****Espelho De Fogo*** (2° Conto)

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 51

Mensagem  Ana Nery em Qua 16 Jun - 10:15:37

Orações,sera que devia acreditar nelas?Foi a pergunta que lhe fiz naquele momento de pausa,disse que sim,serviam para chamados,ilário a ponto de não responder,ela ficou
atônita com essa atitude de descaso.Kaniban me pediu para saber mais de orações e não iria fazer,pra que?Perda de tempo por que Deuses apenas agem e não ficam dando
ouvidos a palavras jogadas ao vento.Falei em tom alto a ela essas palavras,sua face corou de vermelho com a verdade.

-Sim,tem razão Tompei,o que fara quando seu pai morrer?

-Meu pai?Não seria melhor um Deus?Afinal um homem que tem sanguê de um não deve ser considerado um humano.

-De certa forma está correto.

Continuava comendo apois essas menções a ela;suas mãos correndo a borda da mesa em espera,tinha mencionado do trabalho da faculdade,ela ficou chateada por está escrevendo
em papel normal,fazer o que?A lei em si;agora os risos vieram para fazer a noite mais linda ao sentir calafrios;lebranças de Sofia;tinham vindo a mente naqueles minutos e Xinran viu
o que senti.

-Tem soudades dela,não e?

-Presciso mentir mãe?Nunca;tenho sim.Uma marda e magoa que levarei até os meus últimos dias.

-Vejo isso em você Tompei,sei que diz a verdade.Teve ela em seus braços,a amou de verdade e agora está longê.Não e de suporta de forma tão fácil.

Quietude perfumada diante disso,apenas ficava a imaginar o que Sofia estária fazendo no momento,séria engraçado de imaginar ela andando a Cidade de São Paulo em sua imen-
sidão;mas ela me chamou para um compromisso no Rio De Janeiro,deu pulos de alegria por que ela téria que resolver negocios lá e iria acompanhá-la.

-Por favor;uma bela reunião de cultura Chinesa que me pediram para fazer em um belo Museu na cidade.

-Nada com que se preocupar,sera maghifico.

Partiamos apois dois dias e acontesceu,o avião pousou no Aeroporto Carlos Drummond,a paisagem totalmente urbana junto as arvores imendas;montanhas inusitadas;uma bela e
gratificante apresentação cultural de um museu,o que estava fazendo áli?A essa autura ja nos encontravamos no Hotel Copacabana Palase,nada do que reclamar;a visão da orla do
Bairro era mágica.

-Amanhã espero contar com sua ajuda,Tompei.

-Ok,mas quem pediu essa apresentação no museu?

-Uma jovem empresaria da cidade,tipicamente anciava por isso.

-To pesando quem seja.

-A vera no museu,espero seu comportamente;ainda bem que deu tempo de vossa pessoa entregar seu trabalho lá na faculdade.

-Maghifico !

Dava beijos em seu rosto;girava com ela em circulos pelo apartamento;risadas em todo lugar,amava está com ela,não reconhecia minha atitude ou pessoa;belas vestes negras
forjadas em puro linho;agora que me dei conta.Não queria sair ou voltar para casa tão cedo,nada melhor do que um tempo em tudo;agradescia a Xinran por isso.

Fiquei apresciando sua indole quando descemos para poder conhecer alguns lugares da Cidade,o carro nos esperava para poder nos levar ao Jardim Botanico,estava ancioso por
tudo.A temperatura me incomodava,daquele frio de ao calor intenso;ela virouse para sentir o doce perfume da briza do litoral enquanto o carro dava a volta na rua central do bairro.

Chegamos rapido ao Jardim;novas plantas a conhecer tipicas da cidade,o portão abriu em sua imensidão,era a entrada principal e se não fosse por ela tinha me pertido,as arvores
indo ceu acima,pés de Pau Brasil;nosssa;a quantidade de nomes e descomunal para citar agora;ficamos o dia todo lá a conhecer tudo;e claro que curioso quanto a quem iria ver no
dia seguinte.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 52

Mensagem  Ana Nery em Qua 16 Jun - 10:23:50

Gostava da pessoa que nos guiava andando parque a fora,realmente a imensidão erá a complexidade de toda uma vida,meus olhos passavam em cada detalhe das Pantas Carni-
foras,gostei de como elas de fechavam ao colocar meus delicados dedos dentro delas,a Xinran medrosa em suas concluções.Foi gostoso ficar aquele tempo com ela;minhã mente
de esvaindo em novos aprimoramentos,e claro que não podéria deixar essa oportunidade passar em branco e pedi a ela que me passa-se a pasta com papel percaminho e comecei
a desenhar as meigas Túlipas Brancas que estava logo ao lado;tamanha perfeição a ponto dela agora soltar risadas gostosas.

Querida quarda aquelas imangens;a mulher que erá nosso guia ficou olhando em observação,tinha gostado da minha iniciativa,gostava do seu esmero ruivo,raro ver um brasileiro
com tais caracteristicas.O vento corria guente por toda dimensão do Jardim enquanto eu traçava os desenhos para finalmente quardar as folhas na pasta toda couraçada,pedi uma
desculpa a ela por que realmente queria levar e quardar as imagens comigo;nada com que me preocupar segundo suas palavras.

De certo modo estava saciado com as realizações;pena que tais Túlipas Brancas e Plantas Carniforas não tinham condições de se desenvolver aonde morava;isso que mencionei ao
acaso para Xinran.Ela concordou com um meigo aseno de cabeça junto aos deus dedos nos meus ombros;o que deixava com o pé atraz era que quem passava ficava me olhando,uma
sensação de espionagem e claro;uma menina bem pequena parou ao meu lado,pediu um dos meus desenhos,muito delicada em sua idade.

-Gostária de levar um senhor,me chamo Sandra.

-Pequenina demais,divino e por favor não me chame de Senhor.

-Desculpe,seus longos cabelos me passam essa mensagem.

A gota dágua;como fiquei triste em ser chamado de senhor por aquela criança,agora me dava conta que estava ficando velho mesmo,deprimente a ponto de Xinran voltar a soltar
suas risas e tirou uma das folhas para dar a menina que já ia embora.Nada a comentar aos meus colegas.Queria ir embora o que fez Xinran sair andando comigo para o carro.

A mente pode ser complexa;e só queremos que isso seja realiadade e ela vem com a vida junto a melâncolia humana;isso que pensei ao ver a paissagem atravez do vidro do carro.
Já estavamos voltando,estava morrendo de curiosidade para saber como iria ser a exposição no Museu.Agora Xinran comentava o nome da empresária que iria esta junto a nos dois
em virtude da apresciação.

-O nome dela e Ana Nery;e jovem ainda mas porem tem suas ambições.

-Nossa,nome complexo ao ponto de minhã pessoa não saber mencionar direito,

-Compreedo Tompei,mas esperemos até amanhã para assim estarmos no Museu.

-Do que será a exposição?

-Porcelana e Arquitetura.

Ia ser dramatico,preferiria ficar calado lá,apenas olhando tudo correr para finalmente ir embora,depois de alguns minutos já chegamos ao Hotel,quando desci ajudei ela a não cair.
Agora a tarde ia terminando na cidade;subimos pelas escadas para entrarmos no apartamento enorme e já arrumado com uma beça refeição a nossa espera;enquando comiamos
na mesa o ruido da campanhia tocou;Xinran mandou eu atender e a sena foi para eu cair para trás,erá ela.

A cor de canela tinha adiantado sua vinda;pedira licença ao entrar na sala em pedido de ver Xinran,sem ação para tal deleite.Não que fosse chocante,a beleza exotica emanava
dela como um todo,longos cabelos negros junto as botas negras e calça jeans,concluindo com um belo sobretudo branco de tescido bem fino.Solto meus risos nessa mera lebrança
de passado,a cor de canela como Lestat bem chama sempre teve suas objetividades na vida ou imortalidade.

-Sua mãe,espero poder falar com ela.

-Sim e claro,e a quem chamou a exposição dela,não?

-Logicamente,e seu nome e Tompei certo?

-Evidênte que sim senhorita.

-Es meigo;gosto disso.

Face corada;agora Xinran entrava para comprimenta-la com beijos no rosto,acho que elas ao meu ver se conheciam desde tempos,Ana Nery sentou-se no Sofá para poderem falar da
organização do museu,sai para meu clarto,as deixei sosinhas para esse tempo.Com o deleite os pensamentos corriam meu coração,um leve arquear de sobranselha ao lembra da tal
Sofia.

-Aonde será que ela se encontra neste momento?

Veio uma batida na porta,Ana Nery abriu e se despediu,disse que já ia embora,resolveu tudo que tinha que resolver;ela ao contrario de Sofia erá mais expontanea e sem aqueles
modos depressivos,tipica ao seu modo e já virava o corredor com Xinran para finalmente sair do apartamento.Minha mãe ficou me olhando e eu sem entender nada do que seus
olhos queriam dizer.

Um leve apertar das mãos nos ombros e vi que a noite caia forte;o mar encoberto pela Lua,a visão da Orla De Copacabana e magistral em todos os aspectos que se possa ver.
Quis dormir para que o dia seguinte viesse;queria ver como tudo ocorreria no Museu que tanto nos esperava.Quando comesei a dormir forte os sonhos vieram;sonhei com minha
Sofia me chamando de volta.

Sua visão na mente erá perfeita e realista;nunca esqueceria sua pessoa nem que os anos e milenios passasem.Essa tornou-se a mais pura verdade,acordei suado com os
sonhos,estava nervoso por que nunca tinha tido sonhos tão relistas como acontesceu.Xinran me chamou para um café de frutas.Desci a escada principal e vi a mesa,o sono
ainda me tomava quando sentei a mesa;ela me fitava sem entender o meu estado.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 53

Mensagem  Ana Nery em Qua 16 Jun - 20:10:39

Não queria que ela soube-se que jamais esqueria Sofia;indepedênte de tudo ela jamais iria saber de como a alma continuava estraçalhada.Estava de pé descalços e só de calça jeans
negra,tinha apenas tirado minha camisa e a deixado largada na proltona do clarto quando cai no sono;estava inrritado com isso;me considerei um esquecido.Nem um comentário veio
dos seus lábios naquela observação;mesmo assim me perguntou se estava pertubado com algo e nada mencionei.

Agora ela partia algumas frutas para comer;fázia o mesmo colocando junto um belo copo de leite doce;sempre gostava dele bem gelado.Mesmo sem meu pai ou mãe cometando o
que se passava nesses anos acho e sempre tive certeza que eles sabiam sim;e como falei:Meu olhar tinha mudado desde a partida da Sofia;daquele brilho a plena cor opava do mel.
Quando um coração humano muda ou sofre algo a mente se transforma;ela citava algo em apreciação a esse detalhe de mim.

-Não sei o que se passa ai dentro de você Tompei;mas tenho soudades de ver aquele belo menino alegre que sempre foi.

-Cale-se;não tenho que dar justiticativas.E algo que prefiro glarda para mim se e que se importa mãe.

-Que seja como quizer;não me meterei em algo que não deseja.Se prefere que fique só para você faça-o;não comentarei mais
nada sobre esse assunto.

Resposta dolorosa;ela me revidou nesse nivel;fiquei calado em pensamento enquanto ia terminando de me deleitar com aquelas frutas.Agora ia pegar apenas uma blusa leve de
cor negra junto as botas curtas,estava chateado pelas palavras dela.Jamais pensaria que Xinran revidaria de tal forma a mim.Algumas gotas de lágrimas queriam cair mais não o
permiti.

Esperança;nada mais que isso Marius;depóis disso começamos a pequena viagem ao museu;quando o nosso carro parou em frente tinha muitas pessoas;lotado com curio-
sos e a linda Ana Nery nos esperava na entrada.Quando nos viu pediu aos glardas que nos trouxesem a ela.Imensa escadária para subirmos,a faixada do museu toda deco-
rada com vermelho e dourado.

-Finalmente chegaram;estava anciosa pela presença de vocês,vamos entrar por que o dia vai ser longo;acho que viram o quanto de pessoas tem áqui.

-Imagino;realmente divino trazer algo da atiguidade linda Ana.

-Obrigada Xinran,apenas sintan-se em cada !

-Meigo de sua parte.

Ela ficou no nosso méio,deixou os braços abrirem para deixar as mãos cairem sobre nossos ombros em alegria pela conquista;estava feliz pela curiosidade das pessoas que
já entrava;a visão da exposição tão magica;todo tipo de porcelana e arquiterura Chinesa presente e devidamente organizado pela minha mãe e por ela.Mesmo jovem Ana Nery
coma mente avida de conhecimento e descoberta.

As vidraçarias iluminadas junto aos conhecedores de tal arte milenar;não contive os risos enquanto me mantinha ao lado das duas;mulheres andando por todos os cantos
com seus maridos ou namorados;jovens estudantes que tiraram seu tempo de vinda ao museu quando souberam que à arte Chinesa estava presente;silêncioso com o
brilho de Xinran sendo fuzilada pelos curiosos que queriam saber quem erá o responsável por tudo.

Eu sabia que minha familia era importante na conservação da arte chinesa mais não a tal nivel Marius,isso que me vinha a mente quando vi colecionadores etoarem elogios a
ela;nada com que comentar;abismado por tudo;estava comendo um sanduiche de salada quando Ana Nery me ofereceu algo para beber;aceitei imediatamente por que estava com
muita cede.

-Fica tranquilo,és muito calado garoto.

-Hum?Por quê me fala isso?

-Por nada;mais agradesça ao que seus pais realmente são.Agora acho que tem noção,não e Tompei?

-Sim,absolutamente,sim.

-Ótimo ! Me deixa feliz por isso !,admiro esse risinho delicioso.

Xinran agora andava com as pessoas;queria se certificar de que tudo andava correndo bem;estava feliz com as pessoas;passeava meus olhos por todos os cantos do lugar que
estava sendo iluminado por um belo lustre central;tudo ficaria por dois meses,isso que a Ana Nery comentou em seu deleite.

-Nossa,tudo isso?

-Sim,mais tudo sera devidamente devolvido a sua familia.Xinran sabe disso perfeitamente Tompei.

Divina;agora sim via algo de diferente na sua pessoa;esbelta,delicada e objetiva,foi a unica fez que estive com ela;depóis disso nunca mais até Lestat aparecer no meu Templo
naquela época Marius;quando chegou a noite simplesmente nos despedimos da bela que não queria ir embora;Xinran estava muito agradescida por tudo.Ana Nery fez com que a
tivessem rebido de forma calorosa;as pessoas desciam a escadária em comentários a tudo;os sussuros emanando;a cor de cabela tinha ótima pronúncia em linguagens e lá ia
voltando ao museu quando entramos no carro;fiquei olhando lá de dentro sua figura ao voltar seu olhar aos céus.

Lindo vestido curto junto as botas vermelhas;ela ama o vermelho até os dias atuais,os olhos delineados naquela limpida linha negra;divina roupa que vestiu naquele dia magistral.
Tive certeza que ela soube algo de mim naquela observação e levei os dedos ao vidro no delírio,figura de uma anciã,sim;descobri áli que ela clardava segredos,me deliciei na desco-
berta que glardei para mim mesmo e o carro partiu para depois chegarmos no Hotel.

Já erá o momento de ir embora,as malas devidamente arrumadas quando saimos ao aeroporto novamente no carro,as luzes da cidade iluminando todo caminho,chegamos em
Hong Kong depois de horas de voo,tive que pegar mais uma viagem até minha casa e ela,minha mãe iria para seu templo.Depois que cheguei no Templo meu pai me esperava,a
limosine parou em frente para eu ter sua visão no portão.

-Fianalmente Tompei está em casa filhote.

-De nada,fico elongiado velhote.

Agora Kenjing vinha em correria;comentava que tinha parecido uma eternidade minha volta.Comentei de como tudo tinha sido aos dois já sentados sobre as almofavas no salão,a
tarde estava fresca,mesmo tendo passado poucos dias longê as soudades de casa eram ao acaso fortes.Houviam atentamente enquanto bebiam saque;logico que não pude deixar de
comentar da Ana Nery que meu pai ficou morto de curiosidade por ela.

-Como e que e?Uma jovem com tamanho requinte? E o fim do mundo.

-Ela organizou tudo;e divina.

-Por Buda,fim dos tempos nessa juventude.

-Que nada,ela e respeitavel diante de tudo que é...

Kenjing soltava suas gargalhadas comentado de minha indole com ela,face corada em pensamento;perguntou de tinha gostado dela;segredo;segredo e claro.Levei as mãos aos
fios densos que caiam nos ombros e me levantei;vi que Xinhua viera novamente me ver quando soube da viagem.Ela estava no meu clarto dormindo guando entrei,encima da
cama naquela paz.

Me sentei ao lado e acordei;os braços esticando para cima para delirar com aqueles olhos azuis,beijos e mais beijos naquele rosto apresciado por mim;me deu sermão pela demora.
Realmente ela estava sonolenta e fiquei com ela descansando.Pequenos e finos braços a me envolver;doce perfume de flores naqueles cabelos.

Dormimos até o dia seguinte;horas e mais horas naquele sono gostoso de se ter,sonhos com tudo que acontesceu;Ana me véio a mente em seu mistério naquela visão da esca-
dária do Museu.Divina;anciava por revela novamente mais e o que não acontesceu até aquele dia Marius.Lindos cabelos negros de trevas que nunca ia me esquecer na vida;
ela se resume a isso em minhã memória.A manha perfumada nasceu,quando fui a varanda Corujas a fazer seus ninhos na borda;Xinhua ainda dormia.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 54

Mensagem  Ana Nery em Qua 16 Jun - 20:19:59

Senti ela me abraçar por detraz ao acorda naquela incrime observação;aguns doces beijos no rosto ao descermos.Kenjing não nos chamou,estranhei a ausência dele quanto a nos dois
naquele Salão;saimos a procura-lo em todos os comodos do Templo para que pudesemos saber o que estava se passando;vasculhamos o clarto do meu pai,cozinha,salão de jantar e
cjegamos ao Jardim e nada.Xinhua em delirio pelo acontescimento;pelo que vimos nos dois estavamos sozinhos no lugar.

Houvimos alguns critos das criadas etoarem a nos chamar o que nos fez correr em sua direção;agora sim soubemos o que acontesceu;meu pai estava tendo um ataque na gladra e
prescisava de ajuda;infelizmente Kenjing tinha sáido em correria ao encontro de alguma e dolorosa compra de remédios;não ia adiantar pelo que eu estava suponto e caminhamos a
aonde ele estava;o vi jasendo no chão em critos de dor;seus olhos muito opacos e enublados pelo poder explodindo.

-Chegada a hora,e o que vejo Kaniban.

-Não Tompei,não quero ir,por favor faça com que isso não acontesça !

Me sentei ao seu lado para poder lhe dar apoio no corpo;senti e vi que as véias explodiam com a emanação,não iria suporta por muito tempo,ele sussurava ajuda á alguêm,queria a
presença de Xinran,estava em lágrimas por áquilo por que não podéria fazer nada em seu pedido de ajuda a não ser ficar ao seu lado;Xinhua saiu correndo a procura de água fresca
e ataduras devido aos ferimentos.Ele dava muitas golfadas de sanguê;os dedos a delizar ao rosto agonizante.

-Espero que mantenha a calma,aquente firme até passar,pode conseguir novamente pai.

-Não,dessa vez não,não discuta comigo e por vamos me ajuda !

-No que devo ajudar?Duas vezes e não terá direito a proxima pai.

Não conseguia mais falar mas pelo olhar entendera o que citava a ele;as mãos agarradas aos meus ombros quando o sobrepuz a mim.A presença do pai das almas erá forte e o vi
pela primeira vez,os olhos verdes como cor de folha junto aos avidos cabelos castalhos,na aparição em Rosas e Sanguê citadas por Lestat Buda pelo que vi usou uma falsa aparência.
Agora a imagem estava mais forte em minha apresciação e visão;nunca iria esquecer o que ele citava ao meu pai em sua avida mente,os dedos passeando pelos braços de Kaniban.

'Jamais um filho meu deve ter medo da morte Kaniban,únicamente vira em meu pedido de ajuda e sem temor ao destino'

As cores da aparição bem aplicadas junto a bela Túnica Branca de Buda,sem palavras ou menções de minha boca;fiquei boquiaberto pela coragem do pai das almas em ter vindo ao
encontro dele.Seus olhos viraram para me fitar em seu silêncio;mantive-me quieto junto a meu pai agonizando;agora Kenjing corria pela cladra em critária a ele,quando viu Buda ao
meu lado ai sim quase desmaiou,me fazendo seguralo.

Kenjing se ajoelhava diante de Buda já de pé,tinha tanto poder que sua aparição erá real a ponto de realmente ser quase humano;os seus dedos vieram ao meu rosto para que o
ajuda-se nessa vinda de Kaniban,se Buda perde-se o direito a alma dele ai sim a guerra comigo iria ser desencadeada.

-Por favor,deixeno conosco Buda,ele não merece ser levado de quem tanto ama !

'O equilibrio deve ser mantido Tompei;agora pegue uma adaga e conclua a morte do seu pai se não perderei a alma dele'

-Jamais !

Agora tambem me ajoelhava diante dele em desespeto,a Túnica tão bela a cair até o doce chão a qual ele andava para poder me segurar,novamete me pedia para realizar o que me
pedia e reneguei quantas vezes possível,ele não podéria fazelo por que as mãos que constroe a alma não deve desfaze-la,sua face estava irada,deu para ver quando voltei o olhar a
ele.

Entendia minhas lácrimas;mesmo assim esperava ancioso a realização do ato em si;nosso Kenjing sem ação perante o pai das almas,não podéria desobedescer a suas ordens,o meu
choro corria pelo chão já molhado de lácrimas,meu pai se contorsia em agonia,Buda estava ao lado dele a sussurar algumas canções;sua voz erá apasiguadora,minha alma houvia em
plena paz,senti que o Pai Das Almas hávia morrido muito jovem a tantos milenios,aparentava 25 anos de juventude,o brilho dos cabelos castalhos erá como delirio e uma droga que
nos provoca prazer.

'kaniban cale-se e fiquei calmo;não vai doer nada,espero sua vinda para manter o meu equilibrio por que não admitirei que o Demônio e Deus se apossem das minhas almas ao
qual tenho pleno direito'

Ele conseguiu mesmo naquele tempo segurar a Adaga para deixa-la em cima da mesa a qual sempre o chamei;agora fazia um gesto lá em pé a me chamar.Seus olhos verdes e
complascentes estavam magoados e mesmo assim pedira que o fizesse.Uma ordem do Pai e criador das Almas,devéria desobedescer?Jamais e claro e me virei em direção a
Kaniban já nos braços de Kenjing.

Aranquei meu pai do leito dele para largalo no chão,pedi desculpa por tudo mais Buda ainda esperava de Pé ao lado da mesa em observação,a adaga estava sendo enfiava
no seu torax,morria aos poucos para já não ter mais vida;sem dor ou angustia ele se esvaiu,Kenjing agora entrava em desespero ao puxar seus cabelos,me mantinha em
prantos deitado em cima do corpo dele.

'Está feito,que seja mantido o equilibrio da vida'

Se foi,Buda desapareceu para nos deixar sozinhos,soltava mil palavras maldição a ele pelo que me obrigara a fazer,Xinhua agora descia a escadaria com jarro dagua e
panos nas mãos,deixou cair quando viu o corpo de Kaniban junto a mim;véio os seus gritos nos braços de Kenjing,agora sim deveria me preucupar com ela e caminhava
para segurala.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 55

Mensagem  Ana Nery em Sex 18 Jun - 11:03:58

Não consigo descrever como Xinhua se debatia nos meus braços,suas unhas arranhavam a pele,suas lácrimas caindo sobre meu ombro;almadiçoava a todos.Kenjing fora fechar os
olhos de Kaniban para ir em sua plenitude;sem vida e sem movimentos;um corpo se não passava disso em minhã opinião,o vento viera gélido.Agora eu junto a minhã irmã carre-
gavamos o corpo para enterralo em algum lugar,Xinran iria saber sim de tudo,ela sentiria dor perante todos os acontecimentos.

Kenjing trazia uma pá enquanto caminhavamos sobre a ponrte,séria na pequena floresta de folhagem densa que enterrariamos Kaniban,as corujas gruiam em nosso houvidos na
escavação da Tumba dele,Xinhua ainda jasia em prantos agarrada ao corpo,me sentia frio fazendo áquilo com Kenjing,não me sentia eu mesmo enquanto me mantivese áli.

-Tompei chore,se quizer fazelo faça-o,Buda jamais o mandária fazer algo que não fosse importante,Kaniban ajudara ele a manter o equilibro,nada mais que isso.

-Nada a comentar,deixo a dor me corroe por dentro Kenjing;ao que vi Buda morreu muito Jovem,em seu pleno prazer de sexo e juventude,não e?

-Está correto.

A cova ia tomando sua forma enquanto mantiamos o ritmo da escavação,Xinhua agora pegava uma longa manta Negra para enrolar o corpo do nosso pai,a profundidade da Cova
erá grande,concluimos a escavação depóis de arduas horas.Estava feito ao jogarmos meu pai,o poderoso Kaniban lá dentro,a Terra humida caia sobre ele encobrindo tudo,Xinhua e
claro mantinha-se imovel.

Levava uma vez ou outra suas mãos ao rosto,nada mais que dois gravetos para formar uma pequena gruze em marcação a Tumba de Kainiban,fora enterrado em sua terra de
amor,ele desejária isso,ser enterrado sobre o chão de sua casa.Saimos em silêncio para que jamais pudesemos voltar lá,a visão da guadra ao se abrir naquelas folhagens foi o
meu alivio que desejava,tomei um banho no meu banheiro,queria ser limpo de tudo isso.

-E assim que a vida termina,espero que esteja bem pai.

Já estava na varanda quando pronunciei essas palavras,Kenjing e Xinhua entrava no quarto para me ver;meu choro erá por dentro e não por fora;nunca iria permitir me ver
chorar por alguêm como acontesceu com Sofia,isso que Xinhua percebera no meu olhar ao fazer um meigo aseno de cabeça,entendia o por que da frieza.

Disse que Xinran estava sabendo de tudo já,graças que correpodências chegavam rápido junto a comunicação.Nossa mãe estava magoada e jamais saberiamos como realmente seu
coração reagiria a morte de seu Marido.Há coisas e segredos que devem ser mantidos para que tudo se mantenha em seu rumo,foi isso que Kenjing respondeu em meu silêncio.

As mãos passearam sobre meus braços para vir o pedido de perdão;ele não tinha com que se preocupar,tinha convicção de que o destino ágia por si só.O pai das almas jamais iria ter
paciência de aturar uma desobediência a suas ordens.Nunca a imagem de Buda desaparece da mente facil,ele ao meu ver fora sim um ser acima de qualquer um,beleza descomubal ao
delírio da vida.

Que Xinhua chorase em meus braços a noite toda;por uma única e primeira vez tive a doce aldásia de agarra-la em meu leito para beijar aqueles lábios,um beijo frio que jamais iria ao
fim.Kenjing saiu para concluir algumas documentações da morte de Kaniban e agora sim ela chorou de verdade,seus braços entralaçando meus ombros.

Ficamos a noite toda lá,o tempo correu rápido naquilo tudo,mantive meu eco firme para ela jamais ficar preucupada comigo,prescisaria de mim,sempre prescisaria de minhas asas de
proteção para sobreviver,Xinhua e tão delicada que anseia por proteção.Não iria negar sua proteção,aquela Rosa que esvaise em meu leito e não a extranhos,sabe por quê Marius?Eu
sou e sempre serei seu pai e irmão.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 56

Mensagem  Ana Nery em Sex 18 Jun - 11:09:54

Passaram seis meses depóis disso;Xinran aos poucos se conformava com o acontescido e a documentação da morte de Kaniban foi liberada rápido conforme ela mesma pedira aos
seus responsáveis.A faculdade estava indo muito bem,iria concluila rápido como eu iria planejar aos poucos,Xinhua estava ao meu lado sentada na mesa de Jantar naquela noite fria e sem vida.
Os espectros que procurava não apareciam para me traze muitas das informações quanto ao que Buda podéria fazer.

Comentava o guão achei o pai das almas belo,Xinran em observação vestida naquele lindo vestido negro,todos os detalhes do fio acima dos ombros me fascinavam,estava comendo o
bolo que tanto pediu as criadas;comentando sobre meus treinamentos,eles sempre tiveram o ritmo forte;Kenjing nunca fascilitou só por causa da auséncia de Kaniban;conformidade na
vida Marius para que tudo volta-se ao normal com os dias.

O que andava conhecendo sobre a evolução do mundo estava me fazendo encher-me da mais avida cede de mais e mais aprimoramento sobre os assuntos,sempre nessa questão
eu passava horas na Bíblioteca.Gostava de me manter junto as duas,mas mantinha meu segredo de que sempre estava sendo pertubado por algo de maior maghitude,não quis o
comentário;se Xinhua soube-se iria querer entrar a fundo no assunto,agora direcionava os
olhos para mim.

-Tompei espero que continue firme suas virtudes;não que vá ser além do que esperamos,mas ancéia por algo?

-Por enquanto não mãe,ando esperando algumas respostas desde a morte de kaniban e o aparecimento de Buda.

-Como o viu?Como o Pai Das Almas reagiu a tudo isso?

-Pediu o que desejava,mais nada que isso e não levantou um dedo sequer contra eu ou Xinhua junto ao Kenjing.Seus olhos da cor de folha verde me asombram ao lembrar.

Kenjing me fuzilava segundo os meus comentários a Xinran,minhã irmã não queria sair do meu lado;nunca iria suporta lembra de tudo que presenciou.Estava com soudades do
meu pai,o que andava me pertubando rondava todos os cantos do Templo,depóis do meu jantar decidir descer a Gladra para que meus pensamentos fossem embora,pedi licença
e apois minutos estava no méio das Túlipas Negras sentado sobre as pedras que sempre mantinham-se em volta delas.

A Lua sempre forte em seu leito de sofrimento na mágia eterna que proporcionava a todos nos.O que me rondava se aproveitou desse momento sozinho,senti a presão da
mão nas costas para me fazer cair na água,estava afogando com ela sobre meu corpo.Me puxava para o fundo do imenso Lago.A água se movia forte em minha volta,estava
ficando enraivecido pela atitude.

Consegui direcionar as mãos ao pescoço da coisa a me bater lá dentro,já sentia a Terra sobre meus pés,estava de pé lá embaixo me debatendo,minhã respiração ofegante e sem
ar.Não via nem um formato,só a força descomunal,tirei minhã túnica vermelha e a deixei subir a superficie,ficária mais livre.Joguêi meu peso com toda força e estava solto,tomei
uma boa quantidade de ar naquele impase,enquanto nadava movia meus olhos ao ver o meu redor,estava chegando na borda quando fui jogado sobre a Terra humida,o brilho ao
acaso sobre as Túlipas Negras.

-Miserável !,por que não aparece ao invez de se manter nessa covardia !

'Traidor,um tremendo corvarde ao ter obedescido a ele Tompei !'

Reconheci a voz,tentei voltar a me levantar e cair novamente;as forças escasas devido a luta recente,via o pequeno formato da neblina pairar acima de meu corpo.Estava sendo
atordoado pelo meu pa.Me chamava de traidor e não admitia isso,o que tinha feito de errado? Absolutamente nada,o que me fez cair na pancádaria com ele ao ver sua figura sobre a
ponte.Se tem uma coisa que odiava ser chamado isso sim erá de traidor.

-Me chame de outra coisa menos disso Kaniban !

Os tapas que levava na cara eram fortes a ponto de sentir alguns estalos no meu rosto em dor constante,ele da sua imagem virou pura neblina que mau consegui tocar,ficou no
jogo por longas jogas,não desejava ter morrido,o que me foi obrigadoa fazelo naquela e ardua situação.Prescisava d
e ajuda,os meus critos estava fortes para que muitos ouvissem no vento.

Queria ficar em paz,estava definhando quando vi Kenjing me puxar sobre ele,o alivio foi imediato,suas mãos passeando por meus braços aranhados e me perguntava o que tinha
acontescido.Agora depóis de minutos ele via o que presentiu,envão por que tivemos que sair correndo para o Templo.Critavamos pela Xinran que já estava sentada naquela linda
proltona.

Meu estado erá deploravel quando se levantou para analizar minhas vestes rasgadas.Ao menos tinha esperança que ela resolve-se a situação por que a casa estava sendo
destruida ao ter que me abaixar quando o vento correu tão forte que as portas e os vidros estouraram na força.Cai por cima dela que se mantinha bem escondida sobre
meu corpo.Odiaria ter que fazer isso mas que tudo.


Última edição por Ana Nery em Dom 2 Jan - 17:12:59, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 57

Mensagem  Ana Nery em Sex 18 Jun - 11:18:27

Ao acaso a presença foi embora,Xinran apenas pedia em sussuros para que algo o leva-se embora,parou.Agora aos poucos me sentia mais tranquilo,não sábia que mesmo apôs a sua
morte meu pai mantinha uma força descomunal,Buda o levou,gostava da superiodade do Pai das almas.Dava alguns passos pesados sobre os cacos de vidro,meus olhos ardiam para que Xinran
os limpa-se com um lenço.Xinhua vinha em nossa direção,ficara o tempo todo dentro de um armário no meu quarto.

Os tremores emanavam a tal ponto que tive que me sentar no imenso Sofá para que eu volta-se a mim;que os risos viessem devido a sobrevivência,nunca mais isso acontesceu
desde esse dia,não sei como Kaniban em Rosas e Sanguê enganou a mim e ao Louis nos seus ataques,único momento em que Buda realmente estece presente foi quando Nicolas
venho a vida,antes disso realmente nem um vestigio dele.

Aprendi a nunca menosprezar a força de um ancião como Kaniban,se tivesse feito na devida situação teria morrido,os beijos de Xinran vinham ao rosto em deleite de meu
descanso,alguma humidade no tombo do Lago,subi ao clarto para me secar,a noite ia longe.Sempre que estavamos correndo contra algo o tempo fica escaso para que nos
saibamos controlar a si mesmos.Xinhua intacta,inveja dela nesse quesito.Seus risos de descaso me fizeram mandala ao inferno,odiava essa qualidade que ela tinha.

-Cala-se,rir da desgraça das pessoas.

-Nada Tompei,esperava por isso;uma pessoa que e forçada a morrer nunca fica em sua plena paz.

-Sei que sim mas a esse nivel e de definhar.

A cor latente azulaca dos seus olhos ficaram mais forte,queria sair em fuga diante de Xinhua,os anos passaram depóis disso,nada melhor do que toda uma conclução dos es-
estudos,estava ajudando Xinran em algumas coisas em sua conservação,séria com ela sim que desenvolvéria toda prática que quéria aprimorar.Meus 21 anos estavam sendo
trabalhoso por que andava muito ocupado e sem tempo livre,em alguns dias quem sabe não prescisária ir em alguma viagem.

-Querido Tompei espero que consiga reformular todos os arquivos quanto as dinastias progenitoras da Província.

-O que?Mãe isso e impossivel,compreende?São milhares de anos ate finalmente eu poder chegar lá.

-Não e impossível,apenas repasse os arquivos,irei transparecer algumas artes de porcelanas e Gladros lá em cima.

Ao menos ela estava mais presente em nossa companhia,foram quase oito meses até poder terminar tudo,quando ela entrou pelo salão e viu as escrituras caiu para traz,seu
riso emanando com tudo,Kenjing apenas reabrindo,estava curioso para saber de tudo,o museu de Hong Kong esperava todo matérial,claro que não iria deixar passar em branco
meu nome lá.

Erá merecedor de um crédito por ter feito o que fiz,apôs ela voltar da entrega das suas escrituras recem-contruidas me citou seus parabens,nada a comentar,sempre andava a
fazer esse tipo de trabalho desde que terminara a faculdade,estava até acustomado com tudo.Se tornou uma coisa normal do dia a dia para que me desse animo,realmente o amor
pela História e suas escrituras tinham ido álem do que ansiava.

Acho que Lestat e seus companheiros nunca imaginariam o que realmente erá,não sabem como e gostosto pegar as mãos e por em trabalho para que um material destruído volte a
vida diante de sua força e coragem,tentem fazer isso e realmente sentirão a gratificação da vitória que procuram.De certo modo esse foi o termino de uma face e claro,meus treinos no
alge,isso foi quando descidi ir com Kenjing ao salão ritualistico,ele não citou nada do que o dia do amanha me quardava.

-Queito Tompei,sabe controlar almas?Imagina isso?

-Em impote-se alguma..

-E o último de todos ensinamentos,não será fácil.

Dito e feito,suas palavras realmente estavam certas,acordei totalmente preparado para o que descobriria.Procurei vestes muito simples,amava sempre vestir sapatinhas negras com
calças tão leves,depóis disso desci devagar,Xinhua e Xinran não estavam presentes no meu Templo,revisão das reliquias que eu mesmo reconstruir e que ainda mantinham-se lá em
Hong Kong.

-Tompei?Rápido se não perdera a change.

Quando sair de visão a gladra desejei desistir,controlar almas e espiritos,silêncioso a ver tudo;descaradamente Kenjing tinha mandado uma alma ficar imovél,ela não tinja forma
para que eu segura-se ela,sim,para controlar tinha que tocar,algo que nunca fiz desde o início de tudo.Meus olhos de mel passeando por toda extensão da alma intacta,se eu iria
controlar essas almas e que quando desdeja-se usaria elas para me ajudar.

-Tompei?Tente tocar nela como um humano,diga seu pensamento de ordem para que as almas entendam o que prescisam fazer,só o futuro Julgador da Vida e Morte tem
tal capazidade,se não o conseguir e que não está preparado.

-Jogo complicado mas verei no que conseguirei Kenjing.


Foi o início de um longo dia,ele a soltou para que pudese tentar,toda vez que tentava o mero toque ela se desmanchava em sombra e neblina e depóis voltava a forma anterior.
Como estava puto da vida por essas tentativas uniteis,me sentei no chão em pensamento analogico,se ela erá sombra e neblina o que fária com que a toca-se séria puramente o
pensamento,nada mais que isso.

Nada a fária com que a tocasem,o toque que Kenjing estária citando só poderia ser o pensamento;tinha que falar com ela,iria ver aonde chegaria com essa minhã hipote-se
de louco.Estava centrado,apenas houvir o barulho do vento nos houvidos,entrei no seu coração.O choque foi imediato,o que estava a minha frente erá um espelho de mim que
entroude forma avassaladora no meu corpo.

-Tompei agora sim quem sabe o novo Julgador da Vida e Morte não renascer.

Filho fa mãe,mentiu para mim,fiquei parado a suportar áquilo,ele me carregava para um lugar escuro lá dentro da densa floresta,como meu corpo doia,o sanguê fervia por dentro
a romper muitas véias,exatamente como meu pai.Chingava deus e o mundo em nome de Buda.O Novo Julgador da Vida e Morte,teria que ser eu?

Fui jogado dentro de um porão subterraneo,ele trancou a tampa imensa,o porão fora construído terra adentro,sua dimensão enorme,o sangue escorria dos meus braços e
por todo lugar,batia minha cabeça inumeras vezes contra a parede de puro mármore.A testa estava ferida com isso,meus cabelos sujos.

Vi por um vislumbre de pensamento que enquanto eu dormia Kenjing tinha tirado uma parte de mim e transpos para que eu me reencontrase de forma diferente,nada com que
os gritos me fizesem parar,a dor corria pelos ossos e carne.

' Terá que se reencontrar Tompei,únicamente todo Julgador que a glal ancéio tem que renascer de forma diferente'

Foram dias lá,essa frase que Buda citava em minha mente não saia da memória,a fome me corria aos poucos,sem sol ou água.Calabolso,agora sim dava esse nome
ao lugar,em nem um momento a dor passou,estava separado de alguma forma de algo meu e que tinha que me unir novamente a esse ego perdido.Quantas vezes eu
sangrei?Inumeras.

Tudo descordenado para que eu seca-se,tinha sangrado tanto que quase não restava nem uma gota,muitas vezes tentei subir contra a tampa fechada lá em cima e
os tombos descomunais.O silêncio no dia seguinte me fez repensar em toda minha vida,tinha que descobrir o que tinha perdido se não iria definhar.

Minhã visão estava diferente,quando eu desejava via tantas almas a minha volta que tinha que dormi para que não me assusta-se.Elas conversavam comigo em
seus segredos,erá como um fogo ardendo no meu carma,não no corpo e sim no carma.

'Olhe-se por um minuto Tompei ai sim tudo terminara e meu julgador estará pronto'

-Pode me matar e disser que tudo foi envão !

Foi meu último crito antes de desmaiar,a imagem foi muito nitida de minha própria visão,um espelho perfeito do quanto tinha mudado.Quando acordei o Kenjing estava
lá em cima me esperando,algo diferente sentia a respeito de tudo,sentia o quão o ser humano merecia queimar nas chamas.

Nada como um bom mergulho me fizesse revigorado,passei alguns minutos,o único problema e que o contexto do aprimoramento tinha mudado,conseguia fazer tudo o
que desejava muito mais facil e sem força nem uma,quietude a subir para meu quarto me esperando,me deitei sobre aqueles travesseiros,estava falando com almas o que
me causava muita dor ainda,renascido de uma forma fiderente,porém,o mesmo.


Última edição por Ana Nery em Dom 2 Jan - 17:12:34, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 58

Mensagem  Ana Nery em Sex 18 Jun - 11:24:18

Senti o toque dos dedos de minhã mãe tetando me acordar,ela estava por dentro do que havia passado,pediu para que me arruma-se e descese,foi o que fiz mesmo com toda a dor
latente no corpo,pedi para ficar sozinho.Me dei conta de que estava totalmente despido o que me fez procurar uma roupa imediatamente;mas vi o vislumbre de minha imagem no
espelho da parede,vi pela primeira vez o quanto minha compleixão tinha mudado.Meus fios dos cabelos estavam brilhosos junto a sua queda sobre as costas e chegando a cintura bem
delineada.

-Estou realmente morrendo por dentro,gostária de jamais ter me tornado isso.O que Buda quer realmente de mim ?

Passei os olhos por meus braços chegando até meu torax que realmente erá bastante reto ao nivel de não ter nem um tipo de marcação de sobrepeso.Imaginei perfeitamente o meu
perfil,analizei a delineação dos olhos levemente puxados junto a cor do mel dos olhos,eles tinham ficado um pouco mais claro,mesmo assim a cor estava lá para nunca mais sair.Eu vi
a manta negra que desejei vestir,tão fina que o tescido me caiu como vento ao corpo.Não tinha a menor noção do que aguardava agora.

Coloquei as sadálias macias escuras para descer,claro que tive que desembaraçar meus densos cabelos que estavam enlinhados,me sentia esmurecido em todos os sentidos que
possam imaginar,meu sanguê ainda estava fervendo por dentro do meu corpo.Erá o poder sim ardendo por todos os cantos,meu ego estava no algê perante isso,quando descia a alta
escada deixei as mãos passearem pelo corri-mão,pensei que o sanguê de um Deus ardia ao acaso,mais não foi assim comigo;iria perguntar a Xinran sobre isso.

Gostei de me deleitar setando na proltona que me acolheu muito bem,as mãos apoiadas no apoiador,meus pés tocando deliciosamente o chão,o brilho da Lua entrava por todo o
salão iluminando a longa manta que eu vestida,a ceda erá deliciosa;o negro se tornou a minha cor oficial desde esse momento,tudo em mim,todos os meus conceitos estavam a
ponto de quebrar,o que acontesceu quando senti algumas fisgadas do sanguê ainda em sua ardência ferrenha.A figura inlustre de Xinran entrou para sentar sobre as almogadas.

-Tompei pensei que não iria conseguir e realmente estava errada.

-O que lhe leva a configurar essa indolé mãe?

-Digo que estava preucupada o por que do poder em si não tinha vindo a tona durante a longa caminhada,mas venho nessa provação.Agora conseguê sentir ele correndo canda
célula que tem?Cada pedaço de suas véias?

Agora consegue ter noção do que e ter uma ponta do poder do Pai Das Almas dentro de você?

Estava furioso mais me contive;não ousária nunca em minha vida levantar a mão a ela ou a qualquer mulher que sempre chega-se a amar.Os cabelos escuros de Xinran soltos
ao ombro para sua beleza ser realçada.Levei os dedos unidos em alguns estados na sua dor.Iria demorar dias para que eu me recupera-se,nunca a vi tão preucupada com tudo
que sentia,de algum modo mesmo não demonstrando sentia falta de Kaniban que e ao acaso não detinha tal direito.

-Não fique pesando filhote que foi facil suportar o lugar sendo dado a alguém.Não pense que eu gostei de ver Kaniban ter que ceder seus direitos à uma pessoa.

Eu tinha feito uma promessa a ela diante de sua situação de ida gradual,a de que se um dia ele tivesse que sair do seu meigo trono de Julgados,essa pessoa que iria
ter seu lugar,essa sim séria o filho dele..Nunca eu iria admitir esse lugar sendo dado a uma pessoa de fora.

-Discordo;muitas pessoas tériam capazidade para fazelo,tive que descarta muitas coisas que amei,muita coisa coisa em minhã pessoa mudou e sinceramente nunca mais serei o
mesmo.

Nada com que ela se preucupar,de certo modo concordava com ela,não tive ação ou movimento quando ela se levantou e véio em minhã direção,sempre admirei seus beijos
no rosto,doces como leite.Agora ela me disse um obrigado por tudo,por toda disciplina dada.Quando meus olhos voltaram-se lá para fora vi várias almas adando pelo Jardim.
Agora cito Marius que esse iria ser meu tormento.

Os caláfrios me tomaram,Xinran ao menos me confortava nesse percepção,paciência que deveria ter para que elas aceitasem seu novo Juldador,mãe me disse que elas iriam
tentar me atormentar,isso por que sabiam quem agora sária a sua procura,não téria que sair de meu leito para extrasalhar as maléficas,elas viariam até mim.

-Calma Tompei,isso com o tempo aprendera a lhe dar com elas.

Estava enloquecendo com toda visão,os espectros em movimento,saiam das arvores,da imensa muralha para cair ao lado da pedra.Uma leve coloração enublada de pura neblina.
Era assim que elas erám formadas,me levantei para comer algo,única coisa que pedia em meu coração e que elas não viesem falar comigo.Xinran me seguil e encontrei Xinhua lá
dentro a nossa espera.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 59

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 10:03:28

Amei quando Kenjing quis vir ao meu encontro;desculpe mas ostento que ele já carregava as marcas da idade como Lestat citou no seu livro maléfico,tinha me esquecido de dizer o
quanto os cabelos tornaran-se brancos,estava satisfeito ao que vi.Tinha acabado sua ardua missão e perguntei se ele iria embora.Ficou silêncioso em observação a XInhua e Xinran ao
acaso.As duas esperavam sua resposta a mim;passeava meus dedos pela mesa naquele incrime olhar.

Kenjing estava pensativo na descisão,mesmo triste falou que a misão já tinha sido sido completada,não tinha mais nada a fazer,afinal como disse o o Julgador que tando esperava
nascer está presente,minhã pessoa logicamente.Fiquei puto com suas mãos e não aguentei.A mão bateu na mesa para que ele entendese minhã situação.

-Kenjing acha que conseguirei fazer isso sozinho?Não compreende que minhã alma está em pedaços a anos diante da perda de Sofia e a ida do meu pai?

-Mais Senhor Tompei,e que,e que tudo está terminado..

-Vai para o inferno !;não me chame de senhor até está em sua razão.Não me foi facil ter que matar meu pai por isso,sabe..Estou decaindo aos anos;não pensem que to bem por dentro,
afinal,o fardo e grande.

Não entendi o silêncio dele,sua pessoa sabia que prescisava de suas palavras mais não percebia que nisso tudo estava sozinho.Kaniban tinha tido todo apóio do mundo,mas eu?
Sozinho sem o conselho de nem uma pessoa que visse de forma como realmente era.Ele agora depois de alguns minutos conseguil responder.

-Senhor Tompei se vossa pessoa sente-se assim eu aceito sua proposta e compreendo as suas palavras.

-Obrigada,ao menos e um alivio que vira por pouco tempo.

-Está explicito,realmente fico orgulhoso de ver tamanha obra-prima,acho que nem seu pai conseguiu suportar o poder do sanguê tão bem.Jamais passara pelas situações que ele teve.

-Por quê citas tais palavras?

-Conceito Senhor Tompei: Seu corpo foi muito bem configurado e talhado por nossoas mãos,o sanguê corre muito bem distribuido em todos os cantos e lugares que ele vá passando.

Isso ajuda muitissimo na distribuição como um todo do poder em si,uma espécie de aperfeiçoamento;meus parabens..

Boquiaberto com as palavras,tive que me levantar e quiz subir para descansar,já erá a madrugada e queria descansar.Xinhua se retirou com nossa mãe,ela se sentira tão abati-
da por mim;nisso que se conclúiu tudo que passei pelos anos,realmente a complexidade de tudo que aprendi estão quardados na mente para sempre.

Agora desejo falar uma ponta do que passei depóis que o Sanguê negro me foi dado pela Maharet,naquela epoca tinha apenas 21 anos e os dois anos até meus 23 foi ao
longo rápido,sabes que e um pulo para chegar naqueles dias tenebrosos em que o seu Lestat fora me ver no meu Templo.

Tudo correu e acontesceu como ele citou Marius,Lestat transcreveu em sua perfeição os fatos que me levaram aos dias de hogê.Só quero resaltar a noite trevorosa que eu
tive com Maharet,muitos me perguntam o que ela me fez apóis você e todos presentes sairem diante de suas ordens;que seja,conto para que ela exploda em sua raiva,afina
eu não pedi para ser o que ela me tornou.

Quando vocês subiram aos cêus ela me segurava pelos braços,seus olhos azuis e com impacto vampiro me davam temor por tudo,dava passos para tráz naquele campo que
corria de frio,não que eu estivesse desespero mais ela me perséguia,fázia de mim um brinquedo,sua irmã em sua quietude,a verasidade de sua rapidez ao parar atráz de mim
e a me segurar por detráz quase me quebrou os braços.

-Querido Tompei;apenas espero que prove muito bem sua força que apresentou a mim,quero ver tudo o que tem a me mostrar.Do que realmente e forjado pequeno Ancião?

-Não queira saber;apenas espero que me deixe ir embora Maharet;não gostária de voltar para casa em estado deploravel !

Essas foram as minhãs palavras;ao menos um estalar de olhar consegui ver algumas almas que imédiatamente fiz com que caisem sobre ela,Maharet soltava alguns risos da
ousária,ela mesma me citou que tinha lhe dado com espetros no passado,honrrada em rever uma pessoa tão fogirada;as mãos pesadas cairam a garganta;estava ficando sem
respirar,por isso ela voltou a me larga.

Estava indo para a varanda do palásio dela,não a vi parar ao lado,afinal jamais iria saber daonde ela vinha,mais me erá uma sombra quando andava;ela me empurrou
contra a parede fria de marmore;minhã cabeça bateu atráz,o corte na nunca me foi fatal para que eu agora sim não tivesse meus movimentos,ela sem querer querbrou
uma das vertebras no meu pescoço.

-Tompei me fez desconfiguralo;não queria uma luta tão rápida pequeno.

Ela com sua frieza me deu algumas gotas do avido sanguê;estava tão vigorosa diante de tudo que quéria me provar até o limite;foi rápido quando passei a sentir meus movi-
mentos;o soficiênte para revidar com um belo golpe nos ombros dela;segurei seus braços com toda força que me restava e rebati minha cabeça contra a testa dela,ela sangrava
quando me soltou,estava furiosa.

Finalmente cheguei ao salão e o a mão pesada desceu nas costas,terminado,vi algumas gotas de sangue sairem de minhã boca,para conclúir Maharet me jogou contra a parede
e apaguei;pesadelo que nunca mais gostária de lembrar.Meu limite quando Lestat véio me levar de volta estada indo;garanto que se ele não tivesse feito o que fez nunca iria sair de
lá vivo;mais o filho da mãe tinha que ter feito o que fez ao cravar aquela Adaga em mim? Esse e o feito dele:Lestat não pensa e sim agê pulsesivamente,gostária de ter mandado ele
ao inferno por isso.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 60

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 10:10:02

Apôs esses acontescimentos inevitavélmente tive que lhe dar com o Ardil que ela mesma me deu,sucessivamente me mudei para a o Rio Grande Do Sul,
a cidade por si me e uma boa acolhedora em meus quesitos.Única coisa que até os dias atuais que me deixa mais pertubado e Xinhua que está morando
comigo;não consigo me perdoar por ter quebrado a promesa que lhe fiz a tantos anos.Sabia que isso tinha mexido com ela mais não ao que presenciei
naquele pedido de vinda na carta.

Agora ela está bem,vive feliz sim ao meu lado,e minha protetora quando presciso me retirar para o sono do Dia.Teve um dia que ela matou exatamente seis
vampiros que cá ao acaso bateram a pota da mansão naquelas incrimes colinas tão perfeitamente citadas por Lestat.Foi em um Domingo quando tinha chegado
da caçada,o dia amanhacia e fui ao meu porão todo de aço me recolher,justamente o que Lestat esteve preso em sua loucura por eu ter matado Mona e Quinn
por tais motivos citados por ele,releiam Rosas e Sanguê e o acontescimento está explicito.

O brilho dos ráios começaram a entrar pela imensa sala de estar;o Lustre sento apagado para que Xinhua Dormise mais;sempre apreciava as botas curtas e escuras que ela calça-
va junto a Calça Jeans Negra,concluindo-se com uma meiga blusa lilas de tecido fino,os cabelos soltos;lá descansava no Porão,vi pela mente toda a movimentação que ela fázia
quando sentiu os filhos da mãe mexerem com ela.

O pensamento que véio foi de que eles assinaram sua sentença de morte naquele ato,nada melhor e sinistro do que vela ensenar um pedido de perdão,peniténcia e sair de
pancádaria em cima deles.Xinha tinha que pegar minhã espada se não ai sim estária encrencada.Esperei paciêntemente ela sair aplicando vários golpes.Invasores que meu
coração desejava queimar.

'Queridos por favor aproximen-se da porta do porão,ancéiam por algo não e?'

Pensamentos que emanava diretamente a eles,não podéria sair muito menos tentar um suicidio coletivo,Xinhua compreendera a atitude deles indo a porta,maghifico o seu
sorriso maléfico para o que tanto esperava,a questão erá:Finja ser amigo,pegue toda confiança possível para que possa queimalos depóis;os fracos merecem morrer.

-Não Acredito que vamos está ao lado de Tompei,o tal mencionado filho de Maharet,sabe o que isso sighifica? Que poderemos beber de um dos mais proximos do gerne.

Palavras ao vento,que morresem pelas minhãs mãos,Xinhua antes de fechar a porta falou um meigo "Tenho pena de vocês;que queimem por seus pecados" e a setença
estava congretizada,sai de dentro do caixão posto no centro;dava passos lentos e as mãos pedindo perdão erá meigo de ser ver;passeava meus olhos por cada um,que
vontade de queimá-los.

-São fracos por deixarem o egoismo falar mais alto;não tem medo de tentar contra a vida de um dos mebros da minhã familia? Não pensaram quando vieram áqui e
agora por favor que queimem na sua própria fraqueza !

O sanguê de cada um fervia,todos os seis explodiram em chamas diante de minhã vontade;não tinham pensado quando tramaram tudo,eram merecedores de perdão?
Não;no meu ponto de vista não,Xinhua apenas esperando lá do lado de fora,pôs queimá-los voltei a dormir.Os sonhos falaram mais alto;para que ter perdão com os
fracos?

Eles procuram ficar mais fortes;são egoistas em não se conformarem com sua imortalidade o que para mim já e demais de se ter.Na minhã condição eu vejo
o sangue negro de forma mais pesada,foi isso que citei ao chegar da noite que me esperava.Minhã irmã me esperava no meu clarto,ela tinha dormido o dia e
passado as horas lá,quando abri a porta sua espera erá explicita para mim.

-Tompei como consegue suporta tudo isso?Me falou que iriam vir atráz de vossa pessoa mais isso?Os queimou sem perdão,foi doloro levalos para a sua vontade.

-Não sei querida;apenas que não quero e não vou admitir quem venha ao pedido do meu sangue.Não estou no mesmo patamar que Lestat,David ou Louis,sabe disso.

-Palavras duras;quer dizer então que quanto mais proximo está da mãe no sanguê mais forte se torna um bebedor.Erá para ter me eclaredido isso.

-Algumas respostas só o tempo trara Xinhua,agora vamos descer.

A noite estava gostosa de se andar;a puxei pelos braços e saimos ao imenso e belo Jardim na entrada;estava com muita cede;mesmo com tanto poder nas mãos
ela ardia toda noite,os seguranças quando nos viram imediatamente chamaram o carro.O motorista abril a porta o que fez Xinhua entrar pelo lado oposto junto comigo.

Finalmente de saira a cidade quando o corro descia as colinas tão frescas,meu olhar passeava por toda paisagem;a Lua alta em seu brilho e beleza,Xinhua não queria e
nem desejava larga minhã mão.Perigoso por que a tentação pode as vezes falar mais alto na péle.

-Tompei o que pretende fazer?

-Me pergunta?Xinhua toda noite eu saio a procura do que?

-Seu necta como cita para mim.

Seus risos sairam fortes;pensei nas suas palavras;realmente a cada ano,a cada dia e noite ela se tornava divina;jamais a deixária de lado;única ligação que eu tenho ao
mundo Humano agora.Ela sempre mencionava que Xinran nunca se conformária com a minhã morte citada por você Marius.Agora o carro que nos levava chegava a entrada da
cidade.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 61

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 15:04:36

O que iria fazer um dia quando Xinhua morresse?Ela e humana e tenho ciência de que em algum momento acontescerá,esse pensamento sempre está constante em minhã mente e
ao acaso se passava naquele momento quando descemos para andar a procura do que a sede pedia.O malfeitor,que fosse ele que viesse aos meus braços;não demorou muito e
entrei na mente de mim.Um homem que corria a rua esquerda fugindo de um recente e complicado asalto.

-Será agora;o filho da mãe não escapa não,meu jantar.Tenho que pegalo antes dos Policiais Xinhua,me ajuda.

-Como desejar,de que lado ele vem?

-Dá Rua Esquerda,agora corre e pegueno para mim.

Que fosse dada a ordem;os meus glardas entenderam a conversa e sairam tambem a caça dele, eles sempre andavam armados quando em trabalho,sempre armas com silén-
cioador;um deles saiu e conseguil trazer o que esperava.Me mantinha dentro do carro quando o jogaram contra mim.Xinhua estava cansada da correria quando sentou-se ao
meu lado,gostava de sua frieza em suas falas.

-Moço me desculpe mais es um alimento importante para meu Tompei.

Suas mãos delicadas fecharam a porta na trava que esperava;os glardas deram partida enquanto bebia devagar;virei meus olhos por um momento para o lado de fora e os
Policiais dando com o nada e voltando.Xinhua ainda soltava seus risos em minhã direção,sim,ela tinha direito;o filho da mãe era merecedor de tudo.

Me deliciava com as minusculas presas a entrar na tenra carne fresca,me aquecia com o ávido sangue.Nem uma lebrança;o homem se contorsia contra mim;nada que fosse o
pacto que procurava;quebrei o pescoço dele com as mãos,desejava que o sanguê viesse com mais força.

-Divino,sempre o maldito prazer alheio.

Assim a vida dele ia embora enquanto continuava matando a cede;o carro correndo pela imensa ponte;todos lá dentro riam do filho da mãe que morria.Os glardas me
agradesciam pela oportunidade de fazer tal feitige;o que o tinha pegado apenas virou o olhar para ver.

-O filho da mãe tombou ao me ver Senhor Tompei,imagina isso? Nada com que um ponta pé nas costas o fizese desmaiar como
viu ao trazê-lo.

-Como disse,sempre os fracos.

-Por aqui e assim:Aprontam e depóis pedem perdão,tem que irem ao iferno mesmo.Bando de marginais sem pensamento..

-Agradesço..

Estavamos em uma meiga ponte que dava para uma Cachoeira;o meu motorista saiu para abrir a porta,apenas cortei a ponta do meu dedo esquerdo para deixar
cair algumas gotas de sanguê em cima dos pequenos furos na garganta,estavam fechando e finalmente me livrei daquilo ao deixalo largado lá.O carro voltou a dar
partida;agora pensava em como rever Sofia,mencionei isso a Xinhua.

-Ainda deseja reencontrá-la Tompei?

-Sim,evidente que sim irmã;mas não sei como ela reagira ao ver quem eu realmente sou agora.

-Tranquilize-se,cedo ou tarde a encontrara.

-Sei disso;toda noite deixo a mente vagar pela mente dos seres humanos numa tentativa de encontrala;sinto que estou proximo disso.Uma noite dessas ai eu
consegui entrar na mente de um jovem rapaz que a tinha visto,só que quando quis saber em que lugar a ligação acabou.

-Sério?Falas seriamente a mim?

-Com toda alma Xinhua.

Abri a janela do da porta do carro para o vento entrar mais rapido,que a noite viesse forte entre nos;senti seu doce abraço;estava com soudades de sentir o
seu toque meigo.Ela podéria está comigo mais de certo modo sentia que nosso vinculo de irmãos tinha se rompido;a morte do corpo causa isso,para mim a
doce companhia logicamente.

-Tompei mesmo com toda essa força se sente em pedaços.

Palavras que doeram;seus olhos azuis me fitando diante da minhã situaçao permanente;nada a comentar a ela;só queria saber quando ela tomária a
coragem e viria ao meu abraço.Penso sim em dar o sanguê a Xinhua,nas não a forçarei a isso.

Que a noite corre-se,iriamos sair em viagem;algo apartir daquela noite me chama Marius,algo que não consigo desernir ou descrever;a essa altura me mantinha aos
abraços com Xinhua;seus dedos passeando por meus cabelos densos,ela queria ir mais longê o que nunca iria permitir e claro.

O que estou tetando encontra desde essa noite que descrevo não e algo que meu coração veja e sim descreva;uma mulher jase em seu sono de Gêlo,fora isso que
venho a mente enquanto sentia os beijos de Xinhua pelo meu rosto e finalmente aos lábios.O vento entrou frio pela Janela;o carro corria pela extrada agora.O que isso
Sighficava?

Mais beijos nos ombros e a sentelha da imagem na mente do que procurava no momento:Uma imensa lápide de gêlo a qual o corpo Jasia adormecido,sim,meu
coração batia forte na visão enquanto Xinhua me provocava.Um dia téria que sair a procura disso;os gemidos de prazer de Xinhua erám constantes em seu deleite.

Desejei que minhã mente vaga-se muito mais álem,por isso me deparei com o que descrevo,encontrária essa mulher que jase no sono gelado,sera que a mente
encontra verdades?Isso só o tempo iria dizer;não aguentei as provocações dela,arrancava cada peça das roupas de Xinhua as jogando de lado;agora estava encos-
tado contra o banco;se ela queria satisfazer sua vontade que fosse.Uma viagem longa a procura dessa visão;isso que iria fazer.

Nessa altura estava realmente delirando com Xinhua;ela delirava constante nos meus braços,não queria parar de beijar cada pedaço de sua boca enquanto não
terminasse de mandar sua vontade embora.Seu corpo estava guênte,senti pelo toque da péle sedosa;loucos,isso sim.Numa viagem;dentro de um carro em alta
velocidade e transando um com o outro.Me tornei um descarado,admito com toda ávidez.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 62

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 15:13:08

Ficamos nisso ao longo da noite,de certo modo me conformava dela está senti todo prazer possível,mas quanto a mim?Não,simplesmente não,mais cedia todo meu corpo para suas e
loucas apreciações de desejos,mas a visão da qual eu falo que vinha direito em meus pensamentos ainda não tinha uma total noção,só o que cito sobre o sono eterno e poder não
desvendado,gostava de sentir os braços de Xinhua em volta dos meus olbrmos e indo ao assunto minhãs mãos sobre seus delicado quadril e cintura,considerava ela corajosa pela
aldásia,gostava de ser o mais delicada possível a todo momento.

Quando se morre do modo que acontesceu comigo não e para se manter o vinculos,mais a via como uma mera Rosa desabrojando em sua vida,seus dedos em movimentos pelos
cabelos densos novamente,pedia em sussuros mais da docilidade que andiava,foi ao que fiz ao me inclima por cima dela e sentir aquelas mãos vigorosas passeando pelos braços.
Não discuto com ela,nunca quiz brigar diante de todos os sentidos da vida.

A malicia dos seus lábios a morder meus dedos ao tocar seu rosto,pecado;ela virou um pecado diante de mim enquanto se deixava delirar com os doces critos.Alguêm por favor
tenha a honrra de me fazer fugir?Está complicado citar tudo que passei na vida Marius,puxava os cabelos lisos e negros com as mãos o que a fez chegar ao alge do gozo que
queria,erá forte,mesmo com toda delicadeza tinha força para me empurrar contra o lado oposto da porta do carro para continuar com seus movimentos fortes,as pernas pefeita-
mente entre abertar na altura da minha cintura.

-Estpa enloquecendo,não ancéia por nada.

-Calado Tompei;não quero parar ou sequer ser maldosa com você.

Agora sim voltaram os beijos,muito guênte a ponto de suar,no que minhã vida se tornou depóis de tudo?Não sei descrever,e complicado lhe dar com essas situações por que eu
sou um lunático por minhãs paxões,meus olhos filtravam o olhar dela em sua profundidade,quando ela percebeu isso no méio do transe alhei-o deu uma leve mordida nos bra-
ços,não que eu sentise dor mais o medo laténte véio por se a péle rompesse ela podéria ficar maluca e ser deplorada por mim.

Queria chegar a São Paulo saindo pelo Sul do Brasil,séria uma viagem mais ou menos rápida,afinal São Paulo capital e de certo modo próxima para quem faz a viagem rápida.
Teriamos que parar em algum lugar durente o dia;foi o que fizemos nos primeiros ráios do dia;tinha que fugir do maldito So,erá doloro não poder mais velo mais Xinhua sentiu
o passar do tempo e finalmente se vestia rápido para poder descer comigo.

-Vamos parar ou continuar a viagem Tompei?Sei muito bem que pretênde encontra Sofia lá,se pararmos agora podemos chegar na proxima noite a cidade.

-Xinhua está ficando sem sua razão,por quê me revida com palavras duras e frias irmã?

Suas sombracelhas arquearam diante das palavras,estava chateada por algo que eu disse e a voz veio mais fria ainda diante de tudo,isso sim me fazia parar,o carro parou
com sua ordem no Hotel mais próximo,ela pronúnciava tudo detalhadamente.Tinha ido além do que eu podéria permitir e mesmo assim não à ameacei diante de sua vontade.

-Tompei compreenda algo ao menos uma vez em sua imortalidade:O meu irmão de tantos anos atrás morreu! O Tompei que vejo aqui e outro homem !Ainda assim me
chama de irmã?

-Vai ao inferno !

Agora tinha explodido,e claro que enquanto isso estava me arrumando e terminei,ela abriu a porta e saiu a entrar no Hotel;realmente para me tirar a paciênte com sua atitu-
de descomunal.Esse sim erá o problema de Xinhua,falava sempre a verdade na face de qualquer um,não perdoava a quem aplicase pensamentos erradoa a ela e assim isso ia
me matando aos poucos.

A vi no balção do atedênte que agora lhe dava as chaves da cobertura,quando a sequi e dei de encontro com ele dei um "Obrigada" para não ser desagrável diante do humor
dela.Gostei da iluminação dos corredores dos andares que apreciava enquando subiamos as escadas,tudo muito bem aplicado no que diz repeito a decoração e infra-estrutura.
Agora tirava minhã regada negra a segurala nas mãos;estava pensativo com sua indole.

-Ainda vai continuar assim Xinhua?O que fiz de errado?

-Ainda pergunta?Veja por si mesmo Senhor Tompei;ainda não se livrou do passado de forma completa.Isso e o que anda me dando nos nervos.

-Obrigada pela clareza Senhorita Xinhua.

Uma pequena piada para não deixa-la mais nervosa comigo,chegamos a cobertura e que brilho de conforto,adorava a escada que subia para o clarto;chamei Xinhua para
seu descanso merecido;larguei as chaves em cima da mesa de centro da sala de baixo quando ela me respondeu vindo em minhã direção,tinha fechado a porta;os meus glar-
das ficariam andando pelo dia como gostavam;nada com que me incomodasse.

Quando cheguei a varanda vi o termino da noite e imediatamente Xinhua pegou algumas imensas mantas negras para encobrir os vidros,tive que me esconder debaixo da cama e
esperar o sono vir,ela mesma iria fazer com que o sol não me toca-se,fiquei esperando na certeza de sua confiança.

Fechou a porta e finalmente desceu para a sala lá embaixo,os sonos que me faziam delirar vieram em todo tempo que dormia.Meu coração batia forte um pouco forte;a visão na
mente vinha a toda hora;tinha entrado em contato com tal aspecto e não conseguia deixar de lado.Silêncio nesse passar de vida;de felizidade correndo no meu sanguê.Lestat que me
desculpe mais e assim que me recolho:Levo o meu tempo ao maximo e só me recolho nos cantos mais inospitos,nada de Tumbas ou lugares humidos e sim deixo de camas ou sotãos
lacrados justamente como aquele que tenho em minhã cada no Rio Grande Do Sul feito do mais puro aço como ele descreveu.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 63

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 15:20:38

Senti meu corpo sem animo em seus ligamentos,enquanto dormia ele não respondia aos sentidos,isso sempre acontescia enquanto a noite nascese e quando chegou Xinhua véio a
subir as escadas com passos pesados;as mãos me puxando do lugar em seus risos para me fazer fita-la com mero desden nos olhos.Como citei várias vezes de que ela erá fogo
em vários sentidos;sua pulsesividade me dava nos nervos mais não a ponto de e claro de fazê-la mau.

Ela tinha se trocado,teve a licença de fazer uma pequenina mala com roupa.Gostei do vestido curto do mais puro Branco;as alças finas a deixar mostrar seus ombros;paro por
aqui,demais para minhã avida mente;concluo que a sandália caia perfeita nos seus pés delicados.Quéria ir embora rápido,minhã meta de chegar a São Paulo no fim desta noite
tinha que se conclúir,descemos pelas escadárias e a despedida do Hotel que ficasse com ela.

Já estava no carro quando ela fez isso por mim,entrou para continuar seus olhares de que ainda estava chateada,não comentei sua atitude,sábia que iria passar,erá questão
de tempo.Os glardas já estava prontos em seus lugares e deram partida.Deixei meus pensamentos voltarem a vagar pelos humanos,queria saber aonde Sofia estava no Pais.
Anciava por vela;ao menos queria fazer essa tentativa;sim,depóis de algumas horas eu e todos chegamos ao destino.

-Tompei acha que consegue encontrá-la?

-Se não a rever ao menos vou me deparar com um conhecido dela que me der algumas informações Xinhua.

-Evidênde que sim,querido.

Que bom,seu animo ia voltando aos poucos;as vozes eram muitas enquanto fuzava cada um que me era alcansavél.As imagens apareciam a todo momento para me trazer o que
procurava.Os longos cabelos de Xinhua andulava com o vento entrando pelo carro;ela ia pirar se eu conseguise bater de frente com minhã Sofia.Avistei um grande Hotel na Rua
Principal da Capital da cidade de São Paulo;a tal conhecida Avenida Paulista;centro Financeiro da cidade ao que estava informado.

Ela entendeu a mensagem nos olhos e mandou parar em frente;séria de lá que iria ver no que acaria essa procura,o recepcionista véio ao nosso encontro quando viu os glardas
mandarem ele levar o carro ao estacionamento e entramos pela porta de puro vidro que se possa forja nos dias de hogê.Tudo feito e pegamos o elevador para meu lugar predi-
leto:Cobertuda.

Não demoramos muito e saimos de frente a ela;abri a porta;o sofá marfim no centro com os jaros de flores em cima da mesa principal de marmore,a imensa varanda saindo a frente
do edificio;Sofia agora subia ao claro para procurar algo,fui atrás para ver o que e lá aonde encontrou seu Leptop,tinha mandado alguêm trazer;claro que ela me passou a posse ao me
sentar na mesa ao lado.Sentou-se comigo para darmos alguma procurada.

-Arquiolólogos brasileiros,não tem frase melhor para procurarmos pela Internet.

-Sim,se Sofia realmente conseguiu se torna um deles e que deve está dentro da Elite.

-Ainda acha?Tenho certeza Xinhua .

Meus dedos escreveram rápido o nome do site de pesquisa,Xinhua mau via meus movimentos naquele ato imprevisto e lá a frase "Arquioogos brasileiros" jasia na entrada do
icone,ascessando tão rápido que véio a lista.Minhã suspeira se confirmou,vi o nome dela claramente para meu deleite,Xinhua ficou curiosa ao mover seus dedos para procurar o
endereço aonde Sofia podéria morar.

-Vamos lá,vamos lá Tompei.Ai está querido,ela mora áqui por perto,realmente to passada por que não iria saber estando dentro de uma cidade como essa.

-Vamos ver no que vai dar,ao menos tenho esperança compreende?

-Sei que sim;não tiro sua razão.

Depóis de um bom banho sai a procura de Sofia;Xinhua quiz ficar para dar mais uma procura nos sites;quando sai pela porta principal do Hotel novamente as vozes ardiam
forme na mente;humanos que não me deixavam em paz;tinha que passar por isso na procura entre eles.Viarava vários becos,ruas enquanto as imagens chegavam e quando
senti uma em espécial sai neutralizado.

-Um humano que a conhece pessoalmente,por Buda que ele venha a mim!

Alsei voo acima dos prédios enquanto o mantinha na mente;não queria que ele saise de minhã visão,passeava os olhos pelos prédios e quando o vi na entrada de um ai eu
desci para dar de frente com ele.Um jovem rapaz de cabelos castalhos lisos e curtos,seus olhos verdes;a pele muito clara;ele ficou parado a me olhar como não entendendo
nada.

Ele caiu para trás mas o apoei nos braços,muito belo sim,sua face e virtudes que e lógico a mente descobria.Esperei ele se acalmar;vestia belos sapatos com blusa de tescido fino.
Negro,vi que ela tinha essa paixão.Se tranquilaza,a bolsa caida ao lado com seu Laptop lá dentro.

-Quem e você?Procura por algo?

-Sim,conhece alguém chamada Sofia?

-Sofia?Sofia?Fala da liader e condutora da Arquiológia no Brasil? Sim,a conheço a muitos anos.

-Obrigada,me chame de Tompei,posso subir junto com você?

-Siga-me;se está a procura dela e que deve ser alguêm importante,meu nome e Carlos.

Ele caminhava e subiu direto ao andar a qual morava;seu apartamento quando entrei no meu ponto de vista erá magistrál,fiquei esperando ele beber água,isso devido ao im-
pacto do sussuto.Finalmente sentou-se no Sofá e ligou seu Leptop quando o tirou da sua bolsa.Ao que citava tinha chegado da Faculdade e simplesmente estava em uma grande
pesquisa dada pela Sofia.Virou seus olhos em minhã direção,perguntou o que desejava com ela.

Seus dedos ainda delizando pelo minusculo teclado;tinha ascessado um Arquivo sobre "A descoberta glácial",esse nome dado a texto me trouxe caláfrios sobre a visão;o que
isso sighificava?Pedi que ele me explica-se mais e foi muito educado ao dizer as informações.

-Senhor Tompei condolosamente Sofia em uma viagem recênte descobriu o que possa ser um Corpo,ela e ncontrou essa descoberta quando foi visitar a Base Brasileira de
pesquisas no Continente Antartica e me passou tal arquivo para ajuda-la.

-O quê?Mente para mim,só pode ser.

-Não,ela agora neste momento se localiza nessa retirada do Bloco;voltou para a cidade a alguns dias mais teve que ir nessa viagem;prescisa coordenar o corte do bloco de gelo.
As autoridades dos Estados Unidos não podem ter isso em mãos;isso e segredo de Estado.

-Um descoberta que os americanos não podem ter em mãos e nem o Brasil?Mais qual seriedade disso Carlos?

-Isso só ela pode respondêr por si Tompei,só sei que to ajudando e não posso parar.

Tive que me retirar depóis disso,me despedi dele com todo calor do mundo pelas suas informações,se Sofia estava metida nisso e que algo sério estava sendo escondido por
ela.Sai as ruas de São Paulo de volta ao encontro de Xinhua;ela abril a porta quando cheguei.Meu estado em si erá deplorável.Citei a ela tudo que tinha descobrido,não iria
vela nem tão cedo na cidade.

Se ela estava no Continente de Gelo podéria ficar anos lá;meses;semanas e não tinha todo tempo do mundo para esperar.Agora téria que sair a procura do que essa visão na
mente sighificava;quando chega-se em casa e que iria por as mãos em ação para isso. Cheguei depóis de duas noites na minhã linda Mansão nas Colinas;o carro entrou pelo
portão,quando passei as chavez pela imenta porta sai a ver se alguêm tinha vindo no estabelescimento e conclúi que não.

-Tompei ainda estou passada com suas palavras e descobertas irmão.

-Sofia está envolvida em algo sério Xinhua;se os americanos não podem por as mãos em tal anterfato e que ela chegou a um patamar além do
que esperava.

-Realmente macabro Tompei.

Xinhua pegou seu Leptop que os glardas trouxeram e lá eles foram em seu retiro;agora subia ao meu lindo clarto;como a visão das luzes da cidade erá mágica;as colinas caindo
abaixo nessa visão.Xinhua sentou-se sobre os travesseiros da cama;tinha dado um crito quando viu uma Notícia explicita no Site.

-Tompei olha isso !

Me virei para me postar ao seu lado;a notica dizia o seguinte "Governo Brasileiro está a um passo de desvendar o que possa vir a ser o mais mistérioso anterfato da História.
A retirada do bloco de gêlo pode levar anos;tudo coordenado pelos Arquiólogos do Pais".Isso foi o soficiênte sair em caça de pensamentos e meus arquivos.Passei horas em
análises,meus dedos delizavam pelo teclado escrevendo tudo que me vinha a cabeça na visão.

Tinha que tirar uma conclusão disso;tinha algo relacionado a isso;o que os americanos iriam achar disso?Essas descobertas por si podériam levar os dois paises a guerra;se os
arquilogos brasileiros estavam em tal misão realmente ficária como segredo de estado e algo me dizia que ninguêm podéria saber de tudo.Tempo;téria que aproveitar que meus
pensamentos estavam correndo e queimando para passar tudo para o Laptop.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 64

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 15:26:37

Enquanto escrevia Xinhua continuava ao meu lado,usava todos os conhecimentos possiveis que me vinham a mente para que tudo desse certo,me levantei por um momento para pegar
um Cd-Rom e colocar no compartimento do Leptop.A visão da Lua pela entrada da imensa varanda erá vislumbre para meus olhos,quado se tem todo estudo possível as faculdades da
mente agem de forma que chega a queimar.Tinha chegado a conclusão e suspeita de que poderia se tratar de uma mulher.

Fiquei a pensar se poderia existir algo que nos ameça-se,com isso eu peguei um envelope e lacrei o Cd dentro,desci as escadas para ir ao imenso Jardim,vi o portão para assim eu o
deixar dentro da caixa de correpodência.Quanto voltei Xinhua estava lá.Estava pensativa no que tinhamos descobrido naquelas informações,me sentei ao seu lado para saber o que se
passava naquela cabeça.

-Tompei acha mesmo que possa haver algo?

-Sim,isso só o tempo dira princesa.

-Estou com soudades de Xinran,queria que ela estivesse conosco.

Seu olhar tinha vindo em minhã direção,como a Lua refletia perfeitamente neles,era um mero filhote que aos poucos terminava de adquerir sua beleza,a pele branca,não tão alta
quanto meu mais sua delicadeza erá fascinante.Agora tinhamos entrado na sala para assim subir a escadaria para o clarto.Ela vinha ao meu lado;quando me deitei na cama ela véio
dormir,se desbruçou sobre meu corpo.

As horas passavam e finalmente com isso a noite ia embora;tive que me retirar para o Sotão,mas o que imprescionante e que sonhei com Sofia,sim;ela me véio a mente na sua
visão de imaculada apresciação.Estava em cima de uma ponte,estava diferênte de tudo que já vi nela algum dia;sua complexidade a levou naquele lugar,os longos cabelos caindo
pelas costas,fios andulados e loiros;mas seu olhar castanho tinha adquerido um brilho de vidro com à avida mente.

A cor do longo vestido de alsas finas caia bem nela,um azul-escuro junto a uma faixa branca que ajustava sua fina cintura,tão alta e magra,me dei conta de que estava em
sua mente;isso me provocou arrepios indescritiveis,as sandálias baixas de delicas nos pés.Agora ela se direcionava a um lugar,entrava numa sala formada de puro gêlo e o
bloco jazia no centro.

-Encontrei você querida,finalmente a vejo perante mim depóis de tanto tempo.

Sussuros para que só ficase comigo;continuava firme nesse encontro que ela não via ou percebia;agora ela movia suas mãos pelo bloco;consegui ver seu rosto rigido porém com
a delicadeza que só ela tem.Não acreditava nisso,tão perfeita e divina.Essa foi a unica e mera visão que tive da mente de Sofia Marius,até os dias atuais procuro isso.

A noite toda a ver seus movimentos por aquela sala imensa;pena que não conseguia houvir sua voz;ancéio por vela.Mas o dia acorria firme enquanto dirmia profundo no
meu leito.A visão desapareceu e nunca mais vi tal aspecto dela.Esperava uma reposta de Lestat quando acordei e fui ver Sofia,ela estava deitada no Sofá da Sama e eu es-
tava decidido a algo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 65

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 19:28:02

Faria uma viagem a procura disso;mencionei a ela que tinha estado na mente de Sofia no meu sono longo,ela mal acreditava em mim;ficou parada esperando eu continuar.falei que
partiria sim essa noite;novamente que alguém me traga alguma resposta,esse foi ditar de palavras a ela.Ela se movia pela sala para querer me responder,mantinhasse com o mesmo
vestido branco que tando amava.Direcionou seus olhos a mim em seu deleite.

Veio seu toque no meu rosto,ela não sábia do meu segredo mais só erá questão de me pedir que lhe fize-se o ardil,não consigo imaginar que Xinhua um dia vai morrer por ser huma-
na.Claro que se puder fazer algo para evitar o fária;não suporto ou suportária viver se sua companhia.Ela concordou com um aseno ao conclúir.O lustre acima de nós ardia em seu lu-
gar.O brilho que cáia sobre Xinhua erá firetente.

Devido a correpodência esperava uma resposta de Lestat;o que ele achária ao ler tudo o que escrevi naquele arquivo que lhe mandei?Continuava vendo Xinhua andando em passos
longos de novorsa diante de minhã descição de viajar,ela virou-se para falar com sua voz ardua de depressão;estava preucupada com tudo que acontescia e ela sem poder fazer nada
a respeito de minhãs loucuras.

-Tompei só por favor não vá ao Continente gêlado,o Sol bate grande parte do ano lá.

-Não se preocupe,eu sei disso Xinhua.Deseja vir comigo?

-Não;ficarei áqui cuidando de tudo,sabe que tem que ter alguêm para cuidar do que e seu.

-Que seja,to saindo dáqui a pouco.

Esse foi o início de minhã viagem Marius,sei se vai durar anos,meses,semanas,não tinha ou sequer tenho isso em minhã meta;só que desde que alsei voo nessa longa procura eu
não paro e nem iria parar,continuando depóis desse pensamento:Só foi questão de fazer a troca de roupas,sempre gostei de vestes leves;vesti apenas uma camisa negra com teci-
do fino,calças jeans e botas escuras nem curtas.

Que meus pensamentos ecoasem ao mundo nessa descição,sentia que Sofia a qualquer momento iria aparecer,até hogê isso não veio ao caso nessa viagem que faço e que me
trouxe em sua casa o que me fez querer contar minhça História Marius,mas deixa-me a citar tudo;continuo depóis dessa releváncia.

A noite erá magistrál nesse voo,queria antes visitar kenjint,por ele quardar tantos segredos quem sabe ele não sáberia de algo.Foi questão de algumas horas para chegar lá e ver
a imensa muralha do Templo,saltei na varanda do meu antigo quarto,ele dormia no salão lá embaixo sobre as almofadas e sentiu meu aparecer pelas sombras.


-Tompei! Tompei ! Véio me visitar,quanto tempo !

-Kenjing por favor sente-se,presciso de exclarecimentos !,ando pertubado.Algo vai ou está para vir ao mundo.

Tinha falado tudo a ele;depóis de algumas horas eu conclúi o que quéria saber,ele não entêndia mais ao menos me citou que sim,hávia seres diferênte no mundo desde os seus
tempos antigos,nunca pode dizer nunca a nada.Com isso saimos a gladra para poder me esvair,ele citou que minhã mãe estava sériamente prejudicada desde os antigos acontes-
cimentos.

Não quiz mencionar nada;mas ao menos Xinhua a visitava quando desejava,como justificativa por sua estádia no Brasil dizia que quéria conhecer o mundo.Tinha gostado disso
lógicamente.A presão de seu abraço foi gostoso de se sentir;estava na idade,já,nosso e amoro kenjing vivia longos dias,estava cuidando de tudo para mim.

Com o tempo olhava o lago,a linha latênte ardeu no celebro quando senti a presença lá embaixo,mesmo com os anos morando áli antigamente nunca vira nada ingla ao que
via.Tinha caido para trás com o poder imenso.Isso me asussustou a tal nivél que fui ao salão para me recuperar.

Kenjing agora véio ao meu encontro para querer saber do acontescido e citei a ele,agora sim quando ele prestou mais atenção ficou olhando em seus pensamentos para
mim,muito fácil entrar dentro dele para averiguar tudo que anciava saber,única coisa que vi foi a antiguidade,vições das mais antigas erás a qual a humanidade presenciou.

-Kenjing sabe se tem algo lá embaixo daquelas águas?

-Não Tompei,se soube-se seria pelo seu pai menino.

-Kaniban levou muitos segredos em sua morte;realmente acho que teremos conseguências disso.

Lá ficamos pesando em tudo;peças a desvendar;não sábia aonde Sofia estava ou aonde iria chegar mais a visão dela que vira ficou marcada;perto,muito perto de ver
aqueles olhos novamente.Alma falando acima de tudo,por um momento pensei que Lestat tinha respondido aos meus pensamentos a ele mais não.

Ao que vi ele mantinha-se silêncioso,só iria me responder quando tivese em mãos o Cd-Rom,erá de se esperar,podéria levar muito tempo mais ao menos a certeza de
sua resposta erá real.Maharet,minhã meta neste momento,a idêia me véio a mente no ráio de alma;ela sábia muito sobre à antiguidade,podéria me dar algumas pistas
quando a esses dois fatos a se concretizas,mas a emanação de poder gelestial tinha começado.

Foi o que vi quando subi a muralha e alsei voo nomante aos céus infinitos,o vento forte sobre o rosto,nuvens passando rápido sobre mim,"Maharet to cheando e por
favor espero sua atitude quanto a tudo isso que vem por ai".Palavras ao vento no sofrimento.Horrendo,tinha medo disso diante de mim,nada com que me preucupar?
Não,estava e estou sim nervoso,isso me pertubava no voo em direção a ela.Foi com a passagem de volta contrária a Terra que chegui lá,a noite ainda começava quando
a vi parada no imenso campo.

Graças que tinha atendido aos meus pensamentos;quando me ciu descendo sobre o rochedo correu sem que a visse para me abraçar.Ao menos me recebeu bem e
não na pancádaria como antériomente antes de me dar o Sanguê Negro,o lindo colar de camefel no pescoço caia bem,lindo vestido vermelho combinando com os longos e
pesados cabelos ruivos-acobreados;agora entravamos no Palásio dela.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 66

Mensagem  Ana Nery em Sab 19 Jun - 19:31:20

O poder corria por entre nos;ela me olhava como que já sabendo do que procurava,seus braços delicados me envolvendo como um filhote,tinha me sentado sobre a escada para o
meu deleite.O azul do mar sempre no seu olhar frio perante todos.Os dedos forte sobre os meus ombros,esperava sua voz vir para saber.A troca de conhecimento sempre nos vem
ao acaso para assim se ter nossa sabédoria.

Ela estava sozinha,sua irmã tinha sáido a procura de algo,isso que mencionou ao acaso na avida morte da vida.Perguntei se ela sentia a presença constante pelo planeta em si.
Demorou algum tempo para conclúir algo.Meu olhar queimava sua figura imovel nessa localização.

-Tompei não sei ou sequer consigo desernir o poder que sente mais a presença e forte.

-Acha que alguém já sabe disso além de nos dois?

-Os seres da noite mais novos não,mas os anciões concerteza.Deve sentir por que seu poder e grande demais.

-Lestat não está a par disso então,são dois casos Maharet:Parece que arquiólogos brasileiros descobriram algo e há mais outro poder vindo lá do imenso Lago da
qual já morei.

Seus passos para trás foram imediatos,estava assustada e não estava em sua razão de pensamento,a segurei para não cair,ela chorava nos meus braços,estava sofrendo com o
tempo,foi o que senti ao tocar no rosto delicado e rigido.A mandei ficar calma por que não iriamos saber o que erá nem tão cedo,apenas o tempo falária por si.Agora via como a sua
pelé erá pálida devido ao gerne que carregava.

Limpei suas lágrimas sanguinolentas,estava indo ao campo para se esvair,sentou-se nas pedras lá na colina proxima,estava ao seu lado ciênte de tudo que ela sábia desde os tem-
pos mais remotos.Foi com a calma e sua conciência que falou do que realmente sentia da sua responzabilidade de imortalidade.

-E doloroso Tompei,erramos e acertamos com os anos e o destino se encarrega de seu julgamento.

Palavras curtas e aplicadas como um golpe dentro de mim;tinha errado em querer ajudar Lestat,tinha errado ao trazer Nicolas de volta e tinha novamente errado ao levar Xinhua a
mim que se tornou minhã amante do mais grande prazer carnal.O poder corria pelo ar de tão imenso.

Tive certeza agora que trava-se do que Sofia descobrira mais como iria encontrá-la nos confins do mundo?Realmente a espera iria me corroer com isso;Maharet num ato que não
esperava me encheu de beijos,que foi squilo?Agora vi que fora transformada muito jovem em sua vida.As pessoas realmente tem reação que jamais esperamos e meu gesto para ela
se afastar foi imédiato o que a fez entênder a mensagem.

Ela fechou os olhos por um momento para sentir a presença;sua péle se encheu de arrepior e ela mencionou as palavras "Mais forte que eu,mais poderosa que qualquer outra
coisa",por Deuses,sua voz saiu gêlida junto ao seu toque nos meus braços.Ela não poderia fazer nada se acontescese algo,seu desespero foi eminênte enquanto se enchia de prantos.
O uivo dos Lobos foi alto,vi alguns correndo entre as arvores,os animais sentem tudo o que e sobrenatural e eles tinham a mesma reação.

"Thalwa",esse foi o sussuro trazido pelo doce vento correndo campo adentro,o penhacos abaixo de nós,realmente os deuses andavam falando alto demais para meu deleite e não
iria fugir,foi só isso que descobri no silêncio entre Maharet,o nome nordico que nunca mais saiu da minhã alma,as almas pronúnciavam esse nome diante de mim e sobre a visão da
noite "Thalwa".
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 67

Mensagem  Ana Nery em Dom 20 Jun - 12:41:16

Maharet me puxou pelas mãos,estava gostando de está com ela diante desse problemas que emanavam no ar,voltamos a caminha e dessa vez fomos aos bosques proximos do
local tão vázio e deserto,sem nem um ser vivo por perto.Seus cabelos longos e acobreados andulavam.Parei por um momento para analisar a vegetão,sempre fui fanático em ver
novas coisas para quardar na alma.Muitos tipos de flores entre a terra húmida e molhada da recente chuva da noite antérior;tinha me virado de costas para arancar algumas e vi as
mãos sobre meus ombros.

Sussurava algo sobre beber,não entêndi por completo esse comentário;ela admitiu que estava preucupada com que iria vir,suas mãos sobre meu rosto em análise ao seu olhar
tão negro e sacarstico a vida.Nunca compreendi ou sequer conseguia ler nos seus gestos o por que Maharet só deixava a minhã pessoa está ao lado dela,depóis de sua irmã que
cujo nome gostava:Mekare que desde anos vivia com ela.

-Querido Tompei únicamente es um dos raros que já vi ser forjado por mim,não queira saber o por que permito ou muito menos tente negar isso;ando com medo sim com os
primordios;a delicadeza as vezes pode impedir uma melhor proteção ao Gerne.

-Espero que um dia fale esse segredo para mim;não me fária mau Maharet nem iria me sentir chateado por tal atitude,mas dessa vez não,não quero me embebecer de seu avido
sangue.

Não pude revidar quando ela moveu seu braço sobre meus ombros,suas afiadas unhas cortaram sua garganta e o sangue descia enquanto ela continuava pedindo que os dentes
entrasem na avida carne.Enquanto me debátia me puxava mais forte contra o ferimento e a boca tocou para finalmente o sanguê entrar corpo adentro,estava fervendo em seu
poder.O que descobri nessa segunda vez e que o sanguê mais poderoso e holocausto sem suas trepudiações consegue queimar de vida.

Meu corpo absorvia o que o nesta me tinha a oferecer;sentia que estava ficando mais rigido ao me manter abraçado a ela,agora estavamos deitados sobre aquela húmida e
molhada terra;ficamos horas naquele transe;um bebendo do outro e quanto terminamos ela me levou ao palásio,quando entrei no imenso salão de banho a água fervia em sua
temperatura morna;ela tirava minhas vestes e dobrava para ir quardar,entrei dentro da banheira forjada do puro marmore de uma cor negra,mormore tem várias cores ao se ter
ascesso aos seus tipos.

Meus longos cabelos negros desciam pelas costas;Maharet sentou-se em um banco ao lado para esperar,ficava tetando entrar em seus pensamentos o que não acontesceu,foi ai que o
olhar voltou ao teto,por quê não conseguia ler seus pensamentos?Descidi perguntar para a dúvida ser tirada,meus dedos se moviam pela borda da imensa banheira.

-Maharet ao menos quero saber e espero que não fique chateada com a pergunta.

-O que desejava saber Tompei?O que lhe pertuba homem forjado por mim?

-A mente que tenho e fechada para a sua;isso nem Lestat ou Marius me falaram e quero uma resposta.

-Isso véio desde os tempos primordios quando Akasha foi féita,a primeira Rainha que não quero comentar o quanto odéio mencionar seu nome.Quase todos os filhos da noite quando
ela renasceu morreram.Fale com Lestat;ele lhe fornescera as escritas dos acontescimentos Tompei e quando terminar seu banho véia ao meu retiro.

Complemento que sim,a mente de um Vampiro e fechada ao do seu criador mas aberta aos demais.

-Ok,obrigada.

Silêncio ao me manter imovél diante disso;erquia meus dedos para ver a mudança,não dercenia enquanto o sanguê continuava à agir,minhã pele ficou mais pálida porém a sua e
alta rigidez almentou;diante de um humano realmente séria puro mármore intransponivel a quem desejase levantar as mãos contra mim.Um dia iria saber o por quê disso,vossa
pessoa Marius já comentou que tinha uma honrra imensa por tala permisão de Maharet para comigo e ancéio por saber.

Quando me levantei fui aonde ela estava,seu retiro,o porão do andar subterranéo do seu palásio,amei a configuração da decoração,lindo sarcofago no centro forjado da mais pura
aquitétura antiga,estava encoberto por uma imensa manta vermelha e fui com ela me vestir,queria sair rápido do lugar e enquanto colocava a roupa ela me pediu para ficar alguns e
longos dias .

Seu olhar erá de suplica para que eu não pudese negar sua vontade,pensei por um momento e aceitei;podéria descobrir algumas coisas no seu acervo de antiguidades,pedi isso
como presente.O aseno dizendo "Sim" foi meigo,realmente estava averiguando se a sua delicadeza lhe permitiria asegurar o gerne para sempre.Não ousei fazer tal pergunta para
que não ficase chateada,sua voz foi entoada friamente.

-Tompei durma comigo,Mekare não vai voltar hogê;ela gosta de se esconder na Terra ao modo da mãe do Lestat.

-O que?O Lestat tem mãe?

-Gabrielle,quem sabe não se depara com ela em suas viagens.

Nome deslubrante na minhã opinião e ao terminar descemos novamente ao loga aonde o sono iria nos receber,tinha me deitado de lado quando a vi fazer o mesmo,a tampa pesada
desceu acima de nos dois.Ela curvou seus braços novamente em volta do meus ombros,a mordida na minhã garganta foi dolorosa;transe imédiato naquela escuridão me envolvendo
como um todo.Durante o passar do retiro não parava de beber de Maharet em nem um ou mero momento.

Me dava conta do guão miséravel pode ser uma vida,sonhava com Xinhua,as soudades no coração vieram fortes no delírio continuo.Almento de convicção,concluções que queria fazer
que chegasem ao fim.Jamais me senti tão privilégiado na vida;mesmo com toda a força ela continuava almetando no enbebecer do Ardil.Não gosto dessa palavra para sim Nercta.Pode
pronúnciar assim avidos leitores.

A noite chegou novamente e quando Maharet me arancou de dentro do sarcofago foi para testar se a força tinha tomado conta de mim.Sim,as minhãs mãos conseguiram segurar-la
firme ao sentir tal ameaça.Seus risos nos lábios pela primeira vez diante de minhã visão de brilho e poder.Fázia um gesto para que eu fosse ao espelho na parece.Ao me deparar com a
figura senti a sutil mudança nos olhos;Mel doce,doce mel que sempre gostei de ver no meu rosto delicado junto a sua rigidez masculina de jovem.

-Como eu pensei Tompei;tem alta capazidade de suportar grande poder.Tenha certeza que não o escolhi por acaso.

Novamente as palavras para mim ficaram escasas,depóis disso fomos a sua imensa e tão requintada Bíblioteca ou melhor:Museu de reliqueas,nunca ao que saiba tinha descrevido o
modo como Maharet adqueria tais artefatos.Me deliciava ao andar com ela pelo imento e tão polido corredor.Todos os objetos guardados nas prateleiras de vidrps,livros antigos com os
contos mais abismados.

Muitas das linguás ainda indescifradas e desconhecidas ao ser humano,se eu resolvese ir a fundo nos contéudos não sabéria quando iria terminar tudo isso;uma presença e sombra
a pairar dentrás da porta de entrada,um ser que falava com ela.Meus pensamentos foram enviados a esse homem que agora entrava a caminhar na direção de Maharet,ela o fuzila-
va como que se querendo matalo ou emanando um sentimento de angústia em rever ao poderoso ancião que parou por um momento diante da ação dela.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 68

Mensagem  Ana Nery em Dom 20 Jun - 12:46:16

Sim,esse bebedor de sangue e tão forte quanto eu mais acho que por um momento minhã jovialidade pode segurálo,fiquei apreciando a figura que agora parava a frente de Maharet.
Ele me mandou uma mensagem por pensamento que me deixou mais seguro;tinha ficado preocupado com o que ele poderia fazer comigo.Sentia pelo poder contido nele que se bem
desejase podéria me desconfigurar;não me queimar mais me deixar em pedaços para com o tempo eu me recuperar.

"Tompei,bem vindo.Faz tempo que gostária de conhecelo antigo Mongê.Não tenha recéio de nada;me chame de Khayman.Venho aqui devido a presença e poder que corre no ar.
Acho que tem algumas suspeitas não e?"

Não reagi;estava paralisado diante da sua presença,tão antigo quanto a própria história. Lestat menciou seu nome em "Rosas e Sanguê" mais ao ler não dei atenção como teria
que ter dado.Khayman mencionava a Maharet daonde tudo isso vinha,ele confeçou que tinha visto Mael na Grécia a procura de algumas pistas e seus olhos escuros vieram em
minha direção.

Agora via com atençãos os seus traços egipcios no rosto,cabelos méio andulados e negros.Sua túnica da cor cinza me erá como antiguidade,tudo que me faz voltar nas histórias anti-
gas dou esse nome Marius.Ele se dirigia a mim com palavras;isso me deliciava;seus dedos se moviam rápido quando teve coragem de tocar as mãos num aperto forte.Maharet tinha
mandado ele parar,ao menos obedesceu.

A dor nos dedos erá forte,incomovada sim,pela primeira vez me deparava com um bebedor de sangue á altura do que eu sou.Um leve brilho nos meus olhos nessa verdade emanando
dele.Seu riso malicioso me deixava menos sofrido,tinhamos nos sentado sobre a escada a frente.Maharet não permitiria uma aldásia contra mim,ela deixou isso bem claro ao ser pre-
sente.Khayman a repudiava por que jamais cogitária tocar em um ser tão forte quanto ele.

-Tompei qual sua suposição?Sinto tal presença e poder desde semana passada.Como lhe citei,Mael está na Grécia para tentar descobrir algumas pistas.

-Khayman ando tendo tendo delírios,compreende?Um mulher me vem a mente desde que fiz uma viagem a São Paulo.Moro no Brasil,Rio Grande Do Sul,como tive que sair do meu
recanto na China me mudei para lá.

-Nossa,es um fanático pela História pelo que vejo em seus pensamentos Tompei.Descobriu isso nessa visão e com seus estudos?

-Mais ou menos.Configurei a união desses dois fatos que carrego.Condolosamente falo agora em Inglês com vocês por que e a única linguâ universal,mas não me tenha ao
acaso que amo sim desvendar mistérios.

Soube da misão que os arquiólogos brasileiros andam fazendo na Antartica.Cito a ti Khayman o nome Sofia;ela e que anda coordenando tudo lá;ela foi uma antiga amante
que tive e que ancéio por revela,se a vermos novamente ai sim terei certeza de o que penso e verdade ou não.Ela tem a resposta.

Khayman estava maravilhado com algo,ele levou as mãos aos meus cabelos densos e se levantou,sua vinda não tinha sido envão.Mael,esse nome eu clardei por que senti o
destino nos levando a ele.Se tal ser tinha vindo a nós e que a seriedade do problema ao que via erá grande.Maharet agora dava um abraço em Khayman que se virou a vir em
meus comprimentos.

-Es jovem e poderoso filho,não e como Lestat,Louis ou David que se corroem com seus pensamentos de dor.Tem a verdadeira força de um homem.Mantenha isso Tompei,estou
maravilhado em ver um jovem com a mente que tem.

Em séculos e milênios eu realmente me sinto grátificado,a esperança de que a verdadeira força seja mantida está perante mim.Maharet realmente acertou no alvo.

Por um momento pensei que uma lácrima tinha caido dos olhos de Khayman,mas ele foi frio o bastante para segurar sua meiga emoção.Não sábia que mesmo os mais grueis e
mais poderosos tinha tal sentimento e procura.Ele caminhava agora para o campo.Falou a nos dois que ia sair a procura de Mael que se encontrava nessa procura também.

Um último pensamento a mim,agora ele alsava vôo no céu,Maharet o fuzilava perante o aparecimento.O pensamento direcionado a mim me cencitila na mente até os dias atuais;
"Não e como pensava;ao menos a esperança e mantida.Nos revemos com o Tompei".O foi áquilo?Totalmente paralisado e Maharet agora me tirava do transe enloguênte.Nunca
esqueci esse nome,espero com o tempo rever Khayman,Marius ando louco com isso.

Mekare apaceu entre as arvores,véio saber do que acontécia e Maharer falava tudo o que sentia na presença e poder,a resposta foi imédiava entre as duas."Estou disposta
a enfrentar tal ameaça,não vou tolerar quel tente levantar a mão contra meus filhos" Um pensamento direcionado por Mekare,ela citava o que Maharet pensava.Divino,ao
menos ela me ajudava quando não podia saber o que se passa.Doce Lua ardendo em seu poder;vi algums Lobos sentados a frente e passava as mãos naqueles fucinhos de
tão gêlados,não me ameçaram e sim com toda emanação da presença queriam uivar.

Fiquei vários dias com as duas;tinha desvendado vários textos lá que prefiro deixar para mim mesmo,Segredos prefiro manter para que nada sáia do seu curso.O que esperava
erá uma reposta de Lestat.Ancéio Marius por ter uma atitude dele.Enquanto me retirava na última noite com Maharet sonhei novamente com Sofia,apenas delírios com ela,mas nada
que isso,novamente tomado pela escuridão dentro daquele sacorfago e a lebrança de nosso Khayman não sáia dos meus pensamentos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 69

Mensagem  Ana Nery em Dom 20 Jun - 12:52:00

Quando acordei fui direto as pedras das colinas,já era o momento de partir para outra e saudosa viagem.Enquando me mantinha parado no ar Maharet ficou me fitando por um e
longo tempo.Tomei coragem e descidi ir em direção a Grécia,não sabia se encontrária o Mael lá,nem muito menos o conhecia mais quéria encontrar sua pessoa para saber o que
ele tinha encontrado.Ainda estava anestesiado sobre Sofia,tão meiga ao lembrar daquele momento que estive na mente dela.

Agora tomava uma grande distância do palásio de Maharet e Mekare,pedia socorro e a linda piedade,quéria que minhã mente fosse ao mundo enquanto sáia na velocidade.Não o
matária nem iria levantarr um dedo contra Mael,essa séria minhã meta;sentia agora que eu me meti em méio a pessoas poderosas a qual tinha que ter cautela,sí tivesse tal atitude não
téria piedade.

Só queria ter uma conversa com ele;depóis de algumas horas tinha chegado a cidade de Athena,Mael tinha sentido minhã presença na cidade e véio em mei chamado;não tão com-
plicado de velo na rua mais proxima;fiquei apenas a olhar sua pessoa sobre um poste que o iluminava perfeitamente;a face escandinava ficou evidênte para mim,vi em sua mente e
pensamentos que tinha nascido na Antiga e primordial Europa,nos paises Nordidos se não e me engano.

Seus cabelos loiros andulando pelo vento;não eram tão longos quanto os meus mais eu apresiava isso,os fios finha uma andulação sedosa e delicada,os avidos olhos claros e de
tonalidade azulada junto a um toque sutil de verde.Algo fantásioso e macabro véio dele junto ao toque nos meus ombros,sua estatura um pouco abaixo que a minh,a pele ardia
em sua claridade européia;corpo forte e figoroso quanto deu um leve golpe nas mãos.

-Tompei;finalmente o vejo pela primeira vez;fico honrrado em está de frente com algo mágico.

-Sim,obrigada pela boa recepção mas acho que sabe o por que estou aqui Mael.

-Evidente que sim,comesei a sentir a presença a seis dias atráz em minhã casa remota nas altas montanhas escandinavas cá estou a procura de respostas.

Vestia uma jaqueta negra de couro junto a botas e calças jeans,um estilo méio que ao agresivo e percebi a sua responsabilidade perante todos os que desejasem se meter em
seu caminho.Suas mãos estava dentro dos bolsos da jaqueta por causa do frio,seu poder não tão forte quanto o meu ou o de Maharet mais realmente não se poderia brincar com
ele.Um bebedor de sanguê ameaçador.

-Tompei não sempre que sou antipatico,ok?Não e sempre que gosto de matar ou queimar a quem tente me porja.

-Não se preocupe mas podemos ir ao bar mais próximo?

Um leve pensamento de confirmação e saimos a andar mais rápido,vimos um Bar bem fechado e reservado a quem entrase lá,Mael abriu a porta e foi direto a área ativa;que o
silêncio e respostas viessem ao meu encontro,sentamos a mesa,as cadeiras eram bem confortaveis,a deocração suave de branco e vermelho,madeira para as persianas das
janelas.

Ele deixou as mãos cairem a borda para que a força fosse controlada,seus olhos em passeio por mim,ele comentou que não tinha acreditado ao ler tais escritas e textos
que Lestat citou em Rosas e Sanguê,não acreditava que Maharet tinha forjado um jovem com sua força.Agora sim ele me confirmou que acreditava,afinal estava perante
minhã pessoa.

Ansiava por saber de sua pequena investigação na Grécia,a cidade de Athena tem suas lendas e seu lado filosófico como ele bem citava a mim,seus sussuros meigos e sutis ao
meu olhar.Agora sim tomou coragem para me passar algumas informações,seus arrepios perante o poder que corria aonde quer que estivessemos,o medo nos seus olhos para que
todos soubesem.

-Estou com medo sim Topei,quero ver Marius urgêntemente mas e complicada meu contato com ele.Tem sérios motivos para me odiar.

-Quais?

-Há,isso só ele lhe falara,eu fui o responsável por tirar sua vida humana em um ritual macabro das lendas Nordicas.

-Sim,antigos Bruxos e feiticeiros,anciões que sempre quardam seus segredos,não e?

-Como sabe?

-Há,isso e muito simples de se ver Mael,sua face e geito de ser falam isso a mim.

Nem uma palavra entré nos dois;estava escolhendo as palavras certas para mencionar a mim.Tive soudades de Xinhua,esse nome quando pensei chegou a ele que deu mais e
fortes risos,seu sotaque antigo despojado para meu deleite."Thalwa",esse foi o nome que falei a ele por pensamento.Nem uma reação com isso.

O vento entrou por um momento e vi mais imagens de Lobos corrento entre florestas a um lugar;levei as mãos a cabeça com a visão,Mael me segurou para eu não delirar,ele
sabia que estava deixando a mente ir a todos os lugares e isso tinha chegado neste exato momento.Delírio que me fez curvar a cabeça para tráz com os olhos direcionados ao teto.

O ventilador girava forte,erá como se estivese entre aqueles Lobos,deixei as lágrimas de sangue cairem para poder me controlar.As mão de Mael pairavam em meu rosto para a
dor passar,me pedia paciência.Estava ancioso demais para saber de tudo.

-Calma Tompei,está assustado,está se deixando levar pela loucura.Sei que e muito poder para suportar.Dê tempo ao tempo.

Continuamos a conversa,ele não sabia que sighificado o nome "Thalwa" tinha e nem lhe era conhecido,ele só tinha descobrido que a antiga Grécia os sarcedotes eram poderosos
a ponto de fazer com que o poder entrasem neles.Nada mais e nada menos que isso ele me citou.Estava mais controllado.As horas passavam para minha paz.

Tinhamos sáido do Bar,ele me chamou a seu retiro que nunca decifraram aonde erá,as montanhas,ele direonou seus dedos a elas e véio o deleite do pensamento "Tenhos vários
retiros e esconderijos pelo mundo,lá entre essas montanhas existe um".Procuramos o beco mais proximo para alçar vôo.

Questão de minutos para chegar,a casa grande entre as densas e imensas arvores.A iluminação transparecendo entre a escuridão.Ele passou as chaves pela portá da mais pura
madeira negra.Ela se abril para a visão do salão de visitas,a mesa de centro de puro mármore branco,detalhes dorados nas paredes e persianas das janelas imensas que estavam
abertas.O sofá do mais puro couro vermelho,ele deixou a chave cair na mesa.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Pecado Negro- Cap 70

Mensagem  Ana Nery em Dom 20 Jun - 12:55:33

Agora eu me sentava esperando ele fazer o mesmo,ele comentou algo a respeito dos meus densos cabelos."Eles são tão pretos que mau os vejo sobre a noite Tompei".Plavras que os
ouvidos absorviam como Droga.Sem medo ou rancor para quem o apreciase,não entêndia o por que ele tinha fechado a boca de modo a morder seus lábios tão fortes.Arquei minhãs
sobranselhas de modo a observá-lo.

Ele véio se direcionou aos meus lábios de modo a deixar o sanguê cair noa minhã boca,o gosto queimava;meus braços o seguraram firme naquele extaser.Depóis de me recompor
ele citou o que pude compreender "Aonde quer que vá,a uma Taberna,a uma cidade bem distânte será recebido assim".Delirava com essas menções de pensamentos;como nunca
eu tinha visto o estava usando muito bem.

-E mas repudio tal cortésia;meus pesamentos vão longê com elas,a feminilidade me encata.

-Tem uma mulher em espécial? Lhe confeço que nunca tive uma em espécial

-Sei que sim afinal na antiguidade as pessoas não deserniam os sentimentos e agora e diferênte Mael;eu amo uma mulher sim que nunca esquecerei;ancéio e desejo revela
novamente.

-Sofia,esse nome não sai da cabeça,não tem como entrar em sua mente e não ver as imagens de vocês dois.

Fiquei boquiaberto com isso,facilmente Mael soube dela.Apenas curvei as pernas contra o meu leito e tive que me conter;ele batia as mãos nos meus ombros em reverência a esse
sentimento espécial.Ao menos qualquer criatura entêndia esse sentimento espécial quando existia."Ela e linda,dá para sentir e ver nas imagens Tompei.Uma mulher forte por si;não
desista de vela e tela para você,espero que preserve esse sentimento e quando a ver a tenha".

Longas palavras,levei meus dedos aos olhos e vi as gotas vermelhas querendo sair.Sim e que a encontra-se,odiava esses momentos em pesamento a Sofia que sempre me faz
ficar neste estado deprimente e pensativo.Mael agora lenvou-se para pegar alguma pasta com anotações sobre os Sarcedores da Antiga Grécia e me entregou.Olhava todos os seus
detalhes,a escrita dele erá muito bem aplicada e me deliciava com áquilo

-Não queira escrever em Mandarin,a complexidade e alta.

-Nunca e claro.

Os textos descreviam como eram a mágia;os rituais aos deuses,o que eles sempre iriam preserva.Concordei com um aseno de que tinha algo haver sim.Só um desses antigos sar-
dotes para ter tal poder sobre o mundo.Estava fatigado e quardei a pasta em uma bolsa de linho verde-escuro que ele me entrogou.

"Tompei leve isso ao Marius por favor não esqueça de que estaremos a pontos para ajudar a todos".Meras palavras de conforto na avida mente que ele tinha e me levantei para o mau
vôo,cito isso por que ódio está sem os pés no chão mas nesse caso erá nescessário para os anciões que estava amando conhecer.

Nunca mais pude ver Mael,ele sempre a cada passar de noite está em em lugar diferênte,vi sua figura se retirar nas trevas alhei-as daquelas montanhas quando me despedi;agora
me direcionava a sua Pandora;ele tinha me citado o nome dela como impotância.Realmente essa viagem estava me servindo para algo e peço desculpas a vocês por não poder dizer os
endereços.Tudo deve ser preservado ao máximo.

Maghifica visão de estrelas,sentia a presença da Pandora em um lugar nem distânte,acho que ela viu minhã pessoa nessa ardua locomoção.Meu coração bátia forte,conteplei a bolsa
balaçar no vento devido a alta-velocidade de vôo,os cabelos puxados para tráz dedido ao impacto do vento gélido.Marius sei que sua face cora diante de minhas palavras e junto a
surpresa mas a vi sim mestre.Foi com um tempo curto que a vi nas colinas da Itália.Muito perto para meu deleite.

Não vi nem uma casa por perto,ela tinha se locomovido para não dar o vascilo de alguém ver seu retiro,estava encoberta por um manto branco,os cabelos escuros e com tom casta-
lho caindo pelas costas,os olhos amendoados e escuros me fitando e vi que não me sabia quem eu erá,apenas sentiu minhã pessoa se locomovendo e lá estava,a pasta jasendo nas
minhãs mãos,adorei a delicadeza de seu rosto junto a altura.Um lugar bem deserto para minhã opinião.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 71

Mensagem  Ana Nery em Seg 21 Jun - 9:39:31

Suas mãos arancaram a pasta das minhãs mãos,Pandora averiguava os papés com toda a escrita de Mael.Tinha falado que hávia estado com ele,gostei da tonalidade de sua voz com
o toque antigo.Sentamos sobre as pedras daqueles colinas baixas,o ar véio guênte para que eu respirasse firme,mesmo os bebedores de sanguê não tendo essa nescéssidade eu amava
fazê-lo.Ela ficou silênciosa enquanto lia tudo.Nada de suma importância,só nos ajudava a ter idéia de como os antigos sarcedotes gregos eram.Toda dor nunca tinha sido tirada de mim,o
conhecimento e poderoso quando o temos.

Seu olhar tinha de direcionado a mim apóis terminar a leitura.O manto lhe ardonava todo corpo balançava ao vento Marius;nunca vi tal vislumbre perante meu olhar.Ela levantou-se
e me pediu paciência para o que podéria vir,tambem sentiu a presente junto ao forte poder aonde ela estava presente.Seus gestos rápidos sobre minhãs costas,estavamos caminhando
enquanto analizavamos tudo o que achavamos.Todo ser tem sua opinião e não devemos ir ao caminho contrário de toda sensação que possamos vir a ter.

-Tompei obrigada por ter vindo e não acho que iss venha a ser desencadear agora nestes tempos ou proximos meses.E algo que só vira a tona quando alguêm vir a vida.Não acho
que sejá apenas uma pessoa,tem mais que isso.

-E isso que quero resaltar Pandora,Lestat e demais companheiros não sentem isso por que são fracos perante nós.Só terão noção do perigo quando tudo vier a tona.

-Tenho certeza absoluta do que menciona a mim pequeno ancião.

O toque de Pandora foi cálido sobre meus cabelos,ela visionava todas as caracteristicas que carregava.Passeava seus olhos sobre meu rosto;braços,tudo que ela pudese quarda da ima-
gem da pessoa que eu sou ela o fez.Mais uma rachada de vento forte para levantar a poeira sobre ela.Isso a deixou inrritada para me pedir que entrega-se todo o contéudo da Pasta a
você Marius.Espero que esteja anotando ai e que continue gostando de tudo.

Quando tive que me retirar me segurou forte;pediu mais um tempo para saber mais sobre o que eu erá,só mais algumas informações que desejava ter.Voltamos a sentar mas agora
nos penhascos.Mesmo em sua quietude ela conseguil dar sua opinião sobre todos que acontesceu anteriomente com Lestat e mencinou o nome de Ana Nery para meu deleite.Fiquei a
houvir tudo que ansiava me dizer,meus risos tiraram mais algumas gargalhadas dela.

-Tompei realmente para mim dois seres que vão caminar além do que todos os jovens e você e Ana Nery.Não que Lestat goste desta idêia mais acho ele fraco demais em quardar
seus sentimentos.

Sei que a dor e forte para todos,para mim todos que moram com ele como Louis e David se deixam levar por motivos futéis e tolos.A um certo modo deixam de ter a força que o
bebedor de sanguê prescisa ter.

Opinião avasaladora para que eu fica-se sem o que mencionar a Pandora,como a cor do manto lhe cáia como mágia,realmente mesmo com toda dor do mundo devemos ter a força
para seguir;para ela Lestat não téria tal requinte por muito tempo.Um ser da noite que tem essa fraqueza não se tem momento para morrer,ele pode fazer-lo a qualquer momento ou
hora.Fiquei me perguntando se Lestat agiria de tal forma.

Mas acho que não Marius;apenas gostária que o moleque se desse conta que devemos ter a total frieza do mundo para manter nossa existência e foi isso que mencionei a Pandora ao
acaso quando senti suas unhas roçarem meu rosto,o contato sobrenatural sempre me dar o arrepio que gosto de ter,meus risos foram breves,ela gostava de ver um homem assim com
o fervor da paixão.Aonde o caminho nos leva?Aonde devemos chegar?Fiz essas perguntas a sua figura.

-Não tenho certeza Tompei,o fim da jornada para um imortal e indeterminado por que podemos escolher a hora em que vamos morrer mas a coragem de enfrentar a força do Sol e de
tirar essa coragem de qualquer um.

-Ácha que morrei um dia Pandora?Será que o Sol tem a força para me transformar em um nada quando tomar essa coragem?

-Não,não tem.Não e qualquer um que chega e e feito do Gerne.Maharet realmente foi divina ao fazer de você o que e agora e ninguêm tera a coragem de tocar um dedo no fio dos seu
cabelo.

Aceite essa verdade Tompei: Não vai ser morto ou sequer transformado em cinzas de uma forma tão fácil,assim.

Doloroso o tapa que Pandora me deu de forma educada,asenti repesando em tudo.Estava certa sim e com o tempo iria me redescobrir.Fechei os olhos por um momento para que o
perfume da folhagem viesse em meu avido faro.Delirei com isso,todos os detalhes que eu gostava de apresciar me traziam vições da alma e vida que estava e estou seguindo com a
ardua melâncolia que me tomou.

Como Sofia iria agir ao me rever?Perguntei isso a ela que ainda se mantinha ao meu lado para não me deixar enloquecer e me respondêu com um pensamento divino "A dor não ver
o que dizemos mas sim a força fará com que sua Sofia veja por outros lados.Não ancéia no seu olhar e sim faça com que ela veja isso por si mesma".Os seus dedos ainda passeavam
por detráz da nuca para depóis ir aos seus densos cabelos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 72

Mensagem  Ana Nery em Seg 21 Jun - 9:43:13

Agora me dava conta do que faziamos;realmente as nossas descições trazem sérias conseguências em nossos destinos.Hogê em dia se eu tivesse a change de voltar atráz e não ter
podido ajudar Lestat o fária;não vou dizer que não fui prejudicado por que realmente todo farto caiu sobre mim e não a ele que erá o responsável por tudo.Tenho rancor em lembrar
do que passei naquela cama lá no clarto dele em Nova Orleans,tenho ódio do que tenho que carregar agora.

Pandora se deu conta dessas sensações explicitas em meu olhar e isso foi o soficiênte para que se silência-se ainda mais.Não gostava de agir dessa forma diante dela mas em meus e
gratificantes pensamentos qualquer um ver tudo que carrego."A beleza da besta está facilmente em você Tompei.Nem tão cedo me depararei com um bebedor de sanguê assim,do
geito que es".Agora quiz me levantar,ela asentiu com um forte abraço perante as soudades que tinha de Xinhua,vários dias estava longê de casa e quéria saber o que ela andava orga-
nizando na mansão.

-Presciso Pandora e quem sabe não nos revemos por esses meses ou tempos linda.

-Pode ter certeza que sim e por favor não deixei de entregar essa Pasta ai ao Marius.Ele vai saber o que fazer quando a entregar em suas mãos.

-Tenho certeza que sim;e simples mais e importante averiguar a simplicidade por que e dela
que tiramos as soluções.

-Absoluta filhote.

Fiquei esperando a coragem de enfrentar o vôo vampiresco me tomar e lá me ergui aos céus novamente,sentia que novamente háveria de dar a volta na Terra para depóis poder
chegar no inicio da noite no Rio Grande Do Sul.Antes de vir ao seu encontro que aqui estou agora prescisária resolver algumas coisas básicas.Estava com meu coração em pedaços e
ainda tenho certeza que essa sensação se mantem até este momento que me encontre perante você Marius.

Foi a viagem mais triste que já fiz,me sentia inexistênte no mundo,como que se o Tompei que sou deixa-se o vácuo lhe engoli por completo."Thalwa",novamente esse nome não me
sáia e nem me sai dos pensamentos,me lembrava do uivo dos Lovos lá aonde Maharet mora em seu leito de solidão.Me fiz a seguinte pergunta:Será que Xinhua um dia vai me pedir o
sanguê?Ancéio por isso.

Tenho vontade de dar tal presente a Xinhua para mante-la comigo;finalmente apóis toda a demora da viagem cheguei na mansão,saltei na varanda do meu clarto e a vi dormindo nos
travesseiros fofos e gostodos;os lenções em branco e vermelho o que dava a perfeição.Ela sentiu minhã chegada e véio me abraçar,estava tremula na espera,amei ver a densa manta
marfim que vestia,seus ombros desnudos para meu delírio.

-Finalmente em casa Tompei;o que descobriu?

-Não muita coisa mas o bastante para saber que só com o tempo saberemos o que nos vira à acontescer Xinhua.Estive com Maharet,conheci Khayman e Mael,acredite minhã Xinhua no
meu encontro com Pandora.

-Compreendo e vamos ver no que tudo isso vai dar.

Ela se deixou tomar por sua quietude áli deitada comigo,estava fatigada pela espera e seus dedos delizaram por meus cabelos,vieram os beijos arduos e dolorosos que me faziam ter
que aguêntar para não machuca-la.Toda delicadeza de Xinhua e o que me faz ceder a tudo que deseja,mas ela merece por que sempre vou mante-la protégida sobre minhas asas tão
imensas.

Tinha deixado me envolver novamente por esse prazer que só ela sentia,nada como a deliciosidade de poder ir rasgando toda sua veste aos poucos,o desenrolar daquela paixão que
me corta ao méio;toda sua macies para seu desejo queimar como larva quente se derramando sobre meu sentimento.O gosto dos lábios vermelhos e delicados para suportar toda sua
decição.

-Querida mantenho a promessa de que jamais alguêm levantara a mão contra você e a de que sempre estarei presente.

Todo mero dos brilhos dos olhos azuis,o azul mais perfeito que já vi um olhar emanar em sua vida.O desenrolar do início daquele noite foi como o infinito;nunca téria coragem de lhe
perguntar o que eu desejava fazer,séria um ultrage a Xinhua que agora se deliciava na sua loucura mortal.Apenas enchia todo áquele corpo de beijos,apenas quéria que ela se sacia-
se com isso.

Ela prendeu a respiração por um momento devido a força do delírio e a deixei deitada no seu leito de sono junto a mim,passária o resto da noite ao seu lado;quéria matar as souda-
des me matendo nessa apreciação.O geito com que se deitava sobre mim erá delicioso aos seus gestos,uma descição que até dado momento estava me corroendo sem ela saber do
motivo.

Entrelaçava minhãs mãos nos seus ombros com uma delineação suprema de tão perfeita que sempre teve.Realmente continuo matendo a palavra de que Lestat nunca entendera o
verdadeiro amor que podemos sentir diante de uma pessoa,ela tinha acordado por no méio da madrugada me puxando para seu leito,toda desejosa por não suporta a sua vontade,erá
a vontade ela,ela mandava em tudo que sempre quiz.

Sua mãos firmes sobre meu rosto enquanto quéria me manter intacto aos acontescimentos que a fez insistir firme.Envolvidos pela queima absoluta da inocênte da pureza que toda uma
mente pode mantér.Ela mantinha-se guênte por todo corpo delirante;seu erquear de docilidade emanando como uma visão.Foi assim que toda noite correu até poder me retirar para
o sotão que tanto admiro.Lá que o silêncio quebra-se a dolorosa gesticulação da vitalidade que ainda tenho.

"Os Lobos trazem sua resposta para que possamos ver em seu olho de Besta".Agora sim o desembaraçar da téia iria começar,continuava madando meus pensamentos ao Lestat que o
iria fazer enloquecer.Tinha conseguido encontra-lo durante meu sonhos,ele ainda não tinha visto a entrega da postagem,quando entrei em sua mente ele estava com Louis numa louca
caçada em Nova Orleans,Louis ao meu ver nessa entrada de mente tinha se atrapalhado no conclúir da tarefa o que deixou Lestat puto da vida,o seu pensamento me foi houvido pelo o
son "Louis?Seu filhos da mãe por que tinha que fazer isso?Vai para o inferno!".

Eles agora sairam da minhã visão;andava sodando sim para tentar encontra-los e ao meu ver ainda que por um mero vislumbre os vi;a escuridão me tomou naquele sono eterno no
leito negro.A caça da vida faz com que os ensinamentos sempre venham nas descobertas da ávidez.Sanguê;paixão e docilidade,essa são as minhãs três palavras que uso como léi
na imortalidade que Maharet me deu.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 73

Mensagem  Ana Nery em Ter 22 Jun - 15:09:08

O toque de Xinhua foi o sofiênte para que me trouxe-se a tona na noite que se iniciava,ela ao abrir a porta do porão deu seu alerta de presença naquele momento.
Me ajudou a levantar-me para poder sair a uma caçada que meus extintos pediam.Subi ao imenso banheiro da mansão para um banho antes disso,enquanto isso ela
procurava roupas frescas.Gosto da sensação da água correndo pelo corpo,nunca desperdiço tal prazer que me causa caláfrios,a fumaça guênte subia ao ar.O box
transparênte para que a visão fosse melhor.

Todo perfume de exências emanando por todo lugar.Façam com que as mentes avidas com o pensamento macabro me dominem,essas palavras vinham a mente para
que refletise sobre as descições olocaustas que a vida me obrigou a fazer,não gosto de chamar morte por que de alguma forma existo neste mundo Marius.Ainda pensava
em Lestat diante daquele situação com Louis;espero que ele apreenda algo.Meus dedos passeavam pelo vidro do Box,a húmidade em alta temperatura para me aquecer,os
longos cabelos em sua cor negra,grudados sobre as costas e ombros.

Mantinha meus olhos fechados nos deliros que essa sensação me provocava,queria me queimar so Sol,fazer uma tentatica louca de morte perante essa alma quebrada que ainda
carrego.Ainda não fiz tal ato por que Sofia e Xinhua me fazem viver mas garanto que se chegar um dia em que elas não existam mais nesse mundo vou fazer.Não suporto essa e
dolorosa verdade que fico pesando dia e noite.Agora Xinhua entrava pelo banheiro,ficou a esperar minhã sáida e me entregou uma toalha mácia para me enjugar.

-Tompei está triste,não esconda mais quero saber o que se passa nessa mente ai.

-Xinhua não sei;to sofrendo sim e ao que vejo esse sentimento nunca desaparecera de mim.

-Compreendo mas estou áqui.Nunca será nescessário dizer que está sozinho.

-Não por muito tempo Xinhua.Para minha pessoa jamas cogitária a idêia de que já não possa ter as duas pérolas.

Ficou sem entênder nada;essas palavras vieram em referência as duas.Sái pelo corredor para entrar no clarto,Xinhua procurava o gloset para conclúir a procura de minhas roupas.
Finalmente terminou apóis encontrar um belo par de botas curtas da cor cinca;sái para ao alcanse das peças já em cima da cama,belo sobretudo longo,a faixa cáia ao lado quando o
vesti,a cor marfim me cáia perfeitamente,os pequenos botões prateados brilhosos sobre a iluminação.

Terminei com uma calça bem justa que de modo sutil demonstrava as aticulações das pernas longas.Agora sim as botas para dar o toque final,estalei os dedos para colocar
o par de luvar de puro couro polido,ia fazer uma caçada para nunca mais me esquecer do ato.Xinhua agora deslizava o pente nos cabelos pesados,agora ao me olhar no espe-
lho me dava conta que nada em mim mudou no passar dos anos desde o ardil.Machuca saber disso,o brilho sobre o denso negro aparécia sobre as costas naqueles fios.

O liso indescritivel ao toque,a sensação de macies nos cabelos chegada a perfeição de deuses e lá desciamos para meu deleite,a doce Xinhua me seguia.Usava um longo vestido
de lã turquesa escura,a faixa dourada ataca naquele fina cintura,sandálias finas e bem ao modo nordico.Suas unhas polidas machucavam quem ela deseja-se,algumas questões ela
me citou diante desses atos.

-Não em morrer não e Tompei?Será que a dor vai passar?Ainda me mantenho com medo disso.

-Não enquanto você ou Sofia existirem Xinhua.

Seu olhar foi em direção ao chão,olhava para baixo em magoa pelo meu comentário,esta entedêndo o que anciava que ela me pedise.Um passo de suma importância.Após alguns e
longos minutos chegamos a cada a vitma que tinha escolhido,vi o filho da mãe em meu so-
no antérior.Falo isso agora por que só no momento o desejo de revelar os segredos me to-
man.Tinha subido ao telhado da pequena casa branca.Minhã doce irmã escondida detráz do
portão,seu olhar se voltou a mim por um momento.

Se tratava de um exportador de mulheres sujas,melhor dizendo:Prostitutas que iam para o mundo fazer o trabalho inlegal,sáia andando lá em cima para saltar do lado oposto,a sua
porta de fundo aberta a quem fosse entrar;um vascilo fatal para ele que estava caminhando pela sala decorada da mais bela mobilia luxuosa.Me mantive quieto até ele vir aonde eu
estava.Xinhua apareceu por detráz para dar um golpe de despedida,me jogou uma adaga para poder conclúir.

-Obrigada princesa e quanto a você não fique triste Sandro e sim agradesça a sua ida ao inferno !

Esse foi o nome dele,estava seguindo sua pessoa a algumas noites para ter uma escolha boa e fortiva para meu corpo,as mãos se erqueram para seguralo firme contra a parece
fria e bem contruida,seus cabelos andulados e curtos macios como seda,os olhos verdes a chorar em perdão a mim mas envao por que á o corte com a lâmina o fez desmaiar,foi na
altura da garganta que agora sangrava.

O abraço junto a mordida fatal para poder delirar,algumas taças da estante tinham caido devido ao impacto,me sentia começar a ficar aquecido com o calor do sanguê chério de
vida.Ele contorsia-se levando as mãos ao meus ombros delicados porém rigidos em sua força.Xinhua caminhava para meu lado em observação a isso,seus olhos quardavam o
que um dia possa vir a acontecer com ela.

O homem mantinhasse grudado a mim até se esvair sem vida nos meus braços,fechei os seus olhos para o sono eterno,movi minhã linguá as minusculas presas para deixar cair as
gotas em cima do ferimento que fechava sem deixar nem um vestigio,apenas movi os meus dedos para limpar.Xinhua esticava seus delicados e finos braços a mim,nada melhor do que
aqueles beijos guêntes que sema sempre tinha a me oferecer.

-Unanimidade Tompei;aguênte firme até realmente aceitar isso em sua imortalidade.

Não tirava sua razão diante da preucupação,nestre algê a deixei fazer o que bem quizese com o corpo que ela carregava para colocalo ao sofá,saimos apóis isso para a noite que me
esperava,pensava em "Thalwa",não faço a minima idêia do que esse nome sighifica mas ele sempre vem em meus pensamentos,senti as mãos de Xinhua pairarem na altura da cintura.
Levou os dedos aos meus lábios,tinha restado algumas gotas de sanguê neles,fiquei quase enloquecido quando ela se delicou ao lamber seus dedos levemente sujos com aquele ardil.

Ela tem atitudes macabras,se acostumou a isso quando véio morar comigo,em seguida o abraço fatal para sentir o perfume das tulipas negras,um perfume que nunca sáia do seu
corpo desde tempos antigos."Um dia Tompei,quem sabe não possa vir a morrer",que ato insano,sussuros de matar,extrasalhar em mil pedaços qualquer imortal que esteja perante
ela.Segudou firme com as mãos meu rosto a fita-la incrédulo ao gesto,com sua leveza e toque de pena véio seus dentes a rasgarem firme minhã boca,tentei me afastar mais nada a
fez parar diante da sua pequena força.Beijo satânico e longo em seu aporgêu.

avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 74

Mensagem  Ana Nery em Ter 22 Jun - 15:16:34

Não anciava por nada perante Xinhua que continuava a se deliciar,por momento vi que seus olhos enublaram com á ação do sanguê negro mas parou,fez um gesto de enloguência para o
passado não voltar a tona,caiu de joelhos ao chão em sua melâncolia de juventude,estava no doloso momento de lebrança,virou seus olhos a mim como que pedindo que volta-se a ser a
pessoa de antes,nada véio em resposta a ela que mantinha-se naquele ato.O tempo e suas lições permanecem intactos dentro de minhã alma.A coragem de respônder a ela véio como um ráio.

Me sentei para apoiala sobre meu corpo,se esváia com à antiga dor desde o impacto que os acontecimentos lhe deixaram.Lembran-se do estado de Xinhua ao eu e Lestat ir vela no meu
antigo-templo?Sim,as marcas passavam mais ainda pernanesciam em sua alma que estava no começo do antigo sofrimento;a segurava firme enquanto se angustiava por dentro,jamais iria
terminar,foi essa verdade que descobri ao ver Xinhua matendo a mesma sensação de tudo o que sentia.Seus olhos azulados visionando as folhagens para conseguir deixar as lácrimas ao
rosto continuarem a cair;o movimento das mãos ao meu rosto trouxe medo.

-Vai voltar,sei disso Tompei,vamos esperar como tudo terminarar meu Tompei,de alguma ou de outra forma não sofro como antes mais ainda sinto angustia.Espero que continue sendo o
meu protetor,tenho essa nescessidade de proteção,sabe disso.

-Não tem o que pedir Xinhua;jamais vou deixar como sempre cito a você que pessoas ou os seres da noite ousem lhe tocar.Séria um ultrage a uma Rosa Negra como sua pessoa e.Com
o passar das magoas vai melhorar,meus conceitos e virtudes não mudaram.

-Mesmo diante de tudo que passou com Lestat junto aos seus amantes Louis e David?Por favor nescessito ir a um cemitério;quero fazer atos insanos por lá,só assim algo me toma e me faz
voltar a mim.

Não foi nescessário por que saimos para nossa mansão;não consigo desernir como ela enloquecia nestes momentos de dor,ao continuar caminhando com Xinhua vi que limpava as gotas
de sangue já secas da boca,vimos o portão que os quardas abriram ao nos ver,minhã irmã na sua transformação de mente ficava mais macabra a cada dia e passar de meses,dei de frente
com isso ao vela ir ao seu clarto.Ela tinha o seu particular para quando quizese ficar sozinha.

Ódio pela sua continuação de atitudes provocativas,Xinhua tinha se tornado a mulher da sua própia maldição e não tinha destinção enquanto me fitava perante sua continua vontade.Sabem
aquele mulher que adora se deixar possuir pela dor macabra?Essa e a Xinhua atualmente.Não se importava em me usar como seu escudo de desejos,não se importa em pisar em quem vá
sofrer.Meros pensamentos que descrevo ao continuar Marius.

Noite tomada pela sua face negra,ela véio andando para me fuzilar naquele sentimento de seu ódio.Seu arquear de sombranselhas finas e delicadas foi o deleite e a resposta que esperava.O
gesto como um chamado para seu prazer,não o meu lógicamente.Seus dedos desabotoavam seu vestido para ir a desamarrando a faixa,quando tentei atravessar a porta e ir em corréria a sala
ela apenas critou perante a ação."Seu demônio não vai sair não,pode ir ao inferno ao sofrer no seu leito mais quero realmente viver Tompei".

-Uma maldição,só pode ser.Uma ferida realmente dolorosa Xinhua.Ainda vai continuar com sua enloquência?

-Pouco me importa e sim quero viver e saciar tudo que ancéio,mas nada que isso demônio.

-Não me chame desse modo !

-Cale-se !

Não adiantou descutir ou revidar,ela já trancava a porta,a empurrei contra a comoda ao lado da sua cama,do sofrimento passou a puras chamas de vida,citou que prescisa aceitar sua vontande.A
de que não não erá mais a mesma Xinhua,uma pequena morte que ela mesma lhe causara dentro de si.Suas mãos deslizavam para seu deleite ao algê da sua própia complexidade.Alguns vasos a
cair no chão quebrados.Respirei fundo com toda dor possível,uma mulher absolutamente tomada pelas trevas.Enquanto terminava de tirar minhãs roupas o prazer a consumia,trevas e trevas de
tanto odiar vela fazendo isso comigo.

No cair sobre a cama densa todas as apreciações possiveis sobre ela me contaminavam como o ardil correndo nas véias,toda mente expandida em continuidade perante sua própia loucura nas
trevas e escuridão.O problema das mulheres e que sabem nos levar aonde querem sem que não possamos agir.O perfume das Túlipas Negras ainda viam do seu corpo ao continuar tudo que ela
anciava.Ela gostava da força suprema ao mante-la contra a parede,fiz isso após ficar com mais ódio ainda e ela proclamou.

-Ódio e isso.Se quizer me matar por faze-lo por que quando se chega a esse ponto já não existimos para o mundo Tompei.

Meus lábios tremiam sem reposta e meus olhos fecharam em docilidade,Xinhua delirava até o cansaço lhe possuir,verdades que ela mesma jogou na minha face ao continuar naquele ritmo
que tanto apreciava.Critos altos como nunca houvi antes.Já a vi critar mais não ao modo que o prazer lhe provocava.Total inferno dentro do seu olhar.Ancéio pela resposta do que procuro;
ancéio por tudo que a imortalidade possa vir a me proposcionar,quero desvendar até onde o caminho irá chegar.

Todo suor provocado pelos delirios caiam ao seu rosto doce,agora sim as unhas cortavam a pele das minhas costas,algumas gotas de sanguê escorendo,o que fazer?Enloquecer peran-
te a Xinhua maldita.Mas algo supremo novamente acontesceu,Lestat me procurava por seus pensamentos enquanto me mantinha naquela situação,o filho da mãe só véio a falar comigo
apóis séculos de espera de sua presença,isso me fez esperar proscessar o que iria dizer ao sentilo entrar na mente.Falo áqui que os pensamentos vampirescos viajam a qualquer lugar.

"Tompei pare por ái seu miséravel,recebi sua postagem e com o tempo vou analizar o seu contéudo no Cd-Ron".Meus risos sairam altos,amava houvir a voz do moleque novamente e
sua locura lhe possuir."Que ótima notícia Lestat,desculpe por tal situação neste momento,vá agradescendo a Rosa Negrá ao meu lado"."Não e maldita não e sim uma benção,me retiro
por que sairei a desbravar tal menção ao ser que comentas nos textos".

Acabou,ele saiu para desaparecer nos meus pensamentos,Xinhua continuava a me encher de mais beijos,sua voz doce para mim,música indolatrada por todos,ela me jogava contra o
espelho da cama para se esticar sobre meu corpo,novamente as pernas entre-abertas na altura da cintura para ela delirar mais e mais,os beijos dolorosos a consumiam.Para uma
humana ela tinha força,envolvia meus ombros com os finos gestos de uma princessa negra e amadiçoada,seus seios guentes encostados sobre a minhã boca,me deliciava com seus
mamilos delicados.

-Um dia vai morrer por isso Xinhua,uma ameaça a você.

-Quese sejá,estou anciosa para saber o que pode acontescer comigo ao tempo.Quero voar nas estrelas da vida para assim apagar no meu brilho querido demônio.

Agora essas palavras me fizeram cair por cima dela,a cabeça encostada sobre o lençol fino e perfumado,ela pedia mais e mais de minhã força nas intimas posições alhéias do
seu prazer,seus lábios delizavam sobre minhãs mãos quando ela deitou-se de lado para se apoiar no meu anti-braço."Quero desaparecer para toda existência",palavras junto
ao momento em que o mais alto delirio véio.Quando ela se esvaiu sobre meu leito os pensamentos me consumiam.A imagem de ancoras,jaros que quardam almas agora no
momeno de refleção.


Sim Marius,fechei novamente meus olhos para desernir essa doce visão,olhava para o alto do teto ao abrilos,Libelulas tenebrosas que eram quadiãs do supremo poder da
mulher que suspeitava existir.O toque de Xinhua me trouxe novamente a razão para poder apreciar seu rosto."Ancoras que contém suas almas sacramentadas".Ao houvir
essas palavras Xinhua novamente absorvia as minhãs palavras,que a noite nos envolsesse nos atos obsenos.



avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo- Cap 75

Mensagem  Ana Nery em Ter 22 Jun - 15:28:03

Os dias com esse acontescimento passaram,admitia o quanto Xinhua tinha mudado nos meus conceitos de irmão,antigo laço e fio que fora rompido por ela naquela noite.Estava esperando pela vinda de uma
pessoa,um bebedor de sanguê ao acaso,Armand mencionou nos meus pensamentos que iria aparecer a qualquer noite que desejase vir.Ficara preucupado ao encontrar Pandora e houvir da própia boca dela
o que aconteceu em nosso encontro.Foi um encontro e troca de pensamentos muito rápido mas forte para anciar por sua vinda a minhã tão adorada mansão.

A sua pessoa apareceu no vão do jardim para meu delírio,um belo Domingo,antes de tudo não quero e nem foi mencionar minha vida secreta que me faz ter tantos recursos.Armand me recebeu de forma doce
para descrever melhor.Entramos e subimos para a parte superior,ficamos no terceiro andar,infelizmente o moleque do Lestat não descreveu em seu conto tal beleza.Essa andar e todo decorado por movéis vene-
zianos.Lá ele se acomodou na proltona toda couraçada com a tonalidade marrom.O olhar castanho absor- vendo todos os detalhes das cortinas claras e mesa central de madeira medieval.

Nunca iria mudar,neste impacto perguntou desde que momento estava nessa pista e descoberta,citei que sentia o poder latênte a todo momento.Muito poderoso mesmo com o ser em profundo sono.Inadmisivel
tais palavras,ele não acreditava no que falava o que me fez ficar a ponto de jogalo contra as colinas lá abaixo da mansão.Se Armand estava diante de mim e que quéria respostas para poder acreditar naquele
encontro com Pandora.

-Tompei são palavras e acontescimentos que não consigo absorver.Ando abalado pela atitude da Pandora quando nos encontramos em Veneza.

-Qual o estado dela?

-Está a ponto de enloquecer pelo poder que ela mesma diz sentir constantemente;eu não sinto o mesmo.

-Evidênte que sim Armand;afinal só os anciões dersinem essa presença no vento,estáa aonde quer que possamos ir.

Seus cabelos ruivos amarrados para tráz num belo rabo de cavalo,frase horrenda para descrever,ao menos descreve,não e?Armand tem uma beleza anoréxica que o perseguê noite a noite para que ele
seja dominado e desejado pelos outros,não por mim e claro.Citei que Lestat e Louis podériam está na caminhada das pistas,ele balançou a cabeça decepcionado.Xihua agora entrava para sentar ao meu
lado.Nem um medo pela figura do tal Anjo De Boticelle diante dela.Xinhua tem um talento espécial,o de fazer com que qualquer criatura queira correr.

Armand estava prestes a agir dessa forma mas o contive quando o vi sobre o sadrilho de madeira da imensa Janela.Suas lácrimas caiam ao rosto,estava forma de controle com Xinhua que lhe fázia agir
dessa forma,tinha visto tudo que acontécera pela mente dela,quéria se livrar de tais entoações de sua mente.

-Ela lhe possui quando quer,como pode permitir isso Tompei?Ela me causa medo,muito medo mesmo. O único humano que me tráz esse sentimento a tona.

-Calma,ela jamais o ultrajária como pena,Xinhua tem seus motivos e virtudes que preserva para si mesmo.

A conversa correu nessa noite,amava sua roupa toda roxa,sim,o rom do roxo escuro em todos os detalhes,mistura da atualidade com o atihuado,feito que só ele sabe fazer ao seu própio modo de
ser.COntei tudo,absolutamente tudo entre meus encontros com Maharet,Mekare,Mael,sem deixar de me esquecer de nada.Ele silênciou com isso,houvia para nunca mais esquecer do nome que
me vinha a cabeça,a preucupação despertou nos olhos meigos.Não receava pela ameaça que sou a ele ou qualquer um,confiava que minhã fortitude e palavra.


A iluminação da Lua cáia sobre sua face,a brancura da pele descatando-se para me arrepiar ao extremo.mãos calidas passendo pelos meus cabelos,quéria descobrir e explorar como séria um
bebedor de sanguê mais forte que ele,ele me citou que erá um menino quando transformado por você,que lesse seus textos para descobrir tudo um dia.

Asenti com um riso doce,forte,sim,muito forte,me dava conta disso com o passar e transformar das horas daquele momento entre´nos dois.pediu pra passar dias comigo,quéria continuar em
sua loucura,aceitei sim,Xinhua pediu que pudese explorar as colinas com ele,desciam as escadas para me deixaram sos.Xinhua séria um belo deleite para ele,me esvai no sofá da sala para ver
o lustre acima do teto,enloquecendo na dor constante.

Pedia aos deuses que trouxesem uma luz nas dúvidas,iluminem meu caminho para que a dadiva seja dava a somente ao merecedor.Corta a carne pudrida dos mais fracos que matei com minhas
mãos,assim queimo nas chamas do espelho.Pensamentos soltados ao ar,perceptivel ao toque do gelo,mantive-me concentrado nisso.Agora os dedos acima das almofadas me acolhendo naquele
momento.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ****Espelho De Fogo*** (2° Conto)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum