***Rosas e Sangue*** (1° conto)

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 26

Mensagem  Ana Nery em Sab 27 Mar - 22:50:36

Tompei continuava a se debater naquela situação que agora não conseguia resolver,estava sufocando com a pres-
são das mãos de Maharet quando finamente Marius é eu tomamos iniciativa,a seguravamos pôr detrás,ela querendo
voar encima dele,o peso dela erá imenso,uma pedreira descomunal,ela gritava,fociverava alto,os gritos fazian com que
todos quisessem sair em correria,Nicolas apenas à olhar em prantos,espantado,os olhos querento saltar para fora devido a
força dela. A sua irmã ajudando a nóis dois,a mim é ao Marius,como Maharet coseguia se descontrolar daquele geito? Foi imprevisivel
para mim.

-Maharet para! Assim não podera se controlar!

-Me solta Marius,me solta,quero apenas poder acabar com ele,um humano com tal poder e inadmisivel !

-Amiga,cara rainha as vezes temos que aprender a conviver com isso !

-Que vá ao inferno,um humano forjado pela força de um deus,inconcebível ! Deixe-me queimá-lo !

Ela finalmente se desprendeu para assim pôr as mãos em Tompei,ele sentia dor com o peso dos braços de ferro
e gritava aos ventos para que nada acontecesse com ele,assim Maharet pediu o impossivel para nóis enquanto prendia
o Tompei em seus braços que mal conseguiamos tirar dela, seus braços esticados como em pedido de ajuda,queria poder
ajudar mais a hipótese irreal para mim e todos áli presentes que agora nada podiam fazer,os olhos de Maharet a encarar
a nóis cinco.

-Vão embora daqui,dou cinco minutos para ausaren voo ao cêus,saim daqui ! Sumam!

-Maharet,Mahate,nos devolva ele,por favor!

-Veremos qual vai ser o destino dele que eu mesma forjarei,agora saiam do meu refúgio.

Agora sim estavamos encurralados,Tompei apenas olhava choroso a nois áli esperando ação,quando ele
entendeu as lágrimas cairam ao rosto,Maharet iria fazer algo com ele que ninguém agora sabia e Tompei
dos prantos ficou em silêncio preso a ela,Marius apenas virou as costas e tivemos que partir sem ele,o mestre
enquanto subia aos ceus conosco queria gritar,mas não o fez,apenas saimos novamente na longa viagem de
volta ao lar de Tompei,agora ele não estava com a gente,que os Deuses o protegessem,era isso que pediamos
agora em pleno voo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 27

Mensagem  Ana Nery em Dom 28 Mar - 12:29:52

Finalmente chegamos ao Templo do Mongê para Ana poder entrar em desespero ao saber que a
Maharet estava com ele junto a sua irmã,a cor de canela estava com mero vestido curto cor
de greme,alças finas e botas da mesma cor que subiam até os joelhos,pelpudas como pelo de
urso;o esmero do seu olhar a encarar-me pela covardia foi demais. Não me agradava me sentir
repudiado por ela,Nicolas me chamou sozinho para poder falar tudo a ele que e claro não iria poder
fugir dessas responzabilidade por muito tempo.

Lá estavamos eu é ele no quarto do Tompei que mantinhasse vázio sem sua presença,era doloroso
não tê-lo conosco e náo poder fazer nada,agora vi que a Xinran voltará a sua casa,melhor,seu pequenino
templo. Sentiria soudades da mãe dele devido ao modo meigo de ser,assim Nicolas se esvaia entre esse
mero passar de tempo até que ele levou as mãos firmes ao meu rosto,apenas esperando esse estado de alerta
passar para assim falar,como ele podéria está áli? Isso que pensava a todo momento devido a perfeição com
que ele voltou,se pude-se tomalo áli fária,Lestat ele poderia está áli mais o preço foi caro por demais.

-Lestat? O que têm? Falas algo para que não se mantenha assim.

-O quê? Me sentir bem? Nicolas não sabe de nada ainda do que passei ou sofri nesses séculos,compreende?

-Sim,mis pretênde manter-se assim?

-Não por muito tempo,viu o que viu,mas sabe quem ela ê?

-Não,espero suas palavras.

-Ok,uma lenda para ser mais claro,ela roubou para si mesma o gerne sagrado,o que deu origem ao
que somos.

Os seus olhos castalhos apasiguaram-se fazendo com que assim se deitasse sobre mim,ele queria
dormir mesmo com a noite mal se iniciando naquele lugar é o fez,cochilava entre meus braços,o sono veio profundo
e tive medo que tudo desse errado novamente,doces cabelos encaracolados com negritude,deslizava os dedos ferrenhos
sobre eles e Louis viu a sena para assim sair dali,divisão imediata tanto quanto uma vida;não desejava destruir isso devido a
volta de Nick e me levantei indo atrás.

-Calma ai,não aceita opiniões?

-Ao inferno.

Ele deu de costas para mim,sua raiva erá constante e tentei retroceder para levar um não como resposta;
foi em companhia de Ana que agora mantinhasse no jardim a pensar em tudo,eles conversavam e Marius me puxou para
citar algumas palavras referênte ao Tompei,ele estava quase se descontrolando,era evidênte só de olhar em seus
olhos azulados e cai em seus braços pedindo desculpas por tudo,confeço: O peso vem na alma para assim podermos
ter essa vontade,ele batia com as mãos sobre meus ombros.

-Calma moleque,também não e para tanto,dúvido que Maharet o mate sem antes dar uma chance a ele.

-Como assim?

-Ela pode odialo,mas Tompei ao mesmo tempo a facina devido a suas abilidades.

-Acha que ela então,pode,pode...

-Calado Lestat;não pense nessa hipótese,séria gruel demais para ele.

-Como assim?

-Tompei jamais entênderia por mais que saiba o que é o sobrenatural ser porjado pelo dom negro.

-Que esteja certo,que esteja certo.

Indo a muralha pensava como iria tiralo de lá,as nuvens passeavam no cêu limpo junto a brisa frienta,a visão maghifica quando senti
os braços de Nicolas roçarem detrás de mim,ele vinha para ficar áli comigo,as mordidas em minhas orelhas me faziam ir aos delirios,ele
erá maldito,sabia provocar mesmo não querendo fazelo,calminha Lestat, calminha para não dar um passo infalso,pode se queimar seu demônio.
Ele afastou curvando as pernas contra si,a sua natureza mantinhasse a mesma e perguntou para realmente eu querer ir embora.

-Quem e Louis??

-E...E..precisa mesmo dessa resposta Nick?

-Sim e claro,por favor,fala-me.

-Ok...Que seja,Louis dentre todos esses anos tem sido meu companheiro mesmo tendo nossos momentos de guerra,para ser mais claro ele que me
chamou quando já não estava aqui.

-Hum...As mentiras tem pernas curtas Lestat,acha que ele e seu querido ou brinquedo?

-O que lhe faz pensar assim?

-Há uma diferença Lestat,a primeira e que o pegou hum momento de solidão é a segunda,que não tem coragem de assumir o que
esse coração maldito ai dentro fala.


Palavras que machucaram,ele acertara no alvo,para com Nicolas eu admitia meus sentimentos mais Louis,Louis em si nunca falará
isso na face dele,Nicolas como tinha a meneira única de ser claro sem falar muito mesmo com sua irá,fiquei calado,não dei respostas
e queria traçar um plano maquieavélico a respeito do Tompei,ele iria me ajudar? Iriamos ver,que a noite pasasse unicamente entre
eu e Nick que agora simplesmente me enchia de beijos arduos como ele só sabia fazer,um tremendo provocador e Marius lá de baixo
apenas olhando junto a Armand,ao inferno todos que odiassem o que eramos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 28

Mensagem  Ana Nery em Dom 28 Mar - 12:44:59

Ele se afastou depois daquele longo momento para assim poder descer.Louis ficou resoluto quando ele se aproximou,Ana apenas
observadora quanto à atitude de Nicolas,eu e claro sem querer me intrometer apenas deitei-me pondo as mãos sobre meu rosto a me
apoiar na barra da muralha,via tudo dessa maghifica visão,ouvidos sobrenaturais a ouvir tudo,que meiga visão dos dois deuses de pé
um de frente para o outro e veio o gesto que não esperava que saisse do meu Nick,estendeu as mãos graciosas como em pedido de amizade,
atenção,atenção para a resposta do senhor Louis.

-Nicolas de Lenfet finalmente fala-me algo,um mau começo.

-Pode ser que sim e pode ser também que não sejá esse bom começo.

-Grato por isso.

-Que seu desejo seja realizado,só não seja ultrajante comigo.

-Veremos,dependerá de sua atitude.

O desvaneio novamente estava presente,um passo é os dois iriam sair no tapa,mais Armand se meteu no meio,seus cabelos
vermelhos ainda soltous e Marius apenas puserá Ana protegida em sua pessoa,como apreciava a cena,muralha obrigada pela sua
visão privilégiada,ultrajante quanto só podia ser,não e? Sim,mas não se deram ao luxo de se rebaixarem a tal nivel,eram
pessoas de alta classe e o tempo agiria por si,descendo apenas disse a todos que queria voltar para minhã casa,iria começar
a resolver o mega-problema de Tompei de lá e Marius resolveu vir conosco,apenas falou alto ao Nicolas e Louis,o que me fez ir
aos alges de risos.

-Um passo infalso e tenham certeza: Queimo os dois.

Ana apenas debatiasse em meus braços por que não queria ir no voo,mas dessa vez não,ela veio mesmo não querendo,o
que me fázia pensar enquanto ela dormia em meus braços naquele momento é o que fária com essa cor de canela,quem cuidária
do templo do nosso mongê,séria Kenjing que nos garantira que arrumária tudo na ausência do indevido problema.Atravessariamos o atlântico
para assim finalmente chegar em Nova Orleans,soudades enormes de minha casa,quando vi que tudo estava em ordem fiquei grato por isso,como a
respiração me sobresaltava a boca de felizidade,Nicolas agora entrava em cada comodo conhecendo tudo è e claro que a essa altura já escolhera
seu canto: Infelizmente meu quarto sagrado.

A essa altura mantinhasme a traçar meu plano sentado no sofá,braços esticados em descanso,Louis estava ao meu lado junto ao mestrinho que
agora me perguntava quais metas alcansariamos com Maharet,vi que o violino estatava no chão em pedaços devido áquela atitude de Ana que
neste momento agrádescia por telo feito e joguei fora,passado,puro e mero passado que agora ia embora para nunca mais voltar e voltei a
sentar-me em desencontro a mim mesmo para Marius me sacudir e tirar-me daquele transe,sua voz véio e voltei a mim.

-Lestat,Lestat acorda moleque,estas hápatico

-Sim,não sei se vai dar certo meu plano.

-Fale a mim o que planeja

-Posso ser sincero? Ir a ela e nos ajoelhar para que o devolva a quem pertense: Neste caso a nóis.

-Está louco??

-O que então Marius? Esperar?

-Séria melhor moleque.

Ele estava certo,veriamos no que daria,mass confeço que essa idêia de implorar de joelhos não me erá descartavél e vwio o olhar furioso do peda-
daço de pecado quando calculou tudo,pronto,as broncas viam dele e assim a discussão estava formada,Nicolas apenas a olhar na entrada da porta do
quarto de braços gruzados,Ana atônita por presenciar em sua existência uma briga dáquelas,simplesmente acharia que a gente erá louco mesmo,é eramos
a ponto de falar daquele geito diante de todos,os gestos dos dedos de Louis apontando para mim áli sentado,Armand apenas passando as mãos pelo rosto em
multua analize.

-Calmaai,eu sou culpado? Culpado de quê?!

-Se não fosse por sua astúsia não téria acontecido,Tompei estária com a familia dele!

-Vai se queimar,vai !Para mim valeu a pena sim,olha o que tenho áli em pé,olha!

-Desmerecedor de tudo!

-Louis o que posso fazer? Errei,pronto,mas ir a Maharet e tentar tirá-lo dela? Bem,diante disso por favor ponhasse ao sol e morra! Uma
morte menos dolorosa do que diante dela.

Agora os passos de Ana eram pesados,olhava a gente para assim sair as palavras dela que me fizeram calar-me perante todos áli,Marius riu
com a imposição e esvaia diante da altoridade de mulher presente,Lestat realmente colocará uma rival a altura dentro do seu covil,a mulher erá
corajosa,Armand ria da minha face corada e vermelha diante do acontecimento,todos pasmos.

- Lestat morre vai,sai por essa porta e acabesse no sol mais eu quero meu Tompei de volta covarde!

Louis a afastou depóis,foram ao sotão ficar sozinhos,mereciam esse descanso,tudo que passaram fora demais e devido a minha culpa,me cobraram
uma atitude mais qual? Levei as mãos aos cabelos e me recolhi deitando no sofá,olhava para o teto pensativo,Lestat ponha a cabeça a funcionar,vamos,
você conseguê,o frio vinha direto pela casa,entendia por que Ana amava sua Cidade amada,tinha suas rações e Marius sentado ao lado a segurar cabeça,ela voltou a doer muito em pensamentos horrendos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 29

Mensagem  Ana Nery em Seg 29 Mar - 20:12:36

Cá estavamos nóis nesta maléfica aventura que não tinha noção de como iria terminar,quando fui ao meu quarto anotar
essas coisas Nicolas veio a me seguir,simplesmente deitavasse a olhar minhã pessoa a escrever neste leptop que cá escrevo
está aventura a vocês,sim,ele o viu é estranhou o que era e espliquei tudo,tinha que aprender algumas coisas e iria ensinar
sim,pena que não conseguia fazer o mesmo para com meu pedaço de pecado,as anotações corriam pelo teclado delicado
que assim fez Nicolas deitar-se ao meu lado a olhar o que escrevia em francês,suas mãos delicadas sobre meus ombros,
soudades deste gesto unisono e lá mantinhasse Marius com todos presentes na casa,enquanto anotava a mente roia de
concluções quanto ao nosso Tompei.Passou me uma idéia na cabeça: Lestat se Maharet não o fizer,faça-o.Não confeçava
o que tinha em mente,mais iria fazê-lo.

Louis entrou no quarto para assim querer expulsar Nicolas de junto a minhã pessoa,Marius exaltou-se pondo assim uma
pequena ordem e me levantei da cama,eles sairam com raiva e apenas falei antes de bater a porta,os seus olhares ingredulos
e odiosos quanto a minha decisão de suas onipotências,Louis apenas choroso para assim esconder detrás de Marius.

-Único recado ao Louis e Nicolas: Ou comportense como titâns que é o que somos ou rua!

A porta bateu,pronto,fui a janela do meu quarto,as cortinas andulavam pelo vento gélido,queria sair daquele problema e
posso falar agora o que planejava? Senhores leitores o secredo apenas irei falar para vós tirar a impaciência: Queria e desejava
Tompei ao nosso lado,seria um aliado entanto,mas,mas Ana,sim,iria ficar desencorajada é revoltada com nóis todos se eu ou Maharet
trouxéssemos ele para nóis.

-Querida cor de canela,um dia entenderá,mas ao menos quero tirá-lo dali.

Essas palavras corriam em sussuros quando ela entrou fechando a porta,assim a vi mais que a perfeição que tinha,os
céios fartos caiam debaixo daquele vestido greme o que me impulsionou a afastá-la,brasileiras,unisonas em tentação da
carne,ela falava áli que queria Tompei de volta,que esperava uma atitude minhã. Falei do que me veio a mente,uma idéia
mais que perfeita,os meus sussuros sairam aos ouvidos dela.

-Má chére vou ao encontro de David,acho que ele pode fazê-lo por mim.

-Será,Lestat? Acha mesmo ?

-Sim,ele ao contrário da gente,têm sabédoria,vamos ver se ele pode ir ver Maharet,posso ir junto com ele para
assim convesar com a mãe.

-Ok,faça o que for preciso,Tompei e jovem,tem uma vida pela frente.

-Faremos o possível.

Assim sai do quarto correndo para pegar meu sobretudo negro,Marius peguntou o por quê da movimentação e
falei em alto tom que seria comigo e David agora,enquanto vestia minhãs botas novamente,Armand andava de um lado
a outro da casa.

-Lestat agora sim ela queima você.

-Bem anjo,se não me queimou em Memhoch não vai ser agora. Tô indo.

Pulei ao jardim alsando voo rumo a Inglaterra,ele estava lá em visita,fácil de encontralo,deixava meus cabelos sobre
o vento,quéria chegar rápido por que teria que me ausêntar antes para dormir,o fiz na chegada e Tompei os sonhos
mais que maghificos,mel,puro mel,assim ele me lembrava. A espada do mongê,mágica trajada daqueles aeroglifos.

Me retirei no primeiro cemitério que vi em Londrés, a terra do bosque em volta cobria bem meu corpo,
Tompei,Tompei,comeva a me enfeitiçar,mas um porém nisso: Nosso mongê afligia a tudo que jamais
vira em um humano,Marius querendo sua vida,isso eu iria celar,deixe com que os sonhos venham,Lestat es
belo pelo que e meu principe.

Acordando na noite eu sai a procura de uma caça,o mau feito caira em meus braços facilmente huma ruela
fria,o beco humido fazendo com que o lugar fosse a perfeição para o banquete,o calor vinha quando terminei,
sai a procura de David e o vi na casa de chá mais proxima que encontrei,silêncioso e abriu a porta para poder dar de
frente a ele sentado na mesa,receberá o chamado de Marius e claro,atenderá e lá estava.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 30

Mensagem  Ana Nery em Seg 29 Mar - 20:27:10

Ele estava apenas analizando minhã cara de pau em ir ao encontro dele,os cabelos escuros caindo levemente
ao rosto,belo chale preto com camisa de seda maltina,as calças clássicas escuras com sapatos trajados é os
olhos castalhos passeando sobre mim,David apenas se mantinha inusoluto para saber qual a urgência pela qual
o procurava.O fiz,ele pôs as mãos na mesa para poder se apoiar,atenciosamente as levou ao meu rosto,será
que sabia quem era Tompei? Apenas Marius o avisou por pensamentos,eles correm longê,saibam disso amores.

-Lestat o que aprontou dessa vez?

-David apenas lhe aviso que precisarei de sua ajuda para trazer Tompei de volta,um mongê da antiga-
China meu martim.

-Tompei? Esse é o nome?

-Sim,está sabendo de tudo?

-Grande parte,Marius não pode falar tudo por pensamentos,compreende?

-Sim,sem problema.

Novamente tinha que falar,o fiz,o calor de vapor dos chás me aqueciam naquele frio,comentei de Ana
é ele se exaltou em risos pelo nome,amava sua ingenuidade,David,meu David que descaradamente trouxerá
para mim mesmo é a solidão veio por que a culpa por tudo voltava a bater,saimos para ir as ruas,David me
levou a sua estadia para que conversássemos mais.


Tirou o chalé pondo-o no apoiador,era um lugar confortável,belas lampadas clarinhas para dar suavidade a iluminação
naquela sala que ele se sentava ao sofá de puro couro vermelho.Estava ao seu lado a esperar suas palavras,queria sua
ajuda,melhor,precisaria dela em todos os momentos agora é o vi virar os olhos para mim,a voz saiu fria como o gelo tipico
que ele sempre mantiverá para si mesmo.

-Acha que Maharet me ouvirá? Não lhe garanto nada,afinal,pelo que falou o Tompei não e uma pessoa normal,Marius quando
conversava com ele me dizerá o mesmo o que me sobresaltou. Não estavamos falando de um mero humano Lestat,mas um humano forjado
por um deus,o pai dele tinha sangue de um deus pelo que Marius me citou.

-Sim,está certo,o mestre falou tudo a você,menos e claro o nome que eu mesmo tive que mencionar,mas vai me ajudar?

-Sim,farei o possível para conversar com a mãe,espero que ela apenas não me queime,ela se mantém no mesmo lugar?

-Sim,exatamente lá.

Meus olhos brilhavam devido a isso,enchi ele de beijos,agora sim tinha uma change de me redimir,saimos imediatamente da
Inglaterra,novamente a caminho de Maharet que me vinha nos pensamentos naquele voo unisono,deixe com que sua alma vá
junto a esse voo Lestat,isso que pensei,David ao meu lado sem falar nada,a noite corria enquanto iamos nesse caminho,agra-
dscia em coração por Marius ter avisado a ele de minhã chegada o que facilitou muito minhã conversa com David.

Falo que chorei novamente;odiava saber que uma pessoa sofria por mima causa,um humano forjado pela força de um
deus,Tompei,nosso Tompei,ele não sáia dos meus pensamentos,a mente vuava enquanto traçavamos o caminho nos cêus,passa-
vamos entre nuvens,ah como quéria sair do corpo,ser livre por um mero momento de tudo que acontescia. O rosto de david virou
para observar se estava bem.

Evidêntemente que não,sempre tive meus momentos de autos de baixos,assim me resumia: O principe que da qual não sequia
regras,amava quebralas e sempre o fiz em toda a minhã existência,soudades dos velhos tempos,de certo modo senti o que a cor de
canela me derá com sua chegada,respondi ao david naquele multuo olhar.

-Humor e existência David,Ana e Tompei me deram isso.

Não houve resposta,saimos em alta velocidade na viagem, as nuvens ainda passando entre a gente,o imenso mar abaixo
para que nos encobrisse da dor.Ele me seguia sem medo ou temor,Maharet por favor seguresse pela cede,não faça tal
ambição com Tompei,desejava mais que tudo que a vida dele estivesse mantida,meros pensamentos que vinham no coração.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 31

Mensagem  Ana Nery em Qua 31 Mar - 9:36:36

Finalmente ao avistar o campo de vegetação densa descemos,vi que no lugar a noite mal
começava e pusemos a bater no portão do pequeno palásio da mãe,ela apareceu vindo nos receber pa-
ra assim estrarmos la dentro,Maharet apenas quieta sem comentar nada com David ao seu lado que se man-
tinha inalterado ao ver a cena naquele salão,fiquei chocado ao ver o Tompei no chão,desmaiado,erá claro
e explícito que tinha tido uma briga corporal com a mãe.

Os densos fios de seus cabelos estava sujos de sanguê,Maharet simplesmente deixará Tompei a beira
da morte,David inalterado até que virou para ela e a voz saiu alta para impor ordem,eu apenas peguei-o
nos meus braços enquanto isso acontecia,Tompei mal respirava,estava com febre álem do baixo peso que
e claro não tinha podido comer nessas noites,David agora se encaminhava em direção a mãe,passos pesados
e coniformes a si.Ele apenas levou as mãos ao rosto dela que se mantinha nervosa.

-Querida Maharet foi necessário fazer isso? O que o Tompei fez de ruim?

-Ter nascido do modo como ele e..Sofri para deixá-lo nesse estado,ele lutou bastante.

-Hum..Mas o que ele fez de ruim? Matou alguém?

-Não,mas acho que a humanidade tem um perigoso homem presente,ele pode trazer vidas de volta.

-É e isso que a levou a deixá-lo neste estado?

-O que pretendem?

-O Tompei têm seu lugar,precisa ir para casa,não e coveniênte manté-lo aqui,ele vai esvair assim.

-Será? Não é o que estou vendo David.

-Como assim?

Os olhos azulados dela vieram em minha direção é assim o tirou dos meus braços,ela o acolhia mais como
um bebê,a sua irmã Mekare sairá para ver quem estava presente,ela trázia um lençol para enrolá-lo é a Maharet
falou algo que me assutou ,David apenas se sobresaltará e apreciava aquela cena,Maharet com Tompei nos braços
que agora fora levado ao quarto enorme que ela tinha áli,ele agora dormia,precisava disso,mas não sei se resistiria
muito tempo,os densos cabelos acobreados dela andulavam com a pequena brisa presente.

-Deixeno comigo,ele já provou o que tinina que provar,não quero ele solto pôr ai.

-Mas assim ele vai morrer! Maharet ele têm mãe,entende? Uma vida pela frente,não ver isso?

-Que seja! Mas não vou permitir que um humano com tais dons esteja a par da humanidade,Lestat isso é um absurdo

-Não Maharet,absurdo e tirar dele o que têm de mais valioso.

-O quê?

-Uma vida,ele aida têm uma vida imensa pela frente,quer privá-lo disso?

Ela saiu do lugar e veio me encarar friamente,David se impulserá no meio de nóis dois,como lhe dar com uma pessoa
poderosa que neste momento mantinha sua cabeça fechada a opiniões? Se ela se encontrava neste direito ai sim não teriamos
solução a não ser que eu mesmo matasse Tompei áli,Lestat sim,faça-o,vamos,enfinhe uma estaca no abdômem dele e tire-o dáli,
Tompei ficarÁ mais fraco e claro,ao menos vai tirÁ-lo dos braços dela,vi um punhal na mesa ao lado é o peguei,David segurando minhas
mãos para que não fizesse alguma besteira.

-Me solta por favor?

-Vai fazer merda,tenho certeza disso.

Me desprendi dos três,se fosse para manter Tompei prisioneiro que ele morresse áli mesmo,viver insolado do mundo jamais,não iria
permitir tal audásia de Maharet e Mekaret,pulei encima do corpo de Tompei e simplesmente gravei o punhal no abdômem dele,o espirro
de sangue foi estantâneo quando o peguei nos braços,agora sim o mongê estava entre a vida é a morte,diante da atitude de Maharet em lon-
guides pela minhã atitude dei de costas com Tompei nos meus braços e o David saiu em prantos ao meu lado pelo Campo.Maharet apareceu a frente
raivosa,ela queria tirar ele dos meus raços mais envão,saltei nas pedras e sai em voo com o mongê nos meus braços.

O vento cortava a pele,David tambem sairá em voo,seu olhar de revolta foi o tapa que precisava,as nuves estavam pesadas,mas Tompei agora ao
menos estava solto das garras delas,o que fária com ele?Tompei,nosso Tompei finalmente estava entre a vida e morte,não sabia o que fazer,o rosto dele
emanava paz em meus braços,ainda desmaiado,mas fraco que nunca,não paravamos de dar alta velocidade ao voo,Maharet pegou pesado então que me arrisque em
tudo,ao menos se Tompei morresse iria em paz,só um milagre iria salvá-lo agora.

Cotinuavamos á travessia ao Atlântico,depóis a volta no globo,o cêu mandava uma mensagem,a de que a noite lá em Nova Orleans ira ser tenebrosa,quanto a cor
de canela visse o estado dele ai sim a teria perdido,que o vento limpase minhã alma,a solidão era eminente,Tompei,Tompei,o que será de você? Isso só dependeria
sa força dele,pensava em tudo até o caminho para casa ficar completo,me sentia cansado,minnãs energias esgotadas por essa longuidão,Tompei que seus sonhos estivessem sendo belos,iria precisar.


Última edição por Ana Nery em Qui 1 Abr - 20:14:48, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 32

Mensagem  Ana Nery em Qui 1 Abr - 20:12:54

Chegamos em casa e Marius arrancou Tompei dos meus braços quando desci no jardim,a neve começava a cair agora,o frio agora iria vir com
toda força que tinha,David fora comprimentar Ana Nery quando à avistou ela,quando soube que vinha do Brasil apenas faltou levantÁ-la no ar de
empolgado,ela não entêndia nada daquela reação dele,mesmo assim quando viu Nicolas caiu para tráz,Louis teve que seguralo e lá foi o
educado para conhecê-lo melhor,Nicolas atônito por tudo,o que a mente não fazia,não?

Agora mantinha-me ao lado do Tompei que continuava ardendo de febre, Marius apenas passava algumas gotas do sacro-sanguê para o ferimento
que eu fiz poder fechar,era o suficiente para cicatrizar por completo,Tompei ainda desmaiado e passando os olhos pela situação Nicolas e David os dois
já estava a conversa;o educado véio em minhã direção postando-se ao meu lado,senti as mãos pesadas batendo nos ombros.

-Tompei o trouxe de volta não é?

-A pessoa que jaz sofrendo é a que fez tudo.

-Vamos ver no que vai dar Lestat,banhemos o Tompei é o acolhemos aqui,se não melhorar,que seja dado o sanguê a ele.

-Não cogite essa hipótese David,têm um problema.

-Qual?

-Ana,ela é a querida dele e não gostária disso.

A susto foi eminente,as bananeiras presentes balançavam pelo vento naquele trocar de olhares,me agarei a ele para não querer
largá-lo,desejava me sentir acolhido e vimos Marius levar o mongê ao meu mega banheiro,lá estavamos eu,Ana e Marius a dar
banho no Tompei,agora sim o ferimento terminara de fechar,a água caia guente sobre ele,os densos cabelos molhados,as manchas
de sangue saiam,os ematomas vi em toda a extensão do seu corpo.

O mestrinho tinha seus cuidados e a cor de canela vinha com toalhas limpas,o colocamos em cima da minha cama,penteamos os
densos fios negros,ele ainda dormia forte,agora depois de apagar a luz só o destino iria falar por si e David me confeçava que não ia
ter change,o corpo de nosso Tompei fora castigado demais,assim eu e ele saimos ao mercado mais proximo para comprar algo que
o mongê gostasse,não sábia o que mais compramos áquelas sopinhas não pereciveis que apenas derrama-se água guente.

Pelo Tompei ter tido uma alimentação muito natural,não quis correr risco de comprar algo que fize-se mau a ele,entramos pelo portão e
Armand em alerta véio a pegar as pequenas bolsas,ele também não gostava da atitude da mãe,todos revoltados,não tirava a razão de
nem um áli e quando entre no clarto e vi Ana sentada do lado da minha cama a ver Tompei me esvai,ela gostava dele,estava muito claro que
eu não tinha changê,a cor de canela apenas sussurava baixinho para que ele voltasse a si..

-Querida Ana por quê jaz assim?

-Lestat entenda que quando se gosta está do lado,gosto dele e não sáio daqui enquanto não velo levantar-se

Ela foi ao guarda-roupa pegar lençóis limpos para estender sobre o nosso mongê,David puxou ela pelas mãos e lá es-
taca os dois a conversarem no sofá,admitio,ela tinha boa lábia e erá observadora,a danada gostava do David,ele ao
vê-la mencionar que erá do Rio peguntava como andava a cidade.

-Sabe como É,não e? Dias de praia,Copacabana lotada, Leblom com aquele asfalto chéio de bicicletas David.

-Nossa,que soudades.

-Será? Ouê? Passe alguns dias na minhã casa,vai gostar,será muitissimo recebido no Rio novamente se depender
de mim.

-Posso sim,faremos isso.

Tive mais um ataques de risos,inveja por ela morar naquele calor,sabia que o Rio era uma Cidade bela,sim,
pôr si mesma e quando senti as mãos de Louis firmes detrás de mim a me chamar no Jardim tremi,o Marius
queria minha presença;sentamos sobre o pequeno grámado para saber do que ele planejava..

-Querido Lestat vamos,posso dar o ardil a ele,acho que o Tompei não resiste não.

-Que isso,vamos deixá-lo lutar,só faremos caso não hája geito.

-Que acha Louis?

Pedaço de pecado com raiva,odiará a idéia,ele mantinhasse calado e choroso diante disso,desde o início
compreenderá,menos a gente,tudo neste mundo têm um preço é ele fora pago com a fragilidade em que nosso
Tompei se encontrava,voltamos a ir no quarto e ele não parava de arder em febre,a testa suava bastante,a respiração
constante,esperariamos,tempo e mais tempo,era isso que eu mais queria neste momento.

Marius me confeçava áli mesmo que não queria ver o mongê ir,muito jovem para isso mais mantive a palavra,só em última
estáncia que Marius o fária,não descrevo os gritos de Ana ao ouvir essas palavras,ai sim que não queria sair de perto do
David que não parava de acolhê-la nos braços.

Nicolas mantinhasse atônito em como duas pessoas que mal se conheciam poderiam se dar bem. Apenas bati as mãos em
seus ombros e respondi dizendo que amizade era tudo em certos momentos,mas pera ai,esquecerámos alguma coisa,
a espada do Tompei mantinhasse com Maharet,quando eu,Marius e David percebemos isso ai sim o desespero do pensamento es-
tava instalado.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 33

Mensagem  Ana Nery em Sex 2 Abr - 13:03:46

Lá estavamos eu e David a gritar devido a essa imprudência, os olhos de Marius entre lágrimas sanguinolentas,como eu,
Lestat pude cometar tal erro? Os palavrões de Nicolas vieram para simplesmente me calar,a espada do Tompei era o que
ele tinha de magistral em seus dons,sua principal ferramenta de rituais,o que iria justificar a ele quando acordasse?Louis
agora me balançava em nervos devido ao acontecimento,se Maharet ainda estivesse com aquele instrumento iria por si
vir aonde estavamos,isso e se simplesmente corressemos para pegar,descartei essa himpótese,era arriscado demais.

-Lestat como foi burro a tal nível?

-Não sei o que me dei na cabeça Marius,apenas o que me importava era tirar nosso Tompei das mãos da mãe.

-Compreendo,como justificará a ele quando acorda?

-Não faço a minima idéia.

ouvimos pequenos gritos vindo do quarto,corri pora saber do que se tratava,o lindo Tompei acordava,vi seus incrimes olhos abertos,
mais a dor era muito forte,o incomodava por demais,ele mantinhasse calado,respirava com dificuldades ainda até que vi Ana entrando e
foi postar-se ao seu lado,ele ainda ardia em febre,não comentava absolutamente nada,um milagre estava acontecendo áli ou era
impressão minha? Fiz o mesmo que Ana e quando vi os risos de Marius fiquei grato por áquilo;nada garantido ainda;muito fraco para que come-
morasesmos vitória.

Tompei virou a cabeça sobre os travesseiros,voltou a dormir,era o que mais precisava naquele momento,quis chorar por aquilo,odiava
ver uma pessoa naquele estado,saimos para assim ficarnos no porão em recolhimento,Armand apenas quieto,não tinha muito o que comentar
e claro,mais Marius inusoluto a tudo até que David falou uma coisa que me alertou.

-Vocês não vêem? Acho que Tompei está usando seu própio ego e carma para se recuperar.

-Acha mesmo?

-Sem a menor dúvida,mas não e garantido que a recuperação sejá 100%

-Compreendo.

Fui ao Baú para simplesmente quebrá-lo em pedaços,já não tinha ultilidade,afinal,tudo que desejava fora conclúido em todos os aspectos,
Nicolas não queria sair do meu lado,sentirasse mau pela situação é a situação Louis entrou para me deixar mais estressado ainda,falo a vocês
que contava menutos e segundos para Tompei levantar são e saldo da luta contra si,até que ponto eu fui? Es as conseguências de tudo.

Quando senti as unhas de Nick roçarem meus braços me senti melhor,tinha o apoio de todos áli,menos a da cor de cabela,tristeza em saber
que simplesmente escolhera bem seu martim,quanto a mim?Tentando aceitar tudo aquilo,ela me carantirá que na nossa ausência iria cuidar
do mongê,sem mais,séria responzabilidade especificamente dela.

-Não se preucupem,cuido dele,ele ter acordado já e um começo.

-Sim,bom sinal.

-O que a mãe fara quanto a espada dele lá?

-Sinceramente Lestat e mais fácil ela vir do que ficar calada.

-Ele não engolira em seco tal ousádia minha Marius.

-Sem a menor dúvida.

A neve continuava a cair silenciosa,vi pela pequenina janela do sotão,a noite passava,era imutável como sempre em toda sua
existência,dor complascênte,em que maldito dia iria parar com minhãs aprontações? Acho que nunca,chegará a essa mera
conclusão,eu querendo ser santo?Loucura de minha cabeça,vi isso repassando todos acontescimentos,seria mais fácil me entre-
gar a essa locura do que chegar a ser um santo. Lestat,Lestat es medonho como a rosa da escuridão que só os deuses contém.

Conclusão alheia,não é?Mais estava certo,foi loucura pensar daquele modo,a noite se opunha quando saimos para nos
recolher,Ana ficou dormindo no sofá,doce,ela erá tão doce que mal via a hora de pegar sua pessoa,foi os últimos pensamentos
que tive ao dar um leve beijos na sua testa saliênte,tão perfeita em si que iria tomá-la para mim sim,nem que custasse a vida
dela,não admitia ser deixado para trás.

Marius enfim me chamou,saimos as ruas de Nova Orleans,todos separaram-se para dormir,só na noite seguinte iriamos
voltar,que a cor de caneça cuida-se de Tompei muito bem,pensamentos horrendos devido a Maharet,dormi no porão
de um prédio proximo,não muito confortavel,mais estava lá tendo os mais meigos sonhos do mundo,que o tempo passasse
para assim tudo se conclúir,mas a imagem de BUDA veio a mente,tão doce,um Deus primordio realmente.Os cabelos lisos e
negros amarrados em ondas,a feição masculina delicada que só uma diivindade poderia ter,a túnica branca caindo aos pés com
as sandálias couraçadas. Deixei vir,sonhei com ele até finalmente me acordar.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 34

Mensagem  Ana Nery em Sex 2 Abr - 13:20:05

Quando voltamos a minhã casa vi que Ana agora estava na cozinha,queria preparar algo para ela é o fez,um leve
macarão e poise a comer,Armand admirando aquilo e passando por toda extensão da casa senti a pesença,mas
agora não era Kaniban,tratavasse de algo maior e Marius apenas sobressatou-se com tal fato,se arrepiava tudo,será
quê? Não erá possível e fui aonde Tompei estava,deitado ainda,porém,sua seu ser estava voltando a si,senti por que
a presença estava ajudando-o a vir a si.

Mantinhasse quieto,sonolento e a febre já começava a passar. Será que Maharet viria? Só as noites iriam falar,
assim sentei-me em uma cadeira proxima a ele que abriu os olhos cor de mel,apenas passava seu mero olhar por
mim,Louis agora entrava pelo quarto a admirar tal recuperação. Levei meus delicados dedos ao seu rosto.

-Tompei,se recupera?

-Aos poucos,mas não sei se vou voltar completo Lestat.

-Compreendo,admirável tal força,continúe assim,vai se recuperar,tenho certeza.

-Que seja,apenas veremos,minhã espada,aonde está?

-É...É...Podemos falar disso depóis?

-Quando eu levantar espero está no meu Templo,quero minhã casa.

-Ajudaremos sim a voltar.

Se ele voltasse sentiria soudades da gente? Por deuses,a presença purificadora era constante,quem seria ?Olhei
a janela e nada,tentei analizar e nada até que David me falou,mandou eu olhar para o outro lado e vi o formado,
a imagem me era firme,constante,BUDA,sim,admitia em frieza ao ver aquilo,Tompei fora emcoberto pelo poder
de BUDA mas o vendo voltar a dormir quis acordá-lo,Louis apenas me puxou e saimos dali,nossa Ana agora a
tomar belo vinho.

Voltar para casa,hum ! Tompei nunca mais iria ter contato conosco,enfim,entêndia isso caso ele fosse voltar,ao menos a cor
de canela iria ficar conosco,não é?Me satisfazia com isso e fui abraçar forte aquela beleza de pessoa,toque meigo,mais porém
repudiador devido ao Tompei,Marius apenas entre risos com a atitude dela,fazer o quê?Matar-me pôr isso?

-Mais linda,o que fez no dia?

-Bem,apenas cuidei dele,ando cuidando a todo momento,acho que ele se recupera,sim,mas Maharet,isso que me preocupa.

-Só ela para entender a si mesma,Tompei quer voltar à casa.

-Que seja,ele merece seu cantinho,não?

-Razão pura

David venho a puxá-la para assim tirá-la daquelas minhas investidas,tinha atitude simbólica,se eu continuasse iria cair
encima da cor de canela,lá eles estavam no jardim sentados no gramado sobre as bananeiras,a neve parou de cair e
a temperatura mantinhasse agradável. Meus pensamentos eram constantes para que Tompei viesse a si.Mas a misão
estava se completanto,era isso que queria mais que tudo.

Á alma quebrada pirou quando dei passo para trás e tudo sumiu,via a imagem da casa de Tompei,Maharet
estava lá,Marius me segurava pelos braços em abservação,tinha certeza,Maharet estava na casa do Tompei,ela mesma
me passou a imagem,os caláfrios vinham em raios pelo corpo.

-Marius,Marius ela está lá,tenho certeza disso.

-Como assim? Maharet na casa do Tompei?

-Agora neste momento vi ela lá,me passou sua localização, não sei se devemos levá-lo de volta a sua casa.

Agora sim Marius ficará frio,sua frieza foi absoluta e completa quando ouviu tais palavras,me largou indo sentar com
Ana e David,Tompei estava sendo perseguido,essa era a mais pura verdade que uma pessoa poderia descobrir,Maharet des-
caradamente o perseguia.

Quanto mais fugiamos dela,mais ela vinha a nóis,por quanto tempo evitáriamos isso? O que ela planejava com tal atitude?
Apelas passava meus dedos sobre os fios claros e andulados para ai,sim,critará,voz saia pela casa,todos apenas revirando-se
a ver.Hávia decidido: Iriamos voltar sim,nada de medo ou temor,se ela queria nos matar que fosse,Tompei que simplesmente
compreendesse isso.

Á espada de Tompei servirá como a justificativa para que ela viesse,Lestat realmente um dos esquecimentos mais bruscos e
incoerentes que teve,Nicolas apenas a me mandar sentar para que voltasse a si,respirava fundo,devagar para me reequilibrar,
deitei sobre o sofá,quéria pensar em algo que Maharet pudesse entênder.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 35

Mensagem  Ana Nery em Sab 3 Abr - 12:11:37

O tempo passava,com isso nossa Ana a pensar na situação,Marius andava de um canto a outro daquela sala,quis sair para me esvair,na noite sequinte
provavelmente Tompei estaria acordado,ele se recuperava por completo,essa era a verdade que tanto desejavamos que acontecesse.Porém a
ingrédula da Maharet,o que seria do mongê quando estivesse lá? Finalmente na noite seguinte ele conseguiu se levantar,nosso retiro foi tão agradável,
dormi com meus três deuses.Nos encontrarámos na rua posterior é entramos pelo portão.Marius apenas faltando dar saltos de alegria ao ver Tompei sentado
na mesinha do Louis lá no quarto.

Tadinha da Ana.sentiasse cansada,ela e que estava cuidando dele nesse problema todo.Comprimentei Tompei pela vitória,mas a dor no corpo mantinhasse
constante,assim sentei na beira da cama para conversarmos,seu olhar esperando algo de mim,respirei fundo para falar quanto a Maharet que agora todos sabem
que encontravasse na casa dele.Os seus gestos apenas me fizeram ter pena,estavam lentos pelo que foram um dia,ficou explicito que ele pode voltar mas não com
sua força antérior.

-Tompei sabe quem e Maharet,não é?

-Sim,sei sim,na briga que tive com ela contou-me tudo,ela me bateu muito,não pude suporta por mais que lutasse

-Sim,entendo,mas ela neste momento está no seu templo,mesmo assim quer voltar?

-Para ser claro não tenho um total medo dela,o que dar nos nervos e o fato dela me repudiar e gostar de mim ao mesmo tempo.

-Pode me explicar isso?

-Assim: Maharet pode está com muita irá por ser o que sou,mas porém não tem a total coragem de me matar por completo.

-Era de se esperar. Obrigada pelas palavras.

Decidimos voltar conforme ele desejava,Marius apenas obstinado a cair encima da Maharet caso ela comprasse briga,não iria cometer
o erro que fez ao deixar Tompei lá sem agir,concordei com ele. Ana apenas decidirá voltar ao Rio,fiquei triste ao ter que ir levá-la no
aeroporto,chorei e claro,sai magoado e lá ela se foi se despedindo de todos,invejei o Tompei a gravejar a cor de canela de beijos antes dela
descer no vão.Saimos dáli,Marius apenas inerênte a tudo.

David e demais pentelhos andavam a frente,amava a roupa que o mongê estava,pequenos sapatos negros,calças jeans de cor tradicional,
camisa semi-aberta branca,os densos cabelos dele chamaram a atenção das mulheres,tivemos que encobri-lo passando à andar em volta dele,
confeço,essas roupas foram arranjadas por mim de última hora,afinal,não fázia a estirpe dele.

Lá estavamos novamente partindo a China,dessa fez viagem direta a casa de Tompei,quando avistamos a imensidão do Templo Marius desceu
do lado oposto com ele nos braços,na varanda do quarto,assim,entramos pelo salão principal e Maharet estava sentada naquela mesinha baixa da
qual avistamos Tompei a primeira vez,obstinada,sim,mas sem sentimentos.

Ela vestia um vestido de tecido fino,negro,de alsas finas,o pequeno casaco longo por cima caia-lhe bem,as sandálias modernas davam pose
ao vê-la levantar-se,ela largou a espada encima da mesa,quase gritei ao olhar naquelas olhos.

-Lestat? Cadê ele?

-Não está conosco,tenha certeza disso.

-O que pretende com esse "Não está conosco" ?

-Quer matá-lo? Mate,faça-o logo,vamos,volte a minha casa e pegue-o Maharet.

-Está mentindo,sei disso.Traga ele logo a mim.

Não pude respirar,Tompei apenas saiu do quarto junto a Marius e ficou olhando a Maharet,seu mero olhar cor de mel simplesmente
fizeram a rainha ficar caltelosa,Tompei planejava algo,o que passava naquela mente? Os gestos delicados dele apenas passavam devagar
quando parou de frente a ela.Como dizerá,não tinha medo,apenas revoltasse pôr ela não ter a devida coragem de matá-lo com aquelas
mãos de ferro. Ele passou as mãos pela espada esticando em sua direção,sim,agreditem,entregou nas mãos de Maharet fazendo com
que ela apontasse na direção da garganta dele,ela não agia,muito menos entendia aquilo.

-Senhorita Maharet,acho que não tivemos um bom começo,não é? Se deseja algo de mim que ainda não falou,vamos,fale,estou a querer entender o
por quê do seu ódio e apreciação pôr mim ao mesmo tempo.

Pronto,a confusão estava armada,ela largou a espada e soutou a força encima dele,a monstruosa força invisível,Marius não pensou e caiu encima dela,
batia em Maharet com toda força,ela apenas esperava ele terminar,ficará surpresa com tamanha atitude do mestrinho,David parado na entrada extasiado com
Marius,ele descaradamente ameçará a mãe,ele tinha avisado que iria fazê-lo e hávia feito.

-Ameaça a mim? Justamente a mim Marius!?

-Que seja,Tompei nunca levantou um dedo mara machucar uma mosca Maharet,pôr isso o defendo,que culpa ele tem se e filho de quem é?

-Uma ameaça ao mundo,sabe disso.

-Se fosse ele a muito tempo já teria acabado com tudo.

Ela mantinhasse obestinada,não retrocederá mesmo com as ameaças de Marius e quando vi aqueles vidros voltarem a quebrar ai sim pedirá
ajuda ao cêus,me deitará com as mãos nos ouvidos,Maharet apenas arrastava o Tompei pelos cabelos até a quadra,ele gritava muito quando
o vimos ser jogado no chão,a noite caia alto na China.Ele rolava até finalmente bater contra a mesa e ficar neutro.

Tal atitude de Maharet me fázia chorar,todos tetando evitar aquilo,mas envão,até Nicolas caiu encima dela para fazê-la parar e mesmo
assim ela erguia Tompei pelos braços,ele debatiasse quando a espada foi simplesmente gravada sobre seu lado direito do ombro,a lámina
apenas rasgará a carne,Marius mesmo com seus dois mil anos não evitará o que ela estava fazendo com Tompei,não aguentei e voltei
a cair encima,até chutes com pontapés dei,cena mais que lámentavel que a mãe nos fizerá fazer.

Nem a presença de BUDA assustou a mãe,Louis apenas parou de bater quando viu Maharet se embebecer com o sanguê do mongê,
acabou,acabou nossa resistênsia,suavamos muito quando finalmente jogamos bandeira branca,Marius apenas entré lágrimas enquanto
passava suas mãos pelos fios densos de seus cabelos,nosso Tompei não aguentária tal provação e Maharet dava seu sanguê a ele para
assim fazer um dos filhos da noite mais poderosos que a Terra iria conhecer.

-Envão,luta envão Lestat,acabou,a vida dele acabou.

-Para,não tenho o que falar,Tompei!

Fora isso que responderá ao Marius enquanto olhavamos a cena sem poder fazer mais nada,era isso que Maharet planejará,imensamente
acabar com a beleza mortal de Tompei,foi isso que ela mais odiará nele e lá tirava tudo isso que ele um tia tiverá,o vento vinha entre as arvores
enquanto ela continuava,áção nem uma,obestinação Tompei agora téria que ter,estava sendo forjado pela força da nossa própia orrigem,pôr toda
eternidade deveria desculpas a ele,isso que Marius me falava entré choros,Louis apenas a está do meu lado ofegante pela luta envão.David
e Nicolas apenas sem energias.

Não conseguiamos acreditar que Maharet deixava Tompei simplesmente beber tudo que tinha dela,a mãe apenas secava diante disso,não ressistia,
desejava que o demônio me queimasse por isso,a lua mantinhasse alta e brilhante,chéia em seu turpo para finalmente Maharet cair no chão sem
sinais vitais,Marius a levará para o quarto de Tompei,seguimos pela muralha a cair na varanda,Louis apenas sem áção,palavras,sentimentos nem comentarios.

-Lestat por quê ela fez isso?

-A beleza mortal dele,isso que ela pretendia destruir Louis.Maharet apenas o fez por que achou que os poderes de Tompei eram uma ameaça ao mundo,
sem falar que o amor mortal dele enobrece a si mesmo,ela invejou isso é acabou.

-Finalizado,entendo.

David agora entrava pelo salão com ele nos braços,estava voltando a si,a morte mortal começará,minha pessoa chingava deus é o mundo pela covardia
de Maharet,jogou sujo,isso sim que proclamava enquanto via aquela beleza ser tomada pelo poder negro.Com um sobressalto ele apenas levantou e saiu pela
vegetação,estava tonto e sumiu entré as éngrimes arvores,agora sim Marius saia em desespero a caça de Tompei.Vimos que Maharet ainda estava desmaiada com
tamanha coragem.

A deixamos lá,nossa preocupação era Tompei que estava fugindo descoordenadamente,por não tê-lo visto voltamos e palavrões de Marius encoavam pôr todo
templo,me acussará de traição,de ter feito o que fiz ao Tompei.Infelizmente só iriamos saber depois que Tompei voltasse,saindo ao Jardim ficamos a pensar
naquele jogo sugo que Maharet fizerá,Armand me acolhia nos braços,mantinha-me pensativo,só esperar agora tudo se conclúir:Tompei terminar a morte humana
e voltar,Maharet acordar.O silêncio emanava por todos os cantos,tudo que a gente mais precisava.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 36

Mensagem  Ana Nery em Sab 3 Abr - 15:44:06

Nicolas agora vinha a me chamar para conversar no quarto oposto,Armand nos seguiu para assim nos sentar e lamentarmos profundamente o destino que Maharet
traçará para o Tompei,minhãs lágrimas vermelhas caiam enquanto a conversa ia e vinha no decorrer da noite,Tompei,nosso Tompei com aquela vida humana hávia
morrido friamente pelas mãos de Maharet,mas o leve sorriso de Armand me trouxe a leve chama de alegria e assim Nicolas olhava profundamente o lado pela Janela,se
sentia apático devido a tudo,agora sim iria explicar a ele tudo que ela sighificava,fiz gesto para que se sentasse é o fez,seus cabelos agora amarrados para trás,suas lágrimas agora paravam de cair sobre o limpido rosto,olhava para mim como que quisesse se acolher ou se refugiar.

O vento entrava frio e suave pelas escotilhas,cortinas andulavam até que Louis entrou para nos fazer companhia,peguei suas mãos quando sentou junto a mim,o
olhar de repúdio doia como que se cortando a lámina de sua pele,velhos opacos olhos verdes que Nicolas fuzilou até que os dois se abraçaram recentidos a tudo
que áli a mãe fizerá,não acreditava na cena,meus dois filhotes abraçados em prantos,como queria está áli entre eles,mais deixaria com que esse mero momento fosse
só deles.

-Nicolas entenda que ela roubou o gerne da mãe antiga,a mãe primordial chamavasse Akasha,nascida no Égito anterior ao que e hogê,diz a lenda das gêmeas que a qual
viu que um espirito sanguimolento entrou em Akasha,assim a guerra veio entre a mãe e as gêmeas,fui seguestrado por Akasha em meados de 1985,a qual meu livro auto-
biogáfico fora lançado.

Novamente anos depois as três encontraram,Mekare,irmã de Maharet roubou o gerne das duas para si,agora são elas que tomam conta,Tompei por ter bebido da mãe sim-
plesmente não há de ser tocado nem pelo sol,uma espécie de jovem ancião.

Ele se reteve áli junto ao Louis,silencioso para assim ficar mais alterado ainda,mas ao contrário de antigamente apenas iria deixar com que seus sentimentos aflorassem,não pretêndia prender para si o que seu negro coração falava,veio a mim para assim me beijar,doces lábios de seda,pronto,contará tudo que precisava,ele voltou ao lugar que mantinhasse,Armand apenas observando e mantendo sua atenção redrobrada,Marius o chamara na porta para se esvair,Maharet ainda dormia,nada com que se preocupar,afinal,ela erá a mãe imaculada.

Maharet no seu não entêndimento fez o que fez ao Tompei,saimos dáli para ir vê-la no quarto de Tompei,luzes apagadas,apenas a visão da imensa varanda perante
o imenso lago,vi agora que tinha uma ponte de pedra que atrávessava ele,desci as escadas para assim andar sobre ela,passava as mãos naquele corrimão de pedras
e vi,vi o Tompei sem roupas naquela terra humida perante a densa vegetação,sua morte humana ainda estava se conclúindo,não parava de chorar,apenas parei à
abraçá-lo junto a mim durante toda a noite,finalmente encontrava ele.

-Calma,calma mongê.

-Ex-mongê,vejo que meus dons desaparecem,estão sendo substituidos por outros.

Continuava alterado,pôr um momento senti o aperto de suas mãos nos meus braços,quase quebrou eles,muita força para um jovem,alteradamente estava
absorvendo aquela força toda que Maharet continha. Seria mais forte que Marius,Armand,muitos que conheciamos,essa sim tornou-se sua sina,sem a menor
dúvida um dos mais fortes que um dia me deparei,estava presenciando um dos mais poderosos ser criado,que a noite trouxe a quietude que ele desejava.

Sua voz baixa chamava pôr BUDA,mas envão,nem um sinal do deus das almas que tantas vezes presenciaramos na força de Tompei,chorei junto,beijava aqueles densos
cabelos negros que agora desapareciam na escuridão,o ar petre-sobrenatural os escureciam ainda mais,não,emociono-me em mencionar tais palavras a vocês,ele apenas se
desprendeu e caminhou em saida ao lago,pulou dentro para não querer sair mais.

Nadava constantemente,estava lipamdo cada pedaço daquele corpo,fui pegar minhãs vestes que da qual ele usava simplesmente retalhadas por suas mãos,quando entrei
pelo jardim joquei no lixo,Marius venho ao meu encontro para assim perguntar aonde eu estava,falei ainda me controlando e Maharet acordará simplesmente intacta a tudo,
revigorava-se com o corpo enchendo do seu avido sangue.Saiu a ver o Tompei assim que contei aonde estava.Nóis três apenas paramos naquela ponte a observá-lo nadando em voltas e mais voltas.

-Tompei,lindo Tompei,esse sim Marius vai viver por milênios,tenha certeza disso.

-Maharet calesse,já aprontou demais mãe. O que escolherá para ele será que o própio vai suporta ?

-Marius nunca entenderá? Tompei ao contrário de muitos jovens tem mente completa,pensa antes de agir,analiza antes de fazer,isso que me enfeitiçou.

-Neste aspecto concordo,um jovem com alma de um ancião.

-Então não deixaria isso morrer,preservar para assim manter os autos-conhecimentos

Esvai áli com a conversa deles,por quê nunca quizeram fazer isso comigo? Desejava ter tal requinte dos anciões,Maharet apenas virava-se quando leu esses pensamentos
correrem na cabeça,seus olhos queimava-me como larva,vi o anjo de boticelle levar vestes ao Tompei,ele aceitou simplesmente derrubando ele na água,quando sentou-se
na borda começou a enjugar seu corpo e lá foi a mãe acolher o peste.Inveja pura,confeço,ele quando no quarto foi arrumado pela própia Maharet,vestirá as sapatinhas
vemelhas com túnica da mesma cor e deixou com que ela penteasse aqueles longos fios negros.

Os olhos,eles sim viraram a marca de apresentação dele por que ficaram mais claros,a vividez da cor do alténtico mel se concretizava a medida que a morte
corporal terminava,o que sua mãe iria dizer?Xinran esperava a volta dele como só o amor de mãe poderia ser,Maharet apenas o acolheu nos braços naquela
cama que Tompei gostava de se recolher,suas palavras foram conclusivas a isso.

-Marius vá a ela,diga que Tompei morreu,não conseguiu resistir a tal provação.

-Tenho que avisar? Por quê não você?

-Obedesça,quero conclúir tudo agora.

E lá estava Tompei agarrado a ela a beber mais e mais,descaradamete Marius virou as costas e foi a missão, avisou que iria voltar na noite sequinte e que
mantivesemos segredo,era evidente que depois disso Tompei teria que sair dáli,o problema era aonde recolhê-lo? Um vampiro como ele estava se tornando
háveria de ter um recolhimento arduo,isso ele iria descidir depois que terminasse tudo,vi Marius subir aos cêus nesta missão a Xinran.Bem,que seja,iriamos ajudá-lo
conforme Maharet desejava.

Subi naquela muralha a pensar,meus olhos ficaram enevuados neste passar de tempo,amava está áli encima devido a altura,o peste do Louis apenas apareceu
para me fazer companhia,beijava aquela boca,mal via a hora de conversar com o Tompei,só isso para me fazer melhorar,agora os procedimentos eram referentes
ao ex-mongê e a voz do pedaço de pecado veio para alegrar-me.

-Maharet sabe o que faz mesmo tendo ataques Lestat,não inveje Tompei por está se tornando o que é,ele fez por onde,não é?

-Concordo,essa e a mais pura verdade.

Deitamos apoiados um sobre o outro áli encima,imagens vinham,elas me fuzilavam a todo momento,Lestat aprecie a divina criação moleque,isso e o
que nos torna tão perfeitos,sim,obedescéria a esses pensamentos e fiquei áli a fazer cainho no pedaço de pecado,agora sim entendia o quão Louis era
importânte para mim,frio e mais frio junto ao vento,sagrada Lua que continuava completa como que se abeçoando essa noite sacro-santa.

As pequenas carruagens passavam na rua a frente daquela entrada do Templo,dava para vê-las lá de cima,pequenas foRmigas que andavam e corriam
para levar as pessoas ao seu destino,fechei os olhos para sentir mais essa sensação antagônita a tudo,Marius esperavamos você na proxima noite mestre,
soudades iria sentir até lá e que tivesse certeza e ouvisse esses pensamentos vindo de mim.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 37

Mensagem  Ana Nery em Dom 4 Abr - 12:54:26

Quando Nicolas apareceu a nos chamar descemos para esperar uma ação de Tompei,Armand sentado naquela proltona,gostava do seu mero geito com as
roupas clássicas,passando pelo canto posterior fui ao quarto de Tompei,terminará com o processo,apenas levava os delicados dedos a boca para limpar,invejável,
isso sim.Maharet levantou ao chamado de Armand,eu e Tompei ficamos sozinhos,agora sim fechará a porta na saída da mãe.Lá estava ele encostado nos travesseiros
em observação a mim,me mantinha sentado quieto a seus movimentos,a pele rispida cintilava sobre aquele luar forte,era isso que a China tinha de mais belo,davasse para
ver a Lua por completo,senti medo quando Tompei levantou a postar-se sem eu ver no guarda-roupa,tirava uma pequena blusa de seda vermelha de mangas curtas,os fios
prateados caiam mais que bem.

Ninguém ousária entrar áli sem a permissão dele,ele que mandava na casa,ele que simplesmente tinha o comando de tudo depois de Maharet agora,quando a voz veio
como escrita de pena,apenas tive sobresalto de frieza,algo simplesmente mudará nele sim,era visível,levei as mãos aos seus delicados lábios,sim,as presas eram pe-
quenas,única coisa que sumirá tinha sido o risco do puxe nos olhos,apenas se ele risse daria para ver.O tapa que ele deu naquela ousadia doeu firme,me recompus
para não ter problemas.

-É agora? O que pretende fazer de ti ?

-Não sei,não faço a minima idéia moleque.Apenas que não posso ficar aqui,presciso ver Kenjing,só ele que poderá cuidar de tudo que tenho.

-Em que aspecto?

-Lestat acha mesmo que largarei tudo? Isso aqui amigo e uma luta de séculos,tudo de muitos anos que conseguimos manter.Não e bem ir
e largar tudo.

-Tenha pretenções,sua morte já foi anunciada a sua mãe,depois toda sua família saberá.

Já forá o tempo em que Tompei mantinha algo do que já fora,percebi quando sua pessoa saiu a sala aonde Maharet e Armand estavam,David
esperando vê-lo para poder conversar,Tompei apenas fez o gesto para que Armand se retirasse da proltona é o anjo saiu para ir ao jardim.Quando
os olhos do ex-mongê fuzilaram ao Nicolas ele veio saber do que tratavasse o tal devaneio.Sim,Nick forá a obra de arte dele,era evidente que iria querer
analizar alguns aspectos.

O que mais apreciava e que enquanto Tompei andava em volta de Nicolas não ouviasse nem um barulho de andar,o lindo sabia controlar bem seus
dons,aprenderá rápido quando o vimos pegar uma lamparina é aceder as chamas com um simples passar de mãos,a base tinha áli é e claro que ele
aproveitou para saber.

-Estás bem estabilizado,tenha certeza disso,penas que essas mãos nunca mais poderão fazer o mesmo novamente.

-Haveria de ser,não é?

-Sim e não,depende de suas analizes Nicolas.

Tompei voltou a sentar-se e quando vimos Kenjing entrar pelo imenso portão aos gritos de choro ai sim Maharet quase o matou quando o prendeu
nos braços,o homem apenas sem entender nada até que se depararou com a pessoa que procurava,o rosto demonstrava sim desgaste devido a mágoa
recente,provocada por nóis e claro,o nosso lindo apenas o segurou pelos ombros para que voltasse a si,os fios prateados de Kenjing humidos como terra
ávida de vida.

-Senhor Tompei,senhor Tompei era de se esperar que tais buatos não poderiam ser verdade,não é?

-Quais buatos?

-Ouvesse pôr membros da família que morreu,esvaiu devido a crise que teve.

-Quem tira essas conclusões e você,apenas sei que não estarei mais aqui.

Agora sim Tompei foi a procura de sua espada,o corte que Maharet fizerá não existia mais no ombro,Armand ao ajudá-lo a pegar vi que
estava seco,afinal,Tompei com tamanha força o derrubará naquele lago, a espada forá colocada no apoiador na parede,servia como um mega
requinte de decoração e quando ele virou-se ao Kenjing,ai sim,ele derá conta do que aconteceu áli,fora erquido pelo pelas mãos do mesmo.

Apenas ressalto que tudo que demorei anos á aprender o Tompei já sabia manusiar,ele apenas vilusbrava a leveza com que fazia aquilo
e Maharet emanava leves risos quando o recente filhote soltou o mongê no chão.E claro que finalizará por áli mesmo,se continuase iria
simplesmente quebrar Kenjing ao meio.

-Desculpe,apenas tetando averiguar algo.

-Não está normal,isso e verdade.Não e mais a mesma pessoa.

-Como falei,tire suas conclusões.Mas pode tomar conta das coisas por mim,aqui?

-Sim,não precisa pedir,sempre será bem recebido.

Griadas entrando pelos cantos,procuravam a ele para dar algumas ordens,mais envão,Tompei não pronunciará absolutamente nada até
que Maharet apenas mando elas arrumarem algumas roupas dele para ai sim partir,mas já?Quanto a Marius?O que ia falar se apenas nós visse
áli?Ela falou que iria esperar,nada de presa segundo suas doces palavras.

Estavamos apenas começando o processo de retirada do Tompei dali para que conseguisse se ausentar como deseja-se.Veio alguns lamentos
por que nunca mais conseguiria usar as abilidades anteriores e a sede veio quando vi aquela saliente linguá passar por aquelas presas minusculas,ah
doce deleite que só a gente conhecia e de imediato mandei descaradamente Armand achar um mau feitor para que ele pudesse esvair.

Forte mais porém pelo corpo jovem sentia a sede freguentemente,só iria diminuir com os anos,isso sim que Maharet virá no vislimbre de olhar
de Tompei que agora esperava.Se pudesse areancar aqueles cabelos o faria,claro que jamais ousaria,sabia de quem filho era agora em si.A
verdade era que quem tentasse queimar o filho da mãe iria morrer junto, ele não era pouca coisa,se não mais forte que o própio Khayman,isso por que
na época Maharet não era a detentora do gerne,mas a situação para nosso Tompei era diferente agora.

Há,agora viamos Armand entrar com o vitma alheia e Tompei apenas fez o que fez,pegou-a pelos ombros de modo a quebrá-lo e lá estava o
lindo a se deleitar pelo que tanto ansiava,o corpo mesmo forá queimado depois disso,nada que não nos fisesse amá-lo ainda mais,seria grande
aliado a todos áli presentes e Kenjing agora com os olhos arregalados com tal apreciar de atitude.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 38

Mensagem  Ana Nery em Dom 4 Abr - 13:35:26

Agora sim iriamos começar o processo da qual seria mais doloro,Maharet pôs sua cabeça a pensar aonde Tompei ficaria,estavamos sentados na mesa
do salão de entrada, de alguma forma ouviasse pequenos barulhos de grilos do lado de fora,chuva fina a cair para que a temperatura ficasse mais amena.
Bem,e fácil levar uma pessoa ao nosso mundo,mas como fica tal situação? As griadas avisaram que simplesmente arrumaram o que Maharet pedirá e sairam
em retirada,Tompei evidentemente não háveria de ficar na China,poderia ser um pais grande,mais porém com densidade demais,mas do que estava falando?
Eu mesmo morava nos EUA que não perdia em nada na densidade de população.

-Lestat e diferente,Tompei não e como você que ama pessoas a sua volta á todo tempo.Ele gosta de silêncio "Palavras de David"

-Será? Puxa Tompei fica por aqui mesmo,que diferença vai fazer?

-Absolutamente todas Lestat,esteja na minha pele com tudo que ganhei obrigatoriamente.

É o olhar foi a Maharet que mal respondeu,agora abservei que mantinhasse iconsolável com as palavras dele,era de se esperar que fosse assim,mas ai
se tinha uma vantagem,a de que quem procura o sangua acaba por ver que não o desejava,os que são obrigados vêem que ansiavam por aquilo,falo por
mim mesmo,sem falar que mesmo que o Tompei caisse no sol,não iria se queimar fácil como eu ou demais áli presentes.Quis apenas obrigá-lo a pensar no que
propuz,ele nem se deu ao trabalho de responder,agora quem falou foi Louis que deu a idéia mais que bela.

Tinha que ser ele para pensar naquela hipótese imaculada que veio com ráios loucos de predestinação,Brasil,sim,háveria de ser lá,ele disse que uma Cidade espécial
acolheria bem o Tompei,quis repudiar tal averiguação,afinal,queria Tompei em pais de primeiro mundo e lógico,nada contra,mas Louis apenas pedira-me para terminar
e Maharet ficou receosa pela hipóte que áli ouviramos.

-Rio Grande Do Sul,desculpe mas sei lá,se formos olhar em densidade demográfica e condições boas,ai está uma Cidade que seria perfeita para Tompei.

-Ficou louco? Se fosse assim o levaria a Toquio,Japão e claro "assim falei"


-Louis boa pedida,gosto de lugares verdes,chuvosos e frios,Rio Grande Do Sul têm isso.

Quando Tompei terminou de pronunciar Maharet veio com palavras arduas,a de que Marius iria levá-lo junto a ele para que mantivesse
recolhimento,só iriamos saber depois que ele voltasse na noite sequinten da casa de Xinran que provavelmente estaria entre choros
devido a notícia.Rio Grande Do Sul,o que levaria o Tompei a poder visitar Ana quase toda noite,horas que pensamento louco,será que
Louis apontou aquilo mais como pedida de amor aos dois ?

Revirei-me para analizar os avidos olhos de Tompei e quando ele balançou a cabeça em positivo,de que levará a serio o que Louis
falará,ai sim quis poder queimá-lo devido a cor de canela,alias como ela estaria no Rio De Janeiro?Concerteza chegará e esperava
notícias de Tompei.Veriamos depois.

-Não e por isso Lestat,olha gosto de silêncio é a pronuncia de Louis veio como salvação,Rio Grande do Sul e uma cidade grande,porém,
quieta e têm colinas lindas de se está,uma espécie de Cidade que une o antigo é o atual,o que acolhe muito bem uma pessoa como eu.

-Tompei descarte essa hipótese,se quiser vir comigo venha amigo,minhã casa está aberta.

-Para quê? Olhe o que aconteceu a você quando dormiu naquela ingreja louca da vida,vampiros querendo atacá-lo,acha que
iria gostar disso ?Tenho altas patentes e não haverei de ser tocado por ninguém,não quero cometer erros que você mesmo e
os demais cometem.

-Está certo,que seja o Rio Grande do Sul.Tô chateado.

Os risos de Tompei vieram lindos como cristal e veio me abraçar forte,amei aquilo,a docilidade dele cativava qualquer pessoa que
conseguisse amizade com ele,apreciava aquilo,quase nem um ser da noite tinha ou se esquecerá com os séculos,veio os leves
toques no meu rosto e ele falou até que Maharet entendeu.

-Olha,podem ir me visitar a hora que quiserem,que isso,meu palásio naquelas colinas estarão abertos a todos vocês,nada haver
eu está naquela Cidade linda da vida e não ter visitas belas.

-Escolhi bem,isso e verdade.

E lá fomos nóis a tentar encontrar o palásio de Tompei nos gredenciadores,há que meigo,ele escolherá bem nas enquetes
dadas a ele.Vi que os palasetes do Brasil eram belíssimos em si,a brancura era evidente devido a arquitetura barroca e grega
forjadas a frente.Belas imagens ingredulas a tudo,Maharet via com louvor enquanto Tompei passava as folhas,o empresário áli
educado a esperar gradualmente,até que Tompei apontou uma imagem,perguntou aonde ficava,e claro que mantenho segredo
da onde fica.

Em nem uma hipótese iria falar ou revelar o refugio de um filho da noite como Tompei,sim,entradas simplesmente postas no requerimento,
Tompei queria tudo mobiliado desde já,o empresário nos garantirá que iria cuidar de tudo.Vi a verdade nos olhos,gostei da sua clareza a todo
momento e saimos do escritório para ai sim vagarmos pelas ruelas.

-Escolheu bem,o palasete imenso na colina ficou belo. Quando decorado vai ficar maghifico.

-Sei disso,absoluta.

Maharet não parava de abraçar o moleque,a todo tempo segurava aquelas mãos que um dia trouxera vida de volta,ele apenas inalterado com sua
atitude,falei na cara de pau que iria visitá-lo a quase todas as semanas,oue? Tinha pessoa agora a conversar,vínculo forte de amizade com ele,isso sim
ficou claro quanto a todos áli.

O quarda abriu o portão e vimos a cabeça de Dragão como decoração,quando avistei a imagem gravada nele apenas me assutei como anteriomente,os
olhos da cabeça continha pequenas velinhas dentro e Tompei os acendeu com a mente.O mero brilho das chamas a arder naqueles olhos me fizeram feliz,
dei alguns passos para trás para olhar melhor e entenderá o sighficado daquela imagem sublime logo de entrada no tempo dele.

O simbolo do seu poder em si,virá explicitamente,Tompei,nosso Tompei nos avisará desde o início de tudo sem percebermos o que erá,um Dragão que queimava
no ardor da vida que agora não tinha mais,senti as mãos firmes nas costas e finalmente saimos ao Jardim,o estampido do portão batendo era aterrorizador,todos agora
sentavam-se na grama,Marius,Marius cadê sua volta?
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 39

Mensagem  Ana Nery em Seg 5 Abr - 20:49:41

Bem,apóis nosso retiro na noite sequinte Marius estava encima da muralha a nos esperar,o vi descer para sair no quarto de Tompei,Maharet ansiosa em
saber como tudo andava com Xinran,os avidos olhos azulados dele apenas sem justificativas devido a tudo que acontesceu,era evidente que Marius não estava
conformado com acontescimentos e quando soube que Tompei hávieria de morar no Brasil ai sim começou os gritos,Armand tetando consolá-lo,mis envão,o mestre
não parava de falar suas indoles para que todos ouvissem,queria chorar com as palavras dele.Não adiantou,a resposta de Marius forá bem clara e objetiva quanto
a isso.Tompei sentado áli na beira da escadinha de entrada do salão a apreciar todos os comentários de Marius junto a David.Louis hávia saido com Nicolas a caça,era
de se esperar.

-Tompei tem certeza que vai querer ir para o Brasil? O que ve naquele páis meu filhote?

-Marius analiza por esses lados que citarei a você: Eu tenho mais da metade de tudo que você possui em dons aqui,acha mesmo que no meu caso seria bom
ficar rodando cidades densamente povoadas? Você mesmo,o ancião com mais de dois mil anos faz o mesmo,sabe do que falo,Maharet a detentora do gerne vive nos
confins do mundo para mantelo protegido.

Não quero cometer erros como Lestat e cia ai.

-Por Deuses,compreeendo sim,mais não chega ao nível de ir para tão distante menino.

Maharet inerênte a tudo,seus avidos olhos azulados agora apreciando o Marius adando por todos os cantos enquanto tinhamos aquela conversa,então ele se vi-
rou e pronúnciou algo maléfico de se imaginar,a mãe apenas levantou-se num sobressalto para que pudesse manter-se controlada,os ávidos cabelos de Maharet
estavam presos para trás,os gestos como que se dizendo para Tompei vir junto com ela,o que ele entenderia disso?

Sim,confeço,o Brasil e um lugar belo em si,mas pensava friamente junto a Marius se poderia acolher um filho da noite como Tompei,se tinha todas as condições de
mantenho escondido e protegido de quem ousasse ir a procura do ávido sangue de Tompei,fora esse problema que tive quando dormi na capela em Merrick,sim,me
descuidei e se não fosse Marius junto aos demais os filhos que sairam a minha caça teriam me retalhado vivo,pensava nessas conjecturas que Tompei entêndia melhor
do que eu e claro.

-Querido Tompei,vamos fazer o sequinte,sim,esperaremos para ver aonde se estabelecerá no Brasil,de acordo com o que eu achar poderá ou não se manter lá,ok?

-Caso eu segundo seu julgamente Marius,se eu não puder,o que será de mim?

-Não se preocupe,poderá vir comigo,não o deixarei na mão.

Sábia decisão do mestres que Maharet simplesmente aplaudia com o brilho nos olhos,ela estava feliz,muito,mais muito feliz em saber disso,mesmo Tompei sendo cria del
não poderia ficar junto a mãe,isso por quê o seu palásio abrigava nada mais nada menos que ela e a sua irmã,o lugar poderia ser grande,mais pequeno demais para três
deuses da noite como eles.Marius se tranquilizou com gesto de aceitação de Tompei,apenas deu um leve beijo na teste do menino para a inveja de Armand áli sentado.

David apenas disse em voz alta que não tinha nada contra o Brasil,ele que morou uma decada no páis revidou a todas ás criticas que fizeramos,erá de se esperar,estavamos
mais sujando com nossos pensamentos sem antes conhecer direito o lugar,como o ele falou em tonalidade ardua a isso,a mágoa por a gente ter pensado assim foi descomunal,
Marius viu a raiva dele e ficou calado enquanto ele falava.

-Olha a todos aqui,morei no Rio de Janeiro por muitos anos,o páis pode sim e tem plenas condições de receber um ser como Tompei,nada a ver,vocês mais fecham a cabeça invés
de entender que não e por que o Brasil tem suas desiqualdades que assim há te ter sua própia purjáncia de vida.Parem de reclamar e por favor verão o quão o lugar e belissimo em si.

-David por quê fala isso?

-Odéio ouvir criticas Marius sem ao menos a pessoa conhecer o lugar,você e uma delas.Isso e pensamento baixo.

Assim que eles terminaram essas palavras o clarda véio a chamar o Tompei,avisará que tinha alguém procurando ele,sim,vimos o moço responsável pela compra da nova mega casa de
Tompei entrar,erá um homem muito sábio por si como bem comentei,foi educado ao pedir licença e pelo que vimos era pura felizidade em ter conseguido ter feito tudo muito bem,Tompei
apenas mandou ele sentar-se na mesa aonde iramos agora,sentamos para ouvir tudo que ele conseguirá,dava para observa a conclusão de tudo nos papéis que entregava a nosso lindo áli.

David apenas léu tudo e deu risos de alégria pela decisão de Tompei que agora também morria pelo novo lugar,o empresário esperava a apreciar aquelas analizes dois dois,David apenas falou
em sua infima voz que só ele tinha,pelo que lia e gesticulava tudo realmente bem aplicado,veio a névoa em seus olhos castalhos,o leve brilho dourado que Tompei não parava de ver.

-Nossa Tompei,que isso,realmente escolheu bem o lugar,deu o tiro certo amigo.Não vai se arrepender não.

-Será? Acha mesmo?

-Tenho certeza,pelo que vejo aqui as colinas são um lindo refúgio sim,não teria lugar melhor,pena que não sejá no Rio,né?

-Foi lá que morou por anos ?

-Sim,muito tempo sim,as pessoas de fora têm uma visão totalmente errada do páis,mas saiba que o povo como o todo e lindo,sim.

Agora sim Marius calara-se de vez,do que iria adiantar criticar se David revidava a tudo? O moço áli responsável avisou que tudo estária pronto na proxima semana,agora apenas esperariamos
como ele bem citou a explicar tudo,lá foi Tompei ir levalo a saída do portão para que conseguisse sair,mas quando Tompei voltou Marius apenas avirasa que ele tinha sido dado como morto,era de
se esperar pela reação da família.

Tompei agora sim estava chateado,perderá sua identidade exatamente como a gente,levava os dedos aos cabelos em pensamentos silenciosos e confeçara áli que mau via a hora de ver Ana assim
que estivese estabilizado lá,aonde poderia ser seu canto,sua nova casa.Maharet iria providênciar nova identidade ao Tompei, claro que não comento aqui qual,nada com que se preucupar,agora
apenas esperar até a nova documentação dele sair e assim poder se estabilizar aonde decidirá morar.Quis morrer devido a Ana,agora sim vi que a meiga estava perdida pera mim.

Sai enevuado para o lado com Armand e David atrás de mim,paramos naquela ponte e apenas eles me perguntaram o por que daquela atitude de ter saido do nada da mesa,
agora sim David via em meus olhos o por que,ficou inrritado pela imaturidade que via explicita em mim.Não tirava sua razão ao levar áquele tapa na face,Amand apenas a
pensar naquilo.

-Olha Lestat para de ser imaturo,Ana avisou desde o início que tinha a quem gostar e fica assim? Rediculo de sua parte,deixa ela ser feliz e ver se não se mete no meio
de tudo.

-Hum..Tá,veremos,veremos.

A noite se transpunha quando vimos Nicolas e Louis saltarem a muralha e virem em nossa direção,estavam quentes,haviam corrido de uma pequena fuga naquela
caça,tinham sido quase pegos,como bati neles com vontade devido aquela imprudencia, David apenas sem dar palpite nem um com o acontecimento e lá fomos a
gente voltar aonde Maharet e os outros dois estavam...Agora sim o mestre estava mais tranquilo,mas não voltava atráz com sua decisão de que se não gostasse do
lugar iria arrastar Tompei com ele.

A doce dama áli levantousse e foi a sair a dar início na nova identidade de nosso Tompei,segredo e claro,jamais revelária tal requinte,mantinha-me a organizar meus
planos quanto à Ana,se alguêm soube-se sériam capaz de me queimar,então só depois e que iria por em áção.Mas como me deleitava como os risos malighos neste
mero momento,alma porjada de vida,felizidade e organização de amor pela cor de canela e Tompei apenas tetando zondar minha mente envão,pensamentos fechados
a todos.O vento veio direto para mim enquanto me sobrepunha com as mãos aponhadas sobre a mesa.Nada com que se preocupar Lestat,deixe para o momento certo.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 40

Mensagem  Ana Nery em Seg 5 Abr - 21:05:57

Detalhe de que assim que Maharet voltou estava com a documentação em mãos,agradeci por ela ter sido tão rápida e soltou áquela pequena pasta cor de azul en-
cima da mesa da qual Tompei agora se aposava,seus dedos apenas deslizava para olhar o pasaport simplesmente novinho como bem pedira,nossa e como amei ver
a apreciação áli,apenas peguntei em tom meigo como a mãe arrumou aquilo tão rápido,o que fez com que ela quize-se responder de imédiato,Tompei junto aos outros
ficara pasmo com o que ela falara a todos os tons de voz..Os braços gruzados contra si para manter ar de supremacia.

David roubou por um momento os documentos das mãos do Tompei,olhava cada detalhe dos pequeninos carimbos,os risos vieram novamente naquele deleite de novas
descobertas,isso ele fez enquanto Maharet falava na presença de Marius,o que o fez ir mais além do que se esperava,nem a minha pessoa conseguia mudar de identidade tão
rápido como Tompei conseguiu,cada coisa nessa vida,viu?

-Querido,isso já vinha providenciando desde que puz os pés aqui,afinal meus planos já vinham traçados.

-Isso foi gruel linda,tenha certeza disso.

-Que nada Tompei,apenas agi rápido,não iria deixar uma coisa tão séria passar em branco,não é?

-Agora vejo isso.

Bem,depois disso resolveramos partir,Tompei nos pediu para que o encontra-se apóis duas semana,afinal já estária na nova casa,apenas abrasei sua pessoa a ponto
de querer quebrar áqueles ossos delicados que e claro o fez revidar com leve tapa nos braços,doeu,senti o impacto sobrenatural,o que fez com que David me segurasse
por detrás,ele nos pedia repitidamente que fossemos conforme marcado.Nada com que não pudessemos fazer.

A Maharet garantiu que iria sim,seus risos junto a Marius apenas emanando as soudades que iriam sentir até lá,lá foi Armand em sua seriedade a querer dar um pequeno compri-
mento de mãos ao Tompei que agora voltava-se a continuação,o resto ele mesmo iria cuidar.Todos os segredos devem ser mantidos lindo Tompei,e isso que falo ao descrever
isso aqui,não é?Continuo dizendo que enquanto voltava para casa mau via a hora de ver a cor de canela.

Agora nos separavamos no cêu e depóis do longo voo de volta cheguei em casa,como ela estava intacta em seu aporgêu de docilidade,amei ter caido naquela fofa cama e a
olhar para o teto em pensamentos à Ana,David entrava pelo clarto diante de tal atitude e perguntou deitando de lado o que minhã pessoa planejava agora..Apenas quis saber
para simplesmente se encher de raiva com minhas palavras.

-Querido acha mesmo que a deixarei para ele? Posso amar o guão amigo Tompei e,sim,uma pessoa grande e admirável em seu coração,mais a situação Ana fica comigo,
não aceito perder.

-Quero nem ver,terá que se virar por que não estou disposto a ajudá-lo nessa hipótese Lestat.

-Vai voltar a Inglaterra?

-Não,já fiz o que fiz por lá,afinal mal vejo a hora de rever o meigo novamente na nova casa que e claro Marius por si descidira se ficara lá ou não.

Me levantei a ir para sala,agora sim poria meus planos em prática,iria a casa de Ana na noite sequinte,iria revela em seu leito de sono para ai sim quem sabe conseguir o
que desejava,o que ela ácharia de me rever novamente?Séria mais facil chingar deus e o mundo por tal ousádia,primeira coisa que ela fária concerteza seria jogar copos,
pratos,talheres,tudo que viese a frente para eu não poder toca-la e sequestrá-la.

Sim,está resolvido,mesmo que o plano fosse desastroso iria seguestar até ela aceitar o que queria propor,claro trazer a doce deusa para nosso lado séria maghifico e Louis
me balançava nesses pensamentos,hávia me perdido da realidade e ele apenas trazia-me a mim,abri os olhos áli a velo em recolhimento com minha atitude ingrédula a ele.Os risos
vinham naturalmente de mim enquando pensava nisso,o que fázia com que ele não entêndesse nada.

Os dedos postados sobre meu rosto,os olhos a fuzilar diretamente e rebati nas suas mãos,odiava quem fázia isso comigo,me dava nauséas me sentir preso em olhares arduos
de apreciasão,ele entendeu e parou,cruzou os braços e também perguntou o mesmo que David,a ira foi direta quando disse tudo,ele saiu a bater a porta.Agora o frio em Nova
Orleans cesará plenamente,apenas brisa doce com perfume de bananeiras a entrar pela casa.Levantei para poder analizar melhor meus planos,andava pelo Jardim devido a isso.

Aonde Nicolas estava? Andando pela Cdade,e claro que lá iria ficar,Maharet junto a Marius e Armand e claro que estavam em seus lugares.Lestat aceite,vamos,fiquei quieto por que
sabe que pode ser queimado caso o faça novamente,a doce Ana não e feitige de ninguém mais.Isso veriamos,veriamos conforme meus planos corresem bem,que a noite pasasse
é eu simplesmente depois do meu recolhimento voltasse a ir ao Rio.

Mais ela corria enquando me mantinha áli,o portão agora estava aberto a todos que desejassem entrar o que fez com que o fechasse e subisse ao quarto,David não parava de
reclamar de mim,sim,concordava que estava sendo egoista em não aceitar a perda de Ana para Tompei,mas o que podia fazer? Absolutamente nada a não ser seguir meus
instintos.Melhor,o meu ávido coração negro.

-Lestat desista antes que seja tarde,vai se queimar e féio,sabe disso.

-Que isso se conclua,melhor do que não ter feito nada.

-Acha mesmo? Vai querer bater de frente com Tompei ?

-Sim e não,isso ele que decidirá martim.

-Não temos condições de segurá-lo caso queira partir prá cima de você. Está avisado.

Ele estava certo,segurar Tompei em sua irá seria o mesmo que entrar em guerra com um titân milenar,afinal,era filho de quem erá agora,mas desejava que todos
os procedimentos estivessem correndo bem,ele merecia isso depois de tudo e vi pela janela da sala que a Lua ia alto,meio opaca devido as nuvens ainda pesadas,
soudades daquela visão da China que nos dava a imagem limpida e completa dela.

Tompei,Tompei,que me desculpasse,mass iria em frente,haveriamos de ver na noite seguinte quando estivesse de frente com Ana,que ela me esperasse sim,estaria com ela
sem a menor dúvida,meus braços desbrusaram-se naquele apóio para eu poder respirar fundo.As pessoas passavam pela rua principal,os seus perfumes se misturavam
no vento e fui finalmente tomar um banho quente que desejava,apenas estava no quarto depois disso a escolher roupas limpas,sim: Botas escuras junto a calças justas e jeans
negro que tanto amara,a camisa de pura ceda branca caia-me perfeita,tão molinha e fresca e nada como aquele cordão que Ana me dera,iria quardá-lo para sempre.

Sai a caçar,estava faminto e receoso por tudo,uma caçada e que iria me fazer sentir melhor,entrei em uma casa quando os pensamentos de um asaltante vieram,sim ele
estava preste a molestar uma meninar quando entrei pelo clarto e quebrei o pescoço dele e fui me fartar,a menina chorava áli olhando,a fiz dormir com o feitiço do olhar,
sua pessoa quando acordase pensaria que tudo não passara de um sonho.Bati a sair pela rua com o corpo nos braços,o larguei no corrego mais proximo,uma espécie de
pântano para ser mais exato.

Agora iria em direção aquela casa de show que fora com Ana,fiquei áli a pensar em tudo,sim,me lembrava como háviamos cansado áli dentro de tanto dançar,com-
plemento dizendo que nunca iria fazer áquilo e pedi uma bedida guente ao barmen que me fisesse aquecer mais,só para apreciar conforme nossa léi manda.os lindos
dedos a roçarem a borda do copo limpido de tão cristalino,Lestat,Lestat,es realmente um amaldiçoado.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 41

Mensagem  Ana Nery em Qua 7 Abr - 17:34:39

Fiquei naquele lugar até a noite começar a ir,sai entre as praças a cantar em oitavas magistrais,ai sim me retirei no cemitério Lafayette para que os sonhos
com cor de canela viessem na mente alhéia que jasia naquele mero tumulo gélido,meus riros constantes entoavam baixinho devido a forma como ela
era,sorriso meigo,complascente a tudo que vira nos meros momentos.Ana a desafiar minha autoridade,Ana a dançar naquela sala antes de irmos a China.

Como foram deliciosos sonhar com aquilo até que a noite veio novamente e pediu que eu acordasse a caça novamente,me supri com mais um mero asaltante
de Rua,o peguei na esquina mais proxima em que sáira,o vi querer roubar um carro e puz em ação a vontade;deixei o corpo jazendo áli encostado na parede,
qualquer um pensária que o homem estava infartando.Correndo a me esconder sem que me vissem e claro sai em voo ao Brasil,as nuveis foram perfuradas por
mim e quando me sobresaltei vi a lua por completo como tanto ansiava.

Fiquei parado a olhá-la e apenas deixei com que as coordenadas falasem mais auto junto áquele limpido momento que só nois apreciaramos na imortalidade a
qual nos fora dava,sim,desejava que Ana Nery fosse uma de nóis e assim ouvi minha voz ao vento antes de finalmente me inclinar a sair no voo,simplesmente
mantinha-me flutuanto sobre as nuvens a qual cito aqui.

-Ana Nery,espera-me má belle,estou indo.

Finalmente sai daquela flutuação e mandei ver na agilidade,cortava mais e mais nuvens para assim as horas correrem até chegar no Rio,a visão do cristo
me véio como vislumbre,o Corcofado porjado de luzes a iluminá-lo naquela mega construção envolta,parei na beirada dos apoiadores do Cristo,estava exatamente
no Braço direito quando deixe-me abrir os braços e saltei sobre a montanha abaixo.

Sim,comecei a procurar pelas mentes a imagem de Ana até que avistei ela em sua casa,nossa,corria como louco até que finalmente cheguei na Barra da Tijuca,isso e
claro saindo entre mata,voando sobre o mar,exatamente pelo litoral de toda Orla do bairro.Há doce deleite quando consegui sentir a presença dela pela rua,vi em sua
mente aonde sua residência se localizava,entrei pela direita para assim ver a mega mensão dela porjada sobre "O Quebra Mar da Barra".Mantinha ligado a imagem dela
seguindo ao local,carregava comprar.

Apenas subi a pequena mansão pelo teto até cair no jardim dela,como as ondas fazendo com que o barulho fosse houvido por toda estensão e consegui com a mente
destravar a masaneta do mega portão de entrada,sim,sim..Venha querida por que estou a sua espera.Au! Linda beleza de cadeiras a frente da piscina iluminada pelas
luzes azuladas,túlipas porjadas junto a pés de rosas em sua estensão.Agora abria a porta da mansão e dei de frente a mega casa.

-Nossa,ela sabe morar bem,mulher de negócios,erá de se esperar realmente.

Subi ao seu clarto para apreciar seu leito de sono,mega cama com lençois de algodão bem sedosos,os abajures com lampadas bem fraquinhas para que ela
não acordasse e fui a vadanda para ver o imenso mar da Barra batendo na rocha.Como a brisa vinha,Ana estava de parabens,iria conhecer o resto da sala..

Ela chegou,me escondi detráz da porta do clarto para que não se assustasse e ela soutou as bolsas de comprar quando viu que tinha intruso na mansão,entrava
de comodo em comodo a chamar,e claro que mau suspeitava que erá eu o devido inquilido e quando entrou pelo clarto me viu,quase desmaiou devido a minha pequena
revelação daquelas sombras.

-Lestat e você?O que faz aqui moleque?

-Cara cor de canela,soudades,tenha certeza.

-Como assim?O que pretende invadindo minha própriedade assim?Tem notícias de Tompei?

-Linda isso lhe falarei depois,ele está morto para o mundo,saiba disso.

-Não diga que meu Tompei se esvaiu depóis que me despedi.

-Assim,não sobreviveu ao destino que Maharet traçou para ele.

Ela deu passos para trás quando viu que ia em sua direção,apenas desceu as escasdas a dar na sala de estár,a mesa de vidro de centro era brilhosa,
sofá por toda estensão das paredes,negro e chéio de almofagas tão fofas,as luminárias clarissimas e vi o rosto dela por completo quando fortificou mais
a iluminação.Bem vestida,isso admitia por completo,os densos cabelos negros presos por um fino elástico e a blusa justa ao corpo simplesmente fazia com que
as curvas ficassem explicitas,botas negras junto a calça perfeita que só uma mulher sabe usar.

Ela sentou ao meu lado curvando as pernas a me fitar,tremia devido ao susto que provocará para agora sim me abraçar,foi provocante por que o perfume veio como a
beleza exótica que só ela tinha,mas quando viu meus olhos se enevurem deu o sobresalto que quis,apenas a segurava pelos braços,não houve gritos ou rexistênsia,apenas
acusava-me por tal atitude alheia.

-O que pretende agindo assim?L estat não está em si mesmo.

-Calma beleza,a noite vai ser longa,ok? Falei que tinha planos a você e claro,esqueceu disso?

-Não,apenas não entendo sua atitude,pensei que nunca ousária agir com tal brutalidade.

As mãos de unhas longas e claras tentaram alcançar meus ombros,envão,apenas apertei mais e mais ela contra mim,começou a me chutar nas pernas,me deliciava com
aquilo,há.Mais já estava querendo agir,a joguei no chão,ela rolou sobre o tapete vermelho daquela sala,estava tonta,tosinto sem poder respirar direito,joguei meus longos
cabelos para tráz enquanto ela sáia a pisina,tropesou sobre as cadeiras,andava em sua direção,apenas tirei a camisa e a joguei de lado,agora eramos apenas eu e ela que agora
iria decidir minha proposta.

-Queirida Ana,to propondo o seguinte:Una-se a nós,seja nossa aliada assim como o Tompei e .

-O quê? Quer dizer que meu Tompei foi forjado do Ardil? Covardes !

Os gritos sairam para que assim eu volta-se a pega-la nos braços,pior para ela que não parava de lutar,agora sim apenas salientei meus dedos sobre sua gar-
ganta,ela era sedosa,miséravel de meiga em si,apenas quéria chorar,mais envão,agora sim me deliciava com o avido sanguê,ela apenas critava pelo Tompei,odiava
aquele fato e veio as imagens,sim,uma menininha meiga que ela fora um dia,toda sua infáncia passando na minha mente,muito delicada por si só,toda uma vida pa-
ssando a minha frente até que ela caiu no chão depóos que a soltei.

Apenas me deitei ao seu lado,ela estava ofegante,parara de chorar,pronunciava o nome de Tompei bem baixinho até que comesei a rasgar sua camisa,sim,queria
todo asceso para o ardil ser bem feito,não queria fracassar com aquela meiga pessoa,mais envão,ela não aceitava,ficava pasmem devido a minha atitude,começara
a ter colapsos devido a baixa de sanguê,agora sim entrava em desespero.

-Cor de canela para com isso,não faça com que tudo seja fracassado.

-Foda-se,prefiro morrer do que está merce de um mundo negro como e o de vocês,tiraram o que mais tinha de lindo na vida,meu Tompei,prefiro ir embora.

-Fique ao lado dele para sempre,nada mais que isso.

Agora sim ela desmaiou o que me fez força-la a beber,sim,erá para ter feito antes e senti suas mãos roçarem meus cabeços,estava ganhando força até que ela apenas
me empurrou para tráz,não hávia ido por completo,apenas o vislumbre e analizei que teria que ser mais agil,a cor de cabela apenas se aproveitara para ganhar um pouco
de força e voltou a subir para o seu clarto,entrei a fechar a porta,nada com que me preocupar,apenas a segurei e voltei a beber mais e mais,agora estavamos entreçados
naquela doce cama,sim,sim,sim.

Lestat vá até o fim agora moleque,e fui até que finalmente os seus sinais vitais não emanavam mais,ela estava bebendo avidamente em pedido de vida,erá isso que eu
queria,deixá-la entre a vida e a morte para ai sim ela aceitar,mesmo a cor de canela sendo contra o fiz,mesmo que ela chorasse por toda eternidade depóis o fiz.Sim,fui
covarde,himpogrita em tela forçado,mais sabem como e:Só os que não querem o ávido ardil e que sobrevivem aos milênios,isso ela véria depois.

A deixei deitar-se áli e desci a sala,fiquei em silênte até que senti sua morte começar,ouvi o estampido da porta do boxe do banheiro bater,sim,nada que não
pudessemos houvir,agora tomava seu avido banho,ficou áli dentro horas e mais horas em choros,o barulho da água constante a cair,quéria entrar mais envão,ela pedia que
não.Aceitei a prosposta e mantive-me áli...Tompei,Tompei,que me queimasse mais hávia feito,ao menos estáriam unidos pela mente,não e? Um grato consolo que só eu
conhecia.

Me recostei nas almofadas do sofá e chilei,leve sono para depóis ser ultrajado por ela que simplesmente me queimava de ódio,não gostei daquilo,o ódio era explicito
no seu olhar,agora se vestida com roupas limpas,vestira um mero roupão de banho branco para agora sim sentar-se...Tudo terminara,a saliência sobrenatural tomara
conta dela por completo,fiquei atônito com isso,os cabelos com leve inobresência da Lua.Maharet iria me matar por isso.

-O que pretende com isso Lestat? Meu ódio ou amizade ?

-Não sei,vossa pessoa e que escolhe.Apenas não sei como me justificar ao Tompei.

-Isso e medo ou incoseguênsia de sua inresponsábilidade? Tompei,quero vê-lo de imediato,hávia avisado a você,mas sempre comete erros.

-Apenas minha bela não se queime no sol,afinal quero sua amizade para sempre.

-Oh sim,minhã glóriosa amizade.Traidor dos infernos! Apenas queria preserva a mim,saía daqui.Some!

Ela quebrou os vidros com isso,aprendera rápido sim a fazelo com a mente sobressaindo em toda dimensão,ela apenas me deu o pior tapa que um homem
pode levar de uma mulher,o vermelhidão explicito...Os cindo dedos gravados na cara.Entrei em choro por isso,perdera sua confiança para sempre,cor de
canela não iria não,apenas abrasei ela calorosamente depóis disso,estava certa em me odiar por completo,ela de esvaiu diante disso de prantos.

Apenas se deixou acolher o resto da noite a chorar bem baixinho junto a mim,Tompei iria me matar por isso,mais que fosse,afinal tive aquele momento meigo
com ela,mesmo com seu ódio o tive,o que me bastava por mil coisas.Marius e o que poderia salvar minhã alma,o que tinha alta influência sobre Tompei.Pensei
nisso enquanto estavamos áli,Lestat agora vira que cometera o pior erro de sua imortalidade.

-Ana não me odéie,mais veja isso como um presente.

-Um presente que simplesmente não saberei justificar a ele.

-Tompei,nosso Tompei há de entender.

-Não garanto isso,aonde ele está.Lestat quero velo,quero poder olhar naqueles olhos antes que ele me queime.

-Ele teria coragem disso?

-Nunca sabe o que se passa naquela mente...Um Dragão,nisso que ele se resume..

Passava os dedos nos seus longos cabeços,os fios sedoros roçavam até que falei aonde ele iria se estabilizar,ela se espantou de autos e baixos,
achara que ele tinha se perdido,agora sim a vi curva as pernas contra si em pensamentos longiguos,estava chamando por ele,senti isso quando os
salientes olhos fecharam...Ele iria atênder?Conseguiria do outro lado receber os pensamentos dela?Corrida contra o tempo.

Lestat relhasse,vá a procura de Marius,o cordão está apertando sim,tive certeza quando ela levantou-se e me mandou embora,me avisara que iria
na minhã casa,que eu não me preucupa-se,aprenderia os dons muito rápido.Vi quando ela apenas esticou as mãos e senti o calor emanar dentro de mim,
podéria e tinha a capazidade de queimar um filho como a gente.Segurei elas cotra mim.

-Se quiser me queimar,me queime linda.

-Nada.Vai embora,melhor para você,terei que me virar aqui.

-Ok..nos vemos depois?

-Na casa de Tompei.Cuidesse até lá,ele pode sair a sua procura.

Sai as ruas chamando a Marius,Ana iria se cuidar muito bem,a menina erá rápida no que pude-se.Iria terminar sua morte sozinha sim,mérecia isso e quando etrei um hotel passando o cartão,direto a me deitar numa daquelas mega camas.Marius me atenderia?Iria ver com o correr do tempo.Ficaria áli até a noite sequinte,estava cansado,me esvaia em sono e cansaço.

Corrida contra o tempo,dá uma coisa dessas?Lestat a loucura simplesmente trás conseguências a si,comprovara isso na covardia que fiz a ela,ela realmente
não queria a mim,apenas fora ao meu encontro em amizade,hávia confudido isso e fiz a merda que acontesceu áli.Vi uma taça até que a soltei na parede de tanto
ódio de mim mesmo e fiquei a chorar,lenço para enjugar as lácrimas vermelhar.

Do nada o espasmo véio a mente,Marius conseguira receber e apenas citava que precisava falar comigo,sim,iria velo na noite sequinte,a sua enloguência
era clara,estava preocupado comigo,com a merda que fizera.Fechei a mente para poder me tránquizar.Melhor coisa que podéria fazer.Que a noite corresse
linda como erá,resolvéria isso depóis..Neste desespero vi o que iria fazer,sim.Ajoelhar diante de Tompei e pedir misericordia.Oue?L estat fazer o quê?Afinal
provavelmente a essa altura ele estaria a minhã caça.

A cama erá sedosa o que me fázia relaxar mais e mais,os cacos da taça quebrada cintilavam naquele canto,fiquei me deixando levar por aquele brilho doce,nada que
me fisesse sair de mim mesmo.O moleque que eu sempre fora hávia voltado mesmo depois de tudo.Nunca para de erra,não e?Batia neste sintilar de analizes com as mãos
na testa.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 42

Mensagem  Ana Nery em Sex 9 Abr - 13:19:04

Depóis de um pequeno tempo ouvi uma batida na porta enquanto eu me mantinha áli,sim,erá ela sim que viera trazer uma camisa,fora facil me encontra e fomos a sala de en-
trada do apartamente,a cor de cabela pedira educadamente para me ver ao recepcionista,assim ele que a levou aonde eu estava...Apenas mantinha-se silênciosa devido a tudo,per-
cebera que estava chorando anteriomente e poi-se a me acalmar,continuava batendo com a palma da mão na testa até que ela reclamou devido a imprudência,agora estava mais
que bela,vestido vermelho decotado e de cintura assustada,vi que ela amava faixas atadas aquela cintura,as botas pretas e bem justas.Se arrumava perfeitamente e não colocara
maquiagem,brasileiras em em são muito naturalistas sim,admitia.

-Lestat vai se manter assim?Calma,não e nescessário se desesperar desde já,olhe seu estado.Quanto ao Tompei,aonde ele vai morar?

-Aqui mesmo,Rio Grande do Sul.

-Isso me surpreende,pensei que gostária de ficar na Europa em si moleque.

-Não,Tompei e diferente,está além do nosso patamar minha bela,filho de Maharet,entende agora?

Ela levou aqueles dedos delicados a boca,imedicatamente entrou em pânico devido a tal requinte,apenas levantou do sofá e andava em circulos pela sala,o vestido andulava
junto áquele cabelo longo...Sua preucupação agora festava clara para mim ou para qualquer um que desejasse ver.Ana deixou-se dominar por sua enloguência quando continuei
a conta a história..Houvia enquanto mantinha-se naquele estado.Contei tudo a ela,não escondi absolutamente nada de como a mãe jogara sujo para assim trazer Tompei a
noite.

O vislumbre da cor de canela desapareceu no atômo com que contava detalhadamente os aspectos até que decaiu no mega sofá em recolhimento.Sim,me abracei a ela até po-
der se calmar,sua voz véio depressiva como só ela conseguia pronúnciar em bom português.A delineação do sobrenatural tomou conta dela por completo,os dedos se enevuavam
no ar e os levei ao meu rosto.

-Estamos aniquilados,não sei como lhe dar com isso.Filho de Maharet,por deuses,etá dentre os mais proximos do gerne.

-Sim,evidênte que sim.

Agora sim ela desejava sair a caça,pedira para mim voltar para minhã casa,séria o melhor a fazer,combinamos que iriamos nos rever no correr das duas semanas que Tompei pedira
a todos.Aceitei de vela lá,apenas houve os últimos comprimentos de amizade doce áli,sua raiva iria passar,mais só o tempo diria...O que ela queria agora erá poder caçar,andar pelas
ruas do Rio De Janeiro sem ser incomoda...Sabia se virar muito bem,admirava isso na fofa.

Saimos pela rua a esquerda do prédio aonde estava,toda orla da práia da Barra Da Tijuca a disposição dela,ela se fora por áli mesmo,desapareu na noite alheia para só revela na nova casa de Tompei,iria conseguir encontra.Dei as costas e andava por áquela aréia gelada da noite,me sentei para pensar..Marius ao menos atêndera o meu pedido;ficava confortado por isso,ao menos uma esperança no fim do Tunél...Olhava as montanhas,será que me acolhéria bem durante o dia?Lógico que sim,véio a felizidade por aquele deleite,fui a uma delas e encontrei uma pequenina caverna,dormi áli durante o sono que me chamava.

Perdão por tudo meiga,e só isso que posso dizer agora a você,sonhei com Tompei me queimando vivo diante de todos,apenas quebrando meus ossos diante de David,Armand,
todos que a qual amara um dia,depóis as chamas vinham pelo poder dele em si.Será isso que ele iria descidir?Desejava mais que tudo que ele esquecese disso e visse por outro
lado e claro,mais a traição estava feita,finalizada como tudo que fiz.As horas passavam naqueles sonhos que só minhã mente podéria criar,o barulho das garças era constante
para me manter tránquilo;quando sai dali o chamado veio,Marius apenas pedira-me como Ana me pediu: 'Volte para casa,espere o tempo vir conforme vier'.

Sai do local,a noite na cidade ia alta,fechei á estádia e fora de volta para minhã casa,como amei depóis daquela viagem aos céus imaculados der Nova Orleans,avistara do
alto a minhã casa,Louis apenas sentado no gramado do Jardim junto ao Nicolas e David,esperavam minhã volta e quando desci apenas me sacudiam devido ao meu deplorável
estado.Entrei no meu clarto para não querer falar com ninguêm.Dava para ouvir os três a conversarem na sala,notícias corriam rápido,não?O que me inrritava por completo.

-Lestat sai dai de dentro,o que houve? Realmente foi avisado do tremendo erro.

-Vai ao inferno Louis,cala sua boca e me deixa em paz !

Joquei um quadro na porta,ele entendeu a mensagem saindo com os demais,me senti melhor,que as horas passassem por completo,quéria me esvair áli sozinho,minha fofa
cama maliciosa,me apoie nos travesseiros para me sentir esvaido de qualquer mau alheio.Estava de volta novamente,agora o que mais desejava erá tránquilidade depóis de tudo
que eu mesmo cometera,hávia chamado áqueles erros para mim mesmo:Ter pedido ao Tompei para trazer Nicolas de volta,me apaixonara pela cor de canela mesmo sabendo
de quem erá predileta;admito,só minhã pessoa para fazer tal requinte.

Ajudará sem perceber a criar o que foi criado,o principal erro foi ter deixado Marius apresentar Tompei naquele estado a Maharet e Makare,provavélmente se não o tives-
semos feito nunca teria acontecido.O que estáriam achando de mim? Todos esses pensamentos vinha a mim,engólia em seco por que o erro foi realmente meu.Do que adiantava negar?Absolutamente nada,toda merda estava feita para assim desencadear uma guerrinha entre mim e Tompei que concerteza me acusária de traição.

Que o vento entrase pela janela quando à abri,continuei áli o resto da noite,queria mais e me deleitar em meu covil,amarará meus cabelos para trás,estava me incomodando
por estarem caindo ao rosto,Nick estava enloguênte por tudo que estava conhecendo,não tirava sua razão não.Voltei a deitar para o sono vir,esperar,esperar e esperar até os meu
amigo Tompei dar as caras aonde quer que fosse.Caláfrios ao pensar.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 43

Mensagem  Ana Nery em Sex 9 Abr - 13:31:33

No começo da noite seguinte assim que me acordei voltei para casa e sim,Ana conforme falara estava lá,minhã cor de cabela junto ao David,Louis e Nicolas,estava mais figurada em
si devido aos longos cabelos negros,agora sim usara uma bela maquiagem com batom de mera cor clarinha,leve delinear nos olhos escuros junto a base tipica..Ficoi meiga sim e ao
levantar-se me abraçou forte,a raiva passara mais a preucupação com o Tompei não,vi com um simples virar de rosto.Usava uma sáia curta com botas,a blusa levemente solta aos
lados,porem tudo em negro como ela sempre amara...Lá fomos nóis a sala para averiguar a situação.David inalterada,ele iria compri o que falara quanto a não querer me ajudar.

Esperava isso por que eu mesmo o fiz sem pedir ajuda de ninguêm áli,então que assumisse as conseguências.O bater dos pés de Louis incrédulo a todos me surpreendeu,acho que
ele mais gossria de sair em fuga,não gostaria de presenciar o que poderia acontecer a mim e claro.A noite ers fresca,agora o tempo estava limpo e bem delicioso de se passar
as horas na sagráda noite e ela sentou ao meu lado o que me fez muitissimo feliz e claro,eu estava simples,sem camisa,meras botas pesadas e calças clássicas,sim,muito cara de
pau mesmo.

-Calma ai,Lestat vai mesmo como ele pediu daqui a esse passar de dias?

-Sim David,fugir do que? De qualquer forma ela vai descobrir,não ?

-Concordo,não tem como se esconder mesmo.

-Apenas espero que ele entenda,sei que ele e camo,mais em fúria pode ser um grande problema,sim.

-Queria o quê? E lógico que Tompei tem a força de quem o forjou.

O patamar entre eu e Tompei erá grande demais,ele em relação aos jovens estava muito além do que se imaginava,na mesma cada que Maharet,Makare,demas anciões
que um dia vi e conheci com esses olhos áqui que escrevem todas as palavras.Porém Nicolas voltou-se a Ana,agora sim os dois se falavam constantemente devido ao tempo
de encaixe de confiança que tanto prescisavam...Meus risos vieram baixinho para só ela ouvir,sua promessa de sempre me ver,meigo vindo dela,poxa,Ana se resumia a
isso:Uma mulher meiga mais porém que ninguêm pisa-se em seu calo,ai sim solta os cachoros encima de todos.

Os seus dedos roçavam meus cabelos para agora sim ela se deitar em meu colo,Nicolas apenas perguntava da vida dela,várias perguntas esclarecedoras do passado da delicada
áli que assim respondia a tudo... Ela fázia algo que poucos de nóis gostavam de fazer,ver profundamente no rosto e espresão da pessoas suas reais inteções,não tirava sua razão e
Nicolas mandou ela parar mais continuaram a conversa enquanto ela se mantinha áli.

-Mora no Rio De Janeiro,não é? Desde quando?

-Nossa,desde que me conheço por gente Nick.

-Quantos anos têm?

-20 anos,muito jovem ainda para lamentar algumas coisas.

-Hum..Correto má chére,nasceu no Brasil mesmo ?

-Mais e claro,aonde mais iria nascer? VÉs algum toque de Europa,Ásia ou demais continentes neste corpo áqui?

-Não má belle,realmente a mistura em você e forte.

Agora ela se esváia de rir das palavras dele,como ele dizera áquilo?Todos sabem que os brasileiros tem a mistura consaguinea mais forte do mundo,tonalidades de pele,olhos,
expresão de rostos que nunca se encontra em nem um outro lugar do mundo a não ser lá.Era espantoso que Nicolas com áquela mente avida pergunte-se aquilo a cor de canela
que por si levantou e abraçou ele.Fez uma proposta que me espantou,fiquei feliz pelo que ela propora ao Nick.

Ele ficoi feliz,muito por si e devido a coragem dela,ela simplesmente pedira para ele ir morar com ela no Brasil,conhecer o Rio em si,bem,os pulos foram imediatos o que
me deixou meio tristinho,Nicolas apenas disse sim,Ana prescisava de Companhia e pedira ao Nick que sobestitu-se essa presença;os dois sairam a noite,sim,iriam para
lá e agora só veriamos eles no encontro com Tompei.

Minha querida Ana era fortinha,sim,porém,tão fragil como doce de açucar,Nicolas não ira morar mais em Nova Orleans,fiquei ávido com Louis e David áli naquela sala.
Fora acolhido por eles durante meu pequeno lamento,que as noites viessem,que a felizidade fosse conclúida.As noites passaram,viam,concluian-se e eu naquela ansia
de ir na nova casa de Tompei.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Capitúlo 44

Mensagem  Ana Nery em Ter 13 Abr - 20:53:02

Chegou a noite,sim,preparava meu coração,alma,mente e corpo para ir na longa viagem ao Rio Grande Do Sul,de lá mesmo erá apenas procurar a presença dele.
Tompei nos esperaria,era mais provável que Marius,Maharet Nicolas e Ana já estivesem lá,fora avisado que um caro estária a minhã espera em Porto Alegra.Como erá
ácida eu jamais imaginava,afinal,nunca fora lá,muito menos conhecia o local,áncia em está lá,terminanava de me vestir quando Louis e David tinham saido antes de mim,
infernos de desespero.Louis depóis daquela confusão em Merrick ficara mais mau,menos emocional em si,erá de se esperar com as devidas descobertas.

Agora naquele clarto vestia as roupas frescas e perfumadas que tando amava,tudo negro,minha tipica roupa negra que tanto adorara com à avida alma maléfica
que eu erá;que fosse,Lestat vá,vá,cria-se mutalmente principe,deixe com que o ardor morra dentro de si e a redenção pelos seus atos morram junto a si,não têm
salvação,não É?Arqueava as sobrancelhas naquela apresciação,sim,muito meigo como me vestida e lá fechei as portas nas chaves,7:30 da noite em Nova Orleans,
o começo de uma aventura que só Tompei iria citar..Sai pelo portão a batelo no cadeado,me despedi de Mojo com sua cuidadora e lá eu fui nos cêus.

Quanto ao Nicolas estar morando com a Ana Nery?Nada com que me preucupar,ela cuidária muitissimo dele naquela mega casa dela,isso que pensava no voo longo
e constante,os avidos cabelos a balançar no vento,gelo e mais gelo na pele morta que só um ser como eu poderia ter,que o veno viesse forte,amava a forma como ele
passava entre meu corpo,dava para ver as nuvens a pairar acima de mim em correria com minha locomoção,claro que depóis de algumas meigas horinhas básicas vi a Cidade
de Tompei..Nossa,as imensas colinas a rondarem a cidade,realmente imensas que até minhã visão perdiasse.

Era mais ou menos assim amores:Lá estava a Cidade e em toda sua volta as colinas caiam na noite,montanhas gélidas em volta e dava para ver pequenas moradias entre
elas,concerteza Tompei estaria em um daqueles palasetes gravados nas infirmas colinas,sim,essa apalavra e inlustre para descrever e desci na passarela mais próxima,sim,os
carros passavam abaixo dela,as casinhas tão aconchegantes a correr pelas ruelas imensas que me fez ficar tontinho.

Alí mesmo fechei os olhos,sai a procura de Tompei pela mente das outras pessoas e ele respondeu,sim,me chamava friamente assim que percebera minha chegada e como
fiquei emocionado,ele ainda não sábia do erro que cometera e assim fechei os pensamentos e fui a procura do carro que me esperava,sim,o motorista de preto estáva abaixo na rua
mais proxima,dando a volta na ponte sai de frente a ele,erá sério como só eles conseguem ser.Entrei e ele saiu pelas ruas a começar a entrar na extrada das colinas,nossa,as ca-
choeiras caiam do lado de fora,sim,dava para ver do alto da ponte que ia atravessando elas até finalmenter sairmos nas pequeninas manções que localizavam-se acima da densa
Cidade.

-Senhor Lestat pode sair,o senhor Tompei o espera.

-Nossa,conhece meu nome?

-Me chame de Eduardo,sim.Senhor Tompei não deixou de me esclarecer nada.

Ele saiu para abrir a porta educadamente,a pele mulata devido a mistura,sai e vi o vislumbre de Tompei na porta da mansão,imensa,por deuses,imensa a perder de
vista,o homem escolhera bem,a densa floresta em volta com a mega visão da Cidade abaixo da colina aonde estavamos..Ele apenas deu risos e me abraçou,erá soudades
da amizade sim,amei áquilo..O motorista saira a dar a volta com o caro,prescisava ir pegar os demais.O portão realmente todo prateado com o jardim a frente,os guardas
abriram em deleite a visão,admiravel,a cidade erá belissima sim mais o frio constante assim como Nova Orlenas,teria que treinar meu Português devido a frequência com
que ia falar.Chegando a porta de entrada Tompei apenas abril,a mega varanta com plantas altas,brilhates a decorar para ai sim ver o seu simbolo pequenino de Gragão
gravado na madeira.

A visão da sala de estar erá postérior,cores claras,agradáveis a qualquer visão,a enorme mesa de centro em madeira polida brilhava com o lustre acima no teto,jaros
pequenos de túlipas negras,sim,vira que ele escolhera algumas mudas de lá para por áli,perfeito como só ele podéria escolher.Eu me deleitei com o tapete negro a banhar
o chão e comesei a subir a densa escada com barras de vidro cristalino para dar de frente ao corredor da qual ficava o clarto,delicioso em todos os aspectos.Sem ação,
palavras quanto ao lugar,Nova Orleans nunca téria isso,admitia em seco tal fato.

Ele pediu para poder entrar no clarto sim e lá a visão da densa Cidade dava-se de colina baixo,a cama imensa e porjada de lençois de puro linho e ceda greme.Persia-
anas das janelas em madeira.Entrei na varanda,tontura com as pequeninas luzes a brilhar,ele falou pela primeira vez dentre dias;estava feliz,erá evidênte,as mãos pesadas
postas nos ombros,perdi a respiração por um momento.

-Bom vê-lo aqui,espero que goste do resto,vera depóis.

-Nossa,e claro,sem problemas e saiba que está num lindo lugar sim.

-Que bom,fico feliz com tais palavras,acha que Marius aprovara quando chegar ?

-Pelo que conheço dele,sim,fique despreocupado.

Os risos vieram,ele vestia roupas modernissimas,parece que o geito antigo e novo desaparecera nele,os sapatos negros bem meigos,a calma em sua cor tipica,sim,o
tradicional preto tomava conta dela junto a blusa sem mangas e bem fininha.Mais os densos cabelos e o que me deleitava nele,avidos olhos mel sim,sempre os teria
para nunca mais eu poder esquecelo.Esperariamos os outros chegarem,nem o Louis e David que sairam antes de mim chegaram primeito,que coisa para meus pensamentos
mais a imagem de Ana me véio a mente e Tompei agora sim virou-se a encosta na barra de apoio da varanda do quarto.

-Como ela está? A viu esses dias?

-Hum...Bem Tompei ao que sáiba ela está bem sim,Nicolas está fazendo companhia a ela,não foi lá no Rio vela?

-Ocupado,sabe disso,problemas a resolver amigo.

-É era de se calcular que sim.

O deleite veio quando ele apenas sentou-se na beira da cama,estava cansado mesmo com toda áquela força,vi pelos olhos virados ao auto que desejava ver a cor de canela
e me virei para não ver áquela sena,desci as escadas para deixalo sozinho,sentei no sofá a pensar,cochilei sim áli para só querer acordas quando todos chegassem.Respirei
fundo e mantive a mente fechada,apreciava todo esmero da decoração altenticamente moderna,Tompei,nosso Tompei que para sempre fora arancado de sua casa e terra.

Me lamentei por isso,Maharet,Maharet que nunca admitira que ele tivesse continuado sua vida humana,algumas lácrimas sanguinolentes desceram ao rosto a quando lembrei de
tudo,vi que as luzes apagaram,sim,isso devido a gorvernante do lugar que mantinha tudo organizado,nossa,até isso?Chique sim de se imaginar,Tompei não sobrevivéria sem uma
pessoa para cuidar do lugar dele;dei risos ao saber disso.Faria o mesmo se pudesse e claro.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Capitúlo 45

Mensagem  Ana Nery em Ter 13 Abr - 21:21:12

Sim,Marius,Armand,Louis,David e Maharet háviam chegado,eles apenas me acordaram a me puxarem pelos ombros,o caro mantinha-se estácionado do lado de fora,vi pela porta
aberta que agora Louis mesmo fechava com força,Tompei apareceu no alto da escada e simplesmente caiu de risos maléficos ao verem todos encara-lo.Decia devagar para que
não houvesse nem um barulho,Marius retruncou tal atitude do principado álo que agora se esvaia ao meu lado.Maharet pelos olhares estava feli, sim,pelo lugar,dizerá isso ao dono
que a qual ela mesma se encantava.

Marius apenas os deixou sozinhos e me chamou a par do momento,apertava meus ombros enquanto nos mantinhamos no jardim,o vermelho nunca deixava de cair bem,
os megas olhos azulados me fuzilando enquanto falava,dizerá que não saberia como lhe dar com a situação que agora estava informado a besteira que fizera.Perguntavamos
sozinhos um para o outro em como Tompei regiria.

-Lestat pegou pesado,moleque como falara a ele ?

-Veremos no momento o que ele fara,apenas receio por muitas coisas.

Vimos Ana e Nicolas aparecerem acima da bancada aonde eu e Marius estavamos sentados,enchi os aviso lábios dele de beijos,soudades de velo,conversa e apreciar
seis requintes,que Tompei não aparece-se áli agora,não erá o momento certo;Marius hávia gostado da cor de caneça,evidente quando sentou-se ao lado dela e poi-se a
ensinar várias coisas.Um pai,muito paternalista neste ponto,o que eu mais admirava nele e claro.

Confissões,vislumbres e amor a dar a meiga,Nicolas pegara afinidade com ela em sua estádia no Rio De Janeiro,estava bem vestido,botas curtas escuras,calças jeans
azulada e um sobretudo branco de mangas curtas até os cotovelos,tecido finho e leve.A regata por baixo caia bem a ele,o que me deu mais contade ainda e dar mais
e mais doces beijos,o que fiz e claro..David agora espionava tudo quieto e passivo a minha indolência.Me afastei e fui à andar pelo gramado do jardim,o portão de entrada
fechado agora.Todos os clardas sempre a prontos de tudo.

-Lestat calma,não precisa ficar assim.A raiva de Tompei não chegaria a tal ponto.

-Que isso Ana,não sei.Só vossa pessoa que conhece melhor do que eu .

Maharet apareceu no vão da escada,lindo vestido negro que dava contornos as suas curvas femininas,desejavel sim,admito e quando vi Tompei aparecer por detrás dela
cai para trás.Marius me segurou para agora sim ele se manter áli comigo.Ana entrou e apenas disse as palavras que não esperava.Estava descontrolado agora,lá foram eles
juntos a subir para seu clarto,não segui,não falei absolutamente nada e Maharet apenas desceu para me consolar.

Os dedos apenas roçando meus cabelos enquanto me mantinha quieto e pensativo,porta de entrada fechada,Louis estava lá dentro com eles.Não houviamos nada,nem uma emana-
ção de voz,palavras ou rebelião..O que isso podéria sighficar?A noite estava doce,muito doce ao menos,perfume de plantas selvagens que estava perto e naquela varanda.Depois
de alguns minutos ai sim vieram gritos de Tompei lá de dentro,Louis apenas tetando acalma a ele.Fiqueit triste,me esvair diante disso e sem poder fazer nada.

-O que eu fiz? Algo errado Marius ?

-Não moleque,deixe-os a sós. Melhor coisa a fazer.tenha certeza.

-Concordo com ele Lestat,calma,calma,espere. Não faça nada.

-Maharet fique aqui,ok? Não saía de perto de Lestat.

O mestre subiu para que pudesse entrar.Bem,envão,Tompei não se mantinha controlado e muito menos aceitava aquilo,apenas perguntava quem fizera o ardil a ela e a porta
fechou novamente.Pequenos barulhos de vasos quebrando na parece,cacos a rolarem lá dentro enquanto Louis e Marius tentavam controlado.O desespero tomava conta do
momento.Quando Ana tentou falar apenas Tompei mandou ela ficar quieta,o que não fez e claro;à sua afronta ao querido foi clara e rápida.

Veio o silêncio lá dentro.Agora sim tomava coragem e entrava para poder tentar falar ou explicar algo,sentei ao lado dele sozinho,mandei todos sairem para fora,contei tudo,
não escondi nada para depois ele virar o olhar em averiguação a minhã mente,sim,via tudo que se passara em minha vida.Tentava fecha-lá,mas envão,ele apenas levou os
dedos ao meu rosto e viu o que viu:Tudo que aconteceu entre eu,Mona,Quinn.O gelo vinha de dentro dele como o congelamento dos olhos e falou ao levantar-se.

-Apena lhe falo uma coisa: Quero Mona e Quinn aqui em duas noites. Esteja feliz por isso.

Bateu a pesada porta,me esvai diante dessas palavras,levei as mãos ao rosto quando Marius entrou. Agora Tompei desaparecera na noite,com isso todos áli
entraram para ficar ao meu lado.Maharet inconsolada com as palavras de Tompei,mais o que iria fazer? Apenas era esperar sua decisão.Como iriamos trazê-los em
duas noites? Seria envão já que Khayman estava com eles.

Nada com que fisesse ser impossível.Veio a hipóse a mente,descontrolada o que me fez gritar para todos ouvirem.Ele iria queimá-los,sim,não me passava
outra coisa a não ser isso.Á avida Maharet se impusera a dar ordens de pensamentos ao responsável por eles,que aparecessem,a mãe saberia encontrá-los e dar a devida
orden.Ela não emanava sentimento quanto a isso que Tompei descidira,os dois em sua casa..Sim,que fosse,afinal,Tompei era cria dela.

Acolhido sobre Louis me mantive quieto,que tudo passa-se,que nada e ninguém fosse capaz de me tirar daquele lamento que me fazia me sentir ao menos meio
controlado diante de tudo.Vi os cacos dos jarros.Bem,estavam sendo limpos com as devidas ordens de governantes.O tic-tac do relógio trazia mais angustia e aoste-
reza.Sonhos,sonhos e mais sonhos: O preço poderia ser caro Lestat e com total razão.Você se deixou dominar por sua loucura no momento em que porjou-se de
frieza naquela época.Belos pensamentos vinham.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 46

Mensagem  Ana Nery em Qua 14 Abr - 18:27:34

Maharet a cada noite não parava de simplesmente chamar os demais pôr pensantos,quem sabe eles não apareceriam,não?Todos atônitos por que desde que o Tompei batera
aquela porta não voltara em nem uma das noites.Sim,ele planejava algo mais ninguém haveria de saber o que esperava de sua atitude quanto a Mona e Quinn.Nunca em minha
imortalidade hávia sido investigado com tamanha ávidez de pensamentos como assim o Tompei fizera,estavanos na primeira noite depóis disso,passava-se as horas,minutos e
Ana quase a beira do desespero por não ter a presença de seu meigo por perto.

Louis apenas a pensar friamente em tudo,o ex-mongê tinha talento,erá evidênte devido a complexidade com que Marius analizava.Ninguém ousaria ir contra a mente de Tompei,
isso por que ele ganhara sim o respeito até dos mais avidos dos anciões,pelo que sentia o menino jovem vinha sendo altamente preparado,erá como que se o destino o tivesse
moldado para ser o que se tornara sem ele ao menos saber.Estava mais controlado nessa noite,o tempo se engarregava sempre de fazê-lo.

Sim,Maharet foi atendida,seus olhos naquelas analizes e procuras fecharam e levantou-se para finalmente dizer que estavam a caminho.Meu coração desparou diante disso,o que ele
queria e desejava diante de tudo que vira em minha mente?Fui novamente acolhido quando voltei a me esvair em lágrimas.Armand todo trajado de negro apenas emanava magoas,os
olhos emanando piedade por mim diante dáquilo.Levantei a encara-lo por longos minutos.

-Sabe de algo? Pode me falar Armand ?

-Não sei abesolutamente nada,mas se diz que Tompei viu fundo em sua alma,preparer-se,Lestat acho que está prestes a receber a lição de sua vida.

-Acha mesmo?

O peso das mãos de Marius cairam em meus ombros,estava tristissimo sim.A segunda noite véio depois de nosso recolhimento,oa clardas nos receberam para assim que entra-
mos vimos os dois.Tinham vindo sozinhos;suas espreções confusas e tinha dúvidas,sim,do que tanto ansiavam saber.Fui a Mona e peguei em suas delicadas mãos,estava mais
comportada agora,porém ainda ousava me inrritar com sua roupas sexualistas e estravagantes daquela época,os avidos cabelos ruivos e andulados caiam aos ombros e Quinn?
A carinha de bebê como sempre fora,alto,consplascênte em tudo.

Levantaram-se a me abraçar;trouxera-me felizidade com essa atitude.Marius apenas calado devido a tudo que soube,Ana,David nãos quizeram falar com eles,mantinha-se afastados
em ávidez de repulsa,sei lá.Como que se sentisem mau ao ver os dois áli.Mona falou em tom frio e com sua tipica antipátia para quem não conhecia,Marius com um mero olhar a
queimava deivido a falta de educação;isso a fez com que desse passos para trás.

-Lestat por que nos chamou? Apenas estamos Aqui em ansiedade a saber.

-Não sei,veremos quando Tompei chegar.

-E você Quinn?

-Nada demais,apenas levando a vida como deve ser levada.

Quinn usava roupas frescas e com belo terno escuro,tuda roupa estava escuda.Ele virou-se ao ver Tompei finalmente entrar pela porta,deuses.Sua calma voltara mais o
olhar simplesmente queimante como só ele tinha,parou de frente a Mona e seu Quinn a esperar.Tompei se apresentou gloriosamente como só ele sábia,ao menos fora meigo
nesse sentito e ao dar os passos na subida da escada postou as mãos no corrimão de vidro que eu tanto apreciará.

Suas palavras foram curtas,objetivas e diretas,sabia como agir mais esperavamos tudo,mais tudo que ele mesmo pudese fazer.Um mero julgamento?Ensinamento no
que vira em minhã mente?Os fatos ocorridos na Fazenda e Cantigo simplesmente o pediram tal atitude,era de se espera isso vindo do mais jovem dos anciões forjado
pela própia Maharet.Como a voz vinha frágil e aplicada;Marius junto a todos a dar obediência.

-Quinn e Mona,ao meu quarto,a noite ainda começa e há de vermos do que realmente são merecedores.

Eles obedesceram seguindo Tompei na bubida,estavam no mega corregor quando quis ir,o fiz mais ao dar de frente com Tompei ele apenas me empurrou de leve fe-
chando a porta do ceu clarto na chave..Fui ao desespero,batia na porta forte para não ser respondido,Louis subiu com David e me arastaram para a sala lá embaixo,
sentamos no sofá.Marius fizera o mesmo em pensamentos.Ele tambem tambem estava a par de toda história.

Tudo,tudo,mais tudo eu desejava áqueles dois,será que mereciam algo de mau?No meu ponto de vista não,David ficara hinrritado comigo naquele estado,
assim como a vida e ardua,háveremos de dar o devido respeito a todos,Mona e Quinn não sabiam a um certo modo fazê-lo,Marius entendera aquela ação de
Mona muito bem.O mestre não estava contente e falou em sua frieza que só eu admirava.

-Lestat sinceramente,olha..Não me agradei dela,como teve coragem de trazer uma pessoa assim? Não vi respeito em momento algum em sua vinda aqui.

Esse Quinn moleque,apenas tomado por sua loucura e porjáncia de avidez.Chamo isso de fanátismo.

Marius falara certo,de certo modo erá assim mesmo,não me contrapuz ou repudiei áquilo.Deixamos o tempo falar por si,nada e ninguêm iria inter-
romper o que Tompei quéria planejar.Ana quieta,meiga a pensar tambem com o mestre.Ana tinha essas analizes:Nunca contrapor a nada nos momentos
importantes..Seis risos emanaram para me fazer novamente feliz.

Meigo riso de menina meiga;ela desde o momento respeitava a todos,mas a todos mesmo.Realmente de se admirar isso vindo de uma imortal,não se
encontrava isso em quase nem um dos que conheci ao londo dos séculos. Deixei ela se esvair áli junto a todos,meus olhos agora passeavam naquele
lustra ácima de nóis,me perdi nos brilhos maghificos.

A lua erá bela,via pela porta da sala quando Louis abriu-a por um momento,ele poi-se ao meu lado.Suprezas,descições que esperavam a gente.Lestat,Lestat
sera que realmente pode ser santo? Sera que pensou certo naquela época? Como poder se santo se es o que és? O tempo háveria de ver,mais desejava isso,sempre
estava a procura da redenção que pelo que via provavelmente não chegária.Os brilhos ainda me faziam perder-me no teto clarissimo da sala,senti apenas os dedos
de David roçarem por detráz de minha nuca e a me encher de beijos,soudades daquele mero toque,senti a sua preocupação.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 47

Mensagem  Ana Nery em Qua 14 Abr - 18:51:40

A conversa entre os três corria com o passar da noite,mantinha-nos áli resolutos a tudo.Pouco me importava,mais a única coisa que quéria e que nada acontecesse
aos meigos,se e que todos áli entendiam isso,para complementar depóis de tudo veio os meros gritos de Mona lá dentro,agora sim me sobresaltara devido ao seu
desespero com que descia as escadas.Quinn apenas saía atrás dela para irem ao Jardim a frente.O que Tompei esbravejava não conseguia suporta;doia de ouvir
sua complexidade sendo emanada.

Ele dava risos maléficos de modo a todos ouvirem,nem Maharet ou Marius se impusera a atitude de Tompei que dava passos leves em direção aos dois lá no
Jardim.Quinn e Mona apenas grudados um no outro sobre o gramado limpido e bem poldado,hávia uma Arvore central,alta em sua porjância de vida.O que fez
o Tompei encostalos sobre ela.Ele segurava duas espadas,uma em cada mão.

A lámina cintilava sobre o brilho da noite,me contrapuz sobre ele e apenas levou as mãos a minhã garganta ao soltar um delas.Falou comigo,seu olhar me
queimava,sim,friamente,mas me queimava em vida e sentimento.Era uma pedra intransponivel,o vento fazia com seus longos cabelos negros voassem ao vento o
que dava mais encanto naquele mero momento machucante.

-Metase no meio e vai junto,tenha certeza disso.Não quer abedução? Não quer ser santo? Então aprendera depois que terminar aqui.

Me largou áli para poder voltar a pegar as espadas,agora sua voz voltava-se aos meus dois amados.Simplesmente ancurralados contra o canto da arvore,o Tompei
apenas erguel as duas espadas em direção a ele que fez com que Mona gritase mais ainda.Seria envão qualquer um tentar se opôr ao Tompei,que conclusão ele
tirou de tudo que viu?De tudo que sábia sobre Quinn e Mona? Não fazia idéia sobre o que.Ele continuava falando reciproco a quem visse ou olhasse.

-Quinn não gosta de ser um ser da noite? Se mata por ser um? Então o que te fez ir atrás de sua criadora naquele pantâno? Vamos!,fala-me

-Não lhe interressa.

-Que sejá,tem alma seca como rosa morta.Se vossa pessoa não gosta de ser um de nóis então vá ao seu retiro de solenidade.

Lá estava Tompei a simplesmente agarrá-lo no ar e empurrá-lo contra o tronco da arvore,uma das espadas apenas gravada no meio do corpo de Quinn que se esváia
em dor e choro,sua carinha de bebê inespita a qualquer reação,Mona apenas sem ação ou comentário quando finalmente Tompei voltou-se a ela que já estava a tentar
fugir dáli.Fora pega por ele,agora Marius e demais apenas chorosos e observando tudo,o mesmo quanto a mim.

Mona,minha querida Mona que jazia nos braços dele que agora apertava seus ombros até ouvirmos o estalo,ela apenas chorava devido a dor constante e Tompei fez o mesmo
com ela pegando-a e predendo-a contra o tronco ao lado de Quinn com a outra espada no meio do seu corpo.Gritos,desespero,anorexidade ao ver aquilo,puxava os fios dos meus
avidos cabelos indo a loucura por não poder fazer nada.

- Últimas palavras que ouviram amores amargurados: Quem ama sabe amar,quem não sabe amar terá que aprender,tudo Quinn,tudo que desejou em ter matado Goblin você
não pensou.Isso custou uma vida,a de Merrik Mayfair,quanto a você Mona,que seja queimada por suas atitudes em vida,mau agradescida,mau educada,fria,calculista.

Uma filha de incesto,sim,incesto por ter sido porjada por transas inorexicas de sua familia.Como acha querida que uma pessoa vindo de uma únião conságuinia pode
ser pura?Nunca,nunca meiga.

Ela tentava arancar a espada de dentro dela,envão,Tompei apenas virou-se e os dois explodiram em chamas,estava feito,estava feito,sim,a morte chegará para
eles arduamente pelas mãos de Tompei que agora caminhava em minha direção e voltou-se a Marius e Maharet que não reagiam.A ordem me chocou,ele apenas
entrou na casa e falou alto.Quando vi áquela corrente quiz fugir,envão.Marius me arastava pela sala para me jogar no sotão mais abaixo.Batia com pés a toda
força,mas a blindagem de aço erá descomunal.

Acendi uma luz ao lado e vi que não adiantaria,aço por todo lado que me virasse ou apreciasse.Agora entendera o por quê Tompei ficara revoltado com Quinn e Mona,
simplesmente estava correto,admiti, sim,maL passavam de pessoas frias,calculistas e maL agrAdecidas.Muitas das atitudes da Mona quando estiverÁ com ela me deixava
chateado sim.Bastante,pesando por esse lado nunca devéria ter levado Merrik lá na fazenda,depóis de tudo o que Quinn e Mona fizeram?Repudiaram meus ensinamentos
e foram embora;realmente uma bela forma de agradecimento.

Quando terminei de pensar nisso sentei num cantinho e comesei a chorar bem baixo com essa conclução de Tompei;na verdade realmente Quinn e Mona nunca tiveram uma
afinidade comigo;única coisa naquela época que contava a Mona era viver e ao Quinn queimar ao Goblin,sim;paguei caro com a morte da nossa Merrik.Passava horas e mais
horas a gritar lá dentro,peso e inusoluto ao sofrimento dessa pequena revelação que mal conseguia aceitar.União de incesto,realmente numa familia como a da Mona não e de se
esperar sinceridade ou verdade a você.

Como pude ser tão cego?Como?As palavras ambiclas vinham,ficária áli ate eles resolverem abrir,o mesmo acontecerá comigo antigamente e agora se repetia.Preso Lestat,
em sua amargura,sua cegueira por aceitar as palavras de qualquer um que apareça a sua frente.Sim,esse erá meu grande defeito ao Quinn e Mona,apenas ouvi e tentei ajudar,o
que pensar?Nada,absolutamente nada,vi a lição da pior forma possível.

-Eu sou cego mesmo,vi sim e da pior forma possível.Como poderei ser um santo se fiz o que fiz?

'Ainda com essa idéia Lestat?Realmente somos condenados,aceite isso'

-Quem está falando?Quem?Apareça miséravel.

Envão,era Tompei falando comigo pela mente,senti na tonalidade de voz dele que estava lá na sala agora.Ele tinha coragem de me afrontar,realmente de se admirar.Pelo que vi
Tompei não se sentia mau por ter se tornado o que era agora,mas eu? Nossa,explicitamente queria a redenção.Que redenção? Me torna um santo,realmente um santo.Tompei voltou
a falar comigo,ouvia sua voz forte e apática pela mente sim.

'Atenção principe,a redenção só e alcançada por aqueles que conseguem unir a mente e o corpo.Quem não consegue nunca será um devoto.Lestat você deseja ser um santo,não é?
Mais já tentou unir isso que lhe cito?

Aprecie a carnalidade da alma,se você não o faz esqueça isso para sempre'

Palavras que me fizeram sair de mim,deitei no chão,comesei a dormir mesmo com a noite presente.O lugar era tão fechado que podéria ficar o dia áli,tudo trancado para que
eu não fugisse.Tinha vontade,sim,óbvio que desejava e ansiava por sair.A lição estava sendo dolorosa,inespita a mim mesmo.Horas,minutos,segundos que quardaria para sempre.
Quietude para me trazer paz.Vi que com minha ambição e loucura por anos desde o encontro com Memhoh deixei de ser eu mesmo.

Hávia me esquecido como realmente eu erá,Tompei fizera aquilo para tentar com que eu me encontra-se novamente em mim,estava fazendo isso mesmo com tudo.Mona e Quinn
estava condenados,fartados ao esquecimento por tais motivos citados por Tompei.Iria me encontra,que tudo se realiza-se.Apagando a luz a escuridão total véio,vi que agora todos
lá dentro sairam em recolhimento.

Fiz o mesmo: Sonhei com Quinn e Mona sendo mortos de tal forma,as cenas se repetiam e vinham a todo instante,lágrimas caiam mesmo no meu sono.Lestat veja por si,olhe a
si que entendera o que realmente e;não e isso que deseja?Faça-o conforme tudo se conclúir;só o tempo faria com que eles me tira-sem dáli,mais não o fáriam até voltar a mim.
o sono se transpunha até a noite,que ela vie-se para que eu resurgi-se das cinzas.Quem ama sabe amar,quem não sabe amar tem que aprender.Tompei realmente não se lamen-
tava de nada e estava tetando me ensinar isso.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 48

Mensagem  Ana Nery em Sex 16 Abr - 12:57:31

Veio a primeira,segunda,terceira e depois de sete noites consecutivas ai sim que Marius veio a passar a chave no cadeado para eu poder sair,estava cheio
de poeira do porão.Só ele no local,disse que queria conversar a sério,sim,o Tompei falara tudo a ele.Estavamos agora no quarto do ex-mongê que me fizera
o que teve coragem,o mestre estava na mesinha da varanda do quarto,aquela que estivera anteriomente em minha chegara.Ele mandou-me sentar,o fiz quieto e
silencioso.

Sua voz veio aspida,meiga e doce como só ele conseguia,me confeçara que realmente pedira a todos depois do que soubera do que acontecera na Fazenda
e em Cantigo,chamavamos assim por que nunca tiveramos vergonha de admitir nossa realidade escrita.Suas mãos postadas na beira da mesa e analizante como
só ele sabia ser.Véio a conclusão.Apenas houvia,apreciada suas analizes que iria me passar.

-Lestat,sabia que seu encontro com Memhoch o deixou fora de si,mas a ponto de querer ser um santo?Menino acha mesmo que temos a capazidade de ser o que
tanto anceia e deseja?

Lestat sinceramente não o reconheço mais.

-Sim,deixei de ser eu mesmo apartir daquele fato..Afinal estive de frente com a própia origem.

-Lestat Deuses,Demônios,anjos sempre existiram,uma pessoa como você não háveria de se supreender.Quanto a Rowan? Liader dos Mayfairs?Á ama realmente
a ponto de querer trazê-la?

-Não sei,apenas prometi que ficária por perto,ela tem o marido dela.O fiz por minha santidade,por isso quando ela veio querer o sanguê,não o dei.

Ele mantinhasse calmo,inespito a tudo que via em mim,e quando falou as próximas palavras voltei a chorar,ele tinha razão,Marius realmente era de
se admirar,sorte do Armand por ter um tutor como ele.Levei o lenço ao rosto áli,o vento vinha lindo e meigo por estarmos em pleno verão no Brasil.
Com sua atenção voltei o rosto a ele depóis de limpar a sanguinolência.

-Lestat presta atenção:Não estava em si mesmo naquele momento de amor por ela,sim,ela tem uma vida e familia a governa.Para ser mais claro,ela por
sua educação conservadora não iria aceitar muita coisa de você,muito menos o que realmente somos;olhe o caso de Merrick?

Ela pediu o sangue e o que fez?Descobriu que não o queria e foi a sua morte no exoscismo de Goblin que concerteza erá o que mais Quinn queria
resolver,sabe?Pouco importava para ele se ela iria morrer,se ia dar certo,mas acha mesmo que ele foi sincero com você?

-Por suas atitudes depois não,Tompei me ensinou da pior forma.Isso e fato.

Nos levantamos e ele apenas conclúiu com um ponto grucial,a de que quem pede o sangue acaba por descobrir que não o queria,quem não quer e o tem
a força são realmente os mais capasiitados por viverem eternamente.

-Eles eram decadentes Lestat,Quinn e Mona eram decadente por sua própria arrogância.Espero que entenda.

E lá Tompei junto a demais estavam,fui recebido a beijos por eles,sentei no sofá entre todos e ficamos áli,Maharet estava triste por minha atitude
de querer ser santo.Marius realmente estava certo,Tompei então colocara as palavras fatais:'Só conseguesse a redenção quando se une corpo e mente".
Não fazia isso,do que adiantava essa vontade se não tinha essa capazidade?Sua raiva passara,entendera que tinha a cor de canela agora,revirei os olhos
e mantive-me quieto diante das verdades esfregadas em minha face.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 49

Mensagem  Ana Nery em Sex 16 Abr - 13:09:15

Sim,quando eu e demais voltamos da caça percebi que Ana estava conversando com o Louis em particula lá na cozinha,cito sim meigos leitores de que depois daquilo a
gente foi caçar sim e na volta dei de frente com tal sena entre eles áli.Falavam baixinho sentados a enorme mesa central.Agora me escondia detrás da porta de entrada,como
a reciproca maghficência erá magistrál.Deu para houvir a conversa entré eles,o Louis com toda sua educação possível diante dela,pernas cruzadas em deleite a mera visão
a sua frente.

A voz de Ana saía ardua diante das palavras de Louis,não sabia que a um nível tão complexo ele se sentia chateado com algumas coisas;sua gesticulação leviana trouxe
uma verdade:Sim,nunca fora sincero ou verdadeiro em admitir meus sentimentos com ele.A prova estava áli na conversa dos dois titans da noite..Clardei o que ouvi em se-
credo.Continuei ouvindo tudo escondido áli no cantinho.Agora Tompei e demais estava lá encima depois da chegada.

-Ana você realmente gosta de Tompei?

-Louis verdadeiramente,sim,não escondo nada do que sinto pelo meigo,sabe? Acho que quando as pessoas ficam nessa palhaçada de não admitir,não falar
explicitamente criasse uma barreira entre algum amor que estejá por vir.

-Concordo,de certo modo tenho essa barreira má belle.Gosto dele mais não diria que sei o que Lestat pensa de mim por que não sei.

-Sim,entendo;ele nunca chegou em você e falou na sua face tudo que tem que falar,não é?

-Exatamente isso,se fala-se que isso não faz falta estária mentindo a mim mesmo ou a qualquer pessoa.

-Não fique assim,deixe o tempo falar por si Louis.

-Mais do que já deixei?Ma chére realmente sou uma pessoa desastrada em alguns pontos.

E para o deleite dela véio os risos pela cozinha toda,o Tompei fázia questão de ter por que todos os funcionários teria o direito de se alimentar,ademais tais
necessidades,não?Levei a mão ao meu lado esquerdo,realmente Ana estava correta;isso mais erá uma barreira do que um bom ponto na questão.Me retirei
e fui a varanda da entrada,fiquei pesando no que o Tompei falara nos últimos momentos de Quinn e Mona: Quem ama sabe amar,quem não sabe amar tem
que aprender.Mágico tais menções de analizes dele.

O que Louis iria achar disso?Admitia meus sentimentos ao David,Nicolas,ademais em questão e claro,mas a ele era diferene.Vivia com ele mais simplesmente nunca
dizera tudo;confeço que reamente sou méio impotual para alguns aspectos.Isso e chato de se ver em uma pessoa,sim,respirei fundo e comecei a pensar em algo a
parte para quando cjegasemos em Nova Orleans.Fiquei rindo áli até que Tompei sentou-se ao meu lado,agora mudara de roupa,botas negras com calças jeans em
sua negritude,camisa com mangas delicadas semi-abertas no abmen.Que não visse isso,me dava calafrios de paixão.

-O que houve?

-Nada;apenas estava apreciando algumas palavras de Louis e Ana Tompei,ando repensando em algo.

-Que aspecto Lestat?

-Tompei,lindo Tompei já falou explicitamente a Ana que gosta dela?Que realmente tem sentimentos reais com ela?

-Nossa,várias vezes Lestat,perdi a conta já.

-Meigo de dua parte,mas da minhã não diria o mesmo,né?

-Tem pessoas que tem facilidade e outras não.Entenda isso.

Ele estaca correto,repensar Lestat;téria que apreender algumas coisas que ao meu ver não tinha aprendido,nossa,como nunca vi esse ponto?Admirei essa clareza dele quanto a
minhã pergunta,estava certo.Até chegar em casa iria pensar em algo,isso erá uma verdade mais aconteceu uma surpreza; carteiro deixara correpodência na caixa e Tompei desceu
e pegou no portão.Véio em minhã direção lendo a carta toda em Mandarin,seus olhos não descrevian nada,ele apenas entrou pela sala a sentar no sofá,estava triste e começara a
chorar com o que lia.

Marius viu a sena para ficar mais meramente malâncolico ainda.Quando Soube veio a dor de volta;a irmã de Tompei estava mau,ficara desgastada com a notícia de sua
morte,quem escrevia erá seu grande aliado.Já deven supor,Tompei tinha irmã?Sim,vimos que sim pelas menções na carta e pediam para Tompei aparecer mais envão,
ele ia repensar,ficou áli a passar as mãos pelos longos fios lisos e pesados de negros, olhos de mel apenas a cintilar de magoa.Marius passava as mãos nos ombros dele.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Capitúlo 50

Mensagem  Ana Nery em Ter 20 Abr - 21:07:28

Agora Tompei estava aflito,por vários momentos não queria passar por aquilo,ele dizera que iria romper qualquer vinculo com sua familia e agora Kenjing o pedira
para voltar,que indolência naquele desepero,mandei ele se acalmar para ai,sim,tentar planejar como veria a Xinhua.Sim,esse era o nome de sua irmã que ele
confessara naquele infirmo prazer.Ana e Louis sairam devido a sena.Armand ficara surpreso com a revelação de que Xinhua o queria ver.O comentário na cara foi
de que ela não engoliu em seco a aparente declaração de morte dele.

Como os cabelos andulavam naquelas voltas,fascinante ao ponto de Ana cair nos braços dele,leves beijos para ai sim ele se acalmar.Decidira que iria partir na próxima noite,iriamos com ele e claro,Maharet mau via a hora de ver a meiga menina.Marius não comentou nada,afinal,não queria que coisa errada volta-se a acontescer.

Tompei sentia falta dela,era problemático neste quesito de que a familia dele em si ainda existia.

-Que faço? Como Xinhua pode pedir que vá lá? Ela realmente e esperar,tem a quem puxar: Kaniban!

Belas palavras,criticando o própio pai já morto e esquecido no tempo como vimos.Ao que saiba então a Xinhua viria a ser a proxima dentetora da familia e por
suas indole exigia maxisamente a presença de seu irmão.Estava certa sim.Ela estava chateada,magoada e esvaindo de soudades.Erá de se esperar sim que ela não iria ser de engolir em seco toda uma história mau contada por Marius a Xinran.

O que sighificária esse pedido?Nada,absolutamente nada,vi isso quando Tompei voltou a porjar-se no sei apreciar de alma.Estava com sono,seus olhos levemente puxados queriam fechar com o sansaço,fazer o que fizera a Quinn e Mona o deixou fatigado,me conformava aos poucos,realmente admiravel.Ou se aprende por bem ou por mau Lestat,essa e a verdade.Os risos de Marius sobresairam ao ler esses pensamentos.

David agora mau vendo a hora de entênder áquele chamado da menina de meros 18 anos,sim.Muito novinha mais porém não se deixava abater por qualquer conto,era de se ver sim tal atitude para com o irmão.Tompei subiu com Ana ao seu claro,passaram o resto da noite lá de portas fechadas.Erám sinistros quanto juntos,imaginava isso,mais não a pono de matarem um ao outro e claro.Agora fomos a imensa ponte na rua oposta,a colina grande por si junto a sua porjancia de cachoeiras frias e densas de aguas.

Ficamos a conversa o resto da noite sobre aquele lugar,estava ancioso para ver Xinhua que nos esperava lá.Lestat,Lestat aguarde voltar a si,prescisa disso e ainda bem que aos poucos isso acontesce.Anjos e demônios existem,sim,era a verdade da originação do mundo e que agora me recuperava daquele tempo de trevas.Marius obrigada pelas palavras,me confortavam neste resurgi de averiguação de minha pessoa.Armand ria ao ver os passaros cantarolando nas arvores,o local era um retiro para se auto-ver.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ***Rosas e Sangue*** (1° conto)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum