União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 1 Out - 14:12:52

Prólogo:

Agora entendem? Finalmente estou prestes a iniciar esse terceiro e último conto que contém como base meus últimos arquivos revelando a convivência de
seres espectrais,mas porém,humanos. Aziel e Lilith pelo que eu saiba ao decorrer das últimas investigações,foram separados pela morte,finalmente conforme
o passar de tempo,tiro minhas últimas informações.

Dá última vez que Lilith veio,como peceram foi para minha ameaça.O motivo eu não sei,mas e certo que as coisas e acontecimentos continuaram,eu colhi
mais informações da continuidade da convivência de Lilith e Aziel,só que dessa vez,o fim de tudo,o modo como tudo terminou,fato que vinha sendo indaga-
do por ela há tempos,desde que tudo isso começou.

Desde que minha pessoa começou a colher todas essas informações,ficou claro como muitas coisas são possíveis,como estamos destinados a errarmos,mas
porém concertarmos nossos erros,nem que seja em uma futura vida.Mas será que mesmo assim,isso posíbilita com que possamos nos precaver? Não foi o
que vim a entender e presenciar ao longo de tudo isso.

A continuidade e a única certeza com que convivemos.Nunca me senti tão perto dos imortais,até esse momento de minha existência! Eu,Sara,ainda jovem a
recolher informações tão importantes!? Juro que nos intervalos essas visitas,dessa colheta de informações narradas,me deparei em loucura,envonta nessa lou-
cura me questionando se tudo isso e possível

E,possível,por mais que eu tente negar,e possível,juro que depois dá última vez que Lilith Chariére me visitou,passei a me sentir observada,juro que até em
meio a noite sai pela minha casa com taco na mão a procura do algo.Nada,nada,mas uma coisa e certa,algo me espiona,algo poderoso emana em sua espio-
nagem.Temo de verdade que sejam os seres imortais,porquê se comparados aos seres bestiais,eu sei que poderei estar seríamente encrencada.

Foi certo e óbvio que desde minha desperdida de Lilith Chariére em sua visita anterior,me senti mais próxima dela,e como se ela aproveitasse todo seu sofri-
mento para desabafar em seus piores momentos,como se eu fosse seu escape.Admito que a continuidade do recolhimento dessas informações me passou a
ser assustadora,tudo me passou a ser mais trevoroso,como ela diria.

Simplesmente os acontecimentos se tornaram mais forte.Tudo que eu irei lhe mostrar através dos arquivos e "Conseguências e atos" do que aconteceu anterio-
mente,háveria de se ter um fim,as decisões,desejos,imprudências,tudo isso se desencaderia da melhor ou pior forma,e foi isso que Lilith Chariére ao decorrer de
suas próximas vindas veio a dizer.

A pura conclução.Lamento,senti dor ao fim de tudo,é espero que apartir de agora,já que tudo para Lilith Chariére e Aziel De Lioncourt terminou mesmo um ten-
do sido ceivado pela morte,eu possa me sentir melhor.Espanto,impacto,dor,morte,nascimento e luz.Tudo isso andando lado a lado conforme o desencadear das
"Conseguências e Atos" de tudo que viría a acontecer.

O futuro de Samantha Chariére de Lioncourt,de Ellenos Cyrus.Aziel De Lioncourt,o que se revelou a alta reencarnação da raíz suprema do Clã Lioncourt pode
ter sido ceivado pelos Seres Betiais,mas deixou dois filhos que cujo futuro ainda são incertos.Me deparo imaginando como duas crianças foram separadas pelo
destino.Como tudo isso aconteceu?

Veja por si,esteja aqui lendo linha apôs linha! Presenciando cada detalhe do que pude recolher,anotar e arquivar! Cada arquivo novamente será anexado,suas
anotações revelativas.Lamento pelo destino de Aziel já tido a tanto tantas semanas atrás,só que dessa vez,tudo dito detalhe por detalhe.A ceivação de Aziel
De Lioncourt se tornou real,mas junto desse acontecimento,a criação de dois seres destintos,mas porém,irmãos.

Não consigo imaginar a dor que muitos do Clã Lioncourt possam ter sentido,mas uma coisa e certa:A de que vigança será reenvedicada.Não por Lilith,a nova
Rainha Bestial,mas por um outro ser até então desconhecido por mim.A perseguição não está focada em Lilith Chariére,mas em todos os outros Seres Bestiais.
Tudo que sei e que depois da morte de Aziel,o clima,a guerra ficará acirrada.

Nunca o Clã Lioncourt esteve tão focado em algo.O peso antes equilibrado entre os dois polos das duas raças,mudou.Acho que segundo informações,o pai
de Aziel De Lioncourt soube e está sabendo como mudar a guerra.Vingança e o que ele procura,e pelo que soube por outras informações que preferirei man-
ter secretas,enquanto o último Ser Bestial rebelado não for tombado,morto,ele não está satisfeito.

Lilith Chariére pelo que saiba foi e está sabendos e presevar,já que ela mesma se rebelou contra seus filhos desde que os acontecimentos lhe forçaram a tomar
posse. Entendam,reflitam e junto de si,absorvam conforme forem lendo,os motivos deu mesma ter citado e conseguido recolher essas informações.Muitas al-
mas almas dos Seres Bestiais estão e vão ser ceivadas em prol de um erro cometido por eles mesmos. Até mais,a continuidade e plena,é em minha despida a
vocês,as informações conclusivas de tudo isto.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

1° PASTA: O confronto. A doce criança.

Mensagem  Ana Nery em Sab 2 Out - 14:03:45

1° Anotação: Sinceramente a respeito de tudo,admito que demorou até que Lilith Chariére voltasse a me procurar. Sinceramente sua pessoa me pareceu abatidada desde
que partirá em sua última visita. Se passaram dois meses ate que ela voltasse a me procurar. Ela tinha me esperado de surpresa. Era início de noite quando acontece.Eu
hávia saído do trabalho,ido até o estacionamento de meu carro.

Ela jazia de pé ao lado do carro. Usava um vestido de seda de alças delicadas até a altura dos joelhos,colar de pérolas brancas,botas pesadas. Seus cabelos loiros e lisos
havian crescido já que da últoma vez ela hávia os contado (A virá de cabelos curtos). Ajeitei a borda de minha saia pregueada negra,usava camiseta de algodão cinza,os
meus movimentos foram imediatos ao parar,me silenciar.

Não acreditava que ela estava presente. Joguei meus cabelos para trás,delicadamente entrei com ela em meu carro,meu casaco negro longo me dava conforto,gradualmen-
te minha pessoa se deixou repensar no momento.Por eu estar de bota baixa feita de forro aveludado me sentia plena. Sai silenciosa,nada ela falou. Tudo que desejava era
um lugar silencioso. Sai pelas Ruas até entrarmos em um bosque.

Quando lá saímos.Sentamos sobre a relva da grama perfumada.O luar era doce,cálido como eu tanto aprecio. Se parrou alguns momentos,antes de começar,pude vê sua
imensa tristeza a respeito de sua filha perdida,arrancada dela."Ela cresce e mau posso vê-la,tocá-la.Compreende o guão isso é pavoroso?".Compreensi,o que me encantou
e que ela começou a contar a história exatamente da onde hávia parado antes de nós despermos em sua vinda anterior.És o que tenho a mostrar no primeiro dos arquivos:

HISTÓRIA: Eu e Isabel passamos alguns momentos trocando idéias,tudo isso,Sara. O momento me foi maravilhoso,sinceramente maravilhoso! Será que entende tudo o
que poderia acontecer? Isabel me encarava,foi quando ao decorrer de nossa calma,isso devido a exaltação da chegada dela,podemos nós sentar,podemos fazer com que a
mente transposse o cãos denxando o controle pairar pela imensa sala.

-Tu mudou muito,fico feliz,céus Lilith,não imagina o quão fico espantada com suas mudanças-Eu ri,não pude deixar de rir,minha pessoa pressentiu suas dúvidas,sentimentos.
Tudo isso ao decorrer de um momento pavoroso,mas tão lindo! Seus cabelos ruivos devidamente tratados,perfumados,a claridade da luz pairada sobre seus limpidos olhos.
-Aonde está Aziel?-Quis ela saber,sorri novamente,eu estava tão feliz que devido ao sentimento,demorei a romper minha quietude lhe respondendo.

-Ela saiu querida Isabel;não se assuste comigo,sabe que sou eu,mudada até o momento,mas sou eu-Ela tirou o lenço do bolso o deslizando delicadamente pelo rosto,isso a
trazia calma-Entendo,o futuro papai deve estar ocupado,correto?-Foi quando tomei coragem para saber de Lucy,Isabel demorou para responder-me isso por ela saber como
ela se sentia-Ela me confeçou tudo,está entendendo? Lilith,Lucy não e a mesma,ela mudou bastande desde que voltou,retomou suas atividades na empresa-Ofeguei,claro
que depois de tudo fiquei pensativa.

-A respeito de Aziel,o que aconteceu entre os dois na estádia dela aqui,Lucy não quis entrar em tantos detalhes,mas lhe garanto,a criança que ela perdeu significou muito,a
sua pessoa ainda repensa em muitos conceitos-Compreendia plenamente,claro que não queria nada de mau para ela,respondi a tia Isabel sendo o mais clara possível,men-
tir para ela não,seria loucura!

-Estou de pleno apoio com ela Isabel,ela viu Fera,ela deve ter comentado,até...-Rompi a palavra delicadamente temendo que ela entendesse algo de errado,foi quando eu
encontrei as palavras certas-Redenção,ela o viu-Isabel ficou pensativa,disse-me que tudo para ela ficou claro-O que mais tens a me dizer amada sobrinha?-Uma monarca,es-
sa sempre será a visão que terei de minha eterna tia Isabel,uma altentica monarca da família Chariére.

-Foi doloroso,admito,tive vários ataques,ameaças,mas não quero me render,está entendendo,eu não vou. Se a querida Lucy lhw dissse tudo isso,sim,ela não mentiu! Ela
não deixou de lhe esconder a verdade. Ah,céus! Estive com Aziel em outra vida,dá para acreditar!? Eu sofro para aceitar,mas aos poucos eu aceito. Eu quero que Aziel te-
nha algo somente dele.

Isabel levantou-se em passos delicados,linda como descrevi anteriomente em sua chegada,Sara.Uma mulher de idade,mas marcada por beleza,luxo,tudo que uma mulher
de classe possa ter-Não sofra,simplesmente isso,não sofra,Aziel e feliz,ele está feliz,assim como tu. Entendo quando prefere vê ele nos braços de Lucy do que com outras
estirpes de mulheres que não o compreenderiam-Ri de modo descabido.Cruzei os braços ao levantar-me.

-Pelo visto a herdeira da família nascerá com saúde-Ela riu,deixou uma das mãos deslizar por mim até a barriga tão crescida,arredondada-Eu sei que,sim,só não esperada a
vorazidade de amamentação,vou amamentar muito bem-Ela riu,beijou meu rosto ao se recompor,pude abraçar ela com tanta vontade! Senti ela me expremer delicadamen-
te contra si-Claro que,sim,terá e será como tanto deseja-Fomos para o salão.

Foi lá que passamos uma parte do tempo. O frio era delícioso,voraz como espero de notável apreciação.Eu e Isabel trocando mais ideias. Do nada houvimos a densa voz
de um chamado,alguém subindo a escada-Lilith cheguei,está no salão!? Trouxe pães,queijo,presunto,alface americada,vai querer preparar algo para comer?-O vi aparecer a
mercé do vão da escada.

Ele vislumbrou Isabel de longe,pode focar todo olhar delicadamente.Isabel deixou pairar toda sua observação por ele.Aziel tirou os óculos escuros os dobrando para depois
caminhar a nossa frente,sua camisa de seda de cor imaculamente branca se movia ao seu andar,os botões de camafeus requinte de visão,tinha os cabelos soltos,perfuma-
dos,a calça jeans em tom cinza justa,o pá de bota pesada para o frio que o incomodava,até mesmo antes de sair.

Esticando a mão para cumprimentar Isabel,ela levantou-se-Finalmente! Pensei que iria demorar,Isabel,não sabe como tu deixa Lilith tranquila,ela precisava-Isabel fez seu
olhar pairar brevemente entre eu que me mantive sentada da varanda e ele-Digo o mesmo jovem,me parece tão maduro. Algo mudou em tu Aziel,tenho que admirir-Os
risos de Aziel foram imediatos,ele foi até a prateleira pegar uma de suas três garrafas de vodka,encheu o seu copo devidamente separado para beber-Servida? Sobre tuas
palavras! Todas acatadas por mim-Sentou-se ao meu lado.

-Ah,Aziel! Não parece você,esteve doente a alguns tempos atrás,correto?-Ele arqueou sua sobrancelha bebendo mais da vodka-Ah,sim,mas me sinto melhor,acho que se
Liilith não precionasse,tinha ido-Ela riu,me mantive quieta,me sentia momentaneamente cansada e por tanto,preveriría descansar-Entendo,ao menos tens como manter o
controle,mesmo o problema célular,como Lucy,me explicou,ser incurave-Aziel pousou o copo sobre a mesa.

O enchendo disse-Problema congenito,genético para ser claro-Isabel lhe falou seriamente-Então ao decorrer desse tempo e fato de que sua família atenuou a consaguini-
dade,correto?-Aziel a fitou voltando a beber,deu caretas depois,segurando o copo pensou para responder-Sim,não por desejo próprio,mas por necessidade-Compreendi,a
Isabel pensou por alguns momentos.

Foi apartir desse momento que ela e Aziel inciciaram uma rispida conversa a respeito do pensavam.Não que isso me importasse,e claro que importava,mas apesar de tu-
do isso,minhã pessoa preferiu observar,se deixar encher por tudo que houvia-Mamãe e Louis vão vir para cá,eles devem aparecer.Como eu não sei,mas espero que possa
conhecer eles-Isabel deixou sua apreciação transparecer por alguns segundos.

-Eu entendo,prometo que não vou embora até os vê,está ancioso? Falo da vinda de sua mãe,o que espera Aziel?-Tão pensativo é aflito Aziel se sentia que bebeu mais
da vodka,não se sentia calmo-Espero que possa amar á minha filha é Lilith,que mamãe possa entender os motivos deu ter feito tudo que fiz,Isabel-Isabel arqueou o ce-
nho de sua sobrancelha emanando formação de opinião.

-Aziel se és o que é,e que sua mãe vai compreender.Se tornas-tes um forajido até o momento,mas sei que saberá lhe dar com a situação quando ela vir,olhar para tudo
que se tornou-Ele riu,sua face corou-se nesse momento devido a vergonha,e além do mais,a bebedeira passajeira-Eu espero que,sim,se não,prefirirei me manter longe,a
vontade será essa-Isabel deixou-se refletir além do que se permitia refletir.

-Sobre Lucy,sabe se depois que voltar a vê-la novamente,poderá reaver seu controle a respeito do que aconteceu?-Isso o pegou de surpresa,fez com que Aziel mantesse
sua quarda-Nossa Isabel! Toca sobre esse assunto? Algo drástico correto?-Silêncio,quietude para depois ele continuar-Sinceramente prefiro me manter quieto,e claro que a
sua pessoa deve ter me esquecido,considerado tudo um momento-Ela riu,mas depois voltoua seríedade.

-Aziel,ela não considerou apenas um momento,algo sério,resumidamente isso,ela não está apta a continuar com seu atual relacionamento,entende? Falo de seu amante,
essas coisas.Aziel ela não só teve um momento com você,mas quase se torna-rá mãe-Aziel a encarou,deixou-se pensar por alguns momentos-Entendo-E com isso toda
a troca de idéias entre ele e ela continuou,foi ávido,esperado,digamos que maravilhoso,Sara! Presença maior do que a de Isabel,ainda estava por vir,e só futuramente
eu entenderia o por quê.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 2 Out - 15:38:37

Consegue compreender a sensação de quanto algo bom vai acontecer? Nosamente voltei a envolver-me nessa situação.Delicadamente isso se tornou proeza para
minhã pessoa. Mas bem!Admito que depois de toda conversa maravilhosa que Aziel teve com Isabel,ele desejou descançar,depois de tudo era ele que desejava o
merecido momento solitário.

Não lhe neguei o momento,minha pessoa se permiriu transparecer toda concordância para com seu desejo.Gradualmente minha pessoa voltou o foco das atenções
a Isabel.Para mim não importava se o tempo pasasse,mas tudo que eu precisava era conviver e reenvedicar alguma forma de nostálgia para com ela.Delicadeza
foi o que me foi presenciado.

-O que acha da vinda da mãe de Aziel?-Ela se permitiu me olhar seriamente,foi como se sua pessoa se tornasse algum cemblante de moralidade-Para mim será um
fator positivo,Lilith,consegue compreender como vossa pessoa terá uma change entanto de conhecer?-Sabia que,sim,ela estava certa,sua pessoa se manteve envol-
ta na arbitráriedade de continuar.

-Lilith sua pessoa se torna a cada dia,uma conhecedora de vários aspectos da vida.Como apesar de tudo não se reconhece?-Loucura,eu sei,mas mesmo assim,eu de-
sejava pensar melhor,ao contrário do que se pensava,soube que poderia tirar melhor proveito da situação-Não,diz que será um fator positivo,eu sei,mas mesmo as-
sim minha pessoa pretende entender melhor suas palavras-Ofegar de sua parte.

-Tudo e gradual,está entendendo? Por isso deve admirar a atitude da mãe dele,por mais que o pai,o restante da família seja contra-Ah,isso me fez rir,com isso manti-
ve-me sentada na poltrona,ela no sofá-Ah,sim,mas será que amará a sua neta? Ah,sabe que desde o início fui vista como intruisa,uma má pessoa,pela família dele,eu
queria muito poder mudar essa imagem-Ela se manteve atenta.

-E vai,tenha certeza,sabe para quando ela vai chegar?-Admirável sua ação verbial-Acho que depois do nascimento de Samantha,e pelo visto será rápido,pelo visto
ela não terá muito tempo,virá acompanhada-Isso á deixou tomada de quietude,um determinado modo de repensar-Entendo,mas mesmo assim,esteja ao lado dela,a
minha pessoa lhe promete que vai estar presente,não vou sair até tu está recuperada,falo do parto-Que pavor,pensei.

E assim,a noite continuava.Admito que tudo que trocamos no que diz respeito a informação me foi ultiu.Muitas coisas até então não entendidas,me passaram a ser
claras."Sei que poderá dar a luz em casa,não haveria lugar melhor".Concluiu ao terminarmos.Respando de observação,continuidade para,assim,termos a certeza de
que ela poderia descançar.Foi para o quarto de hospedes aos fundos do jardim (O mesmo usado por Lucy),e de imediato se preparou para descançar.

Sabia que ao decorrer dos dias tudo seria revolto para minhã existência.Tive um momento adorável com Isabel em uma das tardes ao decorrer dos dias a frente,na
minha contagem,três dias a frente.Ela tinha me preparado uma surpresa apôs almorçarmos.Aziel precisou ir para o salão preparar alguns temas de pesquisas.Eu esta-
va comendo sobremesa (Pudin de morango) quando ela agiu.

Vestia túnica de cor verde-folha,os detalhes prateados em destaques formando lindas flores na borda da longa manga,ela disse-Venha comigo ao sotão,precisa de
alguns reparos-Loucura,pensei como e típico de mim.Levantei-me deixando a taça de sobremesa sobre a mesa de centro.Fui com ela,seguímos pelo jardim,fomos
aos fundos.Quando entramos,me deparei com um manto branco estendido sobre o chão,velas em seus castiçais individuais,incensos ao lado-Nossa,o que prentende?
Uma seção de transposição?-Ela riu.

-Não querida,apenas fazer com que se sinta leve-Compreendi,ela ajeitou o manto rapidamente,sentou-se me fazendo gesto para que me deitasse,foi como se todo
meu corpo fizesse com que os musculos se atiçasse.Gradualmente minha pessoa deixou o olhar pairar sobre o teto-Vamos,tende estar fora de si,valerá a pena-Eu
pensava,´pensava friamente em como fazê-lo.

Foi como somente o silêncio reinasse dentro de mim,não esperava que Isabel preparasse uma seção de descanço ritualistico tão maravilhosa. A muito tempo precisa-
va disso,precisava fazer com que toda minha vitalidade transparecesse.Quietude,vislumbre de quietuação unida a um átimo de vislumbre da energia côsmica.Para a
minha pessoa,nada melhor poderia acontecer.

Em determinamos momentos a minha pessoa sentia as mãos de Isabel deslizar pelos meus ombros,tocar-me os braços,até mesmo minha barriga tão arredontada no
momento,era como se até Samantha sentisse-se maravilhada,tomada de calma.Ela estava tão quieta dentro de mim que sequer se movia,gesticulava como háveria
de esperar em prol de sua vontade.

Era como uma energização,uma forma de redimisão,está entendendo? Toda energia de Isabel circulava por mim,o tempo passava sem eu perceber sua passagem.O
momentâneo momento estava cervindo para que reavesse toda elásticidade muscular perdida de desde que Samantha começará a ganhar tamanho é peso dentro de
mim.Tão sinuoso de se pensar,correto?

Era como se eu tivesse sido tomada por energia bruta revitalizadora,o cheiro os incensos me fazia ficar mais quieta,melhor concentrada enquanto Isabel continuava.A
sinuosa forma com que ela mantinha a energização era pelas mãos,ela as movia acima de meu corpo,tudo bibracional,pura vibração esperitual.Entende isso?Os dons
se adaptam a personalidade de cada um,nela da forma mais cálida possível.

O apagão mental continuou.Foi Aziel que me acordou ao entrar no sotão á nossa procura."Isabei! Pensei que tivesse saído,estiveram aqui todo tempo?".Risos,houvi
claramente a respostá e passos de Aziel."Sim,estivemos aqui,precisava ajudar Lilith,ela precisava de revitalização,Aziel,é isso só se pode ser feito com transposição da
energia,só que pelas mãos".Risos.

Vi quando ele sentou-se ao lado de Isabel-Está melhor?Posso imaginar como esteja,principalmente com suas formas tão pesadas é redondas-Nada Aziel,a necessida-
de me pediu isso-Risos,ele me ajudou a levantar-me-Vamos jantar,antes de vir,esquentei a comida,precisamos comer depois de tudo,que bom que valeu a pena-Isso
me foi como musica-Ah,imagino-Isabel se levantou quando pegou o manto,incensários,castiçais,isso ao apagar os incensos é velas.

Como soube e tive a certeza de qie devíamos prosseguir;Fomos jantar,passarmos o resto da noite que se iniciava.Calma nesse momento Sara,calma,muita calma!
O melhor momento até então chegou,posso respira fundo?Ok,que seja! Me sinto melhor. Conte mais dois dias,está entendendo? Dois dias exatos para o acontecimen-
to.Eu e Aziel estavamos conversando,acho que comento saduíches enquanto escrevíamos na varanda de nosso quarto.

Jazíamos com papeis de papiro,tinta,pena,sentados á mesa da linda varanda,era noite! Uma noite brilhosa e a me veio a voz."Ouça minhas palavras! Há de tu rece-
ber seres espéciais que acabamd e cheger".Me distrai deixando a pena de tinta negra cai sobre a mesa-O que foi Lilith?-Aziel abriu colocando a pena no tinteiro.Isso e-
xatamente quando houvimos um bozinar auto-Alguém chegou-Aziel se espantou.

Ele ajeitou as lampelas de seu longo sobretudo justo na altura da cintura,a camisa de linho verde escuro em perfeita combinação.Levantou-se,usava calça de corte
clássico negra,sapatos luxuosos,acendeu um de seus cigarros-Me assusta-disse-me,levantei-me,a túnica rosa escuro que vestia me mantinha fresca,tecido fino,fita na
borda-Azie?-O chamei,ele tinha saído de si.

-Vai atender,não sei quem é!-Bramiu nervoso,assustado.Sentou-se a beira da cama.Sai em direção a sala,em passos graduais a minha pessoa desceu a escada.Pelo
visto algo importante tinha acontecido.Isabel estava no jardim,a vi ao sair pela varanda perto do portão,ela tinha ido vê quem era.Uma imensa limosine negra,pelo
visto alugada tinha estacionado enfrente a nossa casa.

-Céus-Brami cruzando os braços,Isabel estava com os braços cruzados,seu longo vestido de seda negra oscilava devido ao vento,encarava as janelas de vidro escu-
ras,pensava,sua sandália branca em destaque aos pés,a porta se abriu,vimos dois pés aparecerem,a visão se avolumou conforme a porta terminou de se abrir.Duas
pessoas me foram vistas,dei passos temerosa para trás.

-Bu nuit,má chérie,queremos saber se está é mesmo a casa de Aziel De Lioncourt-Quem era aquele maldito ser alto de cabelos negros adulados,os olhos azuis quei-
mantes,vestido com calça de corte clássico negra,sapatos luxuosos no mesmo tom,a camisa de seda negra,só em vislumbrar os botões cintilando com as luzes da rua
me sentia nervosa-Eu e que lhe pergunto-Mas e como se o tivesse visto anteriomente!

Ele se virou,viu a mulher que esperava,ela saiu em seguida,vestia vestido de algodão fino,a cor prata em tom escuro requintada,a sandália negra tão delicada aos
seus pés,ela tinha seus cabelos soltos,seu cheiro de mel e de flores,os seus olhos verdes me fitaram,a mim é a Isabel que até então se mantiverá silenciada.A mu-
lher tinha cintura tão final,o homem que parecia jovem deixou seu braço se unir ao dela.

-Aziel está? Diga-me que está,viemos especificamente para isso-Espantoso,em instantes Isabel se moveu,tirou a única mala negra de dentro da limosine,ela deu parti-
da-Está! Vitória Regia,correto?-Ela voltou a atenção a mulher-Sim,sou mãe dele,esse ao meu lado e Louis De Pointe Du Lac-Inimáginavel! Ela me queimou olhando-
me-E tu deve ser Lilith,correto?-Espanto,ainda voltava a mim-Sim,está certa-Quietação,respaldo de medo ao entrarmos fechando o portão.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 3 Out - 16:20:22

Claro que depois dessa chegada tenebrosa a minha pessoa se preencheu de uma vontade ávida em se deixar pressentir o que aconteceria a seguir.Não que isso me
deixasse triste,feliz,só que o susto não hávia passado.Paramos por alguns momentos em frente ao chafáriz,isso devido a vontade de Vitória Regia,lembro de Isabel
ter seguido sozinha para a casa,ela tinha levado a única mala que aqueles dois seres parados na minha frente trouxerá.

O vento fazia os densos cabelos cacheados da mãe de Aziel se moverem,cachos abertos,macios é brilhosos! Foi como se o envelhecimento dela tivesse parado,isso
me deixou curiosa,enquanto a apreciava,pensava qual era o segredo dela para ter idade,mas porém,se manter tão linda."Como ela consegue?".Brami em pensamen-
to,foi quando houvi a voz de Louis,seus crueis olhos azuis me queimaram momentaneamente.

-Cuidado com teus pensamentos,Lilith,deve controlá-los,está entendendo? Não que eu queira ser cruel contigo,mas sincero,poucos pensamentos escapam de mim.Eu
prefiro deixar isso o mais claro possível,do que deixar uma densa confusãoa contecer.

-Eu estou entendendo-O respondi encarando aos dois,só que dessa vez foi a mãe de Aziel que respondeu-Sim,estou entendendo,pode me garantir que Aziel está me
esperando?-Eu pensei por alguns instantes,a minha pessoa se deixou repensar por alguns momentos-Sim,sinceramente,sim,só que não para agora,Vitória Regia,ainda
preciso acatar a algumas coisas,assim como ele-Estava compreendendo,isso era bom por quê de certa forma,sua pessoa pensaria a respeito de tudo.

-É claro-Bramiu deixando sua face corar,ela me visionava por completo,sua pessoa deixou-se refletir com profundidade antes de responder-me-Sobre sua filha,a filha
de Aziel,quero deixar claro que não esta esperado-Silêncio de minha parte,Louis até então não tinha respondido,sua pessoa repensando no que deveria fazer.Será que
ás vezes isso e como presságio?

De certa forma,sim,fiz sinal para que entrassemos,foi quando ao caminharmos em direção a varanda nós deparamos com Isabel-Aonde está Aziel?-Perguntei,para ela
ele estava muito nervoso,me aquietei,me deixei refletir,entramos na sala,eu fui a primeira que ele viu,vislumbrou silencioso,não compreendia até o momento o que a-
contecia,tudo que sabia era que pessoas hávian chegado,que Isabel deixará uma mala negra sobre o tapete enfrente a lareira.

-Quem é?-Quis ele saber,se manteve sentado no sofá,atencioso ele vislumbrou ás duas pessoas que apareceram por trás de mim,seu espanto,rancor,tudo isso brotou
do lada.Me mantive quieta,fui para junto de Isabel que jázia de pé ao lado da poltrona-Ah,céus! Finalmente posso lhe vê! Aziel não estava brincando quando contei e
lhe disse que viria-Ele não conseguia falar.

Agir! Só quando sua mãe andou a frente e que ele deixou o olhar passear por ela com profundidade,Isabel e eu quietas,pensativas,Louis atrás de Vitória Regia manten-
do seus braços cruzados,seus cabelos negros se moveram quando ele andou postando-se ao lado da mãe de Aziel.Tudo que podemos vê foi o modo como Aziel deixou
os tremores o tomar.

Ele tremia conforme se levantou vislumbrando sua mãe-A considero maldita por isso,mas eu te amo-Disse quando a abraçou com força,não estava acreditando no que
eu presenciava:Um jovem alto grudado á sua mãe delicada,de idade,mas uma mulher imensamente delicada,preservada.Houvi nitidamente os soluções dele,o modo a
encarar sua mãe depois de tudo.

Era assustador e doloroso ao mesmo tempo o jeito com que ela deslizava os polegares das mãos abaixo dos olhos de Aziel,ás bochechas dele que coraram-Céus,nunca
pensei que mudaria tanto,tanto. E como se olhasse você,mas ai jazesse uma outra pessoa-Ele riu,suas mãos tremiam,Louis sentou-se na poltrona,deixou-se manter-se a
mercé de sua quietude que pelo visto lhe era típico.

-Ah,sim,sente-se,deve está querendo descançar-Ela o fez conforme Aziel se sentou,eu e Isabel quissemos sentarmos sobre o tapete da sala,Louis até então quieto teve
a audácia de falar-Aziel apesar de tudo está bem? Falo do jeito com que anda se virando,sobrevivendo Aziel,isso assusta a todos-Isso deixou Aziel pensativo,ele que se-
gurava uma das mãos de sua mãe sentada ao seu lado.

-Louis ainda não entende,não e? Grande amigo desprovido da negritude dos imortais,sabe que quando nasci grande parte da fortuna da Família Lioncourt foi passada pa-
ra meu nome-Isso fez Louis rir docemente-Ah,sim,e claro.Seu foi insano o bastante para fazê-lo.Risos,risos de modo ousado,nunca pensei que um imortal me parecesse
tão humano.

-Para mim tudo isso está valendo a pena-Foi quando Louis se silenciou,deixou Vitória Regia falar,ela olhava Aziel-Não para seu pai.Aziel quero que saiba que ele sofre,a
minha pessoa não pode mentir quanto digo que grande parte da felizidade dele foi destruída quando partiu-Aziel voltou a atenção para ela-Acha mesmo? Não me importo
mãe,descobri que nunca me importei,para mim tudo isso valeu a pena,mas por favor! Deixe-me dizer aonde vai ficar nos dias em que ficará aqui-Ele levantouse encaran-
do sua mãe.

Isso fez Louis agir de imediato-Quanto a mim deixe-me ficar no sotão,tens um aqui correto?-Isso fez Aziel andar a frente-Ah,maldito,lês minha mente como se nada fos-
se a barreira que contruo em sua volta-Ele riu,pousou as mãos sobre os ombros de Louis-Consigo vê a teia que o envolve por completo,como seu corpo sempre será pre-
servado por ela-Louis riu,foi quando saímos em direção ao quarto dos fundos.

Quando lá Isabel se apressou em deixar claro que seria lá que Vitória Regia ficaria-Não me importo,também ficarei aqui,será bom por quê terei companhia para conver-
sar no momento em que ficar sozinha-Vitória Regia andava pelo quarto,seu vestido oscilava com seu andar,sua silhueta fina marcada pelo tecido do vestido,ela pensa-
va,foi quando voltou sua atenção a Isabel-Tudo bem! Obrigada,pelo que vejo a cama de casal nós acolherá muito bem-Isso deixou Isabel apreensiva.

Inacreditável saber que duas monarcas de duas famílias se encaravam-A criadora,digo a mãe dos Lioncourt já se foi a muito tempo,há uma em espécial,pena que Aziel
nunca tenha falado dela-Isabel riu,me mantive quieta ao lado de Aziel,de tanto medo segurava o braço dele-Pena que tens a ousádia de nada falar,Aziel-Disse sua mãe
ao olhar para ele por alguns instantes.

-Ah,mas isso e coisa minha-Disse rindo,isso fez Vitória Regia pousar as mãos aos ombros de Isabel parada de pé á sua frente-Samantha,Kalawina e Alexien.São esses
os nomes,caso queira saber Isabel.Quanto aos homens,foram poucos.Lunnes,Genevieve e...-Ela parou,sentou-se ofegante,pensativa a beira da cama.Sentia angustia.
Olhou para o teto por alguns momentos.

-E como minha irmã me falou,um erro entanto acatar ao que desejava naquele momento,falo da forma como minha loucura pelo pai de Aziel foi tão exarsebada,o amei
e ainda o amo,mas decisões me foram dolorosas-Andei a frente,fiquei curiosa! Apesar de tudo,Louis pode falar com ela-Vitória não se sinta aflita meu amor,por favor! Eu
sei,todos nós sabemos que foi por querer,desejo,mesmo sua mãe a tendo banido da família junto a seu pai,o pai de Aziel lhe devolveu tudo naquele momento-Muita dor.

Só isso que eu conseguia enxergar nos olhos da mãe de Aziel a respeito dos sentimentos para com o pai dele-Ah,foi consaguíneo demais,entende Louis? E como Wiksa
disse: Melhor outro de fora como fez mamãe,do que um de dentro-Compreendi-E como ele se chama?-Perguntei,Aziel morrendo de medo! Vitória Regia se levantou,os
seus olhos verdes brilhosos,curiosos quanto a mim.

-Ah,querida,ele é o que chama de Principe Moleque entre os imortais,Lestat foi o desencadeador de muitos conflitos entre os imortais,está entendendo? Ah,ao menos is-
so me conforta,em saber que esse maldito filho que me abandonou,lhe explicou alguma coisa-Olhou para Aziel em seguida-Mamãe não me culpe!-Pediu ele angustiado.
-Ah,seu pai e um maldito,sabe disso,por isso o odeia tanto,não e ódio como disse! Chamo isso de conflitos de idéias,Aziel-Isabel compreendeu perfeitamente.

-Ah,então quer dizer que a humanidade de Aziel e espelhada na humanidade que seu pai teve,quando humano?-Vitória Regia cruzou os braços delicadamente,riu com a
maior doçura que vi uma pessoa sorrir,espantoso-Ah,sim,sem dúvida,e mais uma coisa: Não sou a monarca da família,não atualmente,minha irmã,a Wika e que poderia
ser chamada de Monarca já que ela é humana como eu,eu e ela junto ao Aziel somos os poucos que restam de humanos.

-Nossa,Lunnes,Kalawina e Lestat são imortais,junto a Alexien,e Genevieve?-Ah,tristeza! Louis respondeu por ela-Morto,ele morreu-Ah,claro que ao menos isso sabia,eu
ainda só não me recuperava do golpe! Lestat,eu hávia houvido esse nome,mas só em pensar que meu amado e eterno Aziel era filho dele,me sentia destruída por den-
tro.Arrumamos as poucas roupas de Vitória Regia e Louis nas gavetas das comôdas,depois saímos em direção a sala da casa pelos fundos.

Tudo que pensava saber,de certa forma tinha ido por água abaixo nesse momento.As circustâncias havian sido imediatas,reveladoras.Quando na sala nós deparamos a
mercé de uma vontade louca da mãe de Aziel,subimos em direção ao salão.Louis parou para conversar com Aziel,os dois que prezaram trocar idéias,quanto a mim,tive o
pressentimento de que Vitória Regia desejava muito conversar comigo.

Isabel quis saber de mais algumas coisas antes de irmos para o quarto-Vitória,quanto a teu pai,o que ele tem haver com tudo?-Ela refletiu,tinha as mãos unidas a fren-
te do corpo-Bem,Isabel! Tudo que sei e que Xambré se envolverá com Alexien muito antes de certas revelações,dela conhecer ao Lestat,Lunnes,muitos dos imortais,eu
sei e vejo que tudo foi apenas conseguência.Xambré,o meu pai só não estava preparado para a volta dela,do chamado de ajuda dela depois de alguns anos,entende?-
O silêncio pairou pela sala depois de tudo.

-Ah,entendo! Obrigada pelas explicações,viu? Sinceramente me sinto feliz-A mãe de Aziel riu por alguns momentos,depois voltou os olhos á mim-E tu? Posso conversar
a sério? Somente eu e você,Lilith,posso? Me permitiria esse momento?-Pensei antes de responder-Ah,sim,se desejava tanto,por quê negar-lhe esse desejo? Vamos,pode-
mos estar a sós no quarto Vitória-Ela ofegou junto a doçura emanando a todo momento.Foi quando seguímos pela escada passando pela salinha,entrando no quarto,eu
fechei a porta quanto ela entrou,vislumbrou o quarto-Pronto querida,se precisar de algo,e só pedir-Ela manteve sua quietude,sua reflexão.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 3 Out - 17:30:40

Foi como se ela tivesse se envolvido em um casulo de pensamentos,reflexão,critica,conceitos.Tudo isso prestes a brotar de sua mente,palavras que ela falaria ao
decorrer de nossa conversa.Ela sozinha se direcionou a varanda,se sentia melhor,cheia de frescor devido a brisa.Sentando-se na mesa pairou seus olhous por toda
paisagem da noite.

Nada hávia falado até o momento,tudo que fez foi esperar eu sentar-me a sua frente.Foi como se aquela mulher tão cheia de sentimentos,estivesse marcada por
algo que ate então quardava para si mesma,voltando seu olhar para mim,deparou o que tanto desejava falar-Tudo que possa imaginar e desespero quando soube
por boca do irmão de Aziel que ele hávia fujido de sua casa-Disse ela.

Voltando a quietude voltou a falar depois de respirar fundo-Só não esperavamos que fosse por algo tão,como posso dizer!? Inesperado,Lilith.Entende o que estou
querendo dizer? Até aquele momento Aziel só tinha olhos para Hyarian,sei que e loucura pensando no prejorativo de que são irmãos.Mas entenda! Era o que espe-
ravamos,eu soube só em olhar para Lestat,quanto ele tomou a decisão de que o melhor a ser feito,era algo acontecer,algo! Qualquer coisa,Lilith,só o que importava
era Aziel ser poupado-Compreendi o sentido de suas palavras.

-Ah,muitas coisas me ficaram claras. Não que eu fique triste em saber que Aziel desistiu de receber o sangue ao fujir,ao ir me encontrar,mas fico fiquei chateada e
mais triste ainda,quando ele quis ficar longe de tudo-Vitória Regia riu de modo descabido,triste,mas sorriu-Ah,que bom que entende.Tudo que sei e que Aziel caso
pudesse matar Lestat,o mataria,não sabe como foi vê-lo aos cinco anos de idade,se não me falha a mente,mandar o pai sumir,no conceito de que ele não queria a
sua presença-Ofeguei pensativa.

-Qual motivo?-Ela estendeu os braços e mãos a frente sobre a mesa-Louis,o Louis foi o motivo,principalmente ao sabe que sei pai não e um ser que possa petencer
a uma única pessoa-Espanto,mas acatei as palavras-Lestat pode ser insensato,mas ele sabe lhe dar com que o ama,no passado cometeu dois erros terríveis,mas ao
se deparar com uma nova change de recomeçar,soube como reaver seu controle,sua nova vida-Eu rir de suas palavras.

-Ele suspeita aonde Aziel se encontra?-Ela me respondeu do jeito mais enfático possível-Sinceramente não posso mentir.Ele sabe,ele houviu,ele descobriu da forma
e jeito mais insensato,mas sabe,só que...-Ela parou pensando por alguns momentos- O que Vitória?- Não esperava que ela começasse a chorar naquele momento.A
dor foi tanta que ele teve que se levantar.

Deixou-se andar delicadamente pela varanda-Lestat não quer brigar com Aziel está entendendo? Simplesmente isso,por quê ele sabe que o maldito filho humano
que tem,seria capaz de matá-lo,falo de brigar de verdade,mas Lestat sabe que no fim de tudo,mesmo contra a vontade,traria Aziel para si,seu mundo,lhe daria o san-
gue forçadamente-Parou para continuar,tomou folego-Resumidamente! Lestat não quer cometer esse erro,foi assim com David Talbot,com alguns próximos,ele a
contra-gosto não quer-Pensava,crueis suas palavras.

-Nunca pensei que o pai de Aziel fosse tão ingênuo,Vitória-Ela parou me fitando-Aziel nasceu e cresceu com a crueldade,mas doçura e ingenuidade de Lestat,vê
o Aziel,e como vê Lestat humano-Compreendi,quando levantei-me,ela passeou seus olhos delicadamente por mim-Ah,céus,admito que saberá como amamentar
minha neta,quer dizer! A neta de Lunnes,até mesmo de Alexien-Foi quanto tive curiosidade.

-O que o ingênuo,que diz Lestat ser pensa disso tudo?-Ela falou ao saírmos da varanda-Prefiro manter isso entre eu e você: Nem Lestat e Lunnes desejavam uma
mistura,não agora. Falo do fato de seres de uma outra família,entende? E isso que ele pensa,mas apesar de tudo,esperam um dia,quem sabe! Aziel ter a coragem
de ir lá,encarar um a um,e assim,um recomeço e reconciliação ser possível-Sentamos a beira da cama.

-Lestat chorou muito ao saber,chorou de loucura,imensa tortura física e pisicológica,não esperava a atitude de Aziel-A razão vence a força no fim de tudo,era o que
tinha acontecido com o pai de Aziel-Tenha calma,no fim de tudo,sei que Lestat saberá como reagir-Entendo,olhei para o teto,foi quando houvimos passos,sons de
pessoas conversando-Obrigada,muitas coisas havian sido explicadas,mas agora,muita coisa me fica mais clara ainda-Ela pensava no que eu hávia dito,foi como se
a seriedade a tomasse.

-Vamos descer,acho que eles estão irritados com nossa ausência-Soube que,sim,foi o que fizemos e ao se deparar com Aziel sentado na poltrona acendendo um ci-
garro,Vitória Regia se espantou-O que acontece? Quando morava comigo nunca o vi fumar Aziel!-Nem Louis esperava por isso,ele que presenciava a cena quieto a
estar sentado no sofá junto de Isabel-Mas por que reclama?-Aziel disse queimando a mãe.

-Hum...Nunca entrei no seu quarto meu querido,e cheguei a sentir cheiro de cigarros-Aziel lhe respondeu de modo tão cruel! Foi como se ele enfiasse facas,estacas
no coração de sua mãe-Nunca soube meus segredos,nunca ousaria fumar em casa,minha ex-casa,mas ausênte,na faculdade,sim,isso eu fazia quando freguentava
o instituto universitário-Espanto para ela.O que a fez se silenciar.

-Por quais motivos Aziel?-Quis ela saber-Ah! Ainda pergunta!? Não seja insensata mãe,principalmente quanto se irritava até mesmo quando me forçou meu desma-
me,e isso tudo por causa de Lestat,ele que pediu-Isabel espantada com a loucura e insensatez de Aziel-Quieto,não tens nada o que falar,seu filhote mimado,muito
menos quando sua mãe ainda tão jovem,uma menina! Sofreu para fazê-lo,tornar real o que ela queria-Isso irritou Aziel-Oh! Como se Louis fosse um santo,não e? E
tão pretencioso!-Disse Aziel rindo,tragando o cigarro nesse instante.

-Ah,sim,pretencioso,sim,mas não desonesto-Vitória de Louis,o que fez Aziel se calar-Maldito-Bramiu voltando a seu silencio,ele fechou os olhos pesando por alguns
momentos,foi quando deixou-se continuar-Quero notícias,ainda não as me deu o bastante-Pediu a Vitória,ela ofegou,quis se sentar sobre o tapete,pensava-Ainda
tens a pretenção de saber?-Aziel tirou o cigarro da boca o segurando delicadamente.

-Sim,desembucha,quero saber-Foi como troca de favor,ela voltou seu olhar ao Louis pedindo-lhe em olhar que ele o fizesse por ela-Mas antes me responda! Algum
ataque daqueles malditos? Dos Seres Bestiais? Aziel se for isso,eu juro que não pensarei duas vezes,está entendendo? Arranco-lhe daqui contra tua vontade,temos
ordens superiores para isso,nem que tenhamos que protejer sua filha também,incluo até Lilith-Isabel me olhou com medo,espantada.

-Não fariam isso,não sejam indiotas-Bramiu Aziel raivoso entre-dentes,fitando Louis com fúria-Ah,experimente para saber,o faria,nem Thalwa pensaria,não queira
irritá-la,nem mesmo aos anciões-Aziel engoliu em seco,mas levantou-se apontando o dedo para Louis-Cala sua boca,Louis! Com que autoridade me ameaça? Com
o preceito de que sou um reles humano!?-Louis levantou encarando Aziel.

-Não! Com o preceito de que temos mais um motivo para agir! Com o preceito de que Lestat e Lunnes jamais permitiriam que um novo membro da família que es-
tá prestes a nascer,seja ameaçado! O que mais quer houvir!? Então vamos lá! Vou continuar: Com o preceito de que tu fois-tes contra todas a regras impostas por
todos nós,isso para amenizar a guerra,sua dor! Então fique sabendo! Nem que fuja novamente,iremos atrás,até o fim do mundo,Aziel! Mas caso precise,tivermos o
sério motivo de intervir,vamos fazer.

-Cala sua boca! E minha família,não vossa família,como andam pensando-Louis revidou de modo a enfatizar,fazer Aziel se calar-É a continuidade maldito moleque!
Fois-tes mimado,e como pensei,como pensei que aquele reles menino seria diferente-Aziel se sentou na poltrona nervoso,terminou de tragar o cigarro,levando-se a
contra gosto novamente deixou o resto no cinzeiro sobre a mesa de centro.

-Sai! Some daqui! Me deixa em paz-Louis compreendeu a mensagem,ferirá a moral de Aziel drásticamente.Isabel levantou-se fitando-me-Venha conosco querida,a
minhã pessoa vê que Aziel precisa ficar sozinho-Compreendi,Vitória juntou-se a Louis indo em direção a escada-Vamos ao sotão querido,se quiser,pode vir depois-
O Aziel forá ferido de forma tão horrenda pelas pelas palavras de Louis que só fez sinal para eu me aquietar,acendeu outro cigarro.

Depois de tudo fomos para o sotão,pelo visto Louis faria bom proveito ao se recolher durante o dia-Céus,que maravilha.Então e aqui que o maldito faz apológia a
tudo que se pode chamar de forças escpectrais-Ele andava,olhava quardando cada detalhe-Não exatamente-Disse Isabel rindo-Digamos que e o modo como até
mesmo Lilith gosta de descansar-Notável,pensei.

Doce como malva de discordia-Louis se sentirá bem aqui meu querido?-Ele sorriu ao houvir a voz de Vitória-Mas e claro,claro que,sim,até mesmo os anciões sabe-
riam como tirar bom proveito desse lugar-Eu e Isabel observavamos os dois silenciadas com o jesto que ele fazia,o modo como ele lhe afagou os cabelos e com o
preceito de falar,a abraçou-Fico feliz-Respondeu ela.

-Amanhã logo no início da noite,eu estarei aqui-Louis a beijou,foi isso,espanto de minhã parte,mas ele a beijava como se isso fosse importante-Toma cuidado,eu
sei que tudo será passajeiro-Bramiu,Aziel apareceu na entrada encarando a cena como se não lhe fosse importante,mas comprendia até mesmo os sentimentos a
existir no coração de Vitória para com Louis e Lestat.

-Insano-Disse Aziel cruzando os braços e se encostando no vão da entrada do sotão.Louis pretendia descansar mesmo sendo noite,uma viajem como ela tinha o
destruído por completo.Vitória se afastou-Calado-Pediu ao Aziel,ela parrou por ele,ele moveu os olhos em direção a ela,os dois saíram aos berros-Maldito! Não o
criei para revidar a quem eu sou!-Aziel respondeu-Tenha modos! Imagina se o papai estivesse aqui!?-Grito final de Vitória-Não o ama,então por quê se importa!?-
Louis silenciado,ele sentou-se ao chão-Ah,como são gritantes-Eu ri,Isabel seguiu para a saída-Descanse Louis,no início da próxima noite o esperaremos-E com isso
saímos,a discussão de Aziel e sua mãe houvida no jardim.Que pretenção!


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 4 Out - 12:00:48

Claro que depois de tudo,o que podíamos esperar era um modo de respaldo para com todo um pressentimento holocausto.Claramente que a gente depois disso tivemos
a coragem de nos prepararmos para descansar.Gradualmente minha pessoa pressentiu que o dia seguínte seria espécial.Quando eu e Aziel deitamos na cama em meio a
escuridão do quarto rompida pelo luar,me silenciei.

Aziel dormia silencioso ao meu lado,foi como se tudo que aconteceu se tornasse todo um modo de entender ás coisas.Resumidamente minha pessoa se sentia melhor,as
palavras de Vitória Regia,de Louis,tudo isso me envolveu de tal forma que passei a entender com auta-clareza tudo que acontecia envolvemente a vida de Aziel.Claro,a
minha pessoa já pensava no dia seguinte,eu me virei de lado me acolhendo nos braços de Aziel.

Ele mesmo solento deslizou o braço por baixo de mim me puxando para si-Eu te amo-Houvi ele dizer sonolento,compreendi,fechei os olhos deixando-me com que pudesse
entrar em estado de descanso.O silêncio absoluto reinou por definitivo na casa.Mas no dia seguínte! O que podia esperar!? Ah,estava sozinha,dormia,a manhã nublada rei-
nava absoluta.O cheiro de rosas me foi sentido pairando por todo lugar.

De certo modo Redenção foi meu despertar."Acorde Lilith,está na hora minha querida".Sabia que,sim,o vi de pé de frente ao quarda-roupa,foi como se minha pessoa se
tornasse um vestígio de pensamento,um quebra-cabeça decernindo melhor.Levantei-me,eu tive vontade de arrumar a cama,o cheiro de comida veio-Pelo visto Aziel,sua
mãe,até mesmo Isabel devem estar preparando o café da manhã-Era óbvio,mas inesperado.

-Nossa,o primeiro café da manhã em família?-Brami indo em direção ao banheiro.Me preparei para tomar banho,foi rápido.Quando terminado me enrolei na toalha,sai o-
bservando cada detalhe.Escolhi um vestido de linho largo,tecido macio ao toque,de cor lilás com fitas brancas.Me vesti rapidamente,escovei meus cabelos delicadamente.
Sai em direção a cozinha.Não demorou para entrar vislubrando Aziel,sua mãe e Isabel,todos me olharam.

Foi como se Aziel tivesse presentido-Nossa,se sente cansada,não tomas-tes banho a toa logo ao acordar-Eu ri em resposta-Cansaço? Desgaste querido-Sentei-me ao seu
lado,foi como se isso significa-se perda para Vitória Regia,percebi pelo seu olhar.Tia Isabel ainda vestia sua camisola negra,o roupão da mesma cor,o conjunto de seda lhe
dava conforto.O conjunto violeta de Vitória Regia se destacava devido ao tom de sua pele.

-Sinceramente como pretende se organizar depois de tudo Aziel?-Ele pensava,hávia desferido uma das fatias de maças na boca-Fala do que tenho que fazer? Não se preo-
cupe,tudo que deve esperar e continuidade-Foi como facada no coração de Vitória Regia,ela que passeou os olhos com profundidade por ele-Vai sair? Mas pensei que iria fi-
car o dia conosco-Ele riu,pena que ela não sabia.

-Mamãe,não disse que hávia parado com os estudos facultativos,entende? Eu continuei assim que me estabilizei,por favor! Não vamos brigar,admito que tenho estado em
contato com o Instituto Facultativo,querida mãe eu não larguei os estudos-Sua mãe pensava friamente,foi quando Isabel rompeu sua quietude para falar-Não fique chatea-
da,e direito de Aziel,ele não têm tempo nem para si mesmo-Mais rancor tomou conta de Vitória Regia.

-E como ficará sua filha? Minha neta!? Aziel e injusto,não se abestenha de seus compromissos com sua futura filha.Não consigo imaginar que fária algo tão desumano que-
rido-Ele riu,tinha acabado de devorar o pouco que restava de seu prato-Não se preocupe,mas preciso subir,só voltarei a noite-Revoltante para Vitória Regia,ela o seguiu,pe-
lo visto o ajudária a se arrumar até sair.

Eu terminei de comer com Isabel,nós duas pensativas,rindo uma vez ou outra.Quando passou-se alguns minutos,ouvimos Aziiel é sua mãe descer.Eu fui com Isabel vê-lo
sair,tudo tinha sito tão rápido! Ele hávia escolhido uma simples camiseta de algodão de cor amarela em tom escuro,o sobretudo para se protejer do frio,a cor negra sempre
a lhe cair bem,nunca era dificil vê-lo com calça jeans e claro,principalmente sendo negra,o ténis como toque final em seu tom cinza escuro.

Ele saiu com sua mãe,pelo visto ela,sim,teria coragem de afrontá-lo até ele poder sair.Eu e Isabel vimos tudo da varanda.Ele que discutia verbalmente com ela no portão
E por fim a vitória final de Aziel-Eu voltarei! Me espere! Se Louis estiver aqui,ele vai me vê,céus,não se preocupe-Sua mãe o viu sair pelo portão,ele carragando dentro de
sua bolsa de costas em tom negro o laptop.Ela cruzou os braços,ficou vislubrando a cena-Volte cedo! Tenho algo a lhe dar depois!-O vimos se virar do lado de fora.

-Tudo bem,só me espere-Bramiu,ela se virou caminhando em nossa direção,tão triste-Pensei que passaria o dia com ele,mas sempre rebelde.Quando Aziel entenderá?-A
Isabel lhe respondeu ao entrarmos-Tenha calma querida Vitória Regia,Aziel já deixou de ser aquele adolescente á muito tempo-Vitória Regia sentou-se no sofá da casa,o
olhar pairou sobre Isabel-Ah,isso e sufocante,como queria fazê-lo bebê novamente-Bramiu.

Foi quando algo aconteceu-Lilith! Suba para o quarto,você também Isabel,precisarei ir ao quarto rapidamente,me esperem lá em cima-O motivo ainda não havíamos enten-
dido,mas acatamos ao desejo de Vitória.Esperamos enquanto ela pegava o algo no quarto aos fundos da casa.Quando ela entrou pela porta do quarto meu e de Aziel,perce-
bi que ela carregava algo em particular.

-O que é isso?-Perguntei quando ela sentou-se na mesa da varanda do quarto conosco.O céu nublado como paisagem-É algo particular Lilith,veja-Disse deixando a caixa
de madeira tinjida de azul sobre a mesa.Ao abrir me deparei com um album de fotos de capa dura de couro negro macio,uma caixa aveludada,outra caixa negra,e mais
outra-Céus,parecem coisas muito importantes-Isabel falou averiguando comigo.

-E são!-Vitória Regia respondeu,eu me sentei junto com ela e Isabel.A primeira coisa que quis vê ao longo do tempo foi o álbum.Nunca pensei em vê Aziel tão pequeno.
Um menino magro,cheio de energia pelo visto,os cabelos lisos ruivos brilhosos,luxuoso.Espanto,viu? Isso por quê me depacei com um moleque tão rebelde! Sussrros meus
e de Isabel ao decorrer da averiguação-Nossa,que loucura-Disse ao continuar.

Vitória explicada ao decorrer do tempo,lembro dela se preocupar com Louis que dormia,ele que se trancafiará no sotão desde a noite anterior.Nada com se preocupar,eu
me sentia tranquila ao decorrer de tudo.Só que,quando quis abrir e vê o que ás outras caixas tinham,a mãe de Aziel foi imediata-Não! Isso e para ele,por favor,deverei
preparar o momento para que possa entregar esses objetos-Mas será que Aziel aceitaria?

Veria por mim,mesma.Passamos o resto da manhã e a tarde juntas.Aziel até então não hávia aparecido,enquanto isso preparamos o jantar,de forma rápida fizemos um
ensopado de frango maravilhoso,as lentilhas e légumes frescos nas tijelas ao estarem cozidos.Ao estarmos livres fomos para a sala,isso ao saber que a chuva hávia come-
lado a cair-Nossa,era de se esperar,céu nublado e como anúncio-Bramiu Isabel começando a acender a lareira.

-Aziel vai demorar,eu sei-Brami sentando na poltrona,encarei as três caixas sobre a mesa de centro.Estava muito curiosa para saber do que se tratava.Pensei-Tome cuida-
do,querer saber demais e prejudicial-O que se passava na mente de Vitória? Bem,o tempo passou,eu,Isabel e Vitória matamos o tempos tentando conversar a respeito de
Samantha.O espanto de Vitória foi imediato ao poder captar muito do conceito a respeito do que chamamos de reencarnação.

"Holocausto".Disse ela ao saber.A campainha tocou,tocou para que pudessemos voltarmos nossa atenção a porta-Quem vai atender?-Quis saber,as duas me olharam.O
vestido verde de vitória perfeito,mas a túnica em tom greme de Isabel me enchia de apreciação.Eu fui em direção a porta-Sou eu,abra a porta Lilith,está chuvendo-Era
Aziel,finalmente tinha chegado.

A escuridão da noite se formava ao abrir a porta,averiguei a situação.O vi de pé,uma das mãos encostou-se na porta,tinha a bolsa no chão-Oi,estava desprevenido,não
esperava pela chuva-Loucura pensei,ele não falou mais nada,em sua quietude pude beijá-lo rapidamente,ele preferiu esperar mais um pouco do lado de fora na varanda
até estar completamente seco-Nossa,vai ficar doente-Isabel pegou a bolsa dele.

Tirou o laptop rapidamente-Ah,que nada-Ele respondeu,passou-se mais alguns momentos,o que ele faria?-Só quando ele sentou-se na poltrona e que viu as caixas sobre a
mesa de centro-O que é isso?-Sua mãe se manteve sentada no sofá,eu e Isabel ao lado dela-Nem nós sabemos querido,mas ela dirá-Mistério ele pensou,mas quando sua
mãe tomou coragem para abrir as caixas,me espantei,senti caláfrios.

Os olhos de Aziel passearam silenciosos pelos objetos-Não entendo,desde quando tens isso?-Quis ele saber,em uma caixa hávia uma máscara e perfurador de jade,na ou-
tra pedras especificas como rubi,jade,esmeralda,onix-São seus,por favor,não seja insensato de negar-Ele levantou-se apontando o dedo para ela-Calma ai! Não seria louco
de aceitar isso,principalmente houvindo dos rumores de como Merrick usou essa mascara no passado,como Alexien,minha avó obteve essas pedras-Loucura,pensei olhando
junto de Isabel os objetos.

Mas e na outra caixa,o que hávia? Vitória Regia abriu mostrando um lindo colar com um pinjente de rubi em formato de gota,céus,parecia a pura gota de sangue! É o deta-
lhe do cordão de prata espiralado! Aziel se sentiu ameaçado sentimentalmente-Não faria isso comigo,não me fazer detentor de objetos tão trevorosos para mim-Sua mãe an-
dou a frente,mas pode abraçá-lo quando ele cedeu-Ah,não são nada perto do que podes fazer em prol de bom uso-Os olhos dele se marejaram,ele ia chorar,desabou quando
o abraço se tornou mais forte.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 4 Out - 13:06:11

Será que ás vezes as coisas se tornam tão significativas,como hávian se tornado? Sim,claramente que,sim,eu não podia deixar de apreciar esse momento-O cordão de
rubi fica para Samantha-Que loucura,novamente loucura.Delicadamente estiquei as mãos sobre o colar jazendo dentro da caixa,o vi ao ergue-lo no ar.O brilho das cha-
mas da lareira cintilando na linda pedra rubi em formato de gota de sangue-E uma gota perfeita-Céus,que presságio!

Quando Aziel pode se recompor sentou-se ao meu lado e de Samantha.Sua mãe pode encará-lo ao sentar-se na poltrona-Prefiro que tenhas boas armas para lhe dar ao
longo do tempo com a magia,espero que Samantha faça bom proveito ao crescer-Ele hávia compreendido,o primeiro objeto que pegou foi o perfurador de jade-Esses o-
bjetos! Se tornou uma tradição passá-los a frente,principalmente depois que Alexien tomou para si a mascara e o perfurador de jade para si-Vitória Regia riu devido aos
modos de Aziel.

-Lilith,acredite,essa mascara é perfurador são lendários! Merrick Mayfair ao longo do tempo não soube como obter bom proveito.Tudo que sei e que ela morreu-Foi quan-
do Vitória Regia acentuou falando em seguida-Morreu por ser bondosa demais,incopetência de si mesma e de Lestat-Compreendi,mesmo assim,não acreditava que estava
presenciando um momento importante como esse.

-Lilith prometa que esse colar ficará quardado até o momento certo,o momento em que Samantha estará preparada para usar-Compreendi-Sabia dos rumores de que coi-
sas especiais,armas mágicas podiam existir,mas isso? E demais-Ofeguei,me deixei refletir-Nossa,entendo.Quer dizer que nunca teve a change de saber como é,como e ter
os sentidos atenuados por objetos consagrados?-Movi o rosto em negativo.

Foi quando Aziel pegou a mascara levantando-se-Bem! Pode saber como é,desde agora-Senti pavor,isso sim,nem Isabel estava preparada para o momento,para o que a
minha pessoa sentiria-Cuidado querida,por favor-Quando ela olhou para a mãe de Aziel foi cética-Olha! Nem nossa família teve registros da existência ou detenção de coi-
sas ou legados como esses-Aziel riu baixinho.

-Ah,que coisa,passa a ter-Foi quando ele me fez andar a frente me fazendo ficar de frente para as chamas da lareira-Vamos Lilith,seja pretenciosa,não lhe negaria esse mo-
mento meu amor-Respirei fundo,cáfrios voltaram a me percorrer o corpo-Seja rápido,não quero desmaiar de medo aqui!-Ele riu docemente-Tudo bem-Em jestos delicados o
Aziel colocou a mascara.Mas antes de tudo ele manteve as mãos a frente dos meus olhos.

-Essa mascara permite vê espiritos,qualquer cemblante de seres espectrais-Do nada ele tirou as mãos da frente de meu rosto,me deparei encarando as chamas da lareira
de um modo espécial-O que e isso!?-Disse assustada,era como se eu não sentisse o chão,nada! Ele me fez virar encarando Isabel,Vitória Regia e a ele mesmo-É ai? Tens
algum protesto?-Quis saber,conseguia vê até mesmo sua aura-Nossa,eu,eu pensei que saberia descrever,mas é como trovões de energia,só que atenuam a forma esperi-
tual a mostrando-Vi quando Vitória riu.

-Eu entendo,eu a estava usando quando fiz o pai de Aziel mortal,quando o impus meus conceitos e vondades-Que trevoroso pode ter sido.Tirei a mascara delicadamente.
A colocando junto com o perfurador dentro da caixa,fechei.Voltando o olhar as pedras,brami-Acho que quando Samantha colocar as mãos nesses objetos,será como uma
lenda se tornando melhor atenuada-Risos.

Foi nesse instante inicial de noite que Louis apareceu abrindo a porta-Acordou,finalmente-Ele tinha os cabelos marejados,sentou-se no sofá-Nossa,pensei que ia esperar,eu
admito que fois-tes rápida-Vitória Regia riu de suas palavras,tudo que Louis fez foi jogar os cabelos para trás,pensou-Não que isso me diga o respeito,mas o que acharam?-
O Aziel o fitava silenciado,mas pode responder-Bom para ser verdade,ainda não acredito que pus as mãos nesses objetos-Louis o encarava-Eu sei querido,eu sei-O que a
mente de Louis obtinha,não sabia,porém!

Quando Aziel o fitou em melhor detalhe,se curvou a sua frente lhe tocando a face-Quer que o ajude querido?-Louis arqueou a sobrancelha delicadamente,foi como se ele es-
tivesse a mercé de algo-Ah,mesmo sendo futil sabe de minha fraqueza-Aziel riu ao se afastar-Ok,venha comigo,posso encontrar uma presa entanto-Isabel se espantou,algo
se atenuou em sua pessoa-Posso ir? Posso ajudar-Louis a olhou ao levantar-se-Seria assustador querida-Eu me mantive ao lado de Vitória.

Estava decidido: Aziel e Isabel saíram a procura de uma presa para Louis,junto de Vitória Regia eu e ele fomos para o sotão esperar.Foi nesse momento que entendi.Eu
vislumbrava Louis deitado para cima sobre o limpido piso do sotão,ele encarava o teto silencioso-Vitória,Aziel têm experiência para isso?-Ela fitava ao Louis,foi quando a
sua pessoa disse-Sim,Aziel saberá como lhe dar com isso,mas olhe! Não e sempre que Louis precisa disso,há alguns como ele,que têm força o bastante para se alimenta-
rem poucas vezes-Me silenciei.

Louis se moveu deitando-se de lado,manteve os olhos fechados-Querido tire as roupas de cima,se sentirá melhor-Disse Vitória ao se curvar da frente tocando-se o rosto.
-Me constrange,sabe que estou com soudades de Thalwa,Sépia,Lestat,até mesmo você-Ela riu,pelo visto o sentimento era forte,imensamente forte-Vamos,deixe-me aju-
dá-lo-Ele sentou-se deixando com que ela tira-se as roupas de cima,ficando apenas de calça-Pronto-A espera foi rancorosa! Terrível! Ao menos a chuva do lado de fora ti-
nha ficado fraca.

Louis ao decorrer do tempo andava de um lado para outro.Eu mesma fiquei nervosa enquanto esperava ao lado de Vitória.Em certos momentos Louis até chegava a dei-
xar sua linguá deslizar delicadamente entre os dentes maliciosamente,a cede queimava,a coloração da pele demosntrava isso.Não sabia como sabia dessas coisas apenas
obsevando,mas a naturalidade era a pura resposta.

Ah,eu não acreditei ao passar do tempo que pude houvir alguns gritos baixos vindo da entrada do sotão-Isabel! Seja intuitiva,intuitiva!-Aziel repetia,Louis se virou quando
viu Aziel e Isabel entrarem. Aziel deixou aquela pessoa desconhecida cair ao chão enquanto Isabel fechou a porta do sotão.Louis jazia parado encarando a pessoa amordaça-
da-Ah,está esperando o que? E um asaltante,consegue entender?-Louis arqueou a sobrancelha.

-Miserável és-Bramiu andando a frente para poder pegar o jovem homem-Ah,melhor do que isso não poderia ser-Riu ao falar,tirou a venda do rapaz,deixou-se encará-lo ao
decorrer de alguns segundos.Só quando Aziel e Isabel se juntaram a mim e Vitória Regia,e que Louis agiu deixando seus dentes entrarem na carne da garganta.Ofeguei de
medo,imenso medo-Isso e terrível-Isabel me olhou de lado.

-Coragem,ás vezes para sobrevivermos,presamos fazer coisas terríveis-Soube que,sim,vislumbrei Louis de pé agarrado ao rapaz moreno que se debatia em seus poderosos
braços (Delicados,mas fortes como barras de ferro).O rapaz continuou se debatento,socando envão ao Louis.Vieram os gritos,para depois,Louis em impulsão o calar por defi-
nitivo conforme bebia com maior vorazidade sem deixar cair uma gota de sangue.

-Louis vá com calma,calma!-Louis compreendeu o pedido de Vitória,estava em lugar seguro,poderia ir devagar.Foi o que ele fez ao sentar-se ao chão,ao se grudar ao rapaz
que agora jazia desmaiado.Ele bebia,só que agora com menos vorazidade.Ao decorrer da matança de cede ele levantou-se deixando o corpo cair ao chão sem vida-Pensei
a contra gosto que não traria o que necessitava-Aziel riu de modo descabido-Ah,não me conhece-Isabel tirou um lenço macio do bolso de Aziel entragando ao Louis,quando
o Aziel chutou delicadamente o corpo para saber se estava ou não com vida,afirmou-Dexaixo das oliveiras,a grama crescerá a sua volta-Louis concordou,limpava sua boca a
ter o lenço sobre os lábios macios.

-Desculpe tê-lo que fazer passar por essas coisas-Foi Louis e Aziel que agiram pegando o corpo e o levaram para perto da oliveira.Vitória Regia saiu em direção a casa para
pegar uma pá.Graças que estavamos nos fundos da casa-Como Samantha reagirá em futuramente escavar aqui e se deparar com isso?-Aziel riu-Ossos,ela adorará,sabe e
aceite! Ela será uma bruxa entanto-Quando a mãe de Aziel voltou Louis lhe arrancou a pá das mãos.

Ele mesmo começou a revolver a terra com a pá envolta da oliveira-Ah,lhe juro! Caçar agora só quando eu voltar,eu vou suportar-Risos sequidos de Aziel,Isabel e Vitória
silenciadas,até eu.Uma cova mau feita tomou forma,Louis jutou o corpo para dentro-Ah,que feito-Bramiu,a chuva serena continuava,pelo visto ele apreciava o frio,a forma
comoa chuva fina lhe tocava o corpo.

A terra começava a ser colocada de volta,quando terminado ele deixou a pá cair de lado,foi quando me deparei com sua pele corada,vivida-."Céus,então e nisso que Aziel
teria se transformado caso tivesse aceitado?".Pensei sozinha,Louis atenuou o olhar sobre a mãe de Aziel,os dois sairam em direção a casa,Isabel os seguiu,lá Louis se recom-
ria,se arrumaria rapidamente-Aziel isso e insano-Ele riu ao me olhar de lado.

-Insano? Apenas o começo do que quis te dizer-Compreendi,quando ele pegou a pá e andou a frente,segurei sua mãe livre logo atrás-Meu pai e pior,muitos dos antigos são
piores-Silenciada fiquei enquanto íamos em direção a casa.A chuva fina continuaria caíndo,com o tempo a grama pefumada voltaria a crescer e tomaria conta da terra revol-
vida por Louis.Nada com que me preocupar.

Quando na sala,Louis e Vitória tinha ido para o quarto,Louis se secaria lá,Isabel tinha ido para o salão.Eu me sentei no sofá.Quando Aziel voltou ao deixar a pá na varanda,
o fitei-Melhor?-Ele quis saber-Me recompondo-Ele sorriu ao setar-se ao meu lado-Vai passar-Disse-me,o beijei com ávida vontade-Eu te amo,espero que Samantha o confor-
te muito mais-Ele riu-E vai,acredite-Quietude.Momentos trevorosos existem,passei a acreditar neles ao passar por essa experiência.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qui 7 Out - 13:13:08

Entendem quando de certo modo as nossas pessoas estão diante de um novo despertar? É,novamente isso tinha acontecido comigo.Apesar de tudo os modos com que
devíamos pressentir não se tornaram tocáveis.Foi como respaldo de unisono despertar.Foi com dois dias seguintes que as circunstâncias se revolveram como lama e pe-
dras debaixo de mar.Mesmo assim,háveria de compreender.

Posso descrever isso como sutuoso.Era noite quando recebi a notícia de que Aziel,sua mãe e Isabel iriam sair.Eu os olhei quando entraram no salão,em pensar que esti-
verá ocupada lendo ao longo de toda tarde.Nostálgia se passou em meus pensamentos ao vê Aziel vestido com uma jaqueta negra,calças e botas na mesma cor,quando
me deparei com sua mãe trajada com saia de cetim violeta,sandália na mesma cor,até a camiseta no tom branco me surpreendeu.

Quanto a Isabel que vestia vermelho naquela noite,me mantive quieta-Sabe que precisamor ir,não deve nós esperar,pena que vossa pessoa não quis ir conosco,prefere
descansar ao longo do tempo até Samantha nascer-Compreendi as palavras de Aziel,foi como se futuramente ele se tornasse algo maior,mas tirei esses pensamentos de
minha mente,quis me manter quieta,pensativa.

Quando soube que Louis tinha saído para caçar pela noite,admito que me senti alíviada em não termos que sair a procura de mais um corpo.Sinceramente minha pessoa
se deixou aquietar,quando sozinha novamente após a despedida desejei me manter atenta a leitura.Estava lendo *A ODISÉIA*.Não que isso me deixasse triste,mas e-
ra um aspecto que eu até o momento não tinha parado para compreender.

E foi assim ao longo de alguns minutos.Céus,como meu coração se deixou tomar pelas imagens,cenários descritos com tal riqueza de detalhes que era como afago em
meu coração.A quietude da noite era tranquilizadora,o cheiro de grama vindo pela brisa do jardim,enquanto me mantive sentada na mesa da varanda foi essa a sensa-
ção que me envolveu.Ao transcorrer ao longo da leitura,soube e compreendi que hávia perdido tempo em antes não ter lido a respeido da ODISÉIA.

Entende o quão maravilhoso estava sendo? Gradualmente minha pessoa desejou se manter silenciada,atenta ao que a leitura me transmitia.Sinceramente minha pes-
soa estava feliz,silêncio,atenta ao que a leitura me fazia absorver.Nada podia dar de errado no momento,mas foi quando ao decorrer do tempo tão maravilhoso que a
roda girou,girou contra mim.Algo rompeu a quietude fazendo com que minha atenção se focasse em outra coisa.

"Não sente minha presença? És tão insensata,assim,Lilith?".Me levantei,quis averiguar a situação.Pelo fato do salão está com a iluminação suave devido as luminárias
eu me deparei curiosa-Ah,mostra sua face infeliz-Risos foram ouvidos por toda casa! Risos sequidos.O nervosismo bateu a porta de meu coração.Senti que a presença
veirá da sala,teria que descer.Lamentável saber que estava sozinha nesse momento oportuno para o maldito.

Quando desci a escada em direção a imensa sala,vi que as chamas da lareira estavam acesas,o maldito de cabelos negros andulados e olhos azuis sentado na poltrona.
Usava um longo sobretudo negro aveludado,as botas pesadas por cima da calça jeans,a camiseta branca por baixo me chamou atenção devido ao medalhão de esmeral-
da por cima (Medalhão de ouro).

-Ah,quanto tempo,finalmente tenho a change de vê-la pessoalmente-Ofeguei surpreendida pela confirmação.Foi como de certo modo minha pessoa fosse tomada de
nostálgia negra,isso em prol de meu nervosismo-Graciel-Brami andando pela sala quando pude encará-lo melhor.Minha túnica de tom marrom oscilando com meu an-
dar,estando de pés descalços me sentei no sofá o queimando detalhadamente.

-O que o faz vir aqui? Não tens noção do perigo Graciel?-Ele deixou-se rir,seus crueis olhos azuis passeando por mim,foi como caláfrios tomando meu coração,ele ainda
se preparava para falar.Me mantive quieta esperando que ele falasse algo,mas apesar de tudo minha pessoa se encheu de pressentimento,tive medo,apesar de tudo,o
meu único conforto foi saber que Redenção deixava sua presença transparecer.

Os estalos das chamas da lareira foram ouvidos,graduamente soube que até o Graciel sentia a presença de Redenção-Ah,imagino o quanto ele deve estar irritado,eu
devo imaginar como tu pensa no perigo que a ronda-Ah,será mesmo? Isso permeava minha mente ávida de modos de pensar,se de organizar,nem sempre isso fez ou
faz a reenvedicação de direitos,era o que Graciel achava naquele momento.

-Desembucha,o que quer?-Quis saber-Não pense que esse maldito Redenção possa fazer algo,ele não pode-Olhou rapidamente para o teto,o alto da sala,voltando o
olhar sobre mim,se deixou falar-Vim para lhe dar uma última saída,sabe que és importante para nóis-Ofeguei triste,pensando-Graciel,estariam disposto a provocar pe-
rigo,ou até mesmo um cemblante de guerra continua?-Ele ofegou pensando no que falará.

-Pode ser,pode não ser,dependerá do que decidirá quanto a teu futuro,o que está em jogo e nossa sobrevivência,o que está em jogo e nosso futuro,é sabe que isso e
em prol do que a aguarda-Ofeguei novamente-Ah,insano,poderia me dizer qualquer outra coisa está entendendo?-Isso o assustou,mas foi o bastante para que ele con-
seguisse se opor ao levantar-se.

-É assim?-Disse queimando-me por inteiro em olhar,o que me fez revisar-Sim! Procure outra pessoa,qualquer uma,se quisesse isso,eu digo-vos que teria aceito a muito
tempo-Ele ofegou,foi como se tivesse rebido um golpe terrível em seu coração.Sultuosamente cada detalhe lhe começou a ser tocável-Ah,Lilith! Quanto a essa criança,
o que devo pensar? Todos nóis!? Mesmo não sabendo,mesmo depois de saber,ainda se sente feliz!-Bati em seu rosto cheia de fúria.

-Cale-se! Nada tens direito a me cobrar! Nada! Qualquer pressentimento foi como meu desejo,não teu!-Ele tinha uma das mãos ao lado de seu rosto marcado pelo ta-
pa-É o sangue daqueles malditos,daqueles malditos que a tanto tempo ameaçaram a nós,compreende isso? Desde a época de Lunnes,Kalawina,e mesmo assim,sente-
se feliz-Deixei meu olhar cerrar-se em multuo apreciar.

-E minha felizidade,não sua,e se Lunnes,Kalawina,qualquer um dos familiares de Aziel o fez,e que devem ter tido um sério motivo-Silenciei-me para depois poder con-
tinuar-Só em vê qualquer um de vocês,para mim e perceptível os motivos,como são malditos-Brami concluindo,foi quando ele ergueu as mãos em minha direção,tive
a coragem de sair pela porta as pressas.

-Sai! Vai embora! Me deixa em paz,e se caso eu me arrependa,tenho a consciência limpa de que eu tentei ser feliz!-Gritava,ele veio por trás do chafáriz,queria avançar
contra mim,mas apesar de tudo minha pessoa não prefia o jeito com que ergueu as mãos sobre minha garganta-Vai se arrepender,garanto que vai,a culpa e tua pelo
simples motivo: Podia nós manter vivos,ser a próxima ceiva-Ofeguei,ergui as mãos batendo em seu anti-braço.

-Me solta-Disse rouca,a voz detida pela pessão-Ah,não,vai morrer,vai morrer,sei que a criança sobreviverá,quem sabe não a leve daqui-Que horror! Horror! Nunca na
vida senti tamanha negatividade de um ser-Ah,sim,quando morta tirarei essa criança de dentro de você,a deixarei multilada,Lilith-Eu me debatia,ele me ergueu no ar,o
olhava pendendo,meus pés se debatiam o chutanto-Vai embora!-Brami em em meio a dor.

-Não vou,não quando sei que posso levar a criança,ao menos ela tem algo de Drarytha,e isso que importa-Horrendo,horrendo! A relva da noite ficou fria do nada,pa-
ra mim foi devido aos meus sentidos que começaram a se apagar."Filha,não agora,não agora".Pensava enquanto apagava.Houvi voz,uma voz em espécial-Age co-
mo cão,és tão covarde,assim?-Pude abrir meus olhos fraquejando para não apagar.

Eu lutava para não apagar-Ah,e você?-Disse Graciel,foi quando algo o fez tombar para trás-Já o deixei em frangalhos ums vez,não deixaria de deixar novamente-Eu
jazia no chão,caída de lado,gemendo de dor,ofegando para a dor na garganta passar-Vamos,está esperando o que?-Disse aquele alguém,me apressei entre gemidos
para me sentar-Louis?-Falei rouca,sequida de dor-Sim,querida,acho que cheguei no momento certo-Eu ri secamente.

Louis foi esperto,eu só não sabia que ele seria tão sequido em desferir murros,chutes,tapas na face de Graciel-Sua sorte e que não tenho como queimá-lo,ainda! Ainda
Graciel!-Graciel o olhava estupefado-Como? Como!?-Berrou ele-Ah,sangue grosso demais! Concentrado demais! Mas isso por enquanto,por que quando souber fazer a
queima perfeita,eu o mato-Louis brigava,mas agia com total sensatez.

-Sai daqui! Some!-Pediu,Graciel forá tomado de rispido pavor,mas ao caminhar para o portão disse-Maldito,pensa que és sempre vitorioso,mas verá,verá!-Louis sumirá
na minha frente,não compreendi,mas sumirá do nada,era como se ele tivesse se transposto para outro lugar,o vi aparecer do nada na frente de Graciel-O que?-Louis dis-
se o encarando-E uma promessa-Louis arqueou sua sobrancelha,foi quando Graciel saiu pelo portão.A quietude pairou.Louis vltou a sumir,só que dessa vez aparecendo
ao meu lado-Desculpe assustá-la,querida são apenas movimentos rápidos-Compreendi,mas até o momento não estava preparada para isso.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qui 7 Out - 14:18:50

Com isso Louis me ajudou a ir para a sala,ele fechou a porta,perceptível o modo como ele estava quente devido a caçada antes de chegar.Ele deixou-me sentar
na poltrona,ainda sentia dor,mas me recompunha-Está melhor?Precisa de algo para beber?-Eu ri descabidamente-Ah,sim,um pouco de água não seria nada mau-
O seu andar foi devagante ao vê-lo caminhar até a cozinha,foi como se minha pessoa estivesse apreciando algo surreal.

Quando ele voltou o fitei absorvendo os detalhes do lenço de seda negro no pescoço,a camisa negra de seda com botões de camafeu,por baixo do longo casado
branco,ele entrou-me o copo de água-Obrigada-Ele continuou de pé,só que com os braços cruzados,vitafa-me delicadamente,a calça de corte clássico de carmim a
ser o toque final devido a cor negra,os sapatos brilhosos delicados e simples na mesma tonalidade.

-Pelo visto conhece Graciel-O olhei quando sentou ao meu lado-Há tempos Louis,e pelo visto tu também-Ele apreciava os modos com que minha pessoa bebia a
água gelada,que maravilha,afago para minha garganta-Sim,tive a change ao longo desses tempos de dá de cara com ele em determinados momentos-Parou,ele
deixou-me pensar delicadamente para continuar-Dá última vez que o encontrei foi quando eu andava pelas fronteiras de Athenas,Aziel tinha apenas três anos,is-
so só eu sei,ele estava vindo,ia tentar seguestrar o menino-Compreendi.

O olhe por alguns momentos-Então e verdade,todos os Seres Bestiais desde quando Aziel nasceu,tentaram tê-lo para si-Louis riu descabidamente,foi como se es-
se segredo só ele soubesse-Há coisas a respeito dessas tentativas que Aziel e Vitória Regia não sabem,que eu,Lestat,os outros preferem quardar para si,e como o
jogo,entende? O jogo de sobrevivência desde que essa guerra começou-Eu assenti bebendo mais alguns goles.

-E acha que a guerra vai ter fim?-Louis riu docemente,deixou-se pensar-Sim,continue sendo o que é,agindo como está agindo e lhe garanto que será um problema
que durará pouco tempo-De compreender,mesmo assim,qual era a garantia?-Lilith a garantia e a de que a luta valerá a pena,eles no momento se encontram sem
a lápide,tudo bem?-Sinceramente me senti triste,o motivo nem eu sabia.

Continuei conversando com Louis ao decorrer da noite,ele não saiu do meu lado,preferiu me ajudar a me recompor conforme bebia mais água,dessa vez na cozi-
nha.Ao longo do tempo houvimos o portão bater do lado de fora,era Aziel,sua mãe e Isabel-Pensava que eles dormiriam fora-Louis pensou delicadamente,isso ao
meu vê foi como malva de apreciação.

-Deixe comigo-Foi Louis que tomou a iniciativa quando apareceram na cozinha-Lilith! Ainda acordada,correto?-Isabel me chamava conforme andava pelo corredor.
Sinceramente foi o bastante para fazer meu coração bater forte-Eu se que,sim-A respondi.Apesar de tudo,será que eles perceberiam? Não queria isso,imaginava os
insanos se sentindo desconfortado em não estarem no momento.

Tudo aconteceu quando Aziel apareceu atrás de Isabel ao lado de sua mãe,foi inevitável ao passear seu olhar por mim e Louis,e não captar o que hávia aconte-
cido,nem eu estava preparada para a rapidez com que ele faria isso,com que seus dons mediunicos lhe dariam as respostas-Ah,céus! Será que eu sou sempre o
incopetente?-A mãe dele virou-se tentanto acalmá-lo-Aziel,fique na sua-Pediu.

Caminhando em minha direção quis saber o que acontecia-Foi mesmo atacada?Querida e impossível até mesmo para mim não sentir o cheiro de um reles Ser Besti-
al-Compreendi,apesar de tudo isso me fez repensar em alguns conceitos imediatos,sensatez,viu? Ofeguei olhando de lado para Louis,ele que atenuou seus modos,o
seu olhar pairando depois disso,sobre Aziel.

-Sim,mas Louis chegou a tempo-Foi quando Aziel se direcionou a sala,Isabel o seguiu nervosa pela atitude dele,eu fui atrás de todos,me deparei com Aziel gritan-
do as palavras rispidas aos meus ouvidos-Poderia ter ficado no salão,quem sabe ele iria embora pensando que não estava em casa!-O revidei,não me contive,eu
revidei não por intenção,mas e que me senti tomada de frustração-Do que teria adiantado? Ele teria subido de qualquer modo,e alias,nem sabia que era ele-Pavor.

Foi isso que tomou conta do olhar de Aziel,foi inevitável.Louis e Vitória Regia devidaram as reverbações dele do nada,do nada! Eu e Isabel subimos-Vamos,sabe
que a mãe dele saberá lhe dar com isso-Complicado,sempre odiei os modos como Aziel e calmo,porém,do nada presenciar a fúria dele e de chorar por dentro.Era
assim que eu me sentia,e voltava a me sentir nesse momento.

-E como se ele enlouquecesse-Brami sentando a beira da cama-Não Lilith,e como se elegritasse em fúria ao sentir-se frustrado por dentro e por fim,não contesse o
controle-Compreendi,me deparei pensativa,tomada de sensações tranquilizadoras,mas uma cisa e fato,viu? E fato de que sabia que me entresticeria com ele,que a
minha pessoa se enchia de medo,tristeza.

Aziel continuava na sala sendo acalmado por Louis e Vitória Regia,Isabel não deixou de continuar atenuando seus conceitos-Vejo que não estava preparada para
a convivência com ele,falo da jovialidade dele-Arqueei minha sobrancelha,nesse momento ela estava sentada ao meu lado-Tenhamos paciência,novamente vol-
to a afirmar que não vale a pena cultivar esses sentimentos-Será que seria mesmo como ela falava?

Não sabia,muito menos queria saber.Tudo que sei e que apartir daquele momento minha pessoa se envolverá em uma forma profunda de pressentir as coisas.Eu
dessa vez sairá triste,marcada em todos os sentidos,apesar de tudo minha pessoa tentava se livrar de tais sentimentos,tudo se tornou ténue,marcante,sem dúvida
que minha pessoa se envolvia mais e mais.

Passou-se essa noite quando todos se retiraram,passou-se o próximo dia,apesar de Aziel estar presente eu não conseguia falar com ele.não conseguia.Mesmo sa-
bendo que poderia romper suas atividades para falar comigo,não o vez.Simplesmente um dia drástico para mim,até noite.Notável como isso deixou a Isabel,até
mesmo Vitória Regia tomadas de quietude.

Louis ausênte.Tudo que sei e que algo se passou dentro de mim,sinceramente tomei uma decisão inoportuna.Na noite seguinte em meio ao silêncio quis ir embo-
ra,não sei! Mas procurar algum lugar seguro,quem sabe voltar.Aziel dormia,Isabel dormia no quarto aos fundos da casa com Vitória Regia. Era madrugada,sabia
que Louis quis sair.

Tudo que eu fiz foi pegar minha bolsa (Dentro tinha talões de cheques,algumas peças de roupas). Como eu tinha feito,isso? Nem eu compreendia,mas sei que ao
longo do meu andar sai,a túnica que eu usava era inceptida,não muito longa,mas até a altura dos joelhos."Está fazendo uma loucura".Houvi Redenção falar,isso
ao meu vê foi como facada-Calado-Brami.Quando nas Ruas começava a pensar,acho que iria para minha casa,ficar algum tempo sozinha lá,quem sabe passar os
dias com Lucy.Qualquer hotel de hospedagem valeria a pena ficar até o momento,ainda estava pensando,mas sei que essa tristeza me levará a esse caminho.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 9 Out - 13:25:42

Ah,eu estava preparada para o que aconteceria a seguir,sinceramente minha pessoa compreendeu sinuosamente o que deveria fazer.Ah,foi uma procura adorável.
Não que tivesse tido demorada,mas necessária,compreende?Devagando pela Cidade continuei.O fiz sem pretexto.Foram duas horas para que eu conseguisse en-
contrar o lugar correto.Sinuoso,eu sei,mas necessário depois de tudo.

Sai do táxi analizando toda faixada do hotel,imenso,a calçada cheia de pessoas-Valeu a pena,acho que lugar melhor não poderia encontrar-Brami pensativa,foi como
se minha pessoa se envolvesse em um novo conceito de sensações.Por que será que eu me sentia assim? Entrei segurando a bolsa bássica que eu arrumara as escon-
didas (As pressas).Quando na recepção averiguei em qual apartamento podia ficar.

Recebendo as chaves subi de elevador.Quando no corredor abri a porta entrando fechando a porta,pelo visto poderia tomar banho,isso me fez feliz,imensamente feliz.
Sinceramente minha pesso repensava no que acabará de fazer fujindo daquele modod escabido devido a tristeza é sensações destrutivas-Preciso de tempo,mesmo as-
sim,eu não sei no que acreditar-Me direcionava ao quarto.

Esse momento me foi de uma delizadeza inesperada,nunca pensei que pudesse me sentir livre por alguns momentos.Foi o que senti ao entrar no quarto,analizar todo
o contexto de detalhes.Eu deixei a bolsa sobre a cama,da imensa varanda eu podia averiguar toda Torre famosa da Cidade de Paris;foi se minha pessoa se enchesse
de doces vislumbres necessários.Tirei as roupas,vendo que hávia um telefone liguei para recepção mandando trazer Lagosta,salada,fritas,arroz,legumes ao vapor,era
o que eu precisava para jantar depois.

Fui até o banheiro depois disso,liguei a torneira deixando água morna encher a banheira,lavei meu rosto na pia de mármore acentinado do banheiro,nunca em minha e-
xistência minha pessoa pensou que me deparasse com um momento solitário como esses.Terminando vi que a água continuava a cair na banheira a enchendo,sentando-
me sobre sua borda derramei sair excenciais perfumando a água.

Só quando a banheira enchei e que ,e preparei para submerger,me deparei silenciosa pensando no que faria ao decorrer de meus dias,como aconteceria minha reflexão.
-Ele não sabe,mas estou triste,imensamente triste,pena que ele não tenha percebido-E claro que não tinha percebido,claro que não,foi como se minha pessia tivesse a
resposta em prol de todo um modo cretido de pensar.

Céus,depois de submerger por completo e voltar a me sentar delicadamente na banheira comecei a chorar como criança,não pensava que devido a aquele mero ato e-
goísta de Aziel eu me sentisse dessa forma-Ah,maldito,como tu és insano,destroi meu coração-Brami me recolhendo,curvando as pernas delicadamente contra mim,eu
me preocupava com o fato de que faltava poucos dias para Samantha nascer.

A essa altura da noite sem dúvida de que Aziel estava desesperado com meu sumiço.imagine a mãe dele,Isabel e Louis! Era de se compreender,mas mesmo com toda
tristeza,eu me manteria firme.Foi assim ao decorrer de todo banho-Devo me preparar,sei que Aziel mobilizara toda sua família a minha procura-Foi quando vi Redenção
de pé encostado na pia,ele me fitando cheio de tristeza.

-Lilith ele provocará uma guerra,mas se é isso que deseja,tudo bem,estarei com você-Me silenciei depois disso,só quando sai do banho enrolada em uma toalha e que
me deparei com uma linda bandeja com comida sobre a mesinha ao lado da cama,seria ali que comeria,foi o que fiz ao sentar-me mesmo enrolada,não importava se
eu estava comendo a essa altura da noite,mas mataria minha fome.

Tomei um pouco de vinho e logo depois de todo jantar deixei a bandeja na sala para um dos camareiros vir pegar.Enquanto isso me preparava para dormir no quarto.
De minha bolsa básica tirei uma linda camisola larga de pura seda rendada,a cor prata em tom escuro me deixou feliz,apaguei ás luzes deixando a iluminação vir pela a
linda varanda-Ah,céus,lamento Aziel,sei que me julgará por isso,mas juro que não será como deseja que seja-Ofeguei,já estava me deitando quando houvi o som dos
passos do camareiro vir da sala do pequeno andar de baixo.

Ele fecharia a porta,eu tinha minha copia (Coisas típicas de hotel) e com isso soube que poderia tomar folego para me aconchegar por debaixo das cobertas,foi como se
meu corpo se enchesse de todo descanso possível,auto-relaxamento,auta-conteplação.Fiquei devagando em meu apreciar pela paisagem da varanda,ás luzes cálidas,eu
ainda pressentindo o jeito como meu coração ainda estava ferido.

-É,um coração ferido e pior de curar do que qualquer ferida-Sem duvida que isso me deixava mais devagante a respeito do que faria a respeito do meu futuro,meus ins-
tintos clamavam por esse tipo de informação.Samantha se remexia dentro de mim,ri devido a sensação deliciosa,o modo como a senti se mexer degante atiçando seus
musculos-É pequenina,sem dúvida que já se prepara para vir ao mundo,espero poder vivenciar como sua pessoa viverá nesse mundo de holocausto é loucura-Novamen-
te mais sensações dos modos como Samantha se mexia.

Eu apaguei nesse momento,tinha meu rosto sobre os macios travesseiros,sabia que dormiria ao longo de toda noite,que acordaria tarde devido ao horário que dormirá.
O atiçar de instintos me foi maravilhoso! Cálido descanso para que eu conseguísse reaver todas as minhas energias até então escaçar.Foi assim até o momento que os
sonhos vieram,o momento que a recuperação me foi como malva de doçura.

Sem dúvida que comecei a esperar e clamar por algo melhor,viu?Nem sempre e como acalanto de nostálgia,e sim como acalanto de pressentimento.Rapidamente senti
o tempo se transpor.Em meio ao silêncio e sonhos (Eu hávia sonhado a noite toda com Aziel) senti calor sobre meu rosto,as palpebras de meus olhos se moveram como
se sentisse irritadas,a presença de Redenção pairava por todo lugar.

-Acorde querida,trouxeram seu café da manhã,já e início de tarde,tudo bem? O café está a sua espera a muito tempo-Compreendi,foi se meus musculos se sentissem ar-
rebentados devido ao cansaço,mas me sentando a beira da cama respondi ao meu belo anjo-demônio-Dê nada meu querido-Ele sorriu docemente,senti Samantha se me-
xendo docemente,do nada isso fez com que eu movesse uma de minhas mãos sobre minha barriga-Nossa,nunca esteve tão desperta-Brami,levantei-me seguinto pelas es-
cadas.

Me sentei no lindo sofá negro ao entrar na sala,fiquei devagando meus olhos pela linda bandeja com bananas e canela no refratário,frutas cortadadas por cima,a xícara de
chá fresco fumegante ao lado-Só agora e que a fome me vêm de forma definitiva querido-Ele compreendeu,fiquei grata por pelo menos ele me dá apoio moral.Foi como
se a vitória esperitual me tivesse sido garantida.

Comecei a comer,e apartir desse momento sabia que alguns dias passariam,foram cinto ou seis pelo visto,durante esse tempo eu ocupei minha mente com saídas pela
Cidade de Paris pelas tardes e noites.Minha pessoa aproveitou para ligar do orelhão para Lucy,admito que para ela eu hávia descrito toda situação,que ela me esperas-
se ao decorrer das próximas noites,provávelmente estaria de volta.

"És louca! Imagino como Aziel e Isabel devem está!".Respondeu-me, desliguei,voltei a andar pela Cidade,aproveitei ao passar desse tempo sozinha para caminhar nos
bosques,tinha o manto de lã branca atrás de mim,minha túnica delicada negra oscilanto devido ao vento enquanto andava pelos bosques.A noite sultuosa,sinistra,esse
foi um dos meus momentos ao vaguear sozinha.

Redenção não saia de perto de mim,não se atrevia a me deixar,pedi em muitos momentos que ele me deixasse."Não! Vai que de um momento para o outro entra em
trabalho de parto!".Assenti chateada,mas compreendi.O tempo aconteceu,e admito que não esperava que o maldito Aziel me encontrasse tão cedo depois desse tempo
sozinha,sumida sem dá notícias.Foi em logo após esses dias.

Era início de noite quando cheguei de mais uma caminhada pelos bosques perfumados ao redor da Cidade de Paris,passei pela recepção ao pegar as chaves,quando eu
cheguei no quarto e me sentei no lindo sofá negro,vislumbrei o buque de rosas negras-Rosas negras?-Disse ajeitando o lindo manto negro de lã atrás de mim,dessa vez
escolherá um vestido longo de linho de cor vinho.

No bilhete estava escrito."Eu sei,eu a persigo e não vés,eu te amo! Por que me faz sofrer!? Assinado: Aziel De Lioncourt"-Me espantei,fiquei chocava-É,tenho que con-
cordar,não conheço metade de seus dons mediunicos!-Sentia fúria por estar sendo espionada esperitualmente por ele,o telefone tocou,me espantei-Ah,céus!-Pavor,pen-
sei por alguns segundos até poder atender-Lilith!?-Era ele,só pela voz! Como!?
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 9 Out - 14:46:54

Foi como se extrondos fossem desferidos em minha mente-Aziel! por favor,digo desde já que vou voltar para casa,quem sabe passar os próximos dias com Lucy-Ele
ofegou do outro lado da linha,foi como se eu sem querer tivesse desferido golpes em seu coração-Lilith,para com isso,desculpe se andei sendo imprudente,espero que
possa me dá uma change de conversar e se no fim de tudo tu quiser ir embora,eu entenderei,só não pode ficar andando por ai,sozinha,principalmente quando nossa
filha está prestes a nascer-Compreendi,mas mesmo assim,sentia pesar em meu coração ainda ferido.

-Ah,imagina! Imagina! Nossa filha!? Agora e que deixa de ser egoísta e me vêm com esses argumentos? Aziel não sou hipócrita a ponto de fazer com que tudo isso
continue acontecendo-Houvi choro,ele ficou choroso-Olha,nem Louis,Isabel e mamãe estão aqui,eles sairám,principalmente sabendo que Louis precisa se alimentar-O
argumento era forte,ele continuou falando.

-Te mandei rosas negras por quê e como me sinto no momento-Compreendi,arqueei a sobrencelha delicadamente-Poderia aceitar? Ah,céus,me sinto destruída-Isso o
deixou pensativo,tomato de angustia-Por favor me pertima vê-la,nem que seja antes de viajar definitivamente para seu lar,se e isso que deseja-Ofeguei,foi como se
meu coração ardesse por dentro-Ah,maldito,me encontre amanhã,soís maidido pela sua pessoa me vigiar,assim-Risos sequidos dele,ele se recompunha.

-Ok,Lilith,amanhã eu estarei presente,espero ter conseguido o endereço certo,eu fiz em procurar na listagem dos hoteis-Ofeguei-Boa noite-A irritação me fez deslizar.
Me seitei sobre o sofá de lado,vislumbrei as flores negras-Imagino o quão ele deva ter andando para encontrar,são ás rosas mais raras com que se possa imaginar o-
bter-Ri descabimente,foi como se frustrações e dores pessasssem mais.

Noite seguinte: Era uma linda tarde quando voltei do mercado,eu por tanto desejo tinha ido comprar algumas frutas doces para mim,ao abrir a porta do apartamento
me deparei com Aziel de pé,a minha espera todo esse tempo,ele me fitou de imediato,vestia camiseta de algodão de cor turquesa em tom escuro,a calça justa jeans
azul-escuro encantador,as botas pesadas negras me chamaram atenção,foi como se algo me tomasse.

Me senti tão angustiada que o constrangimento me bateu as portas do coração-Demorou,pensei que ia embora antes de poder nós falar-O mandei ficar quieto,ele te-
ve a coragem de levar a bolsa até a cozinha deixando sobre a mesa e vindo pelo corredor me sentei no sofa,me deparei quieta-Lilith,por favor,vamos sair um pouco,
tudo bem? Por favor,novamente lhe peço para que possamos conversar,nem que seja por alguns momentos-Ofeguei,não sabia se estava preparada.

Me deparei me levantando em passos rispidos,deslizei meus delicados dedos tirando seus delicados óculos escuros-Se fosse diferente não teria vindo,eu entendo-Ele
forá tomado de calor,a frieza inquebrável foi feita em cacos quando ele me abraçou com força-Por favor,vamos passar em casa e deixar suas coisas lá,se quiser,va-
mos aos bosques da Cidade,gosta de bosques desde menina,eu sei-Ofeguei chorosa,o olhei ao afastar-me.

-Me mate se for possível-Ele bramiu algumas palavras cálidas ao pé de meu ouvido,depois pode me encher de beijos cálidos,tudo que sei e que tive coragem de aten-
der ao pedido dele,ele foi ao quarto pegar minha bolsa tão simples (Minhas roupas),com isso a cozinha pegar a bolsa com lindas frutas frescas.Descemos fechando o a-
partamento,Aziel fitou o recepcionista quietando a estádia.

Eu ajeitei meu manto de algodão macio de cor cinza,a túnica branca fresca,sandálidas delicadas.Não demorou ao andarmos pelas Ruas para pegarmos um táxi.Foi co-
mo se a mente de Aziel se desesperasse-Juro que foi difícil encontrá-la,Lilith,estou desesperado,imensamente desesperado-Me mantive quieta até chegarmos em casa.
Esperei ele do lado de fora do portão até ele poder voltar (Tinha ido levar a bolsa com minhas poucas roupas é a bolsa com frutas.

Ao fecharmos o portão saímos andando a pé.Queria saber por mim mesma o que se passava na mente dele.Lembro de caminharmos quietos,não trocamos uma pala-
vra ao longo do trajeto.Entramos pelo portão da trilha do bosque aonde tinhamos chegado.Aziel ainda não se atrevia a falar,mas era perceptível os modos com que a
sua pessoa agia,pensava enquanto endavámos pela trilha.

-Lilith,qual a sua pretenção? Não vou me atrever a forçá-la a nada,não e típico de minha natureza,se mesmo depois disso decidir ir embora,não atravessar mais aque-
le portão de nossa casa,aqui em Paris,espero poder manter contato-Não respondi,quis me manter quista,silenciosa,tinha meus braços cruzados a frente,o vento não me
incomodava,deve saber que eu estava bem aquecida devido as vestes,Sara.

Caminhamos por dez minutos,chegamos a um pequeno lago-Mesmo assim,teria coragem de manter contato? Não seja ingênuo,Aziel-Ele estava a beira da loucura,eu
sentia no ar.Ele deixou sua linguá deslizar delicadamente ao lado de sua boca,foi quando vi algumas gotinhas salientes de sangue-O que foi? Não anda mantendo seu
tratamento?-Ele gemeu de angustia.

-Não,sinceramente não,mamãe está presente,não quero que ela saiba,sabe disso,só tu sabes como aplicar aquelas injeções sem que ninguém perceba-Ri de modo des-
cabido,estendi as mãos sobre seu rosto-Aziel,pode aprender,percebo que não precisa mais de mim,afinal,nunca precisou não e? Sei que viverá muito melhor sozinho,eu
sei que viverá muito melhor sem ter compromissos querido-Pronto,o bastante para ele desabar em águas de choro.

-Lilith! Sabe que cedo ou tarde Samantha vai querer me vê,não poderá mentir! Estou disposto a aceitar essa continuidade de contato por ela,por mim,você! Mesmo tu
querendo ficar sozinha,eu tenho o direito de vê-la sempre que puder-Ofeguei dando passos para trás,foi como se algo me apertasse o coração-Eu entendo,se eu tiver
que ir algumas vezes em Athena ou aqui,eu irei-Ele não acreditava no que houvia!

Nem eu! Foi como desferir tapas em sua face,me descontrolei,sinceramente me discontrolei cheia de nostálgia alheia.Sai as pressas sem querer houvir o que ele respon-
deria,houvi passos atrás de mim,passos pesados,exasperados-Lilith! Volta aqui! Não precisa agir assim! Eu sei que errei,eu sei! Não que eu seja perfeito,mas posso conti-
nuar tentando ser perfeito-Não respondi,mas compreendia o nexo de suas palavras.

Segui sem responder nada,nada! Não esperava o acontecimento a seguir,isso quando ao terminarmos de andar pela trilha,ele me agarrasse pelo braço assim que atraves-
samos o portão-Lilith pense melhor,por favor-O olhava,ele apertava um dos meus braços-Me larga,vai me bater?-Brami o encarando,ele ofegou tristemente,só que sem
querer ele se descontrolou me soltando do nada.

Eu me desequilibrei caíndo ao chão,rolei até parar no meio da rua aonde passavam os carros! O vento rugiu,veio com toda força-Aziel?-Ele gritou alto,do nada! Vi quan-
do ele pulou a frente,eu tentava me levantar,voltar para calçada,envão,Aziel teve que voltar pulando para trás sobre a calçada ao meu lado evitando o caro que me fez
rolar-Lilith!-Foi o último berro que houvi dele antes deu ser atropelada.

Rolei sobre o capo,não que o carro tivesse passado por cima de mim por completo,mas freoou a tempos antes de me destruir,rolei para o chão,Aziel correrá apressado,a
sua pessoa tinha arranhões nos braços devido ao seu esquivar,foi como se parte de mim tivesse sido destruída-Não se preocupe! Ah,céus,vamos para casa,Lilith não verá
mais um Aziel descontrolado,poderá se recuperar em casa,descansar-O olhava,ele que me dava apoio ao me segurar sentado sobre o chão da rua-Jovem está bem?-Aziel
olhou a mulher que saiu apressada do carro.

-Ah,sim,estou,não foi grave,ela poderá se recuperar em casa-Ele voltou seu olhar á mim,quase tinha cometido um erro fatal,ele gemia de dor,o choro que brotava de
seus vividos olhos verdes-só não conseguia falar,me mantive imovel conforme ele me segurava,foi quando ele se levantou comigo nos braços,a mulher nós fitava,eu
tinha dor,imensa dor,mas sabia que sobreviveria.

Ele não parava de chorar enquanto andava comigo-Se quiser que eu não esteja mais com a Lucy,tudo bem! Não vou mais gritar em casa,não vou deixar meu descon-
trole natural falar auto-O olhava enquanto ele andava pela calçada,vi quando a moça seguiu com seu carro,me senti apta á falar-Aziel? O problema não e Lucy,muito
menos nossa filha,o filho quase humano que deseja ter com ela,mas seu comportamento-Ele só conseguia olhar para frente.

-Ah,obrigada,vamos para casa,preparei uma suculenta sopa para você ao estares descansando no quarto-Fechei meus olhos conforme ele andava comigo em seus bra-
los,docemente mantive meus braços pairando sobre seus ombros."Eu te amo,és um varão entanto meu amor".Compreendi esse desespero,o medo que se abaterá sobre
ele devido a essa quase ida para o outro reino.

Ao estarmos em casa nós deparamos com Isabel,Vitória Regia,até Louis aque até então estavam conversando ao chegarem,todos lindamente vestidos-Ah,céus! Tu a
encontrás-tes!-Louis disse andando ao lado de Aziel-Isabel e Vitória Regia se apressaram em irem a cozinha quando Aziel pediu para preparar algo para eu comer-Va-
mos,o quarto está pronto,sempre arrumado-Aziel só agora e que se controlava,no quarto ele me colocou na cama.

Ficou choramigando ao sentar-se na cadeira dada pelo Louis-Subirei quando trouxermos algo para tu comer-E com isso Louis saiu,lembro de quando a porta bateu,Aziel
se moveu sentando-se a beira da cama,me fitando conforme me mantive deitada de lado,a dor ainda estava passando-Loucura,quase a perdi,que loucura-Ele olhou pa-
ra o teto,eu não esperava que Redenção do nada se fragnimentasse em mim,que tivesse a audásia de usar de sua energia para me fazer plena novamente.

-Quieto Aziel,preciso dormir-Ele atendeu a meu chamado saíndo do quarto ao apagar ás luzes.Ah,que adorável ter Redenção ajindo desse modo pelo meu corpo,fragni-
mentando a restaurar-me as forças e ferimentos superficiais.Me curaria,eu sei,e finalmente ao longo dos dias,tardes e noite,chegará o momento inoportuno de Samantha.
Foi quando eu e Aziel dormíamos no quarto.

Início de madrugada.Eu senti calor,desconforto,a presença de Louis pairava poderosa pelo quarto-Ah !-Sentia dor,imensa dor,e como era doloroso! Levantei-me,ainda
não queria acordar Aziel."Samantha vai nascer,graças".Era o que estava houvindo de Redenção? Sai pela salinha,fui até o salão,precisava chegar até o sotão-Ah,eu
queria no hospital,não em casa!-Que dor!

-Louis! Louis!-Aonde ele estava!? Nem um sinal da presença dele,mas sabia que ele estava presente.O vi sentado a beira do chafáriz-Querido preciso de Isabel,delas-
O seu olhar foi torrido-O que?-Bramiu ao levantar-se-Samantha,ela vai nascer-Ele do nada me segurou nos braços,me deixou no sotão ao ir até os fundos do jardim.A
sua pessoa se descontrolava,mas se recompunha-Espera ai,vou acordá-las-Que infernos,pensei! Ofeguei bramindo-Ah,maldita! Nem quis luxo,hospital,tudo isso!-Era
como fisgadas vindo de mim.Eu me mantive sentada sobre o piso do sotão gemendo de dor,esperava que eles não demorassem,estava difícil! Deu-me vontade de
chamar pelo Aziel-Querido fica dormindo,não precisa está aqui-Pedia ao desespero-Aziel!-Que ele não acordasse,tudo que precisava era de Isabel,ela cuidaria de mim,
eu sabia.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 10 Out - 14:23:33

Foi como se minha pessoa entrasse em estado de nostálgia,enquanto Louis não vinha,eu me envolvia cada vez mais em dores,tudo isso que se possa imaginar.Toda resplan-
descência me contaminava enquanto esperava.Dor,dor e mais dor,foi quando ao decorrer de toda espera eu compreendi que deveria me preparar,por quê as dores haverian
de ficarem mais forte.Será que eu sobreviveria? Sim,e claro que,sim,passeando meus olhos chorosos enquanto me mantinha sentada sobre o piso do sotão,me deparei com o
Redenção.

-Querida finalmente me sinto feliz,tudo valeu a pena,eu sei-Sorri descabidamente,foi como se a mensagem tivesse tido dada ao decorrer do seu olhar,seu nervossísmo.Ainda
estava para nascer um ser como ele,ele sumiu temendo que me encomodasse ao decorrer do processo-Samantha,foi ingrata comigo,queria um hospital e me escolhe o pior mo-
mento para nascer-Risos vieram de mim,sem dúvida que minha pessoa haveria de compreender futuramente o que aconteceria.

Dor,Louis ainda não aparecerá com Isabel e Vitória Regia,infelizmente a angustia aumentava ao decorrer do tempo,foi como se trevas envolvessem meu coração,como se ás
limpidas águas ficassem turvas,manchadas de escuridão enquanto eles não apareciam.Ofeguei com imensa dor,imensa for devido as contrações que iam ficando mais forte,eu
pensava em todos os detalhes do meu passado,presente e futuro,no que isso modificaria minha vida.

Sem dúvida que minha pessoa assentiu se envolvendo em um profundo processo.Ah,o alívio foi imediato quando finalmente vozes foram ouvidas-Ah,céus,logo agora? Espero
que eu possa ajudar-Isabel! Eu ri docemente em meio a dor por causa do acontecimento-Finalmente,finalmente! Era como se essas palavras retumbassem em minha mente.Eu
desejava me manter preparada,eu sorri quando vi ela,Louis e Vitória Regia aparecerem-Desculpe,mas devido as circustâncias tive que em trocar-Compreendi as palavras dele.

Ele tinha escolhido uma longa túnica verde masculina de puro linho,os destalhes em prata encatadores,a mãe de Aziel ao lado dele(Louis) trajada com uma simples camisola.
de cor parda,minha Tia Isabel se apróximou de mim averiguando minha situação-Ah,querida,lamento,terá que ser aqui mesmo-Ofeguei com mais dor-Ah,que loucura-Disse a
olhando delicadamente,foi como se tudo isso se tornasse respaldo de provação.

-É e uma provação querida,a maior provação de uma mulher-Foi quando os risos da mãe de Aziel vieram,seus limpidos olhos verdes passendo por nós duas-Querida Isabel;a
necessidade de acordar Aziel e imediata,devo ir a busca de água fresca,panos limpos,medicamentos-Me silenciei,foi quando me senti alíviada pelo Louis intervir por mim! Meu
coração bateu forte-Não! Eu trago água fresca,os panos,tudo bem? Sobre os medicamentos e panos limpos,há no quarto nos fundos da casa,Aziel deve ser polpado de vir nes-
sa situação-Isabel concordou,assim como eu.

Ela me ajudou a deitar-me no piso,foi como se o alívio me tomasse por completo! Aos poucos ela tirou minhas vestes deixando-me despida-Obrigada-Brami quando ela pegou
a veste a dobrando e a colocando por baixo de minha cabeça-Lhe servirá como conforto querida,isso até amanhã-Compreendi,o momento tinha sido maravilhoso,isso por causa
do fresco que a noite me propíciava.Não demou depois disso para Louis e Vitória Regia aparecerem.

Ela segurava dois cobertores macios de cor branca,uma túnica clarinha dobrada sobre os cobertores,Louis me fitava quando sentou-se ao meu lado deixando a bacia de água
no chão,o mesmo ele fez com a caixa de medicamentos-Para que isso?-Quis saber desesperada-Por nada,precisará assim que dê a luz-Assenti enlouquecida! Isabel teve presa
para me segurar! Foi como se trovões tomassem conta de minha mente.

Só quando Louis pegou alguns castiçais do altar e velas e que pode colocar ao meu lado,isso atenuou a iluminação a deixando doce-Não vou ligar ás luzes,Samantha precisa-
rá de fraca iluminação para seus olhinhos-Ofeguei,mais dor,a mãe de Isabel já hávia fechado a porta do sotão na chave,ninguém entraria até tudo terminar,queria sentir-me
segura,e pelo visto eles me faziam sentir-me de tal modo.

Foi como nostálgia,alívio quando comecei a me envolver no processo.Louis quis ficar de pé ao lado da porta,ele tinha os braços cruzados,a mãe de Aziel se sentou atrás de mi-
nha pessoa dando-me apoio,Isabel pensava,agia-Lilith tenha coragem,se me houvir,tudo dará certo-Sabia que,sim,mas não estava sendo fácil,os gritos ecoavam pelo sotão,eu
nunca me deparei gritando tanto como nesse momento-Vamos Lilith-Bramia ela com toda calma.

Ela sentada ao meu lado,esperando,atenta,foi quando curvei as pernas delicadamente,a dor veio como navalhas-Ah! Não vai sair,não!-Gritei olhando para o teto,foi nesse ins-
tante que houvi risos vindo de Isabel-Vai,sim,quando menos esperar-Que calma,que clama! O apoio de Vitória Regia era meu único conforto nesse momento,continuei tentan-
do seguir as ordens de Isabel.

Justo quando ela postou-se na minha frente,vieram chamados."Alguém ai!?".Louis se irritou,tive que conter meu grito-Infernos,logo agora?-Aziel procurava a mim,claro que o
momento não era propício,ele abriu a porta devagar,muito devagar,eu tinha meu rosto pendendo de lado,suada,desgastada,uma das mãos da mãe de Aziel me acariciava o
rosto-Maldito! Não era para procurar,vai dormir Aziel-Ele quis entrar,mas tudo que Louis fez foi esbofetear seu rosto.

-O que há com Lilith?-Louis o segurou pelo braço,foi quando ele pode me vê plenamente,Isabel o olhou rapidamente-Querido Samantha está nascendo,espere na sala,em qual-
quer lugar-Desespero! Louis teve que sair empurrando-o pela escada-Calma ai! Não tenho o direito de vê minha filha nascer!?-O berro de Aziel,eu ofegando devido a situação.O
que Louis responderia? Foi como holocausto-Não!-Foi quando voltei a atenção a situação.

-Respire fundo,fundo-Pedia Isabel,ela agia com vontade,suas mãos pousadas delicadamente sobre meu joelho.E foi assim até Louis voltar,até sua pessoa fechando a porta te-
ve a audácia de dizer-Tive que dar um apagão nele-Vitória Regia quase levantou-se sem me dar apoio-O que?-Louis se manteve de pé,encostou-se na parede de braços cruza-
dos dando-se a esperar.

-Ah,céus,imagino como o ele deve está-Louis silenciado,esperançoso,atendo,se abaixou sentando-se calmamente no chão,e nesse momento a maior contração de todas até en-
tão veio,o meu grito maior reverbou pelo sotão-Isso! Respirei fundo querida,vamos,posso vê a cabecinha da pequenina Samantha-Desesperador,isso por quê sentir o calor do
jorro quente sanguínolento vir,escorrer entre minhas pernas-Passará,continue-Nunca vi tamanha calma,viu?

As velas acesas estalavam devido ao frio do sotão,mas a claridade era maior,aconchegante,meu corpo estava quente,foi quando Vitória Regia me deixou pousar por completo
ao chão se levantando delicadamente,ela preparou rapidamente os panos limpos,a água fresca presente-Não pare,está chegando querida,só mais um pouco-Que trevoroso! A
demora me foi inesperada.Meus gemidos de cor ecoando pelo sotão,Isabel me ajudando e a mãe de Aziel esperando.

Nunca sentirá dor maior,foram mais algumas minutos dolorosos até finalmente houvir o grito maior vindo de Louis,ele que se levantou do anda espantando ao vislumbrar algo.
Tudo que houvi foi um chorinho fino,delicado-Finalmente,finalmente! Temos um novo membro na família,finalmente!- Ele gritava como louco! Seus olhos marejados por algo.
Eu não vi Samantha de imediato,mas percebi quando Isabel a pegou a colocando em um dos mantos macios abertos pela mãe de Aziel.

-Pronto,finalmente terminou,deve ficar imóvel,a placenta da descolar-Foi o que fiz,me encontrava encarando o teto,chorosa,o imenso sinal visto por mim,enquanto a mãe de
Aziel e Louis cuidavam de Samantha que chorava aos borbotões,Isabel cuidava de mim,isso ao me limpar,ao encharcar o pano limpido,o expremendo e o deslizando pelo meu
corpo-Tenha calma,terminarei rapido-Sabia que,sim,continuei imóvel encarando o teto.

Senti quando a placenta se deslocou,quando ela me limpou por completo,uma calma que foi necessária nesse momento,uma calma que tinha que tomar para mim-Como ela
está?-Isabel não me respondeu,primeiro terminou de me limpar para depois me responder ao levantar-se-Chorosa,sei que ela precisa de algo querida,Louis e Vitória cuidam
dela-Sabia que,sim,o alívio corporal e mental imediato.

-Não vai demorar-Ah,que maravilha,o calor aos pouquinhos ia passando,meu corpo antes suado conforme Isabel cuidava de mim,secava.O choro delicado de Samantha ao
meu vê não cessaria tão cedo.Louis saiu para pegar manta para ele,bramiu essas palavras ao passar por mim,enquanto isso eu pude me sentar me apoiando com os braços
voltados para trás.

-Ah,graças que está intacta,admirável,foi forte querida-Eu não me contive ao vislumbrar a mãe de Aziel limpando Samantha,ela que berrava,até então só tinha visto seus
bracinhos arqueados para cima,o choro pavoroso-Entendo-As pontadas de dor passariam,mas até lá eu teria que me vestir-Tome cuidado-Isabel pediu ao me ajudar a levan-
tar-me,ela que se apressou em pegar a túnica clarinha de renda para mim trazida por Vitória.

-Recomendo que fique aqui,durma no sotão,Louis lhe fará compainha-Ah,que presente,tive que admitir-Loucura-Ela ajeitava a túnica,ajustava delicadamente a linda faixa.
A dor cessava lentamente,mas já valerá a pena.Louis chegou depois de alguns minutinhos,ele entrou pela porta trazendo a manta-Era a manta de Lucy-Leu meus pensa-
mentos querido-Foi como se isso o deixasse pensativo.

Vitória Regia hávia terminado,com isso deixando Louis enrolar Samantha mesmo sem roupinhas,ela berrava,parecia que tinha pavor,só quando ele se aproximou e que vi o
rostinho dela:Um rostinho delicado,os olhinhos fechados,os cabelos fininhos como fios de seda-Ah,céus,que loucura-Ele riu,Isabel e Vitória Regia se apressando em arrumar
as coisas: Isabel meu leito de dormir com os cobertores,a mãe de Aziel que saiu levanto algumas coisas.

-Vamos,tome cuidado-Pedia ele,eu peguei Samantha,foi como se ela sentisse lapsos de minha presença,isso devido a sua calma.O tempo passaria e vería por mim como
a vontade me fária proceder-Fique aqui,eu vou sair-Isabel disse ao terminar de arrumar meus desejados cobertores-E Samantha fazia prol de seu berreiro-Tudo bem-Res-
pondi ao vê-la sair batendo a porta,foi quando Louis fechou na chave,caminhou em minha direção-Sabe do que ela precisa,não lhe negue-Que audácia,pensei em risos,eu
pensativa,ainda absorvendo a situação.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 10 Out - 15:32:07

Não senti pavor,muito menos medo.Foi como se tudo fosse necessário.Louis me ajudou a me deitar sobre um dos cobertores,ainda não queria me enrolar,mas precisava
presupor que toda uma necessecidade devía ser suprida nesse momento.Samantha começava a se aquietar definitivamente,ela que sequer se atrevia a abrir seus olhi-
nhos tão cedo,foi devido a essa atitude de Louis que minha maior surpreza aconteceu.

-Querido o que será de ti?-Ele riu descabidamente-Aqui há bosques,posso passar o dia escondido por lá-Compreendi,foi como se ele tivesse arquietetando essa situação
desde antes-Obrigada querido,não séria propício eu ir para o quarto,eu não descansaria por causa de Aziel-Ele compreende-Ah,esqueça Aziel por tempo determinado,eu
lhe dou esse conselho-Assenti o olhando,ele ajeitava Samantha ao meu lado.

-Ela precisa se alimentar,se for diferente,a situação só tende a piorar-Ofeguei fechando os olhos por alguns minutos-Eu preciso ir Lilith,tenho que me apresar para ir aos
bosques-O vi quando abri os olhos-Obrigada-Foi quando percebi o quão ele poderia ser doce,maléavel e amável como uma mistura rica.Sulltuoso pensei,Ele sorriu quan-
do saiu,fechou a porta delicadamente.

E me deparei com a verdade:Finalmente depois de tempo tinha o momento só para mim e minha filha,Samantha se remexia aquecida pela manta macia feita por Lucy.
-Ela e agiu,tenho que admitir-Estiquei meus dedos a frente,ela virou seu rostinho conforme meu jesto-Nem sempre isso se torna doloroso,mas tão adorável devido a de-
licadeza.Suas perninhas se mexeram,foi nesse momento que tomei coragem.

A puxei delicadamente para junto de mim,me mantive deitada de lado,os lençõis macios e delicados me propíciavam conforto,Samantha se rebelou nesse momento,eu
pensava o por quê.Eu ri descabidamente,ela que movia seus bracinhos,as perninhas,era como se quisesse se desgrudar da manta,mas ela sentiria frio,e a mantive aque-
cida pelo manto.

Redescoberta conforme eu desabotoava a frente de minha túnica delicadamente-Continue se rebelando,é o minimo necessário para não mamar-Ah,era como imaginei.
A menina até então obestinada do nada se aquietou-Obrigada amor-Brami quando finalmente ela pode mamar;foi sublime quando a virei delado contra mim,ela foi agiu
em esticar um de seus bracinhos contra um de meus ceios para depois mamar.

-Ela sabe,ela compreende-Disse observando seu comportamento,ela não perdoava,simplesmente bebia,sugava leite com vorazidade-Olha isso,tão loira quanto eu,ou
quem sabe....-Rompi as palavras pensando em algo,fechei meus tentando imaginar o motivo.Foi como se a resposta me viesse do nada-O pai de Aziel,falo do Lestat-
Vi quando Redenção se aproximou sentando-se ao meu lado e de Samantha que mamava.

-Obrigada por me responder-Ele sorriu-Finalmente,espero que saiba lhe dar com a situação-Compreendei,isso me fez rir delicadamente,eu deslizei uma das mãos livres
por trás da cabecinha de Samantha,ela se aconchegou mais a mim,suas mãozinhas desesperadas para se manterem pousadas sobre meu ceio,a vorazidade com que a
pequenina fazia isso era admirável,o que me fez pensar.

-Não se preocupe,sei que Aziel estará bem até amanhã,Louis teve que lhe golpear atrás da cabeça,mas ele dorme no quarto,sei que Louis saberá se cuidar durante o
dia nos bosques,lá há pequeninas cavernas,sabe disso,será o esconderijo dele até a nova noite-Tive que rir diante das palavras de Redenção,foi como se isso fosse o
último esmero.

Nunca o cansaço me foi tão presente como nesse momento.Ofeguei sentindo caláfrios,foi nesse momento que Redenção teve a audácia de me cubrir com o outro cober-
tor,ofeguei sentindo alívio-Precisa dormir,Lilith,peço para que amamente Samantha o máximo que puder-Doloroso,mas admitia que o faria,mas o qu me foi estranho e
o momento antes de sumir,justamente quando ele pousou a mão sobre a cabeça de Samantha,ela se despertou sentindo algo.

O seu espanto foi imediato,não esperava que ela abrisse seus olhinhos tão cedo,a cor cinza me espantou,ela não parou de mamar:Olhava para Redenção silenciosa,sua
boquinha pequenina atenuada ao meu ceio,suas mãozinhas curvadas a frente-Ah,céus-Isso provocou pavor em Redenção-Ela me reconhece,o pior,sabe quem sou-Isso
me fez pensar,não pensava que ela fosse tão ingênua.

-Lembro da ingenuidade do pai,era como ele,iqualzinho como ele-Voltei meu olhar ao Redenção,essa rara atitude de Samantha o fez ficar transtornado,não o chamei ao
vê-lo sumir quando olhou para o teto."Que dor".Bramia,sua voz ecoando,o seu choro nitido que sumiu aos poucos-Céus,admito,és pretenciosa-Palavras citadas a ela,eu
que não deixei de vislumbrar seu rostinho quieto,silencioso,o mamar adocicado.

Ela se moveu se aconchegando mais a mim,foi quando seus olhinhos se fecharam conforme ela entrava em sono.Pelo visto eu precisava fazer o mesmo.Me deparei vis-
lubrando as velas acesas ao nosso lado-O que será de mim?-Me questionava repetidamente ao decorrer de todo o processo.Acetinado instante em que desjava mais um
despertar,só que com outra consciência.

Ouvia os gemidos delicados de Samantha enquanto mamava,lembro ao continuar devagando nessa doce visão de velas,o modo como ela parou de mamar,e virou seu
rosto delicadamente os escondendo entre meus seios-Maldosa-Brami pensativa,foi como se o merecido descanso depois do parto começasse a pairar sobre mim,acetinado
sopro de malva.

Fechando os olhos me deparei com imagens de campos cálidos,irrefutáveis.Não que o desespero começasse a pairar sobre mim,mas apenas a necessidade de dormir.
Ter um descanso merecido.Silêncio! Que coisa tão desejada ao longo de meses,e finalmente tinha minha filha junto a mim.Era como se a ficha ainda não caísse.Mas
foi ineviável que ao longo do meu sono,eu me envolvesse nesse processo de sonolência,delírio e ainda o mais:Escuridão.

O que aconteceu com Aziel,não soube ao longo de todo esse tempo,mas me acordei com sons aos ouvidos,o modo como uma densa presença pairava pelo quarto.A
minha humanidade nunca esteve tão presente.Vi quando pés se moveram pelo piso,movi meu rosto,os cobertores me acolheram muito bem ao longo da noite-Psiu,a
Lilith está cochilando,deve acordar jaja,não lhe tire Samantha-Foi a mãe dele que lhe avizará.

-Ok,tudo bem,se o fizer,sei que me mata-Disse em risos,quando a porta bateu vi o sol sumir detrás dele,ele percebeu que o olhava.Aziel me encarava de pé,as mãos
dentro do bolso da calçã de algodão,a cor oliva encatadora,a faixa negra atenuada a sua cintura,ele andou com calma,o riso maroto foi inevitável-Posso vê? Ainda me
dá esse direito,mesmo com as ameaças de ir embora nos últimos dias?-Silêncio.

-Para,não me lembre daqueles momentos-Ele assentiu sentando--se gentilmente ao meu lado,Samantha jazia escondida pelos cobertores junto a mim,isso fez Aziel
pensar por alguns segundos se ia ou não pertubar o soninho dela-Vejamos: Sou maldito,ingrato,doente por algo,não precisamos discutir-Eu tive vontade de rir,mas e-
vitei,foi como malva de presságios.

Eu me sentei delicadamente,ele mesmo tomou a inciativa de pegá-la-Ah,olha só,deu trabalho ao longo da noite toda-Fitava aos dois:A ele que a erguia no ar ainda
enrolada no manto,é a Samantha que o encarava como se dizendo."És tão chato".Foi como se ele absorvesse a situação,enquanto isso eu abotoava a frente de mi-
nha túnica que hávia sido deixada desabotoada até mesmo depois da mamada de Samantha e meu sono-Aziel o que pretende Fazer?-Isso referente ao que ele pen-
sará ao longo dos dias.

-Não vou para Athena,sabe que só em caso de visita,ainda não entende;e como se não enchergasse a situação.Eu á amo Lilih,não tenho motivos para me afastar-O
vislumbre me foi trevoroso.Ele levantou-se andando a minha frente,tinha Samantha apoiada sobre seu ombro direito,ele lhe acolhia delicadamente com as mãos cur-
vadas atrás dela.

Ela não chorava,pelo visto ele lhe trazia mais calma do que eu-Nem mesmo sabendo que filhos de mim não deve esperar mais?-Ele me viu ao levantar-me,foi como
apreciar-Claro Lilith,eu sabia desde o início que essa sería sua última change,que depois mesmo a gravidez vigando ou não,ficaris esteriu,e olhe só! Valeu a pena queri-
da,que mais precisamos?-Um algo a mais emanava dele.

Percebi só quando pude tocar-lhe o rosto-Trarei comida daqui a pouco,de quiser,vamos para o nosso quarto,mais tarde o médico virá,Samantha será vacinada,saiba
que ainda agora Isabel e mamãe providenciaram isso-Compreendei-Obrigada-Ele riu em resposta,mas virou o rosto vendo o modo como Samantha movia suas mãos
ainda tão pequeninas-Ah,faminta,mesmo depois de um denso sono-Riu depois.

Lembro de quando ele se aproximou de mim,me desferiu algumas beijos delicados-Venha,vamos comer,a mesa está cervida-Sabia que,sim,que a ajuda era inevitá-
vel: A visão do sol cálido foi arrebatadora,o jeito como vi Aziel andar conforme andava atrás dele,o rostinho de Samantha,seus olhinhos fechados,o pousar dela como
o todo sobre o ombro dele.Aquietação em meu coração,não me preocupava,só depois e que o sotão seria preparado para vinda de Louis-Ás vezes precisamos morrer
ainda vivos para renascermos,Lilith,ser mãe e isso,sabia?-Pavoroso,admitia que sim,e com isso entramos em casa ao caminharmos.Enlouquecedor.Minha vitalidade e
recuperação nunca foram sentidas como nesse momento.




avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 11 Out - 13:36:06

Ah,os modos como Isabel e Vitória Regia conversavam na cozinha me foi agradável,foi como elas tivessem lido meus pensamentos,eu consegui ter forças para sentar-me
na poltrona,ofeguei tomando ar,soube que elas estavam na linda cozinha devido aos sussurros pairando pelo ar-Quer subir? Posso ajudá-la Lilith,sem dúvida que sua pesso-
a deve desejar muito isso-Assenti o olhando delidamente-Obrigada Aziel,mas primeiro gostária de preparar um banho para mim,e claro caso possa me auciliar-Ah,isso foi o
golpe final para ele.

-Eu sei que,sim,tenha calma,vou chamar mamãe-Ele entregou-me Samantha logo em seguida,depois o vi caminhar em direção ao corredor que dava passagem para nossa
cozinha-Ah,pequenina,não e melhor poder respirar?-Ela dormia docemente,a pequenina malvada quieta envolta em seu sono,o manto a aquecia bem,a aqueceria até poder-
mos lhe colocar roupas adeguadas.

Fiquei devagando em seus detalhes até Aziel voltar com Isabel-Querida precisa de algo?-A olhei,ela tinha dormido bastante antes deu acordar,antes do insano Aziel ir a mi-
nha procura no sotão-Ah,sim,quero preparar um banho morno na banheira,arrumar Samantha,ela não pode ficar assim por muito tempo-Foi como presságio para ela,alias a
minha pessoa atenuou os olhos docemente sobre Aziel-Ah,não precisa me olhar desse modo,Lilith! Tudo bem! Mais tarde após o banho eu ou mamãe levamos comida-Isso a
meu vê me foi como risos.

-Obrigada querido,fico grata,até lá nem se atreva a subir,estou em cacos-Ele deixou o marcante risinho maroto transparecer quando cruzou os braços,observou Isabel pegar
Samantha em seus braços,segui com Isabel pelas escadas depois,só quando sentei-me a beira da cama ofegante,fazendo meus musculos relaxarem e que Isabel deixou Sa-
mantha sobre a cama ao meu lado-Calma,não vai demorar-Soube que,sim,ao lhe retribuir os risos.

Ela entrou no banheiro,a vi abrir a torneira brilhante,o sol iluminava todo lugar com doçura,ouvi quando Samantha se mexeu ao meu lado-Céus,és inquieta,precisa começar
a aprender o que e calma-Palavras citadas em meio ao meu pensamento,enquanto Isabel continuava preparando meu banho,deixei-me me perder por alguns momentos ao
obter pensamentos necessários.

Quinze minutos até tudo estar pronto,e garanto que isso me deixou feliz,a vi sair me chamando,sua camisola vermelha junto ao lindo roupão do mesmo tecido e cor foram a
imagem de rubi aos meus olhos-Entendo,teve que tomar banho e trocar-se depois de tudo-Seus risos me foram agradáveis,tênue mensagem esperava,jamais pensaria que a
minha maior vitória e momento hávian chegado.

-Não se lástime,venha,precisa descansar-Suas mãos se esticaram a frente fazendo com que eu levantasse,a segui em passos delicados,foi como se a malva novamente se
tornasse miragem.Lenbro dela ter saído,fechei a porta,ás luzes do banheiro acesas em suave tom por ser dia,o cheiro de sais de banho pairando pelo ar,me olhei no espelho
acima da imensa pia:Me deparei com uma mulher desgastada por um parto fácil,mas porém,complexo em alguns momentos.

Me sentia um caco! Meus cabelos lisos lingos,os fios brilhosos,mas precisando ser tratados-Tudo bem,Lilith,depois desse banho se sairá renovada-Assenti começando a desa-
botoar minha veste,a cada botão me deparava com a imagem de Aziel,todos os meus famíliares-Ah,céus,e como se eu recomeçasse,renascesse-Eu ri ao bramis essas pala-
vras,quando a túnica aberta deslizou pelo meu corpo caíndo ao chão,tive todo vislumbre de mim,mesma.

-Ah,sei que me recuperarei rápido-A sensação foi maravilhosa ao entrar na banheira,ao deixar minha cabeça encostar delicadamente sobre a borda-Redenção sabe se com o
acontecimento,há perseguição?-Ele agiu de imediato,o olhei de pé a minha frente (Lado oposto da banheira)-Não querida,não há vestígio até o momento,principalmente depo-
is da vinda de Graciel e Raquel-Compreendi,mesmo assim,diante de tudo que hávia acontecido até o momento,nunca me sentiria segura.

-Fique de vigia por mim,não vai demorar para eu voltar a ser o que era antes de toda essa jestação,e saiba que depois de tudo não deve me deixar passar nada.Redenção
Aziel ainda não me conhece querido,conhece muito pouco de mim,antes de acontecer o que aconteceu,vigie por mim,há coisas que prefiro vigiar para evitar futuros proble-
mas-Ele andou ao lado da linda banheira,seus olhos flamejantes devido a felizidade-Tudo bem querida,como desejar,sei que logo,logo aquela tremenda força voltará a bro-
tar,e pelo visto deseja preparar Aziel para tal conhecimento-Eu ri quando ele abaixou-se apoiando-se nos joelhos,as asas abertas como proteção.

-Exatamente,agora deixe-me,saia,preciso me recuperar,preciso amamentar Samantha depois-Ele riu em doçura,beijou minha mão pousada sobre a borda da banheira e an-
tes de sumir,meu rosto."Eu te amo querida dona,nunca estive tão feliz".A voz ecoando depois de tudo,finalmente sozinha me deparei pronta para continuar o banho,vi uma
esponja natural ao lado da borda,sorri ao pega-lá sentindo a maciez.

Comecei a esfregar a pele,os braços,a limpeza séria gradual,delicada,o banho séria restaurador:Cabeços,pele,braços,pernas,rosto,tudas as partes de fim começaram a ser
limpas como um novo recomeço,uma vez ou outra vi pela paisagem das persianas das janelas do banheiro o rufar das folhas sendo levadas pelo vento,voltava sempre a
me banhar.Ao fim de tudo me encontrei envolta em um momento de preces-Ah,vejamos-Disse levantando-me ao pegar a toalha macia ao lado.

Me sequei para depois me enrolar na toalha delicadamente,era como se um peso tivesse saído de meu corpo,me sentia tão leve! Os cabelos molhados escorridos para trás.
Sai ao tirar o tampão da banheira deixando a água escorre pelo ralo.Quando Isabel me viu deixou-se sorrir,ela tinha acabado de banhar Samantha,assenti me envolvendo
na visão de minha pequenina sendo tirada de uma linda bácia de ferro banhada em prata-Ah,querida,parece novinha,e como seu corpo reagisse reavendo toda força que a
vossa pessoa tinha antes de tudo-Ela saiu da varanda,a bacia com água morna jazia sobre a mesa da varanda,o jarro de flores ao lado.

-E como,fazia tempos que eu não lembrava o que é me sentir assim,eu mesma-Ela arqueou a sobrancelha delicadamente,tinha Samantha enrolada em uma de suas pelpu-
das toalhas de bebê-É,pelo visto começas-tes a usar tuas roupas pequena-Isabel riu de minhas palavras,ela que deixou Samantha sobre a cama,começou o proceso para o
enjugar dela-Ela e forte,tenho que admitir,o cordão ubilical logo,logo vai cair,deixando o ubigo no lugar-Compreendi.

Vi roupas frescas ao lado sobre a cama,na mesa da penteadeira uma bandeja com comida,levantei apreciando o que tia: Morangos cortados com greme de leite na tijela,
cereais por cima e caneça,torradas em um lindo é pequeno refratário,copo de suco de laranjas frescas-A mãe de Aziel trouxe enquanto tomana banho,ela está entusiasma-
da,conversamos tanto nas noites,pena que ainda não tenha tido esse prazer-Eu ri novamente.

-Ah,que isso querida,imagine,prefiro deixar a troca de conhecimentos para as duas mornarcas da família-Isabel riu,mantinha a atenção em Samantha.Ao apriximar-me vi
que a vestia com um macacão de algodão de cor violeta clarinha,as luvinhas brancas foram colocadas depois,os capatinhos também no mesmo tom das luvas-Oh! Mas
que cracinha,finalmente parece jente-Isabel riu,deixou Samantha apoiada em seu ombro,tinha as mãos pousadas delicadamente atrás de Samantha-Agora você,deve se
arrumar,comer! Não esqueça! Se for descansar,dê de mamar para Samantha-Arqueei a sobrancelha,passei por Isabel que segurava Samantha pegando as vestes.

Não demorou para Tia Isabel deixar Samantha sobre a cama,já querendo voltar a dormir,o manto devidamente acolhido que a acolhia bem.Quando sozinha terminei de
me arrumar: Enjuguei meus cabelos,vislumbrei os detalhes da túnica de mangas curtas (Delicadas),a cor verde-folha encatadora,pelo tecido ser se algodão,me senti fres-
ca.Tudo que desejava depois disso era escovar os cabelos,depois comer.

O fiz rapidamente,escovava os cabelos os desenlinhando,os deixando brilhosos e macios,ao estar sentada na cadeira a frente da penteadeira,a bandeja com comida fez o
meu apetite aumentar,Samantha dormia sobre a cama depois disso.Terminando quardei a escova,fui deixar a toalha e as outras vestes sujas no jesto para levar para a la-
vanderia depois.Ofeguei ao me reaproximar ao sair do banheiro,da mesa da penteadeira.

Vislumbrei a bandeja com comida,me dei a comer,matava a fome com vontade-Ah,céus,nunca esperei me sentir liberta-Risos provindo de mim,passei a comer as torra-
das logo apois devorar as frutas,aproveitei para aos poucos ir tomando o suco de laranja ainda tão fresco-Nossa,admito,a mãe de Aziel adivinhou o que queria comer-O
riso foi imediato."E mesmo assim,rir".Nesse momento fui pega desprevenida,isso pelo fato de ter sido ela a anunciar sua entrada no quarto por pensamento,virei-me o-
lhando-a com doçura,só isso que podia sentir por ela.

-Nossa,demorou a subir-Ela viu Samantha dormindo sobre a cama-Ah,ela só sabe dormir,ainda! Logo,logo tu vai saber o que é afronta,imagina o que o pai de Aziel senti-
ria ao estar aqui,pena que prefirá manter sua decisão-Compreendei,eu acabará de tomar o pouco que restava das torradas e suco.Ao pegar o quardanapo limpei a boca,a
sensação foi de sentir o último lapso do sabor da comida tão delíciosa preparada por ela.

-Será?-Brami ao levantar-me,ela estava vestida com saia branca,o tecido de algodão macio,o fato da saia ir até a altura dos joelhos provocada ar de luxo sobre ela,a cami-
sa do mesmo tecido negra justa ao seu corpo,tinha os cabelos de cor de mel amarrados para trás(Longos e brilhosos),a sandália negra uma rosa aos seus pés-Sinceramente
ainda me assusto como uma mulher de sua idade,me parece tão jovem,preservada-Ela riu ao me vê sentando a beira da cama.

-Entendo,Mas tome cuidado,não são coisas que se deve argumentar,correto? O mesmo será para contigo,bem,preciso sair,só vim pegar a bandeja querida,mais tarde eu
ou qualquer um de nós,virá-A olhei em risos-Tudo bem.Quanto ao Louis,aonde ele está?-Ela arqueou sua sobrancelha-Sem duvida escondido em um lugar seguro do sol
nos bosques pelas redondezas de Paris,só a noite deverá chegar,ele me avisou antes de partir-Compreende,ele tinha mesmo ido.

-Ele sabe se cuidar,tu não sabes mas ele e tão forte quanto Marius De Romanus,Thorne,Maharet,Tompei,até mesmo Sépia,Louis cometeu a audácia de beber de Thalwa,
não faz muito tempo,sangue ávido como o dela ainda está para existir querida-A encarei quando ela andou a frente,pegou a bandeja e se direcionou a saída do quarto-Ele
e maior que muitos imortais por ai,para um Ser Bestial encostar as mãos nele como antigamente,terá que ter muito trabalho-Assenti silenciosa,concordei movendo o rosto,
ela saiu fechando a porta delicadamente.

Sozinha voltei a atenção a Samantha.Me movendo pela cama a peguei nos braços,sentei-me encostada ao espelho da cama,a olhava ainda dormindo.Foi como feitije de
petálas de rosas sendo derramadas sobre eu e ela.Tive a vontade de amamentá-la antes deu querer meu descanço durante o dia.Quando desabotoei a frente de minha tú-
nica ela despertou,era como soubesse que tinha chegado o momento de sua comida-Não seja mau-agradescida,nascestes em berço de ouro-Ela moveu seus bracinhos para
a frente,mamou delicadamente,sua boquinha tão rosada grudada ao meu ceio,seus olhos fechados,silenciosos.Dessa vez a quietude a tomou.

Deslizei uma de minhas mãos sobre sua cabecinha,os fios clarinhos macios,sentidos por mim ao toque de meus dedos.Ela mamava devagar,era como se aquela primeira
mamava tivesse dimunuido e controlado seu apetite voz de início.E foi assim ao decorrer do tempo,A amamentaria até ter certeza de que ela hávia matado sua fome.Eu
saberia o momento,não sei como,mas o instinto me indicária o momento.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Seg 11 Out - 14:52:15

Nem sempre estamos preparados para algo dessa magninetude,e como se as coisas se transmutassem em preceiro de holocausto.Mas compreende quando digo que um
renascimento ás vezes e necessário? Foi o que aconteceu comigo depois de tudo isso,desse parto,da vinda de Samantha.Eram essas coisas que se passabam em minha
mente enquanto a amamentava.

Ela o fazia com vontade,ánvico para sua sobrevivência-Céus,o mesmo rostinho ela têm,perfeita demais-Palavras sussurradas enquanto apreciava seu rostinho,todos os
detalhes dela,do seu formato-Até a mesma tonalidade de pele,os cabelos-Voz ecoando pelo quarto.Que loucura desprovida de pressentimento desnecessário,viu,isso pa-
ra mim,foi como um imenso quebra-cabeça se formando-Até quando isso vai durar?-O jeito como ela mamava,isso tudo me chamava atenção.

Notório como ávido instinto.Não me espantou quando ela começou a chorar ao sentir-se saciada,isso me fez me recompor,a colocar sobre a cama e abotoar a frente de
minha túnica,o fato das mangas de seu macacão serem curtas á deixar seus bracinhos desnudos lhe dava frescor-Ah,querida,não seja rebelde-Brami terminando de me re-
compor é a pegando nos braços.Ela chorava baixinho,era como se o fato de se sentir saciada a deixasse angustiada.

-Terá mais depois-Apartir desse instante me deparei andando devagante pelo quarto,tentando fazê-la dormir,eu que a mantinha em meus braços devidamente acilhida.Eu
passei alguns momentos na varanda,o modo como a luz do dia a aquecia,até a mim,transmitia conforto,quietude,o início de tarde veio e junto da tarde a vontade de que
eu pudesse dormir.Momentâneo,eu sei,assim como trevoroso.

Assim que ela dormiu me deparei com uma decisão:Ou a deixava com seu pai e eu dormiria sem perigo de romper meu descanso definitivo ou a teria junto a mim e eu
teria perigo de romper meu descanso.Fiquei com a segunda opção,sai da varanda devagar,a colocando na cama me deitei depois de pegar um cobertor macio para mim.
Quando deitada deixei meu rosto pousar no macio travesseiro-Ah,e merecedor,depois disso só uma guerra me acordará-Disse olhando as cortinas finas e clarinhas se mo-
verem devido ao vento.

Assentinada malva de presságio e visão,era isso que se passava em minha mente até eu ardomecer.Sem dúvida que minha pessoa compreendia uma situação dessa.E
com isso o apagar definitivo.Foi assim,os sonhos não vieram dessa vez,mas eu sabia que Samantha jazia ao meu lado,que junto a presença dela,eu poderia envolver-me
em um momento sublime.

Apesar de tudo eu me sentia preocupada,mas sabia que depois algo em espécial a chamava.Foi como tormento,compreende?Isso quando o clarão da presença de algo
me foi sentido."Samantha será melhor descermos e deixar sua mãe continuar descansando".Que voz aveludada,claro que de lonje reconhecia a voz de Aziel,eu por ins-
tinto senti ele pegando Samantha ao meu lado.

Abri meus olhos vislubrando os dois-Já e noite querida,não vai demorar até Louis chegar,o jantar foi preparado,mas precisamos resolver algo-Me sentei a beira da cama,
pousei os pés sobre o chão-O que?-Quis saber-O médico está lá embaixo,deveria desconfiar de nossa ação-Levantei-me,ele acolhia Samantha em seus braços,pelo visto
ele tinha passado o dia e tarde no salão com sua mãe,Isabel providênciando comida de alta-qualidade.

-Venha conosco,não seria tolo de esquecer-Arqueei a sobrancelha quando o vi caminhar em direção a porta-Se continuar assim,Samantha vai se rebelar ao decorrer dos
anos-Ele riu ao sair-Somos os maiores-Depois disso voltei a atenção a cama,a arrumei por completo e depois sai e direção a sala.Ao passar pelo salão vi que durante o
meu sono tinha chuvido um pouco trazendo frescor por toda casa.

Quando entrei no salão vislumbrei Isabel e a mãe de Aziel sentadas no sofá,Aziel pensava enquanto tinha Samantha consigo sentado na poltrona,o médico andava a
sua frente explicando algumas coisas-Ah,sim,mas olhe! O fato da mãe estar saudável e bom,mesmo assim,não quer esperar mais um pouco para Samantha tomar a
primeira vacina?-Ele riu de modo descabido,eu hávia sentado ao lado da mãe de Aziel,Isabel ainda ao lado dela.

-Não,e claro que não,se tiver que ser,vai ser.Ah,e por favor! Dá parafurar as orelhinhas dela?-O queimei,foi quando Vitória Regia moveu a mão sobre meu ombro,ela
olhava Aziel furiosa,mas compreendia."Não fale nada Lilith,se for falar,vai ter guerra aqui".Ah,que lástima,mas Aziel tinha decidido,com isso a resposta do médido que
jázia de pé no meio da sala observando todos nóis,ele tinha as mãos pousadas dentro do bolso do jaleco limpo e imaculamente branco,a calça negra de corte clássico a
fazer pá perfeito com seus sapatos brilhosos e pólidos-Tudo bem então Aziel-Ele disse caminhando em direção a maleta sobre a mesa de centro.

A abrindo colocou o pá de luvas esterelizadas elásticas-Não vai demorar,eu juro-Aziel apreensivo,mas atencioso,juro que tive vontade de pular em cima dele,mas eu
sabia que Isabel e Vitória Regia me segurariam-Tudo bem,eu estou aqui-Disse Aziel vendo o médico preparar a primeira dose de vacina-Só será essa,mês a mês será
assim,e saiba que eu mesmo marcarei para vir,caso queira-Ele arqueou a sobrancelha.

-Ah,disponha,nós avisaremos-Foi assustador vê o médico se apróximar de minha filha jazendo quieta nos braços do pai,o fato do Aziel está de calça jeans,bota curta
e camiseta (O conjunto perfeito emanando negritude) não assustava a ninguém,espantava! Sinceramente foi uma guerra,e todos os sentidos uma guerra! Isso por eu
querer chorar,mas me contive.

O médico se curvada a frente,limpava o bracinho de Samantha,foi uma facada em meu coração quando vi a agulha da seringa entrar no bracinho dela,primeiro veio a
careta com que ela disesse "Isso não e legal".Por fim o chororo emanando pela sala-Prontinho,prontinho pequena-O médico disse ao afastar-se,ela chorava loucamente.
A dor lhe parecia insuportável-Agora vamos vê;cadê o matérial para furar a orelhinha dela?-O médico procurava,

Enquanto isso levantei esticando os braços em direção ao Aziel-Dê-me ela,vai matá-la-Ele compreendeu as palavras,me entregou passando a pose da poltrona,sentei-
me esperando,o médico tirou a pequenina pistola de furo descastável.Era tão pequenina a pistola que quase desaparecia de sua mão-E compato,indolor-Ah,dessa vez
tinha que concordar-Ah,seja rápido,isso e sofrimento para ela-Ele riu.

Ele desferira em jesto atenuado a pistola na primeira orelhinha,o primeiro furo tinha ido(O estalo ecoou aos meus ouvidos),depois a segunda orelhinha(O estalo final)
é eu soube que a dor não veio,o que me deixou feliz,isso pelo fato de ser certeza de que Samantha não sentiu dor.Beijei seu rostinho avermelhado pelo choro provoca-
do devido a vacina.

-Parece que a dor da vacina e mais incomoda do que o furinho nas orelhinhas-Compreendi ao bramir isso,o médico se preparava para paratir,tirará as luvas-Pronto,eu
sei que logo,logo,isso vai passar-O olhei-Espero que,sim,ou me desesperarei-Foi necesse momento que Isabel e Vitória se levantaram,elas seguiram com o médico pa-
ra a varanda,dali soube que seguíriam pelo jardim até se despedirem dele.

-Está melhor?-Aziel disse ao levantar-se-Melhor,me recuperando,quase inteira-Ele riu ao se aproximar-Eu imagino que,sim,sei que está chateada pelo que fizemos,mais
e melhor resolvermos isso,do que tarde-Mesmo sentindo-me angustiada pelo pequeno sofrimento de Samantha,eu compreendia,o olhava de pé ao meu lado,era como
se ele quisesse saber de algo-Lilith diga-me com toda certeza que aquilo que me falou ao saírmos so sotão e verdade-Eu o queimei.

-Ah,Aziel,se tiver que saber,tudo bem!-Isso o deixou envolto em conforto,o vi se curvar a minha frente,seus doces beijos foram como conforto a minha pessoa,ainda es-
tava para acontecer um momento melhor,o cálido momento me foi tranquilizador,calmante-Suba,olha preciso que esteja preparada,aproveitarei que Isabel e mamãe es-
tão destraídas-Quis saber o por quê.Me levantei com Samantha nos braços.

-Isso por quê preciso que possa me dá aquela maldita medicação,vou rapido na cozinha,tudo bem? Me espere no quarto-Compreendi,recebendo mais beijos dele tive a
certeza de que deveria esperá-lo.Subi com Samantha.Quando entrei no quarto a deixei cochilando sobre a cama-Ah,querida,será melhor para você-A calma dela volta-
va,e aproveitei para ir até a gaveta do quarda-roupas pegar algodão e alcool na maletinha de medicamentos.

Humideci o algodão com o alcool no frasquinho,com isso pude estelizar os furinhos recentes em suas orelhinhas,ela cochilava como boneca! Nunca me senti tão cheia de
conforto e calma como nesse momento,depois o local aonde a vacina tinha sido aplicada-Isso adiantará a passagem da dor,a cura-Que descabido de minha parte,mas a
necessidade era plena e claro.

Aziel chegou quando acabará de sair do banheiro após jogar o algodão na lixeira compacta e deixar o frasco no balcão da pia-Querida está ai?-Eu ri,comecei a lavar as
mãos-E claro-Brami-Depressa,aproveite que mamãe e Isabel estão no quarto aos fundos da casa-Compreendei,enjuguei as mãos rapidamente,apaguei ás luzes do ba-
nheiro,o vi na varanda a minha espera.

-Aqui está,por favor! Deixe a seringa na lixeira do banheiro,será melhor,passará despercebido aos olhos de mamãe-Assenti quando ele sentou na cadeira,a mesa foi o
apoio.Peguei a seringa preparada de sua mão-Ah,Aziel,tenha calma,não pode ser na pressa-Ele sabia que,sim,respirou fundo,odiava a necessidade de anfetáminas,eu
sabia que no fundo no fundo dele aceitará essa condição.

O problema era sua mãe que caso soubesse iria se desesperar.Foi como malva de momento era chegado o momento de mais uma doce.Tenuamente eu me apressei
em procurar uma veia boa em seu anti-braço curvado a frente,ele apreciava,esperava-Fecha a mão-Disse,ele o fez,foi como uma longa espera conforme eu deslizava
os dedos de uma das mãos sobre o anti-braço a procura da veia e com a outra segurava a seringa-Seja rápida-Implorou ele.

-Não está sendo fácil-Disse em risos,foi nesse apreciar que finalmente senti a veia-Respirei fundo-Ele riu do nada,forá descabido,mas algo surreal aconteceu,justamen-
te quando apliquei a doce de anfetáminas que evitavam o ataque maciço das células de seu corpo conta ele mesmo,ouvimos barulhos."Sei que Samantha deve está
com Lilith,devo vê-las".Era Louis,que pavor! ão agora,não agora!

-Aziel não se levanta-Ele sabia que o risco de romper a veia era maciço,estava prestes a fazer pressão para injetar a doce."Tudo bem,tudo bem".Era Isabel responde-
do ao Louis,céus,foi o TERROR dos TERRORES quando Louis entrou pela salinha na frente do quarto e abriu a porta.O olhar dele forá trevoroso,eu acabará de aplicar
a doce das sagradas anfetáminas de Aziel,foi como Louis recebesse um suco em seu coração.

-Mas o que e isso?-Ele chegará e se troccará antes de subir,muito óbvio,ofeguei,Aziel o olhava apavorado,a careta de dor passará-Não lhe interessa,me deixa-Louis ar-
queou a sobrancelha conforme andava: Hávia escolhido calça jeans negras,o pá de botas pesadas o protejia do fresco da noite,a camisa cinza com botões de ouro em
camafeu de rosas negras requinte de detalhe artesanal-Não me interessa?-Eu segui ao banheiro,joguei a seringa no lixo,quando fui fechar a porta do quarto,Louis esta-
va prestes a quebrar os ombros de Aziel com a pressão das mãos.

-Me deixa! Não e de sua conta,e dá minha conta-Andei a frente-Louis tenha calma,vamos conversar,tenha calma-Ele soltou Aziel,ele que ofegou tomando ar,movia o
braço aonde tinha sido aplicada a doce de anfetáminas(Alíviava a dor).Louis virou-se me queimando-O que acontece aqui?-Os seus olhos azuis furiosos-E para vida de
Aziel,querido tenha calma,sente-Ele sentou-se a beira da cama,me queimava,Aziel inquieto andava pelo quarto-EXPLICA-Bramiu entre-dentes,bem,eu tentaria,mas a
necessidade de evitar uma guerra era eminente-Tudo bem,eu explico-Silêncio,Aziel quis ir para varanda.Samantha dormia sobre a cama ao lado de Louis sentado a sua
beira.Uma conversa pessoa entre eu e ele se iniciava.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Ter 12 Out - 12:36:20

Foi como a aurora de trovões,gritos,tudo isso acontecendo ao mesmo tempo.Alias! Me imagine tremendo perante Louis como um gatinho acuado ao está encurralado devido a
uma determinada situação.O olhar de Louis foi cétido,amedrontador conforme trocavamos olhares em meio a esse silêncio tão envolvente.Aziel não se atrevia a sair da varan-
da,não se atrevia a se envolver na situação,pelo visto ele conhecia muito bem ao Louis para tomar essa decisão.

Foi como rispido momento trevoroso em prol de um cemblante de holocausto-Vamos Lilith,quero saber ou vai ficar ai parada sem nada falar?-Será que ele compreendia com a
profundidade necessária a situação de Aziel,tomei coragem para sentar-me ao seu lado,o olhei de lado sendo tomada por presságios trevorosos.Foi nesse momento que Louis a
mercé de seu medo e nervossísmo bramiu as seguintes palavras:

-Aziel está sendo rebelde o bastante para implorar por drogas? É isso? Aziel se tornou um viciado?-Ofeguei olhando para o teto,pensava em como começar,sinceramente houvir
isso de Louis me foi ultrajante,voltei meu olhar a ele delicadamente-Não Louis,não é isso,alias,e algo mais sério do que pensa,antes de falar preciso que garanta que nada do que
eu falar,a mãe de Aziel vai saber-Ele arqueou sua sobrancelha delicadamente.

-Não posso garantir caso eu não saiba-Compreendi,ele continuou falando-Olha,vi esse garoto nascer,sabia que o vi sair do corpo da mãe,crescer? Compreende quando falo a ti
que po acaso do destino,era para ter sido eu o pai dele? Sinto-me como um segundo pai para ele,Lilith! Desembucha-Ah,céus,aonde eu tinha ido parar? Foi nesse instante que o
insano Aziel saiu da varanda acuado,corado.

-Posso ter fujido de casa,armado uma guerra pessoal contra meu pai e mãe! Mas jamais seria redículo a ponto de ser um viciado como me chamas-tes agora-Isso fez Louis sen-
tir-se tomado,injuriado ficou,ele levantou-se encarando Aziel-Então o que pode ser!?-O berro ecoou pelo quarto,ainda bem que a porta estava fechada,caso contrário eu sabia a
contra-gosto que tanto Isabel como Vitória subiriam.

-Senta! Chega Louis! Se quer saber,vai saber-O fiz senta-se a beira da cama novamente-Então disponha-Foi como trovões aos ouvidos dele quando falei detalhadamente o que
acontecia-Querido Aziel têm o que chamo de consaguínidade,Aziel pode morrer caso não faça a manutenção das injeções de anfetáminas-Isso o assustou,ele pediu jesticulando
para eu continuar-Então! Acho que o pai e mãe de Aziel têm a mesma estirpe de genética,correto?-Louis assentiu ao falar-Sim,continue,quero que fique mais claro,o que isso têm
haver?-Ofeguei cruzando os braços.

-Isso começou a pouco tempo,após virmos para cá,as células do corpo de Aziel atacam a sí mesma provocando a morte do corpo dele,lenta e dolorosa,então as injeções de an-
fetáminas são para isso,evitar esse ataque-Louis não compreendia,pelo visto algo mais sério estava para acontecer nesse momento-Querida seja mais clara,há coisas que não
são desse tempo,está entendendo? Como um corpo pode atacar a si mesmo?-Aziel falou aos berros.

-Seu burro! Papai e mamãe são incestuosos,papai não perdoará mamãe mesmo tão jovem! Uma bruxa na família com a mesma patente genética que ele,seu burro,a minha
doença e o peso e preço que palo pela incopetência deles!

-Calado seu mimado,mimado! Fois-tes injusto conosco ao não ter falado,e doloroso,céus,doloroso,então quer dizer que a consaguínidade injestuosa de Lestat e Vitória provoca-
ram esse erro genético?-Louis respondeu ao Aziel levando-se,desferindo tapas em seu rosto-Ah,que audácia,o que poderia ser? E isso mesmo,posso morrer,alias,estou morrendo
Louis,morrendo-Que revolta,céus alados,aonde essa situação ia parar?

Louis sentou-se na cama transtornado,foi como a negritude o envolvendo por completo-Isso é,isso é terrível-Aziel retomou sua quietude,se envolveu em observação.Minha
pessoa preferiu se prostar apoiada sobre os joelhos na frente de Louis,segurei firme suas mãos gélidas,macias ao toque,ele estava prestes a chorar-Querido sei que parece o
fim,mas não é,se não houvesse esperança,Aziel não manteria sua medicação,então quando o chamas-tes de viciado e que cometes-tes um erro-Ele se espantou,ele olhava
para mim envolto no absoluto espanto negro.

-Esperança? Acredita nisso? Que há uma esperança?-Eu tirei o lenço do bolso de sua camisa para limpar seu rosto,as lágrimas vermelhas brotavam ficando encrostadas em
seu rosto-Louis? Não e o fim,eu já lhe disse,Aziel viverá menos do que muitos humanos,mas será o bastante para deixar seu legado-Só quando ele arrancou o lendo da mi-
nha mão eu me afastei,me coloquei ao lado de Aziel.

Aziel pensava friamente no que falaria a seguir,no que ele deveria explicar ao Louis-Querido prometa-me que não vai falar nada para mamãe,que nada disso chegará a sua
pessoa,que ela será privada de tudo isso,são problemas meus,e não dela-Louis o fitava terminando de limpar o rosto-Aziel já tives-tes a change de fujir de muitras coisas,eu
sei que teu pai deseja e têm coisas muito grandes para você-Aziel arqueou a sobrancelha esquerda,foi como resposta antecipada.

-Não Louis,não e para mim,nunca foi para mim-Nesse instante houvi gemidos de Samantha,ela que todo esse tempo dormirá rapidamente,me aproximei a olhando,curvei-me
sobre a cama-Minha pequenina,venha para mim,venha para mim-Ela se sentia pertubada pela gritaria,nervosismo vindo de mim,Aziel e Louis.Quando nos meus braços tive
a audácia de acalmá-la.

Sinceramente estavámos longe de entrarmos em um acordo,nunca pensei que Louis pudesse ser sensato a ponto de ainda está pensando se concordava ou não com o que
Aziel desejava-Louis preciso de sua garantia de que nada disso irá parar na boca de mamãe,por favor!-Aziel voltará a seu nervosísmo,ele simplesmente se descontrolou ao
erguer as mãos contra Louis.

Louis o encarou ainda sentado a beira da cama,deixou o lenço cair quando moveu as mãos a frente repreendendo Aziel-Olha aqui,e injustiça de sua parte privar sua mãe de
algo tão sério! E injustiça de sua parte a fazer conhecê-lo tão pouco! Acha certo fazer o que fez com seu pai e ainda por cima querer passar por cima de sua mãe!?-Louis teve
coragem de empurrar Aziel para trás,agora era Aziel que chorava,implorava.

-Chega Louis! Não seja o antigo melâncolico de tanto tempo atrás,ou vai querer voltar a presenciar aqueles tempos? Não és mais aquele fraco de alma e sague,afinal,sei e
não pode mentir a respeito de que Thalwa o fortaleceu imensamente ao decorrer desse tempo,não seria tolo a ponto de negar o sangue dela-Isso deixou Louis contragido,a
sua pessoa cruzou os braços pensativo,a lástima dele estava passando.

-Ah,tudo bem,continue passando em minha face-Aziel se aquietou,eu aquietava Samantha em meus braços,ela que jazia encostada sobre meu ombro,minhas mãos pousa-
das delicadamente atrás dela-Vamos Louis,o que me responde?-Aziel exigia uma resposta de Louis-Ah,pense você,moleque mimado,eu deveria ter lhe dado ums bons tapas
quando ainda tão pequeno!-Bem,a discussão estava armada.

A gritaria voltava ao quarto,os berros de Aziel contra os terrívieis gritos de Louis,eu quis ir para varanda,foi nesse momento que Samantha entrou em choro,ela chorava de-
vido a gritaria-Calma querida,tenha calma,já vai passar-A visão era torturosa,ávida,aterradora: A briga de Louis e Aziel era a cena armada em cima do palco.Admito que a
minha preocupação maior era com Samantha.

Minha pequenina que não estava nada bem.Vi seu rostinho corado quando a ergui a frente,a deitei delicadamente em meus braços,e mesmo assim sua inquietação não pas-
sava.Estava dificil,sabendo que não adiantaria intervir na gritaria entre Aziel e Louis,mantive atenção a ela,isso me deixou tão nervosa que comecei a chorar por não conse-
guir acalmá-la.Foi quando ouvi sons vindo do lado de fora do quarto.

Isabel e Vitória Regia subiam."Céus,que gritaria é essa?".Isabel reverbava,houvia claramente,eu chorava,só quando Aziel e Louis se depararam contranjidos com essa situa-
ção e que pararam,a mãe de Aziel e Isabel entraram-Céus,parerem dois cães em um ringue de brigas-Aziel andou em minha direção-Ah,céus,o que ela têm!?-Samantha não
se controlava,movia seus bracinhos e pernas,se sentia tomada.

-Nada,nada...Deixe ela comigo-Aziel me fitava,enquanto isso Vitória tentava saber o que acontecia,Louis choramingava,Isabel pegou Samantha nos braços,só agora e que
ela parava de chorar-Ah,imagina o que ela deva pensar-Aziel e eu saímos da varanda,foi nesse instante que Louis disse-Ah,que Aziel explique,estou cheio!-Vitória estava a
mercé de seus pensamentos,prestes a falar com Louis-Louis volta aqui! O que há?-Nem uma resposta,a porta bateu com o jesto dele antes de sair.

-Céus,o que aconteceu com vocês?-Ela disse ao andar,voltar a anteção ao Aziel de pé ao seu lado-Nada mãe,e loucura de Louis,ele imagina coisas demais-Eu pensava,ain-
da estava pensando no que devíamos justificar a ela-Samantha está bem?-Quis saber ao voltar a atenção a Isabel que a tinha nos braços-Sim,querida,se acalmando,mas o
que acontece aqui?-Dificil falar,imagina explicar.

Aziel conversava com sua mãe,junto deles falei a ela-Acho que Louis ficou irritado com algumas coisas,resumidamente isso-Vitória sentou-se a beira da cama,mas depois ao
querer se levantar novamente,disse-Não e típico dele se irritar assim,por isso queria saber,mas bem! Caso não desejem falar,entendo-Pensavamos,eu e Aziel pensavamos a
olhá-la de pé a nossa frente.Maldiçao viu? Louis sairá e nós deixará a mercé do nada.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Ter 12 Out - 13:53:50

Só quando Isabel saiu e me entregou Samantha nos braços e que Aziel se encontrava pleno para responder,isso hávia deixado sua mãe curiosa,angustiada,tomada de
pensamento-Aziel eu disse: Há um sério motivo,Louis não é pessoa de ficar assim,de sentir-se envolto por tanta negatividade,principalmente ao discutir desse modo ao
irritar-se com determinada pessoa-Aziel ofegou angustiado;virou-se olhando para Isabel-Querida pode descer com Samantha? Depois dessa não propício deix[a-la aqui-A
resposta de Isabel foi imediata.

-Tudo bem,espero que possa descer depois-Me aliviei quando ela saiu com Samantha fechando a porta,me senti derrotada ao vê minha menina partir por tempo.Mas a
pretenção de Aziel era angustiante,eu reverbei algumas palavras-Não demore,preciso está com ela,não seja tolo-Ele alternava o olhar entre eu e sua mãe,sinceramente
eu começava a imaginar o cenário caso ele decidisse ir pela cabeça de Louis.

-Agradesça ao Louis por me meter nessa enrracada mãe,agradesça a ele por descobrir coisas que não lhe convem,está entendendo?-Ela uniu as mãos a frente do corpo.
-Como assim Aziel?-Eu almejava meu momento sozinha,desprovida de toda essa situação-Ele soube de coisas que não lhe caberiam saber! Sua curiosidade foi além do
que deveria ir-Vitória se mantinha de pé devido a seu nervosísmo,se ela pudesse não ouvir o que ouviria,o teria feito.

-Ele me cobrou isso,entende? Quando entrou aqui e viu o que não deveria vê entre eu e minha esposa.Ah,maldito! Ele pagará-Novamente ela pediu para que ele pudes-
se explicar melhor-Tudo bem! Estou morrendo,e isso,agradesça a sua maldita consaguídade para com papai-Ela simplesmente parou,sentiu-se tonta para depois despencar
caíndo em direção ao chão.

Aziel a segurou,pode segurá-la a tempo que ela se machucasse-Mamãe! Não e nada demais,não seja pretenciosa,eu sei me cuidar-Ele se desesperava a colocando deita-
da na cama,ela não reagia,mas saberíamos como proceder.Eu fui em direção a cozinha,vendo Isabel sentada no sofá com Samantha disse-Aonde está Louis!?-Ela olhou-
me-Saiu para se alimentar,nunca o vi tão transtornado-Ofeguei,me irritei e fui a cozinha pegar água fresca para Vitória.

De volta no quarto Aziel jazia sentado a frente da cama em uma das cadeiras que pegará do conjunto da mesa na varanda-Maldito,viu? Quando ele precisa falar,ele sai,o
fujitivo e maldito-Aziel olhou-me pegando o copo cheio de água fresca-E típico dele,irrita minha filha,minha casa-Voltando atenção a sua mãe,a chamou cheio de increduli-
dade,demorou,mas ela reagiu.

-Aqui está,precisa beber água,sua necessidade fala alto-Ela o olhou-Ah,maldito,por quê me diz aquelas coisas? Consaguinidade? Morrendo? E como anda evitando?-Isso
o deixou tomado-A manutenção e necessária,ando me mantendo a base de injeções anfetaminicas-Isso a assustou,ela ofegou bebendo grandes goles de água-Continue-
Pediu tomada de nervosismo,foi como sensação queimante pairando sobre ela.

-Não se preocupe,vou sobreviver,e isso que importa-Não bastava para ela,o que o fez responder de imediato-E como lhe disse,é consaguínidade,resumidamente isso,mãe.
O que peço e que não se sinta ultrajada-Ela terminou de beber toda água,entregou-me ao sentar-se a beira da cama-Obrigada querida,obrigada-Ela olhou chorosa para o
Aziel,foi como se ele fosse ameaçado,deixando o copo sobre a mesinha ao lado da cama,voltei-me aos dois,sentei ao lado dela.

-Aziel por favor,ouça o que lhe digo,não pode ser condenado a viver assim por toda vida-Isso o pegou desprevinido,entende? Aziel não estava preparado para a situação.
A continuidade do momento foi plena,mas que necessária-Mãe já disse: Não deve se preocupar,não deve se lástimar como se isso fosse minha derrota,por quê não é-Eu
atenuei toda atenção quando ela estendeu as mãos ao rosto dele o assustando ainda mais.

-Tens uma change Aziel,pegue-a,e se o tratamento não dê mais certo ao passar do tempo?-Aziel pressentiu aonde ela queria chegar,virou o rosto ofegando,sentiu uma rá-
pida falta de ar-Não seria indiota de correr como um cão sem dono a procura de Hyarian,não-Ele se afastou ao levantar-se,isso fez sua mãe continuar argumentando com
ele-Valéria a pena,afinal,se livraria de todo esse processo,nossa família e privilégiada por não perder os dons quando alguém recebe o Dom Negro-Infelizmente essa tentati-
va estava sendo falha com Aziel.

-Não,chega! Já disse o que tinha que dizer,não me implore ou me peça algo tão aterrador,como isso-Vitória levantou-se,me mantive atenciosa,sinceramente passa a compre-
ender o motivo dela está assim-Aziel,ele lhe entregaria o Dom Negro,faria o truque negro com a maior felizidade do mundo,não deve se lástimar,e procurar condenação pa-
ra si-Isso o fazia pensar.

Me olhando por alguns instantes ele a respondeu-És minha resposta final: E a troco do que ele o faria com a maior gentileza? A troco deu ficar com ele enclasurado naquela
Fortaleza? Sabe que desde aquele maldito momento que ele pisou naquela casa e me levou para passar aquelas semanas,eu me tornei um objeto de desejo para ele! Eu a
mercé dessa situação não vou me dá ao luxo de ceder-Imprecionante vê-lo sair pela porta batendo a porta.

A recusa forá imediata,mesmo partindo de sua mãe-Não adianta,perco as esperanças que ele mude um dia,se ele pudesse ter me visto naquele momento em que voltei
e não o vi,quando soube que tinha partido com Hyarian,e em seguida desaparecido,não foi fácil entende?-A olhava,era adorável sentar-me ao seu lado-Esqueça,ele sabe
a contra-gosto que cedo ou mais tarde está diante de seu irmão,não sei,mas vejo por esse lado,e isso o irrita-Ela olhava seguida para o nada-Que seja-Ela ficou devagan-
do em choro depois de tudo,olhando para o nada,chorosa ao obter a resposta negativa de Aziel.

O mais incríavel e que algo interessante estava para acontecer: Passados três dias,eu e Isabel nós deparamos envoltar em uma situação inesperada.Aziel e sua mãe com
a vontade de encontrarem um lugar espécial para Samantha,prepararam algo nostálgico.Durante a tarde os vi entrarem no sotão aos fundos da casa,eu não compreeendi
ao certo o que acontecia,mas era certo que eu e Isabel seríamos chamadas.

Tudo que sabia e que deveria atender ao pedido de Aziel de logo mais,ir com Samantha ao sotão,de preferência vestí-la com roupas brancas.Bem,diante das circustâncias
eu resolvi despi-la no quarto e envolvê-la apenas com um manto branco.A tarde estava mavilhosa,fresca,Louis sumido,desaparecido ao esconder-se do sol em algum lugar
secreto da Cidade de Paris.

-Venha comigo querida-Ela me olhava,seus olhos cinzentos passeando pelo meu rosto como se desseo recado."O que pretende fazer comigo?".Eu sorri,hávia escolhido um
vestido bastante fresco para mim,a cor rosa em tom escuro me acalmava,esse é o efeito que muitas cores têm sobre mim.Mesmo não sabendo do que se tratava eu tive
a coragem de atender ao pedido de Aziel e sua mãe.

Sabendo que Isabel descansava no quarto aos fundos,me senti alíviada.Pronto,em meio ao crépusculo da tarde (Intervá-lo entre tarde e noite) me direcionei ao sotão aon-
de Aziel e Vitória estavam.Entrando os vi de pé-Mas o que há aqui?-Assustador,mas compreendi,eles tinha preparado algo espécial para Samantha,foi como malva de um
presságio valioso.

Aziel trajava uma loga túnica branca,a faixa negra rica em detahes prateados na altura de sua cintura,ele usava a mascara-Dê-me ela,trata-se apenas se uma consagra-
ção querida,uma permissão ao elo maior para que ela use seus dons com sabedória-Ah,que pavor,mas tive que ceder quando sua mãe andou a frente pegando-a,nunca
vi Samantha se encher de risos,era como ela soubesse,encarava a ávo ao jazer nos braços dela.

-Olha só,poucos dias mas tão espertinha-Risinhos de Samantha,ela esticava as mãozinhs a frente,Aziel foi cauteloso ao caminhar com sua mãe em direção ao altar,velas
perfumadas acesas,incensos também,na mesa do altar a bacia com água preparada-Não seja cautelosa mãe-Ela o olhava ainda segurando a menina,estava aflíta,e como.
Não demorou:Samantha se sentiu adorada quando colocada na bacia com água fresca.

Para Aziel está usando aquela mascará de jade e que ele veria coisas,e pelo jeito com que movia os olhos,viu,sim,ele foi sequido ao desferir o polegar entre seus dentes
e deixar algumas gotinhas virem."Que possa usar toda sua sabedoria com a plenitude de seus conhecimentos e conceitos".Quis sair quando o vi desferir seu polegar ain-
da sangrando dentro da boca pequenina de Samantha,ela o olhava,tão cruel,pensei.

-Ah,não posso suportar isso-Vitória me segurou pelo pulso,fique,olhe-Lá estava,as gotículas foram unjidas por algo,o brilho acetinado e espectral presente! Aziel pegou
a toalha branca macia ao lado-Pronto princesa,acabou,acabou-Ele a segurou,espero como vento,uma cená que me fez apagar.Vitória me segurou-Coitada de minha pe-
quena-Brami ao não vê mais nada a não ser o rosto de Vitória.

Mas a noite seguinte me foi tão perfeita! Louis,Isabel e Vitoria tinha saído,a noite fria foi como presente para eu e Aziel.Eu lembro de Aziel deixar Samantha em seu
jesto acolhedor: A pequenina parecia uma boneca vestida com uma calça de algodão ngra,a camisetinha branca,ma so que mais encatava era as luvinhas delicadas.
Aziel voltou-se a mim-Vai subir?-Arqueei a sobrancelha.

-Vou,mas se preferir ficar,fica-Aterrador,eu sei.Descansei alguns minutos no quarto em seguida,ele ficou jantando na cozinha.Quando ele veio para o quarto,andou pelo
lado da cama.Foi maldito o momento em que me acolhi em seus braços ao deitar-se ao meu lado-Ainda pensando no fato de não poder ter mais filhos,isso nada signifi-
ca para mim-Compreendi,o beijei.Ele desferiu sua mão livre pelo meu rosto.

-Me conforta,acredite,isso e bom-Ele riu,com isso se iniciou longos momentos de carícias-Samantha está dormindo no jesto,aquecida pelas chamas da lareira,temos um
longo momento até os outros voltarem-Ofeguei,ele deslizava seus lábios pelo meu ombro desnudo,ele desabotoava meu vestido de lã fina atrás-Não seja louco,não es-
tou recuperada daquele parto,me sinto ferida-Ele parou,se sentirá ferido.

-Ah,ascos,que maldito,viu?-Sentou-se a beira da cama,pensava-Não se lástime,me deixa-Enlouquecedor o modo como ele quase se desesperou,mesmo assim pude e
tive a audácia de sentar-se atrás dele,morder sua orelha por trás-Não seja faminto,devemos pensar em nossa volta para casa-Ele riu-Ah,sim,alguns dias fora de Paris-
E com isso ele pode compreender.Passado o momento aterrador para ele o acolhi junto a mim ao detarmos na cama.Esperaríamos os outros voltarem,que Samantha,
a pequena rebelde ficasse encarando as chamas da lareira cochilando em seu jesto.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qua 13 Out - 11:40:11

De certo modo eu estava e me senti preparada para esse recomeço,foi como se esse momento me deixasse tomada de visões futuras.Apesar de tudo saiba que
a preparação era necessária.Não que eu me sentisse tomada por algo,mas sinceramente tomada de felízidade. Não que meu coração doesse,muito menos eu me
sentisse ofendida,mas tomada e grata por muitas coisas.Nunca me envolvi em um sono tão maravilhoso junto ao Aziel.

Nostálgia durante toda noite,acalanto de formalidade esperada e devidamente aplicada.Jamais devemos acatar ao sofrimento perante um momento desses,e sim
a malva de qualquer pensamento alheio.Vejamos por nós mesmos,e dessa forma tudo aconteceu ao decorrer da noite.Nosso descanso percorrendo toda mente,a
presença cálida que para mim era necessária.

Foi como se meus olhos despertassem do nada,como se todo meu corpo retomasse suas energias e assim,prosseguisse reavendo um despertar adorável.Meus o-
lhos se abriram delicadamente,foi como se a mera presença de Aziel se tornasse ameaçadora ao vê-lo deitado ao meu lado-Aonde será que isso tudo vai parar?-A
sensação era a correta?

Sem dúvida que sim,sem dúvida de que era dessa forma que eu,Lilith Chariére deveria prosseguir.Sentei a beira da cama analisando todos os detalhes a minha
volta,o sol da manhã morno-Louis está fora,isso e fato-Brami ao levantar-me delicadamente,segui pela salinha,com isso me direcionei ao salão e por fim fui até a
sala aonde Samantha hávia dormido a noite toda.

O que será que ela devia estar pesando a meu respeito? De nós,seus pais que a hávian deixado sozinha a noite toda?Silêncio,isso me assustou ao andar pela sa-
la aonde ela jazia-Nem Isabel ou Vitória Regia acordadas-Falei pensando,as toras de madeira perfumada pelo visto tinham queimado a noite toda,pelo visto a pe-
quenina que me foi vista dormindo no jesto sobre o tapete,não sentirá frio.

A peguei ao curvar-me delicadamente,era como se ela sentisse algum tipo de dor,cochilava,não queria acordar,mas bem,eu estava presente para lhe fazer desper-
ta,ciente do que deve fazer.Sentada na poltrona eu a olhava,ela movia seu rostinho como querendo livrar-se de mim,nas não iria,eu não iria deixar passar em bran-
co o mero momento em que ela precisava comer.

-É isso mesmo,enquanto suas avós e pai não acordam,não terá para onde fujir-Ela abriu os olhinhos me fitando,a cor cinzenta marcante aos meus olhos,ainda es-
tava para nascer um ser que tivesse olhos cinzentos tão perfeitos como os dela,uma visão,era esse o conceito que se passava aos meus olhos.Será que ela esta-
va preparava para o momento?

Não sei,teria que agir por mim para saber.Me deparei desabotoando a frente de minha veste,foi como se ela tivesse adivinhado,o sol da manhã a fazia bem,era
o calmante que ela precisava para começar seu dia pacato.Seus bracinhos se moveram a frente quando a movi contra a mim,suas mãozinhas delicadas pousaram
sobre o ceio da qual ela se alimentaria.

Ela solvia o leite com vorazidade,tinha dormido a noite toda,e pelo visto estava faminta,tomada de fome,seus gruidos foram como música aos meus ouvidos,eu a
mercé de meus pensamentos enquanto ela mamava,enquanto ela tinha seus olhinhos fechados como em pensamento secreto-Fiquei envolta nessa quietude que o
ato de amamentar me propiciava.

Não esperava que Aziel acordasse tão cedo,que ele viesse ao meu encontro assim que se desse por desperto.Samantha jazia em meus braços,ela não perdoava
o mero fato de tirar mais e mais do meu leite.Adorável,só isso que posso descrever.Quando ouvi passos vindo da escada,ouvi a voz de Aziel,ele andou por trás
da poltrona a qual jazia sentada amamentando Samantha.

-Nossa,já?-Eu ri ao vê-lo sentar-se a minha frente sobre o tapete,seus cabelos ruivos e lisos emaranhados devido ao sono-Sim,querido,mas como podia ser de ou-
tra forma?-Ele riu cheio de doçura,seus olhos verdes passeando por mim como se lessem algo de meu coração-Entendo,mas queria saber para quando prentende
fazer o registro de Samantha-Pensei enquanto a amamentava,voltava toda atenção para ela.

-Ah,para essa noite,o que acha?-Falei após pensar.Para Aziel foi como vitória- Ah,fico feliz,imensamente feliz-Sorri o respondendo-E como será o sobrenome dela?-
O silêncio emanando dele foi terrível-Samantha Chariére De Lioncourt-Espanto,mas me bateu a curiosidade de saber os motivos-Em breve pretendo oficializar nossa
união,Lilith,não vai demorar-Sorri,a notícia me era esperava,mas não cedo como havia acontecido.

-Entendo querido,as circunstâncias levam aos fatos-Ele sorriu,se levantou com modos tão elegantes que fiquei surpresa-Eu te amo,sabe que presente melhor não
poderia ter me dado,mesmo não podendo ter mais filhos,valeu a pena-Compreendi,foi quando ele se curvou me desferindo beijos na boca,os beijos salientes e a-
docicados-Tudo bem Aziel,eu sei,caso contrário,sei que provocará guerra-Ele arqueou a sobrancelha-Ah,sim,e das grandes-Respondeu.

Ele foi em direção a cozinha,só depois disso e que voltei a atenção a Samantha que continuava sendo amamentada,a vinda de Isabel e Vitória era esperada,ao
vê-las me deparei com duas damas trajadas com roupas clarinhas de dormir,com isso elas foram a cozinha,íamos começar o processo de preparo do café da ma-
nhã,matar a fome era a ordem no momento.

E foi como desejava conforme o tempo passava,depois de amamentar Samantha tive que me recompor,a deixei no jesto tão lindo,ela me olhava deizando suas
mãozinhas se moverem a frente,era como se ela quisesse pegar meus cabelos longos-Ah,quer pegá-los? Quer sentir os fios? Que garota rebelde-E ela continuou
tentando,foi como se a felizidade de ter matado a fome a tivesse tomado nesse momento.

Foi quando ouvi Vitória Regia vir pelo corredor,ela veio a mim deixando uma das mãos pairar por trás de meu ombro-Querida o café está pronto,venha comer,o
momento e esse-Me voltei a ela,a olhava detalhadamente-Tudo bem-Sofri por ter que deixar Samantha sozinha por determinado momento,mas a necessidade de
minha pessoa comer,era trovadoresca.

Me sentei a mesa apreciando a tijela com frutas cortadas,a tijela com torradas e biscoitos amanteigados,a jarra com chá gelado.Aziel se servia,foi quando ele teve
audácia de me falar-Sobre Louis,não se preocupe com ele,e dia,saiba que depois providenciaremos o registro de Samantha-Isabel voltou o olhar para ele cética ao
ter a notícia-Sério?-Todos se serviam.

O começo da comilança estava apenas no início-Mas e claro-Aziel disse em risos,até sua mãe se envolveu na conversa,e apartir desse momento tudo que podía-
mos esperar era o passar do tempo,foi como desejávamos,lembro de Aziel pegar Samantha ao estarmos na sala após o café da manhã,dele subir com ela ao lado
de sua mãe para o quarto.

-Por favor,estamos a espera de um juiz logo mais ao início da tarde-Isabel falou ao sentar no sofá ao meu lado-Pronto,foi por esse chamado por telefone para o
juizado que começamos o processo.Louis chegou no início da noite,ele não esperava pela presença do juiz ao entrar pela porta,coitado do juiz,ele tinha vindo as
presas ao saber da situação.

Eu tinha escolhido uma de minhas túnicas prediletas clarinhas,os botões de camafeus brilhosos,até Isabel e a mãe de Aziel tinha escolhido túnicas,só que em tons
escuros-Senta aqui Louis-Pedi,o juiz pensava,ele anotava cada detalhe-Queridos a certidão deve chegar logo mais,na próxima semana-Louis arqueou a sobrance-
lha,ele estava corado,tinha caçado em sua volta para nossa casa-Será?-O juiz riu e com isso arrumou as coisas.

-Mas e claro-Lá ia ele,Louis o seguiu exigindo que tudo fosse feito.Aziel que tinha Samantha em seus braços risinho-Coitado-Mas essa era a verdade,correto?Eu a
mercé de meus pensamentos compreendia.Ao passar de duas noites enquanto Louis cuidava e dava suas atenções a Samantha na sala,enquanto eu,Aziel,Isabel
e Vitória jantavamos,a campainha tocou.

Louis atendeu,e me foi surpreendente ao vê-lo entrar com o pacote do juizado do correio-Nossa,chegou,ele trabalhou rápido!-Aziel fora o primeiro a levanta-se,ao
abrir o pacote disse-Ah,que ascos! Como nossa filha pode ter tripla cidadania?-Foi o que sua mãe se apressou em responder ao lê a certidão-Pertence a França,ela
pode ser considerada partiniense,mas e grega por sua causa,assim como têm também a cidadania de sua mãe,não se pode fujir disso querido-O riso de Louis foi ou-
vido pela cozinha.

-Ah,que linda: Pariniense,mas ateniense como o pai,que lindo,francesa-grega por natureza-Ah! Que ousadia,mas o fato de Louis rir aos borbotões ao erguer nossa
Samantha no ar a encarando foi o alge-Cuidado,não mate minha filha-Aziel bramiu voltando ao seu lugar de jantar com sua mãe,Samantha movia suas perninhas
em risos,seus bracinhos a frente,coitada,aonde tinha vindo parar!? Ofeguei tomada de presságios voltando a atenção a comida.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Qua 13 Out - 12:55:15

Compreende quando falo que o momento para mim foi enlouquecedor?Exatamente como previrá,como eu pensava ser,como eu desejava que fosse, Um momento sublime
como jamais esperava que fosse.E tudo prosseguiu como esperado,mas eu sei que depois disso,Isabel desejava sair com Louis,quem sabe passarem por alguma loja e com
isso,sua pessoa ter momentos felizes,e foi assim depois do jantar,depois de Louis nós esperar ao estar cuidando de Samantha.Azie,Vitória,Isabel e eu o olhamos juntos,ele a
firtarnos tomado de sentimento.

-Bem meu querido,precisamos ir,deseja sair comigo?-Ele sorriu-E claro Isabel,podemos ir as lojas da Cidade,tenho a noite toda disponível-E foi como Isabel queria,ela saiu ao
lado de Louis,eu,Vitória e Samantha nós encontramos sozinhas,Aziel apressado em querer comer sobremesa-Nossa,sei que há torta na geladeira,mas porém,o que faremos an-
tes disso?-0 olhamos delicadamente-E claro que comermos torta-O faríamos,mas antes disso passaríamos algum tempo a mercé de uma boa conversa.

Nunca tive noite tão agradável,sinceramente eu estava pronta para iniciar os preparativos para nossa volta,mas Aziel envolto em nossa conversa decidiu atrasar por mais al-
guns dias,nosso retorno."Tudo bem".O respondi,foi como se sua mãe se sentisse vitoriosa ao persuadí-lo a ficar por mais alguns dias.Cinceramente estava anciosa para rever
Lucy,ela que sem dúvida a essa altura souberá do nascimento de Samantha.

Pauso para tomar folego,Sara,folego para noite seguinte,continue: Eu e Aziel estavámos cuidando de Samantha,tinhamos acabado de dar banho nela,enquanto isso Isabel dis-
traída no salão anotando e tendo contato com alguns conhecidos por laptotop(Programa de Internet e claro),Samantha choramingava conforme a enjugavámos.Ela jazia deita-
da sobre o balcão da imensa pia do banheiro,meu longo vestido de cor violeta cedoso de encontro ao meu corpo,o tecido se atenuava as minhas curvas,Aziel mantinha seu fo-
co,só quando a secamos por completo com a toalha e que saímos após jogarmos a água de banho da bácia fora,e quardamos a bácia de banho de Samantha.

-Ah,céus,tadinha,e como um sofrimento para ela-Céus que loucura,Aziel se angustiava tanto ao deitá-la ainda enrolada na toalha sobre a cama! Ela berrava,chorava,se rebe-
lava contra o banho-Eu peguei as roupinhas ao lado dela sobre a cama,ao Aziel terminar o processo a vesti: Havia escolhido uma camisetinha de linho violeta,o gorinho de lã
na mesma cor,a calça de algodão perfumada em tom negro-Nossa,como ela chora,chora,e não mete conseguências-Aziel disse ao tê-la nos braços-Olha o gorinho,pode sair-O
frio estava forte,isso pela chuva na noite passada.

Ajeitei delicadamente,isso proteja seus ouvidinhos contra a friagem,aos poucos o frio para ela passaria,e me senti feliz pelo umbigo dela ter caído e cicatrizado com perfeição.A
continuidade era necessária,e ao cuidarmos dela com o tempo,nós recompormos,Isabel veio-Ah,precisam cuidar dela?-Sabíamos que,sim,mesmo assim desejamos com toda as
nossas forças,uma melhor recuperação,um momento de paz.

-Vamos ao sotão,sei que Louis e mamãe estão lá,fique aqui com ela,e capaz de Lilith querer amamentá-la depois-Isabel acatou a ordem,ao nosso desejo,saímos deixando ela a
sóis com Samantha.O algo que e doloroso foi o inesperado.Quando passamos pelos fundos da casa,fomos em direção a linda Oliveira cheia de aceitonas nessa época-Nossa,eu
mais tardar vou colher aceitonas fresquinhas,eu beleza-Disse Aziel rindo docemente.

Fomos em direção a entrada do sotão,mas paramos,Aziel mesmo se impactou com o que ouvia,tudo que sei e que para nós foi amedrontador."Não vés? És fraco Louis! Sei e
vóis digo que e chegado o momento,não vai demorar até acontecer".O que será que acontecia? Olhamos pela brecha ao nós pocisionar ao lado da porta,Louis andava ao redor
da mãe de Aziel,ao vê-la sentada sobre o piso brilhoso do sotão,ela o encarava.

-Estou envelhecendo querido,ficando velha,sei que isso fará com que Lestat venha ao meu encontro,que o fará entregar-me o ardil das trevas,entende isso?-Isso fazia Louis
sentir-se frustrado,ele se angustiava-A verdade e que devo aceitar,seguir com minha vida,a verdade nua e crua e que Aziel têm sua vida feita,devo lutar contra isso?Não,a
aceitação e eminente-Aziel se transtornou,saiu devagante pela escada-Ela não seria loucura,não seria-Bramia enloquecido.

-Se contenha,seja sensato-Pedi ao pararmos enfrente ao chafáriz,foi como se ele se envolvesse em transe destruídor para sua alma,sentei com ele sobre a borda do chafázia,
as águar se derramavam atrás de nós,a cena,o modo como ele se danou-se a chorar,me foi destruídor,a destruíção de seu ego ao deparar-se com um momento como esse.Eu
quero que compreenda isso,Sara,por quê para Aziel foi como uma traíção.

Na noite seguinte,com os animos já recuperados,eu e ele estavamos no salão,Aziel tinha parado para concluir alguns escritos facultativos,eu vi quando Isabel subiu trazendo o
telefone sem fio para nós-É a Lucy,ela quer falar com vocês-Aziel saiu da varanda a qual passará horas escrevendo no laptop sobre a mesa,Isabel saiu para dar atenção a mãe
de Aziel e Louis (Os três que trocavam idéias e conceitos secretos até para eu e Aziel).Ele sentou-se no sofá,cruzou as pernas pensativo,eu me mantive deitada de lado,tinha
a Samantha a minha frente acolhida no jesto macio,somente dela.

Tinha meu olhar focado em Aziel,ele se curvou pegando Samantha de proposito,a deixou no colo,uma das mãos curvadas a frente da menina que se mexia,movia as mãos e per-
nas a frente como querendo vir para mim-Lucy,estava demorando,pensavámos que não ia dar notícias-Ouvi risos em resposta,arqueei a sobrancelha compreendo a situação,para
mim foi como surpresa adocicada.

"A menina nasceu bem? Como anda os dias na presença de Isabel querido?".Que tentador,pensei,Samantha gruia para mim-Ah,que belezinha,nunca vi gorinho tão lindo
em uma menina-Disse,Aziel me olhou antes de responder a Lucy,ele deu-se a andar de um lado a outro,pequei Samantha e fui com ele para varanda,ele fitou a paisagem
do jardim-Não poderia ser melhor,para os próximos dias,devemos voltar,não vai demorar-Lucy riu do outro lado da linha."Ah,céus,imagino,tudo que peço que Lilith possa
está bem".Aziel arqueou o cenho da sobrancelha em resposta.

Foi como malva de pressentimento."Sobre tudo aquilo Aziel,queria dizer que...".Ele a mandou se calar,foi como se eu tivesse pressentido o que ele ia responder,e sincera-
mente fiquei feliz por ele não mentir-Deixe tudo isso para quando eu voltar,podermos conversar,mas uma coisa e certa,cuide-se,eu te amo,eu e Lilith te amamos,sabe disso-
O silêncio para Lucy foi imediato-Obrigada meu amor,obrigada por não mentir,posso falar com Lilith?-Aziel entregou-me o telefone,dei-me a conversar com Lucy,Aziel seques-
trou-me Samantha durante toda conversa,loucura!

Depois de tudo,depois deu e Aziel passarmos o resto da noite conversando,estava decidido:Para os próximos dias providenciariamos passagens,falamos isso ao descermos
e encomendarmos as passagens por telefone;nunca vi tamanha exasperação de Louis e Vitória.Foi dificil negociar,mas foi necessário.E ao dormirmos Aziel me braiu algo aos
ouvidos ao está deitado ao meu lado,ao ter Samantha entre eu e ele."Não posso esperar mais,acho que a legalidade dessa união precisa ser para o mais rápido possível,eu
sei que caso não for,a lei vai me ferrar,e bonito-O respondi o fitando em meio ao escuro:

"Louco".Ele deu-se a rir depois disso,e foi como esperado: Passados três dias em meio a tarde,Isabel entrará na sala ao vir do jardim.Tinha o pacote com as passagenes na
mão,a futura espera foi pela legalidade de algo que me fez ter o coração na mão,nem mesmo a mãe de Aziel compreendia."Louco!".Disse ela depois de saber,ao saber que
Aziel tinha falado sério a respeitod e legalizar a situação,ele a seguiu pela escadas,eu me deparei espantada ao lado de Isabel,ela que tinha Samantha em seus braços."Isso
e loucura,eu sei,mas não posso deixar-me ferrar pela léi,o que esperava!?".Gritou ele.

A resposta de sua mãe."Que fosse sensato! Que esperasse só mais um pouco,até veres teu pai,preferiria que o fisesse na presença dele,quando ele visse Samantha,em Ate-
nas Aziel!".Ela chorava,pelo visto inconsolavél.E foi como petá-las negras sendo desferidas em nossos corações com mais um passar de tempo.Na segunda noite recebemos
o juiz civil,Louis foi o que explicou toda situação,elle galante vestido de negro,pensativo,atenuando todos os conceitos."Senhor seja rápido,se tivessemos tempo faríamos uma
festa,mas por isso,não temos".Vitória o olhava,duante o dia escolherá uma túnica em tom amarelo.

Tia Isabel nunca esteve tão bela em seu tom turquesa,Aziel pensava,olhava os papeis sentado ao meu lado sobre a mesa de centro,eu ajeitei meu vestido azul clarinho de
lã fina,ele por estar simples,pensava-O que acha querida?-Olhou-me em seguida-Que seja,se e isso,melhor prevenir do que remediar-Ele sorriu,depois da negociação com o
Louis,o juiz virou-se falando-Pronto,entendi a patente dessa situação,vão ou não assinar?-Aziel o encarou pegando a caneta prateda.

-Vou morrer,mas morro feliz.Ah,léi infeliz!-Espanto,depois disso mesmo amedrontada pelas citações assinei em seguida dele,Louis sairá com o juiz para se despedir,tinhamos
a certidão civil,o processo final de tudo."Lilith Chariére De Lioncourt e Aziel Chariére De Lioncourt".Silêncio ao ouvir Isabel lê os nomes.Era oficial-Que eu me dane,que papai
me mate,mas está feito-Aziel bramiu olhando para mãe.

-Não,ele o assassinaria-Esse era o último processo LEGAL que podíamos fazer depois de termos Samantha,tudo que era nosso era dela,como detentor legal do legado do Clã
Lioncourt,Aziel passaria futuramente tudo dele para ela,assim como ele.Loucura,eu sei,mas necessário.Louis voltou e depois disso tomou posse de Samantha-Vem comigo,eu
imagino como se sinta-Ele riu,saiu com ela rindo em direção ao quarto.Noite pavorosa,mas feliz,cálida,me senti alíviada por resolver essa legalidade.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 15 Out - 16:04:49

Sinceramente ás coisas as vezes se forma como se fosse um lindo circulo,o circulo perfeito e cimétrico e quando ele e rompido,podemos esperar tudo para nossas
vidas.Nunca me senti tão feliz,imensamente feliz,foi como se todas as visões tivessem se transformado em realidade.Nem sempre temos com que andar,nem sepre
a gente tem com quem se apoiar.

Mas ao contrário do que acontece com outras pessoas,eu e Aziel tinhamos aonde pisar e quem nós apoiasse futuramente caso precisassemos.Eu,ele,Isabel e a mãe
de Aziel,passamos mais algum tempo,conversamos muito a respeito do que faríamos futuramente,foi quando ouvi uma resposta em espécial vindo de Vitória,nem a
Isabel compreendeu de imediato o porquê dá pergunta.

-Lilith,sabe se futuramente está disposta a nós receber em sua casa? Por que eu sei que ao contrário daqui,dá casa de Aziel em Paris,a sua casa em seu pais,e sua.
O que eu quero saber e se será o lar defitivo para vocês dois-Compreendi,tive que rir,durante esse tempo as soudades de Samantha apertaram,lamentável Louis tê-
la seguestrado de mim,nós,digamos,assim.

-Mas e claro querida,de que outra forma podería ser?-Ela sorriu,e com isso demos continuidade a nossa conversa,todos os presentes trocando conhecimento,como a
finalidade,acho que até a união de nóis aumentou nesse momento,foi como se a cada passar de segundos,minutos,até mesmo hora,nós unisse por completo,ao fim a
gente teve vontade de ir dormir,meu corpo entrará em processo de descanso,ele rogava por DESCANSO.

Aziel que até o momento de limitou a conversa,a felizidade da união civil entre eu e ele,levantou-se segundo a CERTIDÃO DE CASAMENTO em suas mãos-Querida eu
percebo que deseja dormir,até mesmo acho que tens a pretenção de amamentar Samantha-Foi como se ele tivesse adivinhado meus pensamentos-Entendo,calma,eu
sei que já vamos subir-Ele riu de modo descabvido,andou em direção ao vão da escada.

-Aziel vamos conversar amanhã?-Sua mãe disse de pé ao meu lado e de Isabel,ele a olhou docemente-Sim,e claro,já prevendo que eu deva viajar,provávelmente de-
va voltar para Athena,nós proimos dias,correto?-Que acalanto de troca de palavras,ávidos conhecimentos-Sim,e claro-Com isso segui,me despedi de Isabel e Vitória,a
minh vontade era de matar Louis por ter sequestrado minha filha,mas mesmo assim,tinha que me conter.

Era de se compreender que Louis até o momento quisesse conhecer a natureza de Samantha melhor-Louis! Aonde estáis?-Aziel gritou ao passarmos pela salinha,abrir-
mos a porta do quarto-Aqui Aziel,aqui,cuidando de Samantha-Ele sorriu,já virá sorriso belo,mas como o dele admito que até nesse momento que descrevo tudo para ti,
Sara,e difícil imaginar outro sorriso melhor,mais belo.

Nem Aziel que tinha seu sorriso angelical,tomado de beleza,superava-Entendo,mas querido preciso descansar,dormir,acho que dormirei até tarde amanhã,depois quem
sabe sair para resolver alguns compromissos-Louis levantou-se com Samantha nos braços-Tudo bem Aziel,só estava prometendo para essa belezinha aqui,que eu a pro-
tejerei até mesmo quando tu e a mãe dela morrerem,eu estarei aqui-Aziel corou.

Ainda segurava a CERTIDÃO DE CASAMENTO nas mãos,Louis andou em direção a porta com Samantha nos braços-Cuidado irmão,se fujires com minha princesa,eu ju-
to que vós mato-Risos de Louis-Não querido,a deixarei com Isabel e Vitória,depois deu me retirar á esconder-me do sol,sei que são as mais seguras a deixar Samantha-
O arquear do cenho de Aziel me foi adorável,doloroso.

Louis saiu,eu fechei a porta na chave,requinte de detalhe ao vê-lo ir até o quarda roupa pegar uma pasta,sentou-se a beira da cama-Pronto Lilith,quanto ao casamento
formal tudo foi resolvido,é o que conta querida-Sorri andando ao aproximar-me dele-Eu sei que,sim,Aziel,a patente do que pertence a Samantha está quitada,mas de ti
eu nada quero a não ser sentimento,ele me olhou choroso,corado.

Apertava a pasta entre os dedos de sua mão,levantando ao preparar-se para quardá-la disse-Falas com teu coração? E isso mesmo Lilith? Então quer dizer que o preço
está pago? Falo da divida por sua ajuda quanto a Fera-Silêncio-Sabe que,sim,nada mais poderíamos querer-Assustador para ele,ao quardar a pasta começou a preparar-
se para dormir,será que eu devía fazer o mesmo?

-Eu preciso descansar Lilith,admito,depois de muitas noites de espera,me dedicando aquele maldito instintuto facultativo para ter uma profissão melhor futuramente,essa
é a primeira noite que eu durmo tranquilo-Compreendi,eu mesma quis me preparar para dormir,foi como se Aziel tirasse um peso de sua alma,sua confissão enquanto a
gente se trocava de roupa,foi imediata e clara:

-Não queria ficar devendo nada entende?-Foram suas palavras ao me encarar ao sentar-se a beira da cama,sua calça violeta com faixa negra ajustada na cintura reta
é mascula me chamou atenção,eu escovava meus cabelos os condicionando,o tecido de seda da camisola se atenuava as minhas curvas-Admito,desde que deste a luz
e como se sua força voltasse,muito pouco restou daquela magreza,continua sendo magra querida,mas porém,com mais curvas feminas,está mais brilhosa,mais mãe di-
gamos,assim-Tive que rir.

Continuei escovando os cabelos,ao terminar levantei-me deixando a escova sobre a mesa,apaguei ás luzes do quarto indo até ele depois,ele me encarava,seus olhos ver-
des brilhando devido ao sentimento-O que realmente se passa em sua cabeça Aziel? Admito,e como se eu estivesse o conhendo apenas agora meu amor-Ele riu,deixou
as mãos esticarem docemente em minha direção.

-Quer saber? Amor,eu te amo Lilith,família melhor,mais bonita,não poderia formar-Compreendi,me deixei sentar sobre seu colo delicadamente,o fiz tombar para trás dei-
tando-se sobre a cama-És louca,primeiro diz que ainda não se recuperou,ainda está ferida do parto,e agora isso? Amorsinho como poderei sobreviver se continuar desse
modo?-O olhava silenciosa,me curvava sobre ele,ele tinha suas mãos pousadas sobre minha silhueta,o beijei antes de responder,o beijei com imensa vontade até sentir o
seu maldito sexo duro entre suas pernas,as minhas também-Não sei,mas continue sobrevivendo-Bramia.

-Entendo-Resondeu-me ao virar-se,me deixar deitar ao seu lado,foi assim que terminamos a noite,ele beijava-me com vontade,mantinha-se recomposto,ciente do peri-
go pairando entre nóis dois,sua mão deslizando sobre minha cintura,ele deitado de lado.Antes de podermos apagar ainda envoltos em caríciais,o insano sussurrou aos
meus ouvidos."Pensa que me importo por não poder ter mais filhos,mas pouco me importa,tenho a você".Risos,fim de noite melhor não podía ter acontecido.

Passados três dias e três noites infelizmente meu amado Aziel deu-se a adoecer novamente,ele teve uma sutiu decaída devido a doença celular.Eu percebi no quarto dia
ao acordar ao seu lado,vê-lo febril,delirante ao dormir em pleno despertar-Ah,céus,não que ele esteja mau,mas precisa descansar-Brami.Quando fui a cozinha a procura
de alguma injeção para Aziel,vi sua mãe tomando café da manhã com Tia Isabel,Samantha jazia dormindo no jesto de frente a lareira,sem dúvida de que até o momento
era o lugar predileto dela,já que ela apreciará muito as chamas da lareira antes dormir aconchegada em seu cantinho.

-O que procura na geladeira Lilith?-Isabel disse ao levantar-se,sua camisola vermelha de linho perfeita atenuando suas curvas-Nada,e que Aziel está mau,acordou com
febre,não que ele esteja tendo um ataque celular,sabe? Mas uma recaída-Fechei a porta ao pegar a maletinha com as seringas e injeções do friazer da geladeira,eu ás
olhava silenciosa-O que foi?-Disse,Vitória Regia virou o rosto,jazia ainda sentada,ficará chorosa.

-Conseguências de minha irresponsábilidade-Isabel se apressou em acolher sua pessoa,em conformá-la-Não,que isso! Diante de tudo que já sei em nossas conversas a
mercé das madrugadas em claro,e óbvio que não-A mãe de Aziel me tomou desprevenida,mas pude ouvir-Ah,que importa? Ele odeia ao pai,principalmente agora que o
insano têm uma família.Como posso reagir a isso?-Isabel afagava seus cabelos,lhe beijou o rosto.

-Não querida,jamais,amava e ainda ama ao Lestat De Lioncourt,não tens com que se preocupar,não seja insensata ou sofra sem motivo sério,um profundo motivo-Risos
de Vitória,compreendi-Bem,estarei no quarto,se desejarem subir,subam,alias,aonde Louis se retirou ontem a noite?-Ás duas me olharam delicadamente-Sotão,ontém ele
pode se recolher lá-Pronto,fui para o quarto,quando fechei a porta peguei o termometro para medir a temperatura corporal de Aziel.

Ajeitei a borda de minha camisola negra de seda,ele dormia,sequer notava minha presença-Vamos vê-Disse colocando o termometro debaixo de seu braço curvado a sua
frente,dei-me a esperar ainda sentada a beira da cama ao seu lado,a maletinha apenas esperando o seu despertar,ele gemeu de dor ao virar-se por baixo das cobertas,a
sensação era de pequeno transtorno devido a espera.

-38° Gráus,o que é isso?-Ele ouviu minha voz,olhou-me silencioso,docemente,sua face corada devido a febre-O que foi?-Quis saber-Meu amor acordas-tes com febre.
Teve uma sutiu recaída,acho que e devido a um resfriado-Ele riu secamente-É,admito,sabe que ontém cheguei tarde,fui beber,fui irresponsável-Compreendi,foi como
se sua necessidade ouvesse falado mais auto-Ok,foi reforçar a doce da injeção,depois nada melhor do que um copo de suco de laranja fresca e alguns comprimidos
de vitáminas.

-Obrigada-Foi quando preparei a seringa,no momento em que ele sentou-se encostando no espelho da cama sua mãe chegou com a bandeja com comida para o café
da manhã de Aziel-Nossa,e resfriado,dá para vê,mas deve se sentir melhor até o fim do dia-Ele se sentia ultrajado por isso,mas silenciou-se esperando eu aplicar a do-
ce de anfetáminas-E só reforço,melhor prevenir,mas precisa de vitámimas-Ainda bem que ao vê o café da manhã de Aziel lá estava um copo grande com suco de laran-
ja fresca.

-Imagina,até o fim do dia estarei prestes a morrer-Que sensatez pensei indo ao banheiro,ao jogar a seringa descartável fora,voltei pensativa.Aziel depois disso levan-
tou-se para ir á mesa na varanda,o vi sentar-se junto de sua mãe,ele começou a comer,ela mesma o servia-Beleza Aziel,quebres-tes a cara em ser rebelde,saiu para
encher a cara e está ai o resultado-Cruzei os braços apreciando a cena.

-Imagina,que isso,foi muito bom,valeu a pena,não sabes o quanto precisava disso,desse reapando,mas...-Ele parou,sua mãe pediu para ele continuar,ele encarava o
copo com suco de laranja,tinha o sanduiche de queijo fresco nas mãos feito com pão integrau-Sou sincero em dizer que ao voltar na madrugada,imaginei Hyarian ao
meu lado,foi como se eu visse aquele maldito me esperando na sala-Espanto da mãe dele,não minha,acredite,Sara!

-Como assim?-O olhar de Aziel ficou frio,sequido-Estava acustomado ao tê-lo ao meu lado sempre que bebia,foi assim em Auvergne,foi assim em Paris,ao virmos pa-
ra cá,passarmos aquele tempinho apóis eu comprar a casa,está casa,mãe-Imprecionante,impactante-Tome cuidado querido,mida suas palavras,seu coração,principal-
mente se tratando de Samantha,e ela que importa-Ele silenciou-se.

Antes de voltar a comer,concluiu-Ah,sim,fui louco o bastante de beber tanto,tanto,que ao chegar com Hyarian aqui,sequer o sentia me tomar nesse maldito quarto,eu
sei,pode me chamar: Sou um maldito-Movi o rosto imaginando a loucura,a insensatez jovial de Aziel-Não querido,és sem juizo,não tens juizo Aziel,nunca desde que tu
nasces-tes teve juizo-Ele a olhava secamente,sai,admito,imaginava as cenas,não era normal de Aziel beber,mas quando o fazia,ele se abria,era de muitos,isso e fato.

Pela tarde eu e ele sozinhos no quarto,logo no crépusculo da tarde,quando a noite se iniciava,tivemos a vontade de arrumarmos as malas,sabe que não íamos demo-
rar para voltarmos,Sara,para eu tentar contato com meu trabalho,para passarmos uma densa temporada envoltos nesses compromissos.E foi assim,eu e Aziel dobran-
do mala por mala,enquanto isso Samantha aos cuidados de Isabel e Vitória.Louis ainda não sairá do sotão,só mais um pouquinho e ele estaria entre nóis.Até lá eu e
Aziel atentos aos detalhes da arrumação das roupas nas malas.Cinco ao total (Incluindo as roupas de Samantha) ao fim de tudo,Isabel tinha a sua bagagem,seria com-
promisso dela.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sex 15 Out - 17:26:18

Nem sempre se pode almejar todo um conceito de pressentimento,e sim,uma forma de continuidade e transformação.Foi assim ao decorrer de mais dois dias,eu
e Aziel forámos avisados que Vitória e Louis iam embora no início dessa noite,admito que antes disso,Vitória teve que ligar avisando que ia voltar.Enquanto espe-
ravámos o Louis vir dos bosques depois de sua retirada diurna logo no início da noite,ela disse ao pai de Aziel por telefone."Querido ela e linda,linda,espero que a
vossa pessoa tenha o prazer de conhecê-la".

Será que eu e Isabel estavamos ouvindo isso? Sim,estavámos,Aziel tinha saído para ter mais matérial arquivado em seu Laptop sobre o Intituto Universitário,eu e
Isabel distraídas com a conversa secreta entre o pai de Aziel e sua mãe;nunca o início dessa noite forá tão maravilhosa! Até as estrelas havian avisado o presságio.
"Ah,eu entendo Vitória,admito,tive que acordar um pouco mais cedo aqui em Athena,a noite está gelada,foi como se eu sentisse que ligária,mais algo a me dizer?".
A frieza dele me espantou,como um certo transtornador.

"Para,por favor,ainda não vis-tes tua neta,a esposa de teu filho para dizer isso,coisas dessa natureza".Pavor,foi isso que senti ao mover uma das mãos em direção
a meu ceio,o tecido da túnica de cor azul turquesa amassasou-se,Isabel jazia sentada ao meu lado,silenciosa apreciando a cena."Vou sair com Louis assim que a li-
mosine chegar,e querido,precisamos conversar,muita coisa mudou,está entendendo? Muitas coisas".Quietude.

Foi como se o pai de Aziel se sentisse HUMILHADO pela vitória final de Aziel."É,eu entendo,tenho que admitir a derrota,me sinto humilhado Vitória,imensamente hu-
milhado,está entendendo? Uma neta,e nem a conheço,compreende isso?".Antes de deslizar Vitória pensou,foi como se ela adivinha-se que Louis estava presres a che-
gar."Ah,sim,alias,eu me sinto feliz,quarde isso e ao chegar conversaremos,Lestat,levamos uma vida a par disso,e peço para que não intervenha,possa manter tua in-
dolê,mas sabe que tens a promessa de que um dia a conhecerá".Ódio,mas ele soube responder antes de desligar.

"Maldito seja Aziel,maldito! Ah,céus,estou chorando aqui,admito chorando! Pelo visto ela será uma bruxa entanto,alias,dententora de muitos segredos".Risos de
Vitória."E mais que isso meu amor,mais que isso,mas eu preciso ir,tudo bem? Quando chegar espero sua presença em casa,me espere,até mais".Nossa,ela des-
ligou o telefone o colocando no carregador transtornada.

-Ah,céus,eu imagino como ele ficou,mas por favor,mantenha segredo com Aziel-Assenti ao levantar-me,ela fez o mesmo deixando o lindo vestido negro atenuar-se
a sua cintura,ela tinha seus cabelos em cor de mel soltos em cachos-Fique tranquila Vitória,Aziel não vai saber-Ela ofegou tomando ar,sentiu-se tranquila,quando o
Louis apareceu no portão ouvimos seus passos,a visão dele vindo em nossa direção mesmo ainda do lado de fora da casa,foi plena.

-Louis precisamos ir,a bagagem está pronta-Ele fitou-a pensativo-É Aziel? Ele ainda não chegou?-Ela respirou fundo-Não meu querido,ele ainda não chegou,mas e
claro que também deva voltar nos próximos dias deixando sua casa vázia por determinado momento-Louis ofegou,olhou alternadamente para cada uma de nóis,ele
tinha o olhar sequido a respeito de tudo isso.

Vitória saiu,a seguímos em passos devagantes,graças que Samantha estava dormindo no quarto aos fundos da casa,a peguei delicadamente: Ela parecia uma bone-
ca com camiseta de cor branca,a calça longa de cor marron,o gorinho tinha a mesma cor,as luvinhas de lã mantinham aquecidas suas mãozinhas-Dormil boneca,eu
sei que deve ter dormido muito-Bramia ao segurá-la.

Ela me olhava em seu silêncio,os olhos cinzentos como em recado á mim.Louis saiu ao lado de Vitória com a única mala que tinha vindo.Era como se ele saísse
derrotado-Eu não entendo,ele disse que chegaria cedo,até eu arriquei-me a acordar logo no início dessa noite,mas ele mentiu-Movi o rosto cruzando os braços,a
minha sensatez dizia que não.

-Não Louis,não meu querido,não.Só acho que ele não teve coragem de se despedir definitivamente,e como se tudo isso o tivesse feito romper elos,entende? Como
se ele precisasse ficar frio para não fraquejar-Havíamos chegado no portão,matamos tempo até a limosine vir,a limosine alugada que levaria Vitória Regia até o ar-
roporto-Espero que,sim,mas bem! De certo modo,sei que um dia nós reencontraremos logo em breve-Isabel o abraçou com força,vontade,a resposta que ele tinha
me dado,me fez pensar.

-Tenha as portas de minha casa aberta,mas e certo que até eu mesma preciso de um tempo para Samantha-Ele me olhava risonho enquanto de afastava de Isa-
bel,Vitória abriu a porta,estava prestes a entrar quando Louis voltou-se a ela-Ah,meu amor,eu irei com você até o aeroporto e depois pegarei o voo,o meu voo a-
medrontador-Ela o olhava sequida-Mas e claro,és trevosoro meu Louis-Ele riu ao entrar sentando ao lado dela.

-Lilith diga ao Aziel que sabe aonde me encontrar,aonde rever o pai dele,vou com a certeza de que ele nós abandonou,mas porém,não e certeza de que não esteja-
mos dispostos a ajudá-lo quando necessário-Fiquei triste,por ela ter um pá de luvas brancas nas mãos,as colocou,as curvas de seus dedos se atenuaram ao fino te-
cido,Louis beijou sua mão-Tudo bem Vitória,vá tranquila-Ela sorriu,um riso amargo devido a perda,mas ela ofegou ao manter seu vislumbre em Louis-Obrigada,sei
que sentirei soudades até o reencontrar em Athena,me conforte-Ele a olhava.

-E claro princesa,quanto a aquilo que disse-me,éi de lhe entregar o dom,cedo ou tarde,mas eu vou-Ela riu docemente,ele a deixou atenuar a seu leito lhe afagando
os cabelos-Quando pode beijá-la logo após pode vislumbrar Samantha em meus braços-Até mais Lilith-E rompendo a frase curvou-se fechando a pesada porta da li-
mosine,o veículo partiu silêncioso pela Rua na frente da casa.

Só quando parei para pensar e que compreendi-E uma perda entanto para Lestat e Vitória Regia-Isabel jazia ao meu lado,respondeu-me em seguida-Não Lilith,uma
lástima que nunca passará. Eles tinham planos para ele,entende? Aziel foi feito,nasceu para crescer,amadurecer e depois ser feito imortal,não e o que vai ser com a
sua pessoa,muito menos com qualquer outro,afinal,as esperanças de passar por tudo isso,para Lestat e Vitória Regia acabou-Silêncio,ela pensou antes de continuar.

-Tu não vés,mas perante a dor,perante o sofrimento pelo distanciamento do único filho,Vitória Regia está disposta a suprir o vázio da ausência de seu filho ao ter es-
tar na presença de Louis e Lestat para sempre-Compreendi,ao nos prepararmos para entrar,disse-Ah,sim,mas no final de tudo,tudo passará-E com isso seguímos,o
portão bateu deixando o som rouco ecoar.Esperaríamos Aziel,com isso o final da preparação para voltarmos sería definitiva.

E foi como esperado ao chegar o dia,era tarde,16:35 quando chegamos ao aeroporto,Isabel tinha Isabel envolta em um manto negro em seus braços,sua longa túni-
ca de cor amareça em tome escuro oscilando com seus movimentos,ela agia de modo sinuoso,notável ao andar ao nosos lado.Aziel empurrava o suporte para as ma-
las-Que bom que resolveu vir conosco Isabel-Ela riu-Se bem que antes de Louis e Aziel partirem recebi a proposta quase irrecusável de ir com eles passar alguns dias
e noites lá-Aziel não pode responder.

Ele tinha seus óculos escuros,a camisa negra de seda cujo os botões brilhavam sobre ás luzes do aeropor,a bota negra pesada combinando com a calça jeans negra
justa.Eu pensava em Lucy-Ah,céus,que complexo-Ele riu,pude lê seus pensamentos por alguns momentos."Se bem que meus planos para ela são maravilhosos.Não fi-
cará sozinha quando eu partir Samantha".Loucura pensei.Me mantive silenciada.

Enquanto andavámos pensavamos,o som de minha sandália delicada em tom vermelha escuro ecoando aos meus ouvidos,o meu vestido vermelho no mesmo tom de
algodão fino,havia se tenuado com esmero e perfeição as minhas curvas,tinha meus cabelos traçados para trás.Perante o pensar foi como se eu não tivesse percebi-
do nossa parada no balcão da recepção.Entregamos a passagem e com isso seguímos para a pista de voo ao entregarmos as malas devidamente marcadas e etique-
tadas.

-Ah,1° clase,o que mais posso desejar? E isso que adoro ao ser varão de uma família tão antiga-Ele se vangloriova em ser o que era,olhava a cabine devidamente se-
parada,Isabel ficará na cabine da parte de trás,a pequena porta foi fechada pela aeromoça fazendo com que eu e Aziel ficassemos a sóis,ele acabará de tirar os óculos
escuros.

Pensava silencioso-O que há? E como se ouvesse se transformado-Ele riu ao ver-me sentar-me ao seu lado-Nada Lilith,e que são coisas maravilhosas,entende? E que-
ro dizer mais,espero que possa está plena ao chegarmos,preciso respirar,está entendendo?-Sorri,ele segurava firme minha mão-Louco,isso e loucura Aziel,e sinto su-
primida-Ele voltou a rir,seus cabelos ruivos soltos,perfumados,devidamente arejados,o brilho era magnifico,e como citei: Uma cor ruiva rara de uma pessoa obter.

-Ofego,me faz definhar Lilith-Olhei para o nada depois,o avisão estava se preparando para alçar voo,cruzando as pernas famei de modo maldoso só para saber o que
ia responder-Tens a Lucy,Aziel,não a mim,o que eu sou?-Ele se sentiu triste-Lilith disse que ela me esqueceria,que ela tem amante,e ainda o mais,não há mais perigo
entende?-Trevas em minha mente,o avisão partiu depois disso,com a quietude,o silêncio que pairou entre eu e ele,suas palavras não me saíram da mente.

Duante toda viagem Isabel cuidou de Samantha,ela sequer abriu a porta de nossa cabine,eu dormi a maior parte do tempo,foi como se depois dessa troca de palavras
o nada junto a quietude pairassem entre eu e Aziel.Só dei por mim ao ouvir a aeromoça falar."Chega confirmada,todos os passageiros peguem suas malas ao desem-
barcarem".Aziel me fitava,sai com ele.

Logo apóis nóis encontramos com Isabel e Samantha no salão de voo,ela tinha ajido rápido ao pegar a bagagem,mas só quando vimos a Lucy e que me espantei,ela me
fitava de pé,tinha as mãos dobradas a frente,usava saia de carmim em tom rosa bem clarinho,a camisa de linho na mesma cor encatadora ao deixar seus ceios marca-
dos(Bonitos e decotados),ela andou alternando os olhos por todos nóis.

-Nossa,demoraram,mas valeu a pena!-Ela me apertava contra si,foi o mesmo com Aziel,seus cabelos negros se moviam com seu andar.Quando finalmente entramos na
sua limosine (Que ela usava) de locomoção,podemos respirar.Aziel jazia ao meu lado,Isabel ao lado dela com Samantha-Dê-me ela,céus,ela e perfeita-Disse ao pegá-la.
O Aziel colou seus óculos escuros,virou o rosto se perdendo pela paisagem.Quando o mororista terminou de colocar a bagagem no porta-malas fechou as portas e deu
partida.

-Há um delícioso jantar a nossa espera em sua casa,Lilith,só nosso.Céus,mal acredito que estão de volta,e como se tivessem demorado anos-Eu ri-Há algumas coisas a
lhe contar:Estivemos com a mãe de Aziel,lhe direi repois,mas até lá,quero comer,descansar,não lembrar de tantas coisas dolorosas dos anos passados-Ela compreendeu.
Voltou a atenção a Samantha."E você,pequena? Está conhecendo o mundo? Imagino a sensação de viajar pelo ar".Risos ecoaram pela limosine,Aziel moveu sua mão so-
bre meu rosto ao deixar minha cabeça pousar sobre seu ombro.

"E você,querida? Está melhor? Vai querer jantar ao chegarmos? E tarde,logo,logo será noite".Eu ri,o voo tinha sido bom e demorado devido a suas ligações e pausar por
outros lugares até chegarmos-Sim,estou,deixa-me respirar até chegarmos em casa-Ele riu,seu sorriso ecoou pela limosine.Lucy cuidando de Samantha,Isabel trocando i-
déias com ela,mas eu admito: Aziel tinha mudado,um amadurecimento trevoroso,era como se aquele brilho imaturo dele ouvesse saído."Vou descobrir o por quê".Pensei.
E com isso a limosine seguiu viagem pelas lindas ruas da Cidade.Chegaríamos em nosso lar definitivo,já não estavámos mais em nosso lar de passagem (Paris),com isso
a máxima pretenção do recomeço definitivo.Em vislumbre rápido ao Aziel continuar a acariciar-me o rosto,vi o brilho do seu anel,lá estava:O desenho perfeito do que ele
chamava a marca do seu Clãn-Maldito-O respondi.Definitivamente maravilhoso.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 16 Out - 13:24:43

Nem sempre somos preparados para que possamos recomeçar,mas e como disse,Sara,tinhamos conseguido,eu esperei muitos anos de minha vida,após a morte do pai de
Lucy(Meu ex-marido) e agora ao chegar em minha casa tomada desses presságios me sentia plena,feliz,feliz,imensamente feliz depois de muitos anos,e depois dessa prova-
ção,tudo que se passava em minha mente era continuar,cudiar de minha filha.

Mas todo acalanto de redescoberta é perfeito quando estamos prestes a entendermos os motivos,o significado da vida.Eu,Aziel e Lucy jaziamos sentados dentro da limosine.
Claro que Isabel foi a primeira ao decorrer da pequena viagem de volta,a focar suas atenções a Samantha.Eu esperava,a limosine estacionada em frente a casa me causava
pequenos transtornos.Aziel ofegava,pensativo como uma linda aguia.

-Aziel o que tens?-Ele sorriu,deixou-se virar me olhando detalhadamente-E que eu sei que minha felizidade foi reconquistada,demorou Lilith,mas eu sei que tudo valeu a pena.
Falo deu está novamente vivo,de está novamente desperto-Compreendi,foi se tudo isso emanasse todos os significados do que ele realmente pensava,o beijei com imensa
vontade,o risinho dele pairava pela limosine.Ah,que desprazer ao me distradir com a ida de Isabel que levava Samantha á casa,mas porém magnifico ao pressenti que nossa
Lucy nós chamava.

-Vamos queridos,está na hora,chegado o momento-Unisono andar quando seguímos ao lado dela,quando entramos observando os requintados detalhes da mansão,com isso
o meu observar foi pleno,assenti pensando ao vislumbrar o lindo sadão de recepção,a entrada para o jardim aos fundos logo ao lado da linda lareira,o corredor que levava pa-
ra cozinha.

O que se passou em minha mente foi a fome-Lilith,caso queira iniciar o jantar,pode fazê-lo,preciso deixar a menina no seu quarto querida-Compreendi,voltando a atenção pa-
ra Lucy e Isabel me despedi,subi rapidamente com Isabel,quando no quarto esperei que ela pudesse deixar Samantha dormindo na caminha delicada,como citado:Não quis o
que chama de berço,me perdi pelas cores que Aziel e Lucy tinham escolhido para o quarto,quando terminado eu e Isabel descemos ao apargarmos ás luzes.

-Ela vai ficar bem,fique despreocupada querida-Compreendi,em risos entramos no pequeno salão ao terminarmos de descer a escada,o motorista particular de Lucy tinha a-
cabado de deixar as malas em frente a lareira.Quando ele se despediu de Lucy,ela responder-Querido,pode descansar.Não há mais nada com que devemos nós preocupar,
eu irei de Táxi para casa,amanhã me pegue cedo em casa-Depois disso finalmente sozinhos.

Nós direcionamos a imensa é linda cozinha,a mesa tinha sido devidamente preparada,foi como se meus olhos se enchessem de apreciação: Havia camarões grelhados no re-
fratário de vidro cinzento(Brilhoso),macarrão italiano ao molho branco untado com muito queijo,ao final desses detalhes,vi e me deparei com uma garrafa de vinho,taças,mas
o que mais me encantou foi a tijela com salada de alface americana,tomates cerejas.Foi como se a fome se atiçasse mais e mais.

-Ah,céus,obrigada Lucy,admito que matarei a fome com imensa vontade-Aziel riu ao se perder nesses detalhes,sentados a mesa,ficamos agrupados desse modo:Isabel
ao meu lado,do outro lado Aziel com Lucy,os dois que iniciaram uma densa troca de idéias,enquanto eu me servia foi Isabel que abriu a garrafa de vinho servindo a to-
dos nós depois-Querido Aziel há mais alguma coisa que eu possa ajudar?-Ele riu,tinha acabado de concluir seu prato (Tinha se servido com bastante comida,estava famin-
to).

-Não Isabel,tudo que quero e poder está com Samantha depois do jantar-Isso deixou Lucy triste por algo,foi como se ela fosse tomada de pressentimento aterrador,eu a-
tenuava meu olhar passeando detalhadamente por ela,queria lê seus pensamentos,mas não em atrevi,de alguma forma ela sentia ainda em seu coração tudo que aconte-
céra na casa de Aziel em Paris.

Foi como se ela preferisse se aquietar para não se machucar novamente,foi como imaginava,ela moveu o rosto voltando aa tenção ao prato,iniciavámos oficialmente nos-
so jantar,até não nós saciarmos,não sairíamos da cozinha.Lucy ficará triste,isso e fato,em muitos momentos enquanto eu e Isabel falávamos a respeito do que possa nome-
ar de "Organização",ela se arricou a falar com Aziel.

O que me chamou a atenção,e também a de Isabel,foi quando Lucy tiee que responder a indagação de Aziel a respeito de seu amante-Nada querido,isso não tem impor-
tância,tudo bem?-Foi como se ele tivesse levado um tapa na cara por causa dela.Ele ofegou,era impossível não sentir.Eu comia,não parava,matava a fome com vontade.
E eu me senti mais feliz ainda por Redenção ter acatado a minha vontade de espionar,me trazer informações sobre os Seres Bestiais,alias,isso me levava a me livrar de-
le por determinado momento.

E assim foi até podermos comer toda comida servida sobre a mesa,Aziel tinha bebido muitas taças de vinho,sua face corada evidenciava a situação,mesmo assim sua tris-
teza era aparente.Quando Isabel me avisou que ia arrumar as roupas da viagem,me senti grata por ela poder me ajudar.Foi conforme desejavamos até podermos decidir.
Primeiro arrumamos a mesa,deixamos toda louça em ordem após levá-la.

Mesmo assim,essa distração de nós ajudar,não aliviava seus pensamentos sobre Lucy(Constrangimento).Finalmente chegado o momento deu e Isabel subirmos para meu
quarto com as malas,tinhamos deixado Aziel e Lucy sozinhos pensando em toda situação.A troca de idéias entre os dois tinha sido essa:"Não comente e me deixará feliz,mas
eu te amo".Que modos de se comportar,correto?

Quando chegamos ao quarto depois de subirmos as escadas,deixamos as cinco malas desabarem sobre a cama-O que há com Aziel?-Isabel bramiu enquanto abria a primei-
ra das malas-Nada Isabel,não vés? Lucy perdeu um filho dele,entende? Era para ela está esperando mais um filho para Aziel,porém,ele definha em saber que ela ao contrá-
rio da outra vez,está pronta,apta,mas o amante dela...-Parei de falar pensantiva.

-Ah,entendo,Aziel chora por dentro por ela recear em está com ele novamente-Arquei a sobrancelha,ela começou a me entregar as roupas limpas,devidamente dobradas
para eu quardar nas gavetas-Mas eu sei,e tenho que aceitar que Lucy sabe cuidar de Aziel,melhor que minha pessoa,só espero que ela possa entender.Aziel a faria feliz,
entende? Muito feliz-Isabel riu de modo descabido.

Foi como se trovões ecoassem em nossos pensamentos-Sobre Samantha,o que ela achará de saber que seu pai provavelmente poderia ter uma amante no furuto?-Isso
era mentira,a pior é grande mentira com que Isabel se envolverá desde que conheceu Aziel-Ah,ainda não entende? Aziel se nega,entende? Ele sabe que futuramente ca-
so não possa sobreviver a doença celular,sua unica salvação será o sangue imortal oferecido por Hyarian,seu irmão,e ainda me pergunta o que Samantha pensaria?-Essse
preceito de falarmos enquanto arrumavámos as roupas no quarda-roupas estava dando certo,viu?

Maravilhoso.Quando Isabel pode responder,foi por demais belo de ouvir-Deixe-o Lilith,admito que me surpreendeu ao abrires as portas para Aziel,não o seguraria mesmo.
Tu só se antecipas-tes em deixar,permitir,é um rapaz muito jovem,céus,muito jovem.Nem eu na época de Aziel controlava os prazeres da carne-Eu ri de modo descabido.
Ah,se ela soubesse de minhas aprontações com Redenção mesmo estando casada com Emanuel naquela epoca de minha juventude.

Loucura,eu sei,mas maravilhoso.Quando terminamos apagamos ás luzes para depois deixarmos as malas em seus lugares devidamente querdadas.O luar pairava por to-
do quarto-Olha só,e como se a Lua soubesse que cheguei e estivesse comemorando-Quando saímos para o salão,vimos Aziel sentado no sofá,Lilith de frente para ele a
encará-lo,foi como se algo terrível pairasse entre os dois.

Quando me despedi de Isabel,Lucy levantou-se desesperada ainda chorosa para se despedir-Preciso ir querida e por favor,não entre no quarto de Samantha,tudo que a
pequenina precisa e descansar-Ela compreendeu,mas quando eu fechei a porta,Lucy cruzou os braços,não quis olhar para Aziel,em seus olhos,era como se ele tivesse lhe
pedido algo terrível.

-Lucy só lhe peço o que devía esperar,que deixe seu amante,que possa esquecê-lo,está entendendo? Lucy tenho muitas coisas para lhe mostrar,sabe que comigo seria
mais feliz-Isso a constrangia,principalmente ao saber que ele citava isso na minha frente-Aziel,meu querido,esqueça isso,o que aconteceu naquela casa foi passajeiro,o
que eu quis deixar claro enquanto conversavámos,era isso-Isso o silenciou.

Me sentei ao lado dele no sofá enquanto ele a vislumbrava-Ok,então vamos combinar algo?-O ouvi dizer ao levantar-se caminhando em sua direção-O quê? Imagino
o que deves me pedir-Isso o fez se aquietar,deixou as mãos passearem pelo seu rosto-A deixarei decidir até amanhã,ok? Lhe darei as próximas horas para decidir tudo
o que quiser a respeito do que eu lhe disse,confecei naquela casa em Paris,também aqui-Isso a constrangeu.

Quando ela andou pegando a bolsa pode desabar ao tirar um lenço-Maldito,mexe com meus sentimentos-Que lástima,pensei.Quando ele saiu com ela pelo jardim,os se-
gui,ela saiu pelo portão para calçada da Rua-Não sei Aziel,não posso lhe garantir nada-Ele bramiu as últimas palavras-Tudo bem,pense com tranquilidade,depois ligue-me
para dizer sua resposta-Foi uma despedida tormentosa.

Quando vimos Lucy se virar andando pela calçada pensamos.Aziel nunca me parecerá tão aterrador.Quando finalmente a sóis disse-lhe-Fique calmo meu amor,ainda e
muito cedo para induzir a Lucy á pensar nisso tudo-Ele beijou-me aind ana sala.Depois disso subimos.Íamos para o quarto de Samantha,quem sabe ficarmos um pouco
com ela,era tudo que Aziel precisava nesse momento doloroso para ele.Ele subia as estadas comigo pensativo,mas não se deixava tomar pela loucura-Minha filha e meu
conforto para isso,não esperava que aquele mero momento acabasse dessa forma-Compreendia,tinha um dos meus braços pousado detrás de seus ombros,o outro a fren-
te de seu peito.Aziel sofria,e muito.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Sab 16 Out - 14:47:12

Atenuando mais um conceito de pressentimento,aviso que foi gratificante quando entramos no quarto de Samantha,ela dormia silenciosa,parecia que o fato dela está
sozinha não a incomodava,ela achava muito bom.Quando Aziel se curvou a frente da caminha dela a pegou com delicadeza-Vem comigo princesa,acho que não vou
suportar deixá-la sozinha não-Ele não se desgrudava dela,só em presenciar Samantha sonolenta do modo que aparentava,me foi doloroso.

Eu sabia por prévio aviso que Aziel ia se preparar para dormir.Ao estarmos no quarto ele ficou matando tempo com Samantha,eu tinha escolhido uma túnica macia,a
maneira com que ele se perdia em deslizar seus dedos sobre ela,me foi gratificante:O fato deu olhá-lo do espelho da penteadeira foi maravilhoso,enquanto eu escova-
va meus cabelos,apreciava.Aziel movia seus dedos sobre Samantha ao estar deitado de lado.

Só quando eu direcionei a palavra a ele,e que ele pode responder-Só mais um pouco querida,agora sou eu que devo me preparar para dormir-Soube só em apreciar
as palavras que sua pessoa haveria de se martinizar por algum tempo.Tomei posse de Samantha assim que fui em sua direção,ele me fitava como se sentindo amea-
çado-Vá se preparar Aziel,por favor,vá se preparar-Ele atendeu as ordens se esquivando sobre a cama,depois se direcionou ao banheiro.

Quando fechou a porta voltei toda atenção a Samantha,ela me fitava como se pensando-Ah,garotinha pretenciosa-Os delicados risinhos dela me foram encantadores.
Enquanto Aziel se preparava para dormir ao vestir as roupas escolhidas por mim antes deu me preparar,tive vontade de amamentá-la,fazia algum tempo que ela não
comia,que Samantha não retomará syua força.

Deslizei os dedos de minha mão livre já que a outra lhe servia como apoio.De uma gentileza maravilhosa,ela mamou de imediato,seus cabelos finos agora mais cla-
rinhos apesar de andulados-Mudaram um pouquinho,a tonalidade mudou-Brami pensativa.O jeito com que ela fechava seus olhinhos me foi plenitude,isso lhe dava a
calma com que eu necessitava.

Aziel ao meu vê estava demorando para terminar de se preparar para dormir,ao decorrer do tempo ouvi som de água-Vai tomar banho Aziel?-Ouvi risos,pelo visto
sua pessoa estava apenas levando o rosto-Não,não vou,estou humidescendo meus cabelos,levando o rosto-Compreendi,depois voltei a atenção a Samantha.Ela ma-
mava sem parar,sempre a mesma vorazidade com que eu me maravilhava em apreciar segundo após segundo.

Quando Aziel saiu fitou a mim ao andar ao lado da cama-Nossa,ela está com tanta fome,assim?-O olhei em risos,foi como se sua pessoa se sentisse tomado de sen-
timentos-Mas e claro-Ele deslizou a mão sobre a cabecinha dela,alternou o olhar atencioso entre nóis duas-Sobre Lucy,não fique triste,não vale a pena nutrir essa an-
gustia que sente-Ele ofegou silenciosamente,pude beijá-lo por alguns segundos-Obrigada,caso ela decida por não querer,sabe que tenho a vocês,são algo mais impor-
te que tenho que cuidar no momento-O encarava quieta.

Tinha Samantha nos braços a se alimentar,não podia dizer muita coisa,correto? Foi como se essa verdade para Aziel se transmutasse nesse apreciar inesquecível pa-
ra eu e ele-Quer que eu a leve para o quarto?-Ainda não estava preparada para responder,pensava em minha quietude.Não que o risto tivesse sido pavoroso,mas o
risco de viver,tinha sido maior.

-Levé-a,será o melhor a fazer-Ele esperou depois disso,ao me recompor pegou Samantha em seus braços,andando pelo sofá bramiu palavras-Vou trocá-la antes de
volta-Ofeguei,fiquei pensativa ao vê-lo abrir a porta para depois fechá-la.Me encontrei envolta em pequeninas trevas,lamentava imensamente que ele estivesse se
sentindo dessa maneira.Lucy o pegou desprevenido,mas porém,ele e eu sabíamos que depois de tudo,hávia uma esperança.

Fiquei devagando pelo quarto.Aziel estava trocando Samantha,escolhendo algumas roupas frescas para ela no quarto,é o que eu pensava? Que Lucy tinha que de-
cidir rapidamente,que indepedente de tudo,Aziel tinha seu conforto,dei-me a rir ao parar de andar de um lado a outro do quarto-Ele sabe que irá amanhã,já vê suas
devagações a respeito dessa situação-Realidade que matava.

Eu continuei pensando enquanto ele não voltava,eu estava prestes a apagar ás luzes quando ouvi seus passos pelo corredor.Apaguei ás luzes.Silêncio amedronta-
dor.Eu tinha me acustumado como é ter um homem dentro de casa,como e ser casada.Céus,tinha me caso novamente e tinha que me adaptar.Ri silenciosa ainda
de pé-Lilith?-O ouvi dizer.

-Estou aqui Aziel-Risos da parte dele-Samantha está trocada,a deixei desnuda,ela estava com calor,se sentirá fresca querida-Eu encarava a porta ainda o ouivindo
falar-A manta branca de algodão é macia,a confortá por completo-Ofeguei pensativa,a masaneta grirou,não pude responder quando o vi entrar:Um jovem alto,os
cabelos ruivos ainda humidos devido ao fato dele os ter humidecido antes de se trocar,mas o brilho vermelho dos fios se destacava,mesmo ás luzes estando apaga-
das.

-O que há Lilith? Parece que viu um fantasma-E realmente me parecia uma aparição perfeita ao continuar vislubrando esses detalhes,e ainda o mais,suas vestes
como a calça de seda,o longo roupão finíssimo ainda aberto,ele sequer os tinha abotoado-Nada Aziel! Ainda pensando em coisas?-Brami caminhando a sua frente.
O seu susto pairava por todo quarto,fechando a porta ele focou toda atenção em mim.

-Há mais alguma coisa que eu não entendo-O que seria? Pensei ao continuar encarando sua pessoa-Ainda pensando em sua situação com Lucy? Fique calmo,va-
mos para lá amanhã-Ele passou por mim,deitou-se de lado sobre a cama,pensava.Só quando fiz o mesmo só que estando detrás dele pude responder com melhor
detalhe-Entende minhas palavras?-Ele riu docemente,virou-se me encarando.

-Mas e claro,e novamente lhe afirmo: Samantha dorme como um anjinho-Arqueei minha sobrancelha ao enfatizar meu olhar,nossa troca de olhares-Está disposto a
está comigo está noite?-Ele se silenciou,deixou-se averiguar a situação antes de responder-Loucura,Responder ao mover-se se encostando sentado no espelho da ca-
ma-Não Aziel,loucura não-Foi se ele fosse tomado por uma felizidade esperava a muito tempo.

-Sinceramente definho ao apreciá-la Lilith-O pequei desprevenido ao beijá-lo,foi como rosas perfumadas sendo jogadas sobre nossa cama.Ele não correspondeu de
imediato,mas pode mover os braços em direção a minha silhueta.Nada pode responder até pensar nesse lapso de segundos.Nos vimos deitados sobre a cama,eu
por cima dele,céus,ele apertava,apertava com vontade minha silhueta.

Me deparei trocando olhares com ele.Nem a quietude nós fez falar.Me foi maravilhoso desferir beijos sobre seus ombros,boca,depois seu abdômen.Aziel não falava.
Ele não bramia uma palavra,se deparava uma pessoa pesantiva,mas quando o fiz tombar para trás em uma tentativa dele sentar-se,falou-Estou encrencado-De cer-
to modo sim,mas veríamos.Tudo que sei e que peça por peça,nossas roupas começaram a rolar para o chão do quarto,pousando ao lado da cama.

Não lembrava de como era sentir cada detalhe de seu corpo,a maciez se sua pele,cabelos,até mesmo as mãos ao tocar meu rosto,o perfume sentido por mim.Ainda
sofria por dentro,na alma,mas eu sobreviveria depois dessa fase de testes,provação para eu mesma.Ele era voraz,tinha me esquecido de sua vorazidade,só voltei
a lembrar-me com todo detalhe,ao jazermos nesse momento e leito de amor.

Multuo tanto para mim,como para ele.O vento entrava fresco pela varanda do quarto,era confortável o fato das luzes do jardim e dá rua atenuarem a escuridão
junto ao luar.Entende o fato de meus gemidos ecoarem pelo quarto? A muito tempo tinha me esquecido e novamente me deparava nesse momento,era como se
a minha pessoa retrocedesse aquela maldita noite em que ele chegou.

O beijava com vontade,a macies de seus lábios se encontrando com os meus.Céus,não me importava,mas poder curvar as mãos detrás de suas cortas e sair ar-
ranhando a pele de suas costas,me foi gratificante.Ele soube como me tratar,como fazer funcionar aquele maldito pau duro que me entrava como um bastão entre-
as pernas."Calado!".Pedi quando ele arricou-se a parar,a falar alguma coisa.

Deixei meu rosto pender para trás sobre o travesseiro,meus olhos fechados,ele que me agarrava forte a perna.Retrocesso,simplesmente isso,ao fim de tudo,tive
o espanto dele virar de lado,ofegante a não falar nada-Disse que me conhecia muito pouco Aziel,muito pouco.Lamento por se sentir,assim,ao começar a compreen-
der suas palavras-Ele olhou para o teto,se sentia martinizado por isso,essa verdade que só agora ele começava a vê.

Quis desferir alguns beijos sobre seu rosto,depois seu peitoral que sempre me foi agradável,sendo delicado,mas robusto devido a sua masculinidade-Não brinca
comigo,te implorei e volto a lhe implorar novamente-Disse-me choroso-Entendo-Lamentei novamente-Sabe que suporto perder Lucy,mas você? Me seria a mai-
or das trajédias-Ofeguei silenciosa,e foi nesse momento que me deixei acolher por ele.

-Indiota és Aziel-O respondi fechando os olhos,em seguida lembro a escuridão me tomar,me envolver.Durante toda noite pude sentir em determinados momen-
tos ele me afagar os cabelos,sonolento,mas uma vez ou outra me fazia carinhos,carícias esperadas.Dois dias,é o que acontece? Durante a tarde Isabel me liga de-
sesperada avisando que Lucy brigará horrores com seu amante em frente a casa dela,em uma visita.

"Não sei querida,horrível,horrível.Tudo que peço e que vá até lá".Compreendi,e com isso me silenciei ao me deparar pensativa.Me preparei enquanto Aziel não
voltava de seu doce passeio com Samantha no bosque.Escolhi um de meus vestidos: Ele ia até a altura dos joelhos,justo sobre os ceios e volgado conforme ia
descendo sobre minha silheta.A cor oliva reinava no algodão,viu?Eu tinha acabado de calçar a sandália quando percebi que Aziel chegará.

Desci apressada desligando todas ás luzes.O encontrei no jardim,pensava no que acontecia."Precisamos ir para Lucy,sabe que tinhamos ficado de ir lá,mas sou-
be de uma discussão,devo apressar minha ida,Aziel-Ele me encarava estupefado.Tinha Samantha aconchegada sobre seu ombro-Infernos-Bramiu.Saímos pelas
Ruas da Cidade,não me atrevia a dirigir,principalmente sabendo que eu devia ter Samantha junto a mim.

Aziel o fez com a maestria que só ele sabia.Um maldito jovem com sua calça jeans tipica,a bota curta,uma surrada camiseta branca deixando seus braços desnu-
dos.Não trocamos nem uma palavra durante nossa ida,mas entenda,ao chegarmos e estacionarmos o carro,percebi o desespero de Lucy mesmo de longe,estando
ainda dentro de casa.

Tocamos a campainha várias vezes,mas só quando ouvimos passos do lado de dentro e que ficamos calmos.Aziel segurava Samantha,eu esperava.Andei para
trás quando Lucy abriu a porta chorando aos borbotões,ela simplesmente voará em minha direção.Tinha passado a noite chorando novamente,pelo visto estava
em um momento de depressão,a abracei mesmo espantada-Entra,que bom ter vindo,lhe explicarei tudo,como foi-Olhei de lado para Aziel,era como se ele me res-
pondesse silenciosamente."Isso e enlouquecedor".Espanto! E assim,envolta na loucura e vestida com calça de seda negra,roupão de seda,Lucy nós esperava en-
trar em sua casa.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 17 Out - 13:14:20

Foi como se o tempo tivesse parado,como se o tempo se transmutasse em vários cristais cintilando ao vento.Lucy nós encarava pensativa,permeava todo observar entre
eu e Aziel.Será que ele compreendi? Provavelmente,sim,apesar de enlouquecedor,Aziel ficou silencioso,eu e ele ainda pensavámos se íamos ou não entrar.Foi quando ela
passou por nóis,vislumbrou o Porshe estacionado na vaga no jardim.O lindo jardim de sua mansão ardonado com uma linda cerca tomada de rosas amarelas,a grama per-
fumada.

-Será que eu realmente tive coragem?-Bramiu ela pensando no que fária a seguir.Tudo isso se tornou imutável,transtornador.Aziel a olhava ainda segurando Samantha.Eu
averiguava a situação de Lucy-Querida vamos entrar,não e momento de ficares aqui,acho que apesar de tudo,depois disso,deve entrar-Ela compreendeu,mesmo assim,eu
me mantinha pensativa,analisava a situação.

-Tudo bem,Liliyh,acho que não posso eperar mais,correto?-Ah,sim,agora ela falava minha linguá,sem dúvida de que sua pessoa começava a compreender meus conceitos.
O vento frio vinha de encontro a seu rosto,os cabelos negros voavam para trás,ela pousou o olhar sobre as arvores do lindo jardim,depois sobre a linda mesa de vidro ar-
donada com suas cadeiras,a cobertura sobre a mesa me foi uma visão maravilhosa.

Finalmente ela tomou ar para poder entrar.Sua mansão têm quatro andares:O primeiro trata-se de uma imensa sala com a cozinha aos fundos,lareira na sala,no segundo
andar ficava a leva com os três quartos de hospedes (Um lindo corredor entre esses quartos ardonado com mesas com jarros de flores,quadros como decoração,quando se
ía para o terceiro andar só podía esperar um lindo salão com um imenso tapete vermelho,uma mesa de escrever,livros nas prateleiras,uma varanda.Mas em espécial eu
sempre gostava do quarto andar:Era aonde ficava seu quarto,uma suit para ser clara.

Devo citar esses detalhes antes de que eu passe para o momento em que finalmente entramos.Foi como se toda a visão descrita por mim nesse momento,Sara,viesse ao
encontro de meus olhos.Aziel desejou sentar-se no sofá negro (Imenso),gradualmente sua pessoa se manteve silencioso,foi como se ele se envolsesse em um notável cem-
blante de nostálgia.

Ele tinha Samantha junto a si,Samantha que arqueava os bracinhos a frente,observava cada detalhe do que poderíamos fazer,reagir,enquanto isso minha pessoa sentiu-se
como um espião,só que eu estava em um lugar conhecido,como deve supor.Só quando Lucy decidiu sentar-se na linda poltrona e que eu sentei ao lado de Aziel a encaran-
do com todo detalhe possível.

Será que pode supor isso? Acho que,sim,Sara,então veja:A voz de Lucy começou a ecoar pela imensa sala-Não que tenha sido um modo cruel deu o dispensar,Lilith,mas
eu lhe garanto que ele compreendeu com a máxima perfeição que se possa imaginar-Aziel até o momento impactado,ressentido por muitas coisas,como se ele estivesse no
lugar dela.Ofeguei antes de responder,a olhava de pernas cruzadas,ela que tinha uma das mãos erguidas abaixo do seu rosto tão delicado.

-Entendo,mas qual argumento usas-tes para que pudesse fazê-lo entender?-Isso a deixou pensativa,só quando ela arqueou o cenho de sua sobrancelha e que teve ousá-
dia de responder-Ah,sim,e claro.Sem dúvida de que deseja essa resposta-Aziel nesse momento se encheu de análise,de pressentimento em prol de um notável remanes-
cente de descobertas,seus olhos verdes brilhavam por algo,mas porém,quando Lucy explicou os motivos,a decepção pairou sobre ele.

Pelo visto sua pessoa esperava um outro motivo-Não o amava,simplesmente,isso,pedi em segredo que ele pudesse se divorciar de sua esposa,para que viesse morar comi-
go,mas não foi o que eu ouvi,Lilith-Lamentável! Não esperava que ela o amasse tanto a ponto de lhe pedir uma coisa dessa natureza.Entende como devemos esperar uma
auto-análise em prol de nossas descobertas?

Foi o que aconteceu-E isso foi o bastante para que sua pessoa não o aceitasse mais,para que mesmo magoada rompesse com ele-Ela ofegou tristemente,não olhava
para Aziel,pelo visto desejava unicamente minha presença.Admito que até o momento,Lucy se demonstrava despretenciosa demais,foi como risos envoltos em uma
descoberta maravilha-Isso mesmo,mas bem,acho que chorei o que tinha que chorar,que minha pessoa disse o que tinha que dizer a ele-Agora eu compreendi por com-
pleto,havia aceitado e absorvido toda questão.

E quanto ao Aziel? O que se passava em sua mente depois de tudo? Tudo que sei e que o modo como ele se sentiu tomado,como ele se envolvia em sua quietude me
foi inesperado.Mas me foi adorável presenciar Samantha arqueando as mãozinhas a frente,os seus risinhos quando Lucy lhe voltou toda atenção,enquanto isso Aziel en-
volto em uma situação dolorosa,foi como se nesse momento eu já soubesse o que ele ía fazer.

-Querida peque Samantha e vá para seu quarto,pode me esperar lá? Eu resolvo essa questão-Lucy obedesceu minha ordem,pegando Samantha para si,deixou-se olhar
para Aziel,foi como se sua pessoa pressentisse todo contexto.Foi amargurante vê Aziel tirar o maço de cigarros do bolso de sua calça,de tão nervoso que estava me foi
arrebatador observar ele acender o cigarro com as mãos trémulas.

-Aziel por quê se sente assim?-Lucy o questionou,mas apesar de tudo,ele soube lhe dar bem com a situação-Nada querida,nada.Pode subir,sou pretencioso demais em
envolver-me em uma situação como essa,correto?-Mesmo assim,ela quis continuar o questionando a respeito do que ele sentia-Ainda e por tudo,correto? E por tudo o
que aconteceu?-Ele a olhava transfornado.

Quando ele levantou-se a encarando profundamente deixou-se a questionar de imediato-Diga-me antes de subir Lucy: Em algum momento,falo do bebê.Ele significou
algo para você?-Isso a deixou transtornada,tomada de sensações trevorosas-Esqueça isso Aziel,nada daquilo mais me importa,está entendendo?-Foi como pude ve ni-
tidamente os olhos dele se marejarem.Voltei o olhar a Lucy.

-Querida suba,daqui a pouco eu vou precisar arrumar Samantha,tudo bem?-Finalmente ela subiu,subiu pela linda escada em espiral com degraus de mármore.Vi Aziel
desabar sentado no sofá,ele que tinha o cigarro em uma das mãos-Querido o que há contigo? E como se muito ainda não lhe fosse recuperado-Ele fitou-me ao sentar ao
seu lado,o choro era alto,forte,seus ombros se sacuriran rapidamente devido aos seus soluções.

-Aquela criança,ela significava muito para mim,está entendendo? Lilith consegue entender quando lhe digo que era para aquela criança está em meus braços?-Foi como
se trovões pairassem aos meus ouvidos,como se sons trevorosos não parassem de entoar aos meus sagradoa ouvidos.Ofeguei antes de responder ao Aziel,aos poucos
era chegado o momento deu subir e não queria deixá-lo sozinho,principalmente sabendo que ele se sentia assim.

-Aziel nem sempre podemos ter tudo querido,por favor,tente melhor,esquecer tudo aquilo,para Lucy ter rompido com seu amante não foi por você,mas por motivos pes-
soais dela-Ele se manteve quieto,mesmo assim,o choro continuava,só agora e que o choro começava a amenizar-Pensei que ela tinha rompido por mim,nosso filho perdi-
do-Agora,sim,eu sabia que ele falava com a profundeza de sua alma recentemente destruída.

-Promete? Espero uma resposta Aziel-Nada ele respondia-Aziel quero que prometa-me que vai melhor.Não por mim,mas por Samantha,ela não merece isso,está enten-
dendo?-Ele riu secamente antes de responder,se curvou a frente me desferindo cálidos beijos,tinha o cigarro entre os delicados dedos de uma das mãos,vi o anel com o
embrema do Clãn Lioncourt cintilar quando ele afastou-se.

-Tudo bem Lilith,pode subir,me deixe acalmar-me-Levantei-me delicadamente,vi quando ele tragou o resto do cigarro de canela(Seu predileto) e depois,ainda trémulo de-
vido ao nervosísmo o apagar no cinceiro a frente sobre a linda mesa de centro-Preciso ir querido,preciso cuidar de Samantha antes que ela cause uma guerra querendo a-
tenção-Ele riu secamente,tirava um novo cigarro do maço o levando a boca.

Ele tremia todinho,por inteiro,mas passária,eu sabia.Quando segui pelas escadas,compreendi por completo o que se passava em seu coração,tudo que sabia e que ele pre-
cisava passar por ele."Pobre Aziel,ele tinha esperanças que Lucy o amasse,que ela voltasse para ele,mas não e o que vejo aqui".Que doloroso,pensei.Quando entrei nos
corredor do último andar,fui para o quarto de Lucy.

Era lá que jazia a linda suit a qual ela estava com Samantha.Entrei fechando a porta,a paisagem era maravilhosa ao vislumbrar a varanda com uma linda mesa de mármo-
re negro (O jarro como enfeite cheio de flores),sua cama era imensa,redonta,os lençóis de cor oliva combinavam com os detalhes da porta do banheiro,a porta do gloset de-
la.Ela todo esse tempo estava deitada sobre a cama com Samantha.

-Obrigada por ter vindo querida,admito que isso me enche de alegria-Sorri sentado a beira da cama,Samantha jazia ao lado dela sobre uma linda manta azul,os desenhos
de Lua em cor dourado me encantaram,ela movia os bracinhos a frente-Lucy aquela resposta ao Aziel,não foi pretenciosa demais?-Ela olhou-me rapidamente,deixou-se a-
veriguar a situação antes de responder:

-Não acho,mas eu compreendo que ele ainda se sinta magoado-Assenti me movendo pelo quarto,procurando sobre a cama as roupinhas de Samantha-Entendo,mesmo as-
sim,eu espero que possa aceitar e compreender a situação de Aziel-Peguei Samantha nos braçoz,ela estada despida,Lucy fez bem em tê-lo feito a deixando fresca,sem calor.
-Obrigada querida,sabe se podemos dormir aqui?-Ela riu docemente ao mover-se sobre a cama e sentar-se de pernas cruzadas.

-E claro que,sim,sei que a noite logo virá,alias,já está beirando a Cidade,então que seja,há os quartos de hospedes,poderá dormir lá com toda tranquilidade possível-Isso me
deixou tranquila,eu olhava de lado mantendo a atenção em Samantha.A pequenina movia os bracinhos a frente,Lucy levantou-se me encarando,deixou-se parar ao meu lado
fitando Samantha,ela que deixou seu rostinho se mover encostando-se sobre meu ceio-Nossa,ela sabe,está com fome-Eu ri perante as palavras de Lucy.

-Só vou amamentá-la depois querida,mas antes disso ela precisa tirar uma soneca-Lucy moveu o rosto em aceitação,pelo visto se sentia melhor,tomada de pressentimento.
Samantha a olhava de ladinho conforme jazia em meus braços,Lucy moveu a mão sobre a cabecinha dela,isso a fez fechar os olhinhos.Pena que nesse momento nem eu
pudesse apreciar a cor cinzenta dos olhos de Samantha.Presságio-Maravilhoso-Lucy bramiu em risos pelo ato de Samantha.Apartir desse momento esperaria Aziel se acalmar.
Que ele pudesse se recompor.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Ana Nery em Dom 17 Out - 16:11:25

Agora compreende toda situação pela qual eu e Aziel passavámos: Foi todas essas coisas que se passaram em minha cabeça quando me envolvi nessas atenções com minha
filha.Foi maravilhoso quando eu e Lucy seguímos para o banheiro,vislumbrei a imensa banheira de puro mármore,o box com portas de vidro cintilando de tão limpos,a imensa
pia em sua cor vermelha pairando ao se destacar no banheiro.

Ela deixou a banheira encher-Não precisa encher muito Lucy,e só para dar banho em Samantha-Isso fez Lucy rir por alguns segundos,o roupão negro dela se movia delicadamen-
te.Nem sempre podemos sair vitoriosos,novamente volto a avisar.Quando finalmente soube que a temperatura da água estava perfeita,me curvei a frente da banheira setando-
me na borda,foi quando Lucy saiu para procurar alguma toalha que servisse para Samantha se secar.

-Ah,pequenina,esse calor passará,eu sei,logo,logo passará-Eu a banhava,limpava seus bracinhos,perninhas,as mãozinhas tão delicadas,movia as mãos por todo seu corpinho.Is-
so a deixava bem,a refresca de verdade.Enquanto isso admito que minha preocupação com Aziel se tornava sequida.Será que é por isso que ás vezes a gente enlouquece? Es-
se modo de pensar não deixou de ser real enquanto dava banho em minha menina.

Enquanto terminava de deixá-la limpa e fresca-Não vai se alimentar agora Samantha,deverá esperar um pouco menina rebelde-Ela me olhava,eu a tinha apoiada para baixo so-
bre uma de minhas mãos,com a outra esfregava suas costas,ombrinhos que me deixavam nervosa de tão pequeninos.Ela movia os bracinhos a frente de seu rostinho,tinha suas
mãozinhas fechadas,e nesse momento ela deu-se a chorar.

Foi como se ela tivesse percebido minhas palavras,como se ela odiasse saber que ía demorar até poder mamar.Tive pena,tanta pena! Me doeu o coração saber que aquele
serzinho tão delicado e pequenino,podia saber das coisas mesmo não podendo falar.Ela chorava muito,alto,com vontade.Quando Lucy veio eu a olhei entrar no banheiro,ela
entregou-me uma toalha finissíma de tão delicada,macia.

A cor rosa em tom escuro me encatou-Obrigada Lucy,finalmente ela se sente melhor-Lucy me encarava em risos,apesar de ainda ter o rosto corado devido aos momentos
de choro devido ao rompimento com seu ex-amante-De pé enrolei Samantha,ela ainda não tinha parado de chorar,me fitava movendo suas perninhas e mãozinhas,foi co-
mo uma guerra! Ela guerreava me encarando profundamente.

-Nossa,ela sabe chorar-Brami terminando de secá-la.Quando saímos do banheiro Lucy desligou ás luzes,ela mesma tinha tirado o tampão da banheira deixando a água escor-
rer pelo ralo.Me sentei a beira da cama fitando Samantha ao ser colocada por mim sobre meu colo-O que quer menina?-Disse conforme a observava,sentando ao meu lado
Lucy desferiu a verdade alheia-Fome ela tem,e digo mais: Ela está fortinha,tenho que admitir-Eu ri.

-E claro,correto?-Que maravilha! Quando terminei de esperar Samantha parar de se rebelar,pude amamentá-la,a mantive envolta na toalha para que ela não voltasse a sen-
tir o frio doloroso-Olha isso,ela sabe como ser rebelde,admito que não queria amamentá-la,não agora-Brami.Foi quando ouvimos os passos de Aziel,ele entrou no quarto ate-
nuando seu olhar sobre eu e Samantha.

-Nossa,ela se rebelou como uma guerreira,acredita que ouvi seu choro lá de baixo?-Que assustador pensar nessa situação.Com o passar do tempo continuei a amamentá-la.A
minha pessoa se surpreendeu ao perceber que Aziel passaria algum tempo na picina.Não falei nada quando ele desceu para o andar dos quartos de hopedes."De lá descerei,es-
tarei na picina".Silenciosamente meu coração bateu forte.Fiquei sozinha com Lucy e Samantha.

Apóis isso tudo eu deixei Samantha dormindo sobre a cama de Lucy-Ela poderá ficar um tempinho aqui antes de tu e Aziel irem para um dos quartos de hospedes-Isso dei-
xou-me feliz.Antes de descermos apagamos ás luzes,com isso deixei a toalha no jesto no banheiro.Samantha dormia sobre a sua manta,não acordaria tão sedo-Nada de rou-
pas,acho que depois de mamar tanto ela precisa espadecer seu corpo.

Me foi destruídor me direcionar com Lucy aos fundos do imenso jardim da mansão,lá jazia a imensa picina com cadeiras enfileiradas uma ao lado da outra,a noite começava
e com isso uma reviravolta naquele relaxamento precioso para Aziel.Eu e Lilith sentamos na mesa ao lado da picina,Aziel não aparecia,ainda natada subemerso nas águas.Ás
luzes acesas iluminavam todo lugar.

-O que ele pensa?-Brami,mas não estava preparada para vê-lo aparecer na outra borda,ele fitou o laptop sobre a beira da picina,seus cabelos grudaran-se sobre seus om-
bros.Ele não quis chamar minha atenção,muito menos a de Lilith,mas sabia que eu e ela estavámos presentes.Ele ainda se sentia HUMILHADO mas sobrevivia-O que o
maldito tem?-Assenti movendo o rosto para Lucy.

-Aziel não se dá por satisfeito até não ter o que quer-Isso a deixou assustada,tomada de pensamentos-Isso me asusta-Foi quando ela levantou-se seguindo pela borda,eu
me mantive quieta presenciando a cena com toda delizadeza possível.Quando ela parou de pé na frente dele e sentou-se ao lado do laptop a qual ele mexia,disse-Não dis-
se para usar meu laptop Aziel,isso e invasão de privazidade-Até o momento ele não se atrevia a responder.

-Acha mesmo? Não estou mexendo em seus arquivos,apenas tomando emprestado para meus serviços por dado momento-Isso irritou tanto Lucy que a fez levantar,quan-
do parou perante mim disse que ia subir,descansar,que de lá deixaria Samantha em um dos quartos de hospedes.Compreendi e quando sozinha com Aziel segui pela bor-
da da picina,ele moveu o rosto fitando-me como se eu fosse uma aparição.

-Será que pode ser mais cordial com ela? Ela não merece isso,sabia?-Ele voltou a atenção para o laptop,o desligou para depois fechar,me fitou tomado de raiva-Veremos o
que será cordialidade,até quando ela ficará com raiva-Espantoso vê-lo sumir nas águas.Ficaria mais um tempinho nadando,ofeguei para depois me direcionar a mansão,eu
acabei por direcionar minha atenção a Samantha ao entrar em um dos quartos de hospedes.

Por eu sentir a presença dela foi fácil encontrá-la ainda ardomecida jazendo sobre a linda cama de casal.A cama era imensa forrada com lençóis em tons cinzas,as fronhas
brancas bordas.Que Lucy dormisse com vontade.Ela merecia está em seus aposendos na suit do último andar.Deitei-me sobre sobre a cama mantendo todas as atenções
voltadas a minh Samantha.

Se passaram vinte minutos até Aziel chegar,me espantei por vê-lo ainda molhado,nú a ter uma simples toalha enrolada na altura de sua cintura-Melhor Aziel?-Nada podia
fazê-lo falar,nada.Mas só pela expressão de seu rosto,sim,ele estava melhor-Gratificante saber que ela mantém roupas frescas para seus visitantes-Que louvável,penseu,o
maldito mexia na gaveta da cômoda,quando chegado deixará o laptop sobre o lindo moveu (Ao lado jazia um abajur e jarro com flores artificiais).

Enquanto eu mantinha minha atenção em Samantha que dormia ao meu lado,ele se vestia:Hávia escolhido um roupão em tom prata-escuro,a calça da mesma cor,viu a
sandália trazida por Lucy-Nossa,que requinte-Riu de modo descabido.Foi como se trevas o envolvesse por completo,ele abotool o roupão de seda,o conjunto o deixava
cheio de luxo,a faixa pendia ao lado.

-O que quis dizer naquele momento?-Ele deitou-se ao meu lado-Nada Lilith,me sinto chocado,tomado,só isso,sinto raiva-De se esperar,ele se moveu deitando de lado,en-
carando Samantha dormindo entre eu e ele-Não me acorde querida,preciso sonhar,estou cansado-Ao vê-lo fechar os olhos ouvi o clic no interruptor,foi como se a escuridão
envolvesse a mim e ele por completo nesse momento.

Tudo que lembro e que o tempo transcedeu como brisa do mar.Uma vez ou outra eu sentia Samantha se mexer tentando se aconchegar a mim,tentando sobreviver ao
está entre eu e sei pai que descansava ao meu lado.Fazia tempos que eu não sentia nada de diferente,mas senti,Redenção pairava pelo lugar."Estou chegando querida".
O perfume dele foi sentido como malva de provação.

Foi certo,principalmente ao não sentir mais a presença de Aziel.Senti quando ele se moveu ao meu lado,mesmo delirante eu ouvi quando ele bateu a porta temeroso,o
medo de acordar-me.Pensei que ele ia tinha ido para a sala,mas só quando em meio aos delírios ao sentir a mão de Redenção deslizar pelo meu rosto,e que soube,que
as visões me vieram a mente.

Ele foi cruel ao precionar minha cabeça contra o travesseiro macio,eu me deparei encarando o teto,a boca aberta devido a pressão da mão de Redenção.Eu enchergava
tudo:O maldito havia subido até os aposentos de Lucy,pelo visto ele não se daria por contente até saber da resposta FINAL de Lucy.Vi Aziel sentar-se a beira da cama,a
encarar ainda em meio ao sono.

Lucy dormia docemente,tinha escolhido uma de suas lindas camisolas de seda,a cor negra se destava sobre o tom clarinho de sua pele."Quem e pretencioso agora? Não
admito que me chamem de pretencioso.És má ao negar-me.Ah,Lucy vou perpetuar meu sangue novamente,não seja indescente comido".Isso foi como trovões ecoando
aos meus ouvidos.Redenção não perdoava,me fazia ver tudo.

Lucy abriu os olhos sonolenta,viu Aziel sentado ao seu lado,isso a assustou de tal modo que a fez levantar-se."O que faz aqui? Imagino o que Lilith deva está pensando".
Aziel sorriu ao levantar-se."Não Lucy,ela está dormindo.Eu preciso ouvir novamente,de sua boca.Me odéia de verdade? Realmente tudo aquilo nada significou para tua
pessoa?".Ela deu passos para trás.

A alça fina da linda camisola longa,justa as suas curvas,deixava seus ombros desnudos."És maldito,brinca com meus sentimentos".Ah,finalmente ele chegará a conclusão
que ela hávia mentido."Ah,então quer dizer que foi por mim? Rompeu com aquele maldito por mim".Que aterrador pensei.Ela o encarava tomada de nervosísmo,mas o
Aziel soube como lhe dar com a situação."Vamos Lucy,espero uma resposta".

Isso a pegou desprevenida a tal ponto que o próprio Aziel teve que agarrá-la em meio a escuridão do lindo quarto pelos braços,a olhava tomado de ancia por uma respos-
ta."Eu não posso lhe responder querido,e envão".Muito nervosa,mas quando o coitado e artomentado Aziel a beijou,ela soube como repreender lhe desferindo algumas ta-
pas em seus ombros,mas quando ele ameaçou afastar-se,algo havia mudado.

"Ah,céus,o que eu tenho a perder com isso? A ganhar?".O encarava,ele responder por ele ainda envolto no ressentimento de suas palavras."A mim,Lucy.E meu momen-
to de uma vitoria pessoal,está entendendo? E o que preciso".A beijou novamente,ele dava passos para trás,só quando ele foi impulsionado a sentar-se sobre a cama ao
sentir-se aproximar-se de sua beirada e que ela o atiçou."Me condena Aziel,me sinto condenada".

O modo como ele deixou-se tombar para trás sobre a cama foi como preceito para Lucy.Ela tremia ao beijar os lábios de Aziel.Sem instantes terminará de desabotoar o
roupão de dormir dele,o encarava."Há tempos o odéio".Finalizado,foi como estouro de sentimentos dolorosos para ele,mesmo assim ele souberá que em sua face,Lucy
desferirá sua resposta de aceitação.Era uma briga pessoal.

Pisicologica e pessoal entre os dois que se beijavam,se olhavam.Aziel moveu-se por cima dela,deixando suas mãos deslizar pelas pernas de Lucy moveu o tecido de sua
veste para cima.Ele gostava disso."Soudades meu querido,mas não vitoriosa".Ele se afastou movendo as mãos na direção dela,a ajudou a levantar-se,a encarava cheio
de profundidade ao vê-la de pé a sua frente.Lucy moveu os delicados dedos sobre seus ombros,abriu os dois delicados broches que prendiam as alças de sua veste.Nossa,
Aziel quase apagou ao vê a bela camisola dela deslizar pelo seu corpo até o chão.

"Me fará feliz,eu sei que vai".Pronto,o conforto e alívio vinham ao seu olhar.O impa-se foi malva de apreciação para ele.Quando juntos naquela linda cama,soube que a
noite iria longe para os dois.Continuava amaldiçoando redenção pela visão:Aziel se movia por trás dela,fazia com que Lucy se colocasse subimissa perante ele.Vislumbrar
ela curvada a frente dos travesseiros me foi doloroso.

Ela apertava os travesseiros com força,tinha o seu rosto pousado a frente,Aziel foi cruel,tão cruel! Beijava os ombros de Lucy ao está curvado sobre ela,jazia atrás dela
beijando seus cabelos,ombros,a nuca ao afastar os cabelos.Era cruel de verdade,conforme a união era presente,Lucy se segurava para não gritar,mas quando seus lábios
se moveram deixando o grito de prazer ecoar,ela pediu mais."Continua,continua!".

O corpo dela ao está docemente curvado daquele modo,servia como um bom apoio para Aziel.O tempo se transmutou,tudo que podia esperar era que Lucy estivesse
destruída quando Aziel parou ofegante,deixando seus gemidos virem,ecoarem docemente pelo quarto,aos ouvidos dela,o gozo que para ele foi como alívio,redenção de
alma."Disse que não ia perdoar,odeio perder,eu não perco".Bramiu ao deitar-se ao lado dela,ela que ficou encarando o teto ao pensar,se recontruir depois de tudo."Mal-
dito".Ela se virou de lado se mantendo deitada,puxou o lençol sobre si e ficou choramingando.

Nesse fim de visão Redenção ritou sua mão de mim,me vi sentindo o mesmo que minha grande irmã-Maldito,violentada,que maldito!-Quase gritei,e foi desse modo que
Redenção,fiquei fitando ele conforme ele esperava-Tenho novas para ti rainha,que soudades-Compreendia.Ofeguei,e foi como surpresa,mas adorável olhar para meu a-
mado Redenção,ele que olhava Samantha-Mais linda que nunca-Bramiu,ri secamente deslizando os dedos tentando secar as lágrimas.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue-Parte III "Conseguências e Atos"

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum