***Gelo De Sangue***(3° Conto)

Página 3 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 51

Mensagem  Ana Nery em Sab 10 Jul - 18:22:43

Soltava mil agradecimentos por Buda ter me deixado cair na casa de Tompei,destravei todo portão de modo a pular por cima,os quardas houviram e vieram saber o quem estava para entrar.Quando viram que se tratava de mim trataram de imediatamente abrir a mansão em que ia me acolher,odiava está desnudo daquele modo,meu corpo doia como nunca senti na minha existência "Sou realmente um ser enloquecido".Fechei a imensa portá de entrada na chave para não ser incomodado.

O sangue não deixava de escorrer,tirei a faixa do rosto e subi para o banheiro por que meu desejo de me limpar falava muito alto,a noite estava começando a entrar no méio conforme a madrugada corria,quando naquele banheiro me deliciava com o toque dá água,chorava ao meu pranto,minhas unhas aranhavam bem de leve o box de tanto ódio vindo de dentro.Meu calor esvaindo a quase não sentir e nem ver nada.Minha visão agora seriam meu guia,o que chamo de mente avida.

Por ela sentia as gotas de sanguê cairem sobre aquela água suja,as mãos limpando todo o corpo,a pele sobrenatural ia fechando completamente,esperava que o Tompei me pudesse me trazer o Louis seguro,Memhoch naquele gesto louco tinha esmagado os olhos do meu e tão sagrádo anjinho angelical,passava os dedos no abdômen e realmente iria demorar um pouco mais para cicatrizar,ainda saia alguns goles de sanguê pela boca,fiquei áli até minha segurança voltar.

-Preciso suportar,estou definhando mas preciso suportar por que não devo perecer nessa Guerra Santa.Desgraçado Memhoch,eu amaldiço-o você !

Bati a testa na parede nessas citações,não conseguia chorar e nem uma lácrima de sanguê saia,como a obscenidade me contaminava,conseguia naquele pairar de braços esticadoa a frente me locomover pelo quarto de Tompei,algo me procurava mentalmente,sabia que se tratava de Thalwa,desde que consegui sair do inferno ela entrava em contato comigo.Estava pertubado,enquando não soubese que o Louis estava bem jamais me sentiria em paz.

Quando me sequei com aquela toalha desci ao Sotão de ferro para me recolher,só iria me vestir ao acordar,sabia que todos estáriam presentes.Apenas lamentava por minha perda de alma e vigor,a tampa do caixão ao centro fechou ao meu gesto solene.Todo sono com a pertubação vieram a mim.Ria novamente da desgraça queimando no sanguê.

As horas se passaram,vieram como o toque de querubin para me fortalecer;como nunca eu sentia na vida,conseguia ver novamente o vislumbre do meu sentimento macabro por Louis;como a loucura tinha falado mais alto,conseguia velo com Maharet,a mãe falava a mim me passando as imanges.Mesmo longê ao sentir minha chegada na Terra entrou em contato imediato comigo.

-Não tenham pena de mim queridos por que aos poucos estou morrendo.

"Querido Lestat tenha força".Fiquei gráto por ela me procurar,as imagens chegavam bem fortes naquele sono sedoso,Tompei pelo que ela me passava estava conseguindo colocar os meus olhos naquele rostinho perfeito que só o Louis podéria ter e que no passado me apaixonei loucamente.Minha missão estava comprida diante dessa informação.

"Isso;façam sem piedade Maharet".Ela confirmou com um meigo aseno ao ter um vislumbre do seu rosto doce;foi assim que terminou essa noite longa que me trouxe sérias conseguências.Toda força véio me tomar,me enchia de poder conforme me recuperava;mesmo com as marcas fechando séria impossível tudo não ficar perfeito e ficou.

Todo dia se passou até que a noite aos poucos voltava,sozinho e sem companhia esperava muito ancioso por saber o ressultado de minha loucura feita no inferno.As presenças viam a minha procura quando chegaram;a voz de Maharet me chamava quando entrou pela mansão.Finalmente eles tinha chegado naquele começo de escuridão nos céus do Rio Grande Do Sul;pude sair a me recolher contra a parede de ferro.

"Não cheguêm perto de mim!".Não gostária que me vissem naquele estado deploravel mas a porta pesada e trancada forá destravada por Tompei a chamar ao David,senti um denso e gostoso manto me ardonar o corpo,não soube de qual cor por que mentalmente erá quase impossível saber.Só o toque ao meu rosto era sentido por mim mas a visão envolta em seu repleto escuro.

-Está áqui não e David?Pode me dizer em que canto do sotão está?

-A sua esquerda Lestat,a sua esquerda querido.

-Agrádeço meu belo mas só me sentirei pleno quando souber como ele está.

-Ao menos parte de sua loucura deu certo;isso e uma verdade.

Toda voz me chegava aos houvidos e quando houvi os passos vindo em minha direção eu me tomei de medo;o toque dos dedos e mãos foram como pena;era ele sim,sentia por sua docilidade tipica.Apertava e puxava aquelas mãos conta meu rosto,queria poder aplicar a sensação amorosa entre nos.Um trauma que ele hávia passado porém o que o deixava na existência era saber que eu estava vivo.

Hávia conseguido sair inleso porém com a perda evidênte,o barulho de seus meigos beijos a laminar toda minha boca foram deliciosos.Com o toque dos meu polegar aos olhos senti que o Tompei hávia feito o trabalho perfeito ao devolver a visão ao Louis.Soltei um meigo riso diante disso,podéria está uma merda áli diante do meu anjo doce mas ele tinha a sua visão de volta e isso vália por mil coisas.

Ele não parava de se lamentar por minha atitude insolênte "Não posso aceitar,acho que não tem plena noção disso Lestat".O mandei ficar calado,o toque aos seus lábios foram o ponto final pelo meu ato.O acolhi em meus braços vigorosos de vida,afagava os cabelos que me vieram em tal perfeição na lebrança da cor negra.

-Não quero saber de rebelião e muito menos que venha a não aceitar,mas ficara com eles sim até seu fim.

Sua respiração era lenta,pude me levantar quando David e Tompei me deram apoio,as novas roupas me foram entreguês por Marius,quanto a Gabrielle ao lado do mestre?Quase a se descabelar de prantos,estava sendo acolhida por Lunnes conforme o mestre me citava aos houvidos.Me sentia pleno ao ter saido vivo das garras de Memhoch,porem ao que a mãe me falava os portais do inferno aos poucos estavam sendo abertos por ele.

-Compreendo Mãe;posso tentar resolver isso mas ancéio por ela.

-Thalwa,ela chora por sua desgraça em meu Palásio Lestat.

-Minha desgraça? Que Desgraça? A de que minha visão forá entreguê a algo espécial e adorado por mim? Isso não e nada diante do que estamos enfrentando Maharet.

A suavidade de suas mãos gelidas foram meu conforto,quando me vesti pude sair a porta guiado por Marius.Lunnes quase desmaiou ao ter plena certeza do que Tompei tinha dito a ele na sua chegada na noite anterios ao refugio da mãe.Tenho plena convicção dessas informações por que o contato pela mente e crucial a um imortal,sem isso não somos nada.

Uma presença aterradora me foi entreguê nas mãos,Xinhua jogou aquele humano contra meu corpo me fazendo tombar sobre o imenso sofá da sala de entrada.Só pude ter toda a certeza de que era uma presa ao toque da pele guente.A sede falou muito alto e solvia para saciar a fome.

A docilidade com que fázia isso me corria a vida,as presas entrando na carne fresta tirando a vida do homem jasendo sem vida.Quando senti que já não restava nada a me oferecer a raiva me tomou o corpo,por impulsão deixei os dedos entrarem nas suas orbitas dos olhos e os aranquei para serem meus "Agora consigo sentir a vida,jamais deixarei de ser cruel".

Forá o Marius que enfiava os olhos nas minhas obitas,quando encaixados e bem aplicados a visão todas as imagens vieram a mente,consegui ver meus dedos parados sobre o rosto do mestre,mas sempre tenho convicção agora quando escrevo isso a vocês que sempre havera a troca,o sanguê vampirico não solve eternamente olhos mortais.

Pude ver o quanto o David estava abalado,sua pele morena mantinha-se pálida por que ao saber de tudo tinha passado mau quando Tompei colocou meus olhos na fase de Louis.Meu questionamento e em que lugar o anjinho estava,queria velo novamente.O vi vir por tráz de mim a me puxar contra ele.Me virou e pude aplicar todo olhar ao seu rosto angelical.Nunca mais ele téria que se preucupar,afinal os olhos estavam perfeitos,deixei meus dedos irem a sua face apasiquada por isso.

Os perfeitos olhos cinzas azulados que foram meus jasendo ao seu rosto,um toque muito espécial.Quando pude me sentar Gabrielle não se conteve e teve que sair ao jardim.Meu avô tentava fazela entender minha decisão,os dois ficaram por um longo tempo naquele momento de prantos,Marius realmente muito marcado por tudo isso,porém Mael ia aos poucos o trazendo de volta com à ajuda de Pandora.

Meus dedos passeavam sobre meus cabelos em desvaneio e mandei queimarem o corpo do humano a minha frente no chão,a própia Xinhua ia fazer isso,quanto ao Tompei?Não se conformava pela minha loucura,me criticava sem parar me chamando de louco,um ser sem pensamentos.Eu ria disso,realmente uma pura verdade.

"Eu sou o que sou Tompei e jamais me mate por isso por que sei que e o único que tem a coragem de fazelo".Sofia segurava sua mão,seu rostinho triste ia aos poucos voltando ao normal.Khayman não conseguia acreditar,com Mekare acolhia seu vigor,graças que tinha dado tudo certo.Esperava agora para ver qual loucura o Memhoch ia aprontar.Olhava com os olhos humanos perfeitamente,a cor marfim do sobretudo me foi felizidade com a calça carmim da cor negra,a faixa branca ardonando a cintura,as luvas doces da mais suave e empregando o couro claro;as sensação das botas era gostosa,todo vislumbre do brilho ia me trazendo a paz com o toque do tom das trevas que ela continha.

Xinhua conforme meu pedido hávia feito o corpo da presa em pedaços e vinha ao meu encontro,riu para mim ao se acolher em meu leito,beijava seu rosto,um mero elogio da tonalidade dos olhos "Ao menos esses olhos castanhos claros caem bem mas aranque eles apois não servirem mais e traga o toque maliavel Lestat". Um meigo comentário de uma vampiresa tomada pelas trevas.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 52

Mensagem  Ana Nery em Sab 10 Jul - 18:30:55

Foi meu momento de tormento para que todos tivessem certeza de tudo que hávia feito na frente de Memhoch e Tompei;apreciava a docilidade da pele de Xinhua em meus braços,pena que jamais senti algo para com ela.Uma bela imortal,isso tive que admitir,senti as mãos de Maharet virem ao meu chamado,tomei a iniciativa de ir com ela ao quarto de Xinhua que fica logo a frente do corredor central,Louis quiz vir e não ousei recusar aquela conversa entre nos três,Marius resolveu continuar a emanar seu tormento pelo desastre recênte com a Mekare logo ao seu lado.

Gostei da cama bem arrumada com lençois brancos e sedosos ao toque do corpo,tive essa nosão quando me deitei me apoiando com os travesseiros contra o espelho da cama,Louis e Maharet pegaram logo duas cadeiras para sentarem a frente,fiquei sonolento mas voltei a si quando a voz de Maharet véio poderosa com o tipico tom maghnetico feminino,as unhas bem cortantes tocando meus cabelos,ela sabia que ainda me sentia um pouco cansado,a dor no meu abdômen tinha passado.

Eu mesmo tive a coragem de abrir o sobretudo para ver o ferimento,ainda saia algumas e bem arduas gotas de sanguê,porém a cicatrização estava terminando conforme eu anciava com toda alma "Me mantenho vivo,para mim isso e o que importa Maharet".Ela soltou um meigo riso diante de minhas palavras rápidas,mais que nunca me considerava um herege e louco pelos meus atos.

-Quando aos seus olhos Lestat;vai se manter sim?Não lhe doi na alma saber que sempre que vier a caçar terá que troca-los? Tem coragem de arancar a visão de um outro imortal e pegalos para você?

-Pouco me importa,afinal nunca me senti tão desesperado com a situação em que passei lá Mãe.Nunca senti tão de perto a morte ou a change de perder alguêm espécial para mim,não precisa ficar comovida com minha condição de já não ter mais a originalidade visional.

-Aceito seu questionamento Lestat,realmente uma decisão dolorosa para vossa pessoa,mas tenho plena certeza de que a causa foi justa sim,olhe num espelho Lestat por que presisa ir adentro do seu ser.

Saiba que agora esses olhos humanos estão bem aplicados ai no seu rosto mas quando a falha da visão começar e que e a hora de trocar e vai ser doido fazelo.

Foi num gesto lento que me levantei para observar a questão em discusão;quando parei ao espelho na parede do quarto me dei conta de que realmente estavam perfeitamente colocados no lugar,a cor castalho claro me era anormal devido a minha genética,iria aceitar sim o que estava diante de mim,toda pele bem fechada e curada como anteriomente.Nem restou nem um vestigio do corte ou algo parecido,tudo perfeito conforme planejava.

"Há;uma davida,não e Maharet?"Ela se sentia iconformada diante do caso,voltou seu olhar ao Louis que até então não mencionava nada a nos dois;ele apenas se sentia injustiçado e ultrajado como nunca em sua imortalidade,ousei dar passos a frente,pedi para não ser incomodado enquanto estivesse com ele áli,Maharet fechou a porta chorosa.Ela não quiz ter esse momento em minha frente e só iria fazer isso,soltar sua raiva quando estivesse com a irmã junto ao Marius e demais presentes.

Dava passos em volta da cadeira do qual Louis estava sentado a esperar algo de mim,iria dizer algo,mas se ele estava pesando que iria pegar meus olhos de volta conforme desejava,estava muito enganado.Fui muito direto com ele para que entendesse logo de uma vez minha convicção de que não suportaria saber que ele não téria sua visão de volta,pelo o mais arduo sentimento e medo por essa realidade ter caido sobre ele fiz a loucura que fiz ao entregar toda visão que tinha a esse anjinho tão doce.

-Já falei a você Louis que pode critar,pestenejar e até fazer uma tentativa suicida mas vai sim ficar com eles.Não aceitarei nem uma justicativa que o faça não ter sua visão de forma eterna e real.

Nada a ser mencionado da sua boca,estava tão amendrontado que apenas se levantou para ser acolhido por mim,nunca vi Louis chorar dessa forma que descrevo áqui,uma mera e doce criança precisando de carinho e acolhimento como nunca antes.Me sentia feliz por saber que ele enchergava perfeitamente com os olhos forjados na força do sanguê negro a tanto tempo "Gostária e espero um dia que retroceda a sua decisão,mais nada que isso".Com um gesto inesperado de caricias ele teve noção de que jamais iria retroceder.

Quando formo algo ou tomo uma decisão como fiz nesses dias,jamais volto atraz,não sei a complementação de dizer como ele está belo,ele sempre foi assim desde aquela maldita e tormentosa noite em Nova Orleans em que o encontrei bebado devido ao sentimento muito pisado com a morte do irmão "Apenas lamento por nunca mais poder ver o puro verde que você carregava".

Era delicioso sentir ele apoiado contra meu corpo ao me deitar na cama,o acolhia naquele tormento inevitavel entre nos dois.Todo calor vindo dele me aquecia,ele me disse em sussuros que Pérola estava muito bem acolhido na cidade em que moramos a tantos anos.Ia enchendo aquele rosto com muitos beijos maliciosos,entrava nas curvas dos ombros que eu mesmo despia com as mãos fortes,todo perfume de trevas era sentido quando encostava a boca ao pescoço.Foi nesse momento em que ele deu um sobresalto contra a porta.

"Esse não e você;realmente está diferente no poder e corpo Lestat,quero justificativas no que fez por esses dias".Esperava por isso,pena que ele demorou a sentir toda a diferença vindo de mim quanto ao sanguê mais forte correndo nas véias de forma rápida.Me levantei de modo a ir ao seu encontro "Pergunte a Thalwa querido,ela e que me forçou a isso nas noites aterradoras".Desde Merrik em que ele hávia ficado mais forte não aceitava que ele fosse tão fraco como anteriomente.

-Pode me matar ao longo dos séculos,decadas e anos mas sentira mais uma vez o tormento do poder;vai ter que aprender a conviver com isso Louis querendo ou não !

Uma afirmação que ele não compreendeu de imediato,queria abrir a porta mas Maharet a tinha trancado,por pensamento ela teve a certeza do meu futuro gesto.Iria indagar tudo de mim a ele,nem que fosse pela força.O que Louis passou nas mãos de Memhoch realmente me fez agir rápido nesse encontro "Ficara mais forte,vigoroso e conseguira se defender por si mesmo meu anjo".Ele estava se desesperando,tinha tomado o meigo caminho a janela na tentativa de fugir.

"Não ouse me tocar Lestat,está louco !".Não estava enloquecendo,apenas o puxei pelo braço e o tomei no poderoso abraço,ele tentava escapar mas o prendi firme,desabotoava todos os botões da camisa branca do mais puro linho,o deixei apenas de botas e calça jeans bem escura,estava revoltado com a minha indagação,me chutava mas não iria adiantar aquela e tão doce rebelião,como gostária que Nicolas presenciase essa sena.

"Vamos,continua a bater ! Bate mais que adoro isso !".A essa altura os meus pulsos já derramando o sanguê em sua boca,todo necta entrava garganta adentro,saber que ele poderia se defender apos essa infusão iria me deixar realizado.Seus dedos grudados na minha cintura já que estava apoiado sobre seu corpo.Ele respirava de forma lenta tetando surpotar todo poder que lhe ia consumindo a alma e todo vigor corporal.

-Isso querido,beba até realmente sentir que a força lhe consome,ninguê ousara lhe tocar.

Foi assim que me senti puxado por ele,me deitei agarrado naquela doçura eterna,ele ia adquerindo toda força que tinha conseguido com Thalwa,meus dedos deslizando naqueles fios negros,sentindo os dentes entrarem na carne sobre a garganta.Me enchia de desejo,muita felizidade por que mesmo naquela rebelião rápida Louis tinha captado minha decisão de ir deixando ele mais forte no sanguê.

Estava sendo gentil,doce como sempre forá na alma e personalidade.Uma pessoa sempre a ser protegida por mim,mei anjinho eterno que encontrei em momentos tenebrosos,isso que ele sighifica para mim,desde os fatos de Rosas e Sanguê que admitia com toda alma todo o amor que tenho por ele,único e espécial "Doce criatura da noite,meu anjinho doce,isso e o que você sighifica para mim".Nessa fala sussurada puxava os fios dos cabelos dele muito forte para sentir a vigorosidade da nova força a lhe consumir.Se mantinha tão quieto para ir bebendo tudo que desejava.Ficamos áli por muito tempo até que houve uma batida sobre a porta.Maharet dizia que Thalwa tinha chegado.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De sangue-Cap 53

Mensagem  Ana Nery em Dom 11 Jul - 12:24:29

Pude abrir a porta para atender ao chamado da Mãe;entreguei a blusa de Louis para ele ir se recompondo,me ajoelhei por um momento diante dele para limpar sua boca ainda suja por algumas gotas do sanguê hávia bebido.Pensei que hávida ficado seco mais não,toda a força de Thalwa me deixava intacto a muitas coisas e sai a caminhar ao seu encontro,não
compreendi como ela estava descontrolada por seu medo.As cinco almas estava junto com ela para lhe dar proteção.

A libélula vermelha concerteza e a mais poderosa,toda túnica vermelha caia lindamente ao corpo poderoso como nunca visto,ela andava de um lado a outro do jardim me esperando a
realmente ter certeza da minha loucura.Apesar de toda frieza do mundo deu para decobrir a preucupação que Thalwa tem para com todos ao seu lado.Suas mãos puxavam e jovavam o cabelos para tráz.

Tudo para ela tinha acontecido tão de presa que só iria acreditar quando me olhasse frente a frente naquele momento;Lunnes tentava acalmar o seu evidênte descontrole perânte toda
situação,ela queria critar de ódio mais engoliu em seco quando apareci sobre a entrada da mansão de Tompei,Maharet e Mekare realmente não queriam que Thalwa mantivesse essa
angustia,isso as deixava desesperadas.

Quando a Guerreira sentiu minha presença ficou paralisada,estava inquieta quando levei as mãos ao seu rosto pálido e sem cor nem uma devido a dor lhe corroendo todo corpo com o
passar dos dias.Encostei sua cabeça contra meu corpo,sua testa perfeita estava mantida no meu leito nos ombros,gostava de acariciar aqueles cabelos lisos e pesados,toda a brancura
realmente divida desde o momento em que ela conseguil seu poder de volta.

-Desculpe por não ter ido moleque;jamais pensária que a situação estava sento tão,tão degradante lá no inferno.Pode me culpar compreende?Pode me culpar por tudo !

-Não e culpado afinal como iriamos saber que tudo que ele tinha aprontado na volta de Louis para Nova Orleans? Thalwa eu e que tenho que agradecer por que se você não tivesse me
guiado na volta para a Terra téria me perdido.

Ela arqueou as sobranselhas claras quase imperceptiveis devido a claridade,toda perfeição do seu rosto e como se deparar com uma Deusa Divina.David não tinha ação,se mantinha
impassivel com Louis que já aparecia ao seu lado.Thalwa direcionou a visão a ele,sentiu a força almentada e muito bem desenvoldida no doce anjinho negro,o rosto angelical ia se to-
mando de dor quando Thalwa parou a sua frente.

"Agora tenho plena noção do por que ele foi capaz de fazer tal decipação Louis".Nada para fazer ele se desesperar mais do que já estava,graças que com a mistura consaguinia minha
e do avido sanguê de Thalwa ele não tinha sofrido ao ter bebido do meu poder naquele gesto doce.Thalwa se deliciava com a plenitude que Louis sempre amana para todos os que lhe
olham de forma profunda.

Lunnes e Khayman consideravam minha decisão sabia,pela primeira vez alguêm aceitava a forma com que eu agira correta;iria gostar de de Tompei e Sofia aceitassem,infelizmente se
corroiam de raiva,Tompei mesmo mencionava que estava ficando farto,cansado de tudo que ia acontecendo e tinha que arrumar um geito de trazer Memhoch a Terra,asi sim dar o golpe final no Demônio.

Me sentei a beira da entrada da varanda,comesei a ter noção de que quando Armand fosse me olhar na face ia me chamar de inrresponsavel pelo meu ato,pensava nele quando a mão
de Louis me tocou o rosto,estava tão mentalmente pertubado que ele teve que me trazer a mim a pedido de David "Armand vai me odiar por isso,será que dessa vez ele enloquece de
vez Louis?".O aseno negativo junto ao meigo riso me trouxe conforto.

-Tenha calma Lestat,vai chegar a hora em que Memhoch vai ter que decer para a Terra e ai será seu fim.

-Marius isso e uma trementa mentira;ele não e tolo,sabe disso mestre.

-Tolo e o cacete ! Sedo ou tarde ele vai ter que aparecer e como amarei queimar aquele filho da mãe !

Fiquei passado com as palavras de Marius,até Lunnes e Pandora boquiabertos pela falta da educação tipica de Marius;ele estava tão iconformado que se não desejase vigança não sabia
o que mais anciava fazer.Mael nada disse diante do palavriado de Marius;apenas seu olhar frio e calculista foi direcionado ao mestre que jasia de braços cruzados a pensar em uma tá-
tica de destruição ao Anjo Caido.

Pena que não conseguia entrar em seus pensamentos,sai para ver como Louis absorvia todo sanguê jasendo em seu corpo,mesmo com uma pequenina dor nos musculos ia tomando
a força por completo,soltei alguma maliciosidade diante dessa realidade.Deslizava os dedos por seus braços que seguravam firme meu ombro "Realmente está dando certo,tão forte e
poderoso como eu".

David gesticulava em negativo,achava injusto eu ter feito isso,ficou calado quando indaguei o perigo que estavamos enfrentando.Ai sim ele começou a aceitar aquela nova força que o
Louis ia adquerindo,a cada minuto que o corpo absorvia o sanguê realmente o poder vinha com tudo de dentro dele.Todas as Libélulas atentas a qualquer aparecimento de Memhoch.
Quando finalmente podessemos destruir ele até não restar compriria minha promesa:Eu ia ser a última pessoa em que aquele maldito iria se deparar em sua existência.

Gabrielle agora mais controlada diante dos seus prantos tomou a respiração,o choque pela Guerra agora e que fázia efeito na sua alma,ela começava a ter a plena convicção do que o
anjo erá capaz.Mesmo fraco Memhoch podéria fazer muitas coisas e Thalwa mencionava para mim como os portais do inferno estavam sendo abertos "Ele está sobrepondo sua força a
Terra Lestat,se não fosse por Buda concerteza ele já os téria aberto".

-Deixe ele vir,ele ainda tem uma meiga surpresa a enfrentar Thalwa.

-Tudo dará certo,tenho certeza disso,ele para mim e um covarde.

Essas citações deixaram Louis muito feliz,o vi parar por detráz de mim,rodeava meu corpo com seus braços,gostava de sentir naquele momento o sabor de sua boca por completo,um
tremendo filho da mãe em ter me pego desse modo.Como reagir a isso?Thalwa mesmo ia se retirar quando os dedos dele foram direcionados aos seus lábios,ela dava passos para ir
ao encontro de Maharet que a esperava,porém o inesperado aconteceu.

Ela ficou inquieta quando ele a segurou no lugar,mantinha toda presão das mãos sobre a citura,dava alguns tapas no seu rosto mais ele continuou firme em sua atitude contra ela.O
David com os olhos esbugalhados por que se Louis não parasse podéria ser queimado.Não estava em mim,entrava em pânico por isso,só podia observar e nada fazer.

O silencio véio entre os dois,como o olhar de Thalwa estava furioso,ela franzia as sobrancelhas nesse sentimento indescrivel "E um maldido Louis Du Point Du Lac".O ato para to-
dos foi desesperador quando ele ergueu as mãos a apertar Thalwa contra ele.Sua voz no tom mais baixo possivel me foi como música,queria ir saber o que Thalwa acharia disso,
mas não o fiz,apenas continuei a olhar ele falar.

-Pode me odiar Thalwa mais gosto muito de você,isso não posso esconder.

Agora a briga estava desencadeada,mesmo sendo aparêntemente mais fraco que ela Louis conseguiu controlar a sua força naqueles tapas poderosos,ele a segurava pelos braços deli-
cados e finos "Me larga,se o queimar áqui diante de todos não me culpe por ter ido para o inferno Sr.Du Lac".Como a sena foi fatal,os dois rostos se encontraram um no outro,uma
respiração ofegante devido a força dos dois.

Ela parou naquele cansaço e ele apenas se deixou tomar pela loucura de cravejar Thalwa de beijos,ela queria morder os lábios de Louis mais não o fez,mesmo se debatendo mante-
ve a indole enquanto ele a mantinha presa contra si.Ficaram naquele momento por longos minutos,tudo silenciado pelo gesto realmente brilhoso.

Ele tinha aprendido a ser cruel e o estava sendo com Thalwa naquela admisão de desejo a ela,o que podéria fazer? Queimar aos dois?Jamais,não séria belo de minha parte já que tudo
tinha se tornado realidade,Lunnes apenas queria matar ele pela ousádia mais foi segurado por Mael e Marius "Calma Lunnes ! Não faça uma loucura áqui !".

"Um filhote da noite que mau nasce com a força ultraja Thalwa desse modo,isso e inaceitavel !".Tivemos que ser paciênte até os dois se afastarem,ela mau conseguia respirar,queria
morrer por isso,pela loucura dele,pela queima sentimental com que ele a tinha forçado a esse ato inesperado.Mekare e Maharet sentaram ao seu lado sobre a gráma para alcamar ela
por que se não fosse assim,uma guerra entre Lunnes e Louis séria declarada.

-Gostária muito de tela como minha companhia Thalwa mais isso dependera de vossa pessoa.

-Vai para o inferno !

Ela tinha jogado sua sandália contra ele,Louis apenas ria ao seu modo malicioso com isso e tive que me meter no méio daquela discusão.Tompei e Xinhua puxaram Louis para dentro a
não permitir mais esse acontecimento.Os dois para mim realmente fariam um belo e meigo casal mais isso séria decisão só dela.

Quando voltei a entrar vi os três sentados,Tompei dava um tapa no ombro de Louis que sentia realizado pelo gesto que o podéria ter levado a morter,Xinhua impassiva houvindo tudo
que ele dissia quanto a Thalwa,um desejo que ele vinha escondendo até dado momento e fiquei apreciando a conversa.Os dedos dele deslizavam pelos cabelos negros,os olhos cinzas
apenas neutralizando o brilho do lutre acima no teto que dava todo tom azulado.

"Espero que ela compreenda isso,não quero força-la a nada".Fiquei me contendo para não rir mais,dava para houvir como Lunnes e Thalwa esbravejavam com Maharet Mekare que
mais tentavam apasiquar a situação,foi uma noite mágica por isso.A presença de Buda e Memhoch era sentida por todos.

A doce brisa corria pela sala,o frescor da temperatura fazia com que me deliciase pesando no que podéria vir,anciava agora para saber se Thalwa queimaria ao Louis ou admitiria que
ele tinha sabido domar aquele corpinho desejavel,até eu apreciava a beleza dela,pena que ela não conseguia enchergar.Mais risos em lebrança desse vislumbre "Mais foi muita ousádia
querido,como pode?".

Ele me fitava observador no meu questionamento,um vigor inesplicavel antes de mencionar como tinha conseguido "Ela e linda Lestat,pena realmente que não tenha caido em meus de-
sejos antes,ancéio realmente por tela em meus braços".O que e isso;agora sim tive meu ataque de gargalhadas,Tompei e Xinhua espantados por nossas palavras,toda virtude viria para
nosso encontro.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De sangue-Cap 54

Mensagem  Ana Nery em Dom 11 Jul - 12:34:17

Iria manter minha calma,pensamentos vindo a todo instante em que continuava a pensar no que fazer se realmente Thalwa aceitasse ficar com Louis;esperava houvir um grande e doce
sim da parte dela,por que ficária muito orgulhoso de acolher sua pessoa em minha casa nos dias e para sempre sobre minha asas.Confeço que sentia falta de uma presença feminina no nosso leito desde os acontecimentos anteriores,todos vocês sabem que sou uma pessoa que não tem sentimentalismo,única coisa que esperava e que se Thalwa viesse conosco que ela fizesse Louis muito feliz.

Se ele fosse feliz tambem me sentiria do mesmo modo;ele ficou receoso quando Maharet e Thalwa passaram a sua frente,deu para ver que Marius ainda tentava acalmar ao Lunnes,ao
que saiba até dado momento companheiro e paixão da guerreira.Ficou evidênte que Lunnes morria de ciumes pela ousádia de Louis,a troca de olhar entre os dois foi severa,parecia que
poderiam de atracar numa briga e quando senti que Lunnes ia revidar me meti no méio para não acontecer algo desconfortavel.

Mantive minha força sobre o corpo de Louis,ele estava inquieto demais naquele impasse no instante em que os anciões foram passando "Calma,mantenha sua calma Louis por que não
e assim que vai conseguir o que deseja".Respirei fundo quando ele voltou a se sentar,o que fazer nessa hora?Confeço que jamais esperava algo desse modo vindo de Louis,ele estava
muito calmo mais queria saber o que Thalwa pensava disso tudo,não consigo descrever como os seus olhinhos brilhavam em vela áli parada junto com Maharet e demais bebedores
de sanguê;ela esperava Lunnes se recompor.

Ainda estava muito chateada com a reviravolta entre os dois,o anjinho e o lobo se encaravam como que numa treguá.Isso me deixou muito despreucupado por que só realmente a
Guerreira e que iria falar por último,por enquanto ela estava mais preucupada com o que iria fazer para atrair Memhoch a Terra;ela me chamou e tive que me retirar,tive que pegar
o Lunnes pelos braços e sair empurrando ela devido ao momento.

-Irei deixar bem claro Lunnes:Pode ser uma pessoa muito espécial para mim,realmente esta em meu coração,compreende?Mais se meu Louis for feliz com ela farei de tudo para que ele fique com Thalwa.

Espero que aceite o que ela decidir indeferênte ao que vocês dois pensam ou querem dela.

-Não sabe o que fala Lestat,isso e loucura !

-Loucura?Já passei por muitos momentos de locuras em minha vida e sinceramente pela a primeira vez vejo meu Louis feliz,isso jamais vou querer tirar dele.

-Compreendo suas palavras.Aceito elas;mas vamos com calma.

O deixei livre para se desencostar da parede corredor,estavamos indo para a imensa cozinha da mansão do Tompei,Sofia estava brilhante e graças que ao que mencionava estava
conseguindo sentir o calor do Don Do Fogo aos poucos,claro que não iria dominar toda sua tecnica de uma hora para outra,porém aprendia rápido,me sentia feliz por isso.Me sentei na
imensa mesa no centro daquela cozinha tão maghifica,Marius e Pandora cruzavam os seus dedos pensativos,quanto a Thalwa?

Sua face rubra de vermelho quando seus olhos encontraram os meus,sabia do que tinha se passado naquele jardim e sentia muito recéio de mencionar algo,Maharet tentava fazer com
que ela voltasse a si,graças que ela tomou coragem para falar,sua voz doce e forte me fez delirar com o brilho nos olhos cinzas,toda boca vermelha muito perfeita,tudo na Guerreira e
tão perfeito que e quase impossível de indêntificar um defeito.

Alias leitores,vejo como único defeito em Thalwa sua explosão de personalidade,exatamente como eu.Uma mulher realmente divina,agora e que me dava conta de como ela conseguê
unir o doce com o amargo.Louis,Tompei e Xinhua se mantinham na sala,foi nesse desvaneio de pensento que continuei a houvir o que Thalwa tinha a dizer.

-Deixemos com que as Libélulas vão ao inferno;pretêndo queimar todos os demônios que o Memhoch tem como seus quardiões,ele não deixara isso barato,uma oportunidade única pa-
ra queimalo.

-Gostei disso,séria realmete maghifico deixar o filho da mãe sem nem uma proteção,iremos fazer com que ele lute por si só Thalwa.

-Lestat mais não será uma tarefa facil,só poderei fazer isso por poucos minutos,e nesse momento que precisarei de uma pessoa espécial ao meu lado.

-Estou disponivel má chére.

-Falo de Ardônis;sabe quem ele e muito bem.

Foi nessas palavras que gelei,se Ardônis era o filho de Thalwa conforme ela mencionou ao me mostrar pelo sanguê;e que os dois iriam fazer um genusidio no inferno,senti que o Louis
tinha houvido a conversa,ainda se mantinha impassivo e aos poucos ia absorvendo a realidade com que se deparava.Me levantei e fui com ele para o jardim tentar apasiquar toda a
situação.

Ele estava choroso,tive que limpar seu rosto,Xinhua saiu pela varanda para entregar a sua camisa que ela hávia encontrado em seu quarto,as mãos delicadas de Louis esticaram para
pegala e vestila enquanto tentava explicar tudo para ele.Odiava velo sofrer desse modo,no tudo isso iria dar? Ele se sentou sobre a borda da varanda tetando entender tudo sobre os
filhos de Thalwa,tive que ser muito claro com ele,afinal pelo que via estava prestes a se deparar com um mau momento pela frente.

"Louis pensou que iria ser facil se deixar dominar por esse sentimento por Thalwa?Ela tem dois flhos poderosos,os dois principais anciões de sua linhagem,se realmente sente tudo o
que menciona por ela terá que aceitar isso e seguir em frente sem pestanejar".Todo o seu rostinho se esmureceu,ele respirou fundo quando deixou seu olhar passear sobre a lua,não
deixava de sentir o sabor dos lábios de sua Thalwa,sentia que ela já era dele,mais não sabia e claro.

É adoravel presentir o destino,tive esse nexo de pensamento quando ele me abraçou e se deixou deitar sobre meu colo,meus dedos passeavam sobre seus cabelos e ombros,estava
adormecendo,queria descansar sua alma.Tão meigo e doce como uma maça,David quiz me informa de que Ardônis estava a caminho,ele me citou que pelo que Thalwa mencionava na
mesa junto aos demais e que o filho de Thalwa estava perto,ele sentia que a mãe o chamava e podéria aparecer a qualquer momento.

-Sépia não vai vir e claro,mas ele concerteza Lestat,não sei como descrever como sinto todo poder dele.Não vai ser facil lhe dar com Ardônis,sinto caláfrios por esse nome.

-Sei que sim querido;apenas penso em como ele reagira diante dele áqui,se o desejara matar pela paixão para com sua mãe ou se conseguira entender.

-Estou cansado,muito desgastado,mas iremos conseguir,tenho certesa disso,não e Louis?

"Calem a boca,já me enchem demais os houvidos de medo e loucura Lestat e David".Foi um doce de palavras,tudo citado naquele meigo descanso em meu colo,mesmo diante de tudo a
a presença e amizade de Thalwa era bem vinda;considera ela abençoada por ter tido toda a oportunidade de ter dois filhos em vida.

Consegui deixar Louis na companhia de David,ele transmitia um pouco de paz ao Louis que mais se apavorava de melâncolismo.Marius estava quase forá de si,já estavamos com mui-
tos problemas e saber que Ardônis estava a caminho foi como um golpe desferido em todo seu orgulho de Ancião,ele pedia para que Armand não viesse nesse momento por que não
podéria cuidar do pupilo tão ocupado desse geito.

"Lestat isso e loucura;como poderei suportar a presença dele?Sinto muitos tremores para com a presença dele pairando no ar".Que fossemos muito sensatos por que tériamos sim
que ter coragem,diciplica e docilidade quando ele chegasse.Marius captou tudo nessa conversa particular,ele se encotrava no vão da escada.Eu particulamente mau vontada todos
os minutos para que Ardônis chegasse,realmente deveria ser um filho da noite brilhante e chéio de poder.

Soltei alguns meigos risos macabros,Marius ficou puto da vida com minha imprudência,ele dizia que me mandária ao inferno se continuasse nesse comportamento "Mais Marius nos
já estamos nesse inferno desde que tudo comoçou mestre".Ao menos ele admitia toda essa verdade que citava.Thalwa saiu pelo corredor com Mekare e Maharet,as duas gêmeas iam
a procura de Ardônis já que ele estava por perto.

-Não sei Thalwa;sinto que devemos esperar muita coisa dele querida.

-Garanto que ele não ousara tocar em ninguê Maharet,mais preciso de ajuda dele se não eu não vou conseguir sozinha.

-Sei que sim querida,vamos sim ajudar nisso.

Foi assim que as duas partiram para a noite;se as gêmeas saissem a procura de Ardônis na certa iriam encontralo,por que para elas ninguêm escapa aos seus olhos mentais.Thalwa ia
ficando mais impassiva,louca por sua loucura nessa sua procura.Algo começou a ser sentido pelo vento,o medo me foi consumindo,afinal Memhoch estava prestes a aprontar algo.

Anciava mais que nunca que Ardônis viesse,fiquei tão puto da vida com essa emanação do seu poder que tive que sair para colocar Louis e David para dentro,Marius empurrava eles
contra a porta de ferro do sotão,estava esbravejando mais séria preciso "Por quê estão a fazer isso conosco?".Nem fiz questão de respondêr por que tinha plena noção de que jamais
admitiria que se majucasem nesse tremensa confusão.

Os golpes na porta foram fatais,Louis jutava junto com seus critos pedindo para os deixar soltos,mais não iria obedecer tais requintes "Não vou deixar,agora fiquem quietos!".Mael
observava a sena realmente aplaudindo,achava que David e Louis precisavam sim de um corretivo,Marius queimava o mesmo com o olhar diante da ofença "Não se mete a onde não
e chamado".Nos retiramos para tentar saber o que Memhoch iria aprontar dessa vez.

Thalwa já estava no jardim,critava para o infeliz aparecer,queria a presença de Buda guiada pela as de suas almas que já alsavam vôo aos céus,as nuvens iam ficando pesadas,os
gestos dela estavam descontrolados,Louis critava como louco para sair do sotão,Marius ia manter os dois lá dentro,mandava eles ficaram pianinhos até tudo terminar.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 55

Mensagem  Ana Nery em Dom 11 Jul - 16:27:46

Nesse vislumbre do inferno tive que parar ao lado de Thalwa,a mandei ficar silenciada por que algo altamente descomunal iria acontecer,enquanto aquele vento quente e chéio de um
poder infernal,tentava me mover com ela por que a quantidade de almas que vieram para cima de nos não conseguia calcular,estava revoltado por que fomos pegor de supresa nesse
maldito plano de Memhoch.Apenas odiava por que ele e era corvarde para lutar,jamais fazia algo sem apoio.

"Venha Memhoch,por quê não luta sozinho? Com suas própias mãos?".Algo foi lançado contra a Thalwa,mas tinha conseguido pegar,se tratava de uma lança bem afiada chéia de todo
o carma do inferno,minha mão sangrau muito naquele corte,Marius e Mael não estavam lá muito bem mentalmente e agora enloqueciam ao usar todo Don Do Fogo queimanto todas
as almas que tentavam chegar perto de Thalwa,tombei com ela ao chão quando a presença dos demônios véio aterradora.

Ela se agarrava a mim com toda força;confiava muito em nossos anciões,até a Pandora ia deixando seu poder descomunal falar alto nas chamas ardêntes.Quando fechei meus olhos
as imagens vieram,as Libélulas de Thalwa faziam todo terror possível lá no inferno,fiquei áli sobre a grama deitado com ela a sentir tudo que lá acontecia.

Estava muito abalado fisicamente ainda desde quando estive lá,mas iria suportar,a deixei lá bem deitada e me puz de pé,iria testar minha nova força;era esse o momento em que
estava testanto e realmente o fogo ardeu a um nivel jamais esperaria,minhas mãos bem a frente queimando a um nivel unsuperavel.

-Deixe com que a força fale mais alto,isso foi o que aprendi com Thalwa .. O teste da força vai falar mais alto áqui ! Morram seus escarnecidos sem sentimento ou sequer coração !

Marius não conseguia acreditar no que estava fazendo,muitas daquelas almas estavam indo ao inferno nas chamas,nunca tinha usado o Don Do Fogo dessa forma,porém meu corpo não
suportou,não tinha me recuperado completamente e cai ao chão sem forças,Khayman foi o que conseguil retalhar o máximo de demônios possivel,mas quando Thalwa tomou toda sua
iniciativa de se por de pé estava furiosa.

"Covardes ! Uns uniteis !".Foi a frase antes de deixar toda força gelada tomar conta do ar,o ar ficava tão frio que tremia,ela apenas se mantinha parada,sentia todo vigor passando
nas suas véias.As almas aos poucos foram parando nesse frio horrendo e cairam por não suportar a temperatura que ela provocava e todas queimaram deixando um rastro de suas
cinzas no ar.

Memhoch diante disso finalmente deceu a Terra,Tompei mau tinha contado as horas para esse momento,ele ria maléficamente enquanto segurava sua espada que já queimava nos
aeroglifos "E todo seu Tompei ! Apenas faça ele em pedaços!".A última ordem quando toda força do Dragão falou forte na alma dele,mas Marius teve que conter sua força por que ele
estava chegando.

Tompei dava passos a recuar junto com Khayman,Pandora se segurava ao Marius e Mael e já a Gabrielle a mim,caimos no vão da escada por que a força que sentiamos no ar não me
era percetivel ou conhecida,queria critar diante disso e critei quando vi Maharet e Mekare entrando pelo portão.Nunca tremi tanto como neste momento,minhas lácrimas caiam pelo
rosto quando o vi.Ele andava de um modo doce e realmente divina,os passos lentos para ter tempo de verificar o lugar.

Os olhos da tonalidade clara do castanho,os cabelos puramente andulados caindo sobre as costas,usava uma belissima túnica escuda da cor do vinho com os desenhos em crisantel-
mos da mais pura prata,o vento fázia com que os fios dos cabelos castanhos bem claros e cintilantes de vidas andulasem;Ardônis realmente sentia todo perfume do poder do demônio
a sua frente e quando o viu caminhando para agarrar Thalwa mais o jogou contra o chão,o pé decia como ferro e montanha sobre o torax do anjo.

-Finalmente encontrei algo unisitado..

Maharet e Mekare mais ajudavam ele do que vinham ao nosso socoro,eu não respirava e sim ofegava de recéio;Memhoch se debaria nas garras de Ardônis quando foi erguido por
ele,foi uma gloriosa sena entre a mãe e ele que sairam a soltar socos e chutes sobre o ser presente,Marius e demais não reagiam e sim paralisados.

Ele deixou o anjo a cargo das gêmeas para poder ir verificar se era realmente Thalwa que estava lá,quando sentiu sua presença pode pegala nos braços "Por quê não o matou antes
mãe? Por quê não o fez em pedaços diante de sua força !?".Ela precisava da ajuda dele, ele sentiu ela agarralo nos braços,enchia ele de beijos doces devido as soudades,Memhoch
novamente saia derrotado quando foi mandado de volta ao inferno.

Mais dessa vez com ferimentos mais sérios,ele desapareceu e saimos a entrar para a mansão,não acreditava nisso;precisaria de um tempo para me recuperar,mas o infeliz foi para
o sotão de ferro,destravou a porta para olhar friamente Louis e David presos lá dentro,os seus olhos vieram em minha direção "Franceses,como conseguêm não se comportar como
verdadeiros homens?"

Conversa de grego para um decedênte de escandinavos como eu?Eu ia sair no tapa com ele mais Lunnes me segurou "Não ouse fazer isso Lestat;pode morrer".Louis saiu ao seu
modo passivo,Ardônis lia todos os pensamentos dele facilmente;nada a comentar se sua personalidade destrutiva.

Thalwa ajudava ao anjinho negro a se recompor com David "Me desculpe pelo modo tão,tão descontrolado de Ardônis Louis e David".Os dois se entreolhavam naquele gesto bem
macabro,eu e que tive que pedir desculpas ao Ardônis quando fomos para a cozinha,ele finalmente naquela procura tinha encontrado a mãe que o fuzilava furiosa pelo seu alto
descontrole de força quando chegou.Ela estava puta da vida com sua imprudência e o Lunnes mais ria diante da vitória.Maharet e Mekare asombradas desde que o encontra-
ram.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 56

Mensagem  Ana Nery em Dom 11 Jul - 16:35:25

Mais o que desejava saber agora e o que ele estava fazendo na cidade,ele não queria dar justificativas,inghorava completamente o que queria saber.Ele investigava toda a mansão
com seus pensamentos poderosos,os dedos entrelaçados quando os braços curvaram-se sobre a mesa,os seus cabelos eram pesados apesar de serem andulados,as circustân-
cias foram fatais para ele vir até nos pelas mãos das gêmeas.

"Uma investigação Lestat,quando vi que minha mãe tinha acordado não pude deixar de procurar,simples demais,não?".Estava certo,as mãos curvadas sobre o rosto quando os
cotovelos foram ao encontro da mesa,Louis e que foi muito corajoso em direcionar as palavras a ele,realmente o anjinho estava disposto a tudo para ir até o fim.Meu geito
impassivo fez David me chamar ao seu lado,temia que fizesse uma loucura nesse momento.

Mesmo com essa coragem Louis andou bem lentamente em direção ao Ardônis,seus olhos castanhos claros mais emanavam toda furia possível,exatamente num ato alta-
mente critico vi as mãos do filho de Thalwa segurarem Louis pela garganta com sua teimosia tipica,a própia puxou o filhote contra a parede segurando-o para não fazer
algo que ela não gostária "Isso me deixa chateada Ardônis,mesmo apos milênios de vida não controla sua impulsividade".

-O que devo fazer Thalwa? Picadinhos ou queimalo até os ossos?Vai permitir que um fraco como esse ai a tenha ultrajado do modo que fez? Eu li tudo e não me escapou
nada em branco nos pensamentos !

A pequena guerra estava desencadeada,tiveram que levar Louis para o quarto de Tompei,Mekare e Maharet seguravam Ardônis a força o levando para o sotão,ele ia
se descontrolando,aviso queridos leitores:Esperem tudo de um Grego forjado nas batalhas milênares.Thalwa realmente téria uma noite longa,tinha que soltar altos
golpes em seu filho.

"Não foi para isso que tive que encontrar você ! Agora fique quieto e pense como eu para me ajudar Ardônis !".Ela entrou com ele nesse sotão tão frio pelo aço que
o ferro e,a porta foi travada,Marius aos poucos ia abesorvendo o que Thalwa planejava para aniquilar Memhoch de vez e assim trazer o controle das almas huma-
nas de volta.Tive que subir para me encontra com o Louis que andava pensativo no quarto,Tompei tentava acamalo.

Nunca pensaria que ele iria se meter numa enrrascada como essas,em que momento ele tinha decidido se apaixonar? Era isso que David resaltaca a ele,o que podéria fazer?Toda a
minha cabeça doia ao me deparar com essa realidade,Louis estava tão decepcionado com isso que mais quiz se recolher na cama pegando um travesseiro e se apoiando sobre todo
espelho,dava para houvir Thalwa e Ardõnis critando lá embaixo,ele levou as mãos aos seus ouvidos tentando não sentir nada,virou o rosto de lado choroso.

-Sou um infeliz,não e?Podem dizer na minha face:Eu sou um péssimo filho da noite.

-Jamais pense assim Louis;espere tudo se acalmar lá embaixo e aos poucos tente uma boa confiança com ele.

Ele levou as mãos ao rosto,tomou folego e voltou a se sentir mais controlado,quando fui ao seu lado ele me apertava forte,estava tão tremulo que só um bom aquecimento para levar
ele ao seu estado normal.As Libélulas estava fazendo o que Thalwa mandava:Acabar com o apoio de Memhoch para ai sim ele decer de vez.

Quando entrou Maharet disse que iriamos voltar ao Palásio,lá e que iriamos dar um fim nos planos do Demônio.Tomei uma atitude aterradora,quando embaixo entrei no sotão,quiz por
tudo de mais sagrado ficar sozinho com Ardônis,Thalwa quando sentiu meu recéio pelo meu anjinho atendeu esse pedido,seu filhote estava parado contra a parede,as mãos pesadas e
poderosas sobre os joelhos curvados.

"Acho que temos um impasse áqui Sr.Ardônis;não pense que deixarei esse ultraje ao meu Louis passar em branco por que não vai ser assim".Ele sentiu o meigo toque da força de sua
mãe correndo em mim,nesse momento e que ele atêndeu as minhas palavras.Me sentei a sua frente esperando suas palavras,ele se curvou encostando o rosto contra minha face em
afronta ao que eu representava naquele lugar.

-O que vai fazer Lestat?Me matar?Me queimar?Me fazer em picadinhos por eu te feito o que fiz?

-Pode ser,não seria belo? Não posso fazer isso sozinho e obvio mais quem sabe com uma meiga ajuda,não e? Não séria lindo velo em chamas até os ossos:citado por você naquela
cozinha?

Que loucura eu estava fazendo em raiva pela afronta ao meu Louis,Marius quando ouviu as palavras de mim quase desmaiou com minha imprudência "Pelos deuses,se ele não for
morrer agora não morre nunca mais".Forá levado com a sua Pandora,me pus de pé para seguir a viagem com Maharet e sua irmã ao Palásio.

Ardônis não mencionou nada,apenas quando passou por mim me empurrou com os ombros em furia,mencioava que a Sépia estava muito bem acolhida a mãe,anciava pelo momento em
que o Anjo viesse a aparecer,o olhar de Thalwa quando viu Tompei,Louis e David ao descer foi triste;o anjinho ficou a encarala com docilidade mas ela teve que se retirar com todos os
que seguiriam viagem.

Foi uma longa noite áté chegar naquele Palásio,avistamos o campo e descemos pela borda da ilha,estava frio sim,deu para sentir na pele,lá o portal do inferno estava jasendo sobre as
nuvens,fiquei olhando a visão tenebrosa,esperava que Buda os mantesse fechados,todos os demônios sobre a abertura sinistra.Ardônis véio ao meu encontro,apontei para o lugar da lo-
calização e ele logo arqueou as sobrenselhas clarinhas com o tom castanho,dava para ver a tonalidade da pele queimada de sol quando em vida.

Um pequeno começo de introsamento já que se tudo desse certo ele téria que saber conviver comigo.Uma realidade que anciava por se torna realidade;quando fomos para dentro do
palásio Louis e Thalwa estava conversando sobre a incoformidade dele.Estalei os dedos em desvaneio ao abrir os braços sobre o apoio do imenso sofá quando me sentei.

-Lunnes gostária de saber o que anda se passando no reino do anjo.

-Realmente uma catastrotofe Lestat já que Thalwa faz com que as cinco almas queimem a todos.

-Assim espero e quanto a você Anjinho mantenha sua razão.

Uma indagação direta na frente de todos,ele ficou me olhando méio que sem compreender se tinha falado isso mesmo,mais sim.Mesmo sendo um ser muito controlado e com modos
muito doces deu para ver que ele estava envergonhado.Seu olhar passeava por Thalwa a tentar captar a mensagem.

Fiquei olhando isso e tive que soltar a mão no rosto dos dois.Se não captasem pela base da razão téria que ser pela porrada mesmo.Eles se sentaram juntos a se recolher com as mãos
sobre o rosto,as marcas dos meus dedos bem firmes e vermelhas.Thalwa nada mencionada e Marius realmente vitorioso pela sena.

"Tadinhos Lestat;assim e complicado se entenderem".Maharet se mantinha intacta naquela confusão que Memhoch provocou,uma Rainha,realmente tinha que admitir.O sono ia vindo
no corpo,estava tão cansado que me esvaia sobre a proltona,Xinhua tinha saido para ver a ilha com Sofia e Tompei,estavam esperando o momento certo e ele iria vir,contava os
minutinhos sagrados e fiquei rindo ao me lembrar daquela sena fatidiga que Louis teve a aldásia.

Meus dedos pousados sobre meus lâbios eram chamativos,fiquei passeando meus olhos aos dois sentados sobre aquele sofá,absorvia cada detalhe da configuração deles,imaginada mil
coisas entre eles,como tenho uma mente maldosa,tive que me dar conta disso para sair do pensamento e mesmo assim os meus risos eram houvidos.Minhas unhas cintilavam sobre a
iluminação e o vi se levantar a se recolher com ela.David que já entrava pela porta me fez girar a cabeça para tráz,senti o toque sedoso de seus lábios quando as mãos vieram ao fio
dos meus cabelos.

"Tera que ser paciênte,gostária de que conseguise superar a perda visional querido".Iria sim,ele teve essa certeza diante da minha felizidade,anciava por tantas coisas quando o
anjo fosse queimado,lá o David subiu ao segundo andar e tive que tirar meu sobretudo. De alguma forma ele me aquecia muito,o que me inrritava,o deixei em cima do sofá ao
me encaminhar com Maharet ao seu tão requintado museu de reliqueas.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 57

Mensagem  Ana Nery em Seg 12 Jul - 16:20:29

Quando chegamos lá ela conseguil se manter passiva,aos poucos tomava seu controle com as dúvidas e decições vindo.Seus cabelos densamente vermelhos caiam a frente do corpo e
esperei ela tomar atitude para me falar algo que anciava,seus pensamentos estavam muito abertos para mim,o que ela mais temia nesse momento não era matar Memhoch,por incrivel
que pareça anciava por saber o que Thalwa decidiria sobre o Louis,mencionava tambem as perseguições da Talamasca que vinham no nosso encalço desde que Thalwa deu as primei-
ras evidências de sua existência.

Em meigos sussuros ela confeçou que tinha recebido uma carta da ordem e assim por causa do desastre que as Libélulas háviam provocado na cede da Ordem.Como me delciava no
desvaneio dessa doce conversa,realmente Thalwa quanto a esse probleminha tinha dado toda lição a eles que agora conforme a mãe citava se rendiam e jamais ousariam voltar para
nos perseguir ou sequer fazer seus arquivos maquiavelicos.Até os dias atuais me pergundo como David conseguil passar todos aqueles anos martais a frente da Talamasca.

Todo brilho do veludo vermelho realmente dava um ar magistrál a Maharet,senti meu David entrar para ficar conosco,não gostava de ficar sozinho.Gostei dessa meiga atitude dele e dei
a houvir a continuação do que Maharet tinha a mencionar naquele momento tão particular a nos dois,suas unhas cintilavam diante dos lutres.A iluminação doce correndo sobre todo seu
museu que ela mantinha tão bem requintado com reliqueas impossíves de encontrar em lugares normais.

-Lestat como reage a essa paixão de Louis para com Thalwa?Isso pode consumilo moleque e lhe falo que tenho medo de que algo aconteça com ele.


-Tenho plena noção disso Maharet,tenho medo,rancor junto a um toque de pânico.Porém querida eu ancéio por velo amar novamente,não sente e não ver o brilho que ele carrega
no olhar?

Para ser mais claro eu estou morrendo de ciumes mas se ele for feliz ao lado dela isso me fara eternamente gráto a Thalwa,vejo que Louis reencontrou o antigo brilho de quando era
humano e não quero tirar isso dele.Mesmo ficando triste pelo seu afastamento de mim eu irei apoiar sim.

-Compreendo Lestat;o recéio e grande por sua parte mas quer deixalo em paz diante desse impasse.

-Correto má chére.

Pude me conter diante desse assunto,meu sanguê fervia por dentro,ia me corroendo com a nova força.Isso me assustava de forma evidênte a todos,não que eu desejase morrer pela
verdade inserida da mim,me silênciei pensando no que os dois estariam fazendo,como Louis e Thalwa estavam se comportando diante dos sentimentos dele a ela.Todo nervossismo me
tomou por completo me fazendo levantar e sair ao campo.David me acompanhava para ver o que iria acontecer.

Me sentei nos rochedos diante daquele vento forte,olhava o portal acima do céu pronto a se abrir a qualquer momento,imaginava muitas coisas caso isso viesse a acontecer,uma tem-
pestade de demônios?Séria uma desgraça sul real.Fechei meus olhos para sentir como iria terminar o desatre que as Libélulas estavam fazendo no inferno,Sofia,Xinhua e Tompei pou-
saram a minha frente,acabavam de ter voltado do passeio pela ilha,não estava com o meu sobretudo e assim sentia um meigo frio.

Apos esse tempo com eles Ardônis esperava a volta das cinco almas,foi ai que Maharet ao seu lado mencionou que tinha jarros gredos,o chamou para se certificar se serviriam para
lacrar as Libélulas apos o termino da guerra,agradecia por terem vindo a minha companhia e nas imagens que a mente me trázia do inferno realmente Memhoch estava ficando sem o
recurso principal,mesmo assim muitos humanos ainda morriam pelo mundo naquele julgamento.

-Como gostária de está lá.Pena que o infeliz não queira decer.

-Verá o que vou fazer Lestat;você tem medo dele porém agradeço a minha mãe por ter me ensinado a não temer a nada.

-Não tem recéio de está perânte o demônio Ardônis?

-Recéio? Nunca ! Só o de perder minha alma algum dia.

Maharet hávia nos chamado para voltar ao palásio,agora meu corpo diante daquela dor forte tinha se recuperado por completo,nem uma falta de vigor ou sequer sentimentalismo tive
que ir ao comodo que Louis e Thalwa estavam,eles sussuravam algumas coisas diante dos acontecimentos,as almas tinha voltado do inferno.Deu para sentir no ar as suas presenças
pairando no ar.

Thalwa estava nervosa,ela me abraçou para poder se esvair,dava beijos em seus cabelos e pude ficar sozinho com ela,Louis se retirou com os demais,ela apenas se deixou cair nos
meus braços dolorida com a particularidade com que tudo hávia sido revelado,tomei uma grande iniciativa diante desse doce momento.Sabia que todos os meus escritos estavam na
escrivaninha e tirei todos os exemplares da pequena caixa negra que estava quardada nas gavetas.

-Thalwa leia tudo querida e apos isso forme tua indolê quanto a nos e ao que Louis sente por ti.Não por mim mais por todos áqui.

-Por quê me pede isso querido?

Me pus de joelhos quanto ela se deitou na cama sobre os travesseiros,amava o seu corpo jovem de adolêcente,pensei que se a tomasse nos braços podéria sentir orgamos fortes
mesmo tendo o corpo morto.Séria possível?Ela tomou os escritos nas mãos e se sentou a mesa pequenina ao lado da cama.Todo o cabelo quase branco caia até a cintura,toda essa
brancura e provocada pelo poder,afinal conforme o inicio a originalidade da cor deles e plenamente negra.

Os céios pequenos e doces eram bem visiveis por deibaixo da túnica vermelha dada pela a Maharet,uma pele tão branca e alva como o leite doce dos campos.Ela absorvia tudo que a
sociedade moderna ensinava,graças que estava sendo muito bem instruida nos novos tempos,a deixei sozinha,sai para ficar com os outros.

De alguma forma a presença de Thalwa me abala,esperava para saber o que ela pensaria de tudo lá citado por mim.Quando Maharet me viu entrar naquela sala e sentiu o que tinha
feito quase se desesperou,Mekare e Marius a seguraram firme para não intervir "Ela tem que saber mãe,tudo e direito dela para finalmente tirar suas dúvidas".Á abrasei forte nessa
citação,a deixei chorando com o rosto encostado nos meus ombros.

-Ela nos matara Lestat ! Somos malditos por isso !

-Nunca querida Maharet,ela sabera lhe dar com isso,tem suas virtudes muito bem feitas.

-Será? Tenho medo dela,ela me causa muito medo.

-Não a mim,aprecio a sua força.

Foi um ato generoso a ter acolhido dessa forma,Ardônis observava isso como uma mera e complicada convivência.Senti os braços de Louis me chamarem e fui ficar com ele,agora eu
me desesperava,quando sozinho no corredor o empurrei contra a parede em prantos,olhei firme nos seus olhos azulados,ele mantinha sua razão plena.

Quanto a mim?Beijava seu rosto em palavras descordenadas "Não vai me deixar não e?Eu não conseguiria viver sem você meu anjinho".Ele riu com isso,poucas as vezes me compor-
tava assim diante dele,as suas mãos se curvaram em docilidade,ele sabia que nunca conseguiria sair de perto de mim "Posso odiar você as vezes mais e impossível sair de perto de ti
por mais que esteja amando outra pessoa".Amei sua sinceridade,não esperava por isso.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 58

Mensagem  Ana Nery em Seg 12 Jul - 16:24:51

Mantive toda paciência do mundo naquela espera de Thalwa enquanto me mantinha com o Louis nesses prantos,no quarto de Maharet o deixei chorar por completo.Eu disse de forma
direta que tinha entregado todos os escritos a Thalwa,o que o fez se desesperar diante da realidade que estava acontecendo.Tentei entrar na mente da Guerreira mais não consegui.
Thalwa e um ser tão precavido que pensa em tudo calculadamente antes de tomar qualquer decisão.

Os braços do meu anjinho bem curvados sobre minha cintura,me envolvia por completo,ele me dizia nos houvidos naquele meigo sono que se realmente tivesse ela por completo com o
tempo iria compartilhala comigo,achei isso uma meiga verdade,por que desde que nos tinha conhecido essa tinha sido a forma de nossa convicência.Tudo que entrava em nossa casa ia
sendo divido "Jamais esperava isso de você Louis,mais me parece um herege".

-Sabe por que ela me chama à atenção Lestat?

-Sim,pode me falar?

-Seu brilho,sua indolê com o toque de mágia descomunal;quando vi isso no olhar dela me senti de volta,foi como se todos os meus fantasmas desaparecessem.

-Quardo essas palavras.

Foi um longo tempo nessa meiga espera;o que deixou mais chateado e que acabei por dormir sobre os braços dele,sai de mim,apaguei por completo.O sono véio muito forte confor-
me ia esperando;não conseguia compreender por que isso estava acontecendo,todo o meu corpo passou a se neutralizar.Apenas sei que por um passar de minutos houvi e senti a
maharet entrar e apagar as luzes do quarto,tinha chamado o Louis para se retirar e nisso eu voltei a esse estado catatônico.

Confome meus pensamentos corriam as informações que chegavam era a de que Ardônis esbravejava com a Thalwa diante de sua decisão apos conseguir ler todo o contéudo,nas
pretuberâncias do desejo,delirio tudo ficou negro nos pensamentos.Quando meu corpo me trouxe de volta já erá no méio da madrugada,me apoiei sobre os travesseiros,não restava
mais ninguêm no Palásio conforme as informações mentais chegavam.

Achei estranho terem feito isso,a imensa porta de vidro dando para a varanda estava aberta deixando o vento entrar e as cortinas brancas andulavam sobre a luz da Lua que entrava.
Pelas sombras vi que Thalwa estava comigo,fiquei tremulo por isso "Os mandei para o templo de Tompei Lestat".Ela saiu das sombras escuras a caminhar em minha direção.

-Não faça uma loucura comigo Thalwa diante do lque eu.

-Pode ser que sim,pode ser que não.O que acha que poderei fazer com você?

-Não faço a minima idêia querida.

-Tem algo de mim,foi isso que mais senti ao longo de todos os escritos.

-O que exatamente?

Como respirava ofegante diante do medo,ela sentiu esse sentimento vindo de dentro,não ia imaginar que o que fizera chegaria naquela loucura entre nos dois,ela soprepos seu corpo a
mim,estava faminta por tudo que pudesse imaginar.Por quê sempre cometo meus erros?Eu me considerava um infeliz diante da atitude e decição dela conforme ela me falava em seus
sussuros poderosos"O que acharia se eu realmente sentisse algo profundo por você?Vejo a minha crueldade em vossa pessoa Lestat,e tão cruel e perveso como eu e isso me cativa a
um nivel que não suporto".

Admitia minha derrota diante dela,toda loucura me deixou contaminar,toda impulsividade a me chamar,não sentia um desejo em si,mais uma queima de chamas infernais como nunca
senti por alguêm,me encontrei numa encruzilhava quando senti aqueles braços tão finos e doces me envolverem,uma bonequinha jasendo em meu leito de sofrimento e paixão.

Nunca teria descobrido isso se não o tivesse feito ao entregar esses escritos a ela,tinha sido uma prova do que realmente podéria acontecer.Vi uma ligação de alma como nunca descri-
to antes,deixei os meus dedos correrem sobre aquela cintura tão fina ao puxar toda a abertura da túnica,ela esperava,toda sua doçura cruel como lâmina "Vai me queimar por isso e
não espero que me perdoe querida".

"Não téria essa coragem por que sem querer,sem realmente perceber pode me trazer de volta Lestat e para mim isso realmente faz desejar sua companhia eternamente".Quando
a deixei despida pude me deliciar com o que é sua pele iniqualavel,iria acolhela sim em minha casa,viveria com ela,iria amala como nunca antes.Deixei o calor infernal falar mais
alto com minha boca delizando pelo seu pesçoso malicioso.

O beijo para mim foi infernal,isso por causa da loucura,mesmo contra tudo ela teve essa e ardua coragem de deixar sua vontade falar mais alto ao estár comigo nesse momento.Não
esperava que esse calor me trouxese o prazer de volta,sabia que erá um calor consumidor com o toque da destruição,o encontro dos rostos pleno e doce quando me deitei por cima
do seu corpo tão juvenil.Uma meiga jovem que em vida se tornará uma deusa.

-Sabe o que o medo e para mim Lestat? Nada,absolutamente nada por que eu não tenho medo de morrer.

-Isso e um choque má chére.

-Pode me matar mas quero está com sua companhia até o fim dos tempos mesmo me queimando da forma que o faz.

"Isso e cruel,cruel demais Thalwa".Ela arancava o que me restava das peças das roupas,as suas unhas roçaram meu rosto e me senti tomar por orgasmos como nunca descritos,o calor
ia me queimando me causando essa queima de chamas como nunca senti desde as minha mortalidade,tinha até que fechar os olhos para me controlar "Isso queima Thalwa,eu não
vou aguêntar".

Ela sabia realmente como provocar esses orgasmos poderosos,só o perfume dela ia me enchendo com esse desejo,jamais pensei que a paixão me destruisse com isso,não erá
uma paixão e sim uma entrega completa de alma e corpo com ela.Amava está esbravejando seu corpo,ela teve todo carinho do mundo a dar,a união foi descomunal.

Meus orgamos eram tão pervesos quando estava fazendo amor com ela que seus bracinhos doces me seguravam forte,puxava aqueles cabelos para traz,não acreditava nisso,que sem
querer tinha adquerido esse corpo por completo,e detalhe:Ela me citava em sussuros que só a mim desejava,o destino tem suas travessuras.Sem perceber tinha encontrado uma mulher que me complementava.

Toda presão dos movimentos daquele ato que e o sexo me causava tantos orgamos que doia o corpo,me sentia vivo nosamente,não no corpo e sim na alma,essa união carmal que
encontrei com ela e que me fázia sentir o completo prazer "Está doendo,e muito,uma crueldade sem tamanho Thalwa !".Meus critos foram altos,enquanto mantinha aquele ritmo feroz
ao fazer amor com minha nova conquista.

-Eu sei que sim,eu sei que sim !

Agora ela que se curvava por cima de mim,as penas entra-abertas com os movimentos dos seus quadris bem entrosados comigo,se curvou para continuar naqueles beijos vigorosos,isso me deixava ainda mais descontrolado diante de situação.Jamais imaginei que quando se ver e se tem uma alma complementar esse prazer e trazido de volta.Não paramos ao longo de
horas.

É o pior de tudo e que não parou por ai;me sentia atormentado por esse queima de sentimento que foi criada entre nos dois;deixei minha boca se adornar aos mamilos rosados e
o toque de trevas véio,seu corpo e tão delicado e doce que quando se possui e como se ir aos céus,era isso que estava acontecendo comigo,afinal Thalwa fora criada em plena e altas
chamas da juventude,o que lhe traz uma pureza atormentadora.

Diante desses orgasmos provocados nessa noite de amor impassivel meu corpo começou a doer,quando ela se deu conta de que estava nesse estado catatônico me encostou sobre o
espelho da cama,sua boca encostou sobre a minha para deixar os beijos poderosos falarem mais alto e novamente a entrega completa.

-Não vai parar por ai não e Lestat?Logo agora que me sinto tão gratificada por ter encontrado você.

-Isso e exploração Thalwa,está me esgotando de prazer e orgasmos até o limite !

-Você e bom de cama e isso e o que importa junto a sua sinceridade e amor para comigo. Isso e o que me fez querer vossa pessoa como meu parceiro.

-Socoro !

Ela me puxou com forma,me fez posicionar por cima daquele corpinho tão maldito ansiando por mais e mais orgasmos.Me deixei unir com ela novamente,o calor da paixão me fazia ficar tão rigido que suava sem parar,os cabelos de Thalwa aos poucos iam humidecendo com as caricias e desejo falando mais alto,sempre que meus lábios roçavam seu pescoço e séios a sua boca
se abria de tanto delirar.

"Pelos deuses,o que a união carmal não pode fazer".Fiquei num ritmo de penetração lenta e passiva,o que fazia meus orgamos virem aos poucos e depois causar aquela exploção que
nunca senti antes,suas unhas engravadas sobre meus cabelos loiros,ela finalmente sentindo o cansaço me deixou esvaido a beijar sua boca,respirava tão ofegante que a dor não me foi
nada diante disso,seus bracinhos sedoros passeando por minhas costas "Vai dixar eu estár com você apos isso não e querido?Não quero me afastar de uma pessoa que amo tanto".

"Não,não me mate mais não".Um sussuro entre minha ofegância destrastrosa,erá minha,só minha companhia e não acreditava,passamos o resto da noite assim,crudados um sobre o outro,quando o sol ia nascendo pude me vestir,quando acordassemos iriamos para o templo.Naquele corredor entrando para o sotão não parava de beijar aquela boca doce como maça.

Tive que me conter para não fazer mais loucuras com ela,entrando no sarcofago de Maharet eu apaguei,sentia tanta dor no corpo diante daqueles orgamos que foi imediato:Escuridão a
me tomar,mesmo naquele sono profundo sentia sua boca roçar meu rosto.O que tinha feito? Tomado a mulher eternamente sem pedir licença,Thalwa estava dispota a ficar comigo em
toda eternidade e jamais imaginei algo assim.Só esse sono para me trazer de volta.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 59

Mensagem  Ana Nery em Seg 12 Jul - 16:34:42

Todo frescor do perfume dela me fázia sonhar dentro desse sarcofago,seus braços curvados em volta dos meus ombros,dormiamos um de frente para o outro nesse abraço imortal até
sentirmos o sono ir embora conforme a noite vinha nacendo,naquela escuridão em que todo sotão se encontrava ela deixou a pesada tampa abrir a cair de lado,sentou-se sobre a borda
da parte posterior a me observar com aqueles olhos cinzas brilhantes,os cabelos lisos junto a cor clara caiam aos ombros se destacando sobre a túnica vermelha,as unhas transparên-
tes absorviam todo brilho das luzes que tinham sido ascesas por mim.

Fiquei a me devagar com sua beleza descomunal que tinha me contaminado na noite anterior e que considerava a mais asombrosa de todos quanto ao prazer que ela tinha me propor-
cionado,estiquei minhas mãos e assim a pude tirar dáli de dentro,as pernas delicadas pousaram no chão frio,seus pés delicados davam os primeiros passos,todo tecido vermelho e fino
de sua roupa andulavam,erá tão dino que quase dava para ser o contorno se sua pele,seus séios delicados e pequenos realmente tem um formato perfeito.

Minha mente e sagas,quiz sair de imédiato para com ela,peguei meu sobretudo parado ao sofá e assim abri a porta pesada do Palásio,tranquei tudo na chave,quando no campo seu
toque para mim foi como seda maléfica sobre a pele do rosto,os lábios vermelhos sempre chamativos,puramente vermelhos da cor do sanguê de um modo natural e mágico,os de-
dos a roçarem sobre minha nunca naquele beijo que me trázia o mais puro gosto de maça.

-Não me deixar sozinha após a minha loucura,não e Lestat?Espero muito de você moleque.

-Tenha certeza que não,mas tenho medo dos dois titans que são seus quardiões má chére.

-Não esquenta a sabeça não,farei o possível para eles entenderem o que realmente quero na minha imortalidade.

Anciava que fosse como ela dizia,ela alçou vôo aos céus negros,critou dizendo que iria parar na Grécia antes de irmos a China,lugar que os demais nos esperavam desde esse aconteci-
mento destruidor entre eu e ela,não sentia paixão por ela mais amor,queria amar Thalwa ao ponto de morrer.As nuvens estavam pesadas e senti que o portal jasendo sobre a escuridão daquele céu ia fechando,porém era perceptivel que Memhoch não ia deixar barato para nosso Buda ajudando a todo momento.

Tive que correr com o máximo de forças possível para acompanhala,as nuvens uma a uma erá atravessada por nossos corpos rigidos.Quando avistamos a cidadede Athena ela deceu
para caçar,estava faminta,eu mesmo me ofereci para procurar um malfeitor e dei graças ao Buda por ter nos ajudado,a sua presa se encontrava em um prédio da cidade,ela achava estranho a arquitetura morderna da cidade "Mudou muito Lestat desde os tempos milênares na antiguidade,eu nasci áqui,compreende?".

"Aqui?Naceu na cidade de Athena?Isso e asusstador querida".Como sua mente erá agil em absorver todo conhecimento dos novos tempos,ela de deliciava quando entrou comigo para
pegar o malfeitor no prédio.Subiamos as escadas lentamente,dava para ver que deixava a linguá delizar pela boca devido a fome,senti e descobri que ela demorava a caçar mais no
cintilar da sede se deixada render.

A porta do apartamento de sua presa estava trancada na chave,por pensamento ela viu ele dormir sobre os lençois,um colecionador de artes ilegal que dária qualquer quantia em seu
dinheiro para roubalas.Usando seu Don Telépatico junto a mim conseguil fazer a fechadura abrir e ceder ao seu toque,os pés descalços dela andavam sedoros e sem amanar som nem
um.

Senti que ela realmente tem a minha pervesidade,me lamentava em sussuros que jamais esperava ter uma parceira como ela,o filho da mãe dormia como um anjinho do mau e as
minhas unhas esticaram entrando na garganta ao toque das mãos pesadas,acendi as luzes para dar melhor visão a ela que se sentou ao canto da parede daquele quarto fechado
e sem ar.Odiava tela que levar esse lugar,para mim ela merecia o melhor naquele momento em que enterrava as presas na carne do infeliz que morria sem sequer saber.

-Está divino querido,apenas espero me alimentar bem para continuar a viagem.Não quero nada mais que isso Lestat.

É ela continuava a se saciar,bebeu cada gota até não restar nada,deixei meus dedos limparem seus lábios,ela estigou as mãos como pena me dando melhor apoio para beijar cada e
doces pedaços de sua boca,um beijo maléfico e me deixava delirar de como sua pele e mácia,tão mácia que realmente ao toque da mão desliza como seda.

Tudo nela me deixa quente,sedento por muito mais,mas me contive quando nos levantamos nesse beijo gostoso de sentir,a vigorisidade de sua força e realmente descomunal,as mãos
no meu rosto sedendo a cada continuidade do beijo,os braços curvaram a roçar meu ombro e por isso pudemos sair dáli,me sentia pleno por vela matar a fome,seu corpo ficou aqueci-
do.

Ansamos vôo a China ao entrar no beco mais próximo de Athena,do céu a cidade cintilava de luzes sobre a noite fresca,quando ela teve esse vislumbre seus olhos brilharam forte na
lebrança do passado.Um passado glórioso que ela hávia tido áli na antiguidade " Vamos embora Lestat por que se me manter áqui enloquecerei anjo negro".Deixou o corpo se erguer
e lá almentamos a velozidade partindo na viagem.Todo frescor dos céus realmente mágico sobre a pele.

O silencio envolvente em toda viagem a China,o vento ruia como Dragão em meus houvidos sobrenaturais;as estrelar ardiam sim,quando cedemos em cima da muralha de Tompei eles
esperavam na quadra,Maharet vislumbrava aquela sena com glória,se sentia feliz por nos ir chegando em segurança,a neblina forte pairava em todo canto do Templo,tinha chovido bem
recentemente e por isso essa neblina forte.A Lua como sempre sendo vista por inglal,isso e o que me encanta na china,toda beleza da lua sobre as arvores locais.Tompei me puxou ao
me ver,meu sobretudo andulava no vento forte,seu olhar tetanto captar algo e respirei fundo quando Lunnes deceu a escadária.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 60

Mensagem  Ana Nery em Seg 12 Jul - 16:41:41

Realmente fiquei tão descontrolado ao olhar em seus olhos verdes que me escondi atráz de Tompei,ele tentava captar o que essa minha atitude podéria sighificar,escondia meu rosto no ombro do Ex-mongê,Tompei ao menos tentou me ajudar e saiu com Lunnes subindo em sua meiga descoberta,meu coração agora batia forte,o que mais aprecio em Tompei e isso:Que ele tem facilidade para compreender as coisas no ar,Thalwa seguil com ele e quando entramos no imenso salão da entrada Ardônis ao seu modo de amor a mãe beijou suas mãos em respeito ao que ela sighificava para ele.

"Bem vinda mãe,estava ancioso por sua chegada desde ontem".Os quatro entraram para o quarto de Tompei quando ele os empurrou em sua educação meiga,Thalwa o ajudava nesse
ato supremo,sua face estava tão gelida que nem uma expressão era visivel devido a prucupação.Maharet e Marius captaram tudo em meu temor,erá muito visivel a todos áli.Senti a
pegada das mãos do mestre me puxando para o jardim em tentativa de justificativas.A sua voz poderosa ecoava quando me jogou escada abaixo a cair no grámado.

-O que aprontou dessa vez Lestat?O que Thalwa fez contigo desde que leu nossos escritos e nos pediu para vir para o templo?

-E..E..Posso explicar,eu posso explicar Marius.

-Então fala moleque insolênte !!

"Marius não foi culpa minha,eu juro que não sou culpado de nada e nem ela !".Ele deslizava os dedos sobre os cabelos loiros e andulados,seus olhos azuis emanando furia diante do que
via em minha mente.Me agarrou pela garganta em uma tentativa de me queimar pela minha imprudência.Realmente temia por minha vida naquele momento em que Thalwa,Lunnes e o
Tompei tentavam controlar o Ardônis.

Pelas imagens de pensamentos de Tompei Lunnes não tinha ficado irado mais o filho de sua ex- esposa ao que considerava Thalwa se descontrolava,ele tinha tantos ciumes de sua mãe
que o simplesmente fato de saber que ela estava amando alguêm lhe queimava por dentro.Os critos da mesma vieram ao ar quando Ardônis apareceu ao pé da escadároa,o mestre ia continuando a me segurar;suas mãos se abriram pela falta de coragem me largando.

Tive que correr para a quadra,Louis e David gráças que tinha saido para caçar,se fosse ser morto nesse momento que eles não presenciassem a catastrofe,Ardônis me segurou pelos
os ombros,soltou o peso se seu soco sobre meu rosto,fiquei tão revoltado que revidei para não deixar barato "Se comporta como um moleque Ardônis,seja coerênte infeliz".

-Acha que ela e o que Lestat? Um brinquedo que se usa e descarta? Acha que iria deixar que ela vivesse com um fraco como você?

-Fracos são aqueles que se deixam contaminar em sua decadência ! Os fortes são os que amam de forma inexplicavel ! E eu sou um deles !

Ele tinha socado no rosto novamente e o pé deceu forte sobre meu torax quando tombei ao chão da quadra,queria chorar diante disso,ele podéria me matar e isso me deixava desespe-
rado.Maharet e Mekare ajudaram Thalwa a afastalo de cima de mim,tosia muito ao ficar de pé,Marius me apoiou nos braços com Pandora e Mael,os três muito recêntidos diante de mi-
nha decisão.

Quando estive com Thalwa naquela noite fui tomado pelo amor dela,não queria perder essa change de tela comigo,Louis e David chegaram da caçada e ao se deparar com a sena foi o
estouro de critos no salão,me sentei na proltona com as mãos no apoio,Ardõnis não queria a mãe fora de sua casa,ele dizia em critos a ela que esperava manter ela em segurañça quando retornasem para casa,o homem estava descontrolado,realmente o Tompei o mandou calar a boca em um gesto que calou a todos.

"Ela não e uma criança Ardônis,confie em sua mãe por que ela sabe muito bem o que faz na sua imortalidade".Ele engoliu em seco,mesmo me odiando teve que fechar os punhos quan-
do tentou voltar a me socar novamente "Agradeça por isso seu infeliz,esteja content por ela jamais poder viver comigo".Me manti firme,meu olhar foi direcionado a ele quando soltei a
preverbiação "É ela que deseja isso e não à obriguê a nada Ardônis,tenha minha palavra de que estou amando como nunca em anos e decadas e não quero jogar isso fora".

-Mentiroso ! Quando puder jogala forá o fara como fez com vários.

-Calase ! Isso e uma heresia contra minha vida e sentimento ! Não sabe o que sofri para chegar até áqui e tenha certeza que farei de tudo para mantela viva diante dessa Guerra.

Ele forá acolhido por Maharet e Mekare,as gêmeas sairam com ele para a quadra,iriam dar explicações quanto a minha vida a ele,isso me confortava,por incriavel ele saiu chorando em
prantos com elas,senti Thalwa se abraçar a mim,estava tão gelada diante do comportamento do filho que se deixou esvair em meu leito,se sentia muito triste,o própio Marius iria ver o
que podéria fazer para que Ardônis absorvesse tudo.

"Lestat espero que não se descontrole ainda mais com isso,mantenha-se firme por que não vou atendêr aos caprichos dele".Sabia disso,mesmo assim,diante de meu medo aseitei seus
beijos,ela estava tão tremula que minhas mãos seguravam seu rosto diante daquelas lágrimas sanguinolentas.Todo o afago dos meus dedos corriam a sua nunca e cabelos perfuma-
dos,Pandora junto aos demais presenciavam a sena passados.

"Pelos Deuses Tompei,eu jamais pensei que se pode amar desse geito".Tompei achava muito meigo essa sena,seu riso tão doce foi como o calmante para todos áli,com a presença deles foi assim que me acalmei,foi um longo tempo até acalmarem Ardôns,me senti aliaviado que ele me manteria vivo pela mãe,issa foi a frase fata engravada na alma quando ele voltou no salão com os demais que tiveram e conversa com ela.

Ele forá chamado de imaturo e diante disso engoliu tudo mesmo me odiando,seu odio por a mim erá evidênte.O tempo passou deixando o clima se acalmar,todo alivio,esperança e mi-
nha felizidade por tela em meus braços falavam mais alto.Lunnes ao menos confiava muito em mim,me conhecia o soficiênte,apesar de meus erros no passado ele sabia de como po-
deria ser sentimental.Tinha sofrido até chegar a esse momento e não ia largalo por nada.

-Estou machucado por sua traição Lestat mas única coisa que peço nesse mundo e que cuide dela como nunca cuidou de uma pessoa.

-Tenha certeza disso Lunnes e não foi uma traição querido:Apenas me senti tão chéio de vida que não quero deixar de sentir esse sentimento.

Mesmo diante desse meu desespero atendia aos beijos meigos que ela me dava sobre nos meus dedos com minhas mãos pousadas em seu rosto,algumas leves mordidas para voltar
a si.Todo poder de Buda erá sentido,comesei a vislumbrar as almas chamando Thalwa ao encontro delas,corremos para velas pairando ao céu,precisavam voltar ao inferno.Ela foi ao
seu desejo.

Como amava suas Libélulas,os braços pálidos e finos esticados a frente a tocar cada uma a esperar uma orde.Ela perguntava se tudo estava correndo bem.Andava em volta comigo no
deleite sagrádo,mesmo chateada do geito que estava se ajoelhou diante de todas,forá acolhida diante do sofrimento que estava passando para vencer essa Guerra De Deses.

'Está cansada Thalwa,podemos adiantar o fim Guerreira'.

Meigas palavras nesse momento,Kaniban,a Libélula vermelha erá a que tinha coragem para se dirigir a Thalwa desse modo,Louis a segurava pelos braços quando ela se pos de pé,ela
iria voltar ao inferno novamente,pedia forças aos deuses por que se sentia tão cansada que seu corpo doia muito.Sua boca se abril em um meigo sorriso mágico quando as Libélulas no
seu toque subiram aos céus em sua ordem.

"Eu sou Thalwa e jamais serei inghorada pelos Deuses que fasem essa guerra divina,Eu que sou a encarnação do mais puro poder do universo terminarei a Guerra ! Não aceito ser des-
cartada ou sequer inghorada diante do meu poder !".Foi o últimato ao Memhcoh que véio a aparecer diante dela,o portal do inferno forá novamente aberto para ela entrar no seu Rei-
no,ele tentava segurala mais envão.

O vento correu forte,Ardônis se entragava ao portal ao lado dela,o estalo da energédia de Buda a fazer esse portal erá descomunal,Tompei que já carregava sua espava foi na fren-
te,ele sim tinha sede por guerra e Maharet me empurrou ao passar por mim.Nesse passar de tempo pelo portal desmaei.

Senti a calida mão de Thalwa sobre meu rosto,meu impulso de me por de pé foi imediato e as Libélulas pairavam acima de nos,Maharet se mantinha asombrada por que o Reino do An-
jo estava limpo,ele estava tão puto da vida ao se manter sentado naquele trono que o ar ia sendo consumido por ele de tanto ódio.As asas arancadas,Ardônis se mantinha quieto para
o vislumbre vir mais rápido,Tompei ao meu lado observador em seus calculos nas futuras ações.Thalwa caminhava lentamente na direção do Anjo "Posso ser missericordiosa Ser.Das
Trevas,você que decide".

Ele a afrontava crualmente,Ardônis podéria morrer mais jamais,jamais deixar que um filho da mãe como Memhoch tocase em sua mãe "Pode ir parando querido por que não estou em
minha razão !".Nem uma chama queimando no inferno,tudo tão silenciado que sentia toda a respiração de Buda que apareceu ao lado de Thalwa tetando mantela protegida,um passo a
ser inesperado,Maharet tinha que me segurar pelos braços para não cometer um genosidio.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 61

Mensagem  Ana Nery em Ter 13 Jul - 17:11:22

Única que se passava em minha cabeça e de que tudo podéria vir a acontecer,Maharet teve a plena noção de que eu tinha a coragem e o poder de provocar muitas coisas perânte ele e
as conseguências podériam ser catrastoficas para todos;Tompei era o único sensati naquele lugar pecaminoso para qualquer individuo que colocase os pés áli.Meus olhos humanos ardi-
am muito por causa do começo da fraqueza da visão mais iria pendurar por maus alguns dias.Ardônis que se mantinha impassivel ao lado da mãe começava a caminhar pelo Inferno e
as suas ações foram inesperadas,conforme ia vendo nos pensamentos de Memhoch sua raiva lhe consumia.

Quardava toda configuração de como Memhoch era:Sempre aquele ar divino,os cabelos em brilho supremo com o toque andulado e o tom clarissimo,os fios caiam levemente aos fortes
ombros,a túnica clara e quase imaculada caia sobre o corpo,os braços despiros e sempre o formato andrógino a me asusstar.Pena que já não mantivesse as asas para lhe dar todas as
forças possíveis,uma providência em que Thalwa tinha tomado na vinda antérios ao inferno e assim foi sentido a força telepática dele que empurrava Thalwa para tráz.

As mãos da Deusa apenas vizeram com que isso parasse,ela pedia de forma inesperada a ele para que devolvesse as almas humanas;se o fisesse iria poupalo de sua decadência de
morte.Ele tinha plena certeza disso mais infelizmente não estava disposto a perecer sem a batalha entre ala,jamais iria desistir de fazer tornar-se realidade seus planos maquiavelicos
e por tais motivos saiu empurrando a Guerreira com toda força.

"Isso e uma loucura Memhoch,estou tetando poupar sua vida e inisiste de forma pecaminosa para comigo !".Ele mantinha a indolê,Ardônis o segurava muito forte por detráz,os braços
dele desfilando golpes crueis ao Demônio que acabou por se virar e seguralo pela garganta para lhe tirar a respiração.Maharet não conseguil esperar mais,mesmo com medo do que eu
podéria fazer me largou para ajudar ao filho de Thalwa,quando as mãos de Ardônis foram a curvar-se sobre o rosto de Memhoch vi ele desconfigurar por completo.

"Ainda não sabe o que e o toque do gêlo Demônio !".Palavras critadas em alto escalão com a força descomunal do Ardônis,a fumaça branca gelada saia do rosto de Memhoch causando
sérios danos a ele,esse ser que me odiava desde que fiquei com sua mãe agora me pedia à ajuda que anciava ter,Thalwa se mantinha caisa apoiada com as mãos no chão,mais uniu as
forças nescessárias e foi a luta novamente.Pelos seus pensamentos ela não esperava que o Demônio fosse tão forte,se deixou andar para seu corpo se encontrar com o dele,todo o im-
pacto foi indescritivel.

Os braços de Thalwa se esticaram contra os de Memhoch,os dois deixaram suas forças falar mais alto,a dor da Guerreira era tanta que foi perceptivel algumas lácrimas de sanguê a
cair sobre seu rosto "Lestat eu preciso de ajuda áqui ! Faça alguma coisa !".Uma ordem para mim e que atendi imediatamente,Maharet que hávia encontrado uma pequena taça acima do
trono de Memhoch agora subia e junto com o Tompei deixavam o sanguêm escorrer dentro dela.

-Tompei enche-a até o limite querido para poder queimar o filho da mãe até não restar nada dele !.

-Considero isso uma loucura Maharet ! Não sabemos o que ele pode fazer.

-Não e um pedido e sim uma ordem !

Os cabelos da mãe andulavam com todo o vento e fuligem no ar,ela deixou seu corpo ir ao céu do inferno e desceu com toda força que seu avido corpo tem e fez com que aquele san-
sanguê contigo na taça se derramase sobre Memhoch,ele se virou em sua direção,agora nosso Tompei queimava o Demônio com seu olhar,foi o bastante para o anjo segurar ele pelos
os braços mais a cartada final que mais me surpreendeu foi como o Ex-Mongê não reagir.

Todo silêncio tomou conta de nos todos,Tompei apagou enquanto Memhoch socaca seu corpo e todos nos tetando fazelo largar o bebedor de sanguê,não compreendia o por que nosso
Tompei estava a agir dessa forma imprudênte,o sanguê escorria de sua boca enquanto não tinhamos como fazer Memhoch parar de bater em seu corpo jasendo em seus braços,todo o
impacto dos golpes desferidos me causavam caláfrios e mantinha toda minha força com os demais para afastar Memhoch daquele momento de pura pancária sobre o Tompei.

"Tompei não e hora de agir assim! Ponha-se de pé !".Maharet suplicava enquanto segurava Tompei nos braços adormecido,porém quando voltei meu olhar ao meu lado senti que Buda
não estava presente,Thalwa e Ardônis sairam em vôo com Memhoch,o perseguiam a onde ele fosse no Inferno,toda luz do Reino pairava,menos aquelas chamas ardentes que queima-
va a todo momento na ordem de Memhoch.

-Cadê as Libélulas Maharet?

-Estão com Thalwa Lestat,estão ajudando ela naquela perseguição mais não sei o que acontece com Tompei ! Isso me deixa desesperada.

Me pus de pé,estava respirando fundo e tomei a ousádia de desferir golpes mais profundos no corpo de Tompei "Não vai acordar?Então morrar seu filho da mãe !".Tinha jogado ele so-
bre a parede com todo impulso que podéria ter,o corpo dele estalou no impacto e caiu sobre o chão queimante.Continuei a deixar meus passos ecorarem firme para continuar naquele e
traumática surra a ele.

Um corpo sem vida ou sequer ação,mesmo sentindo toda dor e sofrimento do mundo ao ir fazer isso tive que continuar,deixei meus pés decerem pesados ao dar pesados chutes sobre
o torax de Tompei "Acorda ! Se formos morrer que seja juntos Tompei !".Enquanto dava toda continuidade aos golpes hoivia Memhoch dar critos na pancária com Thalwa e Ardônis.Ele
saiu a recuar naquele longo e imenso corredor de trevas com os dois em sua perseguição.

Estava com tanto medo de perder Thalwa nesse momento que era por isso que queria por tudo de mais sagrádo acordar ao Tompei,ele sim tinha a chave para desfir o golpe finao ao
Memhoch,Thalwa tinha a força com o Ardônis,mais a mágia grucial só Tompei continha em seu sanguê.Maharet apareceu ao meu lado ao modo sobrenatural,mau deu para vela apare-
cer ao meu lado com a espada de Tompei.

Mesmo assim Thalwa e Ardônis continuaram firme nos golpes contra o Memhoch enquanto eu e Maharet mantinhamos o ritmo nossas porradas contra Tompei que continuava impassi-
vel jasendo no chão.Continuava tetando detectar a onde o Pai Das Almas podéria estar mais não pude sentir,apois um longo tempo nesse ato finalmente tombei para tráz.Maharet não ia
correr mais pode por o Tompei de pé com sua força de Rainha.

-O que acontece Tompei? Por favor fale comigo querido,o que está acontecendo com você?

-Maharet preciso de licença,está me atrapalhando demais Rainha.

-Não e tipico de você se comportar assim Tompei ! Me der justificativas !

Toda força de Tompei emanava sobre o ar,estava tão corrompido pela força do Pai Das Almas que seu sanguê fervia ao correr em suas véias,o Ex-Mongê estava tão sedento pela a
imprudência que nunca em minha existência presenciei um filho da noite deixar o poder do sanguê falar tão alto em sua alma,a sua espada era carregada por aquelas mãos sagrádas
para mim.Os aeroglifos queimaram quando apareceram na lâmina da espada,o sanguê dos pulsos cortados deciam por ela escorrendo e dando a força do fogo dragoniano.

"Não foi poder fazer isso por muito tempo Buda mais preciso voltar a Terra !".O Pai Das almas estava dentro do corpo de Tompei,nesse momento pelo vislumbre de minha visão eles
eram apenas um só.Eu que já presenciei esse ato ao Tompei trazer Nicolas de volte critei ao desespero por que sei que o Don Da Morte que todo alguns julgadores de almas tem pode ir
fazendo o corpo queimar.

"Deixou o Buda entrar em você Tompei para usar esse Don tenebroso ! Pode morrer queimado !".Eu tentei seguralo mais o golpe me fez voar contra Maharet,Tompei deixou todo o
seu corpo se jogar contra Memhoch e desapareceream no portal caindo sobre a Terra.Eu os segui,não esperei mais tempo por que estava temendo a vida de Tompei.Thalwa sobrepor-
jou as Libélulas e assim desceu para tentar finalizar isso.

Caimos nos céus imaculados e negros,avistamos a ilha do Palásio de Maharet abaixo de nos e quando caimos sobre o campo imenso vi como o Tompei desferia poderosos golpes sobre
o corpo de Memhoch,ele não aguentária por muito tempo,vi que sua pele começava a ir se desentengrando por causa do calor provocado pelo Don Da Morte.

-Morra seu miseravél ! Queime até não restar nada de você !

-Está morrendo Tompei e isso me deixa muito feliz !

Thalwa saltou contra o Memhoch,estava enloquecida com a imprudência do nosso Tompei e as Libélulas realmente gravejaram a queima total no corpo do anjo que ria maléficamente.A
minha razão me fez agir ao deixar o fogo falar mais alto,os meus braços esticaram a frente com o apoio de Maharet e o espasmo do Don Do Fogo foi descomunal,ao menos podéria ir
segurando Memhoch por algum tempo.

"Eu não acredito que Memhoch esse tempo todo queria na verdade destruir ao Tompei !,eu vou morrer áqui !".Meus critos ecoaram poderosos na minha força com a mãe,As almas iam
retalhando o corpo do anjo ao atravessalo em todos os lugares.Mesmo assim Tompei continuava desfirindo a espada sobre o Demônio que impunha sua força contra ele e o Ardõnis e
Thalwa acabaram por se jogarem contra Memhoch e lá cairam colina abaixo sobre o mar.A minha voz saiu impassiva chamando ela,chorava como louco "Thalwa ! O que vai fazer!?".

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 62

Mensagem  Ana Nery em Ter 13 Jul - 17:18:50

"Lestat não o que fazer áqui,estou perdida !".Maharet realmente se descontrolava,todo meu vigor era escaso,cai sobre a gráma procurando Thalwa em pensamentos,estava esvaido de
cansaço,me sentia forá de mim ao critar em prantos,a Lua dava toda sua vida de luz sobre aquele mar negro e nada dos dois aparecerem,meus braços abertos naquele momento para
tentar tetectalos.Thalwa esbravejava com o Tompei e mesmo assim quando voltei o olhar a ele o vi descer tambem.

Se deixou cair sobre aquela escuridão mesmo contra a ordem de Maharet,me pus a ir atrás dele por que seu corpo estava se deteriorando com o Buda dentro dele,Tompei carregava o
Pai Das Almas naquele corpo chério de poder e não podéria aguêntar por muito tempo,o vi sobre os rochedos esperando algum sinal de Thalwa e Ardônis e quando vi Memhoch vir aos
céus a água do mar subiu junto a ele,Thalwa e seu filho sairam em võo supremo,as almas a lhe ajudar com toda força possível.

"Isso e um inferno sobre a terra Tompei".Ele soltou um meigo riso em meu comentários de prantos,seus olhos da cor de mel se voltaram a mim como uma prese,dava para ver que o
seu rosto mantinha algumas escoriações devido a alta temperatura que o Don Da Morte lhe causava,estava rouco quando falou comigo e meu desespero só almentou nesse momento.

-Diga uma coisa a sofia Lestat:Eu nunca deixei de gostar dela em nem um momento de minha vida.

-Tompei isso e suicidio !

Mais ele já se sobresaia sobre as nuvens pesadas para o encontro com o Memhoch,vi todos eles passarem por cima de mim para decerem no campo,tive que subir naquele pulo com a
força restante.Tive toda visão dos três realmente retalhando o corpo de Memhoch que mesmo fraco se mantinha vido.Usei a força do meus braços até o limite quando apareci por tráz
do Demônio para facilitar mais o trabalho de Tompei,Thalwa e Ardônis,Maharet realmente a deixar seu sanguê cair sobre Memhoch.

"Isso mãe,derrame sua vida sobre ele,se morrermos áqui será por uma causa justa".A mãe secava sem o necta sagrádo e quando não pudemos mais aguêntar Memhoch deu uma últi-
ma cartada,num último ato antes de morrer queimado saiu puxando a Thalwa pelos cabelos em gritos a ela,ela não reagir a isso,esperava o momento certo para matalo.Tompei deixou
o Don Da Morte falar dessa vez.

Correu a frente atirando seu corpo e assim toda vida de Memhoch era tirada dele,a fumaça negra era sugada e mesmo assim o Demônio continuava predendo Thalwa contra si quando
se jogou ao mar,Tompei fez com que o fogo dragoniano o queimase por completo e ficou no lugar paralisado tetando resistir ao Don Da Morte,gráças que o Pai Das Almas tinha agido na
rapidez tipida dele e saiu do corpo de Tompei o mantendo vivo.

-Obrigada Tompei,irei terminar isso agora querido,descanse nos braços da mãe.

Maharet mesmo fraca ao ter derramado todo seu sanguê sobre Memhoch e proporcionado aquela queima que Tompei provocara ao Demônio se deixou esvair junto a ele,Ardõnis ia
procurando sua mãe e desceu sobre as colinar densas e obscuras sobre a noite,critava ao meu lado,afinal jamais deixaria de procurar minha Deusa imaculada,as almas sairam pelas
águas do mar ao pedido de Ardônis.

Sentei nas rochas esperando algo,Ardônis ficou ao meu lado,esperamos impassivos naquela espera avasaladora,minhas mãos passaeavam sobre os meus cabelos recêntido por muitas
coisas que tinha precensiado,Ardônis se levantou ao ver o corpo de Thalwa sendo trazido na onda forte,caminhei devagar chorando como louco,minhas mãos pousaram sobre seu rosto
na docilidade anormal que nunca esperei ter.

Ela respirava devagar,estava viva na primeira checagem e subi com ela em meus braços ao lado de Ardônis,minhas roupas estavam ensopadas pela água do mar,a Luz do Pásio da mãe
fázia escorrer toda visão sobre ela.A túnica vermelha tão bela forá destruida pela força em que Memhoch lhe impora,alguns corter nos braços que iam fechanado conforme deixava to-
do sanguê escorrer "Thalwa se morrer assim me levara junto,tenha certeza disso".

Uma imposição a ela,esperava que ela houvise,Ardônis fázia a última checagem enquanto ia arancando os pedaços que tinham restado da túnica,quiz me jogar ao sol quando minha
visão me trouze uma imagem aterradora sobre o séio de Thalwa:Meus dedos pousaram na minha boca quando vi aquele golpe destrutivo que ia comento,corroendo o corpo de Thalwa
de forma lenta.

-Eu não acredito que ele fez isso Lestat;o filho da mãe pode ter morrido mais realmente fez seu último trabalho muito bem quando impos esse golpe chério de carma sobre ela.Todo o
carma está comendo Thalwa de forma silenciosa e devagar.

-Infeliz ! Infeliz ! Ardônis !

Peguêi Thalwa nos braços e sai em passos rápidos com ela,quando a deixei sobre o tapate da sala do Palásio vi algo estarrecedor na mente,não queria isso,não admitia mais uma der-
rota mais Memhoch.Minhas mãos pousas sobre os meus houvidos enquanto chocara como uma criança,Maharet se sentou ao meu lado tetando me acalmar e sempre que via toda a
mágia de Memhoch agir sobre minha Thalwa era como um golpe desfirido em mim.

Os braços da mãe me envolviam pelos ombros naquele meu estado catatônico e decadênte nessa noite erradora,Ardônis deixou as mãos delizarem sobre o ferimento em sua mãe,todo
toque gelado aliviou o efeito da mágia,a carne aos pouquinhos foi congelando com o leve e doce frio provocado sobre a pele queimada sobre o séio de Thalwa.

Ele direciou suas palavras as Libélulas que esperava uma ordem dele,depóis de Thalwa era Ardônis que as comandava,essa verdade tive que admitir por que mesmo ele me odiando a
minha confiança se passava a ele messe desastre se desencadeando a minha frente.Tompei tombou sobre as almofadas pesando em algo,mesmo destruido na alma pela luta tomou sua
decisão que considerei inesperada.

-Ardônis quem forjou toda a força de Thalwa?

-Ela mesma nunca escondêu:As Libélulas mesmo foram libertadas quando ela as encontrou pela primeira vez,ela foi primeiramente destruida na alma levando a sua morte para depóis
renacer com o poder.

-Faça isso ! As Libélulas são suas quardiãs e saberam como destruir a mágia negra que o Memhoch fez contra ela.

-Não sei se ela vai resistir a isso Tompei,ela pode morrer de vez !

-Não pensei mais aja Ardônis !

Uma ordem que o filho de Thalwa não pode negar,mesmo com todo recéio do mundo fez as Libélulas entrarem corpo adentro de Thalwa,a possuiam em cada fibré e célula que ia lhe ti-
rando a mágia.Ela acordou no impulso daquela entrada,critava com toda a dor sofrida mais mesmo assim as Libélulas não iam sair de dentro do corpo dela até desfazer o golpe cicatri-
zar e nem muito menos fazer com que a mágia que ia comendo a Thalwa ser desfeita.

"Ela está sofrendo,isso e injusto !".Me mandaram ficar calado,Ardônis e o Tompei setaram-se ao lado dela,a seguravam enquanto ela critada com a dor causava,as almas percoriam
ela por completo,em cada lugar que a força de Memhoch fosse encontrada elas iriam agir."Aguênte firme Thalwa,já foi mais forte que isso e vai ser novamete".

Maharet olhava tudo silenciava ao meu lado,me segurava firme deslizando seus dedos junto aos meus cabelos loiros e cacheados,estavamos agora encostados contra a parede,meus
olhos realmente doloridos de tando chorar diante do sofrimento dela ao passar por essa tão dolorosa provação.

O calor deizado sobre a marca de Memhoch era perceptive e irridecente apesar da cor bem negrá,a luz conseguia atravessar as janelas do Pálasio caudando uma doce iluminação,isso
ao menos me trázia um pouco de paz.Foi uma longa noite diante desse proble,Thalwa não ia se recuperar tão sedo,mais foi claro na visão de Ardônis que ela podéria sim sobreviver.

-Precisamos descansar Lestat,só ela tera forças para suportar.

Fui obrigado a me levantar,Maharet e Tompei se encaminharam ao sotão,Ardônis se sentou na proltona,iria cuidar desse processo,conforme a mágia de Memhoch ia sendo desfeita uma
clara cicatrização do ferimento erá perceptivel,iria demorar,essa foi a mais pura verdade.No passar do correndo dando ao retiro absoluto não deixava de houvir aqueles critos de Thalwa
diante da dor.

Téria que passar por uma segunda morte para sobreviver,realmente destruidor tanto a sua alma ou vida,quando fechei a porta do sotão tudo ficou escuro,Ardônis saberia se cuidar no
correr da noite,Maharet e Tompei já tinham entrado no sarcofago e quanto a mim? Chorava como louco encostado sobre a parede fria,foi assim até meu corpo apagar,em meus pensa-
mentos não deixava de ver a doce Thalwa nessa provocação demônia.Esperava mais que a vida que todos viessem na noite seguinte.Um sono realmente macabro para nunca mais me
esquecer.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 63

Mensagem  Ana Nery em Qua 14 Jul - 13:54:19

Toda paz possível procurei me agarrar,todos os sentidos consumindo cada fibra do meu ser diante dessa fatálidade que jamais esperei passar.O problema que estava acontecendo co-
migo e que desde que me tornei um bebedor de sanguê de alguma forma o sentimentalismo hávia fugido de mim me fazendo não amar por muito tempo.Nessa provação entre eu e nossa Thalwa tinha acontecido aquela ligação de alma,isso e o que matava aos poucos por que não queria viver sem ela.

Me condenava diante desses acontecimentos por que no méio de uma Guerra Divina sem a menor dúvida e sem a devida percepção hávia encontrado minha meiga e inesperada com-
panhia.Tudo isso me vinha a mente nos pensamentos pecaminosos com todo medo dela não conseguir passar por áquela segunda morte em que as Libélulas provocavam.Em ne um momento deixei se houvir os critos dela ao lado de Ardônis,ele estava enloquecido ao seu lado.

De forma fatal Memhoch antes de morrer me deixara um sentimento tenebroso,queimante como larva de fulção que consumia meu coração.As horas passaram,vieram com todas as
trevas que não deixavam de parar de me pertunar.Vi na forma mental a noite indo embora e assim novamente Ardônis se recolher,senti ele se deitar ao meu lado,mesmo estando no
impasse comigo chorava como criança devido ao sofrimento de sua mãe.

Minha alma estava tão atordoada que nem compreendi direito os seus sussuros diante desse olocausto.Continuei nesse sono fatal até do mesmo geito que ele até sentirmos o Marius
chegar no inicio da noite seguinte.O mestre entrou destravando a porta pesada do sotão e nos chamou,Maharet e Tompei sairam do sarcofago diante do chamado de Marius De Roma-
nus.Pandora se encontrava ao seu lado para lhe dar melhor apóis,caminhava pelo corredor como pedrá,a mão pesada do mestre tentava me trazer a mim.

Ardônis imovél diante do seu sentimento,sua alma estava tão destruida por dentro que não pensava em mais nada,não conseguia diferência se o que estava acontecendo com Thalwa
era realiadade ou fantária.Xinhua e Sofia nos receberam a porta do Palásio,lá no campo de pura gráma e arvores senti que Mael trázia alguêm.Quando di Kenjing entrar foi como todo
o ebano na minha visão.

O mongê investigava todo o lugar,tudo novo para ele e assim como grande apreciante dos conhecimentos soltou um meigo riso quando viu Thalwa jasendo sobre aquelas almofadas.
Ele tomou a frente de todos ao lado de Tompei,seus olhos passeavam por ela,os longos cabelos crizalhos caindo as costas,realmente a idade dava um toque magistrál ao Kenjing.

-Posso conversa com você Tompei? Acha realmente que possa vir a resolver isso?

-Mais tem que resolver Mongê,não tenho mais como desfazer essa mágia maléfica,todos os meus Dons Mortais foram estinguidos quando recebi o sanguê de Maharet.

-Sei que sim mais vejamos por um lado: Dessa ela não escapa não,isso e pura certeza.

"Tudo minha culpa Tompei;o que fui fazer ao ter enloquecido daquele modo !".Palavras de Maharet sendo amparada por sua irmã ao sentarem no sofá,Khayman de alguma forma ia
mantendo contato com algo,isso me enloquecia ainda mais,seus olhos enublaram ao tomar a frente do caso,quando conseguil puxar o manto que encobria Thalwa ele pode ser que a
parte sobre o séio marcado pelo golpe de Memhoch ia fechando conforme as Libélulas iam tirando a mágia negra consumidora de carne.

"Isso e um ótimo sinal Lestat".Louis e David houviram aquelas palavras de modo inesperado,Kenjing mandou o Mael trazer uma imensa sacola branca,ele saiu pela porta e com uns
pouquissimos minutos voltou com ela entregando ao Mongê.Ele voltou seu olhar para mim em pedido rápido de que mandasse preparar um banho para Thalwa,ele veria o que todas
as Túlipas Negrás podériam fazer.Marius tomou a frente de tudo,ele cortou todo o pulso e quando derramou seu avido sanguê em cima do grande ferimento ao menos pode dar uma
grande amenizada na situação,a pequena fumaça da mágia indo embora era clara a todos.

"Louis e David me ajudem áqui,não posso fazer isso sozinho queridos". Os trêsm sairam a carregar Thalwa e os que restaram na sala vieram seguindo ao descomunal encontro com
a sauna de Maharet que quando entramos já hávia bastante água fervente sobre a banheira de puro marmore;aque Tompei e eu descrevemos tão bem em nossos meigos contos.

-Não deixe com que as Libélulas saiam de dentro dela Ardônis,elas fazem um grande trabalho ao continuarem lipando o corpo de Thalwa.

-Correto Kenjing.

Um sussuro meigo e doce,diante disso vejo que nem o mais valente dos seres reage de forma descontrolada;Tompei junto a Sofia já entragavam as Túlipas Negras ao Mongê que as
começava a esmagalas em uma tigêla de procelana violeta,o esmagador se movia conforme os gestos de Kenjing "Tudo vai dar certo,sei disso por que até Buda está mantendo ela vida"
Que palavras destruidoras,isso me fez esvair nos braços de Marius.O mestre sabia como a cena diante do caso de Thalwa me esmagava por dentro.

"Isso doi Marius ! Não sentia isso a tanto tempo que meu coração quer explodir para eu não enloquecer,considero amar uma forma de auto-destruição".Ele e Maharet continuava nesse
acolhimento,sabiam como me sentia descontrolado "Calma querido,tudo vai dar certo,tenha certeza disso Lestat".Quando a Mãe fala desse modo ai sim sinto um toque de paz.Louis ao
menos junto a sua passividade ajudava Kenjing a esmagar todas as Túlipas Negras que lhe eram entregues.

Eles fizeram isso até formar uma pasta brilhante de cor azulada escura,realmente a divina cor das trevas "Veremos o que isso poder fazer".Com os movimentos leves me lebrando a
pena Kenjing desferiu a pasta em cima do ferimento,Thalwa estava sendo apoiada com toda ajuda de Ardõnis ao manter seu corpo naquela banheira imensa.Um estalo de energia malé-
fica foi sentida por Kenjing mais ele continuou a passar aquela pasta por cima do séio dela.

-Ótimo ! Perfeito Tompei e Khayman!

-Eu sei que sim,Buda não fez essas Túlipas forjadas em seu sanguê a toa não.

-Poxa Tompei,jamais pensei nisso querido.

A pasta ardia a tal ponto que fez Thalwa acordar,as Libélulas ao sentirem a mágia indo embora sairam do corpo dela,finalmente o brilho dos olhos cinzas me era visto para poder a-
preciar,estendi meus braços a ela quando pode tirar meu sobretudo,o Louis mesmo me ajudava nesse processo,Maharet se sentia tão em paz quando tudo deu certo que foi como tirar
um peso de cima dela,até Mekare que nada fala gesticulou quando o peso da mão de Thalwa me puxou prá dentro da banheira.

"Está fora de si Thalwa ! Mantenha sua razão querida".Tudo captado imediatamente por ela ao pousar sua mão sobre os séios,estava tão amedrontada que se tremia toda,os densos e
brilhosos cabelos lisos claros caiam as costas molhados,o sanguê do ferimento escorria sobre seu corpo,as mãos deslizando para sentir o golpe e como ela chorou.Ela sussurava muito
descontrolada que nunca tinha chegado tão perto da morte como o acontecido.

"Eu sei que sim,tenha plena certeza disso Guerreira".A pasta que ainda fazia efeito de modo muito forte borbulhava tirando o que restava da mágia negra de Memhoch,diante disso tudo
todos sairam a nos deixando sós,tive que tirar o que me restava de roupas molhadas.Ela se mantinha tão fatigada que causava pena a qualquer pessoa.Tive que fechar minha mente a
todos,gráças que não precisei sair da banheira quando joguei as roupas de lado,a água ia escorrendo por mim.

-Vai se recuperar,eu tenho plena convicção de que e forte o bastante para ter suportado essa provação Thalwa.

-Não sou uma Deusa como pensa Lestat;tenho meus limites moleque travesso.

-Absoluta Guerreira.

Adorava o silêncio pala sauna gigante de Maharet,estendi minhas mãos a ela,minhas unhas cintilavam como vidro naquela iluminação suave,todo o vapor da água aquecida subia para
apasiquar o momento,me deixei encostar sobre a borda da banheira imenda e branda forjada do puro marmore que tando amo.Diante falta de força que ela tinha não pensei em ir
alimentando ela.

"Se não beber realmente ficara com fome querida e não sei se sentira tão bem apos isso".O soficiênte para as pequenas presas se enterrarem sobre a carne do meu pescoço,iria e
perder as forças mais se a fária recuperar toda força que ela tirase tudo de mim,que fosse absorvendo tudo que tinha a dar.Ela bebia sem provocar dor ou sequer pude sentir alguma
gota cair sobre aquela água.

Um longo momento naquela absorção de poder que entregava a ela,seus braços delicacos e realmente maghificos deslizavam por minha cintura enquanto se mantinha presa a mim.Min-
na cabeça pendia a se apoiar sobre a borda da banheira,me sentia feliz,realmente tomado por completo pelo amor que tenho por ela,nunca tinha agradecido a algo e pela primeira e
doce vez sussurava em seus houvidos o quanto ela me faz feliz,ela não parou e deixou os dentes afiados entrarem mais fundo.

"Isso querida,sem piedade tire toda sua força de mim".O sanguê que lhe saia do ferimento continuava a escorrer diante da sáida da mágia,não restava mais nada e realmente a paz
me foi trazida de volta quando vi que fechava muito rápido,imaginava como aquilo podéria doer,quando o sanguê parou de escorrer foi o sinal de que a cicatrização imortal e sobrena-
tural começaria e agora sim soltei longos risos maliciosos.

-Preciso ir a procura de algumas faixas Thalwa,espere áqui.

Quando sai sequei meu corpo com a toalha mais sedosa,Maharet tinha entreguê algumas e deliciosas vestes a mim,uma camisa de mangas longas da cor negrá com os botões prata,
as calças jeans justas ao vestilas,as botas negras e curtas mais que o toque divino.Minha meta erá sair ao quarto da mãe que me chamava junto a ela.

Saimos ao corredor dando a volta e finalmente ela destravou a porta,acendeu as luzes e pode procurar nas gavetas do imenso gloset as faixas para Thalwa "Tome querido Lestat
e por favor:Cuide muito bem dela".Quase cai para tráz ao sentir a presença de Armand pairando no ar,almentei os passos de volta a sauna.

"O que ele faz áqui? Por quê não me avisaram da sua presença".Ele iria me matar diante de Thalwa,o pupilo mesmo dizendo que me odiava podéria fazer um imenso extrago nesse en-
contro com Thalwa,respirei fundo na entrada da Sauna e tive a visão de Armand sentado no piso a observar Thalwa se secando.Ele estava tão puto da vida comigo que realmente seus
olhos me queimavam de cima abaixo ao me ver entregar as faixas a ela.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 64

Mensagem  Ana Nery em Qua 14 Jul - 14:02:48



"Por quê véio a aparecer agora Armand?".Perguntei isso enquanto passava as faixas envolta do séio de Thalwa,ia ajudando ela a estacar o ferimento,ela fária isso até tudo estar bem
cicatrizado.Ele me entregou um belo vestido branco a mim que a própia Maharet o tinha entreguê em sua chegada.Mesmo diante da dor ao ter sabido de tudo ele manteve a sua indolê
firme diante de Thalwa,ele sabia por meus pensamentos o quanto ela me e espécial.

"Quem diria Lestat;realmente enloquecido por esse sentimento destruidor apois tanto tempo lutanto contra ele".Levei meus dedos aos meus lábios e sai em desvaneio com Thalwa.Iria a
procura de um par de sandália,o vestido realmente belo ao se adornar ao corpo,uma lindissima faixa de carmim violeta adornada a sua cintura tão fina,os cabelos levemente molhado
lhe inrritava bastante.

Passando pela sala Marius tentou manter Armand controlado mais foi complicado,o mestre não conseguia conter o recêntimento de Armand e ficava triste por isso.Mantinha toda razão
possível,Thalwa encarava isso como um mimo desvairado de Armand,mais ela não sabia o quanto ele mesmo não admitindo,os ciumes lhe possuiam.Maharet que já subia as escadas
ao segundo andar do Palásio nos chamou,Thalwa voltou seu olhar e soltou um meigo riso
ao seguila comigo.

Armand por vaidade teve a ousádia de subir,entramos no quarto em que Thalwa léu todos os nossos escritos,isso se a memória não me falha e se sentou a borda da imensa cama.As
mãos de Maharet deslizaram sobre os cabelos de Thalwa quando começou a pentear os fios longos e brilhosos.

-Fico feliz que esteja de volta Thalwa,uma belissima vitória.

-Quase morri Maharet,nunca vou me esquecer do que passei,para mim um trauma na alma.

Eu mesmo tinha pego as sandálias baixas e muito delicadas,pus uma a uma nos pés dela,ao Maharet terminar de pentear os cabelos da Deusa ; vi como o bilho era descomunal,Ardônis
e Lunnes a chamaram para descer,Armand continuava pedindo justificativas a tudo,estava e sendo inghorado por mim.

"Lestat não vai me dizer nada? Isso e um absurdo !".Mais como fiquei puto com o seu comportamento,parei ao lado de Maharet e deixei Thalwa terminar de descer com Lunnes e seu
filho,fechei a porta e apenas soltei uma indagação deixando minha inrritação evidênte a ele "Está diante de minha esposa Armand e por favor se controle !".Seus olhos foram do pânico
ao descontrole,Maharet soltou um risinho maléfico,o que me deixou com vontade de rir com a cena.

Os lábios de Armand tremiam com essa verdade,como estava belo todo de preto,vestia seda dos pés a cabeça,os cabelos ruivos caiam aos ombros com o toque macabro dos olhos de
castalho claros,estendeu as mãos a mim,respirava fundo diante da revelação.Não acreditava e demorária muito tempo para absorver tudo a sua frente.

- Sua esposa? Enloqueceu,só pode ser Lestat..

-Pelos Deuses Maharet,dê um geito nisso por mim.

Falei essas palavras risonho e pude descer para me encontrar com os demais,Marius estava com Thalwa em seus braços,beijava seu rosto tetando fazela voltar a si,a provação que ela
teve foi demais,as almas nos esperavam no imenso campo,Ardônis trázia cinco âncoras que Maharet e Mekare tinha oderecido a Thalwa,quando a Guerreira as viu realmente seus olhos
brilharam profundamente naquela nublagem atipica.

"Lestat e chegada a hora;novamente elas voltaram a dormir".Meu medo realmente ia correndo meu corpo por completo;Tompei junto a sofia possicionavam cada âncora novinha em
folha sobre o grámado do campo,o vento nessa noite era fresco e delicioso,não sabem como a felizidade me consumia ao vela vida.O toque de Louis muito cativo,ele mesmo me dizia ao
seu modo doce como tinha sido louco ao afrontar a tudo e a todos por ela.

"Aprendi uma coisa anjinho:Nunca diga nunca a nada!".David não se conteve e realmente o seu gesto foi descomunal ao ajudar Thalwa naquele momento,ela ia mandar as almas para
seu sono dentro das âncoras.Ela estava se descontrolando por isso,observava as cinco Libêlulas pairando sobre ela.Marius mesmo estava feliz,como se sentia chéio de vida diante da
vitória na Guerra.

-Apois e Lestat:E que vitória !

Imaginava tantas coisas,depóis disso eu iria conversa com Armand;ele aos poucos trázia as informações a mente.Nisso finalmente Thalwa sobrepos seu poder as Libélulas que entravam
uma a uma nas âncoras,belos jarros negros dados pos Maharet,ela precisaria desse belissimo presente por que as âncoras originais tinha sido quebradas naquela fuga citava pelo nos-
so Tompei.

Conforme as Libêlulas iam entrando nesse jarros agora sagrádos o poder da Guerria desaparecia,os cabelos daquela cor quase branca finalmente voltavam ao normal na cor negra e
absolutamente belo,ela respirava tão feliz,tão gráta na ajuda de suas belissimas almas.Seu sorriso era como o brilho do mar.

"Finalmente de volta,vitoriosa e muito gráta a tudo que fizeram por mim".Uma citaçãos as suas Libêlulas,sempre que uma guerra termina elas precisam descansar,quando Maharet
entregou o lacré a Thalwa não pose se conter,mesmo diante da pose de Rainha enchia ela de avidos beijos,Maharet não admitia própiamente dito mais pelo seu olhar admirava toda
a força e docilidade de Thalwa.

"Vamos querida,tome coragem e de o lacré final".O que foi feito,Thalwa delizava aquele fio feito de pura prata,um fio que em segrédo a própia Maharet tinha forjado as escondidas no
passar das noites.Thalwa fez isso âncora por âncora,tendo melhor visão deu para ver como os desenhos gregos se destacavam sobre aquela porcelana negrá que forjavam as cinco e
novas âncoras sagrádas.Ao terminar o processo Thalwa pediu algo que jamais esperava.

-Maharet? Pode cuidar delas por mim?Sei que as Libêlulas tem poder demais querida Rainha e não sei se devem ficar rodando o mundo,e por isso Maharet que sempre que termino uma
Guerra Divina as devolvo as âncoras para dormirem e manterem o poder quardado.

Acredito que possa vir a ser grandissima protetôra delas e sempre que eu precisar posso pegalas de volta.

O que foi isso;meu coração batia muito rápido diante desse pedido,até o Khayman ficou em desespero,seria uma grandissima responzabilidade que a Rainha Dos Condenados téria que
adquerir e fazer valer até os fins dos tempos.Marius não soube reagir a isso,tremia junto a Pandora que esperava uma resposta da Rainha.

Mekare asenou para conversa com ela e Marius particulamente;foram até um rochedo na Colina,ficaram lá por longos minutos,todos os pensamentos estava tão fechandos entre os
três Deuses que era impossível saber de algo.Eles tomaram a iniciativa,Maharet silenciada com a irmã mandou Marius pegar as cinco âncoras em que as Libélulas agora dormiam.

Eles corregavam em suas mãos tremulos,Maharet aceitara essa tarefa,entramos pelo enorme corredor que dava ao musei de reliqueas e lá tinha um canto vago ao chão,toda a base
forjava em ouro,os jarros pousaram nesse lugar tão espécial,Tompei andava com toda uma rigidez impassiva,Xinhua sabia que ter essas âncoras e como ter demônios em casa.

Foi assim que finalmente o descanso das Libêlulas forá conclúido,saimos de volta para ficar na sala,me sentei na proltona,todos pensativos,Maharet e Mekare seriam mais fortes nessa
proteção,agora apos tanto tempo o impacto de ver os cabelos negros e lisos de Thalwa foi demais,os olhos cinzas jasendo em seu rosto belo e perfeito a qualquer olhar,ela se sentou
no sofá,chamara Armand a sua frente.

-Não tenha medo querubin,afinal está diante de uma vencedora de Guerras.

-Guerras?

-Guerras De Deuses Armand.

O soficiênte para ele de esvair,Thalwa começara a contar tudo que tinha acontecido conosco,não deixava escapar nem um detalhe,todos houviam como ela contava ao Armand nos
mais infimos detalhes como a Guerra tinha sido.O Pai Das Almas agora pairava ao lado do kenjing,pude velo se manisfestar enquanto a conversa acontecia,ele sussurou baixinho.

Véio ao meu lado e me falou o que anciava saber "Eu sou o novo purificador de almas agora Lestat;eu agora reino na linha da vida e da morte,e o Reino De Memhoch e meu".Como
me deliciei com isso,o vi deraparecer em sua volta para seus alfazeses.Ninguêm tinha visto essa manifestação de Buda a não ser Kenjing,ele riu para mim nesse deleite doce.

A voz de Thalwa direcionada ao Armand erá passiva como o ebano,foi assim toda a noite,nada lhe escapava a mente,Louis estava feliz,ele e David saberiam lhe dar com Thalwa na
nossa convivência,como anciava partir para casa.Soudades de minha terra,da cor de canela ue considerava uma amiga como nem uma outra.Muitas lebranças me vinham a mente e
sempre os risos que Thalwa dava a mim me faziam corar.Meu coração explodia sim da mais
alta felizidade,me sentia pleno.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 65

Mensagem  Ana Nery em Qua 14 Jul - 18:17:13

Armando houvia tudo com toda avidez,quanto tudo terminando ele se sentiu pleno porém a sua preucupação para mim e a todos ficou mais que obvia quanto a minha afinidade para ir
desenrolando o manto que há entre eu e Thalwa,ela se levantou ao toque das mãos dele,as unhas realmente divinas quanto tocou seu rosto;confiava nele apesar de nossas desavensas
e complicidades antigas que carregamos até os dias atuais "E plena por isso Thalwa,invejo a sua coragem e seu sentimento linda dama".

O que isso podéria sighificar?Estava sonolento,chegava a hora de partirmos para a cidade a nos esperar;apreciava as mãos de Thalwa afagar os cabelos ruivos do pupilo,Marius temia a
reação dele,mesmo inrritado pelo meu relacionamento com ela engoliu em seco,aos poucos sua razão iria voltar,Ardônis ao sairmos para o imenso campo a frente do Palásio se deixou
cair nos braços da mãe,Armand achava um absurdo da parte dela um dia ter dado a luz aos seus dois primogênitos:Sépia e Ardônis continuavam a serem mencionados diante dele,todo
o vento fresco e doce a nos esperar.

Tompei quardava sua espada em sua caixa sagráda que ele tanto adora,seus risos ansioso era de soudades tambem,mau esperou conclúir aquela tarefa e já partia com Xinhua e Sofia
para sua mansão.Marius tinha desaparecido com a Pandora nos céus negros cintilando sobre as estrelas;Mael?Impassivel ao continuar chamando Armand para casa,diante do meu imen-
so abraço no pupilo ele tomou coragem para ir "Es malvado Lestat,não admito minha derrota de sentimento para com você;quem sabe um dia,não?".

"Não mais Armand,não mais Demônio".Soltei um meigo aseno quando ele partiu com Mael e quanto peguntei a Maharet como ficária Kenjing e seu Khayman citou com a voz doce que
ficariam um tempo com ela no Pásio,o que me deixou muito feliz ao agradecer ao Mongê na ajuda que jamais podéria esquecer.

-Preciso ir querida Maharet,ancéio por descanso agora,quem sabe eu não voute?Pode esperar que eu realmente ancéio por guerras de almas Rainha.

-Compreendo Lestat;nunca muda apesar de estár com uma linda pérola nas mãos.

Foi o momento de choro,Maharet não desejava se despedir de Thalwa e mesmo assim com os olhos chorosos soltou um forte abraço,pedia desesperadamente que me matasse caso eu
não conseguisse suprir os desejos dela "Mate ele ! Sim,queime ele em chamas Thalwa caso não se sinta plena".Fiquei revoltado com isso,mais já esperava ela sobre o ar,David estava
ao meu lado com o Louis;como os seus olhos brilhavam ao ver Thalwa disparar em alta velociade naquela escuridão.

Mesmo com todo cansaço do mundo vi que o dia aos poucos nascia e assim tivemos que ir dando volta na Terra seguindo a noite para finalmente apois um imenso e longo tempo po-
dermos avistar Nova Orleans,sentia algo estrenho pairando no ar;alguêm nos esperava e não estava contente em saber que téria companhia,desci sobre o meu jardim,todos os pés
de bananeiras intactos,Thalwa apareceu ao meu lado pergutando se realmente tinhamos chegado.

Ela andava de um lado ao outro do Jardim,o portão forá aberto pelo Louis ao entrar com o David já percebendo o invasor "Lestat tem alguêm ai,tenho plena certeza disso".Arqueei as
sobranselhas diante dessas palavras,tirei a chave e passei pela porta,sai andando apois ascender as luzes,procurava com meus pensamentos saber de quem se tratava;Thalwa tinha
se deliciado com toda mobilia e conforto,sempre o seu riso me tráz felizidade imensa,ia na sua vontade tambem procurando o ser que nos esperava no meu quarto.

"Há,e você Lestat;finalmente chegou Anjo Negro".Passei os dedos no interruptor para ver a figura sentada sobre a cama,segurava o Pérola nos braços de modo a deslizar os dedos no
seu pelo mácia,Thalwa imediatamente pegou o meu Gato que mais considero como um premio diante de Rosas e Sanguê.Se tratava de Nicolas;ele chorava como louco ao ter visto os
acontecimentos pela mente,tive que seguralo nos braços quando se atirou contra mim.

-Me esperou áqui todo esse tempo Nicolas?

-Sim Lestat;não pude de deixar de vir e esperar com toda paciência do mundo querido;não estou bem,me sinto destruido.

-Não e para tanto Nicolas,volte a si e não deixe a loucura falar alto como antigamente.

-Jamais !

-Assim espero.

Ele se conteve ao ver Thalwa se sentar na cadeira a frente da cama,justamente na mesinha do Louis;seu olhar para o Nicolas realmente o queimava,sentia raiva pela invação mais não
téria coragem de fazer nada a ele,Pérola já dormia diante do toque da Deusa,os imensos e grandiosos cabelos negros andulavam com a briza entrando pela janela,a noite muito mági-
ca para meu ponto de vista;Nicolas esticou seus braços em sua direção,sabia justamente o que tinha feito ao trazela para mim.

Pediu ao seu modo cordial para ela se levantar,como Thalwa forá transformada muito jovem era claro que e um pouquinho mais baixa que ele,seu corpo por ter sido forjado na grande e
gruel adolescencia sempre amana toda pureza que me fez me apaixonar e amala como amo ao citar essas palavras.Nicolas esperava coisas grandiosas dela,mesmo a Deusa não tendo
ido com a cara dele soube lhe dar com a situação;ela amava o modo como ele pode ser tão louco as vezes,foi isso que disse em seus houvidos.

-Bem querida eu preciso ir;ancéio por um dia revela novamente e vejo que hávera grandes e poderosos momentos entre vocês dois.

-Não Nicolas De Lenfent.Procuro algo grande em minha existência,um dia encontrarei sim.

Ele iria aprontar mil coisas por Nova Orleans,muito evidênte para meu gosto,o que me fez soltar gargalhadas quando desceu para a sala e parou a porta,belissima roupa com calça de
carmim negra e a blusa branquissima,os pequeninos botões de marfim perfeitos com o todo o toque dos oculos escuros que ele colocou ao sair pelo portão.Quando parei na pequena e
pesada muralha que envolve minha casa vi os seus cabelos escuros cintilarem na noite que mau se iniciava.

Iria caçar muito nessa noite,era perceptive o cheiro de sua sede pelo vento,senti o toque de Thalwa sobre meus ombros,segurava um tesoura nas mãos,os dedos delicados sobre os bu-
raquinhos,como amo beijar sua boca de maça,puramente o gosto da maça sempre e visto e sentido ao beijala forte e vigoroso,o vestido branco com a faixa mais que o toque macabro.

Ardônis que concerteza me ódia por tela trázido para mim nunca mais véio a aparecer,ela nesse momento tentava me explicar algo "Louis quer cortar os cabelos Lestat,vamos ver o
que ele vai aprontar dessa vez".Foi o ultrage para mim,desejava que não acontecese mais aceitei ao entrar pela sala e velo sentado no sofá com David critando alto.

"Louis por favor não faça isso ! E loucura !".Não adiantou,mesmo com toda calma a rebeldia dele foi fatal diante das menções de David,eu particulamente esperei os dois se acalmarem
diante de Thalwa.Pedi com toda paciência do mundo que mantivessem a indolê na frente de minha esposa,o que foi feito,os olhos azulados de Louis atentos quando ela esticou a tesoura
e deu a cortar os fios negros.

-Isso Thalwa;não muito curto porém com o toque dos tempos auréos.

-Assim sera feito.

Não demorou muito para que ela terminasse,meus olhos espantados junto ao David que ia almetando o tom de voz ao Louis;realmente ele tinha ficado belo demais,as longas meixas
negras caindo sobre o chão,o cintilar das luzes sobre o novo corte me véio como delirio ao me lembra daquela noite em que o filho da mãe tinha vindo ao meu encontro.

Justamente o mesmo corte curta e a cara de pau de me pedir de volta,ri muito ao me lembrar disso;ele se levantou e começou a limpar o chão com a Thalwa,o corte de cabelo iria
durar apenar uma noite mais ele realizaria seu desejo conforme ela citava,quanto terminado a limpeza ele e o David sairam para caçar na cidade,a sede dos dois ardia muito mesmo.

Não pude negar esse feitige;me doeu muito quando os vi partir sozinhos,Thalwa me puxava com força,iria me por a prova novamente e sabia que ia doer conforme sempre doi quando
ela deixa seu desejo falar mais alto,deslizava as mãos sobre a minha camisa negra para ir tirando-a de mim,ela e tão pervesa quanto eu,os beijos iam sendo carismaticos ao cair com
ela sobre o sofá da sala,minha mão segurava firme sua nunca que se curvava fazendo toda a sua cabeça pender para tráz.

"Aqui não Lestat;quero aquele quarto só para mim agora,ao menos por essa noite querido".Uma voz poderosa que me facina;os braços são tão delicados que me matam de prazer ao
me envolverem por completo,só o perfume dela,só o toque dela sempre me causa toda essa queima intensa e que estava acontecendo enquanto de modo desvairado tiravamos toda
a roupa ao entrar naquele quarto,suas mordidas em meus lábios eram grueis.

-Vamos ver do que e capaz querido Lestat,vamos ser se realmente e tão gruel como vejo.

-Não queira sentir essa provação Thalwa;continua me queimando.

-E vai ser assim o tempo todo.

Para que ela citou isso?Uma facada de desejo descontrolada em mim,sentia atraves daquele olhar que seu ser esperava por algo,mesmo despida daquele modo não tinha percebido que
toda cicatrização sobrenatural tinha terminado;foi eu mesmo ao meu modo cara de pau que arranquei a faixa,como a pele vampirica e misteriosa,tão sagramentada que e impossivel na
destruição,mesmo apois anos ela não voltar a ser exatamente inglal como foi na forma hu-
mana.

"Pelos Deuses;isso me causa medo".Fiquei deslizando minha mão em apreciação daquele e tão doce toque sobre a pele totalmente reconstruida com o todo o sanguê avido que ela tem
em suas véias.Isso não tinha demorado muito a ocorrer o que me deixou mais feliz conforme ia me envolvendo com os braços,foi um passar de horas fazendo amor com ela descon-
trolada,aquele ato asasperado acontecendo na minha cama que me matava aos poucos.

Todos os orgasmos fortes que ela me provocava realmente para me matar,o toque dos fios do tecido dos lençois doces deslizavam sobre sua pele tão imaculada,as minhas mãos vigo-
rosas deslizando sobre os cabelos tão lisos com o toque da escuridão.O que mais me encata nela são como a forma com que os seus olhos cinzas e tão claros se destacam sobre essa
obscuridade que ela tem.

Beijava aquele corpo de cima abaixo,em cada centimetro de curvas quando voltavamos a transar de forma descumal e vigorosa,me dei conta de como sou perverso nesse ato que e
transar com uma pessoa,quando paramos realmente o deslixar das minhas mãos por todo seu corpo falou algo,ficava beijando aquele pescoço,ombros,cabelos,cintura ao ir descendo
com tandos beijos doces.

-Espera fugir um dia Thalwa?

-Acho que não,realmente meu descontrole fala muito alto Lestat De Lioncourt.

Ela adormeceu de bruços sobre aqueles traveseiros gostosos de se dormir,toda curvatura das suas pernas vieram ao encontro dos meus quadris e por assim ficou o resto da noite em
meus braços,dormia como anjo mais senti que a sua sede iria falar mais alto.Realmente tive que fazer uma promessa ponderosa diante dessa situação:Nunca mais por mais que todo o
meu desejo fale mais alto quero beber de suas véias tão imaculadas;um recéio que mantenho ao correr dos dias.

Quando voltei a mim apois um sono rápido senti que ela já não estava ao meu lado;acordei como louco chamando por ela,minhas mãos deslizavam pelo lençol tetando encontrar minha
Thalwa,ao deslizar os olhos a vi sentada sobre a cadeira a me observar durante todo esse e doce correr de sono,já estava vestida com suas roupas,um doce vestido negro de tecido fi-
no e o toque das botas curtas "O própio David me deu de presente querido e acho que preciso sair a caçar tambem".

Suas mãos me puxaram me pondo de pé,ascendeu a luz do meu quarto,passei as mãos nas peças de minhas roupas entreguês por ela,as mesmas que a qual tinha chegado e apois isso
saimos as ruas de Nova Orleans a procura de uma vitma,sabia que ela tinha percebido algo em mim,não queria dizer mais sabia que iria falar conforme fossemos andando e conseguis-
semos algo para ela caçar.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 66

Mensagem  Ana Nery em Qua 14 Jul - 18:23:51

Ela aos poucos ia conhecendo a cidade e com isso realmente fária dali seu territória do mesmo modo que eu fiz ao longo de dois séculos,disse isso a ela o que realmente a deixou mui-
to grátificada conforme esperava,seu faro erá infalivel,ao menos Louis e David tinha passado em casa para lhe entragar aquelas roupas tão belas,apreciava o modo como ela adapta-
vase aos novos tempos,um riso doce saiu por um momento do seu rosto tão oerfeito com o toque pecaminiso que o sanguê negro lhe dar.

Toda a mente perfeita ao me deparar com o casarão a qual tinha encontrado a sua presa e que já nos esperava,demos a volta no quarteirão posterior e realmente pudemos quebrar a
janela do quarto do homem a nos esperar;ele não sabia e obvio que estavamos entrando no seu lugar tão sagrado,um tremendo traficante de mulheres para de prostituirem em paises
de fora;ao sentir nosso barulho saiu a subir pela escada,a masaneta da porta branca girou e o vi entrar,me escondia com Thalwa pelas sombras e ao ele ascender as luzes do lustre pa-
ra nos ver o golpe de Thalwa foi fatal.

Sua cabela quebrou para tráz e ela já bebia dele,as presas grávadas na garganta,delirei ao meu geito por que o modo como ela caça e realmente macabro,nunca derrama sequer uma
gota,isso sim e o que aprecio e espero de um filho da noite:Saber solver cada gota de vida que uma presa tem a nos dar "Lestat sente-se na cama;vou precisar fazer algo que não ver.
Ela ao sentir que a presa se esvair em seus braços gesticulou descontrolada.

Algumas gotas de sanguê ainda jasian em sua boca,seus olhos apasiquados me doiam em toda alma;ela não quiz comentar o que iria fazer,tinha medo de me causar medo,jogou seus
densos cabelos negros para tráz e me mandou ficar quieto,estava tão chateada que tinha ao seu controle seu choro.As mãos pairaram ao meu rosto esperando tomar coragem.

-Mantenha sua razão Lestat;os olhos humanos estão desgastados.

-Acha que isso me causa medo?

-Tenho plena certeza que sim Lestat.

Fiquei tão descontrolado que tive que girar meu rosto de lado,queria chorar mais me contive para não fazela na frente dela,seus passos foram longos até se deparar com o homem
morto,ele tinha cabelos ruivos com o toque do sanguê europeu,ela friamente fez esse ato tão horrendo o que me tirou de mim,ia tirando cada olho azul das orbitas oculares da presa
a pairar a sua frente.

Ela voltou seu olhar em minha direção,mantive minha calma apesar do medo a me tomar por completo;seus dedos realmente como pena tocando meus cabelos;um beijo passivo e
sua ação foi cordial por que ela sabe o quanto isso passou a me atormentar desde essa e louca troca de visão,as unhas tomaram o corte da pele dos meus olhos,entrava cortantes
como lâmina de espada.

"Lestat mantenha-se firme moleque".Critei com a dor me tomando,minhas mãos esticaram para a frente em desespero por não poder ver,senti sua respiração sobre minha garganta,a
linguá deslizava até encontra as orbitas já sem minha visão.Respirava fundo e mesmo com o seu medo e dor junto ao toque do sofrimento ao me ver assim ela o fez.

-Tenha coragem querido Lestat;sempre agarras-se a mim quanto o fizer.

-Todo sofrimento me e escasso Guerreira,isso nunca vai acabar.

-Eu sei disso.

Houvia essa conversa enquanto ela colocava os novos olhos nas minhas orbitas,apois uma pequena recuperação da pele a cicatrizar pude voltar a vela,minhas mãos se estenderam a
sua cintura,pude sentir todo poder do seu abraço.Agora aos poucos conseguia entender as palavras de Maharet.Por uma louca paixão realmente tinha feito essa pequenina e tão louca
destruição.

"Vamos para casa Lestat;não precisa ficar áqui".Tomei coragem aos por os passos a frente e saimos as ruas,quanto ao homem morto?Não tenho pena;seus olhos seriam meus até que
não me servissem mais;Thalwa segurava minhas mãos enquanto caminhavamos pelas ruas frias que Nova Orleans tem.Ela sentia essa dor que me consome,aos poucos começava a ter
suas concluções do por que todo meu sofrimento me toma aos longos desses dois séculos.

Quando conseguimos chegar em casa Louis e David nos esperava,Pérola jasia sobre o colo de David que ficou chocado ao perceber a nova visão;ele tentou argumentar que tomase a
coragem de procurar um mau bebedor de sanguê e o queimasse;mais asegurei que jamais iria fazer isso.

-Pare com isso Lestat ! Vamos ! Peguê um e tomeo para ti querido.

-Nunca !

Louis houvia essas palavras silencioso junto a Thalwa que o tentava acamalo;me deixei cair ao chão sentado em prantos,minhas mãos sobre meu rosto numa tentativa de me controlar.
O traçado dos braços de Thalwa foi enloquecido,David bateu a porta forte quando em sua e louca furia saiu as ruas novamente.

Ele estava tão revoltado que até Louis teve que sair por que não suportava presenciar todo esse meu sofrimento eminênte.Fiquei nesse tormento junto a Thalwa por longos minutos até
poder me levantar e pegar meu Pérola que deslizava seu corpo sobre mim.Tão meigo com os olhos verdes,o meu tránquilizante nesse tormento.

"Está com fome,não e querido?".Sim,o miado doce foi a resposta,saiu com Thalwa para dar algo para ele,deixei uma bela quantidade de ração cair sobre a tigêla dele,sentei a mesa e
Thalwa tentava me convencer que séria a melhor solução "Concordo com David Lestat,tem o poder de matar um bebedor de sanguê e espero que o faça um dia".

Foi um correr de indagações entre nos áli naquela cozinha silenciosa,ela sempre que fazia a negação critava comigo,mais ao compreender o porque negava essa ação pode pegar o
nexo do tormento que me séria.Nessa noite sim começava minha convivência com ela e ao que sentia séria bela,plena como anda sendo até os dias atuais.Me levantei para poder ter
ela em meus braços.Dava muitos beijos em sua boca.

"Amo você,sabia?Uma loucura inexplicavel".Ela batia com as mãos me meus ombros mais continuei nesse ato;beijava ela de modo gruel até ficar farto;ela tinha uma furia no olhar
queimante;como amava houvila reclamar comigo "E um insolênte Lestat!".Que fosse assim e a minha plenitude seria trazida de volta.Eu ria com essa furia dela,o que a deixava muito
inrritava;uma inrritavação que me trázia paixão ao ver aquele rostinho belo expresar tanto rancor,a noite correu trevorosa entre nos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 67

Mensagem  Ana Nery em Qui 15 Jul - 12:18:09

Segunda Parte: A redenção de David Talbot

Foi em uma noite realmente macabra que ao voltar do meu retiro encontrei uma carta de Tompei;fiquei surprezo com tal chamado dele para ir visitalo,fiquei muitissimo feliz por sua
atenção a mim nessa carta;enquanto lia o papel Thalwa me esperava sobre a pequena escada de subida a minha casa;apreciava as palavras chegarem a minha mente;estava sen-
tado sobre um pé de bananeira do meu tão requintado Jardim e senti o roçar de Pérola no meu encalço,o pequei no colo enquanto lia essa carta maghifica.

Foram palavras fortes,anciava por mais uma temporada presente em sua mansão,;Tompei sempre aplica suas palavras de forma rápida,grucial ao meu ver;o sanguê da caçada corria
as véias me trazendo calor,as minhas unhas sobre o papel cintilaval com a luz da rua que ia entrando no Jardim,li a carta bem lentamente para me deliciar com as citações.

""Querido Lestat venha a minha mansão e tenha os dias mais descomunais de sua vida e traga a todos;Sofia lamenta por muitas coisas causadas ao longo desses dias de trevas a
nos chamar.Não que tenha acontecido algo;ajamais iria deixar de esconder algo de vossa pessoa tão espécial para mim.

Eu Tompei,senhor dos jovens anciões espero sua chegada na minha cidade,quero apenas que venha a minha companhia e de todos que o esperam áqui,falei a ti que nunca esparia
a nossa consideração diante desse tempo entre nos;espero tambem de o fato de ter seus olhos arancados nunca chegue a pertubalo tanto quanto me pertuba.

Lamentot anto por esses acontecimentos Lestat que o chamo nessa vinda de calor tão requintada glória que tenho a disponibilizar.Choro as vezes nas lebranças da Guerra e
agora rio com a felizidade em a ter vencido,Thalwa que trouxe consigo o mais inesperado poder poder tambem deve vir.

Espero que tudo esteja bem entre você e ela.Espero áqui nesse cantinho tão meigo e doce que tenho,Sofia e Xinhua mandam comprimentos a vossa pessoa tão espécial a
elas dáqui;nunca meu tormento vai passar Lestat,sabe por quê?A imortalidade não e para qualquer ser suportar.

Venha Lestat e por favor traga ao David,quanto ao Louis?Mande minhas mais sinceras maldições a ele que mudou tanto ao longo desses dias de tormento.Felizidades amigo e
deixo saudosos abraços e espero áqui ancioso vossa chegada.

Ass: Tompei ""


Me levantei apois dobrar essa carta tão melâncolica para ir ao encontro com Thalwa,ela ia me fitando na espera de informações,tinha realmente adquerido a moda autual,Louis e meu
David sempre as enchia de presentes o que a deixava muito vergonhosa.O vestido cinza de cintura marcava mais que o toque maldito a mim;a bota sempre a combinar coma cor de to-
do vestido que vestida;seu impulso foi rápido por que quando disse que Tompei nos chamava se sentiu amedrontada.

A deixei esvair no sofá esperando recolocar seus pensamentos em ordem;iria comigo para a Mansão de Tompei,Louis quanto leu a carta quase infartou diante do chamado e David não
tinha chegado ainda;perguntavame o que ele estária aprotando na cidade.Provavelmente o genosidio de caça e foi como pensei ao velo batar o portão e entrar me fitando.

Todo tomado pelo calor do sanguê,o abrasei em recebimento de boas vindas,soltava alguns doces beijos sobre seu rosto para trazelo de volta daquele delirio.Ele percebeu que sempre
ao trocar os olhos escolhia a cor azul,realmente uma mera lebranã desfalcada do que tinha tido antes;afagava seus cabelos castalhos escuros longos e sedosos,o olho castanho sempre
emanando algo inrrepreencivel.

-Lestat o que quer me dizer?

-Vamos ao encontro de Tompei querido David é espero que venha comigo.

-Não posso por que gostária de ir a Noruega desbravar alguns bosques por lá.

-Desista por que iremos partir agora.

Ele me chingava inrritado,subiu para o segundo andar para vestir algo,desceu em minutos com novas roupas,sempre o geito largado e despochado,o que causa ascos em alguns mo-
mentos.Nada como uma bota curta preta;uma calça jeans justa e um sobretudo maghifico da cor escura para lhe dar um brilho que me deixa sem folego.Louis o seguil para sair aos
céus:Detalhe de que meu anjinho negro me confeçara em uma noite de amor louca que já tinha feito o Don Do Fogo agir,o que o deixava atormentado.

Thalwa sempre agil quando os seguil naquele vôo atormentador;respirei fundo quando eu tomei folego e sai aos céus com ele,Pérola últimamente com o instinto de Gato já não pre-
cisava de cuidados,sempre a ronar a vizinhança em seus asaltos e aventuras de felino.Eu ria ao me lembrar disso no vôo.Os três a minha frente não me esperavam e sempre alta
velocidade a falar alto em seu sanguê.

O frio era contaminante;pleno como pena e sanguê de cobras que se bebe nas virtudes do olocausto que haviamos passado;uma viagem demorada mais que iria suportar para
me deliciar com a companhia de Tompei;o vento atormentador me consumia todo o seu canto de trevas.Apois longas horas dando toda a volta no globo podemos descer naquele
inicio de noite a frente da cidade de Tompei.

Ele tinha sentido nossa presença nos céus da cidade;nos esperava na frente da mansão e os cabelos negros deslizavam como seda sobre as costas até a cintura,muito bem escova-
dos por sua Sofia que ao que me citava passou a enchelo de alguns mimos doces.Ficou na sua passividade ao ver Thalwa entrar com David e Louis que começavam ao seu modo sua
investigação;Xinhua correu pelo corredor ao sentir minha presença.

-Lestat que ótimo que atendêu ao nosso pedido amigo.

-Como podéria deixar de não vir Xinhua;um toque muito inesperado para mim.

-E como querido,provavelmente toda loucura nunca acaba.

O toque dos olhos azuis junto ao puxe tipido dos oriêntais e sempre chamativo,nada como o doce vestido vermelo para não deixala ainda mais encantadora;Sofia ao menos me espe-
rava no quarto no segundo andar,subi com Tompei e David que mais gostária de estár nos seus bosques desbravadores,alguns incensos a dar um doce perfume pairando no corredor.

Alguêm conversava com a Sofia dentro do quarto,Tompei abriu a porta nos dando acesso a ela que se levantava a nos ver entrar,a blusa justa azul com a calça justa negra foi para eu
quase cair;os cabelos de ouro sempre chamanto à atenção,alguêm véio tentar nos conhecer e já sabia de quem se tratava;só os cabelos castanhos e o olhar verde foi a resposta que a
mente me trouxe.

Toda a pele clara chamativa;ele vestia um sobretudo branco;a bota marfim junto a calça de jeans purissimo a adornar o corpo com o toque da delicadeza,Carlos tinha implorado a Sofia
que a pudesse visitala e assim ela hávia atendido ao pedido do amigo tão sagrádo para ela.Thalwa junto ao Louis e Xinhua subiram naquele pequeno reconhcimento entre nos dois.Não
que eu delirase com sua presença mais não pude deixar passar despercebido como o David tinha ficado paralisado com a presença de Carlos na mansão.

-Lestat posso falar com você?

-Sim,se deseja falar algo em particular faça real sua vontade querio David.

Ele saiu comigo ao quarto de Xinhua no andar de baixo,tinha que respirar fundo para não deixar seu descontrole falar mais algo,passava seus dedos sobre o rosto e cabelos diante
da visão anterior,estalava os dedos esperando ele falar,um riso maliavel saiu de mim ao sentir o pequeno descontrole dele diante de Carlos;ele tinha houvido Sofia mencionalo no
Palásio da mãe,porém não esperava pela favada.

" Isso foi demais;realmente esses dias estão me tirando do sério apesar de toda minha calma Lestat!".Continuei rindo com a sena,mais meu olhar de ciumes foi a resposta que
ele repudiou de imediato.Uma batida na porta do quarto foi sentida por nos dois nesse e tão depravante momento,Sofia ao lado de Carlos nos chamavam,claro que agradecia ao
fato de que carlos nem sequer suspeitava do que eu era,do que todos nos áli eramos.

David entrava profundamente nos pensamentos dele,o queimava em todos os detalhes do corpo e forma de pensar,era como uma droga injetavel que consome até o sanguê
se não tivermos cuidado,ingaguei a sena como um principe das trevas ao me levantar e sair com David para a sala em que Tompei,Thalwa,Louis e Xinhua conversavam nas
apreciações de pequenos conhecimentos.

David caiu sobre o sofá escaido com aquela facada no coração,se corria profundamente na alma e coração ferido diante do Carlos que se sentava ao seu lado,ele teve que se a-
fastar do garoto por que podéria fazer algo errado diante dele,Sofia coçava o rosto em tentativa de absorver tudo diante dela;a muher estava enloquecida quando me chamou
ao jardim para falar comigo "Lestat o que David tem?".

-Anda forá de si a um longo tempo Sofia,nem eu entendo isso vindo dele,tenho medo de sua loucura.

-Sabe de uma coisa? Já está na hora de David sofrer;acho que ele e tão louco por não ter passado por esse sentimento que realmente me sinto traumatizada.

Comesei rir diante das palavras dela;mencionava que jamais meu David cométeria algo errado em sua imortalidade "Sofia o David e tão controlado que chegada a ser tedioso".
Ela indagou a mim de forma queimante,me deliciava com isso,tinha envolvido seu corpo doce quando seu rosto se voltou a mim,os olhos castanhos realmente divinos desde que
ganhara o sanguê de Tompei,uma verdade destrutiva.

"Não e o que acho,não e o que vejo dentro do seu David Lestat".Um sussuro macabro ao ela mencionar tais citações a mim,saiu ao encontro com os demais,me sentei sobre
a escadária de entrada da mansão e fiquei a pensar nessa indagação,fiquei com medo que ela estivesse certa,e se estivesse iria morrer por essa verdade que nunca tinha visto
na alma de Davir.

"E se ela estiver certa? O que será de David?".Foi nesse pensamento que sento Thalwa ao meu encontro,se sentou ao meu lado,enchi sua boca de beijos fortes junto ao meu vigor,a
sua aura realmente cintilava,olhei para o céu da noite,a mágia que a Lua sempre tráz foi a resposta que esperava "Voi perder algo muito espécial".Toda vigorozidade do toque dela ao
impasse desse pensamento,continuei a beijar sua boca,não queria morrer,iria morrer diante da imaculada besta que vive em cada um de nos.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 68

Mensagem  Ana Nery em Qui 15 Jul - 12:26:32

Senti todo toque de Thalwa sempre a me contaminar,de alguma forma não pude deixar de comentar e deixar bem claro para ela minha pequenina preucupação para com Davir Talbot,
o que a fez quase se estatelar ao parar de me beijar e houvir tudo atentamente;uma pessoa que tem atenção;o que me agráda e claro.Suas unhas se encontraram sobre suas pernas ao pousar as delicadas mãos sobre elas,toda curvatura perfeita naquele vestigo que só fázia o reausamento de sua beleza.

"Único conselho meu Lestat:Tenha paciência,não acho que David esteja bem mentalmente devido aos acontecimentos recentes".Estava correta,mais houvimos um chamado,Sofia iria
tentar convencer Carlos a não ir embora para São Paulo,isso porque ele já hávia recebido uma ligação do conselho de Arquilógia do Brasil,isso o inrritou bastante já que pretendia na
sua passagem por áli tirar uns dias de sossego em sua mente queimante de conhecimento.

"O que acontece Sofia? Por quê não vai com ele?".Foi meu questionamento quando eu entrei a seguindo junto a Thalwa,gostei do meigo afago nos ombros quando me sentei ao lado
de Louis,David se mantinha descontrolado diante de Carlos que andava de um lado a outro da sala,Tompei não percebeu isso por que sempre prefere manter sua mente ocupada com
outras coisas,porém muito perceptivel para mim.

-Sofia eles me perseguem,não sabem viver sem minha organização,o que me deixa aver návios.Me pergunto se sempre será assim !

-Carlos não se deixe contaminar pela raiva querido,isso só lhe causa dor e sinceramente não faz bem a ninguêm.

-Para onde devo ir?Eles me prometeram com toda palavra que iriam me deixar em paz por longos dias,precisava desse descanso,compreende? Isso me cansa querida e não ao
caso,não sei se aguentarei por muito tempo me manter a frente da organização.

Foi o golpe que Sofia esperou,Carlos estava tão revoltado por terem o chamado de volta a cidade que teve que sair ao quarto em que estava hospedado na mansão,Tompei ficou com
ar de que iria matar alguêm naquela mansão,isso por que tambem sabia o quanto Carlos no correr dos anos em que mantinha toda organização da ordem de arquilógia brasileira preci-
sava de descanso,mesmo muito jovem senti no ar o quanto o amigo de Sofia tinha essa responsabilidade.

Mais tive pena dele por que para mim que as vezes faço grandes e longos trabalhos com a música,sempre me sinto cansado,Sofia quando entregou algumas toalhas ao Carlos para ir
tomando um grande banho fresco no banheiro do quarto me pediu para verificar todo os arquivos de Carlos no Leptop dele:Eu quando iniciei o aparelho e abri a caixa quase tombei na
cama de tanto espanto,a escrita na linguá portuguesa de Carlos mais que perfeita e sem falar de que o filho da mãe tem feitige para com muitas linguás de fora.

Vi David e Thalwa entrarem junto com meu Louis,Carlos já ia tirando as roupas para ir se preparando para sair em viagem,ele sabia que na maior cara de pau do nundo a ordem ti-
nha mandado carros para pegalo e levalo de volta,o tinham encontrado mesmo nos confins daquele mundo que e as colinas em que Tompei e Sofia moram.Meus olhos fuzilavam Carlos
em questionamento devido ao meu espanto.

-É isso que eles são capazes de fazer ?

-Capazes?Sem comentários Lestat porque em toda minha vida em que me mantive lá nunca deixaram de ter facionio pelo que faço e isso me magoa aos poucos,mau tenho tempo para
viver minha vida.

E um peso de tanta responzabilidade que muitas as vezes as lácrimas vem ao rosto mais as seguro para não me render e nem cair.

-Poxa,nunca suspeitei disso querido,afinal vejo que sua mente queima estudando e organizando muitas coisas.

-Tenha certeza disso mais me desculpe,sinceramente peço mil desculpas por ter que sair assim sem ao menos poder conhecer vocês de forma melhor.Vou tomar meu banho e da-
qui a pouco simplesmente tomar caminho de volta.

Sofia o ajudou ao menos tomar melhor controle diante da situação,o deixou a vontade ir tomar seu banho e fiquei lendo tudo no Leptop diante da minha supresa pela sua tamanha
responsabilidades,é eu que achava que ps proficionais brasileiros nunca tinham mente ou sequer argumentos diante dos poblemas do pais.Sofia se sentou esvaida ao meu lado no
seu meigo sofrimento.

"Odeio velo passar por isso,sabe? Eu particulamente Lestat tenho muito ao que agradecer ao Carlos,para dizer a verdade:Tenho uma divida com ele,alias ele e que me ensinou tudo
o que sei".Voltamos todos para a sala,David ao presenciar tudo isso,essa correria em que Carlos se impos realmente corou com um toque desejoso;senti relebrando tudo o que tinha
acontecido entre nos no passado que Carlos tinha algo parecido com o David Talbot:Muito jovem porém grandissima responzabilidade,sem ele os o Centro De Arquiológia Do Brasil
não funcionava.

Ao chegar na sala Sofia tinha trazido o Leptop de Carlos,passeava os dedinnos belos na tela de plasma e ao pedir o telefone ao Tompei ligou para o grande Centro em São Paulo,
cidade em que tinha nascido e convido com Carlos por tantos anos,dava para houvir todo o barulho da água cair no banheiro do quarto de Carlos,um lugar em que a própia Sofia
tinha reservado para vinda dele,estava a falar com os agentes,tentava convecelos a não chamá-lo de volta,argumentava que Carlos apois tantos meses sem sequer parar em sua
casa merecia descando,com um **Não** como resposta desligou na face do atedente.

-Bando de Impogritas ! Eu bem que podéria apois tantos anos ao ter trabalhado lá matar a todos.

-Querida isso não e nescessario,Carlos sabera lhe dar com isso.

-Disso eu sei Tompei,tenha convição disso querido.

Ficamos esperando Carlos se arrumar apois aquele banho delicioso,o vimos sair com uma meiga bousa de lado,apesar de muitissimo bem estabilizado proficionalmente ele e aprecia
a simplicidade em todos os detalhes,vangloriei os cabelos castanhos caindo para traz com a humidade que a água causa,os olhos verdes encobertos por um oculos escuro,a jaqueta
de couro com a calça jeans justa realmente dando o toque do pecado,mais em seus pensamentos asenti que ele era puro demais para compreende o que cito áqui.

O toque das botas curtas caiam bem,ele se curvou diante de mim quando teve que destravar o Leotop e quardalo,sentiu quando os carros tinham chegado,quando sou acolhido por
Sofia o meigo riso maroto quase fez David cair para tráz,para um brasileiro ele tem a pele muito clara e alva,perguntei a ele de forma muito cordial se tinha nacido no pais,ele virou
o olhar e tirou os oculos por um minuto em palavras.

-Sim,justamente áqui Lestat;nesse pais querido não se pode dizer que e negro,branco ou sequer os dois,não pensei que áqui há desinção de cor por que não há.

-Isso e espantoso,não nescessita mencionar mais nada querido Carlos,pode ir e espero que consiga manter a ordem por lá.

-Vamos ver,afinal não vivem sem minhas ordens ou palavras.

O barulho das três limosines era forte ao parmos do lado de fora,Carlos iria na do méio,os quardas na da frente e na de tráz,a Ordem De Aquiológia faz isso por que teme que os seus
mais grandiosos proficionais morram diante da sede por conhecimento que muitos filhos da mãe tem,amava como o rostinho maroto de Carlos soria escondido naquele oculos,Davir no
meu pensamento não iria se conforma só com isso,iria falar com ele apois a saida de Carlos porque e claro jamais iria desejar causar nem um mau ao meigo a nossa frente.

"Carlos espero que chegue bem,está tão cansado que nem sei o que argumentar".Foi toda a palavra que a Sofia disse ao ver Carlos entrar na limosine do méio,Davir coçava bem de
leve o seu rosto em apreciação ao Carlos,Thalwa quase pirou ao ver o brilho nos olhos de David que ela mesma teve que segurar de forma cordial para não fazer a loucura de entrar
na liminosine e fazer algo ao Carlos.

Lá fimos as três limosines partirem Colina abaixo,tive certeza de que Carlos iria ser muito bem acolhido pela ordem em São Paulo apesar da grande responsabilidade que carregava
nas costas,David ao presenciar essa sena ficou estarrecido,Louis mesmo com sua nova força teve que lhe aplicar um tapa na face para trazelo de volta e os chamados de Xinhua me
foram houvidos.

-Poxa pessoa,entrem por que vai começar a chuver,olhem a neblina ! Não queiram se molhar.

-Já estamos indo querida.

E foi como ela disse,ao entrarmos na mansão realmente a chuva caiu forte,os raios poderosos causados pela natureza ecoaram aos céus,Tompei fechou a porta e finalmente pedi ao
David que viesse falar comigo pessoalmente,pedi toda licença do mundo para ficar com ele no quarto de Tompei no andar de cima.uma ordem concedida pessoalmente por ele.

Entrando no quarto e tracando a porta David sentou estarrecido na cama de Tompei,não se controlava,queria chorar mais se segurou,me sentei a sua frente observando seu estado de
espeirito,seus olhos emanavam tanta dor com o peso dos anos que não conseguia argumentar com ele,soltou um meigo riso quando pensou em Carlos,repensava,analizava,corria com
a mente em toda sua configuração.

" O que está acontecendo com você David?Velo assim e como uma pedrá em minha alma e não me sinto bem em saber disso".Ele se manteve assim até tomar coragem,respirou bem
fundo e estendeu suas mãos para mim tetando me fazer não me preucupar mais toda a sua chama de amar estava clara para mim,arqueei a sobranselha dourada que tenho para não o
fazer de perder ainda mais.

-Nada Lestat,não acontece nada comigo,esses dias realmente me deixaram desgastado e não ando em minha razão,me desculpe qualquer tormento.

-Olha:Seu tormento e o meu tormento e não vou dizer que não percebi por que senti sim a velha fagulha falar alto.

-Esquece,nada demais,ok?Ficamos bem nessa argumentação?

-Veremos.

O deixei sozinho,desci para me juntar ao Louis,Tompei,Sofia e Thalwa que estava pertubada com o sentimentalismo de David,ela admirava tanto ele que sua alma doia em lhe ver assim e ao me sentar fiquei pensanto em mente fechada como meu David reagiu ao se deparar na frente de Carlos,fiquei amedrontado,com medo de acontecer algo.

"E se ele enloquecer?E se ele não sobreviver?".Foi meu pensamento quanto ao David mais macabro que já tive,foi um pessar de noite,sabia que algo iria acontecer,ficamor naquela e
gostosa sala conversando por longas horas,os minutos tão apasiquados foram o que me fez acalmar,David freferiu ficar a portas fechadas a noite toda no quarto de Tompei,tenteva na
minha coragem uma vez ou outra entrar em sua mente mais envão.

Quando sentimos o dia começar a nascer nos retiramos no sotão,David quando desce disse que iria ficar no porão na parte posterior da mansão,ficaria bem poe lá,fiquei muitissimo fe-
liz por isso,sabia que ele se cuidária,David não deixava ninguêm entrar em seus pensamentos,Thalwa ao fuzilalo por inteiro se manteve temerosa,seu olhar cinza erá tudo diante dessa
situação e assim dormimos ao travar a porta daquele porão sem a presença de David que ia em sua garantia de palavra dormir a onde tinha dito.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 69

Mensagem  Ana Nery em Qui 15 Jul - 12:33:59


Thalwa dormia tão doce ao meu lado com Louis dentro danquele sotão de puro ferro,não pude de deixar de me deliciar metido no méio dos dois conforme o sono iria me tomando por
completo.Tompei,Xinhua e Sofia sempre tiveram um sono profundo e pesado.Conforme todo o meu corpo recuperavas as inergias gastas na viagem até a cidade ele ia acordando no
chegar da noite nova e recente como o doce de criança.Ao acordar não deixei deixei passar em branco meus chamados ao Louis que se ergueu do seu sono para me acompanhar numa
bela caminhada das colinas.

Sabia que Thalwa iria vir ao meu encontro ao sentir que estária por lá,a nova noite estava bem fresca conforme via a neblina e estrelas tomando as colinas em que eu e Louis anda-
vamos para esticar os musculos,eu sentia sim que conforme ele tinha me dito ,todo nosso Dom Do Fogo começava a tomar seu sanguê,sentia uma vez ou outra ele sobreponto esse
Dom contra mim,era apenas um tipo de teste,mais ele era muito inesperiênte para isso.

Soltei um meigo riso diante disso e não contive minha impulsão de beijalo por completo,o desejava essa noite por tudo de mais sagrado para mim,sempre admirei o modo que
ele espera eu terminar de beijalo,os olhos cativamente fechados se enchendo de chamas para depois explodir em desejo,tinha me dado vontade de levalo na cachoeira em que eu
e Gabrielle tinhamos feito aqueles atos tão obsenos.

Muito cordialmente o convidei para algumas aprontações macabras,quando chegamos na cachoeira não parava de tirar cada peça de suas roupas uma a uma,conforme iamos fa-
zendo isso nos as deixavamos largadas sobre as pedras,o puxava de modo muito delicioso para aquele banho descomunal,tive que seguralo para não se esvair no peso das águas
que caiam forte,o encostei sobre aquela imensa pedrá nos beijos mais doces que podéria lhe aplicar no rosto,cabelos,corpo,boca,o que me fazia delirar muito ao sentir seu corpo
todo molhado.

-Não vai fugir agora não querido anjinho?

-Como podéria?Impossível.

Foi com meu puxar de mãos sobre a sua nunca que o senti se render por completo,todas as estrelas ardiam no céu junto áquela neblina forte,todo barulho da queda da água era o
nosso impulso para farmos aor do modo que faziamos ao correr da noite,não paravamos em nem um momento de manter todo ritmo doce que ele sempre se delicia,como posso
especificar?Realmente total redenção,apenas lamentava muitissimo a ele por não poder delirar e nem sentir orgasmos como sinto com Thalwa,o que o fez se reder ainda mais ao
longo da noite nessa transa descontrolada sobre as águas daquela cachoeira que passe a amar de forma tão inexplicavel.

"Não quero que faça isso,o que causaria transtorno Lestat".Um passar de sussuros em seu deleite de delirios enquanto me beijava naquele ritmo delicioso,mais senti alguêm vindo ao
nosso encontro,era Tompei e Thalwa correndo como loucos,eles me transmitiam que eram eles por que sabiam que se fosse qualquer outra pessoa téria sido capaz de matar,queimar
por atapalharem tal momento de enloguência com Louis.

"Tenha calma Lestat ! Tenha calma ! Somos nos".A voz de Tompei véio forte na mente ao sair da água junto ao Louis,fiquei tão puto por isso que me vesti de modo descontrolado na
chegada deles,eles corriam rápido,era evidênte algo muito errado tinha acontecido para me contactarem desse modo,Louis já estava pronto em algums minutos se vestindo,os cabelos
molhados e já vinha tendo o vislumbre mental dos dois a correr ao meu encontro.

-David desapaceu Lestat,ele não se encontra no porão posterior da minha mansão.

-O que ! Filho da mãe ! Agora eu mato ele !

Foi o que respondi na frase desesperada de Tompei junto a Thalwa,saimos nos quatro ao encontro de Sofia que estava em desespero ao entrar pela mansão,ela critava de raiva na
sua indagação do por que David Talbot tinha mentido,Tompei a tentava controlada porque ela suspeitava de muitas coisas desde que tinha entrado dentro da alma de meu David.

Fiquei desesperado ao ir ao sotão posterior do lugar e constatar que realmente ele não estava lá,critei nos braços de Louis e Thalwa ao cair naquela cama,meu gesto descontrolado
sobre os meus cabelos bem forte,olhos esbugalhados tetando justificar áquilo diante da situação.Meus lábios tremiam muito quando voltamos saindo pelo jardim,sentei sobre a gra-
ma pesantivo,tentava encontrar Davir por pensamento,ele viajava por muitos lugares da cidade entrando mentalmente nas mentes dos humanos tetando velo.

Envão por que ao que senti no espasmo de poder ele tinha se fechado mentalmente nos seus antigos argulementos "Não o encontro;simplesmente sumil do mapa como uma pe-
na Thalwa".Meras citações a Deusa que quase critava junto ao Louis tetando acalmala no problema a frente.

-Lestat ele vai fazer algo,senti isso ao velo sair na noite anterior,naquela despedida.

-O que devo fazer querida?Mau consigo detectalo,acho que sou culpado de tudo isso,o fiz sofrer demais o trazendo a força para as trevas.Fui um filho da mãe e agora que sinto e
vejo isso.

-Não diga isso querido,jamais pense assim.

Beijava seu rosto,Sofia esbravejava considerando áquilo uma traição,Tompei a segurava junto a Xinhua,Sofia por ter sido criada por Tompei e forte no sanguê.Realmente incontro-
lavel e devido a sua desconfiança pelo David podéria queimalo.Fiquei tão envergonhado na situação que me escondi atráz de Louis e Thalwa,ela parou de critar ao tomar toda a calma
que podia encontrar nesse momento constragedor.

Ela sentia que de modo descarado e pelo que presenciou David podéria ter ido para a cidadade de São Paulo,uma hipote-se que descartei de imediato por que David sempre teve o
seu controle forte e vigoroso,fui argumetando com ela ao entrarmos novamente na mansão e como ela estava furiosa "Vá lá,procure pelo David por aquela cidade toda ! Nem que vá ao
fim do mundo Lestat mais o quero áqui !".

E que voz poderosa,me assustei de imediato com os ditos dela,não iria comigo mais ela me esperaria enquanto não volta-se.Thalwa e Louis realmente não esperavam por isso,queriam
tentar convecer Sofia de que nada podéria acontecer mais houviram um **Vão ao inferno** direcionado a cada um deles e ela subiu batendo a porta do quarto,Tompei se sentou muito
envergonhado pela atitude da esposa que me foi penoso.

-Como ele podéria ter ido para São Paulo Lestat?O Dia já nascia.

-Dando a volta pela parte postérior do globo Tompei e chegando hogê lá. David e inteligênte demais e sei que agora vai fazer merda.

-Espero que não porque morreria por isso querido.

-Vamos ver.

Alsei vôo ao sair pelo jardim,subia aos céus chamando por David,iria sozinho,tentéria com toda minha vida argumentar esse atitude dele,apois algumas horinhas básicas avistei toda a
cidade e desci sobre os imensos prédios da metropole paulistana.Procurei um prédio para a minha hospedagem,procurei na recepção a melhor suit possível para mim,os atendêntes fo-
ram comigo e tive que saber pronunciar muito bem o pouco português que tenho para minha comunicação.

Recebi as chaves na mão e abri a porta,tudo muito belo na decoração dourada encontrada por todo lado;me deitei na imensa cama ao larga a chave sobre a escrivaninha de madeira
chinesa,mantive as luzes apagadas e em toda aquela altura do prédio em que a suit se localizava a Lua entrava forte com o vento pela varanda,o forte barulho dos carros passsando a
baixo me facinava.

"Venha a mim David;espero por você".Iria esperar para ver se ele atenderia a esse meu chamado mental e apois alguns minutos em sono leve me acordei asusstado sentindo sua
presença atordoada parada na varanda,me levantei quando houvi sua voz modera a me chamar,o acolhi nos braços o trazendo a mim ao dar a volta pela cama imensa e pude me
deitar com ele,senti o cheiro da caçada recênte em sua boca,seu corpo aquecido.

-Essa cidade me chama Lestat;me chama de forma critante como nunca antes.Estou com medo pelo que que me deparei,pelo que esta diante de mim.

Não quiz responder,deixei as mãos deslizarem pelos seus cabelos até que ele adormeceu em meus braços,ficamos áli toda noite,ele se acalmava aos poucos com minha presença e
não sabia por onde começar a resolver isso.Não consegui entrar em sua mente,sempre tão fechada que até me causava medo.

Todo perfume dos carros abaixo do prédio facinante,tudo me facina e realmente começava a ter noçao do quanto São Paulo ser grande,meus risos maléfios ecoavam bem baixo para
ele houvir,alguns beijos doces matendo sua calma,ele respirava devagar,queimante com o chamado eterno e imortal.Mesmo com medo estava áli e ficária com ele até saber do que
David tanto anciava e procurava "Não sei o que planeja mais realmente está enloquecendo".

"Vera conforme o tempo Lestat,única coisa que sei e que ele me facina,me chama com sua alma".Agora admitia que Carlos o atraia,não quiz acreditar naquilo,fiquei silenciado porque
David quando quer uma coisa vai até o fim do mundo,me virei dando as costas e sento os seus braços me envolverem "Me deixa".Uma indagação que o fez ficar quieto,sabia que não
havia gostado do que tinha visto em seu olhar,temia por muita coisa apartir dali.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 70

Mensagem  Ana Nery em Qui 15 Jul - 12:41:33

Ele me citou aos poucos conforme minha tránquilidade voltava que Carlos já hávia chegado na cidade,estava no casarão em que Sofia tinha dado a ela,tinha se mudado para lá,ele viu
isso em seus pensamentos ao espialo em sua chegada;como fiquei mordido de ciumes para com suas palavras,o encarava áli,deitado em seus bralos e naquela imensa cama com todo
o desden em que podéria transmitir-lhe.Estava realmente gostando ela,perguntei o que ele tinha visto em Carlos para se sentir tão atraido pelo garoto.

"Ele e jome,meigo,doce e inocênte,muito inocênte Lestat;não sei,mais a minha vontade e a de poder ultrajar cada pedaço daquela corpo avido que ele tem.Sinto essa necessidade".Eu
mal respirei diante das suas citações,me levantei tomando a iniciativa de acender as luxes e ir para o bar na suit,realmente tinha me hospedado bastante bem na cobertuda do prédio e
toda a decoração me facina,o dourado me era visto em todos os detalhes.Quando avistei todo bar na sala,a madeira negrá muito polida,muitas taças e acabei por pegar uma de modo
a quebrala em estilhaços.

David véio correndo diante do pequeno estalo que eu hávia causado ao fazelo,pequei outra ao ir para a cozinha com uma mesa de puro vidro cristal ao centro,ele se sentou sobra uma
cadeira aconchegante,ficou observando o que iria fazer;mais conforme meu desejo falar nas véias abria a gaveta do imenso armário de cozinha e peguei uma faca.Quando de volta pus
a taça em cima do vidro brilhante a forma aquela mesa tão bela e corte o pulso esquedo para poder deixar o sanguê escorrer dentro da taça a quarda o contéudo delicioso em que eu
iria me deliciar "Há,quanto tempo não faço isso querido,me sinto vangloriado em tomar esse gosto".

Enchendo as taças passei as duas mãos a segurala firme levando-a a minha boca,David no meu ato macabro quase pirou,pela primeira vez ele me vira fazer isso,já tinha houvod meus
comentários porém mais o fiz em sua frente e agora presenciando eu beber e solver tudo a entrar por meus lábios rosados teve que conter seu crito,o queimei com meus olhos huma-
nos azuis,agora sim iria indagar tudo que ficara entalado na garganta.

-Não admito David,está sedendo por ele,isso me enoja !

-Não tanto assim Lestat;apenas gostária muito brincar com ele por alguns dias.

-Está metindo diante de minha face? Gostária que queimase por isso,ultrajando ao meu sanguê que corre em suas véias,pisa em cima de tudo que sinto por você !

-Não e o que pensa Lestat.

-Vai para o inferno !

E como desferi aquela taça manchada se sanguê contra ele,ele quase chorou de rancor ao sentir meu medo,deu a volta para tentar me acalmar,tentar me asegurar de que jamais iria
me deixar,sua boca roçava em meu rosto tetando me fazer compreender porém ele queria minha presença em uma sáida sua pela cidade,gostária conhecer melhor a famosa Avenida
Paulista,ele sentia no ar que podéria se deparar com Carlos essa noite,me chamou com sua alma queimando naquele ato.

"Venha comigo Lestat,vamos brincar um pouco com ele,preciso começar esse processo ainda hogê".Virei meu rosto naqueles beijos macabros,tentava revidar mais ele me segurou fir-
me e me pus de pé por seu pedido,ele tinha trázido seu sobretudo e o colocou por cima daquela blusa belissima de cor escura,saimos pelo corredor a pegar o elevador,quando saimos
pela recepção pude ver a grande rua a nossa frente,muitos prédios subindo aos céus como um caroceu de alegria cintilante.

"A cidade realmente e descomunal David".Ele pegava forte em minhas mãos enquando nos andavamos por aquelas Rusas largas e de tão grande pediamos a visão,os pensamentos de
David procuravam sua vitma,Carlos realmente não lhe saia da mente.Os carros passavam correndo pela Avenida principal,demos várias voltas nos quarteirões e com todo nosso lindo
tempo nessa noite doce pude sentia os pensamentos de Carlos no ar.

-Ele está por perto,realmente vai querer continuar em frente David?

-Sim;sei muitissimo bem que ele sempre quando está presente na cidade passa toda a noite em uma Buate dáqui,vi na alma dele como ama beber diante de sua pequena solidão com a
sua juventude o contaminando.

-Seu malvado.

-Vou jogar com ele até me sentir fatisfeito,quero poder destruir aquela alma Lestat.

E foi assim que com a continua conversa e andando por aquelas Ruas me dei noção como a cidade de São Paulo e mais imensa do que Nova Yorh.David ao sentir esses meu pensamen-
to não pode deixar de rir "Uma cidade contruida por Maghtas Lestat,esperava o que?".Agora sim quase bati na face dele de tanta raiva.Todo meu faro corria as empreitadas das pessoas
que andavam,muitas mulheres nos encaravam de modo doce,algumas passavam roçando o corpo em nos.

Umas soltavam pequenos elogios,alguns piscares de olhos,o que me deixava envergonhado de tão vermelho pela situação,tinham se dado conta de que não eramos do pais,realmente o
momento de querer meter o rabo entre as pernas e voltar para a Suit.David reagia a isso a sua própria vontade,suas mãos grudadas as minhas para eu não me perder.

Com essas voltas descordenadas a procurar Carlos finalmente o encontrei,Carlos estava lá dentro,avistamos a imensa Buate,ao que vi pela faixada a mais cobisada de toda São Paulo
e quando entramos como hávia muitas pessoas,a música ecoava alto,David tinha que ir se desvencilhando das trombadas e nos deparamos com o imenso bar de bedidas,erá lá que o
Carlos estava.

-Lestat olha lá,e ele;estava certo.

-É o que vejo Sr.Talbot.

O toque de David foi o soficiênte para despertar a atenção de Carlos que estava sentado na cadeira alta e bem polida,para mim as luzes eram muito fortes,ele sentiu o espasmo da mão
pesada dele ao se sentar ao seu lado,ele não compreendeu o que faziamos áli,alternava os olhos entre mim e meu David que o queimava de cima abaixo,Carlos aos poucos foi seguin-
do seu extindo forte de pensamentos e conhecimentos até que tomou a coragem de comprimetando a nos dois.

"São loucos em estarem nessa cidade David e Lestat,sejam bem vindos".Uma voz muito e prá lá de maravilhosa,seu riso sobre aquela iluminação me facinou,aos poucos ia me dando
conta do por que ele ser tão atrativo,o sapato negro com a calça jeans escura,ele tinha um facinio por elas nunca as deixa de usar,vi isso bem claro em seus pensamentos,mais o que
me matou foi a regata a deixar seus braços desnudos,quase fui ao delirio com a tremenda visão,os olhos verdes e opacos belissimos ao meu deleite ao me sentar ao lado de David.

-Ainda estou tetando captar o que fazem áqui Senhores.

-Não,nos e que procuramos saber como um Arquilogo anda pelas noites obscuras de uma cidade como essas.

-O que? David não sou tão depravante como pensa.Não e por que tenho tantos compromissos que deixarei de aproveitar meus poucos momentos de vida.

-É o que estou vendo Senhor.

-Senhor,ainda me chama de Senhor,pelos Deuses ! Não me chame assim ! Não !

Carlos ficou tão exasperado com essa conversa e citações de David que quase pirou,ele na sua jovialidade tinha sido chamado de Senhor;isso para ele era um ultrage e não pode não
se conter e pegou um cigarro no bolso,tragou em sua docilidade ao pegar seu esqueiro em pura prata que chegada a cintilar no meigo escuro da Buate,soltou um meigo riso e levou o
copo de bebida a boca,solvia o liquido como um droga lhe entrando no corpo,um doce arrepio ia lhe tomando,dava para ver claramente por causa da pele e os pelos eriçados com a
cor bem clarinha.

As sobranselhas tão perfeitas em seu tom castanho me causaram ascos,David tinha acerta- do na vitma e realmente eu téria que ter paciência,apreciava o modo como os dedos de seu
Carlos deslizava sobre aquele cigarro,ele procurava algo,mais uma bebida,vi que queria um forte Campary,um homem tão vigoroso que solveu o copo por inteiro para depois voltar seu
olhar para nos,continuava perguntando o que faziamos na cidade.

-Vai ter trabalhos por esses dias áqui Lestat?

-Não,apenas acompanhando ao senhor Talbot ao meu lado.

Ele não se segurou,se levantou da cadeira e saiu se desvencilhando das pessoas,David iria até o fim do mundo para tirar algo dele,Carlos conseguil desaparecer,ele não era bobo não
e isso enrritou profundamente ao David,fiquei tão enloquecido naquela perseguição ao garoto que tive que seguralo no méio daquela correria toda,nos demos a tentar dair do local,com
o tempo conseguimos ser expelidos para o lado de fora.

"Isso e cansativo,preciso respirar".Adinha quem nos aquardava? Carlos tinha mandando os quardas nos esperarem,senti isso em sua mente tão forte e ponderada,naquela confusão na
saida tinhamos caido na calçada e senti sua mão se estender a mim,David se pos de pé.Não esperava a gentileza do que ele tinha preparado,mesmo contra a ordem de todos dentro da
limosine tinha organizado um passéio durante o resto da noite para nos.

"Se precisarem de caro eu dou,tenham paciência por que meus quardas não são gentis".O coração fui a boca,o quarda principal tinha abrido a porta e pude entrar ao lado de David,a
corrida começara ao bater das portas,estava tão nervoso que quase pulei para o lado de fora.Carlos continuava perguntando como hávimos parado na cidade.

-Não me venham com histórinhas descordenas Lestat;gostária de ter uma resposta mais real para mim.Me sinto perdido.

Não iria responder,passei o direito de resposta ao Sr.David ao meu lado,as luzes de toda a cidade corriam ao ver pela janela escura e brilhante,senti os braços do Carlos cruzarem em
uma doce espera,dava para sentir que realmente não iria ser facil lhe dar com ele,não iria engolir qualquer reposta que lhe viesse a boca ou mente.

O frio começava a tomar conta da cidade,de alguma forma Carlos fazia com que seus dedos delicados deslizasem por seu rosto malicioso,aquilo fazia David Talbot quase sair fora
se si,tive que dar um aperto nele para se controlar,ele respirou fundo,muito profundamente pesando,pesando e pesando no que iria responder.Caros iria sim revidar qualquer citação e
resposta dita por ele,virei meu rosto e me dei ao luxo de deixalo sozinho naquele momento.Eu estava tão chateado com a situação que se pudesse queimar David queimaria por com-
pleto.

"Realmente não e uma pessoa facil de se convecer Sr.Carlos".Essa foi a gota dágua para o garoto,seu olhar ficou furioso por novamente ser chamado de senhor,soltou um pequeno e
grande estalo nos dedos,deixou as mãos indicarem o pequeno recipiente de mais bebidas."Servidos?".Uma sutileza para não deixa se rebaixar a tal nivel se palavras de David que ia
rindo com a furia lhe tomando,e assim a limosine corria nas estradas de São Paulo.Pedia e socorro para os Deuses "Me salvem dessa situação !".Esses eram meus critos queimando
por dentro de mim,todo um silencio tomou tanto ao David quanto ao Carlos,ao que presenciei Carlos séria uma pessoa a debater por inglal com ele,o que deixava Sr.Talbot mais to-
mado pelo seu facinio.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 71

Mensagem  Ana Nery em Qui 15 Jul - 18:53:00

Me mantive totalmente quieto,iria suportar aquela pequenina conversa,mesmo tomado pelo ciume iria continuar firme por que sabem que jamais pereço diante dos problemas,por mais
que eles sejam graves ou não,como gostária de está junto ao meu Louis e David neste doce momento em que a faisca de curiosiodade tinha sido ascesa no olhar de Carlos,agora indo a
sua recente e inesperada curiosidade via que mais que nunca tinha que sair dáli,ele mais ria pelo silencio de David.

David não deixaria bato aquela atitude vindo dele,ele se sentia derrotado por ter sentido ao seu instindo que o Carlos que tanto lhe chamava atenção estava a contruir uma muralha.A
sua transposição não iria ser tão facil,isso facia a situação piorar mais conforme averiquava com meu pensamento que aquilo dária em merda e deu quando David começou a soltar sua
citação tão macabra,uma citação que mexeu profundamente com o recentimento de Carlos ao houvir atentamente,admito:O Garoto tinha sido muito corajoso em manter sua indolê ao
ver a pequena chama queimando nos olhos de meu David exasperado ao meu lado.

Nada como um bom vinho para Carlos se sentir vitorioso e continuava a esperar com toda sua paciencia David falar,as palavras mexeram profundamente com ele,meu coração doeu
ao presenciar áquilo,David se levantou a pairar a frente de Carlos,segurou firme ponto as mãos se lado do seu rosto e citando em perfeito portuguê que hávia usado em tantos anos
de sua estádia no Rio,belas lebranças que me corriam,porém minha atenção se redobrou conforme ele citava e Carlos ficara furioso e tomado de recentimento.

-Sente falta de alguêm Sr.Carlos,sente falta de tudo que não pode viver e nem conquistar ao longo de sua pouca existência,porém conforme vai vivendo desejar fugir de tudo o que
conseguil conquistar.

Um dia deseja se desfazer delas?

-Calma:Isso e uma brincadeira?Uma indagação ou melhor:Uma pisicanalize?

-E se fosse tudo isso que fala a mim?

-Gostária de morrer em um belissimo suidicio.

-Não e isso,posso lhe ajudar a fugir de tudo que ódeia,tudo que está ao seu redor você acaba por odiar.

-Não;não e isso Sr.Talbot...Me chamas de senhor ! O que para mim e um ultraje !

David deixou seu rosto deslizar pelo pescoço de Carlos,o prendia contra o bando da limosine,tinha que absorver todo perfume de sua vitma,um tremendo descarado nesse momento
e como Carlos tentava sair daquela situação,me mantive passivo e o mais frio possível com essa sena tão macabra que David fazia tornar-se realidade,a mão pusou sobre a boca com
todo peso possivel,Carlos fora silenciado pela força de Davir sobre ele,sua cabeça encostou contra o vidro da janela,um gruido saia leve de seus lábios,como os olhos queimavam em
furia.

David tinha feito isso por Carlos esconder tudo que vinha de dentro dele,o estava punindo com todo peso possivel diante da mentira de Carlos citada por ele própio,de forma extrema-
mente cordial David deixou as minisculas presas entrarem na carne jovem de Carlos ele tinha que sentir aquele doce deleite vampiresco,apenas alguns goles para depóis do termino
voltar ao seu lugar,os critos de Carlos foram altos.

"Está convidado a se retirar !".A limosine parou justamente no méio da Avenida Paulista,os carros businando a todos nos áli dentro,um imenso transido começava a ser formar,Carlos
tinha provocado o stop fatal na cidade para mandarnos a Rua,nos jutava puto em sua revolta e furia atipica,a porta da limosine bateu forte,largador a merse dos carros passando entre
nos.

-Parabens Sr.Talbot ! Conseguil uma guerra !

-Justamente o que desejava,era isso que esperava dele.

-É o que vi,e o que presenciei !

Tinhamos atravessados aqueles carros em desespero para não sermos atropelados,muitos os motoristas nos chingavam pela falta de respeito ao termos sido largados daquela forma
e por isso senti a mão de David saltar no ar,um meigo pedaço de papel caiu em suas mãos ao agarralo de forma doce e maliciosa.

"Sabe o que descobri Lestat? Ele e tão queimante de vida ! Justamente o que me faz lembra de mim;isso que me encata mais ainda no desgraçado".Dei de costar,ele abria o papel
de forma sutil,seus risos foram grueis ao ler tudo,descaradamente eram palavras de Carlos para com ele,Davir mais cantava vitória pelo que lia,meu olhar voltou a se aplicar naquele
descaneio de controle de meu querido.

"Ler isso,olhe com teus olhos Lestat,não e um tremendo filhote?".Quase desmaiei ao ler as palavras,realmente David tinha sérissimos motivos para tal ousadia de Carlos para com ele
ao longo da escrita,minhas unhas devidamente aplicadas ao papel claro e fino,os carros com sua correria a nossa frente enquanto absorvia cada linha.

" Sr.Tabolt estou feliz em me deparar com alguêm que me afronta desse modo e geito tão macabro,juro que isso vai ter volta ! Docemente fico honrado para com tuas palavras."

Sim,está certo David Talbot:De alguma forma quem sabe eu não procure minha destruição,conforme a vida passa e me vem a trazer mais conhecimentos sinto a nescessidade de ser muito
mais importante.

Realmente vossa pessoa e muito ousada em me dizer tal feitige de vida,isso não e uma declaração de amizade e sim de guerra a vossa excêlencia.Fico feliz,me faz feliz em está presente diante
de mim.Quando puder vá a minha casa,conforme as noites passarem quem sabe algo grandioso não aconteça"".

"Filho da mãe !".Critei a plenos pulmões,muitas pessoas pararam para saber se eu estava passando bem,fiquei muito e envergonhado,David saiu comigo sorrindo como nunca antes
em sua vida,um passo importante para ele,me deliciava com o peso dos braços dele caindo sobre minhas costas,e a caminhada foi longa até chegarmos no nosso prédio.

Subimos silenciosos e abri a porta para ficarmos a sós,agora sim começava a compreender o por que Carlos chamava tanta a atenção de David,me sentei a proltona de frente ao sofá
da sala da Suit,David teve que tomar coragem diante do pequenino bilhete,foi o que citei ao reler tudo em momento unisono;meus olhos humanos sempre deslizavam friamente no meu
encalço a situação.

"David isso realmente para mim e uma tremenda cara de pau dele".Ele sentiu com um sim e se deixou cair no sofá,seus risos maliciosos sempre me contaminando,fiquei com muito e
de medo perante Carlos,poderia ser humano mais tinha coragem,admitia isso.Não me contendo fui ao encontro do corpo de Sr.Talbot,me transpus por cima dele,beijava seu pescoço
me deliciando ao chegar na sua boca "O que pretênte agora?".

"Amanha,se eu puder amanha mesmo vou na casa dele,quem sabe não cometa uma loucura por lá".O chamava de miseravel,fiquei tão gelido diante da situação que me esvai acolhi-
do por ele,foi assim que passamos o resto da noite.Uma doce inlusão,David iria desfazer aquela pureza de Carlos,ele estava disposto a isso,realmente seu olhar falava alto,o que iria
me fazer delirar mais ainda.

-David tenho pena de você:Ele está jogando de forma forte e será que conseguira transpor essa inglaldade entre vocês?

-Sim,sei que sim.

-Espero para ver.

O roçar do seu perfume foi forte ao me virar e encostar o rosto no tecido da camisa por debaixo daquele sobretudo,me agarrava a ele tremendo por não querer perdelo,tive tanto re-
ceio disso que não pude deixar de ficar assim todo tempo possivel,muitas imagens olocaustas me vinha a mente a todo tempo,o que me fazia quase enloquecer.

Todo barulho dos carros sempre a entrar pela imensa varanda a frente da Suit;apaguei no meu sono doce,isso iria me tranquilizar;as vezes soltava risos me lebrando da sena ao ser-
mos jogados para fora da limosine "Foi injusto David".Sempre que indagava isso ele fazia os dedos deslizarem nos meus cabelos,sentia meu perfume tanto como sentia o dele "Eu sei
que sim Lestat".Uma voz doce diante do momento acolhedor,meu tranquilizante séria sentir como esse perfume dele e tão fatigante.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 72

Mensagem  Ana Nery em Qui 15 Jul - 19:06:28

Quando chegamos do nosso retiro na noite seguinte eu fui chamado pelo David a uma Lojá em que ele tinha encomendado algo,quando o vi entrar no quarto a onde estava deitado e
véio a me chamar sabia que ele estava planejando algo terrivel para com Carlos,seu olhar realmente argumentativo e procurando vigança.Senti sua mão me puxar da cama e saimos
a essa lojá que ele tanto anciava poder ir pegar o que tanto desejava.

Saindo as ruas simplesmente foi com miseros 15 minutos que eu e ele entramos na Lojá,os atendêntes que o reconheceram de imédiato,a noite que se iniciava era realmente bastante
doce e fresca com o ar aquecido a nossa volta,nada com que um bebedor de sanguê não venha a gostar,David estava belissimo essa noite com as calças Jeans escuras e suas e tão
pesadas botas curtas,eu como sempre tetando ser o mais pacifico possível para com ele e seus planos tenebrosos diante de Carlos que dizia ele estár em casa.

Mantive minha curta paciência e assim o homem foi a parte superior da loja enquanto eu e ele nos mantinhamos a esperar sua volta;quando o vimos estava trazendo uma caixa preta
lacrada,entregou-a ao David que já tinha pago o que lá jasia dentro do recipiênte,como ele ria da desgráça a qual tinha se metido,apenas usava sua blusa de tecido finissimo de cor de
roxo escuro que mal dava para dercenir,os botões pretos sobre seu brilho opaco,saimos da Lojá e lá caminhavamos as Ruas da cidade grande que e São Paulo,passamos por várias a-
venidas e avistamos o imenso casarão com que Sofia tinha presenteado Carlos,a cor me ia facinando.

"Lestat não entre comigo por favor,preciso fazer isso sozinho querido amante".Quase fui ao infarte com seu pedido inesperado mais mesmo assim compri sua ordem e me retirei acima
do telhado do casarão,iria ver tudo pela mente de Carlos,queria ver o que David iria tentar argumentar com Carlos diante do seu comportamento na noite em que tinha nos jogado a
merce das Ruas Paulistanas.David bateu firme na porta,segurava a caixa e o bilhete na sua mão deslubrante e como não foi atendido sentiu que Carlos não estava,houvi o barulho dele
arrobando a porta do quarto do garoto e assim descer para esperalo.

Me mantinha deitado avistando a Lua recênte nos céus,senti que Carlos dava a volta para a sua chegada,estava caminhando na Rua postérior,tinha saido rápidamente para comprá sua
doce bebida,por sua mente vi que estava bem vestido com a longa camisa fume de seda.O seu olhar queimante naquela escuridão ao velo passar pelo portão da entrada e desferir sua
chave na fechadura.

-Poxa,esqueci o queijo,que pena ! Terei que saborear esse vinho sem esse doce tira-gosto que e o queijo.

Palavras houvidas de longê,meu coração foi a boca quando ele abril a porta,de imediato a luz não foi ascesa,ele deu a volta ao piano que se encontrava no centro da imensa sala de
recepção.Deixou a bolsa com o vinho sobre aquele instrumento tão maghifico e a vontade de tocar foi maior,tudo iluminado pela Lua a entrar pelas imensas Janelas do casarão tão
acolhedor,vi nessa continua visão por sua mente que todos os espaços realmente são bem grandes,a música ecoava forte sendo tocada por seus dedos.

"Belissimo Carlos;meus parabens pelo talento tão divino querido".Ele deu um sobresalto ao sentir a voz de David,caiu do pequeno banco e correu para ascender a sala de recepção e
quando viu David sentado naquele imenso Sofá branco que ele tanto escolheu com todo seu amor quase desmaiou diante de sua presença.Seus lábios tremulos ao continuar fitando na
sua indolê o modo como David reagia.

-O que faz em minha casa Sr.Talbot?

-Não mandou eu vir áqui?Pensou que séria louco de não vir?

-Jurava que não levária a sério.

-Eu sempre levo a sério as ameaças a mim ! Está bricando com quem não deve moleque !

-Lamento por pensar assim David,mais realmente me senti sujo com o que fez comigo e não quiz deixar tão barato assim.

Quase cai do teto da casa ao ver pela mente de Carlos o que David tinha tirado daquela e tão sinistra caixa,fiquei sem folego,como David ria com o que iria fazer,dava passos muito
pesados ao tirar a sua camisa,os cabelos bem escovados pada tráz e num amarro bastante aplicado,Carlos asentiu,caiu ao tentar subir para o segundo andar,as mãos de David foram a
segurar aquele maghifico chicote talhado em puro couro "Não ouse me tocar SR.Talbot,eu não fiz nada de errado para você".

"Fez sim,me jogou na rua,me humilhou com aquele bilhete desvecilhador e isso conforme vossa pessoa mencionara para mim:Vai ter volta !".A noite para David estava ganha para
seu desejo se torna realidade,realmente deseja tanto o Carlos que não pode se conter em castigar o garoto daquele geito,o agarrou pelos braços arancando todas as peças de suas
roupas delicadas,o deixou descomunalmente nú diante dele,pegou o pequeno e sinistro par de algêmas,ele desferiria tudo o que sentia diante das ofenças e desprezo que Carlos vinha
lhe mostrando.

"Não aceito ser inghorado quando quero algo,não aceito ser ultrajado da forma que fez a minha pessoa Carlos".E Carlos ia sendo silencioado por aquela fita prata escura em seus
lábios,David não queria houvilo critar,descobri continuando aquela visão pela mente do seu Carlos o quanto David estava magoado por ele não entender nada,Carlos queria respostas
mais claras porém David não as estava dando e por isso fez o que fez a nos.A vigança de David ia ser a sua loucura.

-Há querido,não sabe como e belo,muito desejado por mim,se queria uma resposta eu lhe dou nesse momento.

Os chutes dos pés de Carlos foram fortes,cambaleando mesmo naquela situação muito e prá lá de complicada,agemado e sem o direito de falar,chutava a porta de sáida porém ele
teve que ir a imensa janela tentar pular e como o chicote foi desferido sobre suas costas,a marca realmente gravada na pele.Vi nesse momento como David iria ultrajar aquele corpo
até Carlos não aguentar mais.Fiquei com tanta pena dele que tive que me segurar para não atrapalhar os planos de David,ao menos começava a respeitar seu desejo pelo garoto.

Houvi naquela mente mais quatro estalos das chicotadas sendo desferidas sobre ele que ia se esvaindo de dor,algumas gotas de sanguê iam caindo pela pele tão alva de tão perfeita
a minha visão,tinha caindo se joelho ao tentar se poiar sobre a base da janela e continuamente David soltava aquele chicote sobre Carlos que mal se aguentava de tanto chorar.Meu
David sentia rancor ao fazer isso mais saberia lhe dar com a situação.

Parou silenciado por aqueles olhos verdes emanando lácrimas ao cair no chão,Carlos ia ao seu modo tetando sobrepor o corpo a frente do imenso tapete para fugir,envão, e lá Davir
soltava mais estalos de chicotes nas pernas,bralos,costas e para finalizar nos ombros,não me segurei ao presenciar mentalmente isso tudo e quase cai do teto da casa,meu choro ia
sendo forte,queria ajudar ao Carlos mais não podia,apenas desejava que David mante-se a calma se não iria matar Carlos coma força das chicotadas.

-Agora sente como gosto de você?Tão doce,suculento como mel;sabe agora como posso e sou vingativo?Achou que ia sair facil dessa Carlos?

Eu sou David Talbot e ninguêm me ameaça daquele modo !

Pegou ele pelos ombros e o jogou sobre o sofá,posicionou o corpo de Carlos de bruços de modo a manter sua cabeça sobre a almofaga de penas e de cor branquissima,Carlos chora-
va muito,mesmo não podendo critar dava para ver sua dor,As mãos de Davir empurravam sua cabeça contra a almofada,a linguá de David deslizava sobre a pele das costas labendo
cada gota de sanguê que as chicotadas tinham feito sair.Os cortes eram profundos,nada ao modo Talbot.

"Um sanguê doce como rosa,tão maliavel que tenho vontade de simplesmente ultrajar seu corpo áqui mesmo,vontade de contaminar cada pedacinho gostoso que vossa pessoa tem".
Tudo realmente armado de forma trágica,Carlos pode se virar e apesar daquela situação o seu olhar emanava tamanha irá que até me causou medo,senti atravez daquela alma que ia
manter seu vigor mesmo sendo ultrajado desse modo.

"Podéria matalo áqui mesmo querido e como o desejo,não sabe o quanto".David mencionava isso quando começara a ferir sua própia linguá e quando voltou a virar Carlos de bruços
deixou naqueles beijos sanguinolentos o sanguê cair sobre os ferimentos que fechavam.A sua boca realmente se deliciava ao virar o rosto do garato e finalmente tirar a fita.Carlos na
sua respiração ofegante teve que tomar folego.

"Odéio você ! Eu odéio você !".E com todo peso do mundo se jogou contra David e saiu para o segundo andar,quando na porta do seu quarto teve que empurrar ela com o péso do
seu chute e tombou quase quebrando os braços algemados sobre o chão,David e claro pegou o chicote e ao de deparar a sua frente desferiu mais chicotadas e dessa vez sobre seus
joelhos,Carlos se encostou sobre a base da cama mantendo a a coragem,o peso sos pés de David cairam ao seu abdômen o forçando contra o chão.

"Não conseguê respirar Carlos?Agora compreende com quem comprou guerra?".Com toda força Sr.Talbot jogou o que tanto desejava sobre a cama,Carlos se sobrepos contra o es-
pelho tetando voltar a andar,mais seus joelhos doiam tanto que téria que aguentar firme.A sua coragem era imensa,senti isso me mantendo dentro daquela alma.Senti que erá muito
puro,David usou o bilhete como justificativa para ensinar o que era a dor ao Carlos e como ele estava aprendendo ao sendi o abraço de Sr.Talbot.

-Não faça isso comigo,não faça isso comigo !

-Vou fazer sim,porque se eu quero você será da forma mais cruel possível.

Foi ai que Carlos desmaiou,David se sentou na proltona a frente da cama aprecianado esse doce desmaio,se deliciava vendo cada curva do corpo de Carlos,seus risos maléficos para a
sua coragem voltar.Tinha plena certeza de sua loucura "Pena que não veja como e belo seu anjo negro,como gostária de deixar seu corpo cansado de tanto transar com você,mas para
mim e puro demais".

E carlos continuava naquele desmaio profundo,a dor que as chicotas lhe causara fizeram o trauma corporal falar mais alto,David pegou a pequena chave das algemas e as tirou para
deixar Carlos mais solto sobre a cama,o sanguê que as costas mantinha molhavam todo o lençol e David aproveitou isso para continuar a lamber aquelas gostas terriveis para ele.E
como Carlos dormia sobre aqueles travesseiros quaimado pela dor.Meu choro continuava enquanto me mantinha acima do teto "Aguente firme querido,sei que e forte".


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 73

Mensagem  Ana Nery em Sex 16 Jul - 18:55:19

Desci para me posicionar sobre o peltoral da janela oposta,pude ter total ascesso para o que ele iria continuar vazedo,David se encontrava sentado na proltona,os dedos passendos sobre
os seus lábios fartos e deliciosos de se ver,tinha desprendido os cabelos escuros,eles caiam a seus ombros fortes e esbetos,visionava naquela loucura Carlos dormir por causa da dor para
com seu corpo jovem.As manchas de sanguê faziam com que David tivesse que se seguras a não matá-lo com sua loucura.

O chicote posto ao seu colo naquela espera que lhe matava,mesmo se sentindo dolorido por isso David planejava realmente ultrajar cada pedaço de Carlos,ele tinha pego o vinho que seu
Carlos tinha compado e o colocado na escrivaninha junto ao cigarro e esqueiro,eu tambem me sentia constrangido pela situação mais não queria atrapalhar,David se sobresaltou quando viu
o garoto acordar diante da dor,de imediato ele agarrou-se aos lençois apesar de um pouco de sujos de sanguê,muito asusstado para com tanta dor que sentia no corpo.

David educadamente já controlado pegou a taça de vinho e estendeu ao homem áli que mal reagia diante dele,tão tremulo e doce como um querubin encostado contra o espelho da cama.
Queria chorar mais se conteve ao beber em seus tremores a taça de vinho todinha em goles descontrolados,alguns fios de cabelos castanhos crudados a pele de pescoço devido ao suor
forte,vi pelas suas costas os ferimentos cicatrizados pelo sanguê que David deixou agir,isso ao Sr.Talbot agarralo nos braços.Carlos reagia frontalmente ao se debater mais sentiu todo
o calor do corpo de quem o segurava falar mais alto naquele olhar furioso e queimante para com David.

-Me sinto humilhado David,estou destruido e não sei por que reage assim diante de mim.Meu pranto e de querer fugir de tudo.

-Há,era isso que queria houvir querido,esperava não mentir para mim da forma que mentiu na dentro da limosine;não tive pena nem uma de bater em você,de simplesmente lhe aplicar
a surra que mereceu.

-Por quê isso tudo?Me sinto perseguido e contaminado.

-Sintase amado por mim Carlos;sintase tomado por todo amor e paixão que você sem ver implantou em mim.

-Mentiroso !

Carlos tentava se larga dos braços de David o segurando sobre aquela cama,me mantinha e firme naquele lugar segreto;agora me controlava naquela admição de desejo falando alto aos
dois áli jasendo naquela briga de ção e gato.Sempre que David encostava sua boca contra a do Carlos levava mordidas,mordidas que deixavam ele ainda mais louco "Isso ! Pode fazer a
sua pequena força falar querido ! Eu amo sua furia !".David mais brincava com ele e acabou por vencer naquela redenção de Carlos ao deixá-lo deitar-se com ele na cama.

Nesse momento os beijos falavam mais alto diante da força de Sr.Talbot;Carlos por puro e alto medo atêndia a indagação de quem pairava a sua frente,tão frio quanto uma pedrá que
chamamos de Jade.As mãos de Carlos deslizavam sobre as costas de David conforme sentia a força do própio falar com ele;não que se delicia-se com aqueles beijos mais realmente ele
fora pego de geito diante daquela situação macabra.

"Não me ama David,apenas sente paixão por mim o que não e a mesma coisa que o amor".David mandou-lhe calar-se sobrepondo os dedos em seus lábios naquele momento.Tudo a-
conteceu conforme ele planejara:Carlos realmente se sentia solitário,sozinho por não ter o tempo necessário para aproveitar sua vida,David adivinhada naquele momento que Carlos
ia sim atendêr as suas espectativas quando lhe desse o sanguê,isso ficou explicito em seu olhar.

-Não vai ser agora querido e sim quando eu sentir que está preparado.

-Não entendo suas palavras,não compreendo por que me seguê,por que simplesmente vem a me seguir desse modo.Saber que mantem tal vontade me mata,me machuca diante dessas
indagações.

-O que você reamente quer Carlos?Áqui diante de mim como gostária de se comportar com suas chamas falando mais alto? Tua alma e grande,bela e não ver isso,isso e o que me faz
amalo tanto e não absorve isso.

-Com o tempo,com o tempor por favor.

-Não deixe o tempo falar porque para você ele e limitado e excasso,quero fazer com que ele passe a ser ilimitado para assim ver meu querido querubin realizar seus sonhos.

Pronto,o golpe final em Carlos que simplesmente absorveu as palavras.Deixou com que David reliza-se sua vontade e totalmente indiferêntes a qualquer rancor se rendiam um ao outro nas
chamas poderosas que e a paixão.A boca de David deslizava sobre o pescoço de Carlos ao por as mãos em sua nunca,ela pendeu para tráz e é claro David a essa altura já estava preparado
em sua redenção ao Carlos,se rendia por completo a ele.

"Me faça feliz que atenderei aos seus pedidos,caso contrário eu fujo".Sussuros entre os delirios fortes a correr em seu corpo enquanto David sobrepunha seu corpo contra o dele o deitando na
cama,todo peso de David falava mais alto,se enfronhavam naqueles lençois enquanto transavam em ritmo doce conforme Carlos pedia.Não pude suportar e me retirei sozinho correndo entre as
Ruas já desertas sobre a noite.

"O estou perdendo ! Não acredito nisso Deuses ! Eu estou perdendo meu David ! Agora vejo ao meus olhos como ele o ama de forma ingla e poderosa".Não acreditava nisso,andava por aquelas
ruas tão desertas,uma vez ou outra naquele meu choro levava as mãos aos olhos.Conforme eu ia chegando ao prédio em que estava hospedado me descontrolava mais.Finalmente já dentro pude
subir para a Suit e como desferi aquelas taças contra a parede.

-Traidor ! E um grande traidor David !.

Me esvai contra a parede,me enconhia como criança chorando em desespero.foi assim que passei o resto da noite diante de todo masagre que David causara ao Carlos;soluçava muito mais pude ir
me controlando por que precisava esperar ele chegar.Não iria questionalo porque mesmo diante a dor fária comprir minha palavra de que iria ajudalo.

"Conforme desejar querido".Palavras ditas sozinho naquela Suit imensa,me sentia perdido para a solidão que vinha pesada sobre mim.As soudas de minha Thalwa e Louis falava muito alto e não ia
deixalos de chamar.Dária de tudo para telos comigo nesse momento,eles sim ao que sentia poderia ser fieis a mim "Serão mesmo?Como está doendo amores".O olhar se encontrou sobre aquelas taças
estilhaçadas sobre o chão e pude ver no brilho como nossos filhos de sanguêm podem reagir de forma inesperada "O trouxe contra sua vontade David e ao que vejo só agora desfere esse golpe contra
mim".

"Sei que vai trazelo para você e não poderei suportar".Minhas mãos de esticaram diante daquelas e tão sangrentas palavras,cai ao chão de braços abertos,tentava enchergar a mim mesmo.Conforme a
dor ia me tomando meu descontrole falava mais alto com toda irá possível "Vou matar você Carlos e simplesmente fazelo em pedaços !".Iria compri isso mais no momento certo,desejava matar ele com
toda força.téria que ser realmente divino fazelo diante de David,ele hávia me traido e não deixaria o caso passar em branco,apaguei nesse meigo crito,com o tempos senti as mãos de David pairando ao
rosto.

"Lestat acorde;querido acorde".O traido me chamava;me acordou com sua doçura tipica e deixei o peso de minhas mãos o agarrar,me sentia desesperado apesar do odio por ele "Promerata que não
vai me deixar,David estou morrendi".Ele afagava meus cabelos docemente "Fugiu de mim,não vou deixar isso em vão".Sabia que não,me deixei chorar em seus braços,ele surtou com meu medo,seu
acolhimento foi completo "Nada mudou,nada em você e diferente".Risos doces e bem baixinhos em meus houvidos,sentia que ainda me amava apesar de Carlos "Fique comigo,não saia do meu lado".
Atendeu meu pedido e se manteve firme comigo,não se rebelou como conseguia me agarrar a ele.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 74

Mensagem  Ana Nery em Sex 16 Jul - 19:07:35

Naquele desvanéio pude ver ele ao ir ao quarto deixar o chicote em cima da cama,tinha na sua vontade realmente conclúir de forma muito divina como ele bem me disse ao me man-
ter ao seu lado;seus olhos iluminados por aquela luz que subiam pema varanda.O vi sentar sobre a beira da cama,deslizava suas mãos sobre a sua toturante arma já posta em suas e
tenebrosas mãos,toda cor negra o couro do chicote era divina,houvi nitidamente todo seu riso quanto a sua coragem de ter feito o que fez.

"O deixei dormindo como um anjo Lestat;não sabe como delirei ao telo em meus braços.O Carlos realmente conseguê ter orgasmos como ninguêm,o que para mim e um enorme feiti-
ge".Continuava tendo que respirar fundo,não me aguentava não de ciumes e sim tudo ia se jutando no fervor do meu sanguê;David enrolou o chicote sobre seu anti-braço e quardou o
objeto macabro na caixa negra junto ao par de algêmas,o fuzilava em meu vigor tetando ao máximo absorver algo diante de seu desejo por Carlos.

Ele sentiu minha magoa,estendeu as mãos fortes para me acalmar "Vai ficar áqui o virá conosco para Nova Orleans?".Ele respondeu e imediato para mimseus risos realmente vieram
para me trazer aos poucos,não me contendo fiz o mesmo diante de seu calor doce para com minha presença "Sabe que que irei contigo Lestat,apenas não e nescessário ficar com todo o
alarme que apresente perânte minha pessoa".

-Será mesmo David?Na verdade não sente que me deixou de me amar ou sequer ter uma consideração para comigo querido?

-Nunca;Lestat preciso de companhia,sentia tanta falta disso até encontrar ao Carlos e não quero desperdisar essa change de trazelo para mim;quero fazer meu pupilo da mesma e
grandiosa forma que você fez ao longo de dois séculos.

Lestat eu tenho que aprender,compreende?Não quero que me faça dessistir disso por causa de teus ciumes exagerados por que sabe que nunca me afatária de todos,não tenho sérios e
sequer o fária.Pare com isso Lestat;quero que me der esse direito !

-Bela justificatica David Talbot;acha mesmo que ele dária um grandioso púpilo para você?

-Sem a menor dúvida ! Não sabe o vigor que ele tem.O que me trouxe a ele e sua forma solitária de viver;isso me machuca,me faz amalo ainda mais.

-Como assim solitário?

-Entre em seus pensamentos,entende viver como ele e sentira como ser tão jovem e ter a grandiosidade o machuca,sabe?Ele realmente se machuca por todo o peso de ser quem e
por não suportar tem que se manter firme se não enloquece.

"Pare David ! Isso me machuca !".Me levantei por meu impulso e fui a varanda;não tinha a minima noção de como Carlos sofria e agora David esfregava isso em minha face,deixei as
minhas mãos deslizarem sobre a barra de proteção daquela varanda tão bela,os jarros com flores e plantas mais que encantador,ele tomou a iniciativa de ascender as luzes da Suit pa-
ra poder vir ao meu lado,senti seus braços me envolverem muito forte,ele tentava me asegurar que fária de tudo para tirar Carlos de sua forma solitária de viver.

"Então e isso Sr.Talbot,o que ajudar de qualquer forma e uma delas e trazendo Carlos para você dando assim uma vida muito mais maghifica do que já tem".Ele sussurava tanta coisa
asusstadado,temia que Carlos cometese suicidio,suas mãos seguravam firme meu rosto no ato supremo daquele beijo tão frio e sem sentimento,me esvai o abraçando forte.

"Amanha Lestat desejo ir novamente para lá;quero continuar esse trabalho de ir aos pucos sujando aquela pureza que ele tem e por fim realmente ultrajar seu corpo de forma ele ou
sequer ninguêm compreenderam".Séria como ele desejase,me retirei da o denxando para a pensar no que iria planejar.Quando nas Ruas Paulistanas deixei meus pensamentos virem,a
complexidade disso tudo me doia o coração,fiquei olhando toda a muntidão passear naquelas Ruas imensas,tive plena noção do quanto iria sofrer nessa situação,por um momento as
lácrimas queriam cair mais me contive.

"Carlos,realmente será que conseguira passar por essa provação?E melhor matalo na noite que vem,não posso deixar isso acontecer,jamais".Minha decisão estava tomada sem nem ao
menos David saber;me retirei em um sotão escuro por detráz de um prédio abandonado.Na noite seguinte ao sentir meu corpo despertar sai decidido a matar Carlos;se David estives-
se certo não iria permitir que Carlos se contamina-se tão facilmente;prediria velo morto do que ver ultrajado da forma que estava sendo.

-Querido Carlos não permitirei isso,sua vida e maghifica diante de minha visão.O que será das minhas palavras perânte ti?

Mencionava isso enquanto caminhava pelas Ruas e becos,acabei por deixar a sede falar ao meu extinto e matei antes de chegar ao seu casarão tão belo,passei pelo pequenino potão e
o avistei lá dentro,toquei a campanhia,ele ao houvir realmente ficou receoso em atender.Na minha mente ele estava divino,confirmação quanto ele destravou a porta e ficou me olhando
e se perguntando mentalmente o que fázia áli "Lestat,você áqui,entre por favor".

"Obrigada por não me expulsar Carlos,sei muito bem do que aconteceu ontem e venho por decisão própria conversa com você".Ele continou silencioso,me mandou calarme para não o
atrapalhar porque estava estudando algumas notas de pianos,não queria houvir nada para o que David tinha feito a ele,a bela túnica branquissima com desenhos em purissima prata
me era mágica diante de sua beleza tão pura que David tanto mencionava.

Ele pegou um pequenino lapis com aqueles dedos tão doces e delicados como pena;com o seu houvido aplicava as descobertas;naquele dia ele não tinha ido ao imenso escritório de
aquiológia;me confeçou que acordara tão massacrado que não suportou ir e nem sequer a sua alma se recuperária tão cedo.

-Sabe Lestat?Gostária de pedir que ele não me procurasse mais,não quero ter que passar por isso novamente;senti que ele não tem o toque humano,o que para mim séria muito e
sofrido de suportar.

"Só isso que me pede querido?".Tão doce como pessego,justamente como David mencionou a mim;ele soltou um riso mágico ao pegar a garrafa de vinho e echer aquela taça,solveu ao
seu modo supremo,bebia tudo até esvaziar a taça e deixala encima do Piano que ele mesmo já começava a tocar;o modo como ela fala e como música,isso que mais me facina ao hou-
vilo falar na linguá portuguesa,gráças que aprendia muito rápido mentalmente.

Os seus dedos deslizavam sobre aquelas teclas finas,senti que tinha tanto facionio pelo seu Mozart quanto eu;me mantive sentado naquele sofá e o revi voltar a solver mais vinho.Em
sua mente descobri que estava esperando alguê;sua irmã.Foi com pouquissimos minutos da minha chegada que houvimos o carro dela parar a frente do imenso casarão e Carlos correu
ao seu encontro.

"Lestat espere áqui;não sáia queirido".O som da camapanhia foi forte,ele a recebeu com o nervossismo evidênte,a felizidade em rever Letícia falou alto ao beijala no rosto,ela entrou
em reconhecimento ao lugar tão doce,entrando mais a fundo da alma dela vi e descobri ao meu modo o quanto ela depêndia dele,Letícia era a única pérola presente na vida de Carlos
e como nesse momento ele tinha medo de perdela.Os dois se sentaram sobre o sofá,ela aos seus 15 anos mais era uma beldade de mulher junto a juventude.

-Posso saber quem és Senhor?

-Lioncourt,me chame de Sr.Lioncourt.

-Sobrenome Francês ! Belissimo de sua parte.

-Belo e você querida,uma rosa entanto.

É e mesmo,Letícia naquela apasiquada juventude trázia as catacteristicas fisicas de Carlos ao os cabelos cacheados castanhos cairem as costas,o vestido longo e negro lhe davam o
toque de uma moça pura no sanguê e na alma,as unhas tão polidas que brilhavam sobre o leve escuro,mais a Lua dava conta de tudo,a pele tão alva que mais me lembrava o leite e
o doce da neve e sem falar nos olhos claros tonalizados com o puro azul.

"Mais desde quando conhece meu irmão Sr.Lioncourt?".Carlos disse que ela fazia perguntas demais e devéria levar suas malas para seu quarto,ele de imediato caminhou para o lado de
forá e mandou os dois quardas trazerem as duas únicas malas que lhe adornariam o corpo.Ela mesma ao ver os homens de preto sobreporjarem as malas teve a força de levalas para
o andar de cima,quando lá dentro do quarto dela perguntava por quê o irmão se encontrava tão batido "Está diferênte Carlos,se mamãe soubese disso iria bater em você".

Não tinha nada para me preucupar até dado momento,Letícia tinha abraçado Carlos em sua empolgação de revelo apois tantos meses afastados,ela sentiu como ele tinha espasmos na
sua dor provocada pela surra em que David lhe aplicara na noite tenebrosa "Como anda em seus estudos querida?Espero boas notícias.Sabe que nem eu ou mamãe iriamos admitir uma
falha sua".

"Tudo bem mais não diria o mesmo para contigo meu Carlos;me fale o que acontece para ver se posso ajudalo".Ele fez um gesto para que se sentase na cadeira a frente;suas mãos
desceram forte sobre os ombros de Letícia quando ela sentou-se esperando uma boa resposta dele "Nada ! Não acontece nada garatoda mimada ! Não gosto de saber que tem tal
preocupação comigo".

"Vamos fazer um trato querido irmão?Prometo que quardo segredo se me falar,olhe para você ! Abatidol,pálido e sem vida ou cor em sua pele;não me e normal velo assim !".Não
adiantária discutir com Carlos,ele se pos de pé e a mandou ir para um banho delicioso e acamos por descer,fiquei gelido com a situação da presença de Letícia,andava de um la-
do a outro da imensa sala de recepção.

-É a ela que tenta protegêr?Tenta não machucar sua irmã diante se seu modo solitário de viver?Carlos e muita coragem de fazer isso a ela: Mantela intacta ao seu pequeno sofri-
mento.

-Que nada Lestat,me sinto tranquilissimo por isso querido.

-Espero mesmo porque todo teu esforço fazem dela uma belissima moça ! Olhe como entregar todo teu brilho ajudando-a a se forma tão forte e vigorosa.

Ele se sentou tremendo,seus nervos desde a noite antérior estavam a flor da pele diante da perseguição de David;seus pensamentos descordenados e como desejava chorar perante a
sua magoa,respirou fundo e não pude de deixar de me elevar diante disso,deixei minhas e tão gelidas mãos lhe darem um aperto "Não quero metela nisso,não quero machula por tal
atitude queimante que ele tem".

"O que posso fazer para protegê-la?Carlos por favor me diga o farei !".Ele me pediu calma,a situação não erá do geito que pensava,seu riso me tranquilizou e mesmo assim cai sobre a
proltona passado pela situação;meu coração batia forte,fiquei desesperado para como sua e tão sagrada Letícia sem perceber estava metida nisso "Ela e inocênte demais e não posso ir
permitir tal ultrage".Palavras roucas perante minha falta de coragem,sabia que Davia iria na casa de Carlos essa noite e dessa vez não sabem como meu coração batia como um tambor
diante da falta de conhecimento de quem podéria ser prejudicado nessa história.


avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Gelo De Sangue-Cap 75

Mensagem  Ana Nery em Sex 16 Jul - 19:12:30

Tive que deixar minha indolê falar mais alto,respirava fundo e Carlos aos poucos voltava a si,ouviu os chamados de sua irmã;tentou fazer todo seu brilho falar mais alto quando foi a
sua presença,ele procurava um meigo chale de seda que tinha trazido na malinha talhada a moda chinesa.Ela mencionou a mim que sempre quando se está em novos lugares se sente
perdida o que a deixou muitissimo sem graça,Carlos entregou o chale a ela enlaçando-o no seu pescoço,ela tinha vestido uma sáia da cor gremosa que me lenbrava doce de leite bem
clarinho,a blusa com renda e o toque do decote para mim divino,Carlos lhe entregoi o todo o par de botas clarinha sa ela.

"Vai sair Letícia?Deseja comer algo?".O riso da menina realment eo fez ficar sem graça,ela mesmo na pequena idade sabia de cuidar bem,achava toda a preucupação do irmão muito
inutil;mais ela não sabia dos perigos que esse mundo tem,por isso e muitos outros motivos o Carlos a protége da forma que faz sempre a indagando aquela feição descomunal por ela.

"Carlos vou sair sim,quero comer um belo baquete de comida japonesa e desejar vir?".Ele não respondeu,seu silêncio foi tudo,desceu comigo em companhia dela e fez com que seus
quardas prometessem que a tráriam em segurança.Não téria discusão porque diante de sua situação como um dos principais aquiológos do pais Carlos era perseguido as vezes,ele ao
meu ver tinha medo que por causa de sua posição tentasem algo contra qualquer pessoa a sua volta.

Quando viu o carro partir naquela noite nova e iniciada ele levou os dedos aos lábios muito pensativo;me chamou de volta a casa e voltou a trabalhar em seu piano,infelizmente não ia
desejar que David aparecese mais enquanto conversavamos foi o que aconteceu,queria poder mata-lo por aquela continua indagação,eu mesmo ao sentir que se tratava dele tomei a
coragem de atender.

-David ! O que faz áqui querido?

-Hum? Lestat está maluco? Que pergunta intolerável !

-Não séria melhor ir para casa? Porque não vejo nada que tenha que fazer áqui.

-Lestat para de brincadeira e me deixa entrar.

-Vamos para casa,vamos nos deliciar por essa noite,não temos nada o que fazer aqui. David me enoja nessa perseguição e por isso vim aqui por iniciativa própria.

Já tinham se passado vários minutos naquele impasse,Carlos houvia tudo rindo com minha cena tão traumatica;David tentava se soprepor sobre meu corpo para entrar,Carlos olhava
tudo atentamente.Foi uma briga desvairada lá no jardim frontal de entrada.David me socava pela insistência mais não o deixária passar,usei minha força para mantelo longê de seu
Carlos.

"Pare com isso ! Me deixa entrar".Temia que Letícia voltase mais cedo que que esperava e infelizmente isso aconteceu;mentalmente vi o carro dando a volta ao quarteirão,já passava
da Méia-Noite quando ela chegou protegida por aqueles quardas,Carlos com tanto recéio foi a passar por nos.David já estava puto da vida com minha atitude,ele não entêndia tudo isso
que lhe fazia ao mantelo preso em meus braços.

"Me solta Lestat;porque me faz isso?Minhas explicações não foram claras prá você?".Não suportei mais e o soquei de modo a deixalo cair no chão,Carlos se mantinha a frente do
veiculo que se mantinha fechado,não queria que Letícia saisse naquele momento em que tentava mandar David embora,Sr.Talbot se levantou indo em sua direção,arqueou as suas
sobraselhas escuras,toda iluminação da Rua caia sobre os dois,a pequena chuca caia para trazer um leve frio.

"Esconde algo ai Carlos? Me fala do que tem tanto recéio?".Tive que empurrar David para a parte frontal do carro,dava para sentir mentalmente que Letícia já estava nervossa,Carlos a
sua delicadeza abriu o carro e entrou fechando a porta enquanto tentava controlar toda essa situação da vinda de David que não queria ir embora de geito nem um.Minhas mãos deciam
forte aos seus ombros enquanto sobrepunha seu corpo sobre a imensa traseira do carro na espera com que Letícia pudesse sair tranquila e não tivesse que passar por nada.

-Lestat seja pacional comigo:O que acontece áqui?

-Nada David ! Mais vamos para casa !

-Não antes de saber o que escondem de mim.

Foi o golpe final,Carlos segurava Letícia nos braços que estava asusstadissima por nossa e tão vigorosa briga,foi acolhida pelo irmão ao sair do carro em caminhada a casa,mais como
o David ficou puto com tudo isso,Carlos fechara a porta na chave a mandando subir para o seu quarto,os quardas sobre sua ordem sairam pela noite,o olhar de Carlos queimava todo
o vigor de David que esperava uma séria justificativa de quem a garota era.

"Sáia dáqui,está me causando problemas demais !".David quase pulou em cima dele mais eu o segurei,sai o arrastando forte,realmente Sr.Talbot estava me causando problemas e
sérissimos atalhos na alma,ele se recompos e houviu Carlos critar firme a ele antes dele se retirar furioso pela sena da menina que não compreendia nada obviamente.

"Prefiro que fique longê de mim ao sentilo me queimar daquele modo como o fez ! Quero a sua morte Sr.Talbot ".Como David ria disso,me mantive quieto diante da sena "Veremos a
pessoa que vai morrer querido anjo,dou minha palavra".Saimos pelas Ruas já decertas,para mim iria ser trabalhoso,a conversa rolava a solta entre nos quanto as suas perguntas.

-Quem ela e?Não minta para mim Lestat.

-Irei ser bem claro contigo querido David:Tratase da irmã dele,Letícia.Uma moça com que ele dária a vida prá protegêla.

-Compreendo,obrigada por não mentir para mim.Compreendo perfeitamente.

"David esqueça isso por favor querido,e loucura demais;pode prejudicar a quem não deve". Ele em sua maturidade tinha encotrado alguêm a sua altura e a sua mesma indolê e não ia
desistir tão facilmente.Seu olhar doce como sempre,sori diante disso "Prometo que tentarei fazer as coisas de forma a não envolvela nisso tudo".

Não adiantava tentar lhe explicar,tive que ser mais claro quanto a tudo que Letícia sighificava para Carlos "David tudo que ela e ! Tudo que ela tem e ele que faz por ela ! Letícia e tão
inocênte em sua idade que depênde exclusivamente dele e a sua mãe ! E dificil de captar?". O último golpe antes de voltarmos a caminhar;ele teve toda noção da situação diante de to-
da complexidade.Continuava vigoroso lhe disendo as verdades que ele não enchegava.

-David se manter essa loucura por Carlos como ela ficara?O que será dela? Ela está em sua fase mais delicada,sabe?David ela pode ficar sem ninguêm caso ultraje Carlos o modo que
deseja fazer !

-Nos cuidaremos dela Lestat;não e simples? Temos todas as condições do mundo para isso querido.

-Será que ela entendera?E inocênte demais e não sei se suportária !

Mandou eu me calar;apertou firme meus ombros;minha preucupação era evidênte para ele e quando voltamos a suit não me contive em desespero,ele nunca esteve tão preucupada na
sua situação,ao continuar pensando realmente aos poucos compreendia que sériamente toda a vida de uma pessoa podéria ir pelos ares.

"O que devo fazer Lestat?Me aconselhe".Só podéria ser brincadeira,ele arrumou esse problema e me pedia conselhos,como revidei essa indagação vindo dele,me sentei ao seu lado
lá na cama,estava sofrendo muito,a culpa lhe corroia a alma,me deitei por cima daquele seu corpo poderoso que tanto me satisfázia ao longo dos anos "Faça o que quizer mais não cho-
re pelo erro que pode cometer".Iria suprir essa sua dor que agora caia sobre ele,me deixei a me envolver por aquelas mãos ponderadas deslizando por meu corpo.

"Vai se queimar querido e não sei se dessa vez poderei ajudalo".Ele confirmou isso com a sua voz apasiquada,estava desestabilizado perânte a presença da doce menina.Foi uma e
grande noite tormentosa entre nos dois,estavamos literalmente despidos sobre aqueles tão sedosos lençois "Gostária que desistisse disso,esqueça".Não iria atender as minhas preses
que lhe rogava,nunca vira David em uma fase tão maléfica.

"Sabe o que vou fazer?Por que não mandala ao fim do mundo?".Enquando me mantinha no vigor lhe acariciando os cabelos me sentei sobre a cama para lhe falar formalmente como a
minha alma se sentiria triste "Não;não e a medida certa David,pode ganhar dois coelhos em uma tacada só;mais isso dependêra de vossa pessoa".

-E um tremendo filho da mãe Lestat;quero a ele e não ao sei requinte de calor humano.

-Então vire-se ! Estou cansado de falar e não me houvir !

Fui a cozinha enrolado naquele lençol fino,sentia um pouco de frio;meu corpo se encontrava todo despido porque nunca em minha vida tinha feito tantas loucuras com ele,o filho da mãe
véio a aparecer no meu momento solitário;me entregou uma taça para finalmente lhe cortar os pulsos e enchela com o avido necta;solvia aquilo como um tranquilozante,seus mãos me
seguravam firme,mesmo assim estava furioso,queria ir embora mais téria que ficar até tudo ser resolvido.

"Afaste-se dele David,e a melhor solução,esqueça tudo isso".Novamente aquela ingredualidade tipica dele,quando quer uma coisa vai até o fim do mundo.Beijava meus ombros fortes
em seu deleita macabro "Se minha loucura falar mais alto ! Será conforme deseja Sr.Lestat e a trarei sim ela para minha responzabilidade".Finalmente tinha pensado de forma madura
e aplicada.

Isso me deixou orgulhoso;muito mesmo ! Nunca pensei em minha existência me encontrar numa fase tão cachorra e macabra com Sr.Talbot;eu ria da desgraça como um Lobo famin-
to a espera da caça.Larguei a taça de lado manchada com aquele sanguê,o senti deslizar a meu encontro,me deliciava com seus beijos na boca "E um maldito David,sabe que não vou
matalo por isso,por tais motivos abusa de minha boa vontade".

"Sim,adoro o modo como pode ser mau Lestat ! Por isso me mantenho firme contigo".Um filho da mãe;nunca ri tão maliciosamente naquele ato de amor,seu corpo se dependurou
por cima de mim ao recebelo por completo,desse modo conclúimos nossos pensamentos quanto a doce Letícia "Assuma ela como um pai;sim:Um pai Sr.Talbot".Já estava tendo os
meus orgamos com ele,como tinha aprendido bem como Thalwa esse truque vampirico a nos levar aos céus.Quando me cansei fiquei me desbruçando todo suado;uma respiração
cansada enquanto beijava seu rosto e boca "Obrigada pela promessa".O tapa no ombro me deixou a marca forte;nada com que um riso macabro para voltar a mim.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ***Gelo De Sangue***(3° Conto)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum