***Rosas e Sangue*** (1° conto)

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

***Rosas e Sangue*** (1° conto)

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 12:09:02

E lá estava eu a caminhar pelas ruas de Copacabana,lindo luar,briza
fria,porém guente,pessoas andavam friamente em bares,lojas...Como
amava aquilo tudo..O fato dos humanos serem descomunais e o que
mais me impreciona...

As mulheres tem beleza exótica,mais guentes e espontâneas que
as americanas,como queria ter uma delas,como queria apenas ter
uma delas em meus braços...Mais,mais,mais queria ir a uma lojá
em espécial,téria que passar pelas areias da práia de Copacabana...

Sai do carro e fui a caminhar pelas ruelas do bairro,as ondas caiam
espumosas na aréia,mas pelos deuses,o que me atraia até este lugar?
Minha cabeça rodava por que sentia algo forte me atraindo novamente
ao Brasil....Sentira os chamados e pensamentos ecoarem pela noite ao
estar em repouso em Nova Orleans,dai decidi partir para saber o que era..

Louis me avisará que seria mais uma enrascada,por deuses,tinha que
deixar minha impotência falar mais alto...Eu,Lestat simplesmente atraido
novamente ao Brasil por pensamentos alheios...Como queria saber do
que se tratava.Continuava sequindo a loja,o vento quente vinha como
a paixão fervente dos mortais ali.

A sensação que tinha erá de impotência e dor na alma,depois de
comprar algumas roupas frescas e leves na loja fui ao meu
apartamento recém-alugado na minha estádia ali,subia pelas escadas
é ao passar as chaves na porta do apartamento,os pensamentos me
fuzilaran...Vieram a mente como o trovão de THOR..

Ao entrar pela sala e subindo para o quarto a vi,a vi ali na varanda
do apartamento,a chuva fresca começava a cair lindamente pela
paisagem da orla imensa...Ela encontrava-se apoiada nas barras de madeira
da sacada da varanda...Virou-se a me olhar friamente,como erá bela,exoticamente
bela com os imensos cabelos-negros andulados,pele cor de canela,em vários pontos
a perfeição que só uma mulher deste lugar podéria ter...

Instanteneamente larquei as bolsas no chão,me sentia paralisado,ela era como
o espelho do holocausto,mas o que a faria está áqui?Diante de um monstro como
eu?Não séria capaz de machucar aquele rostinho belo e encantador...Estendi as mãos
para comprimenta-la,ela correspondeu com um imenso abraço que me deixou
paralisado ao agarrala sobre meu corpo...

-Prazer miseur Lestat,Ana Nery,espero que seja minha grande companhia
em sua estádia áqui,eu que estava à chama-lo"
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 2

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 12:14:46

Ela se afastou,as brasileiras em si são delicadas devido a sua
estatura,tive medo de ter machucado a ela devido a essa fragilidade,
sua cintura fina,curvas fortes,o perfume de carmin erá evidente
vindo de seu corpo,ela tornou-se sinuosa ao continuar me fitando..

Olhos escuros como perola-negra,a saia que vestira ardorva-a
inteiramente,blusa justa,botinhas que se ajustavam lindamente as
pernas delicadas e bem definidas...Ana Nery,este erá o nome,mais
me parecia uma altentica cigana,as brasileiras tem este adorno de
cigano, é e algo que jamais se encontra nos outros paises.

As palavras sairam inteiramente para que eu pudese saber de todos
os aspectos do que á fizera me chamar,o cheiro da chuva erá forte,me
tirava o folego ainda mais o fato dela está ali,simplesmente a me esperar
a falar,assim levei as mãos ao seu rosto,a proporção do guão erá perfeito
me erá como feitiço,o rimel perfeitamente a delinear os vividos olhos,a boca
sinuosamente chamativa,mais ela afastou minhas mãos

-Estou áqu Lestat por que desejo algo,mas não sei se podera
realiazar tal feitige,espero poder ensinar algo a vocês
Fico feliz em que tenha houvido meus pensamentos

As palavras em português foram bem pronunciadas,não tinha afinidade para
com a linguá,mais entenderá perfeitamente,afinal a mente vampirica e sinuo-
sa.Um desejo,sim,um desejo,háveria de saber do que se tratava,e falei a
proporção do que me erá permitido..

-Ma chére,o que posso realizar?O que me pedira?Ana Nery,nome extranhamente
esbelto,assim como sua dona

Os risos foram inevitaveis,voltei a abraça-la ,a sua delicadeza me erá
espantosa,nunca vira uma pessoa capaz de proporcionar tal perfume exótico
como ela,assim senti as mãos roçarem os meus cabelos e saimos do apartamento,
ela andava sinuosamente esbelta,como erá pequenina diante de mim,afinal media
1,67,erá evidente o por que da tal delicadeza de mulher,as vestes negras andulavam
fazendo-me delirar,não podia deixar de pegar em suas mãos até chegarmos aos
cafés proximos para que tivessemos nossa conversa..

Viramos a esquina proxima é entramos em um deles,o cheiro de café me erá como
bebida delirante,ela sentou-se a mezinha a dois,frente a mim a encarar-me,não gostava
daquilo,nunca sentira desde anos uma pessoa ter tal ousadia para me vitar diretamente
sem medo,ela simplesmente erá corajosa..Tirei meus oculos roxos para que pudese
enfrenta-la de frente,assim suas mãos postaram-se as minhãs.

O medo não emanava dela,a iluminação do lugar erá agradavel,assim começamos a
falar,Ana Nery acabara de pedir o seu cafetino,eu e claro a apenas a olhar,dentro de
minutos véio e seu gesto a balançar a colher naquele creme quente quase me fez ir
aos delirios,por que?Cada gesto dela me fascinava,há se Louis estivesse ali..

-Ana?Fale má chére,estou a esperar tua vontade

-Sim Lestat,gostária de falar,desejo ser apagada deste mundo,sinto-me sufocada,
quero respirar,este é o meu desejo
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 3

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 12:29:32

Deu para sentir dor,aspereza junto á um toque de cansaço nas palavras dela,como tal pessoa podéria está assim?Chateada com tantas coisas?
Uma pergunta que téria que ser respondida com o tempo,conforme eu fosse conhecendo-a.Ana Nery tinha um toque medonho em si,simplesmente o
exemplo do que não ter medo de absolutamente nada,há se eu a tivesse conhecido ela antes,acho que jamais téria medo de Memhoch.

Ana Nery continuava a beber o cafetino,o perfume me enchia os pulmões fazendo com que assim à ama-se cada vez mais,pessoas passeavam na rua,
meus olhos passeavam pelo lugar,encantador a ponto de querer sair com ela a noite toda,mais queria espera-la terminar de beber tal requinte,que só
os brasileiros sabem o guão e delicioso...Sei disso por que só a essência falava por si só.Ela parou,voltou a vitar-me para que voltase minha atenção a ela,os
seus pensamentos impossível de ler,ela sabia muito bem como escondelos de mim,afina, se não acreditase em mim jamais téria me chamado até ali...

Agora estavamos prontos a falar um para com o outro,o vento entrava pelo salão da casa de café,não exitou em postar suas mãos sobre meu rosto,sabia
que não me témeria,muito menos deixar de confiar em mim,tinha que dar valor a essa confiança,jamais encontrária um ser humano tão cedo,que mantivese
esse comportamento para comigo,voltei a acreditar em calor,ela de algum modo estava ensinando isso..Se não fosse por meu orgulho,téria saido dali com o rabo
entre as pernas,afinal o medo e inevitável em mim..

-Lestat?Pode realizar tal requinte?Posso conhecer seu mundo?Gostária que Louis me ajudase,por favor,retenha quanto ao meu sofrimento,posso matá-lo
se bem desejar

-Como assim Ana?Por que deseja ir a minhã casa para conhecer Louis?O que quer com ele?Sabe que desde Merrick,meu anjo retanha-se a todos os
aspectos do mundo.Não é mais a mesma pessoa

-Mais e justamente isso que pretendo resolver,os fatos em Merrick o quebraram ao méio,saber do fato que Claudia nunca o amou como imaginava
foi como tirar a esperança,quero devolver isso a ele,mais tera que permitir.

A voz de Ana torvana-se recíprova,imponha ordem a mim e não gostava dáquilo,mais tinha razão,não podia deixar de dar atenção a suas palavras,afinal
estavam certas.Uma humana com o pensamento de um imortal,nisso que ela se resumia,Ana Nery,a cigana com aspecto peter-sobrenatural,Louis
tinha que conhece-la,quem sabe todo aquele ardor acontecido em Merrick,Ana não iria curar dele?

Louis prescisava de companhia é ela erá perfeita,não só pela coragem,mas pela alma,a sua alma me vinha como o espelho,tão vázia quanto
o vacuo do universo,haviamos terminado nossa conversa e saimos da casa de café,a chuva parou,no Brasil as chuvas de verão são constantes,
Rua Nossa Senhora de Copacabana,erá aonde andavamos cansativamente para que pudesemos descansar,não largava sua mão,confeço,me apaixonei
pela pequena,tudo nela erá claro é objetivo,nada o que temer..

Vento quente,glória por ter chegado ao meu apartamente,assim fazendo-a deitar-se no sofá de couro negro a descansar,fiquei a observa-la em seu leito
de descanso,ficaria ali até a proxima noite,tinha que me retirar,o dia chegava e prescivasa fugir do sol mortal,assim fui aos céus do Rio de Janeiro,sai entre as
as nuvens para a procura de algum refugio alheio ao vampiro da noite,eu,Lestat de Lioncourt está passando,saim do meu caminho,a floresta da tijuca erá densa
quando desci,caminhei entre as palmeiras e vi a pequena caverna..

Entrei e ali dormi,Ana Nery,meu mais novo anjo,o que séria dela se a trouxesemos para nosso lado?Tenho que confeçar que o anjo com pele de
canela me véio no momento desesperador,mais isto é apenas um mero pensamento,assim dormi,o sonho véio para que pudese amar a mágia das eternas
noites.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 4

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 12:52:13

Ao chegar na noite sequinte no apartamento lá estava a pequenina,tomando muito vinho,a humidade do ar me
erá suportável,estava prestes a fazer uma proposta a ela,a senhorita ali presente tinha passado em sua casa para
pegar algumas roupas,vestira-se com vestimentas leves,afina, o calor do Rio De Janeiro não e normal se compa-
rarmos ao frio americano.

Havia ajudado vossa eminência à arrumar as malas,aceita-ra minhã proposta de simplesmente ir passar férias
em Nova Orleans,andava por toda parte da estádia,isso me deixava tonto,em todos os cantos Ana Nery verificava algo,
mais como sua cede por observação erá insaciavel,Louis há de simplesmente aprescia-la,sim,presciso descrever suas
vestes meus leitores fieis:Hávia tirado as botinhas pretas,colocado sandália baixa,preta,calça jeans-negra perfeita ao
contornar suas pernas,assim a blusa justissima a explorar os céios fartos,isto sim que chamo de tentação...

Os cabelos pesados e negros ardonados para tráz,presos aum laço-fino,brincos prateados,assim eu preferira ficar com
o gotissismo,coitado de mim,deixado para tráz diante de tal malicia de mulher..Sim,Ana Nery iria viajar de avião,recusará
meu malicioso convite do voo vampirico,medo de fazer desastre.

-Lestat,espero que Louis esteja a par disto,afinal,não quero ter que chegar lá e ser ameaçada de morte miseur,não?

-Sim má chére,ele está a par sim,apenas ancioso para que possa por os olhos em você.Só não o deprima ainda mais,áquilo é o poço
de melâncolismo

Dei risos a parte,simplesmente acabavamos os procedimentos de despedida da Ana Nery do Rio,assim passei as chaves no apartamento
e fechará a pequena estádia ali para que pudese leva-la de carro ao aeroporto,chorei ao me despedir,eu?Choroso?O que estava acontescendo?
A deixei no Santos Drummond,o mais proximo que encontrei para que assim despachasse suas malas e passaporte...

Acabou,acabou o bom,Ana trasava o caminho aos EUA,eu?Novamente a viagem com o vento infernal,sai as presas do lugar para alçar voor ao
céu,ia ser longa a viagem,para ir encontrar a pequena lá,simplesmente odiava o fato de que fui chamado é enfeitiçado por alguêm que mal co-
nhecia..Continuei a noite,trassava todo percuso até Nova Orlenas no voo do demônio,assim somos é assim vivemos...Falava constantemente nela,
palavras lançadas aos ventos nesta viagem de titán...


O que ela planejava?Não sábia,muito menos imaginava devido a sua complexidade de mulher e mente,apenas espeva que assim o
querido Louis melhorase da crise pisicotica,se existia essa esperança,está assim denominava-se Ana Nery.Chegando em Nova Orleans desci
as ruelas,soudades de minha terra sacro-santa para denominar mais claramente a vocês,a minha casa não ficava muito longê,sai a correr
pelas ruas frias,vi o portão de entrada,o bati,luzes ascesas,as palmeiras sempre postas junto ao chafaris com querubim a derramar água...

Isto tudo apóis um tempo enorme de voo,será que ela estava lá?Esperava que sim,a música de Mozart derrama-se na sala ao entrar,
como delirei ao está de volta,amei cada momento,cada perfume dali que claramente conhecia..Ana Nery,cadê ela?Não,nem um sinal ao
entrar nos aposentos.A voz de Louis viera como trovão,o nervossismo me foi total.

-Lestat?Chegastes,onde estava?

-Não te importa,desde quando dou-te justificarivas?

-Ao inferno demônio,quero saber,aonde estava?

-Hum..Hum..Rio de Janeiro,Copacabana,algo me chamou lá...

-O que exatamente?

-Depois verá,a cor de canela está para chegar,se a tentar matar,eu o mato junto..

Ele arqueou o cenho sem saber do que tratava,vestido em trajes negros ficava mais que encantador e chamativo,
mais tinha compromissos,nada que pudese ocupar meu tempo..Desci as escadas para que pudese vela chegar pela
rua,Louis,Louis,mal via a hora dele a ver..Fiquei a vagar entre as palmeiras para esperar é esperar,mais que angustia infernal
de esperar...

O pior,a noite em Nova Orleans mal começava,sabia que ela ia chegar,Louis olhava da janela,espondo assim sua figura
traumatica,que vergonha para com ele,não parava de me fitar em nem um momento,o que ia justifica?Ele poderia partir para
cima dela,sei lá,Lestat?Faça qualquer coisa,só não o deixe matá-la.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 5

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 13:18:00

Finalmente depois de uma espera imensa ela chegou sozinha,carregava suas malas a pé,fiquei sem graça
ao ver isso,não pediu ajuda a ninguém,era óbvio que a cor de canela hávia saido do aeroporto e pegou um
onibús...Gostava desta simplicidade dela,passei à ajudar para que conseguise arrumar suas vestes lindissimas..

Uma humana em minha casa,erá delirante demais para que eu pudese falar ao Marius ou Armand,muito menos
ao David,que e claro encontra-se na Inglaterra,Londrés para ser mais claro com vocês,estavamos neste momento
no clarto assim como descrevo a vocês,arrumava junto a ela as vestes nas gavetas sinuosamente organizadas,ela
merecia tal requinte,afinal,prescisa descansar a alma dolorosa que tinha...

Louis não falou nada ao vê-la chegar,mais seu olhar quase me derrubou na subida as escadas do clarto,mas passou e
o que importava agora erá Ana Nery,a minha cor de canela é assim a noite corria,Ana impuserá uma coisa que não sentia
a séculos: O Humor que faziamos aliviar qualquer sofrimento..

Hávia me esquecido disso,de como um simples riso podéria ergue à alto-estima de qualquer ser,o vi tomar coragem e
entrar no clarto,que assim erá claro,iluminação com abajures e velas medievais,Louis olhou diretamente para ela para assim
pegar sua mão,gesto tipicamente cavalheresco,pensei que o lemond simplesmente tivesse raiva dela,mais não,erá evidente
que conveviveriam arduamente...Em pensar que,em pensar que quase mal acreditava nesta atitude dele...

-Sr-Louis Du Point Du Lac,espero jamais que tenhamos ofenças ou intrigas,mas ela,ela da qual um dia amou ou deseja ter de
volta não e merecedora do perdão que desejava dar a ela na presença de Merrik.

Louis deu um pulo para tráz com as palavras de Ana,feriu na ferida aberta a séculos,não gostei dáquilo,mais ela tinha cora-
gem é determinação,a primeira pessoa em séculos depóis de mim que falou tais requintes ao senhor lemond,como bem o
apelidara depois de meu retorno do sono de Memhoch;assim os olhos dele se enevuaram fazendo com que o brilho esverdeado
despertase,a vida neles estava morta desde os acontescimentos..


Ana mexeu em algo naquela alma,de alguma forma sáberia como fazê-lo,ela levantou-se a encara-lo friamente,sem ardo ou medo,
amava áquilo,como a pequena cor de canela tinha ciragem,como ela abusava dáquilo melhor do que eu,vai Louis,parte para cima,vai,tenha
coragem e a mate diante de tal atitude.Esses pensamentos vieram no raio de luz...Ele deu de costas e voltou a descer as escadas para ir a
noite fria da cidade,voltei a falar com a Ana,linda,linda,não podéria dizer mais nada.

-Ana espero que o frio dáqui não a deixe chateada,sei que vocês brasileiros amam o calor fazendo com que assim sejam guentes
em alma e sentimentos,não extranhe tambem a frieza americana,o que os irrita bastante ma chére

-Lestat,espere,não e nada demais isso para mim,ele é o que importa agora,áqui tem buate?Poxa,vamos sair está noite,sei que não e
normal para você,mais gostária muitissimo


Bem,ela queria é assim me arrumei,beleza de noite,haveria de ter penteado meus longos cachos loiros,estranhamente eu tirei o sobretudo
para assim trocar por uma blusa de tecido fino,negro,tão negro como a noite é ela me derá um pesentinho básico antes de estarmos lá,um
pingente talhado no fomato cruzifixo,sem mais,amei e não ia tirar.Detahe de que iria sair,mas escondido,a inveja consumiria o peste se soube-se...

-Hum,Hum.Hum...Belo,belo como água benta !!

Aquilo erá piada ou brincadeira?Ana tinha seus momentos que nem entedia,a mente erá complexa demais para aplicar meus conhecimentos a ela,
coisa que concerteza negária,mas andavamos na rua,odiava pensar se ela estava passando frio devido ao custume com o calor brasileiro,queria passar
por isso tudo lá para assim não fazê-la sofrer.Lestat seu burro,por que não chamou Louis ao Rio?Indiota que es em não ter feito isso.

-Ana?Está com frio?Qualquer coisa eu,eu,eu posso aquecê-la

-Menos,não é assim que funciosa,mais ação e menos palavras Lestat,para assim Louis voltar à amar a vida,ele morre e definha a cada dia,déveria ter
vergonha de nunca ter efeito nada quanto a isso.


-O que?Então é isso que falas a mim?Sua,sua...

-Vamos,repete que eu simplesmente dou méia volta para nunca mais me ver.Louis resumidamte o ama,acho que já está na hora do Principe fazer
algo quanto a isso,uma vida de aventuras as vezes e tão vaga quanto aos verdadeiros sentimentos.

Na alma,na cara,na cara,como ela ousava me falar isso assim,sem que eu me defende-se.A coisa que ela planejava ia doer,senti isso ao
pensar nas palavras,chegando a boate que ela tanto desejava sentamos no barzinho de bebidas é assim ela começou a beber seus drinks fortes
é altamente perigosos,não podía ser verdade..

Que inveja,se eu fosse humano,haaaaaaaa confeço,ia encher a cara para assim chamar Louis e me fazer levar-me para casa,invejava
ela neste momento,as pernas com botinhas sinuosamente balançavam delicamente ao som da música alta,pessoas conversavam
dançavam em ritmo frenético.

-Lestat vamos,o por quê não fazer?Deseja cansar?Entao mãos a obra,vamos virar a noite moleque..

Assim ela levantou puxando-me para a pista,que loucura,que infernos,por que não registi...Ana Nery o que estava me fazendo
fazer,merda..Lá estava eu a dançar com ela,mãos postas sobre seus ombros,observava suas ações,o brilho nos olhos,mágica,mágica
como só ela podéria ser ..

Tive vontade de ter cada pedaço daquele corpo mortal,mais registiria a tentação da carné por ela,assim fui no ritmo que a música
chamava,ela sem piedade fazia o mesmo,o que me provocava ainda mais.Lestat se segura,segura que não está sendo moleza não...

A noite correu,correu tão rápido que quando tudo acabou a boate já preparava-se para fechar,Ana bebeu muito e saiu para casa,eu?Tadinho de mim,falo que todo cansado para assim meus musculos doerem,no momento que falo isso a vocês penso no que o destino reserva..Ana tinha os requinstes que um imortal téria,mais não ousaria,me seguraria para assim ela começar a concluir o que desejava para com meu Louis,meu anjo...

Sai a um dos meus esconderijos para novamente vair no sono imortal,o dia nascia e tinha que finalmente por este corpo a dormir,o fiz,o fiz entre a terra dos tumulos
do cemitério...Repito as malditas palavras "Ana,você me almadiçoa por assim ter a coragem de mostrar-me o por que jamais ter receio de viver...Dormi para finalmente os sonhos com ela virem a mente.

-Obrigada por tudo cor de canela "Minhas últimas palavras antes do sono imortal"


Última edição por Ana Nery em Dom 14 Mar - 14:45:15, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 6

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 13:30:41

Ao anoitecer voltei para casa,não saberia como me justificar com tal atitude na noite anterior,cansado ainda
estava,mas nada que eu não pudese resolver com Louis. Ele não gostava que eu tivesse tais atitudes para comigo
mesmo,o que ele acharia ao saber que caira na festa a noite toda?

Sim,andava sinuosamente pelas ruelas de Nova Orleans, cabelos desgrenhados e roupas com sugeira de terra do
cémitério,queria chegar logo em casa e chegando lá a cena que me surpreendeu:Armand chegou de surpresa para assim
passar alguns dias..Face corada ao vê-lo sentado no sofá da sala a me encarar de cima abaixo...

Não tinha palavras para com ele,muito menos para resolver problemas alheios,que sabia muito bem do que tratava.O anjo
com Rosto de Boticelle estava bem trajado com suas vestes modernas,assim denominara,porém emanando simplicidade
em todos os pontos procurados,cabelos ruivos soltos aos ombros,sapatos polidos,tradicionalista..Odiei áquilo por que mal entendia
o por que estava ali anda a me fitar..

-Lestat o por quê me surpreende deste geito?A noite foi pesada ontem,não e?

-Não venha passar palavras na boca Armand,estou encrencado..

-Por quais motivos?Falas da mortal que acabou de sair?A vi e simplesmente diria que merecia algo,ela sabe o
que deseja.

-Hum??Como assim?

-Soube seu nome logo de imediato,assim que entrei a vi dormindo no quarto,assustei ela,mais nada que pudesse
fazê-la fugir..

-O que?Não diga que tentou algo contra a cor de canela !

-Não,não levantária a mão contra ela sabendo que tem planos para com a sua cor de caramelo,da onde
ela é?

Vontade de rasgar aquela pele até deixá-lo roxo de pancada,infernos e eu não estava áqui para
simplesmente afugentá-lo diante de tal ousadia..Ana Nery estava exposta demais e tinha que
fazer algo a respeito disto,mais o quê?

A senhorita me erá rispida demais,assim como eu,estava chateado por isso,aonde estava Louis
naquele momento para assim protegê-la?Os pensamentos me vinham para causar dor.Absolutamente
macabro,nisto que eu me resumia.

-Com Louis,ela anda com ele,nao pretênde fazer nada quanto a isto?Seu anjo anda a procura de
algo Lestat,mais este algo você não têm...

-Ameaça-me com tais palavras,vai embora,ódeio sua presença áqui...

-Não,irei ficar até que você saia do controle

Apóis isso sai novamente as ruas,tinha que ir a procura dos pestes para assim repreender,
exposição demais é o mesmo que assinar a setença de morte.Não confiaria meu Louis a uma
mera mortal.Ana erá como eu:Enloguênte ao ponto de poder fazer trágédia...O que ela me fez fazer na
noite anterior nunca téria feito se fosse outra pessoa..

Chegando a praça principal os vi,sentados no banco para assim conversarem,doeu ver áquilo,a intimidade
me erá dolorosa para assim entender do que se tratava.Duas pessoas com o coração doloroso?União na certa,
puserá uma ameaça a minha conquista sobre Louis é a prova estava ali,Ana maliciosa para que assim desse
o golpe final..

Traição?Jamais,não consideraria traição,mas sim o troco do descaso para com os sentimentos dele que mantive
todos estes anos,confeço,vai:Escondido nas arvores estava,não queria ser acusado de espionagem,Ana não trocou de roupa,a
mesma enloguência de sempre.O olhar de Louis me encontrou mesmo estando ali dentre aquelas folhagem....Ferrou,agora
sim estava encrencado...

-Lestat?O que faz ai?Isso e realmente nescessário? Cai dos galhos para assim perder a posse magistral
ao está arrumando minhas vestes negras...Sem palavras para com minha atitude ao fitalos..Os risos evidêntemente
me deixaram sem graça ou ação,fiquei chateado.

-O que a inveja não faz.né?Tadinho,machucou-se?

-Não cor de canela,apenas espionando,não?

-Sem comentários,entendo o por quê Louis gostária de fugir...Descobri muitas coisas

Que desrrespeito,não gostava de ser inghorado, muito menos insultado,verdades e verdades,no que se
aproveitar disto...Queria sumir para não ter que ouvir isso.Quiz abraçar a ele mas recusado e insultado novamente..
O que Louis pretendia para com está atitude de me desprezar? Queria chorar mas meu orgulho falou alto..


Última edição por Ana Nery em Dom 14 Mar - 14:44:29, editado 3 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 7

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 14:20:20

Saimos dali para assim voltarmos para minhã casa,hávia um problema,um problema que a querida Ana
simplesmente quardava,queria saber do que se tratava e seus olhos pairava pela casa para que pudesse calar-se.
Percebi isso com suas ações,atitudes e apreciação para com o lugar.Amand sairá para caçar,o miserável iria me
tirar a paciência como prometerá,erá de se esperar.

O que passava naquela cabeça?Ela levantou-se para ir ao sotão da casa,desci junto com ela e Louis,ela procurava
algo,não sabia do que tratava,a cor de canela achou algo que me deixou nos nervos e caláfrios,meu coração quase véio a
boca de tão forte que bátia..

-Louis?Pode ir a cozinha e me passar uma faca?

-Sim e claro madmoselle,conforme desejas..

Ele subiu as escadas do sotão,depóis voltou com velas na mão é a faca,passou a pose de Ana para
a cor de canela poder abrir,meu deus,meu deus,como ela adivinhará isso?Queria fugir dáli,ela estava
consequindo me fazer sofrer com sua mortalidade..

Mais naquele ato incrime ela abriu o báu e áli jacia o violino de Nicolas,que eu quardava em mil secredos,
chorei com a cena,subi para a sala é a segui junto a ele é ela,o violino estava em suas mãos,a vi sentar-se
no sofá e apreciá-lo,ela fez o movimento com a faca e passou por baixo da lampela para destacar a parte de cima..

Pulei quando ela fez isso,os critos vieram a tona ao mandá-la parar de quebrar a parte de cima,o buraco ficou sobre a madeira
quebrada,meu deus,meu deus,meus pensamentos viam e ruiam na escuridão..Me matem,me matem mortais,como ela teve coragen
de fazer áquilo?O Louis olhava paralisado com o que vira dentro da lampela quebrada ...

-Lestat,olhe isso.olhe isso principe.Prescisa ver isso que tem dentro

Ele pegou o violino já quebrado para assim me entregar,queria desmaiar com o que olhava,as
cinzas de Nicolas estavam ali,pequeninos pedaços do cránio dele desfarelados ao misturar-se com
seus restos..Nunca soube dáquilo ou tive suspeita..Ana Nery descobriu sem nem ao menos me perguntar
ou saber,ela tinha suas conclusões e hipóteses sobre meus livros..Não parava de chorar,prescisava ser
controlado..

Devolvi ao Louis é assim sentei no sofá para cair em prantos,não sabia como reagir no que
presenciará,tava definhando,estava simplesmente sendo deplorado por uma mortal que estava à me
revelar verdades que nunca soube..

-Armand me traiu,ele nunca comentou a respeiton disto,era de supor que ele não me iria me devolver
o violino por motivos fortes;infernos !

-Entendo,jamais Lestat,por favor,tinha que pôr sua cabeça a funcionar,há suspeitas que você nunca
parou para pensar,meu principe e por muitos motivos que estou áqui,entenda isso....

Ana erá macabra,ela conseguia ser altamente macabra,assim ela aproximou depóis das palavras
e não registi,agarrei ela entre abraços e beijos,foda-se nã estava aguentando mais,afinal não iria deplorar algo
que desejava...Tudo se resumia as verdades que ela iria me revelar.


Última edição por Ana Nery em Dom 14 Mar - 14:44:56, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 8

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 14:43:50

Apóis isso eu a larguei,fazendo com que assim me acalma-se,Louis apenas a olhar sem comentar abso-
lutamente nada,ele nunca conheceria a história que eu e Nicolas passamos,afinal,não tinha nada haver com
ele,mas seu olhar desvendava-me algo,explorava meu corpo é alma junto ao Oceano.alma oceanica,Louis tinha
isso sim.

Pusme a procurar uma urna de cinzas para assim quarda os restos de Nicolas,encontrei uma indo novamente no sotão,
ainda estava choroso,magoado e triste com tudo isso,subi para limpar o violino por dentro,assim quardei todo o matérial,
mas o que a cor de canela pensava? Queria poder ler seus pensamentos para com tudo isso,principalmente a mim.

Louis com sua peculiaridade quardou a urna devidamente lacrada na estante,madeira polida continha,céus,aonde estava Ana?Sumiu e
não entendia seus comportamentos,o que háveria de vir diante disto tudo?Perguntas e mais perguntas..Lestat punha-se em ação por que as
coisas vieram à acontescer e por que o Armand nunca comentou a respeito ?Fui atráz dele na praças,o passado vierá a tona e téria que
fazer algo a respeito disto..

Queria beber,a cede ardia friamente em minha boca,vontade de me suprir com á alma alheia que só os humanos ofereciam,assim
o fiz atacando o morador de rua mais proximo,enchia-me com sua alma e calor de sanguê,para assim deixar o corpo abandonado na
rua mais proxima..O frio mantinha freguênte,nossa,o que fazer a respeito das cinzas de Nicolas?

-Lestat!,aproxime-se,não faça o que planeja...

O quê?A voz me véio a mente fazendo com que eu desse voltas e mais voltar a procura,quem era o miserável que
falará aquilo?Armand,sim,tinha que ser ele para fazer tal redicularidade para com minhã pessoa..Ele véio em minha
direção atravessando a rua,tão meigo e belo,desejava e queria suprir-me com sua beleza,mas não o fária.Quando ele
chegou perto o encostei na parede do prédio aonde me encontrava,ele encarou-me com desden fazendo-se que não entendia o por que
daquilo..

-Por quê nunca me falou que as cinzas de Nicolas estavam ali dentro?Traidor,me escondeu isso esses anos todos !

-Lestat do que ia adiantar??Para chorar e sofrer ainda mais?olha seu estado é a si mesmo

-Deplorável ! Devia queimá-lo quando pude Armand !

O joguei no chão pisando sobre seu corpo,chutes,ponta-pés,assim rolamos na briga em méio a rua,nos jogamos em méio
a pista,carros a parar,pessoas a nos ver,socos e mais socos entre eu é ele,Louis apareceu dentre as arvores na beira da
pista,ele interveio para assim a gente sair.Queria tè-lo matado,nem olhava nos olhos de Armand,ele merecia mais...

Ao entrar pelo portão Ana olhava e me chamava,esperava a nós três,que mal exemplo para ela,nem tinha coragem de
olhar depóis daquilo..Meus braços doiam com os golpes,Louis foi a preparar algumas roupas para mim,assim tomei banho e
vesti uma linda regata vermelha,calças Jeans negras com botas da mesma cor...Ana arrumou meus cabelos devidamente amar
rados para tráz,claros e cintilantes como fitas de cetim,unhas polidas como vidro;apóis isso fomos nos reunir na cozinha,
todos sentados sobre a mesa,taças de vinho postas para que a cor de canela toma-se..Providênciei isso a ela..

Louis olhava-me com calor de paixão,queria tomá-lo ali mesmo, porém não o justo momento,assim Ana começou a falar para com
suas palvras,voz doce com toque de bravura,agora arrumada com mero vestido de citura marcada,altura até os joelhos,branco como
pérola,cabelos soltos e pocisionados para tráz que são negros como trevas,botas trajadas de mero holocausto devido a cor,também branca..

-Lestat podemos trazê-lo de volta,mass isso vai depender de sua vontade.Principe tenho planos para com isso,Nicolas de volta,o que
acha disso?

-Hum..Mas isso téoricamente e impossível Ana,sei corpo se esvaiu na sua queima no fogo..

-Maghus,o que ele falou?Que podéria voltar das cinzas,por isso ele mandou vossa pessoa espalha-las,mas o caso de
Nicolas e diferente,estão lá,presente,mas sei de algo que prescisa saber..

-O quê?

-Bem,segundo as lendas chinesas e possível sim moldar a carne quando surge,desde sua origem até a conclução..
A única coisa que iria acontesce e que o corpo dele nascéria morto,tériamos que procurar sua alma..

-O quê?Moldar a sua carne?procurar sua alma?Meu deus,todos esses anos o querendo de volta e tempo perdido,
podéria ter feito a anos e tudo escondido de mim.

-Desculpe qualquer coisa Lestat,agi mau quanto a essa situação "Palavras de Armand"

-Sim,agora sabe do que tanto pecou filho dos infernos e sim,irei tentar trazê-lo de volta

á este ponto os ferimentos já saravam,sentira-me revigorado e meu Louis a apreciar cada palavra
quieto e passivo,como seus olhos verdes me chamava para a paixão...Ai,queria ter áquele filho do pecado nos
meus braços antes de sair em viagem com Ana....

-Lestat vou junto,não quero que me abandone áqui

Ele finalmente falou,ai,doce queima de chamas, mais como resolvéria isso?Aonde estava a solução
da Ana?Agora sim as coisas esquentavam e queria a solução..A carne podéria ser moldada assim a
alma posta de volta aonde bem pertencia..Sim,entendia essas palavras...A voz de Ana véio como
bomba

-Amados?Vamos aos monges chineses,arrumem suas malas e vamos a China!

-O quê?China??Infernos!

Ana levantou-se e começou a dançar em circulos com a taça na mão,como vociferava o nome de
Nick..A voz alta etoando pela sala é ela dançava e dançava,saiu a sala e critava em cantigo sombrio
e feliz da vida...

-Nick vai voltar,sei disso,eu vejo isso !!

Sem comentários para a cena,Louis olhava pasmo e passado com tudo o que estava para acontesce,
assim arrumamos hopedagens lá em Hong-kong,tudo arrumado,malas prontas que iriam de avião com Ana.
Eu,Armand e Louis enfrentáriamos tudo no sacro-voo dos vampiros,Ana simplesmente háveria de mostrar
sua força a mim...Espantoso como ela pensava e analizava as coisas,detalhe...Ela quardou a urna
com as cinzas de Nick na bolsa,téria que levar,ela se responzabilizará para cuidar..Assim ela foi no primeiro
avião que partia para Hong-Kong,depóis alçamos voo,a noite me cheirava a amor..

As estrelas brilhavam,nuvens limpas como neve de Gáia, como o vento gélado batia na pele.Armand e Louis acompa-
nhavam a velozidade unisona do voo,iria ser demorado,tériamos que atravessar um Oceano inteiro para,assim,finalmente chegarmos
lá,a noite corria rápido enquanto isso...Ana nos esperia lá


Última edição por Ana Nery em Sex 2 Abr - 16:58:19, editado 1 vez(es)
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 9

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 15:05:39

Quando chegamos a cidade de Hong Kong a visão me era mágistral,procura Ana por pensamento logo perto do aeroporto
aonde pousará,assim,andamos pelas ruas e chegando lá a encontramos a nos esperar,ajudei nas malas,hávia providênciado uma casa para que
pudesemos nos hospedar..A limosine nos esperava lá fora é entramos para partirmos a nossa hospedagem.Ela estava cansada,estressada com tudo
que acontecerá,chegando na casa logo foi a mesa de jantar,estava com fome e apenas eu e ela estavamos presentes ali,afinal Louis e Armand tinha
saido para a noite,a cede deles ardia e não neguei tal requinte.Ela bebia e comia para assim ao terminar finalmente falar.

-Amanhã iremos a provincia de Fugian,cuja capital e Hefei,lá e aonde mora o Kamisaqui que podera trazer Nick de volta,por favor,os monges
chineses saberam de cara quem es e não deves se espantar...

-Como assim ma chére?

-Tipo,eles tem uma abertura muito mais longa que você ou qualquer mortal,assim como eu,entende?Sabem de coisas que os Ocidentais
jamais entenderam meu principe

-Quero ver para acreditar cor de canela

-Ok,veras com teus olhos,quero dormir,por favor durma comigo hogê,faça-me companhia

Fiz isso,ela foi para o quarto e a apoie nos braços,cor de canela dormia avidamente,estava cansada e dormiria até o dia
sequinte,ela me contou em segredo que iriamos amanhã a noite,fiquei com ela até o dia começar a amanhecer e sai para me
retirar para o sono do dia,escondia-me nas ruas mais escuras e proximas que encontrei,num sotão anbandonado para ser mais
claro,sonhei até a noite resurgi no horizonte de Hong Kong..

Imediamente corri para o encontro de amand e Louis,estavam no principal casino da cidade,pelo que vi os chineses amavam e
gastavam suas fortunas em jogos de azar,quando saimos as ruas o cheiro de peixe era forte,eles amam comer aquelas sopas de
peixes,lulas e ademais frutos do mar em bares,cantinas,nossa,muitas pessoas mesmo,ria muito ao ver aqueles palzinhos mexendo as sopas e
legumes de suas comidas.

Encontrando Ana no restaurante central fomos a sair de embarcação para a provincia,na China é assim,a divisão não erá em cidades e
sim campados chamados de provincias que assim tinham suas capitais, depóis de quatro imensas horas chegamos lá,tudo era mais organizado e pegamos
condução em direção aos monges,ai sim a viagem ia ser longa para que os encontrasemos,meu coração pulsava forte,ansiedade que levou até o Louis a
pegar nas minhas mãos..Ele tambem já estava cansado,Armand descidiu ir sozinho mesmo,nada contra desde que estivesse bem..

A viagem sequiu ate novamente o dia começar a surgir,assim a gente desceu para nos recolher,Ana fora concluir sozinha,agora percebi que a
paisagem mudava gradualmente daquela imensa metrople para as vegetação fria e ardua da China,me recolher naquelas cavernas me foi magistral,que lindo,
porém novas esperiências,estavamos saindo da borda da entrada da China para ir pais adentro,lá e que se encontravam os templos e monges que da qual os
conhecimentos ninguêm sabia ou entendia..Quando a noite voltou eu e Louis subimos aos céus para finalmente chegar aonde Ana estava.Finalmente em Hefei,a
noite me eperava,a entrada do templo aonde minha cor de caramelo estava tinha lamparinas orientais,o cheiro de icenso era forte,vozes lá dentro..

Uma mulher véio a nos receber,sua pele branca,olhos puxados junto a seu cabelo arduamente penteado e preso a moda chinesa,seu quimono de
cor vermelha com fios em dourado,céus,o que eles eram?Saimos a sequi-la,sua voz soou delicada e fina...

-Senhor?Irei levá-lo a Ana Nery,ela vós espera na sala posterior

A vimos ao virar o corredor,as lamparinas chinesas,o cheiro de rosas e túlipas me era como uma droga injetavel,encontramos
o quarto de Ana é a vimos arrumando seus cabelos longos,tomará banho e assim ao terminar finalmente fomos ao templo de Hefei..

O ar me tornava-se pesado,sei que iria desmaiar quando termina-se de subir as escasas e entrar pelo imenso portão,ao chegar em frente
a imagem de dragão talhada em sua madeira me parecia uma miragem, ele se abriu devagar,o templo erá envolvido por uma muralha imensa,o
monge de cabelos longos,brancos e lisos,túnica tambem branquissima como neve,olhos puxados,a idade erá evidênte,as caracteristicas deles
erá sinistra como pantâno de cobras;não falei nada e saimos a sequilo..

Já dentro do templo Ana finalmente falou,não emanava medo nem um, a luz das velas do templo caido sobre ela como mágia,como estava meiga
nas suas roupas finas e ingredulas,a cor negra caia bem a cor de canela,o monge alto a vê-la...

-Senho Kenjing,por favor levanos ao mestre Tompei

-Mestre Tompei,o que deseja com ele?

-Simplesmente nos reunir a sós com ele,só sua pessoa irá realizar o que queremos

-Que assim seja.

Fomos a sair pelo imenso corredor,chão de madeira e as plantas do lado de fora serviam como inspiração a mente,entrando no salão do mestre Tompei a decoração com estatuas chinesas douradas me levaram ao delirio,a imensa mesa baixa,vasos postos no lugar,deuses,o que o facinio não causava..Ele apareceu,o mestre veio e olhou para eu e Louis alternadamente.Soube de imediato quem eramos...O susto foi descomunal.Ele erá alto,cabelos longos negros e lisos,olhos puxados gradualmente,cor de mel..as vestimentas de túnica negra erá bela...Ele erá jovem,aprendeu os ensinamentos rápido,seu olhar fazia com que desejase fugir dali..

-Lestat,o que deseja?

O quê?Soube meu nome,infernos.ele sabia quem era é o que queria,o que ele tinha?Deuses do olimpo,a verdade ele soube desde
que cheguei,Tompei ! mata-me por isso...Esses pensamentos sairam e a hora da verdade chegou.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 10

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 20:12:38

Tompei começou a andar pelo salão,os movimentos levianos e observador quanto a mim,sem palavras para tal pessoa.Ele em
si me parecia uma incóghita,quem sabe não me dária respostas quanto ao que ancisava ter,sua túnica balançava silênciosamente
e a criada véio a por chá para ele.A xícara em pura porcelana chinesa,cor de azul topásio com os detalhes em branco.A mulher
que lhe servia vestira-se bem:Quimono rosa com detalhes em amarelo,deliniação do rosto forte que transmitia fortitude...

Ele bebia o chá gradualmente para que sentise o perfume,não entendia o por que ele tinha tal delicadeza,Ana sabia aonde me
levara,Tompei realmente ao meu ver conhecia ela,será que eles se conheciam de tempos?Não séria de me surpreender que isso
viesse a acontescer,realmente as coisas háverian de trazer as suas respostas.Assim Tompei continuava à esperar minhã pessoa
falar,Louis justamente ao meu lado a observalo,Louis mau respirava.

-Lestat De Lioncourt diante de minhã presença.O que o tráz aqui principe?

-Hum...Hum....Tompei?Este e seu nome,certo?Pode realmente trazer um ser de volta a vida das cinzas?

Minhã voz mal sairá ao pronúnciar essas palavras,ele me deixava fatigado em todos os momentos,seu olhar,suas
analizes,seus gestos e até sua respiração e mesmo assim tinha paciência em esperar eu falar.O fiz,falei absolutamente
tudo sobre Nick,no que acontescera e que a Ana quardava suas cinzas na bolsa que assim ela mantinha nos braços ali....
Tompei levantou e assim pegou-a das mãos dela,com gesto rápido abriu e tirou a urna de dentro,seu olhar me fuzilou e
fez com que me sentise balançado por dentro,a criada mantinh-se a seu lado a esperar.Ela erá educada e sinuosamente culta...
comesei a apreciar isso nos chineses,Tompei sentou pondo a urna encima da mesa.Olhou-a se colocando a pensar.

-Lestat,o Nick já não tem mais corpo,entende?Sim e possível sim e créia que para isso prescisaremos te 3/3 do seu sanguê,afinal
es o mais competênte áqui...

-O quê?Tudo isso?Tompei não acredito em suas palavras

-E diferênte Lestat.Posso apenas reconstruir o corpo do Nicolas De Lefent,ele nascera morto e a única coisa que
dara a vida a ele novamente e a sua alma.Ai que está o truque que eu não sei se poderei fazer,afinal,não sabemos
aonde sua alma encontra-se....

-Sim,entendo.Tem um modo de encontrar?

-Sim,mas,mas e perigoso demais.Não sei se Buda devolvéria à alma de Nicolas.Uma vida que morre
2 vezes não tem permisão de voltar 2 vezes a existir..

A sua pronúncia erá perfeita,não ousará em nem um momento falar em chines,o mandarim me erá complexo
e não me ousaria a falar,Tompei falava inglês fluênte é assim me apaixonei por sua filósofia e conhecimento.
Buda.Nossa,ele realmente existia?Ele háveria de dar a permisão para que assim Nicolas volta-se?A noite passava
e tive que me retirar com Louis,Ana Nery ficaria ali mesmo por que o Tompei a chamará para descansar,voltáriamos
na proxima noite.Eu e Louis nos recolhemos na vegetação mais proxima,Armand?Ele vagava,sabia que ele se cuidava.
Assim dormimos.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 11

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 20:33:31

Acordamos na noite sequinte e saimos para o templo,as estrelas brilhavam forte por que o tempo estava limpo
e claro,a luz da Lua caia como banho sobre as plantas,o Tompei junto a Ana Nery nos esperava frente a entrada
do templo,como será que foi o dia dos dois?Não tinha tal atitude para saber.Queria começar logo o procedimento
para ter Nick de volta.Ansiedade no coração..

O querido Louis prescisava de banho,erá visivel seu cansaço,ele erá timido demais para pedir isso aos outros,
mas o dono da casa já providênciou tudo para ele,vi isso em seus pensamentos,Tompei fazia questão de tomar
conta de todos os detalhes junto a sua observação.

-Louis por favor deixe com que as mulheres tomem conta de você,sei que quer descansar e respirar..

-É,por favor não e nescessário se preocupar,tem coisas mais sérias a resolver,não e? "Assim ele respondeu"

-Sei que sim,mass temos todo tempo do mundo para isso depóis,seu bem estar e mais importante agora.

As criadas já estavam prontas e postas no lugar que bem iriam cuidar do pedaço de pedado,elas sairam pelo
salão a puxar o Louis para o jardim,sequimos,eu queria ver a cena.Iria morrer de rir com isso.Como as criadas
de Tompei eram bem tratadas e bem intruidas na sociedade,nada que estudos e dedicação faz,não é???Foram 20 ao total
que iriam cuidar dele,hávia um painel de bambu imenso,dentro tinha água aquecida,nossa,todos os procedimentos a moda
Chinesa,agora entendia o por que eles erám tão belos e tinham bom tratamento...

Todas as criadas tiravam as vestimentas do Louis dobrando-as e pondo-as no lugar correto,assim,tombaram ele dentro do
painel dágua,ele ficou submerso um tempão,as criadas esfregavam os cabelos,a pele.Sabia que iam tratá-lo bem.Tadinho,era
evidênte que estava em ação e ficará sem graça diante dáquilo tudo.Icensos proximos a ele,lamparinas em torno do jardim.Eu,Ana e
Tompei apenas esperavamos tudo terminar.

Quanto tudo acabou envolveram Louis sobre uma manta e assim o levamos para o guarto.Ana tinha se preocupado e saiu as lojinhas
proximas a compra roupas ao pedaço de pecado ali presente.botas pretas,calças negras básicas,blusa também da mesma cor.Vestiram ele
e penteavam seus cabelos negros e imensos.Merda,é eu ali parado sem fazer nada?Que tudo passa-se.Mais critos vieram,infernos de que Armand
finalmente apareceu do nada para assim juntar-se a gente...

-Aonde estava?

-Andando,queria conhecer a cidade amigo

-Sim,notícias?

-Não,nem uma Lestat;tudo na mesma principe..

-Que seja,ainda ando recentido com você quanto a isso tudo..

-E como falei;peço desculpas por tudo,admito meu erro quanto a minha atitude....

-Hum..Vamos ver,apenas reze para que Marius não saiba..

-O quê?Mas ele está a caminho dáqui,Lestat eu o vi de relanse na viagem a Hefei....

-Estamos ferrados,se ele souber que queremos trazer Nick de volta ai sim está tudo perdido..

O silêncio abateu-se e Tompei falou com sua palavra de chefe ali,agora nessa noite estava diferente;sapatilhas
negras e calças com faixa atada a cintura.leve manta adornada ao corpo,tudo absolutamente perfeito,me fascinava pela seda
chinesa.Realmente uma das melhores,seus cabelos densos e longos presos para tráz...

-Não se preucupe,sei que Marius não fara nada,deixe-o vir e ai sim começaremos os proscedimentos.Deixemos com que
as criadas arrumem tudo e vamos ao meu retiro para começarmos a procura da alma de Nicolas.Sem ela não faremos absolutamente
nada Lestat

O fizemos,seu canto de retiro erá imenso,ficava do lado oposto do templo,a gladra simplesmente de uma dimensão maghifica para
termos total espaço,garanto que dária para fazer uma partida de futebol ali,o chão coberto por pedras com o mais puro polimento,
arvores imensas e florais em volta do lugar,postes com tochas adornadas para iluminar o lugar.Novamente a queima de incenso presente,
senti que Tompei admirava as essências dos incensos.No centro da quadra uma mesa de pedra também polida,encima apenas o livro do mantra
junto a um cordão gravejado com pedras negras,uma espécie de terço,mas sem a cruz tipica dos católicos.O que ele iria fazer?

Ana observava tudo em silêncio,Louis apasiquado e observador quanto a todos os gestos e atos de Tompei,a Lua neste momento estava no apice
do céu da China,como a noite erá mágica,tudo isso fazia meu coração ir ao batimento maximo de paixão,a leve neblina umida elvolta do lugar devido
a umidade das arvores,Tompei escolheu seu lugar,ele erá muito centrado.Debaixo do livro do seu mantra hávia um papiro,a folha finissima e simplesmente
anitiquada,vi que do lado tinha um pinseu junto a um pote de tinta chinesa,sábia que eles usavam isso desde séculos,a China tinha conhecimentos milenares,
uma nação com seus 5 mil anos de apogeu realmente háveria de ter seus segredos..

-Lestat,consegue escrever em Mandarim?Por favor seja sincero..

-Olha,não,nunca estudei os aerogriflos chineses ou Japoneses,e a primeira vez Tompei que venho áqui e que estou a conhecer a
China monge.

-Sim,erá de se esperar...Por favor escreverei em sua mão rápidamente o nome de BUDA,terá que escrever sobre esse
papiro com suas própias mãos depóis,ok?

-Sim e claro,sem problemas,farei o maximo para escrever da mesma forma ali sim...

-Que assim seja e assim sera..

Ele o fez,escreveu o nome BUDA na palma da minha mão bem pequeno em Mandarim,o formato erá perfeito e assim
pequei o pinseu e olhando atentamente para o formato o fiz com a perfeição que devéria ser,mas ao terminar dei um pulo
para tráz,meu coração batia forte e senti uma presença enorme emanando do lugar,o nome que escrevi no papiro sumil !

Dei um crito imenso com a sena,Tompei afastou-me e tomou o centro da mesa e olhou a Lua,seus olhos passeavam pelas
arvores.Olhou ao céu,entoava uma pequena canção em mandarim, o vento véio guente,suave e a presença junto a ele.Queria novamente
morrer,por que sempre pedia isso??Tompei continuava a entoar bem baixinho a canção e o vento junto a presença continuava.O fogo das tochas
apagou e a voz como vento véio.Tão cálida e macia como pena.A presença erá deum deus.Isso que conclui..

'Querido Tompei,chamas a mim,Buda ,deus das almas para que faça seu desejo,monge requerido por meu poder falas o teu desejo e ancéio'

-Buda,pai das almas e manipulador delas,desejo á alma de Nicolas de Lefent novamente na Terra.

'Tal ancéio junto a solidão.Filho do apogeu de Kaniban me pedes que o devolva?'

A voz mantinha firme,falava pelo vento,não via imagem ou forma.Apenas ouviamos a voz pelo vento,Buda falava pelo
vento! Ele,ele realmente existia,nunca hávia me interressado por isso e agora ficava pasmo e passado com tudo issso,mantive-me
quieto junto a Louis e Ana,quietinhos se não tinha medo de algo,isso sim.

-Isso e impossível pai das almas? "Tompei falava baixo,suave como pena"

'Á alma proferida por tal nome e da qual deseja e ancéia será devolvida,mas no momento em que seu corpo for
recontruido,em troca outra alma;espero que faça juz a isso filho de Kaniban'

-Pai,que assim seja,devolva-me no momento certo,esperarei ancioso,darei o presente certo.

Terminou,o vento parou e as tochas voltaram á ascender, estava com medo e setindo caláfrios,Ana apenas linda com
seus olhos a encarem Tompei,ele virou a olhar todos nós e ficou claro que o preço por áquilo tinha cido alto a ele.
Não sábia o por que,mas descobri isso encarando-o friamente com meus apasiquados olhos azuiz,Tompei daquela concentração
começou a emanar desespero,fomos a caminhar de volta ao templo e o silêncio tomou conta de nós quatro.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 12

Mensagem  Ana Nery em Dom 14 Mar - 20:50:01

Chegando no templo fomos acolhidos por Kenjing,vi que Marius nos esperava na sala,o nervossismo de Tompei foi
tão grande que simplesmente foi a cozinha direto,mas não entendia o por que Marius estava ali,descobriria assim que
sentassemos a mesa para assim Tompei comer algo e assim fizemos,a mesa erá imensa,Marius me fuzilava com irá a minhã
pessoa e Armand a tentar apasiguar as coisas.

-Tompei pode me dizer o que essa turma de ingredulos faz aqui?

-É,e,Senhor Marius não preocupe-se,apenas deixa eu concluir meu trabalho,sem mais.Ando pesando em outras
coisas..

Como sempre Marius mantinha seu tom autoritário,queria fuzar seus pensamentos devido a sua estádia ali,apenas vi
que ele erá conhecido de Tompei,os dois de conheciam,mas queria saber desde quando.Bem,tentativa de ler os pensamentos
do Marius envão,fechados como ferro.Marius mantinha seu custume de vestir vermelho,alto,complacencia escadinava,nascerá em Roma
como todos sabem,cabelos loiros e longos caiam sobre suas costas..

-Tompei sabe que kaniban não admitiria isso,seu pai,seu pai..

-Cale-se! Não mencione esse nome.

Para que Marius comentou isso?Tompei ficou mais nervoso e arrepiado em lágrimas,Kenjing foi acalmá-lo postando-se ao
seu lado,e vi que a coisa ficou séria para o jovem mongê.Como citei,senti que o preço que Buda pedirá forá alto.Armand
mantinha-se quieto,coitado,agora que Marius estava ali sequer ousava falar,mas falei na cara de pau que sempre tive.

-O que o tráz áqui Marius?

-Senti a força no vento,vi acompanhando desde áqui e encontro vocês,conheço Tompei,afinal,conheci seu pai a muito tempo,saiba
que essa pessoa que ver ai pode ser jovem,porém forte,ambiosa e herdará a mais pura licença a mágia chinesa.

-Hum?Palavras falsas!

-Cale a boca Lestat,saiba que devido a sua ambição esse mongê ai pode esvair diante disso,não conhece do que ele e capaz.
Acha o quê?Que tudo áquilo foi miragem?Kaniban fez seu filho para ser o que ele é.

Está metendo-se no caminho dele,não admitirei tal repulsa para com o filho dele!

Ferrou,agora ficara com raiva e levantei pondo as mãos sobre a mesa,Marius fez o mesmo e nossos olhares se encontraram
fazendo com que assim recuasse,se ouça-se continuar a me rebelar,Marius iria me castigar,erá evidênte,voltamos a sentar
e continuamos a conversar.

-É,Lestat não se preocupe,farei o maximo para concluir o trabalho que pediu,jamais deixarei de fazer algo que eu
mesmo prometi.

-Tompei se atrapalhei em algo falas agora,não quero fazer mau..

-Sim,tenha que não,está tudo bem,iremos até o fim.

Os olhos cor de mel de Tompei encontraram os de Ana,a face da cor de canela corou,pelos deuses
coisas sendo escondidas de mim e não sabia como lhe dar com isso! Será que os dois tinham um caso?
Será que monges podiam amar?Téria que saber,a minha mente estava um buraco de tão bagunçada.

-Sim e Não Lestat,depende do ponto de vista "Marius falou ao ler meus pensamentos"

-Infernos,como atreve-se!

-Verá com o tempo,Tompei!por favor descanse, merece dormir bem essa noite,vá querido,amanhã
nos falamos.

Assim Tompei o fez,saiu sem comentar absolutamente nada junto a Kenjing,ficamos sozinhos ali,Marius finalmente
iria falar,estavamos ferrados,encrencados é o pior!O chefe iria falar ou se não pôr a todos para correr!Seu olhar passeava
em cada um de nós,quieto e passivo,Armand apenas baixou a cabeça para assim ouvir,Ana sinistra por natureza.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 13

Mensagem  Ana Nery em Seg 15 Mar - 19:49:42

Agora o senhor sabe tudo começará a falar,Marius com voz inusoluta a todos os que queriam falar,quem tivesse a coragem de falar neste momento
que se retira-se,afinal,tudo iria simplesmente ser modifica com sua presença ali,Marius sair do seu leito para assim está ali com a gente?A coisa
erá muito séria e assim estavamos a houvir complascente a ele,seus olhos azuis emanavam à aura de fúria devido a nossa imprudência.

-Lestat aviso desde já que Tompei não saiu de sua concentração a tia,moleque apenas sei que ouvi o vento a me chamar aqui,por isso cá
estou,mais o motivo não sei.Me surpreende que esteja justamente áqui na casa de Tompei,que cuja vida sempre foi dedicada a seus en-
sinamentos..

Quanto a você Armand,me decepciona em está acopanhando o Lestat e dando-lhe pleno apoio nas suas dscisões longiguas.

-E,Mestre apenas cá estou para simplesmente conhecer lugares novos,não apoio ele em nada,mas por que toda essa preocupa-
çao com Tompei?O conhece desde quando? "Armand falou sem remorços"

-Desde que seu pai,o Kaniban me reconheceu,ele sempre proferiu a nós,seres da noite,ele sempre sentiu a presença de todos e cá
estamos na casa do seu filho,Mongês Armand sempre sabem de coisas que os Ocidêntais jamais entenderam.A sua abertura de
espirito e grande a ponto de sentir até as mais pequena das criaturas

Assim eu quis falar também,como me surpreendi com aquilo,por isso ele estava ali,para proteger Tompei do mau que podéria assim
cair encima dele,a noite ainda corria e nos mantinhamos ali na mesa,Ana Nery junto aos dois deuses ali;Armand e Louis,ele também
presente e claro,eu jurava que o Marius iria nos expulsar dáli,afinal,sua raiva erá eminênte,mais não,véio por cautela e proteção a todos
que lá estavam,e tinha sérios motivos pelo que falava.

-Lestat o que deseja com Tompei?Falas moleque,o importuna demais

-Marius a Ana encontrou as cinzas de Nicolas,entende?Justamente dentro do violino que fora dele,áquele que o senhor Armand me devolverá e
jamais me falou que os restos de Nick jaciam lá !

Ai novamente ferrou,Armand levantou em furia com o termino de minhas palavras,queria esgana-lo,o remorso ainda erá forte,filho da
mãe de bonito,mas porém belo,Marius revidou a nóis dois e apenas bateu a mão e o fez sentar,todos pianinhos com a situação.Situação
delicadissima,tinhamos que andar nos trilhos,um paso infalso e Marius séria capaz de chicotear a gente.Ele falou com Ana.

-Querida mas o que a fez supor isso?

-Marius eu sempre acreditei na existência de vocês,tinha minhas hipóteses quanto a Nicolas,tudo que acontesceu segundo o
Lestat descreveu nos livros,simplesmente nunca engoli em seco,para minha mente tinha que vê-lo por si e concluir se o que pensava era
verdade senhor.

-Sim,agora entendo seus pensamentos. Uma mente fugaz.

-Justamente senhor "Os olhos dela brilhava"

-Lestat é agora?Pode falar o que deseja de Tompei?

-Irei ser claro e sincero,parece que ele pode trazer Nick de volta! Desejo isso mas não sei como isso
vai acontecer,Marius eu,eu ainda ando chocado e passado com tudo isso.Sem palavras desde que es-
sa aventura começou e cá estamos.

-Sim e parece-me que Ana Nery conhece Tompei muito bem,não?Desde quando?

-Desde que o vi em uma reunião de negócios no Rio de Janeiro,para ser sincera é altamente clara
o vinculo e forte!

O quê?Que palavras terriveis para mim,em pensar que queria Ana nos meus braços e parecia que tinha pretedênte! Infernos
de que agora sim meu sanguê fervia com a revelação.A cor de canela não podéria ser minha,por deuses e raios que os partam,
ela iria ser minha nem que tivesse que mandar o monge a cova.Que pensamentos maléficos,Marius revidou de imediato.

-Se tentar eu o mato junto moleque! Deixe-os em paz !

-Hum...Hum

Calei-me com esse hum pronunciado é a noite ainda mantinha-se,sabiamos que Tompei agora dormia em paz,por enquanto,depóis das
palavras da cor de canela Lestat iria fazer algo em relação a isso,não admitia ser excluido da vida dela apóis isso tudo que passavamos,
mas isso resolvéria com tudo conclúido! Meu riso maléfico emanou para todos olharem ao olhar Ana calculadamente,que linda rosa que
concerteza iria ser minha,botei na minha cabeça: Ninguêm há de revidar comigo e meu interesse para com a cor de canela.O clima pesou
ainda mais com esse ato de riso,Armand olhou pasmo com minhã atitude.

-Lestat está avisado,se tentar algo com o Tompei em relação aos seus sentimentos com a Ana Nery,eu o mato junto!

-Veremos Marius,veremos quem dar a última palavra,não e cor de Canela?

-Ok.Que seja Lestat,não tenho nada haver com isso,apenas peço para que afaste-se dele,não quero que toque um dedo nele.

Bem,terminaramos a conversa e saimos para a noite,Ana iria dormir no templo,assim nos afugentamos novamente nas folhagens proximas,
na noite sequinte queria falar pessoalmente com o monge filho da mãe que não só iria me devolver Nick,mais tinha poder para tinhar minha
Ana de mim! Ah,se eu não iria fazer isso,assim o dia amanheceu e o dia passou,saimos do esconderijo e nos encontramos na porta do templo
a esperar a gente,olhei ele de relanse,nem fiz questão de dar um boa noite,fui direto a sala e ele me chamou para transcrecer algo,iria me falar,
entrando no seu clarto sentei na cama e ele na beira da parede,pegou uma paleta com papiro e lapis com ponta fina.Me encarava friamente e sem
medo,queria matá-lo!

-Lestat o chamo aqui por que antes de tudo precisarei saber de todas as configurações de corpo e rosto de Nicolas,ok?Transcreva detalhadamente
em palavras para que eu desenhe aqui.

-Descarado! Que seja,mas saiba que poderia matá-lo !

Tinha paciência e virtude,mesmo assim ele começou sem comentar nada a desenhar,conforme eu falava,cada detalhe perfeito,seus dedos segurando
o lapis desfilava e deslizava pelo papiro,minha voz entoava no quarto,o vento balançava as plantas e copas de arvores lá fora,vi pela imensa varanda do
quarto,tudo nele era mágico,mesmo com toda raiva dele devido a Ana,eu apreciava seu talento,o homem tinha geito,continuava a transcrever com as palavras
entoanto fortemente.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 14

Mensagem  Ana Nery em Dom 21 Mar - 18:49:11

O silêncio tomou conta do quarto depois que Tompei terminou de desenhar detalhadamente,ele apenas olhou sinuoso o desenho
e voltou seu olhar para mim,a luz das lamparinas da varanda faziam seus olhos de mel ficarem mais claros,agora com vestimentas limpas
e bem trajadas,suas sapatinhas brancas junto as calças cor de neve eram como feitiço,a manta por cima da mesma cor,mas agora prederá
as longas medeixas para tráz,ver aqueles olhos puxados e bem aplicados sobre mim apenas fizera-me pensar em tudo.Ele levantou-se e foi a varanda,
chamou a mim.

Fui parando ao seu lado é ao me apoiar no encosto feito de pura madeira, vasos com tulipas negras em toda extensão,vi um imenso lago sobreporjado
abaixo,a luz da lua pairava,Tompei ainda mantinha-se em silêncio e pensava até que finalmente resolveu falar para mim o que planejava quanto a álma
que iria ser oferecida a BUDA.Como o filho da mãe sabia manter uma pessoa com irá afastado dele,senti isso ao ser repudiado pelo seu silêncio.Sua voz
entoou sore o lugar ao virar-se para falar.

-Quanto á alma que irei dar mantenho em segredo,mas saiba que os aspectos de Nick serão faceis de moldar,mantenha seu ser esperto e forte,quem sabe
BUDA não séra capaz de renunciar á essa alma que deseja.

-Mas Tompei o que é realmente BUDA?

-Ele é o criador das almas,ele foi o primeiro DEUS que conseguiu finalmente criar á alma dos animais,antes disso,na evolução não se imaginava isso.
Lestat não tem os seres antramorfóficos do começo da vida na Terra?

-Sim,sei disso.

-Tudo não passava de meras células,mas BUDA que é a encarnação da pura energia do universo fez essas células irem evoluindo a tal nivel que
tudo é o que e hogê,BUDA nada e nada menos do que a união da energia carnal do universo.Tudo que ver,tudo que sente é ele..É a transfiguração
dele.

-Pelos deuses,nunca imaginei isso.

-Conclúindo diante de minhas palavras,por favor seja paciênte e precisaremos procurar algo,venha comigo Lestat.

Ele me puxou pelas mãos,o frio ao sair prá fora erá forte,a neblina junto a densa vegetação da CHINA me deixava entorpecido,saimos pelo imenso
campo,realmente o lugar erá magistral,mantinha-me paciênte,chegaramos ao lago que eu vi pela varanda e Tompei andava em sua beira analizando toda
extensão,pedras sobrepostas em volta do lago,eu o seguia e finalmente ele fez um gesto de manipulação para pegar algo,erá uma Túlipa Negra,vi que
em volta do lago hávia milhares delas !! !Mas como Túlipas poderiam ser negras !?

-Lestat? Sente isso,veja e analize.

-Sim

Peguei na mão,o toque genunamente sedoso e aspero no caule,a cor erá tão negra que simplesmente erá inexplicavel como isso existia,a
minha respiração cessou,vontade de esmagar a flor nas mãos devido a obsenidade,olhei para o céu devido a esse ato,Tompei postou suas
mãos sobre meu rosto e me fitou arduamente,a frieza dele me incomodava a tal nivel que a cede vianha-me a garganta,ele manteve-se assim e citou
as seguintes palavras.

-Essas Túlipas só existem aqui,Túlipas Negras e mágicas para assim á alma de Nicolas voltar,sem elas não prenderemos ele no seu corpo,chamarei
as griadas para colhe-las,vamos voltar.

Votando ao templo Marius encontrava-se lá,todos me encaram quando entrei pelo salão junto a Tompei,agora sim piadinhas por todo canto,
mas Lestat mantenha-se frio amigo,controle-se,Ana apenas tomava vinho no copo de madeira chinesa,belo vestido branco vestia,Marius
não saia do lado dela,Tompei falou alto é em bom tom as griadas. O mandarim me começava a ser legivel e entendido.

-Saiam ao lago,quero Túlipas,iremos fazer o coquetel das almas.

Todas assustaram-se,sabiam do que tratava,os seus rostos quase que desfiguraram e mesmo assim foram a cozinha imensa
e pegaram gestos,postaram-se no centro do salão e uma delas véio a frente falar com Tompei,seu nervossimo erá claro para
com as palavras dele,a voz doce saiu.

'Senhor o coquetel das almas,tem certeza disso?Senhor Tompei me assustas com isso,não e a toa que nos pede tal requerimeto'

-Não estou madando,e uma ordem e que seja obsdescida!

'Que seja senhor'

Todas sairam tristes dali,muitas chorosas,outras em prantos, o que isso sighificava?Sentei junto a Ana para assim pensar
naquilo,coquetel das almas?Armand Louis sairam a caça,será que pretendiam algo?Não! Eles andavam tão tranquilos e calmos,
né? Assim Tompei serviu-se de saque e virou-se para olhar a cor de canela,minha cor de canela !

-Servida Ana?

-Não,obrigada. Estou com sono.

Marius em aspereza e analizador quanto a situação dos dois pentelhos e fitou-me como que dizendo que se me atrevese a
fazer algo ai sim eu estária encrencado. Calei-me e aguentei áquilo,mais tive a coragem de falar,mesmo assim perguntei
ao Tompei o que ansiava falar a ele. Ele sentava numa proltona espaçosa,cor de carmim.

-Tompei tem quantos anos? Nasceu em que cidade da CHINA?

-Tenho 23 anos Lestat,nasci jutamente naquele quarto,minha familia sempre morou áqui,mais agora esse estabelescimento
e meu.

-Sim,e o que pretênde com aquelas Túlipas?

-Vera,espere as griadas chegarem,ok?Tenha paciência

Depois de um tempão em espera lá vieram elas com as gestas imensas chéias das túlipas negras e quando Marius
viu caiu em desespero,ele pelo que vi sábia do que Tompei planejava,encarou ele de cima a baixo,o que aquilo sighificava?

O Tompei apenas silêncioso e saimos a sequilo junto as griadas por um imeso corregor,o cheiro de flores erá forte ali,mas mantive-me
quieto e finalmente as griadas abriram sua sala ritualistica,demos de cara com um chão emadeirado,castiças altos com icensos e velas acesas,
Tompei foi ao caldeirão e as griadas os encheram com água,assim as Túlipas jogadas lá dentro e ele posto no fogo.

-Quanto estiver pronto me chamem,ok?Me encontro no salão.

Voltamos,saimos do lugar e deixamos com elas o serviço,curiosidade ao extremo em saber que tal coquetel era aquele.A conversa ia e vinha
ao passar da noite,ela mal começava novamente e assim sequimos a nos informa melhor.Não saia do lado da cor de canela,me o fizesse me
considerária um desertor.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 15

Mensagem  Ana Nery em Dom 21 Mar - 19:08:05

Finalmente no começo da madrugada uma das mulheres saiu do salão ritualistico e véio a nos chamar,levantei-me para
que pudesse ver,todos queriam ir,mas Tompei queria que eu o acompanha-se sozinho,só eu e ele a andar novamente naquele
corredor sinistro,assim ao chegarmos vi;andei caltelosamente em direção ao calderão cheio de liquido. Medo,caláfrios e recéio
por tudo como sempre,antes de ver Tompei fez com que minha mão fica-se tremula.

Mas meus olhos viam mais não queriam acreditar no que via dentro daquele calderão posto nas chamas,o liquido borbu-
lhava constantemente,as griadas o tiraram do fogo e o puseram em um apoiador no méio do salão,a fumaça subia e finalmente
falo a vocês que meu coração ao ver o liquido com melhor visão me puserá em tremores:A cor violeta do liquido erá forte como
jamais vira,o perfume simplesmente anormal,de morte para ser mas claro,mas a mágia estava ali,explicita como a morte só
podéria ser.Sem palavras,sem ação.

-Lestat cá está o coquetel das almas,viscoso porém contém o perfume e essência que só a mágia das almas pode ter...Não
tenha recéio por nada.

-Tompei eu,eu não tenho o que dizer,entende?Tudo isso e novo e jamais iria falar algo.

Voltei a por os olhos no liquido,o brilho violeta passeava sobre ele,a cor tão constante e sinuosa,a mágia erá tão forte que a
fumaça subia de forma anormal.Tompei estava me surpreedendo,e agora?O que fáriamos depois disso?As griadas fecharam o
calderão e fomos ao salão de visitas novamente e não contive-me diante do que vi,preferi ficar calado diante disso,não sabéria nem
como falar aos outros,mais vi que Louis e Armand voltaram da caçada e fitei-os alternadamente,estavam quentes da caçada e
por isso me esvai na proltona de tanto medo.

-Lestat o que lhe disse?Acalme-se,nada de medo ou pânico,sei o que estou fazendo "Assim Tompei falou"

-Ok,acredito em você,mass qual o próximo passo?

-Quero ossos,quero ossos de mortos,desejo ossos de pessoas mortas.

-O que?Planeja asaltar uma tumba?Está louco Tompei? "Marius esbravejou de tal forma que séria possivel
todos de fora ouvir"

Marius andava de lado a lado do salão,seu descontrole agora era evidênte,uma tumba asaltada,só o que faltava,
por deuses imaculados,Gáia,Odin,o que esse filho da mãe planejava?Fiquei exaltado,Marius estava também a
ponto de esganar Tompei com sua ousadia,o Mongê tinha carater,tinha que admitir isso !Assim ele saiu para seu
quarto,fui junto com ele,suas roupas andulavam ao andar, tão macro e delicado,devido a isso deseja usurpá-lo com
minha alma maléfica,afinal erá um monstro,não?Mas jamais o fária.

Ao entrar ele encostou-se nos travesseiros da cama,as persianas da varanda ainda abertas e ele ao pegar seu
diario todo em papiro poi-se a escrever,os aerogriflos apareciam ao escrever,a escrita chinesa mas me parecia ardo-
nada a uma espada,erá como fazer movimentos de espada para escrever,ele continuava,estava pau da vida com o
que Marius falara,Marius gritou com ele e não o tinha deixado de bom humor.

-Filho da mãe! Quem ele pensa que sou? Seu filho?Infernos!

-Não fique assim,sabe como ele é,te conhece e não quer teu mau Tompei!

-Entendo,mas tem coisas que eu mesmo prefiro ficar calado,ele sabe do que vou fazer,nada pode conter isso.

-Nossa,agora demonstra raiva.

-Nem em todos os momentos consigo manter-me calmo.Todos tem seu momento de fraqueza Lestat.

Ele não erá tão mau assim,ao terminar saimos dali para que ele providência-se os tais ossos que desejava,mas só
o Kenjing coseguiria tal fasanha,assim falamos em secredo lá aonde chamara-mos BUDA.Kenjing iria fazer,ele falou
isso e corremos ao Templo,Marius ainda em desvaneio,Louis pasmo com tudo,ossos a serem asaltados,erá de se
imaginar.

-Lestat não ousaria,não é? Querido por quê téria tal audásia?

-Louis novamente falo que minhas justificativas são insanas,então cala tua boca e depóis a gente con-
versa,ok?

-Marius não consigo,dê um geito nisso ! "Louis se exaltara"

Marius apenas andará em minha direção e soltou a mão em minha face,o choque sobrenatural me foi forte,mais do que
pensei,jamais pensaria que ele téria coragem para tal atitude.Ele estava tão chateado que garanto que se tivesse um chicote
ali iria me chicotear;caiu em lácrimas depóis quando sentou ,me fuzilava em quietude.Armand tentava consola-lo mas
envão,o ato estava feito.Dei de costas..

-Lestat quer mesmo ir a fundo nisso?Séra que uma vida vai ter que ser sacritificada para que Nick possa volta?Até quando
sua ambição vai te controlar?

-Sabe até quando Marius?Até o momento em que a vida que foi tirada e sobreporjada dele estive de volta,até o dia em
que ele deva ter o que realmente merece: Viver!

Sai dáli e Ana me seguiu,calada,estavamos neste momento no Jardim e ela tentava me acalmar,conseguiu aos poucos,o
meu controle iria voltar,sentia isso,a cor de canela continha esse talento:Acolher aos seus queridos e vi que erá um deles,
fiquei super feliz por isso,todos ainda lá dentro,Tompei pelo que virá lá de fora começou a beber novamente seu saque,
estava certo,tinha que esvair mesmo,se estivesse no seu lugar fária o mesmo.Assim me enscortei huma arvore e Ana
Nery deitou apoiada sobre mim,delicadeza que esperava que nunca desaparecesse.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 16

Mensagem  Ana Nery em Dom 21 Mar - 19:58:22

Nos mantivemos ali e depóis de um tempo a passar ouve um maior movimento,entrei rápidamente para ver do que se tratava;Tompei
ararstou-me a mim é a Ana a descer a imensa escadária de entrada no templo,aquela que háviamos entrado pelo imenso portão quando che-
ramos áli.O quarda abriu -o e assim vimos o Kenjing desesperado dentro do carro,ele saiu de dentro e seu olhar erá de desespero.

-Senhor Tompei sinceramente ossos não encontrei não,mas peço licença rápidamene para esse carro entrar! Não temos tempo a perder !

-Do que fala?Não estou a entender..

-Falo que tive que tomar médidas drásticas para realizar vosso desejo, deixe esse carro entrar!

-Que seja.Quardas ninguêm tem a permisão para entrar desde que volte a dar minhãs ordens,ok?

'Sim senho;não se preocupe'


Assim entramos no carro é ele saiu para á imensa quadra,ainda mantinha-me impetuoso com tudo isso,o que Kenjing fizera ainda
iriamos descobrir,mas pelo seu rosto a coisa erá assustadora de se imaginar.Ana Nery mantinha-se sentada ao meu lado e quando o
carro parou voltamos a sair,vi que Marius com a movimentação fora imédiatamente para o local.Agora sim iriamos saber o que o mongê
de idade acabara de aprontar.Assim nos pocisionamos em frente ao porta malas..Trevas sobre a noite e a infernal neblina a pairar.

-Kenjing indepedênte do que tenha ai dentro saiba que o adoro mas ainda irmão por ter feito por mim.

-Que seja,abre logo isso ai,tivemos até que fugir da polícia local.

-Não me diga quê? Quê?

-Abre,abre logo!

Tompei destravou a fechadura do porta malas e deu um pulo para tráz que tivemos que segurá-lo,o medo emanava dele de tal
forma que estava descontrolado,deixei-o a par com Marius e lá estava,um belo corpo asassinado pelas mãos do Kenjing,fresco e
insipido do sono da morte,o gelo do silêncio foi quebrado quando Tompei em desespero voltou a falar com o mongê;realmente
fizerá o trabalho muito bem.Dária meus parabens e claro devido a coragem.

-Kenjing eu pedi ossos de pessoas mortas,não,não um corpo asassinado,entende?

-Que seja,vamos desecá-lo,vamos tirar toda a carne dai e deixar apenas os ossos,não tive opção,nem uma tumba
proxima áqui Tompei!

-Mas que infernos,alguém está a par disso?

-Só o motorista que simplesmente me ajudou á escapar com o corpo da polícia local.

-Por BUDA,estou realmente ferrado.

Assim tiramos o corpo dáli levando para o salão ritualistico de Tompei,agora o motorista fora embora,garantiu silêncio,acreditei
por que seus pensamentos erám sinceros,ler a mente tinha suas vantagesn e assim estavamos lá: O corpo no centro,eu,Marius e
Tompei em volta.As griadas apenas olhando a cena até que finalmente Tompei falou a todas:

-Quero minhas reliquias por favor,meus estiletes,agora !

Elas correram pelo corredor e assim trouseram uma pastinha de madeira negra,setando no chão ele abriu e vi as pequeninas
laminas áli,olhou para mim e Marius alternadamente como que se dizendo: Vão ajudar não?Ele agora tirava a parte de cima
da roupa,apenas ficara de sapatinhas e calças brancas,agora sim admirava-o ainda mais,a noite iria se prolongar ainda mais,agora
que começava a madrugada.Ele jogou seus imensos cabelos para tráz e poi-se a simplesmente retalhar o corpo.Deslizava a pequena
lamina debaixo da pele fazendo com que se solta-se do musculo,eu me recusava a fazer áquilo,mas Marius quiz ajudar,assim os
dois deuses mantinham-se quietos enquanto destacavam toda a carne ainda fresca.

Queria vomitar,mas e claro que não dava,a cede por sangue véio com a cena,as griadas fecharam a porta do salão e total
privacidade.Tompei finalmente chegará aos nervos,os ossos perfeitamente começaram a ficar espostos,toda desecação
corria sinuosamente para que a sinistridade emanasse dele.Seu comportamente quanto a morte erá evidênte:O corpo é apenas
uma casca,à alma sim é eterna..O tempo passava,finalmente as griadas trouseram água guente,fervendo e Tompei jogou sobre
o corpo ainda em desecação,agora sim a carne fervilhava,simplesmente saia dos ossos,Marius estava ali,ingredulo e ainda assim ajudava o Tompei.

Minha atitude?Mantive-me no canto so salão,recolhido,meus cabelos loiros a pairar sobre os ombros,queria chorar,mas náo,minhas lágrimas vermelhas
só sairiam se tudo desse errado,tudo terminou,apenas restava ossos,um perfeito esqueleto,as griadas puseram á limpar todo o salão,Tompei pegou uma
gesta e finalmente os colocou ali dentro,pegou o gránio separado,finalmente ao me levantar vi que à compostura dos ossos erám exatamente referente aos
ossos e Nick! Tão delicados e simplesmente insanos,Kenjing sábia do que iria prescisar e assim fez tudo perfeito.Queria abraçar áquele homem devido ao
ótimo trabalho...

-Lestat?Vamos sair ao Jardim,quero respirar.

-Ok,que seja,já passou por coisas demais hogê

Fomos e Tompei trouxe o gránio com ele,o gesto com os ossos ficou no salão,Marius estava ajudando na limpesa do local,ele trouxe a
pastinha com o desenhos,sentou-se na grama e olhou fixamente a mim ingredulo pelo silêncio,mantinha o estilete nas mãos e poise a raspar o gránio
delicamente.Sua observação,delizadeca,deuses ele erá mais forte do que pensava,o pó dos ossos rapados a cair sobre a gráma verde e brilhante do
jardim,ele continuou á fixar o olhar no desenho,seus dedos postados na lamina e apreciava o formato que dava ao gránio,o homem erá um artista.

Todas as caratéristicas do gránio de Nick estavam áli,exatamente inguais ao que realmente séria;direcionando meu olhar ao salão de visitas vi que
Kenjing descia,postou-se junto a gente e olhou Tompei,quiz ajuda-lo mais recebeu um cala boca que o fez calar-se.

O vento véio e o suor de Tompei descia,ele estava cansado e agradecia por aquele deleite,respirava forte e gravejava a lámina sobre o gránio,
enquanto a perfeição não ficasse exatamente ingual não ia descansar,assim ele se deu por satisfeito,as folhas das arvores balançavam,apenas ouviamos
o barulho do vento.Assim ele largou o gránio e ficou olhando fixamente para mim,acho que se ele pude-se me matar por áquilo o fária.Seus olhos cor de
mel passeavam sobre os meus,a frieza erá descomunal.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 17

Mensagem  Ana Nery em Seg 22 Mar - 19:58:57

Ana Nery véio nos chamar na porta,quando lá dentro Louis véio a falar que queria ir embora,que simplesmente não aguentária até o fim,mas
Marius revidou dizendo que se fosse jamais presenciaria tais fatos,vi que as mãos do mestre ainda mantinha-se sujas de sanguê,Tompei precisária
tomar um belo banho,assim foi,quando terminou de limpar-se lá estava nosso Tompei revigorado,limpo e com roupas limpas. O perfume de rosas
emanava dele.Mas ao que vi tinha mais algo a concluir antes de tudo.

Fui ao seu quarto e vi pela varanda que o dia começou à amanhacer,os acontescimentos doíam,desejava ir até o fim,ansiava por tudo,iriamos
continuar na noite sequinte;Marius e Armand sairam para se recolher,assim eu e Louis o fizemos,mas tive um sonho naquele retiro,quando
fechei os olhos véio a voz enobrecente de Nick,vi suas feições conpactadas,ele mas me parecia um mero andarilho das noites interminavéis.

No delírio do sonho ele andava entre espinhos,seus pés desnudos e sangrando,cortados devido aos furos recentes,o lugar que vi na mente
me foi aterrador: Um mar de almas se estendia diante dele,do meu Nick enquanto andava e falava comigo,seus olhos castalhos olhavam-me com
terror e como que não desejase que estivese áli.Como sua pele aparentava está retalhada de sofrimeto,mesmo com a total palidez européia,novamente
a voz dele entou enquanto andavamos sobre o lugar:

-Quero sair dáqui,quero retroceder a tudo que fiz,não só morri mas condenei-me a esse sofrimento que não sei como sair dáqui.

Lestat a minha alma está sendo quebrada!


Véio uma avalanche de almas sobre o mar e assim o engoliu,fui repelido,cai entre os espinho neste sonho,assim continuava a
delirar,o que isso sighificava? Po quê Nicolas véio nos meus sonhos?

A terra me cobria bem,a proteção erá total,deu tempo de abrir meus olhos num atomo de segundos mais o sonho voltou e
dessa vez estava chorando,as lágrimas de sanguê caim aos acontescimentos,a cede ardia,o mar de almas estava áli,Nick
desapaceu naquela avalanche,vozes aterradoras,fiquei nesse delírio até o susto me acorda na noite seguinte.Louis me puxava
da terra.Ele também acordava e estava cedento,vi pelo seu olhar,pela sua docilidade,que meu Louis estava com cede.

-Lestat está mais frio,o que acontece?

-Louis não posso dizer,delírios martim.

- Entendo,prescisa beber algo,anda cansado,anda estressado com tudo isso;vamos sair a procura de algo.

-Não,não quero sair a procura de algo.

-Como assim?

Vendo áquilo analizei seus vividos olhos verdes,a pele fria e pálida sobre o luar que acabava de nascer,o chéiro
de flores caiu sobre a gente,agarrei ele pelos braços e caimos sobre as folha secas,bebia e bedia sem pedir licença
ou autorização para áqui,os delírios do sonho me fizeram agir daquele modo,os espasmos quentes corriam,não tenho
o que falar,não?O que erá?Santo?Jamais,tenho minhas virtudes alhei-as e assim as concretizava.

Não queria parar quando um barulho entre as folhas nos alertará,nada com que se preocupar,erá Maius a nos
chamar,soltou risinhos maléficos quando viu minha boca vermelha,infernos,como tinha audácia.Calado Lestat,sem
comentários.

-Vamos,temos mais coisas a fazer moleques.

-Que sejá mestrinho!

-Cale-se,devido a tudo podéria queima-lo.

Saimos dáli para assim Tompei nos receber,dessa vez estava mais calmo,o que o fez acalmar-se? Estranhei a-
quilo,entrando novamente naquele salão macabro a coragem de ver aqueles ossos esvaiu.Tompei vestia vermelho,pura cor
do pecado.Olhava cada detalhe naquele monge insano,ele tinha insanidade,erá a mais pura verdade à ser admitida,as
vestes de vermelho,a minha cor prédileta,isso sim.

-Lestat agora sim precisarei disso que carrega nas véias, não quero repulsa em nada.

-Hum.Por quê?

-A carne,ele só se multiplicará se o sanguê for misturado.

-Com o quê?

-Verá,fique quieto,seja paciênte.

Ele foi ao lado oposto do salão,trouxe uma espécie de pequeno recipiente.Para o que séria?Perguntas e mais perguntas,seus olhos
delineados por uma linha negra voltaram-se a mim,vi que erá uma espécie de delineador,mas que não erá isso,erá diferênte,a perfeição
da linha negra a delinear os olhos cor de mel me erá a flor negra.Meu deus,como ele podia ser tão,tão enfeitiçador?

A cor vermelha não saia-me da mente,á sapatinha-negra,as calças de algodão levemente anduladas de tecido molinho e fino ardonada
ao seu abdomem desnudo.Miséravel,agora sim vi o por quê a cor de canela gostar dele.Iria descobrir o que ele pretêndia agora.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 18

Mensagem  Ana Nery em Seg 22 Mar - 20:31:07

Mantinha fixo em minhã pessoa,ele mantevesse a esperar minha ação,o recipiênte de madeira pólida que segurava estava esperando;
Marius que estava ao meu lado tinha os olhos azulados no Louis,a proteção iria ser feita,nem que lhe custasse a vida.Dei algumas sape-
cadas nas minhas vestes,a foligem de terra saiu completamente;olhava o Tompei com o recipiênte;agora iriamos ver o que ele planejava.O
caldeirão mantinhasse posto sobre o apoiador tampado e lagrado.

Iria começar,senti isso,chegou o momento Lestat para que a vida seja revelada diante de você;meu Louis sentousse no canto,não iria
se opor a tal audácia minhã e com isso Marius foi,saiu pelo corredor a procura de Ana,ficamos a esperar ávidamente é ela apareceu com
ele indo para junto de Louis.Armand?Que se virasse neste momento não queria saber dele,assim começamos quando Tompei pegou o
gesto com os ossos,Marius o ajudava em cada detalhe,não iria fugir e deixar de ajudar seu monge predileto.Os olhares silênciosos e
uma manta negra foi estendida no chão,a iluminação ficou bem suave quando Marius apagou algumas lamparinas.

Tompei estendia os ossos delicados,brancos e pólidos,cada detalhe ele cuidava com o mestre,os encaixes do esqueleto estava tomando a
forma humana,até os mais minusiosos pedacinhos estavam lá,exatamente todas as partes dos ossos humanos presentes,dando o formato do esque-
leto.Por último e separado huma caixa o crânio.Vertebras,costelas e femos marcando presença.Meu coração ia á mil por hora.Iria começar e vi a urna
com as cinzas postas no altar que ele mesmo foi pegar e sentousse encima da manta negra estêndidas.

-Lestat e Marius sentence áqui ao meu lado.Presciso esplicar algumas coisas.

-Como desejar.

O fizemos e ficou evidênte que por muitas coisas prescisariamos unir forças,afina, recontruir um corpo desde as cinzas até a carne
no meu ponto de vista não erá possível.Essa reposta encontrária agora diante das capazidades de Tompei que em nem um momento
fugiu a tarefa dada a ele,seus olhinhos puxados brilhavam com a hipótese,a delineação erá mais que perfeita,dava vida é aura ao
seu olhar,que por assim ele mantinhasse a segurar a urna e o recipiênte.


-Marius e Lestat hogê apenas reconstruiremos o corpo,espero que aguentem firme,quanto mais sanguê vampirico eu tiver melhor
para a recontrução.Nada deixará de ser pura ciência,afinal,o que trará as caractéristicas de Nicolas de volta será seu DNA contido
áqui.Nestes restos de cinzas,compreendem?

-Sim,comecemos agora! "Assim Marius esbravejou"

Tompei pegou um pequenino pedaço do que restou do crânio de Nicolas,apenas fragmento que estavam misturados ao pó cinza,
quase negro,começou a raspá-lo com a lámina que estava sobre a manta negra,o pó branco derramavasse lá dentro,ele misturou
tudo fazendo com que assim caisse no recipiênte,com tal ato pegou o braço de Marius e soltou a lámina sobre seu pulso.

O liquido vermelho e viscoso derramava-se lá dentro,minhã respiração cessou,não conseguia suprir o oxigênio dali,mas quando,quando
vi a fumazinha a subir de dentro do recipiênte me sobresaltei,a borbulhação erá constante,o sanguê de Marius jorrava e nos levantamos
para ver o que Tompei ia fazer,ele não deixava de segurar enquanto não enchesse o recipiênte,tudo borbulhanto e misturando-se alí.

Á ação do sacro-sanguê de Marius erá forte,mais que a minha,erá de se esperar,não?Assim com o impulso o Tompei derramou a mis-
tura sobre os ossos,a fumaça subia,quente e vigorosa com à ação.


Esperamos e os filamentos apareceram! A carne estava ál!,a carne de Nicolas crescia sobre os ossos,nervos,musculos,ligamentos entre
os ossos! Tudo se multiplicava,os tecidos não paravam de agir,Tompei apenas sentou-se ao lado de Ana e Louis,seus olhares sobresaltados
e sem falar absolutamente nada. O mongê acertou em chéio! É apenas disse uma frase que não soube responder:


-Lestat? Espera o quê?Faça-o!

Não respondi,o que responder? Marius andava em volta sem palavras, ele derramava o sanguê por cima de todos os cantos,quanto mais ele
jogava mais os tecidos cresciam,multiplicavam tomando conta e formato. Pura criação divina,fiz o mesmo dando uma bela dentada nos pulsos,iria
me sentir fraco,mas iria fazer,derramei várias quantidades sobre o crânio e assim os filamentos dos muscúlos subiram para toma conta,nada e nem
ninguêm conseguiria parar aquilo,abolutamente todos os tipos de tecidos cresciam até que o espaço do centro do esqueleto foi tomado.Por deuses,
não ia parar ?Quando tudo iria terminar? Quando?

Tudo crescia tão rápido que o formato começava a ficar presente,as cêlulas agora começaram a se decenir,a se diferênciar para assim
forma coração,figado,pulmão,todo os sistema circulatório e respiratório,por fim foi essa diferênciasão que ocorreu,enquando toda carne não
fosse difêrenciada,enquanto tudo não estivesse pronto,não iriamos parar,Marius se sentia bem,erá forte,mas eu? Começava a me sentir
tonto,quase cai quando Louis me segurou firme num sobresalto,a cor de canela assustada junto ao Tompei que mantinha-se abraçado a ela.

-Lestat não séria melhor parar?

-Não,deixe-me continuar!

Empurrei ele para a parede e voltei au trabalho,Marius apenas soltando risos e mais risos de sinistridade em si,ele amava ser o que erá e pusemos
ação nisso,rasguei ainda mais com mais dentadas os pulsos para que o sangue fluisse mais,a constância e a rapidez da áção das cêlulas a se multiplar,
a dar o formato do corpo,todas se diferênciando e tomando conta de todos os espaços daquele esqueleto me erá uma visão que nunca tive,agora presenciava
do que nosso sanguê erá capaz e véio e grito depóis de quase metade da noite de finalmente parar.

Desmaei,sim,véio o negro na mente fazendo com que parasse e caisse no chão,apenas ouvi os gritos de todos em prantos,a me acolher,isso
de que me lembro foi o último ato. Quando voltei á acorda estava deitado na cama macia e pelpuda do Tompei,lençois de seda vermelha,sim me
esqueci de descrever,erá seda vermelha que ardonava a sua cama,a cabeça doia,a dor no meu corpo erá imensa. Tudo apagado,apenas a luz da Lua
a entrar no local e quando postei-me no espelho vi que estava murcho,sem cor,seco como palha. Infernos,minha deformação é entrega foi demais.

O que me tranquilizava erá que iria me recuperar e quando vi Marius intacto a entrar no quarto me deu ódio! Ele me chamou de volta ao salão
ritualistico e quando ele abriu a porta de modo a ver o corpo no centro quase voltei a desmaiar,caminhei lentamente com medo do que iria
ver,ele segurava meus braços fracos e estava feliz pelo que vi. Tudo para ele agora estava saindo bem,como desejava,seus cabelos presos
com finissimo elástico erá como velcro de ouro.

Postandosse atráz de mim,ele me segurou com as mãos sobre minha cabeça,me forçou a ver o que jamais imaginei ou sonhei. As velas agora
iluminavam o local,a visão fez as lágrimas sanguinolentas virem,agora tudo que via erá muscúlo,o corpo estava féito,única coisa que faltava erá a pe-
le que por si iria aparecer com a conclução da diferenciação celular. tudo estava terminando,agora o sangue vampirico alí iria agir sozinho.Ação ou palavras?

Não,não tinha para comigo mesmo,o que fizemos áli?Amigos uma arte que só um altêntico vampiro iria fazer. Quando na sala eu não parava de chorar,a tontura e dor estava passando,meu sangue voltou a multiplicar-se depóos de uma boa dose do sacro-sanguê de Marius que jazia intacto a tudo.

Ana Nery,agora com vestido negro ajustado com belíssima faixa a cintura sentou no meu colo,meus abraços acolhiam ela,cor de canela estava com pena
de mim e Tompei não emanou palavra ou oposição á iss,como queria tomar aquela mulher nos braços depois disso,iria fazer,mas no devido momento,com
isso Louis em uníssona paz que agora fora embora,tudo que viu o deixou transtornado,sem ação. Iria se recuperar,erá a mas pura verdade é eu,o Lestat
iria fazer isso a ele.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 19

Mensagem  Ana Nery em Ter 23 Mar - 20:07:49

Depóis disso quis ir ao lago,sozinho para que minha cabeça voltasse ao normal,a mente estava em devaneio e Tompei estava comigo para conversar sobre mais algumas coisas,estava apredendo coisas e capazidades que jamais vi ou pensava que pudesse existir.Estavamos sentados sobre áquelas pedras geladas a beira do lago,as túlipas negras molhadas devido a forte neblina e frio da China,vento forte sobreporjado com a Lua e finalmente Tompei falou a mim que ao contrário do que todos pensavam a morte as vezes não erá o fim de tudo.

-Lestat espero que entenda isso,amanhã quando a pele do corpo surgir irei fazer uma pequena conclusão antes de tudo,mas o que me preocupa
e você,está preparado para tudo?

-Depóis do que vi? Sim,agora sim quero ir até o fim e sinto que você não e um ser humano normal,seu poder emana a toda hora.Tompei realmente
se considera humano?

Seu devaneio foi imediato fazendo com que desviasse o olhar para as arvores da margem oposta do lago,agora sim ,vi o leve brilho nos
olhos não erá normal o que fez sobresaltar sobre as pedras,o que erá na realidade?Levantou-se para me segurar pelos ombros e presenciei
em atomo de segundos a sua rigidez anormal. Ele saiu a andar pelas pedras pedindo-me para seguilo o fiz,as calças vermelhas andulavam
pela brisa e a contemplação jamais iria desaparecer dele.

-Um ser humano Lestat,as vezes não e tão inutil como pensa,vocês seres da noite,progenitores e clardiões do sangue negro tem ração
em manter-se em silêncio.

-Compreendo,temos nossos motivos e austeridades,não é?

-Sim,dou total apoio.

Mas quando terminou de mencionar o vento véio a subir pelo céu,as folhas das densas arvores soltam-se para assim subirem
no ar,os passaros sairam daquele local em pleno voo da noite, senti o ar sobrenatural emanar por todo lugar,agora sim as coisa
iriam ficar mais pesadas. Tive essa visão e não nego que o maior medo erá de que tudo desse errado.

Com isso queriamos voltar para o Templo,ó holocausto estava para acontecer?Sim,estava sim,era a a mais pura verdade que o fato me
dizia e para me esvair fiquei a conversar até a noite terminar,o Tompei pela primera vez bebeu muito devido ao nervossismo que só ele sabia,
derramou duas garrafas de saque prá dentro daquela maliciosa boca e com isso Ana também. Marius sairá com Louis,garantiu que até o início
da proxima noite iria cuidar dele. Armand apareceu daquele retiro e agora sentava ao meu lado,viu minha feição em recuperação e os furos
das dentadas,perguntou o que tinha sido,mas fiz que não tinha sido nada. A cicatrização estava passando é o dia começou á amanhacer para agora
sim eu sair para dormir.

Lestat vai dar certo,tem que dar certo,esses foram meus sonhos naquele sono inosoluto que para mim não terminava,a besta apareceu nas imagens
tão insípida de si quanto a minhã pessoa e senti a presença de Nicolas pairando pelo lugar! Delírios,sonhos com devidas opiniões e fatos alheios até a noite
sequinte que finalmente eu acordará para caçar próximo ao Templo,me esvai para ficar quente novamente e chegando no Templo o Tompei estava no lago a-
preciando tudo,ele tinha esse fascinio,os imensos cabelos soltos a balançarem sobre o vento,vi que caiam até á altura da cincutura,nas primeiras observações
pensei que erá longos mais não a tal nivel,o brilho dos fios negros erám masgistrais a Lua enquando andavamos,agora estava com botas curtas e calças negras entor-
persentes,o que combinava mas ainda com os densos cabelos.

A manta vermelha com detalhes erá levemente aberta. Finalmente ao entrarmos novamente naquele salão dos seus rituais me senti satisfeito ao ver o corpo
jasendo áli,tive medo que o tivessem roubado,não?E quando sentei ao lado a pele estava pronta! Fascinio com isso por que erá uma copia perfeita do antigo corpo de
Nicolas,a boca rosada,a pele branquissima como neve,os delicados dedos que só um tocador de violino como ele háveriam de ter,para concluir a feição do rosto delicado
do meu nicolas mantinham-se iguais! Um copia genetica 100% como só meu Nick podia ser e com isso os fios negros e sedosos começavam a crescer,vi pela raiz,a produ-
ção célular era mais que perfeita! Entendi o por quê das cinzas,eram nelas que estavam todo DNA do Nick devidamente preservados e com isso o Tompei estava a mover alguns paineis e vi que erám oléos perfumados para banhar todo corpo.

Nossa,ele tinha essa delicadeza mesmo com sua reciproca coragem?Lindo de se ver é os risos emanaram pelo salão,ele assim sentou-se e começou a passar com um pano
de algodão limpo e humido o oléo e os fios negros da copia perfeita mantinhasse a crescer do mesmo modo que os cabelos de um vampiro.A perfeição estava 100% garan-
tida,afinal,é a copia exata como descrevo áqui.Erá como se o Nicolas tivesse morrido é o corpo dele estivesse com Tompei sendo preparado para algum enterro e novamente as risadas vieram e vi que o mongê não entendia áquilo de mim.Todos vocês sabem que começo a ter meus ataques de risos do nada para assim as pessoas me olharem.

-Lestat o que foi?

-A perfeição e constituição 100% me espanta mongê.

-O que lhe falei? O DNA iria agir por si.

-Agora vejo que sim,estava certo .

Ele virou-se e continuou a passar o oléo perfumado,Marius entrou pela porta e deu pulos com a visão,seus olhos maghificamente passeavam pelo Tompei
sentado áli,assim o mestrinho foi junto a ele,nossa,os dois faziam belo par,a voz de Marius entoou forte pelo salão,agora vestia simples camisas vermelhas
é o sobretudo junto,tipico dele,fascinio pelo seu adorado vermelho e estava a ajudar Tompei naquele proscesso. Aonde Louis estava?Marius não falou
que ia cuidar dele?

-Lestat o Louis está na caça,ele está pau da vida com tudo isso,diz ele que não quer o Nicolas áqui,acha que não de certo.

Marius falou isso,o que me fez dar de costas em raiva,agora sim ela começava a ferver,me sentia recuperado junto a força voltando em
mim,se ele estivesse neste momento na minha frente iria tecer malha no pedaço de pecado. Sai pelo corredor,Ana estava naquela sala
que tantos conversavamos e passavamos nosso tempo,a cor de canela pensativa e observadora junto a Armand que veio em minha direção
para falar.

-Lestat o corpo como é? Fala para mim,deu certo?

-Se deu certo?Simplesmente uma copia perfeita dele.

-Não,não posso acreditar.

-O DNA como diz Tompei falou por por si,agiu por si.

-Entendo,Marius me falou tudo.

Sentava com cor de canela,agora única coisa que faltava erá a tal alma que Tompei tanto falava e como iria voltar?Em que
momento? Ele entrou pela sala e novamente mantinhasse chateado com Marius,vi que o mestre tinha comentado algo que ele não se
agradou. Tompei entoava palavras em Mandarim para assim eu não entender,uma linguá que e claro mal começava a entender.

Marius esbravejava mil coisas também e Tompei saiu entre lágrimas com isso,nos sobresaltamos para que eles parassem
com tudo,Armand é eu puxavamos Marius de um lado,é Ana empurrava Tompei do outro. Queria justificativas com tudo
isso,mas envão,nem um comentário ou citação dos dois.

-O que anda acontecendo áqui? Fico pau da vida por que não consigo ler os pensamentos desses dois ai.

-Calasse Lestat,parece que para Marius ter feito isso e que Tompei vai fazer merda,isso sim.

-Acha mesmo Ana?

-Pode ser,pode não ser,mas se depender de Tompei espere tudo dele.

Enquanto falavamos ovimos estrondos na cozinha,as griadas sairam correndo para se acolher e Tompei saiu para ver,o vento
entrou tão forte pela sala aonde estavamos que mas me parecia um inferno. Tompei saiu imediatamente do local como que se
tivesse visto um fantasma ou algo assim,estava branco,tão branco que mal respirava e teve que se conter. O estrondo voltou para
finalmente tudo que fosse de vidro quebrasse,agora olhava para tentar ver algo,mas envão.

-Á alma está de volta,ela paira por esse lugar,tenho certeza disso.

-Como assim Tompei !?

-Buda trouxe ele,Nicolas paira por aqui e não está feliz não.

O silêncio foi imediato,queria desmaiar para não ter que ouvir aquilo da boca dele,a noite ia ser longa,realmente
muito longa,apreciava o silêncio por que precivasa dele.Marius erá forte,para ele nada fazia diferença,sabem disso;
o problema e para quem e mais fraco,esses sim podem se queimar de verdade. Louis entrou,gritavamos ao vê-lo,ele
estava todo aranhado,ferido em vários locais,mal se controlava fazendo com que eu ficasse mais desesperado ainda.

Ele jasia insone nos meus braços,pronunciava palavras desordenadas. Algo tinha acontecido para ele está daquele
geito.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 20

Mensagem  Ana Nery em Ter 23 Mar - 20:30:06

Enquanto sacudia Louis alucinado,Marius mandou eu parar,tinha dado alguns golpes para ver se ele voltava ao normal,mas em vão,paralizado como se tivesse tornado pedra,alías foi Marius que fez com que ele voltasse ao normal quando finalmente esperou Louis falar e impôs sua palavra de que ele hávia enloquecido,ai sim o pedaço de pecado falou a todos áli presentes,algumas manchas de sanguê sobre sua pele,os ferimentos fechavam-se,abençoado sanguê que nos fora dado.Louis andava delicadamente descrevendo com sua delicadeza que só ele mesmo podéria ter,insanidade,erá isso que me fez apaixonar-me por ele..Ele virousse enquanto pronunciava para que todos áli ouvissem o que tinha a dizer.

-Senhores acho que vi o própio BUDA,neste exato momento desejo ir embora,sei que uma coisa horrivel vai acontescer.

-O que exatamente Louis? Como conseguiu ver o sacro-deus das almas?

-Tompei estava caçando,entende? Alimetando-me e simplesmente enquanto me saciava a presença veio,vi o ser ancestral que por assim me atacou,dize-me
que meu estado deplorável que estou agora era apenas um aviso do vai acontescer caso á alma em troca não for dada.

-Hum..Pode me descrever esse ser ancestral?

-Não que tivesse formato ou ambiguidade,apenas a sombra pairava sobre mim a citar até que caiu em cima de mim e deixou-me assim.Sai desespe-
rado do local,que neste caso era a casa da vitma.

-Veremos no que vai dar,mas garanto que nem um aqui vai morrer ou desaparecer deste mundo.

O mongê levantou-se finalmente depóis das alternadas esplicações,vi pelo seu olhar que erá chegado o momento de terminar,seus olhos ficaram tão enevoados
que mal parecia o Tompei que conheciamos,mas esperariamos para ver no que ia dar,assim ele chamou o Kenjing para preparar á sua quadra,ninguém ou sequer
qualquer ser vivo a não ser a gente iria entrar no local.Ele trouxe apenas uma espada junto a ele de que tanto gostava,neste momento ele estava apenas
de calças e as botas curtas,Marius o seguia pedindo para que retrocede-se a decição,mas nada de resposta do Tompei.

-Lestat e Marius tragam o corpo aqui por favor,não quero esperar mais,a parte mais importante aconteceu,não é?

-Tompei retroceda a sua decisão,esquece isso,não precisa conclúir essa tarefa tão ardua filho.

-O quê? Marius eu estou nisso a noites arduas e parar aqui? Que morram todos,mas vou até o fim,agora tragam áquele maldito corpo de Nicolas para que ele volte a
vida que tanto anseia. Não quero um NÃO como resposta..

-O que posso fazer? Absolutamente nada quanto a sua atitude.

Fizemos isso,fomos pelo corredor do salão e trouxemos o corpo de Nick que agora estava completo! Tudo,absolutamente tudo completo,sem faltar nem
um fio de cabelo ou sequer alguma célula a se reproduzir áli,Tompei pediu para que chamasse à Ana junto ao Armand,quanto ao Louis que também viesse,
o Kenjing trouxe algumas ataduras negras,assim enfaixou toda a extensão do ante-braço do Tompei,perfeito como aquelas ataduras faziam com que ele segu-
rasse muito melhor a espada,vi que o vento parou. Não emanava nem uma brisa no local,a mesa de pedra talhada que tanto comentei anteriomente estava áli,
apenas o pote com tinta,pincel e por assim o mongê tirou uma nova folha do mais puro papiro que se podia encontrar.

-Tompei por favor,esquece,esquece isso!

-Vai para o inferno Marius,quero silêncio!

Meu querido Tompei,assim queria chama-lo diante de tudo isso,por tudo que estava provocando áli,finalmente o silêncio quando o Kenjing apareceu com o caldeirão do
coquetel das almas,o perfume de morte emanava quando ele abriu e deslacrou a tampa,o corpo de Nicolas Jasia no chão de pedras da imensa quadra,sentamos a ver
tudo.Se acontescesse qualquer coisa não exitáriamos em atacar o que quizesse fazer mau.O silêncio foi a tal nível que simplesmente conseguia ouvir minha respiração.

Tompei se encaminhou a mesa e escreveu o nome de BUDA,os seus olhos quando nome desapaceu sobre o papiro enevuaram ainda mais,daquela cor de mel para amarronzada de pura neblina,indescritiavel como ele citava todas as palavras e o vento véio ao terminar as citações proferidas pelos ensinamentos,as toxas apagaram do mesmo modo que anteriomente é ele voltou-se ao corpo,mais dessa vez BUDA não falava pelo vento,Tompei tornara-se o própio corpo do BUDA..

A emanação do poder erá tão grande que enquanto ele andava o ar me erá guente, o calor do poder simplesmente tornou o corpo de Tompei quente demais.Quem ousa-se tocalo iria queimar-se.Isso erá certeza e manejando tal espada de artes fez com que o corpo de Nick ficasse de pé,como ele fazia isso?Á energia do seu corpo transferia-se a espada assim movia o ar que assim se sopreporjava aos dois,não chamária aquela pessoa que via do nosso Tompei,não dária nome aquele homem,erá diferênte...

As mãos estavam esticadas sobre o corpo de Nicolas agora para poder seguralo junto aos ombros até que a sombrá véio,a dimensão tomava toda a quadra,que agora estava tomada por ela que assim começou a entrar em cada poro do corpo de Nick,Tompei absorvia tal negritude e colocava para dentro,erá uma espécie de ar negro,a carne absorvia áquilo,ia abservendo,abservendo até que ele moveu o ar com a espada para que o corpo caise no chão!!! O vento mantinha-se forte até que o nosso mongê rapidamente derramou o coquetel sobre o corpo! A conclução foi imediata;Tompei afastou-se para que o coquitel continua-se a entrar nos poros.Os critos daquele corpo começam a emanar,todos houviam friamente,Marius não tinha reação ou atitude.

Minha pessoa com os olhos arregalados a ver tudo,Nicolas critava em desespero molhado por áquilo,o coquetel das almas conforme descrito servia para estabilizar à alma,mais não sabia que doia tanto,agora sim entrava em desespero! Queria ajudá-lo e Marius junto a Armand a me segurar pelos braços...Eu estava fora de mim mesmo,melhor em fúria por ver Nicolas sofrer tanto para se estabilizar.Tompei e Kenjing o seguravam forte pelas penas e braços.

-Nicolas para! Tem que se acalmar se não podera entrar!

-Me soltem,por que me seguram? Quero que todos vão ao inferno e queimen-se

As palavras em francês eram entendiveis ao Tompei e Kenjing,boa parte,não tudo.As pronuncias que saim daquela boca! Que não ouvia a
tanto tempo,a leve fumava que o coquetel fazia ao entrar erá visivel, branquissima como neve da nossa Europa,não que queimasse a pele de
Nick,mas quando entrava nos poros,em toda carne ela se esvaia,se decipava ao evaporar-se. A força de Nicolas erá grande demais para Tompei
ou Kenjing segurar e Louis postou-se á segura-lo com força.Nicolas entender aquilo? Nunca na vida dele,estária mais se perguntando quem e você?

O corpo ficou mais estabilizado no chão quando a força imensa dos pés de Louis postara-se sobre o abdomem de Nick.Tompei não o largava junto ao
Kenjing.Gritos e mais Gritos,mas agora eles paravam,paravam delicamente para vir o silêncio apóis as tochas voltarem à ascender e os olhos de Tompei
daquela nevoa parecia normal.Ele andava pela gladra e via o corpo.

Finalmente! Nicolas respirava firme,forte quando Tompei ajudou ele a levantar e vir andando,não reconhécia absolutamente ninguêm dáli e quando passou
o olhar e viu a mim e Armand;Tamanha fúria que Marius teve que contelo arrastando ele para detrás. Nicolas gritava em fúria,esbravejando palavras
sujas para mim e Armand,estava despido e claro;mau nascia novamente...

-Senhor Nicolas,não ?Este e seu nome?

-O quê? Fala comigo? Por favor deixa-me conclúir algo áqui.

Ele queria se desgarrar dos braços de Marius mais tentativa envão,o corpo do mestre servia como pedreira a frente dele que batia braços e pernas para se livrar.Como eu estava feliz apesar de toda critária de Nicolas;firme e rigido como nunca foi em toda sua existência mais,mais os critos voltaram quando Tompei caiu no chão,nosso Tompei estava definhando áli.Desmaiou em um gesto unisono e Marius teve que larga Nicolas para socorrelo.Louis e Armand controlavam as coisas enquanto isso madando Nicolas calar boca,ir ao inferno,tudo que tinha dereito,a fúria tipica dele estava áli,genuina e vinha de dentro da sua pessoa.

-O senhor Tompei Marius,ele,ele está definhando,está fraco demais

-Por deuses,manipulou energia demais,leve-o ao quarto.

-Sim senhor,mas não garanto que sáia vivo.

Tompei foi levado nos braços de Kenjing,fraco e sem movimentos corporais,o monge poderia morrer,isso erá uma verdade,enquanto isso Armand e Louis ficaram áli na quadra a segurar Nick,Ana inusoluta entre lágrimas pelo Tompei que agora não sabiamos se tinha destino ou não.Devido ao calor vimos que a camada de gordura
do corpo dele foi queimada,ele foi longe demais,analizamos tudo isso quando o pusemos na sua cama desmaiado e sem ação.Parécia que estava mais em coma.


O mestre passava as delicadas mãos pelo rosto de Tompei e veio as griadas para que pude-se ajudar.A liader delas providenciará tudo.Lençois limpos e os adornaram no Mongê,Marius mandou todos sairem dzli,literalmente expulsou a mim e a Ana para que pudesse pensar.Agora sim o Armand e o Louis chegavam entre pancada com
Nicolas.A movimentação pela casa erá grande e vistosa,o que o estado do Tompei sighificava ?

-Providênciem vestes a esse ai,iremos conversa depóis.

-Lestat o que vamos fazer quanto ao Tompei?

-Louis eu não sei,Marius está transtornado lá dentro.

-Nicolas?

-Deixe comigo,ele voltou isso e fato,mas o que me preocupa e nosso mongê que agora parece está em coma.

-Tão grave assim?

-É a mais pura verdade e Nicolas consegue falar? Conseguê entender?

Ele estava sentado na proltona muito assustado com tudo,seus olhos castalhos apenas encaravam a mim e a Armand,quanto a Louis ele não reconhecia ou sabia quem era,a mesma atitude perante a todos.Só ia falar com quem conhécia e chamando ele junto a Armand para conversa entramos no clarto aposto para que ele conseguisse
citar o que desejava.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 21

Mensagem  Ana Nery em Qua 24 Mar - 20:38:47

Quando naquele quarto Nicolas nos olhava por um bom tempo, ansiava por saber o que se passava naquela mente e pensamentos
que passavam e vinham,Armand enquanto isso se recuperava daquele tremendo anséio,Nicolas apenas nos reconhecia por que
eramos as duas pessoas que fizeramos parte de seu passado,ainda háveria de entender e absorve a realidade agora.A perfeição dele
estava contida áli,presente em todos os momentos e finalmente quis falar,não sábia falar Inglês ou Mandarim e claro,afinal,agora que
renascia para o novo tempo.

-Quando tempo se passou? Tô perdido.

-Exatamente quase duzentos anos Nicolas,desculpenos ter trázido vossa pessoa de volta.

-Não que devam pedir desculpas aqui,mas á loucura corroia ao passar dos dias.

-Por quais motivos?

-Ausência,abandono,austeridade Lestat.

Essas foram as palavras dentre tanto tempo,não iria comentar,falar,ouvir absolutamente nada,ele estava certo,não iria tirar
sua razão ou a mente tão pervesa que continha,mas ele voltou seu olhar para Armand e soltou o que devéria soltar de ressentimento,
agora estava enrolado hum lençol de linho azul,fresco e bem pólico. Os movimentos dos dedos dele passava a mensagem de que o erro que
cometerá foi fatal,a fatalidade entre aquele gesto para com o nosso Armand o fez se esconder atrás de minhã pessoa,o empurrei para o
canto e assim ele ficou.

-Armand acha mesmo que quando falei aquilo estava tendo uma atitude séria?

-Oue? Não foi você que quis morrer? Que quis queimasse em sua grueldade é admissão de contaminação pelo mal?

-Nunca falei sério,me explica agora: Como uma pessoa possúida pela loucura pode está em plena razão?

-Quer dizer que você não estava falando sério quando entregou áquele violino e pulou nas chamas?

-Não,nunca falei sério.

Os olhos castalhos claros de Armand pairaram no ar,sentiu o erro que deixou acontecer virar realidade,Nicolas confeçará friamente que nunca
faria aquilo se estivesse em si,na verdade entenderamos que a mais pura verdade foi que o Anjo de Boticelle deveria ter evitado aquilo para assim
esperar a loucura de Nicolas parar e simplesmenre reestabilizar sua pessoa em si.Me sobresaltei em devanéio quando Louis entrou no quarto e resolveu
sentar áli comigo,os vividos olhos verdes apenas passeando sobre Nicolas que nunca imaginária quem o pedaço de pecado erá em minhã vida.Os cabelos de
Nicolas estava brilhoso devido ao liquido,seu corpo estava terminando de secar agora,a pele macia e purgênte com o toque sobrenatural emanava a típica
beleza dele e assim resolveu saber quem Louis fora e erá .

-Vossa pessoa,pode me dizer o que faz áqui,me golpeou féio,muito mau sua pessoa senhor?

-Louis,Louis De Pointe Du Lac

-Hum..Aonde nasceu? Quantos anos tem? Aonde mora miseur?

-Nada que venha ao caso e claro Nicolas De Lenfet,afinal,agradesça a Ana Nery por está áqui junto com a gente,eu e Lestat moramos atualmente em Nova Orleans

-O quê?

-Vai entender depois.

Os risos de Louis ao conclúir me fizeram rir junto a ele e Nicolas sem entender nada,concodava com isso,tudo no momento certo e sobreporjado a vida que agora presci-
sava ser restaurada,Nicolas apenas levantou e foi arrumar-se,não entêndia que roupas erám aquelas e deu o grito de ascos que concerteza esperavamos,odiara o estilo em si,
téria que se acostumar,Armand o vestia gradualmente,pequeninas botas negras com calças clássicas,a sobrecasaca junto ao pequeno chale de ceda caiam bem,assim o própio penteva os vividos fios de cabelos de modo a cairem para trás,belo,maghificamente belo,falo áqui que Nicolas erá parecido com Louis,já confesei isso antériomente,não e? Única coisa que mudava erá os olhos castalhos como amendoa é a pele muito mais clara que a do pedaço de pecado,fios compulentos e menos andulados e quando descobrise o que Louis sighficava para mim ai téria que houvir muito.

Ele destravou a masaneta da porta para poder sair e viu o estado da Ana na sala e foi saber quem ela erá,a cor de canela se encontrava péssima,sem atividade ou o que
falar a qualquer pessoa e a vi repudiar aquele gesto de Nick para que podese conhece-la melhor,ele foi atráz dela mais do que ia adiantar? Não entênderia uma palavra sequer em português que ela citasse a ele;Nicolas ficou hinrritado com isso e falou alto a mim para que pude-se ajuda-lo,o fiz com toda avidez possível.

-Ana pode falar? Má belle está chateada,sei disso mais não e nescessário e saiba que faremos tudo para ajudar o seu Tompei.

-Tompei está morrendo Lestat,não temos a menor idéia do que acontece com ele depóis de tudo isso prefiro ficar quieta para que tudo se resolva,Marius está pau da vida
com todos,sabe disso. Não quéria que nada de ruim acontecesse ao Tompei que ele tanto adora,né?

Ao ouvir a voz doce,mas porém forte de Ana os olhos de Nick apenas nublaram a moda que só a gente entêndia,ele quéria puxar amizade com ela mais envão,mal sabia
o que a nossa cor de canela falara a mim que e claro ao menos pegara grande parte daquela linguá tão doce que e o Português;para ser sincero os brasileiros falam a
linguá mãe deles como música,a pronúncia emanava mais ao menos assim,é o maximo que consigo explicar a você leitos.Apóis isso soubemos que a mãe de Tompei estava a
camiho do Templo,que Marius a espéraria para poder saber o que fazer,como ela séria?

Ansiava em ver a progenitora daquele menino que a cada passar de noite nos supreendia com suas abilidades,realmente o que fizera com Nicolas foi como o
surgimento de um bing bang,tudo absolutamente perfeito iriamos aos poucos reestabilizar os conhécimentos de Nicolas que agora prescisava apreender em que tempo estava que e claro apreenderia rápido e Louis o repudiava com raiva devido a complacência de Nick,estava com ciumes e ódio por isso,o que eu ia fazer?Fuzilado a todo momento com áquele olhar que só Louis tinha e meu Nick sem entênder nada,que ficase assim,fingir que não tinha nada laí e assim Marius saiu do clarto para poder explicar melhor o estado do Tompei.

-Lestat posso pedir algo?

-Sim e claro mestre..

-Quem é ele Lestat? "Nick perguntou"

-Marius de Romanus,não queira saber,na sua frente está um vampiro que não gostária de dar de frente.

-Como assim?

-Há,um ancião que e o pai e criador de Armand.

O espanto foi eminente fazendo com que Nick desse passos para trás e o peguei pela mão,erá apenas o começo,apenas o início de tudo com ele,se ficou pasmo com
aquilo acho que iria a loucura novamente quando soubesse quem eram as duas mães e quardiãs do nosso gerne..Marius o segurou pelos ombros e o fitou como que se
fosse matá-lo áli,mas não o fária,de certo modo Nicolas agora também erá cria dele,afinal seu sanguê corria nas véias do que segurava pelos ombros e assim Marius sentou-se para que pude-se falar a todos,estava ancioso e pau da vida com o estado do mongê.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 22

Mensagem  Ana Nery em Qua 24 Mar - 20:56:55

Brilho de tristeza,brilho de emanação de poder,assim Marius se comportava diante daquela situação e sabiamos que
a qualquer momento a mãe de Tompei podEria chegar,a principal ordem do mestre era para que continuasem a cuidar dele,que
não parassem de continuar todos os proscedimentos.Conclúindo,se o Tompei morre ai sim iriamos para o inferno conforme Marius
pronunciava e áli o nosso monge estava no sono profundo quando o vimos deitado,a liader das griadas mais presente do que nunca
a passar o pano humido sobre a testa dele,o medo erá crucial por que nunca presenciei um humano com tal poder.Quando voltamos a
nos sentar na mesa gigante daquela conversa de quando Marius chegara o que ele falou me foi esmagador.

-Lestat sinceramente toda a camada de gordura do corpo dele queimou,apenas restam pele e ossos e o problema e que tenho medo do poder dele,
que viu e presenciou,não sabemos a gravidade do problema,compreende? Apenas vejo que o estado de coma pode ser inrreversivel.

-Fiz merda,pronto,me culpe,pode me matar se desejar Marius.

-Bem que gostária de fazê-lo,mesmo com raiva de você eu não tenho tal coragem.

Era de se imaginar,imprevisivel mais imaginavel como a mais unisona rosa que só os olhos de Armand e Louis conseguiam ser ao pensar e analizar
a situação,ai está a chave mais não saviamos como fazelo e quando voltamos do retiro da noite sequinte a mãe de Tompei estava lá para que resolve-se
algo,isso e,se ela conseguise,senhora complascente,erá bela,o filho da mãe do mongê tinha a quem puxar e quando a viu imediatamente Marius abraçou ela
para que se recompo-se,ela sabia quem ele erá,afinal como sacerdotisa de seu templo reconhecia o sobrenatural de qualquer forma,seja lá como ele viesse a
sua visão,os cabelos negros repicados sobre as pontas caiam as costas,olhos escuros com o tradicional puxe nos olhos,boca deliada com mero batom claro e
o quimono negro como só as trevas podem ser,não e? O fato deles nos reconhecerem me começava a incomodar,não sabiamos o que Marius iria pedir a ela,mas
ouviamos sejá lá o que fosse.

-Senhorita Xinran peço permisão para que eu,minhã pessoa que tanto conhece possa levar o Tompei daqui.

-Devido a grávidade?Acha que ele pode se recuperar?

-Para meu ponto de vista sim e não,depende de todos os seus aspectos

-Compreendo,a estou fatigada e desgastada,não posso ainda compreender o tal nível que ele tanto ansiava,mais me deixou triste por ter ido longê demais

-Sim,e evidênte,não tiro sua razão.

Os dois áli me pareciam deuses,titáns que brigavam e ansiavam por algo,Marius disse que iria levá-lo para o melhor tratamento possível,nossa,mil
coisas,não sábia do que iria vir,isso sim.Marius tinha seus segredos isso era fato,mais iriamos ver o que iria ser passar,assim quando saimos pelo
sacro-jardim ele me confeçou a pura verdade que planava em segredo,fiquei austero quando a tudo,ele encostado no muro próximo a arvore e minhã pessoa
a ouvir a verdade puramente inaltera e insepida a tudo.Tinha feito a pior merda áli pedindo o que pedira ao Tompei e o que Marius me disse fo a conclusão
facada.

-Lestat vou dizer a verdade,Maharet pode ser a única a resolver isso,e como falei,o problema não e ele está em coma ou simplesmente ser mortal,mas ,sim
o fato do poder dele está agindo contra ele.

Ai sim chorei,alma quebrada,atitude insensata,mais um erro,mais uma desgraça em minha imortalidade causada por mim mesmo,foi como Marius disse,até quando minha
ambição de ter trazido Nicolas iria dar?Bem,foi o que acontesceu..Lá estava Tompei naquela cama a ser ultrajado pelo seu própio poder que não sabiamos como controlar
ou entender,resolvéramos:Partiriamos no nascer da proxima noite,mantiteramos segredo até conversarmos com Ana e demais presentes,resumidamente: BUDA por não ter recebido
á alma castigou Tompei,ultrajou-o contra ele mesmo,erá nisso que tudo se resumia.

Voltando a está presentes a Xinran encontravasse no quarto a cuidar do filhote aventureito que ariscará sua vida por tudo,silênciosa como estrelas brilhantes,
ela erá meiga sim,atenciosa,sabia do que quéria e do que desejava para com seu Tompei,que ele simplesmente se recupera-se são e salvo,iriamos ver mais no devido
momento é ela levantou-se para me receber áli,moldura de antrocidade junto a puresa de uma sacerdotisa alténticamente sécular ao pegar minhãs gélidas mãos.

-Vão cuidar dele,né? Por favor,me garantam isso.

-Sim,pode ter certeza Xinran,fique calma.

Maharet,essa séria a proxima meta,estava preparado para vê-la novamente depóis de anos sem olhar naqueles olhos de pedra,a mãe estava a nos esperar,Marius confeçará
a mim que lá ela nos esperava,a todos,dai a pergunta: Ela me queimaria por isso? Pelo que fizerá naquele lugar? iria ver,falo que quando soube disso eu estava rezando a
todos os deuses possíveis para que não,o que ela fizera comigo na aventura em Memnoch fora demais,em minha loucura fora preso pela corrente trajada de seu cabelo e puro
ouro,ficara noites em um clarto fechado até me recuperar. Assim nos recolhemos no passar da noite,os sonhos com a mãe vierá,manipulado e imaculado,Lestat,Lestat você
e o demônio por ser o que é.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 23

Mensagem  Ana Nery em Qui 25 Mar - 21:01:55

Fora acordado na noite sequinte pelo Armand nas densas folhagens e terra,assim,fora convidado pela mãe de Tompei a tomar banho,merecia depóis de tudo
aquilo e fiz,a alma ardia mais que nunca devido a hipóse de ter que ver a Maharet,quando arrumado meus cabelos cintilavam em puro amarelo caindo pesadamente
entre ondas e cachos para tráz,vestira um smoking com as calças jeans que tanto apresiava devido a negritude.

Mais Marius venho me acompanhar,agora nos preparavamos para que pudéssemos ir ao encontro de Maharet,nossa mãe imaculada,assim Marius enrolou o corpo
adormecido de Tompei num lençol da mais pura seda chinesa que por si emanava a negritude da noite de tão preto que erá.Armand nos seguiu junto aos dois
imaculados: Louis e Nicolas que morria de curriosidade,queria só ver a cara dele quando estivesse frente a frente com ela,descendo a imensa escadária pelo Jarim
subiramos a densa muralha que envolvia o Templo,olhamos a noite para respirar e com isso me sobresaltei no ar,todos exeto Marius ficou pensativo,será que Nicolas
entêndia áquilo?Sim,vi que sim quando estendi as minhas mãos a ele e ele conseguiu sobreporjarse no ar,voltará mais forte do que pensei,perfeito como libélula de
eterniadade.

Marius foi o último devido a delicadeza que segurava nos braços,Tompei,nosso Tompei que agora chamava e assim saimos pelos cêus da china,tériamos que dar a
volta no globo,a viagem ia ser densa até terminarmos para finalmente chegar aonde Maharet estava;que fosse assim amores,que fosse como o destino desejase,como sempre
amava respirar áquele ar puro que só o vento nos trazia para nos purificar,sofremos um pouco mais depóis disso chegamos,chegaramos finalmente a mãe que nos esperava no
seu recolhimento justamente na entrada pricipal do pequeno palásio entre aquela bebeza de paisagem,o lugar? Jamais vos direi afinal erá o nosso gerne que ela contém
junto a sua Irmã Mekare que tambem estava lá,a visão das duas deusas sobreporjadas uma nas outras me trouxe lácrimas e descemos.


Agora estavamos na entrada e ela falara comigo,Maharet trajada no seu vestido lilás de algodão que caia sobre seu corpo,o broxe de borboleta de pura prata
sintilava posto sobre seu céio-esquerdo,os cabelos acobreados escorriam densamente as costas enquanto entravamos no salão e sua irmã sempre a acompanha-la mais porém
vestida de puro negro martinizando a sua densidade;as duas eram idêndicas como sabem,nos encaravam com pedras e mais pedra até que finalmente Maharet falou sentada sobre
a entrada da escada.

-Marius por que vêm áqui? No meu retiro absoluto?

-Maharet vejá,por favor olhe isso que tenho nos braços,sabe que nunca pedi nada a você muito menos a ela,mais,mais vejá isso.


Marius assim soltou o corpo de Tompei no imenso tapete,as duas olhavam é olhavam como que se vissem algo áli,não entendia,a visse a mim,a mim,falem;
essas palavras gritavam na mente até que Maharet me fuzilou com seus olhos que eu mesmo vi que erá de vampiro,tomara coragem para arrancar e polos para sempre
no lugar,e claro o azul altêntico como a cor que ela tanto amava.Deu passos pesados em minhã direção,o ar emanava dela fazendo com eu que quize-se por os pés
entre as pernas e fugir em corréria mais ela me segurou com os braços de ferro,sabia quem eu fora o responsável.

-Lestat foi você não e? Novamente? Não me e surpresa!

-Me solta,me solta!

Ela me empurrou contra o chão e pos o pés esquerdo no meu peito,doia muito, sua irmã a fez parar mesmo em silêncio e ela abedesceu postando-se sobre o
corpo de Tompei,passava os dedos rigidos sobre seu rosto,ela quéria chorar pelo que via,por quê?Ela sabia o que tinha?Adivinhara?Quando voltou a levantar-
e sua voz entou firme como o fio da navalha da espada que Marius áli carregava na mão,erá a que Tompei ussara no ritual e que Marius mesmo entregou para ela
apreciar,a voz vinha tão nostálgica como antropológia,se e que conheço essas palavras irmãos.

-Qual o nome dele?

-Tompei,chame-o de Tompei cara Maharet.

-Que seja,Marius sabe o que tem ai dentro? Posso ser sincera?

-Sim,por isso viemos aqui.

- Acredita em deuses? Acredita neles?

-sim e não,tem minha opinião.

-Apóis o que deleta o corpo dele e um,tem algo ai dentro que faz com que seu corpo se deteriore desse geito,mais por quais motivos isso acontesceu?

-Nicolas de Lenfet,acredite,esse própio monge que trago aqui da antiga China o trouxe de volta.

-Um mortal com o poder de um deus,e nisso meu Marius que Tompei se resume,teremos que analizar o que tem ai dentro,sei disso por que e evidênte pela
presença,você,o sobérano de 2 mil anos não percebeu isso?

-Desculpe,desculpe!

-Perdoado,erros acontecem e Nicolas De Lenfet,aproxime-se por favor,deplora a quem?

Ela pegou Nick pelos braços,mau ria pela situação dele que ela iria explicar quem erá depóis,graças que a mãe sabia o que fazer a ele,deixou-o quieto em seus
pensamentos que por assim se recolheu detráz de mim,Louis a rir e a rir da cara dele como que dizendo:Vai,ai sim será queimado,quase fora morto por ela e agradecia
na mente a sua irmã,obrigada,obrigada.O lugar era fresco,muito fresco e suave para andar,apreciar as obras de arte das duas mães que agora levaram o corpo de Tompei ao
retiro absoluto;Marius por si respirava como que se dizendo que finalmente missão comprida,ele ainda estava chateado pelo seu querido mongê,aviso que Ana resolveu ficar
no templo junto a Xinran,não quiz se ariscar no voo sacro,tinha ruas rações. A noite ia ser longa,isso erá verdade já que agora estavamos no sagrado lar das mães é assim
fiquei com Armand a conversa.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 24

Mensagem  Ana Nery em Qui 25 Mar - 21:19:54

Quando voltamos a ser chamos poe Maharet ai começamos a averiguar o que Tompei tinha,cada analize das duas gêmeas
para todos áli era imprevisivel,nesta hora eu simplesmente virá que a chuva começava a cair do lado de fora,o barulho
mandava sua mensagem a mim quanto a esse fato,quéria falar,poder comentar algo a respeito de tudo,não conseguia me
desculpar muito menos pensar,assim elas andavam em volta do Tompei áli adormecido,olhavam e olhavam sem falar nada,Marius
em silêncio diante de tal atitude.

O que isso sighificara para mim erá o mesmo que ir ao inferno novamente,a sala erá linda,decoração conteporanea,reliquias
milenares que só a Maharet conhecia esplavam-te a todos os cantos,muitos contéudos de estudos como manoscristos,pequenas
estátuas e livros antiguários pa imensa práteleira. Finalmente ela fizerá ela tomou uma atitude,não sabia qual mais iriamos
ver para que todas as analizes fossem descobertas,assimm ela foi saindo para pegar um garrafinha de vidro,lá dentro tinha
alcool,uma base para qualquer marjoritário da noite como nóis fazer fogo e espalhou-o pelo corpo de Tompei.O quê? Queimá-lo!

-Maharet,calma ai,calma ai deusa,o que pretênde fazer com isso?

-Verá Marius,vamos ver se esse filho da mãe sai de dentro do Tompei.

Assim ela esticou as palmas das mãos em direção ao adormecido que mau sabia aonde estava ou que se passava,a irmã dela também
postou-se ao seu lado com a mesma atitude até que a voz véio junto a emanação leve de calor das duas,a nergia do filho da mãe como ela
bem dizerá emanava por toda cada,o poder erá forte como previramos e o vento entrou por todos os espaços,a fúria erá tanta que o silêncio
acontesceu como naquela gladra,toda vez erá assim,quietude como não se encontra em nem um lugar,alguns iciones cairam da imensa prateleira
e Maharet não parava de falar,agora sim ameçava.

-Filho da mãe,deus holocausto que mal conheço ou sai dai para revelar sua face ou dê adeus ao Tompei!!,dou apenas duas opções,não sei quem és,mas
sáia dái!

Aconteceu como ela desejava,a presença sáia como neblina negra do corpo de Tompei,o seu peito infarva como respiração e vi seus olhos
abrirem,ele tosia forte e mau enchegarva nada,sentia-se fraco ainda e quando viu aquela neblina paira acima dele começou a ceitar e Maharet
o segurou nos braços,ele não conseguia se segurar quando tentou tal austeridade.Seus olhos viraram-se ao alto novamente para ver o vento
levar a fumacinha negra pela casa,fumil como que nada tivese acontecido mas a presença se mantinha constânte.Ele sentou-se no imenso sofa pel-
pudo,ainda seco como palha seca,tive pena dele,fraco como uma pena a desmanchar-se e Maharet não parava de acariciar deus densos cabelos
negros e finalmente ele falou junto a tose forte.

-Desculpem a pergunta,mas ainde estou quem são vossas pessoas?

-Está seguro agora Tompei,está no esconderijo da mãe. Me chamo Maharet e a que está ao meu lado Mekare.

-Não entendo absolutamente nada,única coisa que sei que fui atacado por aquela presença que garanto a você Marius não se tratar de BUDA.

-BUDA? Quem e ele?

Essa foi a grucial pergunta dela enquando acariava os seus cabelos que agora sua pessoa quéria tentar se lenvar,mas envão novamente,a
fraqueza erá demais,finalmente agora sim o mestrinho fora ajudalo a caminha e Tompei andava à olhar toda a estensão daquele palásio absor-
vendo os contextos presentes,ainda se mantinha com as botas negras curtas e a calça tambem da mesma cor,as faixas negras ainda atada ao
seu ati-braço até que algumas gotinhas de sanguê começara a descer por sua estensão e fez Maharet querer ajudalo desefaixando tuodo lugar e
vimos as feridas enormes na pele.

-Querido Tompei quer cuidar disso? Posso ajuda-lo..

-Não e necessário por quê apenas quero comer bem,tem comida aqui?

-Por deuses,me faz uma pergunta cabulosa agora meu filho.

-Em que sentido?

-No sentido de que estatamos méio distantes da civilização.

-To realmente encurralado.

-Mais deixa eu ajudar com esses ferimentos;mantenhasse calmo.

Ela cortou os pulsos para o sanguê cair sobre as feridas e começam a fecha por todo lugar,ele foi pegar sua espada
que agora fora entregue por ela,ainda transtonrnado ao sentar na escada a pensar no que ia fazer quanto áquela presença que
agora sabiamos não se tratar de BUDA,seus vividos olhos castanhos caiam sobre mim e Nicolas que agora por si fora velo de perto.

-Obrigada Mongê por me trazer de volta

-Obrigada por ter me deixado neste estado

Repudiação total naquele pedido,a voz de Tompei entoava firme agora,o corpo estava se estabilizando por completo fazendo com
que ele mesmo tivese forças para encarar tudo áquilo e revelava o que ia fazer para mandar a presença aos confins dos tempos aureos
que assim ele mesmo chamava,como quéria abraçalo é agradecer por tudo que fizera mais meu orgulho falava mais alto quanto a isso,então
houvimos ele...

-Maharet gostária de que trouxesse velas,pode ser?

-Sim e claro.

-Não quéria ter que falar isso mais o poder do Dragrão vai ter que ser composto.

A exaltação de Marius foi clara a isso,finalmente saiu da quietude para dar pancadas de proncas ao mongê,o que erá o poder
do Dragão? Isso que me bátia agora na cabeça devido a dúvida constante e paralela ao Tompei que mantinha-se fime a dua descição,ele tinha
palavra,acreditava nela a tal ponto que ninguêm séria capaz de tirar alguma idéia da cabeça. Marius agora o segurava pelos braços a dar
mais broncas e mais broncas,Tompei incoerênte a ele,agora eu perguntava o que erá tal aporgeu do dragão.

-Lestat verá o poder supremo de qualquer disnástia,a força do Dragão aparece rápido mais simplesmente queima qualquer deus.Para vocês
queimar um espirito e muito facil como aconteceu com Goblin,não? Sei disso por que quase todos os fatos já foram citados a mim,
mas tente queimar um Deus,sim,tente e vera que será envão,as chamas de vocês podem até aparecer,mas envão,eles são deuses,moldam tudo
o que possuem.

-E pode me dizer quem e áquela presença?

-Mantenho o nome em segredo,coisas não devem ser citadas e só a força do Dragão pode queimalo,afinal áquilo e um deus que manipula a escuridão
como quer,então que seja,queimarei ele com o Dragão.

O susto foi eminênte,sabia agora,todos áli que BUDA não agiria da forma que agil naquela quagra,o Tompei finalmente recebeu as velas de
Maharet para passar as chamas nas lámina da espada que carregava com tanto ardor,quanto terminou de passar áquelas chamas ela apenas
critou com a voz metálica devido ao que via,por toda extensão da lámina apareciam com uma cor amarelada palavras e citações em Mandarim,os
aparecimentos erám constantes até que voltaram a sumir,áli tinha um poder sim,erá evidênte e por isso pegou seu lençol de ceda negra da
qual viera enrolado e isso quardou a espada entre ele,veriamos o que Tompei iria fazer junto a Maharet.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Rosas e Sangue-Cap 25

Mensagem  Ana Nery em Sab 27 Mar - 22:33:43

Com o passar das horas todos nos saimos para o imenso campo a frente do esconderijo das duas,mesmo assim a vegetação era méio
densa,odiava ter que continuar sentindo aquela presença que por assim dizer não deixava de mostrar que estava áli,todos sentiam
menos o Tompei que e claro nos pedira que no momento que acontecesse algo o chamasse,fariamos sim mais só quando a presença se mani-
festase como fez ao ter atacado Louis,mentiu dizendo que era BUDA e fariamos com que paga-se por isso,o segredo do nome respeitariamos
com Tompei que não quéria pronunciar de quem se tratava,mais ele hávia confimado que só o Fogo Do Dragão podéria queimar um Deus,sejá lá do
que ela fosse feito.

Entenderamos e iriamos ajudalo com todo proscesso,mais uma coisa era certa: BUDA só realmente apareceu quanto trouxe Nicolas a vida
entrando assim em Tompei,mais áquela presença o tirou para que pudesse fazer o que fez ao nosso Mongê,estava com ódio disso,deuses,demônios,
deja lá do que esse universo fora formado,mais eles são crueis,gostam de brincar com os fracos e para mim isso era inadmissivel,a Lua batia
nas mães que andavam juntas pelo campo,a claridade que elas emanavam erá como só podéria ser;gerne sagrádo.Marius assim ficou inusoluto
junto ao Nicolas e Armand,Louis por si não saia do meu lado,tinha seus motivos que entendia claramente,não me erá presciso falar absolutamente
nada.Tompei enfeitiçado por tudo que via entre nóis mais quando a neblina negra pairou sobre as duas gêmeas ai sim viramos a imensidão do problema,
a dimensão tomava todo campo da qual andavamos,Tompei começou a correr,já tinha seu maldito plano traçado para quando o filho da mãe aparecesse.


É o fez juntando-se a Maharet,os três andavam friamente como que se calculasem algo que iriam por em ação,os três olhavam tudo aquilo até
que Tompei falou alto,revoltado com tudo que via,Maharet mal agia ou queria fazer algo,seu silêncio era multuo diante do que Tompei falava,
assim ele mantinha a espada segurada nas mãos,firme e forte quanto a tudo que podéria acontescer,o vento vinha para que começasse a querer
nos empurar para trás,repudiava aquilo tetando me contrapor.

-Kaniban! Quer a mim? Entao venha pegar,um homem que deixou sua alma contaminada não merece com que ela se mantenha existindo.

-O que Tompei? Esse quem é?

-A alma de uma pessoa que gostária de esquecer Maharet !Que assim tinha o sanguê de um deus.

Assim o nosso mongê vociferava as incrimes palavras em mandarim,silêncioso e atento a tudo,as gêmeas estavam juntas
e Marius apenas a olhar tudo junto a eu,Armand,Louis e Nicolas,não iriamos interferir em nada a não ser que fosse presciso;
Tompei apenas fazia leves sinais com os dedos no ar,até que o vento começou a envolver a neblina;tomara o formato de um
imenso globo pairando no ar e quanto o rugido de um Dragão veio atrás do vendo levei as mãos aos houvidos,rugia alto demais
voltando meu olhar a espada vi os aerogligos em Mandarim voltarem a aparecer em sua lámina,quando Tompei a erqueu fazendo com que
todo seu carma se transferisse a espada e ela esquentava,esquentava até ficar com a inrredêscendia de um metal derretido.

-Com o Dragão mando-o de volta ao lugar da quel jacia kaniban!

Ele soltou a espada no ar,jogou ela com toda força no ar para que caise dentro daquela neblina e penas critou as
gêmeas friamente,elas etenderam e o fizeram,apenas levantaram as mãos e queimaram tudo! O rugido do dragão continuava,o
fogo entorpescente junto ao fogo do dragão queimava aquela alma de um deus que da qual Kaniban fora,terminou! Finalmente
elas subiram ao ar fazendo com que queimasse ainda mais,as faiscas caim do cêu apoís elas descerem no campo,assim o dragão
desaparecera e a espada caira no chão intacta a tudo.

-Tompei! O que foi aquilo? Diga-me!

-Nada Maharet,nada que á alma humana possa fazer enquanto acreditar nela deusa!

E quando Tompei se virou ela pegou a espada é o ameaçou entoando palavras metálicas como só um vampiro podéria fazer e fez tompei
virar-se,ele ficou assustado,sabia que um passo infalso ela o matária,o suor decia pelo rosto do nosso mongê e a as lácrimas de
Maharet caiam pelo rosto,vermelhas e apasiguadas pelo que presenciará.

-Um mortal com o poder de um deus,impossível de se imaginar meu caro.

-Hum... O que pretênde fazer?

Ela andava com a espada mantida sobre as mãos na direção de Tompei que agora dava passos a recuar,seus vividos olhos mel emanando medo
e simplesmente caiu no chão pela atitude da mãe,o vento parou e Maharet o pegou pelos braços,ela mais queria esganá-lo pelos ossos para assim
sorver seu sanguê,mais não,mantinha-o segurado as mãos o fazendo balançar os pés,Tompei,nosso Tompei,agora o que a noss mãe iria fazer dele? Eu
apenas engolia em seco,não quéria que o mongê morre-se mais o que ia fazer? Marius austero a tudo,todos a ponto do desespero pela atitude de Maharet.
avatar
Ana Nery
Admin

Mensagens : 1893
Data de inscrição : 31/01/2010
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro - RJ

http://lightinthedarkness.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ***Rosas e Sangue*** (1° conto)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum