União De Sangue- Parte I

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ir em baixo

Re: União De Sangue- Parte I

Mensagem  Ana Nery em Sex 30 Jul - 19:03:57

Quando na mansão já eram altas horas da madrugada e claro.Sentei-me no imenso sofá da mansão,o clarear do sol começava devido ao decorrer dessas horas.
Para mim,o pensamento transcorria muitos momentos alheios.Delicadamente pensei.Aziel sentou-se docemente a minha frente na linda poltrona.Pensei por alguns
momentos no que eu deveria fazer.Com isso atenuei meu olhar quando ele focou sua atenção em mim.

-Lilith,está preparada?-Sabia do que ele falava,delicadamente minha pessoa refez todo um conceito,sorri lindamente em resposta,meu coração a essa altura esta-
va em paz,circundado de notável pensamento e descanço-Sim,eu estou,para os próximos dias?-Ele sorriu,arqueou seu lindo cenho-Sim-E com isso pensei claramen-
te que ele estava decidido,que manteria sua palavra até o fim de tudo.

-Compreendo meu querido,eu compreendo-Nesse momento percebi que depois de tudo ele tinha melhorado um pouco,que suas forças antes escaças daquele modo
começavam a retomar toda vitalidade-Aziel quando estivermos lá meu querido,o que será de nós?-E nesse momento ele respondeu-me delicadamente-Uma vida,nos-
sa vida vai continuar-Meus observares não cessavam,o que o fez levantar-se.

-Sim e claro,estaremos naquele aeroporto,alçaremos voo é estaremos em Paris-Ele sorriu,passou pele lado da mesa de cento,veio caminhando docemente,deixou as
suas mãos se arquearem ao meu rosto docemente-Novamente digo que te amo,viveremos lindos dias em Paris,novas vidas serão moldadas nessas encruzilhada,entre
a Paria e sua Cidade-Sorri.

Compreendi com maior profundidade-E claro,não deixaria e nem forçaria a Samantha á ficar longe de lá-Ele riu novamente,deixou seus braços se curvarem ao meu la-
do,nisso gradualmente deixei-me olhá-lo em doce desden,nesse momento tudo ficou atenuado,cheio de limpido brilho.E dessa forma chegamos em nosso lar,consegui-
mos dar novos passos além do que queriamos.Não ia ser fácil,pensei,o que me fez ofegar envolta nos beijos.

Os dias se passaram,não deixo de deixar claro que meu coração se esvaiu ao sair da mansão ao lado de Isabel e Lucy,Lucy a linda mulher trajada com vestido de seda
até a altura dos joelhos em cor azul escuro,tia Isabel entrou no carro trajada com uma de suas túnicas em cor marfim,detalhes prateados,deixei as chaves da mansão
aos cuidados de Lucy,Aziel me esperava,tinhamos colocado as poucas malas no porta-malas do porshe-Vamos,precisamos ir-Despertar alheio nesse início de tarde.

Virei-me,entrando no porshe me sentei ao lado dele,pensei por alguns instantes,Uma viagem entanto pensei com profundidade,nesse momento Aziel deslizou as mãos
pelo volante,usava luvas negras aveludadas justas,a camiseta branca de algodão,o cordão com asas de anjo talhadas,a calça jeans justa,a bota curta,o lenço negro ao
seu pescoço negro assim como as botas e calças.

Em segundos ele deu partida-Tome cuidado,espero chegarmos rápido-Isabel riu nesse momento,pensava profundamente,ela que na noite anterior chorará horrores,eu
compreendi seu sentimento de quietude.Eu tinha escolhido um vestido de algodão em cor violeta,as alças delicadas negras,assim como as botas que usava de salto bai-
xo,isso pelo vestido ir até a altura dos joelhos,me virei quando Isabel me entregou um casaco longo,negro,o coloquei,isso me deixou melhor aquecida devido ao frio.

-Obrigada-Ela riu-Não há de que-Aziel dirigia,nada comentou até chegarmos ao Aeroporto.Lembro de pegarmos as três malas,tinhamos feito uma extra.De nós despedir-
mos de Isabel,ela que levaria o Porshe de volta a mansão,ficaria aos seus cuidados e de Lucy.Compreendi de imediato.Gradualmente minha pessoa refez o pensamento,o
conceito de que tudo percorreria seu caminho.

Entramos no salão do imenso Aeroporto da Cidade,ficamos procurando para todos os cantos a fila de Desembarque.Pensei por vários momentos,Aziel fisgando cada ima-
gem,cada centimetro do caminho-Por aqui-Bramiu,caminhamos,ele segurava duas bolsas,eu levava uma-Embarque para Paris,por favor-Disse a atendente,entregou as pas-
sagens delicadamente no balcão,vi quando ela carimbou,já que eu estava de costas olhando a multidão.

-Lilith?-Falou deixando as bolsas no chão e tocando-me nos ombros-O que foi querido?-Brami baixo-Precisamos ir,vai desistir?-Arqueei minha sobrancelha ao virar-me.O
seu olhar me provocou arrepior profundos-Não,e claro que não meu querido,por que fária isso?-Ele riu,me retribuiu a essas palavras com beijos adocidados,deixei meus
braços se curvarem aos seus ombros,me deixei pendurar em seus braços por alguns instantes,senti por alguns momentos enquanto o beijava as suas mãos me apalparem
a silhueta.

-Vamos,não podemos esperar mais-E com isso começamos a caminhar.Quando na pista de voo ao saírmos pelas imensas portas aletrônicas de vidro,senti o vento rever-
bar ferozmente ao meu rosto-Nossa-Expeli em palavra ao andarmos,deixando as bolsas aos cuidados dos entregadores,subimos a escada que ia até o avião,muitas pesso-
as na nossa frente,delicadamente voltei o olhar para trás.

Aziel o que faremos ao chegarmos lá?-Ele tinha tirado o óculos do bolço da calça,o colocou delicadamente ao virar-me me olhando de cima para baixo enquanto subiamos.
-Lilith iremos a biblioteca de Paris,procuraremos livros de rituais e feitiços antigos,veremos o que encontraremos-Macabro é obscuro olhar para ele,os óculos escuros impe-
dindo que eu olhasse ele em seus olhos.

-Compreendo,mas...-Calei-me,ele não compreendou,me olhou por alguns instantes e sabendo que não falaria mais,virou-se atenuando o passo.Silêncio pairou entre eu e
ele.O que deixou meu coração recentido,sofrido.Algo me tomava.'Maldito,viu?Não suporto,me sinto insultada! Quero ele,não aguento!'-Eu gritava essas palavras em minha
mente,o fervor tomando meu corpo.Gradualmente ao entrarmos visualisei o exterior do avião.

Os passageiros se sentavam.Senti o peso pairar sobre mim gradualmente,o que me fez respirar fundo.Aziel tinha colocado a pequena bolsa extra no compartimento acima
de nós(Lá tinha seu lapto novo que faria compainha ao que ele tinha em Paris,o meu também,o seu Aiphone),ele moveu seu olhar para baixo,alto,isso tinha que admitir,ape-
sar de ser menor e mais delicado que seu irmão.Uma imensa diferença.

-Precisa de algo Lilith?-Respirei fundo novamente,eu que estava sentada na poltron ana janela pensei.'Vou cometer uma barbaridade aqui'.E iria mesmo,por que meus ins-
tintos feminos fervian,pensei antes de lhe responder-Não-Ele riu-Está cansada,tome um cobertor-E me entregou um fino e macio cobertor.O abri,iria descançar até o início
da noite,provavelmente chegariamos na noite plena,já que teriamos que fazer uma pausa em outra Cidade antes de continuarmos.Ligação Roma e Paris.

Assustador,correto?Mas necessário,ele sentou ao meu lado,lembro de ter deixado minha cabeça se mover de lado,encostando na pequenina janela do avião.Aziel silencioso.
Não deixava o fio de sua atenção lhe escapar.Ouvi seus gemidos de susto quando o avião fechou as portas e começou a alçar voo em sua corrida pela pista.Ele por alguns se-
gundos segurou firme minha mão esquerda,o macio cobertor me aquecendo,eu que desfrutava de minha sonolência.

'Vamos,temja sonhos'.Pensei,o silêncio começou a pairar sobre mim,a escuridão mental veio,nada mais senti,ouvi,falei depois disso,tudo que sei e que lembro de algo me
tomando,me possuíndo,o que poderia desencadear uma profunda atitude minha nessa viagem.O sumbido do avião continuo,atenuado,gradualmente minha pessoa pensou,
o despertar veio arrebatador!Nossa!Um sono que mais me pareceu cochilo!

-O que há comigo?-Ofeguei,eu me sentia quente,suada corporalmente,olhei para Aziel de lado começando a dobrar o cobertor macio,delicado.Ele tinha ardomecido,mas a-
penas descansaça,ele que tinha o cemblante de seu rosto encostado em meu braço.Deixando o cobertor dobrado no compartimento,me abaixei,ele se assustou,voltei a me
sentar ao seu lado-Acordou?-Eu ri baixinho.

A noite começava a cair,a ganhar vida,isso quando virei o rosto a olhar pela janela por alguns segundos-Sim,mas...-Ele me olhava,seus profundos olhos verdes brilhando.
-O que há?-Cerrei meu olhar,delicadamente,céus,a calça jeans tão justa em seu corpo que ofeguei antes de falar,passei meu olhar por suas pernas longas,a silhueta,as
cochas torneadas e joviais.

Aquele algo estava lá,me esperando,meus instintos feminos queimento,lá de vai entender algo assim?-Como você consegue suportar meu querido?-Disse ao me curvar de
lado sussurrando em seu ouvido-O quê?-Bramiu pensativo-Você sabe-Ele riu baixinho,sua face corou,lindo seu rosto corar,as bochechas coradinhas,algo que me tocou o co-
ração-Lilith,você está esperando minha filha,nosso bebê,seria tão covarde?-Eu ri.

Deixei a mão pousar acima de sua cintura,mordi sua orelha delicadamente sobre a ponta-Vêm comigo meu querido,muitos descansam aqui,no banheiro-Ele se espantou,me
olhou de lado,alternando a visão-Está louca!?-O mandei se calar,levantei-me ao tirar o casaco longo,o deixei sobre a poltrona.Ele me seguiu segurando a mão-Céus-Bramiu
em sussurro.

Céus,terrível foi quando abri a porta do banheiro delicado,clarinho,apertado para duas pessoas-Por favor-Brami ao fechar a porta,ele de frente para mim,deixando o rosto
se mover de lado para lado-Aziel!Não seja insensato,eu quero-Brami raivosa,ele que ofegou tentando desviar o olhar-Maluca,maluca-Bramiu quando consegui me abaixar,o
meu tremor corporal saliente,conquistador.

-Pelos céus negros-Bramiu querendo se opor,suas mãos deslizando pelos meus cabeços-Não seja insensata,imprudente Lilith-Me ergui delicadamente,o fitei,o beijei tremen-
do-Está sentindo isso?E querer,e não imprudência-Ele ofegou,começava a queimar.Tinha que brincar com ele,brincar descordialmente para que ele entendesse.Forz estava,
Aziel encurralado como um cão sem saber para onde correr.

-Céus-Bramiu quanto voltei a beijá-lo,e ele tinha entendido muito bem o que fazer,a noite caia do lado de fora,o avião seguia,o som dos motores deliciosos é baixos.Aziel na
impulsividade conseguiu me manter contra a parede,ele que deslizou uma de suas mãos abaixo de meu joelho,moveu minha perna até curvá-la delicadamente,terrível sentir
aquele algo contra mim,aquele volume entre minhas pernas.

-Cala boca-Pedi sabendo que ele queria fugir,o mantive contra mim,e sei que a ávida dança começava ali dentro.Acalanto de solenidade para que possamos compreender.Eu
que o beijava e brigava ao mesmo tempo para abrir aquele maldito ziper,queria ter acesso ao que jazia ali dentro.E quanto tive me abaixei,ele que dei passo para trás,ele que
bramiu em gemidos-Maldita-Seria mesmo,talharia essa maldita insanidade feminida por alguns minutinhos a frente.É assim foi,tudo se tornou gutural em nossas almas,ele lu-
tando enquanto agia,tudo isso.Há! Que adorável fim poderia dar? A viagem alheia,quem sabe continuemos,correto? Quem sabe nós encontremos em uma Ruela alheia para dar-
mos continuidade querida Sara.





Fim
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: União De Sangue- Parte I

Mensagem  Ana Nery em Sex 12 Nov - 12:17:01



Imagem Capa:
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum