****Espelho De Fogo*** (2° Conto)

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

****Espelho De Fogo*** (2° Conto)

Mensagem  Ana Nery em Qua 9 Jun - 10:50:56

Prólogo:

As chamas podem arder,não e?Podem me chamar de mongê;ancião ou melhor Tompei.Nacido na mais bela amplitude que um ser humano pode
ter em sua vida.Quem sabe um dia me encontram em algum belo beco ecuro ou melhor: Assassinado por minhas mãos.

Não quero reverenciar o mau ou sobrenatural,aceito o que sou ao acaso os demais não são assim.A porjância da vida pode ser é e conquistada de
modo inesperado.Não sei dersernir o que e amar ou viver.Sigo o mero faro do destino.Maharet minha cara rainha;um dia podera morrer por minhas mãos e
saiba que estou a passos de enloquecer.Quero ampliar meus conhecimentos de imortalidade.

Estou morto para muitos aspectos que veremos em continuidade do prol da evolução.Lestat quando ler tais palavras se mate:Você é e sempre será um
condenado.Minhã cara e bela Ana Nery tenha certeza que a seguirei até o fim dos tempos.Nascido na antiga China milenelar,forjado ao que saiba pela força de
deuses,acreditam neles?

Tenham certeza que eles os seguêm nos lugares que menos esperam,entre os seres da noite estou acima do patamar que Lestat,Louis ou David estão.
Tive o dom de forja a vida e que infelizmente me foi tirado.Continue a ditar essas palavras Marius,sim,dite com toda sua agilidade por que enquanto dou passos nesta
sala pode continuar.

Estou com soudades de viver,tenho cede por fogo,sanguê ou melhor:Almas que eu mesmo debati com a sacro-mágia.Ouçam tudo e se não gostarem que queime
este livro.Podem pronúniar orações,vão prescisar leitores.Prescisaram correr para um dia escapar de nossas garras.Como e doce ser frio,não que sejam merecedores
de tais atitudes minhãs e claro.

Solto risos diante da morte;não tenho medo dela e venham apreciar o que tenho a lhes contar miseráveis indolatradores de imortalidade,vocês que são os seres da
noite mais fracos tem meu recado:Que tentem tocar em minhas virtudes e vão queimar junto a mim.

Que o fogo do Dragão esteja com vocês e Marius continue digitando,digite caro mestre.Lestat quando ler este livro pode e vir me queimar,sei que tem ódio de
mim por afrontalo como nem um outro e que assim a história seja contada.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 2

Mensagem  Ana Nery em Qua 9 Jun - 11:00:16

Tinha meus 12 anos quando fui morar no templo com meu pai.Kenjing apenas foi me pegar na casa aonde minhã mãe residia.Falo a vocês que me foi doido
ser arrancado dos braços de minã mãe,estava dormindo no quarto em uma bela tarde quando isso aconteceu.A vi entrar para me arancar da cama.O carro a
me esperar junto ao motorista.Não entendia quem aquele homem erá ou o que sighificava para mim.

Kenjing naquela época mau passava de um aprendiz das artes chinesas,até o dado momento não sábia quem qual realmente erá a face do meu pai.Eu
me separei dele com meros 3 anos,sabe aquele contato que não tem?E isso que nunca tive com ele até chegar na provincia de Fugian cuja capita e Hefei.
Considero minha Terra por que apartir daquele momento tudo que aprendi foi la.

Depóis de horas de extrada chegamos lá,os cabelos crisalhos de Kenjing andulavam ao andar naquele salão imenso. Me explicara que meu pai quéria me
ver.Finalmente depóis de tanto tempo o vi.Minhã mãe Xinran nunca disse como ele erá ou o que ele sighificava na minhã malicia de criação.Kaniban estava lá,
sentado sobre a proltona da sala do Templo,olhando pelo mero espelho enorme na parede vi a imensa muralha que envolvia o tempo.

As estátuas douradas apenas me fasinavam.Sempre amei e sempre serei um apaixonado pelas artes do meu pais.Estava com tanto medo que tremia e fui a
me esconder detrás de Kenjing.Não queria estar áli.Meu pai passou anos a ver o mundo e agora estava de volta para querer analizar meus aspectos.Ele esticou
as mãos fortes para levá-las aos meus ombros tão pequeninos que me causava dor.

-Tompei,finalmente te olho assim pequeno.

-Anos desaparecido e me arranca dos braços de minhã mãe.

-Nao exatamente,apenas quero que aprenda algumas coisas que levará para o resto de sua vida.

-Não o reconheço como meu pai,afinal,mal tive contato com você esses anos.

-Sei que sim.Mais podemos começar do zero? O mundo Tompei pode ser entregue em suas mãos,e só você desejar isso.

Quando voltou a se erguer vi a complascência de sua delicadeza.Os cabelos presos para trás,tão negro e forjado de vida que me foi fascinante vê-lo novamente.Estava
com muita fome o que o fez mandar algumas criadas fazeram uma comida bem gostosa para mim.Quando souberam quem eu erá apenas vieram ao meu redor para saberem o
que queria comer.Não entência tais requintes.Meus olhos analizavam todos os aspectos delas.Finalmente depóis de um tempo estava sentado a mesa com meu pai,sentia-me com
cansaço de um lutador de artes marciais.

Gostava da forma com que ele se vestia;amava ceda,erá fascinado por ceda Chinesa.Único problema que me hinrritava e que nem esperava o que vinha á acontescer.Me sentia
um mero extranho áli.Tudo novo para mim;ainda bem que estava em uma faze super além dos estudos.Gostava de aprender o que me fazia conclúir as coisas muito rápido.Admirava
os seus olhos escuros ;a pele porjada de caramelo.Parecia um doce caramelo.E lá eu mexia áqueles pauzinhos chineses na comida e véio a tonalidade de suas palavras.

-Tompei pode comer devagar?Acho que está indo rápido demais.É assim que sua mãe educa você?

-Não,ela sempre me ensinou coisas boas,me deixa em paz.

Ele respirou fundo,sabia que ia ser longa nossa relação.O considerava mais um estranho do que um pai.Mais a tarde chegou para fazê-lo me chamar a imensa quadra.Ela e imensa a
sua maliciosidade.O chão todo forjado das mais belas pedras polidas,Lestat descreveu em Rosas e Sanguê perfeitamente como ela e.Gostaria de matá-lo por isso mais continuando os
aspectos Marius.O sol podéria está alto nesta hora mais porém o frio da China erá claro e presente no lugar.

Finalmente chegamos a mesa central.Ele me explicava tudo detalhadamente.Não quis responder á absolutamente nada.Mais o lugar em si me foi encantador desde o momento
que puz os pés no local.Iminência,isso que Kaniban parecia no meu ponto de vista.Sábia que Buda erá um dos grandes represetantes da religião antiga que e claro qualquer Chines
admira e indolatra.O que vim a descobrir nas palavras do meu pai e que talvez ele viesse a se materializar.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 3

Mensagem  Ana Nery em Qui 10 Jun - 14:08:03

Ele teria paciência comigo;essa erá a mais pura verdade.Me abraçou tão forte que se meus ossos pudesem terem quebrado téria acontescido.Me dava vários beijos no rosto
para me tranquilizar.Ficou citando algumas coisas sobre meus olhos tão claros junto a tonalidade do mel.Uma coisa que eu puxei a ele muito bem e que me causa ódio de o
todo em comentar:A complascência delicada que tenho porém rigida e forte.Sempre mantive meus cabelos longos,isso desde pequenino.

É depois desse longos abraços véio o espasmo de poder quando ele me pegou nos braços a sair comigo.Senti tantos caláfrios que quis me desprender dele e consegui
caindo no chão.Fiquei a fitalo com tanto medo que não soube responder a tudo.Se Buda pudese ter me mandado ao inferno que tivesse me mando naquele momento.
Iria ser doloro.Kenjing tentava me acalmar com esse sentido.

Envão,apaguei diante disso só vim acordar durante a noite Marius,meu pai estava do meu lado a esperar este momento.Me recolhi contra o espelho da cama de tão tremu-
lo que estava.Pedi para ir embora o que o fez negar tal himpo-te imediatamente e o presente chegou pelas mãos de uma das criadas.Ele mandara forja uma espada espe-
cialmente para mim.

-Isso e apenas o começo,esteja preparado Tompei.

-Por que não me mata logo? Seria mais fácil.

-Não e assim que se conclúi as coisas

E com esse termino ele saiu a bater a porta,a espada estava em cima da cama,fui a varanda que tinha e sempre tenha uma visão magistral a lagoa presente lá.O céu nesse
dia estava limpo a ver a Lua sobrear toda a extensão dela.Quéria voltar para minhã mãe,melhor uma fuga desesperada provavelmente fária.E tentei ao ir em direção a muralha.
Os clardas apenas me puxaram lá de cima.

Quando entrei no salão chingava deuses e o mundo chamando minhã mãe,Kenjing ficara alterado com meus ferimentos.Falo áqui diante de todos que levei uma queda féia
que me provocou vários emanatomas,se estava de pé e que um milagre me mantinha vivo.Vi Kaniban entrar pela sala,ficara deveras chateado com minha atitude.Foi pegar
um pouco de alcool e começou a limpar meus ferimentos.

Passava o pano humido na água e limpava tudo,apenas o fitava friamente com tal atitude,pedia mil vezes para voltar,envão,ele não respôndia.Disse que iria ficar e que
tentase me acostomar com isso;não iria admitir um filho que fugise a linha e odem da fímília em si.Os conhecimentos iriam ser garantidos e aprimorados e sem discussão.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 4

Mensagem  Ana Nery em Qui 10 Jun - 14:17:47

Estava sendo desgastado por aquela situação,amplitude Marius e conquistada com mero ardo da alma,foi isso que aprendi com o tempo.As criadas pe pegara nos bra-
ços para me,porém,na cama mácia.Estava com sono ainda gostava de escrever até que encontrei o diário em papiro.Pena e folha na mão puz a fazer minhãs concluções.
Tal aprimoramento começou oficalmente no dia seguinte quando acordei.Meu pai estava esperando,ao menos erá calmo quanto a isso;me puxou para a cozinha que e claro já
tinha a mesa chéia de pães,sucos deliciosos de frutas.

Ele mesmo me serviu um copo grande de leite doce,comia bastante.Sempre fui guloso quanto a comida.Comesei a apreciar sua tonalidade de voz enquanto falava
comigo,estava explicando que nossa família tinha um arduo caminho trasado até os dias atuais e que jamais desejária que isso fosse esquecido,por isso e vários motivos
queria que eu soube-se de tudo quanto a mágia Chinesa milenar.

-Data de Dois mil anos Tompei,só isso que lhe digo sobre nosso legado.

-Calma.Fala de Dois milénios de história?

-Exatamente filhote.Ácha que voltei para casa por acaso?

-Sei que não,desculpe.

Fiquei silencioso ao por as mãos na mesa quanto ao que citou a mim,realmente esmagador saber dáquilo,ainda por cima conclúira que tinha que aceitar tal resposta.
Perguntou se desejária que tais aprimoramentos sumisem diante de minhã atitude. Respondi que não,jamais iria me sentir bem.Terminando áquele café saímos para o
seu lugar prediléto,a ponte do lago,passamos exatamente 3 horas analizando tudo sobre ao modo como a água podia e pode ser maleável.

Ele chamou-me a guadra para uma pequena surpreza.Kenjing estáva áli,fiquei a olhá-lo quieto na espera até que ele tirou uma faixa negra,uma coisa muito simples
de se ver,não?Meu pai me mandou fechar os olhos o que fiz corretamente,pediu para que analiza-se os sons em si.Finalmente ele foi para detráz de mim levando as mãos
aos meus olhos ainda fechando.

A quietude foi tão grande que erá como que se o chão sumise debaixo dos meus pés.O pequeno espasmo nos ouvidos me trouzeram a tona até que ele finalmente removeu
as mãos dos meus olhos.Ficou esperando uma ação ou reação de minha parte que não queria abrilos.

-Tompei por favor tenha coragem e abra esses olhos.

Eu me considerava o mandante dali até que o fiz devagar devido ao medo,Marius amei o vislumbre,toda minhã visão apenas saira mais detalhada;não ao nível de um
leão da vida mais apenas mais detalhada,melhorada em si;Kaniban finalmente pegou a faixa das mãos de Kenjing para atala aos meus olhos.Fiquei com raiva por que quis
continuar apreciando tal detalhamento.

Entregou a espada em minhas mãos e mandou-me a tenta ampliar o que ouvir até que finalmente chega-se o momento de eu simplesmente poder cortar o vento,não do-
minalo mais toda vez que o senti-se que ao menos pude-se forja-lo naquela lãmina.O dia correu em seco quanto áquela misão que no meu ponto de vista considerava impo-
ssível.Caia no chão muitas vezes,meu corpo dois com o esforço anormal.Movia a espada em toda as direções para tentar sentir o formato do vento.

Meu pai apenas me quiando ao andar pela guadra.Fala firme nas ações e atitudes naquele conhecimento.Como dominar uma coisa que não se via?Kenjing sempre foi
bom aconselhador,ficara chateado pela atitude do meu pai.Envão:Tive que continuar até a noite começar a nascer.Fianalmente ao menos algo aconteceu:Senti uma mera
fagulha do vento na lãmina da espada,um mero movimento que deu um formato a ele.Estava pau da vida ao larga a espada áli no chão.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 5

Mensagem  Ana Nery em Qui 10 Jun - 17:54:31

Minhãs mãos quando as vi estavam tão carajadas que mau sentia o toque.Comecei a chorar sentado naquele lugar,meu pai apenas olhando passivo
quando ao meu choro silencioso.Meu corpo doia bastante e vi Kenjing pegar uma mantar para me aquecer.Finalmente meu pai sentou-se ao meu lado
para conversa.Mesmo com sua frieza ele tinha sentimento,ficava explicito no seu olhar ao conversa comigo.

Levou as mãos para puder afagar meus cabelos,sabia que não iria dominar aquilo tão rápido assim.Confeço áqui diante de todos Marius que se pudesse
perdir recuo pediria mais jamais iria deixar tudo largado assim.Estava com soudades da minhã mãe,ele sentiu isso devido aos meus gestos trémulos.
E continuava a falar sobre a não facilidade dáquilo,afinal,eu tinha todos os aspectos carnais fechados,ele apenas estava me ajudando a espandir todas
as sensações,o que facilitária muito.

-Tompei presta atenção:O vento em si e usado para apricionar qualquer alma que queira,por que aprender a dominá-lo?

Para quando for queimar um,simplesmente ter melhor facilidade,isso evita com que eles tentem algo contrá você.Complemento filhote que fazer series
de repetições.Eu posso apenas facilitar o caminho mais a facilidade quem ver e você.

-To meramente definhando.

-Que nada,mas parece um menino mimado,sua mãe o mimou demais nesses anos.Vejo isso.

Agora nos levantamos para eu poder ir ao templo,Kenjing apenas mandou as griadas arrumarem um banho delicioso para mim,elas fizeram ao encher o mega
painel de água.Entrei dentro a simplesmente ficar submerso.Água,sim,simplesmente meu corpo parava de latejar.Peguêi algumas folhas de ervar para jogar dentro.

Gostava do brilho de bambu dá qual o painel erá feito.O que mais me espantou e que não tive fome,o café foi especialmente feito para isso,nutrir bem meu corpo.
Ficara feliz por essa mera prucupação do meu pai que agora aparécia na varanda toda feita de madeira.O que mais amo na arquitetura chinesa e o modo como elas
são cortadas e devidamente encaixadas como um quebra-cabeça.

Fiquei conteplando a longa túnica dele feita de linho com a cor maghifica do marrom.Que viese o tempo.Quando sai as criadas apenas levaram a mim ao
salão principal.Amei as roupas escolhidas por elas:Lindas sapatinhas negras com detalhes em branco junto a calça meramente ajustada com faixa na cintura.O
tecido erá gostoto,levinho como pena,não sentiria calor ou frio,por fim a camisa com os mesmo aspectos,mas sem mangas e claro.

-Tompei por favor venha comer algo,sei que está com fome.

-Não tanto Kenjing,mas aceito sim.

Terminando de pentear as longar medeixas negras e lisas fui ao salão de jantar,o Lestat não teve oportunidade de ir nele quando esteve lá,mais descrevo com todo
prazer do mundo:Os gladros quando entrei me eram a perfeição de cesar,a mesa gigantesca com peixe assado,vinho,sucos das minhas frutas prediletas e arroz chines
nas tigêlas de porcela.Ficamos horas naquele local,se tem uma coisa que meu pai sempre fez questão e de sempre manter tudo e a todos a quem conhecia bem alimentados.
Algo de respeito ao ponto dele mesmo chamar as griadas para ficar com a gente.

Para que meu pai foi arrumar áquilo?Há,eu apenas puz as almofadas no chão de madeira para me sentar e puz a comer bastante.Ao menos téria a companhia delas
que me prometeram sempre cuidarem de mim.Soltava risos com isso,meu pai me contou que tinha providênciado a minha transferência de escola.Não precisava me
preucupar com isso.Não comente nada,ainda estava revoltado.Voltei a mexer o arroz com os pauzinhos naquela tigela.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 6

Mensagem  Ana Nery em Qui 10 Jun - 17:59:25

Quando terminamos meu pai dispensou a todos do salão de jantar,quéria e desejava ficar mais tempo comigo a sós,ainda bem que a noite ainda se iníciava.Fiquei a encaralo com
os olhos a procura de algo nele.Agora as criadas tiravam e limpavam a mesa,tudo a ser removido e limpo e quando estava tudo conclúido ele resolveu falar.Ansiava por isso desde
a chegada dele.Marius ele erá jovem,morreu jovem,me tiveram em seu aporgêu de joventudo mestre.

Agora deixe eu continuar citando a vossa pessoa:A malicia com que ele me olhava me foi admirável.Falava de minhã mãe Xinran que ela já vinha se preparando para tal ação dele.Vi
isso quando ele me chamou a bíblioteca principal do tempo.Pegou as minhãs mãos e indo para lá ele destravou a porta de madeira pólida.O cheiro de papiros emanava no ar quando
ele mandou-me sentar a mesa.

Desde cedo amara tal reverência ao velo me fornescer pleno ascesso,as estantes com livros densos de história,os diários simplesmente tudo bem converdado.Agora sim eu tive
noção do legado de minhã familia.Ele passeava por entre essas estantes a tirar alguns daqueles livros.Os arquivos realmente belos.Ele abriu-os para mim e as história foram
vindo a mente.

-Consegue ler perfeitamente o mandarim Tompei?

-Sim.Não se preocupe com isso pai.

-Fico orgulho que sim,Xinran ao meu ver ensinou muito bem a escrita em si.

-Concordo sim.

O que me imprescionou e todas as aplicações de ensinamentos,preses,analizes da antiguidade estava áli.Até as guerras que a China travara por seu território devidamente
descritas.Os aerogligos pintados a pena por antigos.Se meu pai quéria me surpreender conseguiu.Finalmente meus olhos sobresaim entre as palavras.Não contive as pequenas
lágrimas que ele mesmo enjugava com um lenço.

Para certas coisas soi chorão mesmo,a frieza nem sempre há de nos tomar 24 hs por dia,não e?Passamos a noite áli,ele fora pegar algumas lamparinas chinesas,aquelas em
que se emcobre com um fino papel a ver a chama lá dentro.Colocou-as ao lado na mesinha central.Me ajudou em muitas coisas;falo no quesito de matérias fortes de linguagem,os
calculos algebricos que téria que apreender de qualquer forma.

Perguntei a ele neste intervalo do que nossa familia vivia,respondêu tão direto quando uma águia.Dize-me que especificamente de preservação da história em si,vários membros foram
e são grandes conservadores e aprimoradores da arte antiga.Não acreditei o que me fez não responder a absolutamente nada.Quanto a mágia desenvolvida simplesmente no sangue nos
dois mil anos de existência.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 7

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 11:41:23

Tudo que se ver se apreende tão facil e rápido.Gostava como ele me ensinava o principal secredo de manter uma bela escrita em mandarim.Pedia para quando eu escrevesse que imaginasse uma espada a ser mover.E fiz isso quando peguei algumas gotas de tinta na pena entregue por ele,muito fácil.Sabia já ter alta noção e com ele me ensinando isso ai sim que fui em frente.A horas passavam enquanto transcrevia algums textos no papiro.

Nunca gostei de papel normal,sempre me falha quando tento escrever até hogê,entender a antiguidade e o mesmo que viver com ela na péle.Sáiba disso Marius por que es tão antigo quando o próprio surgimento de vários paises.Pensava na minhã mãe ao me manter áli bem centrado.Ele apenas dava risos devido a essa minhã gualidade.

-Tompei fale algo.Espero algo de você.

-O que tenho a fala? Kaniban apenas deixe-me aprender vários aprimoramentos aqui.

-Tem certeza?Deseja mesmo ler esses textos antigos?

-Absoluta.Pode ir aos seus aposentos que ficarei aqui.

-To me retirando então.

É ele saiu Marius,foi ao seu claro central enquando fiquei áli a noite toda,lia histórias sobre guerras,famílias antigas,explorações de barcos.Simplesmente nunca pensei que
nossa família tivese ligação com áquilo.Peguei alguns livros e me sentei sobre o tapete,Dava para houvir os grilos cantarem no silêncio,Vi Kenjing fechar a porta devido a isso.

Agora a felizidade estava de volta,um conteudo extenso que estudaria até o fim de uma vida mortal.Soltava risos com algumas menções.Mais as história da mágia em si e o
que me levou ao delírio.Desde que os mongês e suas familias se conheciam como tal o sangue fervente e repleto dessa mensão sobrenatural foi conservada.

Dai que simplesmente não me preucupei,meu pai erá isso,não ia discutir,reclamar ou tentar falar algo,apenas veio o desejo de aprender mais e mais das historias antigas.Os
rolos de pergaminhos desdobravam-se naquele tapepe por minhas mãos e dormi.Dormi deitado por cima deles a noite toda.A manhã iria me acordar novamente.

Tive pena de mim mesmo quando meu pai veio me pegar nos braços para me por na cama,estava tão sonolento e sonhando com todas as histórias.Passei os braços por
seus ombros quando senti ele.Apenas balançava enquanto ele andava e me carregava.Apenas me colocou no meu clarto;virei meu corpo e que que essa manhã que tanto
anciava viesse.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 8

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 11:49:42

Foi maravilho acordar na manhã seguinte,depois de tudo estava ansioso para saber o que me esperava.Mesmo assim,odiava quando Kenjing me arrastava da minhã cama cedosa e deliciosa de dormir.Ele simplesmente abriu a porta e me arrastou para um banho,agora depois de uma nova observação meu pai me chamou.Ele estava sinistro no dia,não esperava isso dele.Senti as mãos virem aos meus cabelos é finalmente ele me entregou a espada.Mas na vez eu e que teria que fazer sozinho.Mesmo receoso eu peguei a faixa das mãos dele e atei os meus olhos.

Concentre-se e vamos a luta.Estava segurando a espada,segurando e o silêncio veio,armei uma tática.O vento tinha cheiro?Veria com meus própositos alhéi-os e fiz o que fiz,comecei à andar devagar em linha reta,tão devagar que tirei meus calçados.Nada contra ficar de pés descalços e simplesmente a brisa fez com que me alerta-se,meu pai não falava nada,não iria querer me atrapalhar.Agora sim dei um pequeno salto para finalmente sentir a pequena presão do vento na lâmina.

Agora sim estava ficando interessante de sentir o movimento querendo arrancar a espada de minhãs mãos,não adiantou,segurei firme a tentar dar formato ao sagrado vento.Tudo estava dando certo até que senti algo me empurrar contrá o chão.Fiquei quieto por alguns minutos respirando fundo e mantive o meu brinquedo predileto contra meu torax.O ar e que estava prescionando com bastante força.Acreditem que apartir do momento em que se sente essa vida e como que se o próprio vento falasse com você.

Podem achar um pouco impossível mais não e tão complexo como pensam.Fiquei nessa espera para finalmente me sentir livre do prescionamento do ar.Empurrei com toda força para frente para simplesmente ver o formato circular que sem querer empurrei contra meu pai.Ficou chateado por meu descuido.Me fuzilava em pedido de cuidado.Era com esse icone que se eu bem deseja-se prenderia demônios.O que fiz quando queimei o próprio na casa de Maharet.

-Cuidado com isso menino.Tenha atenção.

-Desculpe,mas espero que eu possa continuar.

-Então faça isso.

Tirei a faixa dos olhos por alguns segundos,o bastante para ver uma barra de madeira estendida ao longo da ponte do lago.Andei alguns metros para poder subir áli.kaniban levou as mãos aos cabelos em desespero.Se levasse uma queda ai,sim,tudo poderia estar perdido.Espalmei a direção com os pés,eles me ajudavam a sentir segurança.Estendi a espada de forma bem reta.Mesmo naquela cegueira toda véio uma linha a minhã frente,dava para eu encherga-la perfeitamente,o que me fez sair andando para poder treinar o meu equilibrio.

Quis fazer isso por que me ajudaria a segurar melhor a espada,mesmo coma dor nas mãos e pulsos mantive a coragem Marius.Foi doloroso fazer isso a manhã toda.A tarde
veio junto ao sol de méio-dia,minhã cabeça doia bastante e houvi meu pai me mandar parar.Não obdesci,apenas abri meus braços como numa gruz para deixar a espada saltar acima de minha cabeça.Odiava o fato de não ver absolutamente nada.O barulho do estalar da lâmina no ar me fez poder segurar,e finalmente poder fazer pequenos formatos com o meu brinquedo para finalizar um belo tombo na parte láteral da ponte.

-Tompei está indo longê demais,pare com isso.

-Não,só conhecemos nossos limites os levando além.

Ele estava furioso com minhã reciproca atitude,ficou quieto e continuei apóis recolocar a faixa nos olhos.Esperei tudo voltar novamente,apreciava os sons enquanto movia a
espada em constante treinamento dos formatos circulares.Comecei com tamanhos pequenos e fui almentando gradualmente esses formatos.Aos pouquinhos e claro,não iria fazer um ciculo de ar imenso logo de cara,após 2 horas consegui o que queria.

A pressão finalmente tomou sua forma hereditária e véio em minha direção descontrolada para me derrunar como uma bola de boliche.Como fiquei sem respirar,revidei com um simples corte ao méio o que fez se desfazer.Estava feliz com o resultado.Única coisa que me dava vontade e de saltar mais não fiz isso.Me contive por que erá apenas o começo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 9

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 11:55:25

Me sentei por alguns minutos para descansar,tirei a minha camisa para ficar apenas com sapatinhas e calça.Meu pai se aproximou para me explicar algumas coisas.Não
falou de imediato.Esperou minhã respiração voltar ao normal.Sua voz saiu autoritária quanto as explicações.Estava tão pau da vida por ter errado algumas coisas que ele
me fuzilou me dizendo que não iria conseguir de uma hora para outra.

Fiz que entendia,mas por dentro meu coração doia de mágoa.Ele soltava alguns risos devido aos meus erros.Apreciava aquilo,Kenjing só olhando em constrate ao sol da tarde.
As folhas das arvores começavam a cair devido a chegada do Outono Marius.Todas secas e sem vida,espalhadas por toda guadra.Meu pai continuava a falar em constante pronúncia.

-Tompei,caso queira controlar a pressão jogue seu peso corporal contra ela. Se desprendera tão fácil quanto uma andorinha das montanhas

-Acha mesmo? Olhe meu estado.

Ele pegou a espada das minhas mãos e fez uma pequena demosntração ao erguela a frente.O vento soava tão delicado como pena,ele tinha leveza,eu tinha agrésividade.
Por isso que não controlava.Ele apenas movia o pulso bem delicado.A delineação dos seus movimentos ficavam claras.ErA como entoar escritas no vácuo.

Meus olhos esbugalhados com a demosntração dele.Jamais iria chegar naquele nível de perfeição.Quis fugir novamente.Ele virou-se e me falou que apenas tinha que ter
delicadeza,mais nada que isso.Único secredo era isso.Imáginar uma folha de papiro voando no ar no puro voo da alma.Soltei risos com isso,voltei meus olhos para o
Kenjing que apenas mantinha seus braços gruzados enquanto Kaniban continuava sua demonstração.

Agora iriamos a algumas lojás.meu pai queria comprar algumas roupas para mim, não tinha guase nem uma áli.Atravessamos o imenso portão do Templo em ida a loja.
Caminhamos umas 3 guadras a frente para chegar lá.Passamos o resto dá tarde a escolher as roupas.Ainda prescisava me acostumar com essas aspectos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 10

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 12:17:50

Passava de canto e canto para continuar a escolher as peças.Sapatos,blusas,calças super leves.Sempre odiei roupas pesadas por causa do calor,não sou
de apreciar tal sensação corporal.Conclúindo-se que não soube reagir quando uma doce menina entrou com sua mãe a loja.Tinha mais ao menos minhã
idade.As atendentes perguntavam se eu erá novo na cidade em si e respondi que sim.

Quieto Tompei,não responda ao olhar ela.Foi isso que estava tetando fazer até que veio a se aproximar de mim.Bem,ela erá bonita,sim,mesmo
tão nova como eu admirava tal beleza.Não era dali,mais vi que morava perto quando me falou.Perguntei de qual lugar vinha,respondeu que de
São Paulo.Meus olhos peguiçosos a analisar sua expresão facial.

-São Paulo.Qual seu nome?

-Sofia,pode me chamar assim.E você?

-Desculpe,digo que dou meus parabens pela sua pronúncia em Chines.

-Obrigada,mas qual seu nome?

-Tompei,chame a mim por este nome.

Gostei da maliciodade dos olhos castalhos que ela tinha junto aos cabelos loiros-escuros,eles eram curtos na altura dos ombros,tinha a
mesma estatura que a minha.Amei este momento,ela me pediu que uma tarde bela fosse em minhã casa.O que isso sighificava?Quem
sabe uma amizade forte?Ou futuramente um amor alheio.Meu pai apenas me mandava indiretas pela minha face corada,tinha gostado
dela e não ira fugir não.

-Desculpe mais preciso me retirar Tompei,caso deseje me visitar moro na próxima casa,vê aquela do lado oposto desta rua?

Ela apontou na direção e vi perfeitamente a casa,a visão meiga que a fez virar-se com uma caixa-de sapatos recém-comprados.Meus
pensamentos abrian-se a ela.Nossa,ela erá doce sim,não nego uma coisa que e objetiva,sua mãe pegou pelas suas mãos e lá estavam
indo.

Virei meus olhos em direção a Kaniban e mandei ele ficar quieto,calado sem comentar nada.Ele apenas ficou a me encarar com o
desden de sempre.Falou que não tinha comentado nada e nem iria fazê-lo.Que eu assumisse minhãs atitudes.Concordei com um mero
aceno de cabeça.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 11

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 12:33:34

Estavamos saindo cheios de bolsas a carregar,graças que fiquei aliviado quando entrei pelo portão,mal conseguia segurar tanta
coisa.Me culpava pela falta de força nos braços finos e meigos que sempre tive.Isso é:Por enquanto erá uma pessoa fraca.Os
lábios soltaram risos quando pensei nisso,risos maléficos que meu pai repudiou quando viu.Gostava do modo como ele via os
aspectos maléficos que um ser humano poderia ter.Caminhei em direção a entrada do salão e mandei as criadas jogarem
as bolsas nos meus quartos.

Fiquei andando pelo local pesando na Sofia,admirável a forma como ela mesma me chamara para ser seu amigo
num pais em que mau se estabilizava.Sera que deveria ir lá?Quéria essa reposta e me deixei sentar naquela proltona
deliciosa e macia.Kenjing entêndia que de certo modo eu me sentia sozinho áli e simplesmente falou que não podia
negar tal pedido.

-Menino por quê isso? Esse nervossismo todo?

-Nada Kenjing,nada.Sabe que a feminilidade e contaminante em sua realidade.

Meu pai revidou com um 'Eu que o diga',isso em referência a minhã mãe.Sábia que 24 hs mesmo longê,ele pensava nela,ele
gostava dela mesmo tendo tantos compromissos.Digo que ele seria mais um super sincero neste ponto.Iria na casa de Sofia,
sim,se ela queria fazer amizades que fosse assim.Mas e claro que depois dos comprissos com estudos no dia seguinte.Ele
descaradamente rompera com minha felizidade dizendo que iria começar a temporada anual de estudos.

Para que?Esvai mais ainda de triteza,gostava de estudar e aprimorar meus conhecimentos mais ir a esse compromisso?
Ai.Respirei fundo e sai ao meu clarto.Comesei a tirar tudo de dentro das bolsas,fiquei horas e horas áli arrumando no armário.
Terminando me sentei na cama contra o espelho.Areanquei meu diário e puz a escrever tudo áli.Meus conhecimentos em si eu
mesmo iria anotar.Ainda bem Marius que Lestat não colocou as mãos nele.

O que sempre admirei naquele lugar erá o modo como a noite surge no céu,fui a varanda para admirar a Lua surgi por detrás da imensa
muralha.Doce perfume de plantas.Visionando as imagens vi as pedras em volta do lago.Pela primeira fez presenciara a existência de Túlipas
Negras.Meu pai não me comentou isso.O cheiro da morte veio no vento a bater nos cabelos,arrepiante.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 12

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 12:39:20

Lindo o começar daquela noite,meus olhos continuavam vidrados nas Túlipas Negras,foi como se elas me chamassem.O perfume da morte,nunca o sentir tão forte como naquele
momento.Escolhi uma túnica de ceda negra para vestir,apóis tal requinte resolvir ir ao local.Não comentei a ninguém quando passei no salão,as griadas falaram que meu pai
hávia sáido.Melhor ainda por que desci correndo as escadas para apresciar cada uma delas.Dei a volta no imenso lago para atravessa a ponte.Pondo os pés nas pedras me
sobressaltei para vê-las.

Girando em torno agora via que existiam milhares;por quê meu pai não me falou daquilo?Girava meus olhos em puro extase com o perfume delas,tão doce,mas porém,
fatal como a morte.Me curvando pude pegar uma para explorar.Petálas escuras como noite,caule também escuro,não era verde como o de qualquer flor de que veja por ai.
Me senti fascinado mais o delírio voltou com força;nao compreendia como apenas o toque junto ao perfume me faziam aquilo.

-O que e isso?Do que elas são feitas?Se Buda pudesse velas iria sentir-se como me sinto agora.Simplesmente drogado com a beleza e o cheiro delas.

Meras palavras sussuradas que me fizeram deitar de braços abertos;olhava a Lua em seu aparecimento,a noite terminara de chegar.Não parava de sentir caláfrios,delirios
e extase.Não sei,algo que nunca vou poder descrever completamente a você Marius enquanto cito isso que digita.O desmaio foi fatal para mim.Tudo ficou negro e apagado
quando sai de mim.Não vi e não soube de mais nada nesse intervalo.Naquele momento eu soube o que era o poder em si.

Acordei no imenso sofá da sala postérior,Kenjing me olhava incrédulo ao que fizera indo naquele local.A minhã visão estava opaca e rodava quando me levantei.Ele me
pegou pelos braços para finalmente me manter seguro.Gostava da jovialidade dele naquela época.Chegando a idade em si.Sempre foi atencioso em tudo.Os cabelos cri-
salhos imensos.Levou seus dedos ao meu rosto e véio as palavras.

-Nunca mais vá áli.Espero que me obedesça Tompei.

-O quê?Por quê me pede isso Kenjing?

-Certas coisas não devem ser descobertas ou feitas.Mas irei falar o que elas são.Exatamente feitas e forjadas pelo sangue de Buda.Ele especialmente forjou esse
tipo de Túlipa para sacramentar almas.

Isso e exclusivamente dele,não nosso.

-Como elas germinaram aqui?Não,tem que haver uma explicação Kenjing !

Ele me segurava em meus critos de nervoso.Não erá possivel que o próprio Buda se tornara aquele tipo de Túlipa.A não resposta dele me fez pensar naquela hipote-
se.Voltei a mim,mais ainda incrédulo a tudo.Voltei a sentar no sofá em pensamentos que só o meu pai iria me explicar.Se ele fosse realmente sábio iria me falar como
Buda tornou-se áquele tipo de flor.Espéraria nem que fosse a noite toda mais eu iria velo e perguntar pessoalmente a ele.

Kenjing ficou comigo,eu pedia mil vezes para ele me falar,mais nada de resposta ou explicação.Fiquei com raiva disso,tinha capazidade de entender,mais por que
preferiam manter segredo?Os meus olhos passeavam pelos gladros de cesar.Vi que Kaniban apresciava as pinturas de feitas em expiração aos antigo Governador
de Roma.Sacramento de almas,como isso podia ser feito?

Meu pai chegou,ouvi o som do carro parar a frente do portão,finalmente o vi subir até a entrada aonde estavamos.Sua imagem veio quando apareceu por
detrás de mim,perguntou se eu estava bem e véio o NÃO como resposta que ele mesmo não entêndeu.Kenjing apenas quiz sair por quê meu pai poderia ser
calmo,mas agia firme nas horas péssimas.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 13

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 16:05:57

Ele foi atencioso quando finalmente quis falar,mandou fecharem a porta e sua voz reciproca me pediu para explicar o que tinha errado,pensou que alguém tinha me
batigo,algo assim.Os meus gestos das mãos estavam enloguêntes movendo-se no ar.Mau conseguia falar,respirar ou explicar.Sabem que o nervosismo nos deixa no
estado deploravel em que ficamos.A dor de cabeça estava cesando.Os olhos dele me encontraram em si.Véio em minhã direção para me averiguar.

Suas mãos passeavam por mim;apertava meus ombros em ancia pelo que eu queria dizer.Não foi nescesário que eu conclúise,ele mesmo soube ao sentir o
perfume nas minhas vestes.Viu a foligem de Terra o que o fez enloquecer de medo.Estava magoado por ter tido tal atitude indo naquele local.Ele andava de
um lado a outro.

-Tompei não acredito que fez isso,realmente se infornou entre aquelas Túlipas?

-Sim e não,decida por si a resposta.

Meus olhos queimavam ele,exigia uma explicação,ele foi sincero e claro em respeito a mim.Me prometeu que jamais esconderia tal segredo.Ao menos a
gualidade estava explicita para todos verem.O sacramento só e feito Marius quando nos deparamos com esses tipos de situações.A morte,isso foi o que
ele me disse logo de imediato.

Fiquei boquiaberto,sem ação,atitude ou conclusão.Kaniban sábia aplicar bem suas palavras.Admirava isso.Mesmo choroso me falou sem anceio ou sequer
tentou revidar.O brilho mágico estava no olhar dele ao dizer meramente por acaso.Ai sim me senti mais tonto diante de tal situação.

-Buda morreu naquele lugar Tompei,acredite se quizer.Ele foi um homem que sobreporjou sua alma pelo seu povo e tornou-se o que viu áli

-Não posso acreditar ou mencionar o que diz aqui.

Se falas isso e que ele mesmo fez vidas,não e?E que ele por si tornou seu corpo uma unificação do mundo pelo que e.

-Graças que entende menino.

Ele saiu para jantar,estava faminto e bateu a porta.Passei bastante parte do tempo a pensar naquilo.Não quéria acreditar.Apenas curvei minhas penas
contra mim e chorei bastante.Se um ser humano tornou-se o que Buda foi,então o que deviamos esperar da humanidade?As analizes da mente são
únicamente feitas disso.

Jamais vira as coisas por esses lados;nunca iria aceitar essa hipote-se e tive que aceitar quando trouxe Nicolas de Volta Marius,como citado pelo
prórpio Lestat.Essa noite que menciono foi a mais trevorosa para mim.Minhã mente tornou-se puramente trevas por um mero estalar de dedos.
Que vivesse,anciasse pela minhã vida.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 14

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 16:16:20

Kenjing resolveu vir me procurar para comer algo,estava sem fome devido ao que meu pai mencionara.Esperava anciosamente o momento de poder ver Sofia.Paciência,isso eu
sempre soube fazer e ter muitissimo bem.Fiquei por áli mesmo lendo alguns livros sobre Guerras.Mas mesmo com isso a mente não saía ou fugia de tudo aquilo.Adormeci no
sofá só para acordar e querer ir vela.Nada de comer;sái pelas ruas em pensamentos.Meu animo em si nunca estive tão para baixo.

Esperava algo remetente ao que eu procurava,estava mais desencontrado tanto quanto uma pedra submersa num lago chéio de serpentes.Encontrei um bando na praça principal
para me sentar e finalmente vi Sofia andando.Me reconheu para vir falar comigo.Tadinha perguntava o que tinha,o que eu não quiz responder.Esticou as mãos em comprimentos.
O que esperar de uma menina como ela?

Isso só o tempo iria falar por si,respondi com um meigo riso que ela acolheu muito bem ao me chamar a sua casa.Saímos caminhando,vi que ela foi comprar alguns pães para
de deleitar,confeçou em segredo que amava pães fofos e gostosos de comer.Eu tinha o mesmo faro.O vento balançava seus fios curtos e bem aparados aos seus ombros,o
vestido de tecido bem fino a delinear suas curvas,a cor caira muito bem junto ao tom esverdeado,meigas sandálias baixas e confortáveis.

-Tompei para que ficar assim menino?

-Por nada,apenas ando pesando em algumas coisas.Nada com que se preocupar.

-Espero que sim,vamos lá,podemos tomar um café muito doce com pães.

-O quê?Sua mãe não ficaria chateada com você?

-Ela e tranquila,não precisa ficar nervoso.

Mais alguns minutos e estavamos lá,caltela para entrar.Ela destravou a masaneta do portão para entrarmos.Gostei do aspeto da decoração Ocidental em si,mesmo com as
diferenças amei.A sala bastante grande com mesa de centro,cortinas,tudo que se tinha direito,suas mãos me puxando para a cozinha aonde sua mãe estava.Não tive modos
devido ao momento.

Mesmo sem eu conseguir mencionar algo ela mandou-me sentar na mesa,ouviu meu estomago roncar.Fui teimoso em não ter comido nada desde a noite anterios;
linda Sofia a colocar uma bela Xicara de café fumegante para mim e vi sua mãe perguntar se tomava Café.

-Não,nunca tive oportunidade senhora,aqui sabes que Chá e a melhor opção.

-Entendo Tompei,meu nome e Samara,prazer viu?

-Que isso,disponha sempre.

Ela tinha antenticidade que raramente viamos em uma mulher,mais espontanea e clara do que as Chinesas,sabe que nós Orientais somos mais vergonhosos do
que eles Marius.Nascemos e morremos com isso.Seus cabelos negros bem tratados e cacheados ao cair a cintura,alta de pele clara.Muito espontánea em si.Sofia pediu
para provar tal requinte.Café?O que era aquilo?

Olhava para a Xicara me esperando até que véio a vontade e mudei para um copo de Suco de Frutas gelado naquela Jarra.Isso sim que apreciava,o mais doce e puro
gosto de frutas.Pedi desculpas por não querer o café,tudo bem,tudo bem.Os risos da Sofia eram gostosos de houvir,ia me acostumar com a presença dela.Sua mãe saiu
para a sala,finalmente sozinhos.

-Desculpe,parece que não gosta mesmo.

-Obrigada pela compreenção.

Passamos a manhã toda,ela me dise que seus pais estavam no pais a procura de mais prosperidade em si,confeçará que um dia sonhava em voltar ao Brasil,isso me
fez decair.Mas nada com que me preucupar.As horas passaram e quando vi já era o início da tarde,meu pai ia me matar pelo atraso.Não ia falar sobre minhã situação
a Sofia,concerteza não entenderia muita coisa.

Ela fez questão de me acompanhar até o imenso portão do Tempo,meu pai já me esperava lá,estava quase a ponto de me dar uma surra se presciso,entrei em silêncio
para não piorar as coisas.Não tinha comentado que ia sair,o que o fez ir ao delírio de preocupação.Nada a comentar devido a sua tonalidade de voz alta e furiosa.

Ao menos uma notícia boa,ele disse que Xinran estava a caminho,ia ficar alguns dias conosco.Ai sim dei pulos de felizidade;sai correndo devido a empolgação.Ele bateu o
Pé me madando voltar,virei dizendo que espera-se rápido que já ia voltar para algunas aplicações.O modo como Kaniban levou as mãos ao rosto foi simplorico.

-Diabos de menino.Não tem geito!

Subi ao clarto para procurar alguma coisa,tentava me lembrar enquanto fusava as gavetas e achei algumas faixas pretas,isso por que meus pulsos estava um pouco in-
chados,não queria comentar nada com ele,o que o faria parar os treinos por tempo indeterminado.Passava elas em movimentos circulares até chegar a perfeição.Muito
bem ajustada ao anti-braço.Kenjing véio me chamar e fui temeroso pelo que ele ia fazer dessa vez.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 15

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 16:20:06

As faixas não o chamaram atenção,nem devéria saber o motivo delas,Kaniban foi direto ao assunto apotando para a muralha do Templo,agora,sim,cai para trás para
Kenjing me segurar,deuses,estava ferrado se continuasse áli.A muralha,o que ele iria fazer com aquilo?A odem foi explicita dizendo para minhã pessoa subir lá encima para
averiguar a profundidade da espansão do lugar.Não conto quantas vezes levei tombos e quedas naquela tentativa.

Quando encima visionava tudo;ele esperando e esperando.Desci para saber claro motivo.Amei quando disse.Falou de almas mortas,me mandou cortalas ao méio.Ele
mesmo iria trazelas e trouse quando abriu os braços.Dava passos para trás quando as vi se aproximarem.Meus risos maléficos para todos apreaciar.Meras sombras a
correr pela quadra. Ele sentou-se para ver como iria cortá-las.

Envão,toda vez que passava a espada entre elas apenas se desfaziam como neblina e voltavam a sua forma anterios.Kaniban dava risos de minha desgraça.Parei a pensar
por um momento,elas mantinham-se a se estender junto aos movimentos rapidos no ar.Mesmo passando sobre mim eu não sentia nada.A idéia véio como clarão:Se acre-
dita em carma canalize-o a lâmina.

-Bem,se não vai pelo modo tradicional então que morram pelo modo intradional miseráveis!

Empunhei a espada para simplesmente canalizar essa energia em que acreditava,o pequeno almento de temperatura na espada fez com que pudesse exterminalas durante
várias horas,saia dando meros puros me opondo a cada uma.A cada vez que atravessava a espada entre elas desmanchavam como doce.

Milhares,uma a trás da outra para meu deleite de cede.Fui em vários lugares a caça delas,na folhagem densa em volta,em cima da muralha,do lado oposto do lago,uma por
uma a esvair.Algumas sussuravam piedade,para quê?Isso me dava mais vontade ainda de continuar.Meu pai pediu para que tentase envolvelas com o vento.O fiz da forma mais
meiga posível,elas se debatian naquele globo de ar.

Nossa,cortava como manteiga,agradescia pelo meu carma ser tão bem aplicado.Kaniban ria disso.Esperava docemente o fim,enquanto não termina-se ficaria áli.Passei a me
considerar um condenado por isso.Simplesmente maghifico.Cai esvaindo de cansaço no chão.Perfeição dos Deuses e os risos a virem.

Senti a dor nos pulsos,tão latente que me fez segurar os critos.Nada de comentar ao mmeu pai.Preferi ficar queito.Me levantei indo ao lago.Ele decidiu se retirar,esperei estar
sozinho,estavam inchados sim,quando desatei a faixa principal deu para ver o guão o inchaso estava forte.Passava água por cima,doia tanto a ponto de me fazer chorar.Não
sabia se iria suportar muito tempo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 16

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 16:25:57

Senti uma mão sobre meus ombros,estava chorando com tanta dor que nem senti quando minhã mãe chegou,me virei a olhar sua compostura em pé.Depois daquele longo tempo
chegou.Ela observava cada detalhe,pediu ao clarda que fosse pegar alguns panos limpos.Minha irmã tão pequenina sairá detráz dela.Xinhua não compreendia pelo que estava pas-
sando;os olhos azuis brilhando por me ver.Sentia tanta dor que nem pude abraça-la direito quando pulou em cima de mim.

Finalmente os panos chegaram,doce mãe a curvar-se para começar a limpar as pequenas gotinhas de sangue.Como citei o nome dela,a chamem de Xinran,ela sempre foi linda e no
seu aporgeu de beleza mais ainda,belo vestido preto a sempre dar delineação as suas belas curvar magras e delicadas,as botas tambem curtas ajustadas,nem sempre usava quimono.
Só quando vinha momentos espéciais;me dava beijos no rosto e finalmente o abraço bem guente que só eu conhecia.

-Tompei como deixou seus pulsos chegarem a essa situação?

-Depois do que vi simplesmente não quero decepicionar.

-Meigo,vamos tratar disso com seu pai,venha comigo.Xinhua nos acompanhe linda.

Atravessamos a ponte naquele lado,a tarde estava no alge,já entrando pelo começo da noite,levei as mãos ao rosto numa tentativa de não chorar.Minhã irmã sempre foi a pen-
telha da casa,sempre dando pulos quando andava;isso me dava nos nervos mais mesmo assim gostava da boneca;naquela época em seus poucos anos de vida parecia uma devido
a pele branca e olhos azuiz.Apresciava os cabelos de Xinran,tão grandes e pesados,como os meus.

Meu pai estava esperando ela na entrada do templo,nada com que ele se pertuba-se até ela parar a sua frente,agora via como ela tinha controle sobre ele;daquela autoridade ao
derretimento de paixão.Como falei:A feminilidade sempre dominava.O vi pegar Xinhua nos braços e saimos a caminha pelo salão.A mãe ainda não comentava nada dos meus pulsos
em si,que não o fize-se.

-Kaniban não acha que está pegando pesado com Tompei?

-O que quer dizer com isso Xinran?

-Conversaremos depóis,agora quero algo para comer,estou faminta.

-Nunca muda,realmente vejo o por que dele simplesmente ter tal ferozidade nas refeições.

Que fosse dada a ordem de minhã mãe,as criadas levaram Xinhua para dormir e lá estavamos num lanche maravilhoso com frutas,muitas frutas em gestas,nada de
comida pesada.Ela odiava esse tipo de refeição,aquelas que nos deixam com o estomago pesado.Meu paia via tirar algumas frutas para descastar numa bela tigela em
pedaços grandes.

Mau segurava,quéria mais e arancar minhãs mãos e trocalas,se fossem descarta- veis seria vantagem e claro.Kaniban não compreendia o por que até que veio o
sobresalto vendo o inchaso.Nada a comentar até que ele perguntou o por que tinha escondido tal fato.

Os olhos pura decepção com minhã atitude,falei que nao quéria deixar a todos tão chateados,ele revidou com descontentamento.Mencionará que não era preciso isso;
que não ia logo de imediato fazer mil coisas.Sábia que estava certo,mas mesmo assim pedi para ele não parar,mais envão:Tudo seria interditado até que ele tivesse ciência
de que estava melhor.

-Única coisa que quero e que não fala isso.

-Sem mais Tompei,quem dá a última palavra áqui sou eu.Não venha com discussão.Essa foi a gota dágua para mim.

Ele ia sair com minhã mãe,levantou da mesa para ir se arrumar,foi a primeira vez que fiquei puto comigo mesmo.Batia as mãos na cabeça chigando a mim.Tompei seu burro;
és fraco demais,es um moleque mimado.Isso que pensava até ouvir minhã mãe falar comigo.Sempre admirei aquela beleza de mulher,inspiração para qualquer humano.

A voz sempre doce,bem aplicada,aprimorada.Pediu para eu relaxar esses dias de folga, para repassar algumas materias de estudos.Isso iria ser bom por isso,aprimorar meus
conhecimentos e tudo o mais.Nisso ela tinha rasão,sempre podéria fazer algo quando a esses aspectos é e claro a temporada anual começaria na semana seguinte.

Se eu fugisse ai sim séria capaz de meu pai e minhã mãe entrarem em guerra comigo; cabeça baixa ouvindo.Não mencionei,preferi ficar neutro e iria sim fazer caminhada aos
aprimoramentos.Xinhua apareceu para me chamar para explicar algumas coisas,ela me pedia isso sempre,o que fázia constantemente.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 17

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 19:50:27

Na verdade quem ensinou perfeitamente as primeiras palavras a ela foi eu,desde cedo dei esses aprimoramentos a minhã irmã.Sempre sentava no meu colo e pedia para dar
algumas menções de livros e na escrita.Não e e nem nunca foi facil conhecer o Mandarin.Na verdade cada tipo de aeroglofo pode tornar-se uma palavra quando algum risco e
meramente cortado.

Meus pais passaram pela sala,tive que me conter quanto ao meu pai que não tirava os olhos dela,a dona da casa em si.Sabia que áquele 'Eu que o diga,tinha cido sério,
mais não tão sério como virá.Mesmo morando em locais diferentes mantinham esse contado que eu queria que passasse longe de mim.

-Xinhua minha irmã,só case com um marido rico,podre de rico que lhe der tudo.

O que eu disse?Eles que já iam sair viraram e revidaram dizendo que iria conhecer esse lado;soltei risadas esbugalhadas com tais palavras,eles não entendiam,mas a
graça foi tanta que todos ouviam as gargalhadas,tive que levar as mãos ao abdômen para me controlar.

Os olhos lagrimejavam,Xinhua com aquela carinha de que quero entênder o que se passa aqui.Me levantei ainda nesse estado e fui ao meu clarto,a cada vez que a cena
vinha a cabeça sempre risos.Passei a escolher algumas roupas para vestir após um bom banho.Deixei em cima da cama e fui ao banheiro.Passei tempo áli,claro que iria
manter meus pulsos atados até melhorarem,sempre tive várias faixas desde que pisei os pés áli.

Mas para que fui sair do banho?Passei a toalha pelo corpo e saindo pelo corredor a entrar no clarto só faltei infartar ao ver Sofia áli,me esperando aparecer.Pelo deuses,
critava essas palavras na cabeça.Como ela conseguil passar pelos clardas?Calma Tompei,calma por que tudo pode dar errado.Mais ela me explicou que viu meus pais
e perguntou se podia me ver.Tránquilo até o momento,o problema erá o coração a bater forte diante dela.

Mesmo sem a graça do mundo mandei ela me esperar na sala,saiu.Me esvai ao me enconstar na parede.O que?Estava perdido,senti isso quando me puz a trocar de roupas.
Ao menos amava seda também,a malicia que ela dar ao corpo e gostoso de sentir.Tudo preto,calças,sapatinhas junto a túnica sem mangas,braços desnudos e enfaixei os pulsos
para que sarasem mais rápido,enfaixar faz com que não sentimos dor.Deixei os cabelos desgrenhados mesmo e finalmente desci ao salão aonde ela estava.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 18

Mensagem  Ana Nery em Sex 11 Jun - 19:57:46

Os abraços foram gostosos quando ela me viu entrar.Simplesmente maghifica,ela desde o momento que a vi me foi isso.Quando falo de uma menina que ia
ser uma mulher realmente bela,estava é estou falando dela.Estava claro que ia ter um pequeno trabalho pela frente.Sempre mantive em secredo essa mera
atração que ela me provocava.O pequeno sobretudo devidamente ajustado na altura da cintura junto a calças e sandálias.

Ela colocará esse tipo de roupas por que não estava habitada com o frio do local.Irei ser claro com você Marius:Para sua idade,seus miséros 11 anos a
Sofia já usava muito bem seus dotes feminos.Ela quiz ficar comigo o resto do tempo,não iria negar tal pedido a uma meiga como ela.Tentei mais de nada
adiantou.Sentamos sobre as almofadas espalhadas no tapete;ficamos deitados matando tempo com nossas conversas.Perguntei detalhadamente como era a
Cidade da onde vierá.

Sofia tinha e sempre teve sua graça,entendia quando ela citou que foi muitas mudanças de uma hora a outra:Sair de sua Cidade para vir a um pais que mau
conhecia?Vi pelos seus olhos brilhosos que tinha soudades dos amigos,todos os parentes e proximos em si.Agora enquando passava os minutos sua cabeça
veio a se apoiar sobre meus ombros.O que iria fazer?Essa foi a questão a bater na mente.

-Tompei,não conheço ninguém aqui por perto,se pudesse um dia ver meus amigos em si iria gostar.Sempre falo com eles,mas não e a mesma coisa.Tenho aquela
vontade de fugir e ir embora sozinha.

-Não cogite tal ação,seus pais iriam enlouquecer.Não dê tal decepção a eles.

-Sei que,sim,penso muito nisso,mas.Para quem está acostumado,não e?Quando tudo muda assim realmente demora a proscessar as coisas amigo.

-Totalmente,eu que o diga quanto ao meu pai.

-Há sim,em que area sua família atua?

-Conservando acervos históricos e as reliqueas do mundo.

Agora ela virava-se de lado;arqueou as sombranselhas clarinhas e bem delineadas.Para uma brasileira muito loira em si,naturalmente admirava tal clareza e atitude.Os
traços delicados e soube que sua familia em si vinha da Holanda;se estabilizara á anos na Cidade de São Paulo.Captei melhor sua voz,tinha um sotaque,sim,de lá,mesmo
que falasse Português perfeitamente ela confeçou em sussuros que adorava aprimorar as outras linguagens.

Ingênua,admiravél para sua idade.Véio a obsenidade em mim;odiava essa sensação,ela não comentou mais nada quando adormesceu sobre os travesseiros.Estava tão cansado
que fiz o mesmo.As criadas apenas entraram devagar sem querer pertubar e ascenderam algumas lamparinas com iluminação fraquinha e suave.Que delicia ver aquelas mãos em
cima dos meus ombros,ela dormia profundamente.Me considerava um perdido.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 19

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 12:51:37

Quando meu pai chegou em casa só faltou fazer um escandá-lo,tive que levantar para mandar ele ficar quieto.Ele deu-se conta de quem era e agora,sim,se acalmou.Minhã
mãe balançava Sofia pelos braços,já erá muito tarde;disse para ela ir para meu quarto devido ao tempo.Sofia captou a mensagem quando foi a varanda e viu o temporal que
se alastrava.

Especialmente nois dois subimos e finalmente a meiga tirou o imenso sobretudo,ablusa era branca de mangas curtas,puro algodão;tirava os sapatos que eu mesmo
quardei,me pediu desculpas por ter feito o que fez indo a minha casa e adormecer daquele modo.Que nada,que nada,estava estásiado com ela.Senti o perfume de
chá subindo,erá minhã mãe trazendo uma bandeja com biscoitos e meu requinte pedileto.

Me sentei na cama de perna gruzadas e pus a comer deliciosamente,mesmo a altas horas,já,não tinha mais sono,dormirámos bastante.Sofia quis apreciar tal
requinte da China.Admitia enquanto bebia a perfeição,a xicara fumegante e ela citou do que sua família contruia suas riquezas:Pesquisas Historicas e Arquioló-
gicas,me sobressaltei,algo mais complexo por que escavar foseis não tinha nada de fácil.Xinran observava a cena para sair de fininho,meu pai querendo matar a
curiosidade,isso para ela dar alguns beliscões nos braços dele e se retirarem.

-Assim,isso desde muito tempo Tompei.Arquiológia para mim e tudo,adoro esse termo por que me dar oportunidade de aprender muitas coisas.

-Não,não tenho o que comentar.Maghifico.

-Sei que,sim,lindo,o tempo se encarrega de aprimorarmos aspectos que só a mente humana tem.

Veio uma pergunta que não queria responder,perguntava o por que das faixas no anti-braço,pensou que tinha me machucado e disse que estava machucado sim,
mas não do modo que ela pensava.Quéria falar tudo,absolutamente tudo menos o que me contaminava por dentro e do nada veio os dedos tirar cada camada,que ela
tirasse suas dúvidas quando viu o inchaso que estava pior.

Seus olhos sobressaltaram ao levar os dedos acima dos lábios,me chamou de um desastrado,nisso tinha ração,afinal,devido a minha cabeça dura chegara a tal ponto
de quase quebrar meus pulsos.Agora sim véio a vontade de acolhe-la em meus braços,ela não admitia tal atitude minha,mas me chingava do que me aconselhava.O
dia iria nascer,senti isso pela braisa naquelas altas-horas agarrado a ela.Não queria que esse tempo de calor fosse embora,acho que Lestat nunca entendera o que e ter
um momento assim,afinal ele tanto foi desgastado por suas inluções que nem mais acredita nisso,será Marius?

Duas mentes reciprocas ao tempo,eu e Sofia fomos isso com os anos,os anos passavam ardualmente,meus estudos indo muito bem obrigado,já,os treinamentos?
Kaniban não perdoava em nem um momento,cheguei aos meus 15 anos de um modo descomunal,já dominará a tecnica muito bem,o que podia esperar daquele meu rela-
ciomento com Sofia?Sem comentários,sem comentários mestre:Daquela menina a uma jogem ardua em sua inteligência descomunal,não a via mais como uma mera
amiga,mas um quem sabe uma amante,não?

A palavra pode doer bastante,mas enquanto treinava naquela tarde me lembrava dos três anos passados,de como simplesmente eu conquistei a confiança dela a ponto de
está comigo.Estava delicioso ficar dando aquelas acrobácias para trás,erguia meu corpo para jogá-lo no ar e finalmente cair em pé,um giro de 360 gráus completos.A tecnica bem
aprimorada.Kenjing,já,tinha paciência comigo devido as minhãs investidas em Sofia.

Isso meros pensamentos enquanto fázia o que Kaniban oferecia:Simplesmente me levar ao limite de cansaço,com esses três anos meus pulsos acostumaram-se com o peso da
espada,ele me mandou pausar e fui ao deleite de beber uma garraga inteira de água,cede deliciosa até que a Deusa entra pelo portão.Falo nesse contexto por que ela com o passar
dos anos realmente tinha essa emanação.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 20

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 12:58:18

Sofia deixou o desejo de ter longos cabelos falar mais alto,a beleza feminina,em si,crescerá mais devido ao aparecimentos de alguns dos
dotes,a cintura mais delineada,os ceios fartos,o desejo em si um dia iria falar mais alto,só não sabia quando.Amava o modo como uma
mera calça jeans ficava perfeita nela,tinha uma alta coleção de sobre- tudo e nesse dia me lembro que usava um vermelho-vinho com botas
da mesma cor.

Gostava de quando ao se apróximar como levava aqueles dedos finos e delicados aos meus lábios,Kaniban apenas me resaltou que
a noite teriamos visitas,perguntando quem poderia ser,ele não deu resposta.Virou-se e foi arrumar todas as espadas.Ao menos teria um
tempinho vago para minhas aprontações,coisa que ele nem deveria suspeitar.

Era obvio que naquele tempo ,já,estava fuzilando e saía a caça de Sofia,nem sempre os mais sábios conseguem se opôr a esse tipo de
acontecimentos.Puxei ela pelos braços fazendo ela quase cair no chão,foi neste momento que me dei conta da força que adequeria com
os anos.Saindo dentro do salão mandei ela esperar para finalmente esperar meu corpo voltar a temperatura normal,sabem que extensa
atividade nos deixa fatigados.

-Hum...Um dia vou me cansar,sei disso.

-Vai cansar do que Tompei?

Agora via ela entrar no quarto por não querer esperar,estava fatigado,um trabalho extenso como aquele,simplesmente nos leva a pensar as
loucuras alheias.Ela nunca agia sem antes deu permitir,gostava do modo como sentia cada pedaço daqueles lábios,nunca vou me esquecer,por
mais que não saiba aonde ela está,essas aventuras estão gravadas na minhã mente.

Sempre ficavamos a tarde toda áli,flertando um ao outro com aqueles beijos que só eu conhecia.Coisa minhã e claro,não vou dizer que fui ou
sou um santo Marius,mesmo com toda sabédoria do mundo amava e amo a quem quero amar.Sofia e uma dessas que cá jazem em minhã
pessoa.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 21

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 13:08:04

A horas passavam,vinham até que ouvir alguns passos no corredor,me senti tonto com Sofia agarrada a mim naquela situação,a masaneta
da porta a girar devagar e vi o homem alto,absolutamente uma visão,a noite a essa autura,já,vinha,os olhos azuis gradualmente brilhosos,meros
fios longos pelas costas.Não comento,não e?Descaramente vossa da pessoa fez aquilo.

Nunca vou saber o motivo,simplesmente fora pego pelos ombros a jazer pelas grandes mãos pesadas,me sobrepunha no ar,mesmo tetando me livrar
envão,perguntava aonde meu pai estava,como falar naquela situação?Nada de reclamar quando senti sendo colocado de volta deliciosamente no lugar.

-Ele está na Bíblioteca,senhor?

-Marius,chame a mim de Marius De Romanus.

-Se quiser encontrá-lo e lá.

Sofia a ponto de desmaiar devido a complexidade,sempre revidava a todos os aspectos,sei disso por que ela saiu a segui-lo justo no momento em que
punha os pés na Bíblioteca;claro que preferi ficar escondido detrás dela.Nada a comentar,Kaniban levantava para recebê-lo,acabava de separar vários perca-
minhos que iriam ser seus.

Agora minhã cabeça ficou tão atordoada por que não entêndia os sussuros do meu pai,dizendo que amanhã aconteceria algo maghifico.Não tive e nunca
vou ter medo de fitá-lo do modo que diz,como que em um chamado de guerra.Meu pai observava a cena sentado junto a você na mesa central.Tomei a cora-
gem de ir comprimentá-lo para simplesmente você quase voar em cima de mim.

Uma queda que nunca vou esquecer.Kaniban soltava risos maléfico diante de tudo,o modo como voltou a me pegar nos braços para me levantar,me sobra-
saindo inerte a força descomunal.

-Me lembra uma pessoa Tompei,uma pessoa que um dia quem sabe não conhecerá.

-Quem e essa pessoa então?Se for sincero,me contara.

-Presciso ir menino,mas voltarei a qualquer momento,afinal,levo esses percaminhos a uma pessoa especial.

Estava sendo largado no chão,pernas gruzadas em pensamentos profundos,e Sofia veio sentar ao meu lado,grosseria não,mas,sim,iniciativa.Quando meu pai fora se
despedir ouvi plenamente a indireta que soltou a ele,a de quem um dia o destino se encarregar de provocar e destroçar destinos.Estanpido da porta para me fazer correr
até a varanda do meu quarto e poder ver limosine-negra sair pelo portão.

-O que ele pretende com isso,pai?

-Não sei Tompei,agora tome um banho e vamos jantar,amanhã estara repleto de seus compromissos e estudos.

Foi o que fiz ao me despedir de Sofia naquela noite;despedida que só beijos poderiam conclúir.Depóis de tudo deitado na cama sobre aquela doce iluminação,que o doce vento
me tirassem pensamentos macabros,foi isso o que pensei quanto a esse mero encontro.Estava cansado,meu corpo doia bastante,como sempre tinha que suportar.fiquei a anotar
algumas concluções no meu diario.

Não só quanto aos conhecimentos mais em si sobre mim,levava os dedos aos meus fios densos,sempre foram lisos,porém,pesados.O desejo de passar a noite naquela
biblioteca véio como cede,desci e passei,sim,a noite nela,sempre estudava tudo que desejava.Meu passa tempo digamos isso.Digo e repito que por não ter escondido seu
nome;isso foi admirável.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 22

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 13:14:58

O dia seguinte veio,fiquei tão puto por Kenjing jogar água em mim,que quase o espolei vivo,senti no ar que algo sério me chamava,fora jogado sobre o chão da guadra exatamente
as 6:00 hs da manhã,o dia mau nascia.Levantei a esgregar meus olhos em sono devido ao horário,meu pai me encarava com desden para ir a mesa central,pegara um papel de
papiro,vi que só estava de sapato e calça;nada de blusa;muito jovem,realmente no alge de uma limpida juventude;sempre apreciei aqueles cabelos longos.

Virou-se em tom de silêncio;li o que ele escrevera,exatamente o nome de Buda é e claro que meu tombo para tráz o fez me mandar levantar,isso por que o nome desapare-
cera.Mas para conseguir fazer tal feito passei por uma das piores esperiências da minha existência.Vi quando o Deus estava dentro do meu pai,simplesmente seus olhos ficaram
opacos quando aconteceu,e descaramente ele jogou aquilo para dentro de mim.

Dava pulos tetando fazer com que saisse de minhã pessoa,mas envão,corria minhã pele,Kenjing me puxava em direção ao lago de modo a me jogar naquela ponte,não sei como
descrever a sensação de dor nas véias em si,agora meu pai vinha em minhã direção e me jogou dentro do lago,esquia minhãs mãos para querer sair,não conseguia respirar.

-Tompei enquanto não dominar essa doutrina não podera sair de sua submersão,fique ai até sentir-se inteiramente com ele,afinal,ele está dominando sua carne em si,só os que
tem a carne dominada por Buda e que podem envocá-lo.

-Ao inferno,me tira dáqui! Kenjing por favor faça-o parar !

-Que seja filhote,agora ao trabalho.

Como os palavrões saiam na mente,ele apenas me empurrou para baixo para que eu não respira-se mais,fui descendo e descendo até sentir o fundo do lago,vi as gotas de
sangue sairem da minhã boca,tinha a constante sensação de que iria morrer com essa provação,minhã pele ardia como pimenta devido a invação corporal recente,fiquei deitado
submerso naquele lago até esperar a dor passar.

As bolhas de ar saiam das narinas e boca constantemente,mais parecia está num inferno do que um paraiso,como dominar um deus que estava dentro de mim?A energia
em si corria cada poro e pedaço do meu corpo,se morresse áli,não veria mais Sofia ou qualquer pessoa que amasse,inlusões me vinham a mente,monstros junto a sua carnificina
demoniaca.Das 6 hs as 12 Hs,esse foi o tempo que prescisei para conseguir dominar em si o que aquele filho da mãe puserá dentro de mim,dei-me conta disso quando a dor passou
e tive forças para voltar a subir em braçadas lá do fundo.


Última edição por Ana Nery em Dom 2 Jan - 17:15:39, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 23

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 13:28:11

Meu estado erá catatônico quando finalmente estiquei meus braços para subir na ponte,sangrava bastante nos pulsos,tornozelos e boca.Seria mais fácil está com
uma hemorágia do que,bem,não conseguia me lenvantar o que me fez me apoiar sobre as mãos,Kenjing ficou esperando junto ao Kaniban até aquilo passar,e
meu estomago embrulhou me fazendo expulsar a quantidade de sangue que ainda estava preso dentro de mim.

Não quis chorar,muito menos falar algo,mas ele quasse me matou diante de tal atitude,ouvi sua voz me pedir para tentar o que me pediu anteriomente,a
água escorria pelo meu corpo,gotas saliêntes sobre a pele.Tosia grádualmente por causa da falta de ar que agora me vinha as pulmões,mas os risos vieram
quando escrevi o nome e desapareceu como áacuo sobre o papiro,apenas o fiz com um leve toque em cima do precioso papel.

Sentia caláfrios no corpo todo,a falta de forças fazia com que as pernas balansassem forte,nesses 3 anos passei por tanta coisa que passei a pensar que só
a morte me derrubaria.O desmaio veio para fazer Kenjing me manter erguido e de pé.Meu pai simplesmente não sentia culpa da meu estado,comentou diante
disso que passou pelo mesmo.

-Bem que poderia ter ido embora,não e?

-Tompei não me machuca ou me atinge com essas palavras,não disse em nem um momento que facilitária a você.

-Acho que só quando eu morrer e que facilitará.

Enquanto saía cambaleando Kenjing me seguia me pedindo para voltar,mais por quê?Tinha que ir a alguns compromissos,ele ficara revoutado pela falta de
obediência ao meu pai,fiquei tão puto que mandei ele ir tomar naquele lugar,neste momento estava me vestindo para rever alguns resultados no colégial.

-Vai ao inferno,querem me matar?Me matem! Pronto,enfiem uma estaca no meu peito e me enterrem vivo.

-Tompei acalme-se,sei que foi doloro,mas isso vira com o tempo,ainda não concluiu nem a metade.

-O quê? Está bricando comigo,quer saber? Mande Kaniban procurar outro,por que esse aqui está fora !

Sai tão puto da vida que a porta batei para rachar,quando cheguei a quadra meu pai ficou pensativo com minhã atitude,nunca me viu tão pau da vida com
ele e seus olhos emanavam recepção,mais véio para ao menos me dar um abraço forte,sua força era descomunal para um humano em si.Estava choroso
por meu comportamento e véio o pedido de calma.

Acenti com um aceno e fui a sair pelo portão,os resultados que iria ver no colégial era de provas finais,depois disso não falei com ele por três longas
semanas,passava horas e horas na biblioteca ou estava no meu quarto.Bati o pé varias vezez em pensamentos.Ele confiava em mim,será que minha
decição estava correta?

Em alguns momentos enquanto estava na varanda,ele vinha a porta do meu quarto,mas não ousava entrar,só o mero barulho dava a entender,depois dessa
espera,ai sim ele decidiu chamar Xinran para falar comigo,claro que o ano de estudos terminará e ao menos todos estavam adorando os resultados que ela
mesma mostrou ao entrar no quarto.

-Tompei,tão inteligênte,mas precisa se comportar assim?

-Ele quase me matou ! Xomo queria que eu reagisse?

-Acha que ele não passou pelo mesmo?

-Sei que sim.

-Então vá a ação menino,esperamos coisas grandiosas de vossa pessoa.

Só ela para me acalmar do modo que fez ao afagar meus cabelos,se bem que estava anciosa,afinal,percebeu pelo meu aperto de mão que meus braços,já,não
eram tão fracos,desci para comer algo,meu pai esperava eu falar com ele,mas virei o rosto e entrei na cozinha com Xinran,véio o comentário de que estava alto
e tudo o mais.

Isso admitia,afinal,se eu não crescesse bem depois daquilo tudo e que algo estava errado comigo.A sombra do meu pai apareceu ao entrar e sentar comigo,
minhã pediu condolosamente que eu pedise desculpas a ele por tal atitude de desobediência,está bem,fui errado e criança demais em ter feito áquilo.Nunca
vira meu agir tão emocionalmente ao vir me abraçar,apenas me pediu paciência e que seguisse em frente.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 24

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 13:39:31

Respeitável de sua parte,depois desse impasse veio as férias,folga dos estudos e os treinamentos vinham mais pesados que nunca,plenamente mês de Dezembro,
maravilha de dedicação e veio a notícia da minhã vida:A de que Kaniban iria ficar uma semana com Xinran,no Templo dela,se comentar aqui como fiquei feliz por
isso,ele simplesmente iria me odiar.Veio meus pensamentos maléficos em um fim de semana totalmente sozinho,chamaria Sofia,estava decidido em ser claro
e sincero com ela.

Não sabem como dei graças aos Deuses por isso ter acontecido,era um Sábado quando desci a escadaria imensa e mandei um dos guardas ir chamá-la,a noite ia alta,
já,no início,mais porém,alta.Não sabia como ela iria regir,mas preferia ser obejtivo do que ficar naquele jogo alheio.Estava pensando nisso quando ela finalmente entrou
pelo salão,complascência que só uma jovem teria mesmo aos seus 14 anos e claro. E como falei anteriomente Marius:Ela sempre pensou além do seu tempo e idade em
si,também tinha essa caracteristica,ouvi sua pessoa me perguntar se tinha algo de errado comigo,respondi que não,estava trsnquilo e que a chamava para ser minhã
companhia naquela semana sozinho áli,para que fui falar isso?

Gostei e me lembro totalmente de como a blusa branca perfeitamente ajustada ao seu corpo lhe,caia bem,simplesmente dava mais delineação as suas curvas e céios,
sempre teve pernas longas e delicadas,por sua caractéristica Holandesa erá de se esperar,a sáia curta da mesma cor,o branco em si lhe cáia como uma luva,a vi dar
a volta para sentar ao meu lado,estava tremendo bastante devido a minha imprudência.Sua respiração ers calma,porém,seus olhos me fitavam de cima abaixo,o que iria fazer
naquele momento?Pensei,mas que tinha cometido um erro ao ter feito o que fiz,mas não,fui muito bem correpondido.

-Acha mesmo que iria jogar fora uma pessoa como você,Tompei?

-Não sei,isso agora dependerá de sua pessoa,Sofia.

-Hum...Hum...

Novamente os tremores vieram quando todo seu corpo se desbruçava por cima de mim,áli no sofá imenso,tudo certo,tudo certo até que naquele momento,já,não sábia para qual
parte iria partir,confeço e podem me queimar vivo:Sempre tive esse lado cativo para quem gostava,pouco estava me importando naquele momento,minhã meta era trazer Sofia para
minhã vida em si.Sabe aquela sensação de que não aguenta mais?Sim,justamente nela que me encontrava naquele momento,sempre gostei do modo como aquelas mãos apertavam
meus cabelos,ela sabia fazer isso como ninguém.No que minhã atitude insana iria se concretizar? Já devem saber no que exatamente.

Há amigos,tive o prazer de levá-la para meu guarto,se tinha uma pessoa em si que só tinha esse direito,seria ela,fiquei observando ela abrir a imensas persianas para o vento
em si entrar,a visão da varanda sempre lhe agradava,o seu caminhar em minhã direção era doce é o estampido da porta sendo trancada foi para ninguém poder entrar naquele lugar
que só pertencia a mim,os tremores agora passavam.

Magra,esbelta porém avida com mente ambiciosa,ela unia tudo que apreciava em uma pessoa,desatava aquela densa fita posta em sua cintura,não sei,estava mais rindo maléficamente
do que apreciando algo,ela em si era essa doce apreciasão,seus delirios eram claros ao começar beijar aquels céios esbeltos e deliciosos,toda macies da pele constante como tinha apre-
ciado anteriomente,cabelos densos sobre as costas,andulados e cheios em sua clareza.


Última edição por Ana Nery em Dom 2 Jan - 17:14:12, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espelho De Fogo-Cap 25

Mensagem  Ana Nery em Sab 12 Jun - 13:51:38

Sim,pensei em fugir,pedir tudo que fosse presciso,mas ela não permitiu tal aldásia,agora que fosse até o fim.Há?Me considerei um miserável por
isso.Ela voltou à andar pelo guarto enquanto eu a seguia tirando cada peça daquelas doces vestes,suas mãos deslizavam sobre toda extensão
dos meus ombros para finalmente deixar a blusa de seda em pedaços.Jogo interessante até o ponto em que rolava com ela sobre a cama com
arduos beijos,a boca mantinhasse cedosa,apreciada como só eu fazia em si.

Sozinhos para que ninguém pudesse me interromper,neste alge de minutos,já,estava podendo dar beijos em cada pedaço daquele corpo,suas mãos com
tal deleite apertavam os travesseiros,iria ser maléfico com isso,subindo e subindo até encontra aqueles ombros delicados e novamente deliciosos,sua boca mordia
os meus dedos delicados sobre seu rosto bem delineado,como falei:Desde o primeiro momento que a vi emanava a densidade de uma Deusa,mas um presente
do que qualquer coisa,agora sim os gémidos ficavam mais altos até que ela não suportou mais,pediu piedade,mas envão por que seus sussuros me pediam algo
a mais.

Foi o que fiz,a noite mais longa,apasiguadora que jamais esperei em minha vida até dado momento;transamos a noite toda em cada canto daquele guarto,não devo
menti e nem alsentar nada,os gritos entoavam por todos os lugares dali,admirava aquilo por que as horas me pareciam intermináveis,iamos para varanda,todos os
lugares que desejavamos,única coisa que mais temia era do meu pai ter desistido de tudo,o que não acontesceu e claro.

Queria sim,que essas horas fossem intermináveis e estava sendo,a cada gozar que Sofia tinha era como música para meus ouvidos,agora estava grudado com ela
contra a parede,a manter o ritmo muito forte,estava disposta,realmente muito disposta.Não parava de beijar aquela boca em nem um momento.Se eu parace,ela simplesmente
me ameaçava de ir embora,o que não desejava.

Risos enloguêntes e maliciosos enquanto tudo acontescia,pode ser forte,pode ser doloro,pode ser mágico,ela unia tudo isso,sua pele mantinhasse umida de suor todo esse tempo,
gostava de puxar aqueles mamilos rosados com os dentes.Posso está sendo obeseno em contar isso a você Marius,mas foi nisso que tudo se conclúiu devido aquele desejo que
vinha clardando todo esse tempo.

E como falei no inicio:Após terminarem de ler podem queimar tudo se desejarem,mais deija-me continuar a citar:Algumas velas ardiam em cima da mesa de madeira lá na varanda, fui
tão filho da mãe que a puxei para áli,voltamos friamente a fazer tal enloguência,me deliciava com sua pernas curvadas perfeitamente na altura de minha cintura,os braços agarando firme
a minhas costas,ela tinha confiança o que me deixava mais tránquilo.Dado isso a noite agora sim,ia muito longê.

-Se parar eu mato você.

-Não,mais fácil:Me deixa me suicidar,resolvido.

E lá continuamos e continuamos até o sol começar a nascer,estava cansado,acabado e caimos a dormir na cama fofa e deliciosa,que o dia passasse para que as ernergias voltassem a tona.
Eu naquele momento me considerava feliz,afinal,tinha e sempre tive minhã Sofia,agora me dava conta disso no momento em que a via dormir enrolada naqueles lençois claros e macios,a
luz da manhã perfeitamente porjada sobre seu rosto e fios longos.Kenjing tentou abrir a porta.mas envão,apenas a masaneta a girar sem ele poder abrir,finalmente saiu e me puz a voltar
a dormir com ela,os sonhos maravilhosos como sempre tive.


Última edição por Ana Nery em Dom 2 Jan - 17:14:59, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ****Espelho De Fogo*** (2° Conto)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum