cama e tirar a mamadeira da bolsa,vi
os olhinhos de Samantha brilharem,principalmente ao fisgar aos apertos a mamadeira que da qual ela bebia o mingau viscoso,adocicado-Oh! Fome e pouco! Rebelião!-Isso
fez Lucy foi notório,mas esperado.Ah,que malva de momento,viu!? Precisava disso.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 25 Out - 12:59:54

Sem dúvida de que o pior momento de minha vida até então estava para acontece.Ah,me foi maravilhoso passar aqueles três dias na casa de Lucy,e ainda por cima manter
meus compromissos com o Instituto via Internet.Que coisa melhor poderia ter acontecido!? Eu e Aziel haviamos chegado pela parte da manhã,era Sábado e eu não teria que
trabalhar,nem Domingo.Me foi de suma importância sair com Aziel para comprarmos algumas coisas devido ao feriado.

Isabel tomou conta de Samantha enquanto não voltavámos,isso em proveito de que ela sabendo que eu estaria em casa,não seria de deixar de vir,nem que tivesse dido pas-
sajeiro.Mas o porém de toda essa história foi durante a noite.Foi aterrador o que aconteceu.Terrível,só em imaginar isso,faz-me ter o coração apertado,bater forte.Aziel jazia
ao meu lado,dormia em sono pesado.

Mas foi quando acontenceu o que chamo de COVARDIA.Dei-me por acordada sentindo cheiro de algo-Mas o que é isso?-Brami,segui em direção ao corredor,a casa estava si-
lênciosa demais,foi como se todo esse silêncio tomasse conta de meu coração.Sabia que Aziel tinha deixado Samantha em seu cesto de dormir,que ás chamas a aqueceriam á
ter,obter uma perfeição maravilhosa na temperatura.

O que não esperava era a chuva que vierá,os trovões ecoavam pela Cidade,ofeguei descendo a escada-Não seria própicio deixá-la aqui-Brami ao continuar descendo os degra-
us da escada.Foi torrida ao me deparar com o que não esperava,meu coração gelou ao poder andar pelo salão de recepção (A quase sala da casa).As chamas bruxeleavam co-
mo em dança alheia.

Minha menina estava lá,mas parecia que não estava.O que me assustou foi aquele bilhete jazendo sobre ela.O modo como suas mãozinhas se pocionavam sobre o bilhete
me tomou desprevenida-O que e isso!?-Brami auto,pude sentir como o frio emanava dela,a torrida morte pairando sobre ela,senti até minha túnica branca se atenuando ao
meu corpo ao abaixar-me,vislumbrar aquela maldita adaga ao lado do cesto.

-Ah,céus-Falei ao pegar o bilhete.Pude lê as palavras nitidamente,as palavras corvardes,porém inceptas de Graciel,a adaga me foi segurava em uma das mãos,estava suja
de sangue,nem sei como tive forças,alternava meus olhos entre minha filha e o bilhete em uma das mãos,as chamas bruxeleavam de tal forma,sobre a lámina da adaga que
fez o sangue cintilar sobre a lámina.Meu choro foi cortante,sequico.

"Continue fazendo descaso de nossa presença e será isso que vai acontecer com você.Continue se comportando como uma não rainha e não compromissada com teu compro-
misso de sangue e será isso que vai acontecer com você,tua filha.Alias Lilith! Estamos perto,muito perto de conquistarmos o que almejamos e nem tua filha,a fraca de sangue
será salva.

Nos entregue Aziel ou tente fazer-se fonte,e quem sabem tua filha será poupada,agora não estamos para brincadeira,isto e sério! Uma ameaça. Continue duvidando do que
somos capazes para termos o que nós foi tirado de volta,e tu morrerá.És a fonte,faça-se como tal.

Assinado. Graciel & demais Seres Bestiais"

Só pude ouvir a adaga cair ao chão,me deparar aos gritos,berrando ao pegar Samantha do cesto-Aziel!? Samantha,Samantha!-Nunca me deparei gritando desse modo,eu não
esperava pela ousádia,o atrevimento.Me deparava rasgando as roupinhas de Samantha procurando saber o que ele fizerá com ela.Vi o brilho daquele maldito fio de prata em
volta do pescocinho dela,as gotas de sangue saliente sobre seus ombros-Aziel!?-Era minha voz ecoando aos berros,o tom de choro terrível que assustava até a mim.

-Redenção pode me ouvir,eu sei que pode!-Nada,só quando arranquel o maldito fio de prata do pescoço de Samantha e que ela voltou a respirar,tomou ar,profundo ar.Quan-
do ouvi os passos de Aziel pela escada,ofeguei-Dilúvio! Maldito!-Samantha tossia aos borbotões ao está apoiada sobre meu ombro,Aziel ainda terminava de vestir seu roupão.
-O que foi!?-Ofeguei,ainda tentava ter certeza de que minha menina estava bem,só quando a ergui a frente e pude salientar seus olhos brilhosos e chorosos e que tive certeza.

-Não diga que...-Ele abaixou-se olhando o cesto,a adaga,principalmente o bilhete,leu ao sentar-se na poltrona,ficou pensativo ao cruzar as pernas delicadamente,pensou,ao
olhar para Samantha deixou as palavras brotarem-Sobe! Disse para subir,sobe!-Pude enchergar raiva,ódio em seus olhos,me silenciei,minhas atenções estavam voltadas pa-
ra Samantha,estava difícil argumentar com ele-O que vai fazer!?-Ele me fitou novamente.

-Sobe,não precisa saber,disse para subir,dormir em paz,a minha necessidade agora e outra,estou mandando-Segui pela escada,só agora e que me controlava,me deparava
desferindo beijos no rosto de Samantha,só agora ela parava de tossir,a respiração lhe vinha com fervor.Entrei no quarto,dei-me a pensar enquanto a tinha nos braços-Não
sei,estou cansada.Ah,céus-Bramia repetidamente."Lilith,se prepare para a vinda dele,falo do...".Ele parou de falar,havia sentado a beira da cama,eu olhava silenciosa para
Samantha,me deparei arrancando um pedaço da manga de minha túnica para limpar-te o sangue no pescoço,ombros.

Não havia machucado,mas tinha sido o bastante para lhe prender a respiração e cortado-lhe a pele delicadamente-A vinda de quem?-Pedi para Redenção responder,foi co-
mo acalanto de malva-Tu sabe quem é-Bramiu auto.O susto tinha passado,mas não a frieza com que Aziel se envolveu ao decorrer de dois dias,sinceramente me foi trevo-
roso está com ele,tanto que nem a minha decisão de ter ido dormir um desses dias na mansão de Lucy o fez desistir da idéia.

"Não importa,estou dizendo que vou fazê-lo".Não cosenguia imaginar a hipóte-se de Hyarian está dentro de minha casa,nossa casa.Mas foi inevitável.Principalmente quan-
do eu só pude vir na madrugada ao decorrer desse tempo.Eram 02:30 da madrugada quando o táxi parou enfrente a minha casa.Sai com Samantha nos braços,ao menos a
sua pessoinha sabia como domir,descançar maravilhosamente.

O fato de suas roupinhas serem de lã naquele momento a protegia do frio,foi como trovões ecoando aos meus ouvidos passar as chaces na fechadura e entrar,sendo a bri-
sa vindo de encontro ao meu rosto.As chamas na lareira pairavam sobre Hyarian ao vê-lo sentado,pensativo a respeito de algo.A brisa tinha feito até meu vestido de linho
oscilar,principalmente ao andar.

A faixa prateada ajustava com perfeitação minha cintura,o olhava silenciosa,temerosa,admito,temerosa em imaginar que ele poderia voar contra mim-Aonde está Aziel?-O
seu olhar foi cético-Discuti com ele,entende isso? No quarto,deve está na varanda-Ofeguei pensativa,sentei-me na poltrona.O modo como seu longo casaco de moveu ao
levantar-me me foi visão,principalmente em vislumbrar a camiseta imaculamente branca por baixo,a calça justa com o pá perfeito de botas.

-Cheguei ainda agora,não faz muito tempo-Juro que quase voei encima dele ao vê-lo pegar Samantha,olhá-la silencioso arqueando uma das sobrancelhas-Nossa,e como eu
vê papai nesse torinho.Maldito seja ele-Bramiu,ao voltar seu olhar para mim disse-Precisa subir,o que ele não aceita e em imaginar que deva está conosco-Ofeguei,quando
eu e Hyarian entramos no quarto,ele fitou-nos silencioso.

-Já disse que não aceito,não está em Athena,não sou covarde está entendendo?-Só quando Aziel levantou-se e tomou Samantha para si,Hyarian o respondeu-Sei quem
aquele maldito é,dá última vez o encontrei rondando as fronteiras de minha Fortaleza,meu esconderijo,está entendendo? Só não o queimei por quê Kalawina não estava
comigo,não tive forças sozinho-Aziel o revidou secamente.

-Ah! Mas és filho de Thalwa,seria claro e óbvio que sóis uma pessoa provida de dotes-Hyarian ofegou ao sentar-se a beira da cama,ofegou olhando para Samantha em
seu colo-Nem sempre meu querido.Acho que a imagem que tives-tes de mim quando esteve comigo,aos quinze anos e diferente do que eu realmente sou-Essas palavras
foram como trevas para Aziel,o segurei quando estava prescer a socar a mão de Hyarian que havia se erguido para segurá-lo.

-Para! Pense melhor-Pedi afastando-me-Mente para mim Hyarian,sei que usarias de todos os pretestos e motivos para me veres novamente naquela Cidade,vivendo no
meio de todos vocês! Não posso me defender sozinho,sabe disso!-Hyarian ofegou rindo de lado-Não,não faria isso,afinal,não sou egoísta a ponto de fazê-lo romper seus la-
dos com uma coisinha dessas-Falei com Hyarian ao vislumbrar Aziel deslizando os dedos da mão por seus cabelos.

O roupão de seda moveu-se quando ele tirou o maço de cigarros do bolso da calça-Por quê argumenta dessa forma?-Foi quando Hyarian levantou-se em passos alheios,a
Samantha se acolhinha com perfeição em seu ombro,dormia como se ele nada fosse,o gorinho de lã negro foi tirado por Hyarian,e,sim,a maldita tinha uma chupeta na bo-
ca,a chupava em soninho desprovido de maldade,a maldade que eu e eles discutíamos naquele momento.

-Vivemos em elite,entende Lilith? Por quê acha que quando falamos de ATAQUE,nós referimos a união? Quando de trata de sangue,e o mesmo que falar de varição de
sangue para gente,mas quando se trata daqueles malditos,a variação e igua,mesmo quando aquele filho da mãe morreu,falo de Drarytha,a força continua a mesma-Foi a
gota dágua para mim.O nome! O nome me veio aos ouvidos como lámina cortante.

-O que há?-Ele disse,eu chorava,Aziel se apressou em me acolher-An,céus! Então foram vocês,realmente e como ouvi e supus que tivesse sido.Mataram Darytha-Isso
fez Hyarian arquear o cenho da sobrancelha encarando-me friamente-Ele tentou me matar,entende isso? Foi aquela maldita Fera,a própia Bestialidade,que quase me le-
vou a morte-Mais um soco no coração.

-Quando falo que Aziel e você,estariam melhor protegidos em Athena,e que e lá que nossa elite,a parte da nossa elite,vive,apesar de existir outra parte espalhada por
outros lugares-Ofeguei.E foi dessa forma que a noite encerrou-se,que Hyarian desferiu as verdades nuas e cruas contra mim,entregando Samantha ao Aziel segurou fir-
me minhas mãos."Não tema,disse para vir,ficar aqui e o mesmo que desejar morrer.Não podemos intervir,entende? Ao menos que peçam,permitam,o que não está a-
contecendo nesse momento.Nem que seja por um tempo,mas tente".Tudo isso tinha traumatizado tanto Aziel que não esperavamos que tivesse sido a ponto dele ter
uma de suas profundas recaídas ao decorrer do dia seguinte.

O temor maior foi nesse início de noite,logo crepúsculo.Eu estava no quarto,olhava para Aziel deitado sobre a cama,ele olhava para o teto,sua face jazia corada.Para
mim era o pior,meu coração encontrava-se doloroso,não por ele ter sido forçado a ir para Athena por seu irmão,mas pelo estado dele.Tive medo,imenso medo,meu co-
ração batia forte.Minha túnica dava-me todo conforto.Mas e meu Aziel!?

Tirei o termometro de seu braço,vi a temperatura-Ah,amorsinho,acho que um novo ataque começa-As células,foi isso que se passou em minha mente,a doença que até
o momento me parecia está controlada.Nem mesmo a medicação que havia lhe dado,funcionará.Fiquei com ele até chegar o momento de Hyarian voltar de seu retiro.
Ele disse que se viraria,e pelo visto havia conseguido com maestria.

-O que há?-Disse entrando no quarto fechando a porta,lindo seus cabelos extremamente claros é loiros amarrados para trás,as vestes continuavam as mesmas-Não sei,o
Aziel está doente,,acho que todo aquele extresse lhe fez mau-Hyarian prostou-se a beira da cama,ao meu lado.Olhou para Aziel silencioso,foi quando Aziel moveu o ros-
to citando algumas palavras-Se quiser ir,pode ir,mas por favor,leva minha filha,falo de Lucy também,futuramente Ellenos Cyrus virá-Isso tomou Hyarian desprevenido.

-Psiu,eu sei,vamos com calma,tudo bem? Vamos resolver isso,mas até chegarmos em Athena,terá que se precaver,lá verá o que acontece.Alguns estão a pá disso-Vi o
brilho de pavor nos olhos de Aziel,Hyarian ao levantar-se puxou o cobertor sobre Aziel-Venha comigo-Bem,esperava trevas,mas na sala ele disse-me as seguintes palavras.
-Tu e Aziel vão de avisão,está entendendo? Sobre Samantha,a princesinha e pequenina o bastante para que eu a leve,deixe comigo,terei que tomar rota diferente,mas
eu prometo que chegarei assim que vocês estiverem em Athena,na casa de Vitória Regia-Ofeguei.

Maldião,pesei,mas seria assim,para complementar mais algo-Pense melhor,sobre Lucy? Querida nem eu mesmo sei o que meu pai dirá sobre disso-Infernos! Fiquei chorosa
por tempos a frente.E foi em meio a essa ordem de regras que me deparei encurralada,tomada.Apesar de tudo,esté tinha sido o combinado,e foi o que fizemos ao decor-
rer de nosso planejamento.Athena nós esperava,e quando ouvi Hyarian falar com Vitória por telefone foram estás a resposta."Entendo,faça com que Samantha chegue
bem,e isso que importa,deixemos Lucy para depois,há tempo para resolvermos o caso dele".Por último Hyarian desabou no sofá pensativo deixando o telefone sobre a
mesa de centro.Athena a espera,como eu iria sobreviver a isto!?
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Ter 26 Out - 10:40:21

Admito! Chegar na casa de Vitória Regia me foi aterrador.Eu apreciava a paisagem em meio a noite,conforme o carro seguía pela Rua Central de Athena.Céus,isso fez-me
sentir pavor ao decorrer de todo um modo de pensar. Gradualmente deixei minha respiração envolver-me.O início de noite estava maravilhoso,apesar de minha tristeza,eu
pude sentir-me livre por alguns instantes ao apreciar a paisagem da Cidade.

Aziel jazia sentado ao meu lado,ele ainda ardia de febre,apesar de um pouco melhor,ter a medicação reforçada antes de viajarmos é chegarmos na Cidade,sentia-se tomado
de febre,voltei meu olhar para ele por alguns instantes,foi como se ele compreendesse-Meu amor tens certeza que vai suportar?-Ele olhou-me risinho de lado,sinceramente is-
so para mim vez-me sentir alíviada-Eu vou,acho que vou me sentir muito melhor ao chegar na casa de mamãe e poder descansar-Afaguei-lhe os cabelos macios quando des-
lizei as mãos por sua cabeça,seu rosto.

-Eu entendo-Disse-lhe beijando-lhe o rosto,ele mesmo doente tinha escolhido boas vestes como calça de corte clássico feita de tecido de carmim,a cor cinza-claro me foi o mai-
or texte que podia esperar,a camiseta de algodão negra servia como quebra de luxo,mas os sapatos da mesma cor incrementavam,seus braços desnudos me eram uma visão
maravilhosa."Céus,mesmo estando doente,ele consegue ser bonito,ajuda-me a passar por isso,Redenção".Pensei.

O carro seguiu devagante,muitas coisas se passaram em minha cabeça ao decorrer de toda viagem.Não demorou para o veículo parar enfrente á uma imensa casa! Vi a mura-
lha pedregosa alta jazendo á volta de todo lugar,o portão de madeira pesada,ás luzes do jardim iluminando o gramado perfumado,tão perfumado que senti ainda dentro do car-
ro-Azie?-O chamei,ele abriu os olhos delicadamente,ofegou febriu por alguns momentos.

Ao sair me deparei com sua mãe a sua espera.Ela vestia um lindo vestido de algodão de cor negra,o colocar de esmeralda em seu pescoço como requinte de clássico luxo.Eu
me senti um nada ao está vestida com tanta simplicidade: Saia de algodão macio de cor azul-claro,bota forradas de veludo no mesmo tom,a minha camiseta branca que usada
me dava conforto-Aziel!?-Disse ela olhando-o ainda sentado dentro do carro-Céus,ele nem consegue levantar-se-Bramiu esticando os braços a ele-Oi! Pensei que não estaria
em casa,que poderia sair em minha chegada,que deixaria a chave em algum lugar,mesmo quando tão pequeno,tu fazias as vezes-Ela o olhava transtornada.

-Esqueça,claro que não faria isso,olhe seu estado-Ela entrou com ele,mesmo andando devagar,Aziel seguiu pelo jardim com ela ao entrar pelos portões,eu peguei as duas bol-
sas com roupas frescas,minhas e dele,poucas,mas necessárias! Olhei para os céus por alguns instantes,me deparei respirando fundo,desejando algo."Ajuda-me a passar por es-
sa provação,obrigada pela change!".Segui.

Entrei na linda sala! Céus,as colunas que havia visto na entrada da casa (A faixada) haviam me encatado.A lareira jazia acesa,o tapete percorria todo piso (Estilo persa),vi o
lindo conjunto de poltronas em posição de circulo,era como se importantes reuniões aconcessem naquele momento.A mesa de centro entre elas um encantando com o jarro ar-
tesanal cheio de flores tropicais brilhosas e coloridas,subi ás escadas,minha mão deslizou pelo corrimão metálico.

Percebi que Aziel jazia em seu quarto."Nossa! Esse é o quarto dele!?".Pensei chorosa,encarando a porta fechada,vi os quadros que jaziam nas paredes do imenso corredor.
Ao fim dele a porta do que pensei,ser o quarto de sua mãe.Vi outra porta de frente ao quarto de Aziel,era o quarto de hospedes.Abri a porta,vislumbrei a linda janela,a ca-
ma de solteiro larga,devidamente forraja com o conjunto de lençóis macios de algodão em tonalidade vinho,a travesseiro de penas com fronha branca me encantou,saber
que ao lado tinha uma mesa de escrever e lê,me foi conforto.

Ofeguei pensativa,desabei sentando-me na poltrona de frente para cama encostada na parede do lado oposto-O que farei?-Pensei profundamente,a mãe de Aziel entrou no
quarto,graças que ela tinha percebido minha presença-Querida venha comigo,Aziel dorme no seu quarto,precisamos conversar-Ofeguei,tive medo! Tanto medo que ela tives-
se tomado alguma decisão a respeito dele!

Quando a segui até a cozinha,vi a entrada do jardim aos fundos,ela tirou á linda jarra cheia de chá gelado para eu beber-Tome,bebá! A respeito de Hyarian,ele não demo-
rar para chegar,imagino como deva está-Na sala eu sentei-me em uma das poltronas,as chamas da lareira me foram vistas,a televisão de tela de plásma finíssima jazia liga-
da (Se encontrava na parede,parecia um quadro de Monet passando imagens),o notíciario era rispido.

Ofeguei vontando a atenção para Vitória Regia,pensei por alguns instantes-Minha filha,ela e que me preocupa Vitória,sabe se Hyarian vai demorar?-Ela riu docemente,espe-
rou eu beber mais alguns goles de chá-Não vai demorar querida,já e noite,sei que ele antes disso deva ter dado a volta no globo passando rapidamente na Ilha de Tompei,a
minha pessoa sabe que existem coisas acontecendo por lá.principalmente depois de saberem da situação de Aziel.Tu não sabes! Mas ele mexe sem querer com muitas coisas-
Pensei-Eu não sei,entende? Sabia o que fazer,mas agora eu não sei mais,Vitória!-Chorei,foi simplesmente isso.Chorei silenciosa ao continuar bebendo o chá gelado.

Era como se ela tivesse pressentido meu estado esperitual antes de chegar,enquanto eu vinha de carro.Chorei ao decorrer do tempo sem piedade.Nesse passar de tempo as
suas unicas palavras me foram quardadas."Não tema,sempre há uma solução.Imagino como deva ser".Ofeguei durante vários instantes,eu havia bebido quatro copos do ma-
ravilhoso chá gelado de ervas doce dela,quando a campainha tocou.

Foi aterrador para mim,me alertei de imediato."Ah,céus! Será que e um daqueles anciões!?".Vitória levantou-se indo atender,quando teve o vislumbre de Hyarian me senti
tomada de alívio-Querido! Finalmente chegou-Ele respirou fundo ao entrar-Cadê o Aziel?-Perguntou ao entregar Samantha a ela,ele tinha se trocado de vestes antes de con-
tinuar sua viagem,céus,era como a mãe de Aziel havia falado: Passará rápido na ilha de Tompei,juro que fiquei curiosa para saber quem ele era.

-No seu quarto,ele dorme querido,acho que hoje a noite ele não acorda mais-Foi como trovões aos ouvidos de Hyarian-Eu entendo-Peguei minha filha quando Vitoria a en-
tregou,como me senti alíviada em tê-la comigo,ela dormia profundamente.Vislumbrei a linda túnica de Hyarian: A túnica era longa,o tecido de linho macio e fino,ele andava
conversando com Vitória,falada sobre a situação de Tompei.

Ele havia escolhido bem a cor da túnica: A cor vinho lhe caia bem,principalmente ao está vislubrando a faixa branquissíma atada a sua cintura."Sabe o que Tompei pensa
disso tudo,tive que falar com ele entende? Tô sabendo que ele está prestes a ir para fronteiras lonjiguas,falo de matança na fronteira filandeza,Marius e Lunnes tendem a ir
com ele-Ofeguei,acariciava Samantha docemente observando a conversa.

-Entendo,deve ter acontecido confusão por lá,foi quando ele e ela se direcionaram a escada,ouvi Hyarian falar."Papai não vai gostar disso,nem quero imaginar.Mas sei que
Aziel ter vindo,foi sábio,estará bem,mesmo a gente estando um pouquinho ocupados".Ofeguei,olhei minha princesinha docemente,ela dormia encostada sobre meu ombro
direito.Ao menos tê-la comigo me era confortante-Ah,querida,que bom!-Disse voltando a acariciar seus cabelos enquanto andava pela imensa sala.

Foi quando sentei-me.Ela ainda vestia as vestes que eu havia escolhido para ela antes dela ir com Hyarian: Um vestidinho vermelho-escuro,delicado,mas que a confortava
devido ao tecido macio de lã,o casaquinho negro uma malva de trevoroso para ela,a chupetinha ela não largava,nunca a vi tão cansada! Dormia tanto! A levei para o quarto
de hospedes.Mal tinha acabado de deixá-la lá e vi Vitória vir falar comigo.

-Ela dorme,isto me é maravilhoso! Quer comer algo? Jaja o médico deve chegar para examinar Hyarian-Eu ri por alguns instantes.Quando entrei na cozinha vi Hyarian le-
lentar-se da cadeira-Lilith,precisarei sair,está entendendo? Tenho que resolver esse problema que deve está sabendo,por favor! Sei que aquele peste de Aziel vai ser selva-
gem e insensato a respeito de tudo,faça com que ele fique aqui-O olhei ao sentar-me,se direcionando a saída-Entendo,esteja aqui quando puder-Ele ofegou me responden-
do antes de sair-Tudo bem! Mas faça o que te peço,a coisa agora,não está para brincadeira,entende? Não quando até eles sabem que Aziel está aqui,terei que pensar rápi-
do,já que infelizmente,há certas decições saberam a minha pessoa-Ofeguei novamente.

Quando sozinha com Vitória a gente começou a se preparar para comer.A lazanha e frango grelhado preparados por ela me foram maravilhosos quando nós servimos.Ela
riu por alguns momentos apreciando a tijela de sala de ervilhas,lentilhas,picles e alface-americana,os tomates cerejas me pareceram maravilhosos e suculentos-Vamos que-
rida,até mesmo eu preciso comer-Bramia com vontade.

-Acha mesmo que Hyrian têm a solução?Que possa resolver isso? Que problemas há naquela fronteira da Filándia?-Ele riu docemente,eu me servia,ela também-E como
um jogo,acredite! Eles descobriram um dos principais covis do Seres Bestiais,pretendem fazer o que chamam dê a ceifa por lá,limpar aquele lugar-Ofeguei imaginando tu-
do que poderia aconcer.havíamos começaço a comer,e antes de nós silenciarmos e esperarmos a chegada do médico ela disse."Querida Lilith,tenha calma,acredite que es-
tá muito melhor aqui do que ficar por lá.Espere as coisas se acalmarem,valerá a pena".Só esperava que Aziel compreendesse,que ele tivesse a calma necessária para tu-
do isso.

"É o pai dele sabe que ele está aqui?".Ela não respondeu,pelo visto era um caso a parte.Quando arrumamos a cozinha,fomos atender ao médico que havia chegado nes-
se intervá-lo em que havíamos chegado.Ele nós esperava na sala.No quarto ele investigou toda situação de Aziel:Um senhor de classe trajando jaleco imaculamente bran-
co,a calça de corte clássico negra um conjunto perfeito com os sapatos luxuosos,osava óculos de lentes delicadas,um homem de idade,cabelos crizalhos,mas conservado pa-
ra sua idade.

-Senhorita Vitória,acho que se esse jovem,seu filho,sober esperar com atenção,calma,eu posso resolver sua situação defitivamente,entendo a consaguinidade,o que não
impede dele experimentar novos tratamentos,houve avanços para esses casos,tenhamos calma,a colheta de sangue dará respostas mais claras e sensatas para eu poder
escolher o melhor tratamento defitivo para ele.Pelo visto seu tratamento anterior dava-lhe uma sobre-vida,mas não a solução defitivda-Foi quando ele o fez,enquanto o
Aziel mantinha silencioso,sentado ao encostar-se no espelho da imensa cama dos eu quarto,o médico tirou as amostras.

Inicialmente ele se sentirá abatido,triste por muitas coisas.Só quando fiquei a sóis com ele,ao vê Vitória sair com o médico para se despedir,e que soube do que ele sentia
com a maior profundidade possível.O vi mover-se voltando a deitar-se,ele tinha escolhido longa túnica de linho branca,os botões de prata cintilavam em meio ao escuro,o
Luar rompia a escuridão do quarto,o cortinado oscilava com a brisa,o fitava quieta,temia irritá-lo.

-Estou definhando,está entendendo? Não tenho mais paciência para essas coisas Lilith,meu fracasso e eminente,não faça com que Samantha cometa o mesmo erro-Isso
me feriu fundo,no coração e na alma.O olhava ao manter-se deitado de lado,seu rosto sobre o travesseiro,seus olhos verdes brilhando sobre o luar,foi de machucar,isso
para mim foi como um golpe terrível.O cobertor de cor escura o aquecia bem do frio da Cidade.

Era uma época turbulenta quanto ao clima,principalmente se tratando do Mar Mediterrâneo-Eu te amo,nãos eja insensato Aziel! Estamos quase lá,está entendendo? Es-
tamos quase lá! Só mais pouquinho,e sabemos que temos tudo para sair dessa turbulência-Ouvi seu riso sequido,de machucar profundamente-Eu sei amorsinho,mas eu
não sei se terei paciência de esperar mais-Mesmo triste,me curvei a sua frente,lhe desferi beijos doces no rosto,ele pode fechar os olhos para dormir.

-Eu sei que vai,estarei com Samantha querido,me chame de precisar-Ele riu por alguns instantes,tinha percebido que sua mãe aparecerá na porta do quarto me chaman-
do-Eu entendo,também te amo-Ela voltou a chamar."Precisamos dá banho em Samantha".Ofeguei,o deixei sozinho dormindo,descansando,segui com ela.Foi crucial esse
momento.Isto me causava alívio,ao menos saber que ele podia melhorar,avançar em seu tratamento,me foi conforto,entende isso,Sara? Lamento,mas continuidade,queri-
da,principalmente se tratando de respaldo de dor.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Ter 26 Out - 12:08:13

Havia sido de manha.Eu havia ouvido sons cálidos,mas temerosos vindo do quarto de Samantha.Eu não compreendia,mas me foi o alerta para levantar.Samantha dormia
ao meu lado,coloquei meu roupão de seda de cor azul-marinho.O conjunto com a calça me era maravilhoso e sedoso de sentir junto ao corpo.Abrindo a porta tive a certeza
de que era do quarto de Vitória que os barulhos vinham.

-O que acontece?-Brami entrando no quarto,a cama ainda estava desforrada,remexida.Parecia que ela havia sido acordada as presas.Entrei no banheiro e me deparei com
ela espantada.Aziel sentia dor,ele se manteve de pé de frente a pia,sentia tanta dor no estômago enquanto vomitava,que não tirava tirar a mão de frente sobre seu torax.
Ofegava tentando respirar-Eu não entendo isso! E como se ele estivesse se auto-destruindo-Bramia Vitória que saiu chorosa do banheiro.

Fiquei com ele-Essa foi demais,nem eu estava preparada para isso,Aziel-Abri a torneira,a água veio limpida,rispida a limpar o sangue dentro da pia,as machas sumiram,eu
juntei um pouco de água nas mãos,foi quando ele solveu grande parte fazendo com que sua boca ficasse limpa e livre do gosto do sangue-Se sente melhor?-Ele não respon-
deu,me deparei com ele apagando na minha frente.

Foi como se meus braços tivessem sido impulsionado a segurá-lo,lhe dar apoio-Aziel!? Acorda!-Pedia,nada dele responder,chamei Vitória que se apressou em segurá-lo,ela o
vislumbrava como se não acreditasse nisso.Eu e ela conseguimos fazer com que ele deitasse na cama,mesmo desmaido,a gente consegui mover Aziel sem que o machucas-
se.Quando puxamos os cobertores por cima dele,a olhei transtornada-Não entendo! Não entendo!-Bramia chocada,nervosa,ao direcionar-se a linda varanda do seu quarto.A
sua pessoa sentou-se á mesa.O jarro com flores em destaque.

Foi quando ela chorou rancorosa-Não entendo,sabe!? Fiz Aziel com o intuito de viver,por quê eu queria,eu e o pai dele,a gente queria-Nunca a vi tão nervosa,céus! Isso ao
meu vê,era espantoso,não esperava que ela perdesse o controle daquele modo,mas eu tive que me conter,me manter ciênte de tudo que acontecia-Sabe que algo muito im-
portante aconteceu na vinda daquele médico,eu tenho esperança,compreende?-Ela olhou-se chorosa de lado,tinha uma das mãos pousadas sobre a mesa,a outra curvada de-
baixo de seu queijo.

Sua camisola longa de linho e renda me chamaram atenção,principalmente quando se trata da cor turquesa-Não sei Lilith! Não sei o que faria sem meu menino,ele para mim
é como um bebê,ainda entende? Um bebê! Tão jovem,belo,mas tão desprovido de maldade-Ofeguei tristemente,me perdi olhando em direção a paisagem,foi como se isso
me fosse inesperado.O sol cintilava pela doce manhã.

E foi quando tive que me segurar,o choro foi contido quando as lágrimas me vieram aos olhos.Esperava passar por situação pior,mas não essa! Droga! Me deparei bramindo
palavras rispidas,mas óbvias-Não fale esse tipo de asneiras Vitória! Preciso saber do pai dele,por favor! Eu creio que Aziel saberá como encontrar sua salvação,não conviveu
com ele nesses últimos meses querida,ainda não viu a transformação que ele foi forçado a reaver para si-Ela ofegou tomada de ávico.

-Entendo,não sei,não sei! Sobre o pai dele,sei que deve está metido em uma confusão profunda,nem Louis apareceu nas últimas noites querida,fui a mansão e nada! E mais
das coisas que me causa tristeza!-Nossa! Me desesperei em vê-la chorar com vontade,deixar toda sua frustração e dor brotarem,me apressei em espando e medo por ela,ao
seu lado-Tenha calma,assim nem eu poderei cuidar de você,nem de Aziel!-Tive medo! Medo,entende!?

Os soluções dela ecoavam pelo quarto,foi quando senti algo."Tenha certeza que eu olho maldida Lilith!".Era a voz de Redenção,isso forçou-me a direcionar o olhar em direção
ao Aziel na cama,ele que dormia acolhido pelos cobertores.Foi quando o ouvi ofegar,respirar melhor.Meu espanto foi trevoroso! Redenção estava nele,trabalhando nas células
dele-Ah,que merda! Aziel vai te matar-Brami.

Vitória não compreendeu minhas palavras,mas saber disso me espantava.Como não sei,mas acontecia.Durante a tarde eu Vitória preparamos o almoço para Aziel,ele ainda
dormia,mas provavelmente o que Redenção fazia com ele,daria algum resultado.Subi com ela após preparar o prato com babatadas grelhadas ao vapor,cozido de carne,arroz
fumegante,é salada.Graças que ele jazia acordado ao entrarmos,me foi espantoso,mas era como ele tivesse sentido o cheiro de comida fresca e preparada,e acordado para
comer,matar a fome que sem dúvida o matava é o destruia por dentro.

"Coma tudo! Sei que pode comer,precisa disso,Aziel,ao menos até a medicação do médico está pronta,ele ligou agorinha,entende? Não vai demorar,sei que terá que tomar,
e pelo visto tudo aponta para uma solução".Sua mãe disse antes de saírmos.Ele a olhou rapidamente mantendo a bandeja a sua frente-Á odeio por isso-Bramiu.Quando na
sala soubemos por chegada de carta que algo crucial acontecia.

-Nossa,foi mandada a noite por Marius,há duas noites e chegou agora-Ela sentou-se-E assim,entende?Quando acordados á noite,mandam notícias,pode chegar a qualquer mo-
mento-Li a carta.Dizia algo referente ao pai de Aziel."Tendes a esperar minha querida,não vai demorar,nós sabemos,ele vai voltar".Ela ofegou-Só espero que seja a tempo-
E com isso passamos a tarde juntas.

O que causou lástima foi ao estarmos jantarmos ouvirmos o telefone tocar.Eu fui atender já que ela não estava com paciência,de certo modo,eu compreendia,ofeguei como
se não sentisse o espanto de quem falou-Lilith! E você,querida,tu! Como está? Pensava que seria a mãe de Aziel que atenderia,foi a querida Isabel que passou-me o número.
Mandaram correpodência para ela,fomos pegas de surpresa,foi uma pessoa chamada Khayman que mandou informações-Nunca ouvi falar dessa passoa.

Trovões ecoaram aos meus ouvidos-Nossa,entendo,mas não sei quem é-Ela ofegou para depois falar-É Aziel? Ele está bem? Tens certeza que sente-se melhor ai?-Ofeguei
a respodendo-Sim,querida,muito melhor.Não que ele tenha melhorado,mas ele come,entende? E um grande avanço-Seu tom de voz foi a tristeza.Sentei em uma das pol-
tronas para conversar com ela,quando terminei,ela tinha a certeza que devia nós esperar.

"Vamos voltar,e sei que não demorar".Foram minhas palavras á ela antes de desligar.Quando na cozinha perguntei a mãe de Aziel quem era Khayman-Ah,sim,deve está
fazendo a vigia aqui por perto,não sei o intuito,estou sabendo agora,mas sei que deve ser algo importante-Compreendi,voltamos a jantar,ao decorrer do tempo me deparei
pensativa.A noite ficará maravilhosa em seu nascimento.

Aziel passará o dia todo no quarto de sua mãe,dê lá eu sabia que não sairia,não até ter segurança.Nunca me envolvi em tanta profundidade enquanto comia.Mas quando a
gente acabará de esvaziar o prato,sentimos a presença de Hyarian-Nossa,e ele! Não esperava para hoje,não hoje-Disse ela se apressando em ir para a sala,a segui silencio-
sa.Mantive meus braços cruzados ao vê-la falar com ele por alguns instantes na varanda.

Ele me chamou para estarmos no jardim.Não que ele estivesse PUTO com algo,mas prestes a desferir tiros para todo canto sem se importar quem séria a vitima.Um ser de
bom agrato que falava conosco.Hyrian havia conseguido boas vestes ao ter escolhido uma de suas calças justas,as botas pesadas no mesmo tom escuro lhe dando conforto,a
camisa branca me chamava atenção de verdade.

Isso por se atenuar melhor as suas curvas,seus cabelos jaziam amarrados para trás,algumas mechas soltas a frente,mas porém,maravilhoso.Foram notícias agradáveis,mas
porém,preocupantes em certos pontos.Quando ouvimos que o pai de Aziel fora obrigado a viajar até as fronteiras chinesas,Vitória Regia quase passou mau-Mas por quê!?-
Foi o que ela disse ao caminharmos em direção a entrada da casa.

Aziel tinha seus braços atrás dela-Sim,e guerra,sabe? Não que ele use como argumento a proteção de Aziel,mas me foi de bom grado que ao saberem que Aziel está aqui,o
próprio Tompei e Thalwa tenham decido afrontar de verdade,foi bom,não disse que seria o ponto final,mas o começo do fim-O olhei profundamente ao entrarmos.Nunca vi
tamanho ávico em seu olhar-Nossa-Brami.

-Tudo que a gente queria,e que ele estivesse aqui! Bem que fosse por um tempinho,Lilith! Sei que ele está mal,eu sei! Mas foi a chave que precisamos,não podíamos tomar
certas iniciativas sabendo que Aziel jazia pelo mundo-Ofeguei,desabei chocada,imensamente triste,sobre a poltrona,até mesmo Vitória fez o mesmo.Ficamos nos olhando en-
quanto Hyarian decidiu subir em direção ao quarto.

"Fim,o começo do fim de uma guerra".Bramia ela repetidamente,tentando reaver seu controle mental.Não sabia as circustâncias,mas me foi terrível saberm que tantos
Seres Bestiais estavam sendo **QUEIMADOS** nesse momento.Foram as explicações de Vitória,já que ela imaginará melhor que eu,as explicações de Hyarian.Nunca
tive tanta necessidade de bebê água ao está com ela na cozinha.

"Que se dane! Não deves ter pena! Que eles se lasquem! Tens mais e que ficar feliz! Eu estou feliz,sabia!? E como,Lilith! Se visse o que eu vejo na mente de Hyarian,dê
muitas imagens transmurando!? Eu danço na relva".Foram os pensamentos de Redenção."Não deve ter pena,não começa a loucura de vascilar agora! Quase está liberta
dessa perseguição".Eu ri nesses pensamentos,pousei o copo no balcão.

Transmiti as palavras a ele enquanto conversava com Vitória."Ajude,sei que pode".Risos aos meus pensamentos,triste,mas compreendia essa cede de vigança de está
além do que podia de Redenção.Durante o início da madrugada,enquanto eu jazia sozinha,pensava,havia estado no jardim pensando,olhando para os céus estrelados.A
minha pessoa imaginava tudo isso.Vestida com calça e camiseta de algodão estava (Cor branca me ardonava),pensava.

Segui para a casa silenciosa.Samantha dormia com sua avó no quarto de Aziel,ela não desejava por nada nesse mundo tirá-lo de seu quarto.Tendo o quarto de hospe-
des livres me foi maravilhoso.Segui,segui junto a minha dor.Hyarian não tinha saído do quarto da mãe de Aziel em nem um momento.Fechei a porta,a chuva começa-
va a cair apesar do céu ter estádo limpido.

Trovões sequidos.Fui ao encontro deles,desejava saber como os dois estavam,se Aziel estava desperto.Ao entrar me deparei com Hyarian bramindo algumas palavras
ao Aziel que jazia deitado,o observava-Sinta,nem que seja por alguns instantes querido,nem que seja apenas por alguns momentos-Me senti seca de vida,sentimentos
ao vê-lo deixar algumas gotas de sangue lhe cair dos lábios.

Hyarian deixou essas gotas cairem,para depois beijá-lo.Ofeguei,fui forçada a me manter de pé encostada no vão da porta,mantive os braços cruzados.Mesmo trémula
de medo por Hyarian,vi quando Aziel ofegou,quando ele deixou-se afastar as mãos dos ombros de Hyarian que se mantinha curvado a sua frente-Me tentas com inju-
ria,me deixa-Pediu,antes de levantar-se Hyarian lhe respondeu bramindo algumas palavras aos ouvidos de Aziel-Sabe que além dos sérios motivos,eu tenho meus mo-
tivos pessoais,para tê-lo mandando vir para cá-Aziel sentou-se,juntou forças,gemeu de dor,mas pode sentar-se! Juro que senti orgulho nesse momento por ele.

-Insano,sai daqui,me deixa! Não que tenhas usado de suas artimanhas,mas falo de vida,entende? Não a largaria,não a destruíria-Hyarian não o respondeu,saiu silencio-
so,ele sabia da verdade que desferirá na face de Aziel."Não,és meu maldito,verá! Chegará o momento em que vai implorar,e quando acontecer!? Juro que não vou pen-
sar".Pensamento,andei a frente fechando a porta,me sentei na cadeira em que Hyarian havia estado.

Aziel tremia,tremia todinho! Ele olhava para frente,tão sequido estava,ele deixou-se chorar por alguns instantes,olhou-me em seguida-Ele sabe,ele sabe! O pior e que ele
sabe que se eu não conseguir,vou implorar-Quando me sentei sobre a cama ao seu lado o acolhi junto a mim-Não que ele saiba,ele pensa estratégicamente-Nunca vi tre-
mores de medo e pavor como o dele.Fiquei com ele o resto do tempo.Sentada ao seu lado,ele que tremia,tentava reaver seu controle devido ao sabor daquelas sutis
gotas de sangue-Não deixa,não deixa-Ele pedia quase me implorando.Não soube o que responder,mas perante Hyarian? Ah,céus! Quem eu era!? Tanto ávico nesse ins-
tante!
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qua 27 Out - 10:16:15

Sinceramente foi como se minha pessoa enchergasse perante minha pessoa,o futuro.Nem sempre estamos ciente do que possamos fazer ou argumentar.Aziel se envolveu em
uma profunda conversa comigo.Foi como se sua necessidade falasse auto,principalmente sabendo dos perigos que o rondava.Saber que ele podia se acolher do modo que fize-
rá ao meu lado me foi maravilhoso.

Principalmente sabendo do que se tratava,do que acontecia.Sinceramente era chegada a hora de podermos analisar a questão perante nossos conceitos-Não quero que pense
que meu passado foi pura tortura,acho que entende poucas coisas,Lilith-O olhava sentado a minha frente sobre a cama,ele fitava-me como se isso fosse dor,respirei fundo antes
de poder responder;

O silêncio pairava entre eu e ele,foi como se sua pessoa esperasse tomado de conceitos e entendimentos.Mas será que isso era possível se tratando se sua pessoa? Minha voz
ecoou pelo quarto-Não o julgo Aziel,e como se tu não entendesse. Não vou julgá-lo por suas artimanhas no passado,correto? Artimanhas masculinas que lhe foram necessárias.
Será mesmo que pode entender?-Ele arqueou sua sobrancelha delicadamente.

Dê uma sutileza que me surpreendia-Será mesmo? São ameaças morais,ele compreende minha natureza,ele a manipula contra mim,e isso que queria que conceituasse-Jamais
esperava ouvir esse tipo de palavras de sua pessoa.Foi como se a neotralidade me tomasse desprevenida.Sinceramente estava prestes a enlouquecer quando ele pousou suas
mãos sobre meus ombros-Vamos,me responder-Pedia.

-Não sei! Como posso entender meu querido? Como?-Brami olhando-o nos olhos.Foi quando ele pode levantar-se,mesmo se sentindo seguido e cansado,ele pode respirar.Me
olhar como se aquilo lhe fosse muito importante-Perante tudo,preciso continuar correto?- Ofeguei o olhando detalhadamente,ao segui-lo pelo corredor,soube com perfeição como
sua pessoa pretendia continuar.

Tudo que ele desejava era diante desse momento,está com Samantha,não compreendi isso,mas para sua pessoa,era necessário.Sabia que ela estava na sala com Vitória,eu
soube só em vê-lo entrar no quarto de hospedes e não vê-la presente.Isso o angustiou-Aonde ela está?-Repetia sem falar ao seguir pelo corredor.Quando entramos na linda sa-
la,vislumbramos a certeza:Vitória Regia andava com ela nos braços,os passos delicados foram agradáveis ao Aziel.

-Dê-me ela-Pediu,foi nesse momento que ao vê-lo sentar-se com ela sobre seu colo,percebi o quão sentia-se preocupado,ele deixava-a pegar em seus dedos,Samantha não
desgrudava seus olhos dos dele,ele riu secamente,foi quando nesse voltou o olhar a Vitória Regia,ela o olhava tristonha,ainda sentida pelo estado de saúde do filho-Sabe se
aquele maldito foi embora?-Bramiu,notável como nesse momento ela soube como lhe dá com a questão.

-Não foi embora Aziel,peço para que tenha paciência,tudo bem? Hyarian está lá fora,a noite está fresca e saiba que seu pai não está presente,afinal,e o que mais pede nesse
momento-Ele deixou seu olhar cerrar-se contra ela,a seriedade o tomou,tive tanto medo dele que peguei Samantha nos braços,temia que em fúria ele levantasse a fazendo ca-
ir-Acha mesmo que me importo com aquele canalha? Por favor! Peça para que ele não volte aqui,não sabe das ameaças que ele fez-me naquele quarto-Ela ofegou.

Mantendo os braços cruzados disse-Aziel querendo ou não,caso aquele maldito tratamento que tanto odeia não surta efeito,sabe qual será a solução-Ofeguei com meus lábios
trémulos.Odiava sentir essa sensação trevorosa-Ah,que lástima querida mamãe.Não preciso ser ácido,correto?-Ela sentiu-se tão triste que sentou-se tomando ar,deixou-se pen-
sar tristemente-Sabe de uma coisa? Esse e seu problema Aziel, sempre foi ácido,sempre foi! E como se as trevas dominassem seu coração,és o que és,não vive na luz de pen-
samento,alma!-Bramia ela.

-Não quando se trata de minha vida! Não quando tentam me manipular para obterem seus desejos! Afinal,és e o caso!-Ele ficará tão descontrolado que subiu,ouvi ele bramir
algumas palavras."Mande-o embora,e tudo que peço,não quero ter que fujir perante tais ameaças".Olhei rispida para Vitória Regia,ela manteve-se sentada-Dê-me ela queri-
da,se precisar falar com Hyarian,vá,ele está lá fora,tende a se retirar para que possa dormir durante o dia-Ofeguei.

Chorosa ela pegou Samantha para si,deixou-se acariciar sua cabecinha por trás-Há se ele estivesse aqui princesa,sei que iria amá-la desde sempre-Espantoso ao vê-la chorar
do vão da sala,estava prestes a sair,ofeguei lamentando a situação dela com Aziel.Quando sai me deparei com Hyarian sentado sobre a murada pedregosa,olhou-me como
se eu fosse uma ameaça-Veio argumentar comigo? Não sou santo,entende? Nunca fui,é a unica solução que tenho para ele,só que ele não aceita está verdade-Compreendi.O
fitei silenciosa.

-Hyarian,por que joga com ele pisicológicamente? Por que você quando teve a change não o fez?-Ele ofegou,pulou da murada choroso-Sabe por que? Não desejá-ria tê-lo
para mim e saber que ele seria infeliz vivendo comigo. Olhe o que tu deu a ele!? Uma família,compreende isso? Como posso amar uma pessoa que tem sentimentos? Ele
ainda e muito humano para compreender,e como desejo fazê-lo imortal para compreender minha visão-Silenciosa fiquei enquanto ele continuava falando.

-Vai sair? E isso?-Ele ofegou caminhando em direção ao portão-Sim,Lilith,eu preciso,preciso para que fique longe dele,se não cometerei uma loucura-Transitório esse momento.
-O sangue,sobre o sangue,como funciona? Pode me responder antes de ir embora?-Ele voltou-se a mim,riu de modo seco,triste,choroso(As lágrimas vermelhas aos olhos),mas
respondeu-Imagine-o como a malva da noite negra,mas que há luz,pensamento.Uma teia que o envolveria por completo,até o fim dos tempos.Aziel seria Aziel,mas diferente
quanto a vida.Imortal,onipotente,forte em seus conceitos,e como desejaria isso,como,não pode imaginar-Onipotente? Céus,indestrutível segundo meu entendimento de suas
palavras.

-Obrigada Hyarian,obrigada por tudo-Ele saiu pelo portão o batendo.foi nesse momento que virei-me e deparei-me com Redenção.Fiquei bastante tempo com ele,foi como se
sua pessoa decidisse transmitir-me algo.Sentei-me sobre o gramado o observando,ele tocou-me nas mãos com sutileza-O que há?-Ele riu por alguns instantes-Mostrar-lhe tudo
que vejo-Bramiu esticando as mãos ao lado de minha cabeça;

O toque foi maravilhoso,meus olhos fecharam-se obtendo todas as imagens pisíquicas que ele desejava me transmitir,me deparei vislumbrando seres diferentes.Seres que ja-
ziam em seus esconderijos,eram mortos por pessoas também diferentes que entraram em seus esconderijos,queimados,desecados,arrancados de seus leitos para serem mortos.
-O que isso !?-Disse ao abrir os olhos com sutileza.

-A morte de muitos seres bestiais,querida-Terrível! Mas porém compreendi,levantei-me,as imagens ainda me eram nítidas na mente.Ofeguei me segurando nele por alguns ins-
tantes-Loucura-Disse o olhando,ele olhava-me-Necessário-Respondeu,e foi nesse momento que me deparei com a mãe de Aziel parada,ela que observava-me silenciosa ao estar
encostada em uma das colunas da varanda.

Tive medo,ela pode vê Redenção nitidamente.Só quando passei por ela,ela bramiu silenciosa-Um anjo-demônio? Desde quando,Lilith!?-Não tive coragem de responder de imedia-
to,só quando me senti apta para isso-Desde sempre Vitória-Ela voltou seu olhar para o nada,lá estava Redenção a encarando,sumiu.Fui dormir,era tudo que eu precisava.Apesar
de todo constrangimento eu sobrevivi,estava sonbrevivendo.

No dia seguinte algo maravilhoso aconteceu.Havia acordado,e quando fui ao quarto de Aziel,o vi de pé,ele olhava para algo,sobre a mesinha havia um envelope dado por sua
mãe que jazia a sua frente-Tome Aziel,chegaram ainda agora,é,lhe direi algo:Tu destes sorte,são a cura definitiva,será um tratamento de poucos dias-Era como se ele não acre-
ditasse,como se ele não acreditasse no que acontecia.

-Não está mentindo,está!?-Falou sequido,tomado de exasperação,ela moveu as mãos sobre seus ombros-Não querido,não estou-Ao vê-la sair,voltei a atenção a ele-Acredita nis-
so!? Depois disso não terei mais que passar por toda essa situação-Ofegava ao olhar-me.Pensei antes de responder,peguei um dos pequenos frascos de vidro,o olhei,temia saber
qual resposta lhe daria:Pílulas de cor vermelha,várias pequeninas.

-Duas semanas,compreende? Será exatamente isso,três por dia-Quando fomos ao banheiro ele tomou a primeira dose.Foi apartir desse momento que ele deixou-se pensar.Olha-
va para ele de pé ao encostar-me no vão da porta-O que acha?-Perguntei,ele riu por alguns segundos-Não sei meu amor,mas sei que estou prestes a voltar,eu sei disso,não vivo
desde que soube dessa maldita doença,mas agora? Eu sei que vou voltar a viver-E moveu o rosto olhando-se no espelho,um jovem desgastado pela doença,os cabelos ruivos
soltos aos ombros,a túnica longa que o ardonava.Voltei o olhar para o quarto,pensei.Agora não era brincadeira,como não sabíamos,mas Aziel encontrará a solução definitiva.Não
imaginava isso,mas havia acontecido,e tinha que aprender a conviver com isso.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qua 27 Out - 11:33:35

Sabe quando o alívio o toma por completo? Foi o que havia acontecido a respeito do tramento de Aziel.Dias se passaram segundo a espectativa.Eu mesma sempre o
acordava pela manhã para poder tomar a medicação.Durante esse tempo,falo desde aquele momento que Hyarian forá se retirar,ele não havia aparecido para dar no-
tícias suas ou do que acontecia.Não importava para Aziel,quando sua mãe perguntava o por quê.

Mas em uma dessas vezes,ele disse."Discuti com ele,deve está magoado por eu não querer ceder a ele".Isso provocou nostálgia em Vitória.Mas o momento maior en-
tre ele e ela foi quando eu havia voltado após esse passar de tempo.Desde que o querido Aziel começou o tratamento,passou-se oito dias,havia voltado do mercado,a
Vitória implorou para eu comprar massa fresca e brocólis para fazermos para o almoço.

Entrei pelos portões e segui pelo jardim,eu usava um de meus vestidos longos,alças finas de algodão,a cor imaculamente branca se destacava na claridade do dia,meu
cachecou negro de lã oscilava com o vento.Abri a porta e quando ela viu-me,deixou-se rir por alguns segundos.Havia passado todo esse tempo com Aziel e Samantha.
A minha pessoa assentiu andando pela imensa sala.

-Querida espero que tenha conseguido,ainda e início de tarde,mas sei que podemos preparar um almoço maravilhoso-Fui a cozinha deixar as bolsas sobre o balcão,quan-
do voltei para pegar Samantha para amamentá-la,percebi a sutileza com que aquele maldito desferiu beijos no rosto da mãe,principalmente quando colocou-se por trás
dela ao estarem sensatados sobre o tapete.

-O que há? Sabe que és um maldito varão Aziel! Enche-me com sentimentos dolorosos para mim-Ele deixou-se rir por alguns segundos,a apertava com força por trás.Eu
atenuei meus olhares a Samantha.Nossa,ela estava com tanta fome,que tive pena dela.Enquanto isso continuava ouvindo os risos de Aziel,o modo como ele continuava
atiçando a impaciência de sua mãe,me foi assustador.

-Sabe se mais tarde ela vai querer tomar mingau? Sabe que há ingredientes na prateleira-Era notável que mesmo o olhando,eu sentia o mamar ácido de Samantha,até a
sua mãe junto a ele observava-Sim,claramente que,sim-E com isso ele vislumbrou sua mãe levantar-se indo em direção a cozinha preparar o almoço.Ele tirou o maço de
cigarros de sua calça,tragou-o quando o acendou,jogou o isqueiro sobre a mesa de centro.

-Mesmo em tratamento,fuma,eu não entendo-Ofegou,depois olhou-me silencioso,risos alheios-Nunca me senti tão bem,sabe disso,o coquetel de pilulas realmente faz efei-
to,me sinto livre,estou me livrando da pecaminosidade que a doença me fazia sentir,acredite querida;e como se meu corpo já não deseja-se se auto-destruir-Ofeguei sentin-
do alívio-Ah,mais uma coisa,quem sabe nós próximos dias,possamos sair aos bosques durante a noite-Loucura,eu sei! Mas aceitei a idéia,nunca o vi tão forte,era como se o
brilho com a qual o conheci,voltasse novamente.

Samantha continuou mamando.Logo a noite enquanto eu e Aziel argumentávamos sobre Samantha,a respeito do que fazer para aquela menina mimada,parasse de chorar.
Foi perceptivel a chegada de Hyarian.Estavamos no quarto dele quando sua mãe veio chamá-lo-O que?-O segui pelo corredor ao deixarmos Samantha dormindo na cama
dele.Nunca pensei que um dia ela dormiria na cama que fora dele desde tanto tempo.

Ele pensava,olhava para sua mãe,a túnica em estilo celta de Vitória um requinte de vislumbre.Aziel não pode acreditar ao entrar no salão vislumbrar Hyarian naquele esta-
do de desespero-Por favor venha caçar comigo está noite,por favor não pode fazer descaço de minhas palavras-Aziel ofegou andando em direção a porta-Pede-me coisas a
qual preferiria morrer-Hyarian o queimou de cima abaixo.

-Curado,está curado!?-Ofeguei ao manter-me ao lado de Vitória,vislumbrei o modo como Aziel ajeitava a lampêla de sua camisa branca,a calça jeans que se ajustava com
perfeição ao seu corpo,as botas curtas negras fazendo o conjunto perfeito.Me assustei mais ainda ao vê-lo entrar pegando o maço de cigarros junto ao siqueiro prateado.Eu
nunca vi tamanho medo no olhar de Vitória ao continuar fitando-os junto a mim-Não lhe interessa,não estou indo por sua causa,e para lhe exclarecer muitas coisas enquanto
sua loucura brota,enquanto caça,seu maldito!-E foi desse modo que os fois seguiram pelo jardim.

Quando ameacei gritar pelo Aziel devido ao medo com que podia acontecer,Vitória se apressou em segurar-me justo ao entrar na varanda:Olhava para os dois,o modo co-
mo o longo casaco negro de Hyarian movia-se ao vento,como ele parou por alguns instantes fitando Aziel,o vento que fez seus cabelos loiros voarem em ondas para trás,o
cruel Hyarian que podia matar Aziel só por ele continuar resistindo."Isto vai ter volta,mas admito,a cura e defitiva,lamento".Aziel abriu o portão,e lá de foram eles.

Vitória me segurava por trás,bramiu as seguintes palavras-Não vá! Ir e o mesmo que assinar a morte de Aziel,Hyarian não está bem,e o faria só em saber que fois-tes ao
encontro dele,intervir no que Aziel tem a dizer a ele-Que lamento! Foi algo que não pude intervir,eram coisas que diziam respeito somente aos dois.Ao decorrer do tempo
eu compreendi,tive que aceitar.Uma noite terrível,deve imaginar Sara.Principalmente ao está dormingo em meio a madrugada e me deparar com Aziel me fitando,chorando
como criança.

Ele que tinha fumado vários cigarros."Não seria louco,sabe disso.Eu te amo,nunca cometeria tamanha dor a você".Foram palavras dolorosas,mas que tive que aceitar.Eu
e ele decidimos passear pelo litoral do Mar Mediterrâneo na próxima noite.Saímos silenciosos pelo portão.Haviamos decidido tirar um tempo para conversarmos a respeito
do que ele queria fazer após sua cura.Samantha havia ficado com Vitória Regia.

O vento reverbava em meus cabelos soltos,sobre meu vestido branco de linho,o cinturão de prata com pequeninas jades atado a minha cintura,servia como belo ajuste.O
Aziel nunca me pareceu tão pensativo.Principalmente ao está com os cabelos amarrados para trás,a camiseta negra deixava seus braços a amostra,o conjunto da calça e bo-
tas-curtas no mesmo tom,provocava-lhe encantando.Ofeguei perante sua quietude.

-O que foi? Não vai falar nada?-Enquando andavámos,seguindo para o litoral,ele disse-Não existe nada,sabe disso querida-Ofeguei.Ao chegarmos,o vislumbre da praia du-
rante a noite me foi maravilhoso.Sentamos na encosta tendo a paisagem do mar reverbando nas pedras-Estou pensando,pensando,compreende? Quero saber se está dispos-
ta a está comigo aqui,admito que desde que vim para cá,tenho medo de deixar mamãe sozinha.Ela não admite,mas sente medo de está sozinha-Pretenção,eu sei,mesmo
assim,algo muito sério havia sido colocado em palta-Será Aziel?-Seus lábios tremeram devido ao seu nervosismo ao falar.

-Sabe que,sim,tenho medo de perdê-la,quero manejar tudo dá melhor forma possível-Nunca vi tamanho mistério sobre ele.Pensei profundamente enquanto o olhava.Foi
como se o vento e tempo parassem quando ele curvou-se e lado deixando uma das mãos pousar atrás de minha nunca,e beijar-me.O beijo foi longo,silencioso,ele ofegou
por alguns instantes como se sentisse falta de ar,ao afastar-se bramiu palavras que me deixaram tão confura-Sabe por quê preciso que esteja aqui? Não só por proteção a
nossa filha,a minha mãe,e,sm,eles a ameçariam,mas por que tu és meu ar Lilith,e minha respiração,não sobreviveria,entende?-Silêncio.

-Preciso de tempo Aziel,e outro Pais,outra vida,não me sinto apta a decidir-Ele levantou-se em risos deliciosos-Tudo bem,Lilith.A deixarei pensar,tudo bem?-Lebro de quan-
do chegamos de madrugada.Eu e ele haviamos passado grande parte do tempo andando pelo litoral do Mar Mediterrâneo de Athena.Vimos que Samantha dormia ao lado
de Vitória Regia,ao ela está dormindo no quarto-Céus,ela dorme como anjo quando está com ela-Ofeguei ao fecharmos a porta.

Aziel visualizou a paisagem pela janela por alguns instantes-Não vai demorar,sabe disso,com o tempo faremos o processo,se realmente quis isso,saiba que daqui eu não
vou sair,não quando se trata de mamãe,de Samantha e você-Nunca pensei que teria decidido por isso! Ficar com ele-Vou morrer-Brami o olhando chorosa,ele que jazia
de frente para mim de pé de frente para janela-Não vai,e sabe disso-Fazia tempos que eu me acolhia junto dele daquele modo.

Eu que dormi ao seu lado naquela noite.Nossa ida aos bosques nos campos de Athena ainda estava para acontecer.Demorou um pouquinho do que haviamos planejado.
Céus,e como me foi gratificante poder vislumbrar a paisagem ao chegarmos,Aziel parou rente a uma arvore imensa tirando o óculos escuros,o vento fazia sua camisa cir-
cundar,as montanhas jaziam como paisagem por todo canto.

Admito que o branco da camisa era impecável,a calça escura também,ele tirou as botas curtas as deixando de lado."Fazia tempos que não olhava para isso,muito tempo".
Foram suas palavras."Não posso lhe dá mais filhos,mas sabe que posso lhe dá momentos preciosos,Aziel".Ele olhou-me de lado risinho-Não me importa,sabe disso,quero
está com Lucy quando Elennos nascer-Pensei novamente na próximidade de seu aniversário.

Em pensar que na noite anterior ele tinha ido ao litoral,passado grande parte do tempo lá,chegado em casa afobado ao comentar de sua longa conversa com uma pessoa.
Ele não sabia que,mas disse naquele momento que tinha sido espécial,demais poder contar de sua vida para aquela pessoa.Que passar de tempinho,e lá eu jazia com ele
no bosque encarando-o e lembrando desse momento.

Tinha valido a pena,ao decorrer do tempo nossas confissões tinham ido a tal profundidade que me espantei."Quero criar Ellenos Cyrus,sei que Lucy desesperadamente o
faria".Ofeguei nesse trocar de palavras.Não que redenção fosse necessária nesse momento,mas em meio a satisfação nós envolvermos em nossos presságios,a tal ponto
de estarmos sozinhos debaixo daquela imensa arvores.

As montanhas incrédulas rondeando nossa pessoa.Entende a que ponto essas confissões podem chegar? Havia cheado a ponto deu está unida a ele,silenciosa em seus bra-
ços fazendo amor da forma mais silenciosa com que possa imeginar.O beijava,desferia sutis e delicados beijos em seus lábios macios,rosados.A escuridão me dava confor-
to,e não me importa em ser em um bosque em meio aos campos,afinal,era tão silencioso!

Nunca pensei que a gratificação tinha sido possível,mas havia sido,mas porém,ela veio junto a destruíção.Isso quando arranhei com força as costas de Aziel,quando ouvi
os meus gemidos junto aos dele,deixando meu rosto mover-se para trás,dê olhos fechados senti quando ele moveu seus lábios sobre meus ceios quentes pelo prazer doce,
limpido.Mas a escuridão me tomou quando deixei meus olhos se abrirem.

Vi pés andando pela pela,não muito longe-Querido!?-Ele me olhou,Aziel moveu seus olhos á mim-O que foi? Não gostou?-Ofeguei,me apressei em pegar sua camisa pa-
ra me proteger corporalmente-O que e aquilo?-Brami nervosa,ele gritou ao virar-se para trás,eu virei-me olhando aquele ser maldito.Era Raquel! Ela que me foi vista,ela
que encarava-me,estava vestida com túnica negra,do nada vi quando algo jogará Aziel para trás-Nossa,Nossa,Nossa.Quem diria que cometeriam um erro desses-Meu co-
ração disparou,eu gritei quando fui puxada para trás-Me solta!-Pedia.

-Oh! Improvável estarmos vigiando essa fronteira e vê-los aqui-Ela disse puxando minha cabeça para trás ao apertar meus cabelos,ouvi Aziel falar-Não seja louca,deixa
ela!-Ofeguei,fechei meus olhos por alguns momentos,Graciel jutou Aziel ao chão,depois o pegou por trás-Garoto,és tão desprovido-Nada Aziel respondeu.Como isso acon-
teceu não sabíamos,mas me foi doloroso receber ferozes tapas atrás da cabeça me fazendo apargar.

Me vi tombar para frente,tudo que pude vê foi Graciel puxar Aziel por trás,ele que gritou nesse momento."Solta ela! Malditos,solta ela!".Ele se sacudia,ainda despido,
até mesmo eu! O que seria de mim? A tontura vinha,tomava conta de minha visão turva."Eu,eu,eu...Ah,céus,minha filha".Escuridão,trevas.Só posso descrever dessa
forma,Sara.Pegos sem imaginar o momento,e em que situação.Terrível.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qui 28 Out - 10:44:13

Só quando a dor corporal,a indagação da escuridão foi rompida e que voltei á abrir meus olhos.Respirei fundo,ouvi barulhos de gotas de água caíndo.Ofeguei gemendo de dor
quando senti várias dessas gotas cairem sobre meu rosto.Vinha do teto,perceptível.A visão turva foi se ajustando aos poucos,foi quando ouvi Aziel falando comigo-Lilith pode
me ouvir?-Movi meu rosto fazendo com que a tontura passasse.Foi nesse momento que o vi.Ele jazia acorrentado,foi como se minha pessoa vislumbrasse isso ao decorrer do
meu sofrimento.

-Ah,malditos-Brami sentindo dor atrás de minha nuca,o golpe tinha sido tamanho que minha pessoa ainda sentia dor.Vi que nossas roupas jaziam sobradas ao meio.Aziel tinha
correntes em seu tornozelo,quando tentei pegar em suas mãos,não pude,já que eu cai sobre o piso me sentindo puxada por algo.Olhei para o teto,foi quando a rispida tristeza
me tomou,já que percebi que estavámos em uma imensa jaula de ferro dentro de uma gruta.

Uma gruta em formato de caverna-Aonde estamos!?-Gritei nervosa ao Aziel,ele lutava para pegar minhas mãos,envão,tudo que ele pode foi pegar nossas roupas,me vesti ao
vê-lo jogar para mim,ele vestiu-se como se isso lhe fosse trevoroso-Não sei,mas deve ser nas cavernas de Athena-Ofeguei chorosa,deixava meu olhar pairar por todo lugar-Eu
não entendo! Como eles conseguirem nós encontrar?-Aziel ofegou,e quando finalmente pode pegar minhas mãos o agarrei-Não sei meu amor,mas foi golpe te sorte-Bramiu em
resposta.

Nunca me deparei perante um momento como esses,me foi doloroso,pura tortura.Passou-se algum tempo enquanto eu e Aziel jazíamos abraçados,era dificil nos mantermos des-
se modo,mas para mim era necessário,ou eu enlouqueceria.Em vários momentos ao decorrer desse martírio ele tentou beijar-me,mas devido as corres em nossos tornozelos algo
que não foi possível.

Pior ainda foi quando erguemos os olhos para o teto e percebemos por uma imensa fenda na gruta que a noite hacvia chegado-Não Azie,não!-Gritei quando algo moveu-se,fez
com que eu fosse puxada para trás,voltei meu olhar para trás enchergando um rolo que girava lentamente enrolando a corrente,Aziel puxava sua corrente que o aprisionava pe-
lo tornozelo,berrou ao sentir dor.

Quando aquela coisa parou de girar,nos deparamos longe um do outro,cada um do lado oposto da jaula-Aziel!-Nunca gritei amedrontada daquele modo.Foi quando ouvimos pas-
sos,várias pessoas entraram pelo imenso portão.O extrondo ouvido por toda gruta-Ah,olhem só,amigos,nós parecia impossível,mas que golpe de sorte demos-Vi Graciel falar ao
sair das sombras em passos pesados.Muitos de seus comparsas o acompanhavam,vestidos de túnicas antigas,ornamentas luxuosas.

Raquel postou-se ao lado dele,deixou seu rosto pousar por trás de seu ombro-E você moleque? O que pode dizer-nos agora?-Terrível! Terrível ao perceber que muitos deles volta-
ram a atenção ao Aziel,pelo visto ele era a presa crucial nesse momento-Muitos de teus familiares sabem do que aconteceu.Um de nós deixou bilhetes em espécial a eles.Sabe o
que acontece agora? Uma pausa,era tudo que precisavamos-Enlouquecedor ver Aziel o olhar,bramir de dor.

Foi quando Graciel deixou-se pegar firme por baixo do queixo de Aziel-Sofremos,e como sofremos para pegá-lo maldito-Citações antes de Raquel é alguns daqueles homens
pegarem Aziel a força o prendendo contra a grade da jaula com algemas sobre os pulsos-Sabe que isso não vai ficar assim,sabe que nada isso vai passar em branco perante
muitos.Posso sair morto daqui,mas sabe das conseguências. Não sou capacho de seres que dá qual mau sabem pensar!-Eu gritei auto temerosa ao vê-lo se sacudir.

Vi quando seus pulsos ficaram feridos-Nem sempre saímos vitoriosos querido Azie,céus! Olhe só para você,tão perfeito,tão incrime quanto passaros da relva selvagem.Um
presente entanto-Ouvi Graciel comentar,o modo como ele fitava Aziel me foi pecaminoso,quando quatro daqueles malditos tentaram me tocar,eu grite-Não toque em mim!-
Graciel virou-se os olhando-Estou falando! Ele e minha presa,meu alimento! Me alimentarei dele quantas vezes quiser,mas ela!? Deixe-a,afinal,olham para vossa futura rai-
nha-Muitos se espantaram.

Movi meus dedos ao rosto-Ah,céus!-Ao olhar Aziel,ele disse-Psiu querida,nada disso vai acontecer,lhe garanto-Chorosa fiquei,principalmente quando vi que muitos deles sai-
am,pelo visto iam caçar,procurar algo em meio a nova noite.Raquel ficou de pé ao meu lado,foi quando ouvi suas crueis palavras ao manter-se de braços cruzados,olhava o
Aziel,o modo como Graciel desferia a lámina de sua adaga sobre o rosto de Aziel-Observe querida,esse e o começo do fim de uma pessoa que nós deu muito,muito trabalho.
Não há necessidade de vossa pessoa procriar com ele,correto? Aziel já não nos têm ultilidade-Como assim!?

Me deparei questionando-E isso que pensa: És esteril,e mesmo que fosse tomada por Fera,dê nada nos adiantaria,não teríamos nosso novo Rei,assim,como Drarytha-O
meu pavor foi a loucura! Graciel desabotoava a camisa de Aziel,após isso deixou-se deslizar a lámina da adaga pelo abdômen de Azie-Não ouse tocá-lo! Não tocar nele!-
Senti quando Raquel se virou me tapando a boca,me fazendo calar-me,ficar sem ar.

-Vamos querido,alimente-se,mate-o,coisa que não nós tem ultilidade deve ser descartada-Loucura! Principalmente ao vislumbrar o jeito com que Graciel abriu uma das al-
gemas,foi a algema no pulso-direito,Aziel pendeu a frente,ofegou olhando para Graciel-O que pretende com isso!?-Graciel riu secamente-Ah,querido,imagina! Principalmen-
te se tratando de sangue requintado como os eu,me senti melhor,e como!-Bramiu.

Aziel gritou aos berros quando Graciel lhe ergueu o pulso contra a grade o cortanto-Me solta! Para!-Berrava Aziel,Graciel lambeu o corte,o sangue jorrava-Olha para isso!
E como vestigio de chamas antigas,acredite,posso vislumbrar o passado de todos os seus antepassados-Aziel o olhava com pavor,foi quando segurou o grito ao sentir os
dentes delicados de Graciel lhe entrar na carne.As lágrimas me vieram ao rosto.

Raquel me tapava a boca,Aziel berrava de dor,seus gritos de dor ecoaram pela gruta,Graciel voltou a lhe desferir a lámina na carne do pulso ferido.Nunca vi Aziel pas-
sar por tanta dor,era injusto! Injusto até demais,principalmente sabendo de sua luta para curar-se da doença celular destrutiva.Eu gemia de pavor,choro,dor enquanto eu
era forçada a vê aquilo."Adorável".Graciel disse várias vezes ao decorrer daquele ritual doloroso para Aziel.

Virou-se olhando ao decorrer do tempo-Venha rainha,acho que nada melhor poderia experimentar-Ofeguei,não aguentando mais virei meu rosto,mas oure ouvir o que
ela havia dito-Dê nada-Me sentindo ameaçada vislumbrei Aziel a encarando,ele silênciou-se quando ao tentar lhe bater com o pulso livre,ferido,em Raquel.Graciel fica-
rá tão puto da vida com o tapa que Aziel desferirá em Raquel que quase desejou lhe amputar a mão.

-Calado miserável! Esperamos anos,anos! Para fazer nossa colheira! Não vai ser agora que um filho da mãe como você,que sempre nóis causou problemas,que vai di-
tar a regra aqui-Aziel lhe olhava com tanta furia que lhe cuspiu na cara,não gritou quando Graciel lhe bateu no rosto de volta.Ele abriu a outra algema,Aziel se debatia
envolto nessa situação-Pensa que suportarei isso? Não comento e nem posso dizer o que se passa em minha mente,miserável-Graciel arqueou a sobrancelha delicada-
mente,lhe apotando a lámina da adaga disse:

-Ah,mesmo perante essa situação,desejas dá uma de heroi.Ah,esquece! És um miserável!-Bramia,Raquel não esperou,ela mesma cortou a pele do pulso intacto de
Aziel,arqueei meus olhos para cima,olhei para o teto.Fechei meus olhos temendo ouvir os gritos de dor dele,a dor de Aziel era insuportável até para mim.Ele gritava
de dor,chorava enquanto berrava.

"Ah,céus alados,não posso vê isso,não posso".Voltei a chorar,Raquel se aproveitará daquela situação,percebi mesmo envolta nesse momento como Aziel sofria.Só
quando não ouvi mais o choro dele,seu sofrimento,sua voz,e que voltei a olhar-Aziel?-Disse enquanto Raquel e Graciel andavam pela grade,ele estava inconsciente.
Esse foi meu maior pavor.Os dois malditos se moviam o olhando.

-Pensei que ele era mais resistente,forte-Raquel disse ao Graciel,ele desferiu sutis chutes em Aziel desmaiado,inconsciente sobre o chão,preço pelas correntes em seu
tornozelo.Graciel abaixou-se erguendo Aziel pelos ombros por alguns instantes.Olhar para Aziel jazendo naquele estado lhe foi gratificante,nunca pensei ouvir risos ma-
léficos como o dele-Olhe isso! Meu amor negro,olhe isso! E finalmente o ancião da família Lioncourt definha.Imaginava isso!?-Raquel olhava para Aziel pensativa.Dei-
xou-se beijar Graciel por alguns momentos.

Os dois voltaram a erguer Aziel contra as grades da jaula.Passaram as algemas nos pulsos de Aziel o mantendo preço.Os dois sairam,não trocaram olhares comigo.
-Preciso de ajuda,preciso de ajuda-Bramia repetidamente encarando Aziel naquele estado.Meus lábios tremeram por alguns instantes devido ao meu modo-Não po-
de ficar assim,não pode!-Gritei enloquecida,eu me virei tentando arrebentar aquelas malditas correntes que me prendiam.

Encontrei até uma barra de ferro ao meu lado,nunca me vi tão louca como naquele momento.Eu desferia a barra contra as correntes várias vezes-Malditos! Vão quei-
mar! Ah,se vão!-Fiquei horas e horas nesse processo de tentativas de arrebentas as correntes.Batia,batia com tanta força que as palmas de minhas mãos ficaram dolo-
ridas,faiscas saíam do ferro das grades de correntes.

-Não vou morrer desse modo ingrédulo! Aziel!-Tanta pancada que minha pessoa já não mais sentia dor.Queria sair,desejava sair.Só quando não suportei mais,temi
que eu sem querer quebra-se o osso de meu tornozelo e que desisti,joguei a barra de lado,ofeguei triste,tomada de dor esperitual,enjuguei minhas lágrimas.Ouvi os
gemidos de dores de Aziel.

O olhei com tanta tristeza que meu coração doeu,e como-Consegue me ouvir?-Brami,nada.Esperava passar por situações parecidas,afinal,eu mesma havia passado
Mas não essa situação.Pensei em nossa filha.Pelo menos ela estava segura com sua avó,mas e seu pai que estava sendo feito dê alimento? Temi de verdade,não a-
aceitava o que acontecia.E me vi sentada encostada nas grades.

Aziel jazia desmaiado,preso a minha frente do outro lado da jaula de grades de ferro.O olhei várias vezes-Tem que haver alguma idéia em sua mente Aziel,preciso
saber para colocar em prática-Nada de resposta.Foi nesse momento que tentei usar de minhas artimanhas pisiquicas.Tentei fazer com que as algemas que prendiam
as correntes se abrissem.

Não obtive nem um resultado.Tudo que consegui fazer foi as correntes ficarem quentes devido ao ato pisiquico.Desisti e fiquei a mercé da escuridão daquela maldita
noite,chorado,sentindo dor corporal,cansaço.Temendo pela vida de Aziel.Focando minha atenção nele antes de decidir dormir,tentar algum descanço,vi que ele ardia
de febre,os ferimentos nos pulsos ainda abertos,adquirindo feridas devido ao sangue coagulado."Fale comigo,fale comigo".Implorava por pensamento.Uma garotinha
acuada,cheia de medo,envolta em escuridão,era assim que me sentia enquanto jazia nesse estado letárgico de dor.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qui 28 Out - 11:55:42

Pode imaginar como foi meus pensamentos e conceitos? Não os tinha,Sara.Não os tinha mais.Principalmente quando chegou a noite e aqueles malditos voltaram.
Me assustei ao está dormindo,já que durante todo dia não havia conseguido dormir,vê-los entrar abrindo a porta da imensa jaula.Raquele usava vestes novas,os
seus cabelos ruivos soltos em ondas,sua longa túnica imaculamente branca a fazia parecer uma andarilha celta nos tempos primordios.

Até mesmo Graciel.Ofeguei olhando para eles.Haviam mandando os seus quardas sairem."Faça com que ela seja encontrada,falo de Samantha".O quê? Era o
que eu havia ouvido? Meu pavor só não foi maior por que percebi que eles haviam soltado Aziel,me movi ainda sentada ao chão.Aziel nesse momento sentiu os
tapas no rosto desferidos por Graciel-Ei moleque! Tua filha está com quem? Sabemos que ela está na Cidade de Athena,sabe que deixamos bilhetes em certos pon-
tos aonde deus familiares moram-Aziel gemeu de dor,o olhou tentando se livrar.

-Não lhe interessa-Respondeu de modo sequido,rouco ao sentir sua garganta seca,tinha sede,ainda ardia de febre-Não me interessa? Sabe o quão aquela menina e
preciosa? A mãe dela,pode até se tornar Rainha,mas a cria? Ah,ela será fertil,e mesmo assim,fala que não nos interessa!?-Raquel se afastou ao vislumbrar o momen-
to em que Aziel tentou se desvencilhar de Graciel,havia corrido em direção a porta da jaula aberta.

-Calminha ai miserável!-Aziel foi puxado para trás,Graciel lhe apertava com força os pulsos,os mantinha presos para trás.Aziel segurou o berro de dor devido aos fe-
rimentos-Não vou falar! Não seria louco,não lhe interessa-Foi quando Graciel olhou para Raquel-Querida preciso de saia daqui,vai ao encontro dos quardas,a essa al-
tura quem sabe não tenham informações,e noite nova,deve haver algo-Ela riu despretensiosa-Tudo bem,só não demore-Saiu da jaula,vi quando ela entrou pelo cor-
dor que ia em direão a saida da gruta.

-Está vendo isso? Está vendo isso moleque? Saiba que tua irresponsabilidade custará caro,diga aonde está a menina ou vai sobrar para a mãe dela.Não queira imagi-
nar as dores que posso provocar nesta mulher-Graciel puxava Aziel para trás,fazial com que ele me olhasse profundamente,vi quando gotas de sangue lhe sairam da
boca-Não entende,nunca entenderia-Respondeu Aziel.

Foi apavorante quando Aziel foi jogado ao chão,quando ele gritou devido ao chute que recebeu em seu abdômen,tão forte que ele regorjitou sangue para fora.Vi as
gotas sairem conforme Graciel lhe desferiu mais chutes-Vamos miserável! Meu tempo está se esgotando,não posso esperar!-Graciel pode se mover conforme Aziel o
fitava,se movia de encontro a grade sem perceber de tãoa flito que estava-Nunca-Sussurrou o olhando com fúria.

-É mesmo? Não pense que deixarei de cumprir minha palavra,eu vou!-Berrou ao esticar a mão sobre o pescoço de Aziel,Aziel o olhava friamente,o empurão que ele
recebeu lhe foi doroloso,mas não tão doloroso quando Graciel lhe prendeu com força contra a grande usando do peso e força corporal,para beber mais.Aziel tentava
desesperadamente lhe chutar por baixo enquanto Graciel bebia dele,o ávido sangue brotava direto para a boca de Graciel.

Não demorou para Aziel ser jogado ao chão,Graciel deslizou a palma da mão sobre seus lábios,voltou a perguntar ao pousar um dos pés sobre a cabeça de Aziel-Eu
estou falando,aonde está sua filha?-Nem uma resposta,só o virar de Aziel fez com que Graciel o prendesse de volta na jaula-Ah,ah! Que pena garotinho selvagem.
Está sendo rebelde-Aziel foi ao desespero se sacudindo ao vislumbrar Graciel vindo em minha direção-Não ouse tocar nela,estou falando!-Gritos,berros de Aziel,eu ten-
tei bater no rosto daquele maldito,mas foi impossível ao vê-lo segurar firme minha mão.

Gemi auto sentindo os estalos dos ossos de minha mão fechada em punho-Não,não gracinha,ainda está começando-Que pavor,tudo isso misturado ao ódio-Nunca sen-
ti uma pessoa me segurar com força como ele,ele que me jugará ao chão ao me desprender.Caminhou de modo sutiu a minha volta,foi quando me movi sentada,me
sentia tonta,movi minha mão sobre meus cabelos.

-Precisa de algo?-Disse o maldito ao abaixar-se a minha frente,encostou a lámina da grade sobre meu rosto,depois meus ceios ao rasgar minhas vestes-Não seria louco
de fazer isso-Sussurrei,olhei temerosa para Aziel que encarou-me desesperado-Ah,maldito! Maldito,maldito,maldito!-Foi quando meu sofrimento começou por definitivo.
Aziel gritava aos borbotões ao se deparar com o que esperaria.

Meu corpo doia,tentei chutar aquele maldito com força,me vi virada para cima ao sentir-me forçada a deitar-me sobre o piso da jaula,eu berrei com tanta angustia,ele
puxava meus cabelos para trás-Ah!-Nunca esperei que citações tão dolorosas viessem de mim,as lágrimas de Aziel lhe vinham como se isso para ele fosse inconsuma-
vel.Ele se debatia com tanta força preso as grades,enquanto aquele maldito me violentava,que seus pulsos se feriram mais.

"Disse que ia ser piedoso,estou sendo piedoso".Ao ser forçava a deitar-me de costas estiquei as mãos a frente,me deparei arranhando o piso,vi quando minhas lágri-
mas cairam sobre o piso,eu gritava de dor."Preciso de ajuda".Brami em pensamento,como se estivesse rogando a uma pessoa,gritei nesse momento ao sentir-me su-
ja corporalmente,Graciel me apertou os ceios por baixo,modia minha orelha,violetantada como se eu nada fosse,não passasse de um objeto de uso.

Várias vezes tentei socá-lo ao ver-me em tentativas de virar-me.Ele simplesmente me moveu em direção as grades-Me solta! Basta! Trata-se de minha filha,não sua
recompensa!-Berrei ainda envolta em dor,ele bateu-me no rosto,ofeguei-Acha mesmo!? Verá o que e minha recompensa!-Envão,me deparei forçada a curvar as pernas
até a altura de sua cintura,ele usava de sua força,sua brutalidade.

Me senti penetrada por aquele maldito me causava dor,dor em todos os conceitos,chorei como nunca antes,em vários momentos me deparei com Aziel movendo suas
pernas,o som das correntes deslizando pela grade de metal da jaula,me foi doloroso-Incestuoso! Ah,céus! Faça-se algo,faça-se algo!-Implorava Aziel em meio a sua lou-
cura.Foi como presságio.

Me deparei com algo puxando Aziel para trás o fazendo desmaiar."Há coisas que não pode vê querido".Terrível ouvir os extrondos de algo,se tratava de uma gritaria
terrível que vinha do lado de fora.Graciel foi puxando para trás soltando ao chão."Pense melhor maldito".Ouvi algo falar,ao mover meu rosto vislumbrei Redenção.O
que acontecia?Não conseguia mover-me."Lilith?".O ouvi dizer."Sai daqui,peço para sair".

-Aziel,estou falando de Aziel!-Gritei,mais berros do lado fora,Aziel jazia desmaiado ao chão.Uma terrível briga entre Redenção e Graciel começou nesse momento,me
deparei com briga entre seres desumanos nesse momento.Mesmo me arratando fui até Aziel-Meu amor? Por favor,não seja insensato agora-Pedia ao segurá-lo,ele o-
lhou-me-Estou sem forças,entende isso?-Não entendia,ofeguei movendo minha mão livre sobre seu rosto.

-Não está,aquente firme,vamos sair-Eu mesma não compreendi a situação.Mas passei a compreender quando movi meus olhos em direção a saída,vi quando Raquel
entrou com seus homens,alguns olhavam para algo-O que e isso?-Não podia me mover,temia deixar Aziel sem apoio,por mais escaço que fosse,ele estava em uma si-
tuação trágica,Graciel berrava ao golpear Redenção.

A briga entre eles não acabara,as grades da jaula se contorceram quando Redenção o empurrou-Faça melhor,faça melhor!-Pedia Redenção,Graciel o olhava,tinha suas
mãos apertando os ombros de Redenção-O que e isso!?-Disse ele ao desferir uma terrível cabeçada contra Redenção-Acha que sinto!?-Graciel voou contra a jaula nova-
mente ao ser socado por Redenção.

-Para!-Pedi,voltei a vislumbrar Aziel.E foi nesse instante que vi Hyarian entrar,eram deles que corriam,agora,sim,entenderá aquela gritaria.Raquel subiu a escadaria
que dava para entrada da jaula-Acha mesmo que não encontraria este lugar? Esté covil!?-Ela caminhou devagar,o olhava silenciosa-Não sei-Respondeu,não importa-
va o que acontecia,era Aziel que me preocupava,muitos daqueles homens voaram contra Hyarian,me deparei com alguns em chamas.

-Vamos,estou perguntando Raquel-Me mantive silenciosa,só nesse momento enquanto Graciel continuava com sua briga pessoal com Redenção,e que Hyarian pode
vislumbrar Aziel,Raquel avançou sobre ele,em meio ao lamento ele abaixou-se a minha frente olhando para Aziel,tinha uma das mãos erguidas em direção a Raquel.
Ela queimou no ar! Hyarian não acreditava no que olhava.

-O que?-Bramiu deixando as palavras sequidas romperem o ar-Aziel!?-Graciel havia conseguido sair da jaula-Homens! Matem a todos,a todos!-Vários deles entraram.
Hyarian ainda vislumbrava Aziel-Pode acordar,eu sei que pode!-A loucura pairou sobre ele-Aziel não pode deixar-nos aqui,a mercé deles-Foi quando percebi que ele
tinha se colocado em perigo pensando que Aziel havia suportado bem enquanto ele o procurava (Nós procurava!).

Aziel abriu os olhos o olhando-Finalmente-Bramiu,era pesado,ele ofegou conforme eu e Hyarian lhe demos apoio corporal.Nem eu acreditava naqueles vários seres
bestiais entrando-Redenção não sofria,mas estava sendo complicado para ele tentar abrir caminho-Aziel olhou ofegando de dor olhando de lado para Hyarian-Só vo-
cê conseguiu nós encontrar?-Hyarian respondeu de imediato ainda fitando a todos-Sim,sinceramente,sim,alguns dos nossos desviaram caminho,só eu me mantive na
Cidade os procurando-Ofeguei temerosa.

Palavras que não esperava ouvir-Tira Lilith daqui,tira ela daqui-Hyarian o olhou assustado de lado-O que?-Aziel olhava para Redenção-Redenção tira Lilith daqui,e
tudo que preciso que faça-Em instantes me deparei sendo arrastada por ele,Redenção me puxava,foi quando ouvi as palavras que nunca vão me sair da cabeça-Fale
para mamãe que eu resisti bem,fala para ela que pude sair bem,estou bem,mas tira Lilith daqui,vai embora! Abre caminho para ela,me obedece Hyarian!-Hyarian
deixou seu olhar passear por aqueles homens-Não se atreva Redenção! Me solta! Sou sua dona,deve obedecer a mim!-Ele me arrastava.

-Não quando se trata de sua vida-Hyarian queimava muitos,sobre Aziel? Perdi o foco visional de sua pessoa-Redenção!-Gritava,implorava para ele me soltar.Ele
entrou comigo pelo corredor da saida,a extenção da queima de Hyarian era tão grande que muitos queimavam de longe,eu berrava-Me solta Redenção!-O que a-
contecia? Não sabia mais,não sabia de mais nada,mais nada! Entende a loucura que estava acontecendo? Hyarian usava de extensão de queima,por alguns segun-
dos ouvi berros dele,de Aziel,de muitos!
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 29 Out - 10:57:19

Agora entrende alguns conceitos Sara!? Agora entende que há coisas que tu pensava ser,mas que não são? Entende as pegadinhas ao longo dos relatos que eu lhe fiz?
deve está se perguntando os motivos,espero que minha resposta possa confortá-la: Isto por que queria protegê-la de alguns relatos impactantes como estes,que vossa
pessoa soubesse de algumas verdades REAIS a respeito de tudo,só em determinados momento como está acontecendo agora,em relação a Raquel e Graciel,tudo que
pessoa pensava ser,pensava saber em tuas investigações lonjiguas.

Mas espero que agora tenha entendido: Nunca pensei que Redenção me desobedecesse daquele modo,mas sinceramente minha pessoa estava desesperada,sem dúvi-
de que se eu tivesse ficado,algo sério teria acontecido,e foi o que Aziel fez naquele momento em que mandou Redenção me arrancar daquele lugar abrindo caminho.Eu
ofeguei,continuava gritando enquanto Redenção usava de seus dons e ao mesmo tempo,me segurava,me segurava de lado me protejendo.

O vi erguer a mão a frente,foi como espasmo de poder espectral explosivo ecoando contra os seres bestiais que queriam entrar."Saiam do caminho!".Berrou ele,nunca
vi uso de tal poder,o que me fez gritar de medo-Solta,me solta!-Pedia chorando-Aziel precisa de minha ajuda,tu seria mais util o ajudando!-Mais gritos,ouvi quando o ir-
mão de Aziel berrou aos borbotões lá dentro."Malditos! Saiam da minha frente! Saiam! Vão queimar,vão queimar!".Eram berros dolorosos devido a algo que tinha aconte-
cido nesse momento,mas o que seria!?

Não soube,mas quando Redenção finalmente saiu comigo da gruta,eu pude respirar,respirar profundamente,eu chorava muito,era como se minha pessoa se envolvesse
em um estado letárgico-Aziel! Cadê Aziel!?-Berrava,não havia entendido,olhando desesperada a minha volta,percebi que não havia ninguém do lado de fora,era como
se a vinda de Hyarian tivesse atraído toda elite de quarda para a gruta,para tentarem evitar a nossa saída.

Ofeguei quando vi Redenção postar-se a minha frente deslizando as mãos sobre meus ombros,minhas roupas estavam em frangalhos-Fique calma! Lilith entenda,ele teve
seus motivos! Entenda-O que ele queria dizer com isso!?-Para! Tuas palavras me deixam transtornada-Ele ofegou,foi quando sumiu."Preciso organizar algumas coisas queri-
da rainha".Puxei o pouco de minhas roupas rasgadas a frente tentando me resquardar de algo,quem sabe algum ataque.

Fiquei sozinha por alguns instantes,berros voltaram a acontecer,sinceramente minha pessoa não acreditou quando me deparei com Hyarian saíndo da gruta,ele segurava
alguém,estava transtornado,muita poeira vindo da saída atrás dele,tinha sido um chassina,sem dúvida! O que era relevante ao me deparar com um momento como esse.
Quando vi que se tratava de Aziel ofeguei,ofeguei desesperadamente-Hyarian!-Brami alto,mas minha alegria durou por pouco tempo,ao perceber que Aziel só conseguia
gritar de dor.

-O que aconteceu!? Pode me dizer que loucura foi aquela!?-Ele me olhou ao puxar Aziel para mim-Cala sua boca! Me deixa,não e momento para isso! Me deixa!-Ele tinha
seu olhar focado na saída da gruta,ouvi gritos de alguém,era Graciel que foi arremessado ao chão por Redenção-Filho da puta!-Berrou enloquecido,Redenção tentou se-
gurar Hyarian,mas se tratando da força,dele,foi algo difícil,Hyarian desferiu severos chutes no abdômen de Graciel,foi como se ele quisesse quebrar-lhe os ossos,fazê-lo
em pedaços.

-Vamos,continua,sabe o que fiz,não há mais volta,se aquele maldito sobreviver,e que tem muita sorte-Não entendi essas palavras,Redenção mantinha Graciel preso,ele
não o soltaria das correntes colocadas nos pés e braços que foram curvados para trás.Só nesse momento e que pude perceber,pensei até então que Aziel estava cansa-
do,mas não tinha sido isso,que ele estava desgastado.Mas lá estava,isso ao sentir ele segurar firme minha mão pousada a sua frente enquanto o acolhia.

-Meu amor? Deseja dizer algo?-Ele me olhava de modo descabido,mesmo ofegante pode rir,era como se ele tivesse previsto algo,algo que não desejava dizer até aque-
le presente momento.E pressenti quando Hyarian percebeu que Aziel o olhava de lado,se apressou em postar-se a nossa frente-És maldito,preciso saber aonde aquele mi-
serável o golpeou! Eu vi claramente antes de Redenção o prender nas correntes o golpe,aquele ataque!-Meus lábios tremiam,estava tão nervosa ao ouvir isso,que ainda
era como se não entendesse,não havia processado a situação.

-Esqueça Hyarian,e meu fim,se eles queriam isso,conseguiram,mesmo não terem conquistado a vitória-Hyarian se desesperou-Me ajuda!-Pediu-me,e como ia fazer isso?
Me sentia tão transtornada que minha frieza contaminou-me,foi o anestésico primordial para minha pessoa.Berreai não querendo acreditar quando Hyarian após deslizar
suas mãos pelo corto de Aziel,pode tirar a lámina da adaga de Graciel.

Pelo visto em meio a briga ele pode ir contra Aziel,lhe enfiando a lámina atrás das costas perfurando um dos pulmões-Por que tirou!? Isso só tende a agravar mais a situa-
ção-Aziel não ouvia,ele só conseguia olhar de lado ao manter-se junto a mim,tossiu sangue ao passar de alguns segundos,sangue jorrou de sua boca-Aziel por favor! Não
seja indescente nesse momento!-Hyarian bramiu desesperado o fitando.

-Por que? Ser imortal? Minha salvação? Obrigado meu amor,mas não estou disposto-O que!? Era isso que ouvi? Vi o risinho descabido na boca dele sendo rompido pela dor.
Ofeguei trémula,eu tremia-Redenção! Me ajuda,pode fazer algo,eu sei que pode-Angustiado ele moveu o rosto negativamente-Não linda rainha,o ferimento e profundo de-
mais para curtar-lhe-O bastante para eu finalmente me desesperar.

Eu que me curvei sobre Aziel o fitando-Por favor! Aziel! Por mim,faça-o por mim!-Pedia desesperada,vi quando ele moveu um dos braços a frente de si,suas palavras vie-
ram em meio a dor,o que fez Hyarian agir tirando o longo casaco me entregando-Tome isso querida,precisa se aquecer,a noite está fria,todos mortos,motos-Foi o que fiz,a
minha pessoa chorava tanto que meu estômago doia,meu corpo doia.

Voltei meu olhar ao Aziel,Hyarian postava-se a sua frente,já havia começado a derramar seu sangue sobre seus ferimentos nos pulsos-Faz besteira! Me deixa!-Pedia,foi nes-
se momento que voltei a curvar-me sobre ele-Psiu,por favor! Não ache monstruoso querido,eu viveria com você como sempre vivemos-Seu silêncio veio,não havia entendi-
do o silêncio.Isto quando deixe-me beija-lo.

Gelei,gelei quando ouvi suas últimas palavras."Era só isso que desejava meu amor,a amei de verdade".Gelelada,paralisada-Aziel!-Hyarian me olhou,eu desferia tapas no ros-
to dele,tapas rispidas no rosto de Aziel apagado em meus braços.Foi quando Hyarian desferiu delicadamente os dedos no pescoço dele,afastou-se paralisado,sem sabe ro que
comentar,falar.Foi quando senti o gelo tomar contra do corpo de Aziel.

Ele estava gelado,sem vida-Acabou,está morto-Repetiu várias vezes-Está morto-Redenção havia percebido as intenções e transtornos de Hyarian que voou em cima de
Graciel,nunca vi tamanha fúria,Hyarian chutava Graciel-Tirou-me algo precioso! Vou ter meu pagamento!-Não havíamos esperado isso,eu voltei meus olhos ao Aziel,não
me contive deixando-me apertá-lo bem forte,a gritaria continuava,Redenção por alguns momentos pode segurar Hyarian,olhava cruelmente para Graciel prostado ao chão.

Ajoelhado e acorrentado diante dele-Não e sensato Hyarian,não e da luz fazer isso,deixe-o,de qualquer forma como um dos poucos sobreviventes dos Seres Bestiais,será
encontrado e morto-Hyarian moveu o rosto negativamente,foi como se toda sua fúria explodisse nesse momento contra Graciel que virou o rosto ao receber aqueles crueis
tapas na face,tapas que lhe cortaram a face.

-Acha mesmo que ele antes de fazer nossa almejada Lilith esteriu tinha utilidade? Ele sempre foi fraco,sempre foi!-O grito de crueldade de Hyarian foi a última ceiva para
que Graciel lhe voltasse o olhar ao ouví-lo-Ele era meu irmão,meu amante,tudo isso! Ele era meu elo,meu sangue!-Nem mesmo antes de queimar,explodir em chamas,eu
vi alguma luz no olhar de Gracie,me deparei com um ser queimar ao está ajoelhado,acorrentado daquele modo.

Virei meu rosto temerosa,angustiada,chorosa.Redenção olhou o modo como Hyarian voltou-se a mim,focou friamente toda sua atenção-Desculpe querida,desculpe se fra-
cassei-Não compreendia suas palavras,mas eu me agarrei com todas as forças ao corpo de Aziel que se acolhia a mim-O que vai fazer!?-Brami,tinha medo dele,tive medo
daquele ser que curvou-se a minha frente esticando as mãos em direção ao Aziel que me foi tirado dos braços.

-Preciso sair daqui,vai embora,vá ao encontro de Vitória Regia,rezo para que ela possa sobreviver a isso-Eu berrei nesse momento transtornada,Hyarian segurava o cor-
po de Aziel como se lhe fosse algo precisoso,Redenção postou-se ao meu lado atenuando todo olhar ao Hyarian-Para onde vai? O que pretende fazer?-Vi lágrimas brota-
rem dos olhos de Hyarian,a primeira vez que vi sentimento nele,é do mais doloroso que pude imaginar.

-Não queira saber,preciso ir,irei a Ilha de Tompei,o mundo não fará com que o corpo de meu irmão pereça,há não-O vento veio gélido,fitei Aziel nos últimos insntantes
antes de Hyarian decidir ir.Seus braços pendiam de lado,o maior transtorno com que eu podia vivenciar.Não consegui citar nada,nada! Não tinha palavras naquele momen-
to,seus olhos ainda estavam abertos,movi meus dedos os fechando,era como se ele ainda tivesse algum lapso de vida,seus cabelos macios,ruivos,grudados ao pescoço.

Voltei meu olhar ao corpo carbonizado de Gracie,meus passos foram silenciosos-Lilith?-Bramiu Hyarian-Está ai está morto-Não quis ouvir,a dor era indescritível para mim.
Até o momento não havia chorado tudo que desejava chorar.Mas quando meus dedos deslizaram pelo corpo de Graciel,o vi se desfazer como pó,finalmente,aquela maldi-
ta dor brotou,me deparei ajoelhada,as mãos erguidas a frente de meu,Redenção desesperado pairou perante minha pessoa-Ah,céus! Aconteceu de novo! De novo!-Era o
transtorno,meus gemidos ecoando pelo ar dos campos aonde estavamos naquela maldita noite.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 29 Out - 11:29:00

Depois de alguns momentos voltei-me ao Hyarian que se espantará com minha situação,ele lamentou,e muito não poder ficar-Por favor desculpe não poder ficar.Peço
para que faça Vitória, entender,será o único conforto para ela-Ofeguei cheia de tristeza,quando ele moveu os olhos aos céus escuros sumiu perante minha pessoa,uma
sombra escura que se erguia aos céus,fiquei parada,silenciosa,observando a situação.

Fechei as mãos em punhos nesse momento,ofeguei tomando ar,tentanto respirar,senti o abraço de Redenção atrás de mim,me virei o fitando-Vou sobreviver a isso?-
Queria que ele me respondesse,tivesse a resposta para eu compreender,aceitar-Não sei Lilith,eu a levarei para casa,se posso ser seu conforto nesse momento,eu se-
rei-Bramiu apertando-me contra ele,ofeguei profundamente.

-O que será de minha filha? Ah,céus! Ele não queria,não queria! Preferiu a morte,a morte! Dá para entender isso!?-Brami quase em berros,soquei por alguns momentos
o torax de Redenção,seus ombros-Poderia ter evitado!-Era como se eu desejasse colocar toda culpa dele em meio ao meu sofrimento,transtorno,mas ao vê-lo segurar-
me em seus braços,percebi que não,não era possível-Vamos embora querida,basta de sofrimento-Apaguei,desejei apagar nesse momento.

Senti quando ele se ergueu aos céus,um anjo que se deixou transpor aos ventos,suas imensas asas abertas,ele que me levava silencioso,me segurava nos braços como
se eu lhe fosse a coisa mais preciosa do mundo.O frio do vento vindo de encontro aos meus ouvidos e rosto,a todo momento,em meio ao lamento mantendo meus o-
lhos fechados,era como se eu ainda ouvisse as últimas palavras de Aziel,o que me fazia tremer."Era só isso que desejava meu amor,a amei de verdade".Será que esse
tipo de palavras,tinha sido real?

Sim,havia sido real."A mei de verdade".Repetição foi o que se seguiu ao decorrer da volta.Eu havia saltado no jardim,senti quando Redenção me colocou de pé fazendo-
me voltar a si,me deparei silenciosa.Olhava ainda transtornada para o jardim,a noite chegava ao fim,as palavras de Aziel ainda não me saiam da mente,apavorante,eu
não esperava encontrar ninguém em casa,mas vê as luzes acesas me foram a melhor mensagem até então.

Quando Vitória Regia apareceu na varanda me fitando lamentei,ela silenciosa seguiu pelo jardim,suas longas vestes oscilavam pelo vento,o dia amanhecia-Querida! Eu
não acredito que está viva!-Meus lábios tremeram,isso ao vê-la deslizar as mãos sobre meu rosto,ofeguei chorosa,ela não compreendeu o por que-Sabe aonde Aziel está?
Sabe se ele foi com Hyarian?-Primento o silencio,depos a malva para que ela compreendesse.

-Se queriam acabar com a vida dele,conseguiram,ele morreu,Hyarian levou o corpo dele para Ilha de Tompei-Não que tivesse sido cruel para ela,mas o fato deu e minha
filha estarmos ali lhe atiçou algo,algo aterrador.Ela se manteve paralisada,o choque a fez manter-se silenciosa naquele momento,o fato dela me abraçar afagando meus ca-
belos lhe foi algo crucial.

Não entendia isso! Não até poder lê lapsos de seus pensamentos."Samantha,ela me importa,e muito,não posso falhar quanto a Samantha".Quando dentro de casa,tomei
banho,o dia amanhecia,eu havia escolhido o quarto de Vitória,ela jazia no quarto cuidando de Samantha,enquanto tomava banho eu pensava,tinha meus olhos fechados
tentando averiguar toda situação.Ofeguei por vários momentos.

Ainda estava assustada,tive medo dê que ao sair do banheiro após o banho eu quisesse me suicidar.Mas não foi o que aconteceu quando terminei,puxei a toalha a enro-
lando em meu corpo,saindo do banheiro.Fitei Vitória ainda silenciada,ela que segurava Samantha acordada naquele momento.Fitava minha filha tentando entender os mo-
tivos de Vitória Regia não citar nada,nada demonstrar-Precisa de algo querida?-Disse ao ver-me pegar Samantha sentando-me a beira da cama.

-Não sei! Eu não sei querida-Eu vislumbrei Samantha com a maior profundidade possível,ofeguei pensando no que iria fazer,foi quando ela apertou os meus dedos ao tocar-
lhe,sentia sono,denso sono.Vitória Regia percebia isso com clareza,principalmente ao manter-se silenciada me fitando,os braços delicados cruzados,foi quando enquanto me en-
contrava perdida no olhar de Samantha,á ouvi dizer-O que acha que Hyarian pretende fazer com o corpo de Aziel? Quem foi o responsável?-Ofeguei a olhando,nesse instan-
te tinha Samantha comigo mamando.

Ela estava silenciosa nesse amanhecer,os raios de sol aparecendo no horizonte ao olhar a paisagem pela varanda,a respondi-Vitória não queira saber,está me ouvindo?
O filho da mãe responsável por isso foi covarde,muito covarde-Ofeguei quando o choro ameaçou vir novamente,deslizei uma das mãos calidamente sobre o rostinho de
Samantha que mamava,sonolenta mamava como se não sentisse nada disso.

-Esfaqueado pelas costas ao tentar fujir? Ah!?- Foi o que ouvi ela dizer ao lê meus pensamentos,tirar-me algo tão precioso,ela não suportou,saiu chorosa em direção ao
quarto do filho.Me deparei sozinha com minha filha nos braços,ela mamava de modo tão delicioso,beijei seu rosto por alguns segundos-Imagina se eu não tivesse sobre-
vido? O que seria de você,querida?-Voz rouca,ácida nesse momento.

Ouvi Redenção falar comigo nesse momento."Acredite Lilith,era isso que não queria lhe mostrar,mas és a verdade: Naquele momento em que ele pediu-me desesperado
para tirá-la viva de lá,ele sabia,sabia como HOMEM qual era sua real condição como mãe da filha dele".Me mantive quieta.Ao terminar de amamentar Samantha,eu me
apressei em vestir algo: Escolhi túnica de linho,escovei os cabelos,claro que uma peça intima não poderia faltar.

Nem sei como continuava pensando,principalmente ao terminar de escovar meus cabelos,e ir deitar-me ao lado de Samantha.A olhava silenciosa,pensativa,magoada.
-Será que vai me perdoar querida? Será?-Brami várias vezes a apreciando com profundidade.Nunca esperei que necessitasse tanto dê descanso,mas foi como previsto.
Fiquei choramingando por vários minutos após essa chegada turbulenta.

As palavras de Aziel antes de dá seu último suspiro de vida me foram aterradoras."Era só isso que desejava meu amor,a amei de verdade".E por fim a morte,seu últi-
mo suspiro.Desespero me abateu o coração nesse transe,nesse cálido descanso necessário,era como se a voz dele reverbasse aos meus ouvidos conforme dormia,passa-
va o tempo.Ofeguei,me deparei ofegando com profundidade.Foi quando me deparei o mandando parar,me deparei gritando sentando-me sobre a cama.

-Para Aziel! Para de brincadeira! Falei para parar! Não brinca com essas coisas!-Será que era eu mesma? Não sabia,deslizei as mãos pela cama não acreditando que isso
pudesse ser verdade,pensando que finalmente sairá de um PESADELO! Ofeguei ao saber que não era um pesadelo,era real.Estava chovendo,trovões ecoaram pelo o
quarto de Vitória Regia.Era noite-Já,já e noite!?-Disse envolta em espanto.

Andando pelo quarto movi as mãos a frente de meu corpo tocando-me nos ombros,tremi de frio,Samantha dormia docemente sobre a cama,fechei a porta ao sair pelo
corredor.Vitória Regia não estava na casa,soube ao abrir a porta do quarto que havia pertencido ao Aziel.Ela havia arrumado todos os detalhes antes de sair para algum
lugar espécial.Ainda temerosa de está sozinha fui até a linda sala.

Sentei-me em uma das poltronas,vi o pequeno bilhete sobre a mesa de centro."Estou na mansão,acredite,nesta nova noite o pai de Aziel deixou-me recado com alguém
muito importante,passarei algum tempo com está pessoa.Chama-se Ardônis,após mandar Ardônis entregar-me recado ele se direcionou ao encontro dos outros que estão
na Ilha de Tompei.Tome cuidado minha querida,volterei mais tardar".Deixei o bilhete sobre a mesa de centro,ofeguei.

Fechei os olhos nesse momento movendo meu rosto ao teto-Ah,Aziel! Como você foi pretencioso! Infernos!-Me deparei bramindo,foi quando senti lapsos de algo tomando
conta das chamas da lareira acesa."Querida vou ajudá-la,mesmo na dor deves vê".Redenção me passava algo,me mantive sentada,meus braços curvados sobre a poltro-
na,encarava chorosa as imagens que ele me passava,as chamas flamejavam passando todas as imagens,me deparei com algo sussurreal:

Vi quando muitos daqueles desconhecidos se moveram pelos campos de uma ilha pacata.Se tratava de um ser não muito alto,loiro de cabelos chacheados,ele trajava
negro,o belo casaco longo lhe atenuava as curvas,estava acompanhado de uma mulher que tinha os cabelos estranhamente esbranquiçados,ela tocou-lhe o ombro ao
falar-lhe algo,o vento reverbava em sua túnica azul-Lestat? Faça-se sua vontade,este seria o único presente que podia lhe dar nesse momento,querido-E como ele la-
mentou ao olha para um dos outros.

-Lunnes não me acha despretecioso,correto!?-Lunnes,o ser alto,ancião por si trajado de branco está noite o respondeu-Não querido,não-Ao voltar o olhar para outro ser
trajado de vermelho disse-Aonde está Hyarian? O corpo de Aziel está aqui,perante nóis,e ele não aparece-Marius disse-Esqueça,ele chora demais nesta nova noite ao
vir,deixar o corpo aqui-Lamento de Lestat ao entrar em prantos ao curvar-se diante do corpo de Aziel colocado sobre uma base de pura madeira lustrosa.

Ofeguei,continuei vendo:Aquela mulher andiantou-se a frente-Sépia! Não posso fazer isso sozinha,terá que fazer uso de tua incrédulidade-As imagens circundavam as
chamas-Entendo-E foi como desejado por eles,aquelas duas transpunham uma força terrível contra o corpo de Aziel! Vi o corpo dele deitado,ele que tinha as mãos a
frente de si! Céus! Lapsos de particulas gélidas circundaram o corpo dele.

Corpo preparado somente com malva de oleos especiais.A crosta tomou conta de Aziel,foi como malva de cristal puro o envolvendo para depois fazer seu corpo depa-
parecer.O tempo transcorreu,aquele casulo de puro cristal gélido foi colocado no túmulo,todos eles pensavam depois de tudo.O pai de Lestat ficou sozinho,vi a malva
de seu rosto,ele pensavam,pensava profundidade-Sempre me odiou Aziel,sempre me odiou-Não que ele sentisse dor,mas sofrimento,só isso-Não cheguei a tempo,en-
volvido em guerra,desculpe-Colocou a única rosa que tinha sobre o túmulo.

E foi assim,que essas imagens me fizeram silenciar,me espantar! Me encontrava silenciada-Me mostras coisas dolorosas Redenção.O corpo foi cristalizado,não vai se
decompor-Bramia assustada.E foi assim,que me deparei sozinha,a chuva continua,limpida.Dê certo modo,mesmo em dor,chorando naquele momento,tive certeza e
havia decido que continuaria,devia viver,como não sabia,mas era minha necessidade.Lamento de trevas ao longo de todo esse tempo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 30 Out - 9:59:33

Eu não esperava que depois disso,Vitória Regia voltasse,pelo visto ela estava em uma reunião maravilhosa,não sabia os motivos,mas as suspeitas desde que li
o bilhete se tratava dê trocas de informações na mansão tão importante para ela,sinceramente deu-me a pensar como se tudo isso fosse possível,fitava o bruxe-
lear das chamas da lareira,sinceramente minha pessoa tentava reaver o controle dos pensamentos.

-Será que mesmo assim,eles têm alguma esperança?-Me deparei perguntando em determinado momento.Foi como se a resposta de Redenção me tomasse des-
prevenida,insensatez em todos os pontos que possamos imaginar."Não Lilith,não que haja esperança,mas falo de preservação,foi o desejo do pai de Aziel,se isso
foi possível,ele fez-Novas indagações para eu pensar.Fiquei imaginando o túmulo,lá dentro da Terra recém-removida o casulo de gelo-cristal feito por aquelas duas
mulher.

Imaginei mais além: A rosa que o pai de Aziel deixou sobre o túmulo depois de tudo,a lápide com o nome de Aziel gravado.Não conseguia imaginar o que havia
passado na mente do pai de Aziel depois de tudo,mas foi claro:Ele estava sofrendo muito,não conseguia imaginar a situação emocional de Hyarian após sua che-
gada na Ilha,a informação havia sido clara.Ele não conseguiu está presente,havia ido silenciar-se em choro em um lugar próximo.

Só estava repensando nessas questões enquanto me mantinha silenciada,foi quando ouvi barulhos vindo do lado de fora,Vitória Regia entrou silencioso,me viu
por alguns momentos-Querida esteve ai o tempo todo?-Eu ri por alguns segundos-Sim,mas pensando em argumentação,essas coisas,pensando no que Samantha
deve está fazendo no quarto-Ela assentiu andando em minha direção.

Sua longa túnica na cor de verde-folha chamativa,principalmente ao vislumbrar o colar de pérolas brancas,a sandália delicada no mesmo tom foi como plumas ma-
cias aos seus pés-Entendo querida,deseja algo?-Assenti subindo com ela,foi como se sua pessoa soubesse profundamente o que se passava em minha mente.Ao
estrarmos no quarto,peguei Samantha,me deixei encostar-me no espelho da imensa cama-O que esteve conversando com Ardônis?-Ela ficou pensantiva-Sei que o
pai de Aziel teve changes de preservar o corpo de Aziel,o enclasurou para depois colocar em um túmulo-Compreendi,ela já sabia.

-Eu sei,Redenção me mostrou tudo-Ela ofegou,eu voltei a atenção a Samantha por alguns instantes-Será que mesmo assim,ela compreendia? Não sabia,mas sei
que aquilo foi o bastante para ela deitar-se de lado,de modo pensativo disse-Preciso queimar as roupas de Aziel amanhã,tirar as roupas dele daqui,não posso deixar
as coisas dele presente-Assenti silenciosa,tomada de pensamento.

-Entendo,a ajudarei amanhã-Ela sentou-se para depois dizer-Não preocupe-se,farei isso agora mesmo,depois dormirei-Foi como acalanto de presságio,renovado ins-
tinto que para ela foi necessário.Deitando-me de lado a olhei sair,focando os olhos em Samantha pude pressenti todos os detalhes alheios.E foi desse modo que eu
e Samantha nos envolvemos em transe,eu e ela que dormimos juntas.

Nunca me foi tão necessário como nesse momento.Na manhã seguinte caminhando pelo corredor me deparei com o quarto de Aziel arrumado,me espantei-Aonde a
sua mãe está?-Era como se tudo ainda não fosse verdade,compreende? Isso pelo fato deu ainda á considerar sua mãe.A cama jazia arrumada,o cortinado oscilando
com a janela aberta.Sai.Quando na imensa sala,me deparei com suas bolsas cheias de roupas dobradas,limpas.

-Vitória!?-Ela estava na cozinha quando percebi,ao sentar-me á mesa ela entregou-me algo-Aqui está querida,precisa lê isso,não abri,mas e algo que precisa lê,e seu.
Foi o pai dele que mandou para você-Ofeguei sentindo medo,sinceramente minha pessoa lutava para compreender toda situação.Foi como ela pressentisse toda mi-
nha necessidade-Lestat ao falar com Ardônis a mandou,ele já havia sido avisado do que aconteceu,sabe que Ardônis teve que vir as presas-Compreendi,foi como se
a malva de presságio me tomasse nesse momento.

Meus olhos passearam pelo envelope,lá estava a assinatura do pai de Aziel feita a pura prata-Caneta de prata? Tinta de pura prata sobre o papel negro eo envelope?-
Será que eu havia visto bem? Ofeguei.***Para minha neta e Lilith Chariére***.Tive medo,imenso medo de abrir o envelope.Ofeguei novamente,mas tomei cora-
gem para lê o que ele havia escrevido.Abri a carta ao quebrar o lacré em estilo antigo,Lestat pelo visto tinha um anel igualzinho ao de Aziel com o emblema do Clã.

"Acho que mandar essa carta já deve ser tarde demais para mantermos contato,e nem sei se vossa pessoa deseja isso.Bem! Já deve ter recebido essa carta pela mi-
nha esposa,isto é,uma delas.Lilith Chariére;este e seu nome correto? Veja por si,tudo bem? Espero que futuramente possa enchergar em sua face ao vê-la pessoamente
o algo que deixou meu filho machucado,digo! Paralisado e cego.

Lamento que minha neta tenha ficado orfã tão cedo e lhe garanto que se ela precisar de algo,de minha ajuda,terá meu apoio.Hyarian disse-me que ela e diferente,ela
e como se fosse a reencarnação de algo,mas bem! E algo pessoal de minha parte.Só espero que eu possa sobreviver ao fim desta guerra para que eu possa vê-la em
minha paz,pessoal.

Sobre a morte de meu filho? Vós lhe darei a reposta dele tanto me odiar,és a resposta: Aziel desde pequeno sempre soube que dentre meus filhos ele era meu predile-
to,o meu amado,afinal,foi o único que pude ver viver da forma mais humana possível,o vi nasce,o vi crescer,o vi se rebelar contra minhas ordens pessoais em prol de
sua proteção até chegar o momento certo,dele ter sua liberdade almejada.

O preço? Vistes por si mesma: Sua morte,sua decadência. Obrigada por tudo Lilith Chariére,em breve quem sabe não possamos nós vê,conversar em qualquer esqui-
na que haja por ai. Merci,arevouar. Palavras de um ser machucado,mas que saiu vitorioso,ou melhor,está tentando se sair vitorioso em meio a essa guerra e revolta.

Assinado: Lestat De Lioncourt".

-Nossa-Brami deixando a carta sobre a base da mesa,ofeguei,foi quando Vitória Regia me chamou atenção-O que ele disse?-Não suportei falar,entreguei-lhe a carta e
silenciosa sai em direção a sala,o sol pairava por todo lugar,a porta aberta dando visão para o imenso jardim.Foi quando vi aquele álbum em espécial sobre a mesa de
centro.O abri,pode vislumbrar cada detalhe das fotos brilhosas e perfeitas,nas páginas.

-Céus!-Disse espantada,se tratava de algo pessoa para Vitória,me deparei vendo imagem por imagem,se tratava de imagens antigas,de Aziel ainda muito pequeno.
Um menino maroto,magro,delicado,porém? Rebelde;era perceptível decorrer de cada imagem.Não sabia que em meio ao tempo Vitória Regia tinha mania de tirar es-
se tipo de imagens.

Me assombrei ao decorrer de cada foto espécial.Havia uma de Aziel ainda pequeno,daria dois anos para ele,sem dúvida.Era noite,algo o puxava,o segurava pela cin-
tura e pernas,Aziel usava camiseta branca,calça negra,ténis,algo o puxava,ele olhava para trás,não pude vê bem o rosto,mas decerni que era seu pai o puxando,olha-
va Aziel com os braços esticados segurando-se no portão.

-O que e isso?-Brami baixinho,nunca me espantei como nesse momento.Era como se os dois estivessem a beira de guerra,pessoalmente foi nesse vislumbre de imagem
que soube que Aziel iniciou aquela guerra ainda muito pequeno.Vi sua mãe vir da cozinha,me fitou silenciada-O que e isso?-Disse-lhe mostrando-lhe a imagem,isso a fez
pensar ao sentar-se em uma das poutronas-Bem,foi uma semana antes de irmos a um jantar,Aziel tinha dois anos,muito pequeno,mas sábio,não queria ir que o pai o le-
vasse para sair pela Cidade,era mania de Lestat vir o seguestrar,nessa noite Aziel se segurou no portão,ao ser solto desferiu socos no pai,no rosto.Lestat ficou revoltado,
acabou por lhe dá uma surra depois,e das grandes-Ofeguei.

Lamentável imaginar esse tipo de relação,mas porém,compreendi a rebeldia de Aziel.O predileto do pai,mas o que se opôs a ele desde pequeno.Ao decorrer do tempo a
Vitória Regia saiu para levar as roupas,ela decidiu ir a um lugar especifico as doar.Foi com isso que minha preparação para ir embora começou,passei mais uma semana
com ela.Ela havia esperado Louis,qualquer um aparecer,mas não havia acontecido.

Por vários momentos durantes esses dias,ela pode falar com o pai de Aziel,trocaram cartas.Assustador,mas compreensível.Disse ela em um desses momentos que estava
para voltar a qualquer momento.Ao estarmos no aeroporto eu não sabia o que seria do seu destino,mas antes de entrar pelo corredor,a vislumbrei de pé,as mãos curvadas
a frente,o seu belo vestido de lã fina em tom rosa-escuro um encanto,ela não trocou palavras comigo nesse momento.

Viu-me seguir,sua imagem sumiu entre as pessoas.No avião sentada na poltrona pensava,tinha Samantha junto a mim,ela dormia docemente,a vi ofegar por alguns segun-
dos,foi quando disse."O que será daquela pobre mulher?".Era fato que Vitória Regia sem a presença definitiva de Aziel na Cidade ficaria solitária,não sabia qual modo ela le-
varia o fim de seus dias,mas era uma decisão intima dela,eu respeitava,ao ouvi-la dizer que amava tanto seu marido-amante.

Silêncio,ajeitei a borda de minha saia pregueada negra que ia até a altura do joelho,a bota longa de salto baixo confortável,mais confortável ainda a camiseta branca que
eu vestia,o cachecou escuro conforto eterno.A viagem seguiu-se silenciosa,a todo momento temerosa quanto a Samantha,temerosa caso ela se sentisse mau,irritada com
algo.Minha princesa vestida de lilás para aquele momento de retorno dormiria bem! Meu unico conforto,era verídico o que sentia naquele momento.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum